Fórum dos Leitores

PAÍS DESTRUÍDO

O Estado de S.Paulo

27 Janeiro 2016 | 02h55

Injustiça

A oposição ao governo petista é muito injusta ao qualificá-lo de incompetente. Um governo que consegue elevar a taxa da inflação a 10,71% ao ano, encolher a economia em 3,5% a 4% em um ano e aumentar o desemprego eliminando 1,5 milhão de postos de trabalho certamente é competentíssimo em destruir a Nação. O máximo que a oposição poderia alegar é que o governo, em vez de enriquecer e desenvolver o País, faz exatamente o contrário, e com grande competência.

MÁRIO RUBENS COSTA

costamar31@terra.com.br

Campinas

Aumento de impostos

Após um ano de total imobilismo e trapalhadas sequenciais que levaram o Brasil à bancarrota, a presidente Dilma tem nova “ideia fixa”: aumentar a carga tributária. Aliás, ao apagar das luzes de 2015, em surdina, já foram aumentados muitos impostos – cotas de IOF, de impostos de importação, dos diversos impostos sobre transmissão de bens e doações, novo Imposto de Renda sobre remessas para o exterior, etc. Nos 13 fatídicos anos de governo petista a carga tributária em relação ao PIB aumentou 5% (está em torno de 36,5%), tornando-se a mais alta entre os países latino-americanos e ultrapassando a média dos chamados desenvolvidos. Em suma, a dra. Dilma tornou-se o nosso xerife de Nottingham. Pena que nossos Robin Hoods distribuam o resultado de seus assaltos entre eles mesmos. Não bastasse, agora a presidente considera usar as reservas internacionais brasileiras (superiores a US$ 300 bilhões), espoliando o último ativo do Brasil. Pobre povo brasileiro...

LUIGI PETTI

pettirluigi@gmail.com

São Paulo

Enquanto o Brasil derrete...

A população está indignada com a má vontade dos políticos com o Brasil. Aliás, como sempre tem sido. Eles simplesmente deixaram o País de lado e estão gozando férias, enquanto a economia vai de mal a pior, isto é, derrete!

LUIZ MAURO LEBELEM

lmlebelem@gmail.com

Curitiba

Alto custo dos partidos

Inadmissível, vergonhosa e imoral a aprovação pelo Legislativo de R$ 819 milhões no Orçamento da União para o Fundo Partidário. Enquanto isso, cortam-se verbas para saúde, educação, segurança, saneamento básico, etc. Esse tipo de “política” leva ao sacrifício extremo milhões de cidadãos que pagam duramente seus impostos, além de matar milhares de pessoas pela falta de atendimento na saúde. Nosso povo merece ser tratado com dignidade e respeito por toda a classe política. Precisa acordar!

ORLANDO RODRIGUES MAIA

ormaia@uol.com.br

Avaré

TRÍPLEX NO GUARUJÁ

Ato de bravura

Acusar Lula é, antes de tudo, um ato de bravura, posto que ele é considerado inimputável por seus coleguinhas e parte da imprensa. O promotor Cassio Conserino certamente sabe disso e também que será alvo de ataques porque “ousou” fazê-lo. A própria manchete do Estadão é contaminada por esse conceito: Lula reage. Reagimos quando somos atacados. A acusação do Ministério Público está longe de ser um “ataque”. É constatação de fatos ilícitos, com farta documentação e numerosos testemunhos. Aliás, para que o promotor Cassio Conserino ouviria Lula, se Lula nunca sabe de nada?

M. CRISTINA ROCHA AZEVEDO

crisrochazevedo@hotmail.com

Florianópolis

Ameaça de processo

Lula claramente parte para a intimidação do promotor Cassio Conserino!

FRANCISCO JOSÉ SIDOTI

fransidoti@gmail.com

São Paulo

MPL

Gangsterismo

Os donos do Movimento Passe Livre (MPL) não gostam de admitir, mas seus atos e suas atitudes nada têm que ver com a vontade do povo trabalhador que dizem representar e afirmam querer tão bem. O uso da violência em seus protestos é mais que conhecido. Mas é preciso expor as táticas covardes de gangsterismo, intimidação e chantagem usadas pelo MPL. Bloquear terminais de ônibus, prejudicando gente ordeira que precisa chegar ao trabalho ou a seus compromissos, ameaçando-as de demissão e causando descontos em seu salário, ou fazendo-os perder, por exemplo, consultas médicas e aulas, é de uma crueldade atroz e de uma insensibilidade que só revela que esse movimento está apenas a serviço de interesses escusos. Quiçá queiram eles que esqueçamos o estado deplorável em que foi deixado o País por seus mestres ou que a presidente Dilma está sofrendo um processo de impeachment... Desafio o sr. Matheus Preis, a face mais visível do MPL, a ir sozinho a um desses terminais de ônibus cujas paralisações promove, contar a qualquer usuário de ônibus que é o responsável por esses prejuízos e esperar a reação do público pagador de impostos que banca suas estripulias.

LUIZ AUGUSTO MÓDOLO DE PAULA

luaump@yahoo.com.br

São Paulo

Arruaças

Os arruaceiros do MPL só querem agitar, desestabilizar, depredar. Se nos detivermos a analisar quem efetivamente paga passagem de ônibus e metrô, verificamos que maiores de 60 anos, grávidas, menores de 6 anos e portadores de necessidades especiais estão isentos; desempregados recebem cartão de gratuidade; estudantes da rede pública não pagam e os da rede particular têm desconto de 50%; empregados registrados nas empresas recebem, por lei, Vale-Transporte; militares, oficiais de Justiça, carteiros tampouco pagam. Então, para quem estão reivindicando? Por que não protestam contra a inflação alta, a queda da economia, a corrupção desenfreada, as mentiras contumazes de Dilma e do Brahma? Talvez por serem petralhas orquestrados?

SERGIO CORTEZ

cortez@lavoremoveis.com

São Paulo

Petistas enrustidos

É, curiosamente os jovens guerrilheiros urbanos do MPL não brigam contra os impostos federais, a crise dos hospitais, a corrupção que faliu a Petrobrás. Pela internet eles estão sendo chamados de jovens petistas enrustidos, então, passaram a fazer timidamente também crítica a Fernando Haddad. Para o MPL, parece que há um outro Brasil.

LUIZ SERRA

luizserra@yahoo.com.br

São Paulo

Considerando o custo/benefício (vandalismo, desrespeito, transtorno à população), o MPL deve ser extinto. Uma forma de exauri-lo é esquecê-lo, deixá-lo sem seu combustível: a divulgação. Isso não é conquista, é aberração.

J. PERIN GARCIA

jperin@uol.com.br

São Paulo

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

 

A GUERRA CONTRA O AEDES

 

Mais uma do desgoverno da presidente Dilma Rousseff: o culto e atuante ministro da Saúde, Marcelo Castro (PMDB), afirmou categoricamente que “o Brasil está perdendo feio a guerra” contra o mosquito Aedes aegypti. Realmente, é o caos. Nossos governantes não têm condição e muito menos capacidade de nos governar.

 

Artur Topgian topgian.advogados@terra.com.br

São Paulo

 

*

MICROCEFALIA

 

O polêmico e ineficiente ministro da Saúde, Marcelo Castro, anunciou a distribuição de repelentes a aproximadamente 400 mil mulheres grávidas, desde que elas façam parte do cadastro do Bolsa Família. Ou seja, as outras grávidas, que não façam parte do programa, estão liberadas para que seus fetos possam contrair a microcefalia à vontade. Não é isso, ministro?

 

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

 

*

O MINISTRO, A PRESIDENTE E O MOSQUITO

 

De acordo com “O Estado de S. Paulo” de ontem, o ministro da Saúde está “irritando” a presidente Dilma por... falar a verdade? Ah, mas ele é “considerado fiel a Dilma (e ao PT)”, então está tudo bem!

 

Roger Cahen rcahen@uol.com.br

São Paulo

 

*

O FOCO É OUTRO

 

O Brasil que pega no tranco: o governo federal, impassível durante anos, agora pressionado pela repercussão mundial do zika às vésperas da Olimpíada, deflagra uma operação de guerra contra o mosquito Aedes aegypti, com 220 mil homens. Muitos diriam antes tarde do que nunca, mas os brasileiros que pagaram com a vida por tamanha irresponsabilidade não poderão engrossar esse coro.

 

Ricardo C. Siqueira ricardocsiqueira@globo.com

Niterói (RJ)

 

*

IRRESPONSÁVEIS

 

O governo não propõe nenhuma ação efetiva de combate ao Aedes porque não tem a mínima noção de como agir. Mas o representante de escol da presidente (deveria ser seu porta-voz oficial) e ocupante do Ministério da Saúde, a cada dia, zurra uma pérola verbal e mostra seu desconhecimento da pasta da Saúde e o total despreparo para ocupá-la. Nem mesmo assessores (regiamente remunerados) para orientá-lo sabe escolher. E é este o RESPONSÁVEL (!) pela saúde no Brasil? Quem o elegeu e quem o escolheu o merecem. Eu não! E, enquanto isso, o mosquito prolifera.

 

Ricardo Hanna ricardohanna@bol.com.br

São Paulo

 

*

INÁBIL

 

O sr. Marcelo Castro, ministro da Saúde, é mais um que está demonstrando a sua inabilidade. O que me impressiona na senhora presidente é a aguçada sensibilidade para escolher os seus ministros, que devem ser dotados dos seguintes requisitos: se for bom, não serve e, se tiver ficha limpa, nem se atreva!

 

Marcos Catap marcoscatap@uol.com.br

São Paulo

 

*

A AJUDA GENÉTICA

 

Num momento em que a dengue tem curva ascendente e ameaça todo o Brasil, com o agravamento do quadro causado pela febre chikungunya e pelo zika vírus, é altamente importante o resultado apurado em Piracicaba (SP) com o chamado “mosquito do bem” (“Estado”, 20/1). Geneticamente modificados, os machos cruzam com as fêmeas naturais, mas a prole não se reproduz. E sem mosquito, não há a transmissão das doenças. Desde Oswaldo Cruz, que combateu a febre amarela no início do século passado, o Brasil luta contra o mosquito que transmite os diferentes males. Já tentou tudo, mas não conseguiu vencê-lo. A mudança genética é uma nova esperança. Mas não deve ser uma responsabilidade exclusiva das prefeituras, que vivem a mais aguda crise financeira. Essa luta tem de ser assumida pelo Estado e pela União, que, comprovada a eficiência do processo, teriam melhores condições para alcançar verbas de emergência e fazer o trabalho em larga escala.

 

Dirceu Cardoso Gonçalves aspomilpm@terra.com.br

São Paulo

 

*

INEFICIÊNCIA MUNICIPAL

 

Até quando as prefeituras do Brasil vão enrolar a população com o combate ao mosquito da dengue, sem nada de efetivo fazer? O básico é combater o criadouro, mas o que vemos nas ruas de todas as cidades é o amontoado de lixo que permite formar criadouros. São pets, latas e garrafas de bebidas, pneus, móveis, utensílios e outros objetos de plásticos que empossam água. Aí vem a demagogia, ajudada pela imprensa. O povo tem de fazer a sua parte e não descartar lixo sem cuidados. Ora, em todo o mundo o povo só faz a sua parte se for fiscalizado, oficialmente e pelos pares, e multado quando pego em flagrante. Também há de haver meios de descarte em todos os cantos onde circulam, praias, ruas, praças e parques, e o recolhimento dos descartes tem de ser regulamentar e não pode haver perdas pelo caminho (hoje, como há). Bem, até aí estamos falando da ineficiência municipal. Mas temos ministro que fala que, se todas as mulheres tiverem o zika, estaremos livres da microcefalia! Não é genial? Então podemos reduzir as verbas para o combate ao vírus. Quem sabe os EUA e o Reino Unido (e alguns africanos, por que não?), que já registraram casos, nos ajudem no combate?

 

M. Mendes de Brito voni.brito@gmail.com

Bertioga       

 

*

ATÉ QUANDO, PRESIDENTE?

 

Dilma Rousseff tinha anunciado que, para se eleger, poderia fazer “o diabo”. O que ela não disse é que, para se manter no poder, ela venderia a alma e o País ao diabo. Hoje, ela faz qualquer negócio para se segurar. Fica com um ministro da Saúde (Marcelo Castro) de quem reconhece a incompetência e o passado de espoliar o Piauí e associa-se aos Picciani, do Rio de Janeiro – o pior exemplo de política de interesses, enriquecimento à custa do Estado e feudo político no melhor estilo dos antigos coronéis tipo Sarney, Barbalho, etc. Por fim, quer editar medidas provisórias que deem proteção aos corruptos que financiam as ações do PT, cujo presidente, Rui Falcão, deveria mudar o nome para “Rui Corvo ou Urubu”, aves que se alimentam de sujeira e lixo. Falcão é uma ave nobre. Será que não vai aparecer uma boa alma para exorcizar esta figura e livrar o Brasil de todos os males que ainda pode nos causar?

 

Luiz Lucas C. Branco whitecastel.castellobranco@gmail.com

São Paulo                                                                                     

 

*

O CUSTO DO SUBDESENVOLVIMENTO

 

Na edição de sábado, 23/1, o “Estado” informou que a Polícia Federal está investigando a participação do filho de Lula na aquisição de caças suecos, que lhe teria rendido parte dos R$ 2,5 milhões recebidos por “consultoria esportiva”. Na realidade, como no caso dos desvios na Petrobrás, o embolsado pelos que desviam recursos do governo tem valor minúsculo, comparado com o valor envolvido na operação. No caso dos caças, tal valor é de mais de US$ 5 bilhões, o que torna a gorjeta a Luiz Cláudio Lula da Silva ridícula. Sem falar que a compra de caças não faz nenhum sentido, visto que os inimigos contra os quais eles seriam utilizados não existem. Melhor seria – e muito mais barato – a compra de aeronaves para combater a invasão das nossas fronteiras por traficantes, inclusive de armas para bandidos. As compras e investimentos da Petrobrás seguem a mesma linha. Realmente, o subdesenvolvimento custa caro...

 

Nelson Carvalho nscarv@gmail.com

São Paulo

 

*

DE CORPO E ALMA

 

Tem lógica que a Polícia Federal desconfie de que a propina paga a Luiz Cláudio Lula da Silva, filho do ex-presidente Lula, tenha que ver com a compra dos caças suecos Gripen pela Força Aérea Brasileira. Basta ver o enorme arsenal de matérias veiculas, enquanto Lula era presidente. Como ele se jogou de corpo e alma para a compra desses jatos, mesmo com o Brasil em 2008 já sofrendo da tal “marolinha” e as contas públicas indo para o limbo. Quem sabe o filho apenas não serviu de laranja para o pai? Depois os advogados de Lula dizem que é perseguição. Não dá para apagar o tempo.

 

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

 

*

OPERAÇÃO ZELOTES

 

O juiz Vallisney de Souza Oliveira, da 10.ª Vara Federal em Brasília, dispensou Lula de prestar novo depoimento à Operação Zelotes, sob a alegação de o ex-presidente já ter prestado declarações no dia 6 de janeiro e de que não tinha mais nada a acrescentar. Alegação aceita! Mas muitas novas e diferentes perguntas poderiam lhe ser feitas, e entendo que “não ter mais nada a acrescentar” signifique decidir continuar com a ladainha do “desconheço”, “jamais”, “é um absurdo”, “nunca ousaram me propor tal combinação, que é coisa de bandido”..., mesmo antes que tais novas inquirições lhe sejam feitas. Houve um tempo em que uma simples declaração de Lula valia como verdade. Quero crer que hoje, com a Operação Lava Jato, suas respostas sejam confrontadas com provas e que a luz da verdade se faça! Gostaria muito que Lula soubesse que esta pose de vestal intocada não lhe cai bem nem combina com seu passado de pelego sindicalista que acabou por lhe criar tantas amizades com altos empresários, preciosos durante suas duas gestões, mas que hoje estão, na maioria, estão presos. Lembrando que o crime de corrupção é via de mão dupla...

 

Mara Montezuma Assaf montezuma.scriba@gmail.com

São Paulo

 

*

O DEPOIMENTO DE LULA

 

É, realmente, negócio de bandidos, que vinham dando certa há 13 anos. Leis, jatos. Eita família empreendedora!

 

Roberto de Mamede Cosla Leite r-mamede@uol.com.br

Ubatuba

 

*

AS CONVOCAÇÕES DO EX-PRESIDENTE

 

Chega de ver Lula como testemunha. Queremos vê-lo no banco dos réus.

 

Robert Haller robelisa1@terra.com.br

São Paulo

 

*

O TRIPLEX NO GUARUJÁ

 

A denúncia que o promotor do Ministério Público Cassio Conserino anunciou que vai fazer contra o ex-presidente Luiz Inácio lula da Silva e sua mulher, Marisa Leticia, de ocultação de patrimônio, é a melhor oportunidade que eles poderiam ganhar para provarem que nada fizeram de errado no estranho caso da reforma do apartamento tríplex no Guarujá (SP) pela construtora OAS. Já a reação exacerbada de Lula e de seus fiéis e implacáveis defensores, de entrar com uma reclamação disciplinar contra o promotor, revela claramente que existe um grande medo de que o caso seja completamente esclarecido. Esse comportamento sugere uma autêntica prova de culpa, pois quem não deve nada teme.

 

Abel Pires Rodrigues abel@knn.com.br                                   

Rio de Janeiro

 

*

QUEM NÃO DEVE NÃO TEME

 

A denúncia do Ministério Público de São Paulo de que o ex-presidente Lula e sua mulher, Marisa Letícia, ocultaram uma propriedade no Guarujá (SP) não pode ser motivo para que o ex acione o promotor Cassio Conserino. O ex-presidente não é intocável e precisa parar de se colocar acima do bem e do mal. Basta que se defenda normalmente, por meio de seus advogados. Quem não deve não teme, diz o velho anexim. Lula se comporta como legítimo representante da patuleia. Cabotinamente, se autoproclama o mais honesto dos mortais, destila ódio e raiva a quem discorde de suas ideias e questione seus procedimentos. O promotor tem o direito e a obrigação de fazer o seu trabalho em prol do interesse público e do bem da sociedade. Em resposta aos impropérios do Instituto Lula, o promotor respondeu que deseja vivamente que “os investigados consigam refutar toda a gama de prova testemunhal, circunstancial e documental que apontam para possível crime de lavagem de dinheiro, entre outros”.

 

Mário Negrão Borgonovi marionegrao.borgonovi@gmail.com

Rio de Janeiro

 

*

SUCESSO DE BILHETERIA

 

Poderiam fazer um novo filme sobre Lula. Sugiro o titulo “O homem que não sabia de nada”. Teria cenas filmadas em Brasília, ABC Paulista, Guarujá, Atibaia, Portugal e alguns países africanos. Com certeza, seria um sucesso de público.

 

Paulo de Tarso Abrão ptabrao@uol.com.br

São Paulo

 

*

LEVANDO NO BICO

 

Lula, dizendo ser a alma viva mais honesta do País, faz lembrar João Honesto  ̶ a raposa do filme “Pinóquio”, um clássico Disney. Ardiloso, falastrão, analfabeto, mas muito vaidoso, levava no bico suas pequenas presas para ganhar migalhas dos gordos e verdadeiros malfeitores que ficavam com a maior parte. Dilma, o gatinho amigo sempre disponível, mas obtuso, não sabia o que falar. É incrível a semelhança. Quem sabe no final, aprendendo a resistir às tentações como Pinóquio, o eleitor brasileiro se torne um cidadão de verdade, e não uma marionete.

 

Gilberto Dib gilberto@dib.com.br

São Paulo

 

*

HONESTIDADE

 

Fino conhecedor do vernáculo, Lula pode afirmar com tranquilidade “não tem uma viva alma mais honesta que eu nesse país”. Neste país – no Brasil – talvez haja, mas no país imaginário ainda não visitado por Gulliver, seguramente, não há.

 

Alexandru Solomon alex101243@gmail.com

São Paulo

 

*

NA BACIA DAS ALMAS

 

O que Lula quis efetivamente dizer? Que não tem uma viva alma mais honesta ou uma alma honesta mais viva?

 

Ely Weinstein elyw@terra.com.br

São Paulo

 

*

A SUPREMA HONESTIDADE DE LULA

 

Lula tirou o título do Maluf ?

 

Jose Wilson Gambier Costa jwilsonlencois@hotmail.com 

Lençóis Paulista

 

*

ALMA LIMPA

 

Rosemary Noronha, José Carlos Bunlai, Zé Dirceu, Genoino, Vaccari, Delúbio Soares, Leo Pinheiro já bastam ao “diga-me com quem andas e direi quem és”.

 

Mario Cobucci Junior maritocobucci@gmail.com

São Paulo

 

*

SANTOS

 

Pelas declarações que deram sobre si mesmos, concluo que a Santa Sé deve estar indicando os nomes de dois novos santos: Lula e Putin.

 

Sérgio Aranha da Silva Filho aranhafilho@aasp.org.br 

Garça

 

*

LULA

 

O que ele tem de honesto tem de mentiroso.

 

Francisco Manzieri Neto manzierineto@uol.com.br

São Pedro

 

*

UMA COISA OU OUTRA

 

Não é nada dignificante a posição do ex-presidente Lula ante as falcatruas que incriminaram importantes correligionários seus nos gravíssimos eventos do mensalão e do petróleo. Ele precisa fazer uma escolha crucial. Ou sabia – ainda que não tenha participado diretamente – que gente sua e do seu partido agia fora da lei, não tendo, por isso, o direito de se proclamar o homem não menos honesto do que qualquer outro brasileiro; ou não sabia mesmo de absolutamente nada, e aí não tem direito a qualificativo melhor do que o de tolo, parvo, incompetente. A escolha é dele.

 

Euclides Rossignoli euclidesrossignoli@gmail.com 

Avaré

 

*

‘GILBERTINHO’ ESTÁ DE VOLTA

 

O ex-ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República do Brasil Gilberto Carvalho confirmou em depoimento à Polícia Federal que manteve três encontros com o lobista envolvido na suspeita de venda de medidas provisórias durante o governo Lula, mas negou que tenha tratado desse assunto. Com certeza, o lobista foi recebido no Planalto para conversas fugazes. Este “Gilbertinho” é mais liso do que bagre ensaboado.

 

José A. Muller josealcidesmuller@hotmail.com

Avaré

 

*

NA MIRA DA ZELOTES

 

Pegaram mais um, há muito comprometido com as “coisas” do PT: Gilberto Carvalho, ex-seminarista, ex-estafeta, ex-“maleteiro”, homem de confiança de José Dirceu, amigo pessoal do Sombra e, dizem, braço esquerdo do “ex” presidente Lula. Entrou na alça de mira da Operação Zelotes. Vamos ver se ele segura essa.

 

J. Perin Garcia jperin@uol.com.br

São Paulo

 

*

A ORIGEM DAS MEDIDAS PROVISÓRIAS

 

O ainda solto e pimpão Gilberto Carvalho disse: “O executivo vê com bons olhos as medidas provisórias que vieram para o bem do País, se houve problemas no Legislativo, não cabe a mim comentar”. Foi mais ou menos o que disse. Para mim, este “vieram” é que é o problema, pois acho que o correto seria “partiram” ou “saíram” do Executivo. O tal de “vieram” soa, para mim, como medidas provisórias elaboradas pelas indústrias. Ou não?

 

Sérgio Barbosa sergiobarbosa@megasinal.com.br

Batatais

 

*

SÃO PAULO, 462 ANOS

 

No caderno Metrópole “SP 462 anos”, o jornal faz de São Paulo uma cidade espetacular, mas a realidade é outra e atual, ou seja: decadente, degradada e abandonada em todos os sentidos. E não o que as mídias querem induzir.     

 

Paolo Valério Caporuscio pavaca@usp.br

São Paulo

 

*

DESENCANTO PAULISTANO

 

Sete em cada 10 paulistanos sairiam de São Paulo, se pudessem. Mas 10 em cada 10 brasileiros de outras cidades viriam correndo para São Paulo, se pudessem.

 

Fausto Ferraz Filho faustofefi@ig.com.br

São Paulo

 

*

GESTÃO HADDAD

 

Acredito que, se pudesse, até o prefeito Fernando Haddad gostaria de morar fora de São Paulo. É muito incompetente.

 

Luíz Frid luiz.frid@globomail.com

São Paulo

 

*

ORDEM NOS ‘ROLEZINHOS’ 

 

O efetivo total da Guarda Civil Metropolitana (GCM), hoje, é pouco superior a 6 mil profissionais, muito aquém da real necessidade da nossa cidade. Se considerarmos os parâmetros do Estatuto das Guardas Municipais (Lei Federal 13.022/14, artigo 7), a GCM poderia contar com um efetivo superior a 23 mil profissionais. Portanto, está claro que a GCM precisa ser priorizada realmente pela administração municipal.

 

Fabiano Marques de Paula fabiano.depaula@yahoo.com.br

São Paulo

 

*

CORRUPÇÃO EM SÃO PAULO

 

São graves as denúncias de corrupção e desvio de dinheiro público contra o presidente da Assembleia Legislativa de São Paulo, Fernando Capez (PSDB). Diretores de cooperativa em Bebedouro (SP) apontaram Capez como um dos beneficiários de esquema de pagamento de propina em contratos superfaturados de merenda escolar. A Operação Alba Branca investiga tais crimes em Bebedouro e em outras 22 cidades paulistas. Diante da gravidade da acusação, o mínimo que se espera é o imediato afastamento de Capez do cargo, até que os fatos sejam esclarecidos. Mais grave ainda é o fato de envolver merenda escolar e também por Capez ser promotor de Justiça, ou seja, alguém que jamais poderia ser suspeito de tais práticas criminosas.

 

Renato Khair renatokhair@uol.com.br

São Paulo

 

*

OPERAÇÃO ALBA BRANCA

 

Até tu, Capez? Também tu fostes capaz?

 

Celia H. Guercio Rodrigues celitar@hotmail.com

Avaré

 

*

COM A MÃO NA MERENDA

 

O eminente e nobre deputado Fernando Capez, um dito paladino da Justiça, foi pego com a mão na merenda escolar? É lamentável e triste, a cada dia, vermos notícias em que nossas ditas autoridades, que deveriam cuidar da decência e da honestidade, estão envolvidas em rolos e maracutaias. Agora foi Fernando Capez, que adora falar em honestidade na TV, mas, na calada da noite, parece tentar levar vantagem de alguma maneira, como a grande maioria dos nossos políticos. Espero que a Justiça que ele representa seja dura com ele, afinal não dá mais para ficar todos os dias vendo autoridades levando vantagem à nossa custa, não é?

 

Antonio Jose G. Marques a.jose@uol.com.br

Rio de Janeiro

 

*

PROMOTORE$

 

Dois membros do Ministério Público de São Paulo estão sendo acusados de corrupção. Roberto Senise Lisboa, por lavagem de dinheiro e corrupção, e o presidente da Assembleia Legislativa de São Paulo, oriundo do Ministério Público, acusado de fazer parte da fraude em merendas, deputado Fernando Capez (PSDB/SP). Quando temos notícias de que membros que são responsáveis por defender a sociedade, como os promotores, metidos em situações assim é que esperamos no Ministério Público de São Paulo uma investigação séria e sem corporativismo, que é reinante entre seus membros.

 

Marcos Barbosa micabarbosa@gmail.com

Casa Branca

 

*

PENTE-FINO

 

O procurador-geral da Justiça de São Paulo, Marcio Elias Rosa, ofereceu denúncia à Justiça contra o promotor Roberto Senise Lisboa, que teria recebido R$ 428 mil para favorecer as Casas Bahia durante investigações sobre supostos crimes contra o consumidor (lavagem de dinheiro e corrupção). A quebra de sigilo bancário é uma arma mortal contra aqueles que são primários e não aprenderam a lançar mão de “laranjas”, como fazem os experientes envolvidos na Operação Lava Jato. Sem dúvida, este não deve ser o primeiro caso, mas o procurador de São Paulo deve denunciar e cuidar para que o Ministério Público não seja um órgão corrupto, como tantos outros. Já basta o que faz o procurador-geral da República, que apenas denuncia aqueles que fazem sombra a sua chefe. Se queremos ter orgulho do nosso país, temos de exigir que o pente fino seja passado em todos os cidadãos que têm a obrigação de zelar pelo bem-estar e proteção dos direitos de sua população. Custa acreditar que, depois de estudar tanto e passar num concurso dificílimo, um promotor se preste a essa função. Na política, a cada dia que passa o que se quer é convencer o povo de que roubar é normal. Não é não, e nunca será. Precisamos urgentemente restaurar a decência, a honra e a moral perdidas nestes últimos anos.

 

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com

São Paulo

 

*

SECRETARIA DE EDUCAÇÃO

 

Oportuna a indicação do governador Geraldo Alckmin na escolha do desembargador José Renato Nalini para a desafiante e espinhosa missão de secretário de Educação. Louvável a aceitação da indicação pelo desembargador, após completar 70 anos, quando poderia usufruir de aposentadoria tranquila. A nós, brasileiros, oferece lição de desprendimento e civilidade. Nalini tem formação de berço, conta com invejável bagagem intelectual e extensa bibliografia na seara do Direito. É competente, abnegado e trabalhador incansável. Como advogado, tornei-me seu admirador, por meio de algumas de suas obras, em particular, ao reler a obra “Ética Geral e Profissional”, edição de 2014, de 786 páginas. Deveria ser eleita “Livro de Cabeceira” para advogados (para lembrete e inspiração sobre Ética), principalmente para aquele grupo de mais de cem que fez publicar recentemente a famigerada carta de repúdio à Operação Lava Jato.

 

Sergio Brasil Gadelha sbgadvocacia@gmail.com

São Paulo

 

*

A BANCA DA IMPUNIDADE

 

Embora um pouco tarde, penso que ainda é tempo para algumas considerações adicionais sobre o “manifesto” publicado por cerca de 100 ricos advogados de “porta de mansão” (como se referiu um leitor do “O Estado de S. Paulo”) que se destacam como defensores de “notórios ladravazes” (conforme referido em editorial passado do mesmo “Estado”). Se forem procuradas nos registros de ações defendidas pelos signatários “do manifesto”, com certeza poucas resultaram em absolvição de inocentes. Sim, porque inocentes, na sua esmagadora maioria, não são ricos e não podem proporcionar a esses indignados advogados as “montanhas” de dinheiro sujo que eles auferem defendendo políticos e empresários corruptos, assaltantes dos cofres “do povo” brasileiro que vive a penúria que todos nós sabemos. E eles abraçam “a causa” não com o objetivo de provar a inocência de seus clientes canalhas, mas conhecedores que são, como ninguém, das falhas existentes nos códigos civis e penais, usam e abusam dos recursos protelatórios, habeas corpus, liminares, embargos infringentes e outros “que tais” para evitar, a todo custo que seus clientes sejam punidos, gerando no restante da população essa sensação horrível de impunidade que temos vivido. Vivíamos, porque agora o Ministério Público Federal, a Polícia Federal e, principalmente, o “senhor” juiz Sérgio Moro estão desmontando. Daí o inconformismo dos que eu designo como formadores da banca da impunidade.

 

José Claudio Marmo Rizzo jcmrizzo@uol.com.br

São Paulo

 

*

DESCONTENTAMENTO

 

Talvez o descontentamento dos renomados criminalistas que atuam na defesa dos réus da Operação Lava Jato, que apura os desvios de dinheiro público na Petrobrás, em recente manifesto publicado nos jornais de maior circulação do País, se deva ao fato de os mesmos cobrarem altíssimos honorários pelos serviços prestados e a Justiça, representada por Sérgio Moro e Rodrigo Janot, estar fazendo o que realmente tem de ser feito. Em síntese, os renomados advogados, até então tidos como papas do Direito, hoje estão no mesmo patamar que os renomados “porta de cadeia”.

 

Arnaldo Luiz de Oliveira Filho arluolf@hotmail.com

Itapeva

 

*

O CRIME COMPENSOU?

 

Delator da Lava Jato afirmou que José Dirceu gastava até R$ 1 milhão por mês. Pois é, trabalhador, você que está desempregado, passando necessidades, fazendo um biscate ou outro para se sustentar e sustentar a sua família, comece a abrir seus olhos na hora de votar. Olhe em que tipo você está votando. José Dirceu este ano vai ter direito ao regime de progressão da pena e, daqui a pouco, estará solto. É, como diz o promotor Carlos Fernando, da força-tarefa da Lava Jato em Curitiba, que criticou a Medida Provisória da Leniência e da repatriação de recursos no exterior, feitas sob medida para proteger corruptos, neste país o crime compensa. Para esse país mudar, tem de começar pela mudança das leis. Enquanto as leis estiverem sendo feitas por bandidos, não vai mudar nada. O resto é blá, blá, blá.

 

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

 

*

PARA ONDE VAI NOSSO BRASIL?

 

Notícia ruim é que não falta! Um dos reflexos da penúria da economia brasileira são os desembolsos do BNDES, de R$ 135,9 bilhões em 2015, que representaram uma queda de 28% com relação a 2014, quando foram de R$ 187,8 bilhões. Mais preocupante ainda é que, entre novos projetos com financiamentos aprovados e número de consultas feitas a este banco de fomento durante o ano passado, a queda foi drástica, de 47%. O problema não é o custo de financiamento. Enquanto o esbulhado trabalhador brasileiro tem como juros mais barato o crédito consignado, e a um custo de 24% ao ano, os empresários conseguem crédito mais do que subsidiado no BNDES, a 7% ao ano. Isso apesar de o citado banco, para emprestar a seus clientes, pagar no mercado uma taxa de 14,25%. Ou seja, recursos de pai para filho. Ocorre que esta nebulosa conjuntura econômica tem seus desdobramentos cada vez mais surpreendentes. O relatório “Focus”, do Banco Central, desta semana destaca que o PIB de 2016, por enquanto, está previsto sofrer queda de 3%. E a expectativa de inflação para este ano subiu para 7,92% – e para 2017, que o governo jurava de pés juntos que ficaria em torno dos 4,5%, os analistas que mais acertam as projeções acham deve ficar em 7,19%. Ou seja, distribuição de renda, nem pensar.

 

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

 

*

ESTARRECIDOS

 

Dona Dilma Rousseff se disse “estarrecida” com as observações do Fundo Monetário Internacional (FMI) sobre a crise que o Brasil atravessa. Estarrecidos, dona Dilma, estamos nós, trabalhadores e contribuintes brasileiros, com os índices de inflação chegando a 11%, o PIB negativo perto dos 4%, o desemprego beirando 10%, aumentos excessivos do preço da energia elétrica, atingindo 60%, o fechamento de várias empresas e, se não bastasse tudo isso, mais estarrecidos ainda com o descalabro da possível implantação da CPMF. Portanto, estarrecidos e mal pagos estamos nós, dona Dilma, que sem emprego e sem salário ainda temos de aguentar por mais três anos seu governo perdulário e ineficiente.

 

Antônio Carelli Filho palestrino1949@hotmail.com

Taubaté

 

*

GOVERNO DESASTRADO

 

Se Dilma se diz “estarrecida” com as declarações do FMI sobre o Brasil, imagine como estamos nós diante de seu desastrado governo, que nos levou ao fundo do poço, sem previsão de volta! Socorro!

 

Anna Carolina Meirelles annacmeirelles@gmail.com

São Paulo

 

*

PRÉ-SAL PARA ESTRANGEIROS

 

Dilma Rousseff, exercitando a sua já famosa inteligência, vislumbrou uma solução para a Petrobrás sair da terrível crise em que se encontra: flexibilizar a exploração do pré-sal para estrangeiros. Porém, com o preço atual do barril de petróleo e o alto custo de extração do pré-sal, só se esses estrangeiros para quem ela pretende empurrar esse mico forem aqueles antigos portugueses das anedotas, pois nenhum português de verdade, nem qualquer outro estrangeiro, será burro o bastante para cair nesta de gastar US$ 60 para produzir um barril que custa US$ 30 no mercado.

 

Ronaldo Gomes Ferraz ronferraz@globo.com

Rio de Janeiro 

 

*

ADMINISTRAÇÃO DILMASAURO

 

À Petrobrás, após a implosão provocada pela presidente e pelos petralhas, com o barril a R$ 30,00 e a ação a um preço ridículo, só resta uma coisa para não derreter de vez: “Se vira nos 30”.

 

Roberto Hungria cardosohungria@gmail.com

Itapetininga

 

*

POR ENQUANTO

 

Por enquanto, ainda dá para comprar “um” cafezinho com “uma” ação da Petrobrás. Por enquanto...

 

Júlio Roberto Ayres Brisola jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

 

*

AS RAÍZES DO PETROLÃO

 

A notícia vai preocupar muita gente: efetivamente, a Justiça aceitar denúncias de prática de corrupção na Petrobrás desde os idos de 1999 mostra que o famoso “petróleo” tem ramificações com o  governo anterior. Isso apenas confirma que estamos num novo Brasil, onde as investigações  são feitas e se processa quem age de forma criminosa.

 

Uriel Villas Boas urielvillasboas@yahoo.com.br

Santos

 

*

INTELIGÊNCIA DE CRÉDITO

 

Com referência à criação de uma gestora de inteligência de crédito, noticiada no caderno “Negócios” (23/1), gostaria de entender se é possível o banco em que você mantém seus dados cadastrais compartilhar com outros bancos esses dados sem nossa devida autorização, o que poderá implicar uma série de inconvenientes, uma vez que serão cinco bancos a lhe oferecer produtos de acordo com seu perfil, que você confiou a uma só instituição. Será legal isso?

 

Osmar Lopes Neves mazinholn@yahoo.com.br

São Paulo

 

*

‘O BRASIL RURAL’

 

No “Espaço Aberto” de domingo (24/1), o sociólogo Zander Navarro e o doutor em Economia Rural Eliseu Alves expuseram a realidade do homem do campo no artigo “O Brasil rural, do agrário ao agrícola”, com suas contradições. Da alta produtividade, que coloca comida na mesa dos brasileiros, ao mesmo tempo que salva a balança comercial do País, ao êxodo de famílias e gerações que buscam as cidades, por opção ou não.

 

Marco Garcia de Souza, presidente do Sindicato Rural de Três Lagoas marcogsouza73@gmail.com

Três Lagoas (MS)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.