Fórum dos Leitores

.

O Estado de S.Paulo

16 Maio 2017 | 03h02

GOVERNO TEMER

Recuperação nacional

A única opção de Michel Temer era a reconstrução do País, despedaçado pelos governos anteriores. Começou pela reorganização da economia e pelas reformas, 30 anos atrasadas. Temer avançou na recuperação nacional e em 2018 entregará ao novo presidente um Brasil avançando, com a economia em melhores condições, exceto talvez o desemprego, que será a última área a recuperar-se, quando os empresários estiverem mais confiantes. Esta é a marca mais triste que o PT deixará, chegando a 15 milhões de desempregados, num quadro ruim, em que entrarão novos candidatos a vagas de trabalho. Ao final do processo haverá ainda muitos desempregados por estarem profissionalmente desatualizados, ou com idade avançada, ou com problemas de saúde. E as empresas então contratarão menos, beneficiando-se de novas tecnologias. Graças a Lula e ao PT, os brasileiros ainda vão sofrer muito.

FABIO FIGUEIREDO

fafig3@terra.com.br

São Paulo

Li o artigo do presidente Michel Temer (O futuro é agora, 12/5, A2), o editorial Um ano do governo Temer (12/5, A3) e os pequenos testemunhos dos leitores srs. Rogério de Souza Pires, J. S. Decol, José Wilson de Lima Costa e Carlos Gonçalves de Faria, no Fórum (13/5). Todos muito objetivos, honestos e justos, aos quais me uno em reconhecimento do trabalho desse homem, que não tem apoio popular porque, segundo a grande massa, “usurpou” a Presidência do “grande e poderoso” PT. Quanta injustiça este nosso presidente está suportando, quanto desrespeito... E assim mesmo ele continua, com sua equipe, procurando acertar e consertar o grande estrago que fizeram antes dele. Quanto aos 14 milhões de desempregados, os adeptos do PT por acaso se perguntam o que o partido fez com as empresas que tiveram de mandá-los embora? Eles acham que os “patrões” os demitiram porque se cansaram de trabalhar? Porventura se interessam em saber como sobrevivem esses “patrões”, com tantos impostos que têm para pagar? E ainda temos de ouvir o “fora, Temer”... Vejo a boa vontade desse homem, que está fazendo o melhor ao seu alcance, apesar dos empecilhos que os adversários lhe antepõem, e só tenho a dizer: sr. presidente, siga em frente e toda noite peça a Deus que o aconselhe!

ADRIANA PADOA CASORETTI

apadoa@padoa.com.br

Cotia

Vices

Excelente a entrevista do presidente Michel Temer (14/5). Sempre achei que ele poderia fazer um bom governo. Aliás, o mesmo aconteceu com Itamar Franco. O jeito, pelo visto, é votar nos vices. Brasil acima de tudo!

GILBERTO DIB

gilberto@dib.com.br

São Paul

CORRUPÇÃO

Antipatranha

Perfeita a análise feita pelo editorial As patranhas de Lula (15/5, A3), em que são denunciadas todas as mentiras, falácias e artimanhas veiculadas pela televisão, em horário nobre (dos noticiários nacionais e novelas), pelo “demiurgo apedeuta”, seus defensores e seus seguidores, proferidas contra a atual reforma previdenciária, que está prestes a ser votada. Mostra ainda que hoje eles atacam exatamente o que tentaram reformar nos seus 13 anos de desgoverno e não conseguiram, procurando agora impor uma derrota política ao governo atual, para voltarem ao poder em 2018. Que Deus nos proteja! Faz-se necessário e urgente que essa mesma denúncia seja repetida nos mesmos veículos e nos mesmos horários da propaganda mentirosa patrocinada pelo PT. Caso contrário, o “encantador de chupins e ignaros” vai acabar convencendo cada vez mais eleitores ingênuos. Esperamos que os partidos que se opõem à praga lulopetista acordem e cuidem disso.

JOSÉ CLAUDIO MARMO RIZZO

jcmrizzo@uol.com.br

São Paulo

O chefe

É inadmissível a “ingenuidade” dos defensores de Lulla. Vá lá que os iletrados consumidores do Bolsa Família – na verdade, o maior programa de exclusão social que conheço – o julguem inocente e perseguido. Mas os que se consideram intelectuais não têm como não admitir que existiu uma quadrilha – demonstrada pelo Ministério Público – com o fito de se apropriar do dinheiro público, cujo chefe só poderia ser quem detinha o poder de comando, fato corroborado por numerosos companheiros de rapinagem, dentre os quais Emílio e Marcelo Odebrecht, Delcídio Amaral, Renato Duque, Léo Pinheiro, Pedro Corrêa, João Santana e Mônica Moura. Além do mais, deveriam saber que aquele que nunca soube de nada, enquanto sob suas barbas as ratazanas roíam os recursos públicos, ou prevaricou ou é um incapaz funcional. Logo, jamais poderiam apoiá-lo sequer para síndico de condomínio, quanto mais na pretensão de voltar a ser presidente da República.

ANTONIO CARLOS GOMES DA SILVA

acarlosgs9@gmail.com

São Paulo

Vítima

Lula reclama de ser vítima da maior caçada jurídica que um presidente já sofreu. Mas ele não merece?

EUCLIDES ROSSIGNOLI

euclidesrossignoli@gmail.com

Ourinhos

Delações

O leitor sr. Manuel Pires Monteiro (15/5) pergunta: “E Lula vai delatar quem?”. Ora, já delatou: dona Marisa Letícia.

SUELI CARAMELLO ULIANO

scaramellu@terra.com.br

São Paulo

Nem delação premiada pode salvar e diminuir as penas do Lula.

TANIA TAVARES

taniatma7@gmail.com

São Paulo

Da guerrilha ao Planalto

Só poderia sair da mente de alguém com muita experiência nessa área. Começou na década de 1960 e se aperfeiçoou nos métodos modernos da Al-Qaeda. Eu desconhecia, até agora, esse subterfúgio rasteiro e criminoso de se comunicar por meio de uma conta secreta de e-mail. Nos últimos dias veio à tona, pouco a pouco, a comprovação de quem eram os chefes e seus métodos de ação nessa criminosa associação entre o público e o privado. Os 14,2 milhões de desempregados, os empresários falidos e todo brasileiro de bem precisam repudiar, com a mais extrema indignação, esses exploradores da Pátria e do povo incauto e inocente. E, acima de tudo, reafirmar o apoio ao Ministério Público, à Polícia Federal e ao corajoso e brilhante juiz Sergio Moro, da 13.ª Vara Federal de Curitiba, os quais, felizmente, estão trazendo de volta a esperança e o orgulho neste país.

JOÃO M. VENTURA

joaomv@terra.com.br

São Paulo

“Mônica Moura: ‘Dilma não confia em ninguém’. Então, Dilma é um gênio incompreendido?”

CARLOS A. A. BORGES / RIO DE JANEIRO, SOBRE A DELAÇÃO DOS MARQUETEIROS 

borges49@hotmail.com

“Creio que a única verdade que o Lula disse em seu depoimento é que está sendo julgado pelo que fez no seu

governo: no caso, a estratosférica corrupção!”

BENEDITO ANTONIO TURSSI / IBATÉ, SOBRE A LAVA JATO

turssi@ecoxim.com.br

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

INFELIZ CUSTO-BENEFÍCIO

A justificativa do presidente Michel Temer, em entrevista ao "Estado" (14/5, A10-A11), de que a manutenção no seu governo de ministros citados na Operação Lava Jato "é um custo-benefício que compensa", soou algo infeliz, na medida em que evidencia a máxima dos fins que justificam os meios - muito comum dentro do PMDB e levada ao extremo da imoralidade pelos desastrosos governos petistas. O fato é que, no estado atual em que se encontra o Parlamento, não haverá como aprovar as tão necessárias e urgentes reformas trabalhista e previdenciária sem o uso desta questionável ferramenta. A esperança é de que este famigerado mecanismo do "toma lá dá cá" comece a mudar a partir de 2018, com a renovação do Congresso Nacional. Enquanto isso, este governo é o que temos para hoje. 

Luciano Harary lharary@hotmail.com

São Paulo

*

COMPENSA

Do presidente Temer: "É um custo-benefício que compensa". Também compensa o crime no Brasil, né, não? Diga-me com quem andas...

 

Vitorio Felipe Massoni suporte.eam@gmail.com

Catanduva

*

O TEMPO DE CADA UM

As importantes reformas que o atual governo ainda precisa efetivar dentro de pouco mais de um ano, para tentar recuperar a economia combalida por mais de uma década de corrupção e incompetência, dão a ilusão de que ainda falta muito para o término do atual mandato, embora também paire no ar a sensação de que o tempo correrá celeremente até lá, em face do ritmo alucinante com que os acontecimentos ligados à política e à Justiça estão a se desenvolver no Brasil. Na ilha da fantasia chamada Brasília, no entanto, as mentes já estão inteiramente voltadas para o final de 2018, com parlamentares e pretendentes a cargos eletivos atualmente votando e exibindo atitudes condicionadas aos seus próprios projetos eleitorais, e não às urgentes necessidades do País. É o tempo de cada um.

Paulo Roberto Gotaç prgotac@hotmail.com

Rio de Janeiro

*

UM ANO DE GOVERNO

O cidadão que acompanha o desenrolar da política no Brasil tem o dever de cumprimentar o presidente Michel Temer e sua equipe, que está completando o primeiro ano de atuação e com perspectivas de colocar o País num rumo certo. A única dor de cabeça é saber quem será o próximo presidente em 2019. Do jeito que andam pondo em liberdade políticos condenados, não será estranho se surgir como candidato do PT, por exemplo, José Dirceu.

José Millei millei.jose@gmail.com

São Paulo 

*

O INFERNO DE MANTEGA

"Minha vida virou um inferno", disse Guido Mantega, ex-ministro da Fazenda do governo da "ex-presidenta" Dilma. Com certeza, seu inferno ainda continua tendo casa, comida na mesa e mordomias que a maioria dos 14,2 milhões de desempregados não têm graças a sua destrambelhada passagem por aquela pasta. Portanto, o inferno de Mantega, certamente, não é o mesmo dos milhões de brasileiros que de uma forma ou de outra sofrem com as consequências de seus atos. Um inferno bem light.

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

*

O 'PÓS-ITÁLIA'

Guido Mantega diz que, após a prisão, sua vida virou um inferno. E nós, simples mortais, que não temos o poder nas mãos nem as montanhas de verbas para podermos fazer negociatas e "otras cositas más"? Posso imaginar a vida dele, com todas as mordomias de um PT corrupto de que ele usufruiu e ainda usufrui, comparada à vida de quem ficou desempregado graças às más ações que ele tomou na Fazenda. Ninguém inventa histórias só para se dar bem - como Mantega diz que os delatores fazem. Quem faz isso é o PT, este, sim, nada confiável.

 

Antonio Jose Gomes Marques a.jose@uol.com.br

Rio de Janeiro

*

CUIDADO

Guido Mantega, o cara que capitaneou o naufrágio da economia brasileira com determinação e convicção de propósito (sem mencionar seu papel no esquema criminoso do PT), declarou que sua vida virou um inferno, que não consegue trabalhar, não pode ir a restaurantes, hospitais, etc. Entendo, mas este senhor deveria ser um pouco mais cuidadoso com esse tipo de lamúria pública. Os 20 milhões de brasileiros sem emprego neste país, uma consequência direta dos atos e convicções do ex-ministro, provavelmente diriam o mesmo de suas próprias vidas e teriam um recadinho não muito agradável ao senhor Mantega.

Oscar Thompson oscarthompson@hotmail.com

Santana de Parnaíba

*

CASAL INFERNAL

Mônica Moura e João Santana esclareceram, com detalhes, a participação de Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff nos esquemas ilícitos de campanhas eleitorais. O casal de marqueteiros incluiu, também, Guido Mantega, Delcídio do Amaral, empreiteiras brasileiras, entre outros. Eles falaram em recebimento de dinheiro vivo do próprio Nicolás Maduro, da campanha de Hugo Chávez e de outros detalhes sórdidos da política venezuelana. A partir dessas delações, Lula e Dilma se encontram numa posição ainda mais delicada, e muito possivelmente terão de se explicar para a Justiça. Detalhes repugnantes foram revelados, com a maior ousadia, contendo indiscretas particularidades.

José Carlos Saraiva da Costa jcsdc@uol.com.br

Belo Horizonte

*

DA MENTIRA À VERDADE

Os depoimentos dos marqueteiros João Santana e Mônica Moura revelaram ao mundo a forma sórdida de construir ídolos. Com dinheiro roubado dos cofres públicos, pintaram a candidata Dilma com mentiras grosseiras e calculadas. E por meio da mentira elegeram e reelegeram Dilma. Não só ela. Agora, porém, por meio da verdade, os marqueteiros desconstroem sua heroína. Um acinte. Tardiamente, os fatos estão vindo à tona e os eleitores estão descobrindo como foram feitos de palhaços. Lamentável, mas o que o dinheiro não é capaz de fazer, não é? Transformar lixos em heróis. O povo precisa ler mais, ouvir mais e se informar. Chega de ser burrinho de presépio.

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com

São Paulo

*

HUMILHAÇÃO

Causa repugnância ver a delação da marqueteira Mônica Moura, mulher de João Santana. Ela humilhou o Brasil com a narrativa debochada das futilidades que patrocinou para a ex-presidente Dilma Rousseff com dinheiro público roubado. Além disso, com sua narrativa sórdida, ela deu mostras do padrão bananeiro a que o PT reduziu o exercício da Presidência da República em nosso país. Onde já se viu uma pessoa estranha ao governo adentrar o gabinete da presidente, sentar-se à sua mesa, abrir seu computador e criar uma conta de e-mail para permitir a comunicação dissimulada entre ambas?

Renzo Galuppo renzo.galuppo@gmail.com

São José dos Campos

*

2606

A marqueteira Mônica Moura denunciou a existência de uma conta de e-mail acessada por ela e por Dilma Rousseff, para troca de informações através da pasta Rascunhos. Nome do usuário: 2606iolanda@gmail.com. Iolanda seria uma alusão à esposa do general Costa e Silva, o presidente à época. E o número 2606, o que seria? Parece que a ex-presidente não revelou nem a Mônica, sua comparsa, que a leitura é outra. Trata-se de uma data. Nada menos do que a data do atentado da Vanguarda Popular Revolucionária, da qual Dilma fazia parte, contra o QG do 2.º Exército: 26/6/1968. Nesse atentado, há quase 50 anos, perdeu a vida o soldado Mário Kozel Filho. E Dilma comemora até hoje! Não foi um erro do passado, por motivações hoje desacreditadas. Não! É um marco na sua vida política, uma bandeira a tremular na indecência dessa conta, unindo o passado e o presente da eterna terrorista. 

Sueli Caramello Uliano scaramellu@terra.com.br

São Paulo

*

INESQUECÍVEL

Ficou muito claro para todos por que a escolha do nome Iolanda para a conta secreta de e-mail compartilhada entre Dilma Rousseff e Mônica Moura para a troca de informações reservadas, proibidas de serem reveladas. Todos identificaram o nome da esposa de um dos presidentes do regime de exceção, justo aquele período em que "Vanda" ou "Stela" mais exercitou seus atributos de guerrilheira urbana. Restaram os números 2606. Foi num 26 de junho que um carro-bomba explodiu ao lado da guarda do Comando Militar em São Paulo, matando o soldado Mário Kosel Filho. Macabro, mas inesquecível, tia!

Marco Antonio Esteves Balbi mbalbi69@globo.com

Rio de Janeiro

*

SÁDICO

O e-mail iolanda2606@gmail.com é um atestado assinado e carimbado de "sadismo".

Nelson Pereira Bizerra nepebizerra@hotmail.com

São Paulo

*

E-MAIL E SENHA

Em relação ao e-mail iolanda2606@gmail.com, e a senha iolanda47, imperioso se faz investigar e verificar se é verdade que Iolanda era uma base médica da VAR-Palmares localizada na Vila Iolanda - da qual a sra. Dilma Rousseff teria sido integrante; se é verdade que 26/06 foi o dia do atentado da VAR-Palmares ao quartel que matou o soldado Mário Kozel Filho (26 de junho de 1968), do qual a sra. Rousseff teria participado; e, ainda, se é verdade que a senha tem relação com o ano de nascimento da sra. Rousseff (1947). Se forem confirmados, estes dados se constituiriam em alicerce para a verdade histórica e para o discernimento do que seja decência, honorabilidade e ética, bem como para que uma parcela de brasileiros reflita e reveja suas crenças, ilusões e seu fanatismo.

Aléssio Ribeiro Souto souto49@yahoo.com

Brasília

*

O PÊLO E O VÍCIO DO LOBO

Segundo Mônica Moura, a utilização de e-mail ao estilo Al-Qaeda, para comunicação entre ela e Dilma, mostra que a ex-guerrilheira continuou usando as mesmas táticas como presidente da República. Apenas corrobora o dito de que o lobo muda de pele, mas não muda o modo de agir.

Ely Weinstein elyw@terra.com.br

São Paulo

*

CONCORDÂNCIA & REGÊNCIA & SINTAXE

Pelo jeitão, a autointitulada presidenta, dita competenta, não é lá assim tão inocenta...

A.Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

*

MÔNICAS

Cuidado com as Mônicas. A Lewinsky quase acabou com Bill Clinton, a Veloso tirou muito dinheiro de Renan Calheiros, e Mônica Moura deixou Dilma Rousseff nua. Ficamos sabendo, com a delação de Mônica Moura, que até o cabeleireiro da honesta Dilma os marqueteiros pagavam. 

Luiz Thadeu Nunes e Silva luiz.thadeu@uol.com.br

São Luis

*

CAIU A FICHA

Depois da quebra de sigilo dos depoimentos de Mônica Moura e João Santana, marqueteiros políticos, ficou claro que as campanhas eleitorais das esquerdas na América Latina foram financiadas com o meu, o seu, o nosso rico dinheirinho, desviado, via corrupção, pelas empreiteiras sob o comando do PT de Lula, Palocci, Mantega, Zé Dirceu, Vaccari, Dilma e outros membros da orcrim. Como o Brasil foi saqueado, espoliado! E quantos sonhos e empregos foram destruídos por esta canalhada.

Claudio Juchem cjuchem@gmail.com

São Paulo 

*

NEFASTOS

Em que pese o fato de a delação de Mônica Moura complicar bastante a vida de Dilma Rousseff - e isso é muito bom -, é importante perceber que ela as faz como quem trata de banalidades no cabeleireiro. Essa mulher nefasta e seu marido, João Santana, ex-marqueteiro do PT e não menos nefasto, ajudou a desgraçar milhares de brasileiros que hoje estão desempregados, morrendo na porta de hospitais e ou alvejados nas ruas pelos inúmeros meliantes soltos, impingindo aos menos informados os desgovernos petistas. Não considero o casal elegível à redução de penas e, aliás, nem outros beneficiados com prisões domiciliares que mais parecem castelos ou hotéis cinco estrelas. Todos deveriam morrer nas infectas cadeias que os governantes nunca se preocuparam em humanizar.

 

Joao Paulo O. Lepper jp@seculovinteum.com.br

Rio de Janeiro

*

COMPORTAMENTO EXECRÁVEL

João Santana e Mônica Moura, marqueteiros de Lula e Dilma e de outros indicados pela dupla, na realidade, fizeram bem os trabalhos para os quais foram contratados, daí o seu sucesso. E mereciam mesmo ser bem remunerados pelo que realizaram com sucesso. Sabendo ou não se o dinheiro que lhes era dado como pagamento provinha ou não de caixa 2 ou propina, não vem ao caso, fizeram o seu trabalho, com alto custo, e deveriam receber bem por ele. Pelo que relataram, ainda levaram um cano de R$ 20 milhões e tiveram de pagar as despesas com cabeleireiro da "presidenta" mesmo após esta empossada como tal, o que foi um absurdo. Dilma Rousseff, no cargo que ocupou, poderia ter pagado muito bem por suas despesas pessoais, mas, ainda assim, pediu a Mônica que as pagasse, mostrando a execrável figura que é. Isso, e ainda o que deve estar por vir, como as delações de Antonio Palocci e as revelações da caixa preta do BNDES, será o fim desta gentalha ordinária, capitaneada por Lula, Dilma e sua gangue, que fizeram tanto mal ao Brasil e a todos os brasileiros.

Carlos E. Barros Rodrigues ceb.rodrigues@hotmail.com

São Paulo

*

JUDAS

Qual dos 12 apóstolos de Lula virá a ser o Judas? O PT aposta em que acabará sendo Palocci... É a ironia do destino!

Gilberto Dib gilberto@dib.com.br

São Paulo

*

PALOCCI VAI FALAR

Oxalá o acordo de delação premiada que se propaga do ex-ministro Antonio Palocci venha a se concretizar e, enfim, delatar de nossas mentes a repugnante e reptícia postura de Lula pondo a responsabilidade de suas malandragens e malefícios na pobre coitada da esposa recém-sepultada. Caso contrário, estaremos todos desidratados por tanto vômitos. 

Luís Lago luis_lago1990@outlook.com

São Paulo

*

EM BOCA FECHADA...

Se a delação for garantia de perdão, ou pelo menos atenuante de pena, Palocci está em situação bem confortável. Sabendo tudo o que sabe, pode abalar todas as estruturas sem tocar no nome do seu compadre, amigão e padrinho político, Lula. Quem viver verá.

Gildete do Nascimento mgildetenascimento@bol.com.br

São Paulo

*

ENTRE HERÓI E TRAIDOR

No aguardo dos acontecimentos, petistas ainda não sabem se transformam Antonio Palocci em preso político ou num traidor do partido que pode quebrar a omertá (lei do silêncio), revelando como funciona a hierarquia da organização criminosa da qual fazia parte num acordo de colaboração com a Justiça. Conhecedor de muitos segredos de Lula e do PT, seu maior pecado foi ter acumulado riquezas pessoais, ao contrario de João Vaccari Neto, um abnegado que foi preso apenas por operar o esquema de caixa 2 do PT. Essa é a visão de Justiça do PT.  Dependendo de sua vocação para ser um herói do PT (preso), ou de um infiel livre das grades, Palocci deverá decidir se prefere a solidão de uma cela, escutando de longe o brado de herói do povo brasileiro, ou viver livre para em breve desfrutar os dias que lhe restam. 

 

Paulo R. Kherlakian paulokherlakian@uol.com.br

São Paulo

  

*

O ESCÂNDALO DENTRO DO ESCÂNDALO

A impressão geral é de que, se Antonio Palocci realmente resolver delatar, os chefes Lula, Dilma e muitos senadores, deputados, empreiteiros, empresários da indústria automobilística, de frigoríficos e banqueiros (e talvez membros do Judiciário) irão para a cadeia. E muito dinheiro seria recuperado desses bandidos. Ele é central para o sucesso completo da Operação Lava Jato. Seria o maior escândalo dentro do escândalo gigantesco já revelado. Aguardemos. Pode ser ótimo para mudar o Brasil e melhorar tudo, condições econômicas, sociais, políticas e, sobretudo, morais.

Ademir Valezi adevale@icloud.com

São Paulo

*

ESTRATÉGICO

Com a delação de Palocci, parece que tem petista aconselhando Lula a morar perto do aeroporto.

Luiz Frid luiz.frid@globomail.com

São Paulo

*

POÇO FUNDO

É preciso muito fundo do poço para um mentiroso petista dizer alguma verdade, mesmo pra um cercado de advogados caríssimos cuja profissão é "contornar a Justiça".

Ariovaldo Batista arioba06@hotmail.com

São Bernardo do Campo

*

CONFUSÃO

A delação que nos traz bastante expectativa pode ser uma farsa.  Creio que Palocci vá mentir durante sua delação para livrar a cara do chefe/a e implicar muitos outros partidos, para criar confusão.       

Wilson Matiotta loluvies@gmail.com

São Paulo

*

A ÚLTIMA ESPERANÇA

Agora, que Antonio Palocci volta a acenar com a hipótese de fazer delação premiada, Lula e sua defesa esperam que ele entregue dona Marisa Letícia. Só assim Lula se salva.

Cláudio Juchem cjuchem@gmail.com

São Paulo

*

RASTEIRAS

As rasteiras em Lula continuam: mudaram a data da audiência na Justiça Federal de Curitiba do dia 3 para 10 de maio, para incluir a delação de mais dois "sequestrados", Léo Pinheiro e Renato Duque, segundo o ministro do Supremo Gilmar Mendes. Montaram aparato de guerra para o dia 10, e a montanha pariu um rato, não tinham nenhuma prova, só evidências. Sergio Moro ficou devendo resposta de por que libertou Alberto Youssef. O que ocorreu em Curitiba foi uma festa da democracia e Lula deu uma aula ao País. Agora, divulgam as mentiras de mais dois marqueteiros, Mônica Moura e João Santana. Agora soltos desde que acusem Lula e Dilma. Mais claro, impossível: querem impedir Lula de competir a qualquer custo, e dane-se a credibilidade. Tudo isso é medo de perder em 2018?

Wilson Ronaldo de Oliveira wilsoncidadaocuritibano@gmail.com

Curitiba

*

A MOSCA AZUL

Conforme contou Eliane Cantanhêde em sua coluna publicada em 14/5, sob o título "Doria, o anti-Lula", o prefeito é contra a prisão de Lula agora: "Primeiro tem que ser derrotado pelo povo". Como a própria articulista salientou, o prefeito de São Paulo mostra confiança e se prepara para derrotar o ex-presidente Lula, se for escolhido pelo seu partido como candidato à Presidência da República. Foi mordido pela mosca azul, como era previsto. Eu creio que a política não pode ditar o andamento da Justiça, embora saiba que na prática isso não ocorre, mas temos de pôr um fim, inclusive, a essa tramoia. Enfim, o prefeito propõe que os processos em andamento sejam retardados para depois das eleições. Por coincidência, o "Estadão" de 15/5 anunciava que os procuradores da Lava Jato avaliam a possibilidade de instaurarem outro processo contra o ex-presidente Lula, por obstrução da Justiça, ante o seu depoimento perante o juiz Sérgio Moro e as informações de alguns dos réus que optaram pela delação premiada. O prefeito Doria mostra uma confiança que acredito descabida, pois se, ao contrário do que supõe, o ex-presidente for eleito novamente, o País continuará nesta agonia atual, pois de acordo com o §4.º do Art. 86 da Constituição federal, "o presidente da República, na vigência do seu mandato, não pode ser responsabilizado por atos estranho ao exercício de suas funções". Também é oportuno salientar que o prefeito continua afirmando que não é político e não acredito que ele poderá governar o País sem entender e exercer a política no bom sentido. Depois de todos esses anos de roubalheira desenfreada, jamais ocorrida em tamanha dimensão, o ideal é que o futuro presidente seja um estadista, ou seja, um bom administrador, um ótimo político e que tenha inata liderança, para colocar de uma vez por todas o País na rota do desenvolvimento social e econômico, com a preservação do meio ambiente, o nosso maior tesouro.

Gilberto Pacini benetazzos@bol.com.br

São Paulo

*

NAS URNAS

Segundo o prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), "o Lula precisa ser derrotado antes nas urnas para, então, se tornar apenável". Concordo plenamente com João Doria e desejo que Lula concorra na próxima eleição presidencial. Acredito que a Justiça o deixará concorrer, pois ele não terá uma sentença condenatória ou não na segunda instância antes de 2018, pois conhecemos a velocidade da nossa Justiça. Então, caberá ao povo brasileiro, como jurados (eleitores), durante o julgamento político (eleição), julgar Lula, condenando-o ou não (elegendo-o ou não). Se considerarmos o resultado da última eleição, na qual o PT quase morreu, acredito que em 2018 será o fim deste partido e de seu "ídolo". Aí, sim, sem "gópi", Lula poderá se retirar da política, vestir seu pijama listrado e se recolher a uma penitenciária. 

Maria C. Del Bel Tunes carmen_tunes@yahoo.com.br

Americana

*

SALTO ALTO

Será que João Doria Jr. já está de salto alto por aparecer bem colocado nas pesquisas de intenção de voto para o Planalto em 2018? Então, por que faz esta declaração desastrosa de que é contra a prisão de Lula agora e prefere mais que o ex-presidente se candidate em 2018 e seja derrotado nas urnas pelo povo? É uma afirmação descabida e na contramão do clamor popular, que deseja ver todos estes corruptos envolvidos na Operação Lava Jato na cadeia, incluindo o "pai" desta roubalheira, Lula. 

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos 

*

PREFEITO E VICE VIAJANDO

João Doria em Nova York, Bruno Covas em Londres... Apertem os cintos, que os pilotos sumiram!

 

Eduardo Britto britto@znnalinha.com.br

São Paulo

*

BARULHO EM SP

A medida tomada pela prefeitura para combater o excesso de ruídos na cidade de São Paulo é muito bem-vinda, já que, atualmente, sabemos sobre os danos físicos e emocionais provocados em quem é bombardeado com sons altos e que impedem o merecido descanso de cada um. Há anos os moradores sofrem com os abusos sonoros praticados, e as autoridades que deveriam zelar pela ordem e pelo direito ao sossego e ao descanso do cidadão trabalhador pouco ou nada fizeram nestes anos. A ação do prefeito João Doria de aumentar o número de fiscais já demonstra vontade e interesse em resolver este problema e colocar um pouco de ordem nesta casa da mãe Joana. No entanto, outra fonte móvel de ruído ensurdecedor são estas motos modernas que andam com o escapamento aberto e cujos motoqueiros fazem questão de acelerar ao máximo, para provocar um enorme barulho que fere nossos ouvidos. É necessário que algo seja feito para inibir esse tipo de ação tão inconsequente quanto desrespeitosa ao outro.

Clara Maria C. A. de Lima clamacoli@gmail.com

São Paulo

*

MUDANÇA NA RAIA DA USP

A Prefeitura de São Paulo vai derrubar o muro que protege a Raia Olímpica da USP, na Marginal Pinheiros. Cá entre nós, é uma grande ideia estética. Em seu lugar, pretende instalar um gradil e a área toda terá uma pista de cooper com uma caríssima iluminação noturna. Só há um problema: os vândalos de plantão certamente vão destruir a nova cerca, a iluminação e, de quebra, poluirão a bela raia. Podem escrever!

Eleonora Samara eleonorsamara@bol.com.br

São Paulo

*

MULTA NA FAIXA DE ÔNIBUS

A indústria das multas continua com seu mesmo princípio do comando anterior, fabricando multas. Eu circulava pela Avenida Luiz Ignácio de Anhaia Mello respeitando a faixa exclusiva do ônibus, porém, num determinado ponto, necessitava fazer uma conversão à direita num cruzamento no qual há um semáforo. Como ele estava fechado, gerou-se ali uma fila de aproximadamente 10 a 15 veículos aguardando-o abrir. Parando atrás deles, e notando pelo retrovisor a vinda de ônibus e os carros parando ao meu lado, dificultaria a minha conversão, então decidi entrar na faixa, talvez 20 a 30 metros antes do permitido, para não ter de ficar parado atrapalhando o fluxo de trânsito - porque, mesmo sinalizando, os ônibus não nos dão nenhuma chance, até pelo contrário, fazem questão de pressionar e, em muitas ocasiões, levando nosso retrovisor. Conclusão: fui multado. Agora, nesta mesma avenida, existem centenas de agências de automóveis que deixam inúmeros veículos, o dia inteiro e a semana toda, expostos na faixa exclusiva dos ônibus, e não são multados. Por quê? A CET é regida por duas leis, no caso?

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

O RISCO DA GUERRA DIGITAL

O ataque cibernético desfechado na sexta-feira já fez mais de 200 mil vítimas - pessoas, órgãos públicos e corporações de todos os tamanhos - em 150 países dos 200 países existentes no planeta. Especula-se, até, que a temida Terceira Guerra Mundial poderá ser feita dentro dos computadores, possibilidade inimaginável até pouco tempo. Os criadores do primeiro computador, lançado em 1946, dificilmente teriam imaginado que a partir dali teríamos a internet (1969), as redes (1972) e chegaríamos a este ponto de dependência da informática, que tomou conta de todas as atividades. Com o mundo inteiro depositado dentro de computadores e redes, o maior ato terrorista poderá ser praticado nesse invisível e abrangente território. As vítimas não mais morreriam pela ação de balas e bombas, mas pela falta dos serviços colocados em colapso. Mais do que os governos e os órgãos investigativos, as milionárias corporações que enriqueceram criando a tecnologia têm o dever de criar mecanismos que protejam os usuários. Mexam-se, senhores! 

 

Dirceu Cardoso Gonçalves aspomilpm@terra.com.br

São Paulo

                               

*

SUZANE VON RICHTHOFEN

Suzane von Richthofen conseguiu, por bom comportamento, o benefício da saída temporária da cadeia de Tremembé, juntamente com seu namorado, para comemorar o Dia das Mães. Mas, afinal, se ela foi condenada em 2002 por matar seus pais, ela foi comemorar o "Dia das Mães que foram assassinadas"? Esta é a nossa Justiça. Muda, Brasil!

 

Júlio Roberto Ayres Brisola jrobrisola@uol.com.br

São Paulo 

*

COERÊNCIA

Muita ironia a soltura de Suzane von Richtofen no Dias das Mães. Logo ela, que mandou matar a própria mãe. Poderia haver uma troca: conceder a ela o benefício no Dia de Finados seria muito mais coerente. 

Arcangelo Sforcin Filho arcangelosforcin@gmail.com

São Paulo

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.