Fórum dos Leitores

.

O Estado de S.Paulo

07 Abril 2018 | 03h24

CRIME E CASTIGO

Apenas mais um

Nicolas Sarkozy, ex-presidente da França, detido por tráfico de influência; Ollanta Humala, ex-presidente do Peru, e sua esposa, Nadine Heredia, presos preventivamente pelo recebimento de caixa 2 da Odebrecht, como delatado no decorrer da brasileira Operação Lava Jato; Park Geun-hye, ex-presidente da Coreia do Sul, um dos países mais industrializados do mundo, recém-condenada a 24 anos de prisão por corrupção; Ricardo Martinelli, ex-governante do Panamá, preso desde junho de 2017 por envolvimento em delitos ligados também à Lava Jato; sócios do primeiro-ministro de Israel, Benyamin Netanyahu, privados de liberdade por fraude e abuso de confiança e ele próprio alvo de denúncia pela Promotoria de seu país. Esses são alguns exemplos de que a Justiça mundo afora está reafirmando o fato de que aos políticos não é permitido transpor certos limites éticos para alcançar e manter poder e fortuna. Nada mais natural portanto, que Lula da Silva, condenado por corrupção passiva e lavagem de dinheiro a mais de 12 anos, tenha sua prisão decretada. Simples assim.

PAULO ROBERTO GOTAÇ

pgotac@gmail.com

Rio de Janeiro

CORRUPÇÃO

Resistência à prisão

Em 15/10/2016 o ex-presidente Lula disse que iria a pé para Curitiba se fosse condenado à prisão. Conclusão nossa: continua um homem sem palavra.

GILBERTO LIMA JUNQUEIRA

gibaljunqueira@gmail.com

Ribeirão Preto

Vitória

A condenação de Lula é a vitória dos desempregados, dos pobres enganados, dos que morreram nos hospitais por falta de remédios e nas estradas esburacadas, dos que sofrem nas escolas sucateadas e nas periferias abandonadas, e de todo o povo brasileiro, que teve seu suado dinheiro desviado para o bolso de corruptos dentro e fora do Brasil.

LOURDES MIGLIAVACCA

lourdesmigliavacca@yahoo.com

São Paulo

Violação da dignidade?

Dois advogados de defesa do ex-presidente Lula, Cristiano Zanin Martins e Valeska Teixeira Martins, afirmaram (5/4) que a decisão do Supremo Tribunal Federal de rejeitar o habeas corpus de Lula “viola a dignidade da pessoa humana”. Sendo assim, como fica a dignidade dos brasileiros de bem, honestos e trabalhadores que foram lesados pela corrupção desenfreada do PT, comandada pelo Lula?

EDGARD GOBBI

edgardgobbi@gmail.com

Campinas

Dúvida

O Lula, o torneiro mecânico que entrou na vida pública, ficou bilionário porque é muito inteligente ou porque o povo brasileiro é pouco inteligente?

VICTÓRIO CANTERUCCIO

vicv@terra.com.br

São Paulo

Privilégios

Somos, sem dúvida, um país, no mínimo, exótico. Na decisão proferida pelo dr. Sergio Moro de decretação da prisão de Lula da Silva, o juiz despachou avisando que em função do cargo que ocupou, de presidente do Brasil, o criminoso condenado deverá ficar em lugar reservado, cela independente, na Polícia Federal. Tratamento VIP. Quando se espera que a prisão de um homem público que roubou, corrompeu e foi corrompido seja usada como exemplo para a sociedade e, por isso, ele deveria receber punição, no mínimo, igual às demais, Lula é tratado diferentemente dos outros criminosos. Só faltou pedir-lhe desculpas. Em outras palavras, criou-se o presidiário de primeira classe.

ADEMIR ALONSO RODRIGUES

rodriguesalonso49@gmail.com

Santos

Exemplo de eficiência

Tão logo o Supremo Tribunal Federal determinou o cumprimento da pena após condenação em segunda instância, o Tribunal Regional Federal da 4.ª Região de imediato oficiou ao juiz Sergio Moro para que expedisse mandado de prisão do demiurgo de Garanhuns, para o seu recolhimento. Essa ordem prisional deve servir de exemplo de eficiência e celeridade para os demais tribunais do País. Parabéns aos que defendem o Brasil!

JÚLIO ROBERTO AYRES BRISOLA

jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

Democracia real

Uma democracia real equilibrada no Brasil só será possível quando a pobreza for superada a ponto de não poder mais ser explorada por aventureiros políticos, o analfabetismo absoluto e o funcional tiverem sido reduzidos a restos insignificantes e a corrupção for punida com todo o rigor.

HARALD HELLMUTH

hhellmuth@uol.com.br

São Paulo

Encosto contra o progresso

Sou só eu que estou farta de ouvir falar de Lula, o “encosto” que nos impede de virar a página e olhar para o futuro? A prisão de Lula é, na minha opinião, o equivalente à tomada da Bastilha na Revolução Francesa: o fim do “ancien régime” do arbítrio e da impunidade dos poderosos e o começo da igualdade de todos perante a lei. Mas Lula é página virada (como bem disse um deputado), por mais que seus asseclas esperneiem e queiram agarrar-se aos últimos farrapos do poder que lhes resta, mortos de medo da perda do foro privilegiado. Agora é tempo de olhar para a frente e reconstruir o País, deixado em escombros pelo lulopetismo. E que tenhamos aprendido a lição de uma vez por todas: basta de populismo e de soluções mágicas para problemas complexos!

TEREZA SAYEG

tereza.sayeg@gmail.com

São Paulo

Incoerência das esquerdas

Seguindo os passos do comunismo soviético, o que vemos hoje é a prova cabal da incoerência das nossas esquerdas. Ao invés de lutarem pela eliminação das evidentes vantagens que os ricos e poderosos vêm usufruindo na aplicação da justiça neste país, contra ela se voltam quando atingidos. Da mesma forma que fecham os olhos às atrocidades cometidas pelos governos bolivarianos, não admitem a aplicação da lei a seu líder máximo. Mesmo que isso custe até mesmo sangue.

LUIS ANTONIO RIBEIRO PINTO

larprp@uol.com.br

Ribeirão Preto

Isonomia

Será que a turma do PT, do PSOL e congêneres vai exigir que os assassinos da vereadora Marielle Franco sejam presos somente depois do julgamento em última instância?

MILTON BULACH

mbulach@gmail.com

Campinas

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

 

LULA

 

São 17:08 horas do dia 6 de abril de 2018 e o condenado a 12 anos  e um mês de prisão, por corrupção, Luiz Inácio Lula da Silva, não se apresentou à prisão, desobedecendo à ordem judicial. Até quando esse cidadão vai desprezar acintosamente o ordenamento jurídico do País? Sua carreira é um contínuo e desafiador desprezo à lei, à ordem, à verdade e aos princípios éticos e morais que norteiam a conduta dos homens de bem. Desta vez ultrapassou todos os limites. Seus seguidores, tal os crente seguidores de Jim Jones, estão aguerridos. A figura, como sempre, parece movida pela vontade de capitalizar politicamente ao máximo o passo seguinte que é ser considerado foragido da Justiça e ser conduzido coercitivamente à prisão. Inúmeros pseudo líderes, do PT e da ignóbil esquerda brasileira, querendo capitalizar o momento para proveito político próprio, sucedem-se no palanque do carro de som, vociferando sandices e obscenidades contra a realidade e o bom senso. Os meios de comunicação estão servindo de porta-vozes para tais demências. Um teatro do absurdo, tão brasileiro, tão nosso.

 

Alexandre de Macedo Marques ammarques@uol.com.br

São Paulo

 

*

LULA NO SINDICATO DOS METALÚRGICOS

 

Só por curiosidade, desde quando a sede do Sindicato dos metalúrgicos do ABC Paulista pode ser usada para refúgio de condenado da Justiça? O estatuto do sindicato permite isso? Fizeram consulta aos que estão pagando a conta, ou seja, os metalúrgicos sindicalizados? Detalhe: se o mesmo ocorresse no sindicato que representa minha classe, eu me desfiliaria imediatamente.

 

Luciano Nogueira Marmontel automatmg@gmail.com

Pouso Alegre (MG)

 

*

POR QUE TANTA PRESSA, SR. PRESIDENTE?

 

Enquanto assistia as imagens geradas por um helicóptero de uma empresa de TV, fiquei estarrecido pela forma de dirigir dos motoristas dos dois carros em que o ex-presidente Lula e escolta se encontravam na última quinta-feira, no percurso entre o Instituto Lula e a sede do Sindicato dos metalúrgicos, logo depois de decretada sua prisão. Para que tanta pressa, sr. presidente? Tais imagens mais se assemelhavam àquelas cenas de filmes, em que o carro troca constantemente de faixa, fugindo do trânsito, em excesso de velocidade, os ocupantes dos carros sem cinto de segurança. Enquanto isso, na Capital do Estado, o motorista que troca de faixa na marginal Tietê sem dar seta, leva multa gravíssima! Seriam pesos diferentes para punir a mesma situação? Enquanto lia no jornal de ontem o custo de se manter ex-presidentes, com escolta, oficiais à disposição, automóveis de vidros escuros (blindados?) trocados a cada dois anos, etc., pensei no pobre povo. Apenas em republiquetas de banana que isso acontece pacificamente. Falta dinheiro para educação, saúde, segurança, mas para escolta de ex-presidentes, a prodigalidade é presente, uma generosa concessão de benesses que o cidadão comum tolera. Até quando?

 

Marcos Destro mdestro@amcham.com.br

São Paulo

 

*

CELA /SALA

 

Sérgio Moro decretou a prisão do chefão, mas levou em consideração o cargo que ocupou, dando a oportunidade de ele se apresentar espontaneamente à Polícia Federal, em Curitiba, ficar em uma cela/sala (uma suíte) e não ser algemado. Isso não quer dizer que, se resistir à prisão e não se apresentar, não possa ser conduzido em camisa de força?

 

Carlos Eduardo Barros Rodrigues ceb.rodrigues@hotmail.com

São Paulo

 

*

SÉRGIO MORO

 

O juiz Sérgio Moro cumpre a lei, ponto. Sem delongas e atrasos. Decretou finalmente a prisão do demiurgo de Garanhuns. Cumpra-se! Tremei, corruptos do Brasil!

 

Elisabeth Migliavacca

São Paulo

 

*

COELHOS COZIDOS

 

Se o ex-presidente Lula tivesse, como prometido, terminado seu segundo mandato de presidente da República, vestido um pijama e ficado em casa cozinhando coelhos, provavelmente teria ganhado bem mais que ter se metido nessa grande confusão.

 

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

 

*

GRITARIA

 

Leio no “Estadão” que aqueles que idolatram o ex-presidente Lula afirmam e reafirmam ser ele inocente. Primeiro, referidas pessoas nada entendem de leis, processos, etc. Segundo, ao exame do mérito do processo, nas duas instâncias judiciais que o examina (o mérito), Lula foi condenado, ou seja, ao exame das provas processuais foi declarado culpado. Então, que gritaria é esta? Onde está um único fundamento jurídico que a ampare (a gritaria)? Será que os adoradores do ex-presidente vão fazer a mesma gritaria quando a ex-amante dele for condenada? Quando ele Lula vier a ser condenado no caso do sítio de Atibaia ou em algum dos demais processos em que está envolvido? O problema deste pessoal é que agora vão ter de, forçosamente, procurar emprego enquanto o seu ídolo de pés de barro cumpre a pena que lhe foi corretamente imposta.

 

Carlos Alberto Ferreira carlos.alberto572@terra.com.br

Águas de Lindóia

 

*

APOIADORES

 

Quem o apoia: Maduro, Morales, Kirchner e Zelaya, nem um “Castro” se manifestou até agora! Aqui, além dos petistas e comunistas, talvez Collor, Sarney, Renan, Temer, Dilma, etc.

 

Ariovaldo Batista arioba06@hotmail.com  

São Bernardo do Campo

 

*

DITADO POPULAR

 

Por ocasião de seus comícios no Rio Grande do Sul, Lula criticou, esbravejou, xingou e classificou de arruaceiros e de idiotas as manifestações que ocorreram contra ele e sua caravana. Na ocasião, além de vaiado foi atacado com ovos, o que dizer agora, “cara”, que seus aliados e partidários terem feito exatamente o mesmo com o fotografo do “Estadão” Nilton Fukuda, que nada mais fazia que cumprir suas obrigações profissionais cobrindo o evento, se é que podemos chamar de evento? Ou seja, quem iniciou a prática desse vandalismo foi tu, meu ex-querido presidente, agora chegou sua hora de acertar suas contas com a Justiça e, principalmente, com a população que foi roubada, dizimada e escorchada. Temos uma expressão popular da língua portuguesa que diz: “Aqui se faz, aqui se paga”, é só uma questão de tempo, né não?

 

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br  

São Paulo

 

*

PERSONAGEM

 

Lula é notícia, claro, por ter sido presidente e estar implicado em casos de corrupção. Porém, um País não pode ficar refém de um personagem. O caso Lula já acabou, foi condenado e será preso. Saber se vai se entregar ou não, características da cela e horário de visita já é demais. Com tantos assuntos importantes em pauta neste país, ficar à mercê deste tipo de repercussão aborrece. Ou passa-se batido na matéria ou muda-se o dia. Pelo amor de Deus, basta! Ele que seja capa de jornal de sindicato.

 

Sergio Holl Lara jrmholl.idt@terra.com.br 

Indaiatuba

 

*

EU TAMBÉM QUERO

 

O vereador Eduardo Suplicy disse que quer ficar junto com o demiurgo de Garanhuns, Lula da Silva, na prisão especial da Polícia Federal, em Curitiba. Ora, a mesma vontade poderia partir da presidente do PT, Gleisi Hoffmann e toda a tigrada já condenada ou em vias de ser. Será que Gilmar Mendes, Ricardo Lewandowski e Marco Aurélio Mello também se habilitam? Que limpeza seria para o País!

 

Júlio Roberto Ayres Brisola jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

 

*

LULA ESTÁ ACABADO

 

 

Lula, Dilma, Gleisi, Haddad, Luiz Marinho, Roberto Teixeira, Paulo Pimenta, Vagner Freitas, entre outros petistas estão apavorados, sem saber o que fazer. Essa turma esteve no poder durante mais de uma década e perdeu a oportunidade de trabalhar honestamente pelo bem do povo brasileiro. Os interesses pessoais foram colocados em primeiro plano e o resultado foi catastrófico para eles e também para o Brasil. Bilhões de reais do dinheiro público simplesmente desapareceram, privando o povo de saúde, educação e segurança. Lula preso não resolverá o grande estrago capitaneado pelo PT com o apoio de tantas outras legendas. Lula “morreu” e levou junto a Nação.

 

José Carlos Saraiva da Costa jcsdc@uol.com.br

Belo Horizonte

 

*

XEQUE-MATE EM LULA!

 

Foi um ataque decisivo ao rei, não há possibilidade de fuga, implica na derrota do PT: xeque-mate em Lula!

 

Eugênio José Alati eugenioalati13@gmail.com

Campinas

 

*

DE PRESIDENTE A PRESIDIÁRIO

 

De presidente a presidiário, a trajetória de Luiz Inácio Lula da Silva nega a teoria da prevenção geral do Direito Penal e afirma a do macaco de que, segundo a sabedoria do povão, ao provar do mel se lambuza. Mel é o poder. Lula e o PT só estão como estão porque a repartição do butim sempre põe a perder as quadrilhas.

 

José Maria Leal Paes myguep23@gmail.com

Belém

 

*

GLEISI HOFFMANN

 

Gleisi Hoffmann, a senadora do PT que está na planilha da Odebrecht como “coxa e amante”, teve a ousadia de dar uma declaração no mínimo vergonhosa. Disse a senadora: “nenhum governo investiu mais no combate à corrupção que o PT”. Ora essa, fosse verdade essa afirmação, a senadora não estaria escondida atrás do foro privilegiado e muito menos lutando pela volta de Lula para garantir vida boa aos assaltantes do dinheiro da Nação. É preciso avisar a essa mulher que o tempo de amarrar cachorro com linguiça já passou. As pessoas acordaram do profundo sono da ilusão, das promessas não cumpridas e do mal que o governo do PT fez ao País e às pessoas. Milhões de desempregados estão sentindo na pele o que significa viver sem ter um trabalho. O legado de Lula poderia ter sido muito bom, se tivesse ele investido nas causas sociais de verdade, tornando a vida das pessoas mais duradouras. Mas Lula quis mais, pra si e para os seus companheiros. Deu no que deu.

 

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com 

São Paulo

 

*

‘REPUBLIQUETA DE BANANA’

 

A propósito da coluna de Elaine Cantanhêde de ontem (6/4, A6) gostaria de acrescentar que a “ilustre” senadora Gleisi Hoffmann deve ser informada que a “Republiqueta de banana” a qual ela se refere vem dando grandes cachos a ela, ao marido dela e toda a cambada que segue o PT e quem paga todas essas bananas somos nós, o povo brasileiro. Seria bom que esta senhora largasse o Senado e voltasse para a jaula da qual nunca deveria ter saído. Também é bom que ela saiba que ser socialista com o dinheiro dos outros é muito fácil!

 

Carlos Ernesto Cabral de Mello cabral.porto@uol.com.br

São Paulo

 

*

A SOMBRA

 

Se a senadora Gleisi Hoffmann continuar sendo a sombra de Lula todos os dias da semana, seria lógico se licenciar do cargo de senadora da República. Se as faltas são descontadas do salário, pouco importa o uso do cargo de senadora para impor autoridade configura abuso de poder e deve ser investigado e punido pelo Senado.

 

Luiz Ress Erdei gzero@zipmail.com.br

São Paulo

 

*

SAÍDA PELA ESQUERDA...

 

Se a senadora Gleisi Hoffmann não consegue conviver com a nova e verdadeira democracia que se instala no Brasil, proferindo que o nosso País se transformou numa republiqueta, sugiro a esta nobre senadora que, faça valer um velho ditado: “os incomodados que se retirem”. Quiçá, esta se sinta mais confortável vivendo em outro lugar, minha sugestão, dado o seu histórico, seria Cuba, Coreia do Norte ou quem sabe Burkina Faso, onde Lula pode lhe referendar; penso que vai se sentir mais acolhida. Fica a dica, senadora! De minha parte, me coloco à sua disposição para, inclusive, levá-la ao aeroporto.

 

Eduardo Macedo efozmacedo@gmail.com

São Paulo

 

*

BANANA

 

Gleisi Hoffmann: “Com a prisão de Lula, viraremos uma republiqueta de banana”. E ela é a banana podre!

 

Robert Haller robelisa1@terra.com.br  

São Paulo

 

*

TRÊS PERGUNTAS

 

Quanto, nós, contribuintes brasileiros gastamos com essas absurdas e aberrantes mordomias dos ex-presidentes? Não é uma também absurda incongruência continuarmos pagando a boa vida dos ex-presidentes cassados? Por que ninguém apresenta uma lei para acabar com a referida aberração?

 

Sansão José da Silva sansaojsilva@gmail.com

Uberlândia

 

*

‘HASTA LA VISTA, BABY’

 

Em linguagem popular significa: “Lulla algematus in camburão est”.

 

Marcos Catap marcoscatap@uol.com.br 

São Paulo

 

*

PRESO POLÍTICO X PRESO LADRÃO

 

Desonesta, oportunista e politiqueira a comparação do deputado e secretário de governo, Marun, entre a prisão de políticos corruptos (velhos safados, criminosos comuns) com a dos estudantes presos no congresso da UNE, em Ibiúna, (jovens idealistas, presos políticos) em oposição à ditadura militar brutal da época.

 

Etelvino José Henriques Bechara ejhbechara@gmail.com

São Paulo

 

*

MALANDRAGEM

 

Gostaria de lembrar a Lula, o antigo ditado popular escrito na parede da sala de um determinado delegado de Polícia: “Se todo malandro soubesse que a melhor malandragem é ser honesto, seria honesto por malandragem”. Aproveito para cumprimentar e agradecer aos seis brasileiros, ministros do STF que votaram pelo fim da corrupção no País. Força Brasil!

 

Arcângelo Sforcin Filho arcangelosforcin@gmail.com

São Paulo

 

*

DELAÇÃO PREMIADA

 

Sem direito ao embargo do embargo do embargo, resta ao condenado ex-presidente, como último recurso, a delação premiada. Aí ele tem munição, afinal, estão soltos importantes cúmplices e antigos aliados que se enriqueceram com o famigerado "toma lá, dá cá” do seu singular presidencialismo de coalizão.

 

Nilson Otávio de Oliveira noo@uol.com.br

Valinhos

 

*

STF, MÃO E CONTRAMÃO

 

Se a Constituição e as leis são as mesmas, quais as “razões” para que seis ministros as leiam da esquerda para a direita e cinco da direita para a esquerda (sinistra, em italiano) no STF? As exibições que vemos na TV parecem uma exibição de teatro, um filme de comédia ou terror.

 

Mário A. Dente eticototal@gmail.com  

São Paulo

 

*

ACOVARDADOS

 

Quem agora está acovardado?

 

Moisés Goldstein mgoldstein@bol.com.br  

São Paulo

 

*

UM VOTO PARA NÃO ESQUECER

 

No último dia 4, no julgamento do habeas corpus impetrado pela defesa do condenado a 12 anos e um mês de prisão, o decano do STF, doutor ministro Celso de Mello proferiu uma aula magna sobre a “presunção de inocência”, a condenação após a sentença atingir a condição de “passada em julgado” e o respectivo encarceramento somente após esse marco processual. Ao tentar demonstrar que alguém – condenado de forma unânime, em segunda instância, por colegiado de juízes – tem a inocência constitucionalmente presumida até esgotar todas as instâncias recorríveis, aquele notável ministro consignou de forma sábia a presunção de burrice para todos os cidadãos que se dispuseram a assistir ao histórico julgamento do STF, que impactará a sociedade nos próximos 20 anos, para o bem ou para o mal. Em sua irreparável aula magna citou as declarações de direitos humanos, bem como os grandes juristas europeus, como amparo à sua peroração em favor da sentença passada em julgado em todas as instâncias da República. Ele teve apenas um lapso de memória: em todos os países organizados ou não, europeus ou não, o condenado é encarcerado logo após o julgamento em primeira instância e, em uns poucos países, após a decisão do recurso em segunda instância. Esse notável doutor ministro prefere o processo judicial brasileiro que admite quatro instâncias e dezenas de recursos – garantindo aos poderosos o cumprimento da pena somente 10 a 20 anos depois da condenação; e, em vários casos, garantindo a prescrição da pena. Evidentemente, que a escolha e investidura dos doutores ministros da Suprema Corte brasileira é um dos processos nacionais a requerer transformação para que possamos ter otimismo para a herança a ser deixada para as próximas gerações.

 

Aléssio Ribeiro Souto souto49@yahoo.com 

Brasília

 

*

PARABÉNS

 

Parabéns aos seis ministros que votaram no sentido de mandar o maior salafrário que esse país já viu para o lugar onde deveria estar há muito tempo, a cadeia. Outros cinco, bem, deixa pra lá, devem ter sua razões, as quais não me cabem questionar. Faço algumas considerações que, simploriamente, penso que resolveria boa parte das nossas mazelas. 1) Para se acabar com quase toda corrupção, acabar com as estatais, focos maiores desse cancro; 2) Para diminuir a população carcerária, aumentar as penas e fazê-los cumprir integralmente, sem as regalias que preso não deveria ter; 3) O STF composto por engenheiros – profissão da qual me orgulho em exercer. Se assim fosse, os julgamentos não demorariam nem um décimo do que se vê. Para engenheiro uma coisa é ou não é. Simples assim. Não teríamos aquelas falas empoladas e enfadonhas, que a maioria das pessoas não entende. Ouvi um ministro que falou por cerca de hora e meia para no fim votar pelo livramento do salafrário. Um verdadeiro suplício.

 

Antonio Molina molinaengenharia.santafe@gmail.com

São José do Rio Preto

 

*

CONSTITUIÇÃO FEDERAL

 

Se a Constituição brasileira tivesse que ser levada ao pé da letra, ignorando completamente o seu objetivo e a intenção dos seus autores, como quase a metade dos integrantes do STF sugeriu no último dia 4, não precisaríamos de um comitê composto por seres humanos. Bastaria um robô impedido a entender o que lê, incapaz de interpretar um texto e inapto a transferir o seu sentido teórico para uma situação real. Seria uma enorme economia para os cofres públicos.

 

Henrik Monssen hmonssen@yahoo.com

São Paulo

 

*

SÍNTESE

 

Incrível o poder de síntese dos ministros do STF!

 

Luiz Frid luiz.frid@globomail.com

São Paulo

 

*

AOS TRANCOS E BARRANCOS

 

Felizmente o STF resgatou a nossa esperança. O quinteto do mal não prevaleceu e, embora por votação apertada, a Justiça foi feita A decisão do dia 4 de abril mostrou que todos os brasileiros são iguais perante a lei. Há uma dezena de anos isso seria impensável! O fato é que aos trancos e barrancos vamos caminhando para um país menos desigual!

 

José Eduardo Bandeira de Mello josedumello@gmail.com 

São Paulo

 

*

DESPOTISMO

 

O ministro Gilmar Mendes diz que vivemos um despotismo judicial? Ora, excelência, há séculos vivemos de negligência judicial, morosidade judicial e conivência judicial. Enquanto juízes de primeira instância botam as mãos nos corruptos aplicando a lei, algumas de vossas excelências insistem em não querer enxergar o maior buraco negro de nossa Nação, que é a corrupção, essa sim promovida pela falta de justiças desde o descobrimento desse país. E, talvez por isso, excelência, é que existe a diferença abissal entre nós e as nações mais desenvolvidas. Quantos brasileiros miseráveis, privados das necessidades mais básicas são prisioneiros de inúmeros déspotas corruptos Brasil afora? Quem chama de despotismo judicial as últimas ações legítimas de um juiz de Curitiba em botar um líder de quadrilha na cadeia, numa sociedade achacada por corruptos, no mínimo merece a suspeição de seus pares.

 

José Eduardo Zambon Elias zambonelias@hotmail.com

Marília

 

*

VISITA CONSTANTE

 

Quantos dias Gilmar Mendes passa em Lisboa por ano? Como pode um juiz sair toda hora do País Os lisboetas não merecem esse visitante.

 

Manuel Monteiro manuel.pires1954@hotmail.com

São Paulo

 

*

DISCURSOS

 

O inicio do voto da ministra Rosa Weber, uma incógnita, nada didático, e, falta de clareza dos termos, a princípio, poucos conseguiram intuir se ia votar contra ou a favor de Lula, talvez só com embargos de declaração, o entendimento seria mais claro. Já o recado dado pelo general Lessa, todos os brasileiros, de uma maneira geral, entenderam, objetivo, claro e didático.

 

Arnaldo Luiz de Oliveira Filho arluolf@hotmail.com 

Itapeva

 

*

ROSA

 

A ministra Rosa Hitchcock quase matou alguns honestos brasileiros de tensão.

 

Roberto Hungria cardosohungria@gmail.com 

Itapetininga

 

*

MARCO AURÉLIO E LEWANDOWSKI

 

Quando de direito os ministros Marco Aurélio e Lewandowski irão integrar a banca do ilustre advogado Roberto Batochio?

 

Jorge Augusto Silva jotaugustoadv@icloud.com

Barretos

 

*

ARRASOU

 

Barroso arrasou!

 

Joaquim Quintino Filho jqf@terra.com.br 

Pirassununga

 

*

ABSENTEÍSMO

 

Como estão e como ficarão os índices de absenteísmo nas empresas em razão da manifesta e proclamada solidariedade ao companheiro condenado?

 

Eduardo Menezes Serra Netto decimoserranetto@uol.com.br

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.