Fórum dos leitores

PETROBRÁS

04 Junho 2014 | 05h58

Conta de padeiro

O ex-diretor da Petrobrás Paulo Roberto Costa, envolvido em maracutaias dentro da estatal e solto do cárcere pelo ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal, teve a desfaçatez de dizer que foi feita uma “conta de padeiro” sobre o custo da Refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco. Declarou ainda que a Petrobrás errou e divulgou o valor de US$ 2,5 bilhões. Como é possível existir e ficar solto um cara de pau assim? Com todo o respeito aos padeiros, que fazem contas com mais acurácia que os responsáveis pela compra da refinaria, é inaceitável divulgar à população uma declaração desse nível. Esse ex-diretor resolveu ofender os cidadãos com um mínimo de consciência com seu cinismo crapuloso.

MÁRIO NEGRÃO BORGONOVI

marionegrao.borgonovi@gmail.com

Rio de Janeiro

Ofensa à categoria

Que me desculpe o sr. Paulo Roberto Costa, mas dizer que a cúpula da Petrobrás fez “conta de padeiro” para calcular o valor dos investimentos na usina Abreu e Lima é pura ofensa à categoria. Os padeiros nunca cometeriam um erro dessa magnitude! Isso é realmente sinal de incompetência ou má-fé.

LUIZ ROBERTO SAVOLDELLI

savoldelli@uol.com.br

São Bernardo do Campo

No ventilador

O corpo técnico da Petrobrás sentiu-se ofendido com a declaração de Paulo Roberto Costa de que as estimativas de investimento para a Refinaria Abreu e Lima foram feitas como “conta de padeiro”. Ora, se eles estão ofendidos, que se defendam, e se tiverem de jogar no ventilador, que joguem. Mas a impressão que fica é a de que, de fato, as contas são feitas num pedaço de papel apoiado no joelho.

PANAYOTIS POULIS

ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

Omertà?

A impossibilidade de a sra. Graça Foster falar sobre assuntos relacionados à tal refinaria é motivada por alguma afonia ou devida a um “código de silêncio”?

CAIO AUGUSTO BASTOS LUCCHESI

cblucchesi@yahoo.com.br

São Paulo

Falta acerto

É claro que Graça Foster não pode falar ainda sobre a “conta de padeiro”. Falta combinar a sinopse, para não repetir o imbróglio das declarações sobre Pasadena.

ULYSSES FERNANDES NUNES JR.

ulyssesfn@terra.com.br

São Paulo

Exercício de futurologia

Dilma Rousseff garantiu que a economia brasileira vai melhorar depois da Copa - promessa típica de políticos em vésperas de eleição. Já o “famoso” ex-diretor da Petrobrás Paulo Roberto Costa disse que tinha relação amistosa com a presidenta para justificar os prejuízos que ambos causaram à empresa. O que esperar de pessoas desse quilate?

MÁRIO A. DENTE

dente28@gmail.com

São Paulo

MUNDIAL DA FIFA

O hexa e a economia

Se com três batidas na madeira dona Dilma garante o hexa, quem sabe, com três batidas na cabeça do ministro da Fazenda resgata a economia do País...

CRISTIANO WALTER SIMON

cws@amcham.com.br

Carapicuíba

Bater mal e torcer

Dona Dillma bateu três vezes no lugar errado. Era para bater com força na tecla da educação, na da saúde e na dos transportes. Isso já ajudaria muito. Agora resta torcer pelo bom desempenho da nossa seleção de futebol, porque o da sua gestão já era.

FLÁVIO CESAR PIGARI

flavio.pigari@gmail.com

Jales

Pé-frio?

Se é verdade que em tudo o que o PT põe a mão dá errado, fracassa, ver a presidente segurando a taça não seria mau presságio?

ODILON OTÁVIO DOS SANTOS

Marília

Vaias intimidadoras

É uma vergonha que a presidente não vá fazer discurso na abertura da Copa do Mundo. Por temer um atentado? Não, por medo de ser vaiada! Acho que Dilma deveria saber, quando, há quatro anos, decidiu concorrer ao cargo de presidente da República, que um evento desses exige a presença da líder da Nação. Não se trata de escolhas. Qualquer servidor público deveria saber que as obrigações e demandas do cargo que ocupa vêm antes do orgulho pessoal.

BRUNO JAYER FONTOURA

bjayer@uol.com.br

São Paulo

Copa da cisão

O doutor “horroris” causa e seu séquito, que instituíram a ditadura petista no Brasil, conseguiram a maior proeza negativa: a Copa do Mundo politizada. “Nunca antes neste país” se viu o povo dividido numa Copa. Os brasileiros eram unânimes em torcer fervorosamente para o Brasil levantar a taça. Agora a cisão foi estabelecida: muitos patriotas são contra, e com razão!

JULIO MARCOS MELGES WALDER

julio.walder@gmail.com

Santos

CORRUPÇÃO

‘Lalau’ livre

O ex-juiz Nicolau dos Santos Neto, condenado a 26 anos de prisão por desvio de R$ 169 milhões, foi solto em razão de indulto assinado pela presidente Dilma em dezembro de 2012, o qual concede liberdade a presos com mais de 60 anos, com problemas de saúde e que tenham cumprido mais de um terço da pena. Por que a extremamente benevolente Lei de Execuções Penais deixa de estabelecer uma porcentagem de ressarcimento quando o dinheiro público - obras do Fórum Trabalhista de São Paulo - é desviado?

EDGARD GOBBI

edgardgobbi@gmail.com

Campinas

Motivos

Já está na rua, livre, sob a alegação de “motivos humanitários”. Mais precisamente, 169 milhõe$ de motivo$ humanitário$...

A. FERNANDES

standyball@hotmail.com

São Paulo

De condenações

Se levarmos em consideração a condenação do ex-juiz Nicolau dos Santos Neto pelo desvio de R$ 169 milhões da obra do TRT-SP a 26 anos de prisão, qual deveria ser a pena dos criminosos condenados no caso mensalão? Prisão perpétua, talvez, pelos montantes escandalosos que desviaram? E para os envolvidos na Operação Lava Jato, na Refinaria de Pasadena, no PAC 1 e 2, na Copa do Mundo, etc.?

ANGELO TONELLI

angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

BLACK BLOC

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, reagiu às declarações de black blocs, publicadas nesse domingo, que prometeram transformar a Copa “num caos” e anunciaram associação de esforços para as manifestações com o PCC (Primeiro Comando da Capital). “É inadmissível a união pelo crime”, desabafou. “É inadmissível que pessoas queiram se associar ao crime para fazer reivindicações”. Sabe de nada, inocente. Depois de tudo que os black blocs fizeram e estão por fazer ele ainda os chama de pessoas. Isso me faz lembrar aquelas placas que as empresas aqui de São Paulo colocam para evitar pichações em que está escrito “senhores pichadores”...

Jatiacy Francisco da Silva jatiacy.com@gmail.com

Guarulhos

*

LÓGICA ESPÚRIA

A cegueira dos membros do Partideco dos Trambiqueiros não é apenas física, mas principalmente moral e ética. Para o ministro da Justiça, elo entre black blocs e PCC é “inadmissível”. Já para a ligação espúria entre o deputado Luiz Moura, de seu partideco com o PCC, nenhuma palavra ou declaração. Os motivos para tal ausência de manifestação são bem claros: para o primeiro caso, a ligação implicará em abusos e manifestações durante a famigerada e arrumada Copa e que lhes poderá causar futuro estragos políticos, enquanto que para o segundo caso, a ligação é apenas de negócios e objetiva arrecadação para fundos de campanha e fortalecimento do plano de poder permanente dos quadrilheiros de ambas as partes. Babacas, continuem votando neles.

Renato Otto Ortlepp renatotto@hotmail.com

São Paulo

*

Se o ministro Cardoso acha que elo entre black blocs e PCC é “inadmissível”, espere até eles se unirem ao Comando Vermelho.

Ulysses Fernandes Nunes Jr Ulyssesfn@terra.com.br

São Paulo

*

BLACK BLOCS E PCC UNIDOS?

Essa excelente e oportuna matéria do Estadão, ouvindo 16 membros da liderança dos black blocs é de deixar se borrando e com as calças nas mãos a cúpula do PT. E em especial a Dilma Rousseff. E pelo título do jornal, “Black Blocs prometem caos na Copa com ajuda do PCC”, dá para imaginar que esse perverso objetivo tem um potencial explosivo para anarquia, crimes contra o patrimônio público e prováveis inocentes, como vítimas fatais!

É bom ressaltar que esses 16 revoltados cidadãos brasileiros do black blocs não são analfabetos. A maioria trabalha, concluiu ou segue em cursos universitários. E como diz a matéria, esses vândalos não acreditam que melhoras estruturais como na saúde, educação, transporte urbano e etc., serão conquistadas com manifestações pacíficas. O lema deles para que se chame a atenção dos governos e da sociedade é fazer estragos, quebra-quebra... O que estão absolutamente equivocados, e demonstram claramente que são arruaceiros por natureza. Do PCC todos sabem suas ferramentas, e suas consequências. Embora se reconheça que o povo do nosso país é razoavelmente omisso quanto às graves questões nacionais, mesmo assim na história recente conquistamos bons avanços. Primeiro o da redemocratização no final do regime militar, em que milhões de pessoas saíram às ruas, e diga-se, pacificamente, conquistando a volta da democracia plena no País. O projeto do Ficha Limpa é outra importante vitória da sociedade que reuniu mais de 3 milhões de assinaturas, obrigando o Congresso a aprovar esse clamor popular, e ratificado também foi pelo STF. E no embalo dessa pressão os mandatos de parlamentares vis finalmente hoje passa a ser em voto aberto, etc. Lógico que essa parceria de black blocs com o PCC não nasceu hoje! Pela violência com a qual esse grupo se move, inclusive covardemente encapuzado só poderia ter também o respaldo de gangues e criminosos profissionais. Agora, como a cúpula do PT deve ter consciência de que governa mediocremente o nosso país, nas manifestações de junho de 2013 quase se enfartaram! E traumatizados que estão principalmente da possibilidade de perder a eleição de outubro, qualquer gato pingado como dos black blocs ameaçando sair às ruas deixa em polvorosa a turma do Planalto. E se fosse somente esse o prejuízo, tudo bem. Mas pelos estragos das destruições do patrimônio público, e do horror que levam a toda sociedade, as autoridades constituídas precisam criar vergonha na cara e aprovar medidas punitivas duras, como também indicar locais exclusivos para manifestações populares, como se faz em países que os governos respeitam a democracia, a liberdade de expressão e o direito de ir e vir. E aos baderneiros, criminosos, e porque não também aos corruptos, o endereço é a cadeia.

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

Esse negócio de black blocs e “não vai ter Copa” já encheu, não é mesmo? Porque eles não deixam para protestar em outubro, nas eleições, para mudar pelo voto “tudo o que está aí”?

Edmir Netto de Araujo edmir.netto@hotmail.com

São Paulo

*

Parabéns ao Estadão por conseguir publicar uma conversa direta com os black blocs, em que prometem o caos na Copa e afirmam que sua violência é menos danosa que a praticada pelo Estado que desvia impostos e não dá educação e saúde, e pelos bancos que enriquecem com o dinheiro que ganham do povo. Parece considerarem-se justiceiros praticando um mal menor contra os vilões maiores. É uma mensagem importante que ajuda a interpretar a voz das ruas e as recentes greves e protestos. Se souberem ouvir, esses “vilões” perceberão que o brasileiro mudou e não aceita mais as mentiras da propaganda e as promessas não cumpridas e entenderão que só a gestão responsável e competente e a comunicação transparente poderão restabelecer a confiança fundamental para que as pessoas e as empresas invistam tempo, esforços e capital para um futuro melhor para todos.

Gilberto Dib gilberto@dib.com.br

São Paulo

*

Depois do noticiário da cidade relatar as peripécias do deputado estadual do PT, tanto na sua vida pregressa, como na atual, relatando a reunião em que compareceu na qual havia um elemento do PCC, hoje noticia as peripécias de seu irmão, o vereador Senival Moura, também do PT. Ele é acusado pelo Ministério Público do Trabalho de usar “laranjas” em uma cooperativa de ônibus em São Paulo, para atuar como empresário paralelo do sistema e sintomaticamente, na Região Leste, a exemplo do seu irmão deputado. O vereador, procurado pela reportagem, disse que só falará depois de consultar seu advogado. Em minha opinião, só essa atitude o torna mais suspeito ainda. Eu também trabalhei no serviço público e nunca precisei consultar um advogado para explicar um ato meu. Os dois episódios, que têm como ligação os dois irmãos e o problema com as cooperativas de transportes na Zona Leste, e o que mais preocupa são os cargos públicos que ocupam. O deputado estadual é também assessor do secretário dos Transportes e foi pego em uma reunião interrompida por uma batida da polícia por causa da investigação sobre a queima desmesurada de ônibus na capital.

Gilberto Pacini benetazzos@bol.com.br

São Paulo

*

OBEDIÊNCIA

Pois é: Maluf exigiu foto para sacramentar apoio à campanha do novo poste, Alexandre Padilha, ao governo de São Paulo, e o PT foi extremamente obediente. Faz-nos lembrar o refrão “quem te viu, quem te vê”. Isso não tem preço!

Aparecida Dileide Gaziolla aparecidagaziolla@gmail.com

São Caetano do Sul

*

CADA VEZ MELHOR

Alexandre Padilha + Médicos Cubanos + Alberto Youssef + André Vargas + Paulo Maluf = Bons negócios!

Cláudio Juchem cjuchem@gmail.com

São Paulo

*

O fisiologismo do malufismo não estarrece mais ninguém. A sua sobrevivência na política depois de meio século é fruto das composições e alianças desde a extinta arena, para permanecer no poder. Eis um péssimo exemplo de como não funciona a nossa política e o sistema representativo. Através de acordos se concedem mais tempo na propaganda em troca de cargos na futura gestão. Muda, Brasil.

Yvette Kfouri Abrão abraoc@uol.com.br

São Paulo

*

TRAÍRAS

Paulo Maluf, quem te conheceu no passado, que é o meu caso, e de milhares de brasileiros ocasião na qual aprovamos suas “condutas”, “obras”, “promessas”, “melhorias” e etc. por São Paulo, o desconhecemos totalmente hoje em dia vendo seu “oportunismo”, sua “traição”, seu “conluio com a corrupção” e etc. Pois tendo percebido que sua casa caiu, procurou aliar-se aos que sempre o condenaram e criticaram, com um detalhe? eles estavam corretos ao o fazerem. Contudo, mostraram serem farinha do mesmo saco “podre”, ao aceitarem seu apoio e do seu partido, o PP, o qual sem dúvidas deveria ser exterminado no governo Alckmin por conduta traiçoeira.

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

APOIO

Uma vez o Maluf apoiou e elegeu Pitta, deu no que deu. Muitos ainda têm lembrança. Depois ele apoiou o prefeito atual da capital, e a insatisfação é grande. Agora é a vez do Padilha. Será que o homem é pé frio?

Luiz Carlos Tiessi tiessilc@hotmail.com

Jacarezinho (PR)

*

A grande sabedoria do estadista está também em saber quando pode ou não continuar útil à sua nação, como fez também Bento 16 quando puxou seu carro. O caudilho, pelo contrário, acha que a nação precisa de suas inutilidades a vida inteira. Estão aí fósseis como Sarney, Maluf, Collor etc., embolorados, mas ainda pensando que são úteis com suas traquinices. Graças à inutilidade dos partidos que ainda comandam a governança no País.

Ariovaldo Batista arioba06@hotmail.com

São Bernardo do Campo

*

DECRETO ARBITRÁRIO 8.243

O que teriam a dizer Aécio Neves e Eduardo Campos, supostos candidatos da oposição sobre a canetada de Dilma no que se refere o Decreto 8.243 que institui a Política Nacional de Participação Social e o Sistema Nacional de Participação Social? Causa estranheza que o decreto em vigor não tenha sofrido críticas do Legislativo, que, com sua implantação, fatalmente enfraquecerá o Congresso. Deputados e senadores, ao silenciarem diante desse autoritarismo, comportam-se como reféns do PT. Onde estão a OAB, os demais poderes que não reagem diante da arbitrariedade da presidente Dilma, que, na marra, modifica o sistema brasileiro de governo, com viés comunista, nazista e fascista, sob o comando do secretário Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho? E a grande mídia, já está amordaçada? Somente o Estadão percebeu a aberração jurídica de dona Dilma?

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com

São Paulo

*

Ministro Gilberto Carvalho, hipocrisia é usar pelegos como uma amostragem honesta e legítima da sociedade?

Hermínio Silva Júnior hsilvajr@terra.com.br

São Paulo

*

O PT não conseguindo o tal “controle social da mídia”, faz nova investida agora travestida de decreto 8.243 de 23 de maio de 2014 e cria uma tal Política/Sistema Nacional de Participação Social. Esse decreto nos lembra os tempos da ditadura, que legislava por atos institucionais e que foi retirando do Congresso Nacional a sua importância até fechá-lo. Lá também a sociedade civil foi usada e apoiou o golpe, mas quando acordou já era tarde. É isso que o PT quer? Dar um golpe na democracia, instituir dois partidos, como na ditadura? Os AFPT (à favor do PT) e os contra, passando para a democratura dos companheiros da sociedade civil? Aí só falta editar um AI-5 fechando o Congresso, como na ditadura, e colocar no paredão seus opositores.

Tania Tavares taniatma@hotmail.com

São Paulo

*

Na moita, a presidente Dilma surpreende a todos com o Decreto 8.243 “Sistema Nacionais de Participação Social” que entre um ou outro absurdo jurídico, “um conjunto de barbaridades jurídicas” (Estadão) torna, de forma ilegal, que os baderneiros do MST, MTST, MPL, CUT, UNE entre outros, que promovem hoje passeatas, quebra-quebra, protestos, invasões, e etc., tenham um poder paralelo ao poder Legislativo. De forma ditatorial e com um nome bonitinho, Dilma pretende transformar esses grupos que hoje a apóiam em “órgãos públicos”, o que é inconstitucional. O jornalista Reinaldo Azevedo em seu artigo sobre o assunto pondera que a “instalação da ditadura petista por decreto, é, possivelmente, o passo mais ousado já tomado pelo PT na consecução do “socialismo democrático”, aquele sistema no qual você está autorizado a expressar a opinião que quiser, desde que alinhada com o marxismo. Vimos na História mundial alguns exemplos que mostraram que uma das primeiras preocupações dos governos autoritários é convocar o povo para participar ativamente das decisões do País, eliminando o poder dos legisladores. Atualmente, a Venezuela de Chávez é um excelente exemplo de onde esse populismo de fachada pode nos levar. Esperamos que o STF acate a demanda dos oposicionistas e faça valer a nossa Constituição,l transformando o Decreto nº 8.243 em pó.

Leila E. Leitão

São Paulo

*

DE ROBERSPIERRE A GILBERTO CARVALHO

Lendo o decreto nº 8.243 de Dilma Rousseff, voltamos aos bancos escolares onde aprendemos que uma das primeiras preocupações dos governos autoritários é convocar o povo para participar ativamente das decisões do País. Na França, o Comitê de Salvação Pública de Robespierre, ao eliminar os poderes do Legislativo, desembocou na selvageria do Terror. Na mesma trilha, caminhou a China de Mao e a União Soviética de Stalin, modelos adotados para estruturar diversos grupos comunistas no Brasil: Colina, Molipo, PCdoB, MR-8, MNR, Polop, Var-Palmares, DI-GB, VPR. Atualmente, a Venezuela de Chávez é um excelente exemplo para avaliarmos onde esse populismo de fachada termina.

Helena Rodarte Costa Valente helenacv@uol.com.br

Rio de Janeiro

*

‘VENEZUALIZAÇÃO’ DA DEMOCRACIA

É flagrante o esforço espúrio do PT para "venezualizar" o Brasil através do Decreto da pseudoparticipação social. A etapa seguinte será “cubanizar” de vez. Lamentavelmente, já começou pelo STF com juízes comprometidos com o partido e piorará com a saída do nobre Ministro Joaquim Barbosa. Era tudo que o PT queria: mais um ministro petista. O quadro está completo para aprovar as leis “habilitantes” ensinadas por Chávez. Deus nos salve, porque a oposição não tem peito!

João Cesar Ribeiro cesar.ribeiro8@hotmail.com

São Paulo

*

A DEMOCRACIA EM JOGO

O editorial do “Estadão” “Mudança de regime por decreto” (29/5 - A3) é um oportuno brado de alerta à Nação. Em suas linhas, explicita de forma categórica o golpe que o partido de Lula pretende infligir às instituições democráticas e à Constituição Federal de 1988. Trata-se da edição do Decreto 8.243, de 23 de maio de 2014, inspirado no texto do Plano Nacional de Direitos Humanos 3 - PNDH-3, que, passando como um trator por cima da Carta Magna, pretende alterar, pela via infraconstitucional (!), nosso modelo representativo, e instituir no País, à revelia do povo brasileiro, uma forma de governança de corte bolivariano, passando ao largo do Congresso Nacional, sob a desculpa politicamente correta de ampliar nossa democracia. Na verdade, a intenção é a oposta do que anunciam. Qualquer pessoa razoavelmente atenta e bem informada sabe que o PT é um partido antidemocrático, totalitário em seu DNA, que despreza a nossa forma representativa de governo, tal qual seu congênere venezuelano (PSUV). Na Venezuela, os chavistas - irmãos de fé! - já liquidaram “a fatura”. Aqui, ainda não, por ausência de condições objetivas. Mas, como dizem: “a luta continua”. E assim vão “comendo pelas beiradas”: uma medida provisória aqui, um decreto ali, uma portaria acolá... E assim vão conseguindo o que querem. Malgrado tudo, grande parcela de brasileiros ainda não se deu conta da extrema gravidade do problema e continua embarcando no “canto da sereia” politicamente correto da sigla de Lula. Ainda há tempo para a sociedade afastar do País o enorme perigo que representam esses verdadeiros lobos em pele de cordeiro. O PT, enfim, apesar das aparências - que enganam! - é o que sempre foi e faz o seu jogo, falando em “democracia” e em “liberdade” para os milhões de desavisados, inocentes úteis, enquanto trama a demolição de nossas instituições “burguesas” nos bastidores do poder. Oremos para que a Nação brasileira perceba em tempo o que está em jogo no Brasil deste início de século.

Silvio Natal silvionatal49@gmail.com

São Paulo

*

A democracia nasceu em Atenas e, no início, não era muito “democrática”, pois excluía mulheres, estrangeiros e escravos de participar das decisões políticas. Com o crescimento populacional, esse sistema ficou inviável, então criaram-se outras formas: direta (plebiscito, na qual o povo participa sem intermediários) e indireta ou representativa, na qual o povo também participa pelo voto, elegendo os seus representantes. Pela própria definição, fica evidente para qualquer cidadão minimamente pensante de que no Estado Democrático de Direito é impossível haver democracia na forma direta, pois essa só acontece quando existe alguma questão única que o povo precisa opinar e, jamais, se pode estender essa maneira de participar de forma perene, a menos que se regrida para uma ditadura! Dilma, ao criar o Decreto 8.243, demonstra que, entre todas as coisas que ela desconhece, ela desconhece também o que é democracia. Já que ela se entusiasmou tanto com essa forma direta, por que não faz um plebiscito perguntando ao povo ­- e não somente aos petistas - o que ele acha desse decreto?

Carmela Tassi Chaves tassichaves@yahoo.com.br

São Paulo

*

Em seus últimos meses de mandato, Dilma Rousseff tenta emplacar, em meio ao clima de Copa, o sonho autoritário de seu partido de mudar por decreto o atual sistema de governança da República, criando a Política Nacional de Participação Social (PNPS, uma arapuca que, se aprovada, transformaria nossa democracia representativa em um arremedo do que existe na Venezuela, país cujo governo tão elogiado por Lula Dilma e PT, longe de ser uma democracia, está a beira de uma guerra civil, em que forças governistas, em nome de seu projeto de poder, massacram os jovens e estudantes que protestam contra falta de alimentos, falta de liberdade e contra uma inflação estratosférica. Congresso e STF devem rejeitar energicamente mais essa tentativa do PT de nos transformar em uma república bolivariana, em que o excesso de democracia para poucos pode significar a escravidão de muitos. Fora, PT.

Peter Cazale pcazale@uol.com.br

São Paulo

*

MUDANÇA DE REGIME

Excelente o editorial de 29/05 deste jornal “Mudança de regime por decreto”. Talvez os que mais falem em honestidade sejam os desonestos. Certamente, os que mais falam em democracia são os totalitários e os liberticidas. Que o País precisa de uma profunda reforma política, creio que poucos duvidam. Todavia, não a que pretende a presidenta e seus sabujos. Precisamos urgentemente:

reduzir o número de ministérios ao máximo de 12 ou 13 e reduzir de 513 para algo como 290/300 deputados federais. Como? Utilizando os dados do senso (IBGE 2010), dividindo o número de habitantes de cada uma das unidades da Federação por 650.000 (habitantes não eleitores dos TRTs) e, com os necessários ajustes e arredondamentos, definir o máximo e mínimo do número de deputados por Estado a 60 e dois, respectivamente. Tais números são atualmente 70 e oito. Reduzir aproximadamente à metade o número de deputados estaduais e de vereadores municipais em todos os Estados e Município; reduzir o número de partidos políticos a uns cinco, um de centro, dois de esquerda (centro-esquerda e extrema esquerda) e dois de direita (centro-direita e extrema direita). E que tais partidos tenham programas e ideologias bem definidas e compatíveis com suas respectivas posições no espectro político-ideológico.Talvez reduzidos os números dos Ministérios, dos deputados, dos vereadores e dos partidos políticos, possamos ver aumentada a baixíssima qualidade dos mencionados entes, que hoje servem péssima e vergonhosamente à nação. Tudo isso é por demais racional para um país surrealista? Paciência, não custa nada sonhar. E isso seria só o começo.

Mário Rubens Costa costamar31@terra.com.br

Campinas

*

Causa arrepios aos que não perderam a visão histórica da humanidade vislumbrar no editorial “Mudança de Regime por Decreto”, publicado na última quinta-feira, cenários da criação de uma subjacente polícia política. Entendemos que, certamente, segmentos conscientes da sociedade brasileira - civis, militares e religiosos - aguardam a reação de coragem moral das forças vivas da política nacional e dos “operadores do direito” da OAB, contra a ampliação da “sovietização” no Estado Democrático de Direito no país de Ruy Barbosa. Esta, caracterizada no embusteiro Decreto 8.243 de 23 de maio de 2014, alusivo à criação da Política Nacional de Participação Social e, consequentemente, o Sistema Nacional de Participação Social, à semelhança dos comissariados do povo de Cuba e da falida URSS. Com o povo humilde e generoso desviado na sua consciência pela fantasia política da Copa Mundial, a ressonância do editorial do “Estadão” e a expectativa do clamor jurídico pela inconstitucionalidade do decreto se empalidecerão em proveito de mais um passo para o aparelhamento do Estado e solapamento da democracia. Aguardemos o próximo decreto, o do amordaçamento da mídia, favorecido pela anomalia social que se espraia pelo Brasil.

Ney de Araripe Sucupira ney.sucupira@uol.com.br

São Paulo

*

E AGORA, ACREDITAM?

Parece-me que as grandes redes de comunicação do País nunca acreditaram muito na ideia da revolução gramscista em marcha. Não sei dizer se por conveniência ou inocência sempre deixaram de esclarecer leitores, ouvintes e telespectadores sobre o Foro de São Paulo e a participação de partidos políticos brasileiros na organização, com destaque para o PT e seu líder máximo. Enquanto a mídia vendia o “fim do comunismo”, facilitava a sub-reptícia ação nos bastidores. Até que agora, às vésperas de uma eleição majoritária, eis que os partidos no poder, PT e PC do B, escancaram as suas verdadeiras intenções através de um decreto que institui o comunismo no Brasil. Basta conhecer a História para entender. Faço votos que a mídia, que corre seus riscos, ajude a esclarecer a população e participe de uma vigorosa campanha para anular a medida.

Marco Antonio Esteves Balbi mbalbi69@globo.com

Rio de Janeiro

*

REGULAÇÃO NOS MEIOS

“Prefiro o barulho da imprensa livre ao silêncio das ditaduras”, essa citação está no discurso de posse da presidente Dilma, mas o PT, seu partido, não parece estar feliz com tal decisão. Em recente reunião no Palácio da Alvorada, Dilma deixou claro a petistas que não tem intenção de regular conteúdo, mas sinalizou que topava tratar da parte econômica. A Executiva do PT decidiu incluir a regulação dos meios de comunicação no programa do partido para a campanha presidencial. O comando da campanha pela reeleição de Dilma, está a cargo do ministro Aloizio Mercadante (Casa Civil), do presidente do PT, Rui Falcão, e do ex-ministro Franklin Martins. Dona Dilma, preste atenção, a vocação totalitária do PT é se meter na vida das pessoas. Eles vão sempre procurar mecanismos de controle para instalar a censura, calando de vez os meios de comunicação e a voz das ruas. Só para relembrar, o PT aprovou em seu encontro nacional, realizado no começo deste mês, um documento que deve orientar a postura do partido nas próximas eleições. O texto tem um viés de ruptura com a política de conciliação ideológica desde quando Lula ascendeu ao poder. As propostas vão deixar a economia em frangalhos, vão restringir as liberdades individuais e produzir fuga de capitais. Eis as diretrizes aprovadas: menos liberalismo econômico, maior aproximação com a esquerda latino-americana, reaproximação com os movimentos sociais, aprofundamento de políticas sociais, maior influência dos sindicatos no governo, constituinte exclusiva para a reforma política e implantação do socialismo. Não precisa ir muito longe para sentir que alguma coisa sobre os temas acima já está em andamento, basta ver quem são os condutores desses temas. Acorda, Brasil, os ratos estão atentos.

Luciana Lins lucianavlins@gmail.com

Campinas

*

AÉCIO NO RODAVIVA

A entrevista do pré-candidato Aécio Neves ao programa “RodaViva”, da TV Cultura, já demonstra o tom da campanha. Enquanto o PT buscará maquiar tudo para que o Brasil pareça bem e Eduardo Campos vai continuar com medo de bater em Lula e Dilma; Aécio já arregaçou as mangas e mostrou-se disposto a debater tudo, sem restrições. Se o povo abrir os olhos, já tem um candidato!

Sérgio Eckermann Passos sepassos@yahoo.com.br

Porto Feliz

*

ESTÁTUA DE LULA

Achei interessante o artigo de Marco Aurélio Nogueira sobre a estátua do ex-presidente Lula esculpido para exposição ao lado da Casa Branca. Porém, não entendo a insistência da mídia em geral, e, especialmente de alguns articulistas em reconhecer em Lula um político inteligente, com grande capacidade de persuasão, astúcia, etc., exaltando, sub-repticiamente, as “qualidades” dessa notória figura que apareceu no teatro da política nacional nas últimas décadas. Como impostura criada pela esquerda brasileira, com a ajuda de certos setores da intelectualidade da época (entenda-se: USP, UNICAMP, e comunidades eclesiais de base) nos anos 80, Lula não é e nunca foi herói de coisa alguma. No máximo, descreve perfeitamente a personagem de “Macunaíma”, de quem Mário de Andrade disse não ter nenhum caráter, segundo a citação do mesmo artigo do professor Marco Aurélio. No Brasil, a estátua de Lula, juntamente com a de José Sarney, que, segundo dizem, até já providenciou um mausoléu com seu busto, serviria talvez para privada de pombos .

Gilberto Motta da Silva gmottas@yahoo.com.br

Curitiba

*

SEGREDOS E PROMESSAS

Ao deixar clara sua preferência por Skaf para o governo de São Paulo, caso não entre o “poste” do Lula, o Padilha, ficou bom para o governador Alckmin, apesar de pessoalmente, como um democrata de verdade, prefira sempre a alternância, palavra que não existe no PT. Mas “Alah est Fattah” ou “Deus é grande” vamos ter alternância sim, na esfera federal, tão podre e pobre pelos muitos anos sem oxigenação.

Roberto Moreira da Silva rrobertoms@uol.com.br

São Paulo

*

O presidente da Fiesp, Paulo Skaf, para na opinião da presidente Dilma ser o fiel da balança para que aconteça um segundo turno em São Paulo e ainda conforme a foto publicada ontem, aos segredinhos com a presidente, seguramente tem prometido um ministério em eventual segundo mandato de Dilma. Se há falta de investimentos na infraestrutura, se os impostos e a energia elétrica estão pela hora da morte e os industriais sofrem com isso, já não interessa mais. Afinal, um cargo de boa visibilidade vale mais que tudo que aí está. Quem viver, verá.

José Piacsek Neto bubanetopiacsek@gmail.com

Avanhandava

*

AS ELITES DO PT

Hoje, utilizarmos avião para transporte é uma necessidade. Já está na hora da presidente parar com esse negócio de elite. Já surtiu efeito um dia, mas está vencido. Acorda, Dilma, estamos no século da velocidade e se formos aceitar sugestão do ex-presidente indo de jegue para um enterro em outro estado, chegaremos para a missa de sétimo dia.

Mario Ghellere Filho marinhoghellere@gmail.com

Mococa

*

REPERCUSSÃO MUNDIAL

Nas competições existem medalhas de ouro, prata e bronze aos primeiros colocados. Na disputa das mulheres mais poderosas do mundo da revista “Forbes”, Dilma Rousseff caiu do segundo para o quarto lugar. Não ganhou medalha nem pagou “placê”. É o retrato da sua administração do Brasil.

Roberto Hungria cardosohungria@gmail.com

Itapetininga

*

HACKERS INVADEM ITAMARATY

Os ataques de hackers aos computadores do Itamaraty revelam o quanto é bizarra a falta de preparo intelectual de nós, brasileiros. No século da informação podemos compartilhar com Pedro Alvarez Cabral a cena de índios dando flechadas na polícia e, neste cenário de desinformação, não seria surpresa se o governo tivesse a brilhante ideia de comprar modernas máquinas de escrever Olivetti para enfrentar este tipo de conflito digital.

Rafael Abrão Possik Jr. possik@uol.com.br

São Paulo

*

JEGUETOUR

A viagem até o Itaquerão, via Radial Leste, sem dúvidas será muito penosa nos dias dos jogos, pois há estreitamento da pista depois da estação Patriarca do metrô. Sugerimos que o Instituto Lula, inspirado em recentes manifestações filosóficas de seu patrono, acolha os ensinamentos do “dotô” e crie uma empresa subsidiária (há abundância de laranjas) para explorar o serviço de transporte dos torcedores por meio de jumentos, que percorrerão os cinco quilômetros finais de modo confortável e seguro, pois o Exército estará nas ruas para garantir a tranquilidade dos visitantes, por determinação da nossa presidenta. Certamente, o companheiro Haddad, com o aval do secretário Tatto, expedirá o alvará com a máxima brevidade, eliminando a babaquice da burocracia.

Ulisses Nutti Moreira, advogado ulissesnutti@uol.com.br

Jundiaí

*

OBRAS DE INFRAESTRUTURA

Obras de infraestrutura dependem de alguns passos. Começa com a iniciativa: diagnóstico, concepção de solução, projeto básico, estudos de viabilidade técnica e econômica, estudos de impacto ambiental, estudos de fontes de investimento, projeto executivo, desapropriações etc. Quem faz tudo isso é quem realiza grandes obras de infraestrutura. No caso do rodoanel, metrô de São Paulo, monotrilhos, linhas de trem de transporte urbano, quem faz isso é o governo do Estado. Os recursos são predominantemente do Estado. O Município e a União por vezes têm alguma participação. O Município investe. A União, em alguns casos, e de forma muito limitada, investe. O BNDES cede empréstimos, a serem quitados pelo contratante, o Estado. O Governo Federal anuncia, em caros vídeos nas TVs, que exibem imagens de obras acabadas ou em final de construção, como realizações suas. Também através de jornais conta a mesma mentira. Realizações do Governo Federal, autênticas, é a Transposição do São Francisco.

Mario Helvio Miotto mhmiotto@ig.com.br

São Paulo

*

ERRO DE CÁLCULO

No início de 2014 a previsão do ministro Guido Mantega seria que teríamos um PIB acima de 5%. Chegamos ao meio do ano com PIB de 0,2% e até dezembro corremos o risco de ter PIB zero.

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

*

CRESCIMENTO ECONÔMICO

Segundo o presidente do PT, Rui Falcão, as pessoas não estão preocupadas com o PIB, mas sim com emprego entre outros. De fato, admite-se que muitas, incluídos alguns petistas, nem saibam o que significa o PIB. Todavia, o referido presidente do PT deveria, pelo menos, saber e informar aos menos esclarecidos que sem crescimento da economia não existirá novos empregos, e ainda sob o risco de perderem os atuais, se o governo petista continuar insistindo na atual política econômica.

Mario Cobucci Junior maritocobucci@uol.com.br

São Paulo

*

LUZ NO FIM DO TÚNEL

Em 2003, a Alemanha e o Brasil tiveram igualmente uma dívida pública de 65 % sobre o PIB. Enquanto hoje a Alemanha chegou a 78,4 % sobre o PIB. O Brasil conseguiu baixar a dívida pública para 33%. Logicamente que há insatisfação do povo brasileiro com a política de redução de gastos. Mas, graças a esta austeridade da política de contenção de gastos, podemos avistar uma luz no fim do túnel. O mesmo não vem acontecendo com a Alemanha. Graças à possibilidade de se obter empréstimos a juros baixíssimos, os alemães se esqueceram da possibilidade de haver, de repente, um aumento dos juros, como ocorreu na década de 70 com o Brasil. O Brasil de hoje, que caminha inteligentemente e, em poucos anos, estará livre da escravidão dos juros. E a juventude com toda razão impaciente de hoje pode ter, em breve, um futuro esplêndido.

Michael Peuser mpeuser@hotmail.com

São Paulo

*

COMO ELEVAR O PIB

O atual governo e equipe econômica já demonstraram o quão incompetentes são, assim sendo, uma vez que, por meio de boa governança, não conseguem obter um PIB melhor, porque não incluir como renda gerada no País, as geradas pelos doleiros, mensaleiros, trambiqueiros, traficantes, muambeiros, malufeiros, politiqueiros, contrabandistas e afins? No mínimo, aumentaria em 1 a 2%.

Fernando Pastore Junior fernandopastorejr@gmail.com

São Paulo

*

LIXO E RIQUEZA

Lixo gera riqueza. Ainda mais no Brasil em que a dependência econômica para atividades não muito nobres leva uma quantidade enorme de trabalhadores à reciclagem. É lamentável que não se consiga uma política que una esses esforços com a necessidade da redução de resíduos sólidos a serem destinados aos aterros, como mostrou o editorial “A controvérsia do lixo” (Opinião, 2/6). Má vontade e incapacidade gerencial sustentam uma surdez política que não ouve o que os trabalhadores das ruas dizem e fazem.

Adilson Roberto Gonçalves, pesquisador científico prodomoarg@gmail.com

São Paulo

*

CAÇA AOS HUMANOS

No excelente artigo “Etica, violência, vergonha” (31/05/14,pág.A2) afirma o professor Roberto Romano, em duas passagens, que integrantes da sociedade embrutecida, no Brasil, ainda não aprenderam a distinção entre a caça ao animal e a perseguição a outros seres humanos. Mata-se com enorme facilidade. E é verdade. Só tenho a reparar que, enquanto o homem, animal dito “superior”, não tiver consciência e sentimentos para deixar de perseguir e matar violentamente animais inocentes, nossos irmãos menores (visto que como nós somos criaturas do mesmo Pai), caçando-os sem tréguas, por mil motivos injustificados, também não terá sentimentos e consciência para deixar de perseguir e matar seus iguais, outros humanos, a troco de nada. Além do Holocausto, em pleno século 20, na Alemanha, quantos outros não tivemos no decorrer dos séculos? Realmente, o belo e a vergonha não vigoram no solo brasileiro. Mas não só neste solo brasileiro, caro professor...

Edméa Ramos da Silva paulameia@terra.com.br

Santos

*

APOSENTADORIA DE JOAQUIM BARBOSA

A aposentadoria do Ministro Barbosa é circunstância digna de grande e apreensiva ponderação. Donde lhe vem esse abandono de campo, ainda no primeiro tempo? Talvez por negar-se a amarrar sua convicção a injunções alheias? Os senhores ministros, inebriados no farfalhar das sedas, vivem tão aferrados à própria opinião, e muito tocados no incomensurável apetite de ser e aparecer, como se lhes fosse o peso em ouro fino, e que afugentam quem não lhes fizer coro. Cogita-se que a abdicação de J. B. ou se fez por medo, ou por questões pessoais, ou deu-se por negar-se a abdicar de seus princípios. Negou-se a figurar como personagem, farfalhando sedas pelos corredores, num desfiladeiro de vaidades, como ator em seu camarim - para só rezar a peça que lhe foi encomendada. Esse não lhe era o perfil, tampouco é a vocação do magistrado. Mas sim, pagam-se pela mesma moeda os que se merecem, na entronização em grau superior da troca de favores: dou-te o brilho e o poder, dê-me a decisão. Nesse falsete todas as gulas se saciam à farta, uns os que anseiam pelos holofotes e manchetes têm-nos às mãos cheias. E, de outro lado, os interesses escusos realizam-se de pleno, e a partidinha está feita! Nós, os cá de baixo, não entendemos o “não fico” de Joaquim Barbosa, voz vez e vez mais solitária no cenário jurídico da alta Corte, cujas decisões, ainda quando acaloradas, era a voz que esbofeteava com a língua a falta de bom senso da maioria. E, convenhamos, justiça nada mais é que a efetivação do bom senso! Ao condenar os desmandos do mensalão era a mesma voz do povo, que ora se cala. Claro que todos se irão aproveitar dessa nova boa maré, céu bonança na Papuda. Talvez, despediu-se da Corte, por força da parêmia: "contraria simul esse non possum", que nos legou o Senado Romano: os contrários repelem-se. É o efeito do ímã ao reverso. Assim, há milênios a história vem escrita. Nesse mesmo sentido, o jargão popular: os incomodados que se mudem, ou se calem. Vejamos o que o futuro nos reserva.

Antonio Bonival Camargo bonival@camargoecamargo.adv.br

São Paulo

*

‘O JUSTICEIRO’

Muitos, como um jornalista que deu o apelido de “justiceiro” ao Ministro BARBOSA, ao comentar sua aposentadoria, esperavam vê-lo comandado pelo Lewandowski, que, pelas regras do STF, será aquele que ocupará a Presidência daquele órgão e buscará vingar-se das vezes que perdeu para o adversário? O Ministro Barbosa não dará esse prazer ao jornalista, ao Lewandowski, assim como aos petistas, comunistas e esquerdistas em geral.

Laércio Zanini arsene@uol.com.br

São Paulo

*

Por não querer compartilhar da mediocridade estabelecida pela

atual composição no Supremo Tribunal Federal, o Ministro Joaquim Barbosa nos deixa órfãos da justiça e mais próximos do perfil traçado por outro Barbosa (Rui) em 1914, ou seja: “De tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça, de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar-se da virtude, a rir-se da honra e a ter vergonha de ser honesto”. É uma pena.

José Carlos Fernandes novoafernandes@hotmail.com

São Paulo

*

A saída de Joaquim Barbosa significa o funeral do STF. Sem ele, o governo “petifica” de vez a Suprema Corte.

Conrado de Paulo conrado.paulo@uol.com.br

Bragança Paulista

*

Brasil: teu filho Barbosa fugiu à luta.

Roberto Twiaschor rtwiaschor@uol.com.br

São Paulo

*

MISSÃO CUMPRIDA

Joaquim Barbosa sai do STF e entra para a história do Judiciário e dos grandes heróis brasileiros. Missão e dever cumpridos. Valeu!

J.S. Decol decoljs@globo.com

São Paulo

*

INDICAÇÃO PARA O STF

Para ocupar o cargo de ministro do STF e outros tribunais, o indicado teria que ser juiz com vasta experiência e saber - afinal ele atuará como juiz - como ser juiz no Supremo, quem só atuou como advogado. Todas as indicações teriam de partir da associação de juízes. Como pode um poder indicar ocupante de outro poder?

Paulo Tarso J Santos ptjsantos@yahoo.com.br

São Paulo

*

SUGESTÃO A AÉCIO

Senador Aécio Neves, consiga a concordância do ministro Joaquim Barbosa em ser ministro da Justiça e de Henrique Meirelles para a Fazenda: vitória garantida no 1º turno.

Pedro de Alcantara Vicente de Azevedo ivone@azevedonegocios.com.br

São Paulo

*

MORTE DO CRAQUE MARINHO CHAGAS

Morreu o craque Marinho Chagas, 62, eleito o melhor lateral esquerdo da Copa do Mundo de 1974, na Alemanha. Marinho Chagas brilhou no Botafogo nos anos 70 e jogou no Flu, SPFC e Seleção Brasileira. Foi um dos melhores laterais do futebol brasileiro e mundial. Descanse em paz.

Renato Khair renatokhair@uol.com.br

*

PARABÉNS PELO PORTAL

Parabéns a toda equipe do “Estadão”. Portal maravilhoso e fácil acesso. Uma aula!

José Nello Marques josenellomarques@gmail.com

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.