Fórum dos Leitores

.

O Estado de S.Paulo

03 Abril 2017 | 05h00

GOVERNO TEMER

Crer ou não crer...

... eis a questão. A mais recente pesquisa do Ibope encomendada pela Confederação Nacional da Indústria, divulgada em 1.º/4, revelou que o governo do presidente Michel Temer está em queda livre: a avaliação negativa passou de 46% em dezembro para 55% em março. A amostra foi colhida em três dias, 16 a 19 de março, em 126 municípios. Gostaria de saber, assim como milhões de brasileiros, a metodologia empregada, se foi por telefone, mala-direta, redes sociais, ou porta em porta por pessoal contratado. Juro por tudo quanto é santo que nunca tive o prazer de participar de uma pesquisa para tomar conhecimento do conteúdo desse famoso questionário. Não concordo com algumas atitudes do sr. presidente, mas acredito que mereça nossa confiança. Tem redobrado esforços para tirar o País do caos político, financeiro e social que os governos petistas deixaram, tem apresentado ao Congresso propostas impopulares vitais para a retomada do crescimento, conta com uma equipe econômica capaz e um Banco Central independente, que juntos, neste curto espaço de tempo, conseguiram domar a inflação, o imposto mais cruel no bolso do trabalhador. Serão as cidades pesquisadas maciçamente redutos do “fora Temer” ou realmente se tratou de um 1.º de abril? 

SÉRGIO DAFRÉ

sergio_dafre@hotmail.com

Jundiaí

Péssima comunicação

A última pesquisa que revelou o baixo índice de aprovação ao governo Temer reflete a falta de esclarecimentos sobre a reforma da Previdência. A maioria da população não sabe como as alterações afetam sua aposentadoria e quais as consequências para o futuro das próximas gerações. Aproveitando-se dessa situação, os adeptos de Lula vão às ruas se manifestar contra o governo da única maneira que conhecem, para desafogar seu inconformismo com o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff: apelando para a truculência, a força bruta, a incivilidade e a balbúrdia.

MÁRIO NEGRÃO BORGONOVI

marionegrao.borgonovi@gmail.com

Rio de Janeiro

Alívio

Ufa! Finalmente Temer se afastou de Renan. Quem o tem como “amigo” não precisa de inimigos. O próximo passo é tirá-lo da liderança do PMDB.

LAERT PINTO BARBOSA

laert_barbosa@globo.com

São Paulo

Agora, definitivamente, Temer não termina o governo. Renan Calheiros sempre pula do barco antes e se ajeita no do comandante seguinte.

VITAL ROMANELI PENHA

vrpenha@terra.com.br

Jacareí

O governo Temer está recebendo o maior dos elogios que todo governante almeja: críticas de Renan Calheiros.

RUBENS TARCÍSIO STELMACHUK

Curitiba

TERCEIRIZAÇÃO

Incertezas

A aprovação da lei que libera a terceirização me deixa em dúvida quanto às apregoadas vantagens para o trabalhador. Coincidentemente, o Supremo Tribunal Federal, embora por estreita maioria, em decisão da semana que findou vem de isentar a administração pública de responder por dívidas trabalhistas de terceirizadas, discriminando-a do contratante privado, que, no caso, continua responsável. Vale dizer que o trabalhador, em obra pública, poderá ficar a ver navios, como se diz na gíria, caso sua empregadora venha a falir, como ocorreu ainda recentemente com empregados de terceirizada a serviço da Petrobrás, aqui, em São Bernardo. Pior que isso, terceirizadas há que, maliciosamente, mantêm em folha número de trabalhadores superior ao seu efetivo. Já ouvi de um desses empreiteiros, referindo-se a uma obra dele: “Tenho lá 200 homens e 300 na folha”. Essa liberação pode ter-se inspirado em boas intenções, mas parece mais uma ilusão. Algo como quando da aprovação da Lei 605, de 5 de janeiro de 1949, que instituiu o descanso semanal remunerado. Então, ainda garoto, era eu mensageiro do Sindicato dos Marceneiros quando ouvi do barbeiro que lá servia opinar que se retornava à escravidão. E explicava: essa lei atende ao interesse do empregador, na medida em que impõe a obrigação da assiduidade; se o empregado chegar atrasado ou faltar um dia, perde a remuneração de dois ou mais em caso de feriado; antes o trabalhador faltava à vontade e só perdia a remuneração do período não trabalhado. Do jeito que está, a terceirizada vai enriquecer com o produzido pelo trabalhador, que colherá apenas uma pequena parte.

NEVINO ANTONIO ROCCO

nevino_a_rocco@yahoo.com

São Bernardo do Campo

EM SÃO PAULO

Mosaico destruído

Realmente, João Doria não tem noção do impacto que está causando com sua política de “limpeza”. Qualquer semelhança com autoritarismo não é mera coincidência. A maneira discricionária como o prefeito de São Paulo vem conduzindo a suposta “revitalização da cidade”, cobrindo murais e grafites, está deixando a cidade ainda mais cinza. A sua intenção de homogeneizar a cidade é uma agressão aos cidadãos paulistanos, ao seu patrimônio cultural, e atenta contra a identidade e a diversidade de São Paulo. Ontem ficamos sem o mural do Kobra, hoje não temos mais o sol da Praça do Pôr do Sol.

ISABEL E TERESA LOTUFO

teresa.lotufo@gmail.com

São Paulo

Mobilidade

Mereceria maior destaque a liberação total de carros no Viaduto da 9 de Julho. Espera-se que, aos poucos, o programa visando a dificultar a mobilidade do paulistano, implantado pelo prefeito anterior por motivos ideológicos, seja desmontado.

ALVARO AUGUSTO F. DE ARRUDA

alvaro.arruda@uol.com.br

São Paulo

GOLPE NA VENEZUELA

Maduro volta atrás

É de questionar: se Cristina Kirchner e o PT de Lula ainda estivessem no poder, o déspota da Venezuela teria voltado atrás da decisão de transferir para o Supremo Tribunal o comando do Legislativo...?! A pronta declaração de repúdio do governo brasileiro e dos países-membros do Mercosul, a pressão internacional, incluindo a Organização dos Estados Americanos, foram decisivas para Nicolás Maduro recuar do golpe. Aliás, como vive hoje a população venezuelana, em pleno regime ditatorial? Economia em depressão, inflação de 2.000%, mercados sem alimentos, falta de medicamentos, etc... Por que a esquerda lulopetista e aliados não vieram a público para defender o governo bolivariano, que idolatram?

PAULO PANOSSIAN

paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

NA CASA DOS BILHÕES

Estou aqui imaginando quanto o PT e seus deputados pagarão de multa aos cofres públicos, se condenados por esquema de corrupção na Petrobrás, considerando que o Ministério Público multou o Partido Progressista (PP), pessoa jurídica, e mais dez deputados e ex-deputados da legenda em R$ 2,3 bilhões. Embora saibamos que jamais estes valores serão pagos, uma vez que não passa de utopia, no caso do Partido dos Trabalhadores (PT), com certeza e comparando com o PP, o valor passará de R$ 20 bilhões. Ou será que não?

Arnaldo de Almeida Dotoli

arnaldodotoli@uol.com.br

São Paulo

POR ONDE ANDA MALUF?

Mais inacreditável do que a notícia que nos deu conta de que políticos do PP receberam mais de R$ 2 bilhões em propina é não ver nessa extensa lista de ladrões o nome de Paulo Maluf. Provavelmente, é porque ele desviou tanto dinheiro público ao longo da sua carreira política que já não precisava mais.

Ronaldo Gomes Ferraz

ronferraz@globo.com

Rio de Janeiro

O PASSADO NO FUTURO

Quem disse que Paulo Maluf (PP) é um “morto político”? Acaba de indicar o presidente da relevante Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Dá um desânimo...

Luiz Frid

luiz.frid@globomail.com

São Paulo

CORRUPÇÃO NO RIO DE JANEIRO

Polícia Federal prendeu cinco dos sete conselheiros do Tribunal de Contas do Estado Rio de Janeiro (TCE-RJ). Os gatunos engravatados não respeitaram nem o nome do edifício da Corte, Rui Barbosa. A esta altura, o ilustre e respeitado jurista e senador revira-se no túmulo, cada vez mais envergonhado de ser brasileiro.

Vicente Limongi Netto

limonginetto@hotmail.com

Brasília

POBRE RIO

O Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE -RJ) informou que a sessão plenária prevista para o dia 30/3 foi suspensa por falta de quórum, tendo em vista que, conforme o estabelecido em lei complementar de 1990 e em regras regimentais internas, é  necessária a presença de um mínimo de quatro  conselheiros, o que não seria possível ocorrer. Só não foi explicitado, no entanto, o motivo das ausências, talvez por ser considerado constrangedor o anúncio dando conta de que alguns conselheiros e o próprio Presidente do tribunal encarregado de monitorar as finanças do Estado foram presos em operação da Polícia Federal, resultado de investigações ligadas a propinas e influências políticas nas análises das contas. Pobre Rio.

Paulo Roberto Gotaç 

prgotac@hotmail.com

Rio de Janeiro

MÁ GESTÃO GENERALIZADA

A Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT) mais uma vez teve prejuízo: no último ano foi de R$ 2 bilhões. Uma companhia com mais de 300 anos de existência precisa de inovações e mudanças, começando pelo próprio nome, em que telégrafos é coisa dos séculos passados. Modernidade e gestão são a questão. No Tribunal de Contas do Estado (TCE-RJ) o presidente e quatro conselheiros foram presos na Operação Quinto do Ouro, da Polícia Federal. Todos são “suspeitos” de diversos envolvimentos em esquemas de propinas. É mole? O TCE é órgão que fiscaliza a gestão dos recursos públicos, legalidade e transparência do dinheiro gasto pelos políticos e seus secretários. Dizer o quê? A mulher de Sérgio Cabral, ex-governador (ladrão) do Rio de Janeiro, foi solta. Ela recebeu o beneficio de prisão domiciliar por ter filho menor de 12 anos, e, como a marido bandido também está preso, o filho não pode ficar desassistido (proteção/cuidado). Enfim, as más gestões públicas associadas à corrupção e às ambições pelo quero mai$ ilícito$ revela que a maior doença de todos os tempos dos seres “racionais” é o dinheiro. Ou não?

Alex Tanner

alextanner.sss@hotmail.com

Sumaré

DEDETIZAÇÃO CARIOCA

Nada adiantará tantas reclamações e lamentações dos cariocas e especialmente em particular os servidores públicos ativos e inativos pelo atraso no pagamento dos seus vencimentos pelo comportamento falho e corrupto do seu governo estadual! Mandar dedetizar agora a sede do governo, Assembleia Legislativa e Tribunal de Contas, após prender os ratos daninhos que corroeram a economia do seu povo?

Benone Augusto de Paiva

benonepaiva@gmail.com

São Paulo

IGUAIS?

Com Adriana Ancelmo, os doutos e ilibados da magistratura no Brasil, definitivamente, ignoram o preceito constitucional, Art. 5.º, “todos somos iguais perante a lei”!

Francisco José Sidoti

fransidoti@gmail.com

São Paulo

CRIME E CASTIGO

No Brasil basta ser rico para usufruir da bondade da nossa Justiça, que de cega não tem nada. Essa história do juiz da 7.ª vara criminal federal ter concedido liminar para a ex-primeira-dama do Rio Adriana Ancelmo cumprir prisão domiciliar é uma afronta contra a população, com toda certeza ela vai dar risada de tudo isso, gastar a grana que roubou junto com o marido, vai usar celular, internet, tomar bons vinhos, comer caviar e fazer da sacada do prédio uma banana para o povo.

José Roberto Iglesias

rzeiglesias@gmail.com

São Paulo

ESCLARECER É PRECISO

Foi com base na Lei 13.257/2016 que a mulher do ex-governador Cabral teve sua prisão preventiva transformada em prisão domiciliar. Por ser mulher, e ter filho de até 12 anos de idade incompletos. Mas essa mesma lei também prevê que, se um homem for o único responsável pela criança, igualmente, receberá o mesmo beneficio. Essa lei tem o objetivo de garantir o desenvolvimento da criança e, notadamente, fortalecer a família.

Arcangelo Sforcin Filho

arcangelosforcin@gmail.com

São Paulo

TOGA AGRADECIDA

Provável razão para que a Adriana Ancelmo deixasse a prisão e fosse para casa cumprir confortavelmente sua pena, após ela e o marido terem quebrado o Rio. Sérgio Cabral deve ter mandado um recado ao chefão da organização criminosa (orcrim), aquele que se intitula a alma mais honesta do País: “Ou dá um jeito de soltar minha mulher, ou vou delatar tudo!” Aí a juíza do STJ atendeu ao poderoso chefão, que, diga-se de passagem, foi nomeada por ele.

Paulo R. Kherlakian

paulokherlakian@uol.com.br

São Paulo

SERÁ QUE O PRÓXIMO SERÁ CABRAL?

Quando um membro de uma organização criminosa é preso, a turma do lado de fora fica em suspense, principalmente quando envolve esposa e filhos do detido.  Por isso não é de estranhar que a esposa de Sergio Cabral tenha sido premiada com prisão domiciliar, autorizada por uma juíza sem muita qualificação do STJ, nomeada pelo “ex-presidente Lula”. Sabemos que Cabral recebeu uma verdadeira procissão de visitantes em seu cárcere, que provavelmente levaram recados ao “chefe maior da orcrim”: Ou dá um jeito de libertar minha esposa, ou faço delação premiada. Deve ter deixado o “chefe da orcrim” em polvorosa já que na internet existe um vasto documentário de como Lula e Cabral lutaram para que a Copa e Olimpíada fossem no Brasil, o que mais rendeu propinas milionárias. Quem sabe o próximo a receber prisão domiciliar será Sergio Cabral? A conferir...

Beatriz Campos

beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

SALVE-SE QUEM PUDER!

Em sendo verdadeira a notícia segundo a qual o ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral estuda acordo de delação premiada, não ficará pedra sobre pedra. O homem sabe muito, um verdadeiro arquivo ambulante. Cala-te boca!

José Marques

seuqram.esoj@bol.com.br

São Paulo

O CÉU DA POLÍTICA

Observadores do céu da política brasileira detectaram a aproximação de um cometa. O horizonte avermelhado com ar difícil de respirar é prenúncio de sua passagem. O evento está previsto para outubro de 2018, repetindo-se a regularidade de 29 anos ocorrida nos eventos anteriores, em 1960 (Jânio) e em 1989 (Collor). Num país envolto em misticismo e religiosidade, o impacto da notícia causa apreensão e medo em meio às tensões vindas do céu.  Uma luz brilhante irradia esperança, antes que se limpe o ambiente e se ponha ordem no caos. Dizem que o cometa já havia sido visto em outubro de 1930 (Vargas), em órbita irregular de 30 anos, para reduzir seu tempo de passagem em um ano após o evento seguinte, mas os céticos não acreditam em nada disso, pois é tudo coincidência.

Luiz Roberto Da Costa Jr.

lrcostajr@uol.com.br

Campinas

NEW TUCANO

Voto no PSDB desde sua fundação, no entanto não aguento mais a passividades dos caciques em relação aos descalabros de 13 anos de lulopetismo, a começar pelo decano FHC passando pelos eternos presidenciáveis Aécio, Serra e Alckmin, que continuam se digladiando na fogueira das vaidades pelo “puder”... Finalmente, aparece João Doria Junior, que, marqueteiro ou não, é o único que fala com todas as letras aquilo que está entalado na garganta de todo mundo: o PT é uma organização criminosa que fez nosso país retroceder dez anos, comandada por um bandido chamado Lula.

André A. B. Monteiro

andremonteiroprojetos@gmail.com

Campinas

PLANO DE METAS FACTÍVEL

O prefeito de São Paulo, João Dória Jr., em apenas 90 dias de mandato, surpreende o exigente munícipe da Capital. E as pesquisas já indicam 70% de aprovação de seu governo.  Dória, quando apresenta seu plano com apenas 50 metas, a serem atingidas até 2020, demonstra que é um administrador que não quer ludibriar o povo. Mesmo porque o prefeito anterior, Fernando Haddad (PT), listou 123 metas, e entregou a metade! E as prioritárias, como construção de hospitais, corredores de ônibus, e construção de creches, etc., não foram cumpridas! Já o atual prefeito tem tudo para concluir o que prometeu, mesmo neste momento de crise econômica e arrecadação baixa. Já que, com a credibilidade que tem perante os investidores, deve arrecadar com programa de privatização algo próximo de R$ 5 bilhões. E as 50 metas definidas pelo prefeito vão consumir R$ 8 bilhões. Ou seja, é factível, já que, do próprio orçamento recursos podem sobrar para esses importantes investimentos.  Político ou não, João Dória, pode se tornar modelo de bom administrador público, em condições de dignificar o voto do eleitor...

Paulo Panossian

paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

VAIDADES

Cadê o respeito pelos eleitores que votaram no João Dória para prefeitura, e não para governo ou mesmo o Planalto? O PSDB não ajuda em nada o seu próprio partido, que parece rachado em nome da vaidade e do poder. Cabe ao prefeito fazer jus ao seu mandato e deixar que eles briguem entre si. Que vergonha.

Leandro Ferreira

leandroferreoradasolva@gmail.com

São Paulo

DORIA GOLPISTA?

Não surpreende que um manifestante pró-Dilma tenha chamado João Dória de golpista, embora o prefeito de São Paulo, eleito democraticamente pelo voto direto, nunca tenha participado ativamente de campanha pelo impeachment de Dilma Rousseff. Afinal, pela lógica petista, dilmista, lulista e afins, não existe meio-termo: qualquer indivíduo que não esteja alinhado com o pensamento lulopetista é automaticamente golpista, sem dó nem piedade. É a isto que se dá o nome de esquerdopatia?

Luciano Harary

lharary@hotmail.com

São Paulo

JULGAMENTO NO TSE

O julgamento que cassaria a chapa Dilma/Temer, no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), subiu no telhado, como se usa dizer. Isso porque já há ministro sinalizando o pedido de vista ao processo. Ora, não é preciso ser nenhum cientista político para entrever que tal aconteceria. Estava no “script”. Sem ironia, por favor!

Luís Fernando

luffersanto@bol.com.br

Laguna (SC)

SALVAÇÃO DO EMPREGO

Diz o ditado popular que, em terra de cegos, quem tem um olho é rei. A quadrilha que quebrou o Brasil – comandada pelo PT e seus sicários, não cometeram “erros”: O plano diabólico era tomar o poder e mantê-lo para eternidade, dada a cegueira popular, quando os aparelhos do estado contra o regime e solapando o sistema com seus recursos. O caso é que gostaram demais da grana fácil. Lênin – parafraseando Marx – afirmava que haveria de aniquilar o pequeno capitalista na origem, para que não se tornasse grande. Considerando isso, a aprovação do projeto de Lei 4.302/1998, sobre a terceirização de atividades empresariais e que ficou na gaveta por 19 anos – pode ser a tábua de salvação do emprego depois da longa crise que assola o País, 14 anos sob o desgoverno petista – é essencial para a saúde econômica do Brasil e notável apoio ao empreendedorismo, gerador nato de milhares de postos de trabalho, receitas e renda. Com o projeto sendo sancionado pelo presidente Michel Temer, esta modalidade de trabalho deixou de ser apenas aquelas como setor de limpezas e vigilâncias nas empresas etc. Com o projeto, a terceirização da mão de obra se torna competitiva, não se tratando mais de atividade, meio apenas, mas podendo ser contratado o empregado, por exemplo, que faz o produto que é comercializado por aquela empresa. O texto vem possibilitando que seja contratada a empresa de mão de obra, em qualquer setor, seja atividade meio ou não da empresa contratante, conhecida como tomadora. O fato é que a repercussão deste, dizem representantes dos trabalhadores, pode trazer certa flexibilização trabalhista e sindicatos perderem a mina de ouro, dos sindicalizados ou não. O resto é lamentação de cegos, lembrando que portadores de olhar único, são caolhos!

Turíbio Liberatto

turibioliberatto@hotmail.com

São Caetano do Sul

REFORMAS BRASIL

Basta de delongas! É chegada a hora de o País entrar de vez no século 21. Na reforma política, o fim do voto obrigatório; na trabalhista, a terceirização e o fim do imposto sindical. Muda, Brasil!

J. S. Decol  

decoljs@gmail.com

São Paulo

MEU PROTESTO

A mídia tem dado destaque à Operação Carne Fraca e os enormes prejuízos financeiros que o País vem sofrendo com a queda das exportações. Entretanto, nada se falou contra a crueldade sofrida pelos animais abatidos. Edward Munch pintou “O Grito”, horrorizado com o que viu no matadouro de Oslo. O abate dos animais, seus urros de dor, o sangue, impressionaram de tal forma o artista, que o levaram a projetar na tela, a expressão maior da angustia humana. Também quero gritar contra o que vi na “Farra do Boi” em Santa Catarina. Lá, os animais são retalhados até a morte, por diversão, por uma turba de bêbados ensandecidos, com o apoio de políticos locais. Fica registrado meu protesto veemente contra esse costume pitoresco e imundo, esperando ação enérgica da Polícia Federal, para fazer valer o artigo 225 da Constituição, que proíbe a crueldade contra animais.  

Arsonval Mazzucco Muniz

arsonval.muniz@superig.com.br

São Paulo

CUSTO BRASIL

Hoje, enquanto tomava o meu café da manhã (leite com café solúvel, pão e margarina), observei que nas embalagens do leite e da margarina havia o selo do Ministério da Agricultura, informando que os produtos e as empresas foram inspecionados. Daí fiquei imaginando o quanto mais caro eu paguei na aquisição de tais produtos, pois, além dos altíssimos impostos, eu também paguei as propinas dos fiscais e dos políticos. É, viver no Brasil não é fácil, pois o custo de vida é muito caro.

Maria C. Del Bel Tunes

carmen_tunes@yahoo.com.br

Americana

TOLERÂNCIA ZERO ÀS IRREGULARIDADES

O ministro da Agricultura anuncia medidas duras contra os fornecedores de carne que registrarem problemas por três vezes seguidas. O prazo é punitivo é multo grande. Todos os frigoríficos e titulares de serviços diretamente ligados aos alimentos e à saúde da população deveriam operar no sistema de tolerância zero. Ter suas portas lacradas e a atividade encerrada exatamente no momento em que se constata a irregularidade. Afinal, são serviços licenciados e de acompanhamento permanente das autoridades sanitárias públicas. Basta uma irregularidade para que a segurança do consumidor e a imagem do negócio estejam em risco. Administrador ou servidor público, políticos, empresários, profissionais, fornecedores e todos os que agirem de forma a prejudicar a saúde e colocar em risco a vida da população têm de receber punição imediata, começando pelo fechamento do seu negócio e sua responsabilização econômica pelos danos. Quem não tem competência não deve se estabelecer e, os que não têm disposição de cumprir as leis não podem se eleger ou ocupar cargos públicos. Questão de segurança nacional. Tolerância zero...

Dirceu Cardoso Gonçalves

aspomilpm@terra.com.br

São Paulo                                                                                                    

QUEM É O VILÃO DA VEZ?

Claro que não é a Polícia Federal (PF), como alguns querem fazer crer. A deflagração da Operação Carne Fraca, pela PF, não expôs somente uma indigesta faceta do banditismo de uma parcela da indústria frigorífica nacional, ramo de vital importância para a economia brasileira. Ao escancarar essa prática nefasta e criminosa, que contou com a participação de quem deveria, justamente, evitá-la, os holofotes apontaram então para quem desmantelou o esquema. E quando as notícias correram o mundo, provocando a reação do mercado interno e externo, choveram críticas assustosas à PF. Mas, de verdade, quem é o vilão dessa triste história maquiavélica? A Policia Federal? Os empresários malfeitores e gananciosos que à custa da saúde e da confiança dos consumidores lucraram e financiaram ilicitamente campanhas políticas milionárias afora? E o que dizer daqueles servidores desonestos que deveriam fiscalizar essas empresas e evitar que tudo isso viesse a acontecer? O que mais nos surpreende é de onde vieram as sonoras críticas – justamente de algumas das mais altas autoridades do País, que deveriam exaltar a investigação e a Polícia Federal por desvendar um esquema criminoso que, se não descoberto, nos levaria a consumir alimentos impróprios por quanto tempo mais? Ao invés de apontar o dedo para as empresas e os fiscais, elegeram a PF como a vilã. A responsável pelos efeitos nefastos e inevitáveis que se seguiram até a prisão dos gatunos. Por fim, há algo a comemorar: a existência de uma polícia realmente imparcial, séria e independente.

Turíbio Liberatto

turibioliberatto@hotmail.com

São Caetano do Sul

OPERAÇÃO NÚMERO 40

A Polícia Federal deflagrou recentemente a 39.ª fase da Operação Lava Jato. Consequentemente, a próxima será a de número 40, e, com ela, minha maior esperança de que seja intitulada de Ali-Babá e tenha como objetivo a prisão do famigerado rei dos ladrões tupiniquim. Melhor impossível.

Renato Otto Ortlepp

renatotto@hotmail.com

São Paulo

DISTÂNCIA PERCORRIDA

O preço da passagem dos ônibus aqui, em São Paulo, é uma discrepância total, senão vejam: Linha Faculdade São Judas ao Metrô Bresser, tempo do percurso, 5 minutos; Linha Penha a Lapa, tempo do percurso, 50 minutos. Preço da passagem para ambos: R$ 3,80. Um absurdo. O preço deveria ser cobrado pela distância percorrida.

Agostinho Locci

legustan@gmail.com

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.