Cartas - 31/12/2010

DESPEDIDA

, O Estado de S.Paulo

31 Dezembro 2010 | 00h00

Fim de mandato

Por seus últimos pronunciamentos, em que o autoelogio, a soberba e a demagogia são os seus assuntos preferidos, e a poucas horas de encerrar o seu mandato, não será surpresa se o quase ex-presidente Lula se autoproclamar herói, santo ou até Deus brasileiro. É o fim... De mandato!

MAURO ISSAO HANAKI

mauro.hanaki@gmail.com

São José dos Campos

_____________________

Autoindulgência

Nenhum homem permanece imutável após a experiência no poder. Muito poucos são os que atingem a sabedoria, pela têmpera da sua compreensão das consequências dos atos executivos. Alguns são pervertidos ao ponto da tirania. Outros, pela corrupção da lisonja e da autoindulgência. Creio que Lulla está neste caso.

APARECIDO LONGO DE SOUZA

cidlongo@terra.com.br

Itatiba

_____________________

O maior estadista

Quer queiram ou não, o Lula, um simples torneiro mecânico, deixa a Presidência com o maior índice de aprovação de seu governo, tornando-se assim, mesmo sem ser um homem letrado ou poliglota, o maior estadista que o Brasil já teve. Parabéns, Lula!

ARNALDO LUIZ DE OLIVEIRA FILHO

arluolf@hotmail.com

Itapeva

_____________________

Uma pena...

Muito bom o editorial Ganhos e perdas da era Lula (30/12, A3)! Fica claro que os nossos ganhos são de políticas de governos austeros, ou seja, estamos colhendo frutos de programações anteriores ao governo Lula. Na verdade, o que o governo Lula deveria ter feito não fez. Uma pena, poderíamos ter alcançado outros patamares, mas preferimos ficar com os assistencialismos da vida, programas de transferência de renda...

SILMARA MARTINS PORTELLA

sil.portella@hotmail.com

São Paulo

_____________________

Legado

O editorial Ganhos e perdas da era Lula e a coluna de Rolf Kuntz Lula e a política do óbvio (29/12) fizeram um balanço do lulo-petismo, mas não mencionaram um legado fundamental: a vulgarização da corrupção e a sistemática desmoralização das instituições democráticas e republicanas.

CARLOS E. LESSA BRANDÃO

celb@iname.com

São Paulo

_____________________

Desgraça alheia

Numa de suas últimas verborragias de despedida, o presidente Lula disse ter sido gostoso ver a derrocada dos EUA e da Europa e, consequentemente, o sucesso do Brasil e alguns países da América Latina. Um verdadeiro estadista e ser humano não deveria ficar feliz pela desgraça alheia. Também ficou a impressão de que se tivemos sucesso não foi mérito nosso, e sim fracasso dos outros. Além de ter sido xenófobo e preconceituoso ao mencionar loiros e olhos azuis outra vez. Racismo é racismo contra qualquer etnia.

FRANCISCO DA COSTA OLIVEIRA

fco.paco@uol.com.br

São Paulo

_____________________

Provincianismo atávico

Gostoso ver outros países em crise? É, não adianta passar oito anos tomando banho de loja, comendo e bebendo do bom e do melhor, viajando pelo mundo, conhecendo outras civilizações, que a cabeça não muda. O "cara" segue provinciano e mexeriqueiro.

HERMÍNIO SILVA JÚNIOR

hsilvajr@terra.com.br

São Paulo

_____________________

Melhor governo

O melhor governo "deste país" conseguiu a vitória de em oito anos trazer de volta a indexação da economia. Aluguéis serem reajustados em 11,3% é roubo, ante inflação de 4,4% e dólar em baixa. E também o "desta cidade" aumentar as passagens de ônibus em 11,1% é outro roubo. Como tenho dito, ainda não nasceu quem dê jeito nesta terra, que dizem ser "abençoada por Deus".

BOB SHARP

bobsharp@uol.com.br

São Paulo

_____________________

RETROSPECTIVA

Escândalos

Os dez maiores escândalos políticos da década: 1) Em primeiríssimo lugar, o mensalão, envolvimento dos deputados da base aliada do governo Lula (PT) em estrutura criminosa coordenada por José Dirceu e Delúbio Soares, operada por Marcos Valério; com 40 réus, o esquema está (ainda) sob análise do STF. 2) Panetonegate - José Roberto Arruda (DEM-DF). 3) Atos secretos do Senado - José Sarney (PMDB-AP). 4) Caso Lunus - Roseana Sarney, do PFL (atual DEM). 5) Máfia dos sanguessugas ou das ambulâncias - mais de 50 pessoas presas, entre elas ex-deputados federais e assessores parlamentares; mais de 80 políticos sob suspeita. 6) Aloprados - compra de dossiê, envolvido um assessor de Mercadante (PT-SP). 7) Erenicegate - Israel, filho da ministra da Casa Civil Erenice Guerra, intermediou interesses de uma empresa de transporte aéreo com os Correios mediante propina. 8) Caso Alstom - a empresa Alstom teria pago propina a políticos de vários países para participar de obras de infraestrutura; uma das principais fornecedoras do Metrô paulista, foi associada ao PSDB de Alckmin. 9) Castelo de Areia - a Polícia Federal indicou que a empreiteira Camargo Corrêa fez remessas ilegais de dólares para o exterior e superfaturou obras públicas com dois objetivos: lucrar e contribuir para partidos políticos; as escutas apontam que PSDB, DEM, PPS, PSB, PDT, PMDB e PP receberam recursos; depois apareceu também o nome da Fiesp. 10) Castelogate - Edmar Moreira (DEM-MG) põe à venda um castelo no interior de Minas por US$ 25 milhões; na declaração dele à Justiça Eleitoral, em 2006, constavam bens avaliados em R$ 9 milhões. Uma breve descrição. Só não continuam dando as cartas na política os laranjas.

JOSÉ CARLOS ALVES

jcalves@jcalves.net

São Paulo

_____________________

Um grande presente

Acabei de ler Ruth Cardoso - Fragmentos de uma Vida. Agradeço a meu marido por ter-me presenteado com esse belo livro, que me proporcionou muitas horas prazerosas. Parabéns ao escritor Ignácio de Loyola Brandão, que com seu talento conseguiu de forma simples, eu diria à moda araraquarense, contar a vida pessoal e profissional dessa grande mulher. Após a leitura da obra, entendi por que uma certa Erenice Guerra tentou manchar a imagem dessa ilustre brasileira com um dossiê fajuto: pura inveja.

M. CARMEN DEL BEL T. GOULART

carmen_tunes@yahoo.com.br

Americana

_____________________

"Ainda bem que toda "encarnação" desencarna. Viva o dia 31 de dezembro de 2010!"

TANIA TAVARES / SÃO PAULO, SOBRE O FIM DO ATUAL GOVERNO

taniatma@hotmail.com

"E agora não adianta chorar, porque a cortina se fecha rapidamente"

OSCAR ROLIM JÚNIOR / ITAPEVA, SOBRE A DESPEDIDA DO

AINDA PRESIDENTE LULA

rolimadvogado@ibest.com.br

"Vai-se o governo Lula. E os anéis também..."

JOSÉ EDUARDO ZAMBON ELIAS / MARÍLIA, SOBRE OS EPISÓDIOS DE CORRUPÇÃO E DESMANDOS

zambonelias@estadao.com.br

_____________________

VOCÊ NO ESTADÃO.COM.BR

TOTAL DE COMENTÁRIOS NO PORTAL: 1.586

TEMA DO DIA

Lula diz que é bom ver os EUA em crise

Em mais um discurso de despedida, presidente comemora situação do Brasil e relembra feitos

"Lula jamais deveria externar tais pensamentos, pois a ele cabe o julgo sobre o Brasil. De resto, ou é rancor ou inveja."

CLOVIS FREITAS

"Nós somos indiscutivelmente uma nação mais rica do que os EUA. Temos muito mais recursos disponíveis."

PAULO SILVIO

"Crise nos Estados Unidos? No Brasil temos o preço da carne mais alto do mundo... Onde está a crise?"

JOSÉ VITAL SILVA LEITE

_____________________

Cartas enviadas ao fórum dos leitores, selecionadas para o estadão.com.br

 

 

 

 

 

 

 

 

RETROSPECTIVAS

 

 

 

É tempo delas, então vamos lá. Das pesquisas - Em 2010 ficou definitivamente provado que a pesquisa no Brasil é uma fraude. É uma bruxa medonha que usa a foto da Jessica Alba no Facebook.

Da classe política - Esta manteve a tradição de constituir-se majoritariamente por gente que custa caro e não presta para nada.

Do crescimento - O PIB cresceu menos que o endividamento dos brasileiros. PIB agora é sigla para pobre inadimplente brasileiro.

Da popularidade do Lula - Os institutos lulistas evitaram cravar a unanimidade absoluta porque, segundo Nelson Rodrigues, toda unanimidade é burra.

Entretanto, eu diria que com mais de 80% já dá quórum...

Das profecias - Ficamos por conta de um polvo. O único molusco a dizer verdades.

Afora isso, aproveitem bem o réveillon, porque ele será a melhor parte de 2011.

 

Stanislaw Cordeiro ratles2@hotmail.com

São Paulo

 

 

 

 

 

 

 

_____________________

 

 

 

 

 

 

 

 

 

"LULA E A POLÍTICA DO ÓBVIO"

Gostaria de parabenizar o jornalista Rolf Kuntz pelo brilhante artigo publicado anteontem.

Em poucos parágrafos conseguiu exprimir com clareza o que foram esses oito anos.

Vou guardá-lo para reler em uns anos, quando as distorções causadas pelos índices de popularidade e as manifestações dos bajuladores tiverem passado e a verdade desses anos de má administração fique clara.

Lineu Lex llex@terra.com.br

São Paulo

 

 

 

 

 

 

 

_____________________

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A DIFERENÇA

Lincoln, um simples lenhador, preparou-se, tornou-se um grande presidente americano e um grande estadista.

Lula, de sindicalista, sem saber o que seriam escrúpulo e ética, tornou-se um grande oportunista.

 

Francisco Azevedo Figueiredo bisaivone@hotmail.com

Marília

 

 

 

 

 

 

 

 

_____________________

 

 

 

 

 

 

 

 

ADEUS DE LULA, SEM MELODRAMA

 

 

 

 

Depois de oito anos no topo do poder, Luiz Inácio Lula da Silva se despede para ter uma vida de cidadão comum, mas com espírito de dever cumprido. O amanhã é imprevisível para qualquer ser humano, por isso Lula se afasta do poder para primeiramente tirar o seu descanso merecido. O futuro só o tempo se encarregará de revelar. Um novo dia de compromissos públicos poderá acontecer na vida de Lula, mas para que isso aconteça dependerá de como a sua sucessora, Dilma Rousseff, administrará a sua gestão.

A política de uma nação é como a situação climática, que muda significativamente em vários pontos da Terra. Nem sempre a paz e harmonia se fazem presentes no mundo, embora possa haver tranquilidade em diversos segmentos do globo terrestre. O presidente Lula teve a sorte de governar o País com poucas crises mundiais. A crise que tomou conta dos Estados Unidos e países europeus não foi devassadora como quando aconteceu a crise do petróleo em nível mundial.

A pior crise que o Brasil enfrentou foi quando a inflação superava os três dígitos no mês. Os ex-presidentes Fernando Collor de Mello, Itamar Franco e José Sarney, enfrentaram a verdadeira prova de fogo e, na época, dava a sensação de que o País estava mergulhado num verdadeiro caos, social e político, sem saída. No entanto, a garra e a determinação de um povo generoso, bondoso e trabalhador deram condições para superar todas as adversidades da época; vencer as inflações estratosféricas para entrar num clima estável, vislumbrando um futuro melhor.

A presidente eleita este ano, Dilma Rousseff, aparentemente não vai enfrentar problemas graves do nível da dos anos 80 nem crises internacionais da gravidade das ocorridas décadas atrás. Espera-se que a presidente consiga concluir o seu mandato, ativando programas relevantes, como melhoria no saneamento, saúde, segurança, educação, e que o cancro do tráfico de drogas seja drasticamente reduzido a níveis toleráveis.

Da presidente Dilma espera-se que, no mínimo, consiga cumprir o que prometeu na campanha eleitoral e deixe a sua marca de excelência para pleitear um segundo mandato, seguindo o exemplo de seus antecessores, Fernando Henrique e seu padrinho político, Luiz Inácio Lula da Silva, que soube ter jogo de cintura para superar os incômodos das crises que em alguns momentos arrepiaram os seus cabelos e aumentaram os batimentos cardíacos de forma preocupante. Apenas faltando algumas horas para fechar este ano e presenciar a posse de Dilma, o mundo estará de antena ligada e a expectativa será do tamanho da esperança dos eleitores que a elegeram a primeira presidente do Brasil.

 

 

 

Paul Morin (Paulo Hirano) paulmorin2002@terra.com.br

Curitiba

 

 

 

 

 

_____________________

 

 

 

 

 

 

 

 

 

‘GANHOS E PERDAS DA ERA LULA’

 

 

Editorial muito pertinente. O ganho e a perda real só o tempo dirá ao povo, e não há motivo para nenhuma euforia. Mas para o povo enxergar a educação precisa melhorar muito. O absurdo índice de ibope já indica que algo está errado. Isso não existe em cargo de decisão, só ocorre em governo populista, hábil demagogo, que dura enquanto a economia vai bem e puder sustentar a falsa visão, de falar ao povo, que tudo foi feito nestes oito anos, antes nada existia e só ele mobilizou homens competentes. Competentes? Perdeu-se oportunidade de reforma tributaria política, da Previdência, marcos regulatórios. Com esse ibope não teve coragem de fazer, não queria ser o estadista do século, é um covarde? Tudo sustentado pelo único feito positivo de seguir a política monetária do governo FHC, que poderia não tê-lo feito, ou deveria em parte ter mudado para se ter resultado muito melhor em relação aos demais emergentes. Isto melhoraria muito o índice de pobreza, saúde, educação, infraestrutura, segurança, produtividade, menor risco de infração, etc. O legado desta politicagem de Lula para o futuro é a indignidade dos políticos, como se viu nesta eleição. Mais corporativismo, sindicalistas, trem da alegria... Governar, que é bom, nada? Somos inocentes destes malfeitos?

 

 

Nelson Kozo Taira n.kelso@uol.com.br

São Paulo

 

 

 

 

 

 

 

 

_____________________

 

 

 

 

 

 

 

POPULARIDADE?

Há quem acredite que a popularidade do "cara" esteja em 87%, conforme pesquisa encomendada à CNT/Sensus. É muito, muito mesmo! Será que o eleitor assistido, após saber do novo salário mínimo, de R$ 540, vai manter a popularidade dele nos píncaros do exagero? O novo salário mínimo é quase 50 vezes MENOR que os novos salários, aprovados para eles mesmos, dos nossos nobres, dignos, probos, solertes e impolutos congressistas. Quem vale mais? Agora a popularidade vai ao fundo do poço pré-sal Lula (ex-Tupi)? Adeus, mentira, que popularidade, que nada!

Luiz Dias lfd.silva@uol.com.br

São Paulo

 

 

 

 

 

 

 

_____________________

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

MUITO PALANQUE E POUCO LEGADO

Presidente encerra seu mandato deixando várias heranças malditas! A inflação na casa dos 6%, com preços de alimentos básicos nas alturas. Um déficit fiscal preocupante em 2010 de R$ 49 bilhões. E das grandes obras prometidas, a maioria continua só no papel, e outras como a ferrovia Transnordestina que deveria terminar no seu mandato, dos 1.768 km, apenas 20 km foram concluídos.

O Minha Casa, Minha Vida, o compromisso era construir um milhão de residências em 2010, e não passa de 200 mil.

Os 10 milhões de empregos prometidos para o primeiro mandato, somente foi atingido agora.

Os projetos do Fome-Zero, 1º Emprego, Banco do Povo, PPPs, nem saíram do chão. E o PAC, somente 50% das obras estão concluídas.

O crescimento médio do PIB brasileiro nestes últimos oito anos, foi de 4%. Resultado pífio comparado com a China 10%, Índia 7,5% e até a Argentina 6%, que aproveitaram com mais competência a exuberância da economia mundial.

Não por outra razão que na austera gestão FHC, o PIB cresceu a uma média de 2,3%, mesmo com as graves crises financeiras do México, da Rússia, Coreia do Sul, e da Argentina.

Nas exportações o governo petista não avançou nada! Continuamos com os mesmos números da gestão tucana de 1,1% do bolo mundial.

Infraestrutura, como saneamento básico, estradas, portos, aeroportos e ferrovias a situação é caótica. E vem penalizando a sociedade, e gerando custos elevados sobre a produção no campo, e na indústria.

Lula, também elevou impostos, massacrando a competitividade dos nossos produtos.

Reformas constitucionais prometidas na campanha de 2002, como a tributária, política, trabalhista dormiram nas gavetas do Planalto. Apenas o da Previdência foi iniciado, mas não regulamentado.

O Bolsa-Família, tão decantado em verso e prosa pelo Lula, foi instituído por FHC, com o Bolsa-Escola, beneficiando já em 2002, 5,5 milhões de famílias. Espertamente o petismo mudou de nome para sequestrar o projeto social tucano.

No campo diplomático este governo Lula foi um desastre. Apoiou descaradamente déspotas como Hugo Chaves, Evo Morales, Ahmadinejad do Irã, além de íntimos com Cuba, e a lambança com o Zelaya em Honduras.

No quesito ética, esta gestão petista se deslumbrou, porque a corrupção foi uma verdadeira orgia institucional. O mensalão, sanguessugas, dossiês falsos contra opositores, quebra de sigilo do Palocci contra o pobre Francenildo, da Receita Federal contra adversários petistas. O Balcão de negócios espúrios dentro da Casa Civil, comandado pela amiga da Dilma, a Erenice Guerra, etc. etc.

Até o indiciado no STF por formação de quadrilha, o José Dirceu foi recebido efusivamente em dezembro pelo Lula, no Palácio do Planalto. Um acinte ao povo brasileiro.

Porém, o Lula foi prudente ao manter a política econômica de FHC. Criou o Pró-Uni, desregulamentou o setor habitacional, criou o crédito consignado para trabalhadores e aposentados com juros menores, e só! Muito pouco para quem prometeu mudar o País!

O nosso presidente que deixa o cargo, administrou para os amigos e aliados, e foi conivente com a corrupção. ONGs fajutas receberam bilhões a fundo perdido e desviados por larápios. E também aconchegou os irresponsáveis do MST, que infernizaram os agricultores.

Espero que o Lula não importune a gestão de Dilma Rousseff, assim como o PT fez com a Luiza Erundina, quando eleita prefeita de São Paulo.

Sinceramente, neste momento gostaria de estar aplaudindo o Lula, caso tivesse governado esta Nação com responsabilidade, e sem privilégios.

Mas os números acima citados não mentem. É a mais pura realidade de um governo que se preocupou mais com a demagogia e propaganda enganosa, do que servir o País.

O que me resta é desejar a Dilma um bom governo. E ao leitor amigo um 2011 próspero, sem jamais negociar a ética e os bons costumes...

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

 

 

 

 

 

 

 

_____________________

 

 

 

 

 

 

O DIA MAIS CURTO

O dia 31 de dezembro de 2010 será o dia mais curto da vida de Lulla.

Por ele, esse dia teria, no mínimo, mais 87.600 horas (quatro anos). Já para nós, será bem longo, tal a coletânea de declaração autoelogiosas que ele deverá proferir na sua derradeira despedida.

 

 

 

Claudio Juchem cjuchem@gmail.com

São Paulo

 

 

 

 

 

 

 

_____________________

 

 

 

 

 

 

 

 

AGRADECIMENTOS

 

 

 

Ao se apagarem as luzes dos lampiões de 2010, queria agradecer ao presidente da República, aos ministros e aos deputados uma porção de coisas: os seus altíssimos salários, os reajustes fantásticos do salário mínimo e da aposentadoria, os altos impostos que estão me atirando na miséria, a falta de segurança, a falta de moradia própria, as estradas ruins, a falta de cultura de nossos meios de comunicação em geral, o péssimo transporte coletivo, o SUS, que é tão ruim que nem mesmo nossas autoridades o utilizam, esse povo estúpido, sem o mínimo princípio de urbanidade, as falcatruas e os roubos perpetrados pelo governo, o desmatamento e as agressões ao meio ambiente permitidos pelo mesmo, o não reconhecimento que as autoridades proporcionam às agressões contra animais, etc. A lista de agradecimentos é tão grande que este espaço não é suficientemente grande, mas tudo ficará devidamente registrado no meu espírito. E no meu título de eleitor também!!!

 

 

 

Ursula E. Metz ue.metz@uol.com.br

Itapecerica da Serra

 

 

 

 

 

 

_____________________

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O ?IM DE UMA ERA ???

 

 

??? S? as ?timas horas de Lula como presidente da Rep?lica. Sei que este assunto est? sendo comentado exaustivamente nos ?timos dias, mas gostaria de dar meu ponto de vista sobre os oito anos do lulismo! Acredito que o primeiro impacto percebido na elei?o do petista foi a quebra de um paradigma: pela primeira vez algu? que veio das camadas populares e iletradas (a maioria dos brasileiros) foi eleito para exercer o cargo mais importante do Pa?. Claro que isso n? pode ser encarado como desculpa para alguns desmandos e mesmo algumas falhas que aconteceram durante os dois mandatos de Lula. Esc?dalos envolvendo aliados e a persegui?o de alguns setores da m?ia deram a Lula a imagem de populista, uma esp?ie de Get?io Vargas do s?ulo 21. Mesmo com todos esses problemas ocorridos em seus oito anos ?frente do governo, Lula sai de cena com uma aprova?o pessoal batendo nos 87%, o que sem d?ida ?um recorde fant?tico. N? se sabe ainda o porqu?de tamanha popularidade, quando levada em conta a situa?o em que se encontram a sa?e, a educa?o, a seguran?, os altos juros e impostos que s? pagos pela popula?o. Agora, dia 1.?de janeiro, teremos outro acontecimento hist?ico. Pela primeira vez "na hist?ia deste Pa?" um ex-retirante e metal?gico entregar?a faixa presidencial a uma mulher. Claro que compara?es vir? entre um e outro. Prefiro esperar e daqui a quatro anos analisar o governo de Dilma Rousseff. Feliz ano e governo novo Brasil!?

Tur?io Liberatto

 

S? Caetano do Sul

 

 

 

 

 

 

 

 

 

_____________________

 

 

 

 

 

 

 

 

IDAS E VINDAS

Amanhã Luiz Inácio Lula da Silva estará descendo a rampa e Dilma Rousseff fazendo exatamente o contrário: Ao já então ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva desejo saúde e a Dilma Rousseff, que encontre forças para comandar nosso país. Só lhe peço que não se esqueça das promessas que fez em sua campanha, principalmente a nós, aposentados do INSS, cuja sua maioria está matando cachorro a grito e chamando Jesus de Genésio e cachorro de cacho.

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com

Praia Grande

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

_____________________

 

 

 

 

 

 

 

 

 

POUPE-NOS, POR FAVOR

Bem que a imprensa, a mídia séria em geral, aproveitando que o rei Luiz vai, contra a sua vontade, se afastar dos holofotes, poderia dar um descanso e nos poupar de tanta baboseira. Está certo que ele não gosta de ler, mas há gente que gosta. Senão ele vai continuar tentando convencer aquela parcela de brasileiros (13%) que não acredita de que foi ele quem inventou o Brasil em 2003.

Abraços e Feliz 2011

 

 

 

Fábio Bertoncello fabertoncello@hotmail.com

Jacareí

 

 

 

 

 

 

_____________________

 

 

 

 

 

 

 

 

ALCKMIN-LULA

Paulo Ribeiro, cunhado do governador eleito de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), está sob investigação do Ministério Público do Estado, por acusação de intermediar o pagamento de propinas a políticos e funcionários públicos que contratavam empresas de merenda. Lula, no caso do mensalão, disse "não sei de nada". Alckmin reagiu com um silêncio ensurdecedor. Pobre Brasil.

Orivaldo Tenorio de Vasconcelos prof.tenorio@uol.com.br

Monte Alto

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

_____________________

 

 

 

 

 

 

 

 

 

POPULARIDADE A MAIS DE 80%

 

Vários líderes (?) terminaram seus primeiros oito anos de governo gozando de imensa popularidade. Entre eles podemos citar Adolf Hitler, na Alemanha, Josef Stalin, na URSS, Fidel Castro, em Cuba. Todos nós sabemos como tudo acabou.

O pior cego é aquele que não quer ver.

Ronaldo José Neves de Carvalho rone@roneadm.com.br

São Paulo

 

 

 

 

 

 

 

_____________________

 

 

 

 

 

 

 

 

 

CARTA DE DESPEDIDA

Ufa, que alívio, ficamos livre de você. Foram oito anos só jogando para a torcida (usando o seu linguajar futebolístico). O seu ego talvez se sobreponha ao de todos os ditadores mundiais. Tantos escândalos no seu nariz e você, "o bom", nunca enxergou nada. Nossos vizinhos passaram a mão nas nossas refinarias, usinas, etc., e você, bonzinho, achou tudo normal (era o nosso dinheiro!!!). Não só no Bric, onde somos o primeiro só na sigla, perante os outros países somos o rabeira em tudo (incomPTência sua e do seu Ministério). Finalmente teremos um brasileiro no Guinness, o de turista número um do mundo e o seu governo o mais corruPTo que já passou pelo nosso querido Brasil. Vade retro...

Hamilton Penalva hpenalva@uol.com.br

São Paulo

 

 

 

 

 

 

 

_____________________

 

 

 

 

 

 

 

 

 

LULA JÁ ERA!

Lula-lá vai, vai e não volta! Lula-vá!

Luiz Fernando D'ávila lfd _avila@hotmail.com

Rio de Janeiro

 

 

 

 

 

 

 

_____________________

 

 

 

 

 

 

 

FINAL DE GOVERNO

LILS passou o primeiro mandato em cima de um palanque virtual amaldicionando a herança de FHC e o segundo fazendo turismo pelo Brasil e pelo mundo em seu aviãozinho de luxo, que agora precisa ser substituído por outro com maior autonomia para os voos de DVR. "O melhor presidente que o Brasil já teve" desce a rampa, na minha modesta opinião, com pelo menos sete anos de atraso.

James F. Sunderland Cook sunderland2008@gmail.com

São Paulo

 

 

 

 

 

 

 

_____________________

 

 

 

 

 

 

 

 

 

AVALIAÇÃO ISENTA

No editorial ‘Ganhos e perdas da era Lula’ (30/12, A3), convém ressaltar que os programas de transferência de renda tiveram seu embrião no governo FHC, aliás, programa criticado na época

por Lula. O crescimento da produção brasileira só foi possível dentro do ritmo apresentado em função das bases econômicas sólidas deixadas pelo governo anterior. Note-se que o pré-sal ainda não é uma realidade economicamente viável.

Eventos como a Copa 2014 e Olimpíada 2016 são iniciativas na contramão da realidade educacional, sanitária e habitacional em que o País está mergulhado, servindo apenas ao

ufanismo pessoal de um líder autocrático. Sem esquecer que, apesar dos recordes de arrecadação, Lula deixa o governo com descontrole das despesas públicas e meta fiscal

comprometida, mesmo maquiando a fórmula de apuração. Uma avaliação isenta tem de enumerar quantas realizações foram concebidas e concretizadas em seus oito anos de governo. Ou ele quer entrar para a História como o nome de um poço?

 

 

 

Francisco José Sidoti fransidoti@terra.com.br

São Paulo

 

 

 

 

 

 

_____________________

 

 

 

 

 

 

 

 

 

COMPARAÇÕES

 

 

 

 

A expressão popular "a melhor defesa é o ataque" caracteriza bem a atitude de umas pessoas que integram o porcentual insignificante que desaprova o governo Lula. Que atinge recordes constantes de aprovação popular. É claro que não se podem fechar os olhos às acusações de irregularidades que alguns membros do governo cometeram. E que, se comprovadas, eles sejam efetivamente punidos. Nem admitir que está tudo certo em algumas questões, como no caso da saúde, da educação e de algumas obras públicas. O que exige mais organização popular para

as devidas cobranças. Mas aos críticos vai uma sugestão. Por que não se avaliam os 16 anos de governo do mesmo grupo no Estado de São Paulo? É uma forma de comparar. Ou esta questão não é importante?

 

 

 

 

Uriel Villas Boas urielvillasboas@yahoo.com.br

Santos

 

 

 

 

 

 

 

 

_____________________

 

 

 

 

 

 

 

 

 

DIFERENÇA ENTRE ENTREGAR E CONTRATAR

 

 

 

 

 

 

É de dar engulhos ver o presidente vociferar mentiras na televisão e ser aplaudido por um povo desinformado e cativo. Como pode Lula dizer entregou 1 milhão de casas quando se sabe que o governo atingiu 1 milhão e 3.000 moradias apenas contratadas? Onde está a oposição que nada contesta? O presidente pode falar o que quiser, mas o país não deve nem precisa ficar calado. Lula chega ao fim de seu mandato tendo entregado pouco mais de 10% das casas prometidas. Será que fica muito caro explicar aos brasileiros a diferença entre entregar uma obra e apenas contratá-la? Quem deveria pedir desculpas pela omissão, mentira e picaretagem ao povo brasileiro, especialmente aos mais pobres, é Lula. Nunca antes nesse país tantas mentiras viraram verdades na boca do presidente que se diz o melhor do país dos tiriricas.

 

 

 

Izabel Avallone izabelavallone@yahoo.com.br

São Paulo

 

 

 

 

 

 

 

 

 

_____________________

 

 

 

 

 

 

 

PASSIONE

Por grande coincidência, a década lulo-petista iniciou-se e termina com o desaparecimento trágico de alguns prefeitos. Como diria Tutty Vasques, mal comparando, é a "Passione" da política!

 

 

 

Luiz Henrique Penchiari luiz.penchiari@hotmail.com

Vinhedo

 

 

 

 

 

 

 

 

_____________________

 

 

 

 

 

 

 

BYE, BYE

 

Oxalá, com as exaustivas despedidas e de autopromoção do falastrão presidente, o apagão que

assolou grande parte dos brasileiros não se renove com o nascer de um novo ano.

 

 

 

José G. Oliveira mandarino-oliveira@uol.com.br

Praia Grande

 

 

 

 

 

 

 

 

 

_____________________

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

MH MAIS ESCLARECIDO

 

 

Peço ao cronista Luis Fernando Verissimo que esclareça ao seu Marciano Hipotético ("A volta do MH", 30/12, D8) os fatos reais da História, incluindo a "Carta aos Brasileiros", assinada por Lula em junho de 2002, assegurando que, em caso de sua vitória, o PT respeitaria os contratos nacionais e internacionais. Também que Lula, através de sua equipe econômica, com Henrique Meirelles na presidência do Banco Central, manteve intacta a política macroeconômica de FHC, contra todas as previsões devido aos ataques ferrenhos e constantes a ela por líderes petistas, inclusive Lula. Assim, meu caro Veríssimo, seu MH voltaria para seu planeta menos perplexo. Quem fica perplexo, porém, somos nós, brasileiros mais conscientes, por essa inexplicável lacuna histórica nos discursos de Lula e em argumentos "extraterrestres" como o do senhor nesse artigo!

Silvano Corrêa

São Paulo

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

_____________________

 

 

 

 

 

 

 

 

 

LEMBRANÇAS DO PASSADO

Se FHC, retribuindo o apoio de Itamar à sua candidatura a presidente da República, o tivesse indicado para sucedê-lher nas eleições de 1998, Lula estaria até hoje em ostracismo.

Sergio S. de Oliveira ssoliveira@netsite.com.br

Monte Santo de Minas (MG)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

_____________________

 

 

 

 

 

 

 

APROVAÇÃO DO LULLA

 

 

Será que nós, participantes do Fórum dos Leitores, somos idiotas? Criticamos, mostramos nossa indignação contra o achaque ao Brasil pelo grupo que está no poder, e assim mesmo elle ainda tem 87% de aprovação? Será que a dignidade, a ética, o respeito ao Brasil foram para o espaço? Vejo que temos de repensar os conceitos sobre o que queremos e como devemos agir daqui para a frente. Por que investir na educação para nossos filhos? Não seria melhor deixá-los na ignorância, infiltrá-los no sindicato, para depois chegarem à Presidência? Que tal ensiná-los a pegar em armas e depois chegar a presidente?

Nós, aqui neste espaço, estamos bancando os "idiotas", porque trabalhamos, pagamos impostos e ainda somos contaminados com Globo, SBT, Band com suas propagandas enaltecendo este desgoverno.

E o mais desagradável é abrir o jornal e ler: "O Estado está há 500, 501, 502... dias sob censura."

Esta é a democracia do PT e do clã Sarney, antes inimigos, hoje amigos do presidente que, graças a Deus, está indo embora, tomara que nunca mais volte. Já vai tarde, e para o inferno.

 

 

 

José Saez jsaez2007@gmail.com

Curitiba

 

 

 

 

 

_____________________

 

 

 

 

 

 

 

 

 

SOLTAR ROJÕES

 

 

 

 

Dia 1º de janeiro vou soltar muitos rojões, por livrar-me de ter de mudar de canal todas as vezes que o Pinóquio aparece na TV - todos os dias várias vezes, e ele ainda reclama da imprensa. Por pior governo que a Dilma faça, nunca será páreo para o apedeuta que, sem travas da oposição, do Congresso e do Judiciário, tornou o Brasil o paraíso dos corruptos impunes, sindicalistas oportunistas e traficantes de influências e drogas; retorno pela carga tributária só para os milhões de companheiros. Já vai tarde, mas será lembrado pela herança maldita.

 

 

 

Mário A. Dente dente28@gmail.com

São Paulo

 

 

 

 

 

 

 

 

 

_____________________

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

JECA TATU

Difícil entender como pode ser tão alto o nível de aprovação de nosso presidente.

Será que até os seus adversários o prestigiam?

Se Serra teve, no segundo turno, mais de 40% dos votos, será que o universo de seus eleitores aprecia o "rei"? Ou será que as pesquisas os ignoram?

Cada vez mais me convenço de que Monteiro Lobato estava certo quando abordou a teoria do Jeca Tatu, o brasileiro típico, para quem tudo está ótimo, ainda que viva na penúria.

E começo a desconfiar de que somos um grande bando de hienas, que vivem a gargalhar, sem se preocupar com aquilo que comemos.

João Sarti Júnior

São Paulo

 

 

 

 

 

_____________________

 

 

 

 

 

 

 

 

PIJAMA

Excelente a charge do Loredano com o Lula de pijama (30/12, A2). Só que as listras deveriam ser na horizontal.

 

Celia Henriques Guércio Rodrigues celitar@hotmail.com

Avaré

 

 

 

 

_____________________

 

 

 

 

 

 

 

NO NORDESTE

 

 

Em viagem de despedida pelo Nordeste, Lula afirmou que a presidente eleita, Dilma Rouseff, é uma mulher guerreira. Acho que a expressão correta seria mulher guerrilheira.

Donizete Ap. Beraldi Neves africaneves@hotmail.com

Araçatuba

 

 

 

 

 

 

 

 

 

_____________________

 

 

 

 

 

 

 

 

87% (?)

Durante as eleições, o que mais ouvíamos era o povão perguntar entre si se ia votar no Lula. Não era na Dilma, não. Diante deste fato, devemos imaginar que a votação dela deveria ser bem superior à que realmente recebeu, pois a aprovação dele era recorde e muito maior. Nos primórdios, a aprovação de um governo era pelo índice do ótimo e bom. Depois os mais açodados passaram a incluir no cálculo o total do regular. Acho que agora para medir a popularidade do Lula ou aprovação do seu governo os institutos tiraram apenas os que consideram seu governo ruim, pois o péssimo virou bom agora. Só isso explicaria um índice tão alto diante da realidade dos fatos.

Maurício Lima mapeli@uol.com.br

São Paulo

 

 

 

 

 

 

 

 

 

_____________________

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A ODE DO LULA

 

 

Quanto apego ao poder, vou chorar.

Oh! tantos ingratos - lastimo.

Só 87% acham que eu sou o máximo.

Vou.. mas queria ficar.

Nunca antes na história.

Um presidente trabalhou com tal afinco

Arrumou a vida do pobre e mais do rico.

Nada recebeu e agora! Tanta glória !

Queria continuar nos palanques e rir.

Deixo também a minha herança.

Com dívida e inflação o País avança.

Volto em 2014 para nunca mais sair.

 

 

Alberto Bastos Cardoso de Carvalho albcc@ig.com.br

São Paulo

 

 

 

 

 

 

 

 

 

_____________________

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

GOVERNO LULA

 

 

Eis o balanço do findo governo de Luiz Inácio Lula da Silva: a história política brasileira ganhou um bom (mesmo que questionável) presidente e milhões de eleitores - decepcionados e abismados com o mensalão e outros estratagemas políticos maquiavélicos, verborragia, alianças abjetas e nebulosos negócios familiares - perderam um ídolo.

Ao longo dos oito anos de mandato presidencial, foi possível ver Mefistófeles, com nitidez e frequência espantosas, bafejando no cangote de um megalomaníaco Lula e instigando-o a pensar que ele era maior até mesmo do que o próprio País que governava.

Túllio Marco Soares Carvalho tulliocarvalho.advocacia@gmail.com

Belo Horizonte

 

 

 

 

 

 

 

 

 

_____________________

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

CNT/SENSUS

Um aspecto interessante é a margem de erro: ela oscila de 0,5% para menos e 88,5% para mais.

 

Maurício Rodrigues de Souza mauriciorodsouza@globo.com

São Paulo

 

 

 

 

 

 

 

 

 

_____________________

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

BUFÃO

 

 

 

E patético ver o Lula desrespeitando a presidente eleita, Dilma, em cadeia nacional!

O Lula sente-se proprietário de sua candidata, que sabe-se lá se vai governar ou ser governada!

Desejo o melhor para o Brasil, mas não gostaria que este espetáculo indecente de um ex-presidente governando, a despeito de termos uma presidente eleita!

Boa sorte, dona Dilma, não votei na senhora, mas desejo-lhe independência e sabedoria para governar o meu Brasil, o nosso Brasil!

 

 

Cecilia M. Dale ceciliamdale@hotmail.com

São Paulo

 

 

 

 

 

 

 

 

 

_____________________

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

PREVENÇÃO

"Tema da Vitória" em descida de rampa?

Então, não esqueça:"se beber, não dirija!"

 

A. Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.