Fórum dos Leitores

BRASIL HOJE

O Estado de S.Paulo

31 Julho 2016 | 03h07

De mal a pior

O País fechou 531,7 mil vagas de trabalho no trimestre, o pior resultado apurado pelo Caged desde 2002. O crédito cai pela primeira vez em nove anos. Empréstimos dos bancos recuaram 46,8% no semestre. A Latam está com 40% dos quartos e pacotes de hospedagem para a Olimpíada encalhados. A Via Varejo registrou perdas de R$ 89 milhões no segundo trimestre de 2016, nada menos que dez vezes acima do prejuízo no mesmo período do ano passado. Bancos elevam as taxas de agiotagem do cheque especial para 315,7% ao ano e 470,9% para os cartões de crédito. Saúde cada vez pior. Segurança inexistente. Transporte caótico. Ou seja, vamos de mal a pior. E ainda querem aumentar os impostos e reeditar a CPMF! Até onde conseguiremos suportar tais absurdos? Com agravante: cortar o excesso de gordura que há no governo, nem pensar. E ainda concederam aumentos salariais em torno de R$ 70 bilhões. Vergonhoso!

ANGELO TONELLI

angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

OLÍMPICAS

Inseguro no aeroporto

Alerta a turistas no Rio de Janeiro. Na terça-feira, 26/7, às 10h30, um assaltante roubou meu notebook diante de um caixa eletrônico do Banco do Brasil, no saguão do Aeroporto Santos-Dumont. Impressiona a ousadia do assaltante, que desapareceu da minha visão sem que nenhum agente encarregado da segurança o interceptasse. Falei com o chefe de segurança, com policiais militares e com agentes da Polícia Federal. Todos muito atenciosos, mas julgo que o aeroporto exige um esquema de segurança mais atuante. Parece-me inaceitável a ausência de policiamento preventivo ou ostensivo na área dos caixas eletrônicos.

LUIZ A. DE CASTRO SANTOS

lacs1945@gmail.com

Porto Seguro (BA)

Fogo na vila

Após o princípio de incêndio no prédio da delegação australiana, o prefeito do Rio deveria providenciar um traje de amianto para o canguru que ele prometeu.

FRANCISCO URAS

francisco@uras.com.br

São Paulo

CORRUPÇÃO

Lula réu

Lula tornou-se réu por tentar obstruir as investigações da Operação Lava Jato e se manifestou: sente coceira quando provocado e, assim, vai concorrer à Presidência em 2018. Cabe a pergunta: se for condenado e preso, além de ter seus direitos políticos cassados, como pretende se candidatar? Continua tresloucado e arrogante. Seu lugar é em presídio de segurança máxima, não na cadeira de presidente. Acorda, Lula, cai na real!

BORIS BECKER

borisbecker54@outlook.com

São Paulo

O gato subiu no telhado. A Justiça tarda, mas não falha!

FRANCISCO JOSÉ SIDOTI

fransidoti@gmail.com

São Paulo

Farsa inócua

A decisão do juiz Ricardo Leite, da 10.ª Vara da Justiça Federal de Brasília, esvaziou por completo o mambembe discurso da defesa de Lula, de perseguição política do juiz Sergio Moro. Até uma pueril pantomima para obter reação internacional foi arquitetada, a fim de criar constrangimento à Operação Lava Jato: a defesa de Lula chegou a contratar um advogado no exterior para recorrer ao Comitê de Direitos Humanos da ONU contra Moro, na tentativa de acusar o magistrado de violar direitos. Quando o ministro Teori Zavascki, do STF, decidiu desmembrar a denúncia, transferindo-a para a Justiça Federal em Brasília, os petistas exultaram. Agora, o que mais assustou os afoitos membros do PT foi o fato de a decisão não ter saído das mãos de Sergio Moro, em Curitiba. A farsa engendrada pelo petismo era forçar um enfrentamento direto com o juiz Moro para tentar politizar a questão, com a surrada alegação de perseguição política. Enfim, eles queriam atingir Moro, mas foi outro magistrado, o juiz federal Ricardo Leite, de Brasília, que recebeu denúncia e tornou réus o Lula, o banqueiro André Esteves, o ex-senador Delcídio Amaral e seu ex-chefe de gabinete Diogo Ferreira, o pecuarista José Carlos Bumlai e o filho Maurício Bumlai, além do advogado Edson Ribeiro, por tentativa de obstrução da Lava Jato. “Criou-se um clima de insegurança geral”, desola-se um membro do partido. Decididamente, o tiro saiu pela culatra!

JOSÉ CARLOS WERNECK

werneckjosecarlos@gmail.com

Brasília

A esperteza já está engolindo Lula, o esperto.

EDUARDO A. DELGADO FILHO

e.delgadofilho@gmail.com

Campinas

A derradeira

A condução coercitiva, usada como bandeira de batalha pelo réu Lula contra Sergio Moro, até mesmo perante a ONU, vem servindo à defesa como última tábua de salvação para evitar o firme julgamento do juiz da Lava Jato. Mas não tem fundamento jurídico, nem sequer sob o relativo princípio da presunção de inocência. Ora, se no vigente Código de Processo Penal (CPP) a condução coercitiva é prevista mesmo contra vítimas e peritos, na forma dos artigos 201 e 278, sem ser constrangimento ou abuso, por que o seria contra o acusado Lula, pessoa notoriamente desobediente, e recalcitrante, às ordens judiciais?

EDENILSON MEIRA

merojudas@hotmail.com

Itapetininga

Jus sperniandi

Por que o Lula, em vez de fazer suas súplicas contra o Brasil na ONU, não as fez no Foro de São Paulo, bisonha e morta-viva criatura do PT que como ele também agoniza, juntamente com o fracassado bolivarianismo do falecido Hugo Chávez, e seu fantoche sucessor que cai de maduro? Lá, com certeza, pleitos desse nível seriam aceitos.

SÉRGIO ARANHA DA SILVA FILHO

aranhafilho@aasp.org.br

Garça

Quem muito esperneia já está praticamente dançando...

A. FERNANDES

standyball@hotmail.com

São Paulo

Além de espernear, Lula está implorando a Deus e, por via das dúvidas, ao diabo também.

AURÉLIO BATISTA PAIVA

aureliobpaiva@gmail.com

Brasília

Mais trocadilho

Elle está com medo do juiz Moro. Isto vai virar piada: morro de medo do Moro.

M. MENDES DE BRITO

voni.brito@gmail.com

Bertioga

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

 

ALÔ, QUERIDO!

Lula resolveu recorrer à ONU contra as decisões do juiz Sergio Moro, só porque está tendo dificuldades para continuar com a corrupção. Se a moda pega, já pensou o povo brasileiro também pedindo a essa corte para que o ex-presidente devolva tudo o que surrupiou do País?

Júlio Roberto Ayres Brisola jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

*

LULA ACUADO

A maioria das pessoas informadas que acompanham os fatos políticos do Brasil ainda não entendeu por que o ex-presidente Lula não está preso ou, no mínimo, não é réu nos processos que tratam de suas propriedades no sítio de Atibaia e no apartamento do Guarujá. Há uma forte pressão de grande parte da população para que este assunto tenha sua página virada, mas parece que a Justiça está mesmo acovardada, como já afirmou certa vez o próprio ex-presidente. O estilo de Lula é de atacar quando se encontra acuado. Agora, foi ao Conselho de Direitos Humanos da ONU, pediu ajuda e expôs a Justiça brasileira à humilhação internacional sem que isso provocasse reação do ministro Ricardo Lewandowski, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF). Lula não se importa com o Brasil, está disposto a qualquer atitude que sacrifique ou que rebaixe o conceito da Nação perante a comunidade internacional, desde que consiga safar-se da cadeia.

 

Mário Negrão Borgonovi marionegrao.borgonovi@gmail.com

Rio de Janeiro 

*

'ELLE' NA ONU

Depois do Brasil, a ONU conhecerá o sujeito "mais honesto" do sistema solar.

Guto Pacheco jam.pacheco@uol.com.br

São Paulo 

*

RECURSOS E MAIS RECURSOS

O desespero é patente. O senhor Lula e advogados estão apelando para tudo e para todos. Primeiro recorrem ao nosso STF, onde esperam encontrar guarida. Contudo, experientes, na dúvida - vai que os senhores ministros deixaram de estar acovardados -, pretendem ir à ONU. Não satisfeitos - afinal a ONU está cheia de problemas com o Oriente Médio, Turquia, Estado Islâmico, etc. -, devem contratar um advogado europeu, senhor Geoffrey Roberston, que, pelo currículo conhecido, não deve cobrar honorários a preço de banana (quem vai pagar?). Bem, se nada disso resolver, o negócio é tomar meia garrafa de Havana mineira e umas sete ou oito cervejas, como fez referência o arquiteto Paulo Gordilho, ex-funcionário da construtora OAS. 

Éden A. Santos edensantos@uol.com.br

São Paulo

*

ESTOQUE

Depois que pensei já ter sido esgotado o estoque de cenas estapafúrdias proporcionadas pela "alma mais honesta" que existe, eis que o homem resolve apelar para a ONU! Todavia,  há um lado positivo nisso: depois dessa não lhe resta mais nenhum outro trunfo, só o caminho do manicômio. 

Arlete Pacheco arlpach@uol.com.br

Itanhaém

*

HONORÁRIOS

Digam-me: quem pagará a conta do novo advogado de Lula, o europeu dr. Geoffrey Robertson, responsável por entrar na Comissão de Direitos Humanos da ONU com ação tentando provar abuso de autoridade do juiz Sérgio Moro na Operação Lava Jato? Sinto dó de Lula, tão honesto e tão injustiçado...

Paulo Frascino paulo@maxipark.com.br

São Paulo

*

IMPUNIDADE OFICIAL

A notícia de primeira página do "Estadão" de 29/7 era que a "PF diz que Lula e Marisa orientaram obra em sítio". Será que há alguém ainda em dúvida quanto à propriedade do sítio de Atibaia e do tríplex no Guarujá? Só se forem seis ministros do Supremo Tribunal Federal... Há mais alguém? Com todo o respeito à nossa Justiça que "tarda", esperamos que não falhe! E acabem de vez com "dúvidas" que só prejudicam o País. Com i$$o estaremos evitando que o ex-presidente, que já recorre à Organização das Nações Unidas (ONU), não o faça ao papa! Acabemos com a impunidade oficial, para o bem do Brasil.

 

Luiz Dias lfd.silva1940@gmail.com

São Paulo

*

INVESTIGADO

Sitiante em Atibaia, Lula poderá passar a sitiado em Curitiba.

Roberto Twiaschor rtwiaschor@uol.com.br

São Paulo

*

O SÍTIO EM ATIBAIA

Depois do depoimento do arquiteto, de que Lula e Marisa comandaram a reforma do sítio, feita pela OAS, só resta à Lula "fazer um 4" para provar que o alambique não é seu.

A.Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

*

É PERSEGUIÇÃO

O Ministério Público da Suíça está nos livrando de Eduardo Cunha ao revelar suas contas secretas. Agora, o jornal "The Guardian", britânico, mostra que o filho do delator Sergio Machado gastou em 12 meses US$ 90 milhões em imóveis em Londres. Enquanto isso, Sérgio Moro, o juiz Bombril (tem mil e uma utilidades, pois ele investiga, vaza, julga e condena), agora revela que na cozinha do sítio de Atibaia que não é de Lula foram gastos R$ 250 mil. E nada de investigar a lista de Furnas, pois atinge os tucanos... Este juiz persegue Lula e o PT para inviabilizá-los para 2018. Ele pensa que o povo brasileiro é alienado, o povo lembra bem do antes e depois de FHC, do PSDB.

Wilson Ronaldo de Oliveira wilsoncidadaocuritibano@gmail.com

Curitiba

*

BAITA PAÚRA

A paúra é tanta que o mais honesto homem do País, quiçá do universo, apresentou na Comissão de Direitos Humanos da ONU denúncia contra o Estado brasileiro por se julgar vítima de abuso de poder do juiz federal Sérgio Moro e dos procuradores da Operação Lava Jato. Para tanto, contratou um dos advogados mais populares da Europa. Se o "coitadinho" ex-presidente não possui nada de seu e as "palestras" misteriosamente cessaram, como está sendo pago o nada barato defensor? Alguém poderia explicar?

Aparecida Dileide Gaziolla aparecidagaziolla@gmail.com

São Caetano do Sul 

*

O PIOR TIPO

Reclamar na ONU, contra o Brasil, alegando ter direitos humanos agredidos, que a Justiça lhe persegue, só por gozação ou estado de demência. Tentou obstruir a Justiça e já virou réu em Brasília. Um cidadão que teve caixa 2 nas eleições de 2002 e 2006 o fez também para Dilma em 2010 e 2014. Usou e abusou do dinheiro público, comprou um avião de US$ 58 milhões e viajou o mundo, levando uma cambada de militantes para os melhores hotéis e restaurantes do mundo, gastou em cartão coorporativo em média R$ 1,5 milhão por mês. Quebrou a Petrobrás, junto com Dilma, usou empréstimos do BNDES para favorecer empreiteiras que lhe pagaram comissão, deixou o povo brasileiro na miséria. Esconde seu patrimônio imobiliário e ainda se diz vítima? É demais! É o pior tipo de pessoa e político vivo.

Celso de Carvalho Mello celsosaopauloadv@uol.com.br

São Paulo

*

BEBÊ CHORÃO

Lula está fazendo o papel do bebê chorão. Fez cocô nas calças e está com medo de apanhar no bumbum.

Eugênio José Alati eugeniojalati@gmail.com

Campinas

*

PAPELÃO

Recorrendo à ONU contra o juiz de primeira instância Sergio Moro, Lula da Silva, o que se intitula a alma mais honesta do Brasil, agora vai ser a mais covarde também. Papel ridículo de um ex-presidente, iniciando seu decadente fim.

Antônio Carelli Filho palestrino1949@hotmail.com

Taubaté

*

JUDICIÁRIO DESCARTÁVEL

Se a ONU acatar a premissa de Lula de que nosso sistema judiciário não é isento, sugiro ao ministro Henrique Meirelles, como medida de economia, extinguir o Poder Judiciário em todas as esferas, cíveis, criminais e trabalhistas, e enviar todos os processos em andamento e futuros para as Nações Unidas. É uma situação em que todos ganham, a redução de despesa será enorme, todos os processos correrão mais rápido e os culpados serão devidamente punidos.

Ely Weinstein elyw@terra.com.br

São Paulo

*

CORPO FECHADO

A cada dia se aproxima o desfecho que mandará para as calendas gregas uma breve e melancólica história da "mulher sapiens" e da cultuadora da mandioca. O casal marqueteiro, João Santana e Mônica Moura, acrescentou a gota que transbordou a taça ao declararem que o PT fez uso de caixa 2 nas eleições de 2010 e de 2014. Uso de caixa 2, tentativa de obstrução ao trabalho da Lava Jato, um impeachment servido de bandeja, sítio e apartamento encrencados e nada acontece com Lula. Seria verdadeira a lenda do "corpo fechado"?

Jair Gomes Coelho jairgcoelho@gmail.com

Vassouras (RJ)

*

IMPEACHMENT EM CURSO

 

Dilma Rousseff, em recente contato com Renan Calheiros, teria se queixado da demora para a definição do seu impeachment e dito que, em resumo, se sentia desconfortável e a lentidão a deixava agoniada. É voz corrente que a decisão lhe será desfavorável. Falta um mês para sabermos quem fica na Presidência, mas, para abreviar o desconforto, atender o clamor popular e para o bem do Brasil, basta Dilma renunciar.

 

Humberto Schuwartz Soares hs-soares@uol.com.br

Vila Velha (ES) 

*

DA TURQUIA AO BRASIL

A democracia existe para o comunismo até que este possa consagrar a ditadura, claro, com todas as suas benesses e sempre para os mesmos. Pergunto: guardadas as devidas proporções, o que acontece na Turquia poderá acontecer aqui, caso Dilma volte?

João Luiz Piccioni piccionijl@me.com

São Paulo

*

ELEMENTAR

O Tribunal de Contas da União (TCU) concedeu mais 30 dias para que a presidente afastada, Dilma Rousseff, justifique as pedaladas fiscais de 2015, o não pagamento de R$ 13 bilhões de dívidas com o Banco do Brasil, ao longo desse ano, e a emissão de decretos aumentando gastos sem a autorização do Congresso, reedição das mutretas de 2014, pelas quais está sofrendo processo de impeachment. A decisão do tribunal se aprova ou não as contas, pelo novo prazo, só sairá depois do meio de setembro, período em que essa página negra de nossa história já foi virada, e, felizmente, graças aos céus, só nos lembraremos dessa senhora como ex-presidente. Portanto, cabe a esse plenário confirmar a decisão de 2014, a não aprovação das contas, e acabar de vez com a balela de "golpe", e nunca mais na história deste país ouviremos os intermináveis "eu não sabia", marca registrada desse governo dissimulado, populista e corrupto.    

Sérgio Dafré sergio_dafre@hotmail.com

Jundiaí 

*

RENÚNCIA OU IMPEACHMENT?

José Eduardo Cardozo, advogado de defesa da presidente afastada Dilma Rousseff, entregou à comissão de impeachment do Senado Federal as alegações finais em que a mesma ladainha foi repetida: "Dilma é uma mulher honrada, honesta, não cometeu nenhum ato de improbidade administrativa e este processo é puramente político e injusto". Reafirmou, ainda, que o afastamento definitivo de Dilma é um golpe de Estado. A saída temporária da Dilma fez a Bovespa subir (chegou a 55 mil pontos), o dólar caiu, as exportações aumentaram e o Fundo Monetário Internacional (FMI) prevê um aumento de 0,5% no PIB em 2017. A presença de Dilma na Presidência é nefasta e ela poderia fazer um pronunciamento dizendo: "Se é para o bem do povo e felicidade geral da Nação, digo que renuncio".

José A. Muller josealcidesmuller@hotmail.com

Avaré

*

DILMA ROUSSEFF

Pode parecer repetitivo, mas o caminho para abreviar sua agonia já foi inúmeras vezes sugerido e continua sendo um só: renuncie.

Eduardo Augusto Delgado Filho e.delgadofilho@gmail.com

Campinas

*

O DESEJO DE DILMA

Implorando a todos os "santos" para que o impeachment dê em nada, a presidente afastada Dilma Rousseff disse que pretende se mudar do Palácio da Alvorada somente em janeiro de 2019. Desejo impossível de ser realizado. A sua destituição já "está escrita nas estrelas". O seu governo foi uma calamidade. Lançou o Brasil no abismo, e desse tempo não sentiremos saudade.       "Vá e não peques mais." 

 

Jeovah Ferreira jeovahbf@yahoo.com.br

Taquari (DF)

                                               

*

IMPEACHMENT E ECONOMIA

Certeza do impeachment faz mal à nossa economia. É o que estamos a observar neste longo período que antecede o julgamento pelo Senado Federal. Diversos fatores estão a empanar - transmitindo uma sensação de frustração - o encaminhamento da recuperação da nossa economia. O governo provisório, por sua vez, não demonstra a confiança indispensável para adoção de medidas enérgicas, por necessárias, para angariar a adesão do mercado e da população em geral ao seu projeto de poder. Suas hesitações não demonstram segurança, tampouco garantia de que levará o País a um porto seguro. Talvez por não estar garantido que o impeachment alcançará os votos suficientes no Senado, tem feito excessivas concessões, tanto aos parlamentares como ao funcionalismo público - particularmente ao pessoal mais bem remunerado -, como aos Estados e municípios. Chega a ser contraditório: sua equipe econômica anuncia medidas importantes para o controle fiscal e, ao mesmo tempo, sua área política, com seu aval, distribui benesses e assume compromissos que soam como contrassenso, sugerindo que está numa campanha eleitoral renhida em que vale tudo para alcançar a simpatia e angariar a confiança da população brasileira. Curiosamente, nem mesmo as opiniões abalizadas de políticos e analistas experientes referendando que o impeachment da presidente petista "são favas contadas" - não obstante as escaramuças no sentido contrário - não conseguem lhe dar a segurança e tranquilidade da sua efetivação no cargo. Enquanto isso a nossa economia vai cambaleando, como um bêbado no final de uma noitada, e tropeçando nos seus próprios passos, sem ao menos ter a garantia de alcançar um lugar seguro. É uma pena! Pelo andar dessa carruagem, estamos na iminência de perder mais uma oportunidade de nos recuperarmos como Nação minimamente organizada e poder sonharmos com dias melhores para nossos netos, já que para os nossos filhos o prato está posto. Não adianta esperarmos pelas próximas eleições, o nosso destino parece estar selado, definitivamente. Tudo indica que estamos a adotar a Grécia como exemplo.

Noel Gonçalves Cerqueira noelcerqueira@gmail.com

Jacarezinho (PR)

*

SENADORES INDECISOS

Cinquenta e cinco senadores votaram a favor da admissibilidade do processo de impeachment, em maio, da presidente afastada Dilma Rousseff, após terem constatado que houve crime de responsabilidade. Agora, o que não se consegue entender é que alguns deles se declaram indecisos ou não querem se posicionar publicamente, aguardando desdobramentos de acontecimentos futuros. Esses senadores indecisos devem estar sendo ameaçados, ou estão se vendendo, ou querem transformar o Brasil numa Venezuela, ou querem a volta de um desgoverno mais corrupto do mundo. Pensem bem! Se votarem a favor da volta da petista, nunca mais vão se eleger nem para síndico de prédio.

José Wilson de Lima Costa jwlcosta@bol.com.br

São Paulo

*

RECOMEÇO?

Nem pensar... O PT voltar às origens e recomeçar? Nunca mais! O fim do "Partido Terminal" tem de marcar o renascimento da política nacional, não de um partido que nunca foi do povo, mas contra o povo por não ter compromisso com o povo, por usar o povo como massa de manobra para permanecer no poder, por manter o povo dependente, por mentir descaradamente para o povo. Esqueçam. Mudem-se de país. Apaguem a sua história, em vez de apagar a nossa. E levem consigo Lula, Dilma e sua família, para não deixar rastro. Que descansem em paz!

Gilberto Dib gilberto@dib.com.br

São Paulo

*

SURREALISMO

Há aproximadamente 5 mil obras paralisadas País afora, num total de vários bilhões em investimentos, que desembocarão num custo adicional de grandes proporções, caso ocorra o reinício dos trabalhos, com a agravante de que a população será privada por tempo indeterminado dos benefícios que os projetos interrompidos trariam. Trata-se de um quadro que revela a indiscutível malversação de recursos públicos que marcou os últimos governos petistas. Um golpe autêntico, portanto, na medida em que tal prática contrariou os preceitos de responsabilidade fiscal previstos na Constituição. Por outro lado, o processo que culminou com o afastamento de Dilma Rousseff, por ela insistentemente intitulado de golpe, foi conduzido rigorosamente de acordo com o rito determinado pela Corte Suprema. Surrealismo.

Paulo Roberto Gotaç prgotac@hotmail.com

Rio de Janeiro

*

BREVE COMPARAÇÃO

Quem assistiu ao discurso da candidata à Presidência dos EUA Hillary Clinton torceu para que nossos digníssimos senadores também o tenham assistido. Impossível não comparar a senhora Clinton com nossa atual afastada "Dilma Desconexa Rousseff".  Senhores senadores, por favor, impeachment já!

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

*

TRABALHADOR DESOLADO 

Mesmo com previsão menor da queda do PIB, como de 3,1% para 2016, contra os negativos 3,8% de 2015, os números do desemprego neste ano deixam desolado o trabalhador brasileiro. E tampouco conforta que o número de demitidos neste último mês de junho, de 91.032 trabalhadores, tenha ficado 22% menor do que no mesmo período de 2015, de 111.199, como divulgou o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). Isso porque, no acumulado entre janeiro e junho deste ano, chegamos a 531.185 demissões, ou 58% a mais do que no mesmo período de 2015, quando o acumulado era de 336.481 demitidos. Pior ainda constatar que, no acumulado de 12 meses (até junho deste ano), o número é assustador, de 1.765.024 demitidos com carteira assinada. Ou seja, mesmo com a confiança que o mercado e o investidor depositam nesta equipe econômica do presidente interino Michel Temer, em que alguns setores da atividade demonstram até alguma recuperação, o que se percebe com esses números do desemprego é que o estrago causado pela gestão Dilma é devastador. Só nos resta esperar que o Senado, entre o final de agosto e início de setembro, decrete o impeachment da presidente afastada para que o novo governo acelere a recuperação da nossa economia e, gradualmente, também os empregos de mais de 11 milhões de trabalhadores que estão na rua da amargura.

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

PIADA OLÍMPICA

O Brasil proclamou por um longo período as vantagens que o País teria diante da realização dos Jogos Olímpicos em território nacional. Foi vendido ao brasileiro a sensação de que teríamos a chance de ouro para alancar o desenvolvimento e promover uma boa imagem diante do mundo, que, aliás, está de olho na instabilidade política e econômica que nos atormenta há mais de um ano. A realidade é triste, mas é uma só: somos dignos de uma piada olímpica. A delegação australiana e argentina se queixaram das instalações da Vila Olímpica dos Atletas. Afinal, tudo está sendo feito às pressas, no improviso e ao custo bilionário de um dinheiro que o Estado brasileiro indispõe. Ainda que os nossos atletas mereçam toda deferência possível e a nossa torcida incansável, é inevitável dizer que tínhamos outras prioridades, muito mais urgentes que pagar a Olimpíada. O País está à beira da falência e a conta dos jogos está por chegar.

 

Willian Martins martins.willian@globo.com

Guararema

*

QUE VERGONHA!

Os Jogos Olímpicos puseram a nossa podridão administrativa extramuros. A delegação australiana falou para o mundo que as instalações reservadas para sua comitiva é "inabitável". Os Estados Unidos disseram "não queremos lixo" e em seguida transferiram a sua delegação para o Hotel Hilton. A "Folha" publicou e o "The New York Times" repercutiu: "A equipe de futebol feminina da Suécia também desistiu de se hospedar na Vila Olímpica neste domingo". Mais vergonhoso: de acordo com o jornal, "as delegações dos Estados Unidos, Itália e Holanda pagaram por conta própria funcionários temporários que realizaram obras de acabamento em apartamentos da Vila. As equipes contrataram terceirizados para diferentes funções: de colocação de lâmpadas a ajustes de encanamento e trabalhos de limpeza" (O Antagonista). Como se tudo isso não bastasse, o prefeito da cidade, por sua falta de caráter, ainda fez pouco-caso dos fatos, propondo à delegação australiana colocar cangurus na frente de seu alojamento para que os atletas se sintam em casa. Ora, os cangurus não podem ficar soltos. Eu sei como fazer, só não vou dizer onde ele deve amarrá-los, em respeito aos leitores.

Humberto de Luna Freire Filho hlffilho@gmail.com

São Paulo

*

O MICO DA OLIMPÍADA

A Vila Olímpica estava inacabada, essa é a verdade. A delegação da Austrália se recusou a hospedar os seus atletas num local onde as instalações de gás, elétricas e hidráulicas não estavam funcionando bem. As delegações italiana, americana e holandesa optaram por arcar com as despesas e contrataram mão de obra terceirizada para concluir as atividades de acabamento e limpeza. Os atletas que moram em países de Primeiro Mundo devem ter ficado horrorizados com tamanha falta de organização do Comitê Rio-2016. Os brasileiros, que sempre pagam a conta, ficarão com esse enorme abacaxi, repleto de futuras manutenções, pela falta de qualidade desse empreendimento.

 

José Carlos Saraiva da Costa jcsdc@uol.com.br

Belo Horizonte 

*

S.O.S.

Brasil, campeão olímpico de bagunça, desorganização e incompetência.

Luíz Frid luiz.frid@globomail.com

São Paulo

*

BOCA CHEIA

Ainda morro de rir com o prefeito do Rio, Eduardo Paes, que enche a boca para dizer que está entregando as obras olímpicas no prazo. Ora bolas, não faz mais do que a obrigação, ou será que ele considerava entrega-las daqui a quatro anos?

Ricardo C. Siqueira ricardocsiqueira@globo.com

Niterói (RJ)

*

A MAIOR VAIA DO MUNDO

Certamente, o povo brasileiro gostaria de contar com a presença dos ex-presidentes da República Fernando Henrique Cardoso e Luiz Inácio Lula da Silva, da presidente afastada Dilma Rousseff, do ex-presidente José Sarney e do senador e ex-presidente Fernando Collor de Mello (sic) convidados pelo Comitê Olímpico Internacional (COI) para a abertura dos Jogos Olímpicos no dia 5 de agosto no Rio de Janeiro. O povo carioca não está perdoando o COI por deixar de convidar também para o mesmo palanque Eduardo Cunha, Lindbergh Farias, Romário e Jandira Feghali. Com certeza, se essas figuras aparecerem ao lado do presidente da República, do governador do Estado e do prefeito da cidade, nós, brasileiros, vamos parar no "Guinness Book". Vai ser a maior vaia do mundo. É só aguardar para ver. Estarei lá.

Leônidas Marques leo.marquesvr@gmail.com

Volta Redonda (RJ)

*

A AMEAÇA TERRORISTA

A todo momento assistimos estarrecidos e impotentes aos atos bárbaros dos terroristas do Estado Islâmico e de outros grupos, praticados em nome de sua crença, classificando suas vítimas de infiéis. Em nenhuma ocasião há alguma manifestação de autoridade de país mulçumano nem de seus líderes religiosos condenando a atitude dos assassinos sanguinários. Significa que aprovam, ou é apenas omissão?

Sergio Cortez cortez@lavoremoveis.com

São Paulo

*

TERROR SEM FIM

A intifada do terrorismo islâmico contra o Ocidente parece não ter fim. É hora de cairmos na razão e constatarmos que só liquidaremos com o Estado Islâmico formando uma coalizão internacional para uma incisão precisa e ampla no Iraque e na Síria, a fim de caçarmos estes terroristas e demonstrarmos aos seus demais seguidores que não haverá chance para quem professa tais práticas extremistas e odiosas contra civis de bem.

Sérgio Eckermann Passos sepassos@yahoo.com.br

Porto Feliz 

*

O 'SILÊNCIO ESTRATÉGICO' DA ESQUERDA

  

Tem passado despercebido o "silêncio estratégico" das ONGs e da esquerda mundial em relação aos atos de terrorismo islâmico. Suas vítimas parecem não ser parte da humanidade que defendem. Sangue de quem não é de esquerda é sangue que pode ser vertido; sangue da esquerda é o merecedor da defesa de suas militâncias. Além disso, o terrorismo atual aprendeu muito com as táticas da guerra de guerrilhas. Ao fim e ao cabo, não seria possível supor que os atos terroristas são atos anticapitalistas, que, se bem-sucedidos, suprimiriam da face da Terra algo tão nefasto como o radicalismo do Estado Islâmico e da Al Qaeda? E abrir-se-ia o caminho para a terra prometida, produto colorido e catártico de suas intempéries mentais.

 

Amadeu R. Garrido de Paula amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo

*

PUBLICIDADE

A repercussão intensíssima que a mídia promove dos atos terroristas só serve para estimular a execução de novos atentados. Há duas semanas houve pelo menos um atentado por dia. Creio que uma menção discreta do ato praticado serviria para divulgar, mas não para incentivar. 

Jota Treffis jotatreffis@outlook.com

Teresópolis (RJ)

*

ARMA EFICAZ

Contra o terrorismo, a arma eficaz é a dissuasão, ou seja, mostrar ostensivamente que temos os meios e estamos preparados contra possíveis ameaças sem  sofrer danos.

Paulo Marcos Gomes Lustoza pmlustoz@gmail.com

Rio de Janeiro

*

ELEIÇÕES - PULO NO ESCURO

Com relação ao financiamento de campanha eleitoral no Brasil, em ano de eleições, por que não se resume a campanha ao rádio e à TV, sem qualquer tipo de produção? O candidato ficaria em close na TV e apresentaria suas propostas. O custo da campanha seria irrisório e igual para todos.

Cassio Dutra dutracad@gmail.com

Vargem Grande do Sul

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.