Fórum dos Leitores

Participação dos nossos leitores

O Estado de S.Paulo

11 Julho 2016 | 05h00

PODER JUDICIÁRIO

Malhação do STF

O Supremo Tribunal Federal (STF) está sendo malhado nas redes sociais como Judas em Sábado de Aleluia. E está fazendo por merecer, pois a república de Curitiba, sob o comando do juiz Sergio Moro, já prendeu muitos dos envolvidos na Operação Lava Jato e mantém presos nomes de peso, como José Dirceu e Marcelo Odebrecht, provando que a lei é para todos. Enquanto isso, o STF até agora não mexeu uma palha para processar e condenar os corruptos com foro privilegiado. Até quando o STF vai continuar protegendo políticos corruptos? O povo está cansado de trabalhar e pagar impostos para sustentar as madames desses políticos corruptos. Se o STF quiser deixar de ser malhado, precisa apressar o julgamento dos políticos envolvidos na Lava Jato e parar de querer prejudicar a liberdade de expressão, punindo quem critica o órgão. Nem o PT, sob o comando do Lula, nem o STF nos transformarão numa Venezuela, pois o povo já mostrou a sua força em diversas manifestações.

MARIA CARMEN DEL BEL TUNES

carmen_tunes@yahoo.com.br

Americana

Julgamento suspeito

Não consigo entender como o juiz Ricardo Lewandowski não se declarou ou foi declarado impedido para presidir, no Senado, o julgamento do impeachment da Dilma. Desde a época em que ele morava numa chácara em São Bernardo do Campo, no final dos anos 70, já era amigo do Lula, tendo como amigos comuns os donos do restaurante São Judas Tadeu, Walter e Rubem Demarchi, onde eu almocei durante muitos anos.

JOHN EDGAR BRADFIELD

lbradfi@amcham.com.br

Itanhaém

Não tem perdão

Diferentemente de FHC, que quando é reconhecido num avião, teatro, restaurante, etc., é aplaudido, outras figuras públicas que não zelam pelos recursos dos contribuintes hoje são contestadas e até hostilizadas pela população. Assim foi também, como noticiou o Estadão, com o presidente do Supremo, Ricardo Lewandowski, que, de passagem por São Paulo, estava confortavelmente num restaurante quando foi abordado por uma cliente que lhe deu maroto parabéns. Sem que ele tivesse tempo para curtir o pseudoelogio, ela emendou: “Por ter aumentado seus próprios benefícios”. Sinal de que o cidadão brasileiro cansou e não vai mais tolerar os que legislam em causa própria e desviam recursos dos contribuintes. Parabéns mesmo quem merece é essa senhora que teve a coragem de contestar Lewandowski, aquele que parece também não ter cumplicidade com a liberdade de expressão, já que deseja punir quem expôs, representando sua pessoa, um boneco no estilo pixuleco numa avenida deste país.

PAULO PANOSSIAN

paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

Reflexão

Diante da temeridade em que se transformou o Judiciário brasileiro, só me ocorre uma frase de Bertolt Brecht: “Muitos juízes são absolutamente incorruptíveis; ninguém consegue induzi-los a fazer justiça”.

CARMELA TASSI CHAVES

tassichaves@yahoo.com.br

São Paulo

ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

Dívida dos Estados

Temos assistido à renegociação da dívida dos Estados com o governo e outros entes federais. Essa dívida foi contraída há anos, em condições favoráveis aos Estados. Por que choram agora? Porque gastaram mais do que podiam! Por culpa de meia dúzia de Estados financeiramente desajustados vemos desencadear-se essa maratona de renegociações, o que vai encalacrar ainda mais o Orçamento federal. Quem paga essa conta? O povo. Por que alguns Estados estão atrapalhados? Por causa da folha de pagamento e da previdência de ativos e inativos. E por que eles têm esse problema? Porque as contratações são políticas, e não técnicas. E contratam gente demais. O crescimento da máquina pública é exponencial – com a ajuda da legislação. A “culpa” é do governador? Não. A culpa é da legislação. E quem elege os legisladores? O povo. Neste país, metade do povo rala de trabalhar, enquanto a outra metade passa a vida atrás de uma boquinha no emprego público. O Brasil não tem jeito! Seja federal, estadual ou municipal, o custo do déficit público sempre há de estourar nos ombros do povo. Principalmente de quem trabalha, emprega, produz e paga impostos. E todos, incluídos os próprios funcionários públicos, são prejudicados pela falência da educação, da saúde e dos serviços públicos em geral. Quem explica isso ao eleitor?

FERNANDO BARRETO NOGUEIRA

fernando@bikeways.com.br

São Paulo

Não quero pagar o pato!

Antes de assumir, o presidente em exercício Michel Temer desmentiu a recriação da CPMF e o aumento de impostos. Mas, mal assumiu, já declarou que elevará impostos para cobrir o rombo! E quem vai pagar o pato?, perguntaria o presidente da Fiesp, Paulo Skaf.

CLÁUDIO MOSCHELLA

arquiteto@claudiomoschella.net

São Paulo

A SAGA DOS PAULISTAS

Muito mais do que 9

A respeito da oportuna matéria sobre a epopeia de 1932 (9/7, A14), que li com emoção, respeitosamente contesto o título Só 9 ainda mantêm viva a história das lutas de 1932. Em minha casa, em nicho especial, o capacete de meu saudoso pai, a medalha que a Assembleia Legislativa de São Paulo lhe outorgou à passagem do cinquentenário da Revolução e a foto dos soldados que o meu querido Pirangi mandou para o combate clamam diuturnamente por justiça, dignidade, patriotismo, valores que 24 pirangienses valentemente defenderam no front. Acredito que, assim como este missivista, muitos e muitos descendentes dos 35 mil soldados paulistas, com ou sem troféus na estante, se ombreiam a esses 9 veteranos, recebem deles o bastão e continuam a honrar a memória constitucionalista. Não quero desrespeitar ninguém, mas neste 9 de Julho proclamo em alto e bom som: aqui é São Paulo!

JOAQUIM QUINTINO FILHO

jqf@terra.com.br

Pirassununga

Voluntária de 32

Minha saudosa mãezinha, Conceição Duarte de Almeida Dotoli, foi voluntária na Revolução de 1932. Professora recém-formada lá na cidade de São Carlos, acometida por um sentimento de patriotismo, e contrariando os seus pais, ela se alistou como voluntária e trabalhou muito, cuidando de soldados feridos. Com muito orgulho e os olhos marejados, essa história real era a que ela mais gostava de nos contar. Se viva fosse, estaria com 115 anos. Parabéns à mamãe e em nome do Brasil lhe peço a bênção.

ARNALDO DE ALMEIDA DOTOLI

arnaldodotoli@uol.com.br

São Paulo

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

RENÚNCIA DE EDUARDO CUNHA

Para haver alguma esperança de melhora na vida pública do País, após a tardia renúncia de Eduardo Cunha da Presidência da Câmara dos Deputados, falta tirar Renan Calheiros da Presidência do Senado. Basta! Muda, Brasil!

J.S. Decol  decoljs@gmail.com

São Paulo

*

LÁGRIMAS FALSAS

No seu discurso de renúncia da Presidência da Câmara dos Deputados, o deputado Eduardo Cunha chorou. Não acredito nunca mais em alguém que chora.

Abel Pires Rodrigues abel@knn.com.br

Rio de Janeiro

*

O DEPOIMENTO DE DILMA

No seu depoimento à comissão do impeachment no Senado, Dilma Rousseff atribuiu o andamento desse processo ao fato de ela não ter cedido a "chantagens" do mundo político. Embora se saiba da existência deste hábito nefasto na política brasileira, sua conduta como presidente não foi nada exemplar. Cometeu o maior estelionato eleitoral na história para ganhar as eleições passadas. Não tomou, conscientemente, nenhuma providência em 2013 e 2014 para mudar o curso desastroso da economia, resultando em desemprego e inflação de dois dígitos, e problemão econômico e social que levará anos para se resolver. Reconhecer seus próprios erros nunca foi seu forte!

Omar El Seoud elseoud.usp@gmail.com

São Paulo 

*

CORAÇÃO COVARDE

Como o eleitor brasileiro poderá confiar numa presidente da República que se acovarda na hora de efetuar a sua própria defesa? A presidente afastada, que lutou contra o regime militar instaurado em 1964, participou de vários atos de luta armada, segundo consta nos registros jornalísticos e militares, agora se acovardou? Ela, que na campanha presidencial de 2014 alegou ser honesta, nunca fugir da verdade, está sendo desmascarada, pois está fugindo covardemente da sua responsabilidade  não fazendo a sua própria defesa perante a comissão de impeachment do Senado. 

Antônio Carelli Filho palestrino1949@hotmail.com

Taubaté   

*

SE DILMA VOLTAR...

O advogado José Eduardo Cardoso, São Judas Tadeu de Dilma Rousseff, quer a todo custo a volta da presidente afastada. Pensando bem, seria a melhor saída para o Brasil. Dilma reassume sem a mínima condição de governar, pois não terá a Câmara dos Deputados nem o Senado Federal a seu lado, ao contrário, oposição total, sem contar a Operação Lava Jato que está adiando prisões de figuras-chave na investigação, aguardando a votação do Senado e os Jogos Olímpicos. Será o País inteiro contra Dilma, PT e partidos aliados, as manifestações passarão a ser diárias, até que o País pare, e a única saída será a renúncia humilhante, a um custo de um atraso de décadas, para que a economia destroçada seja reconstruída.

Luiz Ress Erdei portal@portasblindadas.com.br

São Paulo 

*

IMPEACHMENT 

Há quem possa achar que o impeachment baseado  nas peladas fiscais  possa ser uma punição muito pesada para a presidente Dilma. Se considerarmos que o deputado Eduardo Cunha será cassado e destituído da Presidência da Câmara por ter mentido, nada mais justo do que a presidente ser desalojada do Palácio do Planalto pelas mentiras proferidas em sua campanha eleitoral, pelo estado econômico calamitoso que deixou o País, por ter comprado um ferro velho de refinaria, causando um enorme prejuízo à Petrobrás, pelas promessas não cumpridas do PAC, pelo golpe engendrado para que Lula assumisse um ministério, a fim de livrá-lo do juiz Sérgio Moro, e de tantas outras falcatruas em seu governo. Somente o tempo dirá e mostrará que ela não é uma pessoa digna para exercer o cargo de maior mandatária do País. Li e transcrevo: o PT não  serviu a milhões de brasileiros, mas se serviu de milhões dos brasileiros.

José Olinto Olivotto Soares jolintoos@gmail.com

Bragança Paulista

*

AUSÊNCIA 

 

Dilma, mesmo diante de um longo processo democrático, com todas as chances de defesa, percorre o Brasil apregoando inocência, mas não compareceu no dia 20 de junho ao foro legal da Comissão do Impeachment do Senado, postergou sua presença para 6 de julho e também não apareceu. Por que não te calas, Dilma?

Humberto Schuwartz Soares hs-soares@uol.com.br

Vila Velha (ES) 

*

A ÚLTIMA ESPERANÇA

O parecer em parte favorável à Dilma dos técnicos do Senado a respeito da improbidade administrativa é a última esperança petista de recuperar o poder. A presidente afastada temporariamente, caso inédito na história brasileira, insiste em retomar o poder para continuar pedalando pelas ruas de Brasília, talvez a  única coisa boa feita em seu lastimável governo, ou seja, incentivar a prática esportiva.

José Alcides Muller josealcidesmuller@hotmail.com

Avaré

*

LULA CANDIDATO

Em entrevista ao jornal inglês The Guardian, Lula afirmou que será candidato à Presidência em 2018, o que nos permite concluir que ele continuará impune até lá. O que esperar de um país cuja moral passeia de pedalinho nas águas da contrapartida de favores pessoais para o bolso dos poderosos?

Francisco José Sidoti fransidoti@gmail.com

São Paulo

*

PT, ATÉ QUANDO?

Três tesoureiros do PT já foram presos. O que mais falta para esse partido (quer dizer, quadrilha) ser extinto?

Elisabeth Migliavacca 

São Paulo 

*

LULA - A EXPECTATIVA É PIOR DO QUE A PRÓPRIA MORTE

As afirmações dos ilustres advogados do - muito em breve, réu - ex- presidente Lula, de que ele (Lula) "não teme ser investigado nem julgado por qualquer juiz", é desmentido pela linguagem corporal e aparência do quase réu, que se assemelha bastante à aparência de Saddam Hussein, quando foi capturado: olhos esbugalhados e feições apresentando traços de visível desespero e desequilíbrio (que contrastam com aquele ar debochado, quando se considerava "o cara"), que traduzem, tão somente, na certeza de que o fim está próximo. Muitas vezes a expectativa da morte é pior do que a própria morte. 

Milton Córdova Júnior milton.cordova@gmail.com

Brasília

*

CORRUPÇÃO

Somando-se as quantias já desviadas pelo PT e companheiros, daria para triplicar o salário mínimo, elevar o salário dos professores para R$ 3 mil, contratar mais médicos com salários justos, duplicar mais estradas de rodagem, equipar o SUS e ainda sobraria dinheiro sem ter de aumentar impostos nem a inflação. 

Waldomiro Benedito de Carvalho waldomiroxuca@globo.com

Itapetininga

*

CARA DE PAU 

Semana passada, a senadora Gleisi Hoffmann fez emocionado discurso na tribuna daquela casa, ressaltando a vida modesta que sua família vive em Curitiba. Nesta semana, a Justiça bloqueou mais R$ 102 milhões de reais da conta de seu marido, o ex-ministro Paulo Bernardo. Decididamente esses políticos perdem o senso das coisas ao chegarem ao poder. Ou será que está faltando óleo de peroba no mercado? Que cara de pau!

 

Domingos Cesar Tucci d.ctucci@globo.com

São Paulo

 

*

RITMO FRENÉTICO DA LAVA JATO

Será que esse avassalador ritmo da Lava Jato, que nestes últimos dias acumulou as operações, Turbulência, Custo Brasil, Sepsi e Abismo, que chega a 31.ª fase do Petrolão, tem algo que ver com as ameaças do presidente do Senado, Renan Calheiros, de votar um projeto que pode punir os membros do Ministério Público Federal (MPF) e da Polícia Federal (PF), por suposto abuso nas buscas e apreensões, condução coercitiva, e prisões principalmente de políticos envolvidos em desvios de recursos até o pescoço, como o próprio Renan?!  Tudo é possível...  O que não é admissível é que esses corruptos desta malfadada era Lula e de seu PT fiquem impunes.

Paulo Panossian paulopanossian@hotamil.com

São Carlos

*

ROUBALHEIRA BRASIL

Está na Constituição e é clausula pétrea. A Santíssima Impunidade: Executivo, Legislativo e Judiciário.

Ademir Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

*

O CARNAVAL

A esculhambação com o dinheiro público facilmente desviado pelas hostes petistas parece nunca ter fim. Se já ficamos estupefatos com os valores desviados do crédito consignado, vemos as últimas revelações direcioná-los para escola de samba e sua voluptuosa passista. Lambuzaram-se até as últimas consequências. As operações realizadas pela polícia federal revelam que as quadrilhas formadas por operadores clandestinos vivem a volta de nosso cotidiano.

Sergio Holl Lara jrmholl.idt@terra.com.br

Indaiatuba 

*

SUPERFATURAMENTO

Foram gastos R$ 9 milhões numa obra orçada em R$ 840 milhões e que acabou sendo reajustada para mais de R$ 2,5 bilhões. E isso representa menos de 0,1% de propina, o que não é coerente com as porcentagens descobertas até agora, ou seja, deve haver mais grana surrupiada. E as empreiteiras, vão devolver o que cobraram de superfaturamento?

Victor Hugo de Almeida Raposo victor-raposo@uol.com.br

São Paulo

*

RAÍZES EXPOSTAS

É claro que os corruptos da Câmara vão querer travar o pacote anticorrupção. Vamos acompanhar seus nomes para ir erradicando nas futuras eleições. Eles só têm medo do eleitor.

Luíz Frid luiz.frid@globomail.com

São Paulo

*

CONTRA A CORRUPÇÃO

Não é de se estranhar que a criminalidade tomou conta do País de cabo a rabo, especialmente no setor público, vez que reina a impunidade, senão, vejamos: o Projeto 10 Medidas Contra a Corrupção, tramitando atualmente no plenário da Câmara dos Deputados, tem por objetivo mudar o que está valendo hoje. É estarrecedor ter conhecimento de que não são tipificados ou considerados crimes aberrações tais como: enriquecimento ilícito, corrupção, caixa 2...

J S Decol decoljs@gmail.com

São Paulo

*

INIMIGOS DO BRASIL

O Brasil não melhora porque tem inimigos que o prejudicam. Quem são os inimigos do Brasil? A impunidade é um dos maiores deles. Onde nasce a impunidade? Nas leis. Mas as leis podem ser inimigas do Brasil? Claro, porque não só não dissuadem o crime, como até o incentivam. Veja, por exemplo, a maioridade penal... O que fazer? Exigir leis mais adequadas à realidade do País que combatam definitivamente o crime. Abaixo à impunidade!

Gilberto Dib gilberto@dib.com.br

São Paulo

*

GOVERNO TEMER

Como cidadão preocupado com o futuro de Brasil e dos brasileiros, não posso me omitir sobre alguns fatos, a meu ver inexplicáveis. Será que o presidente Temer não tem assessores competentes ou ao menos "antenados" com os anseios do povo? Por exemplo: indicar para cargos de ministros políticos notoriamente envolvidos em falcatruas ou muito próximos delas ou querer taxar um dos seguimentos mais produtivos da economia brasileira: o agronegócio. Ou será que são apenas laboratórios para testar a opinião pública. Presidente Temer, lembre-se de que o exercício do poder é apenas transitório, sua biografia não!

Carlos Benedito Pereira da Silva carlosbpsilva@gmail.com

Rio Claro

*

POPULAÇÃO CARCERÁRIA MUNDIAL

 

Recebi o seguinte e-mail e achei interessante: "Em números absolutos, a população carcerária do Brasil passou de 285 mil para 548 mil nos últimos dez anos, num ritmo muito maior do que o crescimento da população. Isso levou o País da quinta para a quarta posição no ranking mundial, atrás de EUA, China e Rússia. A Índia, que antes ocupava a quarta posição - como manteve seu índice de presos mais ou menos estável ao longo da última década -, caiu para a quinta posição". Mas cabe a ressalva que vou fazer. O organismo internacional que está ligado a essa questão social precisa ter conhecimento de que uma operação denominada Lava Jato está em curso no Brasil e que não tem data para terminar, mas, antes do final, teremos atingido o primeiro lugar no ranking mundial. Essa operação não mede o crescimento populacional, ela mede o decréscimo moral que o País enfrenta há 13 anos, tendo à frente uma organização criminosa erroneamente chamada de partido politico. Preparem a nossa taça!

Humberto de Luna Freire hlffilho@gmail.com

São Paulo 

*

TERRIBILIDADES

O prefeito do Rio, Eduardo Paes, disparou deselegantemente contra o governo do Estado classificando de terrível a situação da segurança e da saúde pública na cidade, ao mesmo tempo em que cobrou providências imediatas para sanar o descalabro. É bom lembrar, no entanto, que a presente calamidade nada mais é do que a convergência de desatinos e atos de corrupção das gestões do sr. Sérgio Cabral, seu padrinho político, e do sucessor Luiz Fernando Pezão, que começam a vir à tona por ação da Justiça. Além disso, não seria fora de propósito recordar ao prefeito outras terribilidades, da alçada do município, embora, quando ocorreram, tenha ele imediatamente responsabilizado as firmas que venceram as respectivas licitações, esquecendo-se de mencionar, entretanto, que as Secretarias Municipais afetadas ou não realizaram um acompanhamento físico financeiro dos empreendimentos ou o fizeram com negligência. Citam-se, por exemplo, a ciclovia Tim Maia, que não resistiu ao avanço do mar, com reconstrução embargada, as enormes vigas da ex-Avenida Perimetral, pesando várias toneladas, cujo destino ninguém sabe e os asfaltos que duram pouco mais de uma semana em viadutos recém-inaugurados e se deformaram rapidamente ao longo das pistas exclusivas dos BRTs, causando atrasos nas composições e acidentes graves.  

Paulo Roberto Gotac pgotac@gmail.com

Rio de Janeiro

*

MERCOSUL

Nasceu agonizante e morreu quando dona Dilma, sr. Mujica e dona Cristina articularam a suspensão do Paraguai para a inclusão da Venezuela. Agora que Venezuela está prestes a assumir a presidência do bloco, melhor convidar todos integrantes para o funeral definitivo.

Arnaldo Ravacci arnaldoravacci05@gmail.com

Sorocaba

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.