Fórum dos Leitores

.

O Estado de S.Paulo

09 Dezembro 2017 | 03h08

TUCANATO

Que decadência...

Diz o sr. Alberto Goldman que “grande número ainda está vacilando, não tendo certeza da necessidade das mudanças” (7/12, B5) – o presidente provisório do PSDB referia-se à posição dos deputados federais do partido quanto à votação das reformas, em especial a da Previdência. Como o PSDB caiu em decadência! Nem seu presidente sabe o que se passa entre seus liderados, uma falta de liderança vergonhosa. Cadê a capacidade de convencimento desse presidente? Sempre votei no PSDB, mas agora me sinto envergonhado, considerando a dança das cadeiras e indecisões que só enfraqueceram a sigla. Esses deputados deviam ter hombridade e responsabilidade com o Brasil, sabedores que são da extrema necessidade e urgência das reformas. Devem votar para aprová-las, e não ficar fazendo essa politicagem. Podem, sim, não vir a ser reeleitos, pelo mau uso do mandato que o povo lhes deu. Bem feito. Aguardem.

UBIRATAN DE OLIVEIRA

uboss20@yahoo.com.br

São Paulo

Inacreditável!

Custa a crer que o PSDB seja ambivalente quanto à reforma da Previdência e não tome posição maciçamente favorável à sua aprovação. Não há explicação que justifique essa atitude dúbia. O PSDB sempre foi um partido de eleitores mais esclarecidos, que encontravam em seu ideário a defesa de posições voltadas para o desenvolvimento do Brasil. Foi o partido que nos deu o Plano Real e abrigou os mais brilhantes economistas, sociólogos e intelectuais de peso. Foi o partido que nos deu o mais reformador presidente da República, Fernando Henrique Cardoso, que pôs o Brasil em posição internacional respeitável e nos tirou do estereótipo de país atrasado e subdesenvolvido. E que perdeu por apenas um voto a sua reforma da Previdência. Agora, no entanto, para decepção de seus eleitores mais antenados com os tempos atuais, o PSDB nega-se a assumir posição a favor de uma reforma que os tucanos, mais do que ninguém, sabem que será a nossa possibilidade de inaugurar uma nova fase de progresso e desenvolvimento, de saneamento e recuperação desta tão maltratada Nação, que esteve a ponto de explodir em mãos tresloucadas que nos conduziram ao desvario, ao retrocesso e à destruição da herança bendita deixada por FHC, como um tesouro jogado no lixo. Tomem tento, senhores, abram os olhos e votem unidos a favor de uma reforma que não é de um governo ou de um partido, mas do povo brasileiro, que precisa e merece sonhar com um Brasil melhor, cheio de perspectivas de prosperidade e com uma economia sustentável, que será percebida como séria e confiável para receber investimentos. Os contrários à reforma não querem o bem do povo, mas apenas algo tão pequeno e egoísta como transitar em meio ao sofrimento para dele tirar proveito. É a única explicação.

ELIANA FRANÇA LEME

efleme@gmail.com

Campinas

Insegurança

Os peessedebistas de origem devem ainda lembrar-se dos motivos por que saíram do PMDB e criaram o PSDB. Ao fazer isso, acreditavam que deixavam algo para trás e iriam representar nova e boa política no Brasil. Eis que, agora, são surpreendidos pelas ações do presidente Michel Temer, que chegou de forma inesperada ao poder, executando uma a uma as diretrizes que eles tanto propunham. Ao mesmo tempo, aparecem à superfície grandes malfeitos de alguns próceres do PMDB, um partido que, obviamente, é muito heterogêneo. Aí vem a dúvida dos peessedebistas: ficam juntos ou não? Nesta hora, para o bem do País, seria melhor que aceitassem a heterogeneidade do PMDB e se aliassem à parte boa, trabalhando em conjunto com ela, não a abandonando. Homens de bem, apareçam e unam-se.

WILSON SCARPELLI

wiscar@terra.com.br

Cotia

PSDB em frangalhos

Sem rumo e sem direção, o PSDB está em franco processo de suicídio coletivo. Nem bem Geraldo Alckmin foi anunciado para presidente nacional do partido e uma ala denominada “Esquerda Pra Valer” realizou o evento “Manifesto de Convergência pela Democracia e Direitos Humanos”, com a presença de figuras como FHC, José Aníbal, José Serra, José Gregori, além de representantes de outras siglas, como Arnaldo Jardim (PPS), Eduardo Jorge (PV) e Andrea Matarazzo (PSD). Já que esse grupo se diz “Esquerda Pra Valer”, que rume para o PT, o PSOL ou a Rede, não fique parasitando e contaminando um partido que se declara de centro. Sempre votei no PSDB, mas minha decepção só vem aumentando e acho que se Alckmin for mesmo o candidato tucano à Presidência da República vai perder a eleição tão somente por causa do próprio PSDB, que prefere dar a vitória a um partido adversário, e não a um adversário dentro da própria legenda. Mais uma vez o PSDB terá o melhor nome e o pior grupo.

DAVID BATISTA DO NASCIMENTO

davidbatistadonascimento@hotmail.com

Itapetininga

Fundo Partidário

Choro ao ver meu dinheiro sendo usado para bancar passagem e hospedagem de 200 pessoas a fim de participarem em Brasília da eleição do presidente de seu partido! Os partidos deveriam sobreviver com a contribuição de seus filiados e apoiadores, não com o fruto do suor de todos os brasileiros. Fundo Partidário me envergonha!

SANDRA MARIA GONÇALVES

sandgon@terra.com.br

São Paulo

CORRUPÇÃO

Universidades federais

Tivemos neste semestre algumas notícias sobre desvios de dinheiro em universidades federais – de Minas Gerais, Santa Catarina, Bahia, Pernambuco... –, que teriam sido perpetrados por membros do próprio corpo docente. Acho que essa era a última fronteira da corrupção e bandalheira no Brasil. Petistas disfarçados roubando estudantes e a sociedade, uma vergonha! E cientistas se queixam de que o governo cortou verbas para pesquisa...

ANDRÉ LUIS COUTINHO

arcouti@uol.com.br

Campinas

ORIENTE MÉDIO

Israel x palestinos

Sempre prezei pela qualidade do jornalismo do Estadão e por matérias baseadas em fatos, ao invés de publicações tendenciosas. Por isso me causou espanto e choque o que li ontem na primeira página do meu jornal: que Israel atacou Gaza! Dá a impressão, errada, de que Israel está iniciando uma agressão aos palestinos. Isso incita o ódio, e não o diálogo, à população judaica brasileira. Quem está, na realidade, atuando é a polícia, contendo protestos próximos à fronteira com o uso de medidas de contenção não letais, como gás lacrimogêneo. Não há aviões bombardeando posições do Hamas!

FLAVIO TORRES

flaviolom@yahoo.co.uk

Sunningdale, Berkshire, Reino Unido

“O presidente Michel Temer precisa ficar atento, porque, pelo visto, os tucanos vão sair em revoada”

VIRGÍLIO MELHADO PASSONI / JANDAIA DO SUL (PR), SOBRE O APOIO ÀS REFORMAS 

mmpassoni@gmail.com

“Se Geraldo Alckmin conseguir unir o PSDB e fechar questão para votação a favor da reforma da Previdência,

ele terá o meu voto”

LUIZ FRID / SÃO PAULO, SOBRE O CANDIDATO TUCANO AO PALÁCIO DO PLANALTO

luiz.frid@globomail.com

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

PROTESTO NO RIO

A manifestação no Rio de Janeiro, ontem, em frente à sede da Petrobrás contra a presença do juiz Sérgio Moro no 4.º Evento "Petrobrás em Compliance" e do presidente da petroleira, Pedro Parente, ato encabeçado pela Federação Única dos Petroleiros (FUP) e pela Central Única dos Trabalhadores (CUT), só tem uma explicação: a perda da bilionária contribuição sindical obrigatória. Moro prendeu e desmascarou corruptos até então intocáveis e Pedro Parente está ressuscitando a Petrobrás.

Humberto Schuwartz Soares hs-soares@uol.com.br

Vila Velha (ES)

*

PELA RECUPERAÇÃO DA PETROBRÁS

Proponho que a Petrobrás mande fazer uma placa comemorativa em homenagem à Polícia Federal, aos promotores da Operação Lava Jato e aos juízes que trabalharam nos processos que permitiram à empresa recuperar a expressiva soma de R$ 1,4 bilhão do que foi desviado pelas organizações criminosas que assolaram e ainda assolam nosso país. Que nesta placa também seja homenageado o povo trabalhador do Brasil, que sempre apoiou e sempre apoiará o processo que ficou conhecido como Lava Jato. Tal placa deverá ser colocada no saguão do prédio principal da estatal, para que todos os diretores, funcionários e empreiteiros jamais se esqueçam desta tragédia que assolou aquela que já foi um orgulho do nosso país.

Níveo Aurélio Villa niveoavilla@terra.com.br

Atibaia

*

ESPECIFICAMENTE

Quando as autoridades informaram a quantidade de dinheiro recuperada para a Petrobrás, não deveriam informar também de que forma foi feita essa recuperação? Qual a origem desse dinheiro recuperado?

                                                                                                                                                                                                           Carlos A. Silveira silvercharles@uol.com.br

Boa Esperança (MG)

*

SERVIDORES CORRUPTOS

Já faz alguns anos que lemos todos os dias nos jornais notícias sobre desvios de dinheiro em órgãos públicos e estatais. Vemos isso nas três esferas da administração: municipal, estadual e federal. Não há como haver desvio de dinheiro da população sem um trabalho de servidores públicos. Mas vemos somente nomes de políticos e empresários. Quando os servidores corruptos e ladrões serão punidos? Temos 10 milhões de servidores no País. Até quando vamos carregar esta turma que há tempos virou-se de costas para a sociedade e o País?

  

André Luis Coutinho arcouti@uol.com.br

Campinas

*

UMA CHAPA PARA 2018

Lula e Aécio Neves estão disputando o título de alma mais honesta do universo. Lula garante que nunca ouviu falar de nenhum dos tantos petistas presos, não é dono de sítio nem de um apartamento na praia, tudo mentira, inveja daqueles que não se conformam de ver pobre andando de avião. Aécio, por sua vez, jura que o dinheiro que ele pediu e recebeu do corrupto preso Joesley Batista não era propina, seria usado para comprar uma casa para sua mãe doente ou algo assim. Os dois homens mais honestos do Brasil deveriam se unir e lançar uma chapa para a Presidência da República: Lula presidente e Aécio vice. Vale tudo para ficar fora da cadeia. 

Mário Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo

*

CINISMO, DEMAGOGIA OU DESESPERO?

Ao longo de sua caravana pelo Rio de Janeiro, em plena campanha para o Planalto em 2018, sob a escancarada omissão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o ex-presidente Lula da Silva tem postado inúmeros textos em sua página no Twitter @LulapeloBrasil. São verdadeiros esquetes de uma ópera-bufa. Entre as "pérolas", uma foi colocada no dia 7/12, às 14h50, quando de sua passagem por Maricá. Eu a reproduzo "ipsis litteris", mas com o receio de provocar surtos incontroláveis de gargalhadas, ou crises de vômitos, diante de tamanha aberração: "Não pensem que eu sou contra a Lava Jato. Quem roubou tem de ser preso. Mas não pode confundir o ladrão com o funcionário da empresa. Eles estão deixando os ladrões soltos e com vidas de nababo, porque fazem delação, enquanto os trabalhadores perdem o emprego".

 

Luís Lago luis_lago1990@outlook.com

São Paulo

*

SOBRIEDADE

Em raríssimo momento de lucidez e sobriedade, Lula disse com todas as letras que "ladrão tem de ir para a cadeia". O que a Justiça está esperando para prender "o cara"?

J. S. Decol decoljs@gmail.com

São Paulo

*

ATÉ QUANDO?

Até quando vamos ter de conviver com a desfaçatez do boquirroto? Não suporto mais as manifestações de um indivíduo que infelicitou o País por mais de 13 anos e que se declara "a viva alma mais honesta deste país". Além do mais, confronta a Justiça que o julgou criminoso com base nas investigações de agentes públicos insuspeitos e que cumprem com seu dever funcional. Aliás, investigações que somente corroboram sua participação inconteste nos malfeitos que infelicitaram este país e deixaram um rastro de 13 milhões de desempregados, seu autêntico legado. Digo corroboram porque, ao declarar-se traído quando o mensalão veio à tona, deveria ter tomado as providências inerentes às funções de um atento agente público, principalmente um presidente da República. No entanto, o que se viu foi a continuação da roubalheira, agora no "petrolão", nascida e praticada sob suas barbas. Isso se chama prevaricação e é crime funcional. Para completar, hoje uma auditoria do Tribunal de Contas da União responsabiliza Lula pelo prejuízo de R$ 1,3 bilhão causado à Petrobrás ao liberar, em 2010, repasse para empreendimentos com graves irregularidades.  E ainda há brasileiros (brasileiros?) que o querem na Presidência da República!  

 

Antonio C. Gomes da Silva acarlosgs@uol.com.br

São Paulo

*

TROMBADINHA

"Lava Jato não pode fazer o que está fazendo com o Rio", disse Lula. A Operação Lava Jato só existe porque o PT, em quase 14 anos de desgoverno, quebrou o Rio de Janeiro, o País todo e várias estatais. Parece trombadinha: bate a carteira e sai gritando "pega ladrão!".

José Roberto Niero jrniero@yahoo.com.br

São Caetano do Sul

*

SÉRGIO CABRAL

O ex-governador do Rio de Janeiro e atual presidiário Sérgio Cabral, de maneira novamente displicente para quem está sendo ouvido por um juiz federal, lembrou o antigo e famoso bordão "rouba, mas faz", mencionando nominalmente o falecido ex-governador paulista Adhemar de Barros. Se houver alguma verdade nessa expressão popular da época, que justiça seja feita e Cabral seja lembrado pelo significado exatamente oposto: rouba e NÃO faz. E como rouba!

Antonio C. de S. Queiroz Cardoso acardoso@acardoso.com

São Paulo

*

O ANEL DE 220 MIL EUROS

O Estádio de Wembley nunca sofreu reformas. Após muitos anos, ele foi implodido, construíram em seu lugar um belíssimo e invejável estádio, 50% mais barato do que o estádio de Brasília, usado atualmente para casamentos e outras insignificâncias, menos futebol. Nas inúmeras reformas feitas no Maracanã, que foi totalmente desfigurado, imaginem quantos anéis as construtoras não deram para as ex-primeiras-damas. 

Ariovaldo J. Geraissate ari.bebidas@terra.com.br

São Paulo

*

O CRIME NO RIO DE JANEIRO

Quem é mais bandido, o traficante Rogério 157, preso esta semana, ou Sérgio Cabral?

 

Robert Haller robelisa1@terra.com.br

São Paulo

*

A REVOLUÇÃO DOS BICHOS

Por mais que as autoridades responsáveis insistam em classificá-la como detalhe de menor importância, a divulgação nas redes sociais de fotos "selfie" mostrando policiais sorridentes e até maquiados ao lado do marginal Rogério 157, que acabara de ser capturado e também posou e sorriu para as fotos, desperta perplexidade no espírito do contribuinte e traz à memória a cena final da parábola satírica "A Revolução dos Bichos", do inglês George Orwell, quando porcos dominadores e humanos dividem uma mesa de banquete e se tornam indistinguíveis.

Paulo Roberto Gotaç pgotac@gmail.com

Rio de Janeiro

*

LAMENTÁVEL

A mídia explorou as fotos selfies tiradas com o abominável Rogério 157. Um absurdo porque, com isso, só valorizou a figura deste marginal. Em vez disso, a mídia deveria publicar suas fotos em diversas posições, mostrando possíveis tatuagens e cicatrizes, o que facilitaria num futuro sua próxima prisão, após a soltura do "157", por meio de habeas corpus, pelo detestável Gilmar Mendes, o que já é aguardado.

Roberto Hungria cardosohungria@gmail.com

Itapetininga

*

IMORAL

As selfies de policiais com o bandido Rogério 157, preso esta semana no Rio de Janeiro, depõem contra a moral da polícia e dão importância e palanque ao criminoso. A reportagem que trata de sua captura é compreensível, mas os sorrisos que aparecem nas primeiras páginas dos jornais são um acinte, uma agressão à população, e estimulam os jovens que já estão se encaminhando para o crime a sentirem mais vontade de seguirem por este caminho. Lamento a atitude dos policiais. 

Mário N. Borgonovi marionegrao.borgonovi@gmail.com

Rio de Janeiro

*

DEMONSTRAÇÃO DE FORÇA

A falta de comando no Rio de Janeiro, aliada à roubalheira e aos maus exemplos diários, tem promovido um grande festival de absurdos. Já não bastava a prisão de praticamente algumas das principais autoridades do Estado, até a Polícia Civil - pelo menos uma parte dela - deu demonstração de que pode fazer o que lhe vem na telha. Tirar selfie com um dos principais ícones da criminalidade do Estado, mesmo que "inocentemente", sem medir consequências, pode ter sido a gota d'água de que está tudo errado e tem de haver uma forte intervenção nas forças de segurança. Quem sabe não é hora de as Forças Armadas, sob o comando de militares (pode dar certo um ministro mais perdido que cego em tiroteio?), assumirem o comando na segurança pública e colocarem ordem e progresso na casa? Não, necessariamente, derrubando governos, tampouco intervindo nas leis que garantem uma estabilidade democrática, mas mostrando quem manda e fez o juramento de garantir a ordem institucional e nosso direito de ir e vir e à vida. E, junto dos agentes representados pela banda boa das polícias - a maioria, é bem verdade -, pois a união sempre faz a força, partirem para cima dos bandidos e canalhas (maus políticos e homens de toga, inclusive) e extirparem todos os tipos de câncer que vêm destruindo o Estado e a Nação. Quem sabe não é hora de a população começar a se mobilizar para mudar o que aí está, começando a escolher melhor seus representantes?

João Direnna joao_direnna@hotmail.com

Quissamã (RJ)

*

A RENÚNCIA DE TIRIRICA

Francisco Everardo Oliveira Silva, mais conhecido como Tiririca e autor da música "Florentina", subiu na tribuna da Câmara dos Deputados e se pronunciou pela primeira vez, após sete anos de trabalho no Congresso. Tiririca demorou muito tempo para falar que se sente envergonhado e que pretende abandonar a política. Será que somente agora o deputado federal mais votado nas eleições de 2010 percebeu que a maioria de seus companheiros de profissão não pode andar de cabeça erguida pelas ruas de todo o País? Tiririca disse que ganha bem e tem muitas mordomias, mas está muito chateado e triste. Nestes 84 meses de trabalho, o palhaço não conseguiu fazer nada de bom para os milhares de eleitores que o colocaram dentro da Casa parlamentar.

José Carlos Saraiva da Costa jcsdc@uol.com.br

Belo Horizonte

*

SETE LONGOS ANOS

A manifestação do nobre deputado Tiririca, na tribuna da Câmara, foi chocante. Entretanto, sua excelência, no seu primeiro mandato, afirmou estar decepcionado com o que viu naquela Casa. Descartava candidatar-se à reeleição. Mas a "mosca azul" havia deixado nele seu irresistível veneno. Ele (o veneno) o fez reformular a decisão, candidatou-se e foi reeleito. Uma questão, a meu ver, fica estranha em tudo isso. Caro deputado, o senhor (se é que não vai tentar novo mandato) demorou sete longos anos para "confirmar" o que presenciou no primeiro ano de seu mandato? Aí não, Tiririca! Decepcionados estamos nós!

José Perin Garcia jperin@uol.com.br

Santo André 

*

DISCURSO DE RENÚNCIA

Tiririca não é diferente dos deputados que ele criticou. Com certeza, voltou atrás para não perder a aposentadoria com oito anos de mandato (privilégio dos parlamentares). Certamente, foi avisado de que perderia o direito se parasse de legislar naquele momento. Tenho quase certeza de que a única diferença entre Tiririca e os demais é o uso do SUS para o atendimento da mãe. Chafurdou como os outros chafurdaram. Pobre, Brasil!

Leônidas Marques leo.marquesvr@gmail.com

Volta Redonda (RJ)

*

PROCESSADOR LENTO

Belo discurso, deputado Tiririca. Mas levou sete anos para se desapontar e chegar à conclusão que chegou? Desculpe-me, mas o seu processador está muito lento. Nem precisa se eleger para constatar o que disse. O que há realmente por trás deste discurso? Acredita piamente que acreditamos, pelo menos eu, neste discurso?

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro 

*

VAI TARDE

O deputado Tiririca diz que acaba o mandato desapontado e envergonhado. Só os milhares de tolos que votaram nele, por rigorosa estupidez e protesto idiota, pensaram que Tiririca seria um bom e atento parlamentar, cumpridor de seus deveres.  Envergonhado com o papelão e a inutilidade de Tiririca está o cidadão que ganha miséria e esperava que o humorista pelo menos se esforçasse em produzir algo de positivo em benefício da coletividade, tornando-se, quem sabe, eficiente representante dos mais carentes e necessitados. Já vai tarde, Tiririca.

Vicente Limongi Netto limonginetto@hotmail.com

Brasília

*

PUXADOR DE VOTOS

Aqueles eleitores que votaram em Tiririca sabiam que seu voto de protesto (mais de 1 milhão) elegeu o palhaço e mais três ou quatro deputados em quem jamais pensariam em votar. O chateado deputado Tiririca desistirá da aposentadoria de deputado?

Laércio Zannini spettro@uol.com.br

São Paulo

*

DEPLORÁVEL

Até o Tiririca acha deploráveis o nível dos políticos brasileiros e suas palhaçadas!

Omar El Seoud elseoud.usp@gmail.com

São Paulo

*

TIRIRICA E UMA NOVA POLÍTICA

O ex-deputado Tiririca é um grande brasileiro! Fico emocionado por homenageá-lo por meio deste veículo. Um brasileiro comum, de pouca ou nenhuma instrução, com enorme potencial para tornar-se milionário pela política (sem precisar extorquir ninguém), abriu mão de tudo por princípios que seus colegas de Congresso não têm. Seja feliz, Tiririca, você terá sempre um lugar no meu coração. Você é o marco de uma nova era para o nosso Brasil. 

Luiz Almada de Alencar Barros almadabarros@terra.com.br

São Paulo

*

O ETERNO PAÍS DO FUTURO

O tititi que se fez em torno do discurso deste senhor (Tiririca, que, presunçoso, se apresenta na categoria dos palhaços) só contribuiu para me aproximar do grupo de pessoas que são pessimistas com o nosso eterno país do futuro. Parece que o fundo do poço, aqui, estará sempre um pouco mais para baixo!

Helio Alves Ferreira hafstruct@hotmail.com

Osasco 

*

'A DIFÍCIL ARTE DE GOVERNAR'

O editorial de quinta-feira (7/12, A3) do "Estadão", sob o título acima, explanou muito bem as atitudes do prefeito de São Paulo, razão pela qual ele recebeu um porcentual significativo de reprovação da população paulistana. Afinal, a capital paulista é a maior cidade do Brasil, e, se o seu prefeito conseguiu se eleger na base de uma propaganda esperta, não pode governar da mesma maneira. Mais uma vez ele culpou o seu antecessor pelo seu fraco desempenho, alegando orçamento insuficiente. O editorial, porém, desmente tal afirmação, informando que o prefeito utilizou apenas 56% da verba prevista para a manutenção do sistema de drenagem, por exemplo, de suma importância em vista das enchentes que castigam a população paulistana. Não adianta ele fazer circular nos canais de televisão propaganda enaltecendo o seu programa "diuturno" de renovação do asfalto da cidade - aliás, com uma mensagem capciosa, porque renovação do asfalto da cidade é obrigação rotineira, e não motivo de veicular propaganda nos canais de TV, muito menos depois das reportagens exibidas nas emissoras de televisão sobre a buraqueira na cidade. Seria interessante se fosse informado quem está bancando a referida propaganda. A verdade é que o prefeito entusiasmou-se com a sua vitória nas eleições de 2016 e partiu de imediato para uma campanha antecipada visando à Presidência da República. Lembrou-me "o sujeito que acaba de subir em um ônibus e já quer sentar ao lado da janelinha". O prefeito não cansou de dizer que o particular faz melhor que o público. Mas a administração pública tem peculiaridades absolutamente necessárias, por tratar da coisa pública. Um gestor público não pode descuidar de suas obrigações e muito menos querer administrar à distância, como alegou sobre as suas viagens, aproveitando a tecnologia existente.  

Gilberto Pacini benetazzos@bol.com.br

São Paulo

*

CENÁRIO CONFUSO

No Brasil, a arte de governar está, aos poucos, ficando impossível de ser exercida, tantas as exigências e trocas que são pedidas à autoridade maior do Poder Executivo. E tudo indica que as grandes dificuldades encontradas em 2017 também estarão presentes em 2018, qualquer que seja o presidente da República eleito. Os cofres da República não podem nem devem ser abertos, mas os eleitos do Poder Legislativo (cuja composição terá pouca diferença da atual) exigirão e coagirão pelas trocas. Não podendo contar os brasileiros com um STF exibidor de coerência e de disciplina nas decisões, não podemos contar também com bons dias para o próximo ano e com mandatos de representatividade voltados primeiramente aos interesses da Pátria. Então, como poderemos contar com progresso e desenvolvimento? Quem investirá em cenário confuso?

José C. de Carvalho Carneiro carneirojc@ig.com.br

Rio Claro 

*

PREFEITO NOTA ZERO

Nada diferente dos seus antecessores, o prefeito João Doria, que se diz gestor, nunca inaugurou uma galeria sequer daquelas subterrâneas, que não se veem e, obviamente, não dão votos. O lixo tomou conta das calçadas da periferia, o asfalto está destruído. E, quanto às enchentes, nem precisa chover muito, basta trovejar para que as inundações aconteçam. E pensar que Doria pretendia ser presidente em 2018... Acho bom o prefeito imitar o deputado Tiririca: renunciar e fazer estágio em algum prédio como síndico.

Arnaldo de Almeida Dotoli arnaldodotoli@uol.com.br

São Paulo

*

O CACHORRO E O OSSO

A ambição de João Dória fez-me lembrar a história de um cachorro que tinha um belo osso na boca e, ao mirar-se no lago, achou que o osso refletido fosse maior que o seu. Abriu a boca para abocanhá-lo e perdeu o osso que tinha.

José Olinto Olivotto Soares jolintoos@gmail.com

Bragança Paulista

*

INSPEÇÃO VEICULAR

Excelente a matéria da jornalista Giovana Girardi, no "Estadão" de 5/12 sobre a poluição na cidade de São Paulo ("Respirar ar de São Paulo por 2 horas no trânsito é igual a fumar um cigarro"). Ela deve servir como um alerta a todos nós, em especial ao senhor prefeito João Doria e ao senhor governador Geraldo Alckmin, para que a inspeção veicular seja implementada com urgência, para controlar os efeitos da poluição na saúde das pessoas, bem como executar um projeto de arborização e criação de parques para melhorar a saúde pública, beneficiando especialmente crianças e idosos.

Idérito Miguel Caldeira iderito@gmail.com

São Paulo

*

IDEOLOGIA DE GÊNERO E RELIGIÃO?

Soube por meio do noticiário de TV que o Ministério da Educação quer introduzir a disciplina Religião como matéria obrigatória nas escolas públicas - o que por si só é um absurdo, haja vista que religião é um assunto a ser desenvolvido no seio da família -, mas o detalhe mais grave é que no conteúdo desta disciplina estarão enxertados temas relativos à sexualidade e à ideologia de gênero. Como explicar esta imposição absurda que mais parece um quadrado a querer ser inserido num círculo? A ideologia de gênero prega que a identidade sexual de uma pessoa é construída a partir de experiências sociais, afetivas e culturais e nada tem que ver com a sua constituição biológica, portanto ser homem ou mulher é uma escolha pessoal de cada um. Usando como pretexto combater a discriminação contra as minorias, o MEC pretende, astutamente, introduzir a discussão destes temas dentro da disciplina Religião! Na verdade, a insistência em impor ideologia de gênero nas escolas é para que se possa usá-la como arma de combate aos valores ditos "burgueses", que têm na família seu pilar mestre. Temos de nos opor firmemente a isso!

Mara Montezuma Assaf montezuma.scriba@gmail.com

São Paulo

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.