Fórum dos leitores

BOLIVARIANISMO

O Estado de S. Paulo

21 Junho 2015 | 03h00

Afronta venezuelana

No mais grave incidente diplomático envolvendo o Brasil e um país da América do Sul desde a apreensão do navio Marquês de Olinda pelas tropas do paraguaio Solano López, a Venezuela acaba de mostrar quão longe está de ser uma democracia. E ignorou as mais simples regras de civilidade e boa vizinhança quando, em inequívoca afronta à nossa soberania, senadores brasileiros foram hostilizados em Caracas e impedidos de visitar presos políticos do governo Nicolás Maduro. Mesmo se tratando de um grupo de parlamentares opositores à presidente Dilma Rousseff, todos são legítimos representantes do Congresso Nacional – em visita oficial – e merecedores de respeito. Em vez de convocar o chanceler Mauro Vieira para esclarecimentos, o que a presidente deveria ter feito logo é chamar de volta o embaixador Ruy Pereira, tal como fez com o nosso embaixador na Indonésia por ocasião do fuzilamento de Marcos Archer. Ou os oito senadores merecem menos consideração do que um narcotraficante?

JOÃO MANUEL CARVALHO MAIO

clinicamaio@terra.com.br

São José dos Campos

*

Relações diplomáticas

Quando da execução do traficante brasileiro na Indonésia, dona Dilma chamou o embaixador brasileiro para consultas, o que na liturgia diplomática representa uma forte reprimenda ao país onde o diplomata é creditado. E agora, no caso da agressão aos parlamentares brasileiros em Caracas e da absurda falta de apoio tanto da Embaixada do Brasil quanto do governo da Venezuela, dona Dilma não vai chamar também o embaixador para consultas? Aliás, dona Dilma sabe o nome de sua excelência?

CLAUDIO JUCHEM

cjuchem@gmail.com

São Paulo

*

Achincalhe

O que aconteceu com os senadores brasileiros na Venezuela só vem demonstrar o quanto o nosso país está desmoralizado perante o mundo. Fomos achincalhados, e com o respaldo do governo ditatorial, corrupto e violento, que sem nenhuma dúvida orquestrou a recepção – ao contrário do governo brasileiro, que recentemente recebeu com pompa conhecido traficante internacional que faz parte do governo venezuelano. Lá nossos senadores sofreram agressões, ofensas morais, desrespeito e, mostrando a que ponto foi relegado o Itamaraty, nosso embaixador simplesmente os abandonou à própria sorte. Na Venezuela acabamos de ser considerados país de quinta categoria graças à omissão de nosso governo. Sua nota de repúdio nos fez lembrar uma criança sendo repreendida por malcriação: não faça mais isso que é feio... Vergonha!

ROBERTO LUIZ PINTO E SILVA

robertolpsilva@hotmail.com

São Paulo

Que vergonha

Hugo Chávez ofendeu a democracia brasileira dizendo que o Congresso era submisso. Nenhum dirigente do PT repudiou essa declaração. Prisioneiros políticos cubanos morreram em greve de fome. Nem Lula, nem Dilma, nem nenhum dirigente petista se mostraram indignados com tamanha ofensa à Declaração Universal dos Direitos Humanos. Agora senadores brasileiros eleitos democraticamente são humilhados, ameaçados e agredidos pela ditadura venezuelana. Desta vez será diferente? Infelizmente, acredito que não.

LUIZ NUSBAUM

lnusbaum@uol.com.br

São Paulo

*

Humilhação

O governo da Venezuela humilhou o povo brasileiro!

EUGÊNIO JOSÉ ALATI

eugeniojalati@gmail.com

Campinas

*

De constrangimentos...

Dilma diz que a comitiva de senadores constrange o Brasil. Constrangeu o governo, não o País! Quem constrange o País é o governo petista-bolivariano, com sua política externa (tornando-nos um anão diplomático).

MARCO CRUZ

mm.cruz23@gmail.com

São Paulo

*

O constrangimento maior é dos brasileiros, por terem uma presidente que apoia governos autoritários. É uma vergonha.

LUIZ FERNANDO SAMPAIO

sampaioluizfernando@gmail.com

São Paulo

... e armadilhas

Dilma Rousseff, quem colocou armadilhas no País foi seu partido, para pegar os incautos que acreditaram no seu marqueteiro. E constrangimento sofrem os brasileiros cada vez que ouvem suas entrevistas.

DEBORAH MARQUES ZOPPI

dmzoppi@uol.com.br

São Paulo

*

Reciprocidade

Se uma comissão de senadores do PT, do PSOL e assemelhados visitasse, por exemplo, o Uruguai durante a ditadura militar para se encontrar com presos políticos e lá fossem impedidos de seu intento, e ainda hostilizados, imaginem a reação dos petralhas. E agora, por que a recíproca não é verdadeira? Mais uma vez os bolivarianos podem tudo? Livrai-nos, Senhor!

SERGIO CORTEZ

cortez@lavoremoveis.com.br

São Paulo

*

Chamem o Moro

Muito grave o que aconteceu na Venezuela. Os senadores brasileiros foram recebidos pela milícia de lá, enquanto aqui Dilma e Lula receberam secretamente Diosdado Cabello, o maior traficante da Venezuela, chefe do cartel dos Sóis. A comitiva de Cabello ficou no Brasil cinco dias e visitou empresas que pertencem ao grupo J&F, dona do frigorífico JBS, e a Brainfarma, da farmacêutica Hypermarcas. O Brasil só ficou sabendo porque a visita foi destaque no site da Assembleia venezuelana. Este país não tem mais jeito... Só chamando o juiz Sergio Moro. 

IZABEL AVALLONE

izabelavallone@gmail.com

São Paulo

*

Pede para sair!

A Nação não suporta mais a dona Dilma, seu governo e seu partido no poder. Não bastassem a onda de corrupção nunca vista, os desmandos, a quebra da economia, a crise de moralidade e de confiança e a incerteza que seu governo proporciona à população, agora vemos o total desmando na política externa! A Venezuela é comandado por um ditador que mais parece uma caricatura dos anos 70 e, como sempre, seu governo baixa a cabeça. Não bastava o alinhamento com Cuba, Irã e republiquetas africanas dirigidas por ditadores sanguinários, aos quais seu governo ainda perdoa as dívidas? Isso sem me referir a querer dialogar com o Estado Islâmico... Basta, chega de humilhação! O Brasil merece um governo que nos honre! Dona Dilma, pede para sair!

CARLOS ROBERTO B. BARSOTTI

cbarsotti1@hotmail.com

São Paulo

*

A QUEDA DO BRASIL

Com exceção dos mais radicais do PT e sua voz rouca, há quase um brado uníssono dizendo que o governo da presidente Dilma Rousseff está arruinando o país. As mentiras proferidas durante a campanha da reeleição, incluindo as pedaladas e a tosse sobre os trabalhadores, tirando deles direitos adquiridos, mostram que não se pode arriscar perder tudo caso fique tudo como dantes. O Congresso Nacional e as ruas, ou as ruas e o Congresso não podem esperar a próxima eleição para impedir que se instale o caos de vez, a derrocada, com a volta da inflação de dois dígitos e de impostos travestidos de contribuição (do tipo CPMF), como previsto, serviços públicos de péssima qualidade, o desemprego ainda maior, preços disparando e as estatais servindo aos companheiros que continuarão a se servir delas para atingir o objetivo de manter o plano de poder por mais alguns anos. Passados seis meses do novo governo, cujas velhas práticas são incontestes, se pensar em algo legítimo como o impeachment de Dilma e até quem sabe a prisão da corja de seus asseclas, não pode figurar como algo ilegal e antidemocrático, já que o país começou a revelar ao mundo a roubalheira institucionalizada em que se transformou e o povo encontra-se a cada dia mais distante de ter uma vida digna e livre dos currais alimentados pelo PT e preservados pela voraz base alugada que a tudo diz amém.

João Direnna

joao_direnna@hotmail.com 

Quissamã (RJ)

*

GOVERNOS PETISTAS

Esse desgoverno lulopetista destruiu a Embrapa, a Petrobrás, jogou no lixo a Lei de Responsabilidade Fiscal, abalou o BNDES, o Banco do Brasil e a Caixa Econômica Federal - sem falar no Fies, no Pronatec, no PAC, no Minha Casa Minha Vida. Essa parceria com sindicalistas sangra o País por todos os lados. E, ainda sim, o ex, sr. Lula, diz que faz dez anos que a imprensa está tentando acabar com o PT. Se Lula e Dilma administrassem assim suas casas, já estariam morando embaixo da ponte.

Celso de Carvalho Mello

celsosaopauloadv@uol.com.br 

São Paulo

*

COMO SAIR DESSE BURACO

O Brasil vai sair do buraco, mas dona Dilma deve permanecer nele para brevemente ser enterrada, sem pressa, garantido o seu direito de ampla defesa. Tudo absolutamente dentro da lei, com toda a segurança jurídica, sem possibilidadeS recursais. Fim de um pesadelo.

Sergio S. de Oliveira

ssoliveira@netsite.com.br 

Monte Santo de Minas (MG)

*

COM QUEM E COMO SAIR DO SUFOCO?

Boa pergunta. Diz o samba de passarela: "Como será o amanhã, me diga quem souber...". A falha de sua questão é que induz uma expectativa de solução "vinda de cima". Não é assim que funciona bem uma democracia. É preciso formular e exigir soluções de baixo para cima. Certo é que numa empresa privada quem cometeu tantos erros já não estaria no comando da gestão. Isso sem contar com as consequências de mentiras e corrupção, motivos de demissão por justa causa e processos. Estando agora expostas as causas da situação atual, há de se exigir a substituição de toda a equipe de governo. A nova proporá a continuação do caminho. Quem?  Resposta: os articulistas nos jornais e na mídia, as redes sociais e os movimentos populares nas ruas.

Harald Hellmuth

hhellmuth@uol.com.br

São Paulo

*

ALIENÍGENAS

Começam a fazer sentido as tentativas de "humanizar" a presidente Dilma, por meio da divulgação das fotos dos passeios de bicicleta em Brasília. Ela e todos de seu campo ideológico sinistro parecem mesmo invasores alienígenas que se apossaram do Brasil. Quiçá todos vieram na mesma nave do planeta Bizarro, lar daquele inimigo do Super-Homem, em que tudo é do avesso! É impressionante a capacidade deles de estar do lado errado do que é correto. Algumas de suas posições, desde o combate à redução da maioridade penal, passando pelo apoio e aplausos a ditadores, narcotraficantes e terroristas internacionais (Kadafi, Castro, Chávez, Maduro, Cabello, Battisti), chegando agora ao cúmulo de alguns Estados aprovarem leis dando passe livre para parentes de presidiários (ignorando o sofrimento de suas vítimas - há passe livre para elas?), são mesmo coisa de outro planeta. Eles sempre se posicionam contra as pessoas comuns deste país, aquelas que pagam impostos e ralam para sobreviver, enquanto não são simplesmente esfaqueadas e baleadas no meio da rua pelos protegidos da elite alienígena invasora ora no poder. Humanize-se, sim, presidente, mas para ficar do lado das pessoas comuns e ordeiras, não o contrário. 

Luiz Augusto Módolo de Paula

luaump@yahoo.com.br 

São Paulo

*

FIM DA ESTRADA

Não há mal que sempre dure. PT, os brasileiros se cansaram.

Virgílio Melhado Passoni

mmpassoni@gmail.com 

Jandaia do Sul (PR)

*

FESTIVAL DE DERROTAS

85/95, maioridade penal aos 16 anos, 13 itens pedalados nas contas de 2014! Governo absolutamente perdedor! Vai mal, muito mal!

José Piacsek Neto

bubanetopiacsek@gmail.com 

Avanhandava

*

NAPOLEÃO E DILMA

Napoleão, assim como Dilma, durante as batalhas, usava sempre uma camisa vermelha. Então, se fosse ferido, os soldados não notariam o seu líder sangrando e continuariam a lutar com o mesmo ímpeto. Dois séculos depois, inspirada em Napoleão, Dilma só usa calça marrom.

Iria De Sá Dodde

iriadodde@hotmail.com 

Rio de Janeiro

*

INTERFERÊNCIAS

O governo lulo-dilmista interfere na economia privada sem se preocupar com o desenvolvimento das empresas, com os interesses dos cidadãos e com o nível de empregos. Sabidamente incompetente (e corrupto), na administração pública fica sempre se introduzindo na privada.  

Mário A. Dente

dente28@gmail.com 

São Paulo

*

FALTA PUNIÇÃO PARA TODOS

Exigir do povo sacrifícios para conter a inflação, contribuir economicamente e financeiramente para ajudar o País a sair do precipício no qual fomos jogados e não fazer o mesmo deveria ser considerado crime. O governante que apoia e permite aumentos extraordinários de despesas poderia ser responsabilizado criminalmente. Por muito menos Maria Antonieta, na França, foi guilhotinada. Os brasileiros precisam deixar de serem tão bonzinhos e ensinar aos políticos como devem respeitar o País e sua população. Chega de mandar tanta ajuda para ditadores e vagabundos. Na situação que vivemos, sem recursos para atender às necessidades básicas do povo, os governos e os parlamentares têm obrigação de dar o bom exemplo, fazendo contenção de gastos!

Odiléa Mignon

cardosomignon@gmail.com 

Rio de Janeiro

*

CLASSE MÉDIA

É preciso decretar no Brasil o fim da classe média, que está completamente aniquilada e depauperada pela inflação, aumento abusivos de preços e drástica redução dos aumentos salariais. E, apesar disso, o governo cogita ressuscitar a CPMF ("Corrupção produz muita fome") a fim de melhorar suas finanças, o que é inconcebível. O desapego da atual gestão da classe média é extremamente preocupante, pois a paralisação dos negócios é fruto desse divórcio produzido pelas medidas econômicas recessivas.

Yvette Kfouri Abrao

abraoc@uol.com.br 

São Paulo

*

UTI

Os 3,3 milhões de funcionários públicos têm o dever de defender os interesses dos contribuintes brasileiros. Os 600 mil comissionados, 2,7 milhões de servidores públicos, 56.810 vereadores, 5.561 prefeitos, 1.059 deputados estaduais, 513 deputados federais, 81 senadores, 27 governadores, 11 ministros do STF, 39 ministros e a presidente da República estão preocupados com os partidos políticos aos quais pertencem. Os parlamentares querem permanecer mais tempo no poder e votam a ampliação de todos os mandatos para 5 anos, permitem que um jovem de 18 anos ocupe uma cadeira de deputado e preocupam-se com a construção de centros comerciais com lojas e restaurantes próximo ao Congresso e à Câmara. Nesses primeiros 5,5 meses de governo, nenhum programa sério, visando ao aumento de postos de trabalho e início de novos empreendimentos, foi discutido e votado. A expectativa de inflação para 2015 é de 8,79%. Os brasileiros, que estão pagando altos salários aos especialistas em administração, economia, planejamento, energia e saneamento, não têm sequer a mínima perspectiva de melhora do País, que se encontra em estado terminal na UTI.

José Carlos Saraiva da Costa

jcsdc@uol.com.br

Rio de Janeiro

*

CARICATURA

Não bastassem afirmações óbvio-ululantes tais como "o Brasil não pode conviver com inflação alta" e é preciso "derrubar logo" a inflação, a presidente Dilma insiste na tese das causas externas e conjunturais internas para justificar a recessão brasileira.  Enquanto ela não fizer um mea culpa do seu governo anterior como responsável pela crise em que nos encontramos, Dilma Rousseff continuará sendo uma caricatura de si mesma. 

Luciano Harary

lharary@hotmail.com 

São Paulo

*

CONSUMIR COM QUE GRANA?

Quando esteve na Europa semana passada, mais uma vez completamente dissociada da realidade do que ocorre no seu quintal, a presidente acusou a "crise internacional" pela situação pré-falimentar na qual se encontra o Brasil e pediu ao povo que acreditasse na recuperação e não deixasse de consumir. A população quer saber: consumir com que dinheiro? Inflação perto dos 10%, desemprego em alta, etc., estamos em tempo de absoluta ponderação. Só os apaniguados de sempre, dona Dilma, podem pensar em continuar a expandir seus gastos. Vai um cartão corporativo aí?

Marco Antonio Esteves Balbi

mbalbi69@globo.com 

Rio de Janeiro

*

AJUSTE FISCAL

O que causa inflação no Brasil é o lucro sem trabalho. A inflação não é causada nem por preços nem por salários, e, sim, pela alta rentabilidade dos papéis financeiros. É preciso acabar com a correção monetária. Deixar de emprestar dinheiro lá fora é burrice, emprestar aqui é suicídio, uma espécie de foguete que dispara a inflação, causando desemprego. Caindo o juro, cai a inflação.

Lenine Amendola

Sorocaba

*

CRISE E MÍDIAS

Com a volta da inflação, que aproxima de 10%, uma furiosa e por vezes radical guerrilha política entre governo e oposição, principalmente nas redes virtuais, está em andamento. Felizmente a mídia tradicional impressa mantém o equilíbrio necessário em meio a tal crise, possibilitando que a opinião pública nacional se informe adequadamente, para de forma democrática pressionar correções e a tomar posição nos pleitos eleitorais futuros que se aproximam. 

José de A. Nobre de Almeida

josedalmeida@globo.com 

Rio de Janeiro

*

DILMA E A MUDANÇA NA APOSENTADORIA

O poder público brasileiro caracteriza-se pela criação de monstros burocráticos, que dificultam a vida livre do contribuinte. O resultado concreto e final, é sempre a crescente complexidade e a burocratização da relação do cidadão brasileiro com o Estado, sem lhe trazer qualquer benefício que o justifique. Assim, a liberdade vai sendo sufocada, sufocada... e o povo brasileiro vai se transformando cada vez mais em refém e escravo do poder público e de suas normas. Impede-se assim, o desenvolvimento, o empreendedorismo, a criatividade, enfim, o bem-estar humano e o progresso do país, que se torna cada vez mais, um imenso mastodonte imobilizado no atraso.

Ottfried Kelbert

okelbert@outlook.com 

Capão Bonito

*

MAIS UM ANO DE ESPERA

Como publicado no caderno de Economia do "Estadão" de segunda-feira (8/6), o STF, em sua constante enrolação, pretende julgar os planos econômicos somente um ano após a posse do tão questionado jurista Luiz Fachin, recém-galgado ao posto de ministro do STF. Já Dias Toffoli, em 2010, quando assumiu seu posto neste mesmo tribunal, pediu vistas destes processos segurando-os por quase dois anos a pedido de Guido Mantega e Alexandre Tombini, além do cartel dos banqueiros que tão somente visam a nos espoliar com seus lucros abusivos em todos os balanços apresentados todos os anos. Agora chegou a vez de Joaquim Levy fazer o mesmo tipo de gestão, tendo ido recentemente quatro vezes ao STF tentar demover ministros de nos brindar com suas sentenças positivas daquilo que tanto Sarney quanto Collor nos roubaram com seus abilolados planos econômicos, além de serem abertas novas consultas com as presenças de impertinentes elementos do governo, dos bancos e de seus advogados, pois estes senhores não querem arcar com aquilo que nos devem e têm que nos pagar e ficarem um pouquinho menos ricos do que estão. Três ministros do STF se disseram impedidos de julgarem estes processos por terem agido anteriormente em prol de poupadores, são eles: Luiz Fux, Luiz Roberto Barroso e Carmen Lúcia, porém Dias Toffoli, ex-advogado do PT de Lula, Dilma, José Dirceu, Genoíno, Delúbio (mensalão) e agora todos os lulopetistas envolvidos no Petrolão não se achou impedido de julgar nestes dois processos, estranho não é mesmo? Ou seja, dois pesos, duas medidas. Quando é para beneficiar a cumpanheirada estes senhores não se julgam impedidos de nada, porém quando é para julgarem algo que diz respeito a toda uma população aí a história muda de figura. É neste tipo de juristas que podemos realmente confiar nossas leis? Acredito que não! Enquanto os ministros do STF, em sua grande maioria forem indicados por presidentes da república em que nada inspiram nossa confiança também não poderão prezar desta.

Boris Becker

borisbecker@uol.com.br 

São Paulo

*

PLANOS ECONÔMICOS

"Julgamento de planos econômicos pode ser interrompido no STF" (18/6, B9). Os bancos e o governo realmente têm grande influência no STF, que assim se presta aos seus interesses e contra o povo brasileiro. Que vergonha!

Gustavo Guimarães da Veiga

ggveiga@outlook.com 

São Paulo

*

PODER JUDICIÁRIO

Há alguns anos, em palestra que fiz na PUC de São Paulo, disse que nenhum Estado de Direito e nenhum regime democrático verdadeiro pode sobreviver sem um Poder Judiciário forte e confiável, pois ele é a espinha dorsal da democracia. E concluí que, no Brasil, nossa espinha dorsal já nasceu enferma e ineficaz. Um desembargador aposentado reagiu irado ao meu comentário. Espero que ele esteja acompanhando o que o Judiciário brasileiro, salvo raras exceções, tem feito nos últimos anos e agora me dê razão. 

Gilberto B. Schlittler

gschlittler2@mac.com 

São Paulo

*

O MAIOR TRIBUNAL DO MUNDO

Nenhum outro presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP) teve o desassombro de escancarar suas mazelas, como o atual, desembargador José Renato Nalini (10/6, A2). Não há sentido em termos o maior tribunal do mundo. A descentralização é imperativa. O trabalho de digitalização, já terceirizado, é invencível. A quantidade de processos a serem digitalizados, para, por exemplo, subirem ao STJ ou ao STF, é assustadora. Os processos, depois de apresentados os recursos, quando superam um módulo burocrático, escorregam em outro, em média, de 1 a 2 anos, na origem. O arquétipo de Sísifo. Se no próximo semestre as coisas serão ainda mais feias, como afirma o presidente no artigo no "O Estado de S. Paulo" ("Fogo amigo dói mais"), a unidade mais próspera da Federação pode reconhecer sua falência judiciária. 

Amadeu R. Garrido de Paula

amadeugarridoadv@uol.com.br 

São Paulo

*

REFORMA POLÍTICA

Quando eu penso que é impossível mais retrocesso por parte da Câmara dos Deputados, sou surpreendido com uma decisão absolutamente antidemocrática e prejudicial ao princípio de representação. Os parlamentares aprovaram a coincidência de eleições municipais, estaduais e federais, ou seja, o eleitor escolherá no mesmo dia quem administrará o país, estados e municípios. Uma medida absolutamente esdrúxula e sem qualquer fundamento. A minha crítica consiste na tendência da falta de debate. Tudo indica que as discussões nacionais e estaduais irão se sobrepor aos temas municipais. Alguém duvida disso? O Congresso Nacional está tomando uma linha de atuação preocupante, antirrepublicana e, ainda pior, sem debater com a devida cautela e transparência questões fundamentais e de interesse público.

Willian Martins

martins.willian@globo.com 

Guararema

*

MANDATOS

Com o fim da reeleição para cargos do Executivo e a ampliação do mandato para cinco anos, os deputados ganharam de presente mais um ano de mandato. E como ficará o mandato dos senadores que era de oito anos: será reduzido para cinco anos ou será ampliado para dez anos? E esses "nobres" deputados também rejeitaram a proposta de abolir a obrigatoriedade do voto, por isso, continuamos obrigados a fazer parte desse circo e sempre na função de palhaços. E viva a nossa democracia.

Maria Carmen Del Bel Tunes

carmen_tunes@yahoo.com.br 

Americana

*

VOTO FACULTATIVO

Infelizmente, nossos deputados rejeitaram o voto facultativo. Vamos continuar com essa medida retrógrada que nos obriga a comparecer as urnas, ao contrário das maioria da democracias maduras do mundo. Essa "reforma política" (com aspas mesmo) até agora, na minha opinião, não produziu nada de relevante para o cidadão, só medidas que beneficiam os políticos. Enfim, o País está perdendo mais uma grande oportunidade de avançar.

Alexandre Fontana

alexfontana70@yahoo.com.br 

São Paulo

*

PDVN

Nossos pseudo-represenrantes da Câmara estão produzindo uma reforma política enceradeira, e contra essa reforma só nos resta fundar o partido PDVN: Partido do Voto Nulo. Chega de vigarista.

José Roberto Iglesias

rzeiglesias@gmail.com  

São Paulo

*

REFORMA DOS POLÍTICOS

A tão falada reforma política deveria começar com os membros do Poder Legislativo tendo de prestar serviços comunitários voluntário não remunerado junto a escolas, hospitais, repartições públicas, etc. Uma vez por semana, durante todo o mandato, vereadores, deputados e senadores teriam um contato direto com o povo e conheceriam seus problemas. Em vez de falarem as mentiras de sempre sobre saúde e educação em suas campanhas nossos legisladores poderiam efetivamente conhecer a desgraça que é a saúde e a educação no Brasil e fazer algo para melhorar. 

Mário Barilá Filho

mariobarila@yahoo.com.br 

São Paulo

*

VOTO IMPRESSO!

Para que tenha sido aprovada a lei do "Voto Impresso" com quase unanimidade, com certeza os deputados sabem que com apenas as "urnas eletrônicas", no futuro, os prejudicados poderiam ser eles. Mas, conhecendo o Congresso como conhecemos, sendo que ali ninguém dá ponto sem nó, provavelmente conhecem de perto a "vulnerabilidade" das urnas eletrônicas. Mesmo com essa desconfiança, o Brasil democrático agradece! Agora com certeza os nossos candidatos terão os votos computados corretamente.

Beatriz Campos

beatriz.campos@uol.com.br 

São Paulo

*

DÚVIDAS?

As dúvidas que tínhamos sobre os resultados nas urnas (violação) estão sendo confirmadas. O resultado em Minas Gerais indica que, ao menos ali, tal violação foi feita. A grande vantagem de Dilma e a surpresa da vitória de Pimentel (governador) dão uma amostra de que houve "manipulação" naquele Estado. Alguém duvida?

Laert Pinto Barbosa  

laert_barbosa@globo.com

São Paulo

*

MUDANÇA

O que estamos esperando para mudar as urnas para as eleições do próximo ano? Vamos esperar o resultado para depois questionar o resultado?

Carlos Alberto Duarte

carlosadu@yahoo.com.br 

São Paulo

*

NA SEARA DA OPOSIÇÃO

Não acredito que José Serra pode ser candidato novamente a presidente em 2018. Certamente será Geraldo Alckmin, porque Aécio Neves vai ser candidato a governador de Minas, enfrentando o sr. Fernando Pimentel, que está envolvido em casos de corrupção e que deu uma medalha da Inconfidência ao sr. Stédile, que nem mineiro é. O PT acha que vai ficar tanto tempo governando Minas, assim como o PSDB ficou. Mas não é bem assim.

Marcelo Cioti

marcelo.cioti@gmail.com 

Atibaia

*

GOVERNO ALCKMIN

O governo de São Paulo deixa muito a desejar, principalmente no que diz respeito ao Metrô, especialmente a Linha Amarela, onde já não existe nem previsão de conclusão das estações Morumbi e Vila Sônia, que terão um movimento de pessoas infinitamente maior que a recém-inaugurada Fradique Coutinho, onde não sobe nem desce ninguém dos trens do Metrô, mesmo em horário de pico. O nosso governador precisa ter em mente que ele ganhou o governo de São Paulo por um simples motivo: o povo de nosso Estado detesta o PT. O governo de SP não foi ganho pelo PSDB por causa da competência demonstrada pelo sr. governador.

Marcelo L. Z. Bernabe

zbernabe@hotmail.com 

São Paulo

*

DE OLHO NO ESTADO

A segurança pública, a crise orçamentária da USP, a demora na implementação de linhas do Metrô, a ausência de projetos habitacionais e os problemas no sistema educacional no Estado mais rico do Brasil não motivam manifestações de quem só sabe falar mal do governo federal. Que merece críticas, mas que leve em consideração a coerência de quem age como se fosse especialista em política.

Uriel Villas Boas

urielvillasboas@yahoo.com.br 

Santos

*

RUMO AO PICO DA PIRÂMIDE

E a Operação Lava Jato continua a fazer o seu trabalho de formiguinha, percorrendo os meandros da corrupção nacional, em um trabalho insano que vai descobrindo uma lista infindável daquilo que a presidente eufemisticamente chama de malfeito. E nessa lida, vão subindo um a um os degraus de uma imaginária pirâmide. E pelas últimas notícias aproximam-se do seu último degrau. O nome do ex-presidente Lula já começa a aparecer nas deleções premiadas e nas investigações dos policias federais. Não me surpreende de nenhuma maneira, porque, pela história e a sagacidade de Lula, jamais acreditei que os mensaleiros fizeram tudo o que foi descoberto, e pelos quais já foram julgados e condenados, tramando seus crimes em reuniões na antessala do seu gabinete. Mas o mais espantoso foi gigantesco roubo na Petrobrás, praticado por elementos de sua confiança, sem que ele sequer tenha percebido o que ocorria. E para galgar mais um degrau dessa pirâmide, uma perícia da Polícia Federal mostrou que a construtora Camargo Corrêa doou R$ 3 milhões ao Instituto Lula, do ex-presidente, a título de doações e contribuições. Em decorrência dessa nova descoberta a CPI da Câmara dos Deputados convocou para depor o presidente do Instituto Lula, Paulo Okamotto, para prestar esclarecimentos sobre essas doações, pois, quando a esmola é muita, o santo desconfia.

Gilberto Pacini

benetazzos@bol.com.br 

São Paulo

*

'BOLA NAS COSTAS'

O "não sei de nada" Lula demonstra que ele ficou muito incomodado com a convocação de Paulo Okamotto, presidente do instituto que leva seu nome, para depor na CPI. Pelo andar da carruagem, e como "nunca antes visto neste país", pode ter certeza de que muitas outras bolas em suas costas virão, mesmo ele afirmando que a culpa é de FHC!

Júlio Roberto Ayres Brisola

jrobrisola@uol.com.br  

São Paulo 

*

BORDÃO

Doação de empreiteiras ao Instituto Lula, ele não sabe de nada.

Moises Goldstein

mgoldstein@bol.com.br 

São Paulo  

*

PALESTRAS MAGISTRAIS

E eis que a Lava Jato chega de mansinho a Lula e seus ganhos com palestras "magistrais" e internacionais, angariando de empreiteiras a soma insignificante de R$ 4,5 milhões em forma de doações ao seu "Instituto Lula", mas que na verdade soma os recebimentos superiores a R$ 22 milhões, o quíntuplo do que foi divulgado, e as informações desses dados já estão nas mãos das autoridades competentes. Aí tem!

Leila E. Leitão

São Paulo         

*

RETALIAÇÃO PETRALHA

Toda vez que os "petralhas" ficam encurralados pelos fatos, e não tendo uma satisfação plausível para esclarecer ou explicar seus "malfeitos" à sociedade, exsurgir do pântano pútrido habitado pelas quase-criaturas anônimas para fazer um trabalho, como não poderia deixar de ser, sujo. É o caso do desconhecido deputado petralha que apareceu na mídia propondo a quebra dos sigilos telefônico, fiscal e bancário do dirigente do Instituto FHC, sem o menor fundamento. Convém lembrar ao "nobre" par(lamentar) que não se tem notícias de que o sério e idôneo instituto tenha sido alvo de investigação criminal. Era de melhor alvitre que o petralha submergisse ao ambiente putrefato de onde nunca deveria ter saído.

Carlos Benedito Pereira da Silva

carlosbpsilva@gmail.com 

Rio Claro 

*

CURIOSIDADE

Por que será que cada vez que tentam investigar algum membro do PT há uma "tropa de choque" tentando impedir? De que tanto têm medo? Ou será pânico?

Luiz Frid

luiz.frid@globomail.com 

São Paulo

*

UMA HISTÓRIA MAL CONTADA

Como foi que aquele sindicalista de trajes nada convencionais no meio político se converteu num criminoso de "colarinho branco"? Sim! Pois o ex-presidente do Uruguai José Mujica entregou o ouro, afirmando em seu livro que Lula, palavras do brasileiro, teve de conviver com o mensalão. Como se não bastasse, há ainda suas andanças mal explicadas pelos territórios de proximidade ideológica, utilizando de sua influência para fechar contratos para a Odebrecht - empreiteira envolvida nos escândalos da Petrobrás. Além das palestras milionárias e a fita opaca colocada sobre os cofres do BNDES. Me perdi em algum ponto dessa história... Ou melhor, Lula é que se perdeu.

Elias Menezes

elias.natal@hotmail.com 

Nepomuceno (MG)

*

JABUTICABA JURÍDICA 

O Parlamento do país das jabuticabas acaba de produzir mais um fruto típico da terra. Foi criada a figura jurídica da  "maioridade seletiva", um sistema esdrúxulo em que o "dimenó" (entre 16 e 18 anos) flagrado em grave  ação delituosa  terá sua idade de imputabilidade penal reduzida para ser alcançado pelo Código Penal. A seletividade diz que o agente responderá criminalmente por alguns delitos mas não por outros, de menor potencial ofensivo. É uma jabuticaba jurídica. Como bem assinalou Daniela Hashimoto, promotora da Infância e da Juventude de São Paulo, soa estranho dizer que uma pessoa tenha plena consciência para realizar determinados atos infracionais mas não a tem para outros. Não sei de país que rivalize conosco em tamanha criatividade normativa.  A mesma classe política que inscreveu a taxa máxima de juros (!) em nossa Constituição, essa mesma que também deu status constitucional a um salário mínimo apto a suprir "moradia, alimentação, educação, saúde, lazer, vestuário, higiene, transporte e previdência social..." do trabalhador e de sua família (!), vem agora de criar a figura do delinquente menor "pero no mucho". Essa criatura poderá ser tratada de forma "ad hoc" como pessoa "adulta" e apenada como tal em caso do cometimento de um crime hediondo (por exemplo) mas será, perante a lei, considerada uma cândida e inexperiente "criança" se praticar um crime sofisticado como o estelionato e outros tantos previstos no Código Penal. Não fora o bastante, ainda aprovaram uma "emenda" que obriga o Estado a instituir "políticas e programas socioeducativos para ressocialização de adolescentes infratores". Ora... o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) já não prevê exatamente isso? Só no Brasil...

Silvio Natal

silvionatal49@gmail.com      

São Paulo

Mais conteúdo sobre:
Fórum dos leitores

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.