Fórum dos leitores

OPERAÇÃO LAVA JATO

O Estado de S. Paulo

29 Julho 2015 | 03h00

Operação Radioatividade

Começou com o mensalão, passou para a Petrobrás e já chegou à Eletronuclear – seu presidente licenciado foi preso ontem, na 16.ª fase da Operação Lava Jato. Só Deus sabe aonde vai parar tanta corrupção!

VIRGÍLIO MELHADO PASSONI

mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

A vez do setor elétrico

Ufa! Finalmente uma notícia para desviar a atenção do petrolão! Começou o eletrolão.

CARLOS ALBERTO ROXO

roxo_7@terra.com.br

São Paulo

‘Valão’

Já tivemos o mensalão, o petrolão e, agora, o eletrolão. Ainda bem que Fernando Henrique Cardoso privatizou a Vale, senão teríamos também o “valão”, para enterrar de vez o Brasil.

WALTER MENEZES

wm-menezes@uol.com.br

São Roque

Lava Jato

O projeto de poder do PT está desMOROnando.

LEONEL L. LUCARIELLO FILHO

leonellucariello@gmail.com

São Paulo

PIB e corrupção

Não tendo mais onde se agarrar em sua queda vertiginosa de popularidade, a presidente Dilma Rousseff agora afirma que a Operação Lava Jato foi responsável pela queda de um ponto porcentual no produto interno bruto (PIB) do Brasil. Essa afirmação é um elogio ao trabalho saneador do Ministério Público e da Polícia Federal, que vem deflagrando um duro golpe contra a corrupção no País? Ou a presidente está lançando uma crítica aberta contra a força-tarefa capitaneada pelo juiz Sérgio Moro e que está submetendo os supostos “acima da lei” e seus cúmplices políticos aos rigores do Código Penal? Se esta última alternativa estiver correta, a presidente merece, sim, sofrer um impeachment. É inadmissível que tenhamos no mais alto cargo da República alguém que, para justificar sua inabilidade política, se torne defensora da impunidade.

PETER CAZALE

pcazale@uol.com.br

São Paulo

Culpa de quem

Não foi a Lava Jato que provocou a queda de um ponto porcentual no PIB, como afirmou a presidente Dilma, mas a corrupção generalizada e a incompetência absoluta de sua gestão, que vêm destruindo o País. 

MÁRIO BARILÁ FILHO

mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo 

A lógica presidencial

Dilma agora não culpa FHC pela despencada do PIB, mas a Lava Jato. Quer dizer que nocivo ao País é o desvendar das falcatruas, e não o praticá-las? Ó tempora, ó mores, como lamentava Cícero...

EDUARDO SPINOLA E CASTRO 

esc@scvs.adv.br

São Paulo

Cálculos

A afirmação da presidente de que a Lava Jato tirou um ponto porcentual do PIB revela o quanto ela entende de Economia e de Estado de Direito.

CÁSSIO M. DE R. CAMARGOS

cassiocam@terra.com.br

São Paulo

Manobras de 2015

Nós, eleitores brasileiros, queremos saber quantos pontos porcentuais serão reduzidos do PIB de 2015 em razão de pedaladas fiscais e das maracutaias e falcatruas cometidas no petrolão.

ANTÔNIO CARELLI FILHO

palestrino1949@hotmail.com

Taubaté

Pedalada mental

Deixe-me ver se entendi: então foi a Lava Jato, e não os petralhas que roubaram bilhões da Petrobrás, a causa da queda de um ponto porcentual do PIB? Mais uma pedalada mental?

RENATO OTTO ORTLEPP

renatotto@hotmail.com

São Paulo

Delação premiada

Pensando talvez em salvar a própria pele, implicado que está na Operação Lava Jato, o deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) diz que apoia o projeto de alteração na legislação do instituto da delação premiada, proibindo que ela seja adotada por alguém que estiver preso. Sr. deputado, a mudança que se faz necessária é outra: transformar em crimes hediondos os crimes de corrupção, desvio de verbas públicas, mau uso do dinheiro público, etc. Isso considerando as consequências gravíssimas desses atos ilícitos, como a quantidade de mortes causadas pela falta de investimentos em serviços de saúde, pela falta de saneamento básico, pela falta de segurança e as crianças e jovens condenados a não terem um futuro pela falta de escolas e de educação de qualidade. Talvez até a punição prevista para crimes hediondos ainda seja branda demais para tanto estrago.

REGINA SIEBERT DE MORAES

reginasiebert@uol.com.br

São Paulo

Culpa no cartório

É impressionante a atitude infantil de Eduardo Cunha ao dizer que é contra a delação premiada como hoje utilizada. Quase posso afirmar que ele tem culpa no cartório. Afinal, quem não deve não teme.

JOÃO RICARDO SILVEIRA JALUKS

joaosilver45@gmail.com

São José dos Campos

Pela clientela

Causa estranheza o advogado e ex-presidente da OAB-SP Luiz Flávio Borges D’Urso propor o aperfeiçoamento do instituto da delação premiada, proibindo que alguém que esteja preso adira à delação. O advogado, agindo em causa de seus clientes, não deveria, em nome da ética, fazer tal proposta.

GILBERTO DE LIMA GARÓFALO

gilgarofalo@uol.com.br

São Paulo

INFRAESTRUTURA

Do discurso à realidade

Sobre o caderno especial Infraestrutura (Estadão, 28/7), lembrei-me de que, cinco anos antes da inauguração do petroleiro André Rebouças no Porto de Suape, no Estaleiro Atlântico Sul, por Dilma Rousseff, Lula havia feito outra inauguração, no mesmo estaleiro. Foi o petroleiro Antonio Candido, em 2010. Ele inaugurou um “casco”, pois o navio não estava pronto. Foi um belo discurso, “nunca antes neste país...”, etc. Faltava toda a parte interna. Ficou pronto só 1,5 ano depois, com problemas de equilíbrio (o navio adernava). Até hoje não pode receber a carga máxima. Eu estava lá, porque minha empresa foi fornecedora do estaleiro e tivemos de suspender os trabalhos por falta de pagamento.

GIAMPIERO GIORGETTI

ggiorgetti@.com.br

São Paulo

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

DESESPERO DE DILMA

Dilma cobra reação de ministros contra o impeachment.

Afinal, são ministros os quase 40 ou cães de guarda? Já deve ficar satisfeita se não participarem dos protestos marcados para 16 de agosto.

M. Mendes de Brito voni.brito@gmail.com

Bertioga  

*

IMPEACHMENT

“Dilma cobra reação de ministros contra impeachment.”

Essa é a principal manchete do jornal de 28/7. Se a presidente tivesse um mínimo de racionalidade, aproveitaria a reunião com os 12 de seus 39 ministros para apresentar sua renúncia e, assim, deixar outros menos incapazes tentar salvar o que resta do País. Sua obstinada teimosia e ignorância estão sendo fatais para o futuro da Nação.

Mário Rubens Costa costamar31@terra.com.br

Campinas 

*

MEDO DA PRESIDENTE

Depois de buscar o apoio dos governadores para a defesa no Tribunal de Contas da União (TCU), Dilma vem agora exigir que os ministros enquadrem suas bancadas para barrar o impeachment que se aproxima. Estes fatos demonstram o total desespero que tomou conta da presidente. Se estas convocações não derem certo, só resta à “presidenta” seguir os conselhos da senadora Marta Suplicy (ex-PT-SP): “relaxe e goze, porque depois você esquece todos os transtornos.” 

José Carlos Degaspare degaspare@uol.com.br

São Paulo

*

O DÓLAR E A POPULARIDADE

A presidente Dilma se prepara para novo discurso em rede nacional de rádio e televisão. É interessante que nas últimas tentativas de comunicação - na realidade os programas petistas apenas atacam as tais elites -, a popularidade dela despencou ainda mais, os panelaços ecoaram no Brasil inteiro e houve, involuntariamente, uma convocação para ir às ruas (o que se repetirá em 16 de agosto). Será que vamos assistir à proeza do dólar passar a popularidade da presidente da República?

Elias Natal Lima de Menezes elias.natal@hotmail.com

Nepomuceno (MG)

 

*

PERIGO IMINENTE

Está difícil de entender.  A presidente Dilma há duas semanas falava sobre o impeachment como águas passadas e com seu estilo arrogante e prepotente até falou: “isto é moleza”. Mas ontem ela convocou os ministros para socorrê-la do impeachment que vorazmente o Sr. Eduardo Cunha deverá deflagrar. Sabedoria chinesa: você só se arma até os dentes, quando o perigo é iminente.   

Ivan Bertazzo bertazzo@nusa.com.br

São Paulo

   

*

FALTA DE COMPOSTURA

Lula já falou o que tinha de falar, já roubou o que tinha de roubar. Já passou da hora de envergar o pijama e se recolher à sua insignificância política. 

Ariovaldo Batisita arioba06@hotmail.com

São Bernardo do Campo

*

FHC E LULA

Não acredito na possibilidade de ajuda de FHC. Se realmente acontecer, é porque Lula sabe algo que não pode ser revelado, comprometedor para FHC.

 

Edson Baptista de Souza baptistaedson@ig.com.br 

São Paulo

*

FORA DE CONTROLE

A presidente Dilma Rousseff resolveu agora culpar a  Operação Lava Jato  pela queda do PIB  – Produto  Interno Bruto. Anda mais perdida do que o cão que caiu do caminhão de mudança. A mulher está descontrolada!

 

 

Maria Elisa Amaral marilisa.amaral@bol.com.br

São Paulo

*

DISTORÇÃO

A presidente Dilma, em reunião, disse que a culpa pelo mau desempenho da economia é a Operação Lava Jato. Ela está desinformada, pois os culpados são todos os personagens envolvidos direta ou indiretamente na fenomenal roubalheira dos recursos públicos, no maior escândalo de corrupção da nossa história. Distorcer os fatos já é praxe no governo do PT.

Odiléa Mignon cardosomignon@gmail.com

São Paulo

*

VAI FALTAR LUGAR

Se a operação Lava Jato continuar nesse ritmo, vai faltar cadeia no Paraná!

Silvio Leis silvioleis@hotmail.com

São Paulo 

*

QUANTO VAI CUSTAR?

Quanto vai custar a reação de ministros contra o impeachment da presidente Dilma? Os 39 ministros terão uma oportunidade de ouro para fazer a única coisa que eles sabem fazer: barganhar no melhor estilo toma lá dá cá. A presidente Dilma terá de desembolsar bem mais que um ponto percentual do PIB para aplacar a fome das 39 hienas famintas, diante da suculenta carniça em que se transformou o seu governo. 

Mário Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo 

*

OPERAÇÃO RADIOATIVIDADE

A polícia deflagrou ontem a 16ª fase da Operação Lava Jato, batizada de Operação Radioatividade.  O que povo quer é que a próxima fase acabe de vez com o câncer da corrupção no Brasil. 

Claudio Juchem cjuchem@gmail.com

São Paulo

 *

NOVA GERAÇÃO DE BRASILEIROS

Os promotores da Operação Lava Jato inauguraram uma nova geração de brasileiros!

 

Eugênio José Alati eugeniojalati@gmail.com

São Paulo

*

NADA ESCAPA

A Lava Jato já está chegando ao setor elétrico. Fizeram buscas na Eletronuclear. Difícil acreditar e aceitar que só na Petrobras havia os esquemas que foram levantados. Se continuarem, vão achar muita coisa em outros setores também. Estradas de rodagem, saúde pública, etc. Nos Estados e municípios então! Vamos ver quem se salvará.

Panayotis Poulis  ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

*

FACTÓIDES

Dilma atribui queda de 1% do PIB às investigações da Lava Jato. E por que existe a Lava Jato? Governadores querem defender Dilma das pedaladas, pois as praticam tendo em vista os programas sociais e temem efeito cascata, caso ela possa vir a sofrer impeachment. Os políticos já perderam totalmente a vergonha. Não precisam inventar mais nada.

Paulo Henrique Coimbra de Oliveira ph.coimbraoliveira@gmail.com

Rio de Janeiro

*

PETROLÃO X QUEDA DO PIB

Dilma responsabilizou a Operação Lava Jato pela queda do PIB. Então a culpa é da polícia federal? É lógico que não. Os irresponsáveis que deixaram a situação chegar nesse ponto têm o dever de assumir que não tiveram competência para administrar o dinheiro da Petrobras. O País está uma bagunça por causa dessa corrupção desenfreada, somada à péssima administração das empresas estatais. A solução dos problemas brasileiros é complexa, vai ter de passar pela privatização, para acabar com essa pouca vergonha de queimar o dinheiro público, como se não pertencesse a ninguém.

José Carlos Saraiva da Costa jcsdc@uol.com.br

Rio de Janeiro

*

JAVA JATO

Conte tudo, Léo Pinheiro, preste um grande serviço ao Brasil. Palácio é sede de governo e não pode ser covil. Os brasileiros estão torcendo pra que chegue essa hora. Não poupe ninguém. Desmascare os lobos travestidos de cordeiros.  Para moralizar o nosso país, só prendendo esses bandoleiros.   

                                                         

Jeovah Batista jeovahbf@yahoo.com.br

Taquari (DF)

*

CORRUPÇÃO

Com a colaboração imparcial da Suíça para rastrear o dinheiro da corrupção vindo dos cofres da Petrobrás, os petistas, companheiros e sócios, estão fazendo a alegria dos advogados que vão defendê-los.

 

Luiz Bianchi R. Correia de Lemos luizbianchi@uol.com.br

São Paulo

*

HIPOCRISIA EXPLÍCITA

É lamentável que um sujeito da idade do ministro Eliseu Padilha não tenha o menor escrúpulo de "justificar" o seu proceder de deslavado fisiologismo, quando compara, indevidamente, é claro, a conduta dos políticos alemães em relação ao Estado com os celerados brasileiros que se dizem políticos, salvo, é certo, infelizmente, raríssimas exceções. 

Carlos Benedito Pereira da Silva carlosbpsilva@gmail.com

Rio Claro

*

SÓ FALTAVA ESSA!

Escudar-se nas responsabilidades dos outros (os governadores) para tentar eximir-se das próprias (as da presidente) é o mesmo que tentar tapar o sol com a peneira. A luz os expõe a todos, indistintamente.

Eduardo Augusto Delgado Filho e.delgadofilho@gmail.com

Campinas

*

VIROU HÁBITO 

As pedaladas efetuadas por Dilma e companhia foram tantas que ela foi contaminada. Tanto que ela agora só aparece pedalando sua bike para não perder o hábito.

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

GESTO DE GRANDEZA

A presidente Dilma convocou todos os governadores dos Estados da nossa Federação para uma reunião em palácio, na próxima semana, com o objetivo de discutir uma solução para a crise política, que ela está encrencada. "Ora, direis, ouvir estrelas", lembrando os belos versos de Olavo Bilac, o que farão os governadores nessa reunião, senão repetir o que todos já sabem: cara presidente, o filho é seu, foi gestado durante os últimos quatro anos de seu mandato anterior, você não quis que ele nascesse no ano passado, escondeu-o de todos, e agora ele nasceu totalmente deformado. Presidente, seja sincera pelo menos uma vez e, num gesto de grandeza, diga a todos nessa reunião: não vou continuar destruindo esse país, pois ninguém acredita mais em mim e na política econômica de nosso partido e de meus aliados, informo a todos os presentes que renuncio ao mandato em benefício de todos os brasileiros honestos, que certamente encontrão um novo rumo, nas mãos de meu sucessor. 

João M.Ventura joaomv@terra.com.br

São Paulo

           

*

PACTO PELA GOVERNABILIDADE

A presidente Dilma convidou todos os governadores para uma reunião no próximo dia 30, para discutir e firmar um "pacto de governabilidade". Se os governadores da oposição aceitarem esse convite, estarão traindo os seus eleitores e também perderão a credibilidade. Desejo, sinceramente, que eles continuem do lado do povo e não se unam com essa quadrilha. 

Maria Carmen Del Bel Tunes carmen_tunes@yahoo.com.br

Americana

*

PREJUÍZO 

Com o cancelamento do projeto espacial com a Ucrânia, com prejuízo de U$ 500 milhões, a única coisa que vai para o espaço é a credibilidade deste governo.

Luíz Frid luiz.frid@globomail.com

São Paulo

*

CAÇAS SUECOS

Como reconhecer um governo de aloprados? Fácil! Em dezembro de 2013 o governo Dilma Rousseff anunciava a compra de 36 caças supersônicos suecos, Gripen, por US$ 4,5 bilhões, tendo os Estados Unidos e a França perdido as negociações. No momento em que o governo aplica um garrote vil sobre trabalhadores e aposentados, tenta um ajuste fiscal para indultar a presidente das irregularidades cometidas nas "pedaladas" está perigando essa despesa de US$ 4,5 bilhões ou mais de R$ 13 bilhões não ser paga. Desfazer o contrato é inviável, porque além da perda de tempo a desistência implicaria multas. Equipam-se Aeronáutica, enquanto o Exército e a Marinha ainda voltarão às catapultas e às galés com remadores.

Jair Gomes Coelho jairgcoelho@gmail.com

Vassouras (RJ)

*

O BRASIL CARECE DE JATOS SUECOS?

Pergunto: Para que gastar US$ 5 bilhões, dinheiro que não temos em jatos suecos? O Brasil terá dificuldade em obter recursos para mantê-los e manuseá-los adequadamente tanto em peças quanto em mão de obra (pilotos, mecânicos e demais técnicos). Nossos maiores inimigos não estão além fronteiras, estão encastelados em Brasília e aos poucos serão transferidos para presídio em Curitiba, de camburão.  Problemas fronteiriços são com os narcotraficantes e contrabandistas de armas, fornecedores dos traficantes bandidos tupiniquins. Para esses traficantes, a boa receita seria aplicar esse dinheiro em aviões turbo hélices tucanos, que foram e são utilizados com sucesso na Colômbia e em outros países, barcos patrulhas dos rios fronteiriços e instalação de bases de apoio (médico, transmissão, inteligência, obras sanitárias). Não precisamos de jatos importados, o Brasil pela Embraer e outras indústrias aeronáuticas tem experiência em reformas e melhorias de jatos. E por que não construir jatos que não sejam de última geração, mas que serviriam de escada para os mais sofisticados em momentos futuros?

Fernando Pastore Junior fernandopastorejr@gmail.com

São Paulo

*

ENROSCO

A compra dos Gripen engripou...

Ademir Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

 

*

CAÇAS SUECOS

A inflação e os juros aqui no Brasil estão acima da estratosfera, local onde os 36 caças Gripen NG, comprados pela FAB, não conseguem alcançar para o combate. Já o PIB está abaixo do nível do mar, local impróprio para atuação dos brinquedinhos suecos de US$ 5,4 bilhões. Brincadeirinhas à parte, nesse momento em que a população é convocada para dar seu sangue em nome da estabilidade econômica, o que temos de resolver com os suecos não é um desconto nos juros nem mesmo para zero, e sim o cancelamento ou adiamento dessa insana despesa.

Abel Pires Rodrigues abel@knn.com.br

Rio de Janeiro 

*

PCC

PCC: Primeiro Comando da Capital e o do Estado de SP. Até quando?!

J.S. Decol decoljs@globo.com

São Paulo

*

PSDB E FACÇÕES CRIMINOSAS

“O Governo do PSDB não negocia com facções criminosas.” Avisem LULLA de que não precisa tentar conversar com FHC!

Claudio Juchem cjuchem@gmail.com

São Paulo 

*

SEM ACORDO ALGUM

No ano de 2006 a maior cidade do País foi governada, ao menos por um dia, por uma facção criminosa. Até mesmo policiais se esconderam dos criminosos. É evidente que o governo PSDB negaria qualquer acordo para pôr fim à onda de crimes naquela ocasião. Aliás, tal governo não é propenso a acordos nem sequer com professores! Talvez o governo não faça distinção entre essas duas categorias.

Daniel William da Silva Santos  daniel.wss@terra.com.br

Americana

*

MAIS UMA DE HADDAD

Mais uma "patetada" do prefeito de São Paulo. Agora em Moema, no quadrilátero da Avenida Iraí, Alamedas Jurupis  e Aratansa. Ele inverteu a mão da metade das ruas, portanto isto só está servindo para piorar ainda mais o trânsito. Até quando aguentaremos este "iluminado"?

GABRIEL ANASTACIO anastacioangola@terra.com.br

São Paulo

*

OBRAS LENTAS DO METRÔ 

São Paulo precisa de 500 quilômetros para se tornar uma cidade moderna. Considerando que em 47 anos construímos uma média de 1,66 km/ ano, a malha se completará após 254 anos. Prefeito, governador e presidente não se envergonham dessa inércia? Paulistanos, precisamos cobrar!!!

Marius Arantes Rathsam mariusrathsam@hotmail.com

São Paulo

*

ESTUPRO NA USP

Sou professora da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade  (FEA) da Universidade de São Paulo e gostaria de compartilhar algumas palavras sobre o estupro sofrido por uma de nossas alunas no mês passado. É como se o agressor tivesse atingido a todas nós, mulheres e meninas feanas. Digo meninas, pois nossa aluna tinha apenas 17 anos. Não tenho conhecimento de sua identidade, e é melhor que seja assim. Até quando vamos pensar que a USP é uma ilha no meio do Butantã, desligada do que acontece no mundo ao seu redor? Nos últimos meses, vimos a divulgação de uma série de atos praticados contra as mulheres dentro do nosso campus. Denúncias, ora individuais, ora coletivas, que a meu ver devem ser devidamente apuradas, e preferencialmente por órgãos externos à Universidade. Observei, à distância, algumas dessas denúncias serem desqualificadas com base no comportamento agressivo dos grupos denunciantes, ou com base na boa e velha política de culpar as vítimas. Comportamento infelizmente ainda comum na nossa sociedade patriarcal e machista. Seria papel dos nossos dirigentes, pessoas experientes e capacitadas, enxergar além dos arroubos da juventude militante e tratar tais acontecimentos com a importância que merecem. Tenho a sensação de que não é isso que está acontecendo. Mas não foi esse o caso de nossa aluna. Não foi isso que aconteceu na Praça do Relógio. Há muito tempo o campus não é um lugar seguro. Assaltos, atropelamentos, sequestros relâmpago, tráfico, consumo de drogas ilícitas, roubo de carros, estupros, são crimes comuns em nosso território. Que o leitor não pense que ao entrar na Cidade Universitária verá uma versão paulistana e mais amena do Inferno de Dante. Não, o que se verá é a mais pura calma e tranquilidade, um oásis em meio a uma cidade que nunca adormece. Mas é essa falsa sensação de segurança que faz muitos acreditarem ser dispensável a presença da Polícia Militar em nossas fronteiras. Segundo a Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo, até maio deste ano, o 93º Distrito Policial, localizado do Jaguaré – para os que não conhecem, a delegacia fica praticamente dentro da USP – instaurou quase duzentos inquéritos. É certo que essas ocorrências não dizem respeito apenas ao que aconteceu no campus, mas certamente dão uma boa ideia do que acontece no nosso entorno. Vale lembrar que crimes de estupro, tais como aquele do qual foi vítima nossa aluna, são apurados pela delegacia comum, e não pela delegacia da mulher. Mas não há estupro nas estatísticas mencionadas, pois o crime contra nossa aluna ainda não virou estatística. E é bom que se reflita enquanto as coisas estão quentes, que se discuta no calor do momento. Que não nos esqueçamos de que foi em nosso estacionamento que em 2011 perdemos o aluno Felipe, morto por assaltantes, e que foi na Praça do Relógio que uma de nós foi atacada. E é bom que se diga, e que fique claro, que não há unanimidade na USP com relação à presença ou não da Polícia Militar. E de forma muito particular, penso: até quando vamos esperar? O que mais precisa acontecer para que se tome uma atitude firme, e não burocrática, sobre a segurança no campus? Espero contribuir de alguma forma para o debate. Estou à disposição para quaisquer esclarecimentos que se fizerem necessários. 

Luciana Suarez Lopes lslopes@usp.br

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.