Fórum dos Leitores

.

O Estado de S.Paulo

14 Outubro 2017 | 03h00

STF X CONGRESSO

Tempos estranhos

Ao ler a reportagem STF decide que Congresso deve dar aval a afastamento (12/10, A4) me veio uma dúvida acerca das considerações do ministro Luís Roberto Barroso sobre o polêmico julgamento de quarta-feira no pleno do Supremo Tribunal Federal (STF). Defendendo seu voto, asseriu o ministro: “O afastamento de um parlamentar não é uma decisão banal, é excepcionalíssima. Como excepcionalíssimo deve ser o fato de um parlamentar usar o cargo para praticar crimes”. Fiquei a meditar sobre se cabia a Barroso fazer esse pronunciamento, uma vez que, ainda que não fosse (especificamente) o senador Aécio Neves alvo de julgamento em tela, certo é que toda essa polêmica maluca adveio unicamente do fato de a primeira turma do STF ter decretado esdrúxula e inconstitucional punição ao parlamentar, com afastamento do mandato e recolhimento noturno em casa, condição análoga à prisão aberta. Lembremos que não compete ao juiz adiantar suas tomadas de posição, tampouco dar pistas do que pensa sobre réus ou dos que possam vir a tornar-se réus em sua jurisdição, lembrando que Aécio nem ao menos é réu e ainda que fosse teriam de ser-lhe ensejadas as condições relativas ao contraditório e à ampla defesa (artigo 5.º, LV, da Constituição). Cumpridas essas formalidades, que o juiz então se pronunciasse. Nos autos! De forma que, dizendo o que disse, o ministro passa a impressão de já ter opinião formada sobre a culpa de Aécio, ainda que à míngua de se facultar ao senador o devido processo legal, um dos pressupostos do Estado Democrático de Direito. O que é bizarro! Penso que o ministro se excedeu mais uma vez, perdeu excepcional oportunidade de se calar, honrando a magistratura. Mas nestes tempos estranhos, em que toga e flashes andam lado a lado, talvez seja pedir demais.

SILVIO NATAL

silvionatal49@gmail.com

São Paulo

Insegurança jurídica

O voto confuso de desempate da presidente do STF, ministra Cármen Lúcia, infelizmente, vem demonstrar, até a quem deseja investir no País, que vivemos em sistemática de insegurança jurídica, imposta, aliás, por nossa Suprema Corte. No caso Aécio, alguns ministros fizeram questão de demonstrar que passaram por cima dos artigos 52 e 53 da Carta Magna, usando disposição de lei ordinária, o Código de Processo Penal. O expediente demonstra que o STF pode deixar de ser guardião da Constituição quando determinados interesses se apresentarem nos julgamentos, o que é inaceitável. Resguardar e respeitar a Carta, além de ser missão dos ministros do STF, faz a Corte prestigiar o desenvolvimento nacional, que não pode vingar em caso de dúvidas que provoquem insegurança jurídica. Assim bem explicita e considera o editorial Salve-se quem puder (13/10, A3).

JOSÉ CARLOS DE C. CARNEIRO

carneirojc@ig.com.br

Rio Claro

RECONSTRUIR O BRASIL

O que é fundamental?

Renovar a política, afastar todos os políticos profissionais que transformaram os alicerces do País em lama. É um projeto para meio século, mas deve começar em 2018, até que o povo tenha o direito de eleger e destituir do cargo os maus políticos, hoje a maioria no Congresso, que se vendem sabendo que se um dia forem julgados terão perdão, em especial se tiverem mais de 70 anos. Sonhando alto: agilidade do Judiciário e condenação definitiva em segunda instância sem direito a recurso ao STF; e um Supremo sem egos inflados, rápido e direto. E nós, o povo, exigindo os nossos direitos com ordem e exercendo a cidadania. 

LUIZ RESS ERDEI

gzero@zipmail.com.br

Osasco

GESTÃO DORIA

Feriado em São Paulo

Feriado de Aparecida, na cidade de São Paulo as ruas quase vazias, mas os semáforos continuando defeituosos, enquanto nosso prefeito viajante se dirigia para a Itália e o vice, para a França. Sem uma legislação que defina a hipótese de viagens apenas para cuidar dos interesses da cidade e dos munícipes, logo seremos governados por robôs operados a longa distância... A cidadania reclama da falta de respeito e dos serviços públicos precários no nosso município.

YVETTE KFOURI ABRÃO

abraoc@uol.com.br

São Paulo

Privatização de Interlagos 

O prefeito João Doria Junior nomeou Wilson Poit como secretário da Desestatização, o qual está confundindo parceria público-privada com “privataria”. O caso do autódromo de Interlagos é emblemático, por ser uma das maiores áreas públicas da cidade, com 1 milhão de metros quadrados, e permitirá que o vencedor da licitação construa em 300 mil metros quadrados, provocando impactos desastrosos na mobilidade urbana e, principalmente, no meio ambiente. A desculpa de se livrar de custos é patética, porque só na semana da Fórmula 1 são movimentados cerca de R$ 300 milhões na cidade, resultando numa arrecadação de R$ 15 milhões de ISS para um custo anual de R$ 7,5 milhões de manutenção. Fica ainda mais evidente esse descalabro se relembrarmos a opinião de Wilson Poit quando trabalhou com Fernando Haddad, na gestão anterior: “O retorno direto com turismo gerado para a cidade é seis vezes maior do que o investimento que fazemos todo ano”. E ainda ressaltou: “Além do retorno com os gastos dos turistas, o GP Brasil é um evento que eleva o prestígio de São Paulo e tem um impacto milionário em mídia positiva para a cidade”.

FRANCISCO NASCIMENTO XAVIER

franciscoxavier1000@gmail.com

São Paulo

AVIAÇÃO CIVIL

Caixa-preta

Qual a surpresa da notícia sobre aumento das passagens aéreas, após a cobrança de bagagem autorizada pela Anac, sob a justificativa de que os preços cairiam? Nenhuma. Todos sabíamos que essa era mais uma malandragem praticada sob a complacência – se não cumplicidade – da agência destinada a proteger os consumidores, mas que os prejudica em favor das empresas. Alô, Ministério Público, que tal abrir mais essa caixa-preta? 

APARECIDA DILEIDE GAZIOLLA

aparecidagaziolla@gmail.com

São Caetano do Sul

APARECIDA

‘Romaria e prece’

Parabéns ao fotógrafo e ao editor pela maravilhosa foto na capa do Estadão de ontem. Belo presente pelos 300 anos de Nossa Senhora Aparecida!

DECIO FISCHETTI

etcmkt@terra.com.br

São Paulo

Não costumo escrever, mas não podia deixar de dar os parabéns ao Estado pela foto maravilhosa do interior da Basílica de Nossa Senhora Aparecida. Ela toca o coração, impressiona, enleva. 

PATRICIA LEIRNER ARGELAZI

patricialeirner@icloud.com

 

PANOS QUENTES

Para um Supremo Tribunal Federal (STF) que estuprou a Constituição ao aprovar o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff mantendo seus direitos políticos, decidir que o Congresso Nacional deve dar o aval para rever medidas do Judiciário que decidam sobre suspensão de mandatos de políticos é um mal menor. O que o STF fez no julgamento de quarta-feira foi decidir de forma a desfazer o mal estar criado com a decisão monocrática de afastar o senador Aécio Neves (PSDB-MG) do seu mandato. Melhor assim do que criar mais uma saia justa entre Judiciário e Congresso, pois, afinal, a credibilidade dos dois poderes já foi para o ralo faz tempo. O Judiciário vai acabar sendo conhecido como o poder que põe panos quentes em todas as crises.

Luiz Roberto Costa

ludwigwitgenstein@bol.com.br

São Paulo

*

PELAS INSTITUIÇÕES DEMOCRÁTICAS

Instituições harmônicas, fortes e estáveis garantem a sustentabilidade da democracia e, quiçá, por receio das maléficas experiências históricas, diversas das da democracia, clãs e grupos de notórios homens públicos protelam punibilidades de verdadeiros criminosos em nome da sempre iluminada imunidade política. Muitos relembram o democrata Rousseau, o homem exemplar e histórico, defensor das infâncias desvalidas, mas que - jamais dito - em sua experiência privada de vida abandonou e lançou seus cinco filhos ao asilo e à adoção. Parece ser a vida assim mesmo: tudo em nome das instituições democráticas, e aos seus registros históricos que sobrevivem em eloquente e grande estilo, porém nada ao reles cotidiano das gentes anônimas que apenas sonham com dias melhores, mais justos e mais dignos.

Marcelo G. Feres

marcelogferes@ig.com.br  

Rio de Janeiro

*

A RENÚNCIA É O MELHOR CAMINHO

Um caso errado: exclusão de Aécio do Senado pelo STF. São dois casos. 1) Intervenção do Judiciário no Legislativo não pode, pois os poderes são independentes. Não se devem criar precedentes. É simples assim. 2) Os malfeitos comprovados de Aécio, é evidente, precisam ser punidos. E também é evidente que um punível ou punido não pode ser representante da sociedade, não merece confiança. O Senado deve (poder) excluí-lo, sem ser pressionado por outro poder. Antes disso, um infrator desvendado deveria renunciar ao cargo, que desonrou por si mesmo. Deve-se envergonhar diante dos cidadãos que o elegeram e cuja confiança traiu. Deveria ser pressionado por seu partido, caso não agir espontaneamente. Precisamos reformar a "cultura política", com pressão da imprensa e da sociedade.

Harald Hellmuth

hhellmuth@uol.com.br 

São Paulo

*

PODER

Na verdade, o Senado não estava preocupado em ter a última palavra em relação às punições a Aécio Neves. O que pretende, mesmo, é salvar "o pescoço" dele.

Luiz Frid

luiz.frid@globomail.com  

São Paulo

*

CONVITE À IMPUNIDADE

A discussão para saber se a Justiça pode ou não agir contra um político corrupto mostra que o Brasil não está preparado para a guerra contra as organizações criminosas que governam o País. Deixar questões criminais nas mãos de um autointitulado conselho de ética que age como um bando de compadres é um convite à impunidade. O senador Aécio Neves confessou que pediu e recebeu dinheiro do maior pagador de propina do mundo numa operação sem qualquer traço de legalidade, tudo por fora, dinheiro vivo, sem declarar nada, uma verdadeira aula do crime. O fato de Aécio Neves continuar a existir na vida pública deixa claro que o governo não quer e não vai combater a corrupção e o País vai continuar a ser governado por um presidente da República que comanda o recebimento de malas e pacotes de dinheiro do crime organizado. Em time que está ganhando não se mexe, e todos estão ganhando muitos milhões no governo. Quem perde é o Brasil.

Mário Barilá Filho

mariobarilafilho@me.com  

São Paulo

*

VERGONHA

Senhores, ao atingir 70 anos de minha curta passagem por esta vida, cheguei a ter rompantes de esperança de que nosso país estava mudando, mas, ao testemunhar a "votação" de quarta-feira no STF, o que nos resta?

Marcelo Falsetti Cabral

mfalsetti2002@yahoo.com.br  

São Paulo

*

O LEBLON ESTÁ EM FESTA

Após noites de insônia e pouco faturamento, bares do Leblon literalmente comemoram e bebemorarm a libertação de Aécio da "prisão domiciliar".

Paulo Sérgio Arisi

paulo.arisi@gmail.com  

Porto Alegre

*

ROTEIRO ESPERTO

Funciona assim: primeiro, você consegue se eleger para o Congresso Nacional. Depois, você comete os mais variados ilícitos, trambiques e transações tenebrosas. Quando for pego pela Justiça e denunciado, você exige ser julgado pelo STF, pois tem prerrogativa de foro privilegiado. Se e quando (pode demorar décadas) for eventualmente condenado, não se preocupe, pois a sentença condenatória terá de ser avalizada pela sua própria "corporação", ou seja, o Congresso. É isso ou esse roteiro é mais uma tentativa de "criminalização da classe política" (sic)?

José Claudio Marmo Rizzo

jcmrizzo@uol.com.br  

São Paulo

*

JOÃO DORIA NA ITÁLIA

O prefeito está na Itália, mas onde está o vice?  Neste feriado, o exercício do mandato está com o presidente da Câmara, ou seja, a gestão do Executivo nas mãos de um membro do Legislativo. Dá para entender?

Eduardo Britto

britto@znnalinha.com.br  

São Paulo

*

QUEDA EM PESQUISA

O João Doria, apresentado como o novo na política brasileira, depois de vencer em 2016, no primeiro turno, o pleito para a Prefeitura de São Paulo, se deslumbrou com o sucesso e a verdade é que pouco fez pela cidade. E o descontentamento do paulistano com o prefeito é demonstrado em pesquisa divulgada pelo Datafolha na qual a aprovação da gestão Doria, que há quatro meses era de 41% entre os entrevistados, caiu para 32%. E 58% querem que ele não seja candidato a presidente, mas conclua seu mandato na prefeitura. Nesta corrida de 2018 para o Planalto, 45% dos paulistanos preferem e acham melhor candidato o governador Geraldo Alckmin, e 31% escolhem Doria. Sinal de que o prefeito deveria viajar menos e fazer mais pela cidade de São Paulo.

Paulo Panossian

paulopanossian@hotmail.com  

São Carlos

*

DESLUMBRADO

Deslumbrado pelo poder, o prefeito João Doria abandonou a cidade de São Paulo e se lançou freneticamente País afora na ânsia de se candidatar a presidente da República em 2018. Errou feio na estratégia, deveria fazer boa gestão na cidade, depois tentar o governo estadual, para só então candidatar-se à Presidência. Quis dar passo maior que a perna e quebrou a cara.

Paulo de Tarso Abrão

ptabrao@uol.com.br  

São Paulo

*

AS ANDANÇAS DE CESARE BATTISTI

Ninguém neste país desconhece o que se faz com dinheiro vivo na Bolívia. Passar a fronteira seca Brasil-Bolívia com US$ 10 mil em dinheiro vivo apenas reforça a suspeita de compra de armas e/ou drogas. Talvez coisa pior. Haja inocência! Passear? Pescar? Com dinheiro vivo? Até quando nosso país vai ser o destino (e a salvação) de pessoas espúrias que por aqui chegam em nome de ideologias, atos ou fatos, no mínimo, discutíveis? Nós vimos o que aconteceu com os lutadores olímpicos cubanos, nós  estamos vendo o que nosso "ideólogo" fez nos estertores de seu mandato. Não há que se confundir entre asilo diplomático, este, sim, da tradição brasileira, com asilo ideológico, caso de Cesare Battisti. Brasil, acorde! Não serve a árvore, não serve a sombra.

Jacques G. Lerner

jacques@lerner.net.br  

São Paulo

*

PELA EXTRADIÇÃO

Em entrevista ao nosso prestigioso "Estadão" de quinta-feira (12/10), o criminoso Cesare Battisti, condenado na Itália pelo frio assassinato de quarto pessoas, agora rodeado de fotos dos execráveis e também assassinos comunistas Che Guevara e da antiga URSS e outros comuno-bolcheviques, vem enaltecer estes criminosos comunistas que nós, brasileiros, expulsamos do nosso caminho desde a Intentona Comunista de 1935. O povo brasileiro lutou sempre contra esse maldito regime, dentro do espírito democrático que nos caracteriza e preservamos o verdadeiro Estado Democrático de Direito. Portanto, nos enoja termos em nosso território nacional um criminoso como Battisti, que, além de idolatrar aqueles sem pátria, enaltece os ex-presidente Lula, o PT e ainda deixa em suas palavras questionamentos aos procedimentos de nossas autoridades, inclusive da Presidência atual da República! Desta forma devemos pedir ao presidente Temer que se engrandeça expulsando este assassino do nosso Brasil.

Ubiratan de Oliveira

uboss20@yahoo.com.br 

São Paulo

*

DEMORA

Gostaria muito de saber por que o presidente Temer está demorando tanto a assinar a extradição deste assassino, Cesare Battisti. Espero que o presidente Temer o devolva o mais rápido possível à Itália. Queremos este assassino longe do Brasil.

Sidney Cantilena

sidneycantilena@bol.com.br  

São Paulo

*

EXTRADIÇÃO

O terrorismo vem ceifando um número espantoso de vidas mundo afora, o que tem levado os países vítimas a combatê-lo com rigor e a se articularem com os governos com os quais mantém relações, no sentido de criar uma rede de cooperação visando a enfrentar este mal do nosso tempo. Justamente neste momento histórico, o Brasil surpreendeu o mundo e, em nome de um esquerdismo pé sujo e ultrapassado, pelo qual se orientavam os caciques petistas, deu guarida a um dos assassinos militantes  mais cruéis das últimas décadas na Itália. Como o PT pertence ao passado, está mais do que na hora da nossa justiça adotar medidas objetivas no sentido de extraditá-lo, em atendimento às solicitações da justiça daquele país amigo. Se não o fizer, o Brasil correrá definitivamente o risco de ser considerado conivente com a prática terrorista pela comunidade internacional.

Paulo Roberto Gotaç

pgotac@gmail.com  

Rio de Janeiro

*

PURA IDEOLOGIA

Além das três instâncias do Poder Judiciário italiano, a condenação de Cesare Battisti foi ratificada pelo Tribunal de Justiça da União Europeia! O que o governo do PT fez ao exilá-lo por questões ideológicas demonstra sua tendenciosidade, ainda mais se lembrarmos que o ex-ministro Tarso Genro devolveu para Cuba os atletas que pediram guarida ao nosso país.

Eugênio José Alati

eugenioalati13@gmail.com  

Campinas

*

A EUROPA EM TRANSFORMAÇÃO

Os cartógrafos europeus estão confusos de tanto mudarem os mapas do continente: Iugoslávia, Brexit, Espanha, etc. Ai, se a moda pega no Brasil!

Rubens Micael Arakelian

rubensmicael@gmail.com  

São Paulo

*

PERSEGUIÇÃO NA USP

As universidades federais e as universidades públicas estaduais de São Paulo (USP, Unesp e Unicamp) são antros de petistas, com professores doutrinando os alunos em defesa de MST, MTST e, principalmente, do ex-presidente Lula. A professora e advogada Janaina Paschoal, a quem devemos o impeachment da "gerentona" Dilma Rousseff, que como administradora foi um zero à esquerda, certamente foi preterida num concurso interno da Universidade de São Paulo (USP). Não à toa a prestigiosa e grandiosa USP, depois de ser aparelhada pelo PT, vem caindo seguidamente no ranking das melhores do mundo.

José A. Muller

josealcidesmuller@hotmail.com  

Avaré

*

LULA É SAFO MESMO

A decisão "safa e digna de um malandro com dez anos de praia" do ex-presidente Lula, a "alma mais honesta", em cumprir determinação do juiz Sergio Moro para entregar os recibos originais relativos ao aluguel do imóvel vizinho ao seu, recebido da Odebrecht como propina, será seguida de muita safadeza pelo condenado. "Elle" faz questão de entregar tais documentos na presença de um expert perito de sua confiança, para dar "credibilidade" ao ato, evitando que os mesmos sejam "trocados" e que não paire qualquer dúvida sobre o caso. Pena que o "jus sperniandi" do safo não tenha o condão da absolvição dos crimes de confecção e uso de documentos falsos. Com tanta malandragem e safadeza, só resta a Papuda "nelle"!

Júlio Roberto Ayres Brisola

jrobrisola@uol.com.br  

São Paulo

*

'LASCADO'?

Lula diz que está "lascado" e espera desculpas do juiz Sergio Moro. Lula, lascados estão 13 milhões de desempregados, funcionários e aposentados dos Correios, da Petrobrás, da CEF, do Banco do Brasil, que estão pagando rombos imensos provocados nos respectivos fundos de pensão, tungados que foram durante os desgovernos teu e de Dilma. Tem nesta lista também inúmeros negócios e empreendedores que perderam tudo, quebra do setor elétrico, Eletrobrás, e por aí vai. E você ainda quer desculpas do juiz Moro, que está trazendo à tona todos os malfeitos dos desgovernos petistas? E você continua lascado com mais de R$ 9 milhões em previdência privada? Aliás, esta é a regra mestre do petismo: praticam todo tipo de malfeitos, invertem a ordem e culpam inocentes.

José Roberto Niero

jrniero@yahoo.com.br  

São Caetano do Sul

*

COM O BURRO NA SOMBRA

Lula diz que "tá lascado". Ferrados estão os pobres. Lula está com o burro na sombra.

Devanir Amâncio

devaniramancio@hotmail.com  

São Paulo

*

LULA E AS DESCULPAS DE MORO

No dia em que os militantes reconhecerem sua própria miséria, não mais se alimentarão da ilusória felicidade movida à mortadela e tubaína lullopetistas.

A. Fernandes

standyball@hotmail.com  

São Paulo

*

INDULTO INJUSTIFICÁVEL

Existem inúmeras atitudes determinadas pela Justiça que, embora não sejamos juízes, ou seja, não temos o conhecimento que um magistrado deve ter para assumir um cargo de tanta relevância e importância, temos bom senso, critério, idoneidade e vivência suficiente para nos permitir poder avaliar determinadas atitudes absurdas e incoerentes que temos visto ocorrer em prejuízo de brasileiros trabalhadores, corretos, honestos e cumpridores de suas obrigações. Vamos só mencionar as mais recentes: o caso de Suzane von Richthofen, que confessou ter planejado o assassinato dos pais e, presa, se beneficia de uma saída temporária no Dia dos Pais (talvez para ir ao cemitério?) e, agora, também foi beneficiada no Dia das Crianças, quando a vimos deixar o presídio sorridente e alegre. Qual é o motivo desse privilégio, se nem filhos ela tem? Outro caso chocante e incompreensível é o de Anna Claudia Jatobá, também beneficiada numa saída temporária no Dia das Crianças, tendo ela comprovadamente se envolvido no assassinato de sua enteada, a pequena Isabella Nardoni. Quanto amor, consideração, compreensão e sentimento por estes assassinos, né não?

Angelo Tonelli

angelotonelli@yahoo.com.br  

São Paulo

*

SEM PERDER UM FERIADO

É interessante notar que o brasileiro não para de viajar nos feriados prolongados. Mesmo estando endividado, o povo lota as estradas, os aeroportos e as rodoviárias, procurando o tão desejado descanso. Atualmente, temos mais de 50 milhões de pessoas com o nome sujo no Serasa. São dívidas de cartões de crédito, cheques especiais e outros tipos de empréstimos. Os credores, que cobram juros exorbitantes, adoram ver os brasileiros se endividarem cada vez mais com hotéis, bebidas, combustíveis, roupas e todo tipo de lazer disponível.

José Carlos Saraiva da Costa

jcsdc@uol.com.br  

Belo Horizonte

*

AUMENTO DE IMPOSTOS

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, tem projeto para aumentar ainda mais a arrecadação de impostos. Ministro, será que o País aguenta?

Virgílio Mehado Passoni

mmpassoni@gmail.com  

Jandaia do Sul (PR)

*

UM NOBEL PARA PEDRO MALAN

Estou muito longe de ser simpático ao PSDB e a FHC, mas por dever de honestidade reputo ao economista brasileiro Pedro Malan a genialidade de ter sido o precursor vitorioso desta teoria econômica (Economia Comportamental) que agora deu um Prêmio Nobel ao americano Richard Thaler, mas que foi Pedro Malan a colocar em prática lá, em 1994, quando ministro da Fazenda de FHC. Foi Pedro Malan quem, corajosamente apostando exatamente nisto, na falha percepção racional do homem comum, enquanto fazia desaparecer da economia circulante uma moeda podre que nada comprava e por tabela produzia inflação, paralelamente, introduzia uma com poder real de compra e venda, coisa que pouco a pouco foi compreendida, "sentida", percebida e valorizada pela sociedade em sua prática simples na realidade do dia a dia. Foi quando uma casa voltou a ter o preço real de uma de uma casa, e não de um automóvel (que havia virado "moeda") ou do preço do pão, que continuava estável por meses, ao contrário do período anterior, quando todo dia subia e variava de preço. Não foi à toa que o nome escolhido para a nova moeda seria "real". Ouso dizer que por óbvio Pedro Malan não elaborou a teoria, mas de algum modo e maneira a testou na prática, antes mesmo de ela ser formulada, e, como tal, igualmente de algum modo e maneira, este prêmio em algum nível, também pertence a ele.

Paulo Boccato

pofboccato@yahoo.com.br  

Taquaritinga

*

A RENÚNCIA DE NUZMAN

A carta de renúncia de Carlos Arthur Nuzman à presidência do Comitê Olímpico Brasileiro (COB) foi redigida e assinada na cadeia pública da zona norte do Rio de Janeiro, onde o ex-todo-poderoso cartola esportivo está detido pela acusação de envolvimento em malfeitos e ilícitos relacionados à escolha da Cidade Maravilhosa como sede dos Jogos Olímpicos de 2016 e ocultação de patrimônio financeiro no exterior. Causa tristeza e profunda decepção assistir ao melancólico fim de um esportista que se tornou "respeitável" dirigente e foi responsável por um legado positivo, em que se destacam a realização do Pan de 2007 e a criação da Lei Piva, entre outras realizações. Lamentável e condenável.

J. S. Decol

decoljs@gmail.com  

São Paulo

*

OS REIS DO BRASIL

Exagero chamar Arthur Soares Filho o "Rei Arthur" somente porque chegou a ter R$ 3 bilhões em contratos com o Estado do Rio, por haver outros bem mais notáveis. Não faltam exemplos: o "Rei Carioca" Sérgio Cabral, que cobrava propina sobre qualquer gasto público naquele Estado; o "Rei Olímpico" Carlos Arthur Nuzman, que esqueceu 16 barras de ouro em armazém suíço; os reis da "Carne Fraca" Wesley e Joesley Batista, que após tudo o que aprontaram não resistiram a dar golpe baixo que abalou o mercado financeiro. Não podemos nos esquecer de Lula, rei absoluto das "almas honestas" brasileiras. O estrago causado por este último ao Brasil dispensa comentários!

Omar El Seoud

elseoud.usp@gmail.com  

São Paulo

*

NEYMAR

Não há dúvida de que Neymar é um dos maiores futebolistas da atualidade, mas sua ascensão deixa rastros negativos. Na milionária transferência do Santos para o Barça, sonegação fiscal; e do Barcelona para o PSG, outra encrenca envolvendo milhões de euros, questionados pelo craque e pelo clube catalão, a ser solucionada pela Justiça e pela Fifa. É muita celeuma para Neymar, cujo ganho diário é de R$ 307.440,00, o equivalente a 328 salários mínimos.

Humberto Schuwartz Soares

hs-soares@uol.com.br  

Vila Velha (ES)

*

POR QUE NEYMAR APANHA MUITO?

Depois do jogo do Brasil contra o Chile, pelas eliminatórias da Copa do Mundo da Rússia, num programa de esportes na TV os participantes comentaram a violência dos chilenos contra o jogador Neymar e que ele deveria ser o boleiro que mais apanha no mundo do futebol. Não é novidade, porque isso acontece em todas as partidas, mas nenhum perguntou por que toda essa violência contra ele. A resposta é simples: Neymar não respeita adversários! Basta comparar com Lionel Messi e Cristiano Ronaldo, que sofrem apenas faltas normais no futebol.

Laércio Zannini

spettro@uol.com.br  

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.