Fórum dos leitores

OPERAÇÃO LAVA JATO

O Estado de S.Paulo

09 Março 2016 | 03h00

Mais três celas

Marcelo Odebrecht foi condenado a 19 anos e 4 meses de prisão, 7.055 dias, pelos crimes de corrupção ativa, lavagem de dinheiro e associação criminosa. Emílio Odebrecht, pai de Marcelo, declarou em 20/6/2015: “Terão de construir mais três celas, para mim, Lula e Dilma”. A família ameaçou derrubar a República. Chegou a hora de cumprir a promessa. Na última sexta-feira a Polícia Federal encontrou o caminho das pedras e tocou a campainha no apartamento de Lula da Silva, às 6 da manhã. O local de trabalho da presidente Dilma Rousseff também é muito conhecido de todos. Os contribuintes brasileiros aguardam com ansiedade a devolução de todo o dinheiro desviado da Petrobrás, não se limitando aos R$ 108 milhões e US$ 35 milhões de crimes de corrupção praticados por Marcelo Odebrecht.

JOSÉ CARLOS SARAIVA DA COSTA

jcsdc@uol.com.br

Belo Horizonte

E agora, sr. Emílio Odebrecht? Seu filho foi condenado a 19 anos e 4 meses. Ainda está de pé aquela ameaça de que terão de arrumar mais três celas?

SERGIO S. DE OLIVEIRA

ssoliveira@netsite.com.br

Monte Santo de Minas (MG)

Fala, Marcelo!

Marcelo Odebrecht ficará quieto? São 19 anos de prisão sem desfrutar as regalias da vida... Mesmo que não cumpra toda a pena, será tempo demais para um jovem e bem-sucedido empresário. Creio que ele vai querer diminuir a pena e a melhor forma é dizer o que sabe. E sabe muito. Acho que bastam 19 minutos de delação premiada, um minuto para cada ano, e Marcelo ficará menos tempo no xilindró.

ALBERTO SOUZA DANEU

curtasuasaude@uol.com.br

Osasco

Sergio Moro

Parabéns pela coragem e firmeza na sua empreitada para eliminar os crápulas e bandidos de colarinho branco que puseram o Brasil de quatro. O juiz Moro merece ter seu nome colocado em ruas, praças e onde mais for possível por este país afora, para homenagear sua determinação.

ODILA SANTANA

odila.santana@gmail.com

São Paulo

Bancários

É incrível que os bancários, que foram espoliados pelo PT, por Lula e João Vaccari continuem apoiando a quadrilha que assaltou a Bancoop e deixou sem as moradias, já pagas, os infelizes mutuários enganados por seus dirigentes. É hora de os bancários acordarem e decidirem lutar com honra por seus direitos.

EDVALDO ANGELO MILANO

e_milano@msn.com

Limeira

LULOPETISMO

‘Escalada irresponsável’

Então o “homem do carro preto” (Chevette) de Santo André, aquele mesmo sobre quem a deputada Mara Gabrilli tem grandes histórias para contar, resolveu nos ameaçar?!

M. CRISTINA ROCHA AZEVEDO

crisrochazevedo@hotmail.com

Florianópolis

Baderna à vista

Lula já deu a ordem à tigrada. Portanto, confusão e vandalismo no dia 13 – ações preventivas serão de responsabilidade das forças de segurança. Como nada mais lhe resta, a única opção é se fazer de vítima e arregimentar sua tropa de choque para provocar baderna nas ruas. Mas esquece que isso não representa voto.

JOSÉ WILSON GAMBIER COSTA

jwilsonlencois@hotmail.com

Lençóis Paulista

Mentira e alienação

Confirmando o que todos já sabem sobre ela, Dilma vem com esta: “A oposição não pode ficar dividindo o País”. Quem mesmo, dona? Assim como seu chefe, Dilma nada sabe mesmo. Quem já dividiu o País entre “nós e eles” foi o Lula! E continua se fazendo de vítima, jogando um irmão brasileiro contra outro, pobre contra rico (ele e sua família pertencem à classe dos milionários), branco contra negro, nordestino contra, principalmente, paulista... Há 15 anos ninguém via isso no Brasil. Por que essa senhora não faz o que está sendo paga para fazer: governar o Brasil? Pare de usar o cargo para o qual foi eleita para ficar defendendo quem já tem os melhores advogados para defendê-lo; pare de gastar dinheiro público para “inaugurar” algumas casinhas só para aproveitar o palanque e a claque presente para tentar jogar a população contra os Poderes legalmente constituídos, contra a Justiça, o Ministério Público, a Polícia Federal. Ou, então, peça para sair. Afinal, hoje o País está dividido, mas para a sra. Dilma sobraram apenas 10%. Tenha dó do Brasil.

ÉLLIS A. OLIVEIRA

elliscnh@hotmail.com

Cunha

Milícias na manifestação?

O governo quer que a oposição impeça a manifestação do dia 13?! Se entendi bem o discurso da mulher sapiens e o noticiado sobre mais uma reunião de emergência no Palácio do Planalto, além dos cartazes já espalhados pelo centro do Rio de Janeiro, a oposição deve convencer a expressiva parte da sociedade que não aceita o atual estado de coisas a não comparecer à Paulista no domingo porque suas milícias vão agredir fisicamente os opositores? E os órgãos de segurança pública, o Exército e o STF estão achando o quê?

ANA LÚCIA AMARAL

anamaral@uol.com.br

São Paulo

A Nação estremecida

O Brasil encontra-se numa encruzilhada entre o bem e o mal. De um lado, forças maquiavélicas se prontificam a deturpar, achincalhar e promover definitivamente a cisão entre brasileiros. Por mais que as situações não lhes sejam favoráveis, os arautos lulopetistas teimam, de qualquer maneira, em insuflar as massas para a débâcle social, nas ruas e avenidas do Brasil, neste 13 de março. Os cidadãos conscientes de seus direitos constitucionais, de exprimir livremente suas decepções com a situação terrível criada por um governo acéfalo e um pseudolíder de pés de barro, estão sendo chantageados com promessas de ações inomináveis neste domingo, o dia D para o início do fim do governo do PT. Que Deus olhe por nós.

ALOISIO DE LUCCA

aloisiodelucca@yahoo.com.br

Limeira

De mãos dadas

Neste domingo vamos todos às ruas de mãos dadas, como fazem os franceses, cantando o Hino Nacional. As mãos dadas serão uma demonstração da intenção pacífica do protesto. Não existe ódio, mas união na maioria do povo, que não aprova o governo e o PT. Apenas queremos mudanças para o bem do País.

JOSÉ OLINTO OLIVOTTO SOARES

jolintoos@gmail.com

Bragança Paulista

 

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

A TÁTICA DO TERROR

Faço uso deste espaço que nos concede o "Estadão" para mandar um recado. Jornalistas ligados a Lula e sua gangue estão publicando, daquele jeito covarde de sempre, sem citar o nome de interlocutor, que "o Partido dos Trabalhadores está pensando em mudar o dia da sua manifestação em defesa de Lula e do PT para o mesmo dia marcado para a manifestação em defesa da democracia e da Lava Jato". A tática é conhecida: imagina-se que, assim, as pessoas de bem terão medo de comparecer à Avenida Paulista no dia 13 de março, próximo domingo. Em outra ponta, João Pedro Stédile, do Movimento dos Sem-Terra (MST), promete fechar as estradas do País, caso ocorra um tal "golpe", que só eles enxergam. Só restou ao PT a tática do terror. Nosso recado ao PT, a Lula, à CUT, ao MST e a seus ratinhos amestrados é: "Não temos medo de vocês". Vamos comparecer em massa na Avenida Paulista e em todas as grandes avenidas do País no domingo, para defender nossa democracia e defender a Operação Lava Jato. Levaremos nossos filhos, netos, tios e avós. A Polícia Militar, como sempre, fará o seu trabalho e estará ali para proteger os cidadãos de qualquer bandidinho mequetrefe que ouse tumultuar ou ameaçar as pessoas de bem. Quanto ao sr. Stédile, se ele fechar as estradas, a Polícia Rodoviária Federal e as Polícias Militares vão reabri-las em seguida, e vão levar todos presos. Ousem, para ver! O reinado do crime e do terror do PT acabou! Repetimos, para que não restem dúvidas: não temos medo do PT.

Maria Cristina Rocha Azevedo crisrochazevedo@hotmail.com 

Florianópolis

*

GUERRA PARA MANTER O PODER

O que querem Lula, Dilma e o PT? Uma guerra civil para não largar o osso? Não bastam as estridentes evidencias de utilização da "res publica" para se locupletarem? Este discurso de que "nunca antes neste país se fez tanto pelos pobres" não cola mais. Preferem chamar as milícias petistas, eufemisticamente chamadas de "movimentos sociais", para defender a bandalheira em benefício próprio de alguns privilegiados do partido. Preferem lançar o País numa guerra civil do que renunciar a um governo já morto. Petistas, pensem no Brasil. Tem muita gente boa no PT. Não naufraguem junto com o lulopetismo. Tenham a grandeza de sair de cena e de se apresentarem como participantes do grupo daqueles que pensam no Brasil com valores morais e combatentes da corrupção. Como é sabido, a corrupção afeta diretamente os mais pobres. A saída de cena de Dilma e de Lula é condição "sine qua non" para sairmos da penúria em que estamos. 

Salvador Bordieri Neto sbordierineto@gmail.com

Sorocaba

*

A SOLIDARIEDADE DE DILMA A LULA

Foi um ultraje aos brasileiros a atitude da presidente Dilma Rousseff de utilizar o avião presidencial para viajar a São Paulo e, depois, um helicóptero para ir do Aeroporto de Congonhas até São Bernardo do Campo, num trajeto que levaria no máximo 30 minutos de carro, para uma visita particular ao ex-presidente Lula, um dia depois de ele ter sido levado a depor à Polícia Federal. Lembrando que, quando da tragédia de Mariana (MG), a presidente aguardou uma semana até fazer uma visita ao local. E é ainda mais revoltante lembrar que, no mês de janeiro deste ano, um garoto em Brasília faleceu aguardando um coração para transplante que estava disponível em Pouso Alegre (MG), porque a Força Aérea Brasileira não pôde buscar o órgão. Dilma Rousseff precisa ressarcir os gastos desta e de outras viagens particulares, visto que a maioria da população brasileira tem passado por dificuldades financeiras gravíssimas, enquanto impostos e o desemprego só aumentam. Urge uma cobrança não só da oposição, mas sensibilidade do próprio PT, para coibir tais abusos, que maculam ainda mais a desgastada reputação do governo.

Daniel Marques danielmarquesvgp@gmail.com 

Virginópolis (MG)

*

RESPEITO PELO BRASIL

Que negócio é este de num sábado, sem nenhuma urgência aparente, a senhora "presidenta" pegar o avião presidencial, voar até São Paulo, pegar um helicóptero (quem vai pagar a conta somos nós) para dar uma abraço no senhor "Brahma"? Isso é absurdo. Avião presidencial, pelo que sei, é para se deslocar para assuntos referentes ao País, não para assuntos particulares. Lula não é mais nada. É uma pessoa comum. Por que este avião não foi utilizado para transportar o coração de um doador, há alguns meses, que salvaria um garoto em Brasília, que veio a falecer porque não havia aeronave da FAB disponível para o transporte? Vamos ter um pouco de respeito pelo Brasil.

José Claudio Canato jccanato@yahoo.com.br 

São Paulo

*

DO BOLSO DO CONTRIBUINTE

Gostaria de saber quem pagou a viagem da "presidenta" Dilma Rousseff e de sua comitiva para São Bernardo do Campo e Rio Grande do Sul no fim de semana, pois, que eu saiba, os motivos foram particulares. Se foi o pobre e sofrido povo brasileiro, essa atitude é constitucional? 

Cristina H. Braun ch.braun@globo.com 

São Paulo

*

DESRESPEITO E INSANIDADE

A cada dia que passa ficamos boquiabertos e espantados com a incompetência e as loucuras que a presidente apronta. É uma afronta ao brasileiro ver que a presidente do País achincalha a Constituição e o Estado de Direito. Não satisfeita de se deixar dominar pela gentalha do PT (leia-se Jaques Wagner), ela se rebaixa e se avassala de forma ridícula e com gastos públicos inaceitáveis, para dar solidariedade a uma pessoa vil, que, além de estar sendo investigada pelo poder público por corrupção e outras mazelas, não consegue dar explicações sobre seu enriquecimento ao que parece ilícito. É uma vergonha para o povo brasileiro essa presidente. Sem a leitura de um prompt, não tem raciocínio lógico para falar em público. Infelizmente, o ex-presidente colocou em seu lugar um poste na total acepção da palavra. Essa mulher tem de ser deposta o mais rápido possível para que o Brasil renasça das cinzas e volte a ser o gigante que sempre foi. 

Antonio F. Guimaraes afergui@terra.com.br

São Paulo

*

MEDO DE CURITIBA

A presidente Dilma não percebe que já não governa e que está acuada no palácio. Poderia ser o medo de perder o foro especial e acabar em Curitiba que a faz não desistir do "osso"?

Odila Santana odila.santana@gmail.com 

São Paulo

*

NÃO PASSARÃO

Dilma Rousseff se equivoca "propositadamente" quando diz que não tem o menor sentido Lula ser conduzido para depor "sob vara curta". Primeiro, que não foi sob vara curta. E também se soube que Lula, antes de saber que estava decretada sua condução coercitiva, disse que só sairia de casa para depor naquele dia se fosse algemado. Ou seja, negou-se mais uma vez a depor, o contrário do que querem nos fazer acreditar A Polícia Federal só o levou depois de ele conversar com um de seus advogados, que o aconselhou a ir, sob os cuidados intensivos dos agentes da Polícia Federal, que foram instruídos a evitar constrangimentos ao ex-presidente. A verdade é que todos os petistas estão se aproveitando da situação para vitimizar Lula e fazer disso uma base de defesa forte contra futuros acontecimentos que já preveem, como a sua possível prisão. O exército petista estará, então, devidamente cheio de ódio, pois não se faz isso com o ex-presidente, cuja alma é "a mais honesta" do Brasil e não merece esse tratamento, só devido aos mortais. Mas, então, vêm as provas documentais da Operação Lava Jato e fazem Lula passar por mentiroso, aumentando sua culpa e derrubando essa estratégia furada. Não vai ser no braço, não vai ser no grito que eles vão impedir que a Operação Lava Jato continue sua habilidosa e técnica investigação contra os ladrões que sugaram a saúde do Brasil. Com a lei que assegura a todos a igualdade, eles cairão. E não poderão fazer nada para obstar  isso.

Myrian Macedo myrian.macedo@uol.com.br 

São Paulo

*

VARAS & VARAS

Gostaria de esclarecer à presidente Dilma Rousseff que conduzir uma pessoa "sob vara" constitui-se um termo jurídico relativo à jurisdição de um juiz, nada se tratando daquele ramo delgado de árvore ou arbusto, ou qualquer outra designação chula. Conduzir sob vara nunca significou um ato agressivo ao conduzido. Antes do ex-presidente Lula, no âmbito da Operação Lava Jato, centenas de brasileiros foram conduzidos sob vara para prestar esclarecimentos à Justiça, sem que isso fosse considerado uma manifestação de força. Na sua condição de presidente da República, o mínimo que se exige antes da apuração dos fatos é a isenção.

José Carlos Degaspare degaspare@uol.com.br

São Paulo

*

TROCANDO AS BOLAS

A estupefação pelo "atrevimento" foi tanta que a jararaca confundiu cabeça com rabo e enfiou uma na outra.

Lazar Krym lkrym@terra.com.br 

São Paulo

*

A LEI COMO ADVERSÁRIO

Deve ser uma vida muito triste quando um homem tem como seu principal adversário a lei. Muitos políticos, inclusive Dilma e Lula, estão vivendo essa amargura. A lei os assombrando, e cada vez mais são obrigados a usarem a linguagem do PAMG (prometem, acusam, mentem e gritam), de Roberto Campos. Os empresários sacanas, empreiteiros em especial, presos ou não, estão se borrando vendo a lei nos seus calcanhares feito um bravo pitbull. Presidentes, diretores e gerentes de estatais vivem em igual situação. Imaginem se a lei alcançar o Banco do Brasil, a Caixa Econômica Federal e o BNDES. O dinheiro roubado não compensará a vida de medo com que essa gente vive.

Sérgio Barbosa sergiobarbosa@megasinal.com.br 

Batatais

*

PILARES DA TERRA

 

Brilhante e emocionante o artigo "Está inaugurada a democracia brasileira", de Fernão Lara Mesquita (5/3, A2). O juiz Sérgio Moro, como Edward Coke, há 411 anos na Inglaterra, transformou-se, ele mesmo, numa instituição e está a demonstrar aos brasileiros que não há, no Brasil que se inicia, espaço para o arbítrio nem brecha para a corrupção. Como disse a atriz Juliana Paes: "Eu não quero viver em outro país. Eu quero viver em outro Brasil" (5/3, A15), onde "o rei não está submetido a homem nenhum, mas está submetido a Deus e à lei"!

Nilson Otávio de Oliveira noo@uol.com.br

Valinhos

*

O ERRO DE LULA

Os primitivos instintos de Lula estão reaparecendo. Os historiadores explicarão melhor, mas dou aqui minha interpretação. Lula sempre odiou os ricos e jurou um dia tirar dinheiro deles. No questionável segundo mandato de FHC, Lula já estava desistindo dos sonhos de fama, poder e riqueza e, para a quarta tentativa, exigiu um disfarce às verdadeiras intenções do PT e publicou a "Carta ao Povo Brasileiro". Duda Mendonça operou o milagre da sua transformação em "Lulinha Paz e Amor". FHC, emocionado e submisso, passou-lhe a faixa. Após vir à tona o mensalão, Lula decidiu reassumir de uma vez os antigos planos e se reelegeu. Para evitar novas lideranças na oposição, concentrou seu fogo no indefeso FHC. Conquistou o poder e a fama e percorreu o mundo. Mas faltava a riqueza. Sabia que, enquanto presidente, era vigiado. Pensou nos bancos, mas desistiu. Planejou tirar dinheiro das grandes empreiteiras via obras na Petrobrás e no Terceiro Mundo corrupto, via BNDES. Deixou Dilma em seu lugar, viajou, negociou projetos para as empreiteiras, cobrando ainda US$ 200 mil por palestra. Ganhou sítios e apartamentos e riqueza para a família. Seu único erro foi Dilma Rousseff. Ela é ruim demais. Agora, para manter a fama, o poder e a riqueza disfarçada, reassume seus instintos primitivos e ataca a Lava Jato. O Brasil e o povo, que nunca amou, que se lixem. Quer voltar em 2018.

Gilberto Dib gilberto@dib.com.br

São Paulo

*

NÃO DEU...

Poxa, Lulão, que chato! Todo mundo está vendo que você até tentou, usando imóveis no nome de seus amigos, mas não deu! Até Zé Dirceu, que é muito mais inteligente, culto e esperto que você, está preso. Sabe, este negócio de receber ajuda de amigo pobre que tem medo da "puliça" não podia acabar em outra coisa... Inclusive porque você, a "alma mais honesta" do Brasil, quiçá do mundo, tem atitudes bíblicas: como Judas, esquece todo mundo que foi para a Papuda!

Flávia da R. A. de P. Santos Nardi flavia.nardi@hotmail.com

Valinhos

*

LULA E OS PROCESSOS

O vídeo que está circulando pelas redes sociais, postado inocentemente pela deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ), mostra, segundo ela, um Lula "muito tranquilo". Ao fundo, porém, o ex-presidente fala, ao telefone, "que enfiem no c... os processos". A imagem não me chocou, porque está de acordo com o que os governos petistas fizeram com a economia do País.

 

Alberto Souza Daneu curtasuasaude@uol.com.br 

Osasco

*

PROPAGANDA

O vídeo de apoio de Jandira Feghali a Lula mostra que ela tem competência para fazer parte da equipe de marqueteiros de João Santana nas próximas campanhas políticas.

Ely Weinstein elyw@terra.com.br 

São Paulo

*

OPERAÇÃO LAVA JATO

Parabéns à força-tarefa da Operação Lava Jato pela demonstração de que nenhum brasileiro é mais importante que o outro. São atitudes como estas que, aos poucos, vêm consolidar nossa frágil democracia. A Operação Lava Jato está focada nos desmandos praticados na Petrobrás, que é o maior patrimônio de nosso povo e hoje se encontra abatida pela infinidade de saques praticados pelo grupo político que domina nossa nação e que em pouco mais de dez anos usufruiu, impunemente, das benesses que esse poder os dá. Há mais de um ano essa operação está em andamento na apuração dos meios em que se cometeram os delitos, já foram expedidos 117 mandados de condução coercitiva, e em nenhum momento feriu os direitos constitucionais dos conduzidos, alguns casos já foram julgados e penalizados; outros, julgados e inocentados; porém sempre respeitando o histórico de cada indivíduo. Portanto, é de estranhar o porquê desta revolta e da incitação popular do cidadão Luiz Inácio. Ele é mais importante que qualquer um de nós? Ele tem alguma coisa a esconder e que não deseja que seja revelada? Ou, simplesmente, se acha acima das leis de nosso país? Ora, numa verdadeira democracia, todos são iguais perante a lei e ninguém está acima dela, e, se alguém se coloca acima da lei, com certeza esse regime pode ser qualquer coisa, exceto uma democracia. Espero, sinceramente, que esta operação nos livre do atoleiro moral em que hoje nos encontramos, pois aos olhos dos povos de grandes democracias somos vistos com escárnio e falta de confiança. E que, com isso, possamos aprimorar os dispositivos de combate à corrupção.

Roberto Luiz Tibiriçá rltibirica@yahoo.com.br 

São Paulo

*

PREMONIÇÃO

Pergunta: o que fez os seguranças de Lula chegarem duas horas mais cedo do que de costume na semana passada, quando ocorreu a ação da Polícia Federal? Resposta: vocês já ouviram falar de premonição?

Jorge Alberto Nurkin jorge.nurkin@gmail.com 

São Paulo

*

EU TAMBÉM QUERO

O ex-presidente Lula disse que, depois de ultrapassada a Operação Lava Jato, vai querer receber um sítio e um apartamento tríplex. Pois bem, também assim eu, em nome de centenas de sitiantes, moradores e veranistas da localidade de Lagoa das Lontras, no município de Miguel Pereira (RJ), vou desejar também receber uma antena de telefonia celular para que esse logradouro público possa contar com as mesmas facilidades com que contam poucos e determinados proprietários em Atibaia (SP).

Marcelo Gomes Jorge Feres marcelogferes@ig.com.br 

Rio de Janeiro

*

CRISE & LAVA JATO

A demagogia vendeu esperança. A egocentria descobriu-se suprema. A mitomania alojou-se acima da lei. O ilusionismo mascarou a realidade. A impunidade tentou a institucionalidade. A institucionalidade garantiria a perpetuidade. Assim, a desonestidade implantou a governabilidade. Para isso, a mentira colocou uma marionete na Presidência. Tamanha inconsequência instaurou o nós contra eles. Mas incompetência é um fator desagregador. O butim não está longe do fim. A irresponsabilidade, fingindo-se coitadinha, exime-se de qualquer culpa. E ainda usa brasileiros para exibir um cadáver nas ruas...

A.Fernandes standyball@hotmail.com 

São Paulo

*

SUGESTÃO AO JUIZ MORO

 

Excelência, não perca seu precioso tempo com Lula. Ele jamais será convencido do que quer que seja. Ele, o mais honesto entre os vivos, que dá entrevista sem perguntas dos jornalistas, ou seja, é antidemocrático, não respeita opiniões diferentes, só aceita a opinião dos áulicos que o cortejam por evidente interesse na permanência do PT no poder, quando todos se beneficiarão, como o foi até agora, embora quebrado o Brasil. Vossa Excelência está cansado de ler o artigo 93, inc. IX, da Constituição federal. Só tem de fundamentar suas decisões e ponto. E fundamentou. Nada tem de explicar. Nem Lula merece sua atenção. É pessoa comum e se submete às leis e pronto. Explicações quem tem de dar é ele. E muitas. Em frente, magistrado!

Sebastião Vanderlei Pinheiro vanderlei106@terra.com.br

São Paulo

*

PERIGO

 

O prefeito de Santo André Celso Daniel foi assassinado em 2002 porque denunciaria corrupção na área de transportes. O juiz federal Sérgio Moro carece de reforço na sua proteção, porque sua vida corre risco e, para virar o jogo, ele é a nossa esperança. Explico. O homem forte do governo Lula, Gilberto Carvalho, em entrevista ao jornal "Folha de S.Paulo" sobre a Operação Lava Jato, à pergunta sobre uma eventual prisão de Lula, respondeu taxativamente: "Eu não quero falar nessa hipótese, espero sinceramente que não aconteça. Eu só espero que eles não brinquem com fogo". Vida longa para Sérgio Movo, são os votos do povo brasileiro.

Humberto Schuwartz Soares hs-soares@uol.com.br 

Vila Velha (ES)

*

BRINCANDO COM FOGO

O ex-ministro Gilberto Carvalho, em recente entrevista ao jornal "Folha de S.Paulo", quando indagado a respeito de uma eventual prisão de Lula, declarou: "Não quero falar nessa hipótese. Espero que não brinquem com fogo". Ora, brincar com fogo seria atropelar a Constituição federal de 1988, que em seu Art. 3.º, parágrafo IV, determina, como um dos objetivos fundamentais da República Federativa do Brasil, "promover o bem de todos, sem preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação". O problema é que Lula e seus seguidores acham inadmissível que o ex-presidente seja tratado como um cidadão comum e sujeito às mesmas leis.

João Manuel F. S. C. Maio clinicamaio@terra.com.br

São José dos Campos 

*

'ESCALADA IRRESPONSÁVEL'

Excelente o editorial sob o título acima (8/3, A3). O sr. Gilberto Carvalho parece ter sido seminarista em sua juventude, bem antes de ingressar na quadrilha petista. Espero que esse "cumpanhero" não tenha sofrido no seminário as deformações de caráter, mas  no convívio com os malfeitores que integram a quadrilha que vem (des)governando o País. Segundo o que deve ter aprendido em seu noviciado, sempre é tempo de se arrepender. Por suas cãs, já era tempo de ter-se arrependido. Que não seja um "caso perdido". São meus votos.

Mário Rubens Costa costamar31@terra.com.br 

Campinas

*

A LAVA JATO E A ECONOMIA

Uma denúncia feita pelo senador Delcídio do Amaral (PT-MS) envolvendo Dilma Rousseff e Lula em falcatruas fez o Ibovespa subir 5,12%. Se a "alma mais honesta do Brasil) for indiciada, o dólar, com certeza, vai emparelhar com o real em um por um. Se "elle" for preso, teremos a moeda mais forte do mundo.

Paulo de Oliveira Barros dr.paulobarros25000@gmail.com 

São Paulo

*

FACA NOS DENTES

Se tivesse alguma dúvida, agora não mais. Bastou ter lido a manifestação de apoio da ditadura cubana a Lula, que ainda tem o descaramento de falar em Constituição e democracia, ver as manifestações de Dilma e a reação da filha de Lula, Lurian, quando lhe solicitaram, educadamente, uma entrevista.

 

Luiz Nusbaum lnusbaum@uol.com.br 

São Paulo

*

GENTE FINA

Enquanto o pai manda a Justiça enfiar o processo no c..., a filha, Lurian, simboliza o mesmo ao apontar o dedo médio para a reportagem do "Estadão", durante uma manifestação no Rio de Janeiro, dizendo que não fala com a "mídia golpista". Afinal, cada um se defende como pode. E esse é limite máximo para Lula e sua filha Lurian. Gente fina é outra coisa...

Regina Ulhôa Cintra reginaulhoa13@outlook.com 

São Paulo

*

ERRO DE AVALIAÇÃO

É um verdadeiro absurdo a perseguição da mídia contra lady Lurian, filha dos da Silva. Ela, na sua ingenuidade, só estava levantando o dedo médio para nos informar de que o jogo estava 1 a 0 para "nóis, mano".

 

Marcos Catap marcoscatap@uol.com.br

São Paulo

*

LURIAN

Como dizia meu saudoso sogro, "gato que nasce em forno não é pão", quem não tem educação de berço, mesmo sendo presidente, não consegue dar um mínimo de educação aos filhos. Lastimável o gesto da filha do ex-presidente que não quer largar o osso. Êta familinha.

Carlos R. Gomes Fernandes crgfernandes@uol.com.br 

Ourinhos 

*

HEREDITÁRIO

 

Educação herdada de pai para filha, ou será que lhe faltam dedos na mão também?

Alessandro Lucchesi timtim.lucchesi@hotmail.com

Casa Branca

*

PÁTRIA EDUCADORA

Eu não conhecia a filha de Lula nem por fotografia, mas, ao vê-la estampada na capa do "Estadão" de 7/3, percebi que não vinha perdendo nada. Primitiva a moça, não?

Marcia Meirelles marciambm@yahoo.com.br 

São Paulo

*

GOLPE

Não vai ter golpe, nem da mídia golpista, nem da direita golpista e muito menos de brasileiros golpistas. O que desejamos é aplicar um certeiro ippon, pancada certeira que leve à queda todos aqueles os que estão destruindo nosso Brasil, mas pelos meios constitucionais e em clima de ordem e decência e que conduza o nosso país de novo aos caminhos da honestidade, da probidade e do autêntico compromisso com a "res publica".

Clênio Falcão Lins Caldas clenio.caldas@gmail.com 

São Paulo

*

A VAIDADE HUMANA

É inegável a grande repercussão das medidas do juiz federal Sérgio Moro. É imperativo que seus pares renunciem à vaidade, em benefício de algo muito maior. Lula e sua militância cega não terão nenhum pudor em promover a violência e o caos no País. Afinal, ninguém é mais vaidoso do que ele próprio, jamais aceitaria ser submetido à Justiça dos homens.

Mário Issa drmarioissa@yahoo.com.br

São Paulo

*

PAÍS DE INCERTEZAS

Vivemos uma era de incertezas. Nunca antes na história deste país tivemos uma recessão tão grande. Há incertezas na economia, na política, no comércio, na indústria e, consequentemente, no bolso e na vida do cidadão. Como consumir, se o emprego está sendo ameaçado? Atualmente, o cidadão só vai ao supermercado e à farmácia. Vejam que tristeza!  Hoje o trabalhador é obrigado a planejar inclusive o remédio que precisará tomar. Dona Dilma, ninguém acredita no seu governo. A senhora prometeu um país cor de rosa aos brasileiros, e agora todos estão vendo a situação preta. Não dá mais para suportar tanta incompetência. Renuncie pelo bem do Brasil ou será mandada embora pelo mesmo povo que lhe deu o voto!

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com 

São Paulo

*

PROPOSTAS REPUGNANTES

Vistas por qualquer ângulo, as propostas apresentadas pelo deputado federal Wadih Damous (PT-RJ) para restringir as delações premiadas e para reverter decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que permite prisão de condenados em segunda instância são repugnantes. A pretensão de invalidar mecanismos legais que vêm permitindo desbaratar as organizações criminosas que dilapidaram os cofres da Nação afronta o desejo da população brasileira, que, pela primeira vez em sua história, vê o princípio constitucional de que todos são iguais perante a lei atingir quem quer que tenha contas a prestar à Justiça, independentemente de quem seja. O açodamento do autor do projeto e dos partidos da base aliada do governo petista - suspeito de liderar as práticas criminosas investigadas na Operação Lava Jato - em apreciar os projetos já nesta semana só pode ser visto como uma associação para evitar que grande parte de seus integrantes seja alcançada pelos braços da lei.

Sergio Saraiva Ridel sergiosridel@yahoo.com.br 

São Paulo

*

PROJETO ESCANDALOSO

O projeto do deputado federal do PT Wadih Damous para restringir delações premiadas e reverter decisão do STF que permite prisão após condenação em segunda instância é escandaloso, visando unicamente a perpetuar a corrupção e a impunidade.

Paulo de Tarso Abrão ptabrao@uol.com.br 

São Paulo

*

PRISÃO ANTECIPADA

O artigo "Prisão antecipada, erro antecipado à vista" (4/3, A2) tem embasamentos jurídicos importantes, contudo lemos neste mesmo espaço texto do dr. Rodrigo Janot sobre o mesmo tema, com visão inversa. Mostrou ele que nas instâncias superiores não são analisados aspectos ligados aos crimes em si, mas aspectos referentes a erros processuais. Ou seja, houve duas instâncias anteriores à ordem de prisão. Não podemos considerar, "a priori", que nestes dois níveis sempre haverá erros. Creio que a regra será ou é o acerto. Portanto, é preferível que os eventuais erros venham a ser de alguma forma indenizados do que a permanência de indivíduos condenados duas vezes, soltos, numa afronta à sociedade. Vejo que esta decisão é republicana e que mudará a conduta dos membros de nossa sociedade. Todos nós pensaremos duas vezes se são lícitas situações duvidosas que passam por nossa vida.

Nelson Mattioli Leite nelsonmattioli@icloud.com 

São Paulo

*

PRISÃO EM SEGUNDA INSTÂNCIA

Ora, se a simples condenação já significa o merecido castigo, então vamos demolir as prisões e detenções. 

Miguel Ribeiro da Silva mrsierra@ig.com.br 

Jandira

*

O NOVO MINISTRO DA JUSTIÇA

Por que será que o ministro Wellington César Lima e Silva não queria se demitir do Ministério Público da Bahia? Porque sabe que o seu novo emprego em Brasília tem prazo muito curto e ele não queria perder o emprego atual.

João Teodoro Arruda de Araujo arrudadearaujo@gmail.com

São Paulo

*

INCÊNDIO EM PASADENA

Com o vazamento da 24.ª fase da Operação Lava Jato, o Partido dos Trabalhadores (PT) conseguiu "sumir" com várias provas no Instituto Lula e da LILS, a empresa do ex-presidente Lula. Agora foi a vez de Pasadena queimar. Queima de arquivo?

  

Júlio Roberto Ayres Brisola jrobrisola@uol.com.br 

São Paulo

*

CRISE HÍDRICA E IMPRUDÊNCIA

O governador Geraldo Alckmin demonstra incrível falta de visão, prudência e oportunidade ao decretar o fim da crise hídrica, na prática, dando a senha para que volte o consumo inconsciente. Não percebeu quando a crise começou e não percebeu que não acabou. O programa de bônus deveria ser incorporado de vez, pois educa a sociedade, lembrando que os problemas com a água vieram para ficar. 

Carlos Eduardo Lessa Brandão celb@iname.com 

São Paulo

*

SISTEMA CANTAREIRA

A decisão de revogar a autorização para a captação de água das duas cotas do volume morto do Cantareira vai tornar mais clara e transparente a situação hídrica. Agora, somente poderá ser usado e divulgado o índice do volume útil (28,7%), como informado pela Sabesp em 7/3, e não mais uma soma com o volume morto (58%), pois isso fazia parecer que o problema da falta de água já estava superado ao não levar em conta que haverá novamente a estiagem de abril a setembro deste ano.

Luiz Roberto Da Costa Jr. lrcostajr@uol.com.br 

Campinas

*

TRÂNSITO E FISCALIZAÇÃO

Ótima e no tempo certo a reportagem sobre os radares armadilha, que sustentam a indústria das multas em São Paulo ("Com Haddad, número de radares cresce 57,5% e capital já tem 925 equipamentos", 7/3, A13). Só faltou dizer quanto custou aos cofres da nossa combalida cidade a instalação deles. Mais de R$ 1 bilhão. Basta pedir para ver o contrato com a empresa. É justo?

Ricardo Rayes rirayes@uol.com.br 

São Paulo

*

NO RADAR

É bom avisar o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), o maior colocador de radares por metro quadrado na cidade, que ele já está no radar da Operação Lava Jato, com o marqueteiro pondo a nu o que fez em seu proveito na campanha. A dinheirama arrecadada nem sequer retorna para a caótica situação das ruas, dos semáforos e do entorno, apenas ciclovias, e, quando chove, nem precisa falar...

 

Carlos Henrique Abrao abraoc@uol.com.br

São Paulo

*

MULTAS POR RADARES

Não sou contra multas para fiscalizações do trânsito, mas vocês já andaram a 30 km/h numa rua que tinha limite de velocidade de 50 km/h? Os radares deveriam ser iguais aos de alguns países da Europa, onde, se a velocidade limite for 30, 40, 50, 70, 80, 90, 100 ou 120 km/h, em razão de erros dos velocímetros dos automóveis e dos radares só é multado quem estiver acima de 10 km/h do limite especificado. Aqui, no Brasil, é utilizada uma tolerância de mais 10% do limite estabelecido, isso para 30, 40, 50 km/h. A tolerância é muito baixa e, para 120 km/h, é muito alta. Para as velocidades menores, não corrigem os erros de velocímetros dos automóveis e dos radares fixos e móveis, e para velocidades maiores, em que temos os piores acidentes, a tolerância é maior. Deveríamos dar uma tolerância de mais 10 km/h para todas as velocidades, para corrigir as variações dos velocímetros e radares. 

Antonio Julião Bezerra Damasio antoniojdamasio@gmail.com 

Itapetininga

*

PERDIZES NA NOITE

Não estou escrevendo sobre as galináceas, como o título possa parecer, mesmo porque a perdiz não tem hábitos noturnos. Quero me referir ao bairro em que moro em São Paulo, Perdizes. Sofremos diariamente com a falta de luz, que se tornou uma constante aqui no bairro. Não há nenhum motivo, fora o desmando, que justifique esse problema de geração. Nossos reservatórios já recuperaram boa parte de sua capacidade e não há racionamento nem aumento de consumo nesta época em que os brasileiros estão economizando no que podem, massacrados pela política desastrosa do governo. Na realidade, o que está causando esse problema sério da falta de luz é o total descaso das concessionárias responsáveis pelo abastecimento deste vital componente em nossa vida. Não fazem manutenção preventiva, não investem em equipamentos, não modernizam suas subestações e nós pagamos o pato, ou, melhor, a conta. É preciso uma intervenção do governo, não sei se municipal ou estadual, para acabar com este abuso das concessionárias. O fato da existência de uma concessão não exime o governo de suas responsabilidades de cuidar do cidadão, garantindo-lhe o retorno pelo que paga nessas exorbitantes tarifas elétricas.

Paulo Tude petude@hotmail.com 

São Paulo

*

A TAÇA JULES RIMET

Gostaria de esclarecer os seguintes fatos a respeito da mateira "Fifa parte em busca da taça perdida" (6/3, D1): além da taça Jules Rimet, foram roubadas mais 3 taças, e fui eu quem fez o projeto de reconstrução de todas elas em 1984, tendo, portanto, livre acesso, naquela época, à presidência da Confederação Brasileira de Futebol (CBF). Numa reunião de diretoria da CBF eu fui informado de que os ladrões das taças tinham recebido dinheiro do argentino que as derreteu. Foi dito que, quando a polícia descobriu os ladrões, "pediram" que eles informassem onde estava o dinheiro da venda. O dinheiro foi achado numa caixa sob a cama de um deles. Depois disso, o dinheiro sumiu! O argentino, quando preso, disse que logo que recebeu as taças elas foram derretidas. A Jules Rimet tinha 3,8 kg, porém somente 1.8 de ouro. A Taça Independência, também roubada, tinha um valor monetário muito maior do que a Jules Rimet. Se o dinheiro sumiu, será que as barras de ouro também não sumiram? A informação de que a CBF tinha uma réplica no cofre é falsa. Os alemães, que refizeram a Jules Rimet, tinham os moldes, mas exigiram que nós apresentássemos uma réplica. A CBF não tinha.   Quem nos forneceu uma réplica foi Carlos Alberto Torres e eu pessoalmente a peguei em seu apartamento com sua esposa, Terezinha Sodré.   Quem a levou para a Alemanha foi a atriz Renata Fronzi, que estava partindo para Frankfurt naqueles dias, a pedido do seu filho Cezar Ladeira Filho, que trabalhava no projeto conosco. Existem muitas dúvidas se a Jules Rimet roubada foi a original, feita em 1929, ou se já era uma segunda cópia, ou, talvez, uma terceira. Essa dúvida foi levantada pelo jornalista Oldemário Touguinhó, do "Jornal do Brasil" do Rio, numa reportagem do dia 19/8/1984.   A grande diferença da original para a que foi roubada estava na base. Mas esse mistério foi desvendado no ano passado, quando a Fifa achou a base original em seus porões e declarou que essa base foi trocada por uma nova em 1954. Creio que o sr. Guy Oliver vai perder seu tempo procurando a taça, ou talvez ele queira somente promover o museu da Fifa, que será inaugurado, uns dizem, neste ano, outros dizem em 2019. 

Dario Mingorance dmingorance@terra.com.br 

São Paulo

*

DIA INTERNACIONAL DA MULHER

Parabéns ao "Caderno2" por celebrar o Dia Internacional da Mulher com a imagem áurea de Cecília Meireles. Ela não dependia de limar suas belas poesias. Sua beleza, sorriso e olhar já eram todas as poesias. Além disso, clarividente para não defender somente as meninas, mas também os meninos, para ira de muitas feministas desbussoladas, certamente desconhecedoras da simpatia cósmica de Kobayashi Issa por toda a raça humana: "Lua montanhesa / também iluminas / o ladrão de flores". 

 

Amadeu R. Garrido de Paula amadeugarridoadv@uol.com.br 

São Paulo

*

O ASSASSINATO DE MULHERES

As mulheres que foram assassinadas por um empresário, numa tecelagem, nos Estados Unidos da América do Norte conseguiram deixar para a humanidade um grito de sufoco pela liberdade e pelo direito de protestar. Morreram e ainda a humanidade não conseguiu descobrir que sem elas o mundo é um caos. Que esta data, 8 de março, não seja apenas um dia de homenagens para venda de flores e compra de presentes ou até mensagens fraternas. O mundo tem de ser lembrado sempre de que a automatização dos meios de produção e a precarização do trabalho não vão salvar a humanidade nem a Justiça, que é cega e caolha.

Sinésio Müzel de Moura sinesiomuzel.de moura@gmail.com 

Campinas

*

POUCO A COMEMORAR

É incrível que, de todas as mulheres do Brasil, a sra. Dilma Rousseff, a maior autoridade deste país, é a que menos teve a comemorar no dia 8 de março. E não por ser mulher, mas por ser presidente.

 

Clodomir de Jesus Redondo clodoredondo@bol.com.br 

Araçoiaba da Serra

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.