Fórum dos Leitores

.

O Estado de S.Paulo

14 Abril 2018 | 03h00

JUSTIÇA X CORRUPÇÃO

Conduta condenável

Lendo a matéria Prisão de Lula une PT e Planalto contra 2.ª instância (13/4, A4), fiquei estarrecido com a conduta dos petistas Luiz Marinho e Gilberto Carvalho, juntamente com Gilmar Mendes, de pressionar o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), para que, em nova análise, mude o seu voto, que tem sido a favor da prisão após segunda instância, no intuito de salvar Lula da prisão. Felizmente, questionado se se sente pressionado, Alexandre de Moraes ironizou: “Demais, demais. Fico assim, eu acho que vou até mudar o voto agora...”. Esperamos, também, que o governo Michel Temer não embarque nesse esforço de manter criminosos soltos, a fim de não macular a sua gestão.

JOSÉ WILSON DE LIMA COSTA

jwlcosta@bol.com.br

São Paulo

Respeito à Constituição

Luiz Marinho não pediu para olharem a Constituição quando o ministro Ricardo Lewandowski (STF) fatiou o impeachment de Dilma. Seriam dois pesos e duas medidas? A qualidade dos nossos políticos piora a cada dia. Pobre Brasil.

MARIO GHELLERE FILHO

marinhoghellere@gmail.com

Mococa

A fórmula mágica

Diante do impasse de interpretação existente quanto à prisão após a condenação em segunda instância ou somente depois do trânsito em julgado, esta segunda alternativa somente seria válida se houvesse um prazo – de, no máximo, seis meses – para que o STF julgasse os recursos. Decorrido esse prazo sem o pronunciamento da Corte, o apenado seria imediatamente preso. Tal proposta se justifica porque não existe nenhum prazo fixado para o julgamento do Supremo, o que leva à prescrição do crime – logo, à impunidade.

ALCIDES FERRARI NETO

ferrari@afn.eng.br

São Paulo

Transparência no STF

Seria muito útil para a Nação conhecer os processos que estão parados no STF à espera de voto ou por qualquer outro motivo. Ontem fiquei sabendo pelo Estadão que o ministro decano, Celso de Mello, tem em seu poder um processo que já dura dez anos e caducará em junho. Fala-se tanto em caixa-preta e o STF é um verdadeiro “caixão preto”. Os ministros podiam ao menos tratar dos assuntos processuais de sua competência com transparência. Tudo o que é público é custeado com o dinheiro da população, que merece mais respeito. Dez anos para um voto é de matar o leigo de aflição, é causa de despesas para todos e é motivo de desesperança.

SÉRGIO BARBOSA

sergiobarbosa19@gmail.com

Batatais

Suprema lentidão

Recomendo aos ilustres membros do STF que leiam um sábio escrito – Dei Delitti e delle Pene (Dos Delitos e das Penas) – pelo iluminista italiano Cesare Beccaria em 1764. Resumindo bastante: a pena deve desestimular o delito e não pode haver penas iguais para delitos diferentes. Simples assim. Ninguém pode afirmar que essas frases são contra a nossa Constituição. Tenho certeza que os votos dos ministros seriam mais breves, pois falando em juridiquês por mais de hora e meia fica impraticável manter a atenção e entender.

GIAMPIERO GIORGETTI

ggiorgetti@terra.com.br

São Paulo

TERRITÓRIO LIVRE

Sem listas totalitárias

“Pecar pelo silêncio quando devemos protestar torna os Homens covardes” – Ella Wheeller Wilcox, poeta norte-americana. O Centro Acadêmico XI de Agosto, tradicional entidade de representação dos estudantes de Direito da USP, não pode ser capturado por interesses partidários ou por ideologias cínicas, nem pode tolerar práticas inconsequentes em face de seu compromisso inafastável com a garantia da liberdade, a promoção da justiça e a defesa da democracia, que fizeram das paredes de pedra do Largo de São Francisco a perene fortaleza da cidadania. Justo quando vivemos o ápice da reificação das pessoas, com o fundador do Facebook se desculpando por ofertar dados dos usuários como produtos para eleições políticas, vemos estudantes de Direito rotularem colegas em função de religião, ideologia e outras supostas preferências íntimas, numa listagem eivada de preconceito, discriminação e prejulgamento. A crise é generalizada e precisamos reagir. Temos a repetição de práticas que remetem ao universo totalitário, que visa a cooptar pessoas pela adequação de discurso para um alinhamento falso, um tudo ou nada para busca e manutenção de poder, uma maquiavélica banalização do mal, em evidente violação de direitos humanos. Quando constatamos que esse comportamento ultrajante está sendo praticado pela juventude acadêmica escolhida para defender e promover a luta histórica do XI de Agosto e das Arcadas, não nos podemos calar, fingindo estar tudo normal nos cantos do pátio. Nosso dever, como filhos do Largo de São Francisco, legatários e protagonistas das lutas pela democracia e pela afirmação dos direitos humanos, nos compele a reagir contra as violações das liberdades, contra a banalização da vilania e em favor do restabelecimento do papel histórico da mais respeitada instituição acadêmica do nosso país. São esses os princípios e valores essenciais do Território Livre que agora – e sempre – devem ser reafirmados.

MARCO AURELIO MARTORELLI, presidente do Centro Acadêmico XI de Agosto em 1992

mamartorelli@ig.com.br

São Paulo

SAÚDE COMPLEMENTAR

Planos e idosos

Acerca do artigo Planos de saúde, idosos, o STF, o STJ e o Congresso (13/4, A2), é preciso lembrar que a ANS determina anualmente os reajustes dos planos não coletivos, chamados individuais. E sempre bem acima da inflação, o que deixa claro que não se limita à correção monetária: em 2017 o reajuste foi de pouco mais de 13%, quando a inflação oficial foi de 2,95% pelo IPCA. Isso não é mencionado no artigo. Os planos individuais representam apenas 19% do total de clientes da saúde suplementar. Enquanto querem discutir reajustes sem limite para os idosos, que recebem uma merreca de aposentadoria, esquecem-se de que 25% dos custos de utilização dos serviços médico-hospitalares das operadoras de planos de saúde derivam de fraudes, utilização desnecessária, exames em duplicidade e reinternações por má prática assistencial, entre outros tantos. É preciso fazer a lição de casa e reduzir os desperdícios.

JORGE LUIZ DE MELO OLIVEIRA

designa@uol.com.br

Cotia

ECONOMIA

Aumento do mínimo

O governo prevê salário mínimo de R$ 1.002 em 2019. E quanto custará o litro da gasolina...?

VIRGÍLIO MELHADO PASSONI

mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

SUPREMO

 

Fato novo e alvissareiro no julgamento do habeas corpus de Antônio Palocci preso há quase dois anos. O plenário do Supremo Tribunal Federal (STF), que tem vencido por placar apertadíssimo (6x5) para manter criminosos na cadeia, conseguiu uma mudança significativa na orientação e, no voto do decano Celso de Mello, agora elastecendo o placar (7x4). O fato deixou o “metamórfico” ministro Gilmar Mendes “vendo navios”. Ele que, infantilmente, comparou o caso concreto ao “AI-5, da época da ditadura”. Como já dizia aquela velhinha de Taubaté: “Gilmar, foi para Portugal, perdeu o lugar”!

 

Júlio Roberto Ayres Brisola jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

 

*

PALOCCI

 

A questão de fundo da concessão ou não do habeas corpos a Palocci é a mesma questão que contrapõe os direitos fundamentais individuais aos direitos coletivos da sociedade, também fundamentais. A própria natureza, a dos humanos e a dos animais irracionais, expõe, como um de seus mandamentos, a prevalência da espécie frente ao espécime, como direito natural, como direito fundamental, como direito maior. Os que erroneamente pretendem garantir direitos fundamentais, garantindo direitos ao indivíduo em detrimento dos diretos da sociedade, pecam pela boa intenção ao inverter a máxima de quem pode o mais pode o menos, pois aqui e sempre, quem pode o menos não pode o mais.

 

Marcelo G. Jorge Feres marcelo.gomes.jorge.feres@gmail.com 

Rio de Janeiro

 

*

HABEAS CORPUS

 

A julgar pelos números apresentados pelo ministro Luís Roberto Barroso sobre o número de HC analisado-concedidos pelo STF no Brasil e em outros países como USA e Alemanha, pode-se concluir que o STF está a serviço da bandidagem, deixando a população decente totalmente abandonada. Que espetáculo nos é apresentado na TV Justiça, que também é paga pelos contribuintes! E os atores todos pimpões!

 

Manoel Mendes de Brito mdebritovoni@gmail.com

Bertioga

 

*<TB>

FORA GILMAR!

 

Finalmente vejo um grupo de advogados protestando contra o histrionismo de Gilmar Mendes e suas atitudes inconvenientemente libertárias. O despeito que tem de Sérgio Moro sempre esteve claro e evidente. Afinal está na mais alta Corte e nunca se mexeu contra a corrupção avassaladora que corrói o Brasil há tempos. Seus companheiros Toffoli e Lewandowski são fidelíssimos aos amigos que os elegeram. Se pudessem cair fora, seria muito bom também. Imaginem o que será o STF sob a Presidência de Toffoli.

 

Joubert Treffis jotatreffis@outlook.com

Várzea

*

NO REINO DO FAZ DE CONTA

 

Gilmar Mendes teve de justificar seu voto a favor soltura de Palocci com muita dificuldade. Tanta que precisou atuar de forma melodramática a favor do coitado que seria mantido na prisão como forma de tortura para ser pressionado a fazer delação premiada. Quem de fora ouvisse, iria pensar que o pobre Palocci estava sendo jogado numa masmorra da Idade Média. Não, sr. ministro, Palocci – por 7 a 4 – foi mantido na prisão para não destruir provas importantes, já que deu chances anteriormente de mostrar-se nada confiável, a tal ponto que conseguiu movimentar sua conta da prisão, veja a que ponto chega a ousadia desse criminoso que foi o principal auxiliar de Lula para perpetrar as “maracutais” que permitiram roubar do povo tudo o que foram capazes de roubar. Sim, por óbvio, ele tem ainda muito a contar sobre como conseguiram tirar tanto dos cofres públicos, ao invés de ter cuidado para que a gente pobre e trabalhadora deste país tivesse uma vida melhor. Mas não! Ajudou o chefão a sacar dinheiro público e desviá-lo para seus bolsos. E apesar disso tudo já provado e comprovado, os ministros Gilmar Mendes, Marco Aurélio Mello, Lewandowski e Toffoli, vêm fazer defesas deste crápula, querendo demonstrar compaixão! Isso sim, “são tempos estranhos”! E ponha estranho nisso, ministro Gilmar Mendes! Compaixão deveria sentir por todos aqueles que morreram neste período em hospitais públicos sem condições de atender doentes que precisavam de atendimento urgente, entre os quais se encontravam tantas crianças! Coloquem-se no lugar de quantos chefes de família e seus dependentes tiveram suas vidas interrompidas pelo desemprego e pela perda de entes queridos pelo fato do sr. Palocci ter feito o que fez! Mesmo assim, embora, a rigor, merecesse castigo pior, sua prisão se dá única e exclusivamente como precaução para que não altere provas que venham ajudar no desvendamento dos crimes que praticaram seu chefão com sua ajuda inestimável, já que para isso, Palocci é realmente este gênio devotado ao mal, mas que o ministro Marco Aurélio anteontem teve o desplante de classificá-lo durante o seu voto, como um “homem de bons antecedentes”, desfiando o seu currículo, como se estivesse a falar de um homem probo que nenhum mal teria provocado à Nação e ao povo brasileiro. Onde estamos, senhores ministros do STF que votaram a favor de Palocci, no reino do faz de conta?

 

Eliana França Leme efleme@gmail.com

Campinas

*

GILMAR MENDES

 

“Foram péssimas indicações (pelos governos petistas) para o Supremo. Pessoas que não eram conhecidas foram indicadas, não tinham formação, não tinham pedigree. Eram para preencher vagas como de simpatizantes...” (7/4, A8). Imprópria declaração de gilmar mendes, com letra minúscula mesmo porque corresponde ao caráter de quem faz esse tipo de juízo de seus pares, tratando-os como animais irracionais, porque o termo pedigree, segundo os dicionários, significa linhagem principalmente de cavalos e cachorros. Diante desta demonstração de total falta de respeito aos demais juízes do Supremo – imagine aos subalternos! – creio que cabe o pedido de impeachment, para o qual me disponho a ser o primeiro a assinar.

 

Antonio Carlos Gomes da Silva acarlosgs9@gmail.com

São Paulo

 

*

PEDIGREE

 

Concordo com o título “Gilmar diz que colegas não têm ‘pedigree’”, uma vez que os humanos têm RG e não CR – Certificado de Registro Genealógico Oficial (“pedigree”) que é conferido somente aos animais domésticos.

 

Emilio Onishi eonishi@uol.com.br

São Paulo

 

*

APOSENTADORIA

 

Só por curiosidade, quanto falta para o “solta todo mundo “se aposentar?

 

Sergio Rodini sergiorodini@icloud.com

São Paulo

 

*

LAMENTÁVEL

 

Perderam-se dois dias para julgar um habeas corpus de um corrupto. E no final vocês já repararam que são sempre os mesmos que querem libertar todos os corruptos? Ou seja: Marco Aurélio, Lewandowski, Toffoli e principalmente Gilmar, o pior deles todos. Lamentável esse nosso STF. Aproveitando, Luiz poderia ser transferido para Pedrinhas.

 

José Fernandez Rodriguez rodriguez1941@gmail.com

São Paulo

 

*

OS 6X5 DO STF

 

Há tempo os ministros do STF votam ações judiciais bem distintas pelo placar de 6x5. O impressionante é que são sempre os mesmos 6 e 5 ministros que votam pelo sim, ou pelo não. Ou seja, o assunto pode ser considerado lícito, ou ilícito ao mesmo tempo? Se a votação é tão previsível assim, porque o espetáculo no TV de coisa “déjà vu”?

 

Omar El Seoud elseoud.usp@gmail.com 

São Paulo

 

*

JUSTIÇA?

 

A Constituição, segundo os ministros do STF Marco Aurélio Mello e Gilmar Mendes, o malfeitor só deve ser preso em flagrante delito, mas isso é conflitante, também conforme a Constituição, onde consta que “todos são iguais perante a lei”. Raros são os que dispõem de recursos, a exemplo de Lula, para bancar advogados atentos e recorrendo insistentemente a todo o momento e em todas as instâncias. Ficou claro, conforme a interpretação dos dois ministros, que a Justiça pode ser extinta, pois se o réu só deve ser preso após condenação na última instância, isso é constitucionalizar a impunidade por decurso de prazo, pois o STF hoje tem um exorbitante número de processos à espera de julgamento e não dá conta; imagina como será se todos os processos forem decididos no STF! Para funcionar a Justiça tem que ser igual para todos, desde a primeira instância: condenou, prende, absolveu solta.

 

Humberto Schuwartz Soares hs-soares@uol.com.br 

Vila Velha (ES)

 

*

CONSELHO PARA D. ROSA WEBER

 

Temos visto o drama de consciência da ministra Rosa Weber entre suas convicções íntimas e seu respeito pela opinião do colegiado no que respeita à prisão após a decisão em segunda instância. As vacilações possíveis entre sua consciência e seu respeito à opinião majoritária na Corte deixa os brasileiros na incerteza do País alinhar-se á civilização do Primeiro Mundo, onde a prisão pode ocorrer na primeira e segunda instância, ou só ser possível em instâncias superiores, quando a maioria dos crimes em julgamento prescreve, deixando livres seus réus. Se pudesse, gostaria de sugerir à sra. ministra que supere seu conflito interior e opte definitivamente por seu alinhamento com a doutrina predominante no mundo civilizado e possa dormir tranquila. Com certeza a maioria da Nação ser-lhe ia muito grata.

 

Mário Rubens Costa costamar31@terra.com.br

Campinas

 

*

LAVAGEM “AD AETERNUM”

 

Quando é que o Ministério Público (MP) vai começar a investigar as grandes lavanderias de dinheiro sujo em que se tornaram os grandes e renomados escritórios de advocacia cujos clientes são políticos corruptos e seus corruptores?

 

Renato Otto Ortlepp renatotto@hotmail.com

São Paulo

 

*

DEFESA DE LULA

 

O advogado de Lula, Cristiano “Chinacaneiro” Zanin, aprontou mais uma. Após requerer participar da oitiva de Marcelo Odebrecht se recusou a fazer perguntas a ele, afirmando que não tinha conhecimento dos e-mails que o mesmo havia encaminhado a Justiça. O que causa maior estranheza é que a defesa e o próprio Lula atacam e acusam a tudo e a todos, dizendo que são falsas as afirmações e imputações, mas jamais impetraram qualquer ação contra Emílio e Marcelo Odebrecht ou outros empreiteiros com quem conviveram e partilharam o butim saqueado dos cofres públicos. Por que será?

 

Claudio Juchem cjuchem@gmail.com

São Paulo

 

*

GLEISI LULA HOFFMANN & LINDBERGH LULA FARIAS

 

O desespero de Gleisi e Lindinho beira o ridículo, agarrados ao único tronco que ainda boiava e que acaba de despencar precipício abaixo em Curitiba, Gleisi e Lindinho agora querem ser chamados de Gleisi Lula Hoffmann & Lindbergh Lula Farias! Pasmem! Colocarão no nome parlamentar de ambos, o nome do ex-presidente Lula. Gostaria de saber qual dos dois será o primeiro a cortar o dedo em solidariedade ao ex? Porque a cabeça, braços e pernas já sabemos que ficará a cargo da Lava Jato, já que ambos estão mais que juntos neste abraço de afogados, completamente chafurdados num lamaçal de denuncias de corrupção passiva e caixa dois! Pergunto-me: Até onde vai a imbecilidade desses nossos políticos?

 

Armando Favoretto Junior armandofavoretto@gmail.com 

São José do Rio Pardo

 

*

VAQUINHA

 

A nobre presidente do PT Gleisi Hoffmann diz que irão fazer uma vaquinha para pagar as despesas de Lula. Seria bom a imprensa publicar o nome desses bondosos brasileiros petistas, afinal de contas, com tanta propina que o PT levantou na Petrobrás essa tal de vaquinha pode ser um “by pass” na Justiça, coisa que o PT se especializou e virou PHD com o mais ético ser deste país, o sr. Lula.

 

Zureia Baruch Jr. zureiabaruchjr@bol.com.br 

São Paulo

 

*

 

O MAU-CARATISMO DE SEMPRE

 

Lula da Silva, apesar do tempo decorrido, e do respeito com que foi tratado pela Justiça e pelo juiz Sérgio Moro, por ter ocupado o mais alto cargo do País, continua o mesmo de sempre. O canalha de sempre. O boçal de sempre. Bravateou o tempo todo durante o processo contra ele, desdenhando da posição da Justiça, confiante no altíssimo poder do dinheiro, dos milhões (ou bilhões, não se sabe ainda) que roubou de nosso país e com que pôde comprar advogados e ministros. Mas Lula perdeu. Perdeu e recebeu a ordem de prisão do juiz Sérgio Moro. Refugiou-se no Sindicato e ali reuniu os “petralhas” que dele se tornaram reféns para, assim, ficar protegido do cumprimento da ordem de prisão pela Polícia Federal (PF). E, para manter ali sua militância, inventou uma missa para dona Marisa Letícia e, então, como o fez em seu velório, montou ali o seu palanque. Mostrou todo o seu ódio à Justiça, aos meios de comunicação e àqueles que nele não creem com o discurso de baixíssimo nível e forte incentivo à violência e à desobediência civil.

 

Neiva Pitta Kadota npkadota@terra.com.br

São Paulo

 

*

TORNEIRO MECÂNICO

 

Lula começou sua vida adulta como torneiro mecânico. Quando, em suas atividades, percebeu que adquiria poder político, deixou de ser torneiro mecânico e aderiu à “torneira mecânica” que começou a derramar dinheiro em seu bolso e no de seus “cumpanheros” políticos.

 

Hoover Américo Sampaio hoover@mkteam.com.br  

São Paulo

 

*

O CARÁTER DE LULA

 

Desde o início do PT no ABC, soube-se que Lula sempre foi uma pessoa sem caráter, que delatava seus companheiros ao Dops, além de possuir um oportunismo desmedido, qualidade negativa que garantiu seu sucesso como político. Aliás, o que se cristalizou sobre a sigla que já nasceu podre, foi o surgimento de uma verdadeira (Entidade Criminosa Politicamente Organizada (ECPO), que tem uma estrutura mafiosa, em que o personagem tem o papel de um verdadeiro “capo”, que comanda a sigla com mão de ferro. A suposta “democracia interna” é apenas uma teatro para fins externos, pois o que menos existe lá é uma efetiva liberdade de discutir ou divergir do chefão. Que o diga Lindenberg, desprezado por no passado divergir, mesmo agora com fidelidade canina, que publicamente implorou ao chefão por gestos, para uma citação nominal no comício travestido de missa, no bunker final situado no Sindicato dos Metalúrgicos dos ABC antes da prisão.

 

Ulf Hermann Mondl hermannxx@yahoo.com.br

São José (SC)

 

*

NOSSO FOCO

 

O Brasil já deu grandes passos contra a corrupção desenfreada. Vamos continuar mantendo o nosso foco, mantendo a prisão em segundo grau, acabando com o foro privilegiado e, este muito importante também, tentando renovar rapidamente o Congresso Nacional, não reelegendo gente indiciada ou suspeita de corrupção sistêmica, como muitos senadores e deputados, por demais conhecidos. Vamos em frente para moralizar este País.

 

Carlos Eduardo Barros Rodrigues ceb.rodrigues@hotmail.com

São Paulo

 

*

FICHA N.º 700.004.553.820

 

O editorial “Ficha n.º 700.004.553.820” (11/4, A3) resume os passos e a rotina do detento VIP, com registro em referência, aos últimos dias. Mas nem por isso a juíza Federal Corregedora da Custódia da PF Caroline Lebbos curvou-se as visitas dos desiguais fora do inflexível regime geral de visitas à carceragem da PF. Detentos são detentos, que por circunstâncias diversas o estado busca a recuperação. Os dias e os anos voam, detentos vão se acostumando à rotina, visitando a biblioteca, acessando a trilogia mais procurada no ambiente, escrita pelo médico Drauzio Varella, útil nos momentos de reflexão: Estação Carandiru, Carcereiros e Prisioneiras, valendo a sugestão. Faça-se justiça, porém, a ideia manifestada pela senadora Gleisi, presidente do PT: merecem considerações e estudos já que facilitaria sobremaneira (passagens são caríssimas e a distância razoável) mudar a sede do partido para capital paranaense, puxando também o Instituto Lula, atualmente operando no vermelho como se noticiou dias atrás. Assim, numa casa ampla haveria espaço para acomodações da sede, outra sala para o Instituto e as demais acomodações reservadas as caravanas e associados da agremiação rebelde, fornecendo a todos pensão completa. É assunto sério, eis que aos 12 anos, poderão ser acrescidos outras dezenas em face de finalização de processos pendentes, tal como vem ocorrendo com o ex-governador fluminense. É uma questão humanitária, pois ficar ao lado do líder, principalmente por facilitar na obtenção de senhas as visitas semanais. Nada contra quero crer por parte de outras agremiações a mudança da sede do PT e do Instituto para Curitiba, ao lado do fichado supra, da PF e dos doutores Carolina e Moro prontos a resolver dúvidas e receber requerimentos sobre a hermenêutica do regimento geral de visitas.

 

Arnaldo Montenegro ac.montenegro@uol.com.br

São Paulo

 

*

BISPO COMUNISTA

 

Este bispo, Dom Angélico, quando era padre na cidade de Ribeirão Preto, era o maior comunista em atividade nos anos sessenta. O tempo passou e a sua tendência esquerdista continua a mesma. Ainda bem que muitos estudantes na época, não se entregaram às suas ideias. Teria sido um desastre.

 

Gilberto Lima Junqueira gibaljunqueira@gmail.com

Ribeirão Preto

 

*

CORRUPÇÃO NO BRASIL

 

Com a roubalheira política desenfreada, de norte a sul do País, já não seria hora de repensar o tamanho do Estado, a quantidade de senadores, deputados e vereadores, e questionar a criação de alguns municípios paupérrimos, sem infraestrutura, que são verdadeiros rincões de corrupção?

 

Ricardo Siqueira ricardocsiqueira@globo.com

Niterói (RJ)

 

*

AÉCIO NEVES

 

“Aécio Neves é internado em hospital de Brasília”, noticiou no portal a “Coluna Estadão”. Está com Tensão Pré-Prisão (TPP)...

 

José Roberto Niero jrniero@yahoo.com.br

São Caetano do Sul

 

*

ALTA HOSPITALAR

 

Pelos menos o senador Aécio está bem de saúde. Não precisa prisão domiciliar.

 

Moisés Goldstein mgoldstein@bol.com.br  

São Paulo

 

*

PUNIÇÃO PARA TODOS

 

Não pensem os psdbistas que com a prisão decretada do ex-presidente “Lulla”, nós que votamos e apoiamos o PSDB durante duas décadas, deixamos passar a prisão de Paulo Preto, pela Lava Jato em São Paulo. Ele foi peça chave na corrupção endêmica na construção do metro e Rodoanel no Estado. A figura de Paulo Preto deve ter provocado uma revoada de tucanos nesse final de semana. Quem precisa de condução mais rápida que o leve da residência até local de trabalho sabe as horas que perde do contato familiar. São mais de 5 horas diárias gastas no ir e vir e os atrasos na construção dos metrôs em São Paulo, não têm perdão. São obras caríssimas, muito acima das de outros países e que demoram quatro vezes mais para ficarem prontas, do que é gasto na China e Coreia do Sul, por exemplo. Que venha a Lava Jato São Paulo e que todos sejam punidos, do PSDB ou não.

 

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

 

*

LIBERDADE DE EXPRESSÃO

 

Solidarizo-me com os dois leitores que publicaram suas cartas, no “Fórum do Leitores" de 12/4, sobre o tema da “Liberdade de expressão”. O sr. Bucci consignou no seu tendencioso texto que o presidente Temer: “Errou. E omitiu-se”. Bem, ele também. Apenas preocupado em denegrir a instituição militar, atingindo seu Comandante, como é sua praxe, não mencionou nada sobre a outra “liberdade de expressão”. Agora, refiro-me ao discurso do senhor condenado e, com mandado de prisão expedido, que, em São Bernardo do Campo em 7/4, além de atacar o STF e o Ministério Público, preconizou o controle da imprensa, e muito mais grave, concitou a militância à desordem com “ocupações” e com “queimar pneus” – (“Estadão” 8/, A6). E o sr. Bucci.... Nem uma palavra. Silêncio. Omissão.

 

José Antonio Simões Bordeira bordeira@compuland.com.br

Petrópolis (RJ)

 

*

         ’SENTENÇAS’

 

O senhor Veríssimo (12/4, C10), na sua incansável saga de defesa do condenado de São Bernardo se supera, agora questionando o tamanho das penas aplicadas. O brilhante cronista, na idolatria que concede à figura, preferia que fosse conferida uma condecoração no lugar da condenação. Melhor ainda, por que não a canonização do apedeuta? Poupe-nos!

 

Sergio Cortez cortez@lavoremoveis.com

São Paulo

 

*

GALVÃO BUENO

 

Nelson Piquet tinha razão quando disse que nas competições de Fórmula 1, esse narrador da Globo só dizia m... Agora, narrando o jogo Real Madrid x Juventus, no episódio do pênalti, praticamente na prorrogação, só ele viu que arbitro estava com uma cara de apavorado. Sou testemunha ocular de que o dito cujo se manteve impávido e absolutamente seguro. Dono da situação expulsou inclusive o Buffon que “foi pra cima dele” agressivamente.

 

Sergio Salgado de Oliveira ssoliveiramsm@gmail.com

Monte Santo de Minas (MG)

 

*

A EXPULSÃO ‘INJUSTA’ DO RODRIGO CAIO

 

O São Paulo jogou na noite do dia 12, na Argentina contra o Rosário Central, que é um time apenas médio e empatou. Os são-paulinos voltaram reclamando da expulsão do Rodrigo Caio, que acertou cotovelada no rosto de um adversário que machucou e sangrou no ferimento e levou o juiz expulsar o tricolor. Os que dizem ter sido injusta a expulsão, esquecem que esta cotovelada aos 36 minutos do 1.º tempo já era a segunda idêntica a uma primeira nos minutos iniciais da partida que o juiz relevou, mas na repetição não houve como deixar impune. O que estranhamos é o Rodrigo Caio, um boleiro de qualidade e não violento, que até mereceu convocações para a seleção, cometer duas vezes uma infração que deve ser apenada com expulsão. Os reclamantes vejam o tape da partida e que só os tricolores e pessoal da mídia que transmitia o jogo disseram ser injusta, acostumados que estão ver nossos campeonatos em todas as partidas acontecer as cotoveladas que fazem parte do show e raramente os juízes “brazucas” quando muito amarelam o agressor, o que os viciam nessa violência.

 

Laércio Zanini spettro@uol.com.br

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.