Fórum dos Leitores

GOVERNO DILMA

O Estado de S. Paulo

02 Agosto 2015 | 03h00

Bom para quem?

Para quem governa esta presidente que triplica a verba do Fundo Partidário, concede R$ 1 bilhão para emendas de parlamentares, enquanto corta R$ 1,7 bilhão do orçamento da Saúde, R$ 1,17 bilhão do da Educação, veta o reajuste aos aposentados e mantém ministérios absolutamente inúteis?

EDSON FUNABASHI

edson@acteon.com.br

São Paulo

*

Descrença

Dá para acreditar num desgoverno que corta bilhões da área social (educação e saúde), mas mantém o absurdo número de 39 ministérios e secretarias por conveniência política?!

SERGIO DIAMANTY LOBO 

diamanty18@gmail.com

São Paulo

*

Caminho errado

A presidente Dilma Rousseff, na tentativa de equilibrar o baixo crescimento das receitas e o aumento das despesas do governo, cortou mais verbas do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e da área social - e as áreas da saúde e da educação foram as mais afetadas. Tomou, mais uma vez, o caminho errado. Não cortou na carne, não mexeu no número de ministérios, quando deveria reduzi-lo, no mínimo, de 39 para 18 pastas. Depois não venha ela reclamar do baixo índice de aprovação popular.

JOSÉ CARLOS DEGASPARE

degaspare@uol.com.br

São Paulo

*

Sobrevivência

A incompetência deste governo é tão grande que nos últimos 12 meses, terminados em junho, o déficit primário das contas públicas atingiu R$ 45,7 bilhões. O governo corta o orçamento da Saúde e da Educação, além das verbas para o PAC, o que significa que o Brasil continuará regredindo economicamente. A conclusão a que chego é de que em pouco tempo estaremos nos devorando uns aos outros, porque a um país sem educação, sem desenvolvimento e sem saúde restará a guerra pela sobrevivência. Pergunto: se hoje se cortam verbas desses setores essenciais, como é que ficam, por exemplo, os bilhões que o Brasil gastou com obras fora do País patrocinadas pelo BNDES e o patrocínio da Caixa Econômica Federal a times de futebol?

URIAS BORRASCA

urias@mercosulrefratarios.com.br

Sertãozinho

*

Aula de navegação

Quando os ventos sopravam forte, o tempo estava firme e as ondas eram favoráveis, o presidente Lula fez, então, a única coisa para a qual se preparou a vida toda: deitou-se na proa, saboreando uma cerveja, e esperou que os ventos o empurrassem. Nem se esforçou para fazer o barco ir o mais longe possível e na direção correta. A partir do fim de seu governo, veio a calmaria e era preciso ligar o motor. Então percebeu-se que a máquina estava enferrujada por falta de manutenção e que se haviam esquecido de levar combustível. No lugar de ondas, apenas marolas. Com Dilma Rousseff, sua arrais amadora, veio a tempestade (herança maldita de velejadores anteriores) e percebeu-se que o barco não tem leme e navega desgovernado. Só nos resta torcer para que o barco não seja arremessado contra as rochas do Cabo da Lava Jato, naufrague e sejamos todos comidos pelos tubarões de Brasília.

ELY WEINSTEIN

elyw@terra.com.br

São Paulo

*

O peso da corrupção

O sofisticado esquema de pagamento de propinas montado nas empresas estatais por executivos, lobistas e, inclusive, pelo governo federal demonstrou muito planejamento, tempo, energia e conhecimentos técnicos complexos que, se fossem focados para o bem do Brasil, já estaríamos desfrutando de benefícios condizentes com a posição de sétima economia mundial: saneamento básico universalizado, bons sistemas de educação, saúde, segurança pública, mobilidade urbana e desenvolvimento sustentável.

REGINA MORETTI FERRARI 

ferrari@tavola.com.br

Santana de Parnaiba

*

'Brasizuela'

Brasizuela, o novo nome do Brasil, país que continua adormecido, "deitado eternamente em berço esplêndido" da corrupção.

CACILDA AMARAL MELO

cacilda09@uol.com.br

São Paulo

*

Exemplos

A crise atinge todos. O ajuste fiscal é inevitável, inadiável e imprescindível. Não há espaço para aumentar impostos. Resta reduzir gastos. Falar mal do governo federal não resolve nada. Gostaria de saber qual partido tomou a iniciativa de fazer seus senadores e deputados cortarem seus custos, qual o partido que nos Estados que governam racionalizam a administração, dando exemplo de gestão. Procuramos exemplos, e não críticas.

ALFREDO M. DAPENA

alfredomdapena@gmail.com

Rio de Janeiro

*

Em busca de apoio

Na quinta-feira (30/7), a presidente Dilma reuniu 26 governadores e um vice, em Brasília, para tentar dividir o seu desgaste político com os gestores estaduais. Ocorre, porém, que nenhum governador vai se arriscar a apoiar um governo com impopularidade galopante, inflação descontrolada, desemprego em alta e que promove um ajuste fiscal que só piora a já aguda crise econômica. A crise atual foi criada por uma administração irresponsável, que gastou bem mais do que arrecadou, maquiou as contas públicas e, agora, se depara com uma economia em incontestável processo de recessão. Com o crescimento da insatisfação popular e os indícios de que foram cometidos erros fiscais em 2014, as chamadas "pedaladas", o Tribunal de Contas da União (TCU) poderá reprovar as contas do governo daquele ano e, assim, abrir espaço para que os congressistas possam utilizar o dispositivo constitucional do impeachment, este cada vez mais defendido pela sociedade brasileira. A situação é preocupante e os únicos culpados por essa instabilidade são o governo federal e a base aliada que apoiou todo este descalabro.

WILLIAN MARTINS 

martins.willian@globo.com

Guararema

*

'Dilma, telefone!'

Inflação estourando, desemprego altíssimo, déficit público explodindo, crescimento negativo, Bolsa despencando, dólar batendo recordes diariamente. Quem joga futebol com os amigos nas chamadas "peladas" sabe que, quando um companheiro está jogando muito mal, errando seguidamente os passes, perdendo gols e entregando a bola ao adversário, alguém diz: "Fulano, telefone!". É uma forma de pedir para a pessoa sair do jogo. E o Brasil clama: "Dilma, telefone!".

SILVIO SCHAEFER

excess@netpoint.com.br

São Paulo

DEVER DE CASA

Mesmo diante da caótica situação e de muitas sugestões, tia Dilma teima em não fazer o dever de casa. A arrecadação diminui, os gastos aumentam e nem sequer cogita reduzir a ineficiente e onerosa máquina pública. Agindo assim, nem com o apoio de todos os governadores vai conseguir reverter sua situação e sua queda livre perante a opinião pública.

Humberto Schuwartz Soares

hs-soares@uol.com.br

Vila Velha (ES) 

*

CORTES INADMISSÍVEIS

As contas deficitárias desse desgoverno de plantão sempre recaem sobre as costas dos mais necessitados. Cortes na Educação, na Saúde e no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Somente citando um descalabro administrativo: a sociedade brasileira já cansou de reclamar da presidente Dilma, o porquê da manutenção de 39 ministérios. Ela deu alguma atenção a esses reclamos?  Indiferença total. O perfil da administração atual é tão fraco que somente mostrou competência para levar o País à situação desesperadora em que se encontra nos dias atuais.

Francisco Zardetto

fzardetto@uol.com.br

São Paulo

*

ECONOMIA EM FRANGALHOS

Coisa de louco!  O País literalmente com a sua economia em recessão, mesmo assim o Banco Central, em reunião com Copom decide elevar a taxa Selic de 13,75% para 14,25%!  E acumula em 29 meses uma alta estonteante de 96,55%!  Já que em abril de 2013, na canetada da Dilma, e com anuência infelizmente do BC, a Selic estava em 7,25%...   Agora não adianta chorar!  O governo gastou o que não tinha, esnobou a alta da inflação, etc. O resultado: a nossa economia está em frangalhos. E com a taxa básica de juros do Brasil, a segunda maior do mundo, a solução que nos resta é juntar os cacos com este ajuste fiscal capenga e esperar o que vai acontecer daqui prá frente.  Coisa boa não é...

Paulo Panossian

paulopanossian@hotmail.coam

São Carlos

*

TORRE DE CONTROLE

Com juros lá no alto, o Comitê de Política Monetária (Copom) terminará pedindo ajuda à Agência Nacional de Aviação Civil (Anac)...

Ademir Fernandes

standyball@hotmail.com

São Paulo

*

AJUSTE FISCAL

Infelizmente, o "Ajuste Fiscal" foi para o brejo, o que denigre a imagem do ministro da Fazenda, Joaquim Levy. Ele deveria renunciar, porque está no meio de um ninho de cobras peçonhentas que vão acabar com a sua boa reputação. Ministro Levy, não dê uma de Dom Quixote, saia logo daí antes que seja responsabilizado pelos fracassos e "malfeitos" da presidenta.

Károly J. Gombert

kjgombert@gmail.com

Vinhedo 

*

MAIS UMA DESCULPA

Agora só falta dizer que a alta do dólar é mais uma herança maldita. 

Moises Goldstein

mgoldstein@bol.com.br

São Paulo

*

VETO AO AUMENTO DOS APOSENTADOS

Muito se fala da insustentabilidade da Previdência, inclusive aquele economista Veloso (irmão do ex-ministro), que parece que não estudou macro e micro-economia, mas ninguém esclarece onde está o rombo da Previdência, antes de justificar o maldito contumaz veto. Seria na aposentadoria dos funcionários do Executivo, Judiciário E Legislativo? Seria nas aposentadorias "sociais" dadas às pessoas que nada pagaram, mas realmente têm de receber alguma renda (né, Suplicy?). Ou seria nas fraudes? Se fizer os cálculos atuariais, o aposentado privado pagou mais do que recebe. Bem, e o aposentado que contribui com cerca de 30% do consumo deste falido País, colaborando com os minguados impostos que este governo ainda recebe, tem sua renda reduzida, anualmente, até morrer de fome é que paga a conta. Tiro no pé. Alô, 39 ministros, vocês conseguem abrir a cabeça da mulher sapiens? Tá difícil, né?

M. Mendes de Brito

voni.brito@gmail.com

Bertioga

*

FALTA DE SERIEDADE

Não há classe política digna no mundo. Contudo, políticos como os nossos, entre os quais a união faz a farsa, devem ser os piores do planeta. Nossos parlamentares não agem com a devida e a necessária seriedade para com o País. No momento, os do Congresso Nacional estão em recesso, algo que praticam ao longo de todo o ano Legislativo. Uma folga para os descalabros!

Gilberto Martins Costa Filho

marcophil@uol.com.br

São Paulo 

*

A RECEITA DESPENCA

Enquanto temporário para o Congresso é o recesso, permanente para a Nação é o retrocesso.

Eduardo Augusto Delgado Filho

e.delgadofilho@gmail.com

Campinas

*

PREOCUPAÇÃO DE DILMA

Em reunião com governadores, Dilma mostrou-se muito preocupada com a falta de vagas nas prisões.

Júlio Roberto Ayres Brisola

jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

*

RECEITA DA GOVERNABILIDADE

Dilma planta abobrinha, o governador colhe pepino e o cidadão só recebe mandioca.

Ademir Fernandes

standyball@hotmail.com

São Paulo

*

PACTO COM ESTADOS

Foi positiva e democrática a reunião com todos os governadores de Estados, convocada pela presidente Dilma Rousseff, para um pacto pela contenção de despesas públicas. Naturalmente, por não ser um problema da alçada dos governadores, e sim de investigação e como bem disse o governador Geraldo Alckmin, a defesa do mandato de Dilma ficou oficialmente de fora. Mas faltou os governadores cobrarem da presidente, até mesmo para mostrar credibilidade, a redução do absurdo número de ministérios e a eliminação de inúteis cargos comissionados. 

Abel Pires Rodrigues

abel@knn.com.br

Rio de Janeiro

*

VAI MELHORAR

A presidente Dilma disse aos governadores que o País vai melhorar. E vai mesmo! No dia em que ela renunciar já começa a melhorar. Torçamos para que ela pense seriamente nisso. 

Euclides Rossignoli

euros@ig.com.br

Avaré

*

TERRA DE NINGUÉM

Se uma notória criminalista desiste da profissão e fecha seu concorrido escritório, alegando estar sendo veladamente intimidada e ameaçada, cabe perguntar o que será da Justiça e dos réus doravante? Não é possível nem admissível que o País tenha virado um verdadeiro faroeste, terra de ninguém, onde prevalece a lei do mais forte e do mais rápido no gatilho. A que ponto chegamos!

J.S. Decol

decoljs@globo.com

São Paulo

*

APOSTA ERRADA

Ou acabamos com estes políticos e com o sistema que eles criaram para eles, seus pares iguais e mais as suas proles, ou eles acabarão com todos os brasileiros. Eles são selvagens, que o diga a Catta Preta.

Nelson Pereira Bizerra

nepebizerra@hotmail.com

São Paulo

*

MÁFIA NO GOVERNO

A desistência da advogada Beatriz Catta Preta de defender delatores na Operação Lava Jato e encerrar as atividades do seu escritório de advocacia em prol da sua família, mostra a exata dimensão da quadrilha que tomou conta do país. Autênticas máfias. É o mal instalado no governo central e tomando conta do País. 

Panayotis Poulis  

ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

*

INVESTIGAÇÃO PELA METADE

Planalto teme que investigação atinja aliados de Renan Calheiro, para não atrapalhar tentativa de reaproximação. Para evitar tal inconveniente, entende-se que o Planalto prefere que não haja investigação, pois sabe muito bem do envolvimento de todos nesse balaio corrupto geral, né não? 

Angelo Tonelli

angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

LAVA JATO NO 'GUINNESS BOOK'

Vamos fazer uma campanha para colocar no Guinness Book, o livro dos recordes o maior escândalo de corrupção no Brasil! As pessoas de bem do mundo inteiro vão  apoiar. Que tal?

Devanir Amâncio

devaniramancio@hotmail.com

São Paulo

*

VERGONHA NACIONAL

Os investigados na Operação Lava a Jato já estão ficando famosos fora do País. Estão sendo chamados de segundo comando da capital (federal).

Marcos Catap

marcoscatap@uol.com.br

São Paulo

*

LAVA JATO

Chegou ao setor elétrico a Lava Jato e será de novo, uma enxurrada de descobertas atrozes de corrupção que assola as instituições públicas há décadas, porém falta chegar aos que começaram toda essa vergonha, os políticos.

Marcos Barbosa

micabarbosa@gmail.com

São Paulo

*

PREJUÍZOS

Prejudicaram a imagem da "pátria" os políticos corruptos, que chegaram ao Poder apenas para terem acesso fácil aos cofres públicos e assim enriquecer, enchendo também os bolsos de seus aliados e cúmplices. Tanto o Mensalão como a Operação Lava Jato foram e são instrumentos necessários para melhorar a opinião que fazem de nós outros países. Provamos, assim, que apesar de tudo temos condições de punir e botar na cadeia os que roubaram ou facilitaram o assalto aos cofres, denegrindo o País como também desviando recursos que seriam usados para atender aos mais carentes. A população precisa de escolas e hospitais equipados, restaurados que funcionem atendendo sua clientela. Além disso, também precisa de estradas e ruas sem buracos, água e esgoto em todas as casas e segurança para todos. Coisas essências para viver com conforto e bem-estar.

Odiléa Mignon

cardosomignon@gmail.com

Rio de Janeiro

*

BONS PROFISSIONAIS

Graças a Deus ainda temos bons juízes no Brasil! Juízes como Dr. Sergio Moro e outros da mesma estirpe, que, sem dúvida, a grande maioria da sociedade brasileira apoia. Bravos homens que cumprem seu dever em um trabalho digno, honrado e sabemos que difícil.

José Joaquim Rosa

jjrosa1945@yahoo.com.br

São Paulo

*

A CULPA É DAS ELITES

Lula tem toda razão quando diz que as elites brasileiras são danosas ao País. Essas elites são formadas por grandes empresas (Odebrecht, Camargo Corrêa, etc.), famílias poderosas (Collors, Sarneys, Marinhos, etc.) e funcionários públicos de alto escalão (juízes, auditores fiscais, presidentes e diretores de estatais, etc). Quando essas elites se juntam a uma organização criminosa e nazista como o PT do próprio Lula, aí então é que se forma a maior rede de desvio de dinheiro (roubalheira) da história da Nação.

André Coutinho

arcouti@uol.com.br

Campinas 

*

INSTITUTO LULA  

E eu que pensei que a única bomba que tinha no Instituto Lula era só o próprio...

Silvio Leis

silvioleis@hotmail.com

São Paulo

*

QUATRO ANOS PERDIDOS

Com a Presidência da República sem moral e autoridade para tocar o País, com alguns deputados federais agindo como bandidos, a casa está sob suspeita. O Senado sob o comando de Renan não tem a mínima credibilidade. Estamos no sétimo mês de quarenta e oito e o clima é de fim de feira, fim de festa, faltando apenas colocar na rua os bêbados que não querem largar o copo.

Luiz Ress Erdei

portal@portasblindadas.com.br

São Paulo

*

DISCURSO DOIDO

Dilma profere um discurso "maluco beleza", no qual acredita ainda estar em campanha, com a popularidade em alta e vivendo a crise dos outros.

Ricardo C. Siqueira

ricardocsiqueira@globo.com

Niterói (RJ)

*

DESGOVERNO 

A senhora Dilma Rousseff não tem a menor noção do cargo que ocupa, de suas atribuições e de seu juramento de posse nem da Constituição brasileira. Toma atitudes impensadas, de acordo com o momento, convoca governadores dizendo ser assunto da meta fiscal e de interesse do País e depois pede apoio para não sofrer impeachment. Na campanha de 2014 afirmou várias vezes que FHC quebrou o País 3 vezes e agora pede, com o Lula, reunião para não haver impeachment. Não tem mais nenhuma condição de tocar essa mal fadada gestão.

Celso de Carvalho Mello

celsosaopauloadv@uol.com.br

São Paulo

*

RENUNCIE JÁ!

E a coragem da ex-guerrilheira para renunciar, como anda? Lamentavelmente o Brasil piora dia a dia! Com ânimo, humildade e bom-senso, presenteie o País, a renúncia é menos traumática que o impeachment. 

Roberto Hungria

cardosohungria@gmail.com

Itapetininga

MÁ GESTÃO

O tema do momento para a Secretaria dos Transportes da Prefeitura parece ser o fechamento de vias de grande circulação, como forma de diminuir o número de acidentes.  Visão curta, mal discutida e de impacto duvidoso, que ignora as inúmeras variáveis envolvidas na questão da mobilidade urbana numa megalópole tão complexa como São Paulo. Só falta o prefeito decretar toque de recolher para veículos da meia-noite às seis da manhã.  

Luciano Harary

lharary@hotmail.com

São Paulo 

*

MARGINAIS FECHADAS

É o fim da picada, Sr. Jilmar Tatto. Fechar as pistas expressas da Marginal do Tietê de madrugada e ainda ter a desfaçatez de dizer que tem um estudo que demonstra que isso não afetará o transito da cidade! O senhor nunca deveria ter deixado o único cargo relacionado com o trânsito que já deve ter ocupado: "Coordenador de Trânsito de Presépio de Natal".

Flavio Bassi

flavio-bassi@uol.com.br

São Paulo

*

CAÇA NÍQUEL

Raciocinem: é mais fácil ser multado por excesso de velocidade em vias onde a velocidade máxima é de 70 km/h ou nas vias de 50 km/h?  As marginais de São Paulo viraram verdadeiros caça-níqueis do Sr. Malddad. Entenderam ou precisa desenhar? Simples assim!

Claudio Juchem

cjuchem@gmail.com

São Paulo 

*

MERCÚRIO NO BRASIL

Caro jornalista Washington Novaes, o senhor realmente se supera continuamente. O mercúrio no Brasil é usado indiscriminadamente e principalmente em grandes quantidades por garimpeiros ilegais. Lute contra estes que só degradam o meio ambiente e denigrem o Brasil e terá grande sucesso na redução do consumo de mercúrio nestas plagas tupiniquins. Boa sorte, mas cuidado com os garimpeiros, pois eles não têm CNPJ e muitas vezes nem requer RG e além de tudo resolvem tudo na bala.

Ciro Terêncio Russomano Ricciardi

ciro@prominer.com.br

São Paulo

Mais conteúdo sobre:
Fórum dos leitores

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.