Fórum dos leitores

PIXULEXO & DILMENTIRA

O Estado de S.Paulo

18 Março 2016 | 03h00

Vergonha!

Lula ministro?! Tenho 91 anos de idade e pela primeira vez na minha vida me envergonha ser brasileiro.

FRANCISCO DE CASTRO

fcastro48@gmail.com

São Paulo

Apêndice

Os petistas transformaram o governo num apêndice do partido.

EUGÊNIO JOSÉ ALATI

eugeniojalati@gmail.com

Campinas

Há juízes no STF?

Cabe esperar que, como em Berlim e Curitiba, ainda haja juízes no Supremo Tribunal Federal.

CLAUDIO JUCHEM

cjuchem@gmail.com

São Paulo

Placar de ontem

República de Curitiba 7 x 1 República petista.

MARCO AURELIO CATTANI

cattani@uol.com.br

São Paulo

‘Nós’ e ‘eles’

Parece que a República de Curitiba é mais ética, tem mais legitimidade e apoio popular que a atual República do Planalto.

ELY WEINSTEIN

elyw@terra.com.br

São Paulo

Bravateiro

O sr. Lula, por favor, que não compare nossos nobres magistrados com seus comparsas de sua base aliada. Mais respeito.

NIVALDO RIBEIRO SANTOS

nivasan1928@gmail.com

São Paulo

Que engano...

Não sei bem revelar o sentimento que tenho neste momento, em que muitas revelações são feitas acerca das condutas da sra. presidenta da República e do sr. ex-presidente Lula. Condutas de pessoas sem escrúpulos, que chegaram ao poder só com a intenção de dilapidar o patrimônio público e forjar um projeto de eternização no poder, sem a preocupação de serem perseguidas pela Justiça. Meu sentimento é um misto de decepção, raiva, tristeza e desalento. E quanto mais leio e ouço as notícias e transcrições de interceptações telefônicas, fico ainda mais decepcionado com Lula, em quem um dia, confesso, votei, na esperança de ver realizadas as mudanças de que o povo brasileiro necessita para uma vida digna. A ditadura maltratou-nos e o Lula, com o PT, foi naquele momento uma figura cuja retórica nos fazia acreditar em melhores tempos. Que pena que tudo se transformou neste pesadelo que hoje vivemos... O Lula, com seus amigos próximos e os chamados históricos do PT, desviou-se da finalidade, que era o bem-estar do povo, que tanto insistia em defender. Vê-se hoje que o poder realmente corrompe. Aquelas figuras públicas do PT, que tinham expressão nacional, saíram da linha. Passaram a fazer conchavos e se apropriar do dinheiro público, associando-se a toda sorte de empresários. Extorquiram de todos os que puderam para que dinheiro fosse depositado na conta do partido com o único fim de ganhar eleições em todos os níveis de governo e, também, enriquecer empresários, servidores e companheiros. Tudo para enriquecimento pessoal, sem a mínima preocupação com o povo, que sofre sem um sistema de saúde adequado, com saneamento básico deficiente, inflação e desemprego galopantes. Enfim, caiu a máscara do ex-presidente. Ele não merece o nosso respeito. Que engano.

JORGE AUGUSTO MORAIS DA SILVA

jotaugustoadv@icloud.com

São Paulo

A reação popular

Partidos de cunho hegemônico, como o PT, utilizam-se das instituições democráticas para chegarem ao poder e lá se manterem. Elas são meros instrumentos utilitários, já que lhes devotam desprezo. Dentro dessa perspectiva, a verdade pertence à elite dirigente do partido e os fatos são manipulados a seu favor. Seus indicados ao poder são peças de um tabuleiro de xadrez que lhe devem gratidão. O povo é tratado como mera massa de manobra, eis que para a agitação social as ONGs e os movimentos sociais são abastecidos com volume financeiro suficiente para manter um exército mercenário. Ao pensar assim foi que o sr. Gilberto Carvalho ameaçou com uma reação popular se Lula chegasse a ser preso. Hoje deve estar surpreso com a onda de protestos deflagrada nos quatro cantos do Brasil por cidadãos patriotas que portam a Bandeira do Brasil e cantam o Hino Nacional, levando filhos, pais e avós às manifestações espontâneas e apartidárias, pregando a renovação da prática da política, honestidade e competência na gestão pública, para poderem cuidar de sua vida sem maiores atropelos.

SERGIO HOLL LARA

jrmholl.idt@terra.com.br

Indaiatuba

Golpe... na gramática!

No discurso que deveria ter sido de posse de Lula, a presidente Dilma disse que “mudaram o verbo de nós para eles”. Acabou revolucionando a gramática da língua portuguesa: na versão do Palácio do Planalto, pronome pessoal passou a ser verbo! Como ela estava lendo o discurso, ficou uma dúvida: ela improvisou ou aquilo estava mesmo escrito?

JOÃO HENRIQUE RIEDER

rieder@uol.com.br

São Paulo

Fuga estratégica

O ato da presidente Dilma de nomeação de Lula para o cargo de ministro da Casa Civil, no intuito de livrá-lo de julgamento na primeira instância da Justiça por eventuais delitos, se assemelha ao do cidadão que, auxiliado por terceiros, atravessa a fronteira para se livrar de eventual condenação em seu país.

FAUSTO RODRIGUES CHAVES

faustochaves@uol.com.br

São Paulo

E os asseclas do PT, muitos deles condenados e outros investigados em crimes, no Planalto, na manhã de ontem, assistindo à posse do Lula aos gritos de “não vai ter golpe”, se assemelham a um grupo de cem homens violentando uma mulher aos gritos de “não vai ter estupro”.

ANSELMO C. FIORINI

a.fiorini@r7.com

São Paulo

Equívoco

Creio que o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, cometeu um erro de avaliação: o Lula não tem alma de pobre, mas, sim, pobreza de alma.

EUNICE TIYOKO SUMI

ninisumi@gmail.com

São Paulo

Impeachment

O povo e a pseudo-oposição estão com razão: Dilma na Presidência é mero adereço, quem sempre dá as cartas é o Lula. Então, por que não impeachment?

M. DO CARMO Z. LEME CARDOSO

mdokrmo@hoptmail.com

Bauru

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

O BRASIL E O CAOS

Depois dos últimos acontecimentos, que foram da nomeação do ex-presidente Lula para ministro da Casa Civil até a liberação de áudios das investigações da Lava Jato pelo juiz Sérgio Moro, que caiu como uma bomba sobre a cabeça dele, chegamos à conclusão de que na Casa da Mãe Joana há mais ética e respeito do que na nossa República Tupiniquim! A que ponto chegamos! Lamentável!

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br 

São Paulo

*

DIA DA VERGONHA NACIONAL

Dia 16 de março deveria ser declarado o Dia da Vergonha Nacional, dia em que neste país um ex-presidente, sendo processado por vários crimes, foi nomeado ministro de Estado para obter foro privilegiado, e não por sua competência.

Renato Nóbrega Centola mrs5@uol.com.br  

São Paulo

*

DISCURSO INFAME

 

Na prédica que fez ao dar posse a Lula como novo ministro da Casa Civil, a presidente Dilma Rousseff fez pouco da inteligência alheia ao passar a versão de que o “termo de posse” intempestivamente enviado ao novo titular da Casa Civil teria sido algo normal – embora jamais visto! – e que a medida esdrúxula deu-se pela contingência de dona Marisa Letícia, mulher do novo ministro, não estar passando bem. Depois, acusou de “grampo ilegal” a interceptação deferida pela Justiça (!) em relação ao aparelho telefônico utilizado por Lula. Ora, até onde se saiba, cabe ao Poder Judiciário, e não à Presidência da República, esse juízo de conveniência. No mais, disse Dilma ter sido “absolutamente republicano” o diálogo que travara com Lula ao telefone. Será? Seriam exatamente “republicanas” tratativas escancaradas para proteger um investigado da ação da Justiça? E a recomendação de Lula, em outra interceptação, para que o juiz Sérgio Moro “enfiasse o processo no c...” também seria republicana? Prosseguindo, disse Dilma que “não há Justiça quando leis são desrespeitadas e a Constituição aviltada”. Ora, e o que ela diria sobre o absoluto desprezo de seu desgoverno à Lei de Responsabilidade Fiscal, com a prática sistemática das pedaladas fiscais? Há muitos outros exemplos que revelam o pouco apreço do desgoverno do PT às leis e à própria Constituição, mas o espaço é pequeno para o rol. Após mais algumas empulhações, já ao fim, Dilma jurou que o combate à corrupção – crime de que Lula é investigado – tem sido realizado sem imposição de “qualquer obstáculo por parte do governo federal”. Sério? Excelência, na boa, quem não te conhece que te compre!

 

Silvio Natal silvionatal49@gmail.com 

São Paulo

*

NOVO MINISTÉRIO

Não se comentou, ou poucos perceberam, que a publicação no “Diário Oficial”, em edição extra, traz a criação de um novo ministério. E, como a presidente é dada a inverdades, enquanto discursava na cerimônia de posse, ontem, balançou uma folha representando o termo de posse por ela não assinado. Certamente, ela imagina que somos todos imbecis para não percebermos que aquele, por certo, havia sido elaborado posteriormente, pois o que fora enviado a seu chefe, Lula, estava devidamente assinado, para caso fosse necessário utilizá-lo para livrar-se do “japa”. Ali, no palácio, todos são por demais atabalhoados e por isso não perceberam que o termo trazia a nomeação para um ministério  inexistente antes da publicação oficial. Dá vergonha e tristeza ver o nosso país afundando nas mãos dessa gente.

 

José Roberto Cicolim jrobcicolim@uol.com.br 

Cordeirópolis

  

*

O PLANALTO ISOLADO DO BRASIL

Os chupins, os puxa-sacos e os do “lanche” aplaudiam a posse do mais honesto, ontem, enquanto as ruas gritavam “Fora Lula!”, “Fora Dilma!”, “Fora PT!”. Quem será que o STF vai ouvir?

Heraldo Klein heraldo@impressiona.com.br 

São Paulo

*

BRASIL, UM PAÍS DE ASQUEROSOS

Formadores de opinião exultam que vivemos numa democracia, mesmo diante do lamaçal do Executivo, do Legislativo e do Judiciário, exemplos de retidão moral e obediência à Constituição federal. Se isso é democracia, acabamos.

 

Adilson Mencarini adilsonmencarini@uol.com.br 

Guarulhos

*

O CZAR E OS RASPUTINS

Lula ministro confirma: o Brasil tornou-se a casa petista da mãe Joana. Agora, só falta libertar o casal de bruxos Feira, nossos Rasputins, para assessorar o czar brasileiro. 

Suely Mandelbaum suely.m@terra.com.br

São Paulo

*

DA ARROGÂNCIA AO DESPREZO

Nunca antes na história deste país se viu uma figura pública, montada no salto de sua arrogância, desprezar e ofender, com o linguajar chulo de um pinguço, as instituições democráticas do País que indignamente governou. O homem que se dizia do povo ignorou o povo, deu um tapa na cara do povo e achou que poderia, acobertado pela covarde presidente da República, sua parceira, estar imune à Justiça. Porém, ainda que acredite ter na Justiça parceiros que o protejam, o povo – verdadeiro detentor do poder democrático – não o aceita, vai às ruas e exige que este covarde arrogante, este populista com perfil de ditador deixe o ministério que passou a ocupar para claramente fugir da Justiça e que a parceira que o acoberta renuncie, para que o País possa voltar a ser governado com a dignidade que se exige de um governante. Nunca um ex-governante foi objeto de tamanha rejeição, de tão grande indignação popular neste Brasil sempre tão pacífico e de um povo tão acomodado. Não sem razão. Nunca um ex-líder se mostrou tão canalha, tão vilmente covarde e sujo, tão antipovo, tão mentiroso e, agora, como se viu, criminoso. O povo acordou. A democracia brasileira vai amadurecendo. Falta muito. Mas, apesar da lama que ora se atravessa, pode-se, sim, esperar por um Brasil melhor depois da limpeza que a determinação de um juiz empreendeu. Parabéns, Sérgio Moro!

Reinaldo Ferreira Mota Junior reinaldojr8@hotmail.com 

Praia Grande 

*

BAIXARIA

As falas de Lula, ouvidas nos áudios da Lava Jato, são mais baixas que barriga de jararaca.

Eduardo A. Delgado Filho e.delgadofilho@gmail.com   

Campinas

*

REPUBLICANOS

Dilma tem razão! A conversa entre o poste e o marginal foi republicana. Porém de uma republiqueta de bananas.

Mário Rubens Costa costamar31@terra.com.br  

Campinas

*

O VINGATIVO SÉRGIO MORO

O juiz Sérgio Moro extrapolou novamente. Arrancou a máscara. Perdeu o respeito. Ficou confortável com a  fantasia de golpista e falso isento. Torpe, provou ser aplicado fantoche do PSDB. Moro deixou cair a auréola de Deus e salvador da Pátria, como era adulado por desavisados. Hoje, é um reles “juiz ditador e irresponsável”, na definição impecável do senador  e ex-ministro José Pimentel. Sérgio Moro era pigmeu da verdade e da justiça. Tornou-se ameba ambulante.  Lula sempre  foi o objeto de desejo de Sérgio Moro. Manteve-se como astro do noticiário sonhando que belo dia mandaria prender Lula. Saiu dos trilhos. Pisou na maionese. Sujou a biografia. Se é que tinha alguma. Perdeu o prumo. Bastou Dilma tornar Lula ministro. Desesperado, rasgou  a Constituição, vazando conversas telefônicas entre Dilma, Lula e ministros. E deixou perigosos rastros de aflições, tumultos, confrontos e incertezas política e institucional no País.  

Vicente Limongi Netto limonginetto@hotmail.ccom

Brasília

*

ESCUTAS TELEFÔNICAS

Sou servidora do Poder Judiciário Federal, e estou orgulhosa por fazer parte dessa instituição. Discussões acerca da legalidade ou ilegalidade da divulgação das escutas telefônicas do ex-presidente Lula pelo juiz Sérgio Moro são uma questão técnica, de hermenêutica, que não me parece relevante neste momento de profunda crise por que passa nosso país. A atitude deste honrado homem foi, acima de tudo, moral e justa, foi corajosa, foi necessária para mostrar ao povo a que ponto chegou a ousadia irresponsável do atual governo. Parabéns a estes magistrados que estão em seus postos por merecimento, e não por indicação política, e seu único compromisso é com a busca da verdade e da justiça. O Brasil acordou ontem com uma ponta de esperança, porque ainda temos uma Justiça forte,  não somos a Venezuela,  e  vamos superar todo este pesadelo. 

Dalila de Mello Cardoso Vieira dalilamelloc@hotmail.com

Alfenas (MG)

*

FAXINA

Agora é o “nós contra elles”. “Elles” sujaram, nós limparemos!

A.Fernandes standyball@hotmail.com 

São Paulo

*

MANIFESTAÇÕES

Que ironia. Enquanto os “coxinhas”, classe média, etc. se manifestaram nas ruas contra a nomeação do sr. Lula ministro, na noite de quarta-feira, os petistas estavam se manifestando pró-Lula no interior da Pontifícia Universidade Católica (PUC), uma universidade de elite branca, maioria rica, com olhos de todas as cores e até azuis, onde as mensalidades vão de R$ 840,00 a R$ 6.200,00. E agora, PT, professores, atores, juristas, economistas, advogados, quem é a elite neste país? Não subestimem a nossa inteligência e a de vocês defendendo o indefensável!

Tania Tavares taniatma@hotmail.com 

São Paulo

*

REPÚDIO E VERGONHA

Dona Dilma, por favor, respeite a inteligência do povo brasileiro e pare com suas ilações “gozadoras”, quando diz que o povo está duvidando da competência do STF. A senhora sabe o porquê, e todos nós sabemos que o certo seria o julgamento feito pelo nobre juiz Sérgio Moro. As manobras desleais usadas pelo governo para livrar Lula da prisão e a vergonhosa covardia nos enchem de repúdio e vergonha.

Ondina Alice Iorio Ferraz oaiferraz@gmail.com

São Paulo

*

INDIGNAÇÃO

Como brasileira, quero manifestar aqui a minha indignação  por me ver governada por esta quadrilha de velhacos do PT. Não me representam. Sinto-me humilhada, envergonhada e absolutamente revoltada. A atitude da presidente Dilma Rousseff de colocar Lula no ministério para escapar da Justiça via Sérgio Moro é uma declaração de culpa descarada, desprestigiando o STF por considerá-lo tendencioso e tolerante com a bandidagem organizada. Vergonha! Esta complacência com o crime organizado não pode ficar assim. O caso do tríplex no Guarujá e o do sítio em Atibaia, o dos pertences do Palácio do Planalto escondidos em sala cofre do Banco do Brasil, o de dezenas de containers armazenados à custa de empreiteiras envolvidas na Lava Jato, o dos filhos favorecidos pela dinheirama vinda da corrupção, o dos gravíssimos diálogos gravados com autorização da Polícia Federal, etc., o que mais precisamos para deter esta corja?

Lucia Mendonça luciamendonca@terra.com.br 

São Paulo

*

O BRASIL EM LUTO

Ontem São Paulo acordou de luto, um protesto silencioso desvinculado de qualquer ideologia político-partidária, mas genuíno e longe do oportunismo eleitoreiro. Milhões de brasileiros tiraram o preto do guarda-roupas, vestiram-no e foram trabalhar para sinalizar o quanto nos envergonhamos em ser representados por uma classe política que não entende as reais necessidades deste país, sobretudo as de seus cidadãos. O desvio de finalidade na administração pública brasileira é crônico e aqueles que deveriam ter a posição de gestores da coisa pública utilizam a máquina para o projeto próprio de manutenção do poder ou, no mínimo, para manutenção do “status quo”. Na quarta-feira, Dilma Rousseff desferiu um duro golpe nos brasileiros anunciando a nomeação do ex-presidente Lula para compor seu ministério como forma de abrigar, com foro privilegiado, alguém que está sendo investigado criminalmente. Mas ela não é a única que adota a postura de utilizar a máquina pública para fins próprios. Os principais oposicionistas do atual governo central, entre eles Aécio Neves, José Serra e Geraldo Alckmin, já tiveram – e em alguns casos ainda têm – a oportunidade de fazer diferente quando eram chefes do Poder Executivo de seus Estados e municípios, mostrando que é possível construir um Brasil melhor. Poderiam ter desenhado uma nova política – reforma tributária dos impostos que são de competência dos Estados e municípios, como ICMS, IPVA, ITCMD, ISS, IPTU e ITBI, o fim à indicação clientelista para nomeação em cargos comissionados que servem como moeda de troca por apoio, promoção da eficiência, eficácia e efetividade dos gastos públicos, melhoria da educação pública e dos serviços de saúde pública e, sobretudo, a utilização do aparelho estatal para finalidade pública. Neste momento, é necessário entender que o atual modelo político apresenta sinais de esgotamento e que a sociedade espera profundas reformas para que se possa construir um Brasil melhor para as futuras gerações.

Rafael Paiva paiva_rf@hotmail.com 

São Paulo

*

DESAFIO

A nomeação de Lula para integrar um ministério no governo Dilma desafia, de forma prepotente e temerária, os sentimentos de perplexidade da sociedade brasileira que transpiram abundantemente por vários canais de comunicação, e todos contrários e desaprovadores deste atual governo. As garantias da constitucionalidade e do Estado Democrático de Direito podem ser transformados nisso, mas, decididamente, não são isso.

Marcelo Gomes Jorge Feres marcelogferes@ig.com.br 

Rio de Janeiro 

*

TAPA

Lamentável. Três dias após a maior manifestação popular do Brasil, em que milhões de pessoas saíram às ruas para exigir o fim do governo (?) Dilma Rousseff e da influência de Lula, do PT e de seus corruptos, ela resolveu nomear para ministro da Casa Civil justamente quem? O senhor Lula. Parece um tapa nos brasileiros que se levantaram para protestar. É uma verdadeira ofensa aos brios da Nação.

Ivo Capella transistor@mpcnet.com.br 

Campinas

*

RÉQUIEM

Ao desferir esta bofetada no rosto de milhões de brasileiros honestos, está escrito com as tintas negras da corrupção e do escárnio um dos capítulos mais tristes de nossa história. “Aqui jaz a Republica Federativa do Brasil (15/11/1889 – 16/3/2016)”.

 

Evaldo Luciano Pereira evaldolpereira@bol.com.br

Santa Branca

*

DESPEDIDA

Após os “factos” ocorridos, só nos resta bradar em alto e bom som: “Tchau, querida!”. 

C. A. Tavares cat.representa@uol.com.br

São Paulo

*

COBRA INEPTA

 

Frase da “jararaca”, quando ainda era só um filhote: “Quando um pobre rouba, vai para a cadeia, mas quando um rico rouba, ele vira ministro”. Qualquer semelhança é mera coincidência!

Alessandro Lucchesi timtim.lucchesi@hotmail.com

Casa Branca

*

UM SÁBIO

Temos de reconhecer que o ministro Lula, no passado, proferiu uma frase muito sábia: “Quando pobre rouba vai para a cadeia, quando rico rouba vira ministro”.

Adal Leme adaleme@uol.com.br 

São Paulo

*

PAÍS DE BANDIDOS

No Brasil é assim: bandido, ao invés de ser preso, vira ministro.

Rogerio Marcos Vitale rvitale01@gmail.com

São Paulo

*

BOTE

A jararaca tinha avisado. O bote não é novidade. É o golpe de Lula, Dilma e PT. 

Alice A. Câmara de Paula alicearruda@gmail.com

São Paulo

 

*

O AUTOR DO GOLPE

Afinal, houve golpe mesmo! Só que quem deu foi o Lula!

João Manuel F. S. C. Maio clinicamaio@terra.com.br 

São José dos Campos 

*

ANTROPOFAGIA

E o sapo pernambucano devorou a mosquita roraimada...

Jéthero Cardoso jetherocardoso@gmail.com

Bauru

*

O FIM DA FARSA

Como ministro da Casa Civil, Lula ganhou foro privilegiado e afastou, por hora, o fantasma do juiz Sérgio Moro. Neste cargo-chave, usando o falso propósito de animar a economia, Lula colocaria a máquina do governo federal a serviço de seu projeto para ganhar as eleições de 2018, gastando nossas parcas reservas em projetos ditos sócias (leia-se mais bolsas) ao invés de introduzir as reformas estruturais necessárias para tirar o País do atraso e torná-lo moderno e competitivo. Fica o consolo de que não precisamos mais conviver com a farsa de que Dilma Rousseff é quem governa o pobre Brasil!

Omar El Seoud  ElSeoud.USP@gmail.com

São Paulo

*

DILMA EM LAY-OFF

Dona Dilma, como “eu não me renuncio”, decidiu fazer um lay-off de 1.020 dias, isso se a “firma” não fechar antes. Estranho país o Brasil, que consegue ter, ao mesmo tempo, dois ex-presidentes em exercício.

Claudio Juchem cjuchem@gmail.com 

São Paulo 

*

VIROU RAINHA

Se Dilma virou rainha, então é preciso derrubar o grão vizir. Isso me lembra o Samba do Crioulo Doido...

Luiz Ress Erdei gzero@zipmail.com.br

Osasco

*

EM POLÍTICA, TUDO PODE

Dilma renunciou à Presidência da República quando nomeou Lula para ministro, um investigado, mas continuará recebendo seu salário. Vai lá para o Palácio do Planalto só para bater ponto. Nunca imaginei que eles chegassem a esse ponto: em política, tudo pode mesmo? Senhores da Justiça, está tudo o.k.?

Myrian Macedo myrian.macedo@uol.com.br 

São Paulo

*

PRECIPÍCIO

A exemplo de alguns países da América Latina e da África, Lula quer poderes ditatoriais. Ele age como um louco neste momento e não tem o menor pejo em pronunciar palavrões impróprios a qualquer pessoa, quando contrariado. Se existir céu, ele vai querer o lugar de Deus; se, no entanto, ele for para o inferno, o diabo que se cuide. Cabe ao povo brasileiro decidir se aceita um ditador de esquerda no governo, assim como internacionalmente é preciso lembrar se investidores externos trarão seu dinheiro para um país nessa situação ou se aqueles que aqui estão não decidirão baldear-se para outras plagas com maior estabilidade e credibilidade. Se algo não for feito para impedir, nosso país, sob esse governo, continuará caminhando para o precipício.

Alvaro Salvi alvarosalvi@hotmail.com

Santo André

*

SIGNIFICADO

Lula ministro significa: para Lula, foro privilegiado; para Dilma, férias presidenciais; para Jaques Wagner, assumir a função de capacho; e para os familiares de Lula, que se ferrem, pois não têm foro privilegiado. O sujeito é tão egoísta que não se preocupa nem com a família. O Brasil vai superar o PT, pois é muito mais forte. 

Aguiar Juliani Farina jfarina19@hotmail.com 

São Paulo

*

‘PÓ DE PIRLIMPIMPIM’

Tem toda razão Eliane Cantanhêde em sua análise “Pó de Pirlimpimpim” (16/3, A8): o fim do governo Dilma está decretado. É vergonhoso nomear para ministro-chefe da Casa Civil um investigado da Justiça, seja ele ex-presidente ou não. Cada vez mais me convenço de que a casta de políticos no Brasil está em frangalhos. Renan, Cunha, Dilma, Mercadante, Delcídio, Aécio, FHC, entre outros. Fica aquele velho questionamento: em quem confiar?

Padre Wetemberg Aires de Oliveira berg1971@gmail.com

São Paulo

*

PAVILHÃO 9

O Palácio do Planalto se assemelha, hoje, ao Pavilhão 9 do Carandiru, onde ficavam abrigados os bandidos de mais alta periculosidade. A única diferença é que não vemos os lençóis pendurados nas janelas. Nossa única esperança é lembrar que aquele local foi implodido.

M. Helena Borges Martins m.helena.martins@uol.com.br

São Paulo

*

CLOACA MÁXIMA

Nenhuma designação mais apropriada para a sede do governo Dilma do que Cloaca Máxima, o esgoto central da antiga Roma, que reunia os dejetos de toda a capital imperial. A cada dia somos brindados com uma nova imundície, como é o caso do episódio Mercadante-Marzagão, por exemplo. Até quando, PT, abusarás de nossa paciência?

Eduardo Spinola e Castro  3491esc@gmail.com

São Paulo

*

AGORA, É NO SUPREMO

Lula desce de sua soberba, aceita sua posição de homem normal e, assumindo a culpa por tudo o que sempre soube escondido, em desespero, compra foro privilegiado rumo ao Supremo, pagando mais uma vez com desculpas baratas e sonhos impossíveis de uma economia que a gente nunca teve. Você pode fugir de Sérgio Moro, Lula, mas o Supremo não poderá fugir de sua responsabilidade com o povo brasileiro.

Bernardo Guaritá bernardo.guarita@gmail.com

São Paulo

*

MINISTRO FUJÃO

Gilmar Mendes afirmou ontem: “STF pode manter investigação de Lula com Moro”. E aí, Luiz Inácio, valeu a fuga?

Sérgio Eckermann Passos sepassos@yahoo.com.br 

Porto Feliz 

*

NEM ESQUERDA NEM DIREITA

A discussão atual no Brasil não é conceitual, entre diferentes pontos de vista políticos. Em essência, refere-se às duas diferentes formas de encarar o estelionato eleitoral, a corrupção, a hipocrisia, e o escárnio e desrespeito ao povo brasileiro. Somente existem dois motivos para que algumas pessoas apoiem tais comportamentos, e são exatamente os mesmos motivos de uma gestão ruim: má-fé ou incompetência.

Marcio Guedes mfguedes@msn.com  

São Paulo

*

APELO AOS BONS DO PMDB

A atual manipulação do poder pelo governo se insere no mais baixo nível de procedimentos da nossa história. Faço um apelo aos parlamentares honestos do PMDB que ainda apoiam  Dilma Rousseff  para que, num gesto patriótico e de solidariedade ao povo brasileiro, se unam aos que apoiam o impedimento da presidente. Que o PMDB assuma o governo como maior partido da Nação e promova o afastamento do cenário público do aventureiro “Lula et caterva” e que a Lava Jato prossiga na sua benéfica ação de eliminação e punição dos corruptos.

Edgardo Pereira Mendes Junior  epdegas@gmail.com

São Paulo

*

ROMPIMENTO

Excelentíssimo senhor Michel Temer, Vossa Excelência declarou em recente correspondência enviada à presidente Dilma que se sentia uma figura decorativa em seu governo. Agora, com a nomeação do ex-presidente Lula à chefia da Casa Civil, quem o substituirá nessa condição será, evidentemente, a própria presidente. Vossa Excelência passará a ter tão apenas o rótulo de vice-presidente, sem nenhuma função governamental, e, assim, considerado uma carta fora do baralho. Por isso, chegou a hora de Vossa Excelência demonstrar altivez e renunciar ao ilusório cargo político que ocupa, e seguir orientação da maioria significativa de seu partido, antecipando o rompimento com o governo. Agindo dessa forma, em nada valerão o expediente, a estratégia, a trama, o subterfúgio e tudo o mais utilizado pelo PT para conferir ao ex-presidente foro privilegiado, e muito menos para obstar o processo de impeachment.

Paulo Guida paulo.guida@yahoo.com.br 

São Paulo

*

A RESPONSABILIDADE DO PMDB

O Estado de São Paulo demonstrou ao Brasil inteiro nas eleições de 2014 que não concorda com o governo PT (quando escrevo governo PT, leia-se o PT e todos os partidos que compõem este governo e dão sustentação política a ele), em praticamente todo o Estado, o PT perdeu, foram raríssimas as cidades em nosso Estado em que a então candidata à reeleição, Dilma Rousseff, conseguiu ganhar no primeiro turno e também no segundo turno. No somatório dos votos a derrota do governo PT foi enorme, e isso me encheu de orgulho do nosso Estado, que mostrou ao Brasil inteiro que acreditamos no trabalho, acreditamos na produção, acreditamos na busca pelo desenvolvimento e pelo crescimento e também em que o bem-estar social e a dignidade de seu povo são conquistados por nossos próprios esforços. Nosso Estado demonstrou que não se faz de vítima, ele acorda cedo e trabalha muito. Não vou nem falar das manifestações ocorridas em março de 2015 e da de março de 2016, porque elas falam por si sós, não precisam de nenhum “marqueteiro” e “especialista político” de plantão para traduzir o significado delas. Em nosso Estado não existe “nós” e “eles”, somos um Estado onde todo brasileiro é recebido de braços abertos e tem oportunidades para crescer, sem paternalismo, sem assistencialismo, o Estado inteiro, e não só a capital, pulsa, pulsa com intensidade. Nós sempre queremos mais e o melhor para nós, para o local onde moramos, para o nosso Estado e para o Brasil, temos em nosso Estado a alegria de ser brasileiro somada à determinação de deixarmos de ser o “país do futuro” para nos tornarmos já, imediatamente, o Brasil do presente, o Brasil dos nossos sonhos, o Brasil que faça uso de todo o seu potencial humano (que é magnífico) e de recursos naturais extraordinários (de forma sustentável) para crescer e nos desenvolver economicamente e socialmente. Escrito isso, eu pergunto: como um partido do tamanho e da importância do PMDB pode estar até agora associado a este governo? O partido é enorme, tem várias “alas”, etc., etc., etc. O.k., sabemos disso, mas o fato é que o PMDB ainda está com o governo, tem inúmeros ministérios, sem falar em milhares de outros cargos importantes dentro de toda a estrutura deste governo. O partido é complexo como o nosso Brasil, mas, se o partido quer ter o respeito do povo paulista, tem de mudar, e a hora é agora, o aviso prévio dado ao governo, na minha opinião, é ridículo, “cheira” a chantagem, parece “birra”, não é coisa de gente grande e séria, não é coisa de um partido que tem enorme responsabilidade pelos caminhos políticos adotados até hoje e os caminhos políticos que iremos adotar a partir de amanhã. Portanto, venho pedir ao PMDB do Estado de São Paulo que tenha a coragem típica do povo paulista e faça uso de bons exemplos (como o do PMDB-SC) e anuncie oficialmente sua saída deste governo, entregando todo e qualquer cargo que ocupe dentro da estrutura do governo federal. Esta é a única chance de o PMDB resgatar algum respeito da grande maioria do povo de São Paulo. Caso contrário, o partido continuará sendo uma terceira força política no Estado de São Paulo, como já há muitos é e terá de continuar sendo uma verdadeira “Maria vai com as outras” no âmbito federal, porque nunca reconquistarão o respeito e a admiração que um dia tiveram, para que tenham força de assumir o comando do Brasil com as suas próprias mãos.

Sergio H. Bittar sergio.bittar@hotmail.com 

São Paulo

*

O PMDB, ONTEM E HOJE

Gostaria de saber dos políticos do PMDB qual a parte das manifestações pelas ruas do País que eles não entenderam? Por que aviso prévio, quando cabe uma justa causa? Por que ser um eterno coadjuvante, quando todos clamam por um ator principal? Por que não honram a memória do sr. Ulysses Guimarães? Medo? Incompetência? Acho que muitos dos políticos que hoje fazem parte desse partido não têm ideia do que já foi o PMDB! Por quê?

Ricardo Pirro Videira  ricardopirro@gmail.com 

Jundiaí

*

BRINCANDO NO PODER

O ministro da Educação, Aloizio Mercadante (PT), teve conversa gravada com o assessor do senador Delcídio Amaral (sem partido-MS) pedindo para que Delcídio não fizesse a deleção premiada, e em troca Mercadante lhe daria apoio e falaria com o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB), e com ministro e presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski. A presidente Dilma Rousseff (PT) nomeou o seu criador, dono, pai Lula (PT) para o cargo de ministro da Casa Civil, pois todos os ministros têm foro privilegiado no STF. Assim, Lula, que se intitula “a alma mais honesta do Brasil”, escaparia do juiz federal Sérgio Moro. Assistindo aos telejornais, é perceptível a ira nos olhos dos companheiros Mercadante, Dilma e Lula, pois eles sabem que, se perderem o poder, o caminho para a prisão será mais fácil. Porém, Lula & cia. vão articular no Congresso todo apoio do mundo para Dilma não ser cassada, e para tal farão qualquer coisa para manter a ba$e e conqui$tar novo$ aliado$. Enfim, eles estão usando o poder e nos humilhando! O País está economicamente quebrado, sem possibilidades de crescimento para os próximos anos. Vamos de mal a pior. Reflexão: Lula vai ganhar quase R$ 30 mil por mês e ter um monte de regalias, tudo pago por nós! Acredito que o momento da revolução é agora! Chega de amém. 

Alex Tanner alextanner.sss@hotmail.com 

Sumaré

*

JAMAIS!

Jamais! Esse é o advérbio mais pronunciado nestes últimos dias, diante da enxurrada de denúncias desencadeada pelo senador Delcídio Amaral na sua delação premiada. Todos os implicados o bradam com o olhar rútilo, assegurando que o delator mente e dispara projetis de vingança para todo lado. Não é possível enfileirar todos os “jamais” provocados pelas acusações, sob pena de estender o texto além do permitido. O fato é que o País está vivendo um clima de teatro do absurdo que deixaria as principais expressões desse movimento artístico-cultural, como Samuel Becket e Eugène Ionesco, por exemplo, perplexos com o fato de que a realidade por aqui ultrapassou qualquer ousadia de imaginação ligada aos temas e montagens de suas peças. Pobre Brasil, mais absurdo agora, que ganhou um ministro postiço, denunciado, que provavelmente “jamais” venha a ser alcançado pelas malhas da Justiça. 

Paulo Roberto Gotaç prgotac@hotmail.com

Rio de Janeiro

*

PROVAS!

No julgamento do mensalão o ministro Luiz Fux usou o seguinte argumento: “Se eu questionar o meu filho sobre uma acusação que lhe é feita, e ele responder que não há provas, eu me convenço de que é culpado; mas se responde ‘pai, eu não fiz isso’, então eu acredito nele”. Se o ministro Aloizio Mercadante, o piedoso, não tivesse sido gravado, hoje ele diria com muita ênfase: “Esta acusação é absolutamente inverídica. Imaginem se eu desceria do pedestal de favorito da ‘presidenta’ para me promiscuir com um subalterno do senador. Aliás, eu nem o conheço, mas quero saber o nome dele para processá-lo por uma acusação sem provas”.

Jaime Manuel da Costa Ferreira jaimeferreira04@gmail.com 

São Paulo

*

O PEIXE MORRE PELA BOCA

Aloizio Mercadante, tal qual aconteceu com Delcídio Amaral, foi pego com a boca na botija. O mais estranho é que, ao querer ajudar Delcídio, já preso em Curitiba, Mercadante citou os mesmos personagens do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Senado. Será que também vai ser preso por tentativa de obstrução à Justiça? 

José Olinto Olivotto Soares jolintoos@gmail.com 

Bragança Paulista

*

UM STF POLÍTICO

Está ficando cada vez mais comprometido o bom conceito de alguns magistrados do STF ao terem seus nomes citados em gravações de conversas de políticos que indicam ter influência sobre eles. Parece que estamos num ponto de inflexão da nossa história e muito bom seria para nosso país que, se algum caso houver por questão de gratidão à indicação a esse importante cargo, que o magistrado passe a se ater unicamente à defesa de nossa Constituição, abandonando ideologias que no íntimo possa alimentar. O STF é a nossa última esperança e esperamos que não nos decepcione.

Níveo Aurélio Villa niveoavilla@terra.com.br 

Atibaia

*

DELAÇÃO MENTIROSA

Após acatamento de delação premiada do senador Delcídio Amaral (sem partido-MS) pelo STF e ao ver a reação e a fala dos petistas de alto coturno empregados atualmente no Palácio do Planalto, chega-se à conclusão de que o nobre senador em tela falta com a verdade em sua delação. Como dizem os nobres petistas referidos, não passa de um grande inventor de histórias, ou, melhor, um grande mentiroso. Neste caso da delação premiada, não acredito em mentiras do senador em referência, muito pelo contrário.

José Piacsek Neto bubanetopiacsek@gmail.com 

Avanhandava

*

COMO A LUZ DO SOL

Agora ficou claro como a luz do sol: não é – e nunca foi – um governo, trata-se de uma poderosa organização criminosa que está instalada na Presidência da República do Brasil.

José Eduardo Victor victorjoseeduardo@gmail.com 

Jaú

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.