Fórum dos Leitores

PIXULECO & DILMENTIRA

O Estado de S.Paulo

23 Março 2016 | 03h00

O diabo na ordem do dia

Para se manter como inquilina do Planalto, Dillma continua fazendo o diabo. Marcou um “encontro com juristas do PT pela legalidade em defesa da democracia” e contra o seu impeachment. Da última vez, esses “juristas” insultaram o Congresso, num autêntico tiro no pé.

JÚLIO ROBERTO AYRES BRISOLA

jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

Pressão inconstitucional

Se o TCU, por unanimidade, rejeitou as contas do governo Dilma referentes a 2014 e o impeachment proposto segue rigorosamente o rito estabelecido pela Constituição federal, qualquer movimento paralelo em defesa da presidenta, promovido e custeado pelo Poder Executivo, envolvendo ministros, juristas, advogados e funcionalismo público, pode ser considerado pressão inconstitucional.

SERGIO S. DE OLIVEIRA

ssoliveira@netsite.com.br

Monte Santo de Minas (MG)

Fale a verdade, Dilma

Dilma repisa incessantemente que não será vítima de um golpe (a palavra-chave) neste país. Sua plateia delira, aplaude e dá vivas a Lula. Ela afirma e insiste que há uma conjura contra a democracia e contra seu governo. Vamos combinar: não vale mentir! Quando Dilma diz que lutou contra os militares para defender a democracia, seja clara e confesse que queria acabar com a ditadura militar para instaurar a ditadura do proletariado. Tenha coragem de dizer a verdade, de cara limpa. A ditadura do proletariado bolivariana está, ou estava, a caminho, celeremente. Mas esse seu sonho, nosso pesadelo, não se vai realizar! O resto de tudo o que falou é mero blá-blá-blá.

MARA MONTEZUMA ASSAF

monyezuma.scriba@gmail.com

São Paulo

Discurso vazio

Dilma anda fazendo muitos discursos ultimamente. Lembram-se do Collor? Falou muito nos seus últimos dias de governo.

SILVIO LEIS

silvioleis@hotmail.com

São Paulo

Desemprego galopante

Dilma vive acusando a oposição de golpe. Mas é ela que está golpeando a Nação! O Brasil fechou 104.582 vagas formais de emprego só em fevereiro, segundo o Caged do Ministério do Trabalho. No total já são 1,707 milhão de vagas perdidas! Essas pessoas acreditaram naquela Dilma que antes da eleição fez promessas e agora veem tais promessas virar água. O golpe foi dado no bolso de todos os brasileiros. Dona Dilma que pare de choramingar e mostre o País cor-de-rosa que prometeu. Simples assim!

IZABEL AVALLONE

izabelavallone@gmail.com

São Paulo

Golpe

“Não vai ter golpe!”, proclamam os “nós” nos ouvidos dos “eles”. O golpe já houve: a presidente “golpeou-se” e impôs um ditador. Mas vai ter impeachment. Para ambos.

PAULO M. B. ARAUJO

pmbapb@gmail.com

Rio de Janeiro

Risco previsto

É claro que Dilma não vai renunciar. Perderia o foro privilegiado!

LUÍZ FRID

luiz.frid@globomail.com

São Paulo

Agonia

A presidente Dilma e seus assessores dão mais um exemplo do desrespeito que sempre tiveram pela Constituição ao anunciarem interposição de ação no STF caso seja aprovado o impeachment. Seus advogados sabem muito bem que tal ação não faz sentido, pois o próprio STF já deliberou sobre o rito. O governo agoniza, pensa somente nele e no poder, pouco se importa com o destino da Nação.

LUCIANO HARARY

lharary@hotmail.com

São Paulo

O ‘rapaz’

Será desespero, despreparo, incompetência, ou tudo junto, o fato de a Advocacia-Geral da União (AGU) enviar ao STF pedido de habeas corpus para o ex-presidente Lula e vê-lo recusado sem nem ao menos ser lido, por não caber tal recurso contra a decisão de um juiz do Supremo? E pensar que o atual chefe da AGU já foi ministro da Justiça...

ANTONIO FAVANO NETO

a.favano.nico@uol.com.br

São Paulo

Gostaria de dar uma aula elementar ao ex-ministro da Justiça dr. José Eduardo Cardozo, hoje advogado-geral da União. Sua função é defender o Estado, e não pessoas (Dilma ou Lula). O que o dr. Cardozo fez até agora para exigir a devolução do dinheiro desviado da Petrobrás?

PAULO ROBERTO CALDO

flavinha.ewerton@gmail.com

Ribeirão Preto

Na Operação Monte Carlo, em 2012, Demóstenes Torres (senador da República, com foro privilegiado), foi gravado de maneira fortuita conversando com Carlinhos Cachoeira, que tinha o telefone grampeado. Seu advogado alegou que as conversas teriam sido gravadas de maneira ilegal, já que o senador tinha foro privilegiado. O ministro da Justiça da época, José Eduardo Cardozo, disse que foro privilegiado não servia para acobertar atos ilícitos, afirmando que os grampos eram legais. Agora, na AGU, cuja finalidade é defender o Estado brasileiro, e não o governo, Cardozo questiona no STF a validade dos grampos com ilações fora de propósito. Afinal, todos, sem nenhuma exceção, não são iguais perante a lei?

ENI MARIA M. DE CARVALHO

enimartin@uol.com.br

Botucatu

Cobrança da dívida

Lula tenta virar ministro única e exclusivamente para ter foro privilegiado e fugir do juiz Sergio Moro. Lula sempre governou o País, portanto, não precisa do cargo para fazer o que sempre fez. Agora quer ser julgado pelo STF porque, de algum modo, acredita ter mais chances de obter o reconhecimento e os favores de uma Corte em que a grande maioria foi indicada por ele e por Dilma. Para essa Corte são válidas as palavras de Lula a respeito de Rodrigo Janot: “Essa é a gratidão... Essa é a gratidão dele por ele ser procurador”. Lula espera que a grande maioria dos ministros do STF, ao contrário de Janot, reconheça essa dívida de gratidão e o livre das muitas acusações que pesam contra ele.

M. TERESA TORGAL FONSECA

mteresatorgal@hotmail.com

São Paulo

Trevas

Fala-se que no Brasil há uma luz no fim do túnel. No atual momento não temos luz nem túnel.

NEWTON DE ALMEIDA PRADO

newtonaprado@gmail.com

Americana

 

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

ATENTADOS EM BRUXELAS

Lamentável, porém esperada, a volta dos ataques terroristas na Europa – cuja autoria já foi reivindicada pelo Estado Islâmico – nesta terça-feira (22/3). Mais do que qualquer crítica à segurança belga, é hora de compreender as origens deste mal: a farsa da “Primavera Árabe” e a política externa adotada de forma demagógica e irresponsável por Barack Obama. Ademais, enquanto o combate ao terrorismo não se tornar prioridade para as nações diretamente envolvidas, deixando de lado interesses sectários (em especial os da Rússia e os dos Estados Unidos), continuarão a acontecer massacres em curtos intervalos de tempo – coisa de alguns meses. E, vale lembrar, é de envergonhar a atuação do governo brasileiro. Um ex-presidente que acreditava ser possível resolver todos os conflitos históricos do Oriente Médio sentando-se à mesa e conversando, como num botequim, afinal disso ele entende; e uma “presidenta” que pregou o “diálogo” com o Estado Islâmico. Como se fosse possível dialogar com extremistas, e não falo só dos radicais do Islã... 

Elias Menezes elias.natal@hotmail.com 

Nepomuceno (MG)

*

GRATIDÃO EM NOME DE ALÁ

Depois dos atentados de ontem, em Bruxelas, todos os emigrantes islâmicos que ainda pleiteiam ou já obtiveram abrigo na União Europeia deviam sair em passeata de protesto.

Sergio S. de Oliveira ssoliveira@netsite.com.br 

Monte Santo de Minas (MG)

  

*

TERRORISMO NA BÉLGICA

Mais uma vez, e não será a última, dezenas de pessoas são assassinadas e outras tantas são gravemente feridas por esta excrecência que se denomina Estado Islâmico. Um bando de fundamentalistas de índole xiita que decidiu aterrorizar o mundo sem que as mais poderosas nações do mundo decidam acabar de vez com esta cambada de loucos, e não ficar só nas condolências das vítimas.

Jair Gomes Coelho jairgcoelho@gmail.com 

Vassouras (RJ)

*

CONSEQUÊNCIAS

Toda vez que vejo a notícia de mais uma atentado terrorista, como o de ontem em Bruxelas, volto no tempo à invasão do Iraque, da Líbia, do apoio aos que atacaram na Síria e outras ações do mundo civilizado ocidental. Minha pergunta aos que executaram essas ações, principalmente a George W. Bush, é se estão conseguindo dormir vendo as consequências. Sem dúvida, Saddam Hussein e Muamar Kadafi eram ditadores, mas tinham controle de seus países, hoje contamos mais de 1 milhão de vítimas em face dessas ações. Bem, a morte de uma ocidental é uma tragédia, a de milhares de palestinos e árabes, um dado estatístico. Valeu a pena? É justo?

João Carlos Macluf jc.macluf@uol.com.br 

São Paulo

*

BARACK OBAMA EM CUBA

A visita oficial do presidente Barack Obama a Cuba tem alto significado para a América Latina e para o mundo. Sepulta a época da guerra fria, que tanto mal fez aos povos. Os EUA deixaram de ser o patrocinador dos golpes anticomunistas e, de outro lado, Cuba está longe de ser a exportadora da revolução que inspirou e cooptou para o fracassado comunismo muitos oposicionistas e, contraditoriamente, os travestiu de democratas. Brasil, Argentina e até o Paraguai parece estar num processo de livramento. O processo de impeachment presidencial de Dilma Rousseff, a Operação Lava Jato e outras cruzadas que se mobilizam, se bem conduzidos, podem nos levar à salvação nacional. É preciso nos livrar das influências ideológicas e totalitárias, dar combate sem trégua à corrupção e reencontrar o equilíbrio econômico. Há que acabar com as negociatas políticas e com o sistema de sustentação a pelegos fantasiados de movimentos sociais, que chegam a ser, por alguns, considerados até como “exércitos”. Isso não faz parte da índole do brasileiro. EUA e Cuba partem para acertar seus ponteiros. Todos nós, que um dia fomos por eles impactados, precisamos também acertar os nossos. 

Dirceu Cardoso Gonçalves aspomilpm@terra.com.br

São Paulo

*

SOLIDARIEDADE

Nossa presidente recebeu no palácio ontem a “solidariedade” de advogados, juristas, etc. contrários ao impeachment. Uma pergunta: com mortadela ou caviar?

Victório Canteruccio vicv@terra.com.br

São Paulo

*

O SILÊNCIO DOS NÃO INOCENTES

Depois de reveladas as gravações de escutas telefônicas com ordem judicial, os companheiros de Lula passaram a ter medo de conversar com ele por telefone, o que dificultou as articulações políticas do ex-presidente para conter o processo de impeachment de Dilma Rousseff na Câmara dos Deputados. Seria oportuno, então, que ele pedisse para a Oi a instalação de um orelhão nas imediações do sítio lá, em Atibaia.

Luis Lago luislado2002@hotmail.com 

São Paulo

*

IMORALIDADE POUCA É BOBAGEM

Em total desespero, como última cartada, a pauta petista agora é desqualificar o trabalho do juiz federal Sérgio Moro, o dos procuradores da Operação Lava Jato, o do Ministério Público e o de ministros do Supremo Tribunal Federal (STF). Em suma, os petistas e associados querem transformar em criminosos aqueles que trazem à luz os crimes cometidos por eles. Acabo de ler declaração do deputado federal (PT, claro!) Wadih Damous desancando com a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), de que já foi presidente. Por a OAB apoiar o pedido de impeachment de Dilma, Damous disse que “o comando da entidade está resumido a mediocridades que assumem uma postura golpista”. Também pedirá o impeachment de Gilmar Mendes, ora vejam, acusando-o de falar besteira todos os dias, desonrando a toga por atuar como militante partidário. Perdendo a noção do ridículo e parecendo um caminhão desgovernado, o PT vai tentar quebrar as pernas da Lava Jato. Porém, está muito claro quem foi que quebrou o País, quem extorquiu nosso dinheiro e nosso desenvolvimento, enfim, quem são os bandidos da história, com documentação farta. E continuam afrontando as instituições, pois, a despeito da suspensão da posse de Lula, lá está ele, andando livre e solto por Brasília, altivo, nomeado “ministro informal”, tentando conseguir cupinchas para derrubar a Lava Jato. Assim, cinicamente mesmo, numa boa! E ainda tem gente que defende Lula, Dilma “et caterva”?

Myrian Macedo myrian.macedo@uol.com.br 

São Paulo

*

VELHA DESCULPA

O PT quis o Fla x Flu, está perdendo de goleada e a culpa é do juiz?!

Haroldo Nader nader.haroldo@gmail.com 

Valinhos

*

SOBERANIA AMEAÇADA

Dilma Rousseff diz que Sérgio Moro pôs em risco a “soberania nacional”. Concordo com ela que a soberania nacional corra sério risco, mas não por causa de Sérgio Moro. Alguns de seus mais diletos companheiros estão convictos de que o Estado pertence a eles e de que, portanto, eles não precisem se sujeitar a condição alguma. Sinto ter de dizer à presidente, mas desde Rousseau o mundo entende que soberanos são o povo e a lei. Assim, quando o Brasil se pergunta se está sendo governado por uma organização criminosa, é porque a nossa soberania está, de fato, gravemente ameaçada. Urge que se faça de tudo o que estiver ao alcance do povo, dos Três Poderes que o representam (ou deveriam representar) e da lei para enfrentar esta terrível ameaça. 

Jorge Alberto Nurkin jorge.nurkin@gmail.com 

São Paulo

*

O NOVO MINISTRO DA JUSTIÇA 

 

O propósito do governo Dilma de atingir o juiz Sérgio Moro e a Polícia Federal é de tamanha grandeza que o deixa cego, não o fazendo ver que Eugênio Aragão, nomeado ministro da Justiça, está tão impedido quanto o outro membro do Ministério Público Wellington Cesar Lima, aquele da Bahia, indicado pelo ministro Jacques Wagner. Alega o governo que Aragão ingressou na carreira do Ministério Público em 1987, antes da proibição imposta pela Constituição de 1988. É muita ignorância, ou má-fé. Com efeito, aos membros do parquet que ingressaram na carreira após a Constituição de 1988 é vedado exercer qualquer outra função pública, salvo uma de magistério, nos termos do art. 128, §5.º, II, d, da Carta Maior. Para aqueles que estavam no Ministério Público quando entrou em vigor a Constituição de 1988, que é o caso de Eugênio Aragão, o Ato das Disposições Transitórias (ADCT) disciplinou, no seu art. 29, §3.º, o seguinte: “Poderá optar pelo regime anterior, no que diz respeito às garantias de vantagens, o membro do Ministério Público admitido antes da promulgação da Constituição, observando-se, quanto às vedações, a situação jurídica na data desta”. Assim, se Eugênio Aragão tivesse optado pelo regime anterior, em que era permitido exercer outra função pública, como constava na Constituição anterior e na LC 40/81 (LONMP), não seria alcançado pelas vedações referentes ao exercício de qualquer outra função pública. Então, como não optou, submete-se ao regime das vedações previstas na Constituição de 1988. Se optou, que mostre o termo assinado! Portanto, Eugênio Aragão, membro do Ministério Público Federal desde 1987, porque não optou, está impedido de exercer a função pública de ministro da Justiça, da mesma forma que estava impedido o anterior Wellington Cesar Lima. Assim, como membro em pleno exercício do Ministério Público Federal, deve ou se aposentar ou renunciar à sua condição de ministro da Justiça. A propósito, sabe-se que o PPS entrou com uma ação no STF questionando a permanência de Eugênio Aragão no posto de ministro da Justiça. Assim, Eugênio Aragão, em respeito ao seu prestigioso currículo e às normas constitucionais e legais, exiba o termo de opção, se é que o assinou, aposente-se ou renuncie. Caso contrário, o STF anulará sua nomeação.

 

Flavio Cesar de Toledo Pinheiro, desembargador aposentado do Tribunal de Justiça de São Paulo flaviopinheiro.adv@uol.com.br 

São Paulo

*

GOVERNO DILMA

Surpreendente é o ministério dela. Surpreendente ruim. Mas, com a nomeação do inominável ex-presidente, será o pior ministério do mundo.

 

Guto Pacheco jam.pacheco@uol.com.br 

São Paulo 

*

A ESPECIALISTA

É estarrecedor ter de assistir à capacidade monumental deste governo de escolher bandidos para participarem de seu corpo ministerial. Pasmem, amigos, o último exemplo é este, já superimplicado, o ministro da Justiça. Não sobra ninguém. Parece uma especialidade.

Ivan Bertazzo bertazzo@nusa.com.br

São Paulo

*

O MINISTRO FAREJADOR

Começou mal o novo ministro da Justiça. Em sua primeira entrevista, ele declarou que, se sentir “cheiro de vazamento”, muda todos os componentes da operação da Polícia Federal. A declaração é, na realidade, um ato falho de quem assumiu o ministério com uma missão, a de acabar com a Lava Jato.

Francisco Paulo Uras francisco.uras@uras.com.br 

São Paulo

*

SE FOSSE ASSIM...

Plagiando o título do editorial do “Estadão” de ontem, vou abordar o tema “o cheiro como método”. É inacreditável que um ministro de Estado, o tal Eugênio Aragão, tenha feito tal comentário. Disse ele: “Cheirou, eu não preciso ter prova”. É inacreditável que uma pessoa de formação jurídica tenha feito tal comentário. E, se fôssemos adotar este método, o PT, Lula e Dilma já estão fedendo há muito tempo por causa dos malfeitos realizados e, por isso, já deveriam estar fora de cenário político do Brasil e fora dos cargos públicos.

João Teixeira  jtserrano@terra.com.br 

Osasco 

*

‘O CHEIRO COMO MÉTODO’

Sim, tem algo fedendo neste ministério olfativo...

 

Eduardo Nascimbeni eduardo@nascimbeni.com.br 

São Paulo

*

NARIZ AFIADO

O novel ministro da Justiça (confessadamente ex- adepto do chamado santo daime, cuja bebida ritualística alucinógena pode explicar sua fala não muito coerente) diz que muda toda a equipe de investigadores da Lava Jato ao menor cheiro de vazamento (de quê?), ainda que sem provas. Será que ele não sente o cheiro do vazamento de esgoto que emana do Palácio do Planalto?

Eduardo Spinola e Castro  3491esc@gmail.com

São Paulo

*

CARTÃO DE VISITAS

O todo-poderoso novo ministro da Justiça, Eugênio Aragão, chegou batendo: “Cheirou vazamento de investigação, a equipe será trocada, toda. Cheirou. Eu não preciso ter prova. A Polícia Federal está sob nossa supervisão”. Autoritarismo a toda prova, imagina se ele não quer atingir a Lava Jato? Nem precisava acrescentar que é ligado ao PT e amigo de José Genoino. Vivemos um momento tal no País em que as leis são interpretadas de acordo com as circunstâncias, cada um tem a sua...

Ricardo C. Siqueira ricardocsiqueira@globo.com 

Niterói (RJ)

*

DELAÇÃO EXEMPLAR

A fim de Eugênio Aragão demonstrar um exemplo prático de obtenção de delação sem pressão, sugiro que ele venha a público delatar as razões pelas quais conseguiu o posto de ministro da justiça (em minúsculas): delatar que veio melar a Lava Jato, salvar Lula da prisão, salvar Dilma do impeachment e, ainda, sufocar o Judiciário e a Polícia Federal. 

Suely Mandelbaum suely.m@terra.com.br

São Paulo

*

O LEBRÉU

O desespero é de tal ordem que aquele que pretende ocupar a Casa “Covil” mandou sua criatura arranjar um verdadeiro sabujo – cão de caça grossa – para obrigar a caça (os delegados da Lava Jato) a respeitar os “políticos”. Assim, o novo sinistro (isso mesmo, sinistro!) da Justiça disse que, se sentisse “cheiro”, apenas cheiro, de vazamento de investigação por agentes, toda a equipe seria trocada. O entusiasmo do lebréu, que se norteia por cheiro (palavra do próprio), foi tão grande que deixou clara a ameaça, mesmo tendo amansado depois!  Devemos estar muito atentos, pois não é de hoje que os porões dos palácios do governo exalam catinga insuportável e não seria de duvidar que algum aloprado, para mostrar serviço à chefia, pode bem plantar algum vazamento, para incriminar a Polícia Federal e justificar a troca!  

Aparecida Dileide Gaziolla aparecidagaziolla@gmail.com 

São Caetano do Sul 

*

JUSTIÇA SOB NOVA DIREÇÃO

Imaginando a Polícia Federal uma “pizzaria”, foi logo querendo colocar a faixa costumeira. Só conseguiu mostrar que é farinha do mesmo saco...

A.Fernandes standyball@hotmail.com  

São Paulo

*

O BRASIL QUER SABER

O Brasil quer saber os motivos das visitas do novo ministro da Justiça ao criminoso condenado e preso José Dirceu. O Brasil quer saber por que Aloizio Mercadante continua no cargo depois da tentativa criminosa de tirar o companheiro Delcídio Amaral da cadeia. O Brasil quer saber quem pagou a viagem de Lula a Brasília em voo fretado. 

Mário Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br  

São Paulo 

*

LULA NO JATINHO

Com a foto de ontem no “Estadão”, de Lula saindo do jatinho em local reservado, em Brasília, todos se perguntam quem banca isso tudo. Se bem que imagino a indignação, a raiva e os demais sentimentos mais primitivos do passageiro que fosse sentar ao lado dele, caso Lula usasse avião de carreira. Poupou muitos desse constrangimento. Eu me recusaria a sentar.

Ricardo Rayes rirayes@uol.com.br 

São Paulo

*

DESPESAS OCULTAS

É imprescindível que Lula explique (coisa muito difícil, como sempre) quem paga as despesas dele no seu deslocamento a Brasília. Para termos uma ideia pífia, a diária no hotel mais caro de Brasília, onde ele geralmente fica, próximo da presidente, custa a bagatela de R$ 500,00 (a mais barata). O aluguel do jatinho que ele utiliza para as viagens a Brasília não sai por menos de R$ 50 mil. A somar a esses gastos absurdos, gostaríamos de saber quem está pagando as despesas da equipe de advogados que o defende. Sabe-se que essa equipe cobra valores bastante elevados por um simples parecer jurídico, quiçá todo um processo de defesa. Será que é tudo presente de amigos? Será que os advogados estão dando de presente a ele essa defesa?  De onde vem o dinheiro? Muito estranho...

Antonio F. Guimarães afergui@terra.com.br

São Paulo

*

CANETADA CRIMINOSA

Até agora não houve luz sobre o bizarro fato da edição extraordinária, na calada da noite, do “Diário Oficial” da União que anunciava Lula na Casa Civil. Não havia outro fato que justificasse tal pressa, a não ser a necessidade de prover foro privilegiado ao chefe da quadrilha. 

Júlio Cruz Lima Neto 

São Paulo

*

‘HABEAS CORPUS’ NEGADO

Os bons brasileiros, conscientes, honestos e trabalhadores, agradecem a ministra do Supremo Tribunal Federal (STF) Rosa Weber, que determinou ontem que o “habeas corpus” em favor do ex-presidente Lula não é instrumento adequado para derrubar decisão de ministro da própria Corte. Mais uma porta se fecha para o investigado apedeuta escapar da Operação Lava Jato e do juiz Sérgio Moro. À ilustre ministra Rosa Weber nossos aplausos. De sua rosa ficam as flores e o perfume para os brasileiros de bem; para Lula e sua gangue, felizmente, ficam os espinhos. Neste caso a justiça não tardou nem falhou.  Ainda há esperança!

 

Silvano Corrêa scorrea@uol.com.br

São Paulo

*

RESISTÊNCIA

Com o esgarçamento da Justiça brasileira – resultado da reação frequente de importantes figuras públicas que se manifestam sempre que as decisões e as investigações contrariam seus projetos e objetivos de poder –, é preocupante a convergência de um número excessivo de questões litigiosas para o âmbito do Supremo Tribunal Federal (STF), mesmo as que, pela magnitude e relevância, poderiam ser resolvidas em instâncias inferiores. Além de representar para seus ministros uma sobrecarga de trabalho que pode influenciar a qualidade de suas decisões, transforma a Corte numa espécie de extintor de incêndios para as emergências geradas pelas distorções do nosso sistema presidencialista manco, clamando por uma reforma que dificilmente será debatida por contrariar os propósitos dos encarregados de formulá-la e pelo anacronismo dos códigos em vigor. Caberia então ao Legislativo, hoje também esfacelado, a elaboração de leis dedicadas ao interesse público, capazes de tornar a mediação do STF mais eficiente e justa. Como hoje há pouca esperança de que o Congresso possa se debruçar com honestidade sobre tal tarefa, só nos resta torcer para que nossos magistrados máximos sejam iluminados e disponham de resistência física e psicológica suficientes para continuarem a cumprir sua missão com a isenção que sempre os caracterizou.

Paulo Roberto Gotaç pgotac@gmail.com

Rio de Janeiro

*

O SILÊNCIO DA DERROTA

O falante ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva se calou nos últimos dias, após a decisão de Gilmar Mendes que anulou seu ato de posse na Casa Civil. Da mesma forma, a presidente Dilma Rousseff também está quieta, após a divulgação dos áudios que revelaram a real intenção de blindar Lula, entregando-lhe o ministério e, consequentemente, o foro privilegiado. O silêncio é típico de quem já perdeu a batalha e agora não tem mais o que dizer, pois se sabe que o segundo mandato da petista está com os dias contados e não deverá permanecer no cargo de autoridade máxima do Executivo em maio. Os deputados trabalharam na sexta-feira e na segunda-feira também, numa clara atitude de acelerar o processo de impeachment de Dilma, na Casa parlamentar. Enjeitada pelo PMDB, partido do vice-presidente, Dilma vive os últimos dias de tormento do cargo, fingindo dominar a situação. 

José Carlos Saraiva da Costa jcsdc@uol.com.br 

Belo Horizonte 

*

CADÊ AS FEMINISTAS?

Causa estranheza nenhum grupo feminista vir a público em desagravo da ex-secretária de Lula, Clara Ant, ridicularizada, humilhada e desprezada pelo ex-presidente, por causa de quem foi levada pela Polícia Federal. Infelizmente, nos acostumamos e até achamos natural ouvir grosserias deste senhor Luiz Inácio Lula da Silva. Ainda que se ache monarca soberano, não passa de um peão de obra, chulo, grosso e inculto. Agora, destratar uma senhora que devotou a vida a fazê-lo chegar aonde chegou e trabalhou cotidianamente para mantê-lo lá, só demonstra a visão e o desrespeito que ele tem por todas nós e deveria indignar todas as mulheres com mais de dois neurônios. Deveríamos segui à risca os ditames das feministas dos anos 60-70, para quem o ultraje, o desrespeito e a violência cometidos contra uma única mulher atingiriam todas e exigiriam enérgica reação, ainda que o agressor seja um ex-presidente da República. Lamentável!

Helena Maria de Souza, professora de História da rede pública do Rio de Janeiro hellenasouza@uol.com.br

Rio de Janeiro

*

LIBERDADE DE EXPRESSÃO

Pouca repercussão neste “Fórum” foi dada ao acontecimento ocorrido num teatro em Belo Horizonte onde um espetáculo foi interrompido de forma ditatorial e bolivariana por um grupo de espectadores presentes aos gritos de “não vai ter golpe!”. O fato aconteceu após uma fala do ator referindo-se à presidente atual e a um ex-presidente, segundo este grupo agressivo e ofensivo. Devo mencionar que o fato aconteceu num palco de apresentação teatral, onde o artista é soberano e nunca deveria receber ofensas interrompendo o espetáculo. Recordo-me, hoje aos 71 anos, de que fui universitário da PUC, fato que muito me orgulha, e estava presente no Teatro Tuca quando militares interromperam peça em que expressávamos nossa repulsa ao regime vigente. Assembleias eram interrompidas pelo Exército na PUC Sorocaba Medicina. Agora, todos os programas envolvendo estas mesmas pessoas com piadas ou imitações poderão sofrer o crivo da censura? Que absurdo, censura em plena democracia! O correto é a crítica cultural, tão rica e composta por profissionais competentes e por vezes independentes, que o fariam em seus comentários em veículos de comunicação. Quanto ao sr. Chico Buarque, um ícone artístico, meus pêsames. E me despeço com sua música: “Afasta de mim este cálice”. Mas nós não vamos nos calar.

Claudio A. S. Baptista clabap45@gmail.com

São Paulo

*

LULA, DILMA E CHICO BUARQUE

No mesmo dia em que censurou um ator de teatro, Chico Buarque assinou um manifesto em defesa da democracia e da liberdade de expressão. É o cúmulo do cinismo. Chico Buarque, além de militante petista, pensa ter o monopólio da verdade. Fala grosso por aqui, mas fala fino em Cuba e depois vai a Paris com dinheiro da Lei Rouanet. Francamente. Já Dilma Rousseff disse que, “nos Estados Unidos, alguém que grampeasse o presidente, seria preso na hora”. Não, “presidenta”, se o conteúdo da gravação fosse semelhante ao de sua conversa com Lula, Obama é que teria de renunciar em 24 horas. E não vir a público querendo prender o xerife. Acuados e desorientados, Dilma, Lula, Chico Buarque e milícias petistas se bolivarianizaram. É o último suspiro.

Sandro Ferreira sandroferreira94@hotmail.com 

Ponta Grossa (PR)

*

CENSURA

Só lembrando, o passado rei da vela. Temos um novo censurador: Chico Buarque.

Moises Goldstein mgoldstein@bol.com.br 

São Paulo

*

VELHOS TEMPOS

Quem diria que, depois de velho, Chico Buarque iria ser a censura contra a qual ele tanto lutou? Triste.

Luíz Frid luiz.frid@globomail.com   

São Paulo

*

OS POETAS SE PERDERAM NO CAMINHO

E não é que os podres poderes apodreceram também a cabeça de pobres poetas? Realmente, meus ídolos políticos dos anos 70 e 80, juntamente com meus poetas, morreram todos abraçados! Seus ideais se perderam no tempo. Que triste! Os primeiros, porque se locupletaram no poder e se empanturraram de grana, muita grana. Os poetas, ah, esses poetas... Estes emburreceram e se desviaram no caminho da crença, e a crença é cruel, porque ela anula a capacidade de pensar do ser humano. Uns trocaram os pobres pela vida burguesa, que sempre atacaram. Os outros trocaram o saber pelo crer. Triste fim de Chicos, Lulas, Caetanos e tantos outros que me enganara.

  

Armando Favoretto Junior armandofavoretto@gmail.com 

São José do Rio Pardo

*

TEMPOS OBSCUROS

Neste momento delicadíssimo que estamos vivendo, vejo este manifesto de artistas e intelectuais sendo divulgado. Triste ver que, no momento crucial da nossa história, pessoas que outrora lutaram pela liberdade, agora, a subvertem, vendem sua consciência para justificar crimes escancarados. O ator que ousou incluir um caco na peça que interpretava, como forma de protesto, foi execrado pelo público presente e o autor das músicas, Chico Buarque, proibiu seu uso doravante. Para essa gente, liberdade de expressão só vale se atender aos seus interesses, não contrariar suas ideias e não mexer em seus bolsos. Tempos obscuros vivemos.

Elisabeth Migliavacca elisabeth448@gmail.com 

São Paulo

*

INSUSTENTÁVEL

Algumas das notícias importantes veiculadas nos últimos dias: “Desempenho do Brasil só supera o de dois países (Venezuela e Ucrânia)”; “Consumo das famílias tem maior queda desde 1996”; “Desemprego já passa de 10% em seis Estados”; “Metade da população não tem coleta de esgoto (índice coloca País na 11.ª posição em ranking latino-americano)”. Como se vê, a situação do País está insustentável. O governo federal deveria ter a grandeza de admitir que tem falhado sistematicamente, enxergar que não governa apenas para os membros e militantes do seu partido, afastar-se e dar lugar para um governo de transição que possa unir as bases, montar uma equipe de ministros realmente competentes e identificados com suas respectivas áreas, conclamar pessoas meritoriamente destacadas da indústria, do comércio e de outros setores a colaborar na elaboração de um plano emergencial para começar a recolocar o País nos trilhos e dar início às reformas tão necessárias ao País, como, por exemplo, a da Previdência. Cabe, ainda, dizer que é falacioso o discurso do PT de que governa para os pobres. Quem mais sofre com as notícias acima são justamente os pobres e a classe média. As imensas massas que tomaram as ruas no dia 13 de março se manifestando contra o governo federal, além da ética, querem mais é que o Brasil melhore para todos, porque é óbvio que há um efeito dominó inverso: a melhora das condições de vida da base da pirâmide, os pobres, desencadeia uma melhora de baixo para cima, difundindo-se por toda a pirâmide. Além do que este “discurso dos pobres” caiu por terra na última semana, com o ex-presidente desmerecendo o tríplex como sendo “padrão Minha Casa, Minha Vida” e com os áudios divulgados revelando o deboche das “coisas de pobre”, como, por exemplo, o da ex-primeira-dama e o do prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes. Este nosso imenso e riquíssimo país, povoado em sua esmagadora maioria por gente de bem, merece mais do que esta triste e vergonhosa situação.

 

Lenke Peres

Cotia

*

O DISCURSO DE DILMA

Dilma se apresenta como um anjo de candura em seu discurso, mas se esquece de que deixou o País quebrado, deixou a maior estatal no osso, porque os petistas são assim: chupam a manga até o caroço e, se bobear, roem o caroço! Qualificou-se como uma  injustiçada porque não deu motivos para o impeachment, dando um tom  de escárnio que ofende qualquer ser pensante de médio entendimento. Sem falar nas pedaladas fiscais, tudo o mais que se descobriu nas gravações em que ela não foi grampeada, mas que descortinaram o “modus operandi” deste governo, já vale muito mais que o Fiat Elba de Collor, com o qual os petistas o puseram para fora do palácio. 

Mara Montezuma Assaf montezuma.scriba@gmail.com

São Paulo

*

ÉTICA NA POLÍTICA

Qual parte Sua Excelência, a “presidenta” da República, não entendeu? Não queremos golpe, só queremos ética! 

Luiz Fernando Rangel de Camargo Fidelis camargofidelis@aasp.org.br

São Paulo

*

‘VERGONHA NA CARA’

As contundentes palavras da eminente advogada Luiza Nagib Eluf (“Vergonha na cara”, 22/3, A2) calaram fundo em nossa alma, pois traduzem o nosso pensamento e, certamente, o da grande maioria dos brasileiros que não tem como se manifestar, a não ser indo às ruas para, pacificamente, protestar contra o cenário político atual de nosso país. Lamento apenas que seu artigo não seja lido por todos aqueles que estão confinados na escura caverna de sua ignorância, intransigência e mesmo fanatismo de uma certa “esquerda caviar”.

Bernadete Jordani Barbosa detejordani@hotmail.com 

São Paulo

*

EDUCAÇÃO

Cumprimento a dra. Luiza Nagib Eluf, pelo artigo “Vergonha na cara”. Sou descendente de japoneses e a cultura japonesa preza muito a honra da pessoa. Algo cultural e que o Brasil não tem, por começar a história de maneira errônea, lá nas Capitanias Hereditárias, já com a corrupção sendo praticada de forma aparente. No meu ponto de vista, mudar isso é fácil: investimento em educação. Compare o Brasil e um outro país asiático, a Coreia do Sul, nos anos 60 e hoje. Esperança é a última que morre, pois há muitas pessoas de ótima índole no Brasil. 

Ivan Kawaharada ivan.kawaharada@gmail.com

São Paulo

*

REMÉDIO TRAUMÁTICO, MAS EFICAZ

Aos seis ministros do Tribunal Superior Eleitoral (TSE): por  inúmeras provas de uso de dinheiro criminoso nas eleições, que haja a legítima  cassação da chapa Dilma/Temer, já que PT e PMDB são farinha suja do mesmo saco. Evitam-se, com esse remédio, manejos sombrios pós impeachment de possível fim da Operação Lava Jato.

José Jair Januzzi de Assis januzzi.adv@terra,com,br

São Paulo

*

A LAVA JATO EM PORTUGAL

Será que as investigações da Operação Lava Jato em Portugal, com a fase Polimento posta em prática na segunda-feira, finalmente irá esclarecer o caso de dona Rosemary Noronha, quando transportou, em espécie, 25 milhões de euros, junto com a comitiva presidencial liderada por Lula, quando de uma visita ao nosso país-irmão? Há notícias de que houve transporte por guarda de valores até a uma agência do Banco Espirito Santo, em Lisboa, e de que tudo estava em nome da “alma mais honesta do Bras...”, ou melhor, do universo. O povo precisa e quer saber.

Carlos Benedito Pereira da Silva carlosbpsilva@gmail.com 

Rio Claro

*

O APOIO DA SUÍÇA

O Ministério Público da Suíça criou uma equipe exclusiva para a Operação Lava Jato. São mais de mil contas a serem investigadas. Os ativos estão espalhados por mais de 40 bancos. Com a palavra, aquele que vocifera todo nervosinho contra o Ministério Público do Brasil. Será que ele vai entrar na Suíça embargando a ação do MP de lá? Vamos aguardar o que ele vomitará sobre isso. Enquanto nada acontecer, o povo que o apoia comerá lanche de mortadela.

Tanay Jim Bacellar tanay.jim@gmail.com 

São Caetano do Sul 

*

PEC 412

A Polícia Federal, aproveitando os holofotes da Operação Lava Jato, pretende, numa atitude puramente corporativista, reivindicar a autogestão financeira da instituição. Tal propósito nos parece totalmente descabido, uma vez que busca, a título de fugir dos cortes orçamentários, decidir em causa própria como gerir os recursos e estabelecer quanto devem ganhar os integrantes da corporação, por sinal já muito bem pagos. Na esteira de uma decisão como esta, justo será por isonomia demandas idênticas da Polícia Rodoviária Federal, da Receita Federal, do INSS, do Ibama, do Incra e de outros órgãos federais que sem dúvida alguma buscarão seus direitos. Tal abertura, mesmo que se diga ser somente de caráter financeiro, é temerária, pois nos coloca como sociedade sujeita a um Estado policial, cujas consequências são imprevisíveis. Como contribuinte, tenho esperança de que os congressistas estejam atentos às graves implicações da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 412, que prevê a autonomia funcional, administrativa e financeira da Polícia Federal.

Francisco Lutero Luehring luteroluehring@yahoo.com.br

Curitiba

*

O CLAMOR DAS RUAS

“Dilma fora!”, “Lula na cadeia!” e “viva a Lava Jato!”, eis o pedido da ruas, segundo Fernando Henrique Cardoso (“Estadão”, 20/3, A4). Acorda, Congresso Nacional!

Alice Arruda Câmara de Paula alicearruda@gmail.com 

São Paulo

*

ENTREVISTA DE FHC

Quando o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso diz (20/3, A4) que sente “tristeza, pois Lula enterrará a própria história”, ele o faz como sociólogo, pois sabe que um dia outra agremiação política que encampar os “trabalhadores e operários” carregará um estigma perante a sociedade, mesmo que seja ética e séria. O mal que o PT deixou como legado ficará por muitos anos.

Márcio Roberto Lopes da Silva marcioped.itu@gmail.com 

Itu 

*

IMPEACHMENT

PT ataca fala de FHC em entrevista ao “Estado”. É preciso lembrar aos membros e dirigentes do PT que parem de falar tanta abobrinha, porque este país tem uma Constituição e que basta lê-la e respeitá-la. A fala dos senhores já cansou e já não nos atinge mais, enfrentem a realidade e a vontade do povo brasileiro: impeachment já!

Károly J. Gombert kjgombert@gmail.com

Vinhedo

*

LENHA NA FOGUEIRA

Este sr. Fernando Henrique não precisava ter-se pronunciado.  Ele fez um ótimo governo, mas agora poderia ter ficado quieto gozando sua aposentadoria, em vez de jogar mais lenha na fogueira. Vejo, sobretudo, duas contradições no seu discurso, se é verdade o que foi publicado (20/3, A4): primeiro, diz que o Congresso não pode conduzir o processo; agora diz, sim, é o Congresso. Em seguida, afirma que a legitimidade não vem do Congresso, mas das ruas. Mas não é exatamente isso o que o PT qualifica de atitude golpista? Se o problema é com a governabilidade, temos de dar um jeito de mudar o governo, mas dentro da Constituição.

Peter Wulf lipman@terra.com.br

São Paulo

*

PREJUÍZO DA PETROBRÁS

A ainda presidente Dilma Rousseff reclama de que petistas são perseguidos pela Operação Lava Jato e dos que são contra o governo, dizendo que querem dar um “golpe”. Golpe quem deu foi o PT, e não há quem duvide. Será que e$tes bandidos acham que estavam e estão certos? Quando do regime militar, reclamavam de que eram perseguidos pelos militares; agora, repetem a mesma lenga-lenga, num regime “democrático ditatorial” civil. Que perseguição? E vão continuar sendo perseguidos até que sejam condenados pelos desvios e roubos do erário e das estatais. A Petrobrás teve um prejuízo de R$ 34,8 bilhões em 2015, e deverá assumir débitos superiores a R$ 162 bilhões em processos. Destruíram a economia, a moralidade e a sociedade brasileiras, provocando uma crise sem precedentes. O povo brasileiro não aguenta mais e torce pela prisão do ex-presidente, da atual presidente e de todos os petistas e aliados envolvidos. E precisam devolver os valores apropriados do Brasil. Felizmente, o impeachment está chegando.

 

Luiz Dias lfd.silva@uol.com.br 

São Paulo

*

FELIZ PÁSCOA

Já imaginaram quantos ovos de Páscoa seria possível  comprar com R$ 34,836 bilhões que foram surrupiados dos cofres da Petrobras?

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com 

Jandaia do Sul (PR)

*

O PIXULECO E A PETROBRÁS

Nem bem Lula assumiu informalmente a Casa Civil (contrariando decisão do STF), a Petrobrás divulga que encontrou a maior coluna de petróleo já descoberta no Campo de Libra. Será que vamos voltar à época do “nunca antes na história desse país”? Poupe-me, Pixuleco!

Maria Carmen Del Bel Tunes carmen_tunes@yahoo.com.br 

Americana

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.