Fórum dos leitores

LULOPETISMO

O Estado de S.Paulo

06 Março 2016 | 03h08

Aplaudaço

A Bolsa de Valores (Bovespa) chegou a avançar quase 6% na sexta-feira (4/3), caminhando para o maior ganho semanal desde 2008, com investidores reagindo à nova fase da Operação Lava Jato envolvendo o ex-presidente Lula da Silva, alvo de mandado de condução coercitiva pela Polícia Federal (PF). Ou seja, a PF em apenas um dia fez mais pela economia brasileira do que a presidente Dilma Rousseff em cinco anos!

LUIZ H. FREIRE CESAR PESTANA

luizhenriquefcpestana@gmail.com

São Paulo

Um sopro nas expectativas

Nem o anúncio oficial do IBGE confirmando a queda de 3,8% do PIB em 2015 impediu uma importante recuperação da Bolsa de Valores. O vazamento de parte da delação do senador Delcídio Amaral, que joga no colo da presidente Dilma a Operação Lava Lato, com citações cabeludas também contra o ex-presidente Lula, fomentou as expectativas do mercado de provável mudança de governo, seja por impeachment ou cassação da presidente pelo TSE. Foi significativo o resultado da Bovespa, que subiu de menos de 40 mil para 49 mil pontos nessa sexta-feira. Essa é uma importante amostra de expectativas, que poderá fazer muito bem ao Brasil, desde que se concretize a troca de comando no Palácio do Planalto.

PAULO PANOSSIAN

paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

Pecando pela base

Lula, com suas forças misteriosas e “honestíssimas” que manipulam o povo, infelizmente, vulnerável, pôs na direção do nosso país um poste, que está cumprindo à risca o seu papel: imobilidade total! E agora, no sufoco da proximidade do fim, sustenta que a oposição e a imprensa é que não deixam o poste governar... Haja paciência!

HELOISA ÁVILA DE LIMA E DIAS

diasnetto@terra.com.br

São Paulo

Tarefa estranha ao ofício

A presidente Dilma ocupou a TV em rede nacional e horário de expediente, na tarde de sexta-feira, para se solidarizar com seu companheiro de legenda, objeto de investigação por fundadas suspeitas de “malfeitos”. Essa atividade seria legal?

MARIO HELVIO MIOTTO

mariohmiotto@gmail.com

Piracicaba

Derrocada

E quem vai derrubar a Dilma será o Lula.

ELISABETH MIGLIAVACCA

elisabeth448@gmail.com

São Paulo

Pós-condução coercitiva

Em entrevista (verdadeiro circo) à imprensa, Lula deu as desculpas esfarrapadas de sempre: nada é dele, nem o sítio nem o tríplex, injustiça com ele, sentiu-se desrespeitado, como sempre culpou os órgãos de imprensa (mídia golpista), o Ministério Público e blá-blá-blá. Toda essa encenação, na verdade, é falta de uma boa explicação, uma cortina de fumaça para os fortes indícios de uma simbiose entre interesses público e privado. Nós, brasileiros, aguardamos explicações mais convincentes.

HENRIQUE SCHNAIDER

hschnaider4@gmail.com

São Paulo

De fato, o que o povo desejava eram explicações de Lula sobre a economia, a educação, a saúde, a segurança, os baixos índices do País no mundo, a falta de credibilidade. Estamos cheios de conversas odiosas para gerar mais ódio e revolta. Essa foi sua intenção? Ações catastróficas? Os humildes hoje estão desempregados ou perto de perder o emprego, os cursos referidos em sua fala já existiam, Lula só mudou o nome. E não se tira da miséria com R$ 200, foi seu partido que estipulou esse parâmetro. Todos os fundos de pensão foram saqueados. Cadê o dinheiro? E o dinheiro da Petrobrás? Estamos quebrados, Lula, eis a questão. Queremos explicações pelos assaltos lesivos aos cofres da União, pois éramos sólidos e quebramos. E os roubos foram bilionários! Cadê o dinheiro, Lula? Comprou barcos, sítio, tríplex, foi para contas no exterior em nome dos outros...?!

JULIO JOSÉ DE MELO

julinho1952@hotmail.com

Sete Lagoas (MG)

Lula quer guerra

O discurso de Lula após seu depoimento à Polícia Federal foi no sentido de conclamar a militância petista e os ditos movimentos sociais à guerra. Contra quem? Contra a imprensa livre, o Ministério Público, a PF e, finalmente, contra o Poder Judiciário. Não se pode suportar calado esse tipo de ataque. É hora de a parcela responsável da opinião pública reagir contra esses meliantes do PT. Tomemos posição a favor do Brasil!

EDUARDO SPINOLA E CASTRO

esc3491@gmail.com"

São Paulo

Salamaleques

Quase fui às lágrimas ao ler artigos de renomados juristas sobre a violência da condução coercitiva para o sr. Lula. Quanta injustiça! O curioso é que esse assunto nunca rendeu uma linha anteriormente. A mensagem subliminar é que a lei não é igual para todos, pois dez outras pessoas depuseram na sexta-feira sob as mesmas condições e ninguém se preocupou com elas. Na próxima etapa da Operação Lava Jato, sugiro ao juiz Sergio Moro expedir convites ao sr. Lula com “R.S.V.P.” e a informação “manobristas no local”.

VICTOR MEYERFREUND

victor@meyerfreund.com

São Paulo

Não é seu, companheiro!

Quem ganhou o trono em viagem pela África não foi o cidadão, o metalúrgico, nem mesmo o político. Foi o presidente do Brasil. Em outras circunstâncias, poderíamos até dizer que quem recebeu esse presente foi um estadista. Mas não nesse caso. Não, pois um estadista de verdade não trata o público como privado, não retém presentes recebidos no exercício da função, não se lamenta de não ter onde colocar 11 contêineres cheios de tais presentes e, o pior de tudo o que se viu anteontem, não manobra as pessoas, jogando, irresponsável e inconsequentemente, brasileiros contra brasileiros, irmãos contra irmãos, numa polarização violenta da qual não resultará nada de bom. É por isso que o ex-presidente jamais passará à História como estadista, somente como a jararaca que se está revelando.

AMADEU BUENO

amadeubueno@gmail.com

São Paulo

Cobra criada

Usando a figura metafórica de uma serpente – ainda mais uma jararaca – para se defender, Lula admitiu que não passa de uma cobra camuflada, dissimulada e muito, muito peçonhenta.

SILVIO NATAL

silvionatal49@gmail.com

São Paulo

OPERAÇÃO ALETHEIA

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva considerou um exagero o mandado de condução coercitiva emitido pela Polícia Federal, que tocou a campainha em seu apartamento na manhã de sexta-feira, às 6 horas. Feito o depoimento, Lula se dirigiu à sede do Partido dos Trabalhadores (PT) no Centro de São Paulo. Lá, o pronunciamento do comandante do PT conteve termos vulgares e pouquíssima objetividade quanto aos fatos que foram levantados pela PF na Operação Lava Jato. Lula acha que o juiz federal Sérgio Moro foi prepotente e arrogante e disse se sentiu indignado, magoado, ofendido e ultrajado. Lula nem sequer fez referência às melhorias realizadas no tríplex do Guarujá e no sítio de Atibaia, razões pelas quais depôs no Aeroporto de Congonhas. Lula, que não conseguiu esconder o seu nervosismo, atacou a Rede Globo, em sintonia com a pancadaria ocorrida na porta de sua residência, poucas horas antes, envolvendo companheiros do PT. O investigado Lula não tem foro privilegiado e a PF agiu conforme determina a lei. Lula, que se autodefiniu como "jararaca", não sabe conviver com divergências pacíficas, que fazem parte do processo democrático. O povo brasileiro aguarda as conclusões da PF quanto aos bens apreendidos e detalhes do depoimento do exaltado Lula. Discursos vazios não têm o menor valor diante da realidade, Lula.

José Carlos Saraiva da Costa jcsdc@uol.com.br  

Belo Horizonte 

*

CHORO NEM GRITO

O cumprimento de mandado de condução coercitiva determinado ao ex-presidente Lula mostra que ninguém, nem mesmo ele, está acima da legislação brasileira. Embora a ação não signifique a prisão do ex-presidente, até mesmo pela inexistência de provas conclusivas sobre corrupção, tal operação mostra à classe política que não haverá mais privilégios, que a imprensa e as instituições do País funcionarão de forma independente e cumprirão suas prerrogativas constitucionais. Não haverá choro nem grito. Quem roubou ou praticou qualquer ação criminosa responderá por elas.

Willian Martins martins.willian@globo.com 

Guararema

*

DEFUNTO POUCO

O artigo 5.º da Constituição de 1988 diz que todos os brasileiros são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, mas alguns devem se julgar com direito divino e só vão prestar depoimento por meio de condução coercitiva, depois de ter fugido na primeira convocação; chama a militância e relembra os velhos tempos de bravateiro na entrevista coletiva que fez na sede do PT, onde desfilou "diamantes", com a elegância de sempre: "Bateram na cabeça, mas acertaram o rabo, pois a jararaca continua viva"; ou "isso (a condução coercitiva) só serviu para o PT levantar a cabeça"; ou, ainda, "eu fiz milagres para este país, e eles (oposição), o que fizeram?". E por aí vai. Tivemos a impressão de que não era brincadeirinha, Luiz Inácio acredita realmente em tudo o que diz e até nele mesmo. Parecia se sentir triunfante. Enfim, essa saga durou a sexta-feira inteira e ocupou toda a mídia. Foi muito tiroteio para pouco defunto.

Carmela Tassi Chaves tassichaves@yahoo.com.br 

São Paulo

*

JUSTIÇA PARA TODOS

Finalmente, todos os brasileiros, do morador de rua ao mais alto magnata, estão sujeitos ao império da lei. O Brasil, agora, começa a escrever uma nova história, em que, como consta no artigo 5.º da Constituição federal, todos são iguais perante a lei. Há muito que Lula "et caterva" criaram um simulado partido político que, na verdade, após mais de três décadas e meia, nunca passou de uma organização criminosa que girava seus negócios - lícitos e ilícitos - sob a decadente estrela vermelha, identificado como Partido dos Trabalhadores. Na verdade, o PT não perde a oportunidade de mostrar que é uma malta de desocupados que estão a serviço de rapinar e ajudar a rapinar o erário. Na sexta-feira, por exemplo, enquanto militantes se reuniram em pleno horário de trabalho para defender o "capo de tutti capi", os "coxinhas" estavam trabalhando para produzir as riquezas que os "petralhas" dilapidam. Mas, ao final, a máscara caiu e a lei está sendo aplicada. O Brasil, apesar de tudo, é gigante pela própria natureza, e em defesa da liberdade e da democracia verás que um filho teu não foge à luta.

Carlos Benedito Pereira da Silva carlosbpsilva@gmail.com 

Rio Claro

*

O QUE DEU ERRADO?

Deixa ver se eu entendi: Lula manda Dilma trocar o ministro da Justiça e colocar um novo para ele escapar da Lava Jato. Dilma obedece, troca o ministro, agora uma marionete, e dois dias depois Lula é forçado a depor. O que aconteceu de errado? 

André Coutinho arcouti@uol.com.br

Campinas

*

O DIA DA IRA

É o fim do PT. 4 de março de 2016 é o Dia da Ira, poema medieval que tanto inspirou Mozart e Verdi: "Quantus tremor est futurus, quando judex est venturus, cuncta stricte discussurus!", ou seja, "Quanto terror está prestes a ser, Quando a Lava Jato (juiz) vier, Para julgar tudo severamente!" A equipe da Lava Jato merece as congratulações de todos os brasileiros honestos!

Daniel Arjona de Andrade Hara haradaniel734@gmail.com 

São José dos Campos

*

DISCURSO EM SP

Lula, com o pé na prisão, fez discurso de candidato em 2018. Só falou de nós contra eles, mas não explicou nada sobre as denúncias. Basta!

Luíz Frid luiz.frid@globomail.com 

São Paulo

*

A CASA CAIU

O diretório do PT disse que a "condução coercitiva" fere a Constituição brasileira, que Lula e a família estão sendo perseguidos, etc. e tal. Roubar milhões de reais, mentir descaradamente, usufruir de benefícios que foram conseguidos por meios ilícitos, também não fere a Constituição? A casa caiu para "a viva alma mais honesta" do Brasil e está na hora de passar o bastão. Infelizmente, tem gente que ainda acredita no "cara".

Adriana Aulisio aulisiodri@gmail.com 

São Paulo

*

O PENTE FINO DO PGR

Em algum momento, ano passado, ou até antes, vez que a Operação Lava Jato está completando dois anos, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, teria declarado que havia passado um pente fino em tudo da investigação e nada encontrou relativo a Lula e à presidente da República, o que o deixava aliviado. Recomendo a compra de um pente melhor. 

Ana Lúcia Amaral anamaral@uol.com.br 

São Paulo

*

VERGONHA, PENA E DESPREZO

A trajetória de Luis Inácio Lula da Silva é impressionante, o retirante nordestino analfabeto conseguiu se tornar líder operário e, depois, o presidente da República mais popular da história. É difícil de acreditar que Lula tenha jogado tão mal as lindas cartas que a vida lhe deu. Lula poderia ter sido tudo isso que ele pensa que é: o pai dos pobres, quem acabou com a fome e a miséria no Brasil, o melhor presidente da História, Lula poderia ter sido "o cara", como disse seu colega Barack Obama. Mas não, Lula jogou no lixo todas as fabulosas oportunidades que ele teve, desde o primeiro momento quando finalmente assumiu a Presidência da República, Lula só pensou em roubar. Lula montou o maior esquema de desvio de dinheiro público da história, roubou, mandou roubar e deixou que roubassem como nunca antes na história deste país. Só a devastação que a gestão Lula, auxiliado por sua comparsa Dilma, fez na Petrobrás tem um lugar de honra em todos os livros de administração como exemplo de tudo o que não se deve fazer numa empresa. O Brasil é maior que Lula, vai sobreviver a essa catástrofe, com algumas sequelas, mas vai sobreviver, e esperamos que o País tenha aprendido a lição, que a democracia brasileira tenha amadurecido e saiba se livrar rapidamente dos falsos líderes, mentirosos, corruptos, incompetentes e aproveitadores, como Lula. 

Mário Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br 

São Paulo 

*

NÃO É

Não, ele não é o dono do tríplex no Guarujá. Não, ele não é o dono do sítio em Atibaia. Não, ele não é o dono da Presidência. E, então, ele é, como proclama, a "alma viva mais honesta deste país"?

Nivaldo Ribeiro Santos nivasan1928@gmail.com

São Paulo

*

RECORDAR É VIVER

Em julho de 2010, na Boca Maldita, em Curitiba, Luiz Inácio da Silva avisou: "Quero ensinar a um ex-presidente da República a ser ex-presidente da República e não dar palpite a quem está no poder". Hoje, o mais preocupante é ver que esse falastrão irresponsável e seu partido ainda sonham com uma vitória em 2018.

Helena Rodarte Costa Valente helenacv@uol.com.br 

Rio de Janeiro 

*

OS DELATORES E AS DELAÇÕES

Desde o dia em que o Supremo Tribunal Federal (STF) definiu que os condenados de segunda instância devem começar imediatamente a cumprir suas penas e aguardar encarcerados a decisão sobre seus recursos aos tribunais superiores, paira no País forte o clima de delação premiada. Muitos dos alcançados pela Operação Lava Jato que ainda resistem à possibilidade de entregar seus cúmplices podem fazê-lo para abrandar sua pena. A condução coercitiva do ex-presidente Lula deve pesar nessa decisão. A sociedade brasileira espera que todos os malfeitos denunciados sejam devidamente apurados, esclarecidos e os faltosos - sejam eles os denunciados ou os autores da denúncia (se ela for falsa) - recebam a devida punição. A expectativa quanto às delações é que todas elas sejam absolutamente verdadeiras e levem de forma irretratável aos autores dos crimes e das irregularidades. O Brasil e os brasileiros precisam disso.

Dirceu Cardoso Gonçalves aspomilpm@terra.com.br

São Paulo

*

DELAÇÃO NÃO OFICIAL

A delação do senador Delcídio Amaral (PT-MS) vazou. Pode até não ser considerada "oficial", mas a reportagem da revista "IstoÉ" que revelou trechos dessa delação deixou a República desnudada. Confirma o que já supúnhamos, mas que agora está escrito em 400 páginas no âmbito da Operação Lava Jato. Delcídio pediu seis meses para torná-la oficial, caso perca o mandato por seus pares. Esperamos que a oposição saia de cima do muro e batalhe pela perda do mandato dele, já que esta foi a condição para que a delação se torne oficial. Mesmo assim, o que foi divulgado cai como uma bomba sobre a presidente Dilma e o ex-presidente Lula, que bolou todo o plano para salvar Nestor Cerveró da cadeia. Nós, povo brasileiro, não aguentamos mais e queremos punição a todos os que vilipendiaram nosso país, a começar pelo mentor-mor. O Brasil precisa seguir em frente, olhando para trás apenas como lição de vida. É nosso voto que determina nosso futuro.

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br 

São Paulo

*

DELCÍDIO VIROU BICHO

O senador Delcídio Amaral ficou 80 dias preso. No vinagre. Solitário. Sem manifestações de apoio e solidariedade do governo Dilma ou do PT. Lavaram as mãos, como Pilatos. Subestimaram a importância política de Delcídio. Leal e operoso, Delcídio virou um oceano de mágoas. Natural. Sem carinho, recebeu desprezo. Sem visitas ou telefonemas. Resultado: virou bicho. Criou ódio no coração. Abriu o bico. Pode ter cometido suicídio político, mas levará figuras coroadas com ele.

Vicente Limongi Netto limonginetto@hotmail.com 

Brasília

*

MAFIOSOS

A bombástica delação premiada de Delcídio Amaral só confirma aquilo que todo mundo já sabia: fomos governados por mafiosos nos últimos 13 anos.

Paulo de Tarso Abrão ptabrao@uol.com.br 

São Paulo

*

ÁGUAS DE MARÇO

Delcídio só confirmou o óbvio! Agora a casa cai!

Alessandro Lucchesi timtim.lucchesi@hotmail.com

Casa Branca

*

BELO SERVIÇO

O sr. Delcídio, ainda que sob pressão, prestou um serviço fundamental à necessária mudança no País. Há uma grande chance de tirar os carrapatos das tetas exauridas e já anêmicas. Oxalá!

André C. Frohnknecht caxumba888@gmail.com 

São Paulo 

*

BRAVATA?

Bem, se esta delação premiada, embora não homologada, mas que não impede a investigação, do senador Delcídio Amaral não for mais uma bravata, como o fez quando disse que era bravata a menção que fez sobre suposta influência política no STF no sentido de libertar o ex-diretor da Petrobrás Nestor Cerveró, as acusações que fez sobre a presidente Dilma e o ex-presidente Lula levam a Lava Jato para o colo dos dois. No caso da presidente Dilma, é difícil de aceitar, como disse, que não sabia de nada sobre a operação de compra da refinaria de Pasadena, nos EUA. Como não sabia? Presidente do Conselho de Administração da Petrobrás e, na ocasião, ministra da Casa Civil, diz que não sabia e que a operação de compra foi decidida em apenas uma reunião? Que rapidez, hein. Parece "The Flash". Isso sem falar da acusação de indicação de um ministro para o Superior Tribunal de Justiça (STJ) para livrar empresários da Lava Jato. O ex-presidente também está mal, não só pelo que tem aparecido, mas pelo que disse o senador Delcídio sobre a interferência dele para influenciar testemunhas a se calarem. Mas não acho que aconteça nada. O senador Collor caiu da Presidência da República por causa de um Fiat Elba. Este governo quebra a maior empresa brasileira, quebra o País, e não acontece nada. 

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com 

Rio de Janeiro

*

EFEITO ECONÔMICO

Com poucas denúncias de Delcídio, o dólar caiu e a Bolsa subiu. Já pensou com Dilma fora e Lula na cadeia?

José Roberto Iglesias rzeiglesias@gmail.com 

São Paulo

*

A NOVA MATRIZ ECONÔMICA DE DILMA

A cada escândalo e falcatruas que surgem na imprensa que demonstram que o impeachment de Dilma é viável e está cada vez mais próximo, a economia dá mostras de otimismo. Mesmo no dia que é divulgado o PIB de 2015, negativo na ordem de -3,8%, o pior de 20 anos, os fatos divulgados na delação de Delcídio Amaral animaram os mercados: os juros longos caíram, o dólar foi negociado na menor taxa do ano (R$ 3,80) e a Bolsa subiu 5,12%. Alguém ainda tem dúvidas de que a crise econômica é essencialmente política e tem nome e sobrenome? A crise chama-se Dilma Vana Rousseff. Para completar o dia, com boas notícias, a prisão temporária de João "Acarajé" Santana e sua mulher Mônica Moura foi transformado em definitiva. Com o conforto da carceragem da Polícia Federal em Curitiba, tão logo suma do rosto o sorriso de Mônica Moura, a probabilidade é de que mais delações premiadas surjam. Desse jeito, talvez 2015 termine ainda em 2016.

Claudio Juchem cjuchem@gmail.com 

São Paulo 

*

O ISOLAMENTO DE DILMA ROUSSEFF

A evidente intervenção de Lula no governo de Dilma explicita a sua inanição. Dilma não tem mais para onde fugir, não tem mais o que fazer. Deixou que seu governo, infiltradíssimo por petistas contrários à sua atuação, seja monitorado pelo ex-presidente (que precisa se explicar à Nação). Não tem quase mais nenhum ministro de sua confiança e que a proteja. Dilma está praticamente jogada aos tubarões e deles não mais conseguirá se livrar. Para ter apoio incondicional do lulopetismo, só lhe resta entregar a honra, pois o seu governo já era. Quem manda lá, no Palácio do Planalto, são Lula e sua trupe. Claro que não dará nada certo, pois o Brasil não aguenta mais tanto desdém pela honestidade. Dilma deveria renunciar, porque não há opção. Que o Ministério Público e que a Polícia Federal façam sua parte.

Maria Tereza Murray terezamurray@hotmail.com

São Paulo

*

ESTATUETA PIXULECO

Assim como existe o Oscar para os melhores filmes e o Morango para os piores, vamos instituir o Pixuleco para os mais corruptos. Eis a lista dos contemplados: melhor ator, Lula; melhor atriz, Dilma; melhor diretor, José Dirceu; melhor ator coadjuvante, Jaques Wagner; melhor atriz coadjuvante, Gleisi Hoffmann; melhor roteirista, Rui Falcão; melhor produtor, Odebrecht, OAS e Andrade Gutierrez; melhores efeitos visuais, João Santana e Mônica Moura. A lista fica em aberto para outras categorias. 

José Olinto Olivotto Soares jolintoos@gmail.com 

Bragança Paulista

*

CRIMES

O que vemos hoje nos noticiários é que uma grande quadrilha travestida de partido político simplesmente cometeu todos os crimes tipificados no Código Penal brasileiro, ferindo profundamente a reputação da nossa Pátria e levando o seu povo à desesperança completa.

Luiz H. Freire Cesar Pestana luizhenriquefcpestana@gmail.com 

São Paulo

*

EM RISCO

O País está em risco. A empreiteira Andrade Gutierrez confessou pagamentos diretos à agência da campanha de Dilma em 2010. Isso é crime, a eleição dela foi beneficiada ilegalmente e é criminosa. Além disso, ela foi beneficiada duplamente por estar ilegalmente no governo em 2014, quando foi reeleita. O impeachment é correto e justo, mas dizem as vozes da sabedoria que, pelo § 4.º do Art. 86 da Constituição, ela não pode ser punida pelo que fez no primeiro mandato. Como é que é? O crime prescreve entre um mandato e outro? A letra do tal parágrafo é: "O presidente da República, na vigência do seu mandato, não pode ser responsabilizado por atos estranhos ao exercício de suas funções". Que redação é esta? Por que "na vigência do seu mandato"? Por acaso pode haver um presidente da República (pessoa) que não esteja na vigência do seu mandato? Se não está no mandato, não é presidente! Até Lula aceita ser chamado de ex-presidente! O País está em risco por causa de cinco palavrinhas redundantes e impróprias, cujo significado estão querendo forçar. Isso, sim, é golpe! O correto seria: "O presidente da República não pode ser responsabilizado por atos estranhos ao exercício de suas funções". Lógico, inteligível, constitucional e sem a "providencial" palavrinha mandato! O crime não é indultado pela reeleição. O impeachment de Dilma é questão de segurança nacional. Fora!

Gilberto Dib gilberto@dib.com.br

São Paulo

*

DESCULPAS

Com as novas delações premiadas divulgadas, a turma do "não sei, não conheço, nunca vi ou ouvi" aumenta cada vez mais. Alguém ainda acredita nessas desculpas?

Luiz Nusbaum lnusbaum@uol.com.br

São Paulo

*

BRASÍLIA

A Lava Jato conseguiu expor a todos os brasileiros o mais execrável dos lixos, que, escondido nas entranhas do poder, surrupiavam as economias dos incautos leitores. Agora, tenho esperança de que não sobrará pedra sobre pedra. O mau cheiro desse nefasto lixão já chegou a todos os rincões deste pobre país e, em breve, a Lava Jato tornará limpa essa tão bela cidade, obra-prima de Niemeyer e idealizada por Juscelino.

João M. Ventura joaomv@terra.com.br 

São Paulo

*

DOS BOLINHOS AO ACARAJÉ

Todo petista entrevistado a respeito da queda do ministro da Justiça José Eduardo Cardozo quis nos dar atestado de ignorantes. Os contatados afirmaram com a maior cara de pau que não houve pressão do partido (PT)  para a puxada de cadeira do homem de confiança da presidente Dilma Rousseff e que nada vai mudar com a nomeação de Wellington César para a Pasta da Justiça. Ora, se nada vai mudar, se estava tudo nos conformes, por que então a troca? Só vejo uma resposta plausível para a dúvida atroz. Aposto que é porque o novo ministro sabe fritar muito bem um "acarajé", ao passo que Cardozo, na ótica petista, só fritava bolinhos.

Sérgio Dafré Sergio_dafre@hotmail.com 

Jundiaí

*

A INDIGNAÇÃO SELETIVA DE JANOT

Houve bem o STF ao acolher a denúncia do Ministério Público Federal contra o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Não há negar que haja "indícios suficientes" para, no mínimo, tornar réu o parlamentar fluminense, aparentemente envolvido até a medula em sombrias transações. O que, todavia, salta aos olhos em todo esse imbróglio é a indignação seletiva do "parquet" federal, haja vista que há no Senado outra personagem - Renan Calheiros - igualmente reincidente em acusações pesadíssimas que o apontam envolvido em crimes de corrupção e, em particular, por envolvimento nas mutretas da Lava Jato, nada muito diferente do que faz de Cunha réu no STF. A pergunta que não quer calar é: por que "só" Eduardo Cunha? Rodrigo Janot, procurador-geral da República, ao justificar suas acusações contra o deputado, disse que o parlamentar atua "no reino da propinolândia". Ora... é mesmo? E Renan Calheiros "das Alagoas" atua em que "reino", exatamente? O da ética, da lisura, da probidade? Chama a atenção a atuação parcial do MP federal, que, tudo faz crer, atua no "reino da seletividade" ao eleger, discricionariamente - e tudo indica em estrita consonância com interesses inconfessáveis do Palácio do Planalto - quem será a "bola da vez".

Silvio Natal silvionatal49@gmail.com 

São Paulo

*

NO LIMITE

O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, réu no âmbito da Operação Lava Jato, disse, em alto e bom som: "Estou tranquilo porque estou com a verdade, estou com a inocência. Não tenho nada com que me preocupar". Como se vê, o deboche, o escárnio e a afronta ao Ministério Público chegaram ao limite da tolerância. Que país é este?

J. S. Decol decoljs@gmail.com 

São Paulo

*

AFASTAMENTO

Nada mais coerente e justo que o afastamento imediato de Eduardo Cunha, presidente da Câmara, porque já é réu de acordo com a votação do STF (6 votos contrários a ele), valendo citar o entendimento da OAB, do Conselho Federal, no pronunciamento de seu presidente Cláudio Lamachia. Na verdade, réu não merece conduzir um Poder de extrema importância como o Legislativo, sendo certo que as manobras de troca que realizou, enquanto não réu, acabaram com relação ao impeachment da presidente da República. Não é justo que transforme um Poder de defesa do povo em trincheira de luta por direitos pessoais e exclusivos.

José C. de Carvalho Carneiro carneirojc@ig.com.br 

Rio Claro

*

PRIMEIRO

Quem cai primeiro, o presidente da Câmara ou a presidente?

Moises Goldstein mgoldstein@bol.com.br 

São Paulo

*

A FACA E O QUEIJO

A presidente Dilma poderia não estar sofrendo com tudo isso, era só ser a presidente do Brasil, e não a presidente do PT! Deixou-se ser envolvida por a ganância daqueles que nunca conseguiram se desenvolver com o trabalho honesto. E o povo brasileiro sofre com tudo isso, enquanto a presidente, que deveria cuidar de todos, deixa a desejar por essas mazelas. Presidente, seja a presidente do Brasil, e mostre a sua fibra do seu passado, não deixe pessoas que não lutaram como a senhora serem envolvidas por manipuladores e mentirosos, que não assumem os maus feitos.

Caio Jr lu_pego@hotmail.com 

São Paulo

*

DILMA GANHA OU PERDE

Ao se afastar do PT, Dilma ganha, porque o PT vive atazanando a vida dela e, se ela fosse realmente autêntica e independente, pediria a sua desfiliação deste partido de canalhas. E, se ela se desvinculasse, o PT iria ficar com aquela cara de égua e Dilma, por sua vez, ficaria livre das pressões deste partido, para tentar a governabilidade. O PT é contra o projeto de Brasil grande, é contra a reforma da Previdência e contra o ajuste fiscal, porque pensa pequeno e só quer soluções imediatistas, porque só visa às eleições próximas de 2016 e de 2018. Agora, se o Brasil ficasse livre de Dilma, de Lula e do PT, aí, sem dúvida, o Brasil iria ganhar muito, mas muito mesmo!

João Teixeira jtserrano@terra.com.br 

Osasco

*

DESPRESIDENCIALISMO

Para disfarçar o pesadelo que vivemos, declaramos pioneirismo na adoção do regime "despresidencialista". Temos uma presidente da República que não fala, não ouve e não vê, justamente no pior momento da história deste país.

Ricardo C. Siqueira ricardocsiqueira@globo.com 

Niterói (RJ)

*

A DAMA DE FERRO AO REVÉS

Margaret Thatcher preocupava-se com a diminuição dos impostos que o povo britânico estava apagar, preocupava-se com a melhoria da vida dos cidadãos. A nossa dama de ferro Dilma preocupa-se exclusivamente e unicamente em manter-se no poder a qualquer custo. A economia está em ruínas, o desemprego está nas alturas, a educação vai de mal a pior, a saúde está falida e a violência aumenta a cada dia parcialmente por causa do desemprego e do exemplo que o PT deixa aos cidadãos ao mergulhar o País num mar de corrupção. Ou seja, a dama de ferro ferra os brasileiros.

Károly J. Gombert kjgombert@gmail.com

Vinhedo

*

CHEGOU A HORA

Ainda que não saiba, senhora presidente, sem o consentimento daqueles os quais é exercido, o poder torna-se uma burla e, por isso não pode durar muito. Acho que chegou a hora.

Mauro Lacerda de Ávila lacerdaavila@uol.com.br 

São Paulo

*

BECO SEM SAÍDA

Quem está em um beco sem saída: a Dilma, o povo ou ambos? Acredito que, se Dilma for derrubada pelo PT, e não pelo povo, quem sairá perdendo é o povo. O PT, que de bobinho não tem nada, já percebeu que precisa se livrar de Dilma, e para isso está disposto a assumir o papel que caberia à oposição. Nessa briga, Dilma perderá o cargo, mas o povo será chamado para pagar a conta, com mais impostos, entre eles a recriação da CPMF, que serão aprovados pelo Congresso facilmente, com o reatamento da aliança do PT com o PMDB. O PT ainda vai sair bem na fita, Lula volta a posar de herói nacional e ambos se fortalecem perante a sociedade e o mercado e, com uma pequena pressão, colocarão fim na Operação Lava Jato. Sinceramente, as previsões que estou vendo na minha bola de cristal não são nada otimistas, caso Dilma caia pelas mãos do PT. 

Maria Carmen Del Bel Tunes carmen_tunes@yahoo.com.br 

Americana

*

IMAGINE

Dilma renuncia, Eduardo Cunha e Renan Calheiros são afastados da política, o STF torna-se totalmente imparcial e a oposição surge com um grande nome para acabar de vez com a corrupção no Brasil. Assim como na música de John Lennon, "você pode dizer que eu sou um sonhador, mas não sou o único". 

Marcelo L. Z. Bernabe zbernabe@hotmail.com 

São Paulo

*

A MANIFESTAÇÃO DE 13 DE MARÇO

A rua é o ponto de encontro da sociedade em nome do interesse comum. Defender a própria pele e garantir o porvir em melhores condições para filhos e netos. Sair da poltrona, da comodidade de assistir, de se irritar e xingar os ladravazes e suas mamães que não têm culpa dos mal feitos dos filhos. Filho ou filha disso, daquilo, não resolve. Sua voz, seu grito isolado na sala ou no quarto, ninguém ouve, ninguém vê. A internet ajuda sobremaneira. Revela o que a TV não mostra. Compartilha o seu pensamento de forma livre. É a corneta que toca alvorada, despertar, reunir e avançar. É o menestrel moderno que percorre distâncias infinitas com a rapidez do raio, que alerta e desnuda o político corrupto que está unido a outro, mais outro e tantos outros, para sugar o sangue do seu suor. Torná-lo escravo da democracia escrachada, debochada. Dos partidos com seus donos, que mandam e desmandam. Dos parlamentares que não votam com a própria convicção, mas conforme determinam os feitores. Parlamentares que compram votos para se elegerem e vendem votos na aprovação de projetos. Do governo que se locupleta na campanha eleitoral extorquindo empresários nas licitações fraudulentas. Políticos e empresários bandidos, piores dos que assaltam nas esquinas. Canetas assassinas do PCC de gravata a estourar os cofres públicos versus armas do PCC de sandália de dedo explodindo os caixas eletrônicos. E o povo com a cara na janela vendo a banda passar. Não! Não à acomodação. Chega! Nem na janela, nem na sacada. Na rua. Aqui é o seu lugar de reagir. Chega de impostos para recompor orçamento público desequilibrado pelos agentes do mal. Reduzam o número de parlamentares de todos os níveis, mordomias e infames aposentadorias, veículos e viagens, coisa do tipo viagem ao Uruguai para se estudar a implantação dos cassinos no Brasil. Dor que se repete no íntimo de cada um todos os dias diante da televisão. Ver e ouvir a repórter anunciar como crime o desvio de recursos públicos para a eleição da "presidenta" em 2010, mas que não pode ser punida. Sem uma crítica é uma aberração. Por óbvio, sem enquadramento do impeachment, pois que o mandato expirou. E o crime fica impune? Eita Brasil que já prendeu lavrador que raspava a casca da árvore para fazer chá e servir à mulher doente. Há que se cobrar com veemência do Congresso Nacional o cumprimento das obrigações constitucionais citadas no Art. 49, "É da competência exclusiva do Congresso Nacional: fiscalizar e controlar, diretamente, ou por qualquer de suas Casas, os atos do Poder Executivo, incluídos os da administração indireta;". Apoiar a Polícia Federal. Dizer não às tentativas de cerceá-la com despudor e às claras, como ficou patente no processo de substituição do ministro da Justiça, Eduardo Cardozo, que não "agia" segundo os interesses do PT e do ex-presidente Lula. Cenário cinzento onde as declarações do novo ministro, Wellington Silva, repousam na expressão "sem modificações de imediato". Também já se posicionou contra a redução da maioridade penal (projeto aprovado na Câmara e parado no Senado), aspiração da sociedade. Paira a dúvida. Porque tanta celeuma no expurgo do ministro Cardozo. Para deixar como está? Clima tenso nas hostes do governo, temperado pela delação do Sen. Delcídio Amaral. Ao que consta, a "presidenta" voou longe das comemorações de aniversário do PT em viagem estratégica ao Chile. Lula ficou à vontade no meio que domina. Mas, pretender desligar o petismo do governo central, bem como desvincular o criador Lula da criatura Dilma, é impossível no nível de corrupção nojenta que marcou a cor vermelha na camisa de um e no blazer da outra, quando aparecem nos palanques da "guerra" inflamada de verborragia. Desta feita, não juntos. Se Lula deseja o impeachment para dar a volta por cima e salvar o PT, fica difícil pelo descrédito na sigla e o pouco tempo para se recompor face ao expressivo valor da corrupção, martelada diuturnamente nos ouvidos do cidadão. E no que mais sente, como custo de vida, desemprego e falta de assistência médica, agora agravada pelo descuido na eliminação do mosquito polivalente. Desencanto de todos até dos que recebem bolsa família e sofrem diante do tempo das vacas magras impostas pelo petismo, na tentativa de sobreviver com tal migalha e assistir o fausto presente nos banquetes palacianos e no enriquecimento de parlamentares, governantes e ex-governantes. Sítios, fazendas e mansões pontilham a vida dos impiedosos, egocêntricos e insaciáveis corruptos. A delação premiada com a devolução do produto roubado pode não ser tudo, mas é o início do arrependimento do mal provocado à sociedade no desempenho da função pública, com maior responsabilidade do que a exerce como empregado do povo. A Polícia Federal não pode sair enfraquecida para livrar os bandidos da cadeia e o STF não pode ser puxadinho do PT, nem de outros partidos.

Ernesto Caruso egcaruso@gmail.com 

Campo Grande

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.