Fórum dos Leitores

.

O Estado de S.Paulo

01 Fevereiro 2018 | 03h05

REFORMA DA PREVIDÊNCIA

Votando pelo País

Dados divulgados pela Secretaria de Previdência do Ministério da Fazenda mostram a gravidade da atual situação do setor: em 2017, foi de R$ 268,798 bilhões o déficit da Previdência da União (INSS e regime próprio dos servidores federais). Analisando o crescimento da receita (4,6%) e da despesa (9,7%) apenas do INSS, considerado mal menor nesse desarranjo catastrófico, tem-se a exata dimensão do potencial de agravamento do problema. Ou reformamos já o regime de aposentadoria e benefícios ou logo teremos de lidar com a falência do sistema. Os representantes do povo que se opuserem, em 19/2, à PEC 287/16 estarão manifestando em alto e bom som que pouco se importam com o futuro do Brasil. Entre esses demagogos, vale lembrar, está um cidadão que faz muito barulho num dos extremos do espectro ideológico e se apresenta como antagonista do lulismo, um Lula às avessas – aparência oposta, mas com discurso igualmente pobre de bom senso e conhecimento.

ELIAS MENEZES

elias.natal@hotmail.com

Belo Horizonte

Responsabilidade

O que se espera, em 19/2, é que os congressistas aprovem a reforma da Previdência, vital para a retomada do crescimento sustentável da economia e acabar com os privilégios. Se não for aprovada, a população vai sofrer consequências negativas, como desemprego, inflação alta, aumento dos juros, alta do dólar e, o pior, o governo não terá como pagar aos aposentados. Para evitar medidas drásticas os parlamentares têm de ter responsabilidade.

JOSÉ WILSON DE LIMA COSTA

jwlcosta@bol.com.br

São Paulo

Distorções

O presidente Michel Temer, em fala na TV, esclareceu os pontos necessários e urgentes para o sucesso da reforma da Previdência. De forma enfática, explicou que, enquanto o teto da aposentadoria pelo INSS é de cerca de R$ 5,5 mil, a dos políticos e servidores públicos chega à “módica” quantia de R$ 33,5 mil – seis vezes mais do que recebem os comuns. Para acabar com essa distorção urge aprovar a reforma e mudar o Brasil, pois, afinal, todos são iguais perante a lei!

JÚLIO ROBERTO AYRES BRISOLA

jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

Regras iguais

O governo e os congressistas não percebem – ou não querem perceber – que a reforma da Previdência só vai ser aceita se, mutatis mutandis, as mesmas regras previdenciárias a serem impostas aos comuns mortais também forem as que vão reger suas respectivas aposentadorias.

JOSÉ ETULEY B. GONÇALVES

etuley@uol.com.br

Ribeirão Preto

Candidatos à Presidência

Falam muito que os pré-candidatos ainda não têm sequer um esboço de plano de governo e só dizem platitudes. Mas Geraldo Alckmin, como presidente do PSDB, ao determinar apoio à reforma da Previdência mostra atitude reformadora forte e não populista. O que mais queremos?

JOSÉ ANTONIO GARBINO

ja.garbino@gmail.com

Bauru

GESTÃO DORIA

Cidade ‘linda’ e esburacada

Já decorreram 13 meses da nova gestão na Prefeitura da capital e 13 meses também completaram os buracos abertos na rua onde moro. Apesar de a Prefeitura propagandear que já começou a recapear as ruas, não se justifica que o serviço de tapar os inúmeros buracos da cidade não tenha ainda sido concluído, depois de mais de um ano do prefeito João Doria. Se, ao se candidatar, ele imaginou que administrar São Paulo seria moleza, enganou-se: esse trabalho é simplesmente hercúleo! O caos em que hoje vivemos, é certo, resulta de vários prefeitos meramente políticos, sem a mínima competência técnica e administrativa para resolver os incontáveis problemas da cidade. E o resultado disso, lamentavelmente, é esta cidade feia em que vivemos, a começar pelo asfalto, que nada mais é do que uma imensa maçaroca por onde é difícil trafegar, com postes de iluminação carregados de horroroso cipoal de fios, as árvores, numa grande miscelânea de espécies, sem nenhum critério ou cuidado no seu plantio, muitas condenadas por estarem tomadas pela praga “erva de passarinho”. Portanto, sr. prefeito, menos propaganda e mais gestão. É o que esperam os paulistanos.

AURÉLIO QUARANTA

relyo.quar@gmail.com

São Paulo

Jardim abandonado

O canteiro central, em toda a extensão da Avenida Fonseca Rodrigues, em frente ao Parque Villa Lobos, está sem manutenção. O mato tomou conta do local, que era um cartão-postal da cidade. Pergunto: que cidade linda é essa tão exaltada pelo sr. prefeito. Ajudem o local a voltar ao que era. Está uma vergonha.

CARLOS AVINO

carlosavino.jaks@hotmail.com

São Paulo

Lixo vai tomando as ruas

Vem piorando lentamente a coleta de lixo no Município de São Paulo. Além de desagradável, a situação dá o que pensar. Acredito que essa situação incomode o prefeito João Doria, que visivelmente é arrumadinho e certamente gosta das coisas organizadas. Provavelmente pelas mesmas razões, outros administradores públicos, de todos partidos e ideologias, não conseguem resolver até problemas aparentemente simples. Onde está o nó? Sabemos que em tudo: licitações, contratos, corporativismo tanto público como privado, baixa qualificação geral, corrupção, corpo mole, sutilezas... Simplesmente a coisa não funciona! Acrescente-se aí uma população que nunca se acha responsável pela coisa pública, espera por milagres, e enquanto isso não está nem aí para nada que não seja o próprio bem, situação repetida do A ao Z social. Lixo nas ruas traz degradação, a degradação traz empobrecimento, o empobrecimento traz violência, que traz mais lixo, um círculo vicioso que degrada a saúde pública, que traz empobrecimento... Quem se importa? Não esquecendo um precioso detalhe: a manutenção desse círculo vicioso é muito interessante para alguns poucos. Que cidade queremos? Um lixão?

ARTURO CONDOMI ALCORTA

arturoalcorta@uol.com.br

São Paulo

IPTU acima da inflação

A inflação de 2017 foi de 2,95%, mas o aumento do meu IPTU foi de 10%. Há muitos anos que os prefeitos de São Paulo tomam a mesma atitude, corrigindo as alíquotas de impostos sempre bem acima da inflação. Em nossa cidade temos tributos de Nova York e serviços de Kinshasa. O slogan ideal para a atual Prefeitura deveria ser: “Imposto, imposto, imposto”.

LEÃO MACHADO NETO

lneto@uol.com.br

São Paulo

“A elite do funcionalismo público concorda com a reforma desde que valha só para os servidores que nasçam a partir de 2020...”

LUIZ FRID / SÃO PAULO, SOBRE PREVIDÊNCIA E PRIVILÉGIOS

luiz.frid@globomail.com

“O funcionalismo público, composto de 978 mil pessoas, acumulou um déficit de R$ 77,5 bilhões. Se os 27,5 milhões que integram o Regime Geral da Previdência ganhassem igualmente, o déficit total seria de R$ 2,1 trilhões!”

GUSTAVO GUIMARÃES DA VEIGA / SÃO PAULO, IDEM

ggveiga@outlook.com

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

CANDIDATURAS INDEPENDENTES

Tema de capa do Estadão (29/1, A4): "Fundo Público Eleitoral dá mais dinheiro a 21 partidos", revela que a eleição presidencial e demais cargos, será totalmente controlada pelos caciques dos partidos, que estão totalmente comprometidos com os crimes de

corrupção levantados pela Lava Jato. Só a possibilidade de candidaturas independentes poderá oxigenar e renovar a política brasileira. Ponto de vista defendido pelo jurista Modesto Carvalhosa e que está nas mãos do ministro Luís Roberto Barroso, para ser relatado no Supremo Tribunal Federal (STF).        Todos os políticos com mandatos, implicados em processos de corrupção, lutarão desesperadamente para se reelegerem e manterem o famigerado foro privilegiado, para se safarem da cadeia que merecem. Precisamos de candidatos independentes para todos os cargos em disputa na eleição deste ano.

Paulo Sérgio Arisi paulo.arisi@gmail.com 

Porto Alegre

*

DINHEIRO PÚBLICO NO RALO

Ponto pacífico: é uma excrescência a criação de um fundo eleitoral R$ 1,71 bilhão com recursos dos contribuintes para financiar a campanha eleitoral de 2018! Pior ainda, que, entre os 32 partidos beneficiários deste fundo, a maioria destas siglas é pequena, nanica, ou tradicionalmente de aluguel, conforme divulga matéria do "Estadão". Como o PSOL, partido filial do PT, que em 2014, tinha disponível para o pleito somente R$ 834,5 mil, agora, com a farra à custa de recursos públicos, esse partido vai, de bandeja, neste ano receber R$ 21,4 milhões. O PDT, de R$ 7,2 milhões, passará a ter R$ 61,1 milhões. A REDE, partido ainda nanico de Marina Silva, vai receber R$ 10,2 milhões. Porém, enquanto 21 dos 32 partidos com direito ao fundo público eleitoral vão ter muito mais recursos do que disponibilizaram em 2014, as outras 11 siglas, exatamente aquelas com mais representação no Congresso, como exemplo, o DEM, terá uma pequena alteração com relação a 2014, de R$ 86,9 milhões, para R$ 89,1 milhões, em 2018! Já o PT, MDB (antigo PMDB) e o PSDB vão sofrer uma redução de verbas significativa com relação a 2014.  O PT, de R$ 316,3 milhões, no próximo pleito terá menos R$ 104 milhões, ou R$ 212,3. O MDB, de R$ 376,6 milhões cai para R$ 234,3 milhões, e o PSDB, de R$ 321,7 milhões, vai ficar com somente R$ 185,8 milhões. Não satisfeitos, esses partidos ainda recorreram ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), solicitando a autorização para utilizar também o fundo partidário de 2018, de R$ 888 milhões, na eleição deste ano.  E de caixa 2, quanto será?!... Ou seja, uma zorra total... 

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com 

São Carlos

*

O FUNDO PARTIDÁRIO E O FUTURO CONGRESSO

 

Dos partidos políticos existentes, em número de 32 legendas, 21 deles receberão mais dinheiro do fundo partidário, o que já nos dá o norte de como o futuro Congresso Nacional poderá ser composto. Porque todas as legendas beneficiadas irão aplicar os montantes recebidos em favor dos candidatos mais conhecidos, dentre os quais se encontram aqueles que não interessam à vida política nacional. Assim, tudo indica que teremos um Congresso que poderá pressionar o futuro presidente da República para o exercício do "toma lá, dá cá", repetindo o jogo vergonhoso que estamos a ver. Contar com o povo e seu voto para eliminar esta possibilidade é almejar demais, porque o voto por interesse sempre imperou na Nação. 

José Carlos de Carvalho Carneiro carneirojc@ig.com.br 

Rio Claro

*

MARCELO BRETAS E A MORAL SELETIVA

O juiz da Lava Jato no Rio de Janeiro, Marcelo Bretas, titular da 13.ª Vara Criminal, acha que tem o ilógico direito de ajuda de custo para um mesmo apartamento que mora com a companheira, que já recebe o benefício. Embora uma resolução, de 2014, do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), proíba o maroto beneficio nesses casos, o juiz entrou na Justiça e ganhou a ação em 2015. Bretas pode ter o direito legal, garantido pela Justiça, mas para um juiz que defende a moralidade com o dinheiro público no seu dia a dia, o pleito é totalmente imoral e inaceitável.

Abel Pires Rodrigues abel@knn.com.br 

Rio de Janeiro 

*

AUXÍLIO MORADIA

Dr. Bretas, do ponto de vista da legalidade, o senhor tem razão, mas e do ponto de vista moral?

Sylvia Loeb sylvia.loeb@gmail.com 

São Paulo

*

As maiores aberrações e injustiças sociais no País ocorrem no serviço público. Com gritantes diferenças salariais, como, por exemplo, um policial que arrisca a vida para prender um traficante e um desembargador que ganha 20 vezes mais para soltar. Sem contar que tantos servidores sequer comparecem ao local de trabalho, num flagrante de desrespeito ao povo que labuta por 10, 12, 14 horas por dia. Serviço público, hoje em dia, é sinônimo de desperdício e desconfiança. Temos gente sem compromisso e corrupta que continua seja nas universidades, hospitais e autarquias - concursados ou arranjados por políticos - . Sem contar a grande e maior das injustiças que é a estabilidade no emprego. Dos 10 milhões de servidores no Brasil, acho que metade leva a sério o seu trabalho. Essa é a maior mudança a ser feita na sociedade. Antes da reforma de Previdência.

André Luis Coutinho arcouti@uol.com.br 

Campinas 

*

INTENÇÃO DE VOTO

As pesquisas políticas do "DataFolha" sempre são parciais e a serviço do PT, a começar com o rol de perguntas, muitas vezes induzindo a resposta do entrevistado. Seu valor seria quase que equivalente a previsões astrológicas. Quem conhece um pouco de estatística ri dos supostos percentuais de acerto, que acompanham tais resultados. O que vale para uma amostra uniforme é extrapolado para algo fluído e constantemente mutante como a opinião pública.

Ulf Hermann Mondl

São José (SC)

*

PESQUISA$

Como filha de mineiro, tô muito desconfiada das pesquisas. Ou o eleitor não vê ou ouve notícias, ou é fã de corrupto! Só aqui...

             

Tania Tavares taniatma@hotmail.com 

São Paulo

*

RUMOS CERTOS

Últimas pesquisas mostram Jair Bolsonaro na primeira colocação na preferência do eleitorado e Marina Silva na segunda. O que isso significa? Por um lado, o eleitor não quer mais corruptos no poder, o que é muito bom. Por outro, ainda pensa que um Estado grande seja a solução. Nos EUA, a desregulamentação aliada à redução do tamanho do Estado e dos impostos geraram um forte crescimento, geração de empregos, diminuição no desemprego e aumento nos salários sem precedentes nas últimas administrações. Só não roubar não basta. É preciso também saber administrar e adotar rumos certos.

Jorge Alberto Nurkin jorge.nurkin@gmail.com 

São Paulo 

*

MINISTRA CÁRMEN LÚCIA

A ministra Cármen Lúcia, presidente do STF, disse aquilo que todos os brasileiros de bem pensam. Ela disse que: "Usar a situação do ex-presidente Lula para revisar prisão após 2.ª instância é 'apequenar' muito o STF". Não poderia ser diferente o entendimento.  Chega a ser indecente ler artigos que dizem que lideranças do Partido dos Trabalhadores (PT) têm se referido ao Supremo como possível pilar da "salvação" de Lula. A senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR), disse: "Não acredito que a Corte Suprema vai deixar acontecer uma barbaridade dessas (Lula ser preso)".  Milhões de brasileiros acreditam,  senhora senadora.  E a prisão não seria uma barbaridade.  Seria uma mostra de que a lei vale para todos. Ministra, obrigado pelo zelo que a senhora está tendo com a instituição que preside.  

 

Jeovah Ferreira jeovahbf@yahoo.com.br 

Taquari (DF)

*

O STF vai se apequenar?

A ministra Cármen Lúcia, presidente do STF, reclamou que o órgão não deve se apequenar para julgar a questão da prisão de Lula e concordo. A presidente do STF deve guiar nosso maior órgão de Justiça para uma decisão justa. E não deve se acovardar em face da pressão de políticos e próprios companheiros que desejam quebrar a decisão de 2.ª instancia, que consegue evitar que políticos e milionários passem dezenas de anos recorrendo a arcaicas leis para jamais pagarem suas penas. Chega!

Laércio Zanini spettro@uol.com.br 

Garça 

*

PRÉ-HISTÓRIA JUDICIAL

Enquanto nos EUA e outros países, não tão avançados, já se está configurando viagens a Marte com participação de empresas privadas (28/01, A12), no Brasil ainda se está na pré-história judicial. A prova disso é que o STF pratica contorcionismos constitucionais para manter a liberdade de indivíduos primitivos, rancorosos e ameaçadores, típicos da era das cavernas e para manter os fósseis da tribo liderada por um dos mais primitivos dentre eles, a tribo da "Preservação dos Trogloditas" (PT). Para tirar esse país do estado primitivo em que se encontra, o primeiro passo é destituir os três primatas que não ouvem e não veem, começando pelo que fala, e substituí-los pelos três desembargadores do Tribunal Regional Federal da 4.ª Região. Com isso o País sairá da Idade da Pedra Lascada e ingressará na idade da Constituição gravada em pedra polida.

Gilberto Dib  gilberto@dib.com.br 

São Paulo

*

O FUTURO DIRÁ

STF ou stf? A ver nos próximos capítulos...

J.S. Decol decoljs@gmail.com 

São Paulo 

*

LULA E O ABSURDO DAS REGALIAS

Na coluna do "Estadão" (26/1, A4) li notícia que, mais uma vez, comprova os absurdos existentes neste país, que prima pela desigualdade social. Relata a matéria, que com a eventual prisão do ex-presidente Lula, a Secretaria da Administração do governo federal vai ter que resolver a situação dos oito assessores a que o ex-presidente tem direito, segundo a legislação existente, como qualquer ex-presidente tem. E que, só em salários eles custam R$ 1,1milhão por ano. A referida legislação não tem nenhuma previsão sobre a eventual suspensão desse direito, nem no caso de impeachment. De fato, a Lei 7474/86, sancionada pelo senador José Fragelli, como a Lei 10.609/2002, que ampliou as mordomias, sancionada pelo senador Ramos Tebet na presidência do Senado da época, concederam aos ex-presidentes da República o direito a seis assessores e dois motoristas, além de dois veículos, atualmente modelo Ômega, da Chevrolet, sem nenhuma restrição. Ora, isso já nem mais um absurdo é, mas sim um escândalo para ninguém pôr defeito. E cabe salientar que nenhuma dessas leis foram sancionadas por um presidente eleito. Enquanto cidadãos morrem por falta de verbas nas filas de hospitais enquanto aguardam atendimento, nossos cinco ex-presidentes custam anualmente aos cofres públicos verbas cujo total é desconhecido, mas muito maior que os R$ 5,5 milhões apontados dos salários. Despesas com viagens e as de operação e manutenção de 10 veículos Ômegas, devem ultrapassar, e muito, a somatória dos vencimentos desses assessores. Impossível não se revoltar com essa excrecência, só em pensar que os gastos com os ex-presidentes poderiam ter sido gastos nos hospitais públicos, que segundo as últimas reportagens têm atendimento cada vez mais precário.  Essas excrescias já foram longe demais.

Gilberto Pacini benetazzos@bol.com.br 

São Paulo 

*

VERGONHA EVITADA

 

Relata a "Coluna do Estadão" (29/1, A4) que, na Etiópia, Lula daria a palestra "Vencendo a luta contra a corrupção".  Oi...?  Convenhamos, pior que a vergonha de vermos um ex-presidente corrupto, recém-condenado a 12 anos de reclusão, ir ao exterior pontificar sobre o combate à corrupção - assentimento negado na undécima hora pela 10.ª Vara Federal de Brasília - seria permitir a viagem do condenado, que está na antessala do sistema prisional, para tal fim. O vexame seria duplo:  primeiro o de permitir que o ex-presidente, condenado por unanimidade em grau de apelação - e com a pena majorada -  deixasse o País e  segundo de vê-lo, sabendo-se ter feito o que fez,  discursar lá fora, como se fora a viva alma mais honesta do mundo, sobre a luta do Brasil contra a corrupção. Gostei muito do acórdão do TRF-4, mas se há um reparo a ser feito na decisão do dia 24 de janeiro este seria o de aquela Corte não ter determinado, de imediato, a apreensão do passaporte do "heptarréu".  

 

Silvio Natal silvionatal49@gmail.com 

São Paulo 

*

DEFESA DE LULA

A defesa do ex-presidente Lula é muito fraca. Deste jeito Lula não escapará mesmo do cárcere. A defesa parece que se esquece das leis, das técnicas de defesa e usa os argumentos políticos de seu patrão como se quisesse dizer que o voto popular é que deve decidir sobre o futuro de Lula. Talvez para agradar ao chefe fazem defesas deste tipo. Lula ainda está sob o efeito de seu deslumbramento com o poder e não entende que a lei deve ser para todos. Ele se acha acima do bem e do mal, pois chegou a Presidência sem ter condições nem de passar no ENEM, fez apologia à ignorância, faz questão de falar mal, com erros crassos da língua mãe, como se isto angariasse mais votos e simpatia da patuleia. Lula deveria substituir Cristiano Zanin por alguém do estilo de Joãozinho Trinta, que dizia que o povo gosta de ouro e riqueza. Assim, certamente a defesa política seria mais eficaz por que o conhecimento jurídico não interessa a Lula.

 

Mário Negrão Borgonovi marionegrao.borgonovi@gmail.com 

Rio de Janeiro

*

SOBRE DECISÃO DO DEMIURGO DE GARANHUNS

Lula decidiu: "Não aceito ser preso". Portanto, que não se fale mais nisso.

Roberto Twiaschor rtwiaschor@uol.com.br 

São Paulo

*

MORALISMO DE CONVENIÊNCIA

Sempre a mesma coisa...  Lula fala coisas chulas, debocha da lei e trata juízes, policiais federais como se fossem a escória que ele convive e o pessoal acha indecente a ministra Cristiane Brasil?  Só por aparecer com amigos em um barco?  Veja bem, para mim, tanto faz ela ser ministra, estou apenas sendo justo. Que falso moralismo. Boechat(o)s,  a boca de Lula só solta agressões e falta de respeito e acham normal? Um ex-presidente que tem ares de ditador de países chinfrins...  Deus nos livre deste "mico".

Roberto Moreira da Silva rrobertoms@uol.com.br 

São Paulo

*

INJUSTIFICÁVEL

Pautando suas falas e participações, com perigoso veneno, a nobre Senadora Gleisi Hoffmann, demonstra não ter habilidade alguma para os cargos que ocupa. Em entrevista a um jornal da capital, ficou evidente o zinabre que camufla sua personalidade. Ameaças são o mote de seus discursos, insuflando correligionários criminosamente a reagirem às decisões da Justiça. Os últimos episódios mostraram seu péssimo caráter. Destemperada, irritada, desequilibrada. Ficou evidente de que a "ponta suja de seu novelo" foi encontrada.  O caminho nós sabemos qual será!

José Perin Garcia jperin@uol.com.br 

Santo André

*

ACHAQUE PETISTA

Inacreditável organização! Equipe de "censores" revisionistas, ligados ao PT, analisam textos publicados diariamente no "Fórum dos Leitores" e se manifestam junto aos autores se valendo do e-mail de cada leitor publicado no jornal. Agressivos e mal educados, utilizam palavras de baixo calão para ameaçar e augurar desgraças.

Salgado de Oliveira ssoliveiramsm@gmail.com 

Monte Santo de Minas (MG)

*

TRIPLEX

O ínclito juiz Moro decidiu tornar o triplex de Lula como propriedade de crime e vai leiloá-lo para pagar as despesa havidas no processo. Agora o triplex não é mais de Lula, muito menos da empreiteira. Bem feito! Parabéns, mais uma vez, juiz Moro.

ARTUR TOPGIAN topgian.advogados@terra.com.br

São Paulo

*

PERSEGUIÇÃO

Moro botou para leilão; "Lulla" reclamou. É, mesmo o "tripex" não sendo dele...

Ademir Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo 

*

IMÓVEL EM PARIS

Que zum, zum, zum estranho está correndo nas redes sociais! Estão comentando que Chico Buarque de Hollanda colocou à disposição do ex-presidente Lula da Silva, nesta sua viagem programada para o fim de janeiro, o rico imóvel que possui em Paris, para um belo descanso longe das agruras cubanas. Interessante, eu julgava que o Chico tivesse imóvel em Havana, já que ama tanto a ilha comunista do Fidel Castro!

Benone Augusto de Paiva benonepaiva@gmail.com 

São Paulo

*

MORDE E ASSOPRA

O PT enfrentou a Justiça com uma verborragia beligerante, no caso do julgamento do ex-presidente Lula e o tiro saiu pela culatra. Agora, em tom muito mais ameno, a senadora e presidente nacional do PT, a incendiária Gleisi Hoffmann, afirmou que o STF colocará as coisas no eixo e que não permitirá qualquer ato de violência contra seu líder. O PT, o exército de Stédile, as guerrilhas das ruas de Guilherme Boulos e os sindicalistas viram que, no Brasil, o Estado de Direito e as instituições, ainda funcionam.

Jose Alcides Muller josealcidesmuller@hotmail.com

Avaré 

*

O SILÊNCIO DOS CULPADOS

Eduardo Cunha, José Dirceu, Geddel Vieira Lima e Lula, parece que os criminosos acusados, julgados e condenados por crimes de corrupção preferem apodrecer na cadeia a ajudar a polícia a desvendar os crimes. Geddel, por exemplo, sabe que sairia da prisão no momento em que explicasse para a polícia a origem e destino do dinheiro encontrado em seu poder. Geddel segue calado, convicto que seu silêncio será regiamente recompensado. Lula poderia colocar muita gente na cadeia se resolvesse colaborar com as investigações, mas ele não demonstrou até agora qualquer interesse pelo instrumento da colaboração premiada. A volta de Fernando Collor a uma disputa presidencial é a prova definitiva que vale a pena amargar alguns anos de ostracismo ou mesmo de cadeia, com a promessa de um dia poder voltar a roubar os cofres públicos com os ânimos renovados e o apetite exacerbado pelos anos de privação. Mais importante, o silêncio dos culpados garante que os esquemas de desvio de dinheiro público continuem funcionando apesar dos companheiros que tombaram lutando a boa luta. 

Mário Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br 

São Paulo

*

É SÓ MARACUTAIA

Os criminosos que desmatam e queimam as florestas do País, colaboraram com os políticos da "mesma laia" com doações para suas campanhas no montante aproximado de R$ 69 milhões de reais. As "figurinhas corruptas" são representadas por vários ministros de Michel Temer, como o ministro do Meio Ambiente, José Sarney Filho; dos Esportes, Leonardo Picciani; do Turismo, Marx Beltrão, das Cidades, Alexandre Baldy e, pasmem, também a ex-futura-ministra do Trabalho, Cristiane Brasil, que desrespeita o Brasil em gênero, número e grau. Quanto "trabalho" dá essa corja!

Júlio Roberto Ayres Brisola jrobrisola@uol.com.br 

São Paulo

*

PRISÃO COM TRABALHO FORÇADO

Se "Lulla" vier a ser preso teremos o primeiro caso de prisão com trabalhos forçados. Como a lei permite que se reduza a pena em um dia, a cada três dias lendo um livro ou estudando, se "Lulla" vier a pleitear este benefício se configurará o caso de condenação com trabalho forçado e pena cumprida em condições desumanas, para quem nunca estudou e se diz incapaz de ler (compreender, então, já seria muito) um livro.

Claudio Juchem cjuchem@gmail.com 

São Paulo 

*

A AUTODESTRUIÇÃO DE LULA

Luiz Inácio, uso aqui uma emblemática citação de Richard Nixon para descrever exatamente o que ocorre consigo: "Os outros podem odiá-lo. Mas aqueles que o odeiam não vencerão, a não ser que você odeie eles. E então, você destrói a si próprio". Seu maior mal, Lula, foi sempre odiar tudo e todos. Nunca houve um "mea culpa", uma palavra de entendimento, de conciliação, nunca houve o sentimento de união. Houve sim o interesse próprio, acima de tudo. Culminou no que assistimos, atualmente. É tarde demais para você, Luiz Inácio. Haverá de naufragar na arena, diante de todos nós. Vítima de si próprio.

Sérgio Eckermann Passos sepassos@yahoo.com.br 

Porto Feliz

*

CHEGA DE LULA

Ninguém aguenta mais. O melhor para ele, para o PT, para o Brasil e para os brasileiros seria que este cidadão tivesse se recolhido após ter elegido o seu poste. Desde então é um contumaz perturbador da ordem, disseminador dos maus costumes e das mentiras, mas deslavadas da História deste país. E, na medida em que foi se enrolando com as falcatruas criadas por ele mesmo e sua turma, só piorou.  Se sente um ser especial, um ícone da humanidade, um ser precioso, infalível, intocável e o mais honesto do que qualquer um de nós mortais. Depois de condenado então parece que, inspirado na Bíblia, se sente como um jesus, ou seja um mártir injustiçado. Desafia o Judiciário com bravatas sofismas e de forma desrespeitosa como se estivesse acima da lei e dos juízes. Não respeita ninguém e nenhuma instituição. Comporta-se como um índio, sente-se inimputável como um índio e comporta-se como se toda a Nação brasileira fosse o seu território e ele o cacique. A imprensa, que para ele não serve, não fala em outra coisa a não ser em Lula. O Brasil não deslancha porque o seu fantasma assusta os investidores enquanto ele e a sua trupe ameaçam pôr fogo no País e falam em mortes. Em paralelo, manipula as massas menos esclarecidas utilizando-se do populismo e promessas falidas e inviáveis que fazem inveja ao presidente da Venezuela, que eles tanto veneram.  Estamos cansados, queremos ir pra frente, voltar a trabalhar por um país diferente, justo e que se desenvolve em benefício do povo e não de alguns poucos amigos do poder. Chega de Lula!

Manoel Sebastiao de Araújo Pedrosa link.pedrosa@gmail.com 

São Paulo 

*

MINISTRA DO TRABALHO

O discurso informal e exaltado da (ainda possível?) futura ministra do Trabalho, Cristiane Brasil, num barco, cercada por homens de torso nu não é de surpreender. Afinal, a insistência de juízes em barrar a posse da deputada, baseados em argumentos morais vagos, é tão ou até mais bizarra do que o comportamento de Cristiane. Enquanto o judiciário deveria se ater às leis e à Constituição, pois não é o bastião da moralidade, a deputada deveria evitar espetáculos desnecessários. 

Luciano Harary lharary@hotmail.com 

São Paulo 

*

VÍDEOS

Os vídeos da pretendente a ministra do Trabalho e o da filósofa defendendo o assalto são os registros da degradação do País.

Elisabeth Migliavacca 

São Paulo

*

OLHA O BRASIL DADIVOSO, GENTE!

Está rodando pela internet a informação de que o governo Temer, pela Medida Provisória nº 819, de 25 de janeiro de 2018, está autorizando a União a doar recursos ao Estado da Palestina para restauração da Basílica da Natividade, situada na cidade de Belém. O valor dessa doação é de R$ 792.000,00. Tal doação insólita será efetivada por meio do Ministério das Relações Exteriores. O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia é quem assina a doação. Primeiro tenho curiosidade em saber o que tem o Estado brasileiro a ver com a restauração de uma basílica, mormente em Belém, na Palestina. Isso não é responsabilidade do Vaticano? Ademais, o Brasil distribuiu bilhões de reais nos governos Lula e Dilma através do BNDES para países da África e América Latina, mormente para Cuba e Venezuela.  Quebraram a economia de nosso País, mas o pagamento dessas dívidas ficou para as calendas. Agora eu descubro que a distribuição de dinheiro continua, e já nem utilizam mais o BNDES, mas o fazem através de simples doação, como se estivéssemos com o cofre transbordando de riqueza. Mas essa generosidade se torna mais incompreensível e esdrúxula quando se sabe que o nosso Museu do Ipiranga está fechado para reformas há anos, e, cuja restauração não se dará por falta de verbas antes de 2022. Por detrás desta notícia tem algo de muito estranho e fétido que compete ao jornalismo investigativo desvendar! 

Mara Montezuma Assaf montezuma.scriba@gmail.com 

São Paulo 

*

COMUNICAÇÃO PRESIDENCIAL 

Por favor. Alguém com um mínimo de lucidez no Palácio do Planalto proíba o presidente Temer e o ministro Meireles de virem a público darem explicações sobre as reformas. Vejam os vexames no programa do Silvio Santos, Amaury Jr., Ratinho, etc... Contratem alguém que fale uma linguagem que o povo entenda. Podem até ficar ao lado, mas não abram a boca, pelo amor de Deus. 

Agamedes Paduan agamedespaduan@gmail.com 

São Paulo 

*

40 MIL VENEZUELANOS EM BOA VISTA!

Mais de quarenta mil venezuelanos já ultrapassaram a fronteira e se fixaram em Boa Vista (RR), se alojando em abrigos e mesmo enfrentando conflitos e doenças, ainda se sentem melhor do que em seu país de origem a bolivariana Venezuela. Aquela que os ex-presidentes "Lulla" e "Dillma" aplaudiam e consideravam "uma das maiores democracias do mundo". Cada vez que olhamos essa realidade agradecemos pelo que nos livramos pela segunda vez. Primeiro, quando os militares, em 1964, nos defenderam dos guerrilheiros adestrados em Cuba e agora, com a Lava Jato, que descobriu a trama corrupta para nos transformar em outra Venezuela. Ainda bem que no Brasil ainda existem autoridades comprometidos com nossa democracia.  

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br 

São Paulo 

*

DISCURSO DO STATE OF THE UNION

No seu primeiro discurso do "State of the Union", Donald Trump mostrou que está totalmente sintonizado com os anseios do povo americano e comprometido com sua promessa de campanha, que era a de defender os interesses de seu país e de seu povo. Trump é o melhor presidente dos EUA desde Ronald Regan e será reeleito em 2020 simplesmente por ter feito o que se propôs a fazer.

Frederico d'Avila fredericobdavila@hotmail.com 

São Paulo

*

CAMPUS PARTY

Ao ver a foto da capa do "Estadão" (31/1) com aquelas barracas da Campus Party lembrei de uma cena de um filme do Chaplin, que mostrava centenas de operários saindo da fábrica e em seguida, o gado caminhando para o abate. Esses fanáticos me fazem acreditar que não viemos do macaco, mas sim dos bovinos. Tecnologia não é religião.

Decio Fischetti etcmkt@terra.com.br 

São Paulo

*

FUTEBOL

Eu, meus dois filhos e meus três netos agradecemos ao colunista Ugo Georgetti que em sua crônica "Esperança" (28/1, A18) usou seu valioso espaço para relembrar os dias de glória da Associação Portuguesa de Desportos e manifestar sua esperança que a Lusa, que não é sua primeira simpatia, volte a ser brilhante. Obrigado.

Carlos Gonçalves de Faria sherifffaria@hotmail.com 

São Paulo 

*

APÓS O CARNAVAL PASSAR

Conforme nosso tradicional costume, vivemos neste período pré-carnavalesco uma espécie de paralisia de decisões que tanto na gestão pública como na atividade privada, teríamos de tomar. Essa nossa abulia comportamental neste início de ano, talvez seja benéfica para fazermos uma profunda reflexão sobre posturas que deveremos enfrentar, principalmente neste ano eleitoral, quando teremos chance de dar soluções às urgentes medidas que poderão reverter este ciclo crítico que vive o País como um todo. 

José de Anchieta Nobre de Almeida

Rio de Janeiro

 

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.