Fórum dos Leitores

Cartas selecionadas para a edição impressa e portal estadao.com.br

O Estado de S.Paulo

17 Maio 2018 | 03h00

ELEIÇÕES

Desamarrar o Gulliver 

Diante da mediocridade dos postulantes à Presidência da República, está certo o cientista político Francisco Ferraz ao afirmar, no seu melancólico artigo Enquanto dormia Gulliver foi amarrado... (16/5, A2), que nos falta um estadista à altura do momento que o País atravessa. Só nos resta, então, entre as possibilidades, escolher aquele que, ao menos, tenha a clarividência de se sintonizar com a vontade do povo e opte pela imediata, urgente e radical redução do tamanho do Estado. Para começar, poderia de imediato se comprometer a vender todas as empresas federais concorrenciais, como bancos, correios, prospecção e refino de petróleo, e em seguida pôr à venda as empresas que atuam sob o regime do monopólio natural, fazendo concomitantemente – pelos motivos óbvios de combate à corrupção – o que todo país decente faz: profissionalizar, por lei, o serviço público (sem aparelhamentos).

NILSON OTÁVIO DE OLIVEIRA

noo@uol.com.br

Valinhos 

Uma curta ressalva ao artigo de Francisco Ferraz, por sinal, muito acertado: ao faltarem recursos, o Estado brasileiro tira-os não dos que têm mais, e sim dos que têm menos.

INÊS LEVIS

ineslevis@hotmail.com

Jundiaí

Recalcitrantes

Li que “91% dos deputados com contas a acertar com a Lava Jato querem voltar” (14/5). Como seria bom ter lido no Estado que 91% dos deputados com contas a acertar com a Operação Lava Jato não querem mais voltar. 

RAUL S. MOREIRA

raulmoreira@mpc.com.br

Campinas

Voto imponderado

Que 91% dos parlamentares alvos da Lava Jato pretendam disputar a eleição é perfeitamente compreensível, por diversas razões, entre elas o benefício do foro privilegiado. O mais grave, entretanto, é saber que boa parte deles efetivamente conseguirá votos suficientes para a reeleição, independentemente do resultado das investigações. É evidente que o princípio da presunção de inocência é fundamental em qualquer democracia. Porém não há dúvida de que parcela – considerável – da população ainda continuará votando, como sempre, de forma ideológica, irrefletida ou automática, muitas vezes induzida ou literalmente conduzida, pouco se importando com a Lava Jato. Votar requer aprendizado. O próximo Parlamento, infelizmente, ainda deixará muito a desejar. 

LUCIANO HARARY

lharary@hotmail.com

São Paulo

Vaquinha

Se você pretende fazer doações a políticos, aproveite melhor o seu dinheiro e doe aos Médicos Sem Fronteiras e outras instituições do gênero.

ARNALDO RAVACCI

arnaldoravacci05@gmail.com

Sorocaba

CORRUPÇÃO

Causas erradas

Hollande e Zapatero compartilham a liderança da impopularidade em seus respectivos países por suas decisões erradas. Agora, ambos se unem a mais alguns líderes desinformados para apoiar a causa da libertação de Lula, contra a decisão da Justiça, e a candidatura do petista, contra a Lei da Ficha Limpa. Campeões de causas erradas.

JORGE ALBERTO NURKIN

jorge.nurkin@gmail.com 

São Paulo

Tudo pelo poder

Esse manifesto hipócrita dos líderes europeus a favor de Lula é consequência do doutrinamento realizado pela esquerda brasileira no exterior. É óbvio que a esquerda “faz o diabo” – expressão dilmista – para tentar recuperar o poder.

OTTFRIED KELBERT

okelbert@outlook.com

Capão Bonito

APLICAÇÃO DO DIREITO

Ainda o ‘positivismo’

Como refresca o espírito do leitor deparar com opiniões substanciosas como a do jurista Renato Rua de Almeida no Fórum dos Leitores de ontem. O jurista traz o eterno debate entre o “Direito positivo” e o “Direito natural”: um, o comando da autoridade; o outro, o comando do bom senso ditado pela razão inata no Homo sapiens. Donde conclui que “direito e justiça caminham juntos”. Quem nos elucida bem essa união indissolúvel, esse caminhar juntos, é Norberto Bobbio, ao afirmar a essencial influência da moral e da ética na legislação positiva. A alma da lei é a moral e a ética, daí se extrai a justiça. A lei, ainda que formalmente perfeita, se não encasular a moral, é apenas letra. Pior, letra morta. A união de lei e justiça constitui o amálgama necessário como o “momento eterno do espírito humano que exige caráter humano nas leis”. E leis para serem leis não podem apenas ser ditadas pela força. A justiça pelas instâncias da ética, “a virtude dos príncipes”, tem de ter correspondência direta e substancial com a legislação positiva. O positivismo cru, do dura lex sed lex, para que lei seja, exige, como o norte da vida dos cidadãos, que a roupagem da letra seja vivificada pelo espírito da justiça, isto é, da moral e da ética. Portanto, a norma constitucional que eterniza os feitos à influência do “nome” que está na capa do processo, por exemplo, é só “letra morta”, pois que lhe falta o substrato, a alma que vivifica a letra: a moral e a ética.

ANTONIO B. CAMARGO

bonival@camargoecamargo.adv.br

São Paulo

COPA DO MUNDO

Seleção brasileira?

Dos 23 convocados, 20 atuam no exterior, em países desenvolvidos e com salários maiores do que os de presidentes de banco. Chegam com suas Ferraris aos lindos estádios para jogar em cidades limpas, bem pavimentadas e seguras. Vivem em outro mundo, bem diferente do Brasil varonil, onde há jogadores excelentes, alguns já jogando juntos e bem entrosados em seus times e que “ralam” disputando até três torneios diferentes simultâneos, viajando longas distâncias pelo País, jogando em estádios e gramados horrorosos e correndo o risco, como todo brasileiro, de serem assaltados ou sequestrados nesta terra de violência Se a maioria destes jogadores fosse convocada, aí, sim, teríamos a seleção brasileira de verdade, com paixão verde e amarela autêntica, patriótica e com certeza sabendo cantar o Hino Nacional melhor do que os “estrangeiros”. Uma pena, iria torcer de verdade!

ARI GIORGI

arigiorgi@hotmail.com

São Paulo

Desligados da Rússia

Por que há pouco interesse na Copa? Porque o circo sem o pão não interessa mais ao povo.

ELISABETH MIGLIAVACCA

São Paulo

SANTUÁRIO DA 'TRAMBICAGEM'

Será que o mais novo proprietário do triplex de Lula, no Guarujá, um empresário do ramo imobiliário de Brasília com uma capivara que inclui um processo na Justiça por fraude em licitação pública na Prefeitura de João Pessoa e uma condenação na Operação Confraria, deflagrada na Paraíba, se sentiu afetivamente ligado ao ambiente, tentando transformá-lo em local de adoração, um santuário da "trambicagem"?

Paulo R Kherlakian paulokherlakian@uol.com.br 

São Paulo

*

CABEÇA DE BURRO ENTERRADA

Com tanta energia negativa acumulada no triplex da Guarujá, imóvel pivô da condenação do ex-presidente Lula, seria um bom alvitre que o empresário Fernando Gontijo desistisse da compra. Com tantos fantasmas assombrando aquele apartamento, é bem provável que este novo dono também seja trancafiado em uma cadeia de Curitiba por meio de uma célere sentença prolatada pelo juiz Moro. Gontijo já foi condenado por improbidade no âmbito da Operação Confraria, deflagrada na Paraíba contra fraudes em licitações na Prefeitura de João Pessoa. Sua liberdade, após o arremate no leilão do triplex por R$ 2,2 milhões, é um prato cheio para estimular o juiz paranaense a entupir o presídio sulista de políticos e empresários corruptos. 

Mário Negrão Borgonovi marionegrao.borgonovi@gmail.com

Rio de Janeiro 

*

O SONHO DO TRIPLEX ACABOU

Certamente sem sorte estão os condôminos do Edifício Solares, no Guarujá! Se esse prédio entrou para as páginas policiais até no exterior, por ter como ex-dono um ex-presidente corrupto e formador de quadrilha, como o Lula, que inclusive está preso. Agora, quem arrematou em leilão esse triplex, por R$ 2,2 milhões, é um condenado por improbidade pela Justiça Federal da Paraíba, o empresário Fernando Costa Gontijo. Vamos ficar de olho, para ver se não se trata de um laranja de Lula... Ora, o nosso País, não é aonde tudo acontece, e nada é impossível?!

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com 

São Carlos

*

'AVES DA MESMA PENA...' 

Ouvi Carlos Alberto Sardenberg e Cássia Godoy comentarem que o empresário que arrematou o triplex no Guarujá por R$ 2,2 milhões atribuídos a Lula - em outras palavras - é outro enrolado na Justiça. Lembrei-me de um velho ditado popular: "Aves da mesma pena voam em bando".

Devanir Amâncio devaniramancio@hotmail.com

São Paulo

*

TRIPLEX NÃO É MAIS DE LULA

Agora sim o ex-presidente Lula e atualmente encarcerado em Curitiba por apenas pouco mais de 10 anos, poderá afirmar, com credibilidade que o apartamento triplex do Guarujá não é seu, pois acaba de ser adquirido em leilão por um empresário, pelo valor de R$2,2 milhões. Falta agora Lula admitir que as obras no sítio de Atibaia foram executadas por empresas por vantagens em obras do governo. "A verdade é como a túnica de Cristo, não tem costura", (João 19:23). As verdades defendidas por petistas mais parecem uma colcha de retalhos, costura em excesso.

Jair Coelho jairgcoelho@gmail.com

Vassouras (RJ)

*

LEILÃO DO TRIPLEX

O dono do lance que arrematou o triplex do Guarujá atribuído a Lula, além de já ter sido condenado em primeira instância pela Justiça Federal por improbidade no âmbito da Operação Confraria, pagou com dinheiro referente à fraude em licitação em um superfaturamento de obras públicas de infraestrutura bancada com dinheiro de um convênio entre a União e a prefeitura de João Pessoa. Incrível!

Artur Topgian topgian.advogados@terra.com.br 

São Paulo 

*

MILHÕES E MILHÕES

Para recorrer das infinitas condenações, o multirréu Lula da Silva deve mesmo ter muitos milhões de reais guardados embaixo do colchão. Há tempos correu notícia que o advogado do petista já havia recebido mais de R$ 66 milhões de reais a título de honorários advocatícios. Assim, para continuar a façanha de recorrer de tudo e de todos e sem qualquer possibilidade de sucesso, a Receita Federal deveria dar mais atenção aos rendimentos "delle", pois esse é o homem mais honesto, nunca antes visto neste País!

Júlio Roberto Ayres Brisola jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

*

TESOUREIRO DO PT

Com Paulo Ferreira, tesoureiro do PT também condenado, assistimos o epitáfio de mais que um partido, mas de uma ideia, chamada de bolivariana. 

Francisco José Sidoti fransidoti@gmail.com

São Paulo 

*

'ÁGUA MOLE...'

O relator da Lava Jato no Supremo Tribunal de Justiça (STJ), ministro Felix Fisher negou, mais uma vez, habeas corpus impetrado em favor do presidiário Lula da Silva. Os causídicos do mais honesto ouvem seguidamente negativas e, não desistem, apesar de verem que a pedra é mais dura do que se imaginava.

José Alcides Muller josealcidesmuller@hotmail.com

Avaré

*

FAKE NEWS

Pesquisas indicando favoritismo de alguém condenado, em primeira e segunda instância, por delito de corrupção e, ao mesmo tempo indicando a rejeição de alguém que está tentando solucionar os estragos causados por vários anos de governos irresponsáveis, só podem ser fake news, geradas com o propósito de manipular trouxas. Afinal, como diz velho ditado, o que seria dos espertos sem os bobos que neles acreditam? O fato de que as perguntas apresentadas nessas pesquisas constem de site oficial, necessariamente, não indicam legitimidade, pois qual a garantia de que o cidadão ouviu, realmente, aquelas perguntas e que deu, realmente, as respostas coletadas? Quem fiscaliza essas pesquisas? Nunca fui pesquisada e nunca conheci alguém que o tenha sido, a despeito de já contar com mais de sete décadas de idade.

Arlete Pacheco arlpach@uol.com.br 

Itanhaém

*

ENIGMA

Se ainda existem - e devem existir - cabeças pensantes entre as lideranças do PT, o motivo da manutenção de Lula como candidato à Presidência pelo partido, a esta altura do campeonato, só tem uma explicação: já que qualquer outro candidato seria certeza de derrota, o papel do inelegível ex-presidente é meramente provocativo e ideológico, visando às eleições de 2022. 

Luciano Harary lharary@hotmail.com

São Paulo

*

LULA PRESIDENTE

Ainda não caiu a ficha da juíza Carolina Moura Lebbos. Lula está solitário, precisa de companhia, de público para exercer sua inata liderança e Gleisi Hoffmann insiste que "elle" seja candidato à Presidência. A juíza poderia unir o útil ao agradável. Além de atender à periferia da Polícia Federal de Curitiba, transferir Lula para a penitenciária de Pedrinhas (MA), onde "elle", como preso comum e fora do alcance do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e da Lei da Ficha Limpa, poderá ser eleito o presidente dos presidiários.

Humberto Schuwartz Soares hs-soares@uol.com.br 

Vila Velha (ES)

*

ELEIÇÕES

Quem vencer a eleição para presidente da Republica não vai poder governar nem com a ajuda do senhor, porque o Senado e a Câmara Federal estão quase todos dominados pelo satanás.

Reinaldo Cammarosano tatocammarosano@hotmail.com

Santos

*

'TOUT VA BIEN, MADAME LA MARQUISE!'

A situação do Brasil atual me lembra do caso da marquesa que, regressando a seu castelo, pergunta ao cocheiro como estão as coisas. Ele lhe diz que está tudo bem. Ela indaga sobre sua jumenta, e ele fala que ela morreu, mas que está tudo bem. Ela quer saber como o animal morreu, e ele responde que no incêndio da estrebaria, pois o castelo queimou e propagou o fogo, quando o marquês, ao ficar arruinado, suicidou-se, derrubando as velas, que provocaram o incêndio, mas tudo o mais está muito bem. Essa visão otimista não pode ser relacionada à educação de nosso país, cujos alunos saem do 1.º nível sem entender o que leem e saber as operações aritméticas básicas. Também a saúde enfrenta inúmeros problemas como dengue, febre amarela e aumento de casos de malária com hospitais lotados e mal equipados. Quanto à violência continua matando inocentes, e a população dividida, agride os que pensam diferentemente. Para continuar o status quo, 91% dos mesmos políticos fichas-sujas pretendem candidatar-se nas próximas eleições, mas tudo está muito bem, Madame la Marquise... 

Diva Azevedo Andrade Mazbouh diva.am@uol.com.br 

São Paulo

*

PRÉ-CANDIDATOS

Mais de 90% dos parlamentares envolvidos com a Justiça são pré-candidatos. Em editoriais, crônicas, análises políticas e cartas de leitores vemos com insistente frequência que o brasileiro precisa votar melhor para se livrar desse tipo de parlamentar. Pergunto de que forma isso será possível, a menos que promulguem rapidamente uma lei contra os "fichas-imundas", muito imundas, porque sujas, simplesmente, é pouco.

Paulo Araujo pmbapb@gmail.com

Rio de Janeiro

*

MORDOMIA NA PRISÃO 

No nosso país temos um sistema prisional falido, mas enquanto a maioria dos presos sobrevive em condições sub-humanas, vivem amontoados em uma cela diminuta, sem a mínima condição humana, nos deparamos com um preso que fica em uma suíte com aparelho de música, TV e pasmem, até esteira ergométrica. Realmente algo esta errado no nosso país!

Fancisco José Cardia fra.cardia@hotmail.com 

São Paulo

*

ESCLARECIMENTO

Duas perguntas que me infernizam: 1) Alguém poderia me elucidar por que há entre os políticos uma total preferência em ser julgado pelo Supremo Tribunal Federal?; e 2) Por que alguns juízes viajam constantemente para o exterior?

Eduardo Módolo eduardomodolo@yahoo.com.br

São Paulo

*

SEMPRE OS MESMOS

Nesta semana Gilmar Mendes soltou o sr. Paulo Vieira de Souza, ex-diretor do departamento de Engenharia da Dersa, alegando que a prisão preventiva decretada pelo Ministério Público Federal (MPF) não encontra amparo dos fatos. Então lhe pergunto: será que um ex-diretor de estatal apenas com seu salário mensal teria condições de manter na Suíça mais de R$ 140 milhões? Ou será que ganhou na loteria e ninguém sabe? Este montante faz parte de suas declarações de Imposto de Renda? Entendo que estes fatos seriam mais que suficientes para mantê-lo preso e deixar a turma do PSDB sem dormir! Pois bem, hoje, lemos que Dias Toffoli, ministro petista de carteirinha está segurando desde março um dos processos contra a atual presidente do PT Gleisi Hoffmann, mesmo a Polícia Federal tendo encontrado indícios de corrupção e lavagem de dinheiro. Alguém duvida de que isto não vai sair da gaveta? Que tristeza dependermos de um STF totalmente voltado para políticos e não para o País.

Luiz Roberto Savoldelli savoldelli@uol.com.br

São Bernardo do Campo 

*

O DÓLAR NEM COMEÇOU A SUBI

O dólar nem começou a subir, logo mais as enormes incertezas sobre o futuro do País farão o dólar subir como um rojão. Ninguém sabe o que acontecerá nas próximas eleições, não há nenhum candidato razoável no páreo, com chances de assumir a Presidência da República. Tudo indica que a corrupção vai continuar dando as cartas no Brasil, logo mais Lula deve sair da cadeia, com ou sem tornozeleira eletrônica, e ir se juntar a Marcelo Odebrecht e outros que foram chamuscados pela Operação Lava Jato. O Brasil precisa dar um murro na mesa, dar um basta na ditadura da corrupção que impera no país, romper com esse lixo todo que aí está e se reinventar como Nação. 

Mário Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br 

São Paulo 

*

SOA O ALARME DO DÓLAR

O alarme está sendo soado para quem? Temer está dizendo que o Brasil está no paraíso criado por ele como presidente; Lula quando presidente dizia que "nunca antes" o Brasil tinha vivido dias tão celestiais, etc. O alarme está soando para Tiririca?

Ariovaldo Batista arioba06@hotmail.com

São Bernardo do Campo

*

ARMÍNIO E O RH

Bastante produtiva e interessante a entrevista ao "Estadão" de Armínio Fraga (13/5, B5), ex-presidente do Banco Central. Os quadros de servidores da União e eles próprios precisam ser reavaliados com constância, a fim de que se possa auferir o andamento do quesito produtividade. Parece que há muito pessoal com pouca produção, o que induz ao recurso de demissões de acordo com a avaliação.

José Carlos de Carvalho Carneiro carneirojcc@uol.com.br

Rio Claro

*

CADÊ A CRISE?

Fiquei impressionado quando ouvi a notícia de que o Brasil é segundo país (fora a Rússia) que mais comprou ingressos para a Copa do Mundo de 2018? Alguém poderia me explicar, cadê a crise?

Sylvio Ferreira sylvioferreira@hotmail.com

São Paulo

*

DOIS ANOS DE TEMER PRESIDENTE

A comemoração dos dois anos de Temer no governo federal foi vazia, como tem sido o estilo do atual presidente, que efetivamente não tem a liderança necessária em todos os níveis. E pelo visto, o espaço dele em relação a uma possível candidatura à reeleição está cada vez mais difícil. O Brasil vive hoje um momento muito delicado com a classe política muito desgastada. E por certo o atual presidente é um dos mais criticados.

Uriel Villas Boas urielvillasboas@yahoo.com.br

Santos 

*

AVANTE BRASIL!

O mote inapropriado do aniversário de dois anos do governo Temer diz que o "Brasil voltou". Com efeito, a esta altura do campeonato, tudo que o País não deveria fazer era voltar, pois não? Avante, Brasil!

J.S. Decol decoljs@gmail.com 

São Paulo 

*

ANOS DOURADOS

Em entrevista nosso mandatário Michel Temer disse que nesses dois anos do seu governo ele conseguiu colocar o Brasil nos trilhos. Com inflação e desemprego em queda nos brasileiros voltamos a sonhar... Presidente, ainda bem que nos brasileiros sabemos pensar, pois se o senhor tentar sua reeleição com certeza não obterá 0,7 % dos votos.

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

*

O BRASIL VOLTOU 20 ANOS EM 2

Corra, chame o João Santana!

Sergio Salgado de Oliveira ssoliveiramsm@gmail.com 

Monte Santo de Minas (MG)

*

FUNDO DE PENSÕES

A reforma da Previdência deve atingir a todos e começar por cima. Deve ser mantido o teto geral da Previdência social para todos. Quem quiser mais que faca um fundo de Previdência privada. Não devemos mexer ainda, na idade dos aposentados, quer seria igual para todos. Vamos acabar privilégios sobre quem não podem pagar. Esta seria uma verdadeira revolução branca e capitalista, com o fim do esmagamento dos fracos, pelos tremendamente pesados. Este e o Brasil que nós queremos. 

Hans Bachmann hansbachmann100@gmail.com

São Paulo

*

ELETROBRÁS

Falar em privatização da Eletrobrás com lucro da empresa caindo 96%? Temer não perde o senso de humor. 

Jorge Alberto Nurkin jorge.nurkin@gmail.com 

São Paulo

*

INDICAÇÕES POLÍTICAS

O ministro do Desenvolvimento Social, Alberto Beltrame demitiu o presidente do INSS, Francisco Lopes, indicado pelo PSC. Lopes fez um contrato no valor de R$ 8,8 milhões, mesmo sabendo que os programas de computador oferecidos não tinham utilidade para o órgão. O mais grave, Francisco Lopes admitiu que autorizou o gasto sem verificar a procedência da empresa. Essa medida somente ocorreu após reportagem do jornal "O Globo". Mas o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, acertou como partido que eles farão uma nova indicação. Pergunto: como vamos mudar esse país, se continuarem essas indicações, que na verdade afundam os cofres do governo? 

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com 

São Paulo 

*

QUE PAÍS É ESSE?

O governo federal iniciou em 23 de abril a campanha nacional de vacinação contra a gripe. E como não existe vacina para imunizar todos, grupos de riscos têm prioridades, e também os mais frágeis como crianças e idosos. E na lista de preferências situa os professores, que podem propagar/espalhar o vírus. E como eu trabalho com crianças e adolescentes há mais de 31 anos, e atualmente com natação/iniciação com mais de 500 alunos, me senti no direito a vacina. Liguei no postinho pra agendar e fui informado que eu não tenho direito, pois meu local de trabalho/piscina não é fechado! Indaguei a atendente, narrei que trabalho 8 horas exposto ao sol, e na piscina tem muitos produtos químicos, etc., que fragiliza a resistência. Ela disse que nada podia fazer! Enfim, aos 55 anos de idade e com 40 anos de contribuição, descubro que os presidiários (bandidos, assassinos, estupradores, etc.) têm prioridade à vacina, e eu não! É muito revoltante! Que país é esse? 

Alex Tanner alextanner.sss@hotmail.com

Sumaré 

*

PLANO DE SAÚDE

O sr. Gilberto Ochhi, em poucos dias como ministro da Saúde já sabe de tudo sobre planos de saúde, ele se junta aos srs. Claudio Lottenberg, Jose Checcin, Ricardo Barros e Rogério Marinho na empreitada de liquidar os participantes dos planos de saúde principalmente os idosos, ao defender reajustes abusivos de planos.

Ricardo Tannus odracir1947@yahoo.com.br 

São Paulo 

*

A ANISTIA (A PRÓPRIA E A DO INIMIGO)

Desde a Lei da Anistia, que perdoou os crimes políticos cometidos entre 1961 e 79, há o questionamento. Os agentes da repressão não queriam o perdão aos ditos subversivos e estes não aceitavam o benefício aos servidores do regime, ditos torturadores. Mas todos aceitaram o perdão para os próprios crimes. Com isso, veio a abertura democrática e até as discutidas indenizações aos perseguidos. A divulgação do relatório do diretor da CIA, que acusa Geisel e Figueiredo como mandantes da execução de adversários, volta a oportunista campanha para rever a anistia. Ao receber o documento, em 1974, com certeza, o governo americano investigou o conteúdo e, por não ver a existência de crime, decidiu arquivá-lo. Se tivesse descoberto crime e escondido, teria prevaricado e mereceria julgamento idêntico ao dos acusados. O Brasil de hoje vive gravíssimos problemas políticos, econômicos e sociais que em nada se relacionam com o ocorrido há 40 anos ou mais. Em vez de revolver um passado, é preciso trabalhar para solucionar as dificuldades do presente, oferecendo oportunidades à população e legando um país estável para as próximas gerações. A única coisa que os fatos daquele tempo podem despertar de interesse hoje em dia é o zelo para que não se repitam...

Dirceu Cardoso Gonçalves aspomilpm@terra.com.br

São Paulo

*

SOBRE A DITADURA MILITAR

Na véspera da votação no STF sobre prisão após decisão em 2.º instância, o comandante do Exército se manifestou, em rede social, contra a banalização da corrupção e a impunidade. Este comentário parece ter influenciado o resultado da votação. De lá para cá, a leniente 2.ª Turma tornou-se, subitamente, mais estrita. O malogro no desempenho da missão moderadora do STF a destinou a outras mãos, "alimentadas de forças reais e não de papel" (Faoro). No teatro de sombras do jogo de poder chegou-se a uma solução de compromisso, bem mineira. Coube à presidente do STF, ministra Cármen Lúcia, ser a protagonista neste tenso drama. O Poder moderador voltou como um "bumerangue" graças à sua atuação. O desenlace desta novela aguarda as eleições de outubro.

Fernando Flora fernandoflora40@gmail.com

Belo Horizonte

*

DESCULPAS DAS FORÇAS ARMADAS

Aos que querem que as Forças Armadas (FFAA) peçam desculpas por atos praticados por agentes públicos no regime militar, o ex-ministro da Defesa, Raul Jungmann, lembrou no programa "Roda Viva" da TV Cultura que as FFAA são instituições do Estado, que no governo de FHC já pediu desculpas, inclusive indenizando com polpudas cifras aos que se julgaram vítimas ou prejudicados naquele regime.

Paulo Marcos Lustoza pmlustoz@gmail.com 

Rio de Janeiro 

*

PRECISA DIZER MAIS?

Quer dizer que para "livrar o Brasil do comunismo" em 1964 tivemos que engolir gente como Sarney e sua família que mandou censurar o "Estadão" há nove anos? Graças aos governos militares surgiu Lula e sua turma posando de heróis. Precisa dizer mais?

Marcelo Cioti marcelo.cioti@gmail.com

Atibaia

*

LULA E MÉDICI

Sobre a pesquisa CNT veiculada esta semana - que mostra o presidiário Lula com mais de 45% das intenções de voto em vários cenários do segundo turno -, é sempre bom lembrar que Médici possuía 82% de aprovação em seu último ano de governo, segundo o Ibope. Pouco mais de uma centena de pessoas perderam a vida nos porões dos DOI's até 1972, mas isso não impediu que o militar passasse o bastão para Geisel sob aplausos da população. Décadas se passaram e pouca coisa mudou. Quantas pessoas não morreram indiretamente devido aos bilhões desviados das nossas estatais com o aval de Lula? O Brasil agoniza a cada aplauso mal dado.

Thiago Andrade thiagocandrade@gmail.com

Recife

*

CULTURA

Enquanto perdurar a cultura da esperteza e o sentimento de querer levar vantagem em tudo a criminalidade e violência jamais serão minimizadas no nosso país. Roubos e homicídios acontecem, porque há compradores. Infelizmente grande parte da população não é vítima da violência, mas sim cúmplice. Lamento muito a morte precoce da adolescente Soraya por causa de um celular, mas aqueles que compram produtos roubados têm uma grande parcela de culpa nessa nova tragédia que enluta a nossa ex-Cidade Maravilhosa.

Felipe Schittini fschittini@gmail.com 

Rio de Janeiro

*

PM MATA ASSALTANTE

Em nenhum país civilizado matar uma pessoa deve ser motivo de condecoração. Isso posto, penso que não foi o que fez a PM Kátia Sastre: ela atirou contra um assaltante, com a intenção de proteger a outros e a si (a morte do rapaz foi efeito secundário e indesejado, como mostra o fato de ela ter pedido socorro para ele rapidamente). Isso sim me parece louvável e legítimo homenagear. Afinal, policiais são funcionários públicos que prestam um serviço valioso, a custa da própria segurança e da tranquilidade das suas famílias. 

Ricardo Ferreira fredrfo@gmail.com

São Paulo 

*

SEGURANÇA

Se não um policial militar para enfrentar um bandido, quem deveria fazê-lo?

Luiz Frid luiz.frid@globomail.com

São Paulo 

*

PROTESTO CONTRA A EMBAIXADA DOS EUA EM JERUSALÉM 

O premiê Netanyahu afirma que Jerusalém não será dividida (15/5, A9), mas ele se esqueceu de combinar com os cristãos e com os muçulmanos.

Fausto Ferraz faustoferraz15@gmail.com 

São Paulo 

*

O MINHOCÃO E O NOBEL DE ECONOMIA

Ronald Coase recebeu em 1991 o Prêmio Nobel de Economia por suas contribuições neste campo científico. Dentre as principais, temos o chamado "Teorema de Coase", que basicamente diz que a solução mais eficiente em um conflito é alocar os custos para a parte que mais tem condições de suportá-los. O viaduto João Goulart, popular Minhocão, teve seu horário ridiculamente modificado na semana passada, passando a abrir às 7 horas e fechar às 20 horas, com a justificativa da poluição sonora e transtornos causados aos moradores da região. Ora, em aplicação simples e direta do Teorema de Coase verificamos que não é difícil concluir que os moradores, em número infinitamente menor do que os usuários do Minhocão possuem muito mais condições de suportar as "externalidades" do viaduto. Com isso, já resolvemos a questão, sem ter que mencionar todos os outros fatos e argumentos que fazem a recente decisão ser totalmente esdrúxula e inoportuna. Incrível como nossas autoridades estão desesperadas para destruir uma das poucas vias eficientes do caótico trânsito paulistano; o Brasil definitivamente não é para amadores.

Luis Henrique Pires Bruno luishpbruno@me.com

São Paulo 

EFICIÊNCIA DOS CORREIOS

Sobre o editorial "Correios ganham eficiência e geram lucro" (16/5, A3), espero que um dia essa eficiência chegue aos clientes. Desde fevereiro aguardo o recebimento de uma encomenda internacional (registro CY101089347AU) que por culpa dos Correios (problemas do ambiente - "Minhas Importações"), só consegui pagar os tributos em 22/4/18, mas, mesmo assim, ainda não a recebi. Já liguei nos Correios em diversas ocasiões. Tudo que os atendentes fazem é abrir uma nova ocorrência. Isso quando a gravação não informa "Todos os nossos canais estão ocupados. Favor ligar dentro de alguns minutos". Também poderiam melhorar os percursos de entrega. Há algum tempo fiz uma compra de Inúbia Paulista (SP). A distância de lá para minha cidade é de 650 km, mas a logística irracional dos Correios fez a encomenda passear pelo Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Varginha estes de ser entregue. Um passeio de quase 2.000 km! Se os Correios fossem privatizados, seria uma das empresas mais lucrativas do País.

Luciano Nogueira Marmontel automatmg@gmail.com

Pouso Alegre (MG)

*

TEMPOS FEBRIS

Em tempos febris de intolerável insegurança jurídica e de tomada de posição sobre se condenados em segunda instância devem ser ou não presos antes do trânsito em julgado, e, supreendentemente, quando a maioria dos ministros do Supremo passou a acolher a tese de que a custódia nestas situações representa um instrumento importante de desincentivo à corrupção e de redução da impunidade, surge, na contramão desse movimento de faxina, decisão de um ministro dissidente (libertário?), que procrastinou uma solução definitiva acerca da injusta imposição de censura ao "Estadão" (portanto, contra a liberdade), que, há uma década, veda a produção de conteúdo jornalístico sobre a Operação Boi Barrica, que investiga o clã do ex-presidente José Sarney. Ora, juiz - e ainda com muito mais razão um ministro do Supremo - tem dever de ofício de proteger com agilidade e, ante o direito fundamental à informação, necessário ao exercício da cidadania (não há critério de ponderação ou ginástica hermenêutica, no caso em questão, suficientes para justificar a imposição de mordaça ao jornal e não de vigilância eletrônica aos investigados). Falta de educação (e também educação de má qualidade) aliada à censura prévia da imprensa (que deve ser livre e responder pelos danos que causar) cria ambiente favorável a desmandos e derramas de dinheiro público, como confirmam os vergonhosos episódios desvendados pela Lava Jato. Menos informação e menos liberdade de imprensa implicam em mais corrupção, mais fundamentalismo e paternalismo, menor capacidade de escolha do eleitor e, o que é mais vergonhoso, menor possibilidade de mandarmos mais ex-presidentes para a cadeia. 

Rogério Torres adv.rogeriotorres@uol.com.br 

Cataguases (MG)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.