Fórum dos Leitores

Cartas selecionadas para a edição impressa e portal estadao.com.br

O Estado de S.Paulo

21 Março 2018 | 03h00

CORRUPÇÃO

O fantasma de Kadafi 

Na caça aos corruptos, o ex-presidente da França Nicolas Sarkozy foi detido por suspeita de financiamento ilegal de campanha eleitoral em 2007. Ele teria recebido dinheiro do governo de Muamar Kadafi, então ditador da Líbia, que foi capturado e morto em 2011. Esses valores teriam sido entregues aos organizadores da campanha do francês. Viajemos da França para o Brasil e veremos que algo muito semelhante pode ter ocorrido na campanha de Lula em 2002 (Estado, 8/12/17), segundo denúncia do ex-ministro Antônio Palocci, em tratativa de delação premiada com o Ministério Público Federal. Palocci diz que Kadafi enviou ao Brasil, “secretamente”, US$ 1 milhão para financiar a campanha de Lula. Agora, com a prisão de Sarkozy pelo mesmo motivo, a denúncia de Palocci fica robustecida. 

MARA MONTEZUMA ASSAF

montezuma.scriba@gmail.com

São Paulo

PRISÃO APÓS 2ª INSTÂNCIA

Decisão do Supremo

A quem interessa pôr de novo em pauta a prisão de réu condenado em segunda instância? Usando expressão do próprio Lula, o Supremo Tribunal Federal (STF) vai se acovardar?

NIVALDO RIBEIRO SANTOS

nivasan1928@gmail.com

São Paulo

Agora é a hora

Algum tempo atrás, ainda na época da “presidenta”, Lula da Silva declarou que o STF estava “acovardado”. Agora, ele busca nessa mesma Corte alívio para uma prisão que vê próxima, mas ainda sujeita à procrastinação que tanto lhe agrada. Então, é chegada a hora de esse tribunal mostrar a todos se está ou não à altura dos jovens desembargadores de Porto Alegre, num julgamento técnico e calmo, sem caras e bocas nem arroubos de pedante e estéril juridiquês. É hora de o Supremo honrar o conhecimento e a isenção dos ministros que o integraram no passado, demonstrando que tem capacidade para ser um dos esteios desta nossa agitada República, dando o valor merecido às decisões unânimes, com a estrita observância das leis e exercendo o poder que a Constituição lhe confere. É a hora do STF demonstrar que não se apequenou.

REGINA MARIA NORONHA PEÑA

reginapena.adv@hotmail.com

São Paulo

Sem casuísmos

O Supremo Tribunal que não se apequene para livrar das garras da Justiça quem nos fez tanto mal. Os ministros que não se virem de costas para o povo, que não merece viver em meio à instabilidade que este clima de indefinição nos traz, causando sensação de insegurança quanto a levar os responsáveis pelos crimes de colarinho-branco a cumprir as penas a que já foram condenados em duas instâncias. Está na hora de nos provarem com todas as letras que o Poder Judiciário não privilegia poderosos e que a lei é, sim, igual para todos. 

ELIANA FRANÇA LEME

efleme@gmail.com

Campinas 

Cansaço

Por que razão o Supremo é tão cheio de dedos com o sr. Lula da Silva? Por que insiste em dar-lhe tratamento diferenciado, uma espécie de classificação VIP para quem, tendo tido todas as chances do mundo para ajudar este país, se envolveu em maracutaias as mais diversas, como apropriar-se da Petrobrás, fatiá-la e acabar com ela? Os srs. ministros por acaso acham que o juiz Sergio Moro seja um lunático que não sabe o que diz nem se deu o trabalho duro de pesquisar e analisar as suspeitas todas que envolvem o filho de Garanhuns? As investigações nada provam? Que deferência absurda é essa e até quando vai durar? O povo espera que esses senhores sigam rigorosamente o preceito principal da Constituição, segundo o qual todos são iguais perante a lei. Que negócio é esse de rever lei, torcer lei, fazer letra morta de lei só para livrar um condenado? Estamos fartos dessa pantomima, cansados de perceber as manobras urdidas para salvar da prisão quem, afinal, prendeu o País e os brasileiros numa rede de mentiras, roubos e atraso. Chega! Nós necessitamos descansar nossos ânimos esfacelados e os srs. ministros, de deitar a cabeça no travesseiro e dormir o sono dos justos. 

DOCA RAMOS MELLO

ddramosmello@uol.com.br

São Sebastião

Prisão ‘delle’

Tudo o que a Justiça brasileira fez até agora nessa questão da corrupção está de acordo com as normas legais vigentes no Brasil. Se o Supremo Tribunal realizar arranjos que beneficiem quaisquer criminosos, principalmente os condenados em segunda instância, daí, sim, será a degradação completa deste país.

RICARDO FIORAVANTE LORENZI

ricardo.lorenzi@gmail.com

São Paulo

Um novo Supremo

Ao longo da História, seja por motivos políticos, institucionais ou outros quaisquer, mas principalmente para marcar uma mudança de atitude em sua forma tradicional de atuação, as Cortes máximas de alguns países mudaram a sua denominação. E, pelo andar da carruagem, não está muito distante uma excelente oportunidade para que a nossa Suprema Corte também o faça. A depender de suas próximas decisões, em especial quanto à prisão de bandidos após condenação em segunda instância, o Supremo Tribunal Federal terá, merecidamente, o direito, quiçá até mesmo a obrigação, de ser chamado de Tribunal Supremo de Justiça, emulando o seu equivalente venezuelano.

LAZAR KRYM

lkrym@terra.com.br

São Paulo

Mudança na Carta

O ministro Marco Aurélio Mello propõe que seja alterada a Constituição da República com uma emenda que defina a condenação em segunda instância como trânsito em julgado. Acontece que no Congresso Nacional já existe uma proposta de emenda constitucional (PEC) de autoria do senador Ricardo Ferraço (PSDB-ES). Portanto, onde estão os partidos que pregam honestidade e transparência no trato da coisa pública, que não votam essa PEC?

VICTOR HUGO A. RAPOSO 

victor-raposo@uol.com.br

São Paulo

ECONOMIA

Carestia

Moro na cidade de São Paulo e o IPTU de meu imóvel subiu 10%; a escola, 8%; a perua escolar, 8%. E a gasolina não para de subir. Agora o governo vem alardeando que a luz vai subir mais 20%?! Os planos de saúde estão preparando mais 17%. E a tabela do Imposto de Renda não é reajustada há anos, ou seja, todos os anos pagamos mais. Como pode, se a inflação de 2017 foi de menos de 3%? Do outro lado, correção da aposentadoria ficou em 2,07%. Até quando isso?

SYLVIO FERREIRA

sylvioferreira@hotmail.com

São Paulo

LULA E A ORDEM NA FILA

No afã de impedir a prisão do ex-presidente Lula da Silva, instalou-se um clima de vale-tudo no Supremo Tribunal Federal (STF). Além do assédio de ministros por sectários do petista e manobras para pautar a matéria, agora é um habeas corpus coletivo impetrado por dez membros da Associação dos Advogados do Estado do Ceará (AACE) para que a prisão de condenados só aconteça após o trânsito em julgado da sentença. Eles acusam a presidente Cármen Lúcia de omissão ao não pautar ações sobre o tema, o que ela não faz porque a jurisprudência atual de que é possível a prisão em segunda instância é recente, foi firmada em outubro de 2016, pelo placar de 6 votos a 5. O ministro Gilmar Mendes foi a favor da prisão anteriormente, mas agora se declara contrário, o que inverteria o resultado. O fato é que o tsunami libertário que ameaça o Supremo ameaça provocar a ruína moral da própria instituição. Entre os mais sólidos alicerces da Constituição está o princípio de que todos são iguais perante a lei. Pois o acervo do STF, no dia 19/3/18, é de 3.997 habeas corpus aguardando decisão. Qualquer movimento para furar a fila é espúrio, e, mais ainda, se for para beneficiar Lula, que como é sabido não sofre constrangimento ilegal, condenado que foi em julgamentos transcorridos rigorosamente dentro do ordenamento jurídico vigente.

Sergio Saraiva Ridel sergiosridel@yahoo.com.br 

São Paulo

*

NO STF, AUTOS EM DIA

A assessoria de imprensa do STF informa-nos sobre uma suposta economia que a Casa fará ao contratar serviços de limpeza e manutenção dos veículos postos à disposição dos senhores ministros ("Estado", 19/3, A7). Divulga, ainda, que os ditos veículos serão levados ao lava jato três (!) vezes por semana, isso numa cidade que convive com racionamento de água há mais de ano. Em tais condições e considerando, também, a absoluta secura de recursos públicos, o que, diabos, justificaria o STF contratar empresa para lavar carros seminovos três vezes por semana? Acaso os veículos dos srs. ministros enfrentariam caminhos lamacentos, sem asfalto, do tipo "off-road", no trajeto de ir e vir? Fora isso, chama a atenção o extremado zelo da Corte no sentido de encaminhar ao lava jato veículos seguramente novos e muito possivelmente limpos enquanto dezenas de autos (processos) empoeirados e encardidos da (operação) Lava Jato, que ali correm, seguem há anos estacionados nos escaninhos ou circulando - sujos mesmo, com ácaros e demais impurezas, quem se importa? - pela Polícia Federal (PF) ou Ministério Público Federal (MPF) aguardando que alguém acelere a marcha para que não empaquem numa poça de prescrição, destino de tantos casos naquele tribunal. Somos o País da piada pronta.

Silvio Natal silvionatal49@gmail.com 

São Paulo 

*

NOVO ENTENDIMENTO DO STF?

Sob intensa pressão, após a invasão do gabinete da ministra Cármen Lúcia por parlamentares do PT, o STF se reúne para discutir a questão da prisão após condenação em segunda instância, embora a matéria já tenha sido votada por duas vezes. Quem sabe agora haverá "novo entendimento" entre os ministros do STF para reverter a decisão anterior? Perante a Justiça os homens não são iguais, especialmente quando se trata de um "picareta-mor" como Lula, com recursos abundantes para contratar um conselheiro da Rainha do Reino Unido e um ex-ministro do STF!

Omar El Seoud ElSeoud.USP@gmail.com  

São Paulo

*

O BANDIDO ESTAVA CERTO

Recentemente a ministra Cármen Lúcia posicionou-se contra reanalisar em plenário debate sobre prisão em segunda instância por, segundo seu entendimento, caracterizar tal fato um apequenamento do STF. Ontem li no "Estadão" (20/3, A4) que "sob pressão, STF debate prisão em segunda instância". Ainda mais recentemente, um ex-ministro do STF e hoje advogado do maior bandido do País, visitou a mesma ministra, para, comportando-se como 12.° ministro do Supremo e jogando sua biografia no lixo em troca de muitos reais, dar-lhe orientação de como deveriam os ilustres magistrados proceder para livrar a cara de seu cliente. Tais fatos somados demonstram claramente que em fralda de criança e decisões judiciais e jurídicas no Brasil, quase sempre o resultado obtido é o mesmo e de que o STF mais uma vez, volta suas costas para a moral, a ética e à Justiça. Curva-se em genuflexão total a um bandido que há bem pouco tempo e talvez em um de seus únicos pronunciamentos em que a verdade transpareceu, disse em alto e bom som que Corte Suprema do País era acovardada. Quem diria que o bandido estava certo?!

Renato Ortlepp renatotto@hotmail.com 

São Paulo 

*

CABEÇA DE JUIZ

Não que o ministro do STF, Gilmar Mendes, não tenha lá suas qualidades. Seu notável saber jurídico é indiscutível, mas, muitas vezes pelo excessos de leis, aparentemente, "injustas" (a máxima do legal as imoral), o grande corporativismo praticado por aqui e o protecionismo constante aos poderosos, o levou à condição de um dos mais odiados juízes do País. Ele, entre outros, foi o responsável direto de muitas decisões que contrariavam a maioria da sociedade que não aguenta mais outra máxima que diz: aos amigos, a lei; aos inimigos o rigor da lei. Os muitos habeas corpus emblemáticos como ao Rei dos Ônibus; ao médico que estuprou dezenas de mulheres; ao empresário corrupto, diverso políticos, etc., concedidos por Gilmar, sempre atraíram a fúria popular, pois no Brasil vão presos - e permanecem assim - por mais tempo, pretos, pobres, analfabetos e, principalmente, os que não têm padrinho e morrem pagãos. Entretanto, como também somos um País de memória curta, nos últimos dias, os veículos de comunicação vêm dando ênfase aos habeas corpus coletivos solicitados por advogados de réus condenados em segunda instância, o que poderia levar, por exemplo, o ex-presidente Lula a escapar da prisão. Pra começar, esta decisão não é definitiva, pois o ministro tão somente o fez por considerar genérica a pretensão de dez juízes do Ceará, ou seja, cada caso tem de ser analisado individualmente. E para terminar, a cabeça de Gilmar, em relação aos poderosos, como Lula e outros da mesma estirpe, continua sendo vista como "bundinha de neném" e, a qualquer momento, mudar de ideia concedendo benefícios a perigosos criminosos que tanta porcaria fizeram e mal causaram a milhões de brasileiros e brasileiras. Sendo assim, calma nesta hora e muito caldo de galinha como nos recomendam nossos antepassados. Aliás, aqueles que não conviviam com tanta gente ruim e tanta safadeza.

João Direnna joao_direnna@hotmail.com 

Quissamã (RJ)

*

ENTENDIMENTO

Pelo entendimento de alguns ministros do Supremo Tribunal da impunidade, vulgo STF, se você foi corrupto e guardou bastante dinheiro, o seu bem pago advogado irá recorrer à terceira instância de Justiça e você jamais será preso. Se não tiver recursos, ou for corrupto pobre, fica valendo a máxima de que todos são iguais perante a lei. Isso é a democracia, pois os representantes do povo, eleitos nas urnas e cumprindo os princípios da soberania nacional, mantêm vivos os sonhos e as esperanças de toda uma Nação, pois protegem o imaculado e intangível mundo do direito das constantes ameaças vindas de outro mundo, o da patuleia.

Marcelo Gomes Jorge Feres marcelogferes@ig.com.br  

Rio de Janeiro

*

SOB PRESSÃO

Pelo andar da carruagem, as forças vermelhas do mal vencerão. Como é triste ver todos se omitirem. O brasileiro é assim mesmo, meio covarde, meio irresponsável. Será que a sra. Cármen Lúcia aguenta, praticamente sozinha esta parada? 

Vitor de Jesus vitordejesus@uol.com.br  

São Paulo 

*

PARA QUE SERVE O STF?

A discussão sobre a prisão do ex-presidente Lula no STF, demonstra de maneira clara, que o nosso Supremo é um órgão mais político do que técnico. Ao longo dos anos ele vem perdendo sua função principal que é de julgar fatos e promover a Justiça. Uma espécie de "balcão de negócios" em que acontece de tudo, pressão, chantagens, acordos, gratidão e mais uma série de aberrações incompatíveis com a instância máxima de nossa Justiça. Lamentavelmente a Suprema Corte brasileira está envergonhando nossa Nação perante o mundo. Com raríssimas exceções.

Elias Skaf eskaf@hotmail.com 

São Paulo

*

STF E LULA

O STF está se articulando para livrar Lula das garras da Justiça. Ora, ora, ora! Esse senhor com certeza vai ter que morar na lua, porque no Brasil está difícil. Onde for, onde pisar será duramente hostilizado. O povo de Bagé está certo. Palmas para os gaúchos!

Célia Henriques Guercio Rodrigues celitar@icloud.com

  

Avaré

*

PRISÃO EM SEGUNDA INSTÂNCIA

De acordo com o site "O Antagonista", citado pela revista IstoÉ, o ínclito juiz federal Sérgio Moro citou ministros do STF que podem votar contra revogação da prisão em segunda instância, assim se expressando: "Espera-se, enfim, que a jurisprudência que nos permitiu avançar tanto e que é legado do ministro Teori Zavascki não seja revista, máxime por uma Corte com o prestígio do Supremo Tribunal Federal e por renomados ministros como Rosa Weber, Celso de Mello, Gilmar Mendes, Dias Toffoli, Marco Aurélio e Ricardo Lewandowski".

Artur Topgian topgian.advogados@terra.com.br 

São Paulo

*

GILMAR MENDES

Como a concessão de habeas corpus para os apadrinhados cariocas do ministro Gilmar Mendes - a família Barata -, sua excelência agora manda revisar todas as audiências do processo. Assim sem dúvida, corremos céleres para a prescrição, dentro da máxima de "para os amigos o abrigo da lei". Parabéns, ministro, mas depois não reclame das vaias em aeroportos e locais públicos.

Claudio Juchem cjuchem@gmail.com 

São Paulo

*

FAKE NEWS?

Acusado de soltar Barata por três vezes, Gilmar Mendes, está eufórico com a próxima chance de soltar um sapo e um barbudo! Batráquios se soltam!

Paulo Sérgio Arisi paulo.arisi@gmail.com   

Porto Alegre

*

LIBERDADE, LIBERDADE

Pelo que se depreende do motivo pelo qual foi convocada a reunião informal entre os ministros do Supremo, Gilmar Mendes quer soltar todos os poderosos presos e que ainda receberão sentença por corrupção e lavagem de dinheiro em todo território nacional.

Mário Negrão Borgonovi marionegrao.borgonovi@gmail.com 

Rio de Janeiro

*

MORO MANDA PRENDER GÉRSON ALMADA

Se com o julgamento em segunda instância a culpa é determinada em definitivo, não existe mais presunção de inocência para o criminoso, mas sim, recursos que apenas contestam aspectos técnicos que retardam (quando não fazem prescrever) a pena do culpado! Assim, o criminoso julgado e condenado em duas instâncias não ser preso após a segunda instância é caso de (in) Justiça!

Jorge Alves jorgersalves@gmail.com 

Jaú

*

ANTES TARDE DO QUE NUNCA

Seriam deuses os ministros do STF? Qual força maravilhosa e perfeita conduz um simples mortal a condição de "ministro supremo"? Caro, paquidérmico, polêmico, suspeito, seletivo às classes mais abastadas e pouco eficiente em fazer Justiça. É este o pensamento de milhões de brasileiros que não acreditam que um dia o País irá melhorar. Presidentes da nossa pobre República adoram ter ao menos um ministro para chamar de "seu". Corruptos natos sabem que um simples "cumpanheiro" infiltrado na mais alta Corte será muito útil no dia que estiver metido em apuros. Quando não é para convencer outros ministros na mudança de votos em causas já decididas, até uma aparente inocente "vista nos altos" pode demonstrar gratidão pelo recebimento do imerecido cargo vitalício. Reconheço que a minha geração também não ajudou muita coisa (tenho 77 anos) e os que tentaram fazer um Brasil melhor não tiveram ajuda patriótica. Ladrões de bancos, populistas, corruptos e vagabundos foram para a política e lá montaram as suas histórias de lutas pela democracia. Fizeram carreira e encaminharam alguns filhos para a mesma "profissão" (são as metástases). Estamos de braços cruzados esperando o lado podre acabar com a Lava Jato e vão acabar se nada for feito. A mídia tem feito a sua parte noticiando e previamente diagnosticando o que poderá acontecer. Apelo aos da minha geração, que não tivemos coragem de impedir a ascensão de muitos "Sarney's, Maluf's, Lulla's" e tantos outros, que façamos alguma coisa agora! Um Moro e uma Cármen não vão segurar a tigrada faminta. Vamos às ruas, vamos até as portas do Supremo Tribunal Federal se for preciso. Antes tarde do que nunca!

Rogerio Amir Rizzo rizzomoreno41@gmail.com 

São Paulo

*

NAHAS: JURI ADIADO

Aqueles que atribuem a demora na finalização de processos no STF a uma infinidade de processos à analisar, blá, blá, blá, não consideram que a mesma "infinidade de processos à analisar", ocorre por inúmeras manobras protelatórias, elaboradas por réus quem têm recursos, lícitos ou não, o que resulta em cada vez menor o tempo dedicado à solução de casos comuns e urgentes. Assim, os advogados, muito bem remunerados, levam processos à prescrição. Só esquecem que há a justiça divina. Deus é maior! Com certeza, o inferno os espera.

Jose Carlos jcalves@jcalves.net 

São Paulo

*

QUANTA INCOERÊNCIA

Celso de Mello "decano do STF" em fim de carreira resolveu virar a casaca. Lembro por ocasião do mensalão quando definiu Lula e sua gangue como "marginais do poder". Brilhantes votos. Tempos depois resolveu tornar imunda sua biografia quando deu voto de Minerva nos embargos infringentes jogando na latrina uma grande possibilidade de se resolver rapidamente julgamentos. Agora, a exemplo do ex-STF Sepúlveda Pertence, tenta pressionar Cármen Lúcia a reanalisar a prisão em segunda instância. Celso, vai para casa. Teu tempo já passou.

Iria de Sá Dodde iriadodde@hotmail.com 

Rio de Janeiro

*

PAUTA DO STF

O ministro Gilmar Mendes, com relação a pedido de habeas corpus com a eventual prisão de condenado por unanimidade em segunda instância disse, segundo os jornais, que: "Isto é coisa de Direito achado na rua." Concordo com ele. Não poderia ser outro o local em que isso poderia ser encontrado. Afinal, nesse julgamento em que a discussão sobre a matéria esgota-se de maneira definitiva, não mais se pode levantar qualquer dúvida sobre a existência e a validade das provas que demonstraram que o réu é culpado. Eliminando, assim, qualquer resquício de presunção de inocência. Afinal, contestar o que já foi juridicamente provado não é mais possível. Só resta ao condenado os embargos de declaração. No qual, para aspirar algum eventual êxito, deve provar que, nesse processo houve: 1) fundamentação ininteligível sobre a qual cabe esclarecimento ou falta de abordagem na fundamentação de algo importante que poderia anular alguma acusação feita; 2) o descumprimento de lei federal. E, afinal, quem decide sobre a pauta do STF? Os dignos ministros, obedecida a prevalência legal, ou a figura do réu, seja ele quem for?

José Etuley Gonçalves etuley@uol.com.br 

Ribeirão Preto

*

ADEUS À LIBERDADE

Lula está dando adeus à liberdade. Sabedor de que daqui a pouco o seu mundo se resumirá a uma cela de poucos metros quadrados, viaja pelo Brasil com o propósito de convencer a pequena parcela que ainda não transformou em cinzas a bandeira do Partido dos Trabalhadores, de que foi condenado injustamente. Esperneia, grita, desmoraliza a Justiça brasileira e faz de tudo para ser ovacionado. O homem que noutros tempos conseguia reunir até milhões de pessoas para ouvi-lo, hoje, por mais que se esforce, não consegue juntar mais que uma meia dúzia de gatos-pingados. O povo sabe perfeitamente o que o "santo homem" aprontou para merecer uma condenação. Em Bagé (RS), foi considerado persona non grata. Houve protestos. Caminhões e tratores bloquearam o acesso dos andarilhos à Universidade Federal dos Pampas. A população bageense não estava disposta a ouvir lorota. No dia 28 de março terminará em Curitiba, o que poderia também ser chamada de a marcha do "adeus à liberdade". Será que o condenado não corre o risco de permanecer em Curitiba? O povo acordou.

Jeovah Ferreira jeovahbf@yahoo.com.br   

Taquari (DF)

*

CONSTITUIÇÃO

É incrível, e não posso acreditar que o STF irá beneficiar Lula. Se isso acontecer significa que a Constituição esta sendo enrolada e colocada ao lado de um WC. Como cidadão, eu exijo respeito ao povo que sonha com um Brasil melhor. Acordem, bons brasileiros! Sem ameaças e sem anarquia, vamos às ruas!

Raul Ventimiglia raulventimiglia@gmail.com 

São Paulo 

*

PRESSA SUSPEITA

Seria ótimo se o STF também tivesse tanta pressa para resolver o problema dos quase 300.000 presos sem julgamento no Brasil.

Luiz Frid luiz.frid@globomail.com 

São Paulo

*                

LULA COLABORANDO

O condenado e ex-presidente Lula da Silva está correto em viajar para a região sul do País. Já prevendo a possibilidade da decretação de sua prisão, estará próximo ao Complexo Médico-penal (CMP) em Pinhais, Região Metropolitana de Curitiba, facilitando sobremaneira sua condução e economizando nos gastos com traslados. É Lula, pela primeira vez colaborando com o Brasil! 

Júlio Roberto Ayres Brisola jrobrisola@uol.com.br 

São Paulo

*

CIRCO MAMBEMBE

É o que é a caravana de Lula pelo Brasil: tem o mágico, a mulher barbada, os malabaristas e claque para cumprir o seu papel. Encenação, sempre a mesma. Rir para não chorar.

Manoel Braga manoelbraga@mecpar.com 

Matão

*

CARAVANA PELO SUL

Até que foi boa a ideia da jararaca fazer caravana começando pelo Rio Grande do Sul! Já fica no caminho para Curitiba, não precisa mais para São Paulo... Que não tenha se esquecido do pijama e da escova de dentes preferidos, pois outros iguais pode ser difícil de conseguir...

Arlete Pacheco arlpach@uol.com.br  

Itanhaém

*

LULA EM BAGÉ

"Com tratores e cavalos, ruralistas protestam contra Lula em Bagé", "Estadão" (20/3, A5). Após as fracassadas caravanas pelo Nordeste e alguns lugares no Sudeste, Lula resolveu afrontar os sulistas começando sua caravana por Bagé (RS), onde viu que os bravos gaudérios gaúchos, decidiram a responder de modo veemente contra esta provocação. Isto só foi uma mostra do que ele enfrentará, pela audácia de querer fazer uma visita ao Sul. Na região existe uma forte rejeição ao PT da ordem de 90%. Existe uma forte possibilidade do condenado por Sérgio Moro ser preso durante a caravana para alegria dos sulistas, que estão fartos das mentiras do maior corrupto, que arruinou o País.

Ulf Hermann Mondl hermannxx@yahoo.com.br  

São José (SC)

*

A TRISTEZA DO JECA

"Saio triste daqui", foram as palavras do ex-presidente Lula, após ser vaiado por ruralistas na cidade gaúcha de Bagé. Para os petistas, Lula continua a ser o Messias, o demiurgo ou o salvador da Pátria, mas para o povo, a máscara está caindo. Não há mentira que dure eternamente!

Jose Alcides Muller josealcidesmuller@hotmail.com  

Avaré

*

PAUTA EM DEBATE

Está na hora de incluir na pauta da reforma política o financiamento de campanha e as condições de elegibilidade. O financiamento privado de campanha enfraquece nossa frágil democracia, criando a falsa sensação de representação política, e, a ausência de idade máxima para se candidatar e do fim da reeleição (para qualquer cargo), dificultam o surgimento de novas lideranças e a renovação dos quadros políticos.

Marcos Abrão m.abrao@terra.com.br 

São Paulo

*

FAKE NEWS NA TV

Esta semana em um programa de enorme audiência, que ocupa todo o período da tarde, na Band, o apresentador comentou que o trabalhador não consegue mais se aposentar no Brasil, que só poderá se aposentar com 300 anos, caso a reforma da Previdência fosse aprovada. Comentando o assassinato de um idoso aposentado na região dos Jardins, em São Paulo. Parece que esses apresentadores de programas de TV das grandes emissoras brasileiras possuem imunidade para falar qualquer besteira que lhes passe pela cabeça para influenciar os telespectadores desinformados, ou mal informados. A proposta de inibir e multar a divulgação de "fake news" só mira os cidadãos "normais" cada vez mais influenciados pela mídia oportunista e interesseira.

Vagner Ricciardi vb.ricciardi@gmail.com  

São Paulo 

*

ESCRAVIDÃO

A escravidão foi abolida no século 19, mas ela está voltando por meio dos imensos salários das corporações que tomaram conta do governo, em detrimento da população que produz e gera os impostos que sustentam tais corporações. E a população fica sem saúde, segurança, educação, etc... Esta é a opinião de um cidadão cansado de ver tais absurdos.

Everardo Miquelin everardo.miquelin@gmail.com  

São Paulo 

*

A FAXINA COMEÇA NAS URNAS

Fica cada dia mais difícil acreditar que o Brasil tem jeito quando vemos o plantel de candidatos a um cargo eletivo nas próximas eleições. As velhas raposas continuam dando as cartas, tratando seus eleitores como imbecis. Esses, por sua vez, têm memória curta e repetem o erro sucessivamente levando o País ao caos em que se encontra. Basta ver o quanto a operação Lava Jato avançou descobrindo sofisticadas formas de corrupção envolvendo grandes empresas estatais e privadas e gente graúda dos maiores partidos. Ainda assim, há aqueles que querem o fim da operação e a continuação de bandidos no poder. Mas o bom combatente não desanima. Nesse ano de eleições, é preciso estar atento ao currículo dos candidatos. O que ele já fez e o que pode fazer para melhorar o País. Estar de olho na inflação, nos juros, numa economia pautada por gente capaz é fundamental. Pesquisar a ficha do candidato para ver se ele não está enroscado na Justiça e não dar crédito a mentirosos. A internet é uma excelente ferramenta, mas não só. Há ainda a imprensa escrita e falada. Cabe ao cidadão fazer a sua escolha e em quem acreditar. Uma coisa é certa, a faxina desse país começará nas urnas e depois com a vigilância do eleitor, o quadro poderá ter mudanças significativas. É nessa hora que o eleitor será lembrado, por isso deve fazer a lição de casa com consciência. Não é tarefa fácil, mas com vontade e persistência temos exemplos de países que mudaram radicalmente seu modo de pensar. A dor ensina, e ela começa no bolso de cada um de nós. 

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com 

São Paulo 

*

CANDIDATOS À CADEIA 

Todos os principais candidatos à Presidência da República são também fortíssimos candidatos à cadeia. Lula, Temer, Bolsonaro, Alckmin, Aécio, todos têm muitas explicações para dar à polícia. Não se vê um cidadão honesto e de boa-fé na disputa pela Presidência, que mais parece uma guerra de quadrilhas pelo controle do tráfico de drogas num morro qualquer.

Mário Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br 

São Paulo

*

E AGORA, JOÃO?

Finalmente esclareceram-se as intenções do prefeito da cidade de São Paulo, João Doria (PSDB). Ele quer ser governador do Estado de São Paulo. Diz o ditado: "Para um bom entendedor, meia palavra basta", pois, sendo governador poderá ajudar a cidade de São Paulo, porém, é certo que nós, eleitores paulistanos, não nos esqueceremos da má gestão apresentada nestes 13 meses e da quebra de promessa em campanha, ou seja: conclusão do mandato de quatro anos. Como reagirão os eleitores?

José Millei millei.jose@gmail.com 

São Paulo 

*

DORIA

O prefeito João Doria nem "prefeitou" e já quer governar? 

Angela Maria de Souza Bichi angela_bichi@hotmail.com  

Santo André 

*

VERBA PARA A INTERVENÇÃO

O chefe da intervenção na segurança do Rio de Janeiro, general Braga Netto, pediu e teve negado pelo governo federal, via Temer, para uma verba de R$ 3,1 bilhões, para quitar dívida de R$1,6 bilhão de dois anos atrás. O presidente só liberou R$1 bilhão. Grande parte do investimento do general está direcionado à reestruturação dos presídios, onde a autoridade dessas instituições está sob o comando dos detentos. Pelo que se vê, só tem verba para aliciar parlamentares quando interessa ao governo. A Síria mudou-se para o Rio e as "Marielles" cariocas, ou se submetem ao status ou morrem. Quantas já foram sepultadas e quantas outras ainda o serão?

Jair Coelho jairgcoelho@gmail.com 

Vassouras (RJ)

*

DIFICULDADES À VISTA

O governo terá dificuldades para enviar R$ 3,1 bilhões para intervenção no Rio de Janeiro, diz o presidente da Câmara dos Deputados Rodrigo Maia (DEM-RJ). Acredito que Maia tenha razão até por que num país com tantas carências desembolsar uma grana dessas para ajudar um Estado que seus governantes roubaram todo dinheiro do cofres públicos realmente não será fácil mesmo.

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com 

Jandaia do Sul (PR)

*

MINISTRO FALASTRÃO

Boca fechada não entra mosca. Esse adágio popular se encaixa como uma luva às últimas declarações do ministro Raul Jungmann. Nesse momento conturbado que o Brasil atravessa, exposto a todos através da caótica situação do Rio de Janeiro, o ministro, chegando às raias da irresponsabilidade, fica espalhando notícias claramente falsas sobre mais um assassinato - o da vereadora do PSOL - este adquirindo proporções mundiais, que é mais um motivo para prudência das palavras. Mas não. Fala uma bobagem infantil sobre a origem dos projéteis usados no crime, sem apurar a veracidade da informação, para, logo após, ter que vir a público apresentar uma nova versão, esta sim racional, mas que confronta a primeira. Definitivamente, o Brasil precisa ser passado a limpo, trocar os autores atuais, por pessoas sérias e idôneas. E o momento está próximo. É em outubro próximo. O bravo povo brasileiro deve sepultar da vida pública, os políticos profissionais, para o seu próprio bem e do Brasil.

Carlos Benedito Pereira da Silva carlosbpsilva@gmail.com 

Rio Claro

*

RELAÇÃO TRABALHISTA

Parece-me que até agora não houve qualquer interesse em preservar os direitos da viúva e do filho do motorista Anderson Gomes, assassinado junto com a vereadora Marielle Franco (PSOL), para quem prestava serviços na hora do crime! Qual era a relação trabalhista dele com a vereadora? Ou seria com a Câmara? Sabe-se que ele estava substituindo o motorista titular: sob quais condições? Todas essas questões têm que ser respondidas e gerarão mais ou menos direitos para a família dele. Alguém se habilita a perguntar? Ou responder?

Marco Antonio Esteves Balbi mbalbi69@globo.com  

Rio de Janeiro 

*

RESPEITO

Com todo o respeito a morte da vereadora do Rio de Janeiro, hoje tivemos mais uma morte de um policial no confronto com bandidos, é o 27.º este ano. Políticos do PSOL, PT, PCdoB, e demais partidos de esquerda, gostaria de ver e ouvir uma palavra de conforto aos familiares deste policial e de todos que já tombaram, como também a vereadora, são brasileiros e merecem respeito.

Olavo Fortes Campos Rodrigues olavo_terceiro@hotmail.com 

São Paulo

*

CRIME POLÍTICO

A meu ver, o PSOL imolou a sua ovelha mais preciosa num derradeiro esforço para estabelecer caos total no Rio de Janeiro.

Sergio Salgado de Oliveira ssoliveiramsm@gmail.com 

Monte Santo de Minas (MG)

*

PSOL 

É estranho esse pedido do PSOL, para que o STF anule o decreto da intervenção na segurança pública do Rio de Janeiro. Motivo apontado por esse partido sempre como unha e carne ligado ao PT, é de que o decreto tem caráter eleitoral. Ora, dirigentes do PSOL, ou de pseudorepresentantes do povo, o Rio, infelizmente como Estado falido, há muito é controlado pelas milícias e pelo trafico. Assim como certamente foi assassinada a vereadora Marielle Franco... Ou o PSOL está preocupado porque o exército nas suas ações já esta prendendo parte desta milícia que aterroriza a abandonada população, principalmente de moradores das favelas?! Dirigentes do PSOL, de que lado vocês estão do povo ou da criminalidade?

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com 

São Carlos 

*

MILHARES DE PROBLEMAS

O Brasil tem milhares de sérios problemas, mas o noticiário e os que mandam comentários de leitores para jornais e revistas só falam da vereadora assassinada. Haja...

Mário Alves Dente eticototal@gmail.com 

São Paulo 

*

VEREADORES ASSASSINADOS

Em 18/2/2017, na cidade de Santa Helena de Minas, dois criminosos em uma motocicleta atiraram e mataram o vereador Alexandro Pereira da Silva. Este vereador havia sido o mais votado nas eleições de 2016 naquela cidade. Além dele, conforme algumas pesquisas rápidas que fiz na internet, 36 outros vereadores foram mortos em 17 Estados do Brasil nos últimos dois anos. Muitos desses crimes nunca foram solucionados e os criminosos não foram identificados. Eu gostaria muito de saber por que a imprensa nacional está dedicando uma atenção tão desproporcional ao assassinato (lamentável, sem dúvida) da vereadora Marielle Franco (PSOL) em relação aos outros. Será que a vida dela vale mais do que a de todos os demais?

Luciano Nogueira Marmontel automatmg@gmail.com 

Pouso Alegre (MG)

*

SILÊNCIO ELOQUENTE

Até o momento não vi quaisquer manifestações contra o assassinato de 134 cidadãos policiais militares no Rio de Janeiro, em 2017 (apenas para ficar em 2017). Do mesmo modo, silêncio e omissão total em relação aos policiais assassinados em São Paulo, Minas, Rio Grande do Norte, Ceará...

Milton Cordova Junior milton.cordova@caixa.gov.br 

Vicente Pires (DF)

*

MOTIVO DE REVOLTA

Revolta é o que sinto ao ler a coluna de Eliane Cantanhêde deste domingo (18/3, A6), quando explicita o acordo que se trama em pleno STF com advogados de defesa de Lula para que este não seja preso. Fazem mesmo de tudo, desde esmiuçar firulas jurídicas, até pressão para nova decisão sobre prisão em condenados de segunda instância. Uma vergonha comparável ao tribunal bolivariano, uma vez que o Supremo se ajoelha ao grito de Lula (que se autoproclama o homem mais honesto do Brasil), desrespeitando sua própria jurisprudência além de toda a peça jurídica sólida referente a este condenado já julgada pelos tribunais inferiores. Tais juízes mais parecem parlamentares, até mesmo cabos eleitorais, menos a juízes. Já que é assim, um tribunal político, que se permita então aos protestos dos cidadãos de bem, que não se envergam de suas convicções morais. Se a democracia tem de se aperfeiçoar, proponho que se comece pela proibição da escolha de ministros do Supremo pelo Poder Executivo. A Justiça no Brasil, a continuar privilegiando poderosos, aumentará cada vez mais as desigualdades sociais, já que a impunidade aos corruptos administradores prejudicam as populações mais sensíveis e carentes, mais dependentes de um Estado sadio, de cujo status estamos longe, vide o caos que se encontram a saúde e a segurança pública em diversas regiões Brasil afora...

José Eduardo Zambon Elias zambonelias@hotmail.com 

Marília

*

CRITÉRIO NOTA ZERO!

Estamos saturados de sermos autuados por essa "indústria de multas", descabível, absurda e desonesta imposta e comandada pela Prefeitura de São Paulo. Imaginem que ontem, após o dilúvio ocorrido na cidade causando tragédias e ocasionando desmoronamentos e mortes, o trânsito totalmente congestionado com inúmeros veículos levados e empilhados pela enxurrada, não permitindo absolutamente nenhuma opção de saída. Recebemos uma notícia ridícula, sem sentido e muito menos bom senso do presidente da Companhia de Engenharia de Trafego (CET), de São Paulo que mesmo com todas estas ocorrências, o rodízio não está suspenso, portanto os veículos serão multados normalmente, e quem se sentir prejudicado, para poder ter a atuação cancelada deverá providenciar sua defesa perante a CET, justificando local onde estava retido mencionando nome de rua, avenida e bairro. O que podemos dizer sobre esta decisão? 

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br   

São Paulo 

*

CARROS ELÉTRICOS

Excelente o artigo do professor José Goldemberg: "Carros Elétricos" (19/3, A2). Realmente, do ponto de vista perseguido pelo governo de redução da poluição global (isto é, da emissão de gases responsáveis pelo aquecimento global), automóveis elétricos são uma incorreta solução para o Brasil. Desta forma, seria mais eficiente o uso do etanol nos motores de combustão interna, o que contribuiria, ademais, para a recuperação da indústria sucroalcooleira do País. 

Luiz Gonzaga Bertelli lgbertelli@uol.com.br 

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.