Fórum dos leitores

GOVERNO DILMA

O Estado de S. Paulo

02 Setembro 2015 | 03h00

A meta...

Considerando as pedaladas fiscais e o alívio que o Congresso Nacional deu na Lei de Responsabilidade Fiscal, agora com o envio do Orçamento de 2016 com déficit previsto de R$ 30,5 bilhões, dona Dilma está cumprindo à risca seu pronunciamento: “Não vamos fixar uma meta, e aí, quando atingirmos a meta, nós dobraremos a meta”. Tal afirmativa é válida também para o PIB negativo que vem por aí.

CLAUDIO JUCHEM

cjuchem@gmail.com

São Paulo

Estamos ferrados

“Se a meta, que não é meta, for atingida, nós vamos dobrá-la”... E nós vamos rezar forte para que a dona Dilma não atinja o rombo do Orçamento! Quem sobreviver pagará!

MILTON BULACH

mbulach@gmail.com

Campinas

Haja incompetência!

Deixa ver se entendi: são 39 “ministros”, mais milhares de servidores e nenhum deles tem competência para solucionar os problemas do Orçamento? O Congresso é que tem de resolver?

RICARDO SANAZARO MARIN

s1estudio@ig.com.br

Osasco

O rombo no Orçamento

A ânsia da equipe econômica de aumentar tributos é enorme, quase do tamanho do rombo orçamentário. Entretanto, ainda o Palácio do Planalto não demonstrou com clareza quais as despesas de governo que serão cortadas. E, na verdade, é o que mais quer ver o povo sacrificado com tributos neste país.

JOSÉ CARLOS DE C. CARNEIRO

carneirojc@ig.com.br

Rio Claro

Sentamo-nos à frente do gerente do banco, apresentamos nosso orçamento, estourado, e pedimos um empréstimo. Como o gerente nos avisa que nosso orçamento mostra que não podemos pagar, esperamos que ele nos indique onde cortar os gastos ou aumentar a renda. Pode ser aqui, ali e acolá. E os ministros, eles se prestam a esse serviço...? Realmente, trata-se de dois reis Sadim (Midas ao contrário): onde põem a mão vira “caca”.

M. MENDES DE BRITO

voni.brito@gmail.com

Bertioga

Governo fantasma do PT

Ao contrário do que muitos dizem, o Brasil continua tendo governo, e é do PT. Enquanto esse governo estiver aí, com suas arrogância, petulância e falta de decoro, será difícil convencer os brasileiros a se entregarem a mais sacrifícios. Tínhamos de estar nas ruas, todos os dias, exigindo a saída desse governo. As coisas nada mudaram, está aí Rodrigo Janot a demonstrar.

FÁBIO REIFF BIRAGHI

frbiraghi@gmail.com

Jaboticabal

Leniência

Fazendo uma análise dos fatos, e olhando com seriedade tudo o que os leitores escrevem para este Fórum, sentimos como o povo brasileiro está machucado. A roubalheira desenfreada não é sinal de amor ao povo e ao País, é uma realização das frustrações daqueles que avaliam tudo pela óptica individual. E como são muitos esses poderosos, vira um balaio de gatos. Quando falam que a preocupação é o povo, eu sinto ânsias. Como não amam o povo brasileiro, posam de amar os vizinhos e os ancestrais africanos... Para mim, não restam dúvidas: não se trata de amor aos desvalidos, não, é o pagamento da proteção que esses “camaradas” dão à vazão dos milhões roubados do povo.

JACI MANOEL DE OLIVEIRA

Jaci.oliveira@terra.com.br

São Paulo 

CORRUPÇÃO

Deferência na CPI

Poder, oh, poder! Afinal, qual o político que via partido nunca recebeu uns trocados da Odebrecht para suas campanhas? Como vão cuspir no prato em que comeram? Só têm mesmo é que elogiar (Marcelo Odebrecht). Se bobear vão pedir desculpas pelo ato falho de o terem convocado. Ainda bem que o juiz Sergio Moro não se senta à mesma mesa.

MANOEL BRAGA

manoelbraga@mecpar.com

Matão

Nada a delatar

Marcelo Odebrecht disse não ter o que dedurar e contou historinha das filhas, dizendo ficar bravo quando uma dedura a outra. Antes de falar em crianças, o prezado Marcelo deveria pensar que a corrupção tira a oportunidade de milhares de crianças terem uma alimentação adequada nas creches e que centenas de milhares de doentes morrem sem ter o devido atendimento em hospitais públicos. 

PEDRO SERGIO RONCO

sergioronco@uol.com.br

Ribeirão Bonito

Almas gêmeas

Que coincidência! Marcelo Odebrecht e dona Dilma comungam a mesma opinião: ambos condenam dedos-duros.

SERGIO S. DE OLIVEIRA

ssoliveira@netsite.com.br

Monte Santo de Minas (MG)

PLANOS ECONÔMICOS

Toffoli e a Febraban

A respeito da mensagem do leitor sr. Farid Nicolau Lauand (Esquecimento), publicada ontem, acerca da decisão sobre os planos econômicos, cabe esclarecer-lhe, e à população em geral, que as ações em todo o Brasil tiveram seu andamento suspenso pela caneta liminar do “excelente ministro” do STF Dias Toffoli, em ação movida pela Federação Brasileira de Bancos (Febraban). Palmas para ele.

WALTER SIMÕES

waltersimoesdx@hotmail.com

Santos

O PIXULECO 13-171

Piada pronta

O boneco sofreu um atentado à faca e por isso anda cercado por seguranças. Agora só falta a Prefeitura de São Paulo mandar prender o Pixuleco para criar a piada pronta: um pedido de habeas corpus para soltá-lo.

LUIZ ROBERTO DA COSTA JR.

lrcostajr@uol.com.br

Campinas

Objeto de desejo

No Capão Redondo, toda criança está pedindo um Pixulequinho ao pai. Deve virar febre no Natal. No carnaval, então, será o grande personagem da folia. Ninguém mais segura o Pixuleco!

DEVANIR AMÂNCIO

devaniramancio@hotmail.com

São Paulo

Sucesso carnavalesco

O maior sucesso em 2016: “Pi, Pi, Pixuleco,/ saiam da frente que lá vem o meu boneco!/ O Pixuleco já vem na frente,/ o povo grita, bate palmas de contente”.

CELITA RODRIGUES

celitar@hotmail.com

Avaré

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

PAÍS SEM FUTURO

O governo vai enviar o Orçamento com déficit. Em outras palavras: quem nascer a partir do ano que vem ou nasce devedor ou nasce inadimplente!

Marcos Catap marcoscatap@uol.com.br

São Paulo

*

O BRASIL SE AFOGA

 

Segundo Dilma, um ano atrás o Brasil nadava de braçadas, hoje a presidente reeleita reconhece que o Brasil está afogando. Quem é o culpado? FHC não é, pois faz tempo que saiu do poder. É proibido falar que a herança é de Lula, embora Dilma faça tudo o que o “mestre” manda. Em 2014 era o paraíso, em 2015 é o caos generalizado: inflação, desemprego, economia ladeira abaixo, despesas se elevando e receitas baixando, políticos da coxia e empresários parceiros envolvidos na Lava Jato. O Brasil desandou e o paliativo é criar mais imposto, em vez de reduzir substancialmente o efetivo, salários e mordomias nos Três Poderes. Bastam 12 ministérios, mas bancamos 39 e muitos penduricalhos. Pelo retrovisor vimos a gerentona no Conselho da Petrobrás comandar a aquisição da refinaria de Pasadena, mas ela é santa, a culpa é dos outros. FHC, Lula e Dilma são inocentes. Vai ver a culpa é de Cabral por descobrir o Brasil. E a nave segue...

Humberto Schuwartz Soares hs-soares@uol.com.br

Vila Velha (ES) 

*

CAIXA LIMPO

A presidenta gerenta competenta sapiens deixou o Brasil igual ao cofre do Adhemar: limpinho!

Ademir Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

*

PROPOSTA ORÇAMENTÁRIA

    

Penso que Orçamento Nacional com previsão de déficit prevê infração à Lei de Responsabilidade Fiscal. Por que essa tentativa do governo não cria um rebuliço? Já o problema para equilibrar o fluxo de caixa nas empresas é resolvido mediante redução de despesas e, quando isso não é suficiente, com dispensas de pessoal. O governo tem muitos custos que podem ser cortados no Senado, na Câmara dos Deputados, nos órgãos do Executivo. E por que não reduz os números de aparelhados? Ah, porque então o PT e os sindicatos se rebelariam. A sociedade então é chamada para alimentar esses modernos "nobres".

Harald Hellmuth hhellmuth@uol.com.br

São Paulo

*

CRISE ECONÔMICA

Peço encarecidamente, informações sobre os benditos economistas heterodoxos, principalmente sobre os encastelados nos FMI, Ipea, Brics, etc., que até agora não se manifestaram sobre a gravíssima crise  econômica financeira, que eles  deixaram no nossos colos. Por que eles estão amorfos?

 

José Guilherme Santinho msantinho@uol.com.br

Campinas

*

BRASIL EM RECESSÃO

Os brasileiros que se preparem para os anos de difíceis jamais vividos na história deste país. O Brasil está em recessão desde 2014, mas como estava em pleno ano eleitoral esse fato foi escondido dos brasileiros. Agora sabemos que a ecomomia em 2016 encolherá de 2% a 3% do PIB. Significa que continuaremos em recessão. Além disso, o governo deveria dar o exemplo cortando na própria carne gastos que hoje fazem com que o Brasil tenha um rombo de R$ 30 bilhões. O povo não suporta mais pagar tanto imposto e receber quase nada em troca.

Urias Borrasca urias@mercosulrefratarios.com.br

Sertãozinho

*

MATO SEM CACHORRO

Dilma não tem a menor noção do que deve fazer para governar o País, que ela mesmo transformou em um país sem futuro e sem dinheiro. Está presa a três fatores que a enfraquecem dia a dia: a crise econômica, a Lava Jato e a sua demolida base no Congresso. Ela tem grande participação nesses fatores: gastou como nunca no período em que deveria economizar para se manter no poder, fez vista grossa e fingiu não ver o que ocorria debaixo de seu nariz na Petrobrás e hostilizou seus aliados do PMDB até que ficou sem apoio. Dilma quebrou o Brasil e quis esconder isso na última eleição. Acusou seus adversários de quererem que o povo passasse fome e agora este mesmo povo vê que ela é que é a culpada dessa situação. Enquanto estávamos navegando na onda de benesses do mercado mundial, o que fizeram os petistas? Gastaram sem responsabilidade e nada fizeram para melhorar o País. A nefasta ideia de ressuscitar o imposto nefando do cheque (CPMF) foi logo percebida como um tiro no pé. Qual será a nova ideia luminosa que eles vão tirar da cartola? Impossível prever, mas estamos certos de que não será nada eficiente e inteligente. Enfim, estamos mesmo no mato sem cachorro, como dizem no interior. E agora, PT?

 

Maria Tereza Murray terezamurray@hotmail.com

São Paulo

*

CORTE DE DESPESAS

A presidente não sabe cortar despesas? Fale com qualquer ascendente à classe média, com os desempregados, com os micro empresários, etc. Na verdade imagino que não queira fazê-lo, tem medo que seu índice de aprovação chegue perto de zero, sem os pendurados nas tetas murchas. Se amasse o País mais do que o cargo, já teria saído, gerente fajuta que é.

André C. Frohnknecht caxumba888@gmail.com

São Paulo 

*

INADIMPLÊNCIA

Já que o governo anunciou sua inadimplência, não é o caso de enviar seu nome aos Órgãos de Defesa e Proteção ao Consumidor?

Luciano Harary lharary@hotmail.com

São Paulo 

*

CONTAS DE DILMA

Teria sido “um toma lá da ca”?  - Sobre o despacho de Janot às contas de Dilma Rousseff.

 

 

Robert Haller robelisa1@terra.com.br

São Paulo 

*

ENGAVETADORES

A crítica do ministro Gilmar “engavetador” Mendes ao procurador-geral, Rodrigo Janot, demonstra que o ministro não tem um mínimo de bom senso, pois está em sua gaveta um processo que pediu vista - e lá esqueceu -, que determinaria o fim do financiamento das campanhas eleitorais e seus pares no Superior Tribunal Federal (STF) já abriram seu voto pelo fim, é muita hipocrisia!

Marcos Barbosa micabarbosa@gmail.com

São Paulo

*

A TURMA DE JANOT

Não é preciso mandar o procurador “procurar a sua turma”, pois ele já a achou.

 

Sinclair Rocha  sinclairmalu@uol.com.br

São Paulo 

*

PARECER DE JANOT

Procurador Rodrigo Janot, depois de seu parecer favorável sobre as contas da Dilma, liberou geral no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Que vergonha! Este é o preço da indicação?

Olavo Fortes Campos Rodrigues olavo_terceiro@hotmail.com

São Paulo 

*

ARMADILHA DO PODER

Ainda bem que o procurador não entrou na armadilha que o antigo engavetador da era FHC (o ex-presidente também tinha seus esqueletos no armário). Ele preparou mais um processo fajuto contra a presidente/rainha, que mais tarde se transformaria em um salvo-conduto de sua pífia atuação. Mostrou competência e independência, não submissão!

M. Mendes de Brito voni.brito@gmail.com

Bertioga

*

INVESTIGAÇÃO NA GAVETA

Parece que o novo engavetador geral está a todo vapor. Nem os mais incautos acreditam na sinceridade dos motivos que embasaram o engavetamento, ops, arquivamento da investigação dos malfeitos da campanha eleitoral de 2014. A manifestação do digno vice-presidente do TSE, publicada no Estadão de ontem (1.º/9), diz tudo. Parabéns ao vice- presidente do TSE, ministro Gilmar Mendes!

Márcio G. R. De Vecchi oicram1@terra.com.br

São Paulo

*

ADVOGADO DE DILMA 

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, quando questionado no Senado sobre a existência de um “acordão” para salvar o governo Dilma, respondeu firme que não existia, mas, em seu despacho para não investigar as contas da campanha eleitoral da presidente, depois de algumas justificativas ele comentou, “que os derrotados devem reconhecer sua situação e se preparar para o próximo pleito...”! Com pouca variação de palavras não disse o mesmo que os petistas cansam de boquejar ao desafiar a oposição?  Depois dessa sou obrigado a concordar com o ministro Gilmar Mendes, que declarou para Janot não atuar como advogado da Dilma! 

Laércio Zanini spettro@uol.com.br

Garça 

*

DE HERÓI A VILÃO

Quem depositou suas esperanças em Janot, deve estar decepcionado com seu novo herói, que está mais com cara de vilão.

Giovani Lima Montenegro giovani.limamontenegro@gmail.com

São Paulo

*

JANOT E A MULHER DE CÉSAR

Dilma Rousseff pode dispensar os advogados que a defendem em diferentes processos. Reconduzido ao posto de procurador-geral da República, Rodrigo Janot não precisou dar tempo ao tempo para se mostrar agradecido.  Janot pode ter sido, mas não pareceu o que também se espera da mulher de César. Não há virtude cívica em Brasília.

José Maria Leal Paes josemarialealpaes@gmail.com

Belém (PA)

*

GOVERNO DILMA

Com relação às contas de Dilma, Janot amarelou?

Jose Roberto Iglesias rzeiglezias@gmail.com

São Paulo

*

MUDANDO DE IDEIA

Com relação a Janot, tenho de concordar com o que o ex-presidente e senador Fernando Collor de Mello o chamou!

Artur Topgian  topgian.advogados@terra.com.br

São Paulo

*

‘ATESTADO DE INCOMPETÊNCIA’

Parabéns ao Estadão pelo editorial Atestado de incompetência, por pela sua clareza, exatidão e completitude. Trata-se de um elegante atestado sem agressões aos adversários do País.

José Antônio Garbino ja.garbino@gmail.com

Bauru 

*

APOSTANDO NA IMPUNIDADE

Perguntado ao presidente da Odebrecht, Marcelo Bahia Odebrecht, na CPI da Petrobrás, se ele faria delação premiada ele respondeu: delator é dedo duro.  Prestando atenção ao significado da palavra delatar: achacar, acusar, culpar, denunciar, incriminar e inculpar, podemos concluir que, de fato, essas palavras têm peso. O depoente talvez tenha se esquecido de que no direito penal a palavra delação vem acompanhada da palavra premiada. Ou seja, denunciar alguém por sua culpabilidade em algum crime é assumir que errou e assim ganhar o prêmio da diminuição da pena, desde que possa comprovar.  Com relação à questão moral, essa envolve uma série de atributos, dentre os quais um pode ser destacado. Só tem moral para exigir algum direito quem procede corretamente. E o que se viu até agora com relação ao petrolão, no Código Penal tem nome de crime. Portanto, vamos aguardar se quem tem moral é quem age dentro da lei ou se é quem tem dinheiro. Vivemos novos tempos, onde corromper deixou de ser “ilícito” para significar “esperteza”. Marcelo Odebrecht está apostando na impunidade. Seu recado foi dado. 

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com

São Paulo

*

DELAÇÃO PREMIADA 

O diretor da Odebrecht, senhor Marcelo,  usou o termo  “dedurar” para lançar o descrédito na instituição da delação premiada,  bem como  sobre aqueles que estão colaborando com a Justiça,  e  não  “dedurando”, como ele quer fazer parecer.   Já o cidadão contribuinte não tem outra maneira de se referir a ele, senão como um grande “cara de pau”,  que não engana  mais  ninguém,  porque  nunca é demais lembrar  que  a delação premiada  de outrem  é  risco assumido  e   ele já tem idade suficiente para ainda  esperar  pelo  Papai Noel  ou  coelho da Páscoa. 

    

Arlete Pacheco arlpach@uol.com.br

Itanhaém

*

O SILÊNCIO DE DIRCEU

Zé Dirceu, ex- guerreiro do povo brasileiro, jura de pés juntos que é inocente e que as “consultorias prestadas à empreiteira, inclusive quando esteve preso condenado pelo mensalão,  foram realmente prestadas e não são propinas. Quando tem a chance de falar, para se defender das acusações, fica calado. O que ele ganha agindo desta forma?

 

Luiz Nusbaum, médico                     

lnusbaum@uol.com.br

São Paulo 

*

VIÉS ACINTOSO

 

É constrangedor o anacronismo de nossa Legislação penal. José Dirceu, cumprindo pena de prisão, é convocado para depor na CPI da Petrobrás e alega que permanecerá calado. Seu advogado afirma que Dirceu também ficará calado, quando for convocado para depor na Justiça Federal. A nosso entender, prerrogativas de se quedarem calados quando convocados a falar, seja em juízo ou em CPIs, têm custos elevados em alguns casos. É lícito pressupor que o silêncio dos depoentes, muito embora amparado na lei, é revestido de um viés acintoso. A lei, ora a lei...

 

Francisco Zardetto  fzardetto@uol.com.br

São Paulo

*

A GALINHA DOS OVOS DE CARNIÇA

O PT onde põe as mãos vira carniça, ao contrário da galinha de ouro! Agora é a Infraero. É neguinho esbanjando dinheiro por todos os lados, cuecas, sapatos, etc.

Ariovaldo Batista arioba06@hotmail.com

São Bernardo do Campo

*

NARIZ DE PALHAÇO

É impressionante a cara de pau do presidente da Câmara, Eduardo Cunha, em entrevista nos Estados Unidos, onde foi dar uma palestra sobre nada, puramente falar um monte de besteiras. Para isso, ele e mais alguns de seus amiguinhos deputados viajaram de classe executiva e certamente se hospedaram em hotel de luxo em Nova York, gastando o tão sofrido dinheiro nosso, pago pelos impostos escorchantes desse desgoverno. Depois vem com a cara lavada defender o corte nas despesas do governo. É muito cinismo e falta de caráter de um político que não dá a mínima para o eleitor que o elegeu (estou fora) e que coloca um nariz de palhaço em todos eles. Acorda, povo brasileiro!

Antonio F. Guimarães afergui@terra.com.br

São Paulo

*

QUEM PAGOU A CONTA?

No dia 30 de agosto de 2015, foi realizado um Congresso da CUT para sindicalistas e líderes de movimentos, no Hotel Ouro Minas. O Hotel, que tem a classificação de 5 estrelas, estava com aproximadamente 500 apartamentos reservados para os participantes do Congresso. A pergunta que não quer se calar é: Quem pagou as despesas dos militantes da CUT e dos seus familiares?

 

José Carlos Saraiva da Costa jcsdc@uol.com.br

Belo Horizonte

*

 

CARDOZO E A 3.ª LEI DE NEWTON

O ministro José Eduardo Cardozo, hostilizado no domingo (30/8) quando passeava na Avenida Paulista, em SP, lamentou o que classificou de “discurso de ódio e intolerância”, que vê crescer na sociedade, e disse achar que “alguns líderes incentivam esse ódio”. Instado a declinar seus nomes, o ministro esquivou-se, mas arrematou: “É fácil identificar”. Cardozo está certo. Todos sabemos, há tempos, quem mais promove o ódio e a intolerância no País: Lula, o chefão do PT. Quem não se recorda dos aplausos de Lula à professora comunista Marilena Chauí destilando seu ódio à classe média? Ou de quando o chefão petista ameaçou convocar o exército de Stédile (João Pedro Stédile do MST, outro comunista) para nos intimidar? E o que não dizer do discurso promovido desde sempre por Lula, fundado na luta de classes marxista-leninista? Há outros exemplos. Ante tanto ódio contra os que trabalham, produzem e fazem a diferença vindo do principal líder petista, o que esperava, Cardozo? Acaso S. Exª nunca ouviu falar na 3.ª Lei de Newton – a da ação e reação?

 

Silvio Natal    silvionatal49@gmail.com

São Paulo

*

REFUGIADOS 

Deplorável a política repressiva brutal de alguns países europeus em relação a populações civis que buscam refúgio na Europa, como a ação das forças armadas macedônicas exposta na primeira página do Estadão (22/8). Como o próprio nome sugere, refugiados são parte dos povos submetida a momentos de guerra e violência; podem permanecer para sempre no país de refúgio, como retornar à origem em tempo adequado. Bem observou a chanceler alemã, Ângela Merkel, de que os refugiados são o principal problema europeu a ser discutido presentemente. Lembre-se de que o velho continente também envelheceu no plano antropológico e que os imigrantes jovens poderão, inclusive, ser a solução para problemas que inevitavelmente atingirão essas sociedades.  

 

Amadeu R. Garrido de Paula amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.