Fórum dos Leitores

NOVO MINISTRO DO STF

O Estado de S.Paulo

26 Maio 2013 | 02h06

Time completo

Finalmente o Supremo Tribunal Federal (STF) não atuará mais desfalcado. Com a indicação do advogado e procurador do Estado do Rio de Janeiro Luís Roberto Barroso, de boa reputação, diga-se, como 11.º ministro da Corte, todos esperamos que os recursos impetrados pelas defesas dos réus do mensalão tenham um curso absolutamente legal e célere. Assim como também se dê andamento aos temas prioritários para a nossa sociedade que, infelizmente, só o STF pode resolver, uma vez que o nosso Congresso, do pouco que faz, mal desenvolve... Sendo assim, desejamos que o novo ministro indicado pelo Palácio do Planalto sirva à Nação com dignidade, privilegiando o bem comum.

PAULO PANOSSIAN

paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

Aguardemos...

Com a indicação de Luís Roberto Barroso, somada à nomeação de Teori Albino Zavascki, completa-se finalmente o quadro de 11 ministros, podendo a Suprema Corte dar seguimento normal aos seus trabalhos sem correr o risco de empates técnicos ou precisar recorrer ao voto de Minerva de seu presidente - o que nem sempre é justo ou confortável até para o próprio presidente do tribunal. Agora resta aguardar os julgamentos futuros para avaliar o comportamento da Corte, porque confesso que fiquei extremamente desconfortável com o projeto do deputado Nazareno Fonteles (PT-PI) sobre as decisões do STF terem de ser tomadas por maioria de 9 votos para não se submeterem posteriormente ao referendo do Congresso Nacional. Como sabemos de antemão que os ministros Toffoli e Lewandowski votam "a cabresto" do Poder Executivo, ficaria muito fácil se um ou mesmo os dois novos ministros não exercessem sua autonomia, baseados nos seus princípios e convicções... Só nos resta rezar e aguardar.

CLAUDIO JUCHEM

cjuchem@gmail.com

São Paulo

Equidade

Escolhido pela presidente Dilma Rousseff, o novo ministro tem ainda de passar pela aprovação do Senado, se bem que nunca antes os senadores desaprovaram nenhuma escolha do Executivo. O sr. Luís Roberto Barroso, professor de Direito, é mais um ministro sem carreira de juiz. Desejamos que ele venha para somar maior dignidade à Suprema Corte e tenha a isenção que se espera de todos os que ocupam tão importante cargo. Já temos alguns que por sua postura parecem trabalhar claramente para o partido político do governo. Equidade antes de tudo é o que os cidadãos pagantes esperam dos ministros do Supremo.

LEILA E. LEITÃO

São Paulo

Mensalão

Indicado para a vaga de Ayres Britto, Barroso foi advogado do terrorista Cesare Battisti e teve êxito na não extradição do italiano. Aparentemente, o novo ministro reforça a tese de que a presidente buscaria mais um nome que pudesse minorar ou até mudar as sentenças dos mensaleiros. Segundo recomendação do PT a Dilma, o escolhido deveria ser alguém que não desse ouvidos à opinião pública...

FABIO FIGUEIREDO

fafig3@terra.com.br

São Paulo

Independência

Com o dr. Luís Roberto Barroso chegando ao Supremo com biografia sem mácula, é possível aceitar o que vier dos tais embargos no STF, no caso do mensalão. Além de possuir notório saber e ilibada reputação - que faltam a uns poucos ministros daquela Corte, os quais, aliás, estão com a biografia em (de)formação -, Barroso é liberal. Ótimo! Mas pelo que li ele é, sobretudo, independente.

ROBERTO VIANA SANTOS

rovisa681@gmail.com

Salvador

Demora

Todo mundo sabe com muita antecedência a data da aposentadoria de um ministro do Supremo. Assim sendo, não existe explicação para uma demora de seis meses para a indicação do substituto. Se o encarregado da indicação tivesse competência, sabedoria, boa assessoria, com certeza essa indicação sairia no dia seguinte à aposentadoria. Demorar seis meses, quando se sabia com tanta antecedência, é quase prevaricação.

JOSÉ RENATO NASCIMENTO

jrnasc@gmail.com

São Paulo

CENSURA AO 'ESTADÃO'

Medo da verdade?

Em que mundo vivem esses juízes do Tribunal de Justiça do Distrito Federal (TJ-DF), que, em vez de guardiões da lei, se transformam em algozes da liberdade de imprensa e da democracia, verdadeiros inimigos da livre informação? Porque mais uma vez reforçaram sua vocação autoritária, mantendo a mordaça contra O Estado de S. Paulo, proibindo-o de divulgar notícias sobre os ilícitos descobertos pela Polícia Federal, que enquadrou Fernando Sarney por vários crimes praticados? Será que a lealdade, para esses servidores, está acima do respeito aos fundamentos da democracia? O que tanto temem esses magistrados, que se imaginam na Venezuela ou em Cuba, para imporem por 3 votos a 0 a ignorância aos leitores do jornal? Que a verdade seja revelada?

PETER CAZALE

pcazale@uol.com.br

São Paulo

'Mordaça reforçada'

Imprensa livre é condição indispensável para que as sociedades resolvam seus conflitos. Nossa Constituição assim o assegura: "É livre a (...) comunicação (artigo 5.º, IX). Se ilícitas as provas da Operação Boi Barrica, mais que elas é ilícita a lei do silêncio imposta ao Estadão. O crime, se existiu, é de alçada e relevância de homem público; em sendo assim, injustificável, na espécie, o "segredo de Justiça". Não procede a "mordaça reforçada" de que se vale o TJ-DF para algemar a imprensa. Imprensa livre é o casulo de onde nasce a liberdade, o estrado público onde se levantam as vozes que promovem o bem-estar e alertam, clareiam, apontam, destemidas, os saqueadores do povo. Tudo indica que a Boi Barrica leva esse selo. Não fora a imprensa guardiã, tudo na República se resolveria na partidinha do "toma lá dá cá", no reduto do conclave e das acomodações de quem tem o ouro faz a regra. Demais desta razão, de si forte, colhe-se ainda outra, a de que imprensa livre tem a ousadia de contrariar os "poderosos", afrontar a corrupção, esta que é a entranha maldita de onde nascem as duas filhas gêmeas, a pobreza e a miséria, e, delas, um séquito de netos espalhados pelos esconsos de São Paulo e do País. Se essas palavras não impressionam, olhai o retrato de uma criança, pele e osso, exangue nos braços da mãe miséria! Eis aí a foto do fruto do teu ventre, ó corrupção!

ANTONIO BONIVAL CAMARGO

bonival@camargoecamargo.adv.br

São Paulo

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

 

ROSEMARY NORONHA

A Casa Civil da Presidência negou ao Ministério Público acesso às informações da sindicância instaurada no órgão para apurar ilícitos funcionais envolvendo Rosemary Noronha. Em outras palavras, a Casa Civil continua protegendo o chefe, mentor, patrão, companheiro de viagem e amante da ex-chefe do gabinete da Presidência da República em São Paulo, Luiz Inácio Lula da Silva, que até o momento, como aconteceu em inúmeras outras ocasiões, continua de modo vergonhoso e infantil fingindo que o assunto não lhe diz respeito e, de uma forma criminosa até, não assumindo, perante a Nação que governou durante dois mandatos, a responsabilidade sobre seus atos, sejam eles quais tenham sido, visto que a sua ex-funcionária Rosemary já é alvo de ação penal por falsidade ideológica, tráfico de influência, corrupção passiva e formação de quadrilha.

 

Victor Germano Pereira victorgermano@uol.com.br

São Paulo

 

*

AÍ TEM

O Ministério Público Federal em São Paulo (MPF), em nota divulgada na terça-feira (21/5), afirmou que a Casa Civil da Presidência da República negou acesso à sindicância aberta para apurar a conduta de Rosemary Noronha, ex-chefe do gabinete da Presidência em São Paulo. O que será que têm para esconder? Por que não dar transparência aos negócios intermediados por essa pessoa, uma funcionária pública? Será por que a sujeira pode atingir o seu tão idolatrado líder? Aí tem!

Silvano Corrêa scorrea@uol.com.br

São Paulo

 

*

UNIDOS

Casa Civil nega repassar ao Ministério Público Federal de São Paulo investigações feitas sobre irregularidades nas atividades de Rosemary Noronha, amiga intima do ex-presidente Lulla. Ingenuidade de o MPF imaginar que o "ministro Gilberto Carvalho", o faz tudo para a quadrilha petralha, deixaria que algo chegasse à vizinhança do Ali Babá! Pegou em Rosemary, chegou ao mandante. Quadrilha unida permanece unida, até o dia que um funcionário público descontente dê com a língua nos dentes. Porque podem esconder falcatruas, mas para tanto precisam eliminar o faxineiro, garçom, como no caso da morte de Celso Daniel. Testemunhas coçando a língua para contar tudo é o que não deve faltar na "República bananeira".

 

Beatriz Campos

São Paulo

 

*

O BRASIL ENTREGUE

Nada tenho contra que um presidente tenha uma amante, mas que seja sustentada com seu dinheiro particular! O que não se admite é que um presidente da República permita que sua amante consiga negócios corruptos em detrimento da Nação. Lula, ao nomear, permitir, autorizar, na cama, pedidos para os comparsas da Rosemary, literalmente deu o Brasil como forma de pagamento pelo tempo que passou em sua companhia, exatamente como na boate da novela "Salve Jorge".

 

Eugênio José Alati eugeniojosealati@yahoo.com.br

Campinas

 

*

ENROLADO

O MPF em São Paulo afirma que a Casa Civil da Presidência da República negou acesso à sindicância aberta para apurar a conduta de Rosemary Noronha, ex-chefe do gabinete da Presidência em São Paulo e braço e mão direitos do ex-presidente orador e surdo Lula. Devagar e sempre, demora, mas chega. Isso comprova que o ex-presidente está mais enrolado do que sucuri no cio. Espero que o dia L chegue para ele e que ele pague com juros e correções tudo o que fez e fala dos outros como se ele fosse coroinha de cidade do interior antigamente.

Antonio Jose G. Marques a.jose@uol.com.br

São Paulo

 

*

SEGREDOS

Em 12/12/2012 o "Estadão" destacou na primeira página que o ministro Joaquim Barbosa e outros dois ministros defendem a apuração sobre as declarações de Valério que envolvem o ex-presidente Lula com o mensalão e até agora o assunto está obscuro e "engavetado". Se não bastasse, o ex-presidente está envolvido em outro processo denominado Operação Porto Seguro envolvendo sua "protegida" Rosemary Noronha - ex-chefe do gabinete da Presidência em São Paulo -, que responde a processo por tráfico de influência, formação de quadrilha, corrupção passiva, falsidade ideológica, enriquecimento ilícito e improbidade administrativa, sem contar que viajava com o ex-presidente para o exterior à custa dos cofres públicos. Esse processo corre em segredo, mas está tão devagar que já começamos a duvidar se haverá condenados, principalmente depois das declarações do ministro Gilberto Carvalho, que disse: "Neste governo quem não quer ser investigado que não erre, porque não tem hipótese de não ser investigado quem cometer erro, prática que infelizmente não havia no passado". Agora, bem que o "Estadão" poderia fazer outra matéria esclarecendo as "verdades ocultas" sobre o andamento desses processos, pois seus leitores têm interesse na apuração e na condenação dos responsáveis, doa a quem doer!

 

José Carlos Costa policaio@gmail.com

São Paulo

 

*

SÓ MAIS UMA?

Dona Rose, ex-chefe do gabinete da Presidência é ré na Justiça criminal, onde responde a um processo por falsidade ideológica, corrupção passiva, formação de quadrilha, enriquecimento ilícito e tráfico de influência. É mole? O que será que pensam a respeito Lula, Gilberto Carvalho, Dilma e dona Marisa?

 

Luiz Nusbaum lnusbaum@uol.com.br

São Paulo

 

*

CPI QUE AFLIGE O PLANALTO

O melhor termômetro para saber se o Executivo está mal na fita perante o Congresso, ou principalmente com seus aliados, é quando se instala uma nova, e pelo jeito bombástica CPI. E desta vez a novidade é que o grande parceiro do Planalto, o PMDB, é que tenta dar o tiro de misericórdia, porque decide investigar possíveis desmandos na Petrobrás, principalmente aqueles protagonizados pela gestão Lula. Se vai prosperar, não sei! Mas, que é um alento, um aliado importante como o partido do vice-presidente Temer tomar as rédeas para esta CPI, sem dúvida alguma é! Porque neste galinheiro político onde o galo não canta, e tampouco da as ordens, entende-se que o milho (R$) esta farto para alguns e a outros não... E se o foco desta CPI visar investigar a negociata da Petrobrás, na compra da Refinaria de Pasadena, nos EUA, que foi adquirida em 2006, por uma empresa Belga por US$ 42,5 milhões, e a estatal brasileira sem se ruborizar pagou US$1,18 bilhão, ai a casa cai, diga-se de passagem, junto com a dona, e sem a necessidade de nenhum tornado... Aliás, a presidente da Petrobrás, Graça Foster, uma rara e séria colaboradora do governo petista, confessou que o prejuízo da estatal com esse negócio foi de US$ 465 milhões, ou R$ 950 milhões. Recursos esses suficientes para construir todas as cisternas necessárias para acabar com o flagelo da seca no nordeste... Mas, certamente que, grande parte desses recursos patrocinaram um mensalão fora de hora... Não há como não pensar assim! Mesmo porque, pelos números dispares se configura como explicito desvio de recursos públicos. Sendo assim, mais do que justificável uma séria, e competente CPI...

 

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

 

*

REFINARIA DE PASADENA

Adquirida em 2006 por uma trading belga por US$ 42,5 milhões, foi revendida à Petrobrás, em 2007, por US$ 1,18 bilhão? O que a Polícia Federal está esperando para dar voz de prisão ao senhor Sergio Gabrielli?

 

Sergio S. de Oliveira ssoliveira@netsite.com.br

Monte Santo de Minas (MG)

 

*

FGC E BANCOS SOB INTERVENÇÃO

O "Fundo Garantidor de Crédito" (FGC), pessoa jurídica de direito privado criada e mantida pelas instituições financeiras, aumentou o valor de garantia ao investidor de R$ 70 para R$ 200 mil. Destinada a preservar os investidores na hipótese de liquidação, a norma inserida em sua resolução, no sentido de que o aumento da garantia não abrange as instituições sob intervenção do Banco Central, no ponto carece de fomento jurídico. A garantia não é uma benesse sujeita à legislação discricionária dos bancos, mas inerente à credibilidade do sistema bancário. E a intervenção é uma vicissitude que pode indicar um estado agônico, mas ainda não é a liquidação, hipótese para a qual foi criado o fundo. A exceção injurídica parece ter endereço certo: O Banco BVA, sob intervenção, mas a garantia de R$ 200 deve ser observada em relação a seus aplicadores, sem cogitar-se de inexistente efeito retroativo da regra.

Amadeu R. Garrido de Paula amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo

 

*

BOLSA FAMÍLIA

No sábado, dia 18/5/2013, houve boatos sobre o cancelamento do programa Bolsa-Família. A presidente da República disse em discurso no Nordeste que o boato era "desumano e criminoso". Concordo plenamente com ela. O ministro da Justiça mandou a Polícia Federal investigar o ocorrido para descobrir de onde surgiu o boato. A ministra dos Direitos Humanos, justamente dos direitos humanos!, Maria do Rosário, afirmou que a origem da correria às agências da Caixa Econômica Federal (CEF) foi causada por uma "central de boatos da oposição". Nós, brasileiros, estamos aguardando a Polícia Federal se pronunciar sobre a origem dos boatos. Onde estão os políticos da oposição desse país chamado Brasil, que não se pronunciam em autodefesa? Já estamos há uma semana sem mais notícias sobre o caso.

 

José Carlos Caveden jose.moya@engeline.com.br

Mogi das Cruzes

 

*

BODE NA SALA

O governo do Partido dos Trabalhadores poderia ter sido o melhor dos últimos 500 anos, não fosse a quadrilha dos mensaleiros. Mas devemos reconhecer o trabalho de marketing é fantástico. A Dilma aprendeu direitinho a cartilha do Lula. Só para citar dois casos recentes: o das empregadas domésticas e o do Bolsa-Família. Primeiro, cria-se o problema e, depois, de forma salvadora, o governo vem com a solução. É o típico caso de por o bode na sala de cristais e depois tira o bonde da sala. Enfim, o PT pôs o ovo em pé, com uma simples jogada de marketing. O exemplo mais antigo foi de institucionalizar a corrupção eleitoral, com bolsas e mais bolsas, deixando de queixo caído as velhas raposas políticas do Nordeste que davam camiseta, tijolos e outros pequenos brindes.

 

G. Ruas gilruas@uol.com.br

Santos

 

*

PODER ELEITOREIRO

Fui bater meu ponto matinal onde compro jornal e, lá chegando, fiz uma provocação de gozação com amigos: "Foi você que espalhou o boato sobre o Bolsa-Família?". Aí o primeiro me respondeu na bucha: é claro que foi o próprio PT, não vê? Foi aí que me caiu a ficha. Estou ficando lento com a idade. Não é que ele tem razão?! Esse boato não poderia ser espalhado por uma meia dúzia de pessoas, mas por uma organização com muitos militantes em todo o País. E, além disso, o principal beneficiário é o PT. Pois o Bolsa-Família já estava ficando muito démodé sem grande apelo eleitoreiro. Agora, com essa quase comoção nacional, foi reativado seu poder eleitoreiro. É, realmente, esse boato tem impressões digitais muito características.

Francisco J. D. Santana franssuzer@gmail.com

Salvador

 

*

VAMOS INVESTIGAR?

Pensando bem, não poderia o próprio PT lançar o boato? Culpar a oposição e depois vir a "presidenta" a público desmentir e ficar de boazinha. Vamos investigar? Pareceu-me gente muito disposta. Sugestão: soltar de novo o boato e colocar uma barraquinha para oferecer emprego a quem quisesse.

 

Cecília Centurion www.ceciliacenturion.com.br

São Paulo

 

*

MARKETING?

A quem interessaria ou quem se beneficiaria com o boato, sobre o fim do Bolsa-Família? Se foi orquestrado, neste caso, teria um maestro ou cacique. Quem ou que órgão, está sendo promovido, com esta divulgação amplamente noticiada na mídia? Fica aí a pergunta.

Ulysses Fernandes Nunes Junior @Ulyssesfn (twitter)

São Paulo

 

*

FAZENDO ‘O DIABO’

Quando Dilma disse que iria fazer "o diabo", agora é possível entender. O "diabo" para reeleger-se incluiria movimentar 12 Estados brasileiros alertando-os para o fato de que seus opositores talvez acabem com o "Bolsa Família" e as mesadas que faz 1/3 da população brasileira apoiar seu partido. Deu para entender.

 

Fabio Figueiredo fafig3@terra.com.br

São Paulo

 

*

FRAGILIDADE EXPOSTA

Se cada brasileiro, mesmo os mais ignorantes e semianalfabetos que sejam, refletirem sobre o episódio do boato do Bolsa Família, perceberam o quanto é frágil um programa que chega a criar tamanho transtorno e mobilizar tanta gente nas corridas aos caixas eletrônicos, podem concluir que eles são meramente instrumentos nas mãos desse governo que ao invés de lhes dar emprego digno, formação profissional e oportunidade, dão-lhes uma esmola micha e os fazem de palhaços.

Nei Silveira de Almeida neizao1@yahoo.com.br

Belo Horizonte

 

*

OS ‘ALOPRADOS’ DA VEZ

A quem serviu este boato sobre o fim do Bolsa-Família, justamente no dia em que Aécio Neves (PSDB), possível candidato à Presidência, é eleito presidente nacional do PSDB? Quem tem esta formidável rede de contatos e despudor capaz de difundir tal desinformação com tamanha eficácia? Espero que a PF chegue aos "aloprados" da vez.

 

Paulo Mello Santos policarpo681@yahoo.com.br

Salvador

 

*

O GOSTO DO VENENO

 

Notícias falsas, de que haveria um bônus pelo Dia das Mães ou de que o Bolsa-Família acabaria, fizeram milhares de beneficiários correrem a agências bancárias, criando longas filas, confusões, mal-estar e depredações. Pior: voltaram no dia seguinte, apesar da informação de que se tratava apenas de um boato. Nas falas e imagens do ocorrido, nas mídias, gente ingênua, desaculturada, crédula, acostumada às benesses do governo. A maior parte dos brasileiros. Eleitores do PT. Daí o destempero da presidente e a leviandade da secretária de Direitos Humanos. Provaram de seu próprio veneno!

Luiz Sérgio Silveira Costa lsscosta@superig.com.br

Rio de Janeiro

 

*

FACTOIDES

Notícia falsa sobre o fim do Bolsa-Família, balanço espetaculoso da Comissão da Verdade, novamente Feliciano, qual o significado de tudo isso? É obviamente uma ação orquestrada para tirar do noticiário a inflação que já vai ao trote; o pibinho; o mensalão; os gastos desmesurados com as "arenas" da Copa - e os 30% respectivos; Rosegate, a segunda dama; a escolha do próximo ministro do STF; o lançamento do Aécio... e muito mais. Só os muito ingênuos não percebem isso.

 

Paulo Roberto Santos prsantos1952@bol.com.br

Niterói (RJ)

 

*

BOATOS DA ‘BOLSA’

Parte é eleitoreira, outra parte é "roubalheira", e o que se pode esperar do PT? O boato, evidentemente, é pequeno e quase com certeza, do próprio PT.

Ariovaldo Batista arioba06@hotmail.com

São Bernardo do Campo

 

*

BOLSA-FAMIGERADA

Depois do episódio envolvendo os dependentes do Bolsa-Família, um assistencialismo veladamente barato bancado pelos cofres do governo socialista, devemos supor que o Bolsa-Famigerada é apenas uma compra de votos institucionalizada. Temos de ensinar a pescar, e jamais dar o peixe, senão, daqui a uns anos, teremos uma nação de vagabundos.

 

Walter Francisco Barros walterfbarros@yahoo.com.br

Araçatuba

 

*

MARKETING PRESIDENCIAL

Ninguém foi mais beneficiada do que a presidente Dilma pelo boato do fim do Bolsa-Família. Vejamos: 1) A rapidez com que o boato da extinção do "bolsa família" circulou foi de relâmpago. 2) A movimentação tumultuada dos "bolsistas" foi de corrida às agências bancárias. 3) As agências atenderam milhares de "bolsistas", mostrando-se preparadas para atendimento em massa. 4) A presidente, coincidentemente, estava na região nordestina, onde há densidade de "bolsistas-família". 5) Do palanque político nordestino, Dilma aparece como a "redentora" dos súditos bolsistas. 6) Num momento de tantas fragilidades, econômica (inflação), política e administrativa, coube bem explorar politicamente o "boato". 7) Donde partiu o boato? 8) O discurso da ministra da presidente Dilma estava afiado, imputando o boato à oposição. Conclusão: resta suspeita de que o palco circense fora montado pela Presidência da República, para representar mais um espetáculo demagógico.

 

Walmor Zucco walzu@terra.com.br

São Paulo

 

*

A CONTA NÃO FECHA

Como muitos outros leitores, observei a juventude, a aparente boa saúde e boa aparência dos recebedores do Bolsa-Família. Intrigou-me ver tantas pessoas capazes sem trabalhar. Afinal, existem ou não empregos com fartura no Brasil? Se existem, porque estas pessoas não estão trabalhando? Os beneficiários do Bolsa Família são computados nos índices de desemprego? Não existe a menor lógica em termos tantos beneficiários jovens e bem aprumados teoricamente desempregados e miseráveis, se temos índice oficial de desemprego baixíssimo. Menos sentido ainda faz o governo dizer que vai avisar os beneficiários sobre alterações por celular. Se a pessoa é miserável, desempregada, tem família para sustentar e depende de um auxílio do governo para necessidades básicas, imagina-se que crédito de telefone celular seja a última delas. A "conta não está fechando". Tudo é muito ilógico!

 

Maria Cristina Rocha Azevedo crisrochazevedo@hotmail.com

Florianópolis

 

*

CRIMINOSO

Presidente Dilma, sua demonstração de indignidade com respeito ao boato do fim do Bolsa Família é meramente um marketing barato. Milhares de pessoas morrem nas filas dos hospitais ou em suas casas por não serem atendidos, isto sim é que é criminoso. A corrupção anda solta em todos os níveis deste governo, podre por princípio e inócuo por conveniência, isto sim é que é criminoso. A violência impera leve e solta em todos os rincões deste pais, tirando vidas e transformando a vida das famílias , isto sim é que é criminoso. A educação, que seria a base para possibilitar que as pessoas aprendessem o respeito para com seus semelhantes e permitissem o crescimento do país, está submissa e definhando, isto sim é que é criminoso. Então Dilma, onde estão os criminosos, a senhora pode me dizer?

 

Antonio Boer toboer@uol.com.br

Americana

 

*

BOLSA CABRESTO

O desespero que se viu às portas de agências bancárias em vários estados, fruto de boatos ditos ‘criminosos’ que disseminaram o receio de que o programa "Bolsa-Família" tivesse sido encerrado teve, ao menos, o mérito de deixar bem claras duas coisas. Primeira, que não estão errados os que chamam o programa de "bolsa-voto", já que ficou nítida e incontestável a importância eleitoral desse programa, que tem sido explorado com enorme sucesso, nos últimos pleitos, pelo governo do PT. Segunda, que quase todos os beneficiários dessa polêmica política assistencialista não têm a menor noção de como pensam e agem os que eles próprios elegeram. Afinal, como poderia alguém com algum discernimento e um mínimo de informação, acreditar que a 17 meses da eleição presidencial de 2014, iria o PT - o maior beneficiário em termos eleitorais pelo programa - cometer o harakiri político de renunciar ao cabresto desses tantos que justamente o mantêm no poder? Nem a pau, Nicolau!

Silvio Natal silvionatal49@yahoo.com.br

São Paulo

 

*

ESTRANHO

Como pode um boato sobre o Bolsa Família se espalhar por 12 Estados em pouquíssimo tempo? No mínimo foi através da internet, e o que dizer das imagens na TV das pessoas com boa aparência e vestidas, com roupas de quem não está na extrema pobreza? Esse programa Bolsa-Família...

 

Edgard Gobbi edgardgobbi@gmail.com

Campinas

 

*

UMA IMAGEM VALE MAIS QUE MIL PALAVRAS

Vocês observaram as pessoas que foram tentar receber o Bolsa-Família no meio do tumulto? Não parecem estar passando por dificuldades, quase todas com excesso de células adiposas, sem contar que não estavam em trajes normais ou de trabalho, mesmo porque não apreciam, traje este mais típico a de uma festa ou baile popular qualquer, com apetrechos, celulares, pulseiras, colares e até tatuagem (quem passa por dificuldades faz tatuagem?). Vamos continuar pagando por isso? Nós aqui, nos matando de trabalhar, para perpetuar a compra de voto deste "desgoverno", quando tiraremos esse peso de nossas costas?

 

Alessandro Lucchesi timtim.lucchesi@hotmail.com

Casa Branca

 

*

E SE FOSSE VERDADE?

Realmente, um boato que se espalha somente entre a população interessada que não tem acesso à internet mas que possui celular, parece mesmo que surgiu entre eles mesmo. Terá nascido da preocupação e da insegurança diante da evidente inflação? Pois os que recebem Bolsa-Família não sobrevivem apenas dela, tem que completá-la nos supermercados. Esta é a verdadeira central de boatos que a ministra quis imputar à oposição! Aventa-se que uma informação da CEF de um possível atraso nos depósitos para um dos bolsistas pode ter se espalhado qual rastilho de pólvora e deu no que deu. Agora, eu penso o seguinte: e se, diante da inflação que não cede, do pibinho que não faz o milagre de criar empregos, da retração da indústria, da insegurança do investidor externo e até da inclemência climática, se acabarmos chegando a uma situação em que estas benesses forem impossíveis de serem repassadas aos beneficiários, eles colocarão o Brasil de pernas para o ar destruindo tudo? Esta foi apenas uma amostra do que pode acontecer se, e parece que nos tornamos reféns de uma enorme camada da população que recebe um benefício que depois de uma década já deveria tê-los tirado da miséria porque temporário, mas que se tornou permanente, porque não veio acompanhado de educação, saúde, profissionalização. Isso é o PT obrando.

 

Mara Montezuma Assaf montezuma.scriba@gmail.com

São Paulo

 

*

ALOPRADOS

Os aloprados atacam novamente, soltando o boato da Bolsa-Família para culpar as oposições. Alguém duvida?

 

L. A. B. Moraes labmoraes@uol.com.br

Santos

 

*

BALÃO DE ENSAIO

O boato do fim do Bolsa Família é um teste do governo Lula/Dilma com a finalidade de testar a força de uma informação falsa plantada em pequena escala. O método é simples, o pânico por amostragem, como uma pesquisa eleitoral. Alguns poucos beneficiados pelo Bolsa Família espalharam o boato de boca em boca de celular para celular e conseguiram contaminar milhões. Está provado que qualquer tipo de informação atrelada a um boato sobre o fim do Bolsa Família tem o efeito devastador de levar de 40 a 60 milhões de brasileiros a votarem no candidato da situação, seja Dilma ou Lula, não importando o escândalo que possa estourar às vésperas da eleição de 2014. Seja lá quem for o candidato da oposição, se é que ainda existe, não terá nenhuma chance. Temos mais celular do que gente e a propriedade distributiva se encarrega do resto. Brasil, sinto muito, mas não tem mais conserto. Está tudo dominado!

Luiz Ress Erdei gzero@zipmail.com.br

Osasco

 

*

A IMPORTAÇÃO DE MÉDICOS

No início, quando li a notícia de que o governo brasileiro iria importar 6 mil médicos estrangeiros, fiquei assustado, porém, depois de parar para pensar em como está a saúde pública no Brasil, cheguei à seguinte conclusão: "Que vengan los cubanos". Até por que, pior seria se pior fosse...

 

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

 

*

MÉDICOS ESTRANGEIROS

Senhores, não é "reserva de mercado". Sucessivos governos deram aval à abertura de cursos de medicina sem condições de formar profissionais com qualificação para exercer a Medicina em todo o nosso território. Aliado a isso, NENHUM governo propicia condições MÍNIMAS para o mister de atender a população, o que se nota até nos grandes centros. Usam a assistência à saúde para enganar a população sem dar aos profissionais meios suficientes e adequados para concretizá-la. Priorizam a Assistência Suplementar (convênios = operadoras de saúde) como forma de omitir-se e jogam as falhas sempre sobre os ombros dos profissionais. E agora, ao invés de criar condições mínimas para que os profissionais aqui graduados possam prestar seus serviços, fazem de conta que querem melhorar a assistência, que é inexistente em muitos rincões do País, trazendo de certos países (Portugal, por exemplo, que discriminou e escorraçou dentistas brasileiros que ali clinicavam só porque eram melhores profissionais que os autóctones) gente para ocupar postos a serem criados (o que não foi feito para brasileiros), como se fossem suprir lacunas que nós recusamos. E sem terem de provar QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL! E alguns, vindos de Cuba, por exemplo, por terem feito um curso duvidoso através de cotas políticas, porque aqui não se submeteram a qualquer prova de acesso, têm até a preferência. Por que não têm de provar competência como outros profissionais que aqui se formam e para cá imigraram e se submeteram às normas existentes no País (Revalida)?

Ricardo Hanna, médico ricardohanna@bol.com.br

São Paulo

*

ATRASO NA SAÚDE

Não é o caso, portanto, pelo menos no momento, de importar médicos portugueses, espanhóis ou cubanos, mas criar incentivos para os brasileiros se instalarem no interior?

 

Affonso Renato Meira armeira@usp.br

São Paulo

 

*

DE GRÃO EM GRÃO

A "importação" de 6 mil médicos, tanto estrangeiros como nacionais que optaram por estudar medicina no exterior, gera um conflito não racional entre os integrantes do setor, que receiam perder seus empregos, e os defensores das classes menos privilegiadas, que, esses por sua vez, sem escolha utilizam o precário Sistema Único de Saúde (SUS). Conforme pesquisas publicadas no jornal "Folha de S.Paulo", aproximadamente 70% da população está insatisfeita com a atual gestão do SUS no Brasil. O descontentamento do brasileiro se dá pelo desigualdade no setor. Tanto no interior quanto nas regiões periféricas das grandes cidades, a tecnologia está menos presente, e consequentemente, menos investimentos são feitos na estrutura da saúde pública. Engana-se quem pensa que os médicos que exigem as mínimas condições de trabalho são mercenários: a área da medicina requer constantemente que o profissional atente-se a novas descobertas e avanços. A proposta da vinda de médicos estrangeiros, ou de brasileiros que decidiram estudar medicina no exterior, deve ser debatida com cautela. Para ser mais justa possível para com os médicos brasileiros e a população, a medida deve incluir o exame de validação do diploma no País, mais conhecido como Revalida, para evitar a entrada de "profissionais" incompetentes. Que o Brasil necessita urgentemente de melhoras no setor de saúde pública, com isso todos concordam. E a vinda de médicos estrangeiros nada mais é do que uma medida paliativa, pois não resolverá o problema, mas classes menos favorecidas que utilizam o SUS não podem esperar por esse processo lento e gradual. O motivo principal dos médicos não quererem trabalhar no interior e nas periferias são as más condições de trabalho. Seria muita ingenuidade achar que médicos estrangeiros irão somente trabalhar em áreas carentes. A medida paliativa é bem vinda, desde que aliada a uma rigoroso critérios de avaliação, para evitar fraudes, e melhoras na estrutura da saúde pública.

 

Régis Francisco B. R. M. Palombo regis_reggae2@hotmail.com

Araçoiaba da Serra

 

*

PAPEL DE PALHAÇO

Já estou até ficando com pena dos médicos espanhóis e portugueses que serão recrutados para vir ao Brasil.. Isto é, se vierem! Será que já os avisaram o que enfrentarão nos confins do Brasil? Lugares sem saneamento básico, estrutura, medicamentos e condições mínimas para trabalhar com dignidade. Logo após a formatura, fui atender no interior do meu querido estado de Mato Grosso do Sul. Deixei a oportunidade de ganhar um alto salário e ficar mais próximo da minha família; simplesmente porque a Atenção Básica no Brasil é uma farsa. Atendia 50, 60 pacientes, que raramente tinham acesso a higiene e saneamento, o que dirá medicamentos, exames básicos. Sentia-me quase um sacerdote, pois sem estrutura, remédios ou exames, o meu atendimento era quase uma bênção ou um passe espírita. O pobre paciente saia resignado, às vezes até feliz, pois, privado da sua condição de cidadania, imerso na miséria cultural e educacional, para ele o simples aperto de mãos do "doutor" era a migalha da presença do Estado na vida desse excluído iludido. Concluí que meus longos anos de estudo não tinham utilidade ali; minha ciência ficaria guardada no fundo da gaveta, sem condições de conseguir desempenhá-la em favor da saúde. Se eu ficasse garantiria a maquiagem do prefeito para o serviço de saúde, junto aos seus sacerdotes-médicos. Segui em frente, vim para um grande centro, a maior cidade latino-americana, para uma grande escola médica, onde consigo exercer da melhor forma o que aprendi; onde a cada dia aprendo mais, e desenvolvo minha prática em favor da saúde. Consigo colocar todo o meu conhecimento em favor do paciente, e tenho a oportunidade de me aperfeiçoar e quem sabe um dia voltar para o meu MS. Aqui a vida é cara, a família está longe, perco duas horas por dia no congestionamento. Entretanto, quando ponho a minha cabeça no travesseiro durmo com a consciência limpa, a consciência de não estar participando de uma dramatização; fingindo levar saúde a um pobre coitado, e automaticamente garantindo a eleição de políticos canalhas pelo Brasil afora. Para participar deste teatro, não precisa revalidar diploma, ser cubando, boliviano ou espanhol; não precisa sequer ser médico. Basta colocar um jaleco branco, que o prefeito aos gritos de "Viva!" anuncia: "Pronto! O doutor, chegou!". Nesse espetáculo, já fiz o meu papel de palhaço, hoje não mais!

 

Paulo Saraceni Neto, médico otorrinolaringologista kapi_saraceni@yahoo.com.br

São Paulo

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.