Fórum dos leitores

LULOPETISMO

O Estado de S.Paulo

24 Janeiro 2016 | 03h03

Estarrecida

A presidente declarou-se estarrecida ao ler o relatório do Fundo Monetário Internacional (FMI), que afirma que a continuidade da situação crítica do Brasil é um dos três principais fatores que explicam as dificuldades por que passa a economia mundial. E disse ter certeza que vai conseguir estabilizar politicamente o País e assegurar a tranquilidade para que volte a se desenvolver. Ora, a presidente veio finalmente se juntar a nós todos, que estamos estarrecidos há muito tempo, pois sobrou para a população brasileira pagar pelos incríveis desmandos de seu governo, incluindo o inédito assalto à Petrobrás, eis que a quadrilha que se apropriou da estatal durante o governo de seu antecessor continuou em plena atividade durante o dela. Talvez agora a presidente perceba por que o pedido de impeachment que se encontra na Câmara dos Deputados não se trata de golpe, mas apenas uma maneira civilizada, democrática e legal de impedir que ela continue a afundar o nosso barco. Também não vejo como ela vai conseguir estabilizar politicamente o Brasil e assegurar o seu desenvolvimento, uma vez que as projeções da maioria de nossos economistas são de que a economia só vai retomar o crescimento além de 2018, o último ano de seu governo, admitindo-se que a presidente termine o mandato. O que aparentemente Dilma Rousseff ainda não percebeu é que os brasileiros jamais vão perdoá-la por ter mentido tanto na campanha eleitoral.

GILBERTO PACINI

benetazzos@bol.com.br

São Paulo

Então, Dilma está estarrecida com o parecer do FMI? Estarrecidos estamos nós, com a situação em que essa senhora pôs o nosso país! Suas palavras esclarecem por que chegamos a este ponto: literalmente quebrados.

LAERT PINTO BARBOSA

laert_barbosa@globo.com

São Paulo

Dilma deveria ficar estarrecida por conviver com a realidade em que ela e o PT mergulharam o Brasil. Precisa entender que o FMI não é um dos organismos aparelhados do Estado brasileiro.

FRANCISCO JOSÉ SIDOTI

fransidoti@gmail.com

São Paulo

Flagelo

Um diz que não há uma viva alma mais honesta que ele. A outra se diz “estarrecida” com trecho do relatório do FMI. É, a gente merece...

PANAYOTIS POULIS

ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

‘O mais honesto’

Incrível a declaração de que “não é o salário mínimo que vai pagar a crise que os milionários criaram”. Admitindo que tal absurdo fosse verdade, se ele é milionário, logo, ele principalmente contribuiu para esta crise.

FELICIO TADEO ZAMBOM

tadeo@transmotor.com.br

São Paulo

Lula é ‘o cara’

“Nunca antes na História deste país” um cara sozinho conseguiu prejudicar a economia de todo o planeta.

VIRGÍLIO MELHADO PASSONI

mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

Repúdio

Lula afirma que repudia quem trabalha contra o País. Então, temos de repudiar a presidenta Dilma e toda a prole do PT.

ARTUR TOPGIAN

topgian.advogados@terra.com.br

São Paulo

Destruição do Brasil

A lambança do desgoverno Dilma não tem realmente limites: dólar a R$ 4,16, Banco Central submetido à vontade de Dilma (ou de Lula, o que dá no mesmo, uma é fantoche do outro), inflação descontrolada, desemprego galopante, epidemia de dengue e de zika... Quando se dará um basta a este processo de destruição de um país outrora próspero?

EDUARDO SPINOLA E CASTRO

3491esc@gmail.com

São Paulo

Que país é este?

Algo está errado e tem de mudar. Não é possível que 200 milhões de pessoas tenham de passar por dificuldades só porque o governo, de acordo com a Constituição, não vai ser trocado. A população empobrece a olhos vistos, perde o emprego e a produção nacional desaba. Mas fazer o quê, se a lei garante o mandato? Até por inteligência, a lei deve ser aperfeiçoada: um governante flagrantemente incompetente, que leva à ruína um país, tem de poder ser substituído.

GUILHERME PACHECO E SILVA

guilherme@tagua.com.br

São Paulo

Impeachment

Não existe crise econômica. O que existe é uma enorme crise política. Se a presidente Dilma e seus apaniguados forem retirados do poder, a economia volta a crescer. Prova evidente disso foram as ocorrências de queda do dólar e alta das ações na Bolsa de Valores por ocasião da aceitação do impeachment contra ela. A presença desse pseudossocialismo no poder torna inviável qualquer saída, afundando cada vez mais a economia do País.

MARCELO DE LIMA ARAÚJO

marcelodelimaaraujo@yahoo.com.br

Rio de Janeiro

Reformas estruturais

O atual governo não tem capacidade administrativa, nem política, de reverter esta crise. Aos olhos do PT, a crise só será solucionada se o povo pagar a conta, recolhendo mais impostos aos cofres públicos. E isso é inimaginável, com uma população endividada e perdendo o emprego. O que precisa ser feito, e todos estão carecas de saber, é promover reformas estruturais em todos os Poderes e esferas públicas; privatizar todas as companhias estatais (fazer caixa), privatizar portos, aeroportos, ferrovias, hidrovias, rodovias, entregar tudo à iniciativa privada (chamar capital); definir prioridades de governo – saúde, educação e segurança –, associando-se a empresas privadas que possam estabelecer resultados por meritocracia. Mas quem vai fazer isso?

MANOEL BRAGA

manoelbraga@mecpar.com

Matão

Aversão

Dilma e Lula não participarão do programa do PT por medo de panelaço. É a falta de prestígio entre cerca de 90% da população.

LUÍZ FRID

luiz.frid@globomail.com

São Paulo

Abraço de afogados

Com a imagem desgastada, o PT tira Dilma e Lula da televisão para evitar a exibição da constrangedora cena de um abraço de dois afogados.

RONALDO GOMES FERRAZ

ronferraz@globo.com

Rio de Janeiro

CALAR É MELHOR

Será que a reunião ocorrida na semana passada entre Dilma Rousseff e Michel Temer, em que ele a aconselhou a “ouvir mais e falar menos”, teve uma única e exclusiva finalidade? Para que ela evite falar tantas bobagens e coisas sem nexo nem sentido, além das terríveis bravatas?

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

PURA BORRACHA

Michel Temer disse para Dilma Rousseff “ouvir mais e falar menos”. Também pudera, ela abre a boca e cai um pneu traseiro de trator. Dá até vergonha.

Alessandro Lucchesi timtim.lucchesi@hotmail.com

Casa Branca

*

BALAIO DE GATOS

O vice-presidente Michel Temer disse à “presidenta” Dilma Rousseff que o governo terá de mudar de postura. Será que, diante de tanta bagunça, é possível mudar alguma coisa?

 

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

*

DILMA FALANDO

A presidente Dilma Rousseff foi aconselhada pelo vice-presidente, Michel Temer, a “ouvir mais e falar menos”. Mas, afinal, como não ouve ninguém, em seguida veio com suas falas memoráveis e disse que todo mundo tem de trabalhar. Só se esqueceu de que, enquanto todos trabalham, ela só faz besteiras em alta escala.

Henrique Schnaider hschnaider4@gmail.com

São Paulo

*

CONFUSÃO MENTAL

Dilma Rousseff sempre se superando: desta vez, disse “combate ao vírus do mosquito zica” (sic). E, pior, disse que, enquanto não houver “vacina do vírus da Aedes Egipsi” (sic), temos de combater o mosquito (sic).

Luiz Nusbaum, médico lnusbaum@uol.com.br

São Paulo

*

O POVO MAIS PESSIMISTA

Pesquisa feita em 68 países pela Rede WIN indica uma média de 16% de pessoas que acham que 2016 será pior do que 2015. Diferentemente do Brasil, onde este número é o dobro, 32%, como revelou o jornalista José Roberto de Toledo no “Estadão” de 18/1. O pessimismo do brasileiro foi aumentando na medida em que o governo Dilma foi atropelando a realidade de mercado e a boa governança, gastando bem mais do que arrecada, e essa equação perversa gerou, infelizmente, uma grave recessão econômica. Os números das pesquisas são cristalinos, identificando o mau humor do povo. Se em 2010 somente 6% dos brasileiros achavam que 2011 seria pior e 73% achavam que seria melhor do que 2010, já no final de 2015 32% não acreditam em melhoras neste ano de 2016. E os outros 68% acham muito difícil de recuperar o tempo perdido. Também os números da ascensão social, que eram mais robustos, se deterioraram, como demonstrou Toledo. As classes A e B representavam 30% da população em 2014, e hoje são apenas 23%. A classe C caiu neste mesmo período, de 54% para 50%, e as classes D e E, de 16% em 2014, subiram para 27%. Ou seja, o número de brasileiros na faixa dos mais pobres aumentou consideravelmente. E, depois da triste realidade descrita acima, o povo brasileiro tem razão quando pede o impeachment de Dilma Rousseff, independentemente do crime das “pedaladas” fiscais.

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

CORRUPÇÃO

 

Pesquisa realizada indica que 34% do povo brasileiro se preocupa com a corrupção mais do que com a saúde e a educação. Mesmo assim, Dilma continua insistindo em que fora eleita legitimamente, mas, no entanto, se esquece de que o povo brasileiro não votou na sua incompetência, não votou na corrupção e não votou em afrontar à Lei de Responsabilidade Fiscal com suas “pedaladas”. Ou seja, existem todas as condições necessárias para o seu impeachment.

Júlio Roberto Ayres Brisola jrobrisola@uol.com.br

São Paulo                                                             

*

ANTIPATIA

“Você não vale nada, mas eu gosto de você.” Assim começa a letra de certa música temática em telenovela recentemente reprisada, significando que as coisas do coração se sobrepõem à qualidade de caráter. A presidente Dilma, durante um café da manhã com a imprensa, declarou não ser democrático pugnar por um processo de impeachment somente porque os setores engajados no processo não simpatizam com ela. É lamentável constatar o grau de fingida ignorância, proposital, em relação aos reais motivos que levam uma apreciável parcela da sociedade a desejar seu afastamento. É evidente, e ela não ignora, que as verdadeiras motivações não estão vinculadas somente a antipatias, sem dúvida inegáveis, mas a falsas promessas, a discursos vazios e desconexos, desligados da realidade, e a políticas erradas e desvairadas, destinadas à manutenção do poder a qualquer custo, resultando na catástrofe econômica que a população está sendo obrigada a enfrentar, desembocando em inflação preocupante e desemprego, que enchem de apreensão a família brasileira. Ao contrário, portanto, de “você não vale nada, mas eu gosto de você”, seria mais adequada a seguinte referência em relação ao desempenho da nossa mandatária: “Você não vale nada e, por isso, também não gosto de você”.

Paulo Roberto Gotaç pgotac@gmail.com

Rio de Janeiro

*

VOCABULÁRIO

Nas duas reuniões que a presidente Dilma Rousseff teve com jornalistas este ano, em nenhum momento ela esboçou “mea culpa” pelos deslizes do seu primeiro mandato, nem fez críticas ao seu antecessor por ter semeado a situação em que o País se encontra hoje, tampouco ao partido a que ela pertence, atolado até a alma no escândalo da Operação Lava Jato. Não é propondo aumento de impostos e demonstrando preocupação óbvia com o desemprego que se conquista credibilidade. Muito menos tirando selfies sorridentes com jornalistas. É preciso, para começar, realismo e humildade, palavras que ainda não fazem parte do vocabulário da presidente.

Luciano Harary lharary@hotmail.com

São Paulo

*

AUTOPRESERVAÇÃO

A presidente Dilma, temerosa dos habituais panelaços, prefere justificar a intenção de voltar a cobrar a CPMF em café da manhã com jornalistas credenciados no Planalto, em vez de se expor à sociedade. Estranhamente, a receita do imposto proposto consta do Orçamento enviado e aprovado pelo Congresso, enquanto o próprio ainda não aprovou o tributo! E, sobre tal imposto, a presidente nada diz sobre o seu efeito cascata, incidindo desde o insumo inicial e incorrendo em toda fase do processo produtivo, no material e na mão de obra – seja o produto que for – até chegar ao consumidor final, a última vítima da punição tributária. Dos aumentos generalizados nos preços, que ocorrerão, nada a dizer!

Mario Cobucci Junior maritocobucci@gmail.com

São Paulo

*

CRISE

Costa Brasilis: “Vada a bordo, Dilma!”

Ely Weinstein elyw@terra.com.br

São Paulo

*

O PROBLEMA É SEMPRE DO OUTRO

E agora, presidente Dilma? Os outros países dizem que o Brasil é que está atrapalhando a economia internacional. Devem ser mentirosos e golpistas...

Luíz Frid luiz.frid@globomail.com

São Paulo

*

UMA CERTEZA SOBRE DILMA

De uma coisa estou certo: a “presidenta” Dilma não é burra. Renunciar nunca foi um pensamento que lhe passou pela cabeça. Imaginem vocês que ela iria largar uma equipe de costureiras fazendo-lhe no mínimo uma vestimenta nova por dia, as mordomias de carros com motoristas, aviões, cartões corporativos e tudo o mais sem um centavo de despesas e poder ainda ficar diante de um espelho dando risada de nós, contribuintes, que pagamos tudo. Isso ela nunca mais terá na vida. O sonho ideal para nós, brasileiros, seria vê-la saindo do Palácio do Planto para uma prisão, como responsável pela recessão que o Brasil está tendo e lá encontrar seu criador, Lula, lhe esperando.  

Raul S. Moreira raulmoreira@mpc.com.br

Campinas

*

VIRAR A PÁGINA

Indícios cada vez mais reveladores levam a um pedido de impugnação, pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), da chapa vencedora da Presidência da República em 2014. Constata-se que “o diabo” invocado na campanha pela presidente Dilma está cobrando seu preço. As delações premiadas determinam o volume e a impropriedade do dinheiro utilizado na campanha presidencial. A presidente e o grupo que a cerca e foi responsável por sua campanha, se, de um lado, vibraram com a vitória das urnas, devem ser responsabilizados e assumir os desvios e impropriedades cometidos na campanha. Essa é a maneira correta de proceder. Chega a hora de punir quem errou. A página deve ser virada para, que a vida continue.

Sergio Holl Lara jrmholl.idt@terra.com.br

Indaiatuba

*

PREOCUPAÇÃO

Ate hoje não consegui externar minha enorme preocupação com as transmissões de dados das urnas eletrônicas. Tenho 45 anos de trabalhos em informática e, enquanto não tivermos auditorias das transmissões de dados das urnas eletrônicas, não poderemos saber quem ganhou as eleições pelo voto dos eleitores. Cartões de crédito são clonados diariamente e continuaremos vendo comemorações de vitória antes do término das apurações.

Edgard Orefice eeorefice@uol.com.br 

São Paulo

*

RECOMEÇO

Um futuro feliz depende da capacidade de criar o bem. Hoje temos a certeza de que a presidente Dilma nos enganou. Nossa realidade é o contrário do que mostrou sua propaganda. Com o TSE retirando-a do cargo, teremos um verdadeiro recomeço.

Walter Lopes Filho wrsworld@r7.com

São Paulo

*

MINISTÉRIO COMPROMETIDO

Se 8 ex-ministros, entre eles o atual ministro da Casa Civil, Jaques Wagner, estão envolvidos em falcatruas, chegamos à conclusão de que este ministério é o prêmio máximo àqueles que cumpriram com louvor suas obrigações para com o PT. Nem precisa investigar, basta ter sido nomeado, porque pela Casa Civil passam todas as verbas do País. Eles distribuem o que existe no cofre. Uni duni té, salame mingue... o “escolhido foi você”! Tudo de acordo com a cartilha.

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

*

ESPERANÇA

A futura ex-presidente e seu títere microcéfalo submergem, enquanto a quantidade de coliformes petralhas atinge níveis absurdos. Nossa única esperança é a Operação Lava Jato.

Ricardo C. T. Martins rctmartins@gmail.com

São Paulo

*

OPERAÇÃO LAVA JATO

As grandes empreiteiras brasileiras nunca ganharam tanto dinheiro quanto na última década. Os empreendimentos do governo eram muito lucrativos.

Não faltava dinheiro para ninguém. Todas as empresas queriam trabalhar para o governo, pois a iniciativa privada controlava os custos, coisa que o governo do PT nunca fez. O dinheiro do contribuinte é desperdiçado sem dó nem piedade, enchendo os bolsos dos corruptos, sejam eles quantos forem. Se a farra do dinheiro não fosse tão boa, qual seria, então, o motivo de concentrar esforços nos negócios envolvendo o governo? Muitas obras nunca foram concluídas, apesar dos milhões de reais gastos. Nem sempre as prioridades do País foram consideradas na hora de lançar uma licitação ao mercado.

José Carlos Saraiva da Costa jcsdc@uol.com.br

Belo Horizonte

*

PETISMO & EMPREITEIROS

Como diz o ditado, “antes tarde do que nunca”. Muitas vezes critiquei artigos do jornalista Eugênio Bucci, mas o “Ora, sejamos marxistas” (21/1, A2) mostra realmente ao que veio esta turma que está há 13 anos no poder. Sei que deve ter sido muito duro para ele ter de escrever esse artigo, que diz o que muitos de nós víamos e, agora, sentimos. Só os fanáticos pelo PT são incapazes de ver o que se passava, um modelo de poder que passa pela subtração prolongada a fim de se perpetuar nele e enriquecer. Espero que intelectuais, artistas, jornalistas, cantores e demais petistas possam ler o artigo, que tem mais peso por ter sido escrito por um (ex?) petista. E acordem!

Tania Tavares taniatma@hotmail.com 

São Paulo

*

SIGILO INEXPLICÁVEL

Em recente reportagem, o “Estadão” nos informou que as negociações de acordo de leniência envolvendo o Grupo Schahin e a Controladoria-Geral da União (CGU), segundo informação da própria CGU, ocorrem protegidas por sigilo. Pressupondo que o estabelecimento de sigilo pretende proteger algo, alguém ou a lisura nos procedimentos, pergunta-se: a quem interessa o sigilo das negociações para vir a conceder leniência a réus confessos? Seria para proteger o erário, já previamente subtraído em seus escassos recursos? Seria para acobertar responsabilidades daqueles que foram relapsos em suas obrigações de fiscalizar? Seria para não envergonhar e revoltar ainda mais a sociedade brasileira? Seria ainda para permitir a ocultação de partes dos desvios ocorridos? Ou, em verdade, para proteger interesses ao limitar danos financeiros e criminais dos corruptores e dos corrompidos? Com a palavra, a CGU e sua superiora imediata, a presidente Dilma Rousseff.

Egberto de Novaes França egberto@adstudio.srv.br 

São Paulo

*

LEI FAJUTA

Está tramitando naquele grotesco Congresso Nacional um projeto de lei de uma ex-deputada, Soraya Santos, esposa do deputado Alexandre Santos, investigado na Operação Lava Jato, que pretende punir com até seis anos de prisão quem falar mal de políticos. Enquanto na Ucrânia o povo está colocando os seus políticos nas lixeiras (ah, se a moda pega!), nós, eleitores brasileiros, estamos fadados a ir para trás das grades se falarmos das desonestidades cometidas por eles. Arre!

Sebastião Paschoal s_paschoal@hotmail.com

Rio de Janeiro

*

AS AÇÕES DA PETROBRÁS

Após terem sido o bilhete premiado do pré-sal, as ações da petrorroubalheira valem menos que um chopp em promoção.

Moises Goldstein mgoldstein@bol.com.br

São Paulo

*

ÀS PROFUNDEZAS

O lulopetismo é coerente: levou as ações da Petrobrás ao mesmo nível do pré-sal.

A.Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

*

ABAIXO DE R$ 5,00

Placa de lanchonete: “Compro e vendo passe de ônibus. Não aceito ações da Petrobras”.

Arnaldo Ravacci arnaldoravacci05@gmail.com

Sorocaba

*

PALESTRA GRATUITA

Está prevista para amanhã (25/1) a “palestra” gratuita que o ex-presidente Lula vai proferir na 10.ª Vara da Justiça Federal em Brasília. Tal “palestra” versará sobre assuntos investigados na Operação Zelotes. Tempos atrás, antes do surgimento da Operação Lava Jato, o ex-presidente andava pelo Brasil e pelo exterior fazendo palestras para empresários a peso de ouro. Nenhuma viva alma conseguiu até o momento conhecer o teor dessas palestras, não há vídeos nem registros escritos delas. Um dos contratantes dessas palestras, Marcelo Odebrecht, presidente da Organização Odebrecht, atualmente passando férias forçadas num presídio de Curitiba, se recusa veementemente a falar sobre o assunto.

José Carlos Degaspare degaspare@uol.com.br

São Paulo

*

NÃO PERDENDO A EMBOCADURA

Num bate-papo com blogueiros ocorrido na manha do dia 20 de janeiro, Lula não perdeu a oportunidade de fazer o que mais gosta: autoelogiar-se. A pérola mais valiosa naquela manhã do dia 20 foi afirmar, sem um pingo de vergonha, ser ele a “mais honesta” alma viva do Brasil. Não lhe foi perguntado – e ele evidentemente regalou-se por essa omissão – o fato de ser o projeto de poder de seu partido o mais amplo e reprovável esquema de corrupção da história deste nosso pobre Brasil.

Luis Lago luislago2002@hotmail.com

São Paulo

*

LULA E EU

Eu me pergunto: como empresário e administrador de uma empresa de serviços, perante a lei, eu sou responsável solidário civil e criminalmente por qualquer desvio de conduta que qualquer um dos meus mais de 100 funcionários e colaboradores possa cometer e gerar um dolo ou prejuízo a qualquer cliente, fornecedor ou mesmo um colega. Agora resulta que o sr. Lula não pode ser responsabilizado por qualquer ato de corrupção, roubo, apropriação indébita, formação de quadrilha, etc., etc. que qualquer um dos por ele nomeados possa ter cometido. Afinal, qual a diferença entre o comandante Lula e eu, que também comando um quadro de funcionários por mim registrados e postos ao serviço do meu comando? A lei tem de mudar muito neste país, mais antes temos de acabar com as quadrilhas de políticos e empresários e juízes corruptos e advogados que se alimentam do dinheiro mal havido, prejudicando o Brasil e seu povo.

Osvaldo Daniel Salas salas.osvaldo.daniel@gmail.com

Foz do Iguaçu (PR)

*

O DESESPERO DE LULA

Deu para perceber que a declaração de Lula, “não tem alma viva mais honesta do que eu”, constrangeu até os blogueiros petistas. Se não foi pela essência, foi pela forma.

Lucia Melchert luciamelchert@gmail.com

São Paulo

*

VIVA ALMA RETRUCOU

E eu vi, na semana que passou, numa reunião com blogueiros, a face irada de Deus. Eu vi a ira do Deus Baco derramada sobre os míseros mortais que também o assistiam submissos de cabeça baixa, enquanto outros o aplaudiam timidamente receosos de serem repreendidos. Não vi viva alma que dissesse “opa, mais honesto tem, sim! Esse cara sou eu”.

Leon Diniz leondinizdiniz@gmail.com

São Paulo

*

FRASES

Lula:”"Não tem uma viva alma mais honesta do que eu”. Bin Laden: “Não tem uma viva alma mais pacífica do que eu”. Kojak: “Não tem uma viva alma mais cabeluda do que eu”. Cascão: “Não tem uma viva alma mais limpa do que eu”.

Fábio Aulísio faulisio@hotmail.com

São Paulo

*

LISTA

Lula declarou “não existe no Brasil ninguém mais honesto que eu”. Entendo que, no íntimo, ele se considera assim também não só no Brasil, mas no mundo, no céu, no inferno e entre vivos e mortos. Como estou incluído entre os 200 milhões de brasileiros, sinto-me ofendido e sugiro abrir uma lista de assinaturas com o título “Sou mais honesto que o Lula”, e serei o primeiro a subscrever.

Sérgio A. Monteiro samvilar@uol.com.br

São Paulo

*

O MAIS HONESTO?

Todo mundo sabe que Lula é mitomaníaco. Mas desta vez ele perdeu o juízo de vez!

Paulo de Tarso Abrão ptabrao@uol.com.br

São Paulo

*

QUEM NÃO TE CONHECE...

A diretoria da Volkswagen ainda não parou de rir com a declaração de honestidade do sr. Lula.

André C. Frohnknecht caxumba888@gmail.com

São Paulo

*

ODORICO PARAGUAÇU

Lembram-se daquela novela da TV Globo, “O Bem Amado”, com o saudoso Paulo Gracindo? Pois é, Lula deve tê-la assistido antes da entrevista com os blogueiros. Cópia perfeita.

Jaime Eufrasio Sanches jaime@carboroil.com.br

São Paulo

*

LOUCURA

Sobre não existir alma mais honesta do que ele, deve-se lembrar que nos hospícios há quem se considere Jesus Cristo, Nero, Napoleão “et  caterva”...

Arlete Pacheco arlpach@uol.com.br

Itanhaém

*

PROPRIEDADE DE MALUF

Extra! Extra! Extra! Paulo Maluf vai processar Lula pela propriedade intelectual da frase que proferiu tempos atrás: “Pode ter havido prefeito tão honesto quanto Maluf, mas mais honesto do que ele, não!”. Ambos têm em comum também um traço interessante: falam de si mesmos citando seus próprios nomes, como se fossem uma instituição que os transcende.

Eliana França Leme efleme@terra.com.br

São Paulo

*

PESQUISA DE OPINIÃO

Diante dos descalabros patrocinados por parte dos nossos governantes, os institutos de pesquisa de opinião saíram às ruas com a seguinte pergunta: o que te deixaria mais feliz, o teu time campeão ou Lula de tornozeleira? Não houve indecisos.

Marcos Catap marcoscatap@uol.com.br

São Paulo

*

TÉDIO

Pensei em escrever ao jornal e comentar a “entrevista” que Luiz Inácio Lula concedeu aos blogueiros amigos, mas não há nada ali digno de menção. É só um amontoado de bobagens, daquelas que já estamos muito cansados de ler e ouvir. Um tédio! Nem sei como aquilo virou notícia! Desisti.

M. Cristina R. Azevedo crisrochazevedo@hotmail.com  

Florianópolis

*

MARTA E O MENSALÃO

Ouvi, recentemente, uma entrevista da pré-candidata à Prefeitura de São Paulo pelo PMDB, Marta Suplicy, e não me admirei quando ela, interpelada pelo entrevistador Marco Antonio Villa sobre o porquê de ter demorado tanto a sair do PT depois do escândalo do mensalão, respondeu: “Porque não achava que fosse possível o que estava acontecendo”. E completou: “No PT não se comentava sobre esta tática de propina do mensalão... nunca eu soube nada sobre isso, nunca me falaram nada sobre isso”. Não vou fazer de conta que acredito! Marta está apenas repetindo a ladainha de Lula, na qual nenhuma “viva alma” neste país acredita mais!

Mara Montezuma Assaf montezuma.scriba@gmail.com

São Paulo

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.