Fórum dos Leitores

.

O Estado de S.Paulo

19 Abril 2017 | 03h05

CORRUPÇÃO

Ideia brilhante

Quanto mais Lulla e seus advogados tentam tumultuar a situação, mais fica evidente a postura correta do juiz Sergio Moro. Os advogados delle indicaram 87 testemunhas de defesa, certamente na convicção de que o magistrado não aceitaria essa enormidade e eles poderiam alegar cerceamento de defesa, ou que o juiz não teria “paciência” para tanta embromação. Pois não é que o dr. Moro teve uma ideia brilhante? Já que vai ter de encarar tanta desfaçatez, que Lulla também esteja presente no depoimento de cada uma delas. Duvido que elle aguente mais de meia dúzia.

LUIZ ROBERTO SAVOLDELLI

savoldelli@uol.com.br

São Bernardo do Campo

Lula x Moro

Enquanto Lula lá joga “mico preto”, Moro joga xadrez! Lula vai mesmo estar presente diante de suas 87 testemunhas de defesa?

MYRIAN MACEDO

myrian.macedo@uol.com.br

São Paulo

Xeque-mate

Advogado, considero minha profissão um jogo de xadrez: a parte faz uma jogada que acha magistral e recebe de volta um xeque-mate. Refiro-me ao nine fingers, que juntou 87 testemunhas no processo em que é réu. Deve ter pensado que estava dando um golpe genial, procrastinando o feito ad aeternum. Resposta do juiz Moro: não vai cercear a defesa, mas o réu terá de comparecer a todas as oitivas. Bingo!

CARLOS COELHO

ccoelho1@uol.com.br

São Paulo

Quando Lula convidar alguém para um jogo de xadrez, deve escolher bem o adversário.

PAULO R. KHERLAKIAN

paulokherlakian@uol.com.br

São Paulo

Estratégia equivocada

Embora nada mais reste à defesa de Lula a não ser negar pura e simplesmente a avalanche de crimes de que o ex-presidente é acusado – já que tentar explicar o inexplicável é praticamente impossível –, a estratégia de enfrentar o juiz Sergio Moro foi, e continua sendo, absolutamente equivocada. Os advogados de Lula deram um belo de um tiro no pé ao adotarem a tese patética da perseguição política.

LUCIANO HARARY

lharary@hotmail.com

São Paulo

Que outro réu se habilita a contratar a equipe de advogados de Lula? Os advogados de defesa, movidos pelo confronto com a Justiça, acreditaram que arrolando número excessivo de testemunhas poderiam embaraçar e retardar a ação penal sobre a compra suspeita de terreno para construção da nova sede do Instituto Lula. Mas se deram mal, pois quem vai sofrer as consequências dessa péssima estratégia será o seu cliente, que terá de comparecer fisicamente a todas as audiências.

FABIO DE ARAUJO

fanderaos@gmail.com

São Paulo

Alma lavada

Ao fazer Lula estar presente na oitiva das 87 testemunhas arroladas por sua defesa, Moro nada mais fez do que usar as prerrogativas que a lei permite. E de quebra lava a alma dos brasileiros cansados de manobras e falcatruas. Vale aqui citar Shakespeare: “Os covardes morrem várias vezes antes da sua morte, mas o homem corajoso experimenta a morte apenas uma vez”.

ELISABETH MIGLIAVACCA

São Paulo

Insanidade

Quando um advogado comete a insanidade de convocar 87 (!) testemunhas para defesa de seu cliente, será que não lhe passa pela cabeça que pode ficar sujeito a um corretivo legítimo de um juiz de bom senso? Outro assunto que me intriga: quando um político recebe doação em dinheiro cuja origem sabe ser ilícita, comete crime. E quando um advogado recebe honorários cuja origem sabe ser ilícita...?

NELSON PENTEADO DE CASTRO

pentecas@uol.com.br

São Paulo

Dever e ônus

O Estadão cometeu um equívoco, decorrente da confusão entre dois termos jurídicos: dever e ônus. Dever é uma obrigação que não pode ser descumprida, sob pena da aplicação de uma sanção. Ônus é um encargo que o interessado cumpre ou não, na medida de seu interesse. Não obstante a indicação de 87 testemunhas seja uma frontal agressão ao princípio da razoabilidade e ao preceito constitucional da duração razoável dos processos, o juiz Moro não limitou esse número de testemunhas, mas, sim, deixou que Lula decida, ele mesmo, quais são importantes e quais não são, diante do ônus de acompanhar os depoimentos. É certo, portanto, que não haverá cerceamento de defesa. Positivamente, Moro não transformou um direito em dever, mas tão somente num ônus, que Lula observará ou não, conforme for de seu interesse.

ADILSON ABREU DALLARI, professor de Direito na PUC-SP

adilsondallari@uol.com.br

São Paulo

MOMENTO DIFÍCIL

Verga, mas não quebra

Contando que fosse apresentado ontem (18/4) na Câmara dos Deputados o relatório sobre mudanças na Previdência, vândalos travestidos de sindicalistas que se opõem a essa reforma invadiram o Congresso Nacional, depredando o que houvesse pela frente. Só que a apresentação do relatório ficou para hoje e o plenário estava praticamente vazio. Haverá mais vandalismo hoje? Este país é um fenômeno de resistência resiliente: ele até se curva diante do vendaval de roubos e de corrupção deslavada, de manifestações pseudodemocráticas como a de ontem em Brasília e sofrendo ações sabotadoras de políticos que só agem enxergando seus próprios interesses, e não os do Brasil do futuro. Mas este país se recusa a quebrar. E este país somos nós! Andaremos contra o furacão que quase paralisa o nosso caminhar, mas seguiremos em frente. Curvando, sim, mas sem quebrar a cerviz, até que possamos enxergar a luz do futuro. Somos fortes!

MARA MONTEZUMA ASSAF

montezuma.scriba@gmail.comn

São Paulo

Pra que servem sindicatos?

Demorou muito, mas aprendi, embora somente depois de pagar IAPB, instituto de aposentadoria dos bancários, e IAPC, instituto de aposentadoria dos comerciários, por muitos, mas muitos anos mesmo, para lá de 25. Enfim, descobri que esses pagamentos não me valeram para nada, absolutamente nada! Por isso digo, com todas as letras, os maiores cabides de empregos do Brasil são os chamados “sindicatos”: enriqueceram seus presidentes e diretores e favoreceram sempre os empresários.

ARNALDO DE ALMEIDA DOTOLI

arnaldodotoli@uol.com.br

São Paulo

“Lula precisa comprar urgentemente 87 pares de tênis. ‘Irei a pé para Curitiba’, lembram?”

JOSÉ ROBERTO NIERO / SÃO CAETANO DO SUL, SOBRE A EXIGÊNCIA DE MORO DE QUE ESTEJA PRESENTE NA AUDIÊNCIA DAS 87 TESTEMUNHAS

jrniero@yahoo.com.br

“Aprofundando-se cada vez mais nas delações, vai acabar desvendando o assassinato de Toninho do PT e de Celso Daniel, a queda do helicóptero do dr. Ulysses Guimarães...”

ARNALDO LUIZ DE OLIVEIRA FILHO / ITAPEVA, SOBRE A OPERAÇÃO LAVA JATO

arluolf@hotmail.com

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

O FEITIÇO CONTRA O FEITICEIRO

Lula queria cansar o juiz Sérgio Moro com 87 testemunhas de defesa, mas, agora, vai ter de se cansar também, já que o juiz determinou que Lula esteja presente à oitiva de todas as suas testemunhas. Para Lula não basta a Operação Lava Jato, precisa de uma Lava Chato!

Gilberto Dib gilberto@dib.com.br

São Paulo

*

DÚVIDA

Com a exigência do juiz federal Sérgio Moro de que Lula compareça às oitivas das 87 testemunhas arroladas por seus advogados, o ex-presidente Lula da Silva, provavelmente, está cogitando de pedir ajuda a alguma construtora para a reforma de um imóvel onde possa se hospedar na capital paranaense, ao longo do tempo necessário para ouvir a quase centena de depoimentos. Resta-lhe, apenas, uma grande dúvida: mandar reformar um tríplex ou algum sítio com campo de futebol e lago com pedalinhos. Desde que não lhe pertençam, é claro.

 

Luís Lago luis_lago1990@outlook.com

São Paulo

*

APRENDIZADO

Será assistir a 87 depoimentos a parte teórica do Curso Superior de Presidência que Lula um dia reclamou não existir? Pena que, sendo após os fatos, o prejuízo já foi feito. Ficará o aprendizado para 2018? Espero que não.

 

Silvano Corrêa scorrea@uol.com.br

São Paulo

*

MANOBRA DOS ADVOGADOS

Cumprimento mais uma vez o sr. juiz Sérgio Moro. Exigir a presença do sr. Lula nos 87 depoimentos é declarar que não só o magistrado, como todo o povo brasileiro não são burros. Que Lula não esqueça a escova de dente.

Lydia L. Ebide lebide@vivointernetdiscada.com.br

São Paulo

*

JUSTA DECISÃO

Bem diz a sabedoria popular, que a esperteza acaba por matar o esperto. A "jararaca" arrolou 87 testemunhas para sua defesa, e vai ter de ouvir tudo pessoalmente. Será que vai passar o tempo mordendo o rabo? Ou vai ter de ficar de goela seca sonhando com uma geladinha? Parabéns ao juiz Moro.

Arlete Pacheco arlpach@uol.com.br

Itanhaém

*

O ENCONTRO COM O JUIZ

É melhor o ex-presidente, futuro presidiário, colocar uma mochila nas costas e começar a andar em direção a Curitiba. Ele prometeu ir a pé, não custa lembrar, e um homem correto, probo e honesto sempre cumpre o que promete.

José Roberto Iglesias rzeiglesias@gmail.com

São Paulo

*

VERGONHA

O comprometimento de Lula em todo o processo corruptivo, como agente ativo, envergonha o País aos olhos do mundo.

Francisco José Sidoti fransidoti@gmail.com

São Paulo

*

APOIADORES

Os apoiadores que restaram a Lula podem ser classificados em três categorias: os ignorantes (Pai, perdoe-os, porque não sabem o que fazem!); os cúmplices (cadeia para eles!); e os narcisistas, que não admitem ter sido enganados por um molusco (psicoterapia para eles!).

Sandra Maria Gonçalves sandgon@terra.com.br

São Paulo

*

PROCLAMAÇÃO DA REPÚBLICA

Parece que o juiz Sérgio Moro e a força-tarefa da Operação Lava Jato estão proclamando uma nova República no Brasil.

Luiz Frid luiz.frid@globomail.com

São Paulo

*

DA ALEGRIA À TRISTEZA

Como cidadão brasileiro, fiquei e fico feliz com o trabalho de saneamento que a Lava Jato está produzindo no nosso meio político. Algo impensável há alguns anos, principalmente no que se refere à prisão de políticos e empresários conhecidos e poderosos. No entanto, essa alegria cede espaço para a tristeza ao constatar a enormidade da ganância, da irresponsabilidade e da falta total de qualquer sentimento ético e moral dos nossos políticos. Como ser humano, fico triste ao saber que existe uma falta de consciência e de humanidade da classe política, já que o resultado destes assaltos se reflete na saúde, na educação, no saneamento básico, na geração de empregos, na segurança pública e por aí afora. E é sentido, principalmente, pelas classes mais humildes. As promessas de campanha são esquecidas no palanque e por lá ficam. Mentiras levadas pelo vento. Nenhum dos políticos envolvidos nas denúncias sequer veio a público pedir desculpas ou mostrar qualquer tipo de arrependimento, mas, também, isso só pode ser esperado em pessoas de caráter e de grandeza humana e moral. Neste exato momento, estão todos reunidos em conchavo, sob o manto das sombras, para decidir o que fazer para escapar das acusações e da perda do mandato. Se nós permitirmos que isso aconteça, seremos tão rotos e esfarrapados morais e éticos quanto os nossos dirigentes políticos. Vamos esquecer os rótulos - que, por sinal, não fazem mais sentido - de comunistas, nazistas, fascistas, coxinhas, esquerdistas, e vamos deixar de ser marionetes dos nossos políticos, que na realidade só querem nos dividir para poder reinar, e vamos nos concentrar na construção de um Brasil melhor. Não só para nós, mas principalmente para os menos favorecidos, os miseráveis que vivem à margem de qualquer dignidade humana. Podemos e devemos ser a voz, o anseio desta população de esquecidos e devolver a eles a dignidade humana que merecem e que foi roubada pela classe política. Como o dístico da bandeira de Minas Gerais, "Libertas Quae Sera Tamen" (liberdade ainda que tardia), vamos nós também nos libertarmos desta classe política tão corrupta e sem escrúpulos.

José Antonio M. e Silva melosilva02@hotmail.com

São Paulo

*

A PSICOPATIA NA POLÍTICA

A teoria ensina que psicopatas são elementos desprovidos de sentimentos e que, em geral, quando são pegos em fraudes e falcatruas, alegam nunca terem "culpa de nada". Os presídios estão cheios de condenados que alegam não terem culpa dos crimes cometidos, apesar das provas e das condenações. E estão surgindo, agora, na política, os maiores psicopatas deste país! Com seus codinomes e suas facções criminosas (partidos). Reparem que todos, até serem pegos com provas contundentes, estão alegando "não serem culpados". Haja psiquiatras e mais vagas nos presídios! 

Pedro Curvellano phcurvelano@hotmail.com

Rio de Janeiro

*

A DELAÇÃO DO FIM DO MUNDO

Sempre soubemos que estes coronéis, agrupados nestas legendas corruptas chamadas partidos políticos brasileiros, estes seres desprezíveis que nos zombam tanto no governo quanto no Congresso Nacional, talvez estivessem vendendo até mesmo suas próprias mães. A ver pelas delações, estão vendendo tudo e todos. Negociam medidas provisórias para favorecer construtoras, montadoras, indústrias, negociam as porcentagens das verbas do dinheiro do SUS, da educação, da coleta do lixo, negociam merendas, negociam verbas do esporte, negociam reformas de estádios, estradas, portos e aeroportos. Negociam realmente suas próprias mães estes canalhas! Corrompem aqueles que deveriam fiscalizar, como é o caso dos tribunais de contas de todos os Estados do País. Roubam nossas estatais e nossos bancos, emprestam dinheiro a ditadores facínoras, porque assim fica mais fácil de esconder o dinheiro da contrapartida. Na verdade, o que existe é um jogo sujo de alternância de poder e o partido da vez, que finge governar, na verdade nos rouba (e muito), e enquanto rouba é sustentado politicamente pelos outros partidos encabrestados e amordaçados na base da corrupção, e regado a muito dinheiro, fornecendo, assim, a sua sustentação no poder. Um jogo de cena e alternância política e de poder, mas todos sempre com o rabo preso uns com os outros, algo nojento e hereditário. Há muito que o sistema faliu e estes senhores não podem votar matéria alguma a partir de hoje, porque nenhum deles nos representa, nenhum mesmo! São todos canalhas usurpadores de um povo bom e trabalhador. Bastilha nestes canalhas!

Armando Favoretto Junior armandofavoretto@gmail.com

São José do Rio Pardo

*

BILHÕES

Leio no "Estadão" que as cifras da propinagem praticada pela Odebrecht montam à casa dos bilhões. Não vejo outra saída que não seja a liquidação judicial desta impoluta empresa, e venda de seus ativos para ressarcimento do Tesouro público. 

Luiz Henrique Penchiari lpenchiari@gmail.com

Vinhedo

*

PUNIÇÃO EXEMPLAR

A multa de US$ 2,6 bilhões aplicada pelos Estados Unidos à Odebrecht é uma aula, mostra claramente o enorme risco que uma empresa corre ao fazer negócios ilícitos na América. Espero que o Poder Judiciário brasileiro tenha a humildade de aprender alguma coisa com a lição que os EUA estão dando aos criminosos brasileiros e que a multa não seja paga com dinheiro do BNDES. 

Mário Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo 

*

MULTA BILIONÁRIA

O Brasil receberá US$ 2,39 bilhões da multa imposta à Odebrecht por juiz da Corte federal de Brooklyn. É a canção do grupo Código Penal: o crime não compensa porque é assim!

Omar El Seoud ElSeoud.USP@gmail.com

São Paulo

*

ODEBRECHT

Nada de "compliance", a Odebrecht, sinônimo de bandidagem empresarial, deve ser liquidada judicialmente. Acabou!

Sergio S.de Oliveira ssoliveiramsm@gmail.com

Monte Santo de Minas (MG)

*

MAU EXEMPLO

A família Odebrecht é o pior exemplo de investimento e de empresários no Brasil. Riem como se hienas não fossem. Apoiam tudo e todos pelo poder - até as milícias. Isso não pode ser apenas negociata, mas é uma índole criminosa de gente que pelo poder corrompia até santos, se fosse possível. Uma vergonha ímpar para não só os políticos, porque estes todos nós sabemos que entram na vida pública para se darem bem, mas um exemplo de empresários corruptos que não pensam em nada além do lucro a qualquer custo.

  

Marieta Barugo mbarugo@bol.com.br

São Paulo

*

BANIMENTO

A "famiglia" Odebrecht se comportou e atuou com uma verdadeira máfia que dominou os altos escalões da política e, quem sabe, até mesmo do Judiciário, e deveria ser banida do mercado e seus culpados, condenados por crime de lesa-pátria.

Paulo Boccato pofboccato@yahoo.com.br

Taquaritinga

*

O QUE ESPERAR DESTE PAÍS?

Ver o cidadão Marcelo Odebrecht fazendo as revelações de bastidores de como foi o governo do PT nestes quase 15 anos é assustador. Fomos todos feitos de palhaços. Fomos às urnas e quem nos governava era a família mais corrupta de que se tem notícia, os Odebrecht. E mais, essa família levou consigo uma gama de políticos. Todos sedentos de poder e dinheiro. Era uma garganta profunda, cuja fome não se matava com pouco alimento. Essa gente tomou de assalto o País, prejudicou milhões de pessoas, mas estava a serviço do poder. O que dizer de Lula neste imbróglio? Foi um boneco nas mãos dos Odebrecht. Deixou o País ir à deriva, enquanto garantia para si e para seus apaniguados uma vida de conforto e riqueza. Como é possível aceitar que deputados e senadores se venderam aprovando medidas que beneficiaram estes corruptos quando se luta para aprovarem medidas que venham a beneficiar o povo, e nada acontece? São anos e anos de projetos engavetados, mas o dinheiro comprava interesses. E o que dizer das obras superfaturadas? Elas sempre existiram e todos sabemos que o preço desse atraso cai nas costas do trabalhador. Até quando vamos aceitar tamanha desfaçatez? Desânimo, decepção e revolta são os sentimentos que nos tiram o sono e a esperança. 

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com

São Paulo

*

LAVA JATO

O que vou dizer à minha querida e esperada netinha Lívia quando o professor de História ministrar-lhe aulas e discorrer sobre estes políticos sem vergonha, párias de tempo rançoso da nossa historia?

Antonio Carniato Filho antoniocarniato@gmail.com

Santa Rita do Passa Quatro

*

NO FUTURO

Como escreveu no "Estadão" (19/2) o ganhador do Prêmio Nobel de Literatura, o peruano Mario Vargas Llosa, o Brasil ainda fará homenagens à Odebrecht.

 

Roberto Hungria cardosohungria@gmail.com

Itapetininga

*

O BRASIL ESTÁ EM SEU INFERNO ASTRAL

 

Sim, deve ser isso, já que dizem que é o período de 30 dias que antecede o aniversário. Como nosso país foi descoberto em abril, aí deve estar a explicação para a população estar tomando ciência de tanta maracutaia! Fico estarrecida em ver a naturalidade com que os delatores da empreiteira contam suas "proezas". Alguns chegam, inclusive, a rir durante os interrogatórios. Ontem, ouvi o chefe mor dizer que "não achava justo pagar o político e depois ele não dar a contrapartida". E deixar o País sem educação, sem hospitais e remédios para os carentes, isso é justo? E deixar o Brasil à mercê dessa violência toda é justo? E deixar 13 milhões de desempregados é justo? Estes políticos corruptos são assassinos, uma vez que muita gente morre sem ter acesso a um tratamento de saúde decente - ou não são atendidos ou não há remédio para ser doado. E, enquanto isso, dona Adriana Anselmo ganha uma cesta de Natal para celebrar o nascimento de Jesus na cadeia. Isso é um sacrilégio! O marido, por sua vez, dorme no ar-condicionado de Bangu 8 e recebe visitas frequentes, com a conivência de quem manda no presídio. Lutamos tanto por eleições diretas e é isso que conseguimos? Fui estudante da PUC nos anos 70 e estava lá quando o então secretário de Segurança Pública, coronel Erasmo Dias, autorizou a entrada da tropa de choque no campus da universidade. Gás lacrimogêneo, cassetetes e a turma enfrentando essa violência, com coragem e determinação, na esperança de ter um país democrático. Longe de mim querer a volta dos militares, mas estou totalmente desiludida, uma vez que não há político honesto! Quem está fora quer entrar para também poder abocanhar um bocadinho - muitas vezes, nem é só um bocadinho, e, sim, uma parte bem mais polpuda. Ouvi, certa vez, de um dos grandes envolvidos neste lamaçal a seguinte frase: "Eu não sigo regras; as regras é que têm de me seguir!". Na época, achei que ele se referisse à sua própria empresa, já que era o dono. Ledo engano. Tenho muita vontade de partir do Brasil, porque não vejo saída e, se no fim do túnel há uma luz, deve ser de um trem vindo na contramão.

 

Silvia V. Vicente de Carvalho silvillac@uol.com.br

São Paulo

*

O BALCÃO DAS CONSCIÊNCIAS

Aos grandes empreiteiros, políticos e dirigentes de empresas estatais e privadas: os senhores venderam sua almas ao diabo. Chegou a hora de entregá-las. Este é um pacto que não admite rescisão. Os grandes polvos demoníacos das empreiteiras, com sua aparência e canto de sereia, conduziram vossos barcos às profundezas do inferno. À promessa de riquezas infinitas e poder eterno, cegaram vossa razão e petrificaram vossos corações. Aqui termina o sermão e começa a pena. Pena que ninguém tem pena de Vossas Excelências! Apenas esperamos nunca mais vê-los! Aos polvos da corrupção e seus tentáculos ubíquos, a clava forte da justiça dos homens. A tolerância e a paciência de um povo não devem ser desafiadas. A história dos povos contempla sua fúria implacável, quando ela perde sua virtude mais preciosa: a esperança. Acautelai-vos com os idos de 2018!

Paulo Sérgio Arisi paulo.arisi@gmail.com

Porto Alegre

*

ÉTICA SELETIVA

O que mais é necessário para certas pessoas tomarem consciência é de que a corrupção não foi inventada pelo PT, partido que também não tem seu monopólio. Sabemos como a Lava Jato começou, provocando um tsunami antipetista, que, depois, se mostrou parcial por causa das delações que colocam, além de políticos do PT, outros de vários partidos num enorme balaio de corruptos. Com o desenrolar da Lava Jato, muitos políticos que posavam de vestais foram atingidos mortalmente em sua honra. A lista de Fachin, com 98 nomes, tem 17 do PT e 81 de outros partidos, demonstrando cabalmente a metástase do câncer da corrupção no cenário político nacional. Urge não ter ética seletiva, separar o joio do trigo e prestigiar os raros políticos que se salvaram desta hecatombe moral, independentemente do partido a que estão filiados.

Wilson Haddad wilson.haddad@uol.com.br

São Paulo

*

'GENERALIZAÇÃO PERIGOSA'

Uma sensação generalizada de que a Justiça não está cumprindo seu papel ao permitir que figuras notórias estejam fora do alcance da lei tem gerado uma animosidade de norte a sul do País e que pode afetar também o senso de justiça por parte de procuradores, cuja tarefa é apurar responsabilidades e punir culpados dentro do devido processo legal, como advertiu o jurista Célio Borja, mencionado no editorial do "Estadão" de ontem ("Generalização perigosa", 18/4, A3). O jurista ainda lembrou os perigos de uma generalização, ao jogar no mesmo balaio inocentes e culpados. Data vênia ao ilustre jurista, pergunto: e quando nos deparamos com casos em que a lei não se aplica a figuras como a ex-presidente Dilma Rousseff, que, após sofrer o impeachment, teve seus direitos políticos mantidos, fato inadmissível pela Constituição, que não dissocia a perda de mandato da perda de direitos políticos? Ou quando o ex-ministro Guido Mantega, que tinha entre outras funções a de arrecadador de propina ao PT, ter sido mantido em liberdade, mesmo sob risco de interferir nas investigações da Lava Jato? E o que dizer do inimputável Lula, que, além de se tornar penta-réu, foi apontado por várias autoridades do Judiciário como figura central da uma organização criminosa instalada no coração do poder, ocupando-se atualmente de desafiar a lei, debochando do Judiciário e processando membros da força-tarefa da Lava Jato? 

Paulo R. Kherlakian paulokherlakian@uol.com.br

São Paulo

*

DINHEIRO PARA SINDICALISTAS

O que sentirão hoje os chamados "mortadelas" com as delações de Emilio Odebrecht, em que afirmou aquilo que nós, paulistas, estávamos cansados de saber? Lula recebia dinheiro para evitar greves. Convencia a todos de que não valia a pena exigir, deixar tudo quieto e como estava. Sabemos, agora, que movimentos sindicais continuam com a mesma tática de Lula, até hoje. Não existe almoço de graça. Não existe abraço amigo. Não existe consciência grupal entre sindicalistas, os chefões só viram uma forma de enriquecer. Senão, continuariam pelo resto da vida como "assalariados". Pensem. Por que esta proliferação de sindicatos, como em nenhum outro país do mundo? Temos mais de 16 mil. A única certeza é de que sindicatos escravizam a alma do trabalhador, para enriquecimento próprio. Vão continuar na ignorância ou acordar?

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

*

SINDICATOS

Hoje, no Brasil, há 17.082 sindicatos. Será que não tem muita gente colhendo frutos do que nunca plantaram?

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

*

PALHAÇADA

Sou da época do IAPB, Sindicato dos Bancários, do Iapi, Sindicato dos Industriários, do IAPC, Sindicato dos Comerciários, e do IAPTC, Sindicato dos Condutores de Transportes Coletivos, dos motoristas. A estes quatro sindicatos foram acrescidos mais de 16 mil, e eu gostaria de saber qual o real motivo e o porquê dessa palhaçada. Quem foram os criadores e verdadeiros culpados de mais esta aberração, deste assalto aos bolsos dos trabalhadores?

Arnaldo de Almeida Dotoli arnaldodotoli@uol.com.br

São Paulo

*

REFORMA TRABALHISTA

Conforme a manchete do "Estadão" de 11/4, a reforma trabalhista, tão aguardada pelos trabalhadores brasileiros, menos pelos 11.050 sindicatos, será apresentada pelo deputado Rogério Marinho (PSDB-RN) e trará mudanças em cem pontos da já ultrapassada Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). Entre as mudanças está a extinção da contribuição sindical obrigatória, que é equivalente ao desconto de um dia de trabalho por ano do trabalhador formal. Tomara que o projeto do deputado Rogério acabe de vez com o imposto sindical, que contraria as normas da Organização Internacional do Trabalho (OIT).

Edgard Gobbi edgardgobbi@gmail.com

Campinas 

*

IMPO$TO $INDICAL

Todo ano, no mês de março, é descontado um dia (1/30) do pagamento de todos os trabalhadores. Este dia logrado é para "contribuição" sindical, mesmo para quem não é sindicalizado, que é o meu caso! Há anos eu questiono e escrevo sobre este maligno desconto. Quantos bilhões são arrecadados anualmente e como é distribuído e usado o nosso dinheiro? Os sindicatos prestam conta para alguém? O Tribunal de Contas fiscaliza o destino dos bilhões? Pois é! Faz tempo que eu ouço a maioria das pessoas reclamar da obrigatoriedade deste ônus, mas nada acontece. Existe projeto no Congresso Nacional para banir, abolir, extinguir a cobrança sindical, mas será que vão conseguir derrubar uma das fonte$ de financiamento dos sindicato$? Vale lembrar que a origem e finalidade dos sindicatos é coisa do passado e de ideologias sepultadas. Infelizmente, os trabalhadores ficaram em segundo plano e o interesse da cúpula ou de quem comanda os sindicatos é se perpetuar no poder a qualquer preço - fato ocorrido no sindicato dos servidores públicos de Sumaré. Enfim, Impo$to $indical deve ser opção do trabalhador, e não obrigatoriedade! Não é verdade? 

Alex Tanner alextanner.sss@hotmail.com

Sumaré 

*

O OVO DE TEMER

Domingo de Páscoa, em retransmissão de entrevista na TV Bandeirantes, o presidente Michel Temer declarou-se contra a pretensão do Congresso Nacional de acabar com o desconto compulsório de um dia de trabalho daqueles com carteira assinada, recursos estes descontados a fundo perdido, sem controle/fiscalização, a crédito das entidades sindicais. Considerando que o Brasil terminou 2015 com 48,06 milhões de empregos e salário médio mensal de R$ 2.655,60, concluímos que os sindicatos têm uma receita bruta anual da ordem de R$ 4,25 bilhões. Se aprovada pelo Congresso sua inadmissibilidade, Temer pretende chamar representantes sindicais e oferecer, como compensação, 1/3 ou 1/2 daquele valor para atender demandas dessas instituições. Logo, ao invés de descontar daqueles que têm receita e trabalho, esse valor seria pago pelo Tesouro Nacional (sabe-se lá a forma desse cálculo), com dinheiro público, já tão escasso às mínimas necessidades sociais de nosso povo miserável. Eis aí o presidencialismo de coalizão, perpetuando seu achaque ao cidadão numa cantiga subliminar.

Campos Silveira altivosilveira@uol.com.br

São Paulo

*

LOTERIAS

Sobre a matéria "Governo quer dobrar arrecadação em apostas com privatização de lotéricas" (16/4, B1), trata-se de mais um golpe na população transferir a concessão dos jogos para aumentar a arrecadação de R$ 6 bilhões para R$ 12 bilhões. Quem pagará esse aumento? Só pode ser o povo que faz um joguinho na esperança de ganhar uns trocados...

Minoru Takahashi minorinhotakahashi@hotmail.com

Maringá (PR)

*

RECAPEAMENTO EM SP

Ontem novamente o "Estadão" elogiou o recapeamento do prefeito João Doria ("A recuperação das vias", A3). Insisto em afirmar que 400 mil metros quadrados é quantidade supermínima para a cidade de São Paulo e que recapear a Avenida Paulista é apenas um ato de chamar a atenção, pois essa avenida é a única que não precisa de recapeamento, já que não há buracos, ondulações ou desgaste de pavimento e ela tem 62.400 metros quadrados, ou 16% do tal programa milagroso. A Avenida Bandeirantes tem 144 mil metros quadrados, ou 36% do tal programa, e precisa de recapeamento. A quantidade sugerida daria para recapear apenas três avenidas de São Paulo. Gastar com a Avenida Paulista é tumultuar a vida do paulistano, prejudicando o trânsito, especialmente no atendimento dos hospitais em seu redor.

Stanko Svarcic ssvarcic@gmail.com

São Paulo

*

RUAS ESBURACADAS

Prefeito Doria e coordenadores de obras das Regionais, os paulistanos esperam não só um serviço de qualidade no recapeamento, mas também de fiscalização pós-consertos, pois eles tapam um buraco e criam uma lombada no local. Um desrespeito.

Tania Tavares taniatma@hotmail.com

São Paulo

*

SUGESTÃO

Circula pela internet um pequeno filme que mostra um operário, e apenas um, alteando o nível de uma tampa de bueiro numa pista recapeada. Esse sistema, relativamente simples, impede que as tampas de bueiro fiquem cada vez mais baixas em relação às pistas recapeadas, evitando o baque dos pneus dos veículos e suas danosas consequências. Está aí mais uma sugestão ao senhor prefeito de São Paulo.

Níveo Aurélio Villa niveoavilla@terra.com.br

Atibaia

*

SONINHA FRANCINE

Sobre a matéria "1.ª baixa de Doria, Soninha sai da Assistência Social" (18/4, A12), em resumo, entre as qualidades de Soninha, a quem admiro, não se inclui acordar cedo, o que explica seu afastamento da Secretaria.

Sergio Cortez cortez@lavoremoveis.com

São Paulo

*

VACINA CONTRA A GRIPE

Está certo que a vacinação contra a gripe, iniciada esta semana, segue a orientação da Organização Mundial da Saúde (OMS) para aplicar contra os 3 subtipos de gripe. Mas há, no Brasil, importada e disponível em laboratórios particulares, uma vacina que protege contra 4 subtipos de gripe. A que protege contra 4 não protege mais que a de 3? Estariam as autoridades médico-sanitárias cometendo algum erro ou desobediência contra a determinação da OMS, se aplicassem esta de 4 subtipos? Creio que não.

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro 

*

BULLYING

Muito mais próximo de você do que você pensa, o bullying nas escolas é reflexo da intolerância que reina em nossa sociedade. As crianças e jovens excluem, diminuem e repelem "o outro" ou o "diferente", com o apoio de sua família, e as escolas, que muitas vezes se dizem "impotentes" para coibir o que julgam ser fruto de "divergência de valores", não se incomodam quando este "outro" pede transferência para outra escola. Enquanto isso, há que educar para a empatia e a tolerância. 

Maria Isis Meirelles M. de Barros misismb@hotmail.com

Santa Rita do Passa Quatro

*

100 ANOS DE ROBERTO CAMPOS

Justa a homenagem prestada pelo "Estadão" (16/4, B6) a um dos mais lúcidos economistas deste país, Roberto Campos! Se estivesse vivo, teria completado 100 anos no dia 17 de abril. Como o descreve o título da matéria do jornal, Campos era de fato "o pregador incansável do liberalismo". Um visionário! E serviu à Nação com dignidade ímpar, como embaixador, político e até como ministro durante o governo militar. Das várias frases mencionadas pelo "Estadão", cito duas de Roberto Campos: "O bem que o Estado pode fazer é limitado; o mal, infinito. O que ele pode nos dar é sempre menos do que nos pode tirar". E "o PT é um partido de trabalhadores que não trabalham, estudantes que não estudam e intelectuais que não pensam". Na realidade, Roberto Campos, se estivesse vivo, seria um líder e homem público que hoje faz muita falta ao País.   

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

RECADO PARA A CHINA

O vice-presidente dos EUA, Mike Pence, num pronunciamento durante visita à Coreia do Sul, afirmou que a paciência com a Coreia do Norte acabou. É um claro recado à China: parem de fornecer tecnologia e matéria-prima para o maluco da Coreia do Norte. Aproveitando o tema, é inaceitável um país com dimensões continentais como o Brasil não ter verba para ao menos tentar uma evolução em seu programa de lançamento de satélites. Verba para ser roubada e distribuída para parlamentares e empreiteiras não falta. O que falta é vergonha na cara!

Luiz Ress Erdei gzero@zipmail.com.br

Osasco

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.