Fórum dos Leitores

.

O Estado de S.Paulo

22 Abril 2017 | 03h00

CORRUPÇÃO LULOPETISTA

O triplex do Lula

Finalmente apareceu o proprietário do apartamento n.º 164-A do Edifício Solaris, no Guarujá. O imóvel é de Lula da Silva, conforme depoimento prestado ao juiz Sergio Moro, da Justiça Federal de Curitiba, por Léo Pinheiro, ex-presidente da empreiteira OAS. As declarações de Léo Pinheiro foram arrasadoras, mais ainda porque salienta o depoente ter recebido ordens expressas de Lula para destruir provas que o implicassem em maracutaias. Logo mais virá o tiro certeiro e mortal de Antônio Palocci, em sua delação. Resulta, então, que a prisão preventiva de Lula da Silva está próxima, e nos termos da lei, para que esse cidadão não fique obstruindo a ação da Justiça, inclusive pela mídia. O Brasil comemorará!

JOSÉ CARLOS DE C. CARNEIRO

carneirojc@ig.com.br

Rio Claro

Show de rock

A delação de Léo Pinheiro derrubou a defesa de Lula da Silva. A espera do depoimento do ex-operário se parece com a expectativa de um show de rock, com muita gente disputando a primeira fila, guardando lugar com antecedência. A segurança física do juiz Sergio Moro, assim como a de todos os membros do Judiciário, no dia 3 de maio, deve ser reforçada, para enfrentar a horda do PT, que só sabe manifestar-se com brutalidade e violência, no estilo dos black blocs.

MÁRIO NEGRÃO BORGONOVI

marionegrao.borgonovi@gmail.com

Rio de Janeiro

Mentira ambulante

O advogado do ex-presidente, encarregado de defender o indefensável, adota como única linha de defesa acusar todos os delatores nas ações judiciais contra seu cliente de mentirosos. Parece não perceber que o que ele está defendendo é uma “mentira ambulante”.

JOSÉ CLAUDIO MARMO RIZZO

jcmrizzo@uol.com.br

São Paulo

Questão de fé

Será que Cristiano Zanin Martins, advogado de Lula, também acredita em Papai Noel?

KÁROLY J. GOMBERT

kjgombert@gmail.com

Vinhedo

Falta de provas?!

As fotos de Lula e dona Marisa com o dono da OAS no triplex, já amplamente divulgadas, são a prova cabal de que os três estiveram lá. Ora, se o triplex não é do Lula, o que é que ele foi fazer lá?

MILTON BULACH

mbulach@gmail.com

Campinas

Função social

O triplex do Edifício Solaris, no Guarujá, não pertence ao ex-presidente Lula da Silva. O líder do MTST, aquele professor que ensina táticas de guerrilha urbana a seus comandados, poderia alojar várias famílias nesse apartamento sem dono.

J. A. MULLER

josealcidesmuller@hotmail.com

Avaré

O grande embuste

Segundo os petistas Lula da Silva e Dilma Rousseff, que eram extremamente chegados , os delatores da Odebrecht e da OAS são todos mentirosos. Que coisa, hein?! Os governos petistas só trabalharam com gente que não diz a verdade, incluídos os marqueteiros João Santana e Mônica Moura, que conduziram as campanhas do PT para a Presidência da República, tanto de Lula como de Dilma. Já diz o velho ditado: dize-me com quem andas e te direi quem és. Conclusão das conclusões: o lulopetismo e seus governos nunca passaram de uma grande mentira.

HENRIQUE SCHNAIDER

hschnaider4@gmail.com

São Paulo

Exegese

A assessoria de Dilma, em nota, prestou os seguintes esclarecimentos sobre o uso de caixa 2: “As únicas pessoas autorizadas a captar dinheiro, em conformidade com a legislação eleitoral, foram os tesoureiros regularmente investidos nessas funções, nas campanhas de 2010 e 2014”. Portanto, conclui-se que o restante dos “colaboradores” estava dispensado de atender às exigências legais.

MARIO HELVIO MIOTTO

mariohmiotto@gmail.com

Piracicaba

Peso da Justiça

Lula perdeu mais uma ação, contra Delcídio Amaral, e ainda terá de pagar 15% do valor que pediu. Na linha do perguntar não ofende, Lula não vai processar Marcelo e Emílio Odebrecht e Léo Pinheiro pelas revelações feitas? Parece que pela primeira vez Lula está sentindo o peso da Justiça sobre seus ombros. Achou que estava blindado... É a Justiça que tarda, mas não falta.

IZABEL AVALLONE

izabelavallone@gmail.com

São Paulo

Ainda o pelego

Ganha um prêmio quem encontrar uma foto de Luiz Inácio Lula da Silva trabalhando, ou dirigindo seu próprio carro, se é que já teve algum – se estava dirigindo, devia ser emprestado. Esse indivíduo sempre foi fiel ao poder, seja de direita ou de esquerda, e fiel ao capital nas greves Brasil afora, criando greves e encerrando-as após algumas doses de boa bebida e uns charutos. Esse é o herói de significativa parcela dos brasileiros, que, infelizmente, vivem na miséria e cuja única esperança é acreditar em quem se diz simples e humilde, mas, na verdade, é muito astuto, camuflado. Ele diz orgulhar-se de viver de maneira simples, sem dinheiro ou cartões de crédito na carteira – afinal, para que servem os amigos?

LUIZ RESS ERDEI

gzero@zipmail.com.br

Osasco

Defeito de fábrica

Que se faça o devido recall do filme Lula, o Filho do Brasil. Nele a pretendida biografia do mais honesto está maquiada, muito aquém dá realidade.

LEANDRO FERREIRA

leandroferreoradasolva@gmail.com

São Paulo

Bancando o jogo

“Ou vocês me soltam ou entrego os bancos!” O que aconteceria com os alicerces da República se Antônio Palocci chegasse a esses termos em sua eventual delação? A dúvida fica parada no ar. A conferir para que lado soprará o vento.

JOSÉ ROBERTO SANT’ANA

jrsantana10@gmail.com

Rio Claro

Nova operação

Após a delação do Palocci a Polícia Federal vai desencadear a Operação Abraham Lincoln, presidente americano (1861-1865) autor da frase: “Você pode enganar algumas pessoas o tempo todo ou todo mundo por algum tempo, mas não pode enganar todo mundo o tempo todo”.

LUIZ HENRIQUE PENCHIARI

lpenchiari@gmail.com

Vinhedo

“Pelo visto, Antônio Palocci é a ‘caixa de Pandora’ do PT”

  

SÉRGIO ECKERMANN PASSOS / PORTO FELIZ, SOBRE A ‘AMEAÇA’ DE FAZER DELAÇÃO PREMIADA

sepassos@yahoo.com.br

“Fala, Palocci! O Brasil é todo ouvidos”

  

J. S. DECOL / SÃO PAULO, IDEM

|decoljs@gmail.com

“Quem foi o professor e quem foi o aluno, Palocci ou Lula?”

  

ROBERT HALLER / SÃO PAULO, SOBRE A ‘SOFISTICADA QUADRILHA’ LULOPETISTA

robelisa1@terra.com.br

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

 

 

ABUSO DE AUTORIDADE

 

A patota dos fichas-sujas do Senado, comandada por Renan Calheiros – contra quem pesam 11 inquéritos no Supremo Tribunal Federal (STF) –, resolveu partir para o ataque contra o império da lei, tentando aprovar um projeto de lei que tem como fachada o abuso de autoridade, mas que, na prática, tem o objetivo de calar de vez a força-tarefa da Operação Lava Jato, comandada pelo juiz Sérgio Moro, que ameaça levar toda a quadrilha para trás as grades. Se aprovada, a proposta permite ao investigado processar criminalmente o policial que o investiga, o procurador que o acusa e o juiz que o julga, transformando-se numa espada sobre a cabeça daqueles que têm como ofício julgar de acordo com a lei. Uma verdadeira ameaça contra o Judiciário, que pode abrir as portas do inferno, transformado o Brasil numa república de delinquentes com permissão para roubar.

 

Paulo R. Kherlakian paulokherlakian@uol.com.br

São Paulo

 

*

HERMENÊUTICA JURÍDICA

 

O relator do projeto de crime de abuso de autoridade, Roberto Requião, está empolgadíssimo com a ideia de criminalizar, quando, por exemplo, o Ministério Público apresentar uma denúncia criminal contra qualquer servidor público e correlatos e o Judiciário não receber a denúncia por entender que não há crime a ser punido. Ou seja, em poucas palavras, essa é a tal da “hermenêutica jurídica”, que depende da interpretação desses órgãos. Ora, o autor do projeto é Renan Calheiros; o presidente da Comissão de Constituição e Justiça é Edison Lobão; e Gleisi Hoffmann, que doou recursos para a campanha de Requião, também assiste ao relator na tentativa da aprovação da malsinada proposta (PLS 280/16). Como Renan, Lobão e Gleisi são investigados criminalmente pelo Poder Judiciário, o empenho é vigoroso. É o clássico mote da “raposa tomando conta do galinheiro”. Muda, Brasil! 

 

Júlio Roberto Ayres Brisola jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

 

*

ARRIVISMO INDIVIDUAL

 

Tristes as tentativas de políticos no sentido de apressar a aprovação da lei de abuso de autoridade, que enfraquece o alcance das ações de promotores e juízes. Que ninguém pense que tais iniciativas visam ao aperfeiçoamento dos dispositivos jurídicos do País. O verdadeiro propósito dos nobres congressistas é tão somente aliviar a vigilância da sociedade contra os contorcionismos legais que lhes permitam perseguir o poder a todo custo. Afinal, não têm sido dados atualmente a pensar nos benefícios de todos, mas a focar somente no arrivismo individual.

 

Paulo Roberto Gotaç pgotac@gmail.com

Rio de Janeiro

 

*

REPÚDIO

 

Repudio este projeto que os senadores estão querendo votar sobre abuso de autoridade. Como podem pessoas que são investigadas querer dar parecer a ações dos juízes e promotores? A Lava Jato devia ser mais rígida ainda, a meu ver. Tivesse pena de morte aqui, eu a pediria para estes ladrões.

 

Maria Luiza de Souza  malu.schraider@terra.com.br

São Paulo

 

*

PIADA

 

Quem mais comete crimes de abuso de autoridade são os congressistas, e em todos os níveis. Para mim, é uma piada eles se arvorarem no direito de legislar sobre o assunto. No máximo, deveriam receber um projeto do Judiciário e/ou Executivo, dar uma ajustada e pronto. E digo que foram eles que mais abusaram pelo nível da roubalheira praticada no País nos últimos 30 anos, comprovadamente.

 

Paulo H. Coimbra de Oliveira ph.coimbraoliveira@gmail.com

Rio de Janeiro

 

*

CHACAIS DA POLÍTICA NACIONAL

 

As hienas, os abutres, as ratazanas e os chacais da política brasileira, formada por senadores, deputados federais, governadores, ministros de Estado e cinco ex-presidentes da República, se unem num dantesco Sindicato dos Criminosos da Política Nacional para, invertendo a lógica das leis universais do Direito, eles, os bandidos, quererem “punir” cortes supremas, juízes federais, membros do Ministério Público e a Polícia Federal por abuso de autoridade. Os bandidos fazendo leis para punir a Justiça! Até onde vai a calhordice destes corruptos? Estão desafiando o povo a sair para as ruas e fazer justiça com as próprias mãos? Estão nos provocando? Terão nossa resposta! Nada pode ser mais terrível do que a fúria de um povo, quando ele perde a esperança.

 

Paulo Sérgio Arisi paulo.arisi@gmail.com

Porto Alegre

 

*

O CASO CLÁUDIA CRUZ

 

Extravagante, revanchista e absurdo o pedido do Ministério Público Federal (MPF) para que a mulher do ex-deputado Eduardo Cunha seja presa em regime fechado. Não há nos autos contra Cláudia Cruz elementos para que a Justiça cometa extrema covardia. Seguramente, o MPF quer criminalizar, fragilizar e se vingar do ex-presidente da Câmara, atingindo a mulher dele. É patético e lamentável que o MPF trabalhe e decida de forma truculenta, arrogante e pretensiosa. Nessa linha, quem está fora da lei é o MPF. Vem em boa hora a lei contra abusos de autoridade. Magistrados em geral se acham donos da verdade. Inatacáveis, paladinos e deuses. Incrível.

 

Vicente Limongi Netto limonginetto@hotmail.com

Brasília

 

*

MULHER DE BANDIDO

 

Se a moda pegar e começarem a prender as mulheres dos bandidos da Operação Lava Jato, teriam de prender muitas outras além da mulher de Eduardo Cunha. Afinal, a mulher de Marcelo Odebrecht, de Antonio Palocci e de tantos outros também se beneficiaram do dinheiro fácil e farto oriundo das ações criminosas dos seus maridos.

 

Mário Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo

 

*

O SUPREMO E A JUSTIÇA DE CURITIBA

 

“Ele só faz isso”, disse o ministro Gilmar Mendes sobre o juiz Sérgio Moro, referindo-se à Operação Lava Jato, em conferência em Lisboa, num dia útil, fora do período de férias. “Eles não fazem nada”, diz o povo brasileiro, referindo-se ao STF, cansado de sustentar mordomias e regalias a quem não trabalha e não produz.

 

Carlos Alberto Roxo roxo.sete@gmail.com

São Paulo

 

*

TESE FURADA

 

O ministro Gilmar Mendes, atual presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), proferiu, em setembro de 2015 no STF, sua tese a favor do financiamento de campanhas políticas por empresas e demais instituições sediadas no Brasil. Em seu voto, exposto oralmente por quase cinco horas, depois de ter interrompido por quase um ano e meio o processo com um “pedido de vista”, o ministro Mendes afirmou que a medida “asfixiaria os partidos que não se beneficiaram do esquema criminoso revelado pela Operação Lava Jato, tornando virtualmente impossível a alternância de poder”. Felizmente, sua medíocre e corporativista tese foi vencida em plenário. Ultimamente, não vi nem ouvi o ministro opinar e defender seu ponto de vista; afinal, trata-se de um “valoroso defensor” dessa modalidade de fazer política. A questão, na verdade, sempre esteve além da Lava Jato, e está claro, para quem “tem olhos para ver e ouvidos para ouvir”, que tal modalidade versa pela mais promíscua compra de mandatos, fonte aberrante de enriquecimento ilícito, latente meio de corrupção e de falsidade ideológica. Uma tese furada e absurda, defendida na Suprema Corte do país que tem o Poder Judiciário mais caro planeta. Uma vergonha.

 

Oswaldo Colombo Filho colomboconsult@gmail.com

São Paulo

 

*

LULA EM CURITIBA

 

O ex-presidente Lula aprende fácil. Com Paulo Maluf aprendeu a negar sempre, peremptoriamente, os fatos que o incriminam. Só falta dizer que se provarem que o sítio de Atibaia, reformado por construtoras envolvidas na Operação Lava Jato, é dele, podem ficar com ele, como Maluf falava a respeito de contas no exterior. Lula vai passar, a partir do dia 3 de maio, uma temporada em Curitiba para acompanhar depoimentos a seu favor de testemunhas por sua defesa arroladas. Ser-lhe-á uma fria passar horas e horas ouvindo depoimentos sobre o mesmo tema. Mas, de qualquer modo, como ator que se crê pop star, é hábil em aproveitar os cacos. Já prepara sua chegada com um séquito, uma claque que sempre lhe acompanha, já que beneficiada durante sua gestão pela generosidade do dinheiro público. Ele, como Al Capone e outros, será julgado por seu mal menor. Ainda assim, vale a pena ver que venda de medidas provisórias, desonerações inexplicáveis e outras atitudes que nos envergonham como brasileiros estão sendo esclarecidos, e com certeza serão penalizados. E Lula, como capitão do time, não poderá alegar seu eterno desconhecimento dos excessos que cometeu.

 

Sergio Holl Lara jrmholl.idt@terra.com.br

Indaiatuba

 

*

ACUSAÇÃO & DEFESA

 

As alegações não deixam dúvida. Lula acha que todos são idiotas. A começar pelo seu defensor...

 

A.Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

 

*

AS 87 TESTEMUNHAS

 

Uma das maiores reclamações feitas pelo ex-ministro do STF Joaquim Barbosa sobre a demora no julgamento do mensalão foram as inúmeras testemunhas de defesa arroladas pelos mensaleiros. Arrolaram testemunhas que moravam até no exterior, com o nítido interesse de atrasar o julgamento. Agindo com a mesma esperteza, os advogados do ex-presidente Lula usaram do mesmo estratagema, convocando um número substancial de testemunhas. Só erraram no juiz, que, percebendo a malandragem explícita no intuito de atrasar o julgamento, decidiu usar de sua autoridade exigindo a presença de Lula em Curitiba, nos 87 depoimentos. Dá até para imaginar o ódio da “petralhada” contra o juiz Sérgio Moro por ter sacado a malandragem. Banho de sal grosso, alho atrás das portas e muita reza, anula tudo! 

 

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

 

*

RESPEITO JÁ

 

Entendo que já é necessária uma atuação firme da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) no sentido de aplicar punições a advogados que desrespeitam o nobre encargo de defender um cidadão. É óbvio que um advogado deve se desdobrar para bem defender os interesses de seu cliente, mas tudo com a observação da ética, da moral, sem deboches que, além de agressão à dignidade da Justiça, dando causa à justa indignação social, acabam, ainda, por expor o cliente ao ridículo, que passa a servir de piada para divertir rodas de amigos. Portanto, afrontar os magistrados em momento totalmente inoportuno somente provoca a admiração dos idiotas. Ingressar com ações infundadas, que vão exigir tempo dos julgadores, causando a procrastinação de outros feitos em curso que realmente necessitem de avaliação adequada; arrolar número excessivo de testemunhas, afrontando o princípio da celeridade processual, certamente  aguardando  o  indeferimento do respectivo rol, para  assim poder alegar cerceamento de defesa, nada mais são senão obstrução da Justiça,  comportamento abjeto que deveria receber titulação como delito na Lei Penal. A classe dos advogados merece mais respeito!

 

Arlete Pacheco arlpach@uol.com.br

Itanhaém

 

*

BANCO PANAMERICANO

 

Com efeito, a compra do Banco Panamericano (rombo de R$ 3,8 bilhões!), do Grupo $ílvio $antos, pela Caixa Participações, em 2009, por R$ 739 milhões (por 35% do capital) e a posterior aquisição de 37,27% pelo BTG por R$ 450 milhões encobrem algo de muito podre no reino financeiro, ora oportuna e devidamente investigado pela Polícia Federal (PF) na Operação Conclave. Como bem disseram a PF e o Ministério Público, “trata-se, em linguagem simples e direta, de uma aquisição criminosa de um banco falido por um banco público”. CPI neles! Basta de roubalheira!

 

J. S. Decol decoljs@gmail.com

São Paulo

 

*

LULA, PANAMERICANO E CORINTHIANS

 

Será que o Banco Panamericano quebrou por que doou muito dinheiro ao Corinthians em forma de patrocínio ou o Panamericano foi salvo pela Caixa Econômica Federal em virtude das vultosas doações ao Corinthians, time do ex-presidente Lula? Será que o Ministério Público Federal e a Justiça Federal se lembram das belas camisas do Corinthians, quando era patrocinado pelo Panamericano, mesmo quando já apresentava rombos em suas finanças? Parece que eu estou ouvindo a República de Curitiba cantando: “Silvio Santos vem aí! Silvio Santos vem aí!”.

 

Maria C. Del Bel Tunes carmen_tunes@yahoo.com.br

Americana

 

*

CÚMPLICES

 

Lula e Silvio Santos são cúmplices no trambique para “salvar” o banco. Inevitável o prejuízo, transferiram-no para a Caixa Econômica Federal.

 

Carlos A. A. Borges borges49@hotmail.com

São Paulo

 

*

CAIXA E PACTUAL

 

Incrível! Nem na Caixa Econômica podemos confiar... O que não terá acontecido no passado com outras “falências bancárias”? Parabéns aos repórteres investigativos do “Estadão” (20/4, B8).

 

Neusa Verginelli Thut neusathut@google.com

Campinas

 

*

AS TROCAS E AS REFORMAS

 

Ensina um dito popular paulista que o asno perde o pelo, mas não perde o vício. Parece que se aplica adequadamente aos deputados e senadores quando da votação de importantes projetos ou reformas, como é o caso da previdenciária e trabalhista. O Planalto precisou endurecer o diálogo e enquadrar inclusive ministros para tentar obter a votação necessária nas mencionadas reformas. Outrossim, além do processo verbal de persuasão, o Planalto vai precisar de liberação de verbas consignadas em orçamento, repetindo o sovado processo do toma lá dá cá. E é bom que se pense que tudo isso acontece com a Lava Jato e a lista de Fachin em pleno andamento punitivo. Não é necessário trocar essa plêiade de legisladores despidos de ética e de moralidade, cuja responsabilidade para com o País é zero?

 

José C. de Carvalho Carneiro carneirojc@ig.com.br

Rio Claro

 

*

JOGADA

 

A mudança na idade mínima para as mulheres se aposentarem e a mudança nas regras de transição estão muito estranhas... Antes, a idade mínima para se aposentar agora era de 50 anos para homens e 45 para as mulheres. Subiu para 53 para as mulheres e 55 para os homens. E o governo diz que cedeu? A diminuição da idade para as mulheres foi uma jogada para desviar a atenção da mudança na idade de transição. Isso é um absurdo! Este governo, a cada, dia perde mais credibilidade.

 

Sueli Caramello Uliano scaramellu@terra.com.br

São Paulo

 

*

A APOSENTADORIA DAS MULHERES

 

Aos poucos as propostas para a reforma da Previdência vão se adequando à realidade e se tornando mais justas. As mulheres, que em geral têm tripla jornada e acúmulo de responsabilidades, além de ganharem menos que os homens e ainda sofrerem assédio, agora poderão ter um importante direito reconhecido.

 

Maria Lucia Ruhnke mlucia.rjorge@gmail.com

Piracicaba

 

*

DEFORMAÇÕES NO PROJETO

 

A maneira errada como o Congresso Nacional está votando as reformas nos levará a atrasar nossa recuperação econômica, que ficará para bem depois das melhores expectativas. O Fundo Monetário Internacional (FMI) calcula que o Brasil não cumprirá o bom desempenho econômico esperado por nós, em 2017 crescerá 0,2% e em 2018 a taxa será de 1,7%. A média de crescimento mundial será de 3,8%, ou seja, mais que o dobro previsto para a nossa. O principal motivo pelo qual estaremos tão mal é que as reformas recebem deformações no Congresso, o que levará investidores a postergarem investimentos, ampliando nossa quantidade de desempregados. Um terço de nosso Congresso – infelizmente, os líderes – é composto por parlamentares encrencados com a Justiça. A parte não visada deveria tomar o comando e colaborar para melhorarmos a economia. Os visados pela Justiça precisam ser presos logo, para o País não piorar.

 

Fabio Figueiredo fafig3@terra.com.br

São Paulo

 

*

PREVIDÊNCIA DE CLASSES

 

Em termos de previdência pública, a sociedade brasileira está dividida em classes: o povo – inclusive os pobres –, com aposentadorias INSS máximas até pouco mais de R$ 5 mil; e a nobreza, com aposentadorias públicas acima de R$ 10 mil, para apontar um limite. Ali estão situados os políticos e servidores públicos. A leitora sra. Beatriz Campos citou no “Fórum dos Leitores” esta semana médias das aposentadorias de R$ 9 mil no Poder Executivo, R$ 28 mil no Legislativo e R$ 25 mil no Judiciário.

 

Harald Hellmuth hhellmuth@uol.com.br

São Paulo

 

*

VELHOS APOSENTADOS PEDEM SOCORRO

 

Não é possível que nenhuma voz se levante ante a situação dos velhos na famigerada reforma da Previdência. Os velhos casais aposentados não poderão ficar com a pensão de seu cônjuge. Já idosos, com aposentadorias de baixo valor, sem poder recorrer a uma previdência privada, como sobreviverão? Quando se aposentaram tinham o direito de ficar com a pensão do cônjuge, então pergunto: não é um direito adquirido? Como vão tirar? Espero que vozes se levantem durante a discussão da reforma no Congresso.

 

Regina Teixeira Beltramelli rbeltramelli@uol.com.br

Campinas

 

*

PENSÕES

 

Por falta de pressão e quebra-quebra, as pensões vão se estrepar na reforma da Previdência.

 

Gustavo Guimarães da Veiga ggveiga@outlook.com

São Paulo

 

*

FUNDO DE CAPITALIZAÇÃO

 

Uma solução definitiva – e socialmente justa – para o sistema de aposentadoria, sem que ninguém tenha de pagar pelo outro e, portanto, sem ônus para o erário (diga-se, contribuinte) é a adoção de um fundo de capitalização, válido para todos, sem exceções e isenções, mediante contribuições de 8% de empregados e de 16% de empresas (e seus assemelhados) sobre os valores que estas pagarem àqueles, a quaisquer títulos, pelo período mínimo de 40 anos; podendo este período ser aumentado na proporção da expectativa de vida e, ainda, pela vontade do empregado ou assemelhado, ou do contribuinte facultativo (este contribuindo com 24% de qualquer valor à sua escolha). Cumprido o prazo de contribuição, o interessado solicitará sua aposentadoria e passará a sacar mensalmente um valor equivalente, inicialmente, a 80% da última base de contribuição. Conforme simulação, com os valores-base e o do benefício corrigidos em 0,5% ao mês e os valores do capital em 0,6%, o aposentado (ou seu pensionista) usufruirá do benefício por 205 meses, se a contribuição foi de 40 anos, ou por 243 meses, se a contribuição foi de 45 anos. Além do mais, este fundo de capitalização pode retroagir a vários anos, utilizando-se a base de dados do INSS para incluir a quase totalidade dos atuais segurados.

 

Valentim José Camarço Neto vjcneto@gmail.com

São Paulo

 

*

‘A ÁRVORE BOA (2)’

 

Gostaria de cumprimentar o articulista general Rômulo Bini Pereira, autor do artigo a “A árvore boa (2)”, publicado no “Estadão” de 19/4 (página A2). Acho muito importante que neste tempo em que a esquerda revanchista tenta reescrever a história do País, omitindo fatos e distorcendo/manipulando informações históricas, sejam publicados os contrapontos, as outras versões dos fatos para que as novas gerações sejam esclarecidas e formem juízos de valor corretos. Cumprimento este tradicional jornal, que acompanho desde criança, seguindo o hábito de leitura do meu pai, pela postura de divulgar com isenção todas as versões do nosso passado recente. É preciso que o povo seja bem informado dos nossos erros e acertos do passado, para realizar as melhores escolhas no futuro.

 

Carlos A. Pacheco de Moraes betopacheco@superig.com.br

São Paulo

 

*

NOSSA HISTÓRIA RECENTE

 

Importante e de imprescindível a leitura do artigo do general Rômulo Bini Pereira “A árvore boa (2)” (“Estadão”, 19/4, A2), porque aborda aspectos da história recente do Brasil. De início, rememora os tempos sombrios em que vivemos sob o risco de o comunismo se instalar no Brasil, cujos “benefícios” são bem representados pelos “sucessos” político-econômicos de Cuba, da Venezuela e mesmo da União Soviética. Não nos esqueçamos também das fortunas amealhadas por indivíduos russos e chineses, que, mesmo vivendo em regime socialista, conseguiram investir milhões na compra de clubes de futebol europeu, sendo os mais recentes da Internacionale e do Milan. Salvaram-nos, à época, os militares brasileiros. De outra parte, do texto pode-se inferir um alerta para o risco que corremos pela desagregação das entidades brasileiras, entre elas a verdadeira identidade entre todos nós, de norte a sul deste maravilhoso país, sempre presente até o surgimento do boquirroto de Garanhuns, que, diante do risco de ver ruir seu criminoso projeto de se eternizar no poder, não se cansa de, desavergonhadamente, proclamar-se  honesto e de se considerar o tutor dos pobres desta nação.

 

Antonio C. Gomes da Silva acarlosgs9@gmail.com

São Paulo

 

*

MENSAGEM DO PAPA FRANCISCO

 

Lamentável que um evento de magnitude tão grandiosa para os católicos do mundo inteiro, em especial para os brasileiros, os 300 anos da aparição da Santa Padroeira do Brasil, o papa Francisco e a sua assessoria não tenham reservado uma data na agenda para prestigiar com sua presença os principais eventos no País. Espanta-me, entretanto, a preocupação de sua santidade em demonstrar ao governo brasileiro que acompanha a situação dos pobres do País. Gostaria imensamente de saber quais preocupações ele cochichou nos ouvidos da governante que deixou o Brasil na situação em que se encontra, da última vez que aqui esteve. E, mais ainda, que orientação passou ao clero brasileiro no sentido de que apoiem as medidas saneadoras que estão sendo propostas para melhorar a vida de todos, remediados e pobres.

 

Marco Antonio Esteves Balbi mbalbi69@globo.com

Rio de Janeiro

 

*

INDIGNAÇÃO

 

Um dos raros argentinos que eu admirava, o papa Francisco deixou minha lista após sua recusa em visitar nosso país, justamente nas comemorações dos 300 anos de Nossa Senhora Aparecida. Minha indignação se agrava quando constato que a atitude de sua santidade remete à solidariedade para com a saudadora da mandioca.

 

Sergio Cortez cortez@lavoremoveis.com

São Paulo

 

*

PALÁCIO DO CATETE

 

O abandono em que se encontram os monumentos históricos na cidade do Rio de Janeiro demonstra o descaso com a cultura e com o passado do País. Os protagonistas da República não se preocupam nem mesmo com os próprios símbolos. O Palácio do Catete é hoje um monumento à decadência e ao desprezo. A pichação de sua parte frontal é um acinte à memória do palácio. O prefeito Marcelo Crivella deveria espelhar-se na administração da capital de São Paulo. O Museu Nacional e os teatros do centro histórico da cidade estão em petição de miséria e é lamentável que não se valorize nossa história. O reflexo dar-se-á no comportamento dos jovens que já não têm mais apego à Pátria, exceto quando a seleção brasileira de futebol entra em campo.

Mário Negrão Borgonovi marionegrao.borgonovi@gmail.com

Rio de Janeiro

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.