Fórum dos leitores

MAIS UM DESEMPREGADO

O Estado de S. Paulo

11 Abril 2016 | 03h00

Exemplos de cidadania

É do conhecimento de todos que a deterioração das contas públicas, iniciada no segundo mandato de Lula e reproduzida em maior escala nos (des)governos Dilma, é a raiz da crise econômica que assola o País. Dentre os tantos efeitos da recessão, talvez o mais devastador seja o desemprego, que já ronda os 10%. E não é que, mesmo afastado da Presidência, Lula ainda age para aumentar o número de brasileiros desocupados? Quem não se recorda da analista Sinara Polycarpo Figueiredo, demitida do Santander por criticar a política econômica de Dilma durante a eleição de 2014? Decisão em primeira instância determinou indenização de R$ 450 mil a Sinara, justificada pela motivação política do afastamento – com notória participação do ex-presidente. E a história se repete. A vítima da vez é José Afonso Pinheiro, zelador do Condomínio Solaris, no Guarujá, coincidentemente demitido após prestar depoimento no caso que investiga se é de Lula a posse de um tríplex no edifício. José Afonso deverá esperar por quanto tempo até uma resposta das autoridades?! São esses verdadeiros patriotas, os que não se calam diante do projeto criminoso de poder, que devemos aplaudir. Além, é claro, de cobrar que justiça seja feita por meio de ressarcimento ao zelador.

ELIAS MENEZES

elias.natal@hotmail.com

Nepomuceno (MG)

Mesquinharia

A causa da demissão, na semana passada, de José Afonso Pinheiro do cargo de zelador do Condomínio Solaris, no Guarujá, segundo disseram a empreiteira OAS e o síndico do prédio, foi ele “ter falado demais” sobre o tríplex de n.º 164-A, supostamente pertencente ao “chefe e à madame” Silva. Com efeito, um ato covarde e mesquinho de pura vingança, com nove impressões digitais. Vergonha!

J. S. DECOL 

decoljs@gmail.com

São Paulo

Sorte grande

É óbvio que o zelador do tríplex do Lula, José Afonso Pinheiro, foi demitido por ter sido testemunha na investigação. Porém não fique triste, acho até que teve muita sorte, porque no caso do prefeito Celso Daniel oito testemunhas foram mortas.

IVAN BERTAZZO

ivan.bertazzo@gmail.com

São Paulo

Piada triste

Demitido o zelador do tríplex, mais uma vez resolveram tirar o sofá da sala. Enquanto isso, o “amante” despacha extraoficialmente em hotel de luxo.

EDUARDO A. DELGADO FILHO

e.delgadofilho@gmail.com

Campinas

CORRUPÇÃO

Não me deixem só

Em encontro com profissionais da educação, nossoex estranhou que na delação da Andrade Gutierrez faltassem tucanos. Ele admite nas delações a presença dos companheiros, noblesse oblige, mas sentiu falta de tucanos. Naturalmente, foram vazamentos seletivos, na opinião dele. O problema não são os malfeitos, é a falta de alguém para dividir a culpa, de antemão admitida. Alguém explica?

ALEXANDRU SOLOMON

Alex101243@gmail.com 

São Paulo

Lula se diz surpreso porque na mais recente delação “não aparece tucano”. Já o fato de petistas estarem envolvidos não o surpreende. Nem brasileiro algum.

PAULO DE ARAUJO PRADO

pprado999@gmail.com

São Paulo

Lula disse que o PT “só vai no cofre podre” e precisa aprender a ir no cofre do “dinheiro bom”. Se indo no cofre podre desviaram bilhões, quebraram a maior empresa do País e cometeram outros malfeitos, imaginem se tivessem ido no cofre do dinheiro bom. E qual é o cofre do dinheiro bom? O sr. Lula diga quem foi nesse cofre.

PANAYOTIS POULIS

ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

Freudiana

Lula está em guerra com seu “alter ego”. O Lula vermelho e sindicalista reapareceu e ataca, todo dia, o Lula milionário e boa vida. Qual deles sobreviverá?

JOSÉ SEBASTIÃO DE PAIVA

jpaiva1@terra.com.br

São Paulo

90% de desinformados

Lula declarou em evento fechado que todos os que foram à Paulista de amarelo não são seus inimigos, apenas pessoas desinformadas. Papel ridículo, digno do triste fim de carreira de um ex-presidente que se faz de cego e surdo (mas não de mudo) ante os quase 90% de reprovação do governo de sua incompetente pupila, diante da corrupção sem limites patrocinada por seu partido, amplamente comprovada pelo Judiciário e divulgada pela imprensa. E ante a grave crise econômica, política e moral que o País atravessa.

CELSO NEVES DACCA

celsodacca@gmail.com

São Paulo

Vazamentos

Em discurso para sua claque de mulheres, Dilma disse que haverá muitos vazamentos nos próximos dias com o objetivo de atingi-la. Palavras de quem sabe que há muito mais para ser vazado.

DIVA A. ANDRADE MAZBOUH

diva.am@uol.com.br

São Paulo

Dilma condena vazamentos seletivos da Lava Jato e a sociedade condena a corrupção onipresente em seus governos.

ROBERTO TWIASCHOR

rtwiaschor@uol.com.br

São Paulo

Se o impeachment não sair, as grades farão justiça!

LUIGI VERCESI

luigiapvercesi@gmail.com

Botucatu

Mais suborno?

A presidente ainda não sabe exatamente o que é suborno. Como ela mesmo diz, “deixa eu explicar”. A Operação Lava Jato é para esclarecer os casos de subornos e subornados. Usar dinheiro para comprar votos é crime de suborno, como oferecer cargos públicos também é.

WILSON MATIOTTA

loluvies@gmail.com

São Paulo

Como seria o Brasil

Gostaria de saber se o povo consegue imaginar como seria nosso país sem tanta corrupção. Pelo volume “desviado”, teríamos educação, saúde, transporte, segurança melhores que os do Primeiro Mundo. Triste o país que tem governantes desse naipe.

MARA BRUNA M. BARROS

mmichelettibarros@gmail.com

São Sebastião

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

R$ 15 MILHÕES NO LIXO

O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, assim como o seu partido, o PT, não tem zelo algum pelos recursos dos contribuintes. Prova desse desleixo é que o prefeito tem armazenado 156,5 toneladas de uniformes escolares (incluindo pares de tênis) que desprezou distribuir aos alunos da rede pública só porque a cor dos uniformes que o seu antecessor, Gilberto Kassab, encomendou é "azul e verde". Com isso, Haddad joga no lixo e sem piedade R$ 15 milhões só com gastos de armazenagem desses uniformes. E gastou outros milhões de reais em nova compra, porque é "vidrado pela cor azul escuro". O legado petista desta frescura é que com os R$ 15 milhões desperdiçados seria possível construir 15 creches e atender 10 mil crianças, entre as mais de 100 mil que precisam desse serviço e não encontram. Não é por outra razão que a popularidade do prefeito de São Paulo é tão medíocre quanto a de Dilma Rousseff.

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

UNIFORMES ENCAIXOTADOS

Até o fim do ano, o governo municipal vai gastar R$ 15 milhões em armazenagem de uniformes escolares. São milhares de peças de roupas e pares de tênis, pesando 156,5 toneladas, embalados e encaixotados, que foram colocados em depósitos de empresa especializada em Guarulhos. Com base no preço médio desses uniformes, de acordo com a licitação feita em 2014, calcula-se que esse dinheiro daria para construir ao menos três creches. Segundo reportagem do "Estadão", esses uniformes, destinados à rede pública, começaram a ser armazenados no governo do ex-prefeito Gilberto Kassab e assim permaneceram no de Fernando Haddad. Agora, a pergunta que não quer calar e cuja resposta o povo precisa e quer saber: por onde anda o Tribunal de Contas Municipal (TCM)? Será que essa quantidade, mais de 150 toneladas de uniformes, era mesmo necessária? Algo me diz que teve treta nessa operação... Que tal dar uma cutucada no ex-prefeito e hoje ministro do desgoverno federal que aí está, Gilberto Kassab?

Arnaldo de Almeida Dotoli arnaldodotoli@hotmail.com

São Paulo

*

GESTÃO 'PETRALHA'

Sem merenda, escolas de São Paulo dispensaram estudantes na semana passada. Enquanto isso, a gestão Haddad vai gastar R$ 15 milhões até o fim do ano para guardar 156,5 toneladas de uniformes escolares herdados da administração anterior (Gilberto Kassab), que por acaso é o ministro das Cidades do desgoverno Dilma. Este é mais um exemplo da gestão "petralha" que está acabando com o nosso país.

 

José Roberto Niero jrniero@yahoo.com.br

São Caetano do Sul 

*

EFEITO-DOMINÓ

Ao tomar conhecimento da falta de merenda nas creches e escolas públicas da Prefeitura de São Paulo, fico pensando como fomos enganados na campanha de 2014, em que Dilma Rousseff dizia que, se a oposição ganhasse, iria faltar comida na mesa do pobre. Pois foi justamente o oposto que aconteceu, com a crise econômica que ela causou para se reeleger. Sem contar que criança que não come também não aprende, porque não consegue se concentrar e prestar atenção na aula. Além disso, muitas mães estão sendo avisadas para não levarem seus filhos à escola, já que não há o que comer ali. Sem ter com quem deixar as crianças, elas não podem trabalhar e correm o risco de perder o emprego. Viram o efeito-dominó? Diante deste descalabro, pergunto: onde está o dinheiro dos nossos impostos (escorchantes)? Resposta: está financiando a corrupção.

Anna Carolina Meirelles annacmeirelles@gmail.com

São Paulo

*

CORRUPÇÃO NA MERENDA EM SP

O deputado estadual Fernando Capez (PSDB), dono de uma formação impecável, tendo tido uma atuação extraordinária à frente do Ministério Público paulista e sendo admirado para além dos círculos jurídicos, ganhou o meu importante (sim, importante!) voto nas últimas eleições pelo simples fato de considerá-lo o Eliot Ness do parquet estadual. Lembro que, assim como eu, a esmagadora maioria dos seus eleitores não confiou o voto em Capez em razão de promessas vazias de campanha, mas na certeza de que ele seria o mais preparado, o mais ilibado, detentor de um caráter indelével e indefectível, qualidades tão raras nos ambientes políticos. Então, é estarrecedor assistir a este talento todo e ao próprio caráter do deputado serem postos à prova com base numa denúncia que, sob a minha ótica, se configura a "pedofilia dos crimes políticos": a propina sobre merenda escolar! Neste país tão corrupto, não me lembro de ter ouvido uma história sequer de denúncia contra político que não tenha se materializado verdadeira. É uma pena! Seria mais um voto frustrado, tornando ainda mais distante e opaca a esperança de construirmos um Brasil melhor. Mas, quem sabe? Receberia com imenso prazer e júbilo a prova do meu engano. Portanto, espero que consiga defender de forma irrefutável o mérito da denúncia, e não com base naquela famoso clichê político cafona de que "repudia com veemência a acusação". Por fim, e apenas para que Capez saiba da seriedade e importância do meu voto nele, confesso com a máxima vergonha que essa foi a primeira vez, em mais de 25 anos como eleitor, que me lembro em quem depositei o meu voto para deputado estadual. Azar o nosso! Se não me lembrasse, não passaria pelo doloroso desprazer de escrever estas linhas.

Daniel Ostronoff d.ostronoff@romeirohermeto.com.br

São Paulo

*

DO ZERO

O Brasil corre o risco de ser governado por bandidos ou por suspeitos de bandidos que manipulam e fazem o que bem entendem no comando dos Poderes da União. A reforma política tem de destituir todos os cargos e funções públicas, convocando novas eleições para as Câmaras Municipais em todas as cidades, Assembleias Legislativas nos Estados, Câmara federal, Senado da República, Presidência da República, vice, governadores e prefeitos e seus vices. Os atuais representantes, que se elegeram com a propaganda enganosa, estão colocando a Nação em depressão total. Os atuais mandatos não merecem mais a confiança do povo. É preciso zerar tudo e começar tudo de novo. Nada fizeram para salvar a organização e a constituição do Estado. Estamos sob o comando dos republicanos que destituíram os monarquistas e mantiveram as oligarquias e os aristocratas, pensam que são os absolutos e são os grandes responsáveis pelo atraso que vivemos.

Sinésio Müzel de Moura sinesiomuzel.demoura@gmail.com

Campinas

*

CORRUPÇÃO NA REFORMA AGRÁRIA

Não é segredo de ninguém que o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) sempre foi braço direito do Movimento dos Sem Terra (MST), que foi criado pelo Partido dos Trabalhadores (PT). Por isso mesmo não é de admirar que tantos políticos estejam envolvidos com o recebimento ilegal de terras da reforma agrária. São 1.007 políticos. Entre eles, 847 vereadores, 96 deputados, 69 vice-prefeitos, 4 prefeitos e 1 senador. São inúmeros os problemas encontrados, que vão de funcionários públicos beneficiados e parentes que acabaram com vários lotes. Pessoas com vida mansa, proprietários de carros caríssimos, por exemplo, o que descaracteriza um sem-terra. Só nos causa espécie saber que somente agora a Controladoria-Geral da União (CGU) e o Tribunal de Contas da União (TCU) tenham investigado o caso, depois de tanto tempo, dando chance para que esta quadrilha deturpasse a reforma agrária no Brasil. É para duvidar, inclusive, dos valores pagos nas desapropriações das terras, o que geraria enormes prejuízos ao País, porque quem pega de um lado pega do outro. No Incra parece estar instalada uma verdadeira quadrilha, e com a conivência governamental.

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

 

*

QUE VERGONHA!

TCU manda Incra parar reforma agrária por identificar mais de 578 mil beneficiários irregulares, ilegalidade essa praticada com a conivência plena do MST.

Sergio S. de Oliveira ssoliveira@netsite.com.br

Monte Santo de Minas (MG)

*

ATO POLÍTICO NO PLANALTO

Levados pela presidente Dilma para promover mais um ato político no Palácio do Planalto (1/4), o MST ameaça invadir terras e ocupar gabinetes em protesto contra o impeachment da presidente da República. Até o juiz federal Sérgio Moro não escapou e foi chamado de "golpista" - e tudo com a complacência da presidente Dilma, defensora ferrenha das "liberdades democráticas", que permaneceu calada. Sempre é bom lembrar que existem de fato agricultores autênticos sem terra, filhos de pequenos agricultores que não cabem nas pequenas propriedades de seus pais, porém, a cada 10 assentados, pelo menos 5 ou mais acabaram venderam de imediato os direitos de posse dos seus lotes, e os que sobraram produzem com as próprias mãos. Será que existirá no futuro algum governo  que terá coragem para desmontar toda esta farsa?

Edgard Gobbi edgardgobbi@gmail.com

Campinas 

*

RESISTÊNCIA

Temos de resistir, mesmo estando evidente que ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) estão tirando obstáculos legais do pedido de impeachment para facilitar a vida de Dilma, mesmo diante das ameaças que a CUT e o MST estão fazendo contra a população, bem de dentro do Palácio do Planalto, transformado em palanque político de Dilma, já que ela não pode se expor em público, na certeza de ser corrida a poder de vaias! Temos de resistir, temos de resistir! Já pensaram se durante a Segunda Guerra Mundial, diante dos avanços de Hitler pelos países europeus, diante da destruição causada em Londres, os aliados tivessem se acuado diante das forças nazistas e Hitler tivesse ganhado essa guerra? Já pensaram o mundo em que viveríamos? Pois agora é a mesma coisa, vivemos um pesadelo diante da ameaça do bolivarianismo, das forças agregadas pelo Foro de São Paulo, um Lula apoplético nos prometendo o inferno. Vamos resistir! Vamos para a rua!

Mara Montezuma Assaf montezuma.scriba@gmail.com

São Paulo

*

MEU DEUS!

Apesar de o Brasil estar em péssima situação econômica, com desemprego, inflação, altos impostos, baixa ética governamental e roubalheira nas estatais, por causa dos indicados pelo governo para dirigi-las e ganhar doações eleitorais, ainda há mais de 100 deputados que vão votar contra o impeachment no Congresso. Meu Deus!

Mário A. Dente eticototal@gmail.com

São Paulo

*

SUPERPODERES

O Brasil pode se orgulhar de ser o país mais democrático do mundo. Aqui, o voto transforma os eleitos em seres superiores, intocáveis, inquestionáveis e indestrutíveis. Jornal da semana passada mostrou que o presidente de uma grande empresa confessou ter pago propina para beneficiar a presidente da República com doações eleitorais. Em qualquer país do mundo, esse governante seria afastado imediatamente, mas não no Brasil. A presidente superpoderosa dá risada de uma bobagem dessas, nada lhe acontecerá nem interpelada ela será. O presidente da Câmara dos Deputados já confessou que tem, sim, dinheiro em contas secretas na Suíça, é daí? O presidente do Senado paga a mesada da amante com propina de empreiteiras, todo mundo sabe disso, e qual é o problema? Ou o Brasil acaba com os superpoderes dos políticos ou os políticos superpoderosos vão acabar com o Brasil. 

Mário Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo 

*

O VOTO DE PAULO MALUF

A presidente Dilma Rousseff está tão azarada que até Paulo Maluf já disse que votará por sua saída do governo.

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

*

BOLA DE CRISTAL?

Vejam só o que disse o deputado Paulo Maluf (PP-SP): "Se estiver com boa saúde (em 2018, aos 87 anos), não preciso fazer campanha para deputado. É só dizer que sou candidato que estou eleito". Como assim, senhor Paulo? E ainda nos brindou com uma lição de vida às avessas: "Ser deputado é tranquilo... faço de conta que trabalho". Vale a pena ressaltar que, até aqui, segundo as leis brasileiras, Paulo Maluf e Eduardo Cunha são tão honestos quanto eu e você. 

Ricardo C. Siqueira ricardocsiqueira@globo.com

Niterói (RJ)

*

FINGIMENTO

Passo a achar que Maluf é que tem razão: eles fingem que trabalham...

Mauro Lacerda de Ávila lacerdaavila@uol.com.br

São Paul

*

SERÁ QUE ESCAPA?

A verdade inalienável é que Dilma Rousseff pode até ficar no poder como resultado da suprema desonestidade (inclusive intelectual) dos Poderes Legislativo e Judiciário brasileiros. Mas esta senhora não escapará das garras da Justiça americana. É bom ela já ter levado os netos à satânica Disney. Assim como seu aliado, Paulo Maluf, ela vai passar para a lista da Interpol.

Oscar Thompson oscarthompson@hotmail.com

Santana de Parnaíba

*

A DELAÇÃO DA ANDRADE GUTIERREZ

Assevera o ex-presidente da construtora Andrade Gutierrez, em delação premiada, que PT e PMDB receberam R$ 150 milhões em propinas da empresa, para serem gastos em campanha. Certamente que o dinheiro saiu da Petrobrás ou de outra estatal, prejudicando, pois, o povo brasileiro. Assim, ambos os partidos são colegas na felicidade de surrupiar e inimigos, após dividido o butim. Será? Daí que novas eleições merecem ser realizadas para que não ocorra o mais do mesmo, mas o diverso do mesmo e igual ao mais querido: decência, dignidade e espírito de desenvolvimento nacional. E há candidatos que preenchem esses requisitos. Geraldo Alkmin não seria um deles? E Serra não seria outro?

José C. de Carvalho Carneiro carneirojc@ig.com.br

Rio Claro

*

PROPINAS

Mais delações. Agora, a de executivos da Andrade Gutierrez, homologada pelo ministro do STF Teori Zavascki. Acusações contra novos personagens, como o ex-governador Sergio Cabral Filho, nem tão nova assim, pois volta e meia aparecia num ou noutro depoimento de delatores. Desta feita, aparece também o nome do ministro Ricardo Berzoini, da Secretaria de Governo. O delator, Otávio de Azevedo, ex-presidente da empresa, denuncia que as doações para as campanhas da presidente Dilma em 2010 e 2014 tiveram origem em superfaturamento dos contratos de algumas obras. E o governo segue batendo na mesma tecla, dizendo que as doações foram feitas na forma da lei e registradas legalmente. A doação não é ilegal. O que é ilegal é a origem do dinheiro da doação, que provém de superfaturamento de contrato de obras com a Petrobrás. Acrescentou que parte era dinheiro legal e parte oriunda destes superfaturamentos, que na realidade eram as propinas. A delação do ex-presidente da empresa acusa dois partidos: PT e PMDB. Surpresa? Não, né? Os dois dividiram R$ 150 milhões. E você acha que eles estão preocupados com você, trabalhador sem emprego? Ou que não tem atendimento nos hospitais públicos? Ou que não tem ensino público para si ou seus filhos? Você acredita realmente que eles estão preocupados com você e com o País, dando-lhe um sanduíche de mortadela?

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

*

INGÊNUOS E INEXPERIENTES

Na semana passada, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, recomendou ao Supremo Tribunal Federal (STF) anular a nomeação de Lula como ministro da Casa Civil. Nada se altera se o "cara" não puder ser ministro do desgoverno Dilma. Ele sempre foi, desde 2010, pois os que lá estavam não passavam de fantoches com barbantes (sujos) controlados por ele. Surpreendente, apenas a mudança repentina de opinião. Não me constava que o procurador-geral da República era inexperiente e ingênuo. Ah, ainda há esperanças no Brasil, se as condenações da Operação Lava Jato não forem "meladas" em instância superior, pois estamos vendo o caso de regeneração do deputado Paulo Maluf. Foi só ser ameaçado com prisão no exterior, já está impondo ética no seu PP. Bem, agora dirão que eu sou ingênuo e inexperiente.

M. Mendes de Brito voni.brito@gmail.com

Bertioga

*

LULA, O QUASE-MINISTRO

Considerando que o sr. Lula não está ministro, gostaria de saber se somos nós os idiotas contribuintes que estão pagando suas despesas de locomoção de São Bernardo do Campo (SP) para Brasília (DF), bem como sua estadia, suas refeições, etc. no hotel onde ele tem trabalhado contra o impeachment de Dilma Rousseff. Dona Dilma, quanto já gastamos até agora com este senhor condenado pela Justiça e protegido pelo Planalto?

Luiz Roberto Savoldelli savoldelli@uol.com.br

São Bernardo do Campo 

*

E AGORA?

Com a decisão do procurador Rodrigo Janot, fica agora mais difícil a distribuição de cargos entre quem votar contra o impeachment. Melhor fechar a loja, digo, o quarto de hotel.

Moises Goldstein mgoldstein@bol.com.br

São Paulo

*

CRISE BRASILEIRA - ACADEMIA

Dilma pedala. "Lulla" corre. Moro cerca. Janot relaxa. E o STF nada...

A.Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

*

LULA NÃO SE CANDIDATA

É fato: em política tudo pode, mas tenho para mim que, em caso de novas eleições, Lula não se candidata. Dada a situação de país arrasado em que se encontra o Brasil, o próximo presidente deverá fazer reformas duras e tomar medidas impopulares, atos para os quais Lula não tem competência nem quererá ele ficar mal perante seu eleitorado. De mais a mais, a derrota de Dilma - e é "para sempre" - começou no dia de sua vitória em 2014. Por que, então, Lula correrá o mesmo risco?

Marcia Meirelles marciambm@yahoo.com.br

São Paulo

*

CRIMES DE RESPONSABILIDADE

Relatório do Banco Central revelou que as chamadas "pedaladas fiscais", configuradas pelo Tribunal de Contas da União (TCU) como crime de responsabilidade, já existiram nos oito anos do governo FHC e nos seis primeiros anos do governo Lula, não passando dos irrisórios 0,03% do Produto Interno Bruto (PIB). A partir da metade do segundo mandato do governo Lula, o referido índice começou a apresentar crescimento vertiginoso, chegando ao segundo mandato da presidente Dilma (2015) em 1% do PIB. Cai por terra, então, a defesa feita pelo ministro da Advocacia-Geral da União (AGU), José Eduardo Cardozo, que sustentou a tese de que "o presidente da República no âmbito de seu mandato não pode ser responsabilizado por atos estranhos ao exercício de suas funções". O relator do processo de impeachment, deputado Jovair Arantes (PTB-GO), habilmente entendeu que os crimes também foram cometidos no exercício da função e recomendou o prosseguimento do processo de impeachment.

José Carlos Degaspare degaspare@uol.com.br

São Paulo

*

IRRESPONSABILIDADE

O ministro Nelson Barbosa continua afirmando que não houve crime de responsabilidade da "presidenta", de forma a defendê-la de acusação de impedimento. De fato, o crime é de total irresponsabilidade no trato da coisa pública e na gastança desenfreada. Infelizmente, a sra. Rousseff conseguiu fazer com o País o que foi feito com sua lojinha de quinquilharias.

Aparecida Dileide Gaziolla aparecidagaziolla@gmail.com

São Caetano do Sul 

*

DIAS TENEBROSOS

O brasileiro pode se preparar para viver os mais tenebrosos dias da República democrática. Inflação, recessão recorde, desemprego em massa, aumento da violência e da criminalidade, tudo será ocasionado pelos congressistas brasileiros que votarão contra o impeachment, vendidos ideológica ou materialmente (poder pelo poder) para o governo da organização que comanda o Brasil. Por outro lado, a instância máxima da Justiça nacional já demonstrou o quanto está contaminada e apodrecida. Quem confia no STF, que tem 8 dos seus 11 ministros indicados pelo PT e sabatinados pelo Congresso do mensalão? Estão de pé, ainda, as exceções dos bravos parlamentares, os agentes da Polícia Federal e promotores do Ministério Público, ao lado de Sérgio Moro, que representam a maioria esmagadora da vontade popular, lutando nos plenários e nos despachos da Lava Jato, como último foco de resistência. Mas será difícil. Negociatas, distribuição de cargos. O caso mais grave de corrupção da história do Brasil é tratado como um mercado. É nojento, fétido. O Brasil perdeu a decência, pela vocação à esquerda que matou valores e princípios morais nas últimas décadas. Só o resgate da austeridade salvaria a Pátria. O que mata, mais do que o corrupto, é a falta de educação moral e cívica para reagir. Educação que foi sufocada nos últimos 30 anos, por intelectualoides nas classes jornalística, artística, literária, pedagógica, amantes do marxismo-cultural. Especificamente nos periódicos de jornais e revistas existem as bravas exceções, graças a Deus. Socialismo, comunismo, populismo, regimes nefastos de poder de que o mundo desenvolvido se livrou (provas seculares da alegria histórica dos povos da extinta URSS com a Perestroika e da Alemanha com a queda do Muro de Berlim, entre outros exemplos de libertação), mas que o Brasil (e boa parte da América do Sul) segue venerando. A polarização política dos Estados Unidos da América deveria ser o exemplo a ser seguido, como maior democracia do mundo. De um lado, centro-esquerda. De outro, centro-direita. Porém o Brasil foi infestado por uma inversão de valores tamanha que não se pode mais pensar sem patrulhamento ideológico vermelho. Assim, a polarização nacional tem, de um lado, esquerda. Do outro, centro-esquerda. A ausência de uma centro-direita forte mata o País enquanto civilidade. O liberalismo tenta surgir, a partir do Partido Novo, mas ainda embrionário perto das hordas que incendeiam a Nação. Massa alienada, de um lado, exploração populista sobre os milhões de ignorantes, do outro, por alguns trocados, sem acesso ao emprego, à saúde e, principalmente, à educação. Manter milhões de analfabetos, reais ou funcionais, interessa muito ao projeto criminoso de poder. Quanto mais pensarem, mais podem contestar por que precisam sobreviver somente com esmola do Bolsa Família. O povo merece muito mais, mas os petistas não permitem que saibam disso. Por todo esse cenário, o impeachment não deve passar, salvo um fato novo que caia como uma bomba (como se as outras já não tivessem sido suficientes). Os crimes já são o bastante para a queda do Planalto e para a prisão do líder maior do partido, mas o escárnio do governo pela sua estrutura podre de aparelhamento é maior que toda e qualquer sanção. Ou, em última hipótese, por um improvável (mas não impossível) exame de consciência dos deputados federais e senadores do Brasil, postos à prova da credibilidade e confiança, desde o mensalão. Será? Apenas um aviso, que será uma previsão implacável: os mesmos que estão livrando o governo do impeachment serão cúmplices da quebra do Brasil. O tempo provará.

Carlos Port carlos.port@hotmail.com

São Paulo

*

TEMPOS DIFÍCEIS

O Brasil está passando por momentos muito difíceis e obscuros. Situação econômica e política num caos total, péssimos políticos, inflação alta, desemprego, corrupção, violência urbana, saúde e educação em péssimo estado e, para piorar, um STF rocambolesco, que não passa confiança a ninguém. Com ou sem impeachment, continuaremos sem rumo. Vai ser o salve-se quem puder.

José Roberto Iglesias rzeiglesias@gmail.com

São Paulo

*

EXÍLIO NO PRÓPRIO BRASIL

O Brasil nos últimos 16 meses está tendo de aprender a viver sem governo. Nada mais está rodando em nível de governo e os carros continuam andando, as luzes acendendo e a população vivendo. Vivendo com epidemias, violência e desemprego, que, pelo visto, não são assuntos de governo, porque com ou sem governo eles já existiam e continuam existindo. Este assunto é realmente nosso, que acordamos todos os dias para trabalhar e pagar nossas contas. Grande parte dos eleitores deste governo não paga impostos diretos, mas está sufocada com a carga tributária embutida em tudo o que consome. Nós, que empregamos e pagamos quase 40% do nosso faturamento para sustentar esta cambada de "sapiens" da classe política, nos vemos numa cilada. Para onde correr? Não temos alternativas. Estamos exilados em nosso próprio país.

João Bráulio Junqueira Netto jonjunq@gmail.com

São Paulo

*

A VIL POLÍTICA BRASILEIRA

A incerteza é a marca registrada do segundo mandato da presidente Dilma Rousseff. Os investidores aguardam ansiosamente alguma definição do desgastado quadro político, para retomarem a implantação de novos empreendimentos no País. Dilma não sabe lidar com a forte recessão, com a alta inflação, com o elevado desemprego e com o endividamento bilionário em que o Brasil está afundado. O governo federal não tem o apoio do Congresso e muito menos da população, que se expressa claramente em todas as manifestações de rua, exigindo a saída da presidente do poder. O vexame causado pelo primeiro escalão, negociando ministérios e outros cargos, desonra a classe política do Brasil perante o seu povo. 

José Carlos Saraiva da Costa jcsdc@uol.com.br

Belo Horizonte 

*

POSTE BICHADO

O poste bichou! No segundo mandato de Dilma Rousseff foram fechadas 10 mil fábricas no País. Este ano, só em São Paulo, fecharam 4.400 fábricas. O PIB recuou em 3,6%. Temos 9,6 milhões de desempregados e 40% da população adulta está negativada. O País, a produção e a política estão paralisados. O Congresso Nacional (salvo exceções) está contaminado por cupins ávidos por cargos e verbas. Dona Dil(e)ma, faça o obséquio de renunciar.

Arnaldo Ravacci arnaldoravacci05@gmail.com

Sorocaba

*

A ECONOMIA QUEBRADA

Palavras de Monica de Bolle: "Para que se chegue a um consenso do que é necessário (para corrigir a economia), será preciso explicar para a população brasileira por que as melhorias de vida que pensara ter alcançado eram apenas fruto de uma falácia, de um grande embuste. Embuste transvestido de 'preocupação com os pobres'". Isso é verdade e vai custar uma compreensão não exigível. Não é a primeira vez que tal coisa acontece na história. O nazismo é um exemplo; ocorre que criou a guerra para escapar da revelação da insustentabilidade da economia.

Harald Hellmuth hhellmuth@uol.com.br

São Paulo

*

NÃO VAI TER GOLPE, VAI TER IMPEACHMENT

Como cidadã brasileira e pagadora de impostos, estou indignada ao ver como este desgoverno desperdiça o dinheiro suado do trabalhador. Dilma cortou verba de sete programas sociais. Do Ministério de Minas e Energia, cortou 60% do seu orçamento; a Secretaria de Aviação Civil teve um corte de 42%; houve corte no Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, de 27%; e nos Transportes, de 19%. Na Educação, o Pronatec sofreu corte de mais da metade em seu orçamento, programa este que foi sua bandeira durante o programa político de 2014. Assim que a eleição foi proclamada, Dilma ficou devendo aos brasileiros o Brasil cor de rosa prometido em campanha. Com a taxa de desemprego em dois dígitos, economia travada e indústria parada, eis que o governo Dilma nomeia Lula para comprar o voto de deputados a um custo altíssimo. São deputados do baixo clero que estão à venda. E por que nada é feito para que essas práticas sejam coibidas? O roubo na Petrobrás vai ficar por isso mesmo? Dilma acusa o impeachment de golpe, Lula, em seu terceiro mandato, critica o vice-presidente por não ter votos. E Lula foi eleito? Onde vai parar tudo isso? De fato, Dilma tem razão, não vai ter golpe, vai ter impeachment. Este governo acabou, está parado, sem apoio e sem moral. 

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com

São Paulo

*

O ORÇAMENTO GOVERNAMENTAL

De rombo em rombo, o governo de dona Dilma enche o papo e o povo, nós, mortais brasileiros, paga a conta!

Milton Bulach mbulach@gmail.com

Campinas

*

BARCO ABANDONADO

  

Faltou dizer a Dilma Rousseff: "Vada a bordo... c...!".

 

Jorge Zaven Kurkdjian zavida@uol.com.br

São Paulo

*

ARMADILHA

O governo federal, para tentar reverter o atoleiro a que empurrou a economia e os trabalhadores, resolveu, sempre privilegiando os bancos, autorizar o trabalhador a usar até 10% do seu FGTS para tomar crédito consignado. Em outras palavras, primeiro o governo reduziu e dificultou as regras do auxílio-desemprego, depois gerou um desemprego que atinge cerca de 10 milhões de trabalhadores e, agora, incentiva o mesmo trabalhador a usar o seu FGTS, que seria sua última reserva financeira caso ele viesse a perder o emprego, a entregar essa suada e preciosa poupança para o banco que irá lhe emprestar dinheiro, contribuindo ainda mais para seu endividamento. Isso é o PT, "sempre pensando em você". Fuja dessa armadilha.

Claudio Juchem cjuchem@gmail.com

São Paulo

*

BANCOS

Para o presidente do Banco Itaú, o Brasil atravessa um dos períodos mais desafiadores da história, mas diz que há sinais positivos, como a inflação em queda. Eu gostaria de saber onde. Claro que, para os banqueiros, as coisas vão bem: cobram 431,4% de juros ao ano nos cartões de crédito; 256,4% no cheque especial; taxas sobre taxas; talões de cheque; extratos; DOCs; etc.

 

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

ESCÂNDALO NA CEF

A Caixa Econômica Federal (CEF) vendeu em 2015, por R$ 493 milhões, "créditos podres" de R$ 13 bilhões. Pior, o governo criou uma empresa pública (Emgea) para absorver prejuízos dos bancos oficiais com devedores. Pasmem! Em 2014, a Emgea comprou 87% dos "créditos podres" da Caixa. Tudo para financiar programas do governo lulopetista. A inadimplência do programa Minha Casa Melhor é de 35,2%, que foi rejeitado pela equipe técnica do banco. Mais um escândalo da tigrada. Impeachment já!

Oswaldo Baptista Pereira Filho oswaldocps@terra.com.br

Campinas

*

PROFILAXIA PELA PREVIDÊNCIA

O desgoverno petista iniciou a reforma da Previdência pública com o aumento abusivo dos remédios essenciais para manter a vida das pessoas idosas. Com este aumento dos remédios, muito acima da inflação, o desgoverno petista espera exterminar muitos aposentados, que, segundo análise de institutos governamentais, são os responsáveis pelo rombo da Previdência pública, pois só contribuíram com o INSS por mais de 35 anos e insistem em viver por mais de 65 anos. Parabéns aos governantes por tão "esperta" decisão de profilaxia social.

Vagner Ricciardi vb.ricciardi@gmail.com

São Vicente 

*

EM QUE PLANETA VIVE A PRESIDENTE?

Dilma Rousseff esteve na sexta-feira no Rio de Janeiro, onde a assistência médica pública está em frangalhos e onde os servidores públicos vão receber os salários em prestações, e tem a coragem de falar que, se o Brasil consegue fazer uma Olimpíada e Jogos Paraolímpicos, o País pode voltar a crescer. Realmente, ela está completamente fora do comando do governo.

Silvio Leis silvioleis@hotmail.com

São Paulo

*

OBRA DE RISCO

A linha 4 do Metrô do Rio de Janeiro apresenta rachaduras nas calçadas, promove constantes medições das movimentações dos edifícios vizinhos às obras. Mas os acidentes já ocorridos em Ipanema e no Jardim de Alah e, principalmente, as declarações dos funcionários do metrô que dizem tratar-se de uma obra de risco assustam os moradores do Leblon. Que risco é este? Como assim? A população está sujeita a riscos? O Crea-RJ não se pronuncia? Ninguém fala nada? Algumas falhas nas calçadas da Av. Ataulfo de Paiva, perto da Praça Antero de Quental, são constantemente dissimuladas com obras quebra-galho, porém suas marcas estão lá para quem quiser constatar. Será que a pressa para terminar a obra, antes da Olimpíada, é mais importante que a vida dos cidadãos que estão sujeitos à chamada obra de risco?

 

Mário Negrão Borgonovi marionegrao.borgonovi@gmail.com

Rio de Janeiro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.