Fórum dos Leitores

LULOPETISMO

O Estado de S.Paulo

01 Março 2016 | 02h55

Relações abaladas

O PT reclama de Dilma. Dilma queixa-se do PT. Já começou a faltar pão também para eles.

EDUARDO A. DELGADO FILHO

e.delgadofilho@gmail.com

Campinas

Dilma disse não governar só para o PT. Mas, pelo visto, ela não está governado para ninguém.

VIRGÍLIO MELHADO PASSONI

mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

Janela

Alguém precisa avisar à presidente que existe uma janela para transferências de partido, sem perda do mandato.

MOISES GOLDSTEIN

mgoldstein@bol.com.br

São Paulo

Sem juízo

São 36 anos, e sem juízo. O PT quer se afastar do governo Dilma. Tudo bem. Mas, e os cargos? Os petistas vão querer continuar mamando? E mais: na falta da Petrobrás e dos fundos de pensão, agora investem nas reservas internacionais do Brasil. Tem sua lógica: pixulecos e acarajés têm de sair de algum bolso.

JOSÉ ROBERTO SANT’ANA

jrsantana10@gmail.com

Rio Claro

Divórcio de faz de conta

Dilma e o PT julgam o Brasil um país de tolos. Encenam divórcio, de preferência mantendo os milhares de boquinhas petistas no governo. Assim ela atrai a oposição e o PMDB para o ajuste e as reformas, afasta o impeachment, salva o PT da contrariedade de suas bases e transfere o ônus eleitoral de seu próprio governo, com o respectivo desastre econômico, a quem a comprar. Se morderem a isca, põe o PT no páreo em 2018, como oposição a ela e ao seu impopular governo, para herdar um país mais ajustado e reformado.

HAROLDO NADER

nader.haroldo@gmail.com

Valinhos

Jogo de cena

Espero que nem a mídia nem os brasileiros caiam nesse jogo de cena do afastamento Dilma-PT. Dilma finge que se afasta, mas terá o PT nas trincheiras para impedir o seu impeachment. O PT finge atacar o governo, mas precisa de Dilma para saquear os cofres públicos, distribuir propinas a aliados e poder pagar a campanha de 2018. Ninguém será tão crédulo. Os brasileiros precisam acordar para esse jogo.

REYNALDO NAVES

eynaves@terra.com.br

São Paulo

Puro teatro

É evidente que Dilma é conivente com o teatrinho do PT. Vai para o sacrifício para salvar Lula e o partido. Ela sempre foi o poste, o pau-mandado. Sua carta de amor ao PT, enviada e lida no aniversário do partido, juntamente com as loas tecidas a ela por Lula são a prova disso. Não acreditem nem por um minuto que o PT esteja rompendo com Dilma. Ela pode renunciar e até sofrer impeachment com a ajuda do PT, mas o fará calada e de bom grado, como bom soldado de Lula que é. Não esqueçamos que com o PT nada é o que parece ser. A propósito, Lula que deixe de drama, está ficando feio! “Vocês não vão me destruir”, vociferou para sua claque na festa do PT. Menos, Lula, bem menos, por favor! O que queremos, e o que a Justiça quer, são só algumas explicações dele sobre o apartamento no Guarujá, o sítio em Atibaia e mais uma ou outra coisinha, como suas palestras, os favores que as empreiteiras lhe fizeram, etc. Se isso vai “destruí-lo”, bem, foi ele que disse.

M. CRISTINA ROCHA AZEVEDO

crisrochazevedo@hotmail.com

Florianópolis

‘De que foge Lula?’

Fantástico o editorial do Estadão de ontem (A3). Lula sempre desejou esconder os seus “malfeitos”, mas, ao que parece, não está mais conseguindo. Com tantas evidências, fica estrebuchando para conseguir se livrar de tudo o que todos estão vendo, mas, creio, desta vez não vai adiantar. Dizer que ganhou sítio, tríplex, cozinhas, decorações, antena da OI, etc., realmente não dá para acreditar. São presentes demais dos “amigos” que diz ter, muito caros. Foram dados com que finalidade? Todos, incluídos alguns petralhas, com um mínimo de inteligência, sabem a troco de que elle recebeu tudo isso.

CARLOS E. BARROS RODRIGUES

ceb.rodrigues@hotmail.com

São Paulo

A historinha do sítio

Depois de alguns dias em gestação, eis que o farsante e seus advogados pariram uma explicação mambembe para o sítio. Um novo laranja e o bordão de sempre: o pobrezinho não sabia de nada da surpresa preparada por seus amigos. Mais uma vez nos trata como idiotas. Que pelo menos o STF tenha vergonha e jogue essa historinha no lixo.

CARLOS NEY MILLEN COUTINHO

cncoutinho@uol.com.br

Rio de Janeiro

Pressão para sair

Como se viu, José Eduardo Cardozo deixou o Ministério da Justiça do governo Dilma por livre e espontânea vontade... de Lula!

J. S. DECOL

decoljs@gmail.com

São Paulo

PSDB

Tucanos briguentos

Queira ou não, a saída do ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, é mais uma prova de que o ex-presidente Lula da Silva continua dando as cartas. E a oposição, ou melhor, o PSDB, que há muito tempo deveria estar nas ruas liderando movimentos para sanar a crise política e, consequentemente, melhorar a economia, agora deu para brigas internas nas prévias para escolher o seu candidato à Prefeitura de São Paulo. Assim não dá para acreditar que o PSDB seja, de fato, um partido de oposição.

JOSÉ MILLEI

millei.jose@gmail.com

São Paulo

Com tanta briga interna, o PSDB não precisa de inimigos.

M. DO CARMO Z. LEME CARDOSO

mdokrmo@hotmail.com

Bauru

Realmente, com essa oposição que temos, brigando entre si, quem precisa de adversários? Por favor, desinflem esses egos e lutem por um Brasil melhor!

CESAR ARAUJO

cesar0304araujo@gmail.com

São Paulo

Entregando o ouro

Sei, não, mas essa briga idiota de candidatos tucanos à Prefeitura paulistana tem tudo para terminar na entrega, de mão beijada, do rico erário da capital paulista para ser “desfrute” dos petralhas, que já esvaziaram os cofres do governo federal.

LAÉRCIO ZANNINI

spettro@uol.com.br

São Paulo

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

 

MUDANÇA NO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA

 

A saída do ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, do governo é um claro sinal de que quem manda no Brasil é Lula, e não Dilma Rousseff. De que adianta a presidente ter a caneta, se quem a manobra é Lula? A intenção de Lula, isso também está claro, é frear a Polícia Federal. Até aqui se dizia que a Polícia Federal é independente e o Ministério Público, idem, portanto, eles têm o dever de investigar quem quer que seja e, pelo que consta, Lula não está acima da lei, muito embora queira. Cardozo tem sido fiel a Dilma, vai comandar a Advocacia-Geral da União (AGU), será o advogado de defesa dela. Deixa o caminho livre para Lula agir na Polícia Federal. Os próximos dias vão sinalizar se a PF é independente e se Lula é um cidadão comum.  A conferir!

 

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com

São Paulo

 

*

ONTEM E HOJE

 

Novembro de 2014: Dilma diz que não há pressão para inibir investigações. Fevereiro de 2016: Cardozo não aguenta mais pressão do PT e pede para sair. Quem assume em seu lugar?

 

Jorge Alberto Nurkin jorge.nurkin@gmail.com 

São Paulo

 

*

ADEUS A CARDOZO

 

Mais uma vez há mudanças nos ministérios de Dilma Rousseff, desde o início de seu segundo mandato, em janeiro de 2015. O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, será substituído por Wellington César. Cardozo está sob enorme pressão do Partido dos Trabalhadores (PT), que não quer que nenhum de seus companheiros seja investigado pela Polícia Federal. Wellington terá de vestir a camisa vermelha do partido, para evitar confusão com o governo. Nada disso resolverá os problemas do Brasil. Decepar ministérios seria uma atitude muito mais séria e eficaz, para uma presidente competente. Extinguir as vantagens dos parlamentares também abrandaria as monstruosas despesas da máquina.

 

José Carlos Saraiva da Costa jcsdc@uol.com.br

Belo Horizonte

 

*

UM ESTRANHO NO NINHO

 

A “petralhada” apronta com os crimes de lesa-pátria, é questionada pela Operação Lava Jato e queria que o ministro José Eduardo Cardozo fosse o abonador de seus malfeitos. Essa convivência com os políticos envolvidos, alguns poderosos, estava insuportável, obrigando-o a pedir demissão.

 

Luiz Bianchi luizbianchi@uol.com.br

São Paulo

 

*

CÓDIGO PENAL

 

Justiçaram o ministro da Justiça...

 

A.Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

 

*

CABEÇA ERGUIDA

 

José Eduardo Martins Cardozo deixa o Ministério da Justiça asseverando pressionamento às suas atividades ministeriais. Cabe ressaltar que a missão do ministro da Justiça não é controlar ou interferir no trabalho da Polícia Federal, cabendo à entidade os procedimentos que entender necessários. Se Lula está sendo investigado, é porque pode ter algo a contar ou esclarecer ao povo deste país. E a PF investiga e traz ao conhecimento público as ações do ex-presidente. Nada mais normal que a quebra de sigilo bancário e fiscal de Lula diante dos fatos que denotam gravidade, e é incabível a interferência do ministro da Justiça. Mas ele sai com a cabeça erguida, por ter cumprido o seu dever.

 

José C. de Carvalho Carneiro carneirojc@ig.com.br

Rio Claro

 

*

UM INOCENTE ÚTIL?

 

Pode até mesmo ser considerado longevo o ministro da Justiça, mas sua gestão estava ficando marcada exclusivamente por sua utilidade como “militante petista”. Durante mais de cinco anos – um mandato e pouco mais – não houve dia que o então combativo ministro renunciou sua história e vocação, sempre com a ênfase e aparente indignação dos incautos, e era obrigado a sair em defesa do governo ou de algum quadro do seu partido (PT) para tentar jogar alguma nuvem de poeira (ou dúvida) desqualificando, negando ou desmentindo alguma acusação ou evidência de desvio de conduta – para dizer o menos. Em outros momentos, usou do seu cargo para distribuir “maledicências petistas”, como ocorreu recentemente com a figura do ex-presidente tucano. Num passar de olhos pela denúncia da ex-amante de FHC, logo apurou e decidiu que existia na entrevista dela a um jornal suficientes indícios de crime, e mandou a Polícia Federal instaurar inquérito policial. Mesmo sabendo não existir referência a dinheiro público, tampouco de exploração de prestígio ou qualquer outra participação de órgãos governamentais em supostas remessas de valores para o exterior. Em outra passagem deste mesmo jaez, desta vez envolvendo o ex-presidente petista e sua amante, que comandava um escritório do governo federal e dali liderava um núcleo criminoso, o diligente ministro da Justiça não se deu conta de que havia crimes e manipulação de órgãos estatais em benefício particular. Um verdadeiro escárnio diante da opinião pública e dos valores que norteiam as relações governamentais. Lamentavelmente, o episódio não mereceu nenhum comentário recriminando os envolvidos, nem mesmo seu encaminhamento para providências. Suponho que a Polícia Federal agiu sponte sua ou atendeu a requisição do Ministério Público para instaurar inquérito policial a respeito. Mais recentemente, como se o Ministério da Justiça lhe permitisse atuar como militante de partido político ou cabo eleitoral de um político de expressão nacional, saiu em defesa do ex-presidente petista para adiantar-se a qualquer outra opinião – até mesmo afrontando a verdade desnudada por cuidadosa investigação do Ministério Público – para desqualificar as acusações contra a pessoa pela qual nutria venerável admiração. Nem mesmo esses deslizes – para dizer o mínimo – à frente do mais antigo e vetusto ministério da República foram suficientes para obter a admiração e, por que não dizer, gratidão do seu partido político por seu desvelo e dedicação à causa. Indignado, fico a pensar quantos casos ou situações o dedicado ministro deve ter ocultado ou escamoteado para livrar seus companheiros de outras dificuldades com a lei e a Justiça. O pior, por mais que conhecesse o lado oculto dos últimos mandatos petistas, não é possível acreditar que o ministro da Justiça, ainda bastante jovem, vaidoso, acreditando mesmo nos seus feitos e que ainda certamente acalenta outros projetos políticos e realizações pessoais, estaria simplesmente abandonando o barco, como se fosse um “marinheiro”, na iminência de vê-lo naufragar. Talvez, como recompensa pelos bons serviços prestados no Ministério Público, acho apropriado que receba mesmo como prêmio de consolação a Advocacia-Geral da União (AGU), onde poderá, com todo o seu profissionalismo e sua fidelidade ideológica, promover a defesa do “aparelhamento petista” que infesta, engessa e manipula os órgão governamentais. Assim, continuará sendo o “inocente útil” incompreendido – até quando pensa estar agindo em favor do “petismo” injustamente, é criticado pela direção do partido.

 

Noel Gonçalves Cerqueira noelcerqueira@gmail.com

Jacarezinho (PR)

 

*

ÁS NA MANGA

 

O governo está perdido, e não estranhem se, para substituir José Eduardo Cardozo, o lulopetismo indique, como plano B, José Dirceu.

 

Marcos Catap marcoscatap@uol.com.br

São Paulo

 

*

SEIS POR MEIA DÚZIA

 

José Eduardo Cardozo deixa o ministério onde se notabilizou por ser um arquiteto do aparelhamento das instituições, o que, aliás, jamais ocultou. José Eduardo foi pressionado pelo Partido dos Trabalhadores, acusado de não dar a devida blindagem ao ex-presidente Lula, sindicância nas sindicâncias envolvendo a posse de um sítio em Atibaia e um apartamento tríplex no Guarujá. Sai Eduardo Cardozo e, sem coincidência, vai ocupar um alto cargo na Advocacia-Geral da União (AGU), assumindo o Ministério da Justiça o ex-procurador de Justiça da Bahia no governo de Jaques Wagner, Wellington César Lima e Silva. O medo pânico que se instalou nos corredores do Palácio do Planalto não será amenizado com a troca por outro áulico, porque o País está sendo varrido por ventos de esperança no fim da rapina, que está com seus dias contados. Não existe mito Lula, mas, sim, um assistencialismo gigantesco e um exército de militantes remunerados e de índole xiita.

 

Jair Gomes Coelho jairgcoelho@gmail.com

Vassouras (RJ)

 

*

AÇÃO ENTRE AMIGOS

 

“Defesa de Lula dá versão sobre sítio” (“O Estado de S. Paulo”, 28/2, por Ricardo Brandt). Segundo a matéria, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva apresentou ao Supremo Tribunal Federal (STF) sua versão sobre o sítio Santa Bárbara, em Atibaia (SP), frequentado por ele e sua família. A defesa do petista diz que a propriedade foi prospectada pelo ex-sindicalista Jacó Bittar e que a reforma no imóvel foi oferecida pelo pecuarista José Carlos Bumlai, preso pela Operação Lava Jato. Segundo Lula, a propriedade foi comprada para que a sua família e a de Jacó Bittar (PT), seu amigo e ex-prefeito de Campinas, pudessem “conviver”. Havia, ainda, a preocupação de Jacó Bittar de oferecer à família de Lula um local onde pudesse acomodar objetos que ele havia recebido do povo brasileiro durante os dois mandatos de presidente da República. A defesa de Lula negou participação de empreiteiras e relação com a Petrobrás. O criminalista Arnaldo Malheiros Filho, que defende Bumlai, afirmou no fim de semana ao “Estado” que o pecuarista pediu a seus filhos que cedessem um engenheiro e um arquiteto que estavam trabalhando na Usina São Fernando para atender à família do ex-presidente e que Bumlai nunca havia falado sobre o assunto com Lula. Segundo Malheiros, o pecuarista gastou muito pouco com as obras. Só agora, pela imprensa, Bumlai soube que a Odebrecht assumiu a obra, sem qualquer participação dele. A defesa de Lula afirma, ainda, que Jacó Bittar, em virtude de doença, transferiu ao filho Fernando Bittar os recursos de suas aplicações pessoais para adquirir a propriedade. Como o valor não era suficiente para a compra integral do sítio, Fernando celebrou um contrato particular de compra e venda com o antigo proprietário e tentou, no interregno até a escritura definitiva, vender uma outra propriedade, no município de Manduri (SP). Segundo a defesa, como a venda não foi realizada, Fernando Bittar convidou seu sócio, Jonas Suassuna, a participar da compra, e Lula só soube que os dois haviam adquirido o sítio em 13 de janeiro de 2011, após ter deixado a Presidência. Quem não quer ter amigos assim?!

 

Cláudio Moschella arquiteto@claudiomoschella.net

São Paulo

 

*

ELE NÃO QUER FALAR

 

O ex-presidente Lula foi novamente intimado a depor, como investigado, no caso do tríplex no Guarujá. Recorreu ao Supremo Tribunal Federal (STF) para suspender as apurações. Com isso, fica claro que quer esconder com unhas e dentes tudo de que é suspeito. Essa sua atitude soa como uma confissão de culpa.

 

Luigi Vercesi luigiapvercesi@gmail.com

Botucatu

 

*

PÉ NO FREIO

 

Lula quer frear as investigações relacionadas ao tríplex no Guarujá e quer cancelar seu depoimento sobre o assunto. Investigado sobre uma ex-amante, FHC se pôs à disposição da Justiça para qualquer esclarecimento. Quem não deve não teme, não é mesmo? Será que só eu vejo isso? O resto do País é cego? Deu para ter uma breve análise do caráter do “Brahma”? Deu para entender a intenção desta corja petista no poder?

 

Marcia Rossi Soares marciarossi1@hotmail.com

São Paulo

 

*

DE SACO CHEIO

 

Quando Lula diz que está de saco cheio de todos e da investigação da Polícia Federal sobre seus imóveis e ganhos da família Silva, pergunto: e nós, que suportamos os escândalos dos Correios, do mensalão, do petrolão, do BNDES, da Friboi, da OAS, da Odebrecht, da Gamecorp, da Andrade Gutierrez, de Pasadena, de Rosemary Noronha, de Erenice Guerra, José Dirceu, Delúbio Soares, Celso Daniel, José Genoino, Rui Falcão, Franklin Martins, Lulinha, Luís Cláudio, Marisa Letícia, do sítio, do tríplex, de José Sérgio Gabrielli, Graça Foster (já se esqueceram?), de Renato Duque, João Santana, Duda Mendonça, João Paulo Cunha, Guido Mantega, Dilma Rousseff, entre outros? Até quando ele vai conseguir enganar o povo brasileiro? Mas acho que falta pouco! Toda a mentira, um dia, sempre será descoberta! Porque nós, povo brasileiro, estamos de saco cheio deste mentiroso que governou para chantagear e extorquir aquilo que nos pertence. Existe luz no fim do túnel. Dá-lhe Sérgio Moro!

 

Marcos Nersessian nerplan.m@uol.com.br

São Paulo

 

*

OS DESLOCAMENTOS DO EX-PRESIDENTE

 

Por meio do noticiário da imprensa, tenho observado a intensa movimentação do ex-presidente Lula, principalmente no eixo São Paulo-Rio de Janeiro-Brasília, para atender a sua agenda política e policial. Considerando que ele não tem disposição nem coragem para viajar em aviões de carreira, sou levado a concluir que ele utiliza aviões particulares ou voos fretados. Essa constatação me desperta a seguinte dúvida: quem são os donos dessas aeronaves e quem paga as despesas referentes a essas viagens, inclusive dos hotéis onde suponho que ele se hospeda? Gostaria de ver esclarecido esse mistério, bem como os outros que atualmente envolvem a vida de Lula.

 

Alvaro R. X. Castro  arxcastro@uol.com.br

São Paulo

 

*

O ANIVERSÁRIO DO PT

 

A celebração do aniversário de 36 anos do PT, no sábado, teve os tons funéreos de um disfarçado ritual de “beber o morto”. Como manda a tradição, o coronel “Lunfa” da Silva e seus sicários, mandante e executores do finado, lá estiveram para certificarem-se, entre uma cachacinha e outra, que o de cujus era ele mesmo e tecerem loas às suas virtudes. Um dramático bando de carpideiras, com o grotesco, histérico e desafinado Rui Falcão à frente, desfiou seu grotesco repertório. Enquanto isso, a verdadeira vítima, um bobão chamado “Brasil Grande”, sangra à exaustão num pronto-socorro tipo SUS numa cidade nordestina. E nós? Nós? Digamos, sem esperança, “nunca na história deste país”.

 

Alexandre de Macedo Marques ammarques@uol.com.br

São Paulo

 

*

VESTIDO DE LUTO

 

Lula, no aniversário de 36 anos do PT, vestido de luto, tem tudo a ver!

 

Vanderlei Zanetti zanetti@kern.net.br

São Paulo

 

*

AOS 36 ANOS

 

Afinal, o PT estava celebrando aniversário ou chorando o enterro?

 

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

 

*

APELAÇÃO

 

Discursando para a militância, o ex-presidente Lula vocifera contra tudo e todos os que querem que ele seja investigado, a voz mais rouca ainda e os olhos injetados de sangue, que parecem o olhar do cramulhão. Num instante, apela para a ignorância total, bem a gosto do ilusionista: “Vão querer quebrar até o sigilo de minha netinha de um mês”. Isso é muito pior do que colocar a mãe no meio da discussão. Nada mais a comentar.

 

Eduardo Augusto Delgado Filho  e.delgadofilho@gmail.com

Campinas

 

*

PONTO FINAL

 

A continuar nesse comportamento, Lula perderá, cada vez mais, a chance de se candidatar a presidente (se Deus quiser), e seus aliados dele se afastarão. Sua postura tem feito devassa por todos os lados, suas “conquistas” foram jogadas no lixo diante das suas últimas posturas. São tantas mentiras que se torna inacreditável ter chegado aonde chegou e em pouco tempo destruiu.

 

Laert Pinto Barbosa laert_barbosa@globo.com

São Paulo

 

*

POR UMA DEFESA RACIONAL

 

Na comemoração dos 36 anos de existência do PT, o presidente do partido, Rui Falcão, disse em discurso que o partido e Lula sofrem perseguição de uma conspiração de direita fazendo uma cortina de fumaça sobre o ex-presidente Lula para que ele dispute as eleições presidenciais de 2018 completamente desgastado. Afinal, a que conspiração de direita ele se refere? Seriam as oposições junto com a Polícia Federal e o Ministério da Justiça, etc. etc. Chega de blá, blá, blá, sr. Rui Falcão, estes argumentos baseados apenas em apelo emocional não convencem mais ninguém. Existem acusações seríssimas contra Lula e diversos figurões do PT, de acordo com as quais todos misturaram o público e o privado. Vocês deveriam, a esta altura de toda a encrenca, estar preocupados em montar uma boa defesa, porque a chapa está quente.

 

Henrique Schnaider hschnaider4@gmail.com

São Paulo

 

*

RASPANDO O TACHO

 

Demorou, mas aí está. O sr. Rui Falcão, presidente do PT, nos apresenta sua mais recente pérola. Seu “Programa Nacional de Emergência”, devidamente abençoado por Lula, defende o uso de 1/3 das reservas internacionais do País para “aquecer a economia”. Essa tentativa desesperada de raspar o fundo do tacho é nada mais que uma aposta numa improvável vitória de Lula em 2018, quando o provável é não haver, bem antes disso, nem governo Dilma, nem Lula e muito menos PT. Lembra até a família falida que resolve gastar parte de seus últimos tostões nos preparativos do iminente enterro do patriarca moribundo.

 

Lazar Krym lkrym@terra.com.br

São Paulo

 

*

ESPÍRITO DITATORIAL

 

Ficou claro para todos que Rui Falcão, presidente do PT, acredita ser muito jovem e quer virar Maduro o quanto antes.

 

José Antonio Garbino ja.garbino@gmail.com

Bauru

 

*

AUSÊNCIA E CONSEQUÊNCIAS

 

No rescaldo do aniversário do PT surge um cenário preocupante. A ausência da presidente na “festa” do seu partido é prenúncio de tempos mais difíceis, visto que os dois lados, partido e presidente, sentiram-se mutuamente aliviados com a ausência. Soma-se a isso o abandono do PMDB à base de sustentação do PT no Parlamento. A preocupação maior decorre da posição da direção do PT que declara, com todas as letras, que, a partir de agora, só aprovará teses populistas, de origem nos movimentos sociais e sindicais. Ora, é sabido que esses grupos pouco ou nada se importam com os fundamentos da economia e com os princípios fiscais, bastando ter suas reivindicações atendidas, não se preocupando com as fontes e origens dos recursos para sustentar suas utopias. Bom, riqueza (dinheiro) um dia acaba e, no caso brasileiro, já está quase exaurida, vistos a previsão de déficit fiscal e o quadro recessivo que se avisa de forma galopante. A riqueza se estingue mais rapidamente quando não produzida por todos e extorquida por uma pequena parcela da população dos pagadores de impostos, com a violência com que hoje é feita. Os tempos reservam nuvens negras para Dilma no Congresso e para o povo, quer nas filas dos caixas de supermercado ou mesmo nas ruas em protestos, onde os movimentos sociais e sindicais não primam por manifestações ordeiras. Nesse ritmo, teremos uma ruptura em breve, que seja breve e traga melhores tempos, mas não antes de cumprirmos uma travessia árdua.

 

Claudio Juchem cjuchem@gmail.com

São Paulo

 

*

O NAUFRÁGIO DO PT

 

A ausência de Dilma Rousseff na festa de aniversário do PT lembra o rato que abandona o navio à deriva.

 

Roberto Twiaschor rtwiaschor@uol.com.br

São Paulo

 

*

INGENUIDADE ESTRATÉGICA

 

Prezados Alberto Bombig, Rodrigo Cavalheiro, Ricardo Galhardo e Luciana Nunes Leal, a matéria da página A4 de 28/2/2016 “Dilma se afasta do PT e diz que não governa para um só partido” expôs uma ingenuidade estratégica. Sempre os políticos e os partidos brasileiros encenam uma peça para o público eleitor e outra, internamente; falam e prometem o que o público quer ouvir e, quando assumem, dão uma desculpinha qualquer. Este jogo Rolando Lero utopista é recorrente. Como há pouco estoque de capital intelectual no Brasil, a enganação encontra terreno fértil. Certas questões (como inflação e equilíbrio fiscal) podem ser escamoteadas e disfarçadas com muito bla, bla, blá. Dilma defender uma plataforma diferente do partido é muito útil ao PT. Em 2018, eles poderão falar “ela não fez o que o PT defende. Ela fez o que a oposição a forçou. Eles fizeram chantagem e ameaças com o impeachment. O que nós defendemos sempre defendemos. As consequências das políticas deles estão aí: desemprego e pobreza. Nosso grande líder se opôs à política de Dilma. Ela nos traiu. Nosso líder nos salvará”. Etc., etc., etc. Eles sabem mentir e mentem com muito talento. Dilma se distanciar do PT é jogo para dar argumento ao PT em 2018. A alternativa petista (aumentar gastos e estimular a economia) é suicida. Eles sabem disso. É pura utopia vazia e devaneio, mas é popular para o debate político em 2018. O PT e Dilma sabem que não têm alternativa hoje. Mas um defende uma coisa e outro defende outra. Se Dilma fracassar, eles dizem “ela não seguiu o PT. Agora nosso grande líder nos salvará”. Se ela conseguir êxito, ela apoiará o grande líder do PT. Ao adotar a estratégica “ela nos traiu”, em 2018, com sucesso ou fracasso eles, terão fortes argumentos ou apoios nos resultados. Qualquer alternativa, o resultado é o mesmo para o PT. Os petistas são jogadores matreiros, maliciosos, “Goebbelistas”. Eles sempre sabem torcer a informação em benefício próprio. Eles não articulam ideias, articulam blá, blá, blás para ter poder. Sugestão: estudem Teoria dos Jogos. Verão que a estratégia Dilma-petista tem como escolha mais eficiente distanciar-se agora e colher os “payoffs” em 2018 para qualquer cenário econômico.

 

Luiz Jurandir ljsimoes@usp.br

São Paulo

 

*

ALVO DE INVESTIGAÇÕES

 

Na festa de aniversário do PT, Lula disse que, se precisar, será candidato à Presidência em 2018. Isso se até lá ele já tiver saído da cadeia!

 

Robert Haller robelisa1@terra.com.br

São Paulo

 

*

ETERNAS NEGATIVAS

 

Muito me preocupa, com toda a reação e as falas do ex-presidente Lula, ele não reconhecer seus atos, seus objetos, patrimônios e suas ações. Será que Lula sabe que ele é o Lula? Ele quer se enganar para enganar quem? A Justiça? O povo? Todos já sabem quem é o ex-presidente, como age, como se comporta. E faz tempo, viu, Lula. Manicômio judiciário existe, será o caso?

 

Eva Voltis evoltis@gmail.com

Campinas

 

*

CALOTE

 

O caderno de “Economia” do “Estadão” de domingo (28/2) trouxe análises preocupantes de especialistas com relação ao nosso déficit público e sobre a raquítica atividade produtiva. A manchete “Após três décadas, risco de calote volta a assombrar economia brasileira” retrata bem como está a gestão de Dilma Rousseff, que destruiu os nossos fundamentos macroeconômicos. Estamos revivendo hoje o caos das contas públicas da década de 1980 do século passado. Talvez pior. Temos uma dívida pública de 66% do PIB, que pode chegar a 2017 em 90%. Os gastos obrigatórios do governo nesta era petista cresceram 421% e estão próximos de R$ 1 trilhão. A arrecadação no ano passado caiu R$ 73 bilhões. O déficit público em 2015 ficou em R$ 613 bilhões, ou 10,34% do PIB. Deste valor, 1,81% se deve ao déficit primário, de R$ 111,2 bilhões, e R$ 501 bilhões, ou 8,46% do PIB, somente como pagamento dos juros da dívida. Como exemplo: países da zona do euro, com toda a crise que ainda atravessam, têm déficit médio de 3%. E com a queda de 4% do nosso PIB (número oficial sai em março) no ano passado, e com certeza se repetirá essa queda também infelizmente em 2016, a família brasileira angustiada perde renda com a inflação batendo os 11%, e ainda sofre os efeitos dos 9 milhões de trabalhadores desempregados. Isso porque indústrias sem pedido demitem ou fecham suas portas, e neste embalo também 100 mil lojas foram fechadas em 2015. Outros milhares devem encerrar seus negócios em 2016, já que o governo, sem nenhuma credibilidade, não faz o ajuste fiscal necessário! E, politicamente morto, tampouco as reformas cruciais como a da Previdência o governo vai ter condições de aprovar, deixando a expectativa do mercado cada vez pior. E, não bastasse a perda do grau de investimento decretada por três agências de classificação de risco, o próprio PT, culpado que é por toda esta situação calamitosa da atividade humana, sem escrúpulos algum, vendo que a economia tupiniquim está indo para o brejo, quer abandonar o barco e a presidente Dilma Rousseff. E convenhamos, Dilma também não merece mais a confiança do brasileiro. Na realidade, “calote” mesmo foi o PT, de Lula, que deu na nossa sociedade, com a epidêmica corrupção e a grave recessão econômica.

 

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

 

*

A MANADA AINDA TRANQUILA

 

No artigo “Por que o Brasil não assusta?”, do dia 27/2, a brilhante economista Monica de Bolle essencialmente conclui que nos tornamos irrelevantes do ponto de vista do risco sistêmico global. Isso é verdade. Tornamo-nos irrelevantes, sim, mas ela não explica por que o fluxo de capital estrangeiro continua positivo. Por que os preços dos títulos brasileiros, do dólar, a Bolsa, etc. não refletem o risco iminente de hiperinflação e calote da dívida pública (e privada!)? Na minha humilde opinião, é o clássico comportamento de manada dos mercados financeiros. Nada mais. Quando o desastre ficar mais claro, a manada mudará de direção. O problema é que todos vão querer passar pela porteira ao mesmo tempo, e ela é estreita. O resultado é bem conhecido: desespero, pânico e caos. O fato de não oferecermos risco sistêmico global só servirá para atenuar um pouquinho a dor. Um pouquinho.

 

Oscar Thompson oscarthompson@hotmail.com

Santana de Parnaíba

 

*

O BRASIL IRRELEVANTE

 

O artigo de Monica de Bolle no “Estadão” de sábado (“Por que o Brasil não assusta?”, página A2) mostra como o Brasil se esforçou para se tornar irrelevante no cenário mundial, concluindo que a única coisa do País que assusta o mundo é o zika vírus. Pena que em Brasília os políticos não dão bola para aquilo que realmente importa, só olhando para o próprio umbigo. E, assim, o grande Titanic Brasil caminha direto para o iceberg!

 

Paulo de Tarso Abrão ptabrao@uol.com.br

São Paulo

 

*

SOMOS IGNORADOS

 

Somos irrelevantes! A que ponto chegamos! Nosso país, nem com o momento brutal vivenciado, não assusta mais ninguém, como bem explicitado pela talentosa economista Monica de Bolle. “Um país como o nosso, que representa 40% do PIB da América Latina, tem importância inferior ao minúsculo Chile (...)” (sic). Até a então combalida Argentina tornou-se mais respeitada na comunidade internacional com a mudança para um governo sério, que não mente e o que promete faz, como deve ser feito. A que devemos tanta desimportância diante da crise econômica, que está nos destruindo, enquanto indica algo normal para o mundo? É o esperado resultado dos governos de esquerda, no caso o dos petistas, ineptos, incompetentes e corruptos, que conseguiram, graças às políticas econômicas bolivarianas, não obstante a avassaladora crise interna, nos excluir dos debates globais que afligem as economias. Se no passado recente nossas crises econômicas foram motivo de preocupação dos demais países e organismos internacionais, hoje são ignoradas diante do habitual desnorteio das ações governamentais que nos conduzem há 14 anos. Enquanto isso, coerentemente com os fatos, se de algo o governo do PT tem o que merecidamente comemorar será o “prêmio” que o País recebeu da Transparência Internacional, com sede em Berlim, como o segundo mais corrupto do mundo.

 

Mario Cobucci Junior maritocobucci@gmail.com

São Paulo

 

*

‘POR QUE O BRASIL NÃO ASSUSTA?’

 

Excelente o artigo sob o título acima (“Estadão”, 27/2, A2). A economista diz com todas as letras: “O Brasil tornou-se irrelevante, ninguém que se preze o leva a sério”. Por fim, termina seu texto com a prova maior de nossa irrelevância e de nossa medíocre nulidade, “a irrelevância brasileira está tão arraigada que, para falarmos da assustadora epidemia que assola o País, substituímos o português correto pelo anglicismo vulgar – zica vírus. Ela não o disse, dizem-no os argentinos, “nuestro vecinos son unos macaquitos”. E têm muita razão.

 

Mário Rubens Costa costamar31@terra.com.br

Campinas

 

*

NÃO HÁ ALTERNATIVA

 

O Estado tem de diminuir suas despesas. Tanto as provocadas pelo aparelhamento da máquina pública quanto aquelas geradas pela incompetência e o desvio de recursos públicos. Mais ainda: tem de revogar os “direitos adquiridos” daqueles que fomentaram a aprovação de privilégios pessoais e corporativos em detrimento dos “direitos universais/constitucionais” de toda a população. Sem isso, não há como gerar um ambiente que permita o desenvolvimento de um país democrático e republicano nem a criação de um espírito nacional voltado para a meritocracia e o desenvolvimento do País. Difícil dentro da estrutura política e legal do Brasil? Sim, mas não há alternativa!

 

Jorge Alves jorgersalves@2me.com.br

Jaú

 

*

LULA/DILMA

 

Os gastos aumentam, as receitas diminuem e não há recurso para investimento. Daí a privatização de aeroportos, rodovias e sistema elétrico. Recursos são suficientes, mas é gigantesca e ineficiente a máquina pública, gasta mal e é endêmica a corrupção. Daí a carga tributária de 38% ser insuficiente, embora sejam mais de cinco meses tungados da classe operária sob a forma de impostos e taxas. A ineficiente e desacreditada administração federal (Lula/Dilma), aos poucos, eleva ainda mais a carga tributária e quer, a todo custo, nos impor novamente a CPMF. Lula/Dilma têm plano de poder e nada mais. Lula/Dilma já tiveram seus 15 minutos de fama, mas relutam em deixar o poder. Daí o negativo conceito financeiro internacional e, internamente, cada vez o Brasil afundando mais.

 

Humberto Schuwartz Soares hs-soares@uol.com.br

Vila Velha (ES)

 

*

O PAÍS ACÉFALO

 

A fala da presidente Dilma convidando os chineses para a Olimpíada é texto de garota-propaganda, e não de dignatário máximo do País. Nem um simples convite presidencial ela é competente para fazer? O Brasil está, definitivamente, acéfalo! Qualquer eventual substituto, por ruim que seja, desde que tenha cabeça, é preferível a sermos conduzidos por uma “mula sem cabeça”, criatura folclórica que nos assombra desde pequenos.

 

Sandra Maria Gonçalves sandgon@terra.com.br

São Paulo

 

*

TODOS QUEM?

 

Muito louvável a fala da presidente Dilma afirmando que governa para todos os brasileiros. Fiquei emocionado por ela desafiar a cúpula do impoluto PT e curioso ao mesmo tempo, pois o que estamos vendo é um país sem governo, então ela governa para quais brasileiros? A não ser que Dilma Rousseff esteja se referindo a um possível mundo paralelo, hipótese que defendem muitas cientistas.

 

Alberto Souza Daneu curtasuasaude@uol.com.br

Osasco

 

*

RENÚNCIA GLORIOSA

 

O que mais precisa acontecer para que Dilma Rousseff se convença de que seu governo está acabando com o Brasil? Não há um setor que não esteja falido. Seria uma ação de grandeza se ela humildemente realizasse sua dificuldade de governar e renunciasse, evitando, assim, ou um impedimento vergonhoso ou uma quebradeira geral.

 

Geraldo de Paula e Silva geraldodepaula@ibest.com.br

Teresópolis (RJ)

 

*

SAÍDA HONROSA

 

Dilma, o impeachment é inevitável, mas saia aplaudida pelo povo, entregue o Lula!

 

Oscar Seckler Muller Oscarmuller2211@gmail.com

São Paulo

 

*

SINAIS DA RECESSÃO

 

Na edição de domingo do caderno de “Economia” do “Estadão”, liam-se as seguintes manchetes: “Ensino particular perde 1 milhão de alunos”; “Nos planos de saúde, 13,7 mil beneficiários a menos por mês”; “Pressionado, brasileiro deixa de pagar contas básicas”; “Quase 100 mil lojas foram fechadas em 2015”; “Ritmo frenético do ‘Passo o Ponto’ indica momento ruim”; “Na Lapa, o fim da última livraria”; “Por ajuste nas contas, Estados cortam investimentos”; “Após três décadas, risco de calote volta a assombrar economia brasileira”. Diante do exposto, só resta mesmo acender velas e ajoelhar. Oremos.

 

J. S. Decol decoljs@gmail.com

São Paulo

 

*

‘ESCOLA INOVADORA’

 

Li a reportagem de 22/2 dos repórteres Isabela Palhares e Luiz Fernando Toledo (“‘Escola Inovadora’ não tem prova ou carteira”, página A14). É isto que os governos da América Latina, África e países subdesenvolvidos querem: “escola inovadora” sem carteiras, alunos com idades diferentes juntos, professores que não ensinam nada, etc. Vá fazer vestibular para o ITA, para a Unicamp para ver como estas escolas funcionam. Vá montar este esquema na Alemanha, na Inglaterra, nos EUA. É brincadeira! Por que não vão para um barzinho? Alguns Estados norte-americanos execram Paulo Freire pela leniência com os alunos, pois o nível dos estudantes caiu muito com a filosofia adotada. É mais uma desculpa dos governos latino-americanos para gastar menos com a educação. É só olhar para a Coreia do Sul e para outros países asiáticos.

 

Claudio Luis Marcondes marcondesclaudioluis@yahoo.com.br

São Paulo

 

*

O FEIRÃO DA INFIDELIDADE POLÍTICA

 

Um “feirão” está montado no Congresso Nacional. Deputados negociam o passe, barganham cargos e falam em ofertas de até R$ 2 milhões pela filiação de um parlamentar. Estima-se que 10% dos 513 deputados federais estarão de partido novo no dia 18, quando se fechar a “janela da infidelidade”. O pior é que esse indigesto mercado se estende pelas Assembleias Legislativas estaduais e nas Câmaras Municipais. Quando o negociado é cargo no Poder Executivo, está configurada a imoral (até ilegal) interferência de um poder no outro poder e, no momento em que entram recursos financeiros, aí, então, a corrupção é declarada. De onde vêm os recursos para pagar R$ 2 milhões pela mudança partidária de um deputado federal? Precisamos saber se o dinheiro vem de propinas, achaques ao cofre público ou de qualquer outra fonte criminosa. O crime – não importa sua modalidade – jamais poderá financiar as atividades políticas, pois isso destrói o País e a democracia. Temos de encontrar uma forma de vida própria aos partidos políticos e acabar com o vício daqueles que ganham as eleições e, em vez de simplesmente governar, lançam-se à ação de comprar o apoio dos que o povo escolheu para ser oposição. Há que desmontar o balcão de negócios...

 

Dirceu Cardoso Gonçalves aspomilpm@terra.com.br

São Paulo

 

*

AS PRÉVIAS DO PSDB

 

João Dória achou que seu dinheiro o levaria à Prefeitura de São Paulo, com o beneplácito do governador Geraldo Alckmin... Acusam-no de afrontar a legislação eleitoral comprando votos de militantes filiados, usando até de vans para transportá-los, fornecendo churrasco e bebida para seus seletos eleitores (melhor do que sanduíche de mortadela, né?) e até fiscais da eleição usavam coletes estampados com o número de Dória. Ele entrou nas prévias pela porta dos fundos, e Alckmin entrou pelo cano! Deram-se mal, muito mal. Isso é uma vergonha para o PSDB e para todos nós, paulistas!

 

Mara Montezuma Assaf montezuma.scriba@gmail.com

São Paulo

 

*

VALE-TUDO

 

Que oposição é esta em que três alas tucanas comandadas por cardeais de bicos mais compridos se engalfinharam em autêntico vale-tudo diante de câmeras e holofotes na prévia para escolha do candidato à Prefeitura de São Paulo? Depois desse espetáculo degradante, o que se pode esperar em matéria de compostura e civilidade? Como diz o ditado: “Que devorem uns aos outros e morram todos envenenados”.

 

Hèlio de Lima Carvalho hlc.consult@uol.com.br

São Paulo

 

*

BOLA FORA

 

O espetáculo PTniano de domingo, durante o processo de escolha do candidato do PSDB deste ano, para concorrer à Prefeitura de São Paulo, protagonizado por João Dória Júnior, foi uma ofensa aos militantes do partido. Júnior deve ter se confundido, achando que nós, do PSDB, somos movidos a churrasco de graça, melhorando um pouco o pão com salaminho que o PT oferta aos seus militantes. Bola fora, Júnior! Respeite seu partido e não o nivele por baixo. Assustador, também, o comportamento do governador que a tudo assistiu de maneira cândida, indicando que a régua com que Júnior mede o partido parece ser a mesma que ele usa. Cuidado, governador! Atitudes como esta podem levar 2018 a demorar seis anos para chegar ao sr.

 

Paulo Tude petude@hotmail.com

São Paulo

 

UNIÃO

 

Ter prévias para escolher um candidato seria até saudável. O que o PSDB precisa entender – desde outras campanhas comete o mesmo erro – é: finda a disputa das prévias, tem de sair unido para poder apresentar seu projeto de governo. Não são capazes e se dividem. Vejam que os petistas, mesmo sabendo das acusações de seus caciques e, agora, do seu cacique-mor, Lula, estão aí defendo todos dos seus malfeitos, o que é um absurdo, mas mostram UNIÃO. Como seus eleitores vão apoiá-los com essas divisões? Se vocês não se apoiam, por que o eleitor deveria?

 

Tania Tavares taniatma@hotmail.com

São Paulo

 

*

VIDA OU MORTE

 

Uma questão seríssima está passando quase despercebida pela grande mídia. O Brasil sofre com falta de vacinas. A procura de vacinas contra raiva, hepatite A e B, rotavirus, difteria e tétano e tetravalente, que imuniza crianças contra sarampo, rubéola, caxumba e varicela, está se transformando em pesadelo para pais, mulheres grávidas e adultos que precisam delas. O governo culpa a falta de vacinas “no exterior” – apesar de não se ter notícia disso em lugar algum – ou a lentidão no desembaraço do material pela Receita Federal, que também está sob seu comando. É evidente que doenças que quase já não existiam no Brasil voltarão a nos atingir. Deixar faltar vacinas tão básicas na rede pública é uma irresponsabilidade sem tamanho! Quem não pode pagar por elas fica sem imunização alguma. A situação se agrava muito quando se fala em tétano e raiva, por exemplo, que matam rapidamente. É preciso que os jornais denunciem mais esta crise, e que alguém com um mínimo de humanidade e responsabilidade tome a frente deste desgoverno. Agora, é uma questão de vida ou morte.

 

Maria Cristina Rocha Azevedo crisrochazevedo@hotmail.com

Florianópolis

 

*

OSCAR 2016

 

Glória Pires é uma grande atriz e não merece o linchamento virtual que estão fazendo na internet e nas redes sociais por causa de sua atuação como comentarista da TV Globo na cerimônia do Oscar. Foi sincera e honesta, algo raro de ver hoje em dia. Ninguém assiste a todos os filmes do Oscar. Claro que ela não precisava pagar esse mico em cadeia nacional, mas merece nosso respeito e apoio. Hoje, em questão de segundos, toda uma reputação conquistada com anos de trabalho é jogada no lixo. Lamentável.

 

Renato Khair renatokhair@uol.com.br

São Paulo

 

*

UFC E OSCAR

 

O brasileiro Anderson Silva, após um ano suspenso por doping, retornou ao octógono no sábado, onde enfrentou o inglês Michael Bisping. E, após 5 rounds, os jurados, por decisão unânime, deram vitória ao inglês. Anderson ficou revoltado com o resultado e comparou a decisão à corrupção no Brasil. Eu assisti à luta e achei o resultado justo, o inglês foi melhor em 4 rounds, sendo agressivo o tempo todo, enquanto Anderson fugia do combate e fazia as costumeiras graças. Enfim, a época de glórias de Anderson Silva faz parte do passado! E, no glamour da premiação do Oscar, após diversas indicações de melhor ator, Leonardo DiCaprio com méritos levou a cobiçada estatueta com o filme “O Regresso”. E “Spotlight, Segredos Revelados”, que conta sobre um dos muitos pecados ocorridos na Igreja Católica, a pedofilia, levou o prêmio de melhor filme. Conclusão: nos dois eventos, UFC e Oscar, sem pasmos, os melhores venceram!

 

Alex Tanner alextanner.sss@hotmail.com

Sumaré

 

*

O BRASIL QUE SE CALA

 

Nosso correligionário Anderson Silva foi roubado de sua vitória sobre o lutador inglês, que terminou a luta com a cara amassada. Recordo que nosso maior decatleta de todos os tempos, Celso Pinheiro Dória, foi alijado da vitória porque “invadiu a raia (passando por fora e aumentando seu percurso) no Decatlo Sul Americano de Atletismo”. O Brasil se calou. Agora dona Dilma, Lula e filhos estão ilesos de culpas. O Brasil se cala.

 

Fernando Averbach reginalili@yahoo.com

São Paulo

 

*

SEDE DO MUSEU DA CORRUPÇÃO

 

No domingo, 28/2/2016, no “Fórum dos Leitores”, escrevi sobre a ideia da criação do Museu da Corrupção. O título era “O carro de boi também”. Descrevia a obrigação de devolver o “carro de boi” levado por Lula e Marisa para o sítio em Atibaia por ser “patrimônio público”. A repercussão da ideia foi enorme nas redes sociais. A pergunta mais frequente foi “onde seria o museu?”, e indagavam se seria em Atibaia, no Guarujá ou em São Bernardo. A resposta é lógica e clara: em Brasília, na Casa da Dinda!

 

José Rubens Macedo Soares joserubens@federmacedoadv.com.br

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.