Fórum dos Leitores

LULA E A JUSTIÇA

O Estado de S.Paulo

15 Junho 2016 | 03h00

De volta à 1ª instância

Em entrevista à Al Jazeera, o ex-presidente Lula mais uma vez se autorrotulou “o mais honesto” do Brasil, a mesma fanfarrice já tão alardeada: “Duvido que algum procurador, que algum delegado da polícia seja mais honesto que eu, mais ético que eu nesse país”, disse ele. Algumas horas depois, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Teori Zavascki devolvia para o juiz Sérgio Moro, em Curitiba, a investigação que envolve o sítio de Atibaia e o tríplex no Guarujá, imóveis do ex-presidente que receberam reformas bancadas por empreiteiras investigadas na Operação Lava Jato. Tendo já sofrido condução coercitiva, determinada pelo próprio juiz Moro, para dar explicações sobre os tais imóveis, agora São Lula deverá descer dos céus onde se julga instalado e padecer no inferno de um julgamento comum a todos os mortais.

LUÍS LAGO

luislago2002@hotmail.com

São Paulo

Escuta anulada

Por decisão do ministro Teori Zavascki, volta para a 13.ª vara da Justiça Federal, em Curitiba, a documentação das investigações sobre o ex Lula da Silva. Da documentação foi anulada, pelo ministro, parte da escuta telefônica entre Lula e a presidente Dilma Rousseff, em que os dois combinavam a entrega do “termo de posse” como ministro da Casa Civil para Lula “usar em caso de necessidade”. Na qualidade de contribuinte e de cidadão de segunda categoria, revolta-me ter mais esta prova de que “nem todos” são iguais perante a lei nesta triste República de Pindorama.

MÁRIO RUBENS COSTA

costamar31@terra.com.br

Campinas

Proteção da presidente

Infeliz a decisão do ilustre ministro Teori Zavascki de anular a gravação da conversa de Dilma com Lula. Presume-se que o direito a foro privilegiado tem o objetivo de proteger o Estado, e não o mau caráter eventual detentor do cargo, no caso da então presidente. Os governados têm o “direito absoluto” de conhecer o verdadeiro caráter de seus governantes. Nisso, mais uma vez, mostrou coragem e sabedoria o juiz Moro.

ANTONIO C. DE Q. FERREIRA

acferre@terra.com.br

Jandira

Pouca-vergonha

O ministro Teori pretende “esconder” o conteúdo das gravações autorizadas pelo dr. Moro (puro despeito de poder)? O ministro não pode ser o cuidador de fofocas palacianas que nunca são reveladas ao povo e permitem a falta de ética e a continuidade da corrupção no Brasil. Tenho 74 anos e nunca vi tanta pouca-vergonha no País. Agora, protegida pelo STF é demais!

THOMAZ RAPOSO DE A. FILHO

thomazraposo@yahoo.com.br

São Paulo

CULTURA

Investigação

Acalmaram-se os artistas com a recriação do Ministério da Cultura (MinC), mas estão temerosos com a CPI e com a investigação do Ministério Público Federal do Distrito Federal que farão uma devassa nas concessões da Lei Rouanet. Até agora, ninguém da Associação Procure Saber explicou quem cuida de levantar fundos para os museus, arquivos e outros institutos culturais sempre à míngua.

PAULO MELLO SANTOS

policarpo681@yahoo.com.br

Salvador

As verbas do MinC

Vejam, meus amigos, como o desconhecimento de Economia faz mal ao País. Em entrevista concedida à coluna de Sônia Racy no Estado (6/6, C2), o cineasta Luiz Carlos Barreto, ao ser exposto à pergunta “há uma crítica, já antiga, de que o MinC está cheio de ‘boquinhas’, de gente que pouco faz pela cultura, com um sistema que dá recursos a nomes já consagrados e deixa museus e bibliotecas abandonados. É isso mesmo?”, respondeu: “Esse papo é fruto de desinformação. As produções culturais não são custeadas por verbas orçamentárias do MinC. Os projetos são apenas liberados para captar recursos via renúncia fiscal das empresas”. Pasmem, o cineasta não percebe que o saco de dinheiro é o mesmo! Será que ele não nota que a renúncia fiscal das empresas é o não recolhimento dos impostos devidos, gerando, pois, déficits no orçamento do governo? E que quem paga esses déficits somos todos nós? E que, se tenho de pagá-los, quero escolher para quem o meu dinheiro vai ser entregue? Não, meu caro, se a cultura no Brasil gera mais de 1 milhão de empregos e US$ 60 bilhões por ano, como o cineasta citou, então que ela procure andar com as próprias pernas. Que não dependa do dinheiro suado entregue obrigatoriamente também pelos mais de 11 milhões de desempregados que temos hoje no Brasil. Cultura é bom, mas vamos devagar com este andor.

LUIZ ALBERTO BANCI

luiz.banci@hotmail.com.br

São Paulo

A arte e a ajuda oficial

Brilhante a entrevista do grande ator Stênio Garcia, que foi casado com uma atriz igualmente brilhante, Cleyde Yáconis, irmã da inesquecível Cacilda Becker (‘Tem gente demais, no País, que não produz sem subsídio ou sem esmola’, 13/6, C2). Aqueles que realmente amam o Teatro sentem falta destes grandes nomes, e a entrevista de Stênio nos mostrou que nem tudo estará perdido enquanto profissionais de sua estatura tiverem a coragem e a inteligência para dizerem a verdade, comprovando que a verdadeira inteligência não pode dispensar a crítica.

VERA BERTOLUCCI

veravailati@uol.com.br

São Paulo

Não nos representam

Sobre o comentário de Sônia Braga, belíssima e admirada artista, publicado no caderno Aliás de 12/6 (página E3), de que “o ministro da Cultura ofendendo artistas é inadmissível” está correto, pois, como ministro, ele tem bem menos autonomia para se expressar publicamente. Mas eu, como cidadã, admiradora e grata aos artistas por tudo o que nos oferecem, posso dizer o que bem sinto. Concordo integralmente com a avaliação do ministro Marcelo Calero de que a manifestação de artistas brasileiros no Festival de Cannes contra o impeachment de Dilma foi “quase infantil”. Senti-me pessoalmente ultrajada quando artistas do meu país, financiados com recursos públicos, se autoconcedem o direito de representação institucional internacional. Como cidadãos, não delegamos aos artistas essa função. Ter opinião e manifestá-la todo cidadão pode, artista ou não, mas aquele que ocupa função pública, eleita ou conquistada, precisa saber lidar com essa condição. Assim como o ministro não deveria ter dito isso publicamente, os artistas jamais poderiam ter se manifestado daquela forma pública e internacional. O País e sua imagem não pertencem só a eles.

REBECCA RAPOSO

rebeccaraposo@icloud.com

São Paulo

 

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

O PODER DE CUNHA

O Deputado Eduardo Cunha mostra que ainda exerce um grande poder na Câmara dos Deputados. Quando da tramitação do impeachment da presidente Dilma, ele teve papel relevante. E agora faz o mesmo em relação ao seu mandato no Conselho de Ética da Câmara. Os seus aliados criam problemas na tramitação do processo que deveria ter prioridade para cassar seu mandato. Com esses procedimentos eles diminuem ainda mais o conceito desse Congresso já desgastado.

Uriel Villas Boas urielvillasboas@yahoo.com.br

Santos

*

LULA E CUNHA

De todos os vigaristas e gângsteres que já vi na vida política nacional e regional (Maluf, ACM, João Alves, Jader Barbalho, João Lyra, etc.), sem dúvida Lula e Eduardo Cunha se destacam.

Lula virou o chefe da maior organização criminosa do País, fez seus comparsas milionários, elegeu uma presidente medíocre, criou duas entidades terroristas (MST, MTST) e formou uma legião de cãezinhos amestrados (militantes). Cunha ficou arquimilionário, tem poder politico e manda no Congresso Nacional, pois sabe dos podres de todos. Sem dúvida, são dois caras inteligentes. Se tivessem caráter, poderiam fazer muito pelo Brasil. Cabe ao Poder Judiciário acabar com esse tipo de gente na política. Para o bem de nosso futuro.  

André Coutinho arcouti@uol.com.br

Campinas 

*

PARTO DIFÍCIL

Após quase nove meses de tumultuada gestação no Conselho de Ética da Câmara dos Deputados, nasceu uma robusta criança:  a cassação do deputado Eduardo Cunha.  A lógica e a verdade venceram por 11 a 9 sobre a farsa e a desfaçatez.  Viva o novo Brasil!

 

Silvano Corrêa scorrea@uol.com.br

São Paulo 

 

*

A ÚLTIMA CHANCE DE CUNHA

O sr. Eduardo Cunha sabe que 99,9% da população brasileira quer que ele se afaste da Presidência da Câmara e, se possível, mude de endereço, indo para Curitiba prestar contas ao sr. Sérgio Moro. Apesar de todas as evidências contra si, depois de ler a Coluna de Política do Estadão de domingo (12/6), conclui que o mesmo pode redimir-se perante os brasileiros e passar para a história como um cidadão que fez um bem jamais conseguido por outro político: basta cumprir a promessa feita ao presidente interino Michel Temer de que, se não for salvo, leva com ele para o fundo do poço 150 deputados federais, um senador e um ministro próximo ao interino. Sinceramente, esta foi a melhor notícia destes últimos 13 anos. Já imaginaram se isso se tornar realidade? Aí sim poderemos começar a reescrever nossa história política.

Luiz Roberto Savoldelli  savoldelli@uol.com.br

São  Bernardo do Campo 

*

FORA, CUNHA!

Cunha e Dilma encontraram mais um ponto em comum: preferem ser defenestrados a renunciar. Se a questão é o foro privilegiado, Cunha já deveria perceber que já está encarcerado, pois, se colocar a cara (de pau) na rua, corre sério risco de ofensas de toda natureza e as visitas que recebe são íntimas e no apagar das luzes.

Marco Dulgheroff Novais marcodnovais@hotmail.com

São Paulo

*

QUAL É O PATRIMÔNIO DE LULA?

Político que chega a exercer a Presidência da República não pode esconder dados sobre sua vida, como renda, patrimônio e outros. Para acabar com essa conversa eterna do enriquecimento de Lula, bastaria que fosse divulgada sua declaração de renda da época em que assumiu o governo e a de oito anos depois,  quando passou o cargo para a Dilma.  Lula,  vivendo oito anos num cargo e recebendo um belo salário sem precisar gastar um centavo é certo e aceitável que teve seu patrimônio aumentado, mas até onde chegou este? Simples, quem não deve não teme e acabaria com todo falatório existente. 

Laércio Zannini spettro@uol.com.br

São Paulo

*

CONDIÇÃO SINE QUA NON 

A devolução dos processos que envolvem Lula da Silva para a 1ª Instância, efetuada em despacho do ministro e relator da Lava Jato no Supremo, Teori Zavascki, empurra o ex-presidente para a cova. Diante da consistência das provas dos dois casos – sítio em Atibaia e tríplex no Guarujá – e da severidade do juiz federal Sérgio Moro, não há caminho que resulte em impunidade. Lograr a consumação da prisão de um dos maiores líderes brasileiros da história não é vingança, apenas e tão somente justiça. A condenação deste que, na Presidência da República, repetiu e ampliou os escândalos de corrupção ocorridos nas prefeituras petistas é condição sine qua non para que a máxima de que todos são iguais perante a lei (conforme consta no Art.5º da Constituição Federal de 1988) torne-se uma realidade no País. Tal fato terá um peso para nossa história, cuja dimensão ainda não compreendemos. Lula na cadeia, já! 

Elias Natal elias.natal@hotmail.com

Nepomuceno (MG)

*

NOITE DO CHORO

Na sexta-feira, 10 de junho, houve um movimento bem fraco, manifestação da CUT, PT e do sr. Lulla em um “fora Temer” – com todo o frio da noite na Av. Paulista. Ele, apresentando-se como vítima, chegou até a “chorar”, falar da mãe e outras bobagens – sabemos que ele é agressivo e prepotente. E o “paz e amor” aparece só quando lhe convém. Talvez a razão verdadeira seja porque o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Teori Zavascki, enviou seu inquérito para o Juiz Sérgio Moro em Curitiba, aí deve chorar mesmo, Justiça à vista!

Celso de Carvalho Mello celsosaopauloadv@uol.com.br

São Paulo

*

DECISÃO MORALMENTE INCORRETA

Se por um lado o Ministro Teori Zavascki acertou em enviar os processos contra o ex-presidente Lula de volta para Curitiba - já que Lula não tem privilégio de foro -, errou e feio ao desautorizar a gravação entre o ex-presidente e Dilma Rousseff, cujo conteúdo demonstra clara tentativa de obstrução de Justiça. A decisão do ministro pode ter sido procedente sob os aspectos técnico e jurídico, mas foi moralmente incorreta. 

Luciano Harary lharary@hotmail.com

São Paulo

*

DO CONTRA

Pasmem todos: contrariando o que estipula a Constituição, que ele jurou defender, o presidente do STF,  Ricardo Lewandowski, decide liberar interferências da defesa da Dilma no processo do Impeachment. O Ministro está contribuindo para a procrastinação e "esticada" dos prazos e para que não se cumpra a lei. Mais uma vez ele esta retribuindo o favor da indicação, conforme cobrou Lulla. 

João Cesar Ribeiro  cesar.ribeiro8@hotmail.com

São Paulo 

*

AMEAÇAS DE LULA

Num discurso que o ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva fez na Avenida Paulista, no dia 10/6, ficou claro sua intenção de levar a uma revolução o País. Os militantes dos movimentos considerados por ele como sociais, que de sociais nada têm (MST, CUT, MTST, UNE e ONGs), sem um mínimo pudor foram alertados para provocar uma luta armada. Lula em diversos momentos deixou claro que Temer não tem o direito de governar. Só faltou Lula dizer que seus admiradores fizessem como os admiradores de Fidel Castro, tomassem o poder no peito e na raça. Preocupa-nos o silêncio das autoridades competentes e das nossas Forças Armadas, no sentido de conter mais essa tentativa dos supracitados instalarem o comunismo no Brasil, como tentaram em 1964. Desperta, Brasil!

 

Leônidas Marques  leo.marquesvr@gmail.com

Volta Redonda (RJ)

*

SALVAÇÃO CRIATIVA

Experiência vale muito. José Dirceu continua com elucubrações criativas. Está imaginando uma maneira da chamada leniência para parlamentares e partidos. Uma liberada geral para todo mundo. É só prometer que a partir de agora todo mundo vai virar honesto. Deve estar achando, de novo, que somos todos idiotas.

Luíz Frid luiz.frid@globomail.com

São Paulo

*

O CRIME NÃO COMPENSA?

É de se imaginar o tamanho da frustração de condenados da Lava Jato, como, por exemplo, o ex-ministro da Casa Civil do governo Lula, José Dirceu, e o tesoureiro do partido dos trabalhadores, João Vacari Neto, só para citar os dois mais notáveis, donos de grandes fortunas obtidas com corrupção, mas que dificilmente poderão usufruir das mesmas nos próximos 20 anos, pelo menos. Com ironia, por favor! 

José Marques seuqram.esoj@bol.com.br

São Paulo

*

FALÊNCIA DOS CORREIOS

O mundo dá voltas, como dizem. Lendo o relato da situação atual da Empresa Brasileira de Correios noto que é quase a mesma encontrada pelos militares em 1964: empreguismo, corrupção e eficiência em permanente queda. Essa é mais uma clara demonstração de que o Estado, sempre dominado por maus políticos, é péssimo administrador e muito vulnerável à corrupção, a ponto de tornar deficitárias empresas monopolistas. 

Níveo Aurélio Villa niveoavilla@terra.com.br

Atibaia 

*

FRIO AQUECIDO DE SOLIDARIEDADE

As noites geladas de São Paulo inspiram solidariedade. Pessoas voluntárias - pensando no próximo - saem pelas ruas da capital distribuindo carinho, agasalho e alimento. Bonitos gestos humanos em tempos tão áridos, que mostram que nem tudo está perdido. Deixa-se também ser tomado pelo sentimento do bem e da esperança. 

Devanir Amâncio devaniramancio@hotmail.com

São Paulo

*

AGRESSÃO A HOMOSSEXUAIS

É inacreditável que, em um local que se propõe a divulgar a cultura brasileira, como o Centro de Tradições Nordestinas, dois homossexuais tenham sido covardemente agredidos e acusados de roubo e, pior, com a conivência parda da Polícia Militar, que tinha membros de sua corporação presentes no local, que presenciaram a cena e nada fizeram. Como homossexual e cidadão, exijo que o caso seja averiguado e que os responsáveis pela agressão ao publicitário e a seu namorado, bem como os policiais que se omitiram no caso, sejam exemplarmente punidos.

Carlos da Silva Dunham caduque.pezao@gmail.com     

São Paulo 

*

ÓDIO HOMOFÓBICO

“Frente ao ódio e à violência, nós vamos amar uns aos outros.” Esta frase de Barack Obama, comentando o massacre na boate gay em Orlando, na Flórida (EUA), da madrugada do dia 12 de junho, obriga-nos a refletir sobre a necessidade de lutarmos ardorosamente contra a intolerância e o fanatismo religioso. Conforme noticiado, o autor foi Omar Mateen, filho de afegãos, que tinha nojo de gays e simpatia pelo Estado Islâmico, que condena o homossexualismo. Seus pais confessam que Omar era extremamente machista, batendo na esposa, de quem se separou. Contam que ele ficou louco da vida quando, estando numa praia de Miami com seu filho pequeno, viu dois homens se beijando. Infelizmente, a homofobia e a condenação da prática sexual fora do casamento vigoram não apenas no Islamismo, mas em todas as religiões mais antigas e cultuadas. No Gênesis, livro do Velho Testamento, lemos o episódio de Sodoma e Gomorra, as duas cidades do mar Morto, que teriam sido destruídas por Jeová, o deus dos judeus, como castigo por seus habitantes terem praticado sexo de uma forma libidinosa, imoral. De Sodoma derivou o termo sodomia, significando o coito anal, homo ou heterossexual. Era de se esperar que a figura histórica de Jesus Cristo, apregoando a substituição da antiga religião bíblica do ódio, o “olho por olho” do Judaísmo, pela do amor e do perdão, “dar a outra face ao ofensor”, tivesse ensinado à humanidade o caminho da paz e da tolerância, abolindo qualquer tipo de discriminação. Mas todas as igrejas cristãs que nele se inspiraram, como a católica ou ortodoxa e as protestantes de vários matizes (evangélicas, batistas, pentecostais etc.), continuam a considerar pecado toda relação amorosa homossexual.  A meu ver, qualquer instituição, religiosa ou laica, deveria proibir a prática sexual apenas quando fosse nociva para a sociedade: pedofilia, perigo de doenças venéreas ou gravidez indesejada, assédio ou outra forma de violência pessoal. O muçulmano Omar Mateen teria mostrado mais amor a seu filhinho, se lhe tivesse explicado que não há maldade nenhuma em um jovem trocar carícias com outro jovem do mesmo sexo, em lugar da vergonha por deixá-lo órfão de um pai, réu de um hediondo assassínio. Como diz a canção popular, “amar não é pecado”!

Salvatore D’ Onofrio salvatore3445@gmail.com

São Paulo

*

TERRORISMO E HOMOFOBIA

O massacre ocorrido em uma boate gay nos Estados matou mais de 50 pessoas. O Estado Islâmico (EI) assumiu a autoria do atentado. O EI é um grupo radical, que mata de todas as formas. A decapitação é um dos métodos, onde filmam e divulgam.  Eles acreditam que o Livro Sagrado dos Muçulmanos, o Alcorão, é a fonte de inspiração para seus atos e a restauração das leis de Deus na Terra. E assim, o matador, como muitos pelo mundo, inclusive no Brasil, pelas redes sociais buscam informações sobre o assunto e alguns acabam se associando aos radicais islâmicos.  O assassino, além de membro do terror, também tinha aversão ou ódio pelos gays. E por tal a casa noturna destina à alegria, a encontros, ao prazer etc. foi alvo dos ataques. Infelizmente os alienados deste mundo se multiplicam! Por isso é necessário refletir sobre crenças ou religiões e os motivos dos rancores.  

Alex Tanner alextanner.sss@hotmail.com

Sumaré 

*

DUNGA ESTÁ FORA

Se, por um lado, a lamentar, o irregular gol de mão peruano tirou precocemente o Brasil da Copa América, por outro, a comemorar, acabou tirando Dunga do comando da Seleção(zinha).Seja bem-ido!Basta!

J.S. Decol decoljs@gmail.com

São Paulo

*

SELEÇÃO BRASILEIRA 

Demitido da Seleção brasileira de futebol, Dunga, que nunca deveria estar no comando da seleção e que ainda estava disposto a não contestar o seu presidente - o proibido de viajar para o exterior Marco Polo Del Nero.

Marcos Barbosa micabarbosa@gmail.com

São Paulo

*

ADEUS, DUNGA!

O gol "la mano de Dios" à moda peruana nos livrou do Dunga. Que Deus seja mesmo brasileiro e nos livre do PT, Dilma e Lula. Amém!

         

Giovani Lima Montenegro giovani.limamontenegro@gmail.com

São Paulo

*

VERGONHA

Depois dos 7x1 para a Alemanha e dos 3x0 para a Holanda, na Copa de 2014, agora a Seleção Brasileira deu um novo vexame internacional ao perder para o fraco Peru por 1x0 e ser eliminada ainda na primeira fase da Copa América - 16, nos EUA. A CBF de Del Nero é o que há de pior no futebol. Sem comando, planejamento, seriedade, competência e profissionalismo, não há como se esperar algo de bom do Brasil dentro de campo. A Seleção é um reflexo da CBF e do próprio País. Chegamos ao fundo do poço. Apesar disso, continuamos burramente repetindo os mesmos erros, sem aprender nenhuma lição e sem perspectivas de mudança de rumo. Fora, Del Nero e cia!

 

Renato Khair renatokhair@uol.com.br

São Paulo

*

POSTO DE COADJUVANTE

Gilmar elogia o trabalho de Dunga. Deve estar brincando, gozando com a nossa cara. Esses e outros, como Felipão, por exemplo, conseguiram o inimaginável. Tirar o Brasil de protagonista no futebol mundial para mero coadjuvante. Hoje ninguém mais respeita a seleção brasileira. É só mais uma, dizem eles. E com razão. O Brasil conseguiu o destaque no cenário futebolístico mundial, chegando a cinco campeonatos, à custa de trabalho sério, com pessoal comprometido com os objetivos. Os jogadores das seleções de uns anos para cá estão mais preocupados com seus times onde jogam. Estão na seleção por mera formalidade, mas a cabeça não está na seleção. Doidos para que acabe e voltar para seus clubes. Nem líderes estas seleções têm. Quem é o líder hoje? Não há. Nem craques. Há jogadores bons. Craques não. Alguém dirá "Neymar é craque". Neymar, que postou umas bobagens? Que se escondeu num capuz evitou imprensa, fãs, etc. Esse é o craque, o ídolo? Só se for para alguns, para mim não! Digam-me se o Pelé, Rivelino, Tostão, Zico, Gérson, Falcão, Jairzinho, Roberto Dinamite e tantos outros se comportavam assim. 

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

*

VEXAMES DO FUTEBOL BRASILEIRO

O sujeito é daqueles que consegue "rolar escada acima". Pagou enorme vexame na Copa da África e acabou sendo "promovido" a  técnico da seleção atual, que deu o que tinha de dar: o vexame de uma seleção de cartolas. Com certeza haverá uma reunião para encontrar um "empreguinho público" para Dunga! Mais um vexame do governo brasileiro! 

Ariovaldo Batista arioba06@hotmail.com

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.