Fórum dos Leitores

O TERROR

O Estado de S.Paulo

18 Julho 2016 | 03h04

Em êxtase...

... ele esmagava criancinhas. Em Nice, mais um massacre inexplicável. Incompreensível o ódio que essa gente tem de nós, ocidentais (somos os infiéis e devemos morrer). Fico imaginando esse motorista gritando “Alá é grande” enquanto esmagava crianças. Pois bem, diante desse acontecimento, o que mais é revoltante é que as grandes potências assistem a esse espetáculo de horror apaticamente: sabem onde está o inimigo, têm todas as condições de destruí-lo sumariamente e nada fazem. Preparem-se para novos episódios desses, é uma desgraça sem fim.

IVAN BERTAZZO

bertazzo@nusa.com.br

São Paulo

Tolerante com a intolerância

Tenho um apartamento em Nice há muitos anos. Com vários amigos franceses e brasileiros que moram por lá, ouço sempre reclamações contra o governo pela complacência, tolerância, ou seja lá o que for, com os islâmicos. Por exemplo: aluno cristão que falta à escola pública (de horário integral) tem de pagar a comida que foi feita para ele e perdida com sua ausência; os islâmicos não necessitam pagar nada. Uma brasileira cristã com duas filhas na escola pública (que como a maioria das escolas oficiais tem 70% de islâmicos) está saindo da país porque suas filhas estão sofrendo bullying. Como exemplo da posição assumida por eles, por ocasião do ato de terrorismo no Charlie Hebdo, uma professora pediu que seus alunos fizessem um minuto de silêncio em homenagem às vítimas. Os islâmicos não só não fizeram, como disseram que eles mereciam o que foi feito por ofenderem o profeta. Também se recusam a cantar a Marselhesa em datas nacionais. A continuar assim, em breve atos como o de Nice se repetirão!

RUBENS PAULO GONÇALVES

rupago2@gmail.com

São Paulo

Escola sem ideologia

Assustei-me ao ler o texto de Marcelo Rubens Paiva deste sábado, incentivando a difusão de ideologias políticas nas escolas para mentes tão porosas quanto as dos jovens! Milhares de jovens são influenciados diariamente em escolas islamitas com discursos semelhantes ao dele: contestam o regime (ocidental), o sistema (capitalismo), sugerem o diferente (a sharia), expõem a injustiça social e procuram a indignação. Lembre-se o sr. Marcelo que o movimento taleban, que significa estudante em urdu (língua falada no Paquistão), se iniciou justamente em escolas. E qual o resultado? Assassinos suicidas cometendo carnificinas pelo mundo! Cuidado com o que apregoa, sr. Marcelo.

SANDRA MARIA GONÇALVES

sandgon@terra.com.br

São Paulo

Professor deportado

Conforme noticiado, o professor Adlène Hicheur, nascido na Argélia e naturalizado francês, foi deportado do Brasil, onde morava havia três anos, em 15/7. Condenado a cinco anos sob a acusação de planejar atentados terroristas na França, após dois anos na prisão obteve liberdade provisória e se mudou para o Rio de Janeiro, onde se tornou professor na UFRJ. Hicheur não teve a mesma sorte do italiano Cesare Battisti, que permanece em situação irregular no Brasil, condenado pela Justiça italiana à prisão perpétua por crimes cometidos quando integrava um grupo comunista. Conforme muitos juristas, o ato de concessão do visto de permanência de Battisti pela União é mais um exemplo da política exterior hipócrita durante o governo Lula.

EDGARD GOBBI

edgardgobbi@gmail.com

Campinas

Segurança olímpica

Crer que o esquema de segurança implantado no Rio para prevenir atentados durante as Jogos Olímpicos seja eficiente é ser otimista ou ingênuo. Quando a Força de Segurança Nacional é subjugada pelas milícias, a ponto de ser impedida de usar a rede de internet que é controlada pelas milícias que comandam os morros e as “comunidades”, o que esperar que os militares possam fazer contra grupos terroristas ou lobos solitários, que buscam notoriedade a qualquer custo? Se passarmos incólumes, mereceremos uma medalha, não de ouro, mas de santo ou Cristo protetor.

CLAUDIO JUCHEM

cjuchem@gmail.com

São Paulo

Diárias das Forças

Aumentaram, depois de protestos, as diárias dos militares PMs que compõem a Força Nacional que dará segurança na Olimpíada. E quanto ao pessoal das Forças Armadas deslocado para o Rio de Janeiro e que não protesta nem faz greve? Eles vão ter a mesma consideração?

PAULO MARCOS GOMES LUSTOZA

pmlustoz@gmail.com

Rio de Janeiro

MORDOMIAS

Bolsa Olimpíada

Deputados e senadores, que ganham salários acima dos de 95% do povo brasileiro, vão poder assistir às cerimônias de abertura e encerramento dos Jogos Olímpicos como cortesia, com seus respectivos cônjuges. Por quê?

LUÍZ FRID

luiz.frid@globomail.com

São Paulo

SAÚDE PÚBLICA

Doentes imaginários

O ministro da saúde, Ricardo Barros, perdeu uma ótima oportunidade de ficar calado quando disse que o povo brasileiro imagina estar doente, mas não está. Pra ele deve ser muito fácil, porque a qualquer doença que possa ter o Hospital Sírio-Libanês estará à sua disposição! Pobre povo brasileiro, que nem ficar doente pode.

ANGELA MARIA DE SOUZA BICHI

angela_bichi@hotmail.com

Santo André

Haja imaginação

Então, o ministro Ricardo Barros acredita que a maioria que procura o atendimento público de saúde “imagina” que está doente! É claro que ele e sua família, quando adoecem, não precisam “imaginar” nada, pois sabem que serão atendidos no Sírio-Libanês, no Albert Einstein ou algum outro hospital de alta qualidade, assistidos por médicos altamente competentes. E, claro, suas caríssimas despesas hospitalares serão pagas pelos contribuintes, que ficam “imaginando” que poderiam ter uma saúde pública decente, se tivéssemos homens públicos honestos e um ministro competente.

PAULO BOIN

boinpaulo@gmail.com

São Paulo

BANDEIRA NACIONAL

Que país é esse?

Mais uma vez, o incomPeTente prefeito Fernando Haddad demonstrou que age apenas para o seu partido político, e não para a população, ao proibir a exibição da nossa bandeira no prédio da Fiesp. Como fica isso? Vamos simplesmente nos calar?

JOHN EDGAR BRADFIELD

lbradfi@amcham.com.br

Itanhaém

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

 

 

CHANTAGEM NO CONGRESSO

 

É falta de pudor institucional!  Esses parlamentares do nosso Congresso em muito se parecem com os velhos cangaceiros, já que vivem com a faca no pescoço de qualquer equipe econômica do governo.  Oportunistas que são, agora para aprovar a meta fiscal de R$ 139 bilhões para 2017, o relator-geral da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), o senador Wellington Fagundes (PR-MT), quer inflar as emendas parlamentares em mais R$ 1,6 bilhão e outros R$ 800 milhões para os governos estaduais, como determina a Lei Kandir, relativo à desoneração do ICMS das exportações. Ou seja, uma chantagem na qual embutem mais uma jabuticaba no orçamento da ordem de R$ 2,4 bilhões só para complicar as já deficitárias contas públicas.  Isso por enquanto...  Porque, até a votação do projeto da meta fiscal em plenário, certamente outras emendas na contramão da recuperação do déficit fiscal devem ser apresentadas! E que se dane a recuperação da nossa economia e também o flagelo dos 11,4 milhões de trabalhadores desempregados...

 

Paulo Panossian paulopanaossian@hotmail.com

São Carlos

 

*

SINAIS POSITIVOS

 

Um alento nas exportações nos dá uma expectativa para um aumento do PIB de 2% para o próximo ano. O dólar médio a R$ 3,60 alavanca as vendas externas, o agronegócio, e veículos e calçados assumem a dianteira. Entre 2014 e 2016 o investimento até então modesto poderá crescer até 6% em 2017, depois de ter recuado 30% nesses meses. A economia de Temer tem caminhado com passos firmes em direção da reconstrução do estrago feito pelo PT de Lula e Dilma. Faz-se urgente que, além das prisões dos envolvidos, que sejam obrigados a devolver o que se apropriaram irregularmente.

 

Jair Gomes Coelho jairgcoelho@gmail.com

Vassouras (RJ)

 

*

HUMILHAÇÃO DO SEGURO DESEMPREGO

 

O governo Temer precisa ter mais sensibilidade e determinar que a Previdência Social resolva, urgentemente, o atendimento aos milhões de desempregados que, ansiosos, pretendem usufruir com dignidade os benefícios do Seguro Desemprego, enquanto aguardam a remota recolocação no mercado de trabalho.

 

Júlio Roberto Ayres Brisolajrobrisola@uol.com.br

São Paulo

 

*

A CONTA DA INSTABILIDADE.

 

A instabilidade do governo Michel Temer, segundo inúmeros empresários, é um ponto desfavorável para seu governo. Por conta da instabilidade, o Congresso passa a fazer mais exigências, como é o caso do aumento de benefícios por emendas reclamados pelos deputados e senadores, apontando a conta para o montante de R$ 2,6 bilhões, e a exigência vai cair na somatória do déficit previsto pelo Ministério da Fazenda. Assim, o Senado precisa não mais procrastinar o andamento do processo de impeachment de dona Dilma Rousseff, lembrando que tempo é dinheiro e significará melhoria da economia para o País.

 

José Carlos de Carvalho Carneiro carneirojc@ig.com.br

Rio Claro

 

*

DESCONSTRUÇÃO

 

A gravíssima crise econômica que assola o País de forma generalizada está literalmente desconstruindo a importante indústria da construção civil, com uma força até então nunca vista. Em 2015 foram cortadas mais de 462 mil vagas e, nos primeiros cinco meses deste ano, mais de 106 mil trabalhadores foram para o olho da rua. Até quando?

 

J. S. Decol decoljs@gmail.com

São Paulo

 

*

PHOTOSHOP

 

O Brasil, após mais de treze anos de governo tutelado pelo partido que se dizia do povo, acabou por punir esse mesmo povo por meio de manobras de obtenção do poder a todo custo e de políticas econômicas equivocadas, que resultaram no aumento da miséria, no cruel desemprego e na inflação ameaçadora. Além de estar também pessimamente classificado em qualidade de educação por padrões internacionais, oferece um sistema de saúde pública que não funciona. Além disso, a segurança oferecida ao cidadão é precária e tira dele o direito de ir e vir. Enfim, nossa fotografia, que em outras épocas já foi enaltecida e até invejada em várias áreas, hoje, mesmo com Photoshop não é digna de ser apreciada. Pessimismo? Não. Espera-se, ao contrário, que o povo desperte para a reação tão necessária, a ser demonstrada não só pelo voto, mas, por exemplo, pela participação, no sentido que seja promovida, entre outras iniciativas, uma reforma política que corrija o atual sistema eleitoral viciado e gasto. Infelizmente, tais conquistas só serão possíveis quando o País puder oferecer à população um bom nível de educação, atualmente muito mal classificada, como já mencionado.

 

Paulo Roberto Gotac pgotac@gmail.com

Rio de Janeiro

 

*

BANALIZACÃO DO REAL

 

Na terra do bi, mi é mimimi.

 

Sergio S. de Oliveira marisanatali@netsite.com.br

Monte Santo de Minas (MG)

 

*

NÃO MUDOU NADA?

 

O Congresso quer R$ 2,4 bilhões para aprovar a meta fiscal e de lambuja ainda aprova a CPMF? O que mudou mesmo na política brasileira.

 

Luíz Frid luiz.frid@globomail.com

São Paulo

 

*

SETOR AUTOMOTIVO EM ALERTA

 

As montadoras, que já tiveram o seu céu de brigadeiro, parecem sentir com mais intensidade a crise econômica em que afundaram o País. Está em curso a negociação de  licenças e demissões voluntárias, tendo em vista um excedente de 32 mil trabalhadores no setor. Mesmo tendo fechado 29 mil vagas nos últimos 3 anos, as montadoras tem hoje 21,3 trabalhadores no regime de PPE, em que há redução de jornada de salário em até 30% e outros  empregados em casa. Parte do salário é pago pelo Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT). Na Mercedes, que fabrica ônibus e caminhões, dos 10 mil funcionários, 1.800 estão de licença remunerada. O desemprego que atinge 12 milhões de trabalhadores é um desafio que poderá ser solucionado, desde que a política nacional possa renascer da condição lastimável em que se encontra.

 

Jair Gomes Coelho jairgcoelho@gmail.com>

Vassouras (RJ)

 

*

LUCROS BANCÁRIOS

 

A propósito do “Esclarecimento” a respeito do noticiário sobre a participação dos bancos nas operações de financiamento do Programa de Sustentação do Investimento-PSI informando que: "a Febraban desconhece também a existência de estudos que quantifiquem o lucro obtido pelos bancos comerciais nas operações do PSI”, pergunto à sra. Evelin Ribeiro se a Febraban também desconhece a existência de estudos que quantifiquem o quanto os bancos comerciais devem. Sim a palavra correta é esta, quanto devem aos poupadores dos planos econômicos, que não pagam a troco de uma liminar convenientemente engavetada no Supremo Tribunal Federal (STF), pelo sr. ministro Dias Tofolli há mais de três anos, com a desculpa de que tal pagamento acarretaria forte instabilidade no sistema financeiro nacional. Ano após ano, desde a ocorrência dos planos, estes mesmos bancos têm tidos lucros astronômicos usando o dinheiro que é devido aos poupadores. E não venha com o argumento de que lhes falta dinheiro, pois, para comprar outras instituições financeiras que querem sumir do Brasil por causa da falta de credibilidade jurídica e institucional, eles têm bilhões! Vide o caso da compra do HSBC pelo Bradesco pela bagatela de somente R$ 16 bilhões! Se continuar assim, logo, logo seremos reféns de um oligopólio bancário.

 

José Gilberto Silvestrini jgsilvestrini@gmail.com

Pirassununga

 

*

PETROBRÁS

 

Com o barril de petróleo a U$ 46,17, descontando-se o custo de extração a U$ 7,60, a Petrobras tem lucro estimado de U$ 38,57 por barril. A Produção diária prevista é de 2.145.000 barris (B12 - Economia, 12/7/16). Ou seja, lucro provável de U$ 82.732.650,00 ao ano. E o Serra quer entregar isto para as petroleiras estrangeiras. O PSDB adora doar as galinhas dos ovos de ouro, conquanto o PT fica com os ovos.

 

Sérgio Luiz Zandoná zandona.advogado@uol.com.br

Rio de Janeiro

 

*

DÍVIDA DOS ESTADOS

 

A interminável saga da renegociação das dívidas dos entes federativos parece não ter fim. Ainda que a União e os 27 governadores tenham chegado a um acordo, é impensável afirmar que o Pacto Federativo pode continuar do modo que está. Hoje, Estados e municípios acumulam dívidas por conta da perda de capacidade financeira, visto que o governo central concentra 60% do bolo tributário e não assume nem 50% das obrigações públicas. Enquanto o modelo não for revisto, dificilmente as contas serão equilibradas. Precisamos atingir a raiz do problema, pois o mesmo será postergado e não extinto. Precisamos de gestores públicos competentes e capazes de assumir a responsabilidade que lhes foi conferida na última eleição.

 

Willian Martins martins.willian@globo.com

Guararema

 

*

 

QUEM CALA CONSENTE

 

Após as recentes ações da operação Lava Jato, como o caso da fraude do serviço de gestão de crédito consignado para funcionários públicos e a propina de empresas para liberar valores do FGTS dos trabalhadores privados para projetos de infraestrutura, segue a pergunta : por que os Sindicatos e as Associações Sindicais até o momento não se manifestaram  em defesa dos trabalhadores do setor  público e privado que foram prejudicados?  Como a maior parte dessas entidades sindicais são relacionadas ao PT, será que fica valendo o “quem cala, consente”?

 

Edgard  Gobbi  edgardgobbi@gmail.com

Campinas

 

*

ELEIÇÃO NA CÂMARA

 

Tão importante para a sociedade, em especial para o governo Temer, foi a vitória do deputado Rodrigo Maia à presidência da Câmara dos Deputados. Por um lado, dá tranquilidade ao atual governo com relação às pautas das necessárias votações para começar a deixar o país em ordem. Por outro, derrotar o PT e seus "puxadinhos" nesse importante cargo também dá esperanças de conseguir aprovar o impeachment contra Dilma.

 

Mario Cobucci Junior maritocobucci@gmail.com

São Paulo

 

 

 

*

MOROSIDADE

 

O Supremo Tribunal Federal (STF) e o Senado, em casos especiais, seguindo um protocolo democrático para reverter terra arrasada à normalidade, objetivando recolocar o Brasil nos trilhos, bem que poderiam  funcionar como Juizado de Pequenas Causas visando a abreviar o longo tempo para defenestrar de vez a presidente Dilma. A morosidade no processo do impeachment é assaz prejudicial ao Brasil.

 

Humberto Schuwartz Soares hs-soares@uol.com.br

Vila Velha (ES)

 

*

 

NOMEAÇÃO DE MINISTROS

 

Dos 11 atuais ministros do STF, oito foram nomeados por Lula e Dilma. Presidente da República nomear tais ministros é realmente uma regra anômala, esdrúxula e constrangedora, que precisa, portanto, urgentemente,  ser modificada. Quero acreditar que membros do STF são pessoas sérias, mas governos eminentemente corruptos como os de Lula e Dilma, por mais que, aparentemente, sejam inocentes em seus atos, deixam sempre a gente com uma pulga atrás da orelha!

 

Marcelo Araujo marcelodelimaaraujo@yahoo.com.br

Rio de Janeiro

 

*

ABUSO DE PODER

 

Nosso país, infelizmente, está se tornando o paraíso da bandidagem nacional e internacional. Nossas leis são frágeis ao determinar punições. A crise que atualmente enfrentamos na economia, na moral e na política muito se deve à lentidão da Justiça em punir os culpados e da complacência das autoridades responsáveis pela fiscalização dos atos criminosos, indevidos e abusivos. Aliás, abuso de poder cometem governantes e parlamentares, quando assaltam os cofres públicos no próprio interesse e de seus aliados. Os brasileiros estão cercados por políticos sem caráter, covardes e saqueadores, que se aproveitam da inocência e do desconhecimento dos eleitores.

 

Odiléa Mignon cardosomignon@gmail.com

Rio de Janeiro

 

*

LAVA JATO E CARRAPTO

 

Lula comparou a Operação Lava Jato a carrapato. Realmente, ela não desgruda dos corruptos. E é exatamente o que o povo brasileiro quer.

 

José Carlos de Carvalho Carneiro carneirojc@ig.com.br

Rio Claro

 

*

STF, ATÉ QUANDO?

 

Cada vez mais o povo se conscientiza de que o malfeito que o Supremo Tribunal Federal causa aos brasileiros de bem, com sua lentidão avassaladora da Justiça e com suas decisões insensatas e mesmo estapafúrdias, adotadas sob argumentos teóricos livrescos, irracionais ante a realidade. Tudo para no Supremo, enquanto seus maganos descansam e se preocupam somente com seus salários e mordomias absurdas. Até quando?

 

Ademir Valezi adevale@icloud.com

São Paulo

 

*

O QUE É BOM, PEGA!

 

O uso de farol de dia deveria ser opcional, abrindo-se à abrangência pelo viés da conscientização, sem a desnecessária aplicação de multa por força de lei.

 

Ricardo C. Siqueira ricardocsiqueira@globo.com

Niterói (RJ)

 

*

O VERDE DOS JARDINS

 

Avenida Brigadeiro, 3.521, Jardim Paulista: duas árvores frondosas foram mortas e retalhadas recentemente para a construção de edifícios. Onde está a lei de proteção ao verde no bairro Jardins?  A "gorjeta" (mais conhecida como propina ilegal) foi alta ou podem, as autoridades (ir)responsáveis, mostrar o processo de multa e compensação pelo verde roubado aos cidadãos contribuintes e honestos?

 

Paulo Ruas Paulo pstreets@terra.com.br

São Paulo

 

*

RIO-2016

 

Infelizmente no Brasil exploramos o turista e não o turismo! Cobrar R$ 98 o quilo de uma refeição é assalto legalizado!

 

Milton Bulach mbulach@gmail.com

Campinas

 

*

MPB E A ABERTURA DAS OLIMPÍADAS!

 

Será que toda a rica história da música brasileira restará representada por Caetano, Gil e Anitta? Socorro!

 

Marco Antonio Esteves Balbi mbalbi69@globo.com

Rio de Janeiro

 

*

CABRAL, CABRAL

 

Vejam a sutil diferença entre os verbos: Um Cabral “descobriu” o Brasil. Outro Cabral “expôs” o Rio de Janeiro.

 

Felicio Tadeo Zambom tadeo@transmotor.com.br

São Paulo

 

*

EDUARDO PAES

 

A entrevista do prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, ao jornal britânico The Guardian não poderia ter sido mais exata. Se o prefeito está com outras intenções ao dizer toda a verdade sobre a organização da Olimpíada, pouco importa. O que o povo brasileiro exige - após treze anos de populismo petista movido a propagandas duvidosas, para não dizer enganosas, e pouco compromisso com a verdade - é ética e transparência. Enganação não engana mais ninguém.

 

Luciano Harary lharary@hotmail.com

São Paulo

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.