Fórum dos Leitores

LULOPETISMO

O Estado de S. Paulo

31 Agosto 2015 | 03h06

O pior para os outros

Lula e o PT mentiram oito anos a respeito da situação econômica, estimulando os gastos a prestações de todos nós e fazendo troça da crise mundial. O povo endividou-se e os preços subiram sem parar. Os países em crise recuperaram-se, mas aqui o resultado das mentiras de Lula está nas contas que nós pagamos, todos os dias. Além dos empregos que desaparecem sem parar. O ex-presidente deveria tentar ser inteligente, pedir a renúncia de Dilma e nunca mais aparecer diante de um microfone ou uma câmera. Ambos devem se retratar pelas agruras que infligem aos brasileiros. E uma estudante de Direito ainda rasga o bonecão Pixuleco, revoltada... Não sabe o que aconteceu desde 2003. Será que ela merece diploma?

VALTER PRIETO JR.

valter.prieto@gmail.com

São Paulo

Pixulecos

Na crise, a imaginação é a solução. Quem sair na frente vai se dar bem. A China faz e vende baratinho. É só encomendar Pixulecos 13-171. Em poucos dias as lojas de R$ 1,99 e os camelôs estarão abarrotados. Vai vender mais que água.

HUMBERTO SCHUWARTZ SOARES

hs-soares@uol.com.br

Vila Velha (ES)

O Kruchev do Lula

Em 23/2/1956, no XX Congresso do Partido Comunista da União Soviética, Nikita Kruchev proferiu célebre discurso em que denunciou os crimes de Stalin e seu culto à personalidade. Foi um gesto ousado, de grande repercussão mundial, que teve o mérito de reduzir Stalin à sua verdadeira dimensão: criminoso implacável, responsável pela morte de 32 milhões de pessoas, que se deixava adular como “o guia genial dos povos”. Entre nós, em recente entrevista ao Estado, o empresário Paulo Guilherme Aguiar Cunha, do Grupo Ultra, o quarto maior do País, teve a coragem de afirmar: “... é que o Lula se apropriou da História do Brasil. Enquanto estava no governo ele divulgava dados a seu bel-prazer, ninguém conhecia essa história direito, e essa história virou verdade na presença de todos os meios de comunicação o tempo todo. Ninguém contou a história certa”. A história certa seria acusar Lula de ser o mentor intelectual do mensalão e do petrolão? Ou, ao menos, que ele sabia de tudo, tinha o “domínio do fato”? Ou, ainda, questionar os 40 milhões de brasileiros que teriam ascendido à classe média, quando a realidade social desmente essa farsa com veemência? Por essas e outras me pergunto: quem no âmbito do PT, e para limpar o partido das nódoas que o maculam, teria hombridade e patriotismo para ser o Kruchev de Lula, para reduzi-lo à sua verdadeira dimensão, incompatível com a ambição de ser “o guia genial dos povos”?

JAIME M. DA COSTA FERREIRA

jaimemcferreira@hotmail.com

São Paulo

Quem com ferro fere...

Tenho lido e ouvido em algumas mídias e redes sociais que está havendo uma “intolerância” contra o PT, sobretudo aqui, em São Paulo, o que não seria muito democrático. Ora, durante os 13 anos de lulopetismo absolutista tivemos de suportar a intolerância com a oposição e em especial com os paulistas, de forma nada democrática, e sim totalitarista. Por isso brasileiros de São Paulo ficaram, sim, intolerantes ao PT. Democrático é ninguém ser obrigado a aceitar doutrinas e ideologias com que não concorda, sobretudo as que se mostraram fracassadas no mundo todo.

FRANCISCO DA COSTA OLIVEIRA

fcoxav@gmail.com

São Paulo

No colo do ‘coisa ruim’

Irretocável a análise da derrocada da economia brasileira nos editoriais do Estado de 29/8 (A3). Retrato fiel do imbróglio em que o País está metido, não deixam dúvidas quanto às dificuldades que a Nação enfrentará nos tempos vindouros. Ressalto, entre tudo o que foi dito sobre o deplorável estado das contas, a evolução do déficit nominal (com os juros da dívida pública), que chegou a R$ 282 bilhões de janeiro a julho e a R$ 502 bilhões em 12 meses. Esse rombo, que em recente medição equivalia a 8,12% do PIB, já é de 8,81%, com viés de alta, posto que o PIB teima em encolher (já se aposta em -3% este ano), ao passo que as despesas públicas aumentam por inércia. Assim, é fácil prever que o catastrófico rombo do setor público se amplie ainda mais, alcançando 9,5% ou 10% até dezembro, “empatando” com o porcentual da inflação – senha para o fim do grau de investimento e o início de uma peregrinação rumo ao inferno. Dilma prometeu que faria “o diabo” para se reeleger. Venceu. E jogou a Nação no colo do “coisa ruim”. 

SILVIO NATAL

silvionatal49@gmail.com

São Paulo

Coisinhas miúdas

Para a comandanta do navio Brasil, a recessão é só um probleminha! Para Lulla , foi uma marolinha. Para Temer, é só uma crisezinha. Para o capitão do Titanic, também foi só uma batidinha...

ALBERT HENRY HORNETT

hornettalberto@hotmail.com

São Paulo

Destituição de Dilma

Por vício redibitório. São defeitos ocultos que a tornam imprópria para a finalidade (incapacidade total). Como poste é imprópria, pois enfrenta um Congresso composto (na sua maioria) por cupins!

ARNALDO RAVACCI

arnaldoravacci05@gmail.com

Sorocaba

Troca de ‘gentilezas’

Rodrigo Janot dá uma clara demonstração de agradecimento a Dilma por sua recondução à Procuradoria-Geral da República, ao recusar-se a investigar as contas de campanha da presidente, conforme pedido do Tribunal Superior Eleitoral. Lamentável a atitude do procurador, que, sabendo haver irregularidades nas contas, protege Dilma, sua “patrona”. E assim caminha o país da corrupção, com a ajuda de funcionários importantes.

FABIO FIGUEIREDO

fafig3@terra.com.br

São Paulo

CIÊNCIA EM CRISE

A pior em 20 anos

A reportagem do Estadão sobre a crise da ciência no Brasil (30/8, A21) mostra os impasses por que passa o País. Em 30 anos o avanço foi imenso, mas ainda falta muito para que cheguemos a níveis internacionais compatíveis com a ambição de um emergente, que foi superado por países muito menores e menos populosos, que eram muito mais pobres do que nós há apenas 50 anos, como a Coreia do Sul ou, no contexto latino-americano e per capita, o Chile. Para termos o protagonismo que almejamos apenas a valorização da pesquisa terá resultado, algo que ainda não está claro tanto no âmbito federal como na grande maioria dos Estados da Federação. O Brasil está consciente desse desafio?

PEDRO PAULO A. FUNARI, professor titular da Unicamp

ppfunari@uol.com.br

Campinas

A população paga a conta

Após Sr. Lula e Sra. Dilma sucatearem a economia brasileira, agora o governo petista tenta cobrir os rombos que criaram com a criação e ou elevação de impostos, transferindo o ônus para a população. Assim, falam em CPMF, na elevação do PIS/COFINS, no imposto sobre fortunas (a deles está no exterior), etc.     Seria mais eficiente encerrar desvios de recursos públicos e parar de utilizar nosso dinheiro para financiar porto em Cuba, não doar refinaria para a Bolívia, não fazer transferências para a Venezuela, etc.

ADALBERTO FERREIRA

adaleme@uol.com.br

São Paulo

CPMF de novo!

Infelizmente a presidente está mentindo,  quando diz que não sabia da gravidade econômica do Brasil. No início de 2015, com a situação crítica, Luiz Carlos Trabuco, presidente do Bradesco, foi indicado para ministro da Fazenda e não aceitou. Ela teve dificuldades até chegar ao sr. Joaquim Levy. Dá cargos e salários a 22 mil funcionários não concursados e quer voltar com a CPMF para fechar as contas. Hoje sabe da situação grave e faz previsão 2016 dizendo que será um ano difícil. Esta senhora não tem noção de suas funções e responsabilidades, isto inclui cortar gastos públicos desnecessários. Por exemplo, alugando 20 limusines nos EUA a US$ 100 mil  para 28 parasitas...

CELSO DE CARVALHO MELLO

celsosaopauloadv@uol.com.br

São Paulo

PT dá vida ao defunto CPMF 

Era só o que faltava!  O Planalto, que respira sob aparelhos, sem nenhuma credibilidade, agora faz um balão de ensaio para ver se cola ressuscitar a CPMF!  Um retrocesso! A Dilma que, num tímido ensaio de desculpas, afirmou que demorou a perceber a grave situação econômica certamente mentiu! Se fosse verdadeira essa sua declaração, reconheceria também que, pelos desmandos de sua gestão, o trabalhador brasileiro está com seu bolso literalmente vazio, e não tem mais recursos para ser sugado!  As digitais da presidente estão bem cravadas na alta da inflação, que se recusou combater, na dura recessão econômica, nos salários achatados, e ainda no angustiante índice de desemprego. E falar agora em aumento de impostos, e ainda mais deste da CPMF, que é cumulativo, é ofender a dignidade humana!

PAULO PANOSSIAN

paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

Preparem os bolsos!

Mais uma vez o povão pagará as falcatruas do governo petista! Agora querem a volta da CPMF. Haja bolso!

MILTON BULACH

mbulach@gmail.com

Campinas

Envergo, mas não quebro

Houvesse a presidenta usado o verbo reflexivamente, poderia envergar-se sem se quebrar. Mas ela enverga e vai quebrando uma porção de brasileiros!

LUIZ C. BISSOLI

lcbissoli46@gmail.com

São Paulo

Tempos difíceis

A “presidenta” Dilma afirmou que a situação econômica do País no ano que vem não será maravilhosa. Presidenta, os 200 milhões de brasileiros já estão carecas de saber!

VIRGÍLIO MEHADO PASSONI

mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

Bra$il na marca do pênalti

O País está na marca do pênalti. Faltam apenas seis meses para o Brasil perder o grau de investimento na avaliação das três principais agências internacionais de classificação de risco.Neste ano,ainda dá para enganar um pouco mais,mas,de 2016 em diante,não passa.A conferir...

J.S. DECOL

decoljs@globo.com

São Paulo

Bilhões pelo ralo

Ganharam bilhões de reais em propinas à custa da Petrobrás! Menos Lula e Dilma! E os petistas esperam que os brasileiros acreditem nisso!

EUGENIO JOSÉ ALATI

eugeniojalati@gmail.com

Campinas

Chapeú Chinês

Ainda bem que a China anda desvalorizando o Yuan. É ao menos uma desculpa do tipo "me engana que eu gosto" para justificar nossa crise econômica interna.

JOSÉ PIACSEK NETO

bubanetopiacsek@gmail.com

Avanhandava

A caminho da Grécia

Meu pai, que trabalhou muitos anos na atividade portuária, contava que, logo após a guerra, o Brasil era credor das maiores nações.  Durante a guerra, embarcávamos navios inteiros com fardos de algodão para Liverpool para abastecer as tropas aliadas. Além de café, borracha e outros produtos. Terminada a guerra, nunca se viu tanta importação da Cadillacs, Oldsmobile e navios inteiros com caixas de champagne. Era a época do Cassino da Urca e do Café Society. A história se repetiu na nefasta gestão petista. Tivemos o boom das commodities, que acabou, e jogamos todo o dinheiro pelo ralo. O governo está quebrado e estamos a caminho de nos tornar uma Grécia. As aposentadorias estão insustentáveis, o Congresso custa R$ 6 bilhões por ano, há 20 mil cargos comissionados, o orçamento para o Ministério da Cultura é de R$ 1 bilhão.   Alguém já ouviu falar no Ministério da Cultura dos Estados Unidos? O país que mais exporta cultura no mundo! Milhões para ONGs fajutas. Milhões para centrais sindicais... E ninguém se incomoda. A começar por Temer. Estou farto!

JOSE SEVERIANO MORELO FILHO

morel@sunriseonline.com.br

Santos

Não cairei!

Quando a Dilmona vai dizer: “Nóis capotou, mas nóis num brecou”. Antes ou depois de sair?

NELSON PEREIRA BIZERRA

nepebizerra@hotmail.com

São Paulo

As contas não batem

No laudo de exame financeiro da Polícia Federal do sr. José Dirceu de Oliveira e Silva  (número 1.742/2015), foi apurada uma pequena (sic) diferença entre a movimentação financeira esperada e a efetiva:  R$ 7,08 milhões para R$ 1,449 milhão.  Ou seja, R$ 5,6 milhões de sua renda declarada não transitou por conta corrente, foi em dinheiro vivo.  Por que será?   Será que “transitou” em malas?  Ou talvez, cuecas?  O ditado “quem não deve não teme” precisa de outro complementar  “dinheiro limpo transita em conta bancária, o sujo ninguém sabe como”.  Este é o Brasil, onde os poderosos são mestres em mutretas, maracutaias e outras formas de tungar o povo honesto e trabalhador!  Até quando?

SILVANO CORRÊA

scorrea@uol.com.br

São Paulo

Sob a pele de cordeiro

Tudo isto é cortina de fumaça. Faz parte das tentativas do PT de salvar-se. Não tem absolutamente nenhum valor moral. Não tem honestidade nestas entrevistas. Premida pelo perigo das revelações de crimes seus, do padrinho e da elite petista, Dilma vem dar entrevistas vestida com pele de cordeiro.

OTTFRIED KELBERT

okelbert@outlook.com

Capão Bonito

Bom administrador

Quem administra, seja grande empreendedor ou profissional liberal, tem de perceber, obrigatoriamente, como anda o seu negócio. O administrador deve estar atento, acompanhar passo a passo. Administrar, assim como dirigir, não se vai adiante olhando pelo retrovisor.  É preciso planejamento, programação, previsão, acompanhando tudo e todos, sem se descuidar. Demorar a perceber qualquer movimento poderá ser fatal para qualquer tipo de negócio.

MARCELO CYPRIANO 

​marcelo@cypriano.com.br

São Paulo

Economia em retrocesso

As bolsas do mundo inteiro caíram por causa da queda da bolsa chinesa. Mas, no Brasil, por causa da corrupção e da ineficiência do desgoverno petista, há anos os investidores estão se afastando de nós pelas previsões pessimistas da economia brasuca. Até as empresas de avaliação estão reduzindo as notas do Brasil e os investidores não gostam de correr riscos. Estão fora! É só ver o desempenho da Bolsa de Valores nos últimos anos.

MÁRCIO A. DENTE

dente28@gmail.com

São Paulo

Dormindo em berço esplêndido

Em entrevista à imprensa, a presidente Dilma Rousseff declara que demorou a perceber a gravidade da crise econômica. Como se diz em Direito: “dormientibus non sucurrit jus”, traduzindo:”O Direito não socorre aqueles que dormem”. E a economia também. O corte de dez ministérios e de mil cargos em comissão, talvez, não represente muito para o ajuste fiscal, porquanto temos 39 ministérios e 113 mil cargos em comissão. Ressalte-se que dona Dilma deveria ter tomado essas providências e outras desde o seu anterior mandato. Também não justifica o desprestígio dado ao ajuste fiscal, ao dizer que só recentemente soube que havia membros do PT envolvidos nas propinas definidas pela Lava Jato. Entretanto, parece que, depois de ouvir os conselhos de FHC, dona Dilma está começando a confessar seus erros, o que obviamente prefere a renunciar o seu mandato. Todos os brasileiros estão no aguardo da sequência de seus atos.

JOSÉ CARLOS DE CARVALHO CARNEIRO

carneirojc@ig.com.br

Rio Claro

Frota e multas

Mais da metade das multas de trânsito aplicadas na cidade de São Paulo em 2014 foram cometidas por somente 5% da frota. A grande maioria dos veículos registrados - 71% - não recebeu nenhuma autuação. Tais dados apenas evidenciam o erro crasso e má-fé da CET e da Prefeitura de São Paulo na redução dos limites de velocidade para ínfimos 50 km/h e 40 km/h na capital. Mesmo dirigindo nos antigos limites de 60 km/h a 90 km/h, a imensa maioria dos condutores não atropelava ninguém e não cometia nenhum tipo de infração. Essa mesma minoria de 5% continuará infringindo as leis de trânsito de qualquer maneira, seja qual for o limite estabelecido. É injusto e abusivo punir a imensa maioria honesta, correta e respeitadora das normas e obrigá-la a pagar pelos erros de alguns poucos inconsequentes. Chega de radares e da indústria de multas do lamentável prefeito “Raddard” (PT).

RENATO KHAIR

renatokhair@uol.com.br

São Paulo

Indústria das multas

Enfim declarado a indústria de multas, o prefeito Haddad tinha prometido essa vingança ao não conseguir nos roubar com aumento absurdo do IPTU, alias, é irritante a normalidade com que o prefeito e o PT são autoritários, e quem os contradiz são chamados “elite”, inimigos do povo, e outras xaropadas, graças a Deus esses governos estão com os dias contados!

ROBERTO MOREIRA DA SILVA

rrobertoms@uol.com.br

São Paulo

Volocidade máxima

A cidade de São Paulo recentemente reduziu a velocidade máxima das marginais dos Rios Tietê e Pinheiros, de 90 km/h para 70/h. A cidade de Campinas em um ano também vai reduzir a velocidade em algumas vias do município, de 60 km/h para 50 km/h. A princípio as reduções de velocidade originam indignação aos motoristas, pois a maioria sempre tem pressa para algum “compromisso”, há os naturalmente apressados e estressados, que vivem nas vãs filosofias de que tempo é dinheiro, e assim; os aceleradores são dominados. Eu como motorista/motociclista reconheço que as velocidades devem ser diminuídas, é um milagre encontrar alguém que respeite os limites de velocidade. Deveríamos adquirir a cultura da velocidade constante, e não somente nos locais dos radares! Reflexão: o porte de arma deste país tem o nome de “CNH”, exemplo é o Ivo Pitanguy, que tem 70 multas, a maioria por velocidade e 14 por embriaguez, recentemente atropelou e matou um pedestre na calçada. Ivo, o embriagado, vive! 

ALEX TANNER

alextanner.sss@hotmail.com

Sumaré

E$$a indústria cresce

Diante da enorme crise econômica que chegamos, causada pela roubalheira do PT, ainda existe uma indústria que cresce a pa$$os largos, só e$$a... É a indústria das “multas” e como cresce! Os que denunciam são os próprios agentes de trânsito, possuem “meta diária para multar” e, se não cumprem, correm o risco de sofrer penalidades e até a perda do emprego. É uma determinação dos seus superiores. A imposição é facilitada pelos objetivos do alcaide paulistano de “parar” a maior cidade da América do Sul, daí o crescente número de medidas restritivas aos motoristas com a falta de espaço para transitar, estacionar, redução dos limites de velocidade, etc. Basta confirmar o crescente número de radares e agentes de trânsito multando tudo. Não dirija com apenas uma das mãos ao volante, não fale no celular, toda atenção é pouco, “eles” precisam cumprir as “metas”, antes que dobrem! Dê exemplos, prefeito, trabalhe, o povo não é cego!

FERNANDO SILVA

lfd.dasilva@2me.com.br

São Paulo

Ciclovia e afins

Que o seu partido (PT) e o senhor (Fernando Haddad), como membro, desconhecem o sentido da palavra planejamento, já era notório. Porém, o senhor se superou. As imagens divulgadas na TV, mostrando como foi construída a tal ciclovia debaixo do elevado é de tirar o fôlego, pela insensatez de quem a "planejou" e de quem a aprovou, e ainda de quem a justifica. Mas não é só lá, não. Venha ao bairro do Ipiranga e veja as ruas pintadas de ciclovia, ligando nada a lugar nenhum. Faixas em subidas íngremes, que só um atleta se aventuraria a enfrentar. Que se danem os carros, os negociantes, o que importa é dizer que há lugar para ciclistas. E mais cômico, para não dizer trágico, venha ver a pista criada na Avenida do Estado, no trecho entre o Ipiranga e os limites de São Caetano do Sul. Somente um louco se aventuraria a pedalar ali e por isso, caro prefeito, a faixa está sempre deserta, tal a falta de estrutura que garanta a segurança do ciclista..Senhor prefeito, por favor, em beneficio desta cidade, pare de criar fatos regados a pura purpurina, visando a deixar o seu nome como administrador, que o senhor não é, e faça um esforço e passe a olhar por São Paulo. Que tal, por exemplo, tapar os buracos das ruas? Já não consigo driblá-los sem incorrer a um acidente.

ADEMIR ALONSO RODRIGOS

rodriguesalonso@uol.com.br

Santos

Foco errado

Enquanto o prefeito Fernando Haddad, em pleno século 21, obriga os automóveis a trafegar em velocidade de carroças, o principal problema - os motoqueiros - é ignorado. Eles continuam desdenhando das leis de trânsito sem nenhuma punição, provocando inúmeros acidentes, matando, morrendo ou se mutilando, e causando enormes custos aos cofres públicos em termos de atendimento hospitalar, pensões por morte ou invalidez, e afastamentos do trabalho. Até quando?

DALMER FARIA FREIRE

dalmerfreire@gmail.com

São Paulo

Medidas urgentes

Um radar a cada 1 km ou 2 km nas marginais ainda não é suficiente para incomodar os apressados espertinhos, que andam muito acima do limite e freiam próximo aos radares, aumentando assim a insegurança e a poluição do ar. A Prefeitura deveria, no mínimo, dobrar o número de radares. Tem também milhões de veículos que evadem do licenciamento (Frota Cabrita) que não pagam multas. Para esses, mais velhos e perigosos, não existe regra de trânsito - um problema a ser equacionado (demorou) pelos que desejam - com todo esse ímpeto e fervorosa preocupação - resolver o problema da insegurança e dos acidentes de tráfego. Não podemos esquecer, é claro, que o artigo 104 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB), que obriga desde 1997 a inspeção de segurança veicular, não é cumprido pelos próprios governantes desde 1997. Mas, claro, espalhar radares a cada 500 m é bem mais fácil e muito lucrativo para o Poder Público, reconheço, e tem, sem dúvida, uma contribuição positiva para a segurança viária. Estamos tratando o doente de câncer terminal com Melhoral infantil.

OLIMPIO ALVARES

olimpioa@uol.com.br

Cotia

Ataque inimigo

Será que o prefeito Haddad está colocando essas centenas de radares porque imagina que a cidade está na iminência de sofrer algum ataque inimigo?

LUIZ FRID LUIZ

luiz.frid@globomail.com

São Paulo

Padrão PT de governar

Os radares fixos, visíveis e devidamente sinalizados conforme a lei, se multam, é por abuso ou descuido do condutor do veículo. Já os radares móveis, instalados em curvas, atrás de muretas, são obras de canalhas e covardes. A Prefeitura usa esses equipamentos para gerar receita, não para disciplinar. A cidade está tomada por motoristas acuados, que não sabem se, no meio de uma curva tem um radar escondido e uma placa com o limite de 40 km e todos andam em velocidade muito baixa. A cidade virou campo minado. Este é o padrão PT de governar.

LUIZ RESS ERDEI

gzero@zipmail.com.br

São Paulo

Degradação dos mananciais

É muito importante que o Estadão continue alertando as autoridades sobre as invasões que estão ocorrendo em nossos mananciais, porém é o mesmo que malhar em ferro frio, pois é notório que nossos políticos são os primeiros a incentivar esses crimes ambientais em busca de popularidade, pouco se importando com as consequências desastrosas que estão plantando para as futuras gerações.

EDSON BAPTISTA DE SOUZA

baptistaedson@ig.com.br

São Paulo

Caminho contrário

Em todas as cidades da Europa e do mundo civilizado, a área próxima aos rios e lagos são as mais valorizadas para empreendimentos imobiliários. No Brasil é diferente, as áreas próximas aos mananciais são tombadas, são as tais Áreas de Proteção Ambiental (APA). Uma vez criada a APA, essa área perde o valor, nada pode ser construído em uma Área de Proteção Ambiental. Inevitavelmente, essas áreas se tornam alvo fácil da ilegalidade, todas as APAs de São Paulo foram invadidas e se tornaram favelas. Alguém consegue imaginar se em torno das represas de Guarapiranga e Bilings tivesse havido uma urbanização planejada, de altíssimo padrão, com estações próprias de tratamento de esgoto, etc.? Seria o lugar mais nobre e caro da cidade, e as águas das represas estariam limpas.

MÁRIO BARILÁ FILHO

mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo

Lei de zoneamento

Parabéns ao Estadão pela matéria Jardins vai liderar em trânsito de carro e moto com novo zoneamento, diz estudo (28/8). Em tempos de discussão da Lei de Zoneamento na Câmara dos Vereadores, a reportagem serve de alerta para a importância da preservação de um bairro que agrega tantas as áreas verdes e que pode sofrer duras consequências com o aumento do adensamento e do trânsito. Os dados apresentados mostram a relevância de se manter as atuais características do bairro, a fim de evitar a degradação urbanística da cidade.

KARINA ROBIAL

karina.robial@iguanainvestimentos.com.br

São Paulo

Chacina em Osasco

Pior do que o bandido "comum" são os marginais travestidos de policiais que usam dos os meios das forças públicas, para cometer seus mais insanos e covardes delitos.

CÉLIO BORBA

borba.celio@bol.com.br

Curitiba (PR)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.