Fórum dos leitores

LULOPETISMO

O Estado de S. Paulo

24 Junho 2015 | 03h00

Lula e a verdade

Nos discursos que fez nos últimos dias em São Paulo, o ex-presidente Lula demonstrou, novamente, sua falta de compromisso com a verdade, além da prática de um de seus esportes favoritos: jogar a culpa nos outros. No primeiro pronunciamento cobrou da presidente Dilma uma resposta aos problemas enfrentados pelo PT, que, segundo ele, está no volume morto, como se ele, Lula, não tivesse parte da responsabilidade pelas dificuldades atuais. Também exigiu que Dilma e seus ministros venham a público para divulgar boas notícias, a chamada agenda positiva. Será que Lula se esqueceu de que anunciou para o mundo todo a autossuficiência em petróleo, que nunca existiu? E a Ferrovia Norte-Sul? E a transposição do Rio São Francisco – sem esclarecer que, se um dia aquilo ficar pronto, a água não chegará às casas das pessoas, que terão de pagar pelo acesso? Naquele mesmo discurso, Lula disse não acreditar ter havido mensalão. Quer dizer, então, que os integrantes do Ministério Público e os ministros do STF que atuaram nesse processo são todos um bando de irresponsáveis que condenaram pessoas – algumas delas a mais de 30 ou 40 anos de prisão – apenas por ouvirem falar, só por maldade? No segundo pronunciamento, Lula declarou que hoje os petistas só pensam em cargos e vantagens. Afinal, quem é que circula em jatinhos e passa feriados de ano-novo e outras datas em casas de empresários e tenta impedir a todo custo a divulgação das contas do Instituto Lula, que teria recebido gordas contribuições, principalmente de empresas envolvidas no escândalo de corrupção na Petrobrás? Diante de tantas perguntas, fica uma dúvida: quanto tempo o País ainda vai levar para se livrar desse fantasma? 

CARLOS TAQUARI

taquari1@hotmail.com

São Paulo

*

Sinceras palavras

Lula foi claro quando disse que o PT está velho, viciado em poder e faz tudo por dinheiro. É a confissão mais clara de que o mensalão existiu mesmo! 

ARCÂNGELO SFORCIN

arcangelosforcin1@gmail.com

São Paulo

*

Lula é a cara do PT: “Velho e só pensa em cargo”. Mero acaso?

EDUARDO DE ASSIS PIRES

eduardoapires@uol.com.br

São Paulo

*

Perda e ganhos

O PT pode até ter perdido parte do sonho, como disse Lula, mas há petistas que, segundo denúncias, só ganharam.

ODILON OTÁVIO DOS SANTOS

Maríllia

*

Qual é a dele?

Todos nós compreendemos que Lula queira descolar sua imagem da de Dilma. Mas, com seu estilo boquirroto, ele exagerou. Admitiu finalmente que o PT só consegue reunir multidões mediante pagamento, como era de comentário corrente – aquele velho negócio de comício com ônibus, lanche e cinquentinha. Admitiu também o que até as emas do Planalto sabem: os cumpanheiros só querem saber de cargos e, é claro, dos benefícios financeiros diretos e indiretos desses cargos. Mas como ele não dá ponto sem nó, fica um mistério: qual é o seu plano B? Vem aí um novo partido, do tipo PT do B? Deus nos livre! Vade retro, Satanás, pé de pato, mangalô três vezes.

NESTOR R. PEREIRA FILHO

rodrigues-nestor@ig.com.br

São Paulo

*

Mea culpa eleitoreiro

Ao proclamar os pecados do PT, Lula apenas se esquece de que o PT é ele. Nada mais que isso. Não passa, pois, de um mea culpa. E pior, eleitoreiro!

GERALDO SIFFERT JUNIOR

siffert18140@uol.com.br

Rio de Janeiro

*

Racha no PT

Não dá mais para esconder, o racha no PT é retumbante e avassalador. A cúpula do “eu não sabia” não se entende mais com a turma do “a culpa é do FHC”.

MARCOS CATAP

marcoscatap@uol.com.br

São Paulo

*

Amigo da onça

Observando a destreza de Lula em atirar os companheiros aos felinos, imaginem do que esse cidadão é capaz...

MÁRIO ALDO BARNABÉ

mariobarnabe@hotmail.com

Indaiatuba

*

Brahma

Quando a água começa a bater nas costas, a estratégia é fazer uma releitura do “nós e eles”, apontando o dedo para os cumpanheiros, para encenar o “eu e eles”, como se fosse possível separar a farinha do mesmo saco. Mas a ideia central ainda é levar os crentes restantes no bico. Afinal, vale tudo para não perder completamente a boiada.

DOCA RAMOS MELLO

ddramosmello@uol.com.br

São Sebastião

*

O ‘democrata’

Também conhecido como o Brahma no rol das empreiteiras, Lula convidou o ex-ministro espanhol Felipe González para falar sobre democracia no seu instituto. Em dado momento, não resistindo, tomou a palavra e de novo pregou o controle da impressa “golpista”. É como na fábula do sapo e do escorpião, por mais que tente, não consegue resistir, seu desejo ditatorial fala mais alto. Livrai-nos Senhor...

SERGIO CORTEZ

cortez@lavoremoveis.com.br

São Paulo

*

BOLIVARIANISMO

De visitas

Em outubro de 2014 nosso país recebeu a “visita” do sr. Elias Jaua, ministro venezuelano das Comunas e Movimentos Sociais, que veio celebrar acordos com o MST, entre outras atividades, violando os princípios da soberania e da não intervenção. Como se não bastasse essa intromissão em assuntos internos do Brasil, por ocasião de sua chegada ao aeroporto internacional de Guarulhos, a babá da família de Jaua foi presa, acusada de tráfico internacional de armas – ela carregava um revólver que pertencia ao ministro, numa das maletas. Perguntar não ofende: como os governos do Brasil e da Venezuela explicarão esse fato diante do caso da visita abortada e impedida dos parlamentares brasileiros a Caracas para visitar um preso político? Dois pesos e duas medidas?

CLÊNIO FALCÃO LINS CALDAS

clenio.caldas@gmail.com

São Paulo

*

CORREÇÃO

O artigo O TCU e os atrasos do setor elétrico (12/6, B2), foi enviado com um erro material: o valor correto do custo dos atrasos estimado pelo TCU é de R$ 8,3 bilhões. Esse erro não altera as conclusões do artigo.

CLAUDIO SALES E RICHARD HOCHSTETLER

melissa.oliveira@acendebrasil.com.br

São Paulo

*

QUEM FALA?

O discurso do ex-presidente Lula acusando os petistas de pensarem, hoje, somente em cargos, poder e, consequentemente, em dinheiro parece o ensaio de um ator em frente ao espelho. Quem está falando realmente, o Lula ex-presidente e petista ou o Lula pré-candidato puramente lulista? Se for Lula, o candidato, suas palavras terão eco, pois 2016 é ano de eleições municipais e nas Regiões Norte e Nordeste pedirão a presença do "deus" Lula, no mínimo, numa foto do candidato do seu partido ou da coligação. Se for apenas o ex-candidato, este ainda não desapegou do cargo e se dá mais importância do que realmente tem. A esperança de 70% da população brasileira é a sua presença em Curitiba, na sede da Polícia Federal, e a esperança de Lula é de que algo comece a dar certo no governo Dilma. A realidade o leva diretamente a Curitiba.

Luiz Ress Erdei

gzero@zipmail.com.br

Osasco 

*

AUTOCRÍTICA

Até que enfim Lula se incluiu numa autocrítica. Reconhece que o PT "envelheceu", que o partido está viciado no poder, somente querendo cargos, empregos e ser eleito e que a mobilidade ocorre somente por dinheiro. "Temos de decidir se salvamos nossa pele e cargos ou nosso projeto." Quanto à utopia que Lula diz que o partido perdeu, será o fosso econômico em que nos colocou? O caos de gestão que "a gente" do PT deixou de herança? Os escândalos do mensalão, do petrolão e outros "ãos" que, tudo indica, ainda vão aparecer? Enquanto isso, nós, brasileiros, herdeiros dessa descrita sucata que levará anos para ser consertada e paga, estamos exauridos, exaustos, obrigados a viver com exígua aposentadoria e a conviver com esta herança pública maldita. Pelo menos respeite-nos em nossa desgraça, Lula. 

Honyldo Roberto Pereira Pinto

honyldo@gmail.com 

Ribeirão Preto

*

POR PURA AMBIÇÃO

Chega a ser bizarra a crítica pública do ex-presidente Lula dizendo que "o PT está velho e só pensa em cargo" (23/6, A8). Lula deve estar preparando o terreno político para realizar o seu sonho: voltar à Presidência em 2018. E, então, para concretizar esse desejo de poder, começa a fazer oposição ao próprio PT e também à sua pupila Dilma Rousseff. Mais uma vez Lula está a subestimar a inteligência dos brasileiros. Não há um cidadão, a não ser aqueles que sobrevivem de migalhas ou de benesses petistas, que ainda acredite nas palavras de Lula. Ser enganado uma vez é passível de entendimento, mas duas vezes é idiotice ao quadrado. Qual a vantagem, pergunto eu, de ser um líder "empurrado" goela abaixo, quando a maioria, milhões de brasileiros e não só a tal "elite branca", não o quer de volta a ocupar a cadeira de maior poder do País?  Não seria a hora de o ex-presidente Lula aproveitar a vida que lhe resta com coisas que não lhe tragam tanta dor de cabeça, tanto menosprezo daqueles que ainda acreditam que exista uma solução para salvar o Brasil, longe das mãos do PT? Ou será que este senhor de "69 anos, que já está falando as mesmas coisas que falava em 1980", pretende - como um capitão a abandonar o navio deixando-o à deriva ao sabor dos ventos e das correntes - criar e assumir o comando de um novo e menor "navio"?  "Os homens, quando não são forçados a lutar por necessidade, lutam por ambição", dizia um dos maiores pensadores políticos de todos os tempos, Nicolau Maquiavel. Assim é o sr. Luiz Inácio Lula da Silva, que quer voltar à Presidência da República por pura ambição.

Mirna Machado

mirnamac@uol.com.br

Guarulhos

*

BOTE TRAIÇOEIRO

Quem entende de cobras diz que o cuidado é saber se ela está morta ou fingindo-se de morta. Por analogia, é o que pode estar ocorrendo com as declarações feitas pelo ex-presidente no seminário realizado no Instituto Lula. O "ex que ainda é" disse: "O PT está velho e perdeu a utopia"; que seus correligionários só pensam em cargos e empregos, etc. E disse mais: "Queremos salvar a nossa pele, nossos cargos ou nossos projetos?". O cuidado, portanto, é saber como agir diante disso. Esperar para depois nos defendermos ou tomarmos a iniciativa para evitarmos o bote traiçoeiro, cujo veneno é fatal. Somente a força da lei poderá nos livrar do risco previsto.

Alberto Caruso

albertocaruso@uol.com.br 

São Paulo

*

O CRIADOR DO 'NÓS CONTRA ELES'

É impressionante o caráter camaleônico de Lula. Agora diz aos incautos que o PT só quer cargo, dinheiro e se afastou dos seus delírios ufanistas. Pois foi o próprio quem estimulou, criou, patrocinou e incentivou o ataque dos PeTralhas aos cargos públicos, à roubalheira, aos "petrolões", "mensalões" e outras formas de saquear o Estado brasileiro, seja por ação ou por cômoda omissão. Lula foi o criador e divulgador do "nós contra eles", e agora vem a público fazer de conta que o problema não é com ele. Chega! Acho que ele deveria, juntamente com sua família, renunciar à cidadania brasileira, mudar-se para Cuba ou Venezuela, não sem antes doar sua inexplicável fortuna ao Brasil.

Carlos B. Pereira da Silva

carlosbpsilva@gmail.com 

Rio Claro

*

CULPA DOS 'CUMPANHEROS'

Quem vê a imagem do presidente Lula na tevê reclamando do PT e culpando os "cumpanheros", que só pensam em cargos e afundam o partido, não acredita tratar-se dele mesmo, pois, entre os petistas no governo, desde seu primeiro mandato, ele é o que mais enriqueceu, loteou cargos mil, bancou a presidente "criatura" para continuar mandando e, agora, com o País num "miserê" desgraçado, tira o corpo fora. Ele não tem culpa alguma, né não? Ele é de uma pureza angelical! O cara tem um cinismo que, para medir o tamanho, só em metros cúbicos! O "home" dos botecos de antes hoje só se deleita com Romanée-Conti em salões e hotéis cinco estrelas, não anda mais de busão, mas de jatinhos pagos por empreiteiras que "lavaram a égua" nos bilhões afanados do erário. Quanto à possibilidade de a Polícia Federal enquadrá-lo no "petrolão", podem esquecer, todos os envolvidos se sacrificarão em seu lugar, porque ele é o único petista em condições de ganhar a Presidência em 2018, graças os milhões de analfabetos que vivem das esmolas federais, juntamente com os que mamam nas tetas fartas da vaca federal e patrocinarão a sua campanha.   

Laércio Zanini

spettro@uol.com.br 

São Paulo

*

O ILUSIONISTA

Lula diz que o PT hoje só pensa em cargos. E quem criou essa ilusão nos neguinhos petistas? Não foram os gurus do PT, capitaneados por Lula, que transformou o governo num imenso cabide de empregos, até nos eletivos, transformando políticos em meros "pelegos" do sindicalismo petista? Caro Lula, a ignorância tem limites, até mesmo para quem seja "sábio analfabeto".

Ariovaldo Batista

arioba06@hotmail.com

São Bernardo do Campo

*

CROCODILIANAS

Lula, como crocodilo nato, se defende com o rabo. Dos outros. Depois chora...

A.Fernandes

standyball@hotmail.com 

São Paulo

*

FERIDO DE MORTE

Afirma Lula que o PT está velho. Poderia ter acrescentado que corrupto também. Seus líderes, com o passar dos anos, esqueceram-se das promessas feitas e das lições de ética e de moral que deram gratuitamente. Ficaram do lado da corrupção, permitindo-a e até acobertando-a. Assim, a agremiação não está machucada, mas ferida de morte e portadora de doença grave e contagiosa. Dentro em pouco, a debandada será geral. O lulopetismo, nos 13 anos em que dominou o País, prejudicou-o sobremaneira. Mas o desenlace será triste, porque muitas outras más notícias virão, envolvendo, finalmente, aquele que sempre soube esconder-se das responsabilidades sobre os malfeitos do governo. Aguardemos.

José C. de Carvalho Carneiro

carneirojc@ig.com.br 

Rio Claro

*

O PT ENVELHECIDO

Disse Rui Barbosa: os canalhas também envelhecem!

Sergio Cortez

cortez@lavoremoveis.com.br 

São Paulo

*

VELHO NÃO, PODRE SIM

Como um cidadão que atingiu a idade chamada de respeitável, tenho moral para corrigir o incorrigível "Brahma" da Silva (apud Odebrecht). Num dos seus flatos característicos, ao tentar amenizar a catástrofe petista, sacou que "o PT está velho". Repilo, ofendido, a atoarda. Velho estou eu. Podre é o adjetivo mais adequado para o PT e seus dirigentes.

Alexandre de Macedo Marques

ammarques@uol.com.br 

São Paulo

*

VENDIDO AO PODER

A era PT já era. O lulopetismo está em estado terminal. É o melancólico fim de uma utopia que se vendeu ao poder e ao capital. Fim de linha. Descanse em paz. Pêsames.

J. S. Decol

decoljs@globo.com 

São Paulo

*

TITANIC

Assim como os arrogantes construtores do Titanic achavam que jamais o melhor navio da época afundaria, o PT (Partido do Titanic) vai afundar para sempre, como seu antecessor. E esperamos ansiosos que seu capitão e sua tripulação de mentirosos e farsantes afundem junto. Chega de hipocrisia! Ninguém aguenta mais.

Basilio José Bernal

bernal@roloflex.com.br

São Paulo

*

O MITO CAIU

Nosso glorioso ex-presidente Lula I e último, durante mais de 20 anos, fez caravanas da cidadania, passeou bastante, discursou e conseguiu convencer boa parte dos brasileiros de que "elle" era diferente de tudo o que está aí. Democraticamente instalado no Palácio do Planalto, revelou a sua verdadeira face e se pôs a fazer aquilo que sabe fazer: discursos. Trocou o sucatão pelo Aerolula e passou a passear, não mais apenas pelo Brasil, mas pelo mundo, subindo em palanques com ditadores que foram elogiados em gafes homéricas. Após dois mandatos "bem-sucedidos", aproveitando a onda global favorável, conseguiu iludir uma vez mais milhões de brasileiros fazendo da madrasta do PAC, programa de duvidoso sucesso, sua sucessora. A gerentona foi eleita e, nos primeiros quatro anos, arrasou a economia do País, destruiu a Petrobrás, acabou com a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), etc. e tal. Agora, o sr. Lula "teflon" tem a cara de pau de dizer que deu e dá conselhos a Dilma, que "ella" precisa sair, viajar e discursar. Ora, se funcionou com "elle", por que não haveria de funcionar com "ella"?! Simplesmente porque o mito caiu e o rei está nu! Com 65% de rejeição ao governo, até em outrora redutos petistas como na região do ABC, vendo o desemprego assombrar milhões de brasileiros, que ficarão sem perspectivas de recolocação no curto prazo, o sr. "teflon" quer se descolar da sua pupila. Sr. Luiz Inácio, se o senhor quisesse ter realmente ajudado os trabalhadores brasileiros que nem que vivessem dez vidas conseguiriam receber "doação" de R$ 3 milhões de uma construtora, poderia ter aproveitado seu enorme carisma e ter empreendido as reformas tão necessárias à pobre Terra Brasilis. Agora, como dizem alguns incautos, Inês é morta... Seu tempo passou, seu partido ruiu e o Brasil vai de mal a pior.

Renato Camargo

natuscamargo@yahoo.com.br 

São Paulo

*

ENTRE COMPANHEIROS

Pois é, Lula, só "voçê" é "bão". Os outros são todos ruins...

Flávio Cesar Pigari

flavio.pigari@gmail

Jales 

*

DE GRAÇA

Muito interessante a fala de Lula ao dizer que ultimamente ninguém no PT trabalha de graça. Pergunto: desde o início de sua carreira política, no Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo do Campo, até a presente data, por acaso "elle" trabalhou de graça? Fale, Lula!

Elisa Toneto

elisatoneto@hotmail.com 

São Paulo

*

EX-PRESIDENTE E EX-PADRINHO

A presidente Dilma deveria aproveitar que não manda mais nada e ocupar o tempo ocioso em estudar a folha corrida dos eternos amigos e companheiros do "cara", que agora são "ex", para encontrar uma saída ou uma proteção. Não vale ir para o PDT ou o PSB (este já foi ocupado por uma ex).

M. Mendes de Brito

voni.brito@gmail.com 

Bertioga

*

ESTE É O GOVERNO PETISTA

Pergunta: o que os ministros Juca Ferreira (Cultura) e Renato Janine Ribeiro (Educação) estavam fazendo no Instituto Lula? A trabalho é que não foi. E a população pagando mais este desmando desta corja.

Geraldo Roberto Banaskiwitz

geraldo.banas@gmail.com 

São Paulo 

*

LULINHA PAZ E AMOR

Lula declarou há alguns meses: "Vamos botar o exército do Stédile nas ruas". Agora, que vê a corda da forca, voltou a tentar a jogada do "Lulinha paz e amor". Vai repetir o golpe. O mais corrupto, criminoso dos criminosos petistas, agora fala em sonho e utopia. Vai desgrudar-se de Dilma e preparar uma nova "Carta ao Povo Brasileiro". Tudo pela preservação do seu pescoço e pelas eleições de 2018.

Ottfried Kelbert

okelbert@outlook.com 

Capão Bonito 

*

PENSAMENTOS UTÓPICOS

Em mais uma frase de efeito, o ex-presidente Lula disse que "o PT perdeu a utopia, tem vícios" e que "petistas só pensam em cargo e emprego". Recorrendo ao dicionário "Aurélio" sobre utopia, encontramos algo como "irrealizável, quimérico", justamente porque os ideais ditos por Lula nunca foram a realidade. Os petistas sempre correram atrás de se acertarem na vida, escondidos atrás de um comunismo decadente e utópico. Para exemplificar, basta ver que, no primeiro ano de governo, Lula ajeitou a vida de Lulinha com R$ 5 milhões. Utópicos são os próprios pensamentos de Lula da Silva e da camarilha.

Beatriz Campos

beatriz.campos@uol.com.br 

São Paulo

*

FOGO AMIGO

A imprensa repercutiu o desabafo de Lula ("Estadão", 23/6). Disse ele que "o PT está velho e viciado em poder". E acrescentou: "Temos de definir se queremos salvar a nossa pele e nossos cargos ou se queremos salvar o nosso projeto", indicando que o governo Dilma vem estragando o sonho petista ao não seguir os conselhos do grande guru. Fez pesadas críticas à presidente, alegando que ela "não sabe falar olho no olho" e que acabou formando um "governo de mudos". Mostrou a visão que tem sobre a causa de tudo o que ocorre, fustigando Dilma com palavras duras: "Entre o PT, entre eu e você (sic) quem tem mais capacidade de se recuperar é o governo, porque tem iniciativa, tem recursos, tem uma máquina poderosa para poder falar, executar, inaugurar". Concluiu dizendo que ela é a culpada por deixar sua popularidade cair a níveis de "volume morto", levando junto o PT. Todos já ouviram que o "sapo barbudo" - como dizia Brizola - seria capaz de trair a própria mãe para manter-se no poder. É da natureza lulopetista "pôr fogo no coreto" para alcançar os seus objetivos. Mas uma coisa é certa: enquanto Lula está jogando Dilma no fogo, a batata dele está assando e vai esturricar no mesmo fogo!

Luiz C. Soares Fernandes

luiz68017@gmail.com 

São Paulo

*

PACIÊNCIA E HUMILDADE?

65% da população brasileira rejeita, atualmente, o governo Dilma. Após tantos desmandos em seu primeiro mandato, que levou o Brasil ao caos, o Palácio do Planalto pede paciência e humildade para que o povo suporte o peso desses desmandos. O abuso da paciência popular extrapolou. A presidente não atende aos apelos populares no sentido de diminuir despesas. Como se pode pedir humildade e paciência, se a inflação corrói todos os ganhos dos trabalhadores? Até quando, dona Dilma?

Francisco Zardetto

fzardetto@uol.com.br 

São Paulo

*

VOLUME MORTO

O ex-presidente Lula disse que ele, Dilma, e o PT já estão no "volume morto" em matéria de aprovação popular. Será que ainda há lodo no fundo do poço?

Virgílio Melhado Passoni

mmpassoni@gmail.com 

Jandaia do Sul (PR)

*

O 'BRAHMA'

O lulopetismo levou o Brasil a se tornar o país do status das "fraudes e cia". O tal de Brahma ou "não sei de nada", com a prisão dos empresários envolvidos na Operação Lava Jato e a ajuda dos EUA nas investigações, vai ter seu nome ligado à Odebrecht e à Andrade Gutierrez. E com os fatos esclarecidos a justiça será feita. A hora chegou!

Celso de Carvalho Mello

celsosaopauloadv@uol.com.br 

São Paulo

*

EMPREITEIROS PRESOS

A expressão facial dos dois maiores empreiteiros do Brasil, quando presos pela Polícia Federal na sexta-feira, demonstrava um "nós estamos aqui, mas já, já você estará aqui também!". Quem será?

José Piacsek Neto

bubanetopiacsek@gmail.com 

Avanhandava

*

OPERAÇÃO LAVA JATO

A casa caiu e o cabeça da Odebrecht foi preso na Operação Lava Jato. Será que o "Barba" também vai dizer que não sabia de nada?

Antônio Carelli Filho

Palestrino1949@hotmail.com 

Taubaté

*

BURBURINHO

Só rindo! Frase mais ouvida na última sexta-feira: "Será que agora finalmente pegaram ele?".

Francisco José Sidoti

fransidoti@gmail.com 

São Paulo

*

ALGEMA DE OURO

Cumprimento as pessoas dignas, honradas e honestas de nosso país. Ministério Público, juízes federais e Polícia Federal, que colocarão o Brasil no pódio do Primeiro Mundo. Que seja criado o troféu "Algema de Ouro" para todos os responsáveis pelo lamaçal da corrupção que, por meio da delação premiada, certamente entregarão o grande "capo" que de nada sabe.

Antonio Vieira Ambar

avambar@gmail.com 

Salto 

*

ACIMA DA LEI

Em 12/6, no artigo "A CGU já anistiou as empreiteiras da Lava Jato" (página A2), o jurista Modesto Carvalhosa alertou para a existência de crime de responsabilidade por parte do titular daquela instituição pública, ao permitir que o governo federal contrate com as empreiteiras envolvidas no escândalo. No mesmo raciocínio, o juiz federal Sérgio Moro, citado em reportagem também do "Estado" (20/6, A13), após decretar a prisão dos principais executivos da Odebrecht e da Andrade Gutierrez, afirma que o governo dá chance de "reiteração de práticas corruptas" com a atitude da permissão para novas licitações com as respectivas empresas. Já o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, mais uma vez embola o meio de campo e tenta se sobrepor ao bom senso e ao rumo correto das investigações da corrupção na Petrobrás, com suas declarações. Sinto muito, sr. ministro, mas deu 2 a 1. 

Maria Lucia Ruhnke Jorge

mlucia.rjorge@gmail.com 

Piracicaba 

*

ABUSO?

"Barrar empresas em concessões seria abuso, diz ministro Cardozo" (21/6, A5). A ênfase do ministro, nos últimos dias, na defesa das empresas privadas investigadas e conhecidas como empreiteiras me induz a três conclusões, a saber: 1) o ministro desconhece completamente a Lei n.º 6.666, das licitações públicas, em suas exigências para que uma empresa seja habilitada a participar de uma licitação pública; 2) o governo está pressionado pelos empresários mafiosos presos, a impedir que suas empresas tenham prejuízos com contratos existentes, que não possam obter novos contratos ou que venham a falir, sob risco de eles dizerem a verdade e confessar que a presidente Dilma e o ex-presidente Lula são responsáveis e beneficiários diretos dessa corrupção toda; 3) o ministro demonstra mais uma vez estar empenhado em desacreditar e desqualificar o juiz Sérgio Moro, para salvar o inevitável envolvimento de Lula, Dilma, Zé Dirceu e outros no caso.

Marco Aurélio Rehder

marcoarehder@yahoo.com.br 

São Paulo

*

COM UNHAS E DENTES

Governo defende empreiteiras da Operação Lava Jato com unhas e dentes para continuar mamando?

Luigi Vercesi

luigiapvercesi@gmail.com  

Botucatu

*

'APENAS'

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, declara que as empreiteiras estão "apenas" sob investigação. E por que, sr. ministro, estão "apenas" sendo investigadas?

Fausto Ferraz Filho

faustofefi@ig.com.br 

São Paulo

*

O FINGIMENTO DE CARDOZO

O ministro Cardozo, da Justiça, fala com "aparente" convencimento de que a Operação Lava Jato não chegará ao Planalto nem a Lula. Ele deve estar se baseando na nova estratégia dos advogados das empreiteiras que pretendem anular as delações premiadas de Paulo Roberto Costa e Alberto Youssef, que omitiram contas bancárias no exterior.  Contudo, como Cardozo pode ter certeza, se há muitos outros indícios da participação de Lula e de Dilma no assalto à Petrobrás? A tramoia no financiamento da campanha de Dilma em 2010, por exemplo. Existem também provas escritas da participação de Lula e de Dilma na compra fraudulenta da refinaria de Pasadena, ele com entrevista com Paulo Roberto Costa sobre o assunto e ela, então como presidente do Conselho de Administração da Petrobrás, assinando a autorização para a compra. Talvez Cardozo já saiba o que a Justiça irá "esquecer" sobre esse assunto. Ao contrário do que diz Cardozo, Dilma não é cumpridora da lei. Longe disso - e o Tribunal de Contas da União (TCU) acaba de demonstrar as enormes irregularidades cometidas intencionalmente e criminalmente por Dilma. Cardoso joga seu suposto otimismo para a plateia para tentar cobrir a gravidade da situação de Dilma, que está péssima. Ninguém no Congresso se atreveria a falar em impeachment da presidente Dilma, se não houvesse grandes e fortes indícios de sua corrupção e má administração.

Fabio Figueiredo

fafig3@terra.com.br 

São Paulo

*

NA ATIVA

A Operação Lava Jato está ativa há mais de um ano e prendendo agora os grandes empreiteiros.  Quando chegará a vez do poderoso chefão?

Aparecida Dileide Gaziolla

aparecidagaziolla@gmail.com 

São Caetano do Sul 

*

AGREMIAÇÃO

Se os empreiteiros chamam Lula de "Brahma", qual seria o nome apropriado para os petistas?

Eugênio José Alati

eugeniojalati@gmail.com

Campinas

*

FALTA MUITO POUCO

Sergio Moro, juiz federal criminal, ganhou notoriedade nacional por comandar a apuração dos crimes na Operação Lava Jato, e hoje é o principal alvo das críticas do meio jurídico. Pudera, há muito tempo um juiz federal não enfrentava grandes advogados criminais, reconhecidos como referência nacional na gestão de processos e "soluções jurídicas", que cobram honorários altíssimos para postergar decisões judiciais com base em brechas da legislação brasileira. Estamos com os senhores, bravos doutores Sergio Moro e equipe! Falta muito pouco para chegar lá!

José Carlos Alves

jcalves@jcalves.net

São Paulo

*

A CRISE NA CLASSE C

Ótima e muito comovente a reportagem sobre a classe C no domingo 14/6 ("Os anos gordos ficaram para trás"). Essas pessoas que já viviam no limite perderam seus empregos e 50% de seus parcos ganhos e tiveram de apelar para "bicos". Nem estamos falando de educação e saúde, mas tirar o arroz e feijão da mesa dos pobres é o cúmulo! A que ponto chegamos, sra. presidente! Enquanto a sra. faz regime para ficar elegante, os pobres emagrecem de fome.

Margarida Rodrigues Netto

margaridanetto@yahoo.com.br 

São Paulo

*

IDA E VOLTA

30 milhões de brasileiros já estão tendo de regressar da classe média.

Ary Nisenbaum

aryn@uol.com.br

São Paulo

*

POLÍTICA DO ETERNO ATRASO

As políticas erráticas deste falido e incompetente PT destruíram o País. Aliás, essa história já estava contada quando uma gente imbuída de conceitos retrógrados, idiotas e imbecis de uma pseudoditadura do proletariado, um país de assalariados numa nação sufocada em miséria e ignorância, acreditou na redenção dos pobres via solução estatal. Apenas aprofundaram toda uma dramática e insolúvel realidade brasileira. O PSDB, como todo e qualquer partido no Brasil, não tem nenhuma agenda séria para o País. E a prioridade número um deste país deve ser um tratamento de choque na educação e na qualificação dos brasileiros, a criação de uma infraestrutura mínima de qualidade não apenas em portos, aeroportos e no péssimo transporte urbano. O Brasil precisa de mais! O interior está abandonado e carente de tudo! As grandes cidades, extremamente precárias e com um Ministério das Cidades inoperante. É imenso o custo do País em produtos e serviços de má qualidade. É preciso acabar com um Estado que sufoca a sociedade, Estado incompetente, mal gerido e que em nada contribui para o desenvolvimento nacional. O mercado brasileiro precisa ser aberto para maior concorrência e precisamos urgentemente de mão de obra importada de qualidade. E, para isso, países como Estados Unidos e China são essenciais. A falta de crédito barato no mercado, o excesso de burocracia e a carga tributária escorchante, somada a um mercado precário com a péssima formação da nossa mão de obra, são o grande gargalo do País.  Leis obtusas e atrasadas, que só instituem direitos sem mérito algum, sem exigência e cobrança social, são outro atraso. O Brasil precisa de uma nova Constituição, de novas leis penais. Nada disso é atacado no Brasil por governo algum. O PT acha que um fajuto capitalismo de Estado e dar esmolas para todo mundo resolvem o Brasil. Não resolvem! Estado desenvolvido é fruto de muito trabalho e, sem desenvolvimento do "status" social, inexiste país viável. Impossível um país só de pobres e só com classes pobres chegar a algum lugar. A pobreza não acaba com esmolas! E tampouco chamando miséria de classe média! 

Paulo Alves

pauloroberto.s.alves@hotmail.com 

Rio de Janeiro

*

INADIMPLENTES

Com relação ao não pagamento das contas de energia elétrica, não é simplesmente uma questão de inadimplência, e, sim, um novo modismo praticado pelos mais ousados. Tem-se observado que até a local em que foi retirado o relógio de controle de uso energético a empresa responsável não mais retorna a fim de saber como uma família, em tempos modernos, está vivendo sem energia elétrica - e isso vem fazendo escolas. Sinto que essa falta de controle não é motivo de preocupação para a empresa, pois basta aumentar a tarifa entre os que pagam e seu problema de caixa está resolvido. Inadimplência existe, não resta a menor dúvida, mas não é tanto quanto se querem "explicar". 

Jaime Vianna

jaimevianna@terra.com.br  

São Paulo

*

VAI TREINANDO!

Durante as eleições de 2014, foram várias as demonstrações da presidente-candidata Dilma Rousseff da sua dificuldade em argumentar verbalmente. Lançada por um ex-presidente muito popular, Dilma surfou em glórias passadas para se eleger. Já em 2014, com base no ataque brutal, nas mentiras e num verdadeiro estelionato eleitoral, venceu com uma margem mínima (algo que não ocorreria se as eleições fossem hoje). Agora, a excelentíssima foi convocada para dar explicações - o que ela logicamente não tem - sobre as contas públicas de 2014. Gastando o que não tinha e pegando "emprestado" de quem não poderia, Dilma varreu a crise para o ano seguinte, para não correr o risco de afetar sua imagem durante a disputa presidencial. O Tribunal de Contas de União (TCU) não tem lá aquela autonomia e critério para podermos depositar todas as nossas esperanças, mas vai que - por critérios técnicos - rejeitem a conta da presidente? Vai treinando, Dilma... Na hora não vale gaguejar! 

Elias Menezes

elias.natal@hotmail.com 

Nepomuceno (MG)

*

LAUDATO SI

O Vaticano publicou recentemente encíclica papal de 191 páginas com 20 pontos para os quais a imprensa chama a atenção. Parece que ao Documento Pontifício faltou um 21.º ponto: a derrogação do mandamento "crescei e multiplicai-vos". Talvez os recursos naturais e tecnológicos do planeta não sejam suficientes para os 7 bilhões e tantos humanos que aí estão, e menos ainda para os 8 ou 9 bilhões que teremos em poucas décadas.

Mário Rubens Costa

costamar31@terra.com.br 

Campinas

*

POLÍTICA PARA CONSERVAÇÃO DO BIOMA MARINHO

O excelente artigo do jornalista Washington Novaes (19/6, A2) sobre a desastrosa posição da Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural rejeitando um projeto de lei de interesse da população brasileira e também mundial a respeito da conservação e uso sustentável dos nossos recursos naturais marinhos mostra como a bancada ruralista está "preocupada" com o meio ambiente. Na realidade, esses políticos são uns néscios, não entendendo que a destruição do meio ambiente também destruirá o agronegócio e seus lucros. Meus pêsames à burrice dos nobres deputados.

Marcelo Luís

zbernabe@hotmail.com 

São Paulo

*

STF, BIOGRAFIAS E ENSINO RELIGIOSO

Carlos Alberto Di Franco foi preciso ao mostrar a importância da decisão tomada pelo Supremo Tribunal Federal (STF) em relação às biografias ("STF, golaço da liberdade", 22/6, A2). Não poderia ser diferente, por isso a unanimidade de votos dos ministros. A liberdade de expressão deve predominar sobre outras liberdades. Da mesma forma, o STF discutirá a obrigatoriedade do ensino religioso em escolas públicas, uma questão de foro íntimo que insiste em ser tratada como questão estatal. Esperamos que os ministros daquela Corte tenham a mesma clareza e reafirmem a posição do Estado laico, com respeito a diferenças, de todos os credos e cores, sem qualquer imposição. Decisões podem ser legais, mas não necessariamente justas.

Adilson Roberto Gonçalves

prodomoarg@gmail.com 

Lorena

*

GOLAÇO DO STF

A abrangente abordagem de Carlos Alberto Di Franco proporciona ao leitor do "Estadão" (22/6) uma sólida base para conciliar suas eventuais reservas de associar questões de comportamento íntimo com malfeitos de pessoas públicas. Junto com meu aplauso, a torcida para que o jornalismo em geral siga as recomendações contidas.

Gunter W. Pollack

gunterwp@uol.com.br 

São Paulo

*

IDEOLOGIA DE GÊNERO

O Plano Nacional de Educação (PNE), que está sendo elaborado, introduz uma mudança surpreendente no conceito tradicional de famílias: as crianças, meninos e meninas, não seriam mais identificadas por sexo, mas por "ideologia do gênero". Tão estranha mudança mereceu severa crítica do arcebispo metropolitano de Belo Horizonte, Dom Walmor Oliveira de Azevedo, em brilhante artigo intitulado "Educação em Pauta", publicado no "Estado de Minas" em 14 de junho de 2015. Nesse artigo, Dom Walmor, referindo-se à "ideologia do gênero", afirma: "Trata-se de uma ideologia (...) que, ao ser inserida no Plano Nacional de Educação, determinará o ensino de que ninguém nasce homem ou mulher, mas que deve construir sua identidade, isto é, o seu gênero, ao longo da vida. Gênero seria uma construção pessoal. As crianças não deveriam aprender que são meninos e meninas. Essa absurda compreensão estaria no material didático e o papel educativo da família seria anulado e usurpado...". Não se sabe a origem desse diferente conceito de família. Ao que parece, "ideologia do gênero" teria por objetivo defender a homossexualidade perante a sociedade. Homens e mulheres homossexuais, que constituem uma minoria no Brasil e em todo o mundo civilizado, merecem respeito. Trata-se de uma opção pessoal de qualquer ser humano. Contudo, tais pessoas não devem impor à esmagadora maioria das demais pessoas, homens e mulheres, que aceitem que eles desfrutem dos mesmos direitos de todos, inclusive o de ter sua união com outra pessoa do mesmo sexo como casamento formal. Dom Walmor, no final de seu citado artigo, afirma também: "De modo rápido, todo cidadão deve buscar o diálogo com vereadores e deputados estaduais para que a ideologia de gênero seja radicalmente rechaçada. A sociedade não pode correr o risco de sofrer prejuízos irreversíveis. A educação está em pauta e é preciso, urgentemente, agir em defesa da família".

Olavo Nogueira Dell'Isola

olavondellisola@task.com.br

Belo Horizonte

*

INSINUAÇÕES E INSULTOS

Na coluna de Fábio Porchat de 21/6 no "Estadão" ("Laico"), o autor manifesta-se em relação aos evangélicos de uma forma que demanda resposta. Inicialmente, ele se declara ateu. Essa declaração é louvável pela sua franqueza, que não deixa dúvidas sobre a sua própria posição. Ponto a seu favor. Em seguida, comenta a realização de um culto na Câmara dos Deputados por iniciativa do seu presidente, Eduardo Cunha, contra o qual protesta pelo fato de tal iniciativa ser incompatível com o Estado laico - a Câmara, sendo um órgão do Estado, não deveria promover eventos religiosos. Não estou a par do evento citado, mas, se de fato ocorreu algo da forma descrita, o protesto também é pertinente, bem como a observação de que aquilo cria um precedente até perigoso. Até aí, portanto, tudo bem. Na sequência, porém, ele perde a objetividade, confunde sua opinião pessoal com a do "povo brasileiro" e passa a agressões descabidas. Levantando a hipótese de que, então, algum deputado também poderia realizar uma cerimônia de umbanda ali (de fato, poderia), ele receia de que este "talvez tomasse uma pedrada na cabeça". De quem?, pergunto. Seria dos evangélicos? O contexto não diz, mas sugere isso, e, se não for, a que visa essa insinuação? A seguir, ele se assusta com a tendência de a "tal bancada religiosa" defender seus interesses próprios, e não os da população. Pode até ser verdade em determinados casos (certamente não sempre) e, se for, será uma vergonha para quem assim procede, e a crítica novamente é pertinente. Entretanto, o autor não explicita tais interesses - outra insinuação genérica que fica devendo fundamentos. Prosseguindo, acusa o líder da Câmara de "incentivar a intolerância" religiosa. Ora, professar e defender sua posição nada tem que ver com intolerância, mesmo se a hora, o local e a forma não forem apropriados para isso. Passa, então, a acusar os evangélicos de impedir que a homofobia seja considerada crime. Cabe, aqui, a pergunta: o que é homofobia, afinal das contas? Até agora não vi nenhum dos aguerridos usuários desse termo se dar ao trabalho de definir com clareza essa geleia conceitual; antes, parece tratar-se de um bem-vindo projétil verbal para agredir quem quer que ouse fazer uso do seu direito constitucional de livre expressão para discordar das posturas da barulhenta e organizada minoria homólatra. Tentando interpretar objetivamente o termo, parece ser algum tipo de agressão contra outrem. Ora, agredir o concidadão já é crime por si só e não precisa de mais um nome especial para criar uma casta de mártires de uma causa no mínimo controversa. Segue uma reclamação de que a questão das células-tronco, a do casamento gay e a do aborto não sejam tratadas de forma séria "por causa de religiosos". Ora, e por acaso os defensores dessas causas primariam pela seriedade? Permito-me propor, aqui, alguns argumentos, e teria curiosidade em receber refutações consistentes a eles - sem chavões ideológicos, por favor. O uso de células-tronco - apenas as embrionárias, é importante que se ressalte - destrói os embriões de origem. Como até agora ninguém consegue afirmar com certeza em que momento a vida humana se inicia, deve-se pressupor até prova incontestável em contrário que esses embriões sejam seres humanos. Portanto, a prática em questão constitui homicídio. A menos, então, que os ateus defendam o homicídio por pragmatismo - o que seria um terror e não é imaginável -, fica claro que a questão não é em absoluto religiosa. A diferença é apenas que alguém consciente de que precisa prestar contas do seu procedimento ao Criador tende a ser mais cuidadoso nesse aspecto. O mesmo se aplica ao aborto, que também é claramente homicídio. É evidente que essa constatação impõe a exigência moral de prestar a uma mulher vítima de alguma gravidez forçada todo o apoio e carinho para ela poder conviver com esse trauma e superá-lo da melhor maneira possível, e é inegável que isso tem deixado muito a desejar, inclusive no arraial evangélico. Cabe, aqui, portanto, uma confissão de dívida deste lado, mas não é matando uma criança inocente que se resolve isso. A propósito, nada melhor que o genuíno amor e a misericórdia cristãos para oferecer uma ajuda eficaz a tais vítimas. Quanto ao casamento gay, parece que a discussão realmente vem sendo mal conduzida por ambos os lados. O fato é que em nossa sociedade já nem se consegue mais definir com clareza o que vem a ser casamento, tais têm sido as idas e vindas neste campo. Essa definição seria, portanto, necessária antes de debater o assunto. Já para condenar a adoção de crianças por parceiros gays também não é necessário ser religioso. Basta considerar que se trata, aqui, de usar crianças indefesas como cobaias numa experiência contrária à natureza e de efeitos na melhor das hipóteses imprevisíveis. A situação é a mesma que um eventual teste de novos e promissores medicamentos em crianças sem um sólido embasamento científico prévio, o que certamente é inadmissível também para ateus. Quanto a acusar "os evangélicos" daquele ataque a pedradas de uma menina de 11 anos num centro espírita no Rio, aqui já se trata de uma irresponsável e difamatória generalização. É absurdo, ofensivo e inaceitável identificar com "os evangélicos" um ou outro maluco que simplesmente se tenha autorrotulado assim. Finalmente, acrescentam-se ainda algumas barbaridades no "OS" ao artigo de Porchat: "A moça quer abortar, vocês não deixam". Pois é, tadinha da mocinha - os malvados evangélicos não deixam que ela mate seu bebê em paz. Quanta malvadeza! "Os gays querem adotar, vocês não deixam" - e deveríamos deixar que se jogue irresponsavelmente com a vida de indefesos submetendo-os a condições antinaturais sem um mínimo de garantias de sucesso? O encerramento, então, chega a ser infame: "Se o moleque vira bandido, vocês querem ver morto". Quem? De onde tirou esse insulto? O que mais queremos é que os bandidos, grandes e pequenos, sejam resgatados - e quero desafiá-lo a apresentar algum meio mais eficaz do que o "Evangelho" para regenerar criminosos de qualquer tipo. Infelizmente, Fábio Porchat fez mau uso do privilégio de poder expor livremente sua opinião numa coluna de jornal de grande circulação. Quem tem essa chance deveria lidar com ela com muito critério e responsabilidade, e não usá-la para difamar pessoas e convicções que nem conhece. O autor fica devendo uma retratação.

Rolando Körber

roland@korber.com.br 

São Paulo

*

'LAICO'

Finalmente alguém fala de maneira clara e objetiva sobre a radicalização religiosa que está acontecendo no Legislativo, e não é de hoje. Religião deve ficar fora da política e dos Poderes, para que o Brasil continue sendo um país de liberdade religiosa, como sempre foi, um país que sempre recebeu de braços abertos a diversidade! Parabéns, Fábio Porchat. 

Sabrina Miklautz

sabrina.miklautz@gmail.com

São Paulo

*

NEYMAR E A COPA AMÉRICA

Este tal Neymar Jr., que como todos quer ser o Pelé da atualidade, na realidade não passa de um irresponsável e mimado. Comete seus erros em prejuízo de uma seleção de passado de glória, toma uma suspensão justa, exemplar, e, como prêmio, o menininho vai passar férias na Espanha, enquanto os demais ficam responsabilizados de carregar a bandeira brasileira nas costas. Está na hora de a disciplina ser rigorosa com todos, sejam cobras ou minhocas da bola.

Joao Devitte Ferreira

j.devitte@devitteseguros.com.br 

São Paulo

*

CARLINHOS, DO FLAMENGO

Nossas homenagens ao grande Carlinhos, grande jogador e treinador, sempre pelo Flamengo. O ex-craque entregou suas chuteiras no gramado do Maracanã para o garoto Zico, seu substituto, num rito de passagem. Carlinhos, o Violino, tinha um futebol técnico e refinado. Depois, como treinador, conquistou os títulos do Brasileirão de 1987 e de 1992 para o Flamengo e ajudou a revelar vários jogadores de talento para o futebol brasileiro. De fala mansa, simples, discreto e humilde, Carlinhos deixou um importante legado para o futebol carioca e brasileiro. Descanse em paz.

Renato Khair

renatokhair@uol.com.br 

São Paulo

Mais conteúdo sobre:
Fórum dos leitores

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.