Fórum dos Leitores

Colaboração dos leitores

O Estado de S.Paulo

30 Julho 2016 | 03h00

REFORMA TRABALHISTA

Legislação arcaica

Muita lucidez no editorial do Estadão de ontem A luta pela boquinha sindical (A3). Já passou do tempo de reformar a arcaica legislação trabalhista, engessada, que pune o investimento. Chega de protecionismo, inclusive na Justiça do Trabalho, onde as partes não são tratadas com a mesma identificação e exigência. O financiamento do sistema sindical, com arrecadações compulsórias, é uma vergonha. Desestimula a boa prestação do serviço e a efetiva representação sindical, dado que os recursos estão garantidos, independentemente de como a categoria os avalia.

CELSO LUÍS GAGLIARDO

gagliardo.celsoluis@gmail.com

Americana

A grande mamata

O sistema sindical brasileiro, tanto patronal como dos trabalhadores, também é arcaico. Sindicalistas defendem com unhas e dentes a “sagrada” contribuição anual obrigatória. Aliás, quando falam em reforma sindical, a maior parte do que é discutido é balela, o foco da discussão resume-se à manutenção dessa extorsão anual. Por isso vemos confederações, federações e sindicatos com dirigentes que perduram nos cargos – pasmem! – há 40 anos ou mais, algumas diretorias sendo repassadas como se fossem herança familiar. Mais um escândalo visto com naturalidade e passividade por quem os sustenta, neste oceano de escândalos que se tornou o Brasil. Se cair a “contribuição” será dificílimo encontrar “dirigentes” classistas da citada estirpe, sejam eles “representantes” dos trabalhadores ou patronais, pois sem essa bilionária mamata perderão naturalmente o interesse. A queda dessa “contribuição” fortaleceria os sistemas representativos, pois aí surgiriam lideranças verdadeiras, e não esses simulacros que vêm desfrutando os bilhões desde a era Vargas, há mais de 70 anos, sem prestar contas a quem os sustenta em nome de pseudo não interferência e “liberdade sindical”, salvo raras e honrosas exceções. “O mais delicioso dos privilégios é gastar o dinheiro dos outros.” Creio que essa frase de John Randolph explica muito bem a razão do afã em não largarem o osso. Aliás, osso, não: macio filé!

JOSÉ A. BALDASSARI FILHO

jabf@uol.com.br

Franca

Extorsão e ameaça

Muito oportunos os editoriais sobre os sindicatos e suas máquinas de arrecadação (28 e 29/7). E não é apenas a contribuição sindical obrigatória. Há, no caso do nosso sindicato, uma “contribuição assistencial” no valor de 5% do salário. Essa contribuição é facultativa, mas para rejeitá-la o empregado tem de redigir uma carta em duas vias, de próprio punho, anexar vários documentos e entregar tudo pessoalmente no sindicato. Não pode enviar um portador. E pior: ameaça as empresas que tentarem informar sobre como fazer essa oposição facultativa de incorrerem em “crime contra a organização do trabalho”. Vejam: http://www.

saaesp.org.br/wp-content/uploads

/2016/06/2016-Comunicado_Contrib-Assistencial2015Trabalhadores-SEMESP.pdf.

EMMANUEL PUBLIO DIAS

epubliodias@gmail.com

São Paulo

Unidos pela mordomia

A luta pela boquinha mais rica faz dos sindicalistas, a exemplo do ex-presidente Lula, os maiores atravancadores da modernização e racionalização das relações de trabalho. Os chefões dos sindicatos até esquecem as mais agudas rivalidades políticas que os separam quando fala mais alto o medo de perder as “conquistas”, que não passam de mordomias e verbas governamentais. As principais centrais sindicais do País começam a se organizar para, em conjunto, impedirem que o governo do presidente em exercício, Michel Temer, leve adiante a tão necessária reforma trabalhista. Do mesmo jeito que a CUT começa a abandonar Dilma, o apoio da Força Sindical a Temer muitas vezes mais parece oposição, com direito a ameaças de greve geral, única arma que os torna covardemente valentes.

ARNALDO DE ALMEIDA DOTOLI

arnaldodotoli@uol.com.br

São Paulo

Saúva

Ou o Brasil acaba com os sindicatos ou eles acabam com o Brasil. O governo Temer deveria seguir as lições deixadas pela sra. Margaret Thatcher, que acabou com os sindicatos na Grã-Bretanha, salvando o país do caos. A volta da prestação de contas dos sindicatos deveria ser exigida como primeira medida para colocá-los novamente nos trilhos.

KÁROLY J. GOMBERT

kjgombert@gmail.com

Vinhedo

GOVERNO INTERINO

Falta de sintonia

“Há algo de podre no reino da Dinamarca.” Enquanto o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, insiste que será preciso elevar a carga tributária para fazer face aos gastos do governo federal, o presidente interino, Michel Temer, aumenta salários a torto e a direito nos três Poderes, o que, em efeito dominó, vai refletir nos Estados e municípios – que também estão de pires na mão. Ao que parece, não há sintonia nem sobriedade na administração federal, comprometendo a nossa esperança de dias melhores, de superar a crise.

HUMBERTO SCHUWARTZ SOARES

hs-soares@uol.com.br

Vila Velha (ES)

Aperto só nos pobres

O governo interino de Michel Temer convive bem com a ideia de aperto financeiro, mas apenas nas costas dos que nada têm e nada podem. É assim com a perspectiva de reforma dura das aposentadorias (só do INSS, parece), dos direitos trabalhistas, da redução na saúde pública. Já quando o assunto atinge os abastados, a coisa muda de figura: desonerações tributárias permanecem, impostos sobre fortunas nem pensar, aumentos salariais graciosos para o topo da pirâmide chantagista, nomeações de apaniguados aos milhares... Até a indecência de tributar ainda menos o retorno dos capitais desviados criminosamente do País surgiu no radar, mas o caldo entornou no Ministério Público. O Brasil merece um governo melhor do que esse que está aí.

ADEMIR VALEZI

valezi@uol.com.br

São Paulo

CORRUPÇÃO

Lula x Trabuco

Gostaria de saber por que houve tanta rapidez no indiciamento do presidente do Bradesco, sr. Luiz Trabuco, e o do sr. Lulla da Silva continua patinando há mais de um ano. Tenho certeza que os indícios de irregularidades do sr. Trabuco são infinitamente menores – não que ele não deva ser punido, mas, pelo que vemos, nosso país continua a considerar algumas pessoas “mais iguais” que outras! Quem sabe, quando a Operação Lava Jato chegar à 51.ª fase, façam alguma correlação entre os fatos e então possamos dizer que a Justiça tarda, mas não falha...

LUIZ ROBERTO SAVOLDELLI

savoldelli@uol.com.br

São Bernardo do Campo

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

LULA RECORRE À ONU

 

O ex-presidente Lula entrou com processo na ONU, nos EUA, contra o juiz Sergio Moro, na tentativa de transformar seu caso, que é de polícia, em caso de “perseguição política”. Engraçado é que, concomitantemente com esse esperneio e vitimismo de Lula, investigações com provas contundentes divulgam que o tríplex no Guarujá e o sítio em Atibaia são, sim, do ex-presidente Lula, e que foram adquiridos e reformados com dinheiro ilícito do petrolão. Será que o famoso advogado contratado nos EUA, que provavelmente deverá ser pago em milhões de dólares, será também pago com “doações” feitas pela internet? Mas essa ação contra o juiz Moro não deve passar de fumaça, porque na realidade Lula pode estar se preparando para pedir “asilo político” para fugir da prisão iminente no Brasil. Em vez dos EUA, não deveria ser em Cuba?

 

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

 

*

ALTERNATIVA

 

Caso não dê certo a patética tentativa de vitimizar-se recorrendo à ONU contra suposto “abuso de autoridade” do juiz Sergio Moro, acho que só restará a Lula cortar o mindinho da outra mão. Pode causar mais comoção que esse tosco apelo.

 

Claudio Juchem cjuchem@gmail.com

São Paulo

 

*

ONU

 

Como o “mais honesto” recorre à ONU contra a “República de Curitiba”? Ele está achando o nosso Judiciário frouxo?

 

Moises Goldstein mgoldstein@bol.com.br

São Paulo

 

*

CONSAGRAÇÃO

 

Na tentativa de politizar na ONU seu leque de contravenções, Lula vai acabar consagrando aos olhos do mundo Moro e a Justiça brasileira.

 

Francisco José Sidoti fransidoti@gmail.com

São Paulo

 

*

PRÁXIS PETISTA

 

Nos últimos anos, dois presidentes e três tesoureiros do Partido dos Trabalhadores (PT) foram encarcerados no âmbito de processos de moralização institucional em curso no Brasil. Parece que isso não satisfaz as hostes petistas. Agora, o senhor Lula quer contaminar a ONU com as recorrentes ações não republicanas que bem caracterizam a práxis de seu universo político. E de quebra – ao submeter a estrangeiros seus desmandos – dá uma demonstração de desapreço pelos valores mais caros da Nação.

 

Isabel Krause dos Santos R. Souto souto49@yahoo.com

Brasília

 

*

QUANTA ENGANAÇÃO!

 

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva reclamou na ONU de que a Justiça brasileira não está agindo corretamente com ele. Ao ex-presidente basta mostrar as faturas dos cartões de crédito de toda a sua família ao povo brasileiro, que votou nele duas vezes, garantindo-lhe a Presidência da República por oito anos. Lula mentiu para o povo, que acreditou que ele fosse honesto e trabalhador. Agora ele precisa contar ao povo que é amigo dos maiores empresários do País, que lhe garantem luxos como jatinhos, apartamentos, sítios, vinhos premiados, viagens internacionais, etc. Que ele mostre os vídeos de suas palestras, com conteúdo próximo ao ridículo, e explique como é que ganha tanto dinheiro para não falar nada que preste.

 

José Carlos Saraiva da Costa jcsdc@uol.com.br

Belo Horizonte

 

*

O QUE O LULA QUER?

 

E$$e cidadão não tem deconfiômetro mesmo, haja papel para limpar tanta sujeira que fez. Advogado$ do ex-presidente ingre$$am com recurso no Comitê de Direitos Humanos da ONU para barrar ações que considera “abuso de poder” do juiz Sérgio Moro e dos procuradores da Operação Lava Jato. Alegam ser “clara falta de imparcialidade” e “atos ilegais” a gravação e divulgação de conversas privadas com dona Dilma Rousseff, presidente afastada, e a condução coercitiva para depoimento. Pelo visto, começou a arder. Será que está prestes a ser preso? É só o que falta acontecer, para felicidade dos brasileiros.

 

Fernando Silva lfd.dasilva1940@gmail.com

São Paulo

 

*

APELAÇÃO

 

Se Lula, o brasileiro “mais onesto” (pois honesto sabemos que não é), se diz inocente, por que entrou com recurso na ONU e contratou um dos mais caros e famosos advogados dos EUA para defendê-lo contra a Justiça do Brasil, leia-se Sérgio Moro?

 

Laert Pinto Barbosa laert_barbosa@globo.com

São Paulo

 

*

MEDO

 

A que ponto chegou o medo de Lula de ser preso, que apelou no exterior contra a União-Brasil...

 

Tania Tavares taniatma@hotmail.com

São Paulo

 

*

QUESTÃO DE TEMPO

 

Pelas gravações interceptadas de Lula com intenção de obstruir as investigações da Lava Jato em face das delações de Delcídio do Amaral e Nestor Cerveró; pela frustrada nomeação para ministro; pelo sítio de Atibaia com pedalinho e tudo e o “tríplex” do Guarujá, em que pede devolução de dinheiro “mesmo não sendo dono”; pelo enriquecimento suspeito dos filhos; pelas palestras falsas; pela usurpação de objetos de arte guardados em cofre do Banco do Brasil; pela Operação Zelotes; e pela corrupção na Petrobrás, na Eletronuclear, na Eletrobrás, no Dnit, entre outras, a prisão de Lula é uma questão de tempo.

 

Júlio Roberto Ayres Brisola jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

 

*

CASO TRÍPLEX

 

Dona Marisa Letícia, mulher de Lula, pediu ressarcimento de R$ 301 mil à construtora OAS e à Cooperativa Habitacional dos Bancários de São Paulo (Bancoop). Uai, se o apartamento tríplex não é da família Silva, por que pedir ressarcimento? Alguém poderia explicar?

 

Milton Bulach mbulach@gmail.com

Campinas

 

*

FICOU CLARO

 

Dona Maria Letícia tem toda razão: recebendo os R$ 300 mil, ela poderá dizer que não é dona do tríplex no Guarujá, pois o resto deve ter sido pago pela empreiteira OAS como “presente” ao casal da Silva. Tudo isso porque jamais poderão usufruir dos benefícios, já que as denúncias contaminaram os fatos.

 

Luíz Frid luiz.frid@globomail.com

São Paulo

 

*

COBRANÇA

 

É, senhora Marisa, ex-primeira-dama, que tal exigir os R$ 300 mil dos senhores ex-presidentes da Bancoop João Vaccari Neto, que também foi tesoureiro do PT e por quem seu digníssimo marido dizia pôr a mão no fogo, e do ex-ministro Ricardo Berzoini? Ou será que a ex-primeira-dama não sabe que foram eles os mentores do grande golpe nos cooperados da Bancoop, que lesou nada mais, nada menos que 8 mil pessoas?

 

Arnaldo de Almeida Dotoli arnaldodotoli@uoil.com.br

São Paulo

 

*

COMO ENTENDER?

 

A pergunta que mostra que a mentira tem perna curta. A sra. Marisa Letícia Lula da Silva entra com uma ação contra a Bancoop pedindo o ressarcimento de R$ 300 mil pelo apartamento que ela diz ter comprado e não levou. Remexendo a nossa atenta memória, lembramos que a Cooperativa Habitacional dos Bancários de São Paulo aplicou um golpe nos bancários e prometeu aquilo que não entregou até agora aos bancários que acreditaram ser um empreendimento honesto e lutam na Justiça para reaver seu suado dinheiro. Marisa Letícia é esposa do ex-presidente Lula, que afirma de pé junto à Justiça que jamais comprou ou reformou um apartamento tríplex da Bancoop localizado no Guarujá (SP). Como entender esse pedido de ressarcimento se a reclamante, dona de casa, jamais foi funcionária de qualquer banco e se seu marido jura de pé junto que jamais comprou esse imóvel?

 

Leila E. Leitão

São Paulo

 

*

CENTRO DE CUSTOS DA OAS

 

Zeca Pagodinho é, declaradamente, apreciador de uma Brahma. Já “Brahma” é o carinhoso apelido etílico do inominável. Polícia Federal, alguma dúvida?

 

Guto Pacheco jam.pacheco@uol.com.br

São Paulo

 

*

AFASTA DE MIM ESSE CÁLICE...

 

Com todo o respeito, esta lei sobre crimes de abuso de autoridade, com a redação atual, bem que poderia ser chamada de “Lei Salva-Renan”, o senador, alvo da Operação Lava Jato, que insiste em dar prioridade ao projeto.

 

Ricardo C. Siqueira ricardocsiqueira@globo.com

Niterói (RJ)

 

*

RENAN CALHEIROS

 

“Quem usa acusa.” Quem é que abusa do poder, os magistrados ou os políticos?

 

Mario Issa drmarioissa@yahoo.com.br

São Paulo

 

*

BARBEIRAGENS OLÍMPICAS

 

Estamos perto da abertura dos Jogos Olímpicos do Rio 2016 e o que não faltam são queixas. Há dias agentes da Força Nacional, destacados para dar segurança ao evento, reclamaram da precariedade encontrada em seus alojamentos. Agora, que as delegações começam a chegar, também estas começam a reclamar. A australiana queixou-se asperamente de problemas nas redes hidráulicas, elétricas e de gás em seus apartamentos, além de reclamar da imundície ali encontrada, que só não deve ser pior que a vista na Baía da Guanabara, local onde esqueletos de geladeiras e de fogões boiam numa água contaminada por esgoto sem tratamento. Também a equipe sueca de futebol feminino adiou sua chegada à Vila por cauda de problemas similares. A desorganização é de tal ordem que o próprio Comitê Olímpico Brasileiro (COB) tratou de resolver por conta própria (!) as falhas encontradas nos alojamentos de nossos atletas. O comitê Rio-2016 gerencia o local desde o dia 15 de junho. Poderia, tranquilamente, ter feito um rigoroso check-list das pendências, mas... para quê, não é? Enquanto isso, crendo-se o rei da cocada preta, o prefeito do Rio, Eduardo Paes, minimiza a encrenca e parte para o deboche: “A Vila não está dessa forma (como dizem os australianos). É natural que você tenha algum tipo de ajuste a fazer. Estou quase botando um canguru para pular na frente deles”. Ao invés de aproveitar o momento para mostrar ao mundo que o brasileiro “tem valor”, o prefeito Eduardo Paes cede à tradição do bom e velho “malandro carioca”, ignora, olimpicamente, o senso do ridículo e faz da galhofa esparadrapo para suas barbeiragens.

 

Silvio Natal silvionatal49@gmail.com

São Paulo

 

*

DEUS NOS ACUDA!

 

Recente pesquisa nos dá conta de que mais de 50% dos brasileiros entrevistados são contra a realização da Olimpíada no Brasil. E 63% destes acham que ela nos trará prejuízos. Mas a Olimpíada vai ocorrer. Depois que a pasta de dente sai do dentifrício, não tem mais jeito. Será um Deus nos acuda!

 

Roberto Bruzadin bobbruza@terra.com.br

São Paulo

 

*

LEVIANDADE OFICIAL

 

O mamífero marsupial saltador conhecido como canguru ficou esta semana mais famoso que o mascote da Olimpíada. A nossa desorganização abissal desemboca numa leviandade oficial. Autoridade da cidade faz piada em hora errada e expõe a nossa vocação para a bagunça justificada por índole tropical e carioca. A cidade de Maricá não aceita canguru em seu portal de entrada. Obras e seriedade administrativa, sim. Se na responsabilidade contratual internacional e diplomática somos tão levianos, que dizer dos compromissos sociais contraídos nas urnas? Devemos deixar a fauna nativa dos países em paz e zelar por nosso conceito internacional de seriedade, compromisso e competência.

 

Márcio Mourão mmvip007@gmail.com

Rio de Janeiro

 

*

O PREFEITO DOS CANGURUS

 

Defino o prefeito Eduardo Paes, do Rio de Janeiro, em uma palavra: patético!

 

Sérgio Eckermann Passos sepassos@yahoo.com.br

Porto Feliz

 

*

BRAVATEIRO

 

É impressionante a falta de compostura do prefeito do Rio de Janeiro, o fanfarrão Eduardo Paes, considerando que é o responsável pela segurança, conforto, mobilidade e pela boa receptividade das delegações estrangeiras que vieram para a Olimpíada. Na verdade, prefeito, os australianos não precisam de cangurus, pois vieram da terra deles; precisam, sim, de boa acolhida, alojamentos decentes, boa educação, mais eficiência, urbanidade e respeito, não bravatas.

 

Carlos B. Pereira da Silva carlosbpsilva@gmail.com

Rio Claro

 

*

VILA OLÍMPICA

 

Puxa, como são exigentes estes australianos! Que vergonha! Exigir quartos limpos, torneiras com água, eletricidade nas tomadas! Que falta de civilidade para com o país que os hospeda tão graciosamente!

 

Roger Cahen rcahen@uol.com.br

São Paulo

 

*

TOMADAS

 

Que tipo de tomada elétrica foi utilizada na Vila Olímpica? A sextavada de três pinos? Quantos adaptadores serão necessários? Os inventores dessa invenção infernal merecem o Prêmio “Ignóbel” ou a medalha de ouro da imbecilidade.

 

Waldemar Kogos waldemarkogos@globo.com

São Paulo

 

*

RIO-2016

 

Que os problemas apresentados na Vila Olímpica dos atletas, tida como a joia da coroa pelo COB e entregue semiacabada, não sejam encontrados nas diversas arenas e quadras das 42 modalidades desportivas em disputa na Olimpíada do Rio de Janeiro. Caso contrário, o Brasil pagará mico mundial, ao vivo e em cores, diante de bilhões de espectadores, e voltará a sediar os Jogos Olímpicos no Dia de São Nunca.

 

J. S. Decol decoljs@gmail.com

São Paulo

 

*

MAIS UMA HERANÇA

 

Em vias de entregar o cargo, às vésperas dos Jogos Olímpicos, o secretário de Segurança Pública do Rio de Janeiro, decepcionado, reclama que ao longo de sua gestão a polícia faz trabalho de enxugar gelo. Para tanto, culpa a fraca legislação penal, porque não mantém bandidos na cadeia, mesmo os mais perigosos. É sabido que a lei favorece o bandido em prejuízo da vítima. É uma Justiça que desmoraliza o sistema, enchendo o bandido de direitos humanos. Essa é mais uma herança maldita deste pseudossocialismo populista que tomou conta do País nos últimos 13 anos.

 

Marcelo de Lima Araújo marcelodelimaaraujo@yahoo.com.br

Rio de Janeiro

 

*

ELEIÇÕES 2016 – RENOVAÇÃO

 

Nosso corpo físico é composto de 60% de água, enquanto nosso cérebro tem 75% desse líquido, e, sem ela, morremos em três dias. Suportamos a falta de alimento por muito mais tempo, sendo que para a produção deste ela é indispensável. O Brasil dispõe de 15% das reservas de água doce do mundo, mas, apesar disso, encontramos escassez em muitas regiões devido à falta de planejamento habitacional e à especulação imobiliária, que, juntas, conduzem à destruição dos mananciais pela construção irregular de moradias. Assim, é com grande preocupação que lemos a notícia na página A15 do “Estadão” de 28/7, de que “Sem-teto invadem e desmatam área de 38 mil m2 à beira da (Represa) Billings”. É evidente para qualquer estudioso sério e competente que a cidade de São Paulo não suporta mais tantos migrantes e tanto descaso com sua administração, já que essa é uma notícia que apenas repete o que já acontece há anos, sem que nenhuma atitude responsável seja tomada pelos governantes, seja do Estado ou da cidade, que estão muito mais preocupados com as articulações políticas que antecedem as eleições, com o objetivo de garantirem sua sobrevivência política, o que, segundo tudo indica, dificilmente ocorrerá nas eleições deste ano, pois é sempre o que constatamos: enquanto lidamos com as agruras da vida real, “nossos” representantes estão tão somente preocupados com o mundinho de sonhos deles. Ora, se eles não se preocupam com os problemas passados e atuais, como acreditar em suas promessas de campanha para um futuro melhor? Queremos uma renovação da “frota” de políticos para a Prefeitura, pois a que se apresenta até o momento está gasta e é inútil ou não tem as qualidades para o cargo ao qual se candidata!

 

Carmela Tassi Chaves tassichaves@yahoo.com.br

São Paulo

 

*

A VEZ DO CACARECO

 

Diante dos candidatos ao cargo de prefeito da capital paulista, o único com chance de vitória é o Cacareco. Certa vez ele já fora candidato, mas foi derrotado. Agora, porém, suas chances são grandes.

 

Vidal dos Santos vidal.santos@yahoo.com.br

Vinhedo

 

*

A CONVENÇÃO DO PT EM SP

 

A seguir, carta parafraseando e corrigindo a ainda “presidenta” e, em breve, ex-tudo (nunca mais ministério, Presidência, liderança, cargo ou relevância pública). “O Brasil vive neste momento a exacerbação do confronto entre forças defensoras da mentira e usurpadores da boa-fé, com atuação em vários partidos e movimentos sociais, e facções democráticas e comprometidas com um Brasil melhor, ainda pouco representadas no Congresso Nacional, que são apoiadas por uma parte da mídia que se envergonha da marca da parcialidade quando, no passado, defendeu o projeto bandido do PT. O recrudescimento deste conflito resultou na derrubada, com embasamento jurídico e amplo apoio popular, de um governo ilegítimo eleito com mais de 54 milhões de votos de pessoas enganadas por propaganda mentirosa. O impeachment que estão por infligir é uma correção do voto popular que foi dado ao PT por meio de pessoas ludibriadas por técnicas de marketing sem qualquer apoio factual e, como tal, deve ser enfrentado”.

 

Marcos L. Susskind mlsusskind@gmail.com

São Paulo

 

*

O COMPROMISSO DA MAÇONARIA

 

Tomara que a Maçonaria realmente se una à sociedade civil na buscar de um País melhor para todos. O povo brasileiro está precisando escolher melhor seus representantes políticos e para isso é necessária uma “fiscalização” dos eleitos durante o seu mandato. Apoio o compromisso assumido entre a Maçonaria e candidatos que terão o apoio desta: os candidatos eleitos terão de prestar contas de suas ações enquanto representantes do povo. Candidatos que assinarem o termo de compromisso com a Maçonaria terão o meu voto.

 

Maria Carmen Del Bel Tunes carmen_tunes@yahoo.com.br

Americana

 

*

IDEIA EXCELENTE

 

A ideia de localizar políticos comprometidos com a ética e a cidadania é excelente, e deveriam ser divulgados, mais amplamente possível, os candidatos que, já nas próximas eleições municipais, assinem o termo de compromisso com a ética e a cidadania, bem como para prestar contas, para que os eleitores tenham a possibilidade de votar em políticos decentes. Mas vamos combinar que não valem “boquinhas” após as eleições. Somente pela competência.

 

M. Mendes de Brito voni.brito@gmail.com

Bertioga

 

*

ELEIÇÃO E SEPARATISMO

 

Mais uma vez a unidade nacional – garantida por Pedro I, Caxias e pela língua portuguesa aqui falada – é colocada na berlinda. O movimento “O Sul é Meu País” prega a separação de Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul do resto do País, mas o “plebiscito” que faria em paralelo às eleições de 2 de outubro foi barrado pela Justiça Eleitoral de Santa Catarina, que adverte para o viés criminoso da iniciativa. O separatismo já moveu revoluções e sustenta as querelas regionais. Os três Estados do Sul – que enfrentam sérios problemas de caixa decorrentes da irresponsável divisão político-eleitoreira do bolo tributário e da corrupção – pensam em independência. Mas melhor seria lutarem para a correção das mazelas que promovem o desequilíbrio regional, e não pela separação. Por mais argumentos que seus defensores possam reunir, tudo vai em confronto à história e cronologia da Constituição da nação brasileira. Temos forte movimento migratório e economia cada dia mais integrada. Nossa cultura tem forte traço de integração que nos une acima das divergências, sem que cada um tenha de abandonar seus regionalismos. Em vez da fragmentação, o mais sensato é trabalhar juntos contra os males que nos afligem. Unidos seremos mais fortes e teremos mais oportunidade de progresso e bem-estar do povo.

 

Dirceu Cardoso Gonçalves aspomilpm@terra.com.br

São Paulo

 

*

REPATRIAÇÃO É PARA VALER?!

 

A quem dentro do governo Michel Temer interessa confundir a opinião pública? Uma hora a notícia é de que o presidente interino aceita alterar lei de repatriação de recursos enviados ilegalmente ao exterior. E, depois de algumas horas, o próprio ministro da Fazenda, Henrique      Meirelles, vem a público para desmentir o fato. Desmentiu porque o mercado reprovou essa mudança nas regras já em vigor e muito bem discutidas no Congresso, para sua aprovação, ou porque dentro do governo tem gente já querendo fazer confusão para desestabilizar uma gestão que tampouco oficialmente começou?

 

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

 

*

UM OUTRO GOLPE

 

O novo advogado-geral da União, Fábio Medina Osório, revogou um ato assinado em maio deste ano pelo seu antecessor, o petista José Eduardo Cardozo, que concedia um “exílio de luxo” nos Estados Unidos a um seu apadrinhado, o ex-presidente da Funai Flávio Chiarelli Azevedo. O senhor Chiarelli iria participar do Visiting Scholars Program do Washington College of Law, por um ano e ainda recebendo parte do salário como procurador pago pelo governo brasileiro até agosto de 2017. E mais: Chiarelli está na mira da CPI da Funai, na Câmara dos Deputados, após questionadas canetadas para demarcações de terras indígenas. É “gorpe” petista para todo lado!

 

Edgard Gobbi edgardgobbi@gmail.com

Campinas

 

*

GOLPE NA TURQUIA

 

A obstinação do presidente da Turquia em prender, demitir ou investigar milhares de soldados, professores, magistrados e jornalistas e, mais recentemente, em fechar jornais e emissoras de TV representa verdadeira aula exata e pragmática do significado de golpe de Estado. Contraponto fundamental para aqueles que, no nosso meio, ainda advogam a tese de que o afastamento de Dilma Rousseff constitui um “golpe”. Erdogan é um déspota que despreza a Constituição de seu país, enquanto a brasileira é sólida e respeitada. A ideia do “golpe parlamentar” é mais risível ainda, lembra a velha história da gravidez: assim como não há meia gravidez, tampouco existe golpe mais ou menos.

 

Luciano Harary lharary@hotmail.com

São Paulo

 

*

ELEIÇÃO NOS EUA

 

Na convenção do Partido Democrata que homologou o nome da Hillary Clinton como candidata do partido à presidência dos EUA, o presidente Barack Obama disse que “nunca houve alguém mais qualificado que Hillary”. Nem dele?

 

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

 

*

A HILLARY REAL

 

Bill Clinton, o cabo eleitoral mais carismático e mais próximo de um postulante à presidência pelo Partido Democrata em toda a história americana, num dos pontos de seu discurso na cerimônia que oficializou a candidatura da esposa, apresentou a Hillary “real”, de iniciativas, e questionou a péssima imagem que os desafetos lhe atribuem, como a configurada, por exemplo, pelas imagens de “desonesta” e “indigna de confiança” a ela associadas por 67% do eleitorado, segundo pesquisa CBS/“The New York Times”. Evitando a poluição mais danosa, como a traição com estagiária que quase lhe custou um processo de impeachment por ter mentido, o ex-presidente, possível inédito primeiro cavalheiro, tentou humanizar a figura da candidata com o relato de fatos pitorescos e cosméticos da vida em comum.  Terá sido convincente?

 

Paulo Roberto Gotaç pgotac@gmail.com

Rio de Janeiro

 

*

LÁ NÃO É COMO CÁ!

 

A candidata à presidência dos EUA senhora Hillary Clinton está sendo acusada de haver usado e-mails pessoais para assuntos de Estado, ou seja, em correspondências oficiais e, em vista disso, pode perder a eleição, ou coisa pior. O que dizer, então, dos “deslizes” de nossa presidente Dilma Rousseff? Cá entre nós, país onde existem leis que são cumpridas é outra coisa, né não?

 

José Marques  seuqram2@hotmail.com

São Paulo

 

*

O MUNDO CONTRA TRUMP

 

A mídia e toda a esquerda mundial, incluindo o “Estadão”, parecem fazer coro às tentativas de desqualificar o candidato republicano Donald Trump. O fato de ele se expressar sem filtros, de falar franca e abertamente dos problemas que afligem não apenas os americanos, como toda a humanidade, de se opor à ditadura do politicamente correto, de ser objetivo, autêntico e transparente nas suas ideias criaram para ele um ambiente hostil e desrespeitoso, até mesmo nas fileiras do seu próprio partido. A verdade é que, não obstante as análises rasteiras que tentam impingir-lhe uma imagem negativa e de demagogia, sua candidatura avança – para felicidade dos Estados Unidos e de todas as pessoas que se cansaram das falsas promessas, dos discursos prontos e artificiais e da linguagem dissimulada dos políticos.

 

Marco Aurélio Agarie mark9dk@yahoo.com.br

Santos

 

*

INSANO

 

Ouvindo o discurso de Donald Trump, vê-se que nem a maior democracia do mundo está livre de xenófobos, ignorantes e preconceituosos. Deus salve a América e o mundo desse insano!

 

Elisabeth Migliavacca

São Paulo 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.