Fórum dos Leitores

OPERAÇÃO LAVA JATO

O Estado de S.Paulo

08 Junho 2016 | 03h00

Pedido de prisão

O pedido de prisão feito pelo procurador-geral da República dos senadores Renan Calheiros, Romero Jucá e do ex-presidente José Sarney, além do deputado afastado Eduardo Cunha, já está nas mãos do ministro Teori Zavascki há mais de uma semana, sem que este tenha feito qualquer pronunciamento a respeito. Até quando vamos aguardar para ver se essas “autoridades” serão, efetivamente, presas, visto que as práticas e os delitos de que são acusadas são maiores e mais contundentes do que os de Delcídio Amaral?

ARTUR TOPGIAN

topgian.advogados@terra.com.br

São Paulo

Duvido

Agora eu quero ver! Não creio que o Supremo Tribunal Federal (STF) vá acatar o pedido de Rodrigo Janot. Em se tratando de velhos e conhecidos malfeitores, de muita intimidade com aquela Corte, ela, para variar, usará a descabida brecha da lei para ajudá-los. Pobre país este dos cargos de indicação por temor do mérito.

ALESSANDRO LUCCHESI

timtim.lucchesi@hotmail.com

Casa Branca

Entulhos

Gravíssimo o pedido de prisão de Sarney, Calheiros, Jucá e Cunha. Tudo depende de uma decisão do ministro Teori Zavascki, que não pode fugir um milímetro da imparcialidade, pouco importando as consequências. De todo modo, se o Brasil deve ser limpo, nossas máquinas não podem ser inoperantes diante de entulhos irremovíveis.

AMADEU R. GARRIDO DE PAULA

amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo

Brasil profundo

Renan e Sarney. O primeiro foi eleito pelo povo para oito anos de mandato como senador e o segundo não tem cargo algum, mas a impressão que se tem é de que isso tanto faz. Nas gravações recém-reveladas, ambos apitam nos rumos da República (sic). E muito. Há algo de profundamente errado neste estado de coisas. Raposas velhas cuidando do galinheiro Brasil. Coronelismo, Enxada e Voto, como aponta o título do livro de Victor Nunes Leal. Obra de 1948, parece saída do forno. O Brasil profundo nos espreita. E nos conduz.

LUIZ CARLOS MONTANS BRAGA

montansbraga@hotmail.com

Varginha (MG)

A régua de Janot

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, nos primórdios da Operação Lava Jato, ao receber os papéis que denunciavam políticos, manifestou seu alívio ao “passar a régua e não encontrar nada contra Lula e Dilma”. Quando o impeachment chegou à Câmara, Janot moveu céus e terra para incriminar e tentar afastar Eduardo Cunha, que eficientemente conduzia o processo. Ao mesmo tempo, enviava denúncias ineptas contra Renan Calheiros, aliado do momento, que seriam recusadas pelo STF. Com o processo no Senado e Calheiros não tão amigo, Janot torna-se um defensor irredutível da Lava Jato e exige a prisão e a cassação dos principais articuladores no Senado, entre eles Calheiros, que levam a bom termo o afastamento da presidente. Ora, se tramar contra a Lava Jato em conversas privadas gravadas e divulgadas ilegalmente é crime passível das maiores punições, por que o deputado Wadih Damous (PT-RJ), que apresentou um projeto de lei que aguarda votação e fere de morte a operação, não recebeu nenhuma contestação? Por que este deputado, que assinou e publicou suas péssimas intenções, não mereceu a atenção do zeloso Janot? Convém que a sociedade fique de olho no aguerrido procurador, que pode estar lutando em defesa não exatamente dos interesses da população.

LIZETE GALVES MATURANA

lizete.galves@gmail.com

Jundiaí

Minoritários

Renan, Cunha, Jucá, Sarney. Só os sócios minoritários? E o presidente desta “firma”, vulgo Lula, fica em casa?

CARLOS ALBERTO ROXO

roxo_7@terra.com.br

São Paulo

Lula primeiro

Não entendo a lógica do procurador-geral, ao pedir a prisão de Renan, Sarney e Jucá com o argumento de tentativa de obstrução das investigações da Lava Jato, sem ter pedido também a prisão do ex-presidente Lula. Ora, há um mês o mesmo Janot apresentou denúncia contra Lula pelo mesmo motivo, comprovado por escutas telefônicas autorizadas pela Justiça e amplamente divulgadas. A denúncia de Janot, então, foi agravada com a seguinte frase: “Essa organização criminosa jamais poderia ter funcionado por tantos anos e de uma forma tão ampla e agressiva no âmbito do governo federal sem que o ex-presidente Lula dela participasse”. Logo, o exemplo, que sempre vem de cima, deveria tê-lo colocado na cadeia para, então, dar-se sequência à prisão dos demais envolvidos.

ANTONIO C. GOMES DA SILVA

acarlosgs@uol.com.br

São Paulo

Arraial de Curitiba

Neste mês de junho, a quadrilha petralha nos violenta com a revelação de mais assaltos e mutretas – vide as delações premiadas de Nestor Cerveró e de Marcelo Odebrecht. O arraial de Curitiba em breve será encabeçado pelo casal Lula & Dilma.

RICARDO C. T. MARTINS

rctmartins@gmail.com

São Paulo

GOVERNO TEMER

Rebelião à vista

Aliados do governo que não receberam os cargos almejados ameaçam, agora, abandoná-lo. Algum deles está aí preocupado com o País, com o povo, que dizem representar? Não? Então isso não é democracia! Demitamos estes congressistas, tiremo-lhes também os benefícios do cargo aos quais não fazem jus. Afinal, lugar de bandidos é na cadeia, não no Congresso.

REINALDO F. MOTA JUNIOR

reinaldojr8@hotmail.com

Praia Grande

Firmeza

Michel Temer exerce interinamente a Presidência da República com o pressuposto de que agirá de maneira melhor (para o País) do que Dilma Rousseff, e não apenas de maneira diferente. Enquanto esta mostrou falta de diálogo com deputados e senadores, aquele dialoga, mas parece atender por demais a solicitações totalmente incompatíveis com os anseios da população, como é o caso do presente reajuste de servidores federais, que vem na contramão do que defende a equipe econômica. Ora, Dilma não conseguia aprovar a CPMF exatamente pela total falta de credibilidade, o que é o ponto forte de Henrique Meirelles. Agir, portanto, dessa maneira começa a enfraquecer o ponto forte do atual governo, o que é extremamente perigoso.

J. JERONIMO B AMARAL

jeronimoamaral1@gmail.com

Belo Horizonte

 

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

RENAM, JUCÁ E SARNEY, TRIO MARAVILHA!

A mídia está anunciando que Janot pediu a prisão de José Sarney, Romero Jucá e Renan Calheiros. Que trio! Motivo alegado: tentativa de obstrução nos trabalhos da Lava Jato, tudo constatado por gravações legais. Não estou satisfeita, Exmo. Janot: se a tentativa de obstrução de Justiça for o motivo deste pedido de prisão, Lula e Dilma também conspiraram contra a Justiça, minuciosamente - naquela gravação em que Dilma envia ao mestre Lula por "Bessias" um documento que lhe garantisse a posse na Casa Civil, mesmo que Moro tomasse a dianteira para impedi-lo. Como se não bastassem as demais gravações em que Lula esbraveja contra a República de Curitiba, contra aquele moço louco, enfim, foram tantas, por que a balança pesou agora para o trio peemedebista e para o lado petista a balança está imóvel, ainda que o fato delituoso de Lula/Dilma seja anterior? Não é por falta de pesos, não?

Mara Montezuma Assaf montezuma.scriba@gmail.com

São Paulo

*

ESTÁ FALTANDO UM

Renan, Sarney, Jucá e Cunha. Não faltou Lula? ¬– sobre os pedidos de prisão encaminhados por Janot.

Roberto Twiaschor rtwiaschor@uol.com.br

São Paulo

*

O QUE DIZ O LIVRINHO?

Por maior que seja a tentação, a Constituição não pode ser violada sob o pretexto de se fazer Justiça. É o caso do pedido de prisão dos senadores Romero Jucá (PMDB-RR) e Renan Calheiros (PMDB-AL), presidente do Senado, e do ex-presidente e ex-senador José Sarney (PMDB-AP). Tal pedido, enviado pelo procurador-geral da República ao ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Teori Zavascki, tem como base suposta tentativa de paralisação da Lava Jato articulada pelos caciques peemedebistas em conversas gravadas com Sérgio Machado, ex-presidente da Transpetro. Ao contrário do episódio envolvendo Delcídio do Amaral, não há apresentação de um plano concreto para obstruir a Justiça, as declarações não passam de bravatas. Logo, não existindo flagrante de delito, não há previsão constitucional que justifique a prisão de dois parlamentares em exercício do mandato – um deles chefe de um poder, Renan. Há ainda o pedido de prisão de Eduardo Cunha (PMDB-RJ), presidente afastado da Câmara, uma vez que este estaria interferido no andamento do processo que corre no Conselho de Ética – que nem sequer terminou. De duas, uma: ou Rodrigo Janot está de posse de indícios que ainda não conhecemos ou pirou de vez. Nomear Lula para a Casa Civil não constituiu tentativa de obstrução da Justiça? Dilma tem de ser presa também! São dois pesos e duas medidas e, mais grave ainda, o chefe maior do Ministério Público se esquece de que temos uma Carta Magna a ser observada. Que o STF tenha sensatez e atente para o “que é que diz o livrinho... 

Elias Natal elias.natal@hotmail.com

Nepomuceno (MG)

*

‘GRAN FINALE’

Foi feito o pedido de prisão para Renan, Jucá e Sarney. Seria para Lula o “gran finale”?

 

Robert Haller robelisa1@terra.com.br

São Paulo

*

SARNEY REVOLTADO PEDE RESPEITO

E o respeito ao povo brasileiro? Vai pedir para Maluf, Renan, Collor etc.?

Ariovaldo Batista arioba06@hotmail.com

São Bernardo do Campo

*

INVESTIGADOS NA LAVA JATO

O Brasil necessita de políticos que ajudem a governar nosso país, não de políticos que consomem seu precioso tempo tentando justificar o injustificável.

Virgílio Melhado Passonimmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

*

MARMITEX

O sr. Lula, após um período de desaparecimento, surge no Rio em evento com sindicalistas, abutres do dinheiro público, e fala que o governo Temer tirou o avião da sra. Dilma e até o seu almoço, que “ela vai comer marmitex”. Irônico, mentiroso, falastrão e se passando por vítima, que não é. Ele não sabe o que marmitex desde 1980, quando já pegava propina da OAB, hoje toma vinho de R$ 950 a garrafa e a sra. Dilma, com o cartão coorporativo do governo, almoça e janta em vários lugares do mundo, em Nova York com 900 pessoas, em Lisboa com 112 pessoas e mesmo hoje com Miguel Rosseto e outros comendo e bebendo, ela consegue ser a maior consumidora do dinheiro público do século 21.

Celso Mello celsosaopauloadv@uol.com.br

São Paulo

TRANSPORTE DE ÓRGÃOS

Apesar dos problemas que ocorrem no governo Temer, o presidente interino dá mostras de que é sensível às matérias que afligem muitos cidadãos. Um exemplo é o caso do transporte de órgãos, que não puderam ser transplantados, contrariamente aos interesses de políticos, que desejam o uso de aviões da FAB. Outro exemplo refere-se à determinação da proibição de nomeação de presidentes e diretores de empresas estatais e fundos de pensão por indicações políticas. Segundo a determinação do presidente interino, as indicações devem se fundamentar na competência técnica e, preferencialmente, de funcionários de carreira. Temer seduz pouco a pouco parte da população com medidas que, durante anos, ficaram esquecidas e perdidas no mar de privilégios dos políticos e dos executivos dos Poderes Executivo e Judiciário.

Mário Negrão Borgonovi marionegrao.borgonovi@gmail.com

Rio de Janeiro 

*

ATRASO

Duvido que, em algum outro país do mundo livre, políticos usem regularmente aviões da Força Aérea para seus deslocamentos de rotina. O Brasil tem um longo caminho rumo à civilização. 

Mário Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo 

*

TÉRMINO 

Perfeito. Após todas as apurações das denúncias contra Dilma, ela não resistirá até agosto.

Luíz Frid  luiz.frid@globomail.com

São Paulo

*

TRANSPORTE DE ORGÃOS

 

Alocar aviões a jato (como os da FAB) para transporte exclusivo de órgãos para transplantes tem um custo altíssimo. O que se gasta num voo desses dá para custear o atendimento mínimo a centenas de pessoas necessitadas, em pronto-socorro e hospitais. Pior ainda quando somos um País continental, de grandes distâncias. 

 

Heitor Vianna P. Filho bob@intnet.com.br

Araruama (RJ)

 

  

PT, NO OLHO DO FURACÃO

A vestal sacerdotisa do templo do PT está sendo desmascarada e seus súditos estão rasgando suas vestes. Desta vez, o determinismo histórico está contra eles. 

Eugênio José Almati eugeniojalati@gmail.com

Campinas 

*

DELAÇÃO

A delação só tem validade quando favorável a Dilma. Caso contrário, é mentira -  ela que usou e abusou da mentira a se reeleger! 

Mario Junior Cobucci maritocobucci@gmail.com

São Paulo

*

A FAB E O TRANSPORTE DE ÓRGÃOS

O site da Agência Nacional da Aviação Civil (Anac) lista cerca de 140 empresas que prestam serviço de táxi aéreo espalhadas por todo o território nacional. A FAB por questões logísticas mantém suas aeronaves baseadas em determinadas localidades do País. Não seria muito mais lógico, eficaz e eficiente que se mantivesse um contrato assinado com empresas de táxi aéreo para a prestação do serviço de transporte de órgãos para transplante? O transporte de autoridades é uma missão prevista em lei, prestada por uma unidade específica. Por favor, não confundam alhos com bugalhos. Ou alterem a legislação!

Marco Antonio Esteves Balbi mbalbi69@globo.com

Rio de Janeiro

*

GOVERNO TEMER & PROTESTOS

Esgoelando o "Fora, Temer!" só confirmam ter vergonha de berrar o "Volta, Dilma!"...

A.Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

*

TRÉGUA 

Resumindo: Michel Temer está querendo comprar uma trégua temporária com aumento de salários para o funcionarialismo público. 

Michel Temer do PMDB tá dando uma de PT!

Vanderlei Pereira de Jesus pvanderlei@hotmail.com

São Paulo

*

SE DILMA VOLTAR...

Brilhante a crônica de Arnaldo Jabor que retrata fielmente a figura de nossa impedida “presidenta”, incapaz de articular frases, acontecimentos e, sobretudo o que acontece a seu redor...

Lauro Hirata laurohirata@yahoo.com.br

São Paulo

*

TITIA

Retrato da política catita: a mulher que tem o voto Minerva no processo do Dudu Cunha se chama Tia Eron!!! Que fofo! Ela foi babá! Dá-lhe, Brasil!

Elisabeth Migliavacca

São Paulo

*

NEW YORK TIMES

Perguntar não ofende... Sobre as reportagens do jornal New York Times buscando sistematicamente denegrir a imagem do Brasil, em virtude da investigação em curso na comissão de impeachment. Pergunto aos meus botões se um país que corre o risco de ter um futuro presidente como Donald Trump   não seria mais inteligente se estivesse preocupado com seus próprios problemas?   Nem o conselheiro Acácio tem dúvidas!   

Arlete Pacheco arlpach@uol.com.br

Itanhaém

*

MAIS DO MESMO

 

 Os brasileiros não querem o mais do mesmo de dona Dilma Rousseff. Assim, o congelamento das nomeações (mais de 14 mil) nas estatais merece aplausos, desde que sejam elas, quando feitas, muito mais por características e condições técnicas e não por requisitos políticos. De outro lado, os aumentos para o funcionalismo federal merecem ser suspensos pelos seguintes motivos: a) fica de acordo com as projeções do Ministério da Fazenda para a contenção de gastos públicos e b) evita a certeza de que o governo terá de recriar a CPMF e aumentar impostos, o que não é aceito pelos brasileiros e gerará protestos infindos.

 

José Carlos de Carvalho Carneiro carneirojc@ig.com.br

Rio Claro

*

‘SACCUM PLENUM'

Acho que a expressão latina lembrada em seu artigo pelo general Rômulo Bini Pereira no Estadão (8/6), também pode ser perfeitamente utilizada ao sermos expostos às marchas e contramarchas do jovem governo do velho Michel Temer, até agora completamente decepcionantes para quem tanto se armou de esperanças: "habemus saccum plenum!"

Ademir Valezi valezi@uol.com.br

São Paulo 

*

DIREITOS HUMANOS 

A ação cirúrgica e determinada do Exército no Araguaia evitou que fosse criada uma região de "Farcs" no interior do Brasil. Ou será que há alguém, exceto traficantes de cocaína, que acredite que as Farcs fizeram/fazem algum bem para a Colômbia ou mesmos para as partes da população mais pobre da Colômbia? 

Pedro Henrique A.P. de Oliveira p_oliveira@icloud.com

Brasília 

*

TORNADO EM CAMPINAS

Campinas ficou devastada ao ser atingida por um tornado na madrugada de domingo (5/6), mas não houve nenhum aviso das autoridades locais. O Centro de Pesquisas Meteorológicas e Climáticas Aplicadas a Agricultura (Cepagri) da Unicamp não emitiu nenhum alerta sobre a formação deste catastrófico evento climático. A tragédia poderia ter sido muito maior, se ocorresse durante o dia com as pessoas nas ruas. É imprescindível que a população seja informada e que haja coordenação permanente entre a universidade, a Defesa Civil e a imprensa, para manter sob vigilância climática toda a Região Metropolitana de Campinas.

Luiz Roberto da Costa Jr. lrcostajr@uol.com.br

Campinas 

*

ADEUS, JARBAS PASSARINHO!

É com grande pesar que todos os brasileiros patriotas se despedem deste grande cidadão, Jarbas Passarinho, patriota, militar e político exemplar que deixou um legado de honra à pátria e conduta de honestidade irretocável a todos que se propõem cumprir as missões por ele cumpridas, sem retoque de repreensão. Ele foi e continuará sendo um marco exemplar e desafiador. Qual outro político do seu tempo para cá que poderá dizer o mesmo aos brasileiros?

Benone Augusto de Paiva benonepaiva@gmail.com

São Paulo

 *

UM BRASILEIRO DE VALOR

O Brasil lastima a perda do homem público Jarbas Passarinho! Militar por formação foi líder para os seus comandados. Indicado para assumir cargos públicos a eles sempre se dedicou com afinco e destaque. Passa a história estigmatizado por uma fala sua, fora do contexto completo da reunião onde a mesma foi pronunciada. O Brasil sente a perda de homens da estirpe de Jarbas Passarinho!

Marco Antonio Esteves Balb mbalbi69@globo.com

Rio de Janeiro

*

MUHAMMAD ALI

Um minuto de respeitoso e comovido silêncio pela partida de Muhammad Ali, tido como o maior de todos os tempos sobre o ringue. Um gigante que escreveu com luvas, palavras e atitudes uma legendária e vitoriosa biografia na história do esporte, na luta a favor da igualdade racial e contra a Guerra do Vietnã. Ao peso pesado 'bailarino’, o boxe tem dívida impagável por ter sido elevado à categoria de arte e espetáculo. Como bem disse Mike Tyson, outro fenômeno espetacular das lutas: "Deus veio buscar seu grande campeão. Até logo, maior de todos. Descanse em paz.” 

J.S. Decol decoljs@gmail.com

São Paulo

*

TUDO NA MESMA

Cassius Clay ou Muhammad Ali vivia em cada um de nós jovens dos anos 60, esbeltos ou subnutridos, engajados ou não, que recusamos a opressão das guerras e das ditaduras como continuação da política; que nos rebelamos de Paris à Praça da Paz Celestial; que amávamos os Beatles e os Rolling Stones; que vimos as saias das meninas se tornarem mínis e criarem a nova mulher altiva, participativa, livre; que pregávamos uma nova ordem de Justiça e decência, uma sociedade sensível, sem desigualdades assombrosas, impiedosas; que fomos massacrados nos arrozais alagados da Indochina, nos calabouços da repressão militar do Brasil, do Chile, da Argentina, do Uruguai; que não conseguimos mudar coisa nenhuma: escabrosos patifes - personagens do noticiário dos telejornais de agora - pertencem a essa geração que pretendeu ser revolucionária. No todo, revolucionamos coisa nenhuma. O mundo continua cão. E o Brasil, dos canalhas.

José Maria Leal Paesjosemarialealpaes@gmail.com

Belém 

*

LENDA DOS RINGUES

Pouco desportista ao longo da história atingiu o patamar de Mohammed Ali. Uma lenda sob todos os ângulos. Cresci vendo suas vitórias sobre seus adversários, em uma época de TV preto e branco. Pena que a doença degenerativa tenha carcomido e ceifado uma vida tão marcante. 

Luiz Thadeu Nunes e Silva luiz.thadeu@uol.com.br

São Luís

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.