Fórum dos Leitores

.

O Estado de S.Paulo

15 Novembro 2017 | 03h04

FINANÇAS PÚBLICAS

‘Tesouro em perigo’

Excelente o editorial Tesouro em perigo (14/11, A3). Nós, eleitores, também gostaríamos de saber quantos e quais são os parlamentares que se preocupam com o nosso país. Pelas informações que recebemos diariamente da mídia, está difícil dizer se existe esse parlamentar, pois o que vemos constantemente é eles tentando destruir o pouco que ainda resta da nossa economia, oferecendo benesses aos amigos em troca de pixulecos. Nossos parlamentares não estão preocupados com o rumo da economia, pois em caso de fracasso e aumento do desemprego apenas o presidente da República é “apedrejado ou queimado” em praça pública. Sugiro ao Estado enfocar mais detalhadamente o dia a dia no Legislativo, quem votou a favor ou contra o Brasil. Quem sabe, assim, os parlamentares façam o seu trabalho com mais responsabilidade e ética, sabendo que os eleitores estão de olho neles.

MARIA CARMEN DEL BEL TUNES

carmen_tunes@yahoo.com.br

Americana

Muito pouco, quase nada

O magnífico editorial Tesouro em perigo termina com a seguinte questão: “Mas quantos parlamentares preocupam-se de fato com este país?”. Com certeza a resposta a essa pertinente indagação é: muito poucos, quase nenhum. Se feita a pergunta sobre quantos eleitores se preocupam de fato com este país, a resposta seria semelhante, dado que a maioria, infelizmente, é ignorante e sem a menor consciência cívica. Os eleitos só serão de melhor qualidade cívica e moral se vierem a ser mais elevados a qualidade e o civismo do eleitorado.

MÁRIO RUBENS COSTA

costamar31@terra.com.br

Campinas

Desesperante

Confesso desconhecer a fundo os corredores escuros, a lógica política de Brasília. Mas também me confesso particularmente desesperado e desesperançoso com o Congresso Nacional. Não bastasse termos o País quebrado, o que é facilmente visto a olho nu, os srs. congressistas, em vez de reformarem o Estado para torná-lo mais eficiente, um Estado que caiba no bolso dos contribuintes remanescentes (sim, porque só os desatentos ainda não entenderam que desempregados e empresas fechando e sem lucro deixam de pagar impostos), querem aumentar as despesas fixas do governo (aquelas que, uma vez postas, nunca mais desaparecem) em mais R$ 20 bilhões! A pseudológica só pode ser: salvar o Estado (leia-se votar uma reforma da Previdência para valer, entre outras) é suicídio eleitoral, quebrar o Estado é garantia de reeleição. Depois se espantam, incluída essa imprensa largamente esquerdota, com o surgimento de aventureiros demagogos e despreparados no cenário da eleição presidencial de 2018. Desesperante.

OSCAR THOMPSON

oscarthompson@hotmail.com

Santana de Parnaíba

Parlamentarismo

A pauta-bomba é um mecanismo de chantagem do presidencialismo de coalizão que provoca instabilidade na relação entre os Poderes e prejudica a governabilidade do País. Ocorre quando o Legislativo não se sente atendido pelo Executivo em suas reivindicações por cargos, verbas e ministérios. Como o mandato deles é fixo e não há possibilidade de trocar o governo ou de convocar eleição parlamentar, resta ao presidente ceder à chantagem ou partir para o enfrentamento institucional. Ninguém se responsabiliza pela formação de maioria parlamentar estável, o que só seria feito se houvesse o cargo de chefe do governo (primeiro-ministro).

LUIZ ROBERTO DA COSTA JR.

lrcostajr@uol.com.br

Campinas

Calote bolivariano

O Brasil vai reclamar ao Clube de Paris pelo calote venezuelano de US$ 262 milhões. Mais uma grande obra dos desgovernos do PT, além da cessão das refinarias da Petrobrás na Bolívia, do porto de Mariel, em Cuba, e vários outros “investimentos” no continente africano...

JOSÉ ROBERTO NIERO

jrniero@yahoo.com.br

São Caetano do Sul

VANDALISMO

Inaceitável duas vezes

É realmente inaceitável, como diz Roberto Rodrigues em artigo no Estadão de sábado, a deplorável ação de vândalos profissionais, com a complacência da polícia local, no dia 2, em Correntina (BA), na propriedade Rio Claro, da empresa agrícola Igarashi, altamente produtiva, destruindo tudo o que viam pela frente. Não se considerou que a empresa respeita todas as normas agrícolas e ambientais. Mais inaceitável ainda é a omissão do poder público, que até agora não pôs na cadeia todos esses vândalos profissionais e seus dirigentes, uma vez que há muitas fotos publicadas pela imprensa local enquanto realizavam as destruições. É a administração que o Brasil tem hoje.

RAUL S. MOREIRA, engenheiro agrônomo e pesquisador científico

raulmoreira@mpc.com.br

Campinas

Terrorismo

Até quando a massa de manobra liderada pelo MST e pelo MTST, inimigos declarados do Estado de Direito e da ordem democrática, continuará inimputável perante a lei, apesar de suas ações que beiram o terrorismo?

PAULO R. KHERLAKIAN

paulokherlakian@uol.com.br

São Paulo

Drone em Congonhas

Drone em espaço aéreo é crime bárbaro, visto que atenta contra vidas. Falta autoridade para caçar esses aparelhos bandidos e abatê-los com um tiro certeiro, condenando o irresponsável por crime hediondo, sob pena de continuarmos sendo frouxos e incapazes de manter a segurança necessária à tranquilidade dos cidadãos de bem.

WALTER ROSA DE OLIVEIRA

walterrosaoliveira@gmail.com

São Paulo

O Brasil derrotado por um brinquedinho, que vergonha! A Aeronáutica não teria uma aeronave para derrubar o tal drone? E no aeroporto não havia ninguém com armas para derrubá-lo? Assim, o melhor é pedirmos ao Paraguai que nos proteja!

JOÃO CARLOS ÂNGELI

j.angeli@terra.com.br

Santos

RODOVIA CASTELO BRANCO

Congestionamentos

A Artesp esclarece ao leitor sr. Ricardo Sproesser (13/11) que se encontra em análise a construção de marginais entre o km 23 e o km 32. O trecho que inclui a ponte a que o leitor se refere passou por adequação em 2007, que ampliou a capacidade de fluidez com a construção de mais uma faixa de rolamento.

NELSON NUNES, coordenador de imprensa da Agência Reguladora de Transporte do Estado

artespimprensa@artesp.sp.gov.br

São Paulo

“É isso mesmo, cantar, dançar e comemorar a impunidade concedida pela Justiça brasileira aos criminosos. Vergonha!”

RICARDO FIORAVANTE LORENZI / SÃO PAULO, SOBRE A FESTA NA CASA DO CONDENADO POR CORRUPÇÃO JOSÉ DIRCEU

ricardo.lorenzi@gmail.com

“Essa eu não sabia... O prédio da Assembleia Legislativa do Rio foi uma prisão no século 17.

Nada mais emblemático. Tradição é tradição!”

RICARDO C. SIQUEIRA / NITERÓI (RJ), SOBRE A OPERAÇÃO CADEIA VELHA DA POLÍCIA FEDERAL

ricardocsiqueira@globo.com

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

PROCLAMAÇÃO DA REPÚBLICA

Neste 15 de novembro, quando o Brasil vive a mais aguda e severa crise política, econômica, ética e moral de sua história, cabe, por oportuno, citar frase dita pelo marechal Deodoro da Fonseca em 1889: "Até ontem, a nossa missão era fundar a República; hoje, o nosso supremo dever perante a pátria e o mundo é conservá-la e engrandecê-la." Muda, Brasil!

J. S. Decol decoljs@gmail.com

São Paulo

*

15 DE NOVEMBRO

Neste feriado da Proclamação da República, vamos lembrar, uma vez mais, o duro golpe perpetrado contra o homem que colocou o Brasil no mundo, o melhor governante que o nosso país já conheceu.

Carlos E. Barros Rodrigues ceb.rodrigues@hotmail.com

São Paulo

*

OPERAÇÃO CADEIA VELHA

Vixe, o "amigo sem ser" do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes, Jacob Barata Filho, que foi posto em liberdade por um habeas corpus dado pelo ministro, foi preso novamente! Investigações concluíram que, mesmo após a deflagração da Operação Lava Jato, ele continuou distribuindo propina a políticos influentes no Rio de Janeiro. Será que esta nova prisão fará o ministro Gilmar Mendes, que atualmente não sai de Portugal, despachando e trabalhando por lá, retornar correndo ao País para conferir uma nova soltura ao "amigo sem ser"? A conferir.

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

*

PAI GILMAR 

Com a nova prisão temporária do corrupto Jacob Barata Filho, decretada pelo juiz federal do Rio de Janeiro, Marcelo Bretas, haverá, certamente, mais uma polêmica à vista. Ora, o ministro do STF Gilmar Mendes já soltou o amigo Jacob em outra oportunidade, e nem se deu por "suspeito" para tratar do caso - mesmo sendo padrinho na festança de casamento da filha do criminoso com o sobrinho de sua esposa Guiomar Mendes. Agora, com a nova ordem prisional, é só aguardar a posição do polêmico Gilmar, que também já interferiu, negativamente, quando o mesmo juiz determinou que o ex-governador do Rio de Janeiro e condenado várias vezes Sérgio Cabral fosse transferido para prisão de segurança máxima fora do Estado. Resta aguardar mais um "round" de "Pai Gilmar, que solta o bandido amado em um dia".

Júlio Roberto Ayres Brisola jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

*

PRENDE E SOLTA

Se a cada ação inconsiderada de soltura do afoito ministro Gilmar Mendes corresponder uma reação revisional conjunta mais minuciosa do Ministério Público, da Polícia Federal e da Receita Federal, a Operação Lava Jato acabará levando o ministro do STF ao ridículo.

Sergio S. de Oliveira ssoliveiramsm@gmail.com

Monte Santo de Minas (MG)

*

CORRUPÇÃO NO RIO

Operação Cadeia Velha, no Rio. A Lava Jato arrebentando de novo! Agora é a vez da família Picciani e seus associados. Enquanto os salários do funcionalismo público atrasavam, eles lesavam e roubavam. Todas as cadeias do mundo para estes políticos ladrões! E por que essa fase da Operação da Lava Jato se chama Cadeia Velha? Será cadeia velha de guerra? Cadeia velha conhecida? Cadeia velha de tanto esperar? Cadeia velha amiga? Cadeia velha, mas não tarda? Hum...

Elisabeth Migliavacca 

São Paulo

*

TERRA DAS QUADRILHAS

O Rio de Janeiro, realmente, é uma cidade maravilhosa, cheia de encantos mil e de tantos políticos e empresários extremamente habilidosos para montar suas especializadas quadrilhas - como faz o quadrilheiro Nem, da Rocinha - que chegam até a fazer inveja aos mais especializados quadrilheiros do mundo. Na Cidade Maravilhosa, as quadrilhas políticas contam até com governadores, deputados, presidente da Assembleia Legislativa, do Tribunal de Contas do Estado, grandes empresários, etc. vários presos e outros processados. Ninguém pode negar que isto é, hoje, o Rio de Janeiro.

Benone Augusto de Paiva benonepaiva@gmail.com

São Paulo

*

BOAS NOVAS

Atitude nobre do procurador-geral do Estado do Rio, Leonardo Espíndola, que classificou a indicação do deputado Edson Albertassi para o TCU como "totalmente inconstitucional". Perdeu o emprego, mas manteve a dignidade. Melhor ainda a ação da Polícia Federal visando à "assepsia" da Assembleia Legislativa do Rio. Quem sabe agora levem a cabo todas as outras denúncias e prisões sem as concessões de praxe. Complementaria a nota "É dia de reviravoltas na política" dizendo que é dia de esperança no Rio de Janeiro. A população carioca merece uma resposta à altura!

Ricardo C. Siqueira ricardocsiqueira@globo.com

Niterói (RJ)

*

DIRETORIA DA PF

 

Não são saudáveis as alterações no comando da Polícia Federal (PF), visto que foi de José Sarney e Eliseu Padilha a indicação de Fernando Segóvia, novo diretor-geral, com a anuência de importantes pessoas envolvidas e que almejam o fim da Operação Lava Jato. Ocorrem diversas outras substituições na PF e isso enfraquece, dificulta a assimilação e o entrosamento para dar celeridade ao que funcionava bem. Tais trocas tendem a prejudicar, no mínimo, retardar e literalmente contrariar a máxima de que "em time que está ganhando não se mexe".

Humberto Schuwartz Soares hs-soares@uol.com.br

Vila Velha (ES) 

*

O BRASIL NOS TRILHOS

O artigo "O Brasil voltou aos trilhos" (14/11, A2), da lavra de Michel Temer, é um resumo dos progressos que o Brasil vem atingindo, descrito em números e estatísticas após o País ser jogado na mais grave crise herdada pelos desgovernos lulopetistas em 13 anos de reinado, com uma recessão sem precedentes, que gerou 14 milhões de desempregados, a volta da inflação acima dos dois dígitos e uma corrupção oficializada que destroçou várias estatais, entre elas aquela que foi símbolo de orgulho dos brasileiros, a Petrobrás. Os percalços enfrentados pelo presidente não se restringiram a consertar o buraco herdado por Dilma Rousseff em vários setores essenciais ao País, mas em resistir contra as investidas sistemáticas do ex-procurador-geral Rodrigo Janot, que tinha como missão, antes de deixar o cargo, derrubar Temer da Presidência, usando um empresário e dois procuradores corruptos para consumar seu plano diabólico, preparando uma armadilha fatal que poderia pavimentar o caminho para a volta de Lula ao poder, mas que, ao final, se revelaram ineptas pela fragilidade das acusações. Agora, livre de pegadinhas e ameaças, resta a Michel Temer priorizar a aprovação das reformas necessárias para que País volte aos trilhos até 2018. Que todas as forças do País no Congresso Nacional aprovem sem mais perdas de tempo as medidas para colocar o País no caminho do progresso depois de uma paralização que durou 13 anos e rendeu grandes prejuízos ao Brasil.

Paulo R. Kherlakian paulokherlakian@uol.com.br

São Paulo 

*

APELO

A frase bem utilizada pelo presidente Michel Temer no título de seu artigo publicado pelo "Estadão" de 14 de novembro faz com que a maioria dos leitores lembrem com saudades o tempo em que o Brasil tinha uma boa e eficiente malha ferroviária de passageiros e de transporte de carga. Fica, aqui, um apelo ao sr. presidente da República: no final de seu governo, faça um esforço extra no sentido de  estabelecer medidas que melhorem o funcionamento de nossas esquecidas estradas de ferro.

                                                                                          

Paulo Espíndola Trani petrani32@hotmail.com

Campinas

*

REFORMA TRABALHISTA

Acertadamente, o editorial "Um presente para o Brasil" (11/11, A3) comemora a entrada em vigor da reforma trabalhista, mas se equivoca ao dizer que o fim do imposto (contribuição) sindical é outro grande progresso, porque os sindicatos, espertamente, como seria de esperar, rapidamente encontraram meios de não só torná-la ineficaz, como também aumentar seus ganhos. O primeiro e mais sórdido parte do notório Paulinho da Força, que manobra para que o Congresso Nacional aprove a obrigatoriedade do desconto de uma contribuição assistencial votada em assembleia, da qual só escaparão aqueles que a elas comparecerem e expressarem sua oposição ao desconto da tal contribuição, diga-se, muito superior ao extinto imposto, que também havia sido rebatizado com o eufemismo de "contribuição", obviamente para confundir. Os espertalhões sabem muito bem que dificilmente alguém terá tempo e disposição para ir às assembleias - especialmente aqueles integrantes de categorias com centenas de milhares de trabalhadores, caso em que nem sequer haveria espaço para reunir tanta gente - a fim de manifestar seu desejo de oposição ao desconto deste novo imposto substancialmente majorado. O segundo truque é simplesmente ignorar a lei, como faz o Sindificios de São Paulo, em cuja convenção coletiva aprovada em 27 de outubro consta que todos os trabalhadores da categoria, inclusive os não filiados, sofrerão descontos de 2% sobre o salário bruto nos meses de outubro e novembro de 2017 e de 1% em dezembro. Já em 2018 haverá descontos de 1% nos meses de janeiro, fevereiro, maio, junho, julho, agosto e setembro. Assim, no espaço de um ano, os trabalhadores empregados em edifícios sofrerão descontos que totalizam inacreditáveis 12% do valor equivalente ao de um salário mensal bruto!

Luiz Leitão da Cunha luizmleitao@gmail.com

São Paulo

*

JUSTIÇA APÓS A REFORMA

Os juízes do Trabalho, enfim, parecem mudar, depois de quase dois séculos de República injusta, dando ganho de causa apenas a empregados sem nem julgar a causa se justa ou não. Quantas empresas e indústrias fecharam por injustiça destes juízes apegados às regras comunistas? Parabéns à Justiça do Trabalho, bem-vinda ao mundo da justiça.

Roberto Moreira da Silva  rrobertoms@uol.com.br 

São Paulo

*

ECONOMIA AFETADA

Com o fim da contribuição sindical obrigatória, deverá ocorrer a extinção de cerca de 3 mil sindicatos e isso poderá causar um prejuízo enorme para nossa economia, que começa a dar sinais de plena recuperação, como, por exemplo, na indústria têxtil, que perderá grande fatia no mercado com a redução de cerca quase 100% na produção de camisetas vermelhas e bonés, como também nos produtores do pigmento vermelho. Também serão afetadas as gráficas especializadas em faixas e cartazes. Poderão fechar as portas também as fábricas de megafones e de mortadelas. Haverá queda substancial nos fretamentos de ônibus para caravanas e nas vendas de pneus usados, fósforos e gasolina. E o mercado terá de absorver e empregar os sindicalistas desempregados, sem práticas em atividades produtivas.   

Arcangelo Sforcin Filho arcangelosforcin@gmail.com

São Paulo

*

FIASCO NA PETROBRÁS

Os resultados consolidados do terceiro trimestre de 2017 da Petrobrás apresentam o endividamento bruto de R$ 359 bilhões. A companhia tem um patrimônio líquido de R$ 264 bilhões. A empresa importou 136 mil e exportou 554 mil barris de petróleo por dia. Ou seja, o Brasil gasta, anualmente, R$ 8 bilhões com importação de petróleo. A petroleira brasileira não apresenta a menor competitividade no mercado internacional. A situação da estatal é ridícula quando comparada com as grandes empresas de petróleo do mundo. A péssima administração da última década e também os bilionários esquemas de desvios de dinheiro transformaram a maior empresa brasileira no maior inconveniente financeiro do governo federal.

José Carlos Saraiva da Costa jcsdc@uol.com.br

Belo Horizonte

*

É FÁCIL PARA ELES

Petrobrás tem lucro liquido de R$ 266 milhões, 10% do esperado. A alegação por tal resultado ter ficado abaixo do esperado dizem ter sido por causa de R$ 3,3 bilhões com programas de regularização de débitos, contingências judiciais e baixas contábeis. Ou seja, resumindo, a conta deve sempre ser paga por nós, a população, que nada tivemos que ver com a corrupção implantada nos governos petelulistas que a dizimaram, escorcharam e destruíram. É muito simples para eles resolverem fazer caixa aumentando a receita: basta aumentar os preços dos combustíveis, como tem ocorrido nos últimos 30 dias, quando tivemos seis reajustes e fizeram com que o litro de gasolina ultrapassasse a média histórica de R$ 4. Né não?

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

SEUS PROBLEMAS ACABARAM

A polícia está na sua cola? A Procuradoria-Geral da República está te incomodando? Seus problemas acabaram! Faça como o presidente Temer: troque o chefe da Polícia, nomeio outro procurador-geral e viva tranquilo! Lula e José Dirceu devem estar morrendo de inveja da desenvoltura de Michel Temer e Eliseu Padilha. 

Mário Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo

*

A APOSENTADORIA DE DIRCEU

Conseguindo a pleiteada aposentadoria, o "guerreiro" José Dirceu receberá a comenda "BDB", Batoteiro do Dinheiro Brasileiro, no grau mestre, a mais alta indecência outorgada pelo Congresso Nacional.

A.Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

*

'ZÉ DIRCEU EM FESTA'

O convidado de honra para o samba de Dirceu ("Zé Dirceu em festa", "Estadão", 12/11) foi Gilmar Mendes. Declinou do convite por ter viagem marcada para a Europa para resolver assuntos extra-ofício. Samba, Brasil!

Carlos Alberto Roxo roxo.sete@gmail.com

São Paulo

*

'A FALÊNCIA DA POLÍTICA'

Aécio Neves (PSDB-MG), sem cerimônia, declarou que a falência da política explica candidaturas como a de Luciano Huck. Não é bem assim, na realidade. A falência da política se deve a políticos corruptos, recebedores contumazes de propinas e que pautam sua trajetória na vida pública fazendo politicalha e desprezando os verdadeiros interesses do Brasil. Por isso é que os eleitores procuram encontrar fórmulas milagrosas, a seu ver, para suprir a grave lacuna. Não há dúvidas sobre a responsabilidade da classe política com relação à grave situação nacional, cujos remédios exigem sacrifícios que os políticos, agora, jogam para o povo, enquanto continuam lutando pelos seus exclusivos interesses. Foi em situações similares que surgiram um Mussolini, um Hitler, um Fidel Castro e outros mais!

José C. de Carvalho Carneiro carneirojcc@uol.com.br

Rio Claro

*

HUCK CANDIDATO

"Huck candidato seria a falência da política." Como as praticadas pelo senador Aécio Neves, bem entendido.

Nilson Otávio de Oliveira noo@uol.com.br

Valinhos

*

CANDIDATOS MEDÍOCRES

Quando surge a informação da possibilidade de o apresentador Luciano Huck se candidatar à Presidência do Brasil, concluímos que estamos nos preparando para sermos cozidos no caldeirão por mais quatro anos. Pobre Brasil!

José A. Muller josealcidesmuller@hotmail.com

Avaré

*

MARCANDO TERRITÓRIO

Há muita e desnecessária celeuma em torno do possível desembarque do PSDB da base do governo Temer. Lideranças tucanas já afirmaram que não deixarão de apoiar as reformas e é evidente que o partido continuará a apoiar o atual governo, desembarcando ou não. O PSDB está apenas marcando território para viabilizar candidatura própria à Presidência da República.  

Luciano Harary lharary@hotmail.com

São Paulo

*

ELEIÇÕES 2018

A foto de Geraldo Alckmin e José Serra no "Estadão" de segunda-feira (13/11) é uma daquelas imagens que dizem mais do que mil palavras. Parece até que Serra estava pensando: "Combinamos que seria minha vez", ao ver Alckmin ovacionado como preferido ao Planalto para 2018.

Sérgio Eckermann Passos sepassos@yahoo.com.br

Porto Feliz 

*

NOVA RINHA

Para o conhecimento dos mais jovens, em 18 de maio de 1961 o ex-presidente Jânio Quadros assinou o decreto 50.620, que proibia a briga de galos, extensiva a outras espécies de animais. Mas lei? Ora, a lei! O presidente Temer (PMDB) e outros congressistas estão perplexos e nada podem fazer com a nova rinha, a "briga de tucanos", que só beneficiará a oposição.

Jose Millei millei.jose@gmail.com

São Paulo

*

SUPERFICIALIDADE

Notícia de ontem (14/11, "Estadão", A12) informa sobre a mais nova "preocupação" dos "responsáveis" pela educação no município de São Paulo, que não difere muito daquela que atinge os outros níveis de educação no País. O título da notícia é "SP vai pôr criatividade e empatia no currículo de escolas municipais". Até parece que incluindo no currículo disciplinas como "Pensamento Científico" e "Repertório Cultural" estarão resolvidos todos os problemas que a pífia educação brasileira apresenta. Essa atitude lembra a mesma daquele aristocrata que está preocupado com o papel de parede a aplicar e ao mármore que irá revestir o interior de sua mansão, enquanto sua dispensa, geladeira e guarda-roupas encontram-se vazios e sua conta bancária negativada. O que ele não percebe é que estará faminto, nu e falido em pouco tempo. Essa preocupação de nossos educadores (sic) é de uma superficialidade chocante, desanimadora. O que essas sumidades educacionais não perceberam ainda é que sua primeira preocupação deveria ser formar seres humanos civilizados, para só então se preocupar com conhecimentos acadêmicos. Não adianta ensinar temas científicos e culturais para animais selvagens. A primeira coisa que estes farão será trucidar e comer os professores. A prioridade deveria ser educação moral e cívica, em todos os anos do ensino fundamental, matéria diária obrigatória com progressão anual condicionada à aprovação ao final de cada período. Só melhorando a qualidade do elemento humano nacional é que poderemos progredir nos demais quesitos. Caso contrário vamos continuar "enxugando gelo" em matéria de educação.

José Claudio Marmo Rizzo jcmrizzo@uol.com.br

São Paulo

*

HABILIDADES SOCIOEMOCIONAIS

Meus entusiásticos e emocionados parabéns à Secretaria Municipal de Educação pela implantação nas escolas públicas em 2018 do currículo que contemplará habilidades socioemocionais. Isso é progresso, isso é fazer parte dos países desenvolvidos.

Sandra Maria Gonçalves sandgon@terra.com.br

São Paulo

*

LEI DO SILÊNCIO

Após mudança nas regras de fiscalização, a prefeitura do Rio de Janeiro só tem cinco agentes para fazer cumprir a lei do silêncio. Então como vai se cumprir a lei, se não há fiscais? Vai-se reclamar a quem? Neste país, deliberadamente, não há fiscais. Aí os infratores fazem o que querem. Demitem fiscais, não contratam, então de que servem as leis, se não há quem as fiscalize?

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

*

DESORDEM SONORA

Há, na cidade de São Paulo, um Programa de Silêncio Urbano (Psiu), regido pela Lei Municipal 16.402/16. Ela normatiza a proibição de emissão de ruídos, produzidos por quaisquer meios. Na primeira infração, a multa é de R$ 10 mil e intimação para cessar de imediato o ruído; na segunda, o valor dobra e, na terceira, triplica, além do fechamento administrativo do estabelecimento infrator. Existe uma participação conjunta da Polícia Militar, da Guarda Municipal, da Vigilância Sanitária e da Companhia Estadual de Trânsito. As denúncias são feitas pelo telefone 156, e os dados do comunicante são mantidos em sigilo, para evitar represálias. Em 2015 a Prefeitura arrecadou R$ 24,7 milhões relativos às multas aplicadas, e parte foi destinada para as escolas municipais, com o intuito de ensinar as crianças de que os seus direitos terminam quando se inicia o do  próximo. É inadmissível que numa sociedade civilizada uma minoria prejudique o descanso noturno daqueles que necessitam de acordar cedo para trabalhar, bem como a saúde daqueles que estão acamados.

Luiz Felipe Schittini fschittini@gmail.com

Rio de Janeiro

*

LIDERANÇA BRASILEIRA

Os EUA são a maior potência mundial, a China tem a maior população, a Rússia é um dos países mais frios do mundo, o Brasil tem mais bois do que gente e é o recordista mundial de desvio de verbas públicas, tem o maior número de políticos e administradores públicos envolvidos em maracutaias e, mesmo assim, ainda não quebrou. Entorta, enverga, mas não quebra. Em 2018, nas eleições, teremos um cabo de guerra entre a extrema esquerda e a extrema direita, uma guerra em que todos perdem, principalmente a população que não tem nada com isso, apenas é obrigada a escolher entre o ruim e o péssimo, já que no partido de centro, o PSDB, o ponto de equilíbrio em 2018 está se desmanchando - ainda é tempo de salvá-lo escolhendo apenas um líder. Hoje só se ouve ali o pronome "eu"; o "nós" está tão distante no partido quanto no dicionário. Infelizmente, no Brasil, a cidade do Rio de Janeiro bate todos os recordes mundiais de violência, perdendo até para Medellín na época de Pablo Escobar. Vive uma guerra urbana insana e assustadora e está falida porque roubaram demais. Mais recordes? Mais celular do que gente e o transporte público mais silencioso do mundo - "nóis" tá tudo conectado!

Luiz Ress Erdei gzero@zipmail.com.br

Osasco

 

 

Mais conteúdo sobre:
Fórum dos Leitores Estadão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.