Fórum dos Leitores

LULOPETISMO

O Estado de S.Paulo

16 Março 2016 | 03h00

Então, vai ter golpe?

Lula assumindo cargo no governo? Ué, mas não disseram que não ia ter golpe?

MARCIO GUEDES

mfguedes@msn.com

São Paulo

Figura perniciosa

O golpe de que tanto o PT fala, na verdade, será dado por Lula primeiro-ministro. Dilma será apenas figura decorativa – aliás já é. Lula, então, se manterá no poder para continuar praticando suas maldades contra o povo brasileiro e na sua cabeça oca achará, como sempre, que não estará fazendo nada de mais. Esse indivíduo é figura perniciosa e levará mais depressa o País a uma catástrofe, se não for impedido.

ALVARO SALVI

alvarosalvi@hotmail.com

Santo André

Mundo louco

Nunca antes na História deste país um cidadão encurralado pela Justiça exigiu carta branca para governar o Brasil.

HELENA RODARTE C. VALENTE

helenacv@uol.com.br

Rio de Janeiro

Afronta ao povo

Mais uma vez os petistas demonstram seu desprezo pelo povo. Após a maior manifestação já realizada neste país, em que ficou expresso o que a grande maioria dos brasileiros pensa do sr. Lula da Silva, mostrado e aclamado como presidiário e ladrão, será nomeado “superministro”?! Hilário, se não fosse trágico. A verdade é que esse gesto é mais que suficiente para evidenciar o desprezo que tem pelos brasileiros e plenamente justifica o clamor do povo nas ruas. Fora PT, fora Dilma e Lula na cadeia!

CARLOS NEY MILLEN COUTINHO

cncoutinho@uol.com.br

Rio de Janeiro

Fora Dilma

Uma presidente que não sabe ouvir a voz do povo não é digna do povo que governa.

MARA MENDES

maraherdade@gmail.com

São Paulo

Grande maracutaia

Apesar da maciça manifestação contra as tristes figuras de Dilma e Lula, ela vai protegê-lo de processo judicial dando-lhe cargo de ministro... Essa maracutaia indo adiante, o Brasil acabou! Seria o caso de uma paralisação geral de todas as atividades produtivas, em sinal de repúdio a esse desrespeito ao povo.

ROBERTO ZAKI DIB

robertodib.ingles@uol.com.br

São Paulo

Culpa no cartório

Aceitando o cargo de ministro no desgoverno Dilma, Lula assume de maneira cabal que é responsável por todas as acusações que lhe são imputadas em todas as instâncias de investigações, tanto no MP-SP como na Lava Jato. E Dilma dá mais um tiro no pé de seu falido governo.

BORIS BECKER

borisbecker54@gmail.com

São Paulo

Nitroglicerina pura

Lula num ministério é, de fato, passar atestado de culpa. Mas a busca do foro privilegiado é tão insana que talvez os julgamentos morais do que é certo e errado fiquem pelo caminho. Agora, que vai ser dinamite nos pilares do governo, ah, isso vai...

SÉRGIO ECKERMANN PASSOS

sepassos@yahoo.com.br

Porto Feliz

O cargo desejado

Lula, na verdade, deve estar pensando no cargo de diretor-geral da Polícia Federal. Entenderam?

OMAR EL SEOUD

elseoud.usp@gmail.com

São Paulo

Obstrução da Justiça

Assumindo qualquer ministério, Lula estará obstruindo a Justiça e não é preciso ser jurista renomado para ter esse entendimento. A oposição já percebeu isso? Com a palavra a força-tarefa da Operação Lava Jato.

FÁBIO SIQUEIRA

fabio.comendador@gmail.com

Uberaba (MG)

Risco de fuga

O juiz Sergio Moro tem de acatar logo o parecer dos procuradores e mandar prender Lula preventivamente, antes que ele assuma como ministro, pois existe alto risco de fuga para o Planalto.

ARY NISENBAUM

aryn@uol.com.br

São Paulo

A legislação brasileira permite a delação premiada, mas não a evasão premeditada!

CARLOS CARDOSO

santhacar@uol.com.br

São Paulo

Resumindo: o valentão de Garanhuns vai se esconder atrás da saia da “mamãe” para não ser castigado?!

JOSÉ GILBERTO SILVESTRINI

jgsilvestrini@gmail.com

Pirassununga

Impeachment/cassação

Espero que o afastamento de Dilma saia logo, assim o Lula sai junto, pois o novo presidente vai escolher outros ministros. O juiz Sergio Moro vai então poder continuar seu importantíssimo trabalho de provar quem é esse cumpanheiro, que deve responder pelos “males feitos”.

AIRTON MOREIRA SANCHES

moreira.sanches@uol.com.br

São Paulo

Quanto mais Dilma, Lula e PT resistirem, mais fundas serão as suas covas!

LUIGI VERCESI

luigiapvercesi@gmail.com

Botucatu

Ah, se fosse FHC...

Já imaginaram se Aécio Neves fosse presidente e 6,5 milhões de pessoas tivessem saído às ruas clamando por seu impeachment? E se ele oferecesse um cargo de ministro a FHC para ele não ser preso? E se o ex-presidente tucano aceitasse, dizendo que não era para fugir da Justiça, mas apenas para ajudar o companheiro Aécio a tocar o País? E se Lula, Dilma, PT, MST, CUT e outros mais estivessem na oposição? Já imaginaram?!

JOÃO MANUEL F. S. C. MAIO

clinicamaio@terra.com.br

São José dos Campos

Esgoto moral

O ministro Aloizio Mercadante foi gravado tentando influenciar o secretário do senador Delcídio Amaral. Trata-se de uma triste repetição do ato que levou o senador petista à prisão. Pergunto: Aloizio e Delcídio atuavam de moto próprio ou cumpriam instruções superiores? Quem seria o mandante desses atos criminosos? Este governo inundou o esgoto e ainda faz marolas.

CLODER RIVAS MARTOS

closir@ig.com.br

São Paulo

 

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

A DELAÇÃO DE DELCÍDIO AMARAL

Em sua delação premiada, homologada ontem, o senador Delcídio Amaral (sem partido-MS) entregou Aloizio Mercadante, atual ministro da Educação, acusando-o de ter oferecido ajuda financeira para que Delcídio não cedesse à delação premiada. Delcídio citou também Aécio Neves, André Esteves, Nestor Cerveró, Eduardo Cunha, dentre outros. Para os brasileiros, resta saber como punir tantos representantes do povo, eleitos pelo voto direto. Para o mundo, fica a péssima reputação do nosso país, mergulhado num enorme escândalo de corrupção, em que constam senadores, deputados, diretores de estatais, ministros de Estado e até presidentes. Para quem tem vergonha na cara, será difícil de defender as instituições brasileiras. 

José Carlos Saraiva da Costa jcsdc@uol.com.br 

Belo Horizonte 

*

PEDRA SOBRE PEDRA

Quer dizer que o “grande amigo” de Delcídio Amaral, o ministro Aloizio Mercadante, foi oferecer solidariedade e foi traído? Alguém acredita? Pelo jeito, não vai sobrar pedra sobre pedra.

Luíz Frid luiz.frid@globomail.com 

São Paulo

*

QUADRILHA

Mais um par para dançar na quadrilha do Planalto: Aloizio “Mercante” e Delcídio “Amoral”. Toca a sanfona, Dilma! Toca o rabecão, Lula! Carrega o estandarte, Jaques Wagner!

Carlos Alberto Roxo roxo.sete@gmail.com 

São Paulo

*

PODRIDÃO

A entrevista coletiva do ministro Aloizio Mercadante ontem, sobre a delação do senador Delcídio Amaral, deixou claro que o Poder Executivo está quase totalmente podre. Acorda, Brasil.

Leônidas Marques leo.marques.vr@gmail.com 

Volta Redonda (RJ)

*

O VALOR DO SILÊNCIO

Delcídio Amaral diz que Mercadante lhe ofereceu ajuda política e financeira em troca de seu silêncio. É o ministro da Educação da Pátria Educadora ensinando que “o silêncio vale ouro”. Uma pergunta paira no ar: que motivo teriam os pagantes para contribuir a fim de evitar uma denúncia com tão “pouca materialidade” (usando as palavras de Jaques Wagner)?

Jorge Alberto Nurkin jorge.nurkin@gmail.com 

São Paulo

*

IMPEACHMENT JÁ!

Aloizio Mercadante, ministro da Educação e braço direito de Dilma Rousseff, quando tentou comprar o silêncio de Delcídio Amaral oferecendo ajuda financeira, política e jurídica, conforme gravação feita por um assessor de Delcídio, o fez por iniciativa própria, contando unicamente com seus recursos para bancar o que estaria envolvido nessa ajuda, ou fez com o conhecimento e consentimento de Dilma, numa tentativa desesperada de salvar o moribundo governo? Vou repetir o que exaustivamente gritei na manifestação do dia 13: impeachment já!

Ronaldo Gomes Ferraz ronferraz@globo.com 

Rio de Janeiro    

*

É LAMA QUE NÃO TEM FIM

Parece que a gentalha tem um prazer mórbido de se meter em trapalhadas. A bola da vez é o ministro da Educação, Aloizio Mercadante, que teria oferecido ajuda política e financeira em troca do silêncio do senador Delcídio. A conversa entre o ministro e um assessor de Delcídio está relatada na delação premiada na Operação Lava Jato. Como se praxe entre os petistas, o ministro diz que jamais quis interferir na delação do senador, sendo certo que as conversas de Mercadante tiveram como interlocutor  um assessor de confiança de Delcídio, o senador do PT chamado José Eduardo Marzagão, e este gravou e entregou as conversas à Procuradoria-Geral da República (PGR). A lama que inundou distritos da cidade de Mariana (MG) está longe de se equiparar à lama com que esta gente sufocou o Brasil. Se não tirarmos essa gente do governo, só imigrando em massa para outro país.

Jair Gomes Coelho jairgcoelho@gmail.com 

Vassouras (RJ)

*

GRAVAÇÃO

Já elogiei, neste espaço, a coragem de Bernardo Cerveró, filho de Nestor Cerveró, de gravar a conversa com Delcídio Amaral, fazendo com que o senador fosse preso. Disse que ele resgataria o nome da família se convencesse seu pai a contar tudo o que sabe. Mas Bernardo fez mais, deu lição ao senador: o que fazer com conversas antirrepublicanas. E as filhas de Delcídio também o ajudaram.

Haroldo Nader nader.haroldo@gmail.com 

Valinhos

*

COBRAS

Cerveróxdelcidioxmercadante são cobra gravando cobra. Todos amigos da onça “da Jararaca”.

Nelson Pereira Bizerra nepebizerra@hotmail.com  

São Paulo

*

BUCHA DE CANHÃO

Vai sobrar para o Mercadante, escudeiro de dona Dilma.

Sérgio S. de Oliveira ssoliveiramsm@gmail.com 

Monte Santo de Minas (MG)

*

AGUARDANDO O DESENLACE

Ainda embalada pela lufada de esperança das manifestações do último domingo, que clamaram pelo impeachment de Dilma Rousseff e exigiram um “basta” no insólito ambiente de corrupção que permeia a política e a atuação dos políticos, repelidos durante os protestos, a sociedade brasileira se vê sobressaltada diante de incríveis revelações que não param de espocar, fazendo com que os fatos já muito desagradáveis divulgados no dia anterior sejam até encarados como normais. Além de ser obrigada a engolir, impotente, o vergonhoso convite formulado a Lula, associado à sua covarde possível aceitação, para ocupar um cargo de ministro, mascarado sob o pretexto de auxiliar a articulação política do Planalto, com o objetivo real, no entanto, de conceder ao ex-presidente um foro privilegiado, o Supremo Tribunal Federal (STF), e dar outro rumo às investigações pelas quais já responde, fato raramente verificado nos procedimentos de justiça dos países que se guiam pelo Estado Democrático de Direito, a população, sem tempo de tomar fôlego, é impactada pela perplexidade da delação premiada do senador Delcídio Amaral, que acaba de ser homologada, tornando públicos detalhes ainda mais macabros envolvendo o governo e o partido que o inspira, com consequências escatológicas. O Brasil, com sua economia alquebrada, se pergunta o que de mais estarrecedor poderá ocorrer e, ao mesmo tempo, aguarda as iniciativas dos representantes no Parlamento, eleitos pela mesma sociedade que exigiu nas ruas o desenlace do presente pesadelo. 

Paulo Roberto Gotaç pgotac@gmail.com

Rio de Janeiro

*

CADEIA

O Brasil não dará certo nem nos próximos 100 anos. É impossível evoluirmos tendo como ministro da Educação alguém que prevarica tentando impedir o trabalho da Justiça. O lugar do senhor Mercadante não é nas salas de aula, mas, sim, na cadeia.

Leão Machado Neto lneto@uol.com.br 

São Paulo

*

SOLIDARIEDADE

Mercadante disse que só foi solidário com Delcídio Amaral. Que gesto solidário, que nada, sr. Mercadante. Como tem a coragem de dizer aos brasileiros uma mentira dessas? A pobrezinha família de Delcídio, que vai devolver mais de R$ 1 milhão na Lava Jato, não precisava de nenhum gesto de solidariedade. Mais uma vez, Mercadante vem à TV tirar sarro de nossa cara.

Mara Mendes maraherdade@gmail.com

São Paulo

*

MISSÃO

O episódio Delcídio-Aloizio confirma inequivocamente a visão e a missão do PT: assumir como seu qualquer fato benéfico e negar até a morte qualquer ato ilícito cometido pelos seus.

Ely Weinstein elyw@terra.com.br 

São Paulo

*

IRONIA DO DESTINO

Aloizio Mercadante Oliva, filho do general do Exército à época do golpe de 1964 Osvaldo Oliva, renunciou ao sobrenome do pai em protesto pela ditadura e em nome de seus ideais. Mais um mentiroso a chafurdar no lamaçal petista.

Luiz H. Penchiari luiz_penchiari@hotmail.com 

Vinhedo

*

TUDO ERRADO

O Brasil está bem arrumado. Um ministro da Educação que tenta comprar o silêncio de um senador; uma presidente economista que não entende de economia; um ex-sindicalista e ex-presidente que pensa que governa o mundo; um ex-governador da Bahia que pensa que é modelo; um ex-ministro do Planejamento que pensa que é ministro da Fazenda; um partido criado no Brasil, mas com RG de Cuba. E “la nave va”.

Éden A. Santos edensantos@uol.com.br 

São Paulo

*

‘ADEVOGADO’

Um Ministério que tem, como titular da Educação, um cavalheiro que pronuncia “ADEVOGADO”, em vez de “ADVOGADO”, merece mesmo ter como um dos membros integrantes o sr. Lula da Silva. Provavelmente, nenhum dos ínclitos senhores citados ouviu falar da “última flor do Lácio, inculta e bela”. Ou será que passaram a assaltar até mesmo nosso idioma?

Regina Maria Noronha Peña reginapena.adv@hotmail.com 

São Paulo

*

FÁCIL SOLUÇÃO

Com esta “trapalhada” do ministro Mercadante em relação ao senador Delcídio, por que não Lula no Ministério da Educação? Problema resolvido!

José Piacsek Neto bubanetopiacsek@gmail.com 

Avanhandava

*

SE FICAR O BICHO PEGA... E SE CORRER?

Surpreendendo a todos, inclusive Lula, a juíza de São Paulo envia o pedido de prisão contra Lula para o juiz Sérgio Moro. É agora que Lula corre para pedir socorro a Dilma Rousseff e se abriga num ministério em Brasília. Isso pode?

Mara Montezuma Assaf montezuma.scriba@gmail.com

São Paulo 

*

JUSTIÇA PAULISTA

Conforme noticiado, a juíza Maria Priscilla Ernandes, da 4.ª Vara Criminal de São Paulo, decidiu mandar para o juiz federal Sérgio Moro, da Operação Lava Jato, a denúncia e o pedido de prisão feito pelo Ministério Público de São Paulo contra o ex-presidente Lula no caso do apartamento tríplex. Sem dúvida, uma ótima decisão, pois a morosidade  da Justiça paulista é assustadora, haja visto o caso do cartel de trens em São Paulo, que já está quase engavetado. 

Edgard Gobbi edgardgobbi@gmail.com 

Campinas 

*

RUMO À ESPLANADA

O derradeiro golpe da facção: Jararaca assume um ministério (sugiro o da Pesca) e vai sentar de fato (e não de direito) na cadeira da Presidência. Pisem logo na cabeça dela, antes que faça mais mal ainda ao País!

José Eduardo Victor victorjoseeduardo@gmail.com

Jaú

*

ATO JURÍDICO NULO

“Nomeação de Lula para um ministério é ato jurídico nulo.” Com a nomeação de um cidadão acusado da prática de um delito e convidado a ocupar um cargo de foro especial, quando se livraria da Justiça de primeira instância, ocorrerá o que em Direito se chama “desvio de finalidade” e se transforma em ato jurídico nulo. Aos interessados: (“A Lei da Ação Popular 4.717, de 1965, afirma que o ato administrativo praticado com desvio de finalidade e no artigo 2.º, parágrafo único, alínea “e”). No caso de Lula, o próprio PT divulgou que a sua nomeação para um ministério teria como objetivo livrá-lo de uma possível decretação de prisão pelo juiz Sérgio Moro. Na verdade, o ex-presidente já esta em prisão domiciliar, pois não pode mais fazer as fabulosas palestras pelo mundo nem coisas corriqueiras, como ir a um cinema ou comer num restaurante. Está sempre escoltado, entrando e saindo das garagens rapidamente em carros com vidros escuros e sempre fugindo da imprensa normal, só fala para sua trupe ou para jornalistas chapa-branca. Por essa situação Lula nunca esperou, pois sempre se julgou esperto demais.

 

Leila E. Leitão

São Paulo 

*

UM CARGO NO GOVERNO

Entre as alternativas de cargos para Lula, ainda bem que ninguém se lembrou da Casa da Moeda.

José Roberto Sant’Ana jrsantana10@gmail.com 

Rio Claro 

*

LULA MINISTRO?

No foro privilegiado (STF), os familiares não serão incluídos, razão primordial que impedirá Lula de aceitar a sugestão de ocupar um ministério do governo Dilma (?!). Alguém se esqueceu de que esposa e os filhos têm nacionalidade italiana? E tudo aconteceu no dia 13, hein?

Moyses Friedheim m.friedheim@uol.com.br 

São Paulo

*

NOÇÃO BÁSICA

Espero que a sra. Dilma Rousseff se sensibilize com as manifestações ocorridas em todo o Brasil no domingo, quando milhões de brasileiros protestaram, gritaram, clamaram, desenharam e exigiram a sua saída do governo deste país. Solicitamos também a devida punição do ex-presidente Lula. Nossa Câmara dos Deputados, juntamente com os nossos senadores, precisa se posicionar a respeito e apoiar nosso mais novo herói brasileiro, o sr. Sérgio Moro. Será que eles vão ter o mesmo posicionamento do ex-presidente Lula, e simplesmente ignorarem todos os protestos, dizendo que não sabiam de nada?

Douglas Jorge Junior douglasjjr@uol.com.br

Louveira

*

ISSO, SIM, É GOLPE

Será que Lula, vendo sua aceitação cair e sem possibilidade de voltar ao governo, quer assumir um ministério importante para governar seu terceiro mandato? Isso, sim, é que é um golpe dos mais sujos.

Silvio Leis silvioleis@hotmail.com 

São Paulo

*

A REPÚBLICA

Se alguém tinha alguma dúvida sobre a insatisfação do povo brasileiro com a atual situação política, as megamanifestações, por todo o País, no dia 13 de março, inesquecível, tiraram quaisquer que fossem as dúvidas. Os gritos de “fora Dilma” e “Lula na cadeia” foram tão retumbantes que terão forte influência no prosseguimento do processo de impeachment. Na véspera, o PMDB assinou o aviso prévio para desembarcar do governo, o que, a meu ver, já era previsível, mas o sr. Michel Temer deve temer o futuro, pois já sabemos que ele está preocupado, como disse o bombardeado e futuro ex-senador Delcídio Amaral, agora o homem-bomba. Mas o que se deve tirar como conclusão de todo este quadro dramático é que o mal maior é a República. Mantê-la será um atestado de burrice, porque a história da República é a história da corrupção no Brasil, começada já no governo provisório, como disse o próprio presidente Campos Salles. O parlamentarismo, para funcionar efetivamente, somente com a forma monárquica de governo, pois teremos um chefe de Estado com a legitimidade imparcial necessária para intervir e consertar os rumos políticos, caso haja necessidade. Pensar em semipresidencialismo ou qualquer coisa de ocasião é repetir erro do passado.

Luís Severiano Soares Rodrigues luisseveriano@bol.com.br 

Mesquita (RJ)

*

EMBRIAGADOS

A corrupção não é coisa nova. Isso é fato. Mas será que desse jeito, com esquemas envolvendo empresas, doleiros, bancos no exterior, um modo profissional e premeditado, visando a encobrir os crimes, já ocorria antes? Tudo indica que passou da conta, que já se tornou rede poderosa de organização criminosa. O PT chegou ao governo com uma proposta diferente do que havia até então, abominando a corrupção que o partido não criou. Pegou uma fase áurea, com a descoberta do pré-sal, teve uma popularidade crescente. Só que buscou a continuidade do modo mais fácil: sangrando a maior empresa do País. Dizem que o dinheiro e o poder embriagam, e acho que foi o que aconteceu. Mesmo com chance de permanecer, criaram mecanismos para enriquecimento ilícito e permanência no seu “status” político. Só que ninguém engana tantos por tanto tempo. Conforme a cortina ia se abrindo e mostrando que o céu não estava tão azul, começavam a surgir uns bolsões de insatisfação. Mesmo com o crescimento das manifestações, o PT fingia não enxergar. Ou por soberba ou porque nada acontecia. Afinal, o mensalão só pegou alguns “mordomos” enquanto os senhores sorriam. O desrespeito com o povo brasileiro foi ficando tão grande, que continuavam lambuzando-se com o mel farto e achavam que culpar a abelha iria redimi-los perante a opinião pública. No domingo, dia 13/3, tivemos milhões se manifestando contra o partido e seus líderes. Milhões chamando um ex-presidente de ladrão. Tudo isso num protesto pacífico, apartidário – em que pese a tentativa de alguns tentarem colher frutos do movimento. Não houve um pedido pela volta dos militares. Aí, como ficam os petistas? Do que vão reclamar? Do que vão acusar? Será que isso vai fazê-los refletir? Acho que escolheram fingir que não aconteceu nada. O que viram foi um país de verde-amarelo, bem diferente da cor que eles representam, que eles querem.

Vanderley Jordão vanjord@outlook.com 

São João da Boa Vista

*

O DISCURSO PETISTA

É mais fácil esvaziar o Oceano Atlântico do que encontrar uma verdade no discurso petista. Rui Falcão, presidente do partido, disse que a oposição fomentou a manifestação popular de domingo. Mentira. Quem levou as pessoas às ruas foram os governos petistas geradores da crise. Jaques Wagner, dispenso adjetivos, afirma que o juiz Sérgio Moro criminaliza a política. Mentira legítima. Quem criminalizou a política foi o lulopetismo, aliás, há muito tempo. Será que o ministro se lembra da Ação Penal 470? Jaques Wagner devia solicitar à assessoria uma lista dos petistas presos. Não sentirá falta de Zé Dirceu? Aliás, coitadinho de Zé Dirceu, esquecido pelos amigos, lá, no cárcere da fria Curitiba. Está faltando decência básica.

 

Cloder Rivas Martos closir@ig.com.br 

São Paulo

*

O MINISTRO DA CASA CIVIL

Quanto a este cidadão chamado Jaques Wagner dizer que Sérgio Moro “criminaliza a política”, é desmenti-lo, no ato, seu boquirrotismo, tal qual seu impoluto líder, “a alma mais honesta deste país”, e retrucar-lhe que: 1) Moro criminaliza os políticos bandidos e ladrões, sobretudo os ululantes do petismo; 2) o juiz foi, sim, “o rei da festa”, enquanto Wagner, ao lado de seus “cumpanheros”, é o bobo da corte. Mas o ministro não perde por esperar. As investigações vão chegar aos seus dois governos na Bahia. Aguarde!  

Flávio Alberto Cezário facezario@uol.com.br 

Presidente Prudente

*

E O DIA SEGUINTE? NINGUÉM SE ARRISCA

 

A manifestação popular de 13/3 entra para a história como a manifestação mais politizada do povo brasileiro. Tendo superado a das Diretas Já, na história de nosso país provavelmente corresponderá ao registro mais marcante. O problema é o dia seguinte ao inevitável afastamento de Dilma Rousseff, se a vontade popular for respeitada. Para que Temer não passe a reinar como um monarca, como é próprio de nosso presidencialismo equivocado de medidas provisórias, é que se propõe o compartilhamento de seu governo com um chefe de Estado não decorativo e que garanta um equilíbrio real de poderes. Não tem nada de parlamentarismo, como desavisadamente se tem dito. Ou que se proponha uma forma melhor para o “day after”.

 

Amadeu R. Garrido de Paula amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo

*

O BRASIL PRECISA RESPIRAR

Dilma Rousseff, o PT e os petistas precisam ter ciência – e, acima de tudo, discernimento e sabedoria – para entender de uma vez por todas que o partido não tem mais condições de governar o País. É sabido que tanto o PSDB como o PMDB também não têm. No entanto, e como vivemos numa “democracia” – mesmo que de mentirinha –, uma alternância no poder se faz necessária e com urgência, até para que haja uma oxigenação na política. Seja ela em nível federal, estadual ou municipal. O PT está sozinho e, cada dia mais, enfraquecido politicamente. As manifestações de domingo (13/3), e mesmo que em alguns casos de cunho politiqueiro visando a fins eleitoreiros, mostraram que o País não está dividido, como achava o partido, mas, sim, unido e em busca de uma luz no fim do túnel. Luz esta que o PT, por meio dos próprios erros, conseguiu apagar, e dificilmente conseguirá acender novamente. Dilma tem duas saídas: aguardar o processo de impeachment, que a partir de então pode se tornar uma realidade a curto prazo, ou, numa atitude de grandeza, renunciar ao cargo. Se teve 54 milhões de votos, isso já não pode mais ser considerado uma garantia de permanência no poder. O fato é: o povo demonstrou nas ruas que o certificado de validade dado ao PT nas urnas venceu. O resultado final das manifestações mostrou também algo de novo e muito bom para o futuro do Brasil: a indignação deixou de ser somente contra o PT ou Dilma, e começa – mesmo que ainda timidamente – a ser também contra todo o sistema político brasileiro. E nesse contexto se incluem todos os demais “pês” do País. Prova disso foi a hostilização sofrida por Geraldo Alckmin e Aécio Neves na Avenida Paulista. Infelizmente, nosso sistema político hoje é considerado o mais corrupto do mundo. Por sinal, que triste realidade. Resta saber, agora, se o gigante continuará vivo ou se vai se contentar com novas mentiras e promessas que também não irão se realizar. E, com isso, voltar a dormir novamente em berço esplêndido. Lula, Dilma e a era PT chegam ao fim de forma deprimente e totalmente desacreditados. Triste fim de um legado que começou justamente por cobrar dignidade, verdade, ética e transparência de tudo e de todos. No entanto, e por ironia do destino, acabou desacreditado pela própria ideologia que criou e não conseguiu levar adiante, sucumbindo, também, aos meios obscuros e pútridos da corrupção que envolve o mundo da política nacional. 

Roberto Carlos Prota robertoprota@hotmail.com

São José do Rio Preto

     

*

O PROTESTO EM SP

Parabéns, São Paulo, parabéns, Brasil, pela demonstração de patriotismo e civilidade nas manifestações de domingo, 13 de março. Espero que as instituições (Congresso Nacional, Tribunal Superior Eleitoral e/ou Supremo Tribunal Federal) cumpram logo mais com o anseio do povo produtivo deste país e que o desejo de todos os manifestantes possa trazer a ordem e o alento que todos os brasileiros esperam com a mudança.

Amadeu Luis Bertani amadeubertani@yahoo.com.br

São Paulo

*

O NÚMERO 13

Vá lá: 1,4 milhão de pessoas. O número é equivalente a 13% da população da cidade de São Paulo. Mais que 1 em cada 10 paulistanos esteve na Paulista protestando de propósito. É um colosso. Um colosso simbólico: 13% no 13/3 para tirar do Planalto o 13 que nos assola há 13 anos.

Leo Coutinho leo.coutinho@uol.com.br 

São Paulo 

*

DEU PT

As manifestações de 13 de março, as maiores da história do País, comprovaram: deu PT! PT de Dilma Rousseff: perda total da credibilidade, perda total da governabilidade, perda total do grau de investimento. Os danos são tão elevados que, agora, só com substituição, o mais urgentemente possível!

Francisco Paulo Uras francisco.uras@uras.com.br 

São Paulo

*

A LEITURA DO CONGRESSO

O recado bem claro para os políticos, da situação ou da oposição, dado pelos manifestantes que foram às passeatas no domingo foi: “Estamos de saco cheio de vocês”. Essa é a verdade. O político que não fizer a leitura disso, ou o Congresso, está vivendo na Ilha da Fantasia. Alguns políticos já acordaram para essa nova realidade e já falam de maneira diferente. O Congresso vai analisar o processo de impeachment dentro de alguns dias. Já será retomado na Câmara dos Deputados. Se as 3,4 milhões de pessoas presentes nas passeatas pelo Brasil não sensibilizarem o Congresso, se ele não entender o recado da maior passeata até agora, maior inclusive que a das Diretas Já e a Marcha da Democracia pela Liberdade em 1964, antes do golpe militar, então este Congresso tem de fechar a porta.

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com 

Rio de Janeiro

*

BALANÇO

Ansioso, ainda aguardo a divulgação do balanço resultante da manifestação do domingo, 13 de março. Quantas vitrines quebradas? Quantas lixeiras reviradas e incendiadas? Quantos veículos (oficiais e particulares) virados e destroçados? Quantas estações de metrô destruídas? Quantos monumentos pichados e depredados? Quantos comércios saqueados? Salvo engano ou cegueira da minha parte, o que assisti foi a uma demonstração ordeira de civismo, cidadania consciente de um povo que jamais abrirá mão da sua dignidade em troca de caraminguás, meras sobras, migalhas do repasto indecente dos assaltos ao erário. Este povo optou por trocar um dia de descanso e lazer para manifestar sua repulsa ao vilipêndio de sua Pátria, pois lhe são caros os dias em que estaremos trabalhando para continuar a construir nosso país, e não tenciona paralisá-lo em dias de labor. Altivez e respeito foram a tônica desse ato de amor à sua terra. Sem agressões. Ao contrário da peçonha, destilada por uma jararaca qualquer, que pode um dia chegar ao cume da montanha mais alta da hierarquia pátria, mas sem estofo bastante para lá ser sempre enxergada. Será vista sempre a esgueirar-se ao rés do chão, visto ser rasteira, traiçoeira, sempre à espreita, aguardando a ocasião de atacar de morte. Diverti-me bastante, é verdade, com o coxinhaço daquela meia dúzia de gaúchos (para eles tudo é motivo para churrasquear...). Bem humorada, nem parecia perpetrada pela facção do ódio pelos seus conterrâneos. Mas disso restou o, talvez, mais evidente simbolismo: vão ter de engolir os coxinhas. E, parafraseando minha vetusta irmã que, ao longo dos seus dignos 85 anos, sempre proclamou, curvo-me à sua sabedoria: nível é nível. 

Ricardo Hanna ricardohanna@bol.com.br 

São Paulo 

*

UMA SÓ NÃO BASTA

Pelo amor de Deus, vamos aprender alguma coisa com as manifestações do ano passado! Uma só não adianta! Lula está saindo como o salvador, não como o safado que ele é. Sobre Dilma, nem se fala. Temos de ir às ruas todos os fins de semana, até eles caírem. Não adianta bater recorde de pessoas nas ruas numa única manifestação, se o movimento não tiver continuidade. Povo nas ruas até os ladrões caírem. Vamos aprender...

Fabiano Rangel Pusas fabianorangelpusas@hotmail.com 

Sertãozinho 

*

PRIMEIRA PÁGINA

Cumprimento o “Estadão” pela belíssima foto na capa da edição de segunda-feira, 14 de março. Nada homenagearia melhor os cidadãos que colaboraram para a maravilhosa demonstração do desejo de mudança do governo do que a ótima fotografia aérea da Avenida Paulista.

 

Fabio Figueiredo fafig3@terra.com.br 

São Paulo

*

CONTABILIDADE

Merece especial menção a capa do “Estadão” do dia 14 de março. Se contarem o número de pessoas, só no quadrante superior direito, bate exatamente com o total de manifestantes divulgados pelo “Datafalha”, de 500 mil pessoas. O “Estadão” provou que uma imagem vale mais que mil palavras. Parabéns.

Claudio Juchem cjuchem@gmail.com 

São Paulo 

*

A FOTO É UM FATO

Cumprimento o “Estadão” pela primeira página da edição histórica de 14/3/2016. Um grande jornal sabe do peso de uma primeira página mostrando aquele oceano de pessoas que inundaram a Paulista e toda a região. Essa foto de página inteira ficará para a história e sempre lembrará à classe política de que a paciência dos brasileiros não é tão grande quanto eles pensam. Lembrará também que o povo se revoltou e se organizou num movimento apartidário, rechaçando falsos oposicionistas, tão nefastos quanto os que estão no governo. O governo corrupto e mentiroso não terá nenhum êxito com sua tática de pagar agências de pesquisas domesticadas para divulgar números falsos diminuindo o tamanho daquela concentração. A foto é um fato incontestável e ficará como registro do maior protesto contra o governo já registrado no Brasil. 

Wilson Sanches Gomes sancheswil@hotmail.com 

Curitiba

*

MANIFESTAÇÕES

13/3/2016, primeira página histórica. Parabéns, “Estadão”. 

  

Luiz Gonzaga do Lago lagoltec@gmail.com 

Poços de Caldas (MG)

*

13 DE MARÇO DE 2016

Capa histórica do “Estadão” em 14 de março.

Paulo Busko paulobusko@terra.com.br 

São Paulo

*

O VALOR DA IMAGEM

Gostaria de cumprimentar o jornal “Estado” pela brilhante capa de segunda-feira (14/3). Não poderia ser mais precisa, esclarecedora, indiscutível. Uma imagem vale mais que mil palavras. Parabéns.

 

Ivani Dantas ivani.dantas@uol.com.br 

São Paulo 

 

*

REGISTRO HISTÓRICO

Nada mais esclarecedor que a capa do “Estadão” na segunda-feira. Contrariando alguns “institutos de pesquisa”, meu querido jornal demonstrou a verdade, a insatisfação, o repúdio aos políticos safados e desonestos que apoiam a “presidanta”. O desejo verdadeiro do povo está gravado para a eternidade, na foto que mostra os verdadeiros brasileiros cobrindo Avenida Paulista e adjacências. 

Wilson Matiotta loluvies@gmail.com 

São Paulo

*

VAIAS MERECIDAS

Depois que juntou mais de 1 milhão de pessoas na Avenida Paulista, graças ao trabalho do juiz Sérgio Moro, dos movimentos de rua, do apoio da Maçonaria e da Fiesp, políticos babacas do PSDB, Geraldo Alckmin, José Serra e Aécio Neves,  apareceram querendo discursar no palanque montado no local, como se estivessem em campanha eleitoral. Aliás, o que Aécio Neves estava fazendo na Paulista, se atualmente é senador pelo Estado de Minas Gerais? Onde estavam esses políticos, logo após a reeleição de Dilma e na crise que se instalou no País, com a inflação subindo e o povo perdendo seu emprego? Quantas vezes, nós, eleitores do PSDB, pedimos socorro e não nos escutaram? Sinceramente, chegaram tarde e agora não precisamos mais desta “oposição” fraca, ausente e talvez com o rabo preso tanto quanto o PT. 

Maria Carmen Del Bel Tunes carmen_tunes@yahoo.com.br 

Americana

*

SÃO TODOS IGUAIS

Diante das recentes manifestações contra o governo da presidenta Dilma, Aécio, Alckmin e demais supostos opositores ao governo, “os sujos falando do mal lavado”, foram hostilizados durante a manifestação na Avenida Paulista, em São Paulo. Fica no ar uma pergunta: por que o ex-governador mineiro, Aécio, não foi reforçar o protesto na capital mineira? Será que por lá conhecem melhor os seus antecedentes, tanto políticos quanto morais? 

Arnaldo Luiz de O. Filho arluolf@hotmail.com 

Itapeva

*

SAINDO PENA

Com a força das águas da Operação Lava Jato, muitos tucanos poderão perder a plumagem.

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com 

Jandaia do Sul (PR)

*

A SAÚDE NO RIO DE JANEIRO

O governador Pezão, do Rio de Janeiro, está internado em hospital em São Paulo para tratar uma sinusite. Por que será que ele não se internou em algum daqueles hospitais do Estado dele? Lá faltam médicos, remédios e até tratamentos para doentes de câncer. Será que não tinha remedinho para a sinusite dele também?

Angela M. de Souza Bichi angela_bichi@hotmail.com 

São Paulo

*

O BATUQUE DE NANÁ VASCONCELOS

Mesmo tantas vezes nominado a um número 1 do mundo no universo da percussão instrumental, o brasileiro Naná Vasconcelos nunca deixou de prestigiar o carnaval pernambucano, de participar dos festivais de música no País e também de incentivar a prática musical nas novas gerações. Vasconcelos prestigiou, sobretudo, crianças e jovens da periferia. A certeza de sua forte ligação com a juventude e de compreensão da necessidade de colaborar com a cidadania num país de tantas adversidades como o Brasil nós tivemos quando ele veio realizar um show e, depois, um workshop em Londrina, em 2001. O músico genial, intuitivo e preciso em suas composições e performances foi também um entusiasta dos projetos socioculturais que floresceram no Brasil a partir dos anos 80, revelaram talentos e, principalmente, promoveram cultura, educação e cidadania nas áreas mais carentes das cidades brasileiras. Em 2001, Naná foi apresentado ao grupo Batuque na Caixa (alunos e oficineiros) e ocorreu uma aula livre com profunda interação musical em dias que foram de grande e inesquecível aprendizado e amizade para todos. “Música se pode fazer brincando, brincando...” foi uma frase que o mestre repetiu algumas vezes aos integrantes do Batuque na Caixa. O legado de Naná Vasconcelos passa pela seriedade e pelo compromisso com a cultura brasileira, integrando técnica e estudo ao aspecto intuitivo e miscigenado de nossa formação histórica.

 

Aldo Moraes, músico e coordenador do Batuque na Caixa composermoraes@hotmail.com 

Londrina (PR)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.