Cartas - 30/10/2010

ELEIÇÃO

, O Estado de S.Paulo

30 Outubro 2010 | 00h00

Petrobrás

Já virou piada. De mau gosto, claro. Como de costume, sempre que o governo Lula precisa de algum empurrãozinho - no caso, a Dilma -, a Petrobrás vem a público anunciar a descoberta de nova jazida de petróleo. Quem sabe até a eleição não seremos brindados, "como nunca antes neste país", com o anúncio de que o Brasil se tornou a primeira potência da Opep? É rir pra não chorar...

PAULO RIBEIRO DE CARVALHO JR.

paulorcc@uol.com.br

São Paulo

______________________________

O petróleo era nosso...

Hoje é do PT. A Petrobrás cobra quatro vezes mais pelo combustível do que a Venezuela e o dobro da Argentina. E vive com medo da concorrência. Como posso me ufanar de uma empresa infestada de parasitas que a sugam dia e noite? O lucro da Petrobrás não está sendo distribuído aos brasileiros, e sim jogado no ralo.

ANTONIO C. F. RAINHO

caipiramoderno@ibest.com.br

São Paulo

______________________________

As sete pragas do Brasil

Segundo nos relata a Bíblia, o Egito sofreu dez pragas. O Brasil tem sete, mas com a diferença de que são interdependentes, misturadas numa simbiose íntima, como parasitas sugando a seiva nacional. São elas: 1)Nepotismo - em sentido amplo, incluindo os "afilhados" com alto QI (quem indica). 2) Populismo - representado por Getúlio, Ademar, Juscelino, Brizola e, mais recentemente, Garotinho e Lula. 3) Fisiologismo - na base do toma lá, dá cá, ou é dando que se recebe. 4) Autoritarismo - Getúlio no Estado Novo e o período pós-64. 5) Bacharelismo - alguém já disse que o Brasil é a terra dos bacharéis. Quanto mais complicada a Justiça, mais causas para os advogados. 6) Petismo - na oposição, adota a política do quanto pior, melhor; na situação, não precisa da oposição, pois é um verdadeiro saco de gatos; mostrou agora, na era Lula, tudo o que é e o que poderá vir a ser! 7)MSTismo - é o equivalente da praga dos gafanhotos, por onde passa, destrói tudo. Todas essas pragas tornam o organismo nacional debilitado, susceptível a vírus, como os da corrupção, da violência e, o mais grave, o HIV (honra infectante vírus). O único remédio eficaz para combatê-las permanentemente chama-se democracia e deve ser administrado indefinidamente para fazer efeito visível. Pois democracia não é uma sistema pronto, mas um processo em evolução, de equilíbrio entre todas as forças vivas nacionais, com respeito aos direitos das minorias. Já dizia nosso glorioso Rui Barbosa: "Com a lei, pela lei e dentro da lei; porque fora da lei não há salvação."

RICHARD OCAÑA ZANGARI

rozangari@gmail.com

Londrina (PR)

______________________________

PODER JUDICIÁRIO

Fuga de presos

O editorial As fugas de sempre (24/10, A3) é injusto com os juízes de execuções criminais. Não deixa de ser verdade que a pletora de processos - são mais de 400 mil encarcerados, como diz o jornal - impede o exame acurado e praticamente os obriga a decisões automáticas, sem exame do perfil de cada condenado. Mas não é essa a causa principal da existência dessa porta de saída para bandidos perigosos. São de outra natureza as duas causas principais. A primeira, a extinção do exame criminológico, perpetrado pela Lei n.º 10.792, de 2003, editada sob intensa pressão dos governadores à época, em especial do de São Paulo. A outra, tão ou mais importante, deriva das decisões libertárias dos tribunais superiores, em especial do STF, que, como nunca antes neste país, tem enxergado inconstitucionalidades em todas as normas que pretendam tornar mais rígidas as condenações por delitos graves. O desastroso reconhecimento da inconstitucionalidade do artigo 2.º da Lei de Crimes Hediondos (cuja constitucionalidade já fora reconhecida pelo mesmo STF, com outra composição) é exemplo disso, como também recente admissão da possibilidade de substituição da pena de prisão por penas alternativas em casos de tráfico de entorpecentes. São decisões dessa espécie que permitem que não só os condenados fujam, aproveitando-se de saídas temporárias em datas festivas, como também autorizam que eles permaneçam em liberdade anos a fio, mesmo depois de condenados, como no conhecido caso do jornalista que matou a namorada. No Estado de São Paulo, onde a população carcerária passa de 150 mil indivíduos, posso testemunhar o esforço dos juízes de execuções criminais para, se não impedir, ao menos diminuir essa verdadeira farra das progressões penitenciárias.

PAULO REALI NUNES, procurador de Justiça

reali@mp.sp.gov.br

São Paulo

______________________________

PROPINA EM SANTO ANDRÉ

Quem matou Celso Daniel?

Em janeiro de 2002 começava a campanha de Lula para presidente e o coordenador era o prefeito de Santo André, Celso Daniel, tido como homem correto. Nesse mês, porém, ele foi assassinado e sobreveio a pergunta: por que mataram Celso Daniel? A resposta veio em seguida: ele descobrira uma tremenda roubalheira e os ladrões resolveram calá-lo. Mas a pergunta que não quer calar é: quem matou Celso Daniel? Estamos em 2010, Lula termina o segundo mandato e ainda não temos resposta. Chegaram a prender um Sombra, mas foi inocentado. Só sei que ocorreram algumas mortes de possíveis testemunhas e parentes do prefeito estão fora do País com medo de serem mortos. No Brasil é assim, quem tem de deixar o País são as vítimas.

MÁRIO LOPOMO

mlopomo@uol.com.br

São Paulo

______________________________

PREVIDÊNCIA

Situações diferentes

Para que nosso Estadão continue sendo justo e correto - como sempre - é necessário que, com relação ao editorial Privilégio e concentração (23/10, A3), fique claro que o funcionário público do Estado de São Paulo recolhe a contribuição previdenciária, ainda que já aposentado, de 11% sobre seus vencimentos totais. E, importante, sem o teto limitador dessa contribuição que existe na previdência do setor privado. Assim, são tratamento e situações diferentes. E por isso não se podem culpar esses funcionários pelo descalabro na Previdência Social, sujeita a desvios de toda espécie e benefícios que deveriam correr à conta do Tesouro Nacional - como, por exemplo, a justa aposentadoria do trabalhador rural que nunca contribuiu para os fundos previdenciários. Que a reforma do setor é urgente não resta dúvida. Que seja feita, porém, ao contrário de tudo o que tem ocorrido ultimamente, sem prejuízo dos direitos adquiridos e constitucionalmente assegurados.

JOSÉ ETULEY B. GONÇALVES

etuley@uol.com.br

Ribeirão Preto

______________________________

"Viajar? Só depois de votar. O voto é dever cívico para com a Pátria"

ROBERTOTWIASCHOR / SÃO PAULO, SOBRE A ELEIÇÃO

rtwiaschor@uol.com.br

"Inaugurações de grandes obras, Dilma convertida, Petrobrás descobrindo a maior reserva de petróleo do Brasil. Devíamos ter eleições todos os meses"

RONALDO GOMES FERRAZ / RIO DE JANEIRO, IDEM

ronferraz@globo.com

"Eu gostaria de morar num país igual ao mostrado na campanha na TV da sucursal do nosso PresidenTe"

NELSON CARVALHO / SÃO PAULO, IDEM

nscarv@gmail.com

______________________________

VOCÊ NO ESTADÃO.COM.BR

TOTAL DE COMENTÁRIOS NO PORTAL: 5.421

TEMA DO DIA

Ronaldinho Gaúcho está de volta à seleção

Sucesso no Milan faz jogador ser chamado após um ano e meio. Neymar também retorna

"Com o retorno de Neymar e Ronaldinho, que os bons tempos do futebol brasileiro com sua alegria de jogar e dar espetáculos venha novamente impor temor e respeito aos adversários."

RÉGIS NASCIMENTO

"Convocação justa. Ele está jogando muito no Milan. Só não entendo a insistência com Robinho, que só joga bem no Santos."

DIEGO GARCIA

"Ronaldinho convocado. Deve ser a tal renovação prometida."

JOSÉ MARIA DOS SANTOS

______________________________

Cartas enviadas ao fórum dos leitores, selecionadas para o estadão.com.br

Achados e... Perdidos ?

Petrobrás acha petróleo em Santos e o Ibope acha 14 pontos para Dilma. Ambos os

achados estão onde ninguém consegue enxergar. E, mais uma vez, a inteligência dos

brasileiros é vilipendiada nas primeiras páginas dos jornais. Não dá para dizer aqui o que eu acho dessas notícias, mas se é para achar algo que preste, ainda prefiro achar uma urna, encontrar nela o 45 e CONFIRMAR.

Stanislaw Cordeiro ratles2@hotmail.com

São Paulo

______________________________________________________________

Casualidade

Às vesperas das eleições, mais uma grande descoberta da Petrobrás, a ser anúnciada pela ANP. Agora pergunto: será casualidade ou mais um ato de políticagem do Lula?

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

______________________________________________________________

Megarreserva de petróleo

Esses petralhas são mesmo estranhos! Ao que tudo indica, o poste será eleito, infelizmente. Então, por que não anunciar tal descoberta após novo e inevitável escândalo?

Guto Pacheco daniguto@uol.com.br

São Paulo

______________________________________________________________

CÓDIGO ELEITORAL

Legislação complementar devia proibir a Petrobrás de divulgar novas descobertas de petróleo em período próximo à data da eleição.

Sergio S. de Oliveira marisanatali@netsite.com.br

Monte Santo de Minas (MG)

______________________________________________________________

Negócios da China

"E atenção: autoridades brasileiras estão em árdua negociação com a China para divisão dos direitos de exploração da mais nova megarreserva, encontrada recentemente. Enquanto isso, investidores comemoram valorização das ações da Petrobrás..." E haja subsolo para tantas reservas! (Nunca antes neste país se viram tantas...)

RINALDO KOESTER SANTORI koestersantori@yahoo.com.br

Limeira

______________________________________________________________

Bilhete premiado?

Ella afirma que o pré-sal é como bilhete de loteria, mas o correto é que ella é o verdadeiro ''conto do bilhete premiado'', estelionato eleitoral imposto ao povo brasileiro.

José G. Oliveira mandarino-oliveira@uol.com.br

Praia Grande

______________________________________________________________

LULA E A PETROBRÁS

''Lula visita a Petrobrás pela 18.ª vez'', anunciam os jornais. Nada de novo. Primeiro, ele já declarou abertamente em toda a mídia que quer ser presidente dessa empresa, a partir de 2011. Segundo, lá está um grupo de petistas, de ex-dirigentes sindicais que privatizaram a Petrobrás, para si e ''cumpanheirada''. Nada mais justo que cuidar de ''seus filhos''.

Éllis A. Oliveira elliscnh@estadao.com.br

Cunha

______________________________________________________________

O "CARA" DO BARRIL

O "cara" está usando o que ainda está no fundo do mar para enganar o povo com números fictícios, para aumentar o superávit primário. Então, está sendo chamado "o filho do barril" - só se for de cachaça, pois só fora de sentido e num desespero total para tomar uma atitude mentirosa dessa natureza e gravidade (a Petrobrás, como empresa de capital aberto não suporta isso).

Luiz Carlos Cunha luiz.cunha@terra.com.br

São Paulo

______________________________________________________________

O ``CARA`` DO BARRIL

O ``CARA`` ESTÁ USANDO O QUE AINDA, ESTÁ, NO FUNDO DO MAR, PARA ENGANAR O POVO COM NUMEROS FICTICIOS, PARA AUMENTAR O SUPERAVIT PUBLICO PRIMÁRIO: ENTÃO ESTÁ SENDO CHAMADO ``O FILHO DO BARRIL``; SÓ SE FOR ``DO BARRIL DE CACHAÇA``, POIS SÓ FORA DE SENTIDO E NUM DESESPERO TOTAL PARA TOMAR UMA ATITUDE MENTIROSA DESSA NATUREZA E GRAVIDADE.( A PETROBRAS COMO EMPRESA DE CAPITAL ABERTO NÃO SUPORTA ISTO}

Luiz Carlos Cunha

São Paulo

______________________________________________________________

Aparelhamento político

O professor Rogério L.F.Werneck esqueceu de incluir no seu excelente ''O Brasil que está dando certo'' (29/11, B2) os gastos e os prejuízos para o País decorrentes da nomeação de 25 mil pessoas para os cargos públicos sucetíveis de indicação política na esfera federal, seja lá quem for o próximo presidente da República. Este número nos EUA é de 2 mil e no Reino Unido, como lembrou recentemente o ministro Mailson da Nóbrega é de 100, incluindo ministros. Essa excrescência brasileira decorre do erro de, no Brasil, se considerar governamental o que deveria ser estatal. Independentemente da ideologia dos candidatos, estes deveriam assumir explícito compromisso com o povo brasileiro para ABORTAR tais práticas do País. Estas, sim, medievais! Nos países do Primeiro Mundo, capitalistas ou socialistas, é comum, até em empresas com capital majoritário do Estado, o executivo poder indicar apenas um terço do seu conselho de administração. Nestas condições, tais empresas se tornam profissionais e atreladas aos objetivos permanentes do Estado, e não dos governos e muito menos dos partidos políticos. Nestes termos, é eufemismo grosseiro chamar a Petrobrás, a Eletrobrás, Furnas, Cemig, Cesp, etc., de ''estatais''.

Nilson Otávio de Oliveira noo@uol.com.br

São Paulo

______________________________________________________________

Loteamento político

Por que alguns políticos têm tanto interesse em indicar apadrinhados nas estatais e nos Ministérios? O senador Collor indicou dois diretores para a BR Distribuidora e a versão oficial é de que isso é normal e que ele não influi na gestão técnica da empresa. Mas uma revista semanal noticiou há alguns meses que esse senador foi à BR e exigiu a assinatura de um contrato com o usineiro João Lyra, que recentemente esteve vinculado à libertação de trabalhadores em situação de escravidão e está em recuperação judicial. Tudo por amizade? Lemos diariamente que o mesmo ocorre e sempre ocorreu na Transpetro de Renan Calheiros, nos Correios de Erenice, em Furnas, Eletrobrás, Petrobrás, Infraero, etc. Tudo por amizade?

Hermínia Faria Guimarães herminiafaria@hotmail.com

Rio de Janeieo

______________________________________________________________

Jogada contábil

Sobre a jogada contábil do governo, utilizando o dinheiro dos investidores na Petrobrás para pagar dívidas, fica uma séria dúvida. Terá a marolinha se transformado num tsunami retardado? A única certeza é que para se manter no poder o governo gastou o que tinha e o que não tinha, sem nenhuma vergonha ou responsabilidade. Resta apenas perguntar: existe Lei de Responsabilidade Fiscal para presidente também?

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

______________________________________________________________

Manobra

Alguem tinha dúvidas de que o chamado para capitalizar a Petrobrás tinha como pano de fundo cobrir rombos? O País está mergulhado em mentiras e engodos, e o povão continua sendo enganado, endividado e ainda achando que estamos no paraíso. Quando essa bolha explodir, os (i)responsáveis por toda a lambança estarão distantes e aproveitando a sorte de terem feito parte dessa quadrilha, e os brasileiros receberão de presente uma verdadeira ''herança maldita''. É esperar pra ver, infelizmente.

Ademar Monteiro de Moraes ammoraes57@hotmail.com

São Paulo

______________________________________________________________

Halloween

Amanhã é o dia das eleições, segundo turno. Estamos na reta final e o eleitor que ainda não escolheu em quem votar ainda tem um tempinho para isso. Precisa comparar. Lula diz que só Dilma pode continuar o seu governo... o quê? O mensalão, os dólares na cueca, os escândalos na CEF, no BB, contabilidade fajuta na Petrobrás, os ''casos'' ocorridos na Casa Civil do governo com José Dirceu, a própria Dilma e sua escolhida Erenice, e isso o que queremos?

A escolha tem de ser bem feita mesmo, é bom não titubear. É Halloween também, cuidado que as bruxas estão soltas.

CARLOS E. BARROS RODRIGUES ceb.rodrigues@hotmail.com

São Paulo

______________________________________________________________

AVACALHADA

Lula já faturou 5 bilhões de barris de petróleo que ainda estão nas profundezas do pré-sal. Com mais quatro anos de governo PT, o maior depósito de petróleo do Brasil não terá valor algum, pois foi todo torrado com o pessoal do governo. Nunca na história desse país a Petrobrás foi tão avacalhada.

João Henrique Rieder rieder@uol.com.br

São Paulo

______________________________________________________________

Igreja Católica

Em que pese o Vaticano mandar recado para a Igreja Católica brasileira, tem padre que se faz de cego, surdo e mudo, seguindo os hábitos do presidente Lula. Está passando da hora de Roma intervir na CNBB. Talvez assim possa entender por que a Igreja perde fiéis nestas paragens desde que decidiu apoiar o MST, a descriminalização do aborto e a mordaça na imprensa.

José Carlos Cruz cruz.jc02@gmail.com

Osasco

______________________________________________________________

A fala de Sua Santidade

Na esteira de documentos históricos da Igreja, o papa Bento XVI, com vista às eleições brasileiras, reiterou a condenação ao aborto, que, segundo esse estofo teórico, ceifa a vida e a alma do nascituro, já existentes desde o momento da concepção. Considerando-se que esse corpo e essa alma não lograram atingir a vida em sociedade, cenário em que nossas condutas são avaliadas, para, depois de nossa morte, irmos ter ao inferno, lugar de sofrimentos irreversíveis, ao purgatório, sítio transitório onde não há uma placa na entrada para que deixemos de lado todas as esperanças, ou à platitude da vida eterna no ceú, parece cabível fazer duas perguntas aos teólogos, que nossa ignorância não permite responder: a) Em qual desses espaços permanece a alma do abortado? e b) Que corpo assumirá no dia do Juízo Final? Essas perplexidades são suficientes para demonstrar que não se trata de tema a ser discutido em eleiçã o presidencial e, muito menos, com o condão de decidi-las.

Amadeu Roberto Garrido de Paula amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo

______________________________________________________________

Igreja x aborto

A Igreja, através de seus bispos e do papa, manifesta-se veementemente na questão do aborto. Não que não devam defender os princípios e a doutrina. Só acho muito estranho a própria Igreja calar-se e abafar casos sobre a séria questão da pedofilia de seus padres (podres). Como disse o filosofo Kassab: VAGABUNDOS.

Otavio de Queiroz otavio.solaris@hotmail.com

São Paulo

______________________________________________________________

ROMA LOCUTA EST

O papa, em carta dirigida aos bispos brasileiros, em particular aos do Nordeste, dá um belo puxão de orelhas na omissão da hierarquia da minha Igreja Católica. O assunto é a responsabilidade sobre as eleições presidenciais. Nas eleições de 2002 e 2006 a Igreja Católica ajudou muito o Lula com sua militância representada pelas Comunidades Eclesiais de Base (CEBs) e neste ano a sua ajuda foi através da omissão, com raras exceções, como o bispo de Guarulhos e alguns padres da TV Canção Nova. Limitou-se a aconselhar o seu rebanho a escolher bem os candidatos, como se o povo tivesse meios de conhecer os candidatos.

O principal problema a ser enfocado é o PNDH-3, assinado por Lula às vésperas do Natal de 2009, que lhe foi apresentado por Dilma em Copenhague, o qual contém uma série de barbaridades, como aprovação do aborto, casamento de homossexuais, invasão de terras, retirada de símbolos religiosos dos lugares públicos, censura à imprensa. etc., e que agora, às vésperas da eleição, a candidata procura negar, tornando-se ecumênica. Foi até a Aparecida sem saber sequer fazer o sinal da cruz. Dentre as barbaridades enfocadas pelo papa estão o aborto e a abolição dos símbolos religiosos nos lugares públicos, quando cita a estátua do Cristo Redentor que, diz, recebe de braços abertos todos que vêm ao Brasil.

Mas, por que ele se dirige em particular aos bispos do Nordeste? É óbvio. Ele sabe que é lá que vive a maioria daqueles eleitores que recebem as bolsas e cuja única preocupação é pescar no Rio de Jereré e deitar na rede de papo pro ar, pois com a Bolsa-Família não precisam trabalhar.

Infelizmente, parece que agora só nos resta assistir à briga entre os privilegiados sindicalistas pelos melhores lugares e entre os corruptos do PMDB e do PT, aguardando 2014. Até lá.

Francisco Samuel Fiorese samucafiorese1@yahoo.com.br

Campinas

______________________________________________________________

DE COBRAS E SAPOS

As notícias nos dão conta que, embora veladamente, o papa Bento XVI esteja mandando um recado às ovelhas de seu rebanho e seus pastores, através dos bispos (da Regional 5 da CNBB - do Maranhão) que visitaram a Santa Sé, sobre a polêmica gerada pelas posições da candidata à Presidência e depois negadas - o aborto (e outras) - constante do PNDH-3: ''Os bispos têm o grave dever de emitir um juízo moral, mesmo em matérias políticas, sempre que os direitos fundamentais da pessoa ou a salvação das almas o exigirem''.

Consta ainda que Sua Santidade tomou conhecimento dos ''problemas de caráter religioso e pastoral, além de humano e social'' através dos relatórios apresentados pelos bispos, onde externaram as suas preocupações (especialmente sobre a descriminalização do aborto).

Curiosa preocupação dos representantes da Igreja (e não só da católica), se estes, desde sempre, foram os maiores defensores desse (des)governo, chegando mesmo a pregar a adesão ao partido do atual governo nas suas homilias. Será que nenhum desses pregadores percebia ''a cobra'' que alimentavam? Será que esses pastores não viam ou ouviam sobre as inúmeras assembleias de caráter nitidamente esquerdopático? E o que dizer do uso despudorado da população menos esclarecida (80%) para a manutenção do poder e, diríamos, dos privilégios inerentes (ao poder)? E quanto à corrupção que se alastrou a partir do ''todos fazerm'', frase dita pelo chefe do Executivo, sem pejo ou constrangimento, para justificar o inaceitável, principalmente porque eram o presidente e seu partido as vestais da ética quando oposição?

Calaram-se! E quem cala consente!

O ilustrado presidente já se manifestou quanto ao pronunciamento papal, "o Brasil é democrático e laico", fazendo questão de lembrar - ufanisticamente: ''Pelo reconhecimento da sociedade brasileira, parece que a gente teve mais acerto.'' Seria o caso de perguntar ao clero: e agora, senhores, alimentaram a cobra durante anos, como vão engolir o sapo, ou melhor a sua cria, hein?

Aparecida Dileide Gaziolla rubishara@uol.com.br

São Bernardo do Campo

______________________________________________________________

O papa na contramão?

O tão galardoado Candido Mendes pisou na bola. O santo padre Bento XVI afirmou (29/100, A4) que "seria totalmente falsa e ilusória qualquer defesa dos direitos humanos políticos, econômicos e sociais que não compreendesse a enérgica defesa do direito à vida desde a concepção até a morte natural" (cf. Christifideles laici, 38), que "ao defender a vida não devemos temer a oposição e a impopularidade, recusando qualquer compromisso e ambiguidade que nos conformem com a mentalidade deste mundo" (cf. Evangelium vita, 74), e que "os pastores têm o grave dever de emitir um juízo moral, mesmo em matérias políticas" (cf. Gaudium et Spes, 76). Será que Cândido Mendes não conhece os documentos citados e acha que o papa está na contramão do Vaticano II?

Celso da Costa Carvalho Vidigal celsovidigal@uol.com.br

São Paulo

______________________________________________________________

Reclamação, ali

O sr. Candido Mendes não gostou do posicionamento do bispo de Guarulhos, dom Bergonzini, em relação ao aborto? O assunto não é da conta de não cristãos e não católicos. Um pastor tem por dever orientar seu rebanho, dentro dos princípios da sua crença. Além disso, pelo menos por enquanto, qualquer brasileiro pode expressar sua opinião, livremente. Se o sr. Candido não gostou, então vá reclamar para o papa!

M. Cristina da Rocha Azevedo crisrochazevedo@hotmail.com

Florianópolis

______________________________________________________________

Questão de aborto

"O que não aprecio no ateu é o fato de se pensarem mais do que Deus"

(De autor conhecido).

Qual a diferença entre aborto e abando de um ser humano recém-nascido numa sarjeta? Atualmente ambas as atitudes são crimes perante a sociedade, mas a diferença que existe é algo como que nove meses que decorrem entre o prazer do sexo e a dor do parto. Neste entrevero, quando se balança entre uma e outra opção, o que domina a mente materna é o drama.

Dizem que o Estado brasileiro é laico. Assim sendo, não havendo o aspecto religioso imbuído na questão, fica(ria) a critério da ciência responder em que tempo, durante esse período de nove meses, é que surge o "ser humano", a fim de que uma eventual "lei de descriminalização do aborto" pudesse ser aprovada sem se configurar um crime.

Ao mundo, sabemos todos, um novo ser humano só "surge" após o parto, com ou sem dor, quando passa o recém-nascido a respirar, com suas próprias forças, com seu próprio pulmão, o ar que nos rodeia. Terá este recém-nascido um ego?

O que poderia a ciência dizer a respeito? Poderia, por exemplo, dizer que, se houvesse um preservativo impedindo o espermatozóide de fecundar um óvulo, este não iniciaria um processo biológico, natural, de subdivisão de células e conformação de tecidos, até a configuração final segundo os DNAs genéticos do pai e da mãe, sem distinção de classe social, religiosa e etnia, quando então todo um novo ser humano pode ser "visualizado" no ventre materno, com cabeça, tronco, membros e todos os órgãos vitais internos que lhe garantirão uma sobrevivência terrena normal, caso não seja abortado e tenha se desenvolvido sem problemas genéticos ou de "percurso" ao longo da gravidez.

Em não havendo preservativo interposto entre as carnes no ato do prazer, a partir da concepção um novo ser humano iniciará seu crescimento físico (quiçá emocional, intelectual e espiritual, também, quando não de definhamento). Este desenvolvimento se dá no ventre materno e continua por pelo menos por mais 21 anos após o parto, quando o corpo está totalmente "elaborado", e o ego, em princípio, consciente de si próprio: "ambos se juntaram", é a imagem que podemos simbolizar deste momento, a junção do corpo físico, totalmente crescido, com o ego. A partir daí é só "decadência" de corpo físico e "fortalecimento" do ego - após outro período de 21 anos de aparente estabilidade de ambos, física e mental, até o ponto em que o corpo físico inicia um processo de volta à terra e o Eu de reinício ao Espírito. (A vida começa depois dos 42, seria mais correto dizer).

A legislação brasileira sobre aborto prevê os casos em que pode ser praticado sem se configurar um crime. Fora dessas circunstâncias (estupro e risco de vida para a mãe e alguns outros casos específicos), o aborto é considerado crime. Como descriminalizar o aborto tendo em vista que a ciência não tem resposta e só a religião pode apascentar uma alma aflita? A menos que a portadora de um feto no ventre seja ateia, o aborto lhe é permissível, à sua mente, e possível enquanto o feto lhe é uma "geleia total".

Pergunto: como é que o Estado pode entrar num assunto tão complexo, e como pode alguém propor descriminalizar o aborto em circunstâncias normais de gravidez, embora que indesejável, antes de estes enigmas terem sido "resolvidos", e absorvidas as crises de consciência, do pecado pelo crime (não o "pecado" do sexo) pela sociedade?

Até os 7 anos de idade - quando os dentes de leite caem, doenças típicas acometem, e outros sintomas característicos de uma mudança de fase ocorrem - a criança apreende que o mundo é bom (ou ruim dependendo das circunstâncias do meio socioeducativo-ambiental em que é criada, ou seja, dos adultos que a rodeiam; por exemplo, para aquela criança que se encontra abandonada na sarjeta, minutos após ter vindo à luz - para ela, inconscientemente - seu ego é ainda extremamente "frágil" - o mundo é ruim, porque está sujeita à fome, ao frio, à dor física). Dos sete aos catorze - quanto os hormônios da sexualidade se desenvolvem e outros sintomas característicos de uma nova fase se manifestam - ela apreende que o mundo é belo, ou feio (dependendo das mesmas circunstâncias sócio-educativas-ambientais, como, por exemplo, crescer numa favela, ao lado de esgotos correndo por valas fétidas e infectadas, sendo espancada por padrasto, ou estuprada pelo vizinho; ou educada numa escola, comum que seja, onde, além de aprender o básico, pode também adquirir habilidades outras pelo esporte, pela música, pelas artes, enfim), fase está apta ao aprendizado. É quando se desenvolvem amizades e o respeito à vida em sociedade, suas regras básicas (ou não). Dos catorze aos vinte e um anos de idade, apreende que o mundo é verdadeiro! É quando pensa (e deve se preparar) numa profissão, tendo o mundo à frente, e num modo de sobrevivência. É quando se depreende que não há volta, é seguir avante, por seus próprios meios, com seu "eu". (por este motivo sou a favor da maioridade penal aos dezesseis anos de idade, como também a favor da descriminalização das drogas ilícitas, sob determinadas condições de comercialização e uso, já comentadas em outras colunas, para maiores de vinte e um anos de idade).

Se à evolução do corpo físico humano pensamos a concomitância com que se dá a evolução da consciência do eu nesse mesmo corpo, poderíamos intuir que aos vinte e um anos de idade eles estão plenos, ou pelo menos plenamente aptos, corpo e ente, a conduzirem uma vida pelo livre arbítrio. Se ao longo desses vinte e um anos predominou em seu ambiente sócio-educativo-ambiental os bons ou os maus exemplos, seu caráter será respectivamente melhor ou pior para o resto da vida, sem perspectivas de mudanças, infelizmente (e muito raramente ocorrendo mudanças, que soe acontecerem em situações de trauma, como por exemplo ficar tetraplégico devido a um acidente).

A estas pessoas de má índole, como sói dizer-se daquelas que tiveram maus exemplos na infância e adquiriram maus hábitos, somente a piedade pode aliviar-lhes a dor da existência, tenham ou não tenham poder, conquistado de berço ou através da força, da violência, da mentira, do roubo, da droga, ou outra qualquer dose de fuga da realidade. As desta classe que vieram de berço financeira ou politicamente favorecido ficam impunes, em geral, e podem chegar às manchetes como celebridades, praticando pseudobondades, como viadutos e grandes obras de engenharia, relegando obras de saneamento à contrapartida do aborto: a mortalidade infantil pela falta de saneamento. As que surgiram no ambiente da pobreza com maldade, perambulam pelo tráfico, pelo roubo, entre células carcerárias, assassinatos e ódio, coniventes com autoridades do Estado fracas de caráter, como políticos corruptos, e viciados em cocaína, policiais que acobertam traficantes, juízes que se vendem ou se acovardam.

Más lideranças costumam se abrigar no poder, para esconderem-se de seu passado, de suas dúvidas, de seus questionamentos, de seus ideais distorcidos por carência de afeto e amor verdadeiros : os tais fichas sujas. Por ele, pelo poder, fazem o que for possível, por quaisquer meios, para aliviarem sua dor existencial, construírem castelos com dinheiro surripiado do povo para enaltecerem seus egos e atingirem um fim: sua própria glória! Querem impor uma falsa percepção de felicidade às massas que não foram abortadas.

Brincar, estudar, trabalhar, procriar, ensinar, construir e descansar em paz é bom. Com amor ao próximo, e só a ele, e não ao próprio umbigo, cingido de um ventre que não o abortou.

Carlos Leonel Imenes climenes@ig.com.br

Natal

______________________________________________________________

PAPA, MÍDIA E ELEIÇÕES

O papa poderia se preocupar, por exemplo, com padres pedófilos que não consegue controlar em sua Igreja. E a mídia, em vez de embarcar num transe medieval para turvar a verdade num período eleitoral, deveria exercer a liberdade informativa conquistada com a prensa de Gutemberg e consolidada com os ideias da Revolução Francesa. Liberdade, Igualdade, Fraternidade!

MARCOS BROGNA mbrogna@uol.com.br

São Paulo

______________________________________________________________

AINDA O PAPA

Logo após ter assumido o trono de São Pedro, o papa Ratzinger fez sua primeira viagem internacional à Alemanha, sua terra natal. Em certa homilia Bento XVI fez duras críticas citando trecho do Velho Testamento, criticando islamitas, o que gerou duras críticas dos muçulmanos à Igreja Católica. Criou sérios problemas de relacionamento entre essa duas igrejas, verdadeiro problema de Estado.Logo após sua vinda ao Brasil, já em Roma, disse que o único Deus era católico. Dito e feito, criou mais problemas ainda, desconstruindo tudo o que seu antecessor, João Paulo II, havia construído a duras penas. Agora, influenciado sabe-se lá por quem, volta a emitir opinião, que não lhe cabe, dando um claro recado sobre as eleições no Brasil a respeito do aborto, através dos nispos católicos no Brasil. Tal como o PSDB tentou influenciar o eleitorado através da mídia no tema aborto, o PT tentou influenciar seu eleitorado através da privatização da Petrobrás ou não. Apenas coisas da mídia e já na próxima segunda-feira ninguém mais falará sobre isso. Portanto, seria de bom alvitre que o papa Ratzinger não emitisse opiniões à respeito dos problemas políticos no Brasil e tentasse outras ações, como, por exemplo, a não evasão de seus fiéis para outra igrejas. Aí, sim, sería mais útil ao seu trabalho.

JOSÉ PIACSEK NETO bubapiacsek@yahoo.com.br

Avanhandava

______________________________________________________________

PSDB SERÁ TRI?

Estamos chegando ao fim de uma campanha eleitoral em que mais valeu a ofença pessoal entre os candidatos e o paternalismo do presidente Lulla à sua criatura do que a exposição de planos de governo para melhorar nossa vida. Foi eivada de promessas que não serão cumpridas, com esta última da guerreira senhora Dilma, que promete assistência a todos nascituros por até um ano de vida. Será que ela sabe quantos nascem por dia? Infelizmente, o psdb (minúsculo) caminha para ser TRI nas derrotas contra os petralhas.

Paulo Natale Penatti paulopenatti@uol.com.br

Ibiúna

______________________________________________________________

Almas serristas - Perseverança

O Centro Espírita Perseverança não é o maior da América Latina, mas o maior do mundo, segundo um dos maiores oradores espíritas do Brasil, Divaldo Pereira Franco. O centro tem 40 anos de existência e atendia crianças e mães que trabalhavam numa empresa de propriedade de seus fundadores. Além do trabalho espiritual, assiste mais de 2.300 crianças, desde recém-nascidos até adolescentes, que recebem cinco refeições por dia, de excelente qualidade.

Convidaria a jornalista Sonia Racy a visitar o centro e conhecer o trabalho desenvolvido, não só por 5.500 voluntários, mas que agrega, entre familiares e amigos, aos nossos eventos mais de 40 mil pessoas. Convidaria também a tomar um passe, assistir a palestras, fazer tratamentos, etc.

Até o papa Bento XVI se manifestou sobre em qual candidato os brasileiros deveriam votar, ou seja, escolher aquele que não é favorável à discriminalização do aborto. Qual é a população de católicos no Brasil? Concluo ser maior que os 5.500 voluntários do Perseverança.

Evangélicos, católicos, protestantes, espíritas? O que isso importa? Não houve nenhuma orientação. Houve, sim, um esclarecimento e dirigentes de grupos de qualquer doutrina são formadores de opinião, portanto, cumprem a sua missão e cada ouvinte decide por sua conta.

Gilberto Frank Mobst frankmobst@terra.com.br

São Paulo

______________________________________________________________

PRINCÍPIOS E IDEOLOGIA

O que muitos intelectuais, jornalistas e "formadores de opinião" esquecem é que Estado laico não significa a ausência de religião, mas apenas que o governo não favorecerá uma religião em prejuízo das outras. O aborto é importante para os cristãos (em geral) e é válida sua discussão pelos candidatos. E também é válido tentar saber o que eles realmente pensam a respeito, se mudaram de opinião e por que mudaram. O que é mais importante, no entanto, é notar que os padres, bispos, monsenhores e até o papa têm o dever de indicar aos fiéis os princípios da religião católica, inclusive declarando se um ou vários candidatos atacam tais princípios. A Igreja pode entrar na disputa eleitoral para defender seus princípios. O governo é que não pode entrar na igreja para difundir sua ideologia.

Fernando Racy Markunas frmarkunas@yahoo.com.br

São Paulo

______________________________________________________________

O Lula é a favor da descriminalização do aborto?

Quando a gente diz que alguém pensa como mil anos atrás, a gente está querendo dizer que aquela pessoa está com um pensamento ultrapassado. Quando o papa diz que é contra a descriminalização do aborto e o Lula diz que o papa está com um pensamento de 2 mil anos atrás, ele está dizendo que o papa está com um pensamento atrasado. Logo, o Lula deve estar com um pensamento atualíssimo, ou seja, a favor da descriminalização do aborto. Quem diria, hein, sr. Lula?!

Clezio Donizete Goulart clezio_goulart@yahoo.com.br

São Paulo

______________________________________________________________

Não se lembra

Tal qual seu criador, é a vez da Dilma dizer que não sabia o que estava fazendo e não se lembra do que disse, porquê agora ela é contra o aborto.

Miguel Pellicciari emepe01@uol.com.br

Jundiaí

______________________________________________________________

SER OU NÃO SER...

... A questão é saber o que é laico. O Dicionário Houaiss diz: "Laico, aquele que é hostil à influência, ao controle da igreja e do clero sobre a vida intelectual e moral e sobre as instituições e os serviços públicos ."

Teria o ''seu presidente'' do Brasil, à fala do papa Bento XVI sobre o aborto, respondido corretamente sobre o assunto, ao colocar o Brasil, como um todo, sem conhecer especificamente a opinião dos brasileiros, e em especial quando a matéria é controversa e passível de avaliações, na atual conjuntura política e discutida pelos atuais disputantes ao cargo que ele ocupa?

ALBERTO CARUSO albertocaruso@uol.com.br

São Paulo

______________________________________________________________

O NEW PT

O filho político do general Golbery do Couto e Silva e da Igreja Católica, atual presidente do Brasil, Lula da Silva, é o poderoso cabo eleitoral da sua candidata Dilma. Estão nessa jornada com ele os seus padrinhos preferidos, que são os boêmios intelectuais frequentadores dos elegantes bares brasileiros e a rica pelegada sindical. Todos eles portando cartões de crédito dos grandes bancos. No tempo das vacas magras os petistas eram inimigos mortais dos banqueiros. Por ocasião do primeiro mandato do Lula, ele passou três anos fazendo tudo o que o Fernando Henrique fazia. A parte lúcida da sociedade brasileira, fosse pobre ou rica, dizia que o governo Lula era uma cópia piorada do governo anterior. Lula aproximou-se dos banqueiros nacionais e internacionais, que colocaram o Meirelles no Banco Central do Brasil, para que o mesmo mantivesse o presidente sob controle. Os petistas que aderiram ao ''New PT'' foram agraciados com altos cargos no Ministério do Trabalho e em toda a base sindical do Brasil. Os petistas que ainda tentavam conservar aquela antiga pureza de não aceitar acordo com a picaretagem nacional foram abandonando o partido. E era exatamente isso que o Lula queria. Esta foi a etapa principal para a consolidação do governo Lula. O Partido dos Trabalhadores entrava firme e forte na picaretagem política, sem os antigos ideais, mas com novíssimas ideias. Será que é isso mesmo que o brasileiro deseja?

WILSON GORDON PARKER wgparker@oi.com.br

Nova Friburgo (RJ)

______________________________________________________________

Democracia suicida

Se a candidata da situação vencesse, seria, ao mesmo tempo, o exercício da democracia (poder do povo) e a sua derrocada. O melhor de todos os regimes, como o ser humano, é capaz de se suicidar. Levar ao poder máximo da Nação quem nunca exerceu cargo eletivo seria autêntico suicídio da democracia. Só não vê quem não quer. Palhaços incompetentes como Franklin Martins teriam campo livre para engendrar diabólicos controles da mídia, no melhor estilo do porcalhão Hugo Chávez, da Venezuela. Felizmente, o Bem, leia-se José Serra, levará essa, ainda que por margem mínima de votos.

Bob Sharp bobsharp@uol.com.br

São Paulo

______________________________________________________________

ELEIÇÕES

Apesar de ser favorável ao voto facultativo, vou votar e acho que os eleitores deveriam votar e depois viajar - e não viajar e não votar. É um dever cívico. Vou votar no Serra, mas se vencer a Dilma vou torcer para fazer um bom governo. Não adianta lastimar a derrota, temos de pensar positivo no sentido de que ela vai escolher bons ministros e ótimos assessores. E rezar!

Olympio F.A. Cintra Netto ofacnt@yahoo.com.br

São Paulo

______________________________________________________________

Dever & Direito

Neste fim de semana prolongado não vou viajar, tenho um compromisso muito importante. Vou votar no segundo turno da eleição para presidente, amanhã, domingo. É um dever a cumprir, mas, acima de tudo, é um direito do qual não se pode abrir mão. Acredito na democracia como o melhor sistema politico que existe e devemos fazer a nossa parte para que assim continue e tenhamos liberdade e dias melhores no futuro. Os que de nós descenderem merecem isso. Não devemos faltar ao compromisso, não devemos anular o nosso voto, não devemos votar em branco, a omissão por indignação com os rumos atuais da politica não nos leva a nada. O voto consciente é uma tomada de posição, se assim não fizermos, que direito teremos de reclamar no futuro? A Lei da Ficha Limpa já foi um começo, daqui para a frente nós devemos batalhar por uma reforma política na qual se estabeleçam, inclusive, requisitos básicos, a serem exigidos de quem pretender se candidatar a qualquer posto da administração pública. Queremos ser uma grande nação, mas não chegaremos a isso se não soubermos escolher os nossos representantes e se não tirarmos da vida pública aqueles que nos enganaram e não nos representam, só buscam benefícios pessoais. Que cada um cumpra o seu dever, mas, sobretudo, que cada um não abdique de seu direito!

Alvaro Salvi alvarosalvi@yahoo.com

Santo André

______________________________________________________________

AFUNHANHANDO

Um aviso aos eleitores da ex-guerrilheira: Domingo, dia 31, ao teclarem o fatídico número invertido, estarão (utilizando o linguajar da mesma) afunhanhando o país Dilma vez. Depois, não adianta chorar!

Renato Otto Ortlepp renatotto@hotmail.com

São Paulo

______________________________________________________________

FICHA SUJA

Uma pergunta que não pode calar: uma pessoa que foi terrorista, assaltou bancos, sequestrou pessoas e matou um soldado brasileiro com uma granada não pode ser considerada uma ficha-suja e, por conseqüência, tornar-se inelegível?

Beni Algranti beni.algranti03@gmail.com

São Paulo

______________________________________________________________

Por que PSDB

Ao longos destes anos, tenho votado nos candidatos do PSDB, aqui na

cidade de São Paulo, temos tido a sorte de ter o PSDB vencedor nos

últimos 16 anos, pois não temos nada a reclamar, escolas, saúde,

remédios de graça, segurança, metrô, ônibus, vale condução para os

maiores de 60 anos e 65 para o metrô, claro que falta ainda muita

coisa a ser feita, principalmente nas periferias, temos a liberdade de

de ir e vir de nos opor quando preciso, foi constituido assim uma

convivência em paz. É o que precisa acontecer com o resto do país, ter

paz e oportunidade de crescimento. Não vão na conversa de bonzinhos

que aparecem em todo lugar, pense em você na sua família de mudança no

rumo da sua vida. Pense bem na hora de votar!

Maria José da Fonseca fonsecamj@ig.com.br

São Paulo

______________________________________________________________

A ameaça do PT

Na democracia em que vivemos com o governo que temos o preço da liberdade terá que ser uma eterna e inexorável vigilância.

Peter Cazale pcazale@uol.com.br

São Paulo

______________________________________________________________

POR QUE DEMOCRACIA

Neste momento histórico do nosso País, é corrente o argumento de que os dois candidatos são iguais. Isto é falso e tem por objetivo confundir o eleitor menos esclarecido. Políticos oportunistas e safados existem em todos os partidos, até por culpa das nossas instituições, a começar pela JUSTIÇA. A impunidade é a garantia e o estímulo que atrai para a política, pessoas desonestas e alheias as questões da sociedade. Nesta eleição, no entanto, há uma diferença fundamental que deve ser observada, sob pena de nos trazer enormes transtornos ao País e à Democracia. A grande diferença é que o PSDB do SERRA aceita a alternância no PODER, como já teve oportunidade de demonstrar. Já o PT do Lula e Dilma, está demonstrando que veio

para ficar. Se agora está difícil demovê-los deste propósito, com mais um mandato o Pais será definitivamente deles: Lula, Dilma, Erenice, Zé Dirceu, Genuino, Mercadante, Marta, MST, CUT etc... .e... ADEUS DEMOCRACIA E LIBERDADE!

Carlos Eduardo Stamato dadostamato@mdbrasil.com.br

Bebedouro

______________________________________________________________

Serra: o melhor

Não é por acaso que se diz que esta eleição é diferente das anteriores, porque o que está em jogo é muito mais que a escolha entre este ou aquele candidato. O que se definirá com ela é o sistema de governo que desejamos para o futuro: governo democrático ou governo autoritário? Ou seja, plena liberdade de expressão, ou cerceamento da exposição de ideias, se estas não coincidirem com o que disserem as autoridades vigentes? E pelo que conhecemos, a candidata Dilma e seu partido, com o apoio do Presidente Lula, são adeptos de um controle da mídia para não expor ao público as falcatruas cometidas no espaço privado do Planalto, podendo assim, dar continuidade, em sigilo, a toda forma de corrupção que marcou o governo atual desde 2003.

Para interromper esse processo pernicioso em nosso país, só mesmo elegendo Serra cuja vida política é conhecida pela retidão de caráter e de postura política, e tanto isso é verdade que a ''tropa de choque'' do PT tem buscado forjar dossiês e quebrar sigilos fiscais, entre outras posturas ''éticas'', para macular, sem sucesso, a sua imagem.

Mas não somos apenas nós, brasileiros íntegros e esclarecidos, que assim o vemos, o jornal britânico Financial Times também afirma em seu editorial de 27/10/10 que ''Serra é o melhor''. É preciso dizer mais?

Neiva Pitta Kadota npkadota@terra.com.br

São Paulo

______________________________________________________________

Candidaturas distintas

O Ibope anuncia hoje uma diferença de 12 pontos a favor da candidata Dilma. Como enfatizou o ínclito Prof. Celso Lafer, em artigo publicado pelo Estado (24/10), a escolha do elitor no próximo dia 31 será sobre duas candidaturas distintas,que concorrem à presidência da República. Uma impositiva, cuja candidatura é colocada em disputa apenas pela vontade férrea do nosso presidente, mas comprovamente,de precária experiência administrativa. Outra, propositiva, que é capitaneada por adminitrador experiente, de passado limpo, sem uma mácula sequer em sua vida política. O futuro do Basil estará vinculado à nossa decisão como eleitores,no próximo dia 31. Que Deus nos ilumine para escolhermos o que é melhor para nossa pátria.

Francisco Zardetto fzardetto@uol.com.br

São Paulo

______________________________________________________________

A lei, ora, a lei!

75 anos atrás, o Brasil teve um presidente da Republica que tinha como moto "A lei, orá, a Lei!" Não precisamos de outro presidente seguindo esta filosofia! Vamos no domingo eleger alguém que respeita as leis, ao invés delas serem infringidas pelo primeiro mandatário do país. Democracia deve ser preservada a todo custo, não ser jogada na lama!

João U, Steinberg justeinberg@terra.com.br

São Paulo

______________________________________________________________

SUBMUNDOS

Dilma Rousseff afirma que sempre reclamou do jogo feito no submundo da política. Então, por que contrataram Amaury Ribeiro Junior e não processaram o blog da Dilma13 ou o Conversa Afiada?

Helena Rodarte Costa Valente helenacv@uol.com.br

Rio de Janeiro

______________________________________________________________

Quem esconde é porque deve

Dentro do envelope fechado, ao qual Serra se refere, está, também, o mistério sobre o processo contra a candidata no STM. O que será que tem lá que ninguém pode saber? Um dos requisitos mínimos para um cidadão pleitear delegação para falar e agir em nome de uma Nação é demonstrar, no mínimo, sua integridade moral. Não pode haver mácula em sua conduta. Se houver, a sociedade é quem tem o direito de fazer juízo de valores, e decidir se é relevante ou não. Afinal, o cargo está sendo outorgado por nós. Só nós detemos esse monopólio. Os critérios têm que ser definidos por nós. Assim sendo, exijo o direito de saber todas as informações necessárias sobre os candidatos, para, aí sim, ter elementos suficientes para poder decidir quem será bom para conduzir os destinos da nossa nação. O candidato Serra disponibilizou a todos acesso à sua vida púbica e privada. Sobre o Serra todos nós sabemos e não tem nada proibido de se saber. E sobre a adversária? Será que a população terá que votar no escuro? Ou como diz Serra: em um envelope fechado? Não viajem. Votem. O destino de nossos filhos e netos estão na nossa mão.

José Carlos Saliba fogueira2@gmail.com

São Paulo

______________________________________________________________

Proteção

O presiMente Lulla, na comemoração de seu aniversário, disse que José Serra deveria usar ''capacete para se proteger de bolas de papel''. Isso até que seria necessário para se defender dos seus adversários incitados pelo Presidente, que quer ganhar a eleição de qualquer jeito. Só que, em contrapartida, o presidente deveria usar freio na boca, para, como faz constantemente, parar de dizer ''asneiras'' e ofender quem é contra ele e seu partido.

João Alcindo Mardegan paulinemichelemm@yahoo.com.br

Amparo

______________________________________________________________

Compra de carro usado

Se o leitor tivesse que comprar um carro usado de um dos personagens abaixo, de qual compraria?

Lula - Ao ser homenageado em frente ao Palácio do Planalto por militantes do PT pelo aniversario de 65 anos, o presidente Lula disse que a lição que levará dos oito anos de mandato é o fortalecimento da auto estima do brasileiro e a convicção de que fez muito mais que qualquer outro presidente. "Deixo a Presidência da República no dia 1º de janeiro de 2011 com a convicção que não fizemos tudo que queríamos fazer, mas fizemos muito mais que todos aqueles que governaram antes de nós", disse Lula.

FHC - No final do 1° mandato de FHC, Mario Soares, líder socialista português, perguntou se FHC se consideraria realizado, caso fosse re-eleito. A resposta foi: "não". Só estaria satisfeito se, ao terminar o 2° mandato, pudesse afirmar com segurança que "o Brasil mudou". Disse não poder avaliar objetivamente em que medida houve mudanças e se elas alcançaram o ponto de não-retorno. Finalizou o dialogo com Mario Soares dizendo "talvez seja esta a sensação agônica a pagar por quem se lança na vida pública: o juízo que conta é o da Historia, e a ele os personagens não assistem. Quando a grande mestra dos homens sentencia, o veredicto recai nos mortos."

José Sebastião de Paiva j-paiva2@hotmail.com

São Paulo

______________________________________________________________

CANDIDATOS EM GUERRA

A propaganda política procura fazer com que o povo sonhe com as grandezas passadas e as glórias do futuro.O uso da propaganda nos regimes democráticos é o anzol para pescar o voto dos eleitores e o cabo de guerra para animar o exército nas campanhas,inclusive neste nosso egocêntrico segundo turno da campanha presidencial.Mesmo assim,nem sempre a estratégia de bater no adversário é eficaz.A artilharia da propaganda atinge o eleitorado?É capaz de mudar posições e intenções dos eleitores?Tiros de um lado e de outro acabam se anulando no ar.Nessa eleição um clima de guerra se espraia pelo território.E nessa paisagem cheia de borrões ninguém sai limpo.

Carlos Iunes,Engenheiro carlosiunes@bol.com.br

Bauru

______________________________________________________________

BOLSA-FAMÍLIA

O Arlen Santiago, deputado estadual (PTB-MG), disse: ''Não há prestígio popular e força política que façam frente ao dinheiro dos programas sociais.'' O que quer dizer exatamente o seguinte: não há prestígio popular e força política que façam frente à compra de votos, porque esses programas sociais nada mais são que compra de votos.

DONIZETE APARECIDO BERALDI NEVES africaneves@hotmail.com

Araçatuba

______________________________________________________________

As Machado de Azevedo

Elas se chamam Maria Luci, Maria Luiza (Lila), Geni, Leoni, Edy (Eda), Doly (Neusa) e Darci. Todas filhas de dona Zeca e seo Alfredo. Luci é minha mãe. Darci já partiu. Todas, bem como os rapazes da família, foram e são lutadoras cheias de personalidade que não dão trégua para a tristeza, o desânimo, a fraqueza moral, ao contrário - quando entram numa briga (e o fazem com freqüência) - não entregam os pontos nem mesmo de cara para o ringue. Portanto, venho de uma família de mulheres briguentas, com tolerância zero em especial para a mentira.

Somos, igualmente, um monte de primas-irmãs, umas mais outras menos próximas, seja por distância física - como em relação às da tia Darci, que moram há anos em Santa Catarina e que nunca vi, ou Márcia, do tio Rubem, que foi pra São Paulo - seja por esta maldade que se chama falta de tempo. E este mulherio, fruto das Machado de Azevedo de primeira geração, da mesma forma, são do tipo que não dão folga nem pro azar nem pra safadeza.

Maria Padilha, Maria José de Azevedo, Salete Terezinha de Oliveira, Helena e Isabel Juchtchchen e Eliete Ely - com estas me criei, tive a alegria de crescer junto com elas e só mesmo os deveres da chamada idade adulta nos tornaram mais afastadas, com encontros quase que só em aniversários, casamentos e ocasiões inevitáveis mas menos alegres. Juntas, vivemos festas familiares inesquecíveis - São João com fogueira na frente de casa, Ano Novo com churrasquinho em fundo de quintal, fins de semana na beira do rio quando o Guaíba era respeitável.

Família unida, que se ajudou e muito nos momentos mais difíceis de uma ou outra, coisa que não faltou para gente trabalhadora de verdade.Tia Geni foi empregada por décadas e ainda é cozinheira de mão cheia, tia Lila bordava lindamente para ajudar na renda da casa, tia Leoni ao longo de anos serviu ao Estado como exemplar funcionária publica, tia Eda costurou uniformes para o exército e, mais tarde, trabalhou como vendedora de uma loja de presentes, tia Neusa passou décadas atendendo em loja de roupas de criança, tia Darci, já velhinha, era diarista, e minha mãe, que começou criança a trabalhar em uma fábrica de palitos de fósforo, costurou, colou e pintou muito calçado ajudando meu pai na nossa sapataria que só fechou porque o velho não segurou os efeitos dos vários AVCs. Trajetórias que me orgulham, as de todas estas mulheres.

A vida, para nenhuma destas mulheres, foi um mar de rosas. A luta, iniciada na meninice, por sobreviver dignamente numa família de 13 filhos, se estendeu para os dias de hoje e, mesmo as que se aposentaram com um dinheiro absurdamente irrisório, permanecem ativas, cuidando da casa, de netos, administrando a rotina sem se permitir deitar na rede.

As mulheres Machado de Azevedo viveram os reflexos do horror da Segunda Guerra Mundial, ultrapassaram revoluções que bateram à porta de sua casa e perdas de afetos mas nunca, nunca dobraram a coluna. Quando a dor apertava, uma corria a ajudar a outra e nesta corrente de solidariedade eu e minhas primas fomos criadas. Costumo dizer que, cada uma de nós, desta geração parida pelas filhas da vó Zeca, demos um passo à frente para que os nossos filhos dêem o deles, bem maior que o nosso, continuando a saga com orgulho de ser quem somos. E temos sido, realmente, bem-aventuradas com os que geramos e que, com a ajuda de nossas mães, educamos.

Sem erguer bandeiras de feminismo barato, estamos na luta de há muito. Estudamos em escolas públicas, optamos por diplomas universitários ou não, maternidade ou não, escolhemos nossos caminhos com convicção, já que a base foi sólida.

O amor das Machado de Azevedo não é de novela, regado a lágrimas de colírio ou abraços filmados do melhor ângulo. É um amor real, com discussões, discordâncias, brigas até, mas com uma união extraordinária.

Aprendemos a amar com dona Zeca e suas filhas. Dona Zeca, que amava seo Alfredo, que, já bem doente, vinha nos visitar em casa e, para agradar a meu pai, caminhava, penosamente, até a sapataria, levando junto um banquinho em que ia sentando, a cada dez passos, para recuperar o fôlego.

Somos feitas, nós as Machado de Azevedo, de muita fibra. E, ao mesmo tempo, de muita doçura. Esta mistura nos permite enfrentar tempestades sem quebrar. Por isso, não tenho medo de dizer, como venho dizendo e por isso sendo agredida e ameaçada, que não quero Dilma Rousseff me representando nem como mulher nem como ser humano. Por isso não me dobro para quem quer me calar quando digo que Lula é, hoje, muito mais próximo de Hitler em sua manipulação das massas e no autofascínio do que um líder de uma nação. Por isso mantenho meu voto em José Serra. Eu faço parte dos 40 milhões que não querem uma terrorista substituindo um nouvel-nazista no comando do meu Brasil. Eu sou vencedora desde que nasci: sou uma Machado de Azevedo na origem. E eu sou milhões.

Maristela Bairros Schmidt maristelabairros@gmail.com

Porto Alegre

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.