Fórum dos leitores

‘PETROLÃO’

O Estado de S. Paulo

17 Julho 2015 | 03h00

Conta outra...

Em depoimento na CPI da Petrobrás, o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, falou o que já sabíamos de antemão. Eximiu o governo de responsabilidades pela Operação Politeia, que confiscou as “carroças” de Collor na terça-feira, e afirmou que “nenhum fato relacionado ao desvio de dinheiro público, corrupção ou improbidade administrativa chegará perto da presidente Dilma”. Quem, em sã consciência, acreditava que ele soltaria o verbo e entregaria a chefe aos leões? Nem a velhinha de Taubaté! Dias atrás, a presidente disse que defenderia o mandato com unhas e dentes. Não precisará afiar as unhas nem cerrar os dentes, pois seus fiéis escudeiros já o têm feito. O ex-secretário do Tesouro Arno Augustin assumiu as ilegais pedaladas fiscais; Luis Inácio Adams, advogado-geral da União, trabalha no front para torná-las legais; e o ministro da Justiça acaba de assumir o agendamento do encontro em Portugal entre Dilma Rousseff e o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, no qual disse terem tratado tão somente do aumento salarial do Judiciário – a piada mais hilária do ano.

SÉRGIO DAFRÉ

sergio_dafre@hotmail.com

Jundiaí

‘Mera coincidência’

Lewandowski havia dito que o encontro com Dilma em Porto foi “mera coincidência”. Nem se fosse no Palácio do Planalto...

LUÍZ FRID

luiz.frid@globomail.com

São Paulo

Protesto sem razão

Os políticos reclamões alvos da Operação Politeia, entre eles Fernando Collor, insurgem-se, agora, contra as buscas e apreensões levadas a efeito pelos agentes da Polícia Federal (PF). Ora, esses atos não foram realizados levianamente. Muito pelo contrário, foram autorizados por ministros do STF. Não há razão para protestos contra a ação da PF, que, nesta, como em ações anteriores, está apenas cumprindo sua obrigação institucional.

PEDRO L. DE CAMPOS VERGUEIRO pedrover@matrix.com.br

São Paulo

Retaliação

A apreensão de veículos de alto luxo na casa do senador Fernando Collor causou espanto. O que leva um homem público a viver com tanto luxo, se depende do voto de miseráveis descamisados para se manter no cargo? Collor se diz vítima do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, e o acusa de práticas criminosas. Outros políticos também estão na mira da Polícia Federal, entre eles os presidentes do Senado, Renan Calheiros, e da Câmara, Eduardo Cunha. A profilaxia é necessária se quisermos, um dia, ter um país próspero e respeitado. Mas, no momento, o que se verifica é só um processo de retaliação em que os congressistas rompem acordos políticos e se vingam criando dificuldades para o governo. No embate, surgem acusações graves de uns contra outros. A Justiça precisa, com rapidez, apurar os fatos e as denúncias paralelas. E, sendo estas inverídicas, processar os falsos acusadores.

DIRCEU CARDOSO GONÇALVES

aspomilpm@terra.com.br 

São Paulo

A ética e a corrupção

As práticas políticas condenáveis e recorrentes – agravadas atualmente pelas ações deletérias de Dilma Rousseff, Renan Calheiros e Eduardo Cunha – apequenam e envergonham a sociedade brasileira. O editorial Chegou a vez dos maus políticos (16/7, A3), em que as ações da Polícia Federal contra políticos com foro privilegiado, devidamente autorizadas pelo STF, são analisadas de forma apropriada e contundente, orgulha aqueles que admiram e praticam os costumes da Politeia, “cidade ideal onde a ética prevalece sobre a corrupção”.

ALÉSSIO RIBEIRO SOUTO

souto49@yahoo.com

Brasília

Temer pede ‘tranquilidade’

Para que haja a “tranquilidade institucional” pedida pelo sr. Michel Temer (Estadão de 16/7), é essencial que o articulador político do governo Dilma diligencie para que os políticos nos poupem da mentira e da corrupção.

ISABEL KRAUSE DOS S. R. SOUTO

Brasília

Dá para entender?

O vice-presidente Michel Temer diz que “temos de buscar uma tranquilidade institucional”; o ex-presidente Luiz Inácio ameaça colocar “o exército do Stédile” nas ruas. Não estou entendendo...

EDUARDO M. SERRA NETTO

decimoserranetto@uol.com.br

São Paulo

JOSÉ DIRCEU

Pedido ao juiz

Parece que estamos perto de resolver o problema da superlotação nas penitenciárias brasileiras. Todo réu poderia protocolar, como fez o advogado do ex-ministro José Dirceu, um pedido para que não seja preso, sob a alegação de que “não aguenta mais a situação”. Que tal?

RICARDO C. SIQUEIRA

ricardocsiqueira@globo.com

Niterói (RJ)

Chega!

Tem razão José Dirceu em não aguentar mais o “teje preso”, “teje solto”. Até eu não aguento mais a angústia de não saber qual será o processo em que ele estará envolvido nos próximos dias, meses, anos. Haja coração! É o Zé Perseguido! Mas neste mato tem coelho...

M. MENDES DE BRITO 

voni.brito@gmail.com

Bertioga

Nomes aos bois

Na iminência de ter de enfrentar a cadeia novamente – já que cumpre prisão domiciliar pelos crimes cometidos no mensalão –, José Dirceu faria um grande serviço à Nação (e a si próprio) se resolvesse contar, em detalhes, tudo o que sabe. Afinal, seus companheiros, sobretudo o Brahma, nos trâmites da Operação Lava Jato, o colocaram para escanteio na hora em que ele mais precisava de apoio. Quem sabe agora ele resolve dar nomes aos bois e promove um estouro da manada, quando não sobrará pedra sobre pedra? Nós, cidadãos pagadores de impostos, horrorizados com o cenário atual do País, agradeceremos imensamente.

LÍGIA A. DE BASTOS MIQUELIN

ligia.miquelin@lmgets.com.br

São Paulo

ABASTECIMENTO

Reajuste da tarifa de água

Ao contrário do publicado no Estado ontem (16/7, A17), não é verdade que a Sabesp esteja negociando com a Prefeitura de São Paulo repasse de 7,5% para os consumidores.

JERSON KELMAN, presidente da Sabesp

São Paulo

N. da R. – O Estado mantém as informações publicadas.

ADAMS ESTÁ DESINFORMADO

Para o advogado-geral da União, Luís Inácio Adams, rejeição de contas nunca foi motivo de afastamento de autoridade. Talvez ele ignore que, desde que foi aprovada a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), nenhuma conta foi rejeitada pelo Tribunal de Contas da União (TCU), por isso não houve nenhum afastamento de chefes do Executivo. Agora, o povo espera que a LRF seja respeitada e não rasgada e que o TCU rejeite as pedaladas da Dilma. Fora, Dilma, não vou pagar a conta do PT! Dia 16/8, vou pra rua defender o meu país contra o seu desgoverno. 

Maria Carmen Del Bel Tunes Goulart carmen_tunes@yahoo.com.br

Americana

*

LEWANDOWSKI - CARGO INSUSTENTÁVEL

Diante desse encontro da presidente Dilma com o ministro e presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski - ocorrido no dia 7/7/15 em Portugal, e publicado no blog do jornalista Gerson Camarotti - ,  e ainda, com a confirmação de que o encontro foi “sem querer querendo pelo ministro da Justiça Cardozo, dizendo, a situação dos dois se agrava ainda mais, visto que se comenta que o encontro foi para melar a operação Lava Jato, e o parecer do TCU sobre as tais pedaladas fiscais da presidente Dilma. Portanto a situação do ministro Lewandowski fica insustentável, visto ser reincidente, já que, na Ação Penal 470 – no caso Mensalão, portou-se como militante do PT e advogado de defesa de vários réus, e não como juiz daquela Corte. Assim, deve sofrer punição, conforme  a Lei 1079/50, em seu artigo 39. Art. 39. São crimes de responsabilidade de ministro do Supremo Tribunal Federal:

1- alterar, por qualquer forma, exceto por via de recurso, a decisão ou voto já proferido em sessão do Tribunal;

2 - proferir julgamento, quando, por lei, seja suspeito na causa;

3 - exercer atividade político-partidária;

4 - ser patentemente desidioso no cumprimento dos deveres do cargo;

5 - proceder de modo incompatível com a honra dignidade e decôro de suas funções.

Agnes Eckermann agneseck@gmail.com

Porto Feliz 

*

                                                                                                                            PERNA DE PAU      

Para a grande ofensiva contra a possibilidade de rejeição das contas de 2014 pelo TCU, o Planalto escalou um time bem “meia-boca”. O destaque do insucesso veio do advogado-geral da União, Luís Inácio Adams, o camisa 10 do time. Primeiro Luís Inácio (bendito nome esse!) afirmou que este ano o governo está adotando as medidas necessárias para evitar qualquer “pedalada”, sem perceber e querer, com isso, acabara de delatar o crime de responsabilidade. Na sequência, o advogado do diabo disse esperar “julgamento técnico” - e eu aqui pensando que Dilma torcia pelo peso político na decisão do Tribunal! Já é hora de repensar a equipe para o jogo no Congresso Nacional, local, aliás, em que muitos do time da casa já jogaram pelo PT.

                                                                                                                                                                                        Elias Menezes elias.natal@hotmail.com

Nepomuceno (MG)

*

DÚVIDA DE DIRCEU

José Dirceu diz que "não agüenta mais" a pressão da dúvida: se vai ser preso ou não. O povo brasileiro também "não agüenta mais" vê-lo como principal figura de toda picaretagem instalada pelo PT no Brasil. Cana nele!

Frederico d'Avila Frederico d'Avila fredericobdavila@hotmail.com

São Paulo

*

FIM DA TRANQUILIDADE 

No meio do maior escândalo de corrupção de que se tem notícia no seu governo, o vice-presidente Michel Temer está preocupado com o abalo da "tranquilidade institucional” -  tranquilidade esta que sempre permeou o povo brasileiro. Ele pensa estar vivendo sob que regime?

Luíz Frid luiz.frid@globomail.com

São Paulo

*

QUE SEJA FEITA A JUSTIÇA!

Causa estranheza a declaração do vice-presidente da República, Michel Temer, de que a operação Lava Jato abala “a tranquilidade institucional” do País. Para ele, os últimos acontecimentos estremecem a “natural tranquilidade”, o que não considera positivo. Está querendo dizer que o funcionamento das instituições não é bom para o Brasil? Como assim? Vemos a Polícia Federal e o Ministério Público revirando hábitos espúrios de brasileiros, políticos e empresários, estes, sim, que tiram o tranquilo e saudável andamento do País. O funcionamento das instituições é legítimo e deve ser atuante, como está se mostrando. Se por acaso do “destino” a Lava Jato chegou às Suas Excelências, o que está causando revolta entre elas - imaginem, como ousam invadir as casas dos senadores, os pais da Pátria?-, que a intranquilidade reine até que o Brasil seja passado a limpo. De mais a mais, o brasileiro cansou de ser tranquilo e o caminho da busca da concórdia, que tanto Temer quer, é esse mesmo: justiça!!!

Myrian Macedo myrian.macedo@uol.com.br

São Paulo

*

ESTABILIDADE DA NAÇÃO

Michel Temer declarou que as ações da Polícia Federal estão desestabilizando o País. E a roubalheira dos políticos inescrupulosos?!? Por acaso ela mantém o País estável???

Geraldo Macias Martins maciasfilho@hotmail.com

Catanduva

*

A CRISE DENTRO DA CRISE

Belo artigo de Fernão Lara! Vai direto ao fulcro dos problemas do País. Linda a utopia que indica a solução desses problemas. Para lográ-la, haveria que fazer uma faxina radical no governo (em todos os seus níveis!). E pelo menos 50% das vítimas teriam de aprender a escolher os que exercem o poder "em seu nome".

Inês Levis ineslevis@hotmail.com

São Paulo

*

IMPEACHMENT

Parabéns, senhor Fernão! Por ocasião da publicação do “Como sair desse buraco”, em 17/6, ousei apelar para que caísse na real, mas hoje, entusiasmado, apelo para que continue chutando o balde. Depois de piedosa fritura, impeachment nela!

Sergio S. de Oliveira ssoliveira@netsite.com.br 

Monte Santo de Minas (MG)

*

FALTA SOLUÇÃO 

Foi com alentado entusiasmo e profunda frustração que li e reli o artigo de hoje, assinado por Fernão Lara Mesquita. Entusiasmo por ver, por fim, alguém abordar o este grave tema de maneira tão direta e objetiva, mostrando realmente a raiz de nossos problemas e os reais "donos do poder". Frustrado por não ver os "fazedores de opinião" ter como tema constante a busca de soluções para ele.

Luiz C. Sambo lsambo@amcham.com.br 

São Paulo 

*

CORRUPÇÃO

O ex-ministro José Dirceu parece preocupado. Devia ter pensado e agido de forma honesta. Enquanto tinha o poder de super-homem do PT, preferiu enveredar para o lado do crime e agora terá de pagar. A vida está lhe dando uma grande chance de se redimir. Ministro abra a boca e fale tudo! O senhor prestará um grande serviço à Nação não se esqueça de que ele e o partido lhe abandonaram. Ninguém mais lhe respeita.   

Jose Roberto Iglesias rzeiglezias@gmail.com 

Sao Paulo  

*

O BRASIL VAI MUDAR

O senador Renan Calheiros, sempre ele, afirma que o Senado estuda processar a Polícia Federal, o vice-presidente, Michael Temer, diz que a operação Lava-Jato abala a "tranquilidade institucional". Os donos do Brasil estão sentindo o que nunca sentiram na vida: medo. 

Mário Barilá Filho 

mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo 

*

DESRESPEITO    

Enquanto o Brasil gastou e gasta bilhões de reais com futebol, um dos nossos verdadeiros e incontestes heróis dos Jogos Pan-americanos de Toronto, o nadador Nicolas Oliveira, medalha de ouro no revezamento 4 X 200 em natação não poderá receber sua merecida e honrosa medalha de ouro, a ser entregue hoje, por "obra e graça" e recurso de adversários, vez que os "donos" do COB não dispõem de "logística" para que ele só retorne ao nosso estimado Brasil amanhã!  Mais uma para o nosso triste acervo...

Fernando de Oliveira Geribello acrux16@gmail.com

São Paulo

*

COB DEFENDE CONTINÊNCIA

A fim de preservar a precisão terminológica que faz do Estadão o marco de referência da imprensa brasileira, há que se esclarecer que o termo "bater continência" é impróprio. O correto é "prestar continência".

Luiz Eduardo Pesce de Arruda luizeduardoarruda@yahoo.com.br

São Paulo

*

ATLETAS NO PAN

Ora, a continência sempre foi e sempre será a saudação dos militares, uns se abraçam, beijam-se, apertam as mãos, mas na caserna é assim, nossos briosos atletas, vencedores em competições, assim o fazem brilhantemente, parabéns a eles, não entendo uma parte da imprensa criando celeuma por isso, afinal, não pode esta mesma imprensa, esquecer de tantos feitos nesse país efetuado pelos militares, inclusive atendendo ao anseio de sua população nos tempos de dificuldades. Milhares de obras estão aí, só não vê quem não quer que aos atletas vencedores continuem a elevar o nome de nossa Nação. 

Julio Jose de Melo  julinho1952@hotmail.com 

Sete Lagoas (MG)

*

CONTINÊNCIA SEM SENTIDO

Quanto ao fato do COB defender a continência dos atletas, gostaria de observar o seguinte: No Exército Brasileiro não é permitido fazer continência descoberto, isto é, sem quepe ou boné. Acredito que a continência dos atletas no pódio torna-se sem sentido.

J.B. Faria - Faria faria@doormatic.com.br

São Paulo

*

‘PATRIOTISMO’

Absurdo vocês colocarem patriotismo entre aspas! (A26, 16/7). Os esportistas que fazem isso estão se dedicando e elevando o Brasil. E quem fez esta "crítica" estÁ sentado em si. Não importa como o País se encontra no momento. É meu país. Recebeu meu pai em meio a uma guerra e o acolheu sem ressalvas. Só isso já me fará grata. E, de resto, trabalho honestamente para melhorá-lo.

Silvia Helena Schechtmann shsadvs@gmail.com

São Paulo

*

LIBERDADE DE EXPRESSÃO

Atletas de outros países fazem reverência à Ala, prestam continência e tantas outras manifestações espontâneas de religiosidade ou patriotismo, frutos da liberdade de expressão! Por que se tenta "politizar" o fato de os atletas prestarem continência? Após longos anos de governo petista, vemos um partido que se dizia de esquerda, mostrar-se apenas como um partido que quer se mantiver a qualquer custo no poder. Ele investe contra a liberdade de expressão, a religiosidade, expressões de patriotismo e do dever, tornando mais fácil a sua sede de manutenção do poder. Estas manifestações são o que mantêm uma nação unida! Brasileiros, unamo-nos contra a intolerância!

Hugo Hideo Kunii  hugo.kunii@terra.com.br

Campinas

*

HONESTIDADE DA PRESIDENTE DILMA

No seu depoimento na CPI da Petrobrás, quarta-feira passada, o ministro José Eduardo Cardozo disse que tinha uma relação de amizade de muitos anos com a presidente Dilma e, portanto, podia afirmar com muita segurança que “honestidade” era uma das qualidades da presidente. Durante seu primeiro mandato e principalmente na campanha de 2014, para sua reeleição, a presidente Dilma não se cansou de afirmar coisas que hoje a realidade e os números mostram ter sido grandes mentiras. Nos meus 69 anos de vida, nunca consegui qualificar como honesta, uma pessoa que mente. Será que estive errado todo este tempo? 

Abrahão Saliture Neto saliture@uol.com.br

São Paulo 

*

DUAS FALAS

O ministro da Justiça disse que a presidente é de honestidade inatacável. Será? Seria honesto fazer uma campanha em TV, para todo o País, deliberadamente modificando e encobrindo as verdades? Mais cuidado, sr. ministro, mais cuidado! Já o vice presidente afirma que os procedimentos em andamento geram intranquilidade institucional. Quer dizer, então, que para termos tranquilidade institucional todos esses bandidos poderiam continuar roubando nosso país sem serem incomodados? Mais cuidado, senhor vice, mais cuidado!

 

José Roberto Cicolim jrobcicolim@uol.com.br

Cordeirópolis  

*

AFIRMAÇÃO INFELIZ

A afirmação do ministro José Eduardo Cardozo aos deputados na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobrás de que honestidade de Dilma é inatacável foi infeliz. Não está entre os defeitos da presidente Dilma a desonestidade, esqueceu-se, de má-fé, da campanha desonesta e mentirosa para ganhar as eleições, a qualquer custo. Pela traição da palavra empenhada, pela corrupção e pelo desvio do dinheiro público no seu governo, o seu mandato está por um fio. Outra barbaridade, dizer que Dilma é impopular por ser honesta.  Logo, por que Lula é popular?

José Wilson de Lima Costa jwlcosta@bol.com.br

São Paulo 

*

MARAJÁ?

Esse filme eu já vi!  A operação da Policia Federal na casa da Dinda, onde foram apreendidos três veículos, "Lamborghini, Ferrari e Porsche" do ex-caçador de marajás, Fernando Collor, repetiu as mesmas cenas da apreensão dos carros do arquimilionário Eike Batista.  Semana que vem todos os veículos já estarão na garagem da casa do senador.

Arnaldo Luiz de Oliveira Filho arluolf@hotmail.com

Itapeva

*

CURTA E GROSSA

Na casa da Dinda do sr. Fernando Collor de Melo foram apreendidos, pasmem, uma Lamborghini, uma Ferrari e um Porche. O sr. Collor tem declarado em seu Imposto de Renda uma pequena frota de 14 (quatorze) carros. A Ferrari e a Lamborghini estão em seu nome. O Porche está em nome de um Posto de Gasolina. Moral da história se ganha bem mais sendo senador do que presidente e ainda não acontecerá nada porque ele desfruta de fórum privilegiado. Parabéns, Brasil! 

Urias Borrasca urias@mercosulrefratérios.com.br

Sertãozinho (MG)

*

O MELHOR PARA O BRASIL

Diariamente a mídia publica notícias sombrias sobre o andamento da Lava Jato e ainda sobre os resquícios do mensalão. Queiram ou não Lula e Dilma estão envolvidos até a raiz dos cabelos. Sugiro aos dois que façam também delação premiada. Isto feito abram mão de seu patrimônio conseguido ao longo dos seus desgovernos e peçam asilo na Itália e na Bulgária, respectivamente. Com certeza não terão boa vida nestes países, pois a ausência de qualificação os submeterá a trabalhos subalternos.  Mas que tenham sucesso. Tenho certeza que esta atitude é a melhor para o Brasil

Iria de Sa Dodde iriadodde@hotmail.com

Rio de Janeiro

*

DEFININDO O CARÁTER 

Nem com dinheiro de propina o sujeito paga o IPVA dos carros comprados. Exemplo de cidadão.

Claudio Juchem cjuchem@gmail.com

São Paulo 

*

COLLOR, O SEM CARÁTER 

Quando o sujeito é ordinário e canalha não deixa por pouco. Fernando Collor recebeu R$ 20 milhões de propina e com esse dinheiro comprou vários carros importados e não pagou o IPVA.   É o cúmulo! Nem com dinheiro de corrupção o sujeito paga os impostos devidos.  Quando você pensa que já viu tudo que esses políticos corruptos aprontam, eles conseguem se superar a cada dia. Como ele mesmo dizia, “o tempo é senhor da razão". Quem achava que ele era corrupto quando presidente, agora tem certeza absoluta e evidências concretas.

Claudio Juchem cjuchem@gmail.com

São Paulo 

*

ONDE HÁ FUMAÇA...

A reação desproporcional do Senado corrobora a operação Lava Jato. Não custa lembrar: "quem não deve, não teme".

Ricardo C. Siqueira ricardocsiqueira@globo.com

Niterói (RJ)

 

*

POLITEIA

As críticas do presidente do Senado, Renan Calheiros, e a do ex-presidente Fernando Collor à ação da Polícia Federal são pífias, ridículas e arrogantes. Demonstram bem o espírito coronelista que rege o comportamento de vários políticos e congressistas, ou seja, se consideram inatingíveis, acima da lei e da ordem. As coisas vão sim, piorar muito para eles.

Luciano Harary lharary@hotmail.com

São Paulo 

*

SUSPENSÃO DE DIREITOS POLÍTICOS

Numa hora em que os parlamentares estão empenhados em recuperar a imagem do Congresso perante a opinião pública, realizando, a toque de caixa, a tão esperada reforma política, que tal aproveitar a ocasião e incluir nela a alteração do tema: “Perda e suspensão de direitos políticos” previsto no Art. 15 da Constituição? A alteração proposta seria suprimir toda a parte referente à suspensão e alterar a referente à perda, mudando o prazo de indeterminado para ad eternum e manter todas as hipóteses para a aplicação dessa pena, acrescidas daquelas previstas na suspensão. Evitar-se-ia assim que os apenados, tão logo se expire o prazo da pena, se candidatem e retornem ao Congresso para novamente praticar seus atos ilícitos, como está ocorrendo no momento.

Gerson S. Monteiro gersufn@uol.com.br 

Sorocaba

*

IMPEACHMENT

Impeachment, Sr. Veríssimo, não é e nunca foi golpe. É a situação prevista e capitulada na Lei Maior. Seria de melhor alvitre informar-se a respeito.

Ademir Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

*

PEDRA NO SAPATO

Caro Veríssimo, sem tempo, por tanto escrever, você certamente não percebeu que o monolito do Kubrick já foi achado. Há mais de década. Bem à época da primeira posse de Lula. Grande monolito. Em verdade, uma enorme pedra... em nossos sapatos.

Enilson Silviano es.line@uol.com.br

São Paulo

*

ACORDO NUCLEAR HISTÓRICO EUA – IRÃ

Parabéns aos EUA e Irã pela celebração do acordo nuclear histórico, após anos de negociações. É mais um gol marcado por Barack Obama na política externa em seu segundo mandato presidencial. Depois de Cuba, agora foi a vez do Irã. Mostra que diálogo, respeito, boa vontade e entendimento são sempre o melhor caminho. O fato de Israel ter protestado veementemente contra o acordo, apenas confirma e ratifica que Obama e o Irã buscam a paz e o respeito pela livre determinação dos povos, como deve ser'.

 

Renato Khair renatokhair@uol.com.br

São Paulo

*

HISTÓRICO E INTELIGENTE

Pode ser que dê tudo errado, mas o líder americano Barack Obama talvez seja o primeiro presidente a vislumbrar mais do que guerra no Oriente Médio.

Ricardo C. Siqueira  ricardocsiqueira@globo.com

Niterói (RJ)

*

ALEMANHA E GRÉCIA

Os governantes são o reflexo do povo. Platão 350 AC, filósofo grego. Filosofar só em grego ou alemão. Martin Heidegger, filósofo alemão. A Grécia finge que joga e a Alemanha finge que paga. Vampeta, filósofo brasileiro. 

Luiz Henrique Penchiari lpenchiari@gmail.com

Vinhedo 

*

DOIS PESOS

Apresentadores mirins de programa infantil, que têm no seu trabalho assistência de psicólogos e nutricionistas, são acompanhados por seus pais, ou responsáveis, recebem excelente remuneração, foram proibidos de exercer a atividade. Já menores maltrapilhos cheirando cola pelas ruas do centro, crianças exploradas por adultos,  mendigando  nos cruzamentos entre carros e meninas na tenra idade, dançando músicas pornográficas em bailes da periferia estão todos liberados. Justiça hipócrita!

Sergio Cortez cortez@lavoremoveis.com.br

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.