Fórum dos Leitores

BRASIL X SÍRIA

O Estado de S.Paulo

29 Fevereiro 2012 | 03h09

Amigos de ditadores

Parece que voltamos à era das diatribes antiocidentais de Lula: a ministra dos Direitos Humanos (!), Maria do Rosário, criticou a pressão exercida por EUA, Europa e Liga Árabe sobre o ditador Bashar Assad, que vem, nos últimos meses, promovendo um verdadeiro banho de sangue na Síria. Assad, à revelia da condenação desses países, contra o caos humanitário instalado por seu regime, vem perseguindo civis e opositores há meses. A escalada do número de vítimas das atrocidades por ele comandadas não dá sinais de estancamento. E eis que, em meio a esse cenário desolador, justamente no momento em que a comunidade internacional parece estar próxima de exigir o fim do massacre e adotar medidas e sanções mais enérgicas contra o governo sírio, surge Maria do Rosário, com o aval da presidente Dilma Rousseff, censurando as críticas a Assad, refutando medidas que possam acelerar a queda do ditador e, ainda por cima, abstendo-se de indicar alternativas. A trágica política externa petista - amiga de "democratas" como Fidel e Raúl Castro, Hugo Chávez e, agora, Assad - é mesmo irremediável.

HENRIQUE BRIGATTE

hbrigatte@yahoo.com.br

Pindamonhangaba

*

Ditadura boa

Como a ministra petista Maria do Rosário reclamou na ONU da pressão contra o governo sírio, ela deve entender que a ditadura de Assad é uma ditadura boa. Para os petistas, há ditaduras ruins e ditaduras boas. Assim, por exemplo, a ditadura dos militares, no Brasil, foi uma ditadura ruim. Mas a ditadura dos irmãos Castro, em Cuba, é uma ditadura boa. Ditadura de companheiro.

EUCLIDES ROSSIGNOLI

euros@ig.com.br

Itatinga

*

Crítica à ação humanitária

Quando o Conselho de Direitos Humanos da ONU, em Genebra, se une e tenta solucionar o problema de mortandade de cidadãos sírios pelo ditador Assad, a ministra Maria do Rosário (governo petista) critica essa ação humanitária. Uma vergonha! PT, por quanto tempo ainda?

PIRJO ANNIKKI LEHTO-GOMES

nickylehto@uol.com.br

São Paulo

*

Vergonha

Será que a ministra Maria do Rosário - figura por demais conhecida por suas posições radicais de esquerda - desconhece que o ditador Bashar Assad é um assassino e que, certamente, dentro de pouco tempo será julgado por crimes contra a humanidade? É incrível e profundamente lamentável que o Brasil, desde que o PT está no poder, tenha posições sempre favoráveis a ditaduras (Venezuela, Irã, Bolívia, Equador, Cuba e agora Síria). Já está na hora de rever a nossa política externa, começando por demitir, imediatamente, essa ministra que acaba de nos encher de vergonha perante os países democráticos de todo o mundo.

ROBERTO LUIZ PINTO E SILVA

robertolpsilva@hotmail.com

São Paulo

*

Massacre

Então, logo a ministra dos Direitos Humanos (aquela que quer derrubar a Lei da Anistia), em nome do governo brasileiro, diz que os rebeldes sírios não devem receber armas?! Quando era para terroristas brasileiros, podia ter armas, o Irã pode armar os palestinos, Cesare Battisti está livre e solto. Já os opositores sírios têm de ficar parados e deixar-se massacrar, à razão de cem por dia?

ALBERTO FUTURO

carlos_futuro@viscondeitaborai.com.br

São Paulo

*

ESTAÇÃO ANTÁRTICA

Acidentes com etanol

Provavelmente nunca saberemos as causas reais do incêndio na Base Comandante Ferraz. Todavia, em janeiro, o Ministério da Defesa anunciou que o Brasil se tornara o primeiro país a gerar energia com biocombustível na Antártida, graças à instalação de um gerador movido a etanol. Temos de considerar que os demais países não são menos zelosos que o nosso ao não usarem o etanol. Acontece que o diesel e o óleo combustível, normalmente utilizados nos geradores, são menos voláteis e resistem mais ao congelamento do que o etanol. Aqui, no Brasil, já foram registrados vários incêndios e explosões causados pela volatilidade do etanol, inclusive numa das bases da Petrobrás (Barueri). Essas tecnologias que são impostas de cima para baixo, nem sempre dão certo - com frequência os entusiastas da ecologia ignoram a confiabilidade e a economia de um bom motor a diesel.

NESTOR R. PEREIRA FILHO

rodrigues-nestor@ig.com.br

São Paulo

*

Perdemos tudo?!

Para nós que atuamos na área de informática, o ministro da Defesa dizer que "perdemos tudo", exceto o que está na cuca dos cientistas, é grotesco! Não tinham backup dos trabalhos? Ridículo!

JOÃO CARLOS MACLUF

jcmacluf@delta.inf.br

São Paulo

*

MERENDA

Esclarecimento

O secretário municipal de Educação, Alexandre Schneider, não administra uma crise na merenda, como citado no quadro da página A8 de 26/2. O Departamento de Merenda Escolar foi transferido para a Secretaria Municipal de Educação em 1.º/1/2009. Pouco tempo depois surgiram as denúncias feitas pelo Ministério Público Estadual (MPE). O secretário determinou imediatamente que uma nova licitação fosse feita, o que ocorreu em julho daquele ano. Hoje, das seis empresas investigadas pelo MPE, nenhuma presta serviços à secretaria. Além disso, o secretário Alexandre Schneider é o único gestor público que não tem ações contra ele movidas pelo MPE no caso das investigações sobre a merenda.

ANDREA PORTELLA, assessora de Comunicação e Imprensa da Secretaria Municipal de Educação

portella.a@gmail.com

São Paulo

*

CADÊ O PEIXE?

O velho e o mar

A monumental figura do pescador Benedito Correia da Silva (26/2, A26) nos traz à mente a imagem de Santiago retratada por Ernest Hemingway em seu The Old Man and the Sea. O drama do pescador paulista é evidenciado em seu quadro natural: sentado em seu barco, pés na areia e com o mar banhado por um generoso pôr do sol. Longa vida para "o velho e o mar" paulista.

BENEDITO LIMA DE TOLEDO

bltoledo@uol.com.br

São Paulo

*

SAIU DA TOCA

Enfim, o ex-governador José Serra saiu da toca e resolveu concorrer na prévia dos tucanos (PSDB) a prefeito de São Paulo. Pelas suas credencias de ética e de político-administrador, os candidatos oposicionistas, quer na prévia partidária, quer da oposição no próximo pleito eleitoral, não passam de um "chá" fraco, desagradável e morno. São Paulo, uma cidade-Estado, para felicidade dos paulistanos e do Brasil, precisa e deve ser governada por um candidato que tenha  um passado honesto e o peso de um administrador da envergadura de um Prestes Maia, que transformou ruas estreitas e  centrais em avenidas largas e arejadas; de um grande e implacável Jânio Quadros; de um notável administrador como Faria Lima; de um Olavo Setubal; de um Mário Covas; e do próprio pré-candidato Serra. Alea jacta est (a sorte está lançada).

Antonio Brandileone abrandileone@uol.com.br

Assis

*

UM BOM ADMINISTRADOR

Finalmente, a cidade de São Paulo terá um candidato. Sem carisma, servo dos marqueteiros, incapaz de galvanizar massas. Todavia, o administrador de que este incomparável centro urbano, com seus magnos problemas, precisa. E o eleitorado paulistano o conhece, com seus conhecimentos técnicos, experiência e fibra ética, únicos ingredientes que importam num momento crítico da história desta sofrida e cativante metrópole.

Amadeu R. Garrido de Paula amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo

*

O BRASIL E O PT

O PT fez do Poder Executivo o maior cabide de empregos que já se viu. O PT avacalhou com o Poder Legislativo. O PT avacalhou com o Poder Judiciário. Agora quer avacalhar com uma sofrível mas funcional  entidade: a Prefeitura Municipal de São Paulo. Ou nós acabamos com o PT ou o PT acaba com tudo o que nós, brasileiros, prezamos.

Ronald Martins da Cunha ronald.cunha@netsite.com.br

Monte Santo de Minas (MG)

*

DO PLEITO MUNICIPAL AO NACIONAL

Com a entrada do tucano José Serra na disputa pela prefeitura de São Paulo, ficam mais claros os cenários eleitorais municipal e nacional. No pleito da capital paulista, os cidadãos passam, agora, a contar com uma opção de alto nível para o cargo máximo da administração: Serra é um homem público decente, capaz e nada mais tem a provar – foi competente como senador, ministro, prefeito por dois anos e governador do Estado. É uma pena que o custo da sua candidatura seja a desistência do projeto pessoal de chegar à presidência da República: a despeito das falhas na campanha eleitoral de 2010, Serra, há algum tempo, consolidou-se como uma das mais lúcidas vozes de oposição ao governo federal petista. Aécio Neves, a partir de agora, fica claramente incumbido de liderar a oposição e vê também caminho livre em suas pretensões presidenciais de 2014. Resta saber se o senador mineiro conseguirá, desse instante em diante, o que pouco logrou fazer desde sua chegada ao Congresso: realçar a imagem de crítico dos sucessivos tropeços do inepto governo Dilma e lançar-se como alternativa atraente à já cansada gestão do PT no Palácio do Planalto.

Henrique Brigatte hbrigatte@yahoo.com.br

Pindamonhangaba

*

FIDELIDADE, ESTIMA E RESPEITO

Belas palavras do secretário Andrea Matarazzo quando do anúncio de sua saída da disputa às prévias do PSDB: “fui educado para respeitar a hierarquia e a precedência e em nome destes princípios e pela longa amizade que nos une retiro meu nome e proponho a substituição pelo de José Serra”. Em tempos em que prevalece o egoísmo, o desprezo à abnegação, o cada um por si, o salve-se quem puder, “a lei de Gerson”, vemos que ainda há espaço para a fidelidade, a estima e o respeito.

Luiz Nusbaum lnusbaum@uol.com.br

São Paulo

*

RENOVAÇÃO POLÍTICA

A mesmice política é somente para confundir. Avizinhando-se as eleições municipais e muitas alianças entre os partidos, na maior cidade do País, São Paulo, o avanço do candidato da oposição fez com que se cogitasse do nome de José Serra, inegavelmente uma boa lembrança. No entanto, precisamos urgentemente de renovação política, com novos candidatos jovens e preparados, a fim de que não se repitam as experiências do passado. A impressão que se tem é que a política todos veste diversas camisas para entrar em campo e não se dão conta quando o jogo terminou. O melhor a fazer é que o cidadão indique os candidatos às prévias e depois entre eles saiam 2 ou 3 com reais chances de vitória. No mais, são despesas inócuas e tempo ocupado na televisão, rádio sem qualquer finalidade, exceto de visibilidade maior aos derrotados.

Carlos Henrique Abrao abraoc@uol.com.br

São Paulo

*

FALTA DE ‘TATTO’

O Sr. Jilmar Tatto, líder da bancada do PT na Câmara dos Deputados, sempre me faz rir quando declara algo. O mundo inteligente ainda não desmemoriado gargalha com a arrogante  tranquilidade dele em a tudo distorcer a favor de seu partido radical e comunista! Chamar São Paulo de "ninho da direita" em um país onde sequer ela existe organizada e onde os partidos são todos mais ou menos de esquerda só pode ser piada de quem se acha  hegemônico e superior. Melhor seria o sr. Tatto explicar o envolvimento do PT de São Paulo com a máfia do perueiros e o PCC, escândalo este abafado pelo "direitoso” José Serra  anos atrás a pedido do próprio presidente Lula ao candidato Serra que assim o fez em nome das raízes comuns entre PT e o PSDB quando o então secretário da Segurança Pública de SP e promotor de justiça, Saulo de Abreu Castro (homem de pulso)  lá no governo Alckmin da época pois este queria mostrar á imprensa (e assim o fez  para alguns jornalistas do O Estado as transcrições do áudio das fitas)  as provas gravadas por interceptação de como as lideranças do PCC mandaram naquele momento seus quadrilheiros apoiarem o PT e ameaçarem tudo o que era do PSDB naquela campanha, leia-se comitês na periferia, veículos e pessoas... Eis aí a "perigosa direita" do sr. Tatto, representada pelo "direitoso" José Serra.

 

Paulo Boccato pofboccato@yahoo.com.br

São Carlos

*

CONTA OUTRA, DIRCEU

Artigo de José Dirceu (Operação pró-Serra (des)organiza as oposições) publicado em jornais deixa evidente a preocupação do petista quanto à entrada de Serra na disputa paulistana. Começa afirmando que com Serra nas prévias os tucanos perderam a argumentação contra a escolha consensual de Haddad. Mas acontece que Haddad foi escolhido por vontade soberana de Lula contra a vontade dos petistas em geral... ao contrário de Serra, que foi solicitado pela militância e pelos filiados e só em virtude disso é que dois pré-candidatos já abdicaram da disputa eleitoral, por entenderem que, contra o PT e por São Paulo, tudo vale a pena, pois a causa não é pequena.  Dirceu aposta também na desarmonia tucana alegando que Alckmin aposta mesmo é no Chalita... Só rindo... quem está apavorado de ver Chalita na campanha do PMDB é Dirceu... pois os votos dos eleitores  não tucanos estarão divididos. Quanto a alegar que Serra não terminará o mandato... só me resta dizer que da outra vez em que foi Prefeito ele deixou muita saudade pela excelência de sua administração. Antes assim, pois dos "extraordinários governos de Erundina e Marta" que ele cita... fica-me a lembrança da proposta da primeira de se fazer banheiros e lavanderias públicas debaixo do Minhocão para os moradores de rua... ao invés de sugerir plano de moradia para os mesmos ( claro,a proposta foi rejeitada!) e a segunda , dona marta Suplicy, esta foi especialista em terminar obras de péssima qualidade (padrão PT de qualidade) que tiveram que ser totalmente refeitas na administração seguinte... Dirceu finaliza dizendo que "diante do quadro" o PT  está obrigado a uma linha de ação nacional, que significa trabalhar em torno de coligações "com nossos aliados tradicionais"...Ora, ele quer dizer que só agora, por causa do Serra o PT vai dar preferência às alianças? Pois se há oito anos o PT tem maioria no Congresso graças às estas tais coligações! Contra outra, Dirceu! Fonte: Artigo publicado no Brasil Econômico, em 23 de fevereiro de 2012.

Mara Montezuma Assaf montezuma.scriba@gmail.com

São Paulo

*

O PT DESESPERADO

Primeiro foi jilmar tatto que tentou esculhambar São Paulo, agora vem o comuna dirceu falando besteiras sobre o Grande José Serra. Estão desesperado, pois o “cara” impôs o “melhor ministro da educação de todos os tempos”, isso, para analfabeto “cara” para ele que sabe fazer as contas 7+ 4 = 2, é um gênio, e os petralhas tiveram que engolir, mesmo sabendo que este cara não teria chance, pois São Paulo não tolera corrupção como estão fazendo em Brasília (isso apelidado de malfeito), ate o dicionário estão modificando. O negócio desse caras é apoiar países onde impera a ditadura, e não sabem o que é democracia. Será que o dirceu esqueceu que precisou se submeter a operação plástica para não ser reconhecido pelos brasileiros como comuna e guerrilheiro? Vá para cuba lamber o seu ídolo castro...  (nota: tudo o que se refere aos petralhas é minúsculo, por favor).

Delcio da Silva delcio796@terra.com.br

Taubaté

*

CANDIDATURA-FIM

Puxa! Feliz o país que tem a oportunidade de ter a candidatura de Serra. O que parecia impossível, diante de tanto charme, aconteceu. Será que merecemos isso? Teremos sempre os meios substituindo os fins. A candidatura é um fim em si? Que tipo de administração poderemos esperar? Sic transit gloria mundi.

 

Ulysses Fernandes Nunes Junior twitter: @Ulyssesfn

São Paulo

*

APOIO

Sr. Serra, não aceite apoio de Kassab que tudo ficará mais fácil.

Carlos Alberto Duarte carlosalberto@ibg.com.br

São Paulo

*

KASSAB CAÇADO

É notório que o Sr. Gilberto Kassab não foi recebido com euforia pelo PT. Nem pela Sra. Dilma. Faltou provavelmente o aval do Lula. Lá no palácio dizem que o prefeito de São Paulo não pisou no tapete vermelho. Até agora ninguém entendeu essa "guinada" do Sr. Gilberto. Afinal, qual será o objetivo? Algum ministério? Uma secretaria? A presidência de alguma estatal? Nestes últimos dias ele está bem acomodado "em cima do muro". Com a candidatura do Sr. José Serra, ele, Kassab, será "caçado" por todos os partidos, isto é: escolheu tanto que foi dormir embaixo da goteira. Melhor seria para ele e para a cidade de São Paulo reunir-se com o governador Alckmin e estabelecerem ações preventivas para enfrentar os covardes ataques do PCC, PC do B,

PT e outros que sempre ocorrem às vésperas das eleições.

                                                                                                Antonio Carlos S. Lopes cytuba@uol.com.br

Caieiras

*

COM SERRA...

Será que ainda dá tempo de dar marcha-à-ré na doação de terreno público para o Instituto Lula? Se quiser mesmo o tal memorial, o PT deve comprar o terreno a valor de mercado!

Alberto Futuro carlos_futuro@viscondeitaborai.com.br

São Paulo

*

ALIANÇAS E DEDOS

São tantas as alianças políticas  para  concorrer as eleições  para  prefeitura da cidade de São Paulo que depois do pleito pressuponho que  a maioria ficará com os dedos atrelados...

 

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

*

VOOS ALTOS

Após a péssima gestão de Kassab na Prefeitura de São Paulo e de ele ter criado seu próprio partido, ele se dá ao luxo de escolher quem vai apoiar, entre o "PT" e o "PSDB". Logicamente, isso dependerá do partido que mais lhe render benefícios e vantagens, pois sempre esse foi sei intuito nas suas atitudes e atividades políticas. Surgem 8 partidos com a intenção de cortar-lhe as asas, pois quer voar cada vez mais alto e sem limites, ambicioso e ganancioso ao extremo. Vamos ver se a pressão do PMDB; PSDB; DEM; PP; PR; PTB e PMN, juntos conseguem frear sua volúpia e seus ímpetos.

 

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

‘DECEPÇÃO’

Obviamente, não tenho procuração alguma para defender o Sr. José Serra como pessoa e nem mesmo como candidato à Prefeitura de São Paulo, certamente ele não precisaria. Porém lendo opiniões no Fórum do Estadão de ontem, encontrei a carta do leitor Sr. Tibor Rabóczkay, que trata o “candidato como sendo inviável diante das denúncias apresentadas na obra A Privataria Tucana”. Antes de tudo – “obra” certamente aquilo não é. Pode ser um compêndio bem montado pelo jornalista Amauri Júnior fundamentado na CPI do Banestado, cuja atuação polêmica do relator Dep. José Mentor (PT), foi marcante pelo inexplicável desaparecimento de documentos; incompreensível abstração do Banco Rural no relatório final, além de suprimir Paulo Maluf das audiências. Maluf hoje faz parte da lista de procurados internacionais pela Interpol por valer-se do território norte-americano para trânsito de recursos oriundos de fundos ilegais, os mesmos que a CPI de Mentor em seu relatório não reconheceu. Toninho da Barcelona ou Antônio Oliveira Claramunt foi preso e condenado por realizar operações financeiras ilegais, e quando ouvido na CPMI dos Correios, (mensalão) afirmou ter feito inúmeras operações de câmbio para o PT que mantinha uma conta clandestina no exterior no Trade Link Bank, offshore vinculada ao Banco Rural. O mesmo ainda citou que o relator - Dep. Mentor sendo autor de remessas. Na CPMI dos Correios (mensalão), Mentor foi arrolado e faz parte da peça de acusação, pois recebeu altas somas transferidas para a conta corrente de seu escritório por Marcos Valério. Posta estas circunstâncias esclarecedoras, e que cercam o material extraído na maior parte de autos oficiais, e que se as conclusões do autor da “obra mambembe” se fossem verdade, creio que o Ministério Público já deveria ter aberto processo contra os envolvidos. Aliás, de fato abriu contra os que de fato há provas e pudesse ser imputada ação criminal e não conclusões de caráter genérico ou achismos. Porém ao livro há de se dar crédito pelo caráter de levantamento que ali bem demonstra a metodologia putrefata das chamadas transferências via CC5 para o exterior, e que de outra forma ou sob outro nome, fatalmente e lamentavelmente continuam. Exemplo claro foi o que aconteceu recentemente, e ao que eu tenho acompanhado pela imprensa, sem absolutamente nenhuma repercussão maior, ocorreu com fabulosa quantia que o ex-presidente da Casa Moeda transferia para off-shore em paraísos fiscais. A meu ver, e se investigado é impossível que aquilo até pelos valores envolvidos não tenha muita gente, mas muita gente graúda abarcada. Estas formas de transferências – CC5 são as mesmas que o juiz Lalau utilizava, não há novidade e o jornalista Amauri Junior bem descreve a questão, tal qual ele descreve no último capítulo, e muitíssimo bem, toda questão envolvendo a notória tentativa de parte do PT tentar “puxar o tapete” (usando um jargão popular) da então candidata Dilma Rousseff logo na saída de sua campanha, mostrando que a laia do lado de lá também não é flor que se cheire, ou até mesmo é um ninho de cobras. Enfim, e primordialmente e ao que parece a disputa em São Paulo se dará por dois ex-ministros de Estado. Não vejo tal qual o autor do comentário que aquilo que conceitua como “obra”, vá influenciar na eleição tanto quanto as tragédias do Enem; dos livros de ensino básico impressos errados ou ensinado que escrever errado está certo – num contrassenso e desaprovo total à língua pátria por eleitores que de fato são inteligentes e possuem reserva cultural em ler e criticar um livro de verdade.

Oswaldo Colombo Filho colomboconsult@gmail.com

São Paulo

*

ELEIÇÕES 2012

Sem que isso possa ser interpretado como uma reação bairrista, já que sou carioca, gostaria de perguntar ao leitor pernambucano Júlio Ferreira qual o real motivo da sua tamanha preocupação com a candidatura de José Serra à Prefeitura de São Paulo (Fórum dos Leitores, 28/2). O referido leitor, que conheço através de belas cartas escritas ao longo de muitos anos, não escreveu uma linha sequer a respeito das falcatruas de seu conterrâneo Fernando Bezerra, pego com a boca na botija em desvios vergonhosos de verba para Pernambuco, para favorecer um filho seu, além do caso de nepotismo com seu tio. O leitor Júlio, porém, tem razão quando diz que existem “políticos profissionais”, verdadeiros gigolôs de partidos, pelo Brasil afora. Não acho, entretanto, que seja esse o caso de Serra, político realizador, detentor de currículo invejável. Não entendi por que o leitor está procurando esses tais políticos, que existem em abundância na sua terra natal, na terra dos outros.

Ronaldo Gomes Ferraz ronferraz@globo.com

Rio de Janeiro 

*

POLÍTICOS SUBESTIMAM ELEITORADO?

 

Com relação a eleição do futuro prefeito de São Paulo, alguns leitores tem comentado neste jornal que os políticos subestimam a inteligência do eleitor. Esses leitores erram. Os políticos safados é que acertam apostando na ignorância do eleitorado, não só o paulistano, mas do Brasil em geral.

 

Laércio Zannini arsene@uol.com.br

São Paulo 

*

CASO CELSO DANIEL

Ao ser entrevistado anteontem (27/2) no programa Roda Viva, veiculado pela TV Cultura, Bruno Daniel, irmão do ex-prefeito de Santo André Celso Daniel, foi de  forma agressiva e facciosa questionado pelo apresentador do programa, jornalista Mario Sergio Conti. Este tentou por todos os meios insinuar ao entrevistado no sentido de convencê-lo de que o crime que vitimou seu  irmão Celso não foi político, mas sim um crime comum. Não conseguiu seu intento, pois Bruno Daniel, de forma sóbria e com pleno conhecimento de todos os meandros do processo, rebateu com  força argumentativa, todas as insinuações de seu interlocutor. É de se estranhar a atitude do jornalista Mário Sérgio Conti pois em dado momento da entrevista, parecia não se conformar com as explicações do Bruno sobre o rumoroso caso do assassinato de seu irmão. Tanto assim que, ao final do programa, desculpou-se ao entrevistado.

 

Francisco Zardetto fzardetto@uol.com.br

São Paulo

*

INCÊNDIO, MORTES, OMISSÃO

Homenagens aos militares mortos na Estação Comandante Ferraz, na Artártida é o mínimo que o governo poderia fazer já que pagaram com a vida a tentativa de debelar o fogo em condições tão difíceis. Este triste acidente evidenciou a falta de investimentos que poderia, se havido, ter sido evitado. Que tudo seja apurado com transparência e rigor. Agora se sabe pela mídia que foi investido zero de recursos ultimamente, sequer os que deveriam ter sido direcionados através de emendas parlamentares. Que o país receba explicações convincentes do ministro da Defesa e da Ciência e Tecnologia. E também que expliquem a preocupante omissão do naufrágio de uma chata com milhares de litros de óleo, agora a quarenta metros de profundidade, cujo vazamento poderá acarretar seriíssimo dano ao ecossistema local. Esconder do povo brasileiro fatos de tal gravidade está mais para o estilo da antiga união soviética do que para os dias de hoje num país dito democrático!

 

Eliana França Leme efleme@terra.com.br

São Paulo

*

CORTE DE VERBAS

Será que existira algum repórter que não esteja afinado (ou iludido ou corrompido) com o governo federal, que tenha a coragem de questionar ministros e presidente, o porquê do corte de verbas para a Missão na Antártida? Pois foi este corte de verbas que matou dois brasileiros. Será que o Ministério Publico, não entrará, neste caso, para responsabilizar estas autoridades omissas? Ou será que estamos amarrados, sem defesa alguma, mas pagando mordomias à um pequeno grupo de maus brasileiros, que fazem parte do sistema de maracutaias. O Brasil está doente, só não vê quem não quer. Acordem...

Claudio Szulcsewski claudio@trainnet.com.br

São Paulo

*

TRAGÉDIA ANUNCIADA

A tragédia ocorrida com o Proantar, na Estação científica Comandante Ferraz está anunciada desde 2006, quando a imprensa já denunciava que era medida de urgência urgentíssima a recuperação da Estação para o Ano Polar Internacional (2007/2008). Em seis anos o governo lulopetista destruiu o projeto arriscando-se a perder sua posição de membro consultivo do Tratado da Antártica, privilégio de apenas 28 países. O acidente ocorrido na Estação, com dois mortos e muitos feridos, tem antecedentes. De 2001 a 2011, o governo deixou de gastar R$30 milhões na conservação da Estação. Pesquisa científica não faz parte da praia do PT e aliados.Tal qual um submarino que só submerge, vem a Marinha e afirma que o acidente não teve causa na falta de investimentos do governo. A Estação está sucateada, assim como também estão o aparelhamento das Forças Armadas que se encontram acuadas pela vendeta armada por um a comissão que tem na moeda da verdade somente uma face. Até o espírito crítico dos militares está sendo questionado. Já houve um tempo em que as Forças Armadas defendiam a ordem constitucional e a rapinagem política. O enfraquecimento do Exército é o fortalecimento de uma oligarquia lulocrata, cujo modelo já se observa infectando a América Latina.

 

Jair Gomes Coelho jairgcoelho@gmail.com

Vassouras (RJ)

*

ANTÁRTIDA

É fundamental aumentar nosso investimento na Antártida. A terra do futuro ou prometida pela  extensão da sua área, que na verdade ainda precisa ser verdadeiramente explorada, e conscientemente.

O Brasil como um dos "donos" e participantes desse seleto grupo já mostrou que tem gente capaz e patriota, só resta agora renovar o local, e de uma maneira mais atual, sem corrermos tantos riscos. Parece piada, mas é terrível apagar um incêndio num local tão gelado. Isso precisa ser uma das prioridades. Espero que a morte dos dois heróis seja para tirarmos  lições de aprimorarmos nossa estação e continuarmos participando efetivamente desse processo de conhecimento e ajuda ao mundo.

Antonio Jose G. Marques a.jose@uol.com.br

Rio de Janeiro

*

FOGO PURIFICADOR

O fogo que purificou a alma da valorosa equipe da base brasileira na Antárdida lamentavelmente não atingiu os nossos governantes, para se purificarem das suas mazelas. Falta de verba, falta de reconhecimento do valor científico do trabalho desenvolvido, falta de tudo, até de vergonha, enquanto a corrupção campeia solta, um Legislativo desmoralizado, que conduz os brasileiros a se contentarem com o "brado retumbante" do nosso hino nacional. Onde estava, senhora presidente?  Li ontem no Estadão (esse é grande de verdade), a senhora estava fazendo propaganda política em Fortaleza, para um político, que quer até se intrometer na disputa para a prefeitura da  capital de São Paulo. A senhora deveria estar na  área recebendo nossos heróis e se penitenciando publicamente pelo abandono de um empreendimento relevante não só para o Brasil, e para todo nosso Planeta.

Rosalvo Lopes da Silva rosalvo.lopes@terra.com.br

São Paulo

*

MUNDO NOVO

O incidente serio que aconteceu na nossa estação na Antártida mostra que temos que urgentemente investir em segurança e prevenção de incêndios. O local, apesar de gélido, precisa ter um esquema especial de prevenção e manutenção acima de qualquer parâmetro normal em terra firme. Não podemos perder vidas de gente tão dedicada e patriota, precisamos investir  mais e usufruir dessas pesquisas, pois a Antártida ainda é um ilustre desconhecido para o mundo. Podemos ter lá um celeiro em relação a fauna marinha e também termos experiências embasadas no tempo e temperatura, em relação aos famosos El Nina e El Nino. Isso vai ajudar não só o Brasil, mas nos manter na vanguarda dessas sérias e importantes pesquisas.

Evelin Baruki evelin-baruki@bol.com.br

São Paulo

*

SANTA IGNORÂNCIA

A ministra Maria do Rosário está delirando ao criticar países do ocidente que estão supostamente ajudando os opositores do facínora Assad, da Síria, a se armarem. No meio desta carnificina em que milhares de sírios estão sendo mortos, porque não aceitam a ditadura instalada, a ministra de Dilma, romântica, ou mal intencionada contra o povo sírio, quer que a “política ocupe espaço”. Ou seja, quanto mais o ocidente tenta há meses dialogar com o déspota do Assad, mais este presidente assassina seu próprio povo! Essa defesa absurda acima citada, somente poderia sair da cabeça de uma petista, tamanha sua irracionalidade! Aliás, é uma vocação do partido do Lula defender dirigentes totalitários! Estão neste desprezível rol, o Ahmadinejad, Chaves, Fidel, o falecido Kadafi, membros da Farc, e até o insignificante Rafael Correa do Equador. E para que o leitor saiba, esta colaboradora do Planalto, infelizmente é Ministra de Direitos Humanos... Pode?! Imaginem se não fosse?!

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

POLÍTICA EXTERNA VESGA

Só porque o ditador Bashar Assad esta dizimando seu povo sistematicamente e ordenando o assassinato de repórteres estrangeiros que tentam documentar o genocídio de opositores sírios, a ministra Maria do Rosário (Direitos Humanos?) porta voz da presidente Dilma,  resolveu criticar o envio de armas de países ocidentais a civis sírios para se protegerem das forças leais ao presidente que usam caças e  taques. Nossos estrategistas querem que política ocupe espaço, mas esquecem de que a política de Assad é primeiro atirar e depois perguntar.  No Irã foi assim, o então presidente Lula considerou na época  os protestos da oposição iraniana com assassinatos filmados por celulares como choro de torcida de futebol, ou em Cuba quando os presos contrários a Fidel foram comparados como bandidos de uma facção criminosa . Enquanto nossa política externa for orientada pela ideologia e incompetência  e não pelo respeito a vida, o Brasil esta fadado e ser visto como republica das bananas.

Peter Cazale pcazale@uol.com.br

São Paulo

*

VIÉS VERMELHO

A ministra criticou a pressão sobre a Síria. É a ladainha de Maria do Rosário sempre à favor dos di(P)Tadores.

 

A.Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

*

COLOCAÇÕES INFELIZES

A entrevista da recém-empossada presidente da Petrobrás ao Estadão (26/2) contém algumas colocações no mínimo impopulares, para não dizer infelizes. A Sra. Foster precisa entender que o que é lógico para uns não é necessariamente para outros. Se é óbvio para ela que o consumidor final deva arcar com a elevação do custo do combustível, não é o que pensa a imensa maioria dos consumidores, considerando que o governo não tem se mostrado competente para tornar-se autossuficiente na produção de petróleo e, portanto, acha lógico repassar seus custos para o "mico". Pior ainda quando afirma que o controle da inflação não é vocação da Petrobrás. De fato, o controle da inflação não é vocação da Petrobrás, mas dever de todos nós, sobretudo do governo, incluindo a Petrobrás.

 

Luciano Harary lharary@hotmail.com

São Paulo

*

PREÇO DA GASOLINA

Sobre o cogitado aumento do preço da gasolina, declarou Maria das Graças Foster a nova presidente da Petrobras, é preciso corrigir os preços vigentes, atualizando-os, não faz sentido imaginar que quem vende – qualquer coisa que seja uma xícara, um caderno, gasolina, diesel – não repasse ao mercado as suas vantagens e as suas desvantagens. Em relação às desvantagens pergunto: porque quando os preços do petróleo no mercado internacional foram reduzidos permanecendo por muito tempo abaixo da media em razão da grande oferta no mercado,  a Petrobras não reduziu no mercado interno os valores do preço da gasolina? E indo além pergunto: Porque na vizinha Argentina, onde não há  pré-sal e outras promessas de autossuficiência,  a gasolina é muito mais barata que a nossa e de qualidade superior?

Amâncio Lobo Amancio lobo@uol.com.br                                                

São  Paulo

*

DERIVADOS DE PETRÓLEO

O governo ameaça aumentar o preço dos derivados, apesar dos inconvenientes que isso acarreta. Mas, desmentindo o ex presidente que dizia sermos autossuficientes e potenciais exportadores, a importação de petróleo pelo Brasil é pequena e o aumento, devido ao preço global da commodity não se justifica. A solução mais racional é reduzir a extorsiva carga tributaria que incide no preço que pagamos nos postos de gasolina. Mas racionalidade não é o forte dos nossos  governos. A Petrobrás é uma estatal e isso agrava os custos de produção e distribuição, além da péssima qualidade da gasolina e diesel que ela produz.

Mário A. Dente dente28@gmail.com

São Paulo

*

SEM GRAÇA

O aumento da gasolina proposto por Maria das Graças Foster não tem graça nenhuma.

Roberto Twiaschor rtwiaschor@uol.com.br

São Paulo

*

FEBEAPÁ

Se estivesse vivo o jornalista Sergio Porto, Stanislaw Ponte Preta, não acreditaria que o seu Febeapá (Festival de Besteiras que Assolam o País) ainda estaria muito mais vivo hoje do que estava nos anos em que escrevia sua famosa coluna nos jornais. A mais nova veio na forma de uma ação contra a Editora Objetiva e o Instituto Antonio Houaiss impetrada pelo Ministério Público Federal em Uberlândia (MG). O procurador federal quer a retirada imediata de circulação de todos os exemplares do Dicionário Houaiss por "conterem expressões preconceituosas e pejorativas aos ciganos". Parece que o sr. procurador, pago pelo dinheiro do povo brasileiro, tem muito pouca coisa a fazer, pois quer censurar um dicionário que afirma expressamente que os termos relativos ao verbete (aquele que trapaceia, velhaco) são pejorativos e que são acepções carregadas de xenofobia e de preconceito. O procurador parece não se dar conta de que os dicionários espelham o que o povo fala e não o contrário. Com tantos trapaceiros atuando fora dos dicionários, muitos encarapitados em cargos públicos e impunes, o procurador se preocupar com os confinados em verbetes é prova incontestável de que as distorções que acontecem na atual sociedade brasileira estão se proliferando assustadoramente.

 

Maria Tereza Murray terezamurray@hotmail.com

São Paulo

*

POLITICAMENTE CORRETO

O tal do "politicamente correto" está ficando insuportável e não só pelas atitudes daqueles que enxergam "lobisomem até com o sol a pino", mas também pela falsidade em suas preocupações. Letras de músicas, personagens de histórias infantis e até definições em dicionários são alvos de patrulhamentos, mas não vejo a mesma atitude com lutas como o boxe e MMA e nem manifestações contra rodeios, touradas e outras atrocidades. Não tem Jeca Tatu que aguente.

Sérgio Barbosa sergiobarbosa@megasinal.com.br

Batatais

*

FALTA DO QUE FAZER

O MPF de Uberlândia resolveu entrar com ação contra o Dicionário Houaiss e sua editora por “preconceito racial”. Não fosse apenas burrice, pois o verbete “cigano”, que provocou a celeuma, tem alguns de seus significados descritos, claramente, como “forma pejorativa”, parece que o promotor não tem muito o que fazer. Pago regiamente com o nosso dinheiro, ao que tudo indica o Sr.Procurador Cleber Eustáquio passa os dias lendo dicionários! Com tantos casos de roubo de dinheiro público, o Procurador não encontrou nada mais importante com que se ocupar? Mobilizar a máquina da Justiça por uma estupidez deste tamanho, deveria ser crime. É um escândalo!

 

M. Cristina Rocha Azevedo crisrochazevedo@hotmail.com

Florianópolis

*

CONTRIBUIÇÃO

A notícia de que um procurador de Uberlândia quer eliminar registros históricos de uso de palavras em dicionário faz-me lembrar os que julgavam apagar a escravidão queimando os registros históricos. Mas já que ele parece tão empenhado nessa tarefa inglória, que a realize de modo completo, mandando eliminar também dos dicionários, além do sentido pejorativo da palavra cigano, o de inúmeras outras. Como contribuição ao seu trabalho: judiar, judeu, bugre, botocudo, polaca, francês, saloio, carcamano, china. E há muitas mais, por certo. Basta procurar.

Paulo Franchetti paulo@iel.unicamp.br

Campinas

*

ANCINE

Um assunto que vem passando ao largo, sem que a gente se dê conta,  é  o controle da Agência Nacional do Cinema (Ancine) sobre o que a TV paga nos apresenta em seu horário nobre. Há um projeto de Lei que obriga as TVs por assinatura a apresentarem programação nacional de pelo menos 3 horas e 30 minutos nesse horário.  Está na hora de nos pronunciarmos contra mais esse controle. Parece-me que o prazo para tal fim esgota-se no dia 3/3/2012. Temos que ser rápidos. Deixem-nos assistir ao que quisermos, sem imposição obrigatória de conteúdo.

 

Maria do Carmo Zaffalon Leme Cardoso mdokrmo@hotmail.com

Bauru

*

NA MINHA CASA NÃO!

Diante do desrespeito a constituição contra os assinantes de TV paga, é que gostaria de sugerir as operadoras que entrem com processo coletivo de inconstitucionalidade, contra a Ancine responsável por aplicar esta lei absurda, de querer obrigar assinantes a assistir filmes ou produções de baixa qualidade, como pornochanchadas, violências, tráfico de drogas e até o Filho do Brasil, em horário nobre, isto ninguém merece, não assistiria nem por decreto, portanto, como considero inconstitucional e arbitraria tal resolução, me coloco a disposição de encabeçar a lista de um processo coletivo caso a SKY  do qual sou assinante assim o faça.

Jose Mendes josemendesca@ig.com.br

Votorantim 

*

HILDEBRANDO PASCOAL AMEAÇA O JUDICIÁRIO

Conforme publicação no jornal O Estado de S. Paulo, Pascoal já enviou duas cartas de ameaça e extorsão as autoridades do Judiciário local. Preso a 12 anos e condenado a mais de 110 anos de prisão, o ex-deputado federal e ex-coronel da Polícia Militar do estado do Acre, driblou a vigilância da penitenciária de de segurança máxima do Acre e enviou duas cartas de ameaça e extorsão a autoridades do Judiciário local. Ele afirma ter fatos a revelar ao Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e do Ministério Público (CNMP), conforme revelação feita no Estadão de domingo, na coluna Direto de Brasília, de João Bosco Rabello. As cartas integram um inquérito sigiloso em tramitação no Ministério Público do Acre. Tudo indica que ainda teremos muita água podre passando sob essa ponte acreana, envolvendo esse criminoso e com falta de explicações necessárias do judiciário local.

Benone Augusto de Paiva benonepaiva@yahoo.com.br

São Paulo

*

A FALA DO HILDEBRANDO.

 

No cumprimento dos doze anos de sua pena de 110 e, talvez, lendo o noticiário sobre o volume enorme de corrupção no país, Hildebrando Pascoal, ex-deputado, resolveu partir para o achaque. Quer seis mil reais, por mês, para ficar em silêncio e nada contar do quanto sabe à imprensa. Seria muito bom que o delinquente viesse a contar fatos graves ao povo, enriquecendo, então, a literatura da corrupção do país. Será que, ainda, existem coisas novas a relatar aos brasileiros? Conte logo!

José Carlos de Carvalho Carneiro carneirojc@ig.com.br

Rio Claro

*

UM ESTUPRADOR NAS RUAS

Uma menina de 12 anos estuprada dentro de um ônibus. Mais uma atrocidade cometida em função de uma lei e de um sistema precários, que protegem  bandidos  deixando os cidadãos entregues à sua própria sorte. Quando é que suas excelências vão rever essa legislação que põe nas ruas a pior espécie de gente, fazendo uma vítima atrás da outra? São indultos de Natal, avaliações superficiais de “bom comportamento” de presos perigosos, tudo muito bom para a bandidagem. No caso dessa garota de 12 anos, o bandido era perigoso  até seis meses atrás, quando passou a ter comportamento exemplar, merecedor das ruas. Isso não tem pé, não tem cabeça, e a pobre criança pagou, com seu infortúnio, pela irresponsabilidade daqueles que lavam as mãos diariamente. O estuprador foi preso novamente, mas, logo estará nas ruas. Basta fazer cara de anjo e sua liberdade condicional se garante por esse maldito sistema falido assassino.

Myrian Macedo myrian.macedo@uol.com.br

São Paulo

*

REVISÃO LEGAL URGENTE

Não sei se é para rir, chorar, ou se realmente não está na hora de revisar urgentemente este Código Penal brasileiro, porque não dá para entender como um sujeito que nem esse Paulo Roberto, que estuprou uma menina de 12 anos dentro de um ônibus e cometeu diversos crimes, teve o direito ao regime de progressão da pena analisado pelo TJ-RJ e supervisionado pelo CNJ. No dia seguinte ao que foi solto por bom comportamento, cometeu logo um crime. Foi preso há dois dias ao tentar assaltar uma mulher num ônibus e reconhecido pelo motorista atracou-se com ele, evitou o assalto e foi levado para delegacia. Na policia é velho conhecido, só não é da Justiça. Ele e outros fazem crimes por atacado, porque sabem que não vai acontecer nada. Serão soltos. Agora, depois de tanto ele aprontar, a Justiça suspendeu a liberdade provisória dele, que nem deveria ter sido concedida. Que país é este?

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

*

NÃO TEMOS COMPETÊNCIA

Levam-me à reflexão alguns fatos que acontecem nesse país: vide o caso do cara que estuprou uma menina de 12 anos dentro de um ônibus no Rio. Com uma extensa "capivara", 8 anos de cadeia, foi solto por bom comportamento... Sistema prisional falido, código penal de 1940! Já que não temos competência para recuperar ninguém, porque num caso como esse não adotarmos a pena de morte? O que podemos esperar desse monstro? Existe outra solução? Só se for demagógica. Viva a impunidade! Precisamos "repetir a dose" de Cingapura, caso contrário não vai demorar muito para não sairmos mais de casa! O País necessita de uma limpeza geral.

Emílio Carlos dos Santos kkrodeo@hotmail.com

Barretos

*

O SHOW DA VIOLÊNCIA

O Brasil é hoje um premio Oscar da violencia. Incompetente em quase todos os setores, o Estado brasileiro mostra um retumbante fracasso no combate ao crime que domina todos os cantos do país. Uma matéria no Jornal Nacional da Globo relatou que o crack está presente em mais de 90% dos cidades brasileiras. É um dado assustador de fazer perder o sono de qualquer cidadão de bem. O Governo Federal, do PT, não está só nessa fraca gestão da segurança no país. Aqui em São Paulo, do PSDB, vivemos momentos apavorantes. Assaltos são rotina em qualquer lugar, a qualquer hora. Parece até que a quantidade de bandidos cresceu mais do que a de policiais. Na ultima Veja Sao Paulo - Retratos do Medo - mais um dado assustador: o contingente de seguranças privados é três vezes maior que o de policiais militares. Defende-se quem puder e tiver grana. No Rio - pobre Rio - governado pelo PMDB, um terrível bandido em liberdade condicional violentou uma menina de 12 anos dentro de um ônibus. Onde colocar mais bandidos nos presídios superlotados?, deve perguntar a Justiça. O que mais falta de tragédia para os governantes reformarem as polícias e o sistema penitenciário, tornarem a Justiça mais eficaz, aumentarem o contingente de policiais nas ruas, pagar dignos salários e nos dar segurança? Acho que isso pode dar voto!

Ari Giorgi arigiorgi@hotmail.com

Sao Paulo

*

BRASIL 2 X 1 BÓSNIA

Oops, alguém se esqueceu de avisar à equipe da Bósnia que seus opositores, os do uniforme amarelo-canarinho, eram os penta campeões do mundo, com jogadores milionários do futebol europeu.  Infelizmente, nossa seleção tem muitos craques e pouco entrosamento.  Deu no que deu:  uma magra vitória, com muita sorte e um gol contra (que eles fizeram para nós e nosso alívio)!

 

Silvano Corrêa scorrea@uol.com.br

São Paulo

*

BRASIL DECEPCIONOU MAIS UMA VEZ

Lamentável o Brasil sofrer para vencer apertado a inexpressiva seleção da Bósnia Herzegovina, em amistoso na Suíça. A seleção brasileira merece mais respeito e não pode virar motivo de piadas e chacotas no cenário internacional. Foi mais um amistoso caça níqueis promovido pela CBF, expondo a seleção ao ridículo em troca de um punhado de dólares. A Copa de 2014 será no Brasil e a equipe nunca joga em casa, diante da sua torcida. Foi mais uma péssima exibição do Brasil, que não tem padrão de jogo nem sistema tático, revelando que o técnico Mano Menezes não tem a menor condição de permanecer no cargo. Fora com Mano Menezes e Ricardo Teixeira da seleção e da CBF!

Renato Khair renatokhair@uol.com.br

São Paulo

*

LEI GERAL DA COPA

A Fifa exige que o Congresso Nacional aprove o projeto de Lei Geral da Copa, que concede a mesma poderes ilimitados dentro do território nacional. Portanto, durante todo o ano da Copa do Mundo de 2014, a Fifa vai fazer e desfazer aqui no Brasil. Diante desta nova realidade seria bom mudar o apelido de "Casa da Mãe Joana" para "Casa da Mãe Fifa". Entre muitos absurdos a Fifa vai ter isenção de impostos sobre todos os produtos das empresas que sustentam o bando que controla o futebol mundial. A farra vai ser inesquecível. Nada de Lei Seca. Bastante álcool para estimular a bebedeira nacional. O assalto aos cofres públicos não vai ser feito apenas por corruptos nacionais, mas também por quadrilhas milionárias do primeiro mundo. Não será exigido visto de entrada no Brasil para qualquer membro da Fifa, nem para os torcedores estrangeiros que tenham comprado ingressos para os jogos. Qualquer prejuízo que a Fifa tenha o Brasil deverá pagar. Os vigaristas internacionais poderão entrar a vontade no Brasil, desde que apresentem um bilhete de entrada para algum jogo da Copa. Vai ser uma loucura inesquecível. O ano de 2014 deverá entrar para a história como sendo o ano em que o Brasil foi governado pela Fifa. Diante deste quadro surrealista, acho que a presidência do Brasil em 2014 deveria ser entregue ao chefão Ricardo Teixeira e criado o cargo de primeiro-ministro para o espertalhão Jérôme Valcke, secretário-geral da Fifa. Há muitos anos o general francês Charles De Gaulle disse uma coisa certa, que o Brasil não era um país sério.

Wilson Gordon Parker wgparker@oi.com.br

Nova Friburgo (RJ)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.