Fórum dos leitores

CORRUPÇÃO

O Estado de S. Paulo

31 Maio 2015 | 02h00

A tragédia do futebol

As multidões elegeram uma modalidade de esporte como sua preferida. As maiorias sociais depauperadas sentiram no futebol, não raro, fonte de emoções incomparáveis, capazes de cicatrizar aos poucos até tragédias pessoais. Mas seres escalonados em invisíveis - de tão profundas - bocainas infernais não poderiam deixar de injuriar o povo que busca parcos escapes da vida implacável, mediante o embolso do dinheiro destinado ao espetáculo produtor de lágrimas que já foram de emoções e hoje são do sentimento vazio que se segue aos assaltos, quando olhamos em torno de nosso mundo e nos aflige terrível interrogação existencial. Que a Justiça internacional dissolva a Fifa e cada país reformule suas organizações. 

AMADEU R. GARRIDO DE PAULA

amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo

Copa 2018

E agora, em quem Jérôme Valcke (Fifa) dará o próximo pontapé nos fundilhos? Certamente não será nos de Putin!

JOSÉ PIACSEK NETO

bubanetopiacsek@gmail.com

Avanhandava

Humilhação

Que vergonha, precisou o governo americano investigar a Fifa para o governo brasileiro começar a se mexer com relação a escândalo antigo, que todos estão carecas de saber. Humilhante.

JOSÉ ROBERTO IGLESIAS

rzeiglesias@gmail.com

São Paulo

Evasão de divisas

Dada a explicação do ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, sobre a colaboração da Polícia Federal na apuração do escândalo da Fifa na Suíça, por envolver “evasão de divisas”, a chapa vai esquentar. Quem sabe ele não apura também o depósito de A 25 milhões feito por Rosemary Noronha no Banco Espírito Santo, na cidade do Porto, em Portugal, sob a inviolabilidade de mala diplomática? Como ela usou um carro-forte no transporte da alfândega ao banco, está tudo documentado, fácil de rastrear e quebrar o sigilo bancário. E agora, José? O ministro será coerente ou vai amarelar? Afinal, trata-se de “evasão de divisas”!

HUMBERTO SCHUWARTZ SOARES

hs-soares@uol.com.br

Vila Velha (ES)

CPI da bola?

Corrupção na CBF vem dos tempos de João Havelange, passando pelo genro Ricardo Teixeira, ambos ficaram miliardários. José Maria Marin colocou-se no lugar certo: em menos de um ano comprou ou ganhou um apartamento no Central Park, em Nova York. E nossos congressistas nada viram - não são sérios. O futebol perdeu muito da paixão, vibração, torcida, pois é visível a podridão de seus dirigentes.

CELSO DE CARVALHO MELLO

celsosaopauloadv@uol.com.br

São Paulo

José Maria Marin

A perda de memória do brasileiro é fantástica. Alguém se lembra do escândalo de 1980 na Nossa Caixa, na operação com a empresa Plásticos Dias? Nosso esportista já era falado na ocasião. O currículo desse senhor o recomendava para a CBF e a Fifa.

SERGIO GOMES DE OLIVEIRA

sergiorute@gmail.com

São Paulo

Mais sujeira

A corrupção na Fifa e na CBF não me preocupa tanto quanto a caixa-preta do BNDES. Não somos obrigados a assistir ao futebol, mas somos obrigados a pagar impostos altíssimos e por isso temos o direito de saber o que o governo faz com o dinheiro público. Se já sobravam desconfianças sobre favorecimento e corrupção nos bilionários financiamentos, o veto da presidente e a desculpa de sigilo bancário apresentada pelo BNDES para não mostrar as contas me convenceram de que realmente deve existir muita sujeira debaixo desse tapete. Sem dúvida, trata-se de mais um órgão público cuja missão social foi desvirtuada. Afinal, onde está o cunho social desse banco ao emprestar bilhões de dinheiro público e a juros baixíssimos a empresas gigantes e governos estrangeiros, enquanto as pequenas empresas nacionais são massacradas por juros altíssimos cobrados pelos inescrupulosos bancos privados e pelos agiotas? Espero que o STF mande abrir logo esse cofre.

JOÃO CARLOS A. MELO

jca.melo@yahoo.com.br

São Paulo

‘BNDESzão’

O STF, dando mostras de que talvez seja o único Poder da República em que o cidadão pode depositar alguma confiança, derrubou o sigilo das operações de crédito do BNDES ao JBS/Friboi. Na prática, equivale à derrubada do veto de Dilma à transparência do BNDES, ação que deveria ter sido, no Congresso, liderada pela oposição, mas não foi. Se tal decisão do STF for de fato um “ponto dentro da curva”, pode ser considerada o início da abertura da caixa-preta do BNDES, puxando um fio cuja enorme meada pode mostrar terem sido mensalão e petrolão meras pontas de iceberg se comparados a esta. Cumpanheiros, temei!

LAZAR KRYM

lkrym@terra.com.br

São Paulo

ECONOMIA LULOPETISTA

Dupla pé-frio

O ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, afirmou que a única diferença entre ele e Joaquim Levy, da Fazenda, são seus times de coração: Levy é Botafogo e Barbosa, Vasco da Gama. Em matéria de times, estão mal das pernas, o Bota acabou de ser rebaixado e o Vasco vive de altos e baixos, tanto que voltou da Segundona este ano: e eles assumiram um time totalmente desentrosado, despedaçado e caindo pelas tabelas, com uma presidente que vive na retaguarda, tem medo da torcida, convive com um bando de conselheiros descontentes e está perto de ser rebaixado, nem o presidente de honra aparece mais. Então, não esperemos muito da dupla Joaquim e Barbosa. Além de desentrosada, tem um pé-frio danado. 

SÉRGIO DAFRÉ

sergio_dafre@hotmail.com

Jundiaí

A caminho da ditadura

Sabotar Joaquim Levy e o ajuste fiscal é o caminho mais curto para a perda do grau de investimento. Essa parece ser a estratégia escolhida pelo PT para alijar o Brasil da economia de mercado e da democracia. Caso isso venha a se concretizar, passaremos a depender da China, da Rússia, do Irã, da Argentina, da Venezuela e de outros países despóticos.

SÔNIA MARIA BENFATTI RESSTEL

sbresstel@gmail.com

São Paulo

A conta chega

Mais de uma década de incomPeTência e de roubos promovidos pelos petralhas, isso não vai sair barato, não. A conta está chegando e nem mil Joaquins Levys resolverão.

RICARDO CASTRO T. MARTINS

rctmartins@gmail.com

São Paulo

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

O VÍRUS SE ESPALHOU

Ao que parece, o atual presidente da Federação Internacional de Futebol (Fifa), Joseph Blatter, e o presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Marco Polo Del Nero, foram picados pelo inseto que transmite o vírus da cara de pau, mais conhecido como Lula, pois alegam não saber de nada quanto às denúncias de seus pares no escândalo das propinas e corrupção no futebol mundial. Incrível que seus vices tenham sido presos por roubarem e receberem propinas de valores altíssimos e eles, que comandam suas federações, não saibam de nada. Espero que, ao contrário de Lula, eles sejam obrigados a lembrar de tudo o que aconteceu bem embaixo de seus narizes comprometidos com a fraude, a corrupção e a apropriação indébita de valores vultosos.

 

Rafael Moia Filho rmoiaf@uol.com.br 

Bauru

 

*

FUGA DA SUÍÇA

Tenho certeza de que Blatter e Del Nero fizeram curso com Lula. As colocações são aquelas que nós, brasileiros, ouvimos há muitos anos. Del Nero saiu tão às pressas da Suíça que veio com a roupa do corpo e deixou todo o resto da bagagem no hotel.

Ivan Bertazzo bertazzo@nusa.com.br 

São Paulo

*

MARCO POLO DEL NERO

Se alguém ainda tinha alguma dúvida quanto à culpabilidade deste senhor nas tramoias da CBF, depois da sua fuga-relâmpago um dia antes das eleições da Fifa, entendo que ele mesmo se autodenunciou, fugindo apressadamente para o Brasil, onde sabe que nada acontece aos poderosos. Vide a turma do mensalão, que foi presa e hoje já está toda em suas mansões, nada de dinheiro devolvido e por aí vai. Será que algum dia teremos uma polícia como a dos Estados Unidos, onde quem tem culpa no cartório vai preso independentemente da "patente" que ostenta?

Luiz Roberto Savoldelli savoldelli@uol.com.br 

São Bernardo do Campo

*

DANDO NO PÉ

Dilma Rousseff e Lula deviam fazer como Del Nero ("não sabemos de nada") e caírem fora.

Silvio Leis  silvioleis@hotmail.com 

São Paulo 

*

BLATTER E LULA

Qual a diferença entre Blatter e Lula? Nenhuma. Todos, caras de pau, não sabiam de nada; e todos têm seu nome envolvido em ilícitos. E olhem quem gosta deles: a Confederação de Futebol da América do Norte, Central e Caibe (Concacaf), composto de países bolivarianos; e as entidades africanas. Qualquer semelhança é mera coincidência.

Paulo H. Coimbra de Oliveira ph.coimbraoliveira@gmail.com 

Rio de Janeiro

*

REELEIÇÃO E RENÚNCIA NA FIFA

Seria cômica e patética, se não fosse infame e apelativa, a pergunta da pesquisa do canal de TV Sportv: "Com denúncias de corrupção na Fifa, Blatter deveria renunciar?" De fato. Depois de novamente reeleito para presidir a entidade mais poderosa do futebol mundial, Joseph Blatter fica na obrigação de analisar com carinho a pergunta dos sábios e isentos patrulheiros da Sportv. Tenho ânsia de vômito. 

Vicente Limongi Netto limonginetto@hotmail.com 

Brasília

*

MUNDIAL DA CORRUPÇÃO EM CAMPO

Até os mais desinformados cidadãos já desconfiavam de que algo muito podre acontecia no reino da CBF. Agora, com esta denúncia de corrupção dentro da Fifa, não deu outra: as duas entidades e seus dirigentes estão no "rolo". E, se alguém está achando que a tal denúncia foi um grande estouro, que se prepare, o verdadeiro estrondo ocorrerá quando da abertura da caixa-preta onde está guardado o verdadeiro rombo financeiro  que foi a organização da Copa do Mundo de Futebol  em 2014.  Só para dizer o mínimo!

José Marques seuqram.esoj@bol.com.br 

São Paulo

*

A COPA DE 2014

A TV registrou imagens da Suíça onde a polícia local deteve sete dirigentes de futebol e, entre eles, o brasileiro José Maria Marin, ex-presidente da CBF e atual vice de Marco Polo Del Nero na mesma entidade. Foram detidos e levados para os EUA, onde há processo por corrupção aberto contra o grupo. É para surpreender? Não, até demorou demais para aparecer algo assim. Esperamos que esse pessoal de hoje e outros nomes que certamente aparecerão durante o desenrolar do processo peguem cadeia. É quase certo que a CBF estará envolvida e, com ela, mais nomes de dirigentes esportivos e políticos brasileiros. Quando o Brasil foi escolhido para sediar a Copa do Mundo de 2014, até os quero-queros dos gramados desconfiaram de que foi graças ao narcisista Lula ter corrido o mundo da bola em busca de apoio, e pagamos muito caro por isso, não só em propinas feitas de várias formas, mas também com o maior custo de origem em reforma ou construção de estádios, verdadeiros absurdos em obras superfaturadas cuja maioria está aí se degradando e quase sem uso, depois de passado o torneio. Serviram apenas para enriquecer mais ainda donos de empreiteiras e políticos que "lavaram a égua" pela facilidade e falta de controle sobre tais gastos (lembremos da Lei Geral da Copa...). Enquanto a maioria da população carece de investimentos em educação, saúde, segurança, moradia, creches, transportes, saneamento básico, etc., o Brasil promoveu uma Copa do Mundo que, somada a mais dois eventos esportivos, o Pan-Americano no Rio de Janeiro em 2007 e a Olimpíada de 2016 no mesmo Estado, terão custos que certamente ultrapassarão R$ 60 bilhões, um luxo absurdo.

  

Laércio Zannini spettro@uol.com.br 

São Paulo

*

CARTOLAGEM

Blatter, Teixeira, Marin e Del Nero, todos "filhos da Fifa"...

Marcos Catap marcoscatap@uol.com.br 

São Paulo

*

A HIDRA DE 7 CABEÇAS

Novamente o número 7 a nos atormentar. Enquanto a bola não rola (dizíamos nós, antes de começar a Copa de 2014), rola a corrupção! Dito e feito. Profecia? Não, evidência. Os últimos acontecimentos comprovam o quanto o povo estava certo. O povo tem olfato muito sensível para perceber a corrupção. Os recentes fatos comprovam os malfeitos da Copa. Metáfora à parte, dizem que a corrupção assemelha-se à bola-de-neve: quanto mais rola, mais cresce, mais toma corpo, mais se alastra, ganha novas fronteiras, chega a Zurique (imaginem os senhores, a corrupção toma assento na Suíça - se bem que levada até lá pelo "jeitinho" brasileiro). Mas o tal "jeitinho", que por estas terras faz o milagre de cegar autoridades, lá não acontece e os corruptos levam descompostura e, ato-contínuo, são trancafiados. Lá os "notáveis corruptos" são tão criminosos quanto os corruptos opacos. Lá, corrupto de 70 anos ou 80 anos é tão criminoso quanto os de 60 anos ou menos. E tal qual a hidra mitológica, para cada cabeça cortada nascem cabeças dobradas. Tal reposição imediata de novos corruptos é prova soberba do magnético e irresistível poder deste vinho chamado corrupção. Jamais se poderia imaginar que, antes mesmo de completar o primeiro aniversário do fatídico 7 a 1, estampam-se no "Estadão" outros 7, só que desta feita é a hidra de sete cabeças: "Marin e mais seis dirigentes da Fifa são presos na Suíça". Quem tiver barba, ponha-a de molho! 

Antonio Bonival Camargo bonival@camargoecamargo.adv.br 

São Paulo

*

DIFERENÇAS

 

No Brasil, "cumpanheiros" envolvidos no mensalão são ferrenhamente defendidos antes e depois de apenados pela mais alta Corte brasileira, após sete anos de embromação. No Brasil, onde se enriquece da noite para o dia, quando convém, "ninguém sabe de nada", mas, quando convém, sabe de tudo. No petrolão, envolvendo bilhões nas falcatruas, a Petrobrás foi seriamente atingida no bolso e na imagem, mas os beneficiados alegam que o foram de forma legal. Na Fifa, envolvendo US$ 150 milhões (merreca em relação aos padrões brasileiros), sete já foram presos e fala-se em 20 anos de cadeia, enquanto no Brasil, em menos de dois anos simbólicos de prisão, todos os mensaleiros estão soltos. É uma pena. Mesmo tendo aula particular, como foi a Copa de 2014, o Brasil, como mau aluno, não assimilou o padrão Fifa. Chega de corrupção!

Humberto Schuwartz Soares hs-soares@uol.com.br 

Vila Velha (ES)

*

DESRATIZAÇÃO

 

Chegou, finalmente, o momento para a eliminação do futebol brasileiro de velhas ratazanas e de camundongos aprendizes, antes que eles se criem.  Aos poucos, o Brasil vai deixando de ser o paraíso da impunidade, e nos filmes americanos os bandidos endinheirados não fugirão mais para cá.

 

Hélio de Lima Carvalho hlc.consult@uol.com.br

São Paulo 

*

O POVÃO ACEITA

É o futebol hein? Num país onde muitos chegam a passar fome (muitas vezes deixam de comer para ver o futebol), jogadores de futebol ganham R$ 500 mil/mês num clube que está devendo R$ 300 milhões, o povão aceita naturalmente a situação. Só num país corrupto como o nosso, composto por um povo leigo e ignorante, que não se preocupa com nada e, pior, prioriza o futebol. Pobre Brasil!

Laert Pinto Barbosa laert_barbosa@globo.com

São Paulo

*

BRASIL INVESTIGADO

BNDES, Petrobrás, fundos de pensão, CBF, Comitê Olímpico Brasileiro (COB), esse é o Brasil que queremos: investigado! Basta de impunidade, basta de corrupção, basta de esperteza, de facilidades para cometer ilícitos! A hora é agora! Cadeia para quem merece! Justiça para andarmos adiante rumo a um amanhã mais digno, mais decente, mais feliz, mais seguro, mais bonito!

Myrian Macedo myrian.macedo@uol.com.br 

São Paulo

*

FILA DA CADEIA

Brasileiras e brasileiros, com calma e devagarzinho todos irão para a cadeia, não vai ficar de fora nenhum Ladrão que Unidos e juntos todos os Ladrões serão Aprisionados!

Arcangelo Sforcin Filho arcangelosforcin@gmail.com 

São Paulo

*

KIT RECLUSÃO

Atenção, senhores corruptos, deixem seu kit reclusão preparado, porque o "bicho tá pegando".

Mario Ghellere Filho marinhoghellere@gmail.com 

Mococa

*

SEDENTOS AO POTE 

José Maria Marin dialogando com Paulo Maluf, seu mentor político: "Ô, Marin, não foi nada disso que te ensinei, você não fez as coisas como deveria ter feito." "Desculpe, chefe, sei que errei, mas acho que a ganância minha foi maior que a sua." "Te falei, tem de fazer aos poucos, devagarinho, apagando pistas, você foi com muita sede ao pote." "Sinceramente, estou arrependido, você pode me ajudar?" "Lógico, não vou te abandonar, me passa as senhas bancárias que dou um jeito de sumir com as pistas."

Manoel Braga manoelbraga@mecpar.com 

Matão

*

FIFA? UFA!

Foi preciso os EUA se interessarem pelo esporte das multidões para começar a melhorá-lo. O que há naquele país que lhe dá essa capacidade, e o que nos falta? Convicção! Clareza na diferenciação do bom e do mau, do certo e do errado. A intolerância à dúvida, ao mais ou menos, à impunidade, à ignorância. Pena de morte aos que merecem. Guerras contra a injustiça, o despotismo, a tirania. Riqueza aos vencedores, inovadores e atores brilhantes. Desafios e conquistas. Convicção! Marin é corrupto? Dilma é incapaz? Lula sabia? Quando os EUA se "interessarão" pelo Brasil? As falcatruas do PT na Petrobrás são um bom motivo. Fifa? Ufa!

Gilberto Dib gilberto@dib.com.br 

São Paulo

*

O TRABALHO DO FBI

Definitivamente, o mundo gosta do futebol americano.

Werly da Gama dos Santos gama_eamsc@yahoo.com.br 

Rio de Janeiro

*

A PF QUE DEU CERTO

Num país de atrizes belas e talentosas como Shirley MacLaine, Glenn Close, Sigourney Weaver, Gillian Anderson, Elizabeth McGovern, Anne Hathaway, de coreógrafos como Twyla Tharp, Karole Armitage, Merce Cunningham e de músicos que deram ao mundo o jazz, só mesmo os EUA conseguem ir atrás de bandidos que usam o futebol e que, assim como os políticos, se eternizam no poder, mentem e roubam descaradamente. O FBI é a Polícia Federal que deu certo.

Marcelo Cioti marcelo.cioti@gmail.com 

Atibaia

*

CPI DA CBF

O senador Romário deveria se chamar Romeiro, peregrino solitário de uma verdadeira romaria que finalmente obteve a graça de poder mandar a Fifa, a CBF "et caterva" pro inferno.

Sergio S. de Oliveira ssoliveira@netsite.com.br 

Monte Santo de Minas (MG)

*

CPI DOS HAITIANOS

 

Esperemos que essa história de futebol, Fifa e CBF, ainda mais com CPI da CBF, não abafe os principais problemas que afetam a população brasileira. O que afeta o povo, se entidades privadas como a Fifa e a CBF fizeram determinados negócios com outras entidades privadas? Somente se houver sonegação fiscal e evasão de divisas. Agora, perguntar-se-ia: Por que não abrir uma "CPI dos Haitianos", para saber por que nosso governo praticamente convida esses imigrantes para o Brasil, quando aqui já temos milhões de pobres e o Haiti está lá bem em frente aos Estados Unidos? Como esses haitianos paupérrimos arranjam milhares de dólares para tão longa viagem?

  

Heitor Vianna P. Filho bob@intnet.com.br 

Araruama (RJ)

 

*

MEDITERRÂNEO TUPINIQUIM

A Minustah (Mission des Nations Unies pour la Sbilisation en Haïti, em francês), proposta pela ONU em 2004, completará 11 anos de participação das Forças Armadas brasileiras. O objetivo era restaurar a "ordem" após a deposição do presidente Jean-Bertrand Aristide. Em 2010, o Haiti, primeira colônia a se tornar independente na América Latina, foi palco do forte terremoto de magnitude 7. Mais um embrulho para sua tão conturbada realidade. O país, historicamente ignorado pelas potências (EUA, Rússia, França, Reino Unido e China), foi uma investida do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, mestre dos equívocos. A tentativa de "mudar a imagem do Brasil" perante a ONU consistia numa tentativa de assegurar um assento permanente no Conselho de Segurança, fracasso total. Equívoco na análise de conjuntura: gastos de R$ 1,3 bilhão, benefícios militares e políticos quiméricos, além de inúmeros soldados contraírem chikungunya. Vale notar que a inépcia passou de pai para filha: além de manter a missão militar, a presidente Dilma Rousseff erra sobremaneira no tratamento dos imigrantes do referido país que não param de chegar ao Brasil. Num primeiro momento, não sendo enquadrados pela Lei 9.474, Dilma criou o "visto humanitário" para receber, desacertadamente, os recém-chegados da América Central. Tentava neste gesto raiar um trejeito altruísta. Valendo-se da sua irresponsabilidade, milhares de haitianos chegaram ao Acre. O governo do Estado, correligionário da presidente, circunscreveu-se em manter o descaso do governo federal. Ao padecer com a chegada de tamanho contingente de indigentes, os despachou para o Sudeste. Destino: São Paulo. Um ciclo de desprezo do PT com aqueles que buscavam e buscam uma melhor condição de vida em outro país. Deveria ter-se limitado sua vinda no início - afinal, o amparo público não dá conta nem dos próprios brasileiros -, mas não. Iludidos foram os haitianos, analogamente aos brasileiros. Quais postos de trabalho serão oferecidos para os estrangeiros? Apenas em abril 97,8 mil vagas foram fechadas. O populismo, ao longo de suas aparições na História, demonstrou-se hegemonicamente néscio, e não foi diferente no caso PT. O partido soma à responsabilidade da recessão econômica mais este fardo. Aliás, um fardo não do PT, mas nosso. De quem paga a conta.

Elias Menezes elias.natal@hotmail.com 

Nepomuceno (MG)

*

ENFRENTANDO O PROBLEMA

Impactante o conteúdo das reportagens sobre a imigração haitiana no Brasil. 38 mil haitianos literalmente despachados do Acre para São Paulo com frete subsidiado pelo governo federal. Trata-se de uma verdadeira remoção, cujo motivo real é se desvencilhar do problema. A relevância jornalística dada à questão migratória africana para a Europa é desproporcional à ressonância dada à imigração haitiana no Brasil. Só faltaria dizer que os haitianos são sortudos de virem para o Brasil nessas condições. A hipocrisia não pode prevalecer quando a questão é a miséria humana. O governo federal tem ministérios para tratar o problema de frente, e não pela porta dos fundos.

Sergio Holl Lara jrmholl.idt@terra.com.br 

Indaiatuba

*

BRASILEIROS E HAITIANOS

 

A missão do Brasil no Haiti devia acabar antes ainda do prazo fixado para 2016. Estamos precisando do exército nas nossas fronteiras, abandonadas há muito tempo, expostas aos traficantes e ao contrabando de armas e de drogas, com sérias consequências para a segurança dos cidadãos. Também questionamos por que o Brasil é obrigado a arcar com o afluxo de mais de 38 mil haitianos - em especial enviados para São Paulo. Afinal, estamos na mesma situação que eles: em pleno desemprego, sem verbas para a saúde, para a educação, sem segurança. E, evidentemente, faltarão recursos para as aposentadorias e para o SUS. 

Maria Cecília Naclério Homem mcecilianh@gmail.com

São Paulo

*

TEM BASE NA CONSTITUIÇÃO?

O absurdo custo social que está sendo imposto ao País e aos brasileiros, sem falar em diversas municipalidades que não têm a mínima condição de ficar suprindo centenas e milhares de haitianos, deve ser cobrado do governo federal. O PT é o gestor maior dessa situação que já perturba e onera o País sem nenhum retorno para nós, brasileiros. Toda esta absurda problemática foi gerada pelo PT. A mentalidade petista de puro populismo político em detrimento da nação é algo a ser cobrado pelo Ministério Público Federal. A utilização do erário para suprir a necessidade de povo estranho à nacionalidade brasileira é algo, no mínimo, sem qualquer embasamento constitucional.  

Paulo R. da Silva Alves pauloroberto.s.alves@hotmail.com 

Rio de Janeiro

*

IMIGRANTES

O governo brasileiro deveria ficar preocupado com o que a mídia divulga nos últimos dias sobre a expulsão de imigrantes ilegais da Inglaterra. Certamente, desembarcarão aqui milhares de brasileiros que vivem naquela situação. Então, sugiro às autoridades que cada brasileiro que desembarcar por aqui seja devolvido para seu país de origem e, na mesma proporção, aqueles que aqui chegaram bem recentemente, em especial os haitianos. Os empregos que aqui existem (escassos, por sinal) devem ser prioritariamente reservados a nossos compatriotas.

Iria De Sá Dodde iriadodde@hotmail.com 

Rio de Janeiro

*

VIOLÊNCIA E LIBERDADE ASSISTIDA

Li atônito a notícia sobre a detenção do menor ou adolescente que, em 19/5/2015, participou do assassinato do médico Jaime Gold, que andava de bicicleta na Lagoa Rodrigo de Freitas, no Rio de Janeiro. Não consigo entender o que quer dizer liberdade assistida (?), visto o que praticou e, solto, fez o que fez. Em São Paulo, estes botam o terror em escolas e nada lhes acontece. Liberdade assistida por quem? Até quando?

Edivelton Tadeu Mendes etm_mblm@ig.com.br

São Paulo

*

A FACADAS

A mídia mundial está divulgando os quase diários ataques a ciclistas na capital carioca. As ações criminosas não selecionam idade ou sexo, os marginais, em sua maioria composta por "adolescentes", roubam sem anunciar o assalto, primeiro atacam na base das facadas e, posteriormente, levam a bike. Mais de 200 pessoas já morreram nessa modalidade de crime. A cidade que não tem nada de "Maravilhosa" será o palco da Olimpíada de 2016, e isso mostra que este país não tem condições para organizar nada. Enfim, qual a diferença entre os radicais muçulmanos que matam cortando o pescoço de "infiéis" e os "cristãos" que retalham as pessoas no Rio de Janeiro? Reflexão: bandido é bandido, independentemente da idade. A maioridade penal deveria valer desde o nascimento! Ou não?

Alex Tanner alextanner.sss@hotmail.com 

Sumaré

*

NO ALTAR DA POLITICAGEM

Diante da macabra rotina de violência que assola o País, nenhuma efetiva política nacional de Segurança Pública, nenhuma intervenção federal, nem sequer um pronunciamento do ministro da Justiça. Prevalece na República o culto ao altar da politicagem, como se a integridade da própria vida não fosse a primeiríssima garantia fundamental do cidadão. Ora, a Constituição proclama que a segurança pública é responsabilidade de todos e dever do Estado (Estado federal total). Uma vergonhosa omissão.

 

Rui da Fonseca Elia ruielia@terra.com.br 

Rio de Janeiro

*

MENORES NO CRIME

Os menores vêm sendo sistematicamente arregimentados para o crime. São eles que carregam as armas dos maiores de idade e têm o dedo leve no gatilho em face da impunidade. Sugestão: menor armado passa a responder como maior. Maiores acompanhados por menores terão a pena aumentada em 50%. 

Marius Arantes Rathsam mariusrathsam@hotmail.com 

São Paulo

*

MAIORIDADE PENAL

A redução da maioridade penal por si só não resolverá o problema da violência, pois isso envolve diversos fatores que não permitem uma solução no curto prazo. No entanto, ela possibilitará atribuir responsabilidade penal àquele menor que pratica o crime na certeza de que vai sair impune. Se o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) se mostra inadequação com a realidade criminal que vivemos nos dias de hoje, por que não dar chance a uma mudança dessa? Uma coisa é sonhar que essa redução pode ser evitada se o Estado cumprir sua missão. Outra coisa é a realidade de tomar medidas urgentes contra menores que se aproveitam da inimputabilidade prevista em lei para cometer crimes e não serem punidos com o mesmo rigor que a Justiça impõe aos adultos.

Paulo Rinaldo Fonseca Franco pfranco@terra.com.br 

Rio de Janeiro

*

O PRESENTE E O FUTURO NÃO EXISTEM

Lembram-se dos "Falcões, os meninos do tráfico"? Pois é, eles se armaram de facas e desceram dos morros, e agora roubam e esfaqueiam pessoas aqui embaixo, porque lá em cima não tem mais vagas. É isto aí, não tem mais vaga para trabalhar com os traficantes. Minha "filosofia" superficial de escritório já me permite concluir algumas coisas: só existe o passado, o presente e o futuro não existem! Nosso país, nossas autoridades e nossos governantes, quase todos medíocres, precisam encontrar algum pingo de interesse e de sensibilidade e precisam se indignar com a violação dos direitos de nossas crianças e adolescentes, alvos de leis avançadas, mas injustamente não aplicadas. Não estou defendendo adolescente infrator nenhum, muito pelo contrário. Tem de ser punido mesmo! Só estou dizendo que em nosso país só o passado existe, e ele está dentro de nós agora um pouco pior. O futuro nunca chega! Prometem, prometem, prometem, e nada acontece. Depois do filme/documentário/realidade "Falcões, meninos do tráfico", em 2007, salvo engano, esperávamos que ele daria ensejo a estudos sérios dos direitos humanos fundamentais e à implementação de políticas e projetos sociais também sérios voltados para a proteção integral das crianças e dos adolescentes, como manda a Constituição federal. Mas nada aconteceu! E é justamente o que vai ocorrer agora: tudo o que vai restar, depois da passeata do domingo na Lagoa Rodrigo de Freitas, será uma indignação momentânea e passageira que não vai tirar o sono de ninguém, muito menos vai preocupar a grande maioria. Mas sabem qual é a grande ironia? Nós continuaremos sendo as vítimas dos futuros "falcões", agora armados de facas, como já somos há muito tempo. Seremos eu, o senhor leitor, nossos amigos, nossos filhos e nossos netos diante de crianças e facas. O nosso Estado é um balão pronto para estourar, e nós precisamos descobrir com urgência o ponto exato que antecede a sua ruptura, porquanto não dá mais para suportar tanta miséria, tanta indiferença e tanta degradação. Obras "olímpicas" nós temos aos montes, mas educação, saúde e dignidade mínguam em cada esquina. Não podemos mais suportar nosso sistema de saúde em frangalhos, nossa educação aviltada e nossa esperança amputada: não há prótese para nada disso! A dignidade de todos os seres humanos, em nosso Estado, não passa de letra morta da Constituição federal, e às vezes me parece que nossas autoridades estão esperando chegar até o limite a que podem ir, para só então partir em seus helicópteros. Será quando elas descobrirem, tarde demais, que deixaram tudo chegar longe demais! Nosso Estado, senhores, há muito tempo decidiu participar do banquete supremo da civilização: o da decadência. Educação, senhores! É a palavra, é a solução. Educar as massas, levá-las para o território educacional, aquilo que Norberto Bobbio tão em apregoava, quando falava da promessa maior não cumprida pela democracia: a educação para a cidadania. Pela educação, dizia o filósofo, indivíduos passivos tornam-se cidadãos ativos, afastando o perigo de se transformarem em ovelhas dedicadas tão somente a pastar o capim, e não a reclamar quando o capim é escasso. Ou damos um jeito de colocar estas crianças e adolescentes nas escolas, ou vamos morrer cada vez mais nas mãos deles. Temos que ensinar a eles o que existe de melhor, antes que eles nos mostrem o que estão aprendendo de pior. Não acredito nas autoridades de meu Estado, mas a minha esperança tem que ser a última a morrer! Não quero um dia ser um a ficar diante de crianças e facas. 

Wanderley Rebello Filho wrf@infolink.com.br

Rio de Janeiro

*

TRISTEZA

Mesmo não querendo, somos obrigados mais uma vez a falar sobre as vítimas das "facadas" na cidade. Estamos perdendo o direito de ir e vir, apenas os pequenos marginais os têm, protegidos e defendidos. Bons tempos quando podíamos andar pelas ruas com tranquilidade para trabalhar ou passear. As novas gerações, infelizmente, não viveram essa época, quando a cidade passou a se chamar "maravilhosa". Tristeza e comoção tomaram conta dos cariocas pela morte do ciclista esfaqueado na Lagoa, médico, cidadão que trabalhava pela vida e saúde de todos. O que podemos dizer a essa família e a tantas outras pelas suas perdas nas agressões que toda a população está ameaçada de sofrer no seu dia a dia? Apenas que lamentamos e clamamos para que as autoridades responsáveis pela nossa segurança tomem providências efetivas e permanentes e os legisladores mudem as leis com a devida urgência necessária.

Odiléa Mignon cardosomignon@gmail.com 

Rio de Janeiro

*

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA

Estão aumentando as maneiras rústicas de matar e a impunidade dos bandidos. Corremos o risco de acabarmos mortos a pedradas. Com a palavra, o Ministério da Justiça.

Luiz Frid luiz.frid@globomail.com 

São Paulo

*

O GIGANTE MORREU

A Marcha pela Liberdade chegou a Brasília no dia 27/5, após 34 dias e mais de mil quilômetros de caminhada, e foi recebida por aproximadamente 300 pessoas, que estavam lá para apoiar o pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff. Daí podemos concluir que o gigante morreu e os Poderes Executivo e Legislativo, com as bênçãos do Poder Judiciário, podem respirar aliviados e continuar com suas negociatas. Podem continuar gastando de forma compulsiva o nosso dinheiro, pois, se o dinheiro acabar, é só cortar mais direitos trabalhistas e aumentar os impostos. E viva Joaquim Levy! Muitos perderão seu emprego, alguns perderão suas empresas, saúde ou vida, mas o PT e aliados continuarão firmes e fortes no poder. Chego à conclusão de que o povo brasileiro não nasceu para ser próspero, e, sim, para ser pobre. Dizem que cada povo tem o governo que merece, mas não é apenas o povo, e, sim, a mídia, empresários e banqueiros, enfim, todos nós merecemos este governo que aí está. Este é o meu consolo: não vou pagar a conta sozinha, pois vou cortar despesas, cancelando assinaturas de jornal e de revista, vou deixar de trocar de carro, de consumir vinhos e queijos, vou encerrar contas bancárias e cancelar cartões de crédito. E vamos juntos, enterrar o gigante.

Maria Carmen Del Bel Tunes carmen_tunes@yahoo.com.br  

Americana

*

CERTEZA DA ESTAGNAÇÃO

Com a economia infelizmente na UTI, o IBGE confirma o péssimo diagnóstico produtivo no País, ao divulgar o PIB do primeiro trimestre de 2015, com queda de 0,2%. Ou negativo em 1,6%, com relação ao mesmo período de 2014. Ou, ainda, queda de 0,9% nos últimos quatro trimestres. O que nos faz concordar com alguns analistas de mercado de que o crescimento negativo da nossa economia pode ficar neste ano entre 1,5%, a 2% do PIB.  E, baseado no pífio PIB de 0,1% de 2014, de R$ 5,52 trilhões, seria o mesmo que o País deixar de produzir em 2015, com um crescimento zero, R$ 110 bilhões de riquezas. E, como consequência nefasta, já convivemos com o elevado desemprego, que ainda deve piorar, e uma inflação estúpida mesmo com esta estagnação econômica próxima dos 9% ao ano. Ou seja, o pior dos mundos. Ou, melhor, o pior dos governos!

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

FORA DO TOM

A "presidenta" Dilma Rousseff sempre apontou a crise global como um dos principais motivos para a crise brasileira. Está provado que há mais razões para explicar os problemas econômicos do nosso país, até porque essa queda de 0,2% do PIB brasileiro destoa dos resultados de outros países emergentes.

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com 

Jandaia do Sul (PR)

*

CONTINGENCIAMENTO

O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, afirmou que a iniciativa privada reclama dos 39 ministérios de Dilma, mas sem razão, pois pouco afeta as finanças do País. Se for verdade, na pior das hipóteses, a redução desses ministérios daria mais credibilidade aos seus planos econômicos. Ou não?  

Júlio Roberto Ayres Brisola jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

*

DE MANTEGA A LEVY

A filha do senhor Guido Mantega, ex-ministro da Fazenda, o defendeu falando que quem o critica não entende nada de política. Pode ser, mas que o senhor Mantega não entende nada de Finanças está muito claro e evidente, vide os pacotes de maldade de Joaquim Levy, em plena implantação, para corrigir os lapsos e as malfadadas ações do seu antecessor.

 

Antônio Carelli Filho palestrino1949@hotmail.com

Taubaté

*

CAIPIRINHA

A presidenta Dilma diz que "a vida sem caipirinha fica difícil". Será que teremos a Bolsa Caipirinha?

Tanay Jim Bacellar tanay.jim@gmail.com  

São Caetano do Sul 

Mais conteúdo sobre:
Fórum dos leitores

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.