Fórum dos Leitores

SINDICALISMO

O Estado de S.Paulo

13 Julho 2013 | 02h07

Tiroteio em eleição

Eleições em sindicato, no Brasil, são mesmo disputadas a bala, especialmente as dos motoristas de ônibus de São Paulo, como mostra a reportagem Eleição no sindicato dos motoristas é adiada e será monitorada pela polícia (12/7, A20). Afinal, fazer parte da "aristocracia sindical" é um privilégio cheio de mordomias e fartura de dinheiro. O imposto sindical, uma excrescência tupiniquim que já devia ter acabado há muito tempo, abarrota os cofres dessas entidades. Gastar essa montanha de dinheiro é muito fácil e não tem nenhum controle dos Tribunais de Contas. Sem contar que deixar de ser membro da direção do sindicato e voltar a ser um simples trabalhador não passa pela cabeça de nenhum desses "aristocratas".

JOSÉ ELIAS LAIER

joseeliaslaier@gmail.com

São Carlos

Violência contumaz

Essa história de milhões de reais disputados a bala (12/7, A3) na tarde e na noite desta quarta-feira não é novidade, vem ocorrendo há décadas - já foram 16 mortes em 20 anos. Será que ali existe uma fábrica de dinheiro, com o Ministério Público e a Polícia Federal, estranhamente, não conseguindo apurar e corrigir os ilícitos praticados por alguns que se colocam acima das leis? Com certeza essa disputa tem muito a ser apurado!

EDIVELTON TADEU MENDES

etm_mblm@ig.com.br

São Paulo

PROTESTOS DAS CENTRAIS

Lição a tirar

A manifestação dos sindicatos, anteontem, foi a demonstração mais cabal de que o povo já não acredita também nos sindicatos - todos pelegos e oportunistas. Quase ninguém compareceu, a não ser os desocupados de sempre e os que foram pagos para esse fim. Os demais "enforcaram" o dia de trabalho e foram passear fora dos grandes centros. Sobrou para o comércio e a indústria amargarem mais um pouco de prejuízo, num mês já complicado de férias. Que sirva de lição para todos!

JOÃO MAGRO VENTURA

joaomv@terra.com.br

São Paulo

Bolsa manifestação

Manifestante não sindicalizado na Avenida Paulista: R$ 50. Manifestante companheiro na mesma hora e no mesmo lugar: um "lanche e condução", ou eufemismo de nota de R$ 50. Fiasco das paralisações promovidas pela pelegada, sócia do PT no governo: ah, isso não tem preço!

STANISLAW CORDEIRO

ratles2@hotmail.com

São Paulo

Os pelegos

Nas passeatas sindicais não vi sequer uma faixa pedindo que os sindicatos sejam obrigados a prestar contas da fortuna que recebem dos inocentes trabalhadores. Deveria chamar-se a passeata dos pelegos.

JOÃO GILBERTO FOGAÇA

jg.fogaca@uol.com.br

Ribeirão Preto

Lados opostos

Sobre as manifestações organizadas pelos sindicatos, eis as minhas conclusões. Os profissionais perderam de goleada para os amadores. A espontaneidade e a honestidade do povo deram um banho na organização e na politicagem dos sindicatos. Os sindicatos tentaram parar o País em pleno horário de trabalho, o povo trabalha e depois se manifesta. O povo já percebeu que os sindicatos vivem de braço dado com o governo, pois são sustentados por verbas públicas e nem prestam contas. Definitivamente, não estamos do mesmo lado!

JOÃO CARLOS A. MELO

jca.melo@yahoo.com.br

São Paulo

O povo e os sindicatos

Qualquer cidadão, ao analisar os componentes das manifestações de rua das centrais sindicais, verificará que elas não contaram com apoio popular. E porque estão os sindicatos falando, também, uma linguagem diversa da do povo, uma vez que tratam muito mais de seus assuntos e reivindicações do que das necessidades do povo, como saúde, educação e segurança pública. Ainda mais, os movimentos populares não pouparam nenhum político, incluída a presidenta, enquanto as centrais sindicais, ao pouparem a presidenta, deixaram de reivindicar em nome do povo, perdendo, então, uma grande oportunidade, especialmente aquelas que não estão alinhadas com o PT. Na verdade, o povo quer as suas próprias manifestações. Deseja reivindicar o quanto lhe falta, até mesmo pela má atuação da grande maioria dos políticos deste país. Assim, o Dia Nacional de Lutas tornou-se o Dia Nacional do Amém.

JOSÉ CARLOS DE C. CARNEIRO

carneirojc@ig.com.br

Rio Claro

Desvio de foco

A manifestação de quinta-feira, na minha opinião, foi fraquinha, sim. Por ter sido convocada por sindicalistas embandeirados, fugiu ao escopo do que pretendem realmente os manifestantes da sociedade: apartidarismo. Estes querem é resolver os problemas de desonestidade e incompetência dos governos. O pessoal da CUT está mais interessado em desfocar o movimento, desviando os holofotes (dos críticos do desempenho dos governos de qualquer partido) para longe de suas tão queridas administrações petistas. E, de preferência, também dos companheiros mensaleiros condenados, a quem eles são tão gratos...

HÉLIO A. FERREIRA

hafstruct@hotmail.com

São Paulo

SUPLENTES E NEPOTISMO

Farsa, engodo!

Valendo-me da onda de protestos, aproveito para comentar sobre a farsa da votação para acabar com os suplentes de senador. O projeto foi rejeitado pelos brilhantes congressistas que não queriam perder a grande mamata, esquecendo-se do clamor das ruas. Depois o Senado "recuou" e ele foi aceito, passando o suplente a ser só um e proibindo parentes próximos do eleito. Há aí uma farsa muito grande. Primeiro, não devemos em hipótese alguma ter suplentes escolhidos pelo candidato, os quais assumem em eventual ausência do titular sem ter obtido um voto sequer. Eles devem ser eleitos pelo povo, ou seja, o segundo candidato a senador mais votado é que seria o suplente. Nada mais justo e coerente. Segundo, a proibição de parentes é engodo. Todos sabemos que o nepotismo não acabou no Congresso, pois os parlamentares empregam parentes uns dos outros, para despistar, com altos salários e sem trabalhar. Acresça-se que o salário atual mais benefícios ronda os R$ 70 mil, valor divulgado pela imprensa, e tudo isso pago por nós! O povo brasileiro deve exigir que acabe de vez a figura do suplente da forma que está. Insisto: o suplente deve ser o segundo colocado na eleição, portanto, com o voto popular. Qualquer situação fora disso é brincar com a inteligência dos brasileiros. Isso tem de mudar já!

WALTER LÚCIO LOPES

wll@uol.com.br

São Paulo

DIA NACIONAL DE LUTAS

As manifestações acontecidas desde 6 de junho nas ruas em todo o País foram atos contra os desmandos desse governo. O povo, consciente e politizado, saiu, como dizia um cartaz, "do Facebook para as ruas" e vimos pessoas, das mais jovens às mais velhas, querendo um país mais justo para todos, com suas mensagens escritas em simples cartolinas, sem nenhum patrocínio. A manifestação feita anteontem - com o nome de Dia Nacional de Lutas, patrocinada pelas centrais sindicais, que até matéria paga nas emissoras de rádio fizeram, numa convocação popular para o tal dia, não conseguiram mobilizar aqueles que foram às ruas em junho. Mesmo porque os que compareceu a esse tal dia Nacional de Lutas foram militantes e pessoas arregimentadas sabe Deus de onde, que só foram pras ruas porque foram pagas com míseros R$ 70 para vestir a camiseta de alguma central e R$ 90 para segurar bandeiras e balões. Esses sindicatos e centrais nunca levaram às ruas brasileiros conscientes, e sim uma manada de baderneiros e "espertos" que por uns trocados se vendem

Agnes Eckermann agneseck@yahoo.com.br

Porto Feliz

*

OS MELHORES PROTESTOS

Esses sindicatos bancados pelo povo estão mesmo com as burras cheias. Manifestantes com camisetas da União Geral dos Trabalhadores (UGT) receberam R$ 70 por terem participado, vestidos como militantes, do ato de anteontem na Avenida Paulista. O interessante é que alguns confirmaram nem ter relação com sindicatos, participando apenas pelo dinheiro. Isso demonstra, além do baixo número de pessoas presentes, o fiasco que esse protesto representou. Bons mesmo foram aqueles de junho, quando o povo, com a cara limpa e alma verde e amarela, de peito aberto e coração repleto de patriotismo, foi às ruas espontaneamente, sem nada ganhar, para exigir vida digna aos nossos representantes políticos, em teoria. Abaixo esses sindicatos, que também em nada representam os trabalhadores do Brasil, mas, em compensação, têm cofres bem guarnecidos.

Myrian Macedo myrian.macedo@uol.com.br

São Paulo

*

'BOLSA PASSEATA'

O PT não toma jeito. A escola do Lula é boa mesmo. Agora criaram o "Bolsa Passeata". R$ 70,00 por passeata é até melhor que o "Bolsa Família", que paga 70,00 por mês. Agora é só esperar pela "criatividade petista" para sabermos qual será a próxima jogada.

Odair Picciolli odairpicciolli@moradadoscolibris.com.br

Extrema (MG) 

*

NOTÍCIAS ESTARRECEDORAS

É estarrecedor tomar conhecimento de que manifestantes receberam R$ 50 para participar das manifestações. Anteontem, centenas de grupelhos interromperam rodovias por todo o País. O MPF deveria intervir com ações contundentes contra esses aproveitadores. Tudo o que fizeram, à custa das contribuições dos sindicalizados, foi a repetição do rugido das ruas, anteriormente aglutinados pelas redes sociais e sem lideranças exponenciais. Ontem, ainda, houve um tiroteio no Sindicato dos Rodoviários, em São Paulo. A mamata deve ser maravilhosa para se apossarem de cargos e criarem centrais e forças no intuito de se locupletarem. Falta a sociedade dizer: "Pelo fim das contribuições sindicais e assistenciais".

Sebastião Paschoal s_paschoal@hotmail.com

Rio de Janeiro

*

ATIVISTAS E OPORTUNISTAS

O Dia Nacional de Lutas foi um tiro no pé dos sindicatos chapa-branca, movidos a verbas do governo para parar o Brasil no dia 11/07, cuja pesada estrutura de trios elétricos, bandeiras, faixas e balões, não deu em nada. Chegaram a contratar pessoas nas ruas para mostrarem suas forças. Tiveram, no entanto, algo como uma corrida de mula: só deram a saída. A população não aceita mais esse tipo de lideranças, que têm ligação direta com o governo federal. Pra frente o Brasil dos ativistas, abaixo os oportunistas.

Jose Pedro Naisser jpnaisser@hotmail.com

Curitiba

*

HIPOCRISIA

Com relação ao artigo de Artur Rodrigues e Diego Zanchetta, publicado na A4 da edição de ontem do "Estado" ("Participantes recebem R$ 50,00 para ir à Paulista"), gostaria de dizer que as Centrais Sindicais combatem o projeto de lei da terceirização, mas na prática terceirizam seus manifestantes, de forma precarizada, pois não oferecem registro em carteira nem encargos sociais.

Fernando Barbosa Calvet adm@sindeprestem.com.br

São Paulo

*

ALGUNS FATOS NOVOS, OUTROS NEM TANTO

Não há nenhuma novidade no fato de os sindicatos estarem pagando pessoas para participarem das manifestações. Esse velho truque sempre existiu. Há sempre mortos de fome pelas ruas, pessoas desocupadas e ficam à espera de uma boquinha. A grande novidade nesse episódio foi a "Folha de S. Paulo" ter presenciado a cena. É claro que a notícia seria desmentida. Depois do grito das ruas, a população percebeu que não é preciso caminhão de som nem microfones para protestar, basta ter vontade de sair às ruas, garganta para gritar e braços para levar os cartazes. Em boa hora essa manifestação das centrais sindicais deixou evidente que o modelo "a gente paga e leva os trouxas" para protestar está se esgotando.

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com

São Paulo

*

DEPOSIÇÃO X OPOSIÇÃO

O governador do Rio de Janeiro, Sergio Cabral, afirmou que o protesto contra seu mandato, na frente no Palácio Guanabara, sede do governo do Estado do Rio, em Laranjeiras, na zona sul da capital fluminense, não é forma de fazer oposição. Não é assim que se faz oposição, mas isso não é oposição: é deposição. Você está envergonhando o Rio com a Delta, os aviões do Eike, os helicópteros do Estado e as falcatruas da refinaria e do porto que nunca saem. Saia você...

Asdrubal Gobenati asdrubal.gobenati@bol.com.br

Rio de Janeiro

*

TUDO VAI MAL, 'MEU BEM'

No início de junho dona Dilma deu R$ 1,5 bilhões para manter a base parlamentar aliada e teve pouco efeito. Em julho anunciou R$ 3 bilhões para prefeitos e foi vaiada. Mantém 39 ministérios e nada ao combate à corrupção. Para a manifestação dos sindicatos que a pouparam de ser o alvo, deram cinquentinha per capta e a marcha foi um fiasco: sobraram bandeiras. Em contrapartida, nada de dinheiro para estruturar saúde, educação, ou até transporte. D. Dilma, olhe para a população, para a saúde, para a educação e diminua a corrupção - meu bem!

Flávio Cesar Pigari flavio.pigari@gmail.com

Jales

*

AMÉM

Ah! Que saudade que tenho da turma do Araguaia! O inimigo era visível, fardado e bem armado. Eu e meus companheiros tínhamos que nos esconder, mas éramos todos solidários. Havia sinceridade e fidelidade entre todos. Mesmo quando mudava de turma, o objetivo permanecia o mesmo. Só mudavam um pouco os métodos. Passei por momentos difíceis, fui submetida a interrogatórios, mas sempre escapei, pois sou convincente. Finalmente meu valor foi reconhecido e passei a ocupar cargos públicos, graças à formação que tive, custeada por meu pai, e graças a um partido político que tinha os mesmos princípios que eu. Comecei no Rio Grande do Sul. Destaquei-me a ponto de ser chamada para o Ministério de Minas e Energia. Nele demonstrei meu valor e como prêmio fui indicada pelo presidente da República para ser sua substituta. Topei, disputei e ganhei, pois o crisol a que fui submetida me convenceu de minha competência. Assumi, dei ordens, escolhi ministros, criei alguns ministérios, combati a corrupção que sorrateiramente tentava se alastrar. Agora vejo o pessoal nas ruas fazendo todo tipo de arruaças e reivindicações, algumas procedentes, outras nem tanto, e cometendo até atos de vandalismo. Tudo o que está a meu alcance estou fazendo, mas parece que os problemas herdados do meu antecessor são maiores do que eu supunha. Uma verdadeira herança maldita. Os aliados na Câmara e no Senado estão me abandonando e até alguns do meu próprio partido estão pedindo a volta do meu antecessor e este, fingindo-se de surdo e cego, como sempre fez, desapareceu. Só me resta pedir a ajuda de Deus. Vou aproveitar a vinda do papa ao Brasil para pedir-lhe alguns conselhos. Amém.

Francisco Samuel Fiorese samucafiorese1@yahoo.com.br

Campinas 

*

BANDALHEIRAS SEM FIM

Paulinho da Força, CUT e outros sindicatos acham que o povo é um bando de tolos. O Brasil está emporcalhado nessas bandalheiras e roubalheiras sem fim porque ao longo desses dez anos estamos sendo governados por um bando de vagabundos que têm sua origem nos sindicatos do ABCD. Aguardem e o tempo dirá como esses sindicalistas deixarão as finanças do País.

Joao Batista Tavela Leme joaobeline@gmail.com

Bragança Paulista

*

LULA E OS SINDICATOS

Os tempos são outros, meu caro, e o povo mudou. Já deu para ver. Continue escondido, Lula. Dê uma chegadinha em Cuba ou no Irã, o Brasil agradece.

Isael Coleone isael.coleone@vivointernetdiscada.com.br

Indaiatuba

*

PASSEATA DE ARAQUE

A velha guarda das centrais sindicais chapa-branca precisa fazer estágio e treinamento com a garotada do Movimento Passe Livre para aprender a fazer passeatas e manifestações de protesto vibrantes e espontâneas nas ruas. O que se viu no Dia Nacional de Lutas (11/7) foi uma passeada de araque, de segunda divisão, com baixíssima audiência e sem o menor impacto para provocar qualquer tipo de mudança no status quo. Com a paralisação provocada prejudicaram a indústria (que lhes dá emprego), o comércio e o direito de ir e vir das pessoas País afora, agitando suas velhas desbotadas bandeiras vermelhas e gritando desafinados discursos de protesto ultrapassado. Não pegou!

J. S. Decol decoljs@globo.com

São Paulo

*

'PELEGADA'

A moçada do MPL saiu às ruas para exigir importantes mudanças para o País. Pela moralidade e decência de nossos governantes e dos políticos em geral, houve uma enorme diferença da manifestação de 11/07 dos sindicalistas que colocaram na rua a "pelegada" em troca de "din-din". Um "fraca$$o"... De onde saiu tanto dinheiro? O que nos fez lembrar a frase de Sergio Porto, o conhecido Stanislaw Ponte Preta: "A prosperidade de alguns homens públicos do Brasil é a prova evidente de que eles vêm lutando pelo progresso do nosso subdesenvolvimento". Essa frase foi escrita há mais de 50 (cinquenta) anos. Para se adequar aos últimos dez anos basta substituir "alguns" por "muitos", "quase todos" ou "todos". Qual palavra que fica melhor? A que situação chegamos, uma vergonha!

Maria Teresa Amaral mteresa0409@2me.com.br

São Paulo

*

VANGUARDA PAULISTA

Tenho novamente orgulho de ser paulistano, um paulista que entendeu bem a situação política e não aderiu às greves de 11 de julho. Essa greve não era uma greve de reivindicações, e sim uma torpe tentativa dos sindicatos e dos partidos ditos de esquerda tomarem para si as rédeas desses manifestos maravilhosos, sem partidos, sem sindicatos, sem governo, sem oposição. O Brasil precisa entender: sindicatos podem existir, podem reivindicar, mas estão totalmente desgastados, corruptos, ligados a todas as corrupções do governo, do MST e de todos os "emes", que estão engajados, sim, em levar vantagem. Que voltem, sim, as legítimas manifestações populares, sem sindicatos, bandeiras ou partidos. Parabéns ao povo paulistano e paulista: somos mesmo sempre vanguarda, que o Brasil pense forte nisto.

Roberto Moreira Da Silva rrobertoms@uol.com.br

São Paulo

*

AVALIAÇÕES CAUTELOSAS

A manifestação promovida pelas centrais sindicais no dia 11 de julho exige uma reflexão por parte de quem lida com a questão social. O destaque inicial, por certo, foi a unificação da pauta de reivindicações, conseguida com muito esforço. A outra questão a ser destacada é que não se tratava de greve geral. E mais, a classe trabalhadora, como os participantes de vários movimentos sociais, está carecendo de uma evolução no campo político. E isso ficou constatado com a atitude de grupos que tentaram impedir a participação de partidos e da classe política. Uma repetição do que aconteceu em junho. Mas um fato precisa ser citado: as direções sindicais se expuseram, devidamente identificadas, sem a espontaneidade ou o desabafo emocional das manifestações anteriores, que nem sequer definiram seus encaminhamentos em relação às reivindicações. Portanto, é preciso muito cuidado nas avaliações.

Uriel Villas Boas urielvillasboas@yahoo.com.br

Santos

*

NOBRES PARLAMENTARES

Incrível como os nobres parlamentares picaretas com anel de doutor trabalharam nas ultimas semanas "como nunca antes nesse pais", como diria um grande estadista brasileiro amigo de Chávez, Ahmedinejad e "irmão" de Kadafi, mas hoje um pouco ausente do cenário nacional.

Luiz Henrique Penchiari luiz_penchiari@hotmail.com

Vinhedo

*

IMPARCIALIDADE E CREDIBILIDADE

A rede Globo vira alvo dos manifestantes sindicalistas em São Paulo e Porto Alegre. Um reflexo de luz verde invadiu o estúdio do "SPTV" durante a exibição do jornal de 11/07, atingindo o rosto do apresentador Carlos Tramontina. No protesto os manifestantes gritavam palavras de ordem contra a Globo. Em Porto Alegre, os manifestantes jogaram esterco em frente da sede do Grupo RBS e pediam a "democratização dos meios de comunicação e a revisão das concessões de TV". Era uma tentativa frustrada de demonstrar o contrário: afinal, é o custo de tantas vantagens recebidas do atual (des)governo. Só que não colou. O povo está por dentro de tudo, veículos de comunicação devem e precisam ser imparciais, jamais oferecendo um apoio tão explícito, comprometendo sua credibilidade e a de um grupo tão importante para o País, para os brasileiros e para o mundo.

Luiz Dias lfd.silva@2me.com.br

São Paulo

*

PATAMAR DEGRADANTE

Depois de ver as "manifestações" das centrais sindicais infernizando a vida da grande maioria dos brasileiros decentes e honestos, lembrei-me da felicidade dos britânicos por causa da determinação da ex-primeira-ministra Margaret Thatcher de liquidar todos os sindicatos do Reino Unido, colocando essa corja na sarjeta. Aliás, com raras exceções, sindicalistas brasileiros, em matéria de corrupção, estão no mesmo patamar degradante do Congresso Nacional, em Brasília.

José Francisco Peres França josefranciscof@uol.com.br

Espírito Santo do Pinhal

*

VERSATILIDADE PETISTA

A versatilidade dos petistas em argumentar para continuar iludindo a população até com palavras é incontestável. Basta ver como se manifestou o ministro da Educação, Aloízio Mercadante, ante a última pesquisa da "Folha de S. Paulo", que mostrou queda na popularidade de Dilma Rousseff, apontando 30% ante 57% em março. Na ocasião o ministro alegou ser simplesmente uma "oscilação", porém, se tivesse aumentado, com certeza a classificaria como sendo "evolução", como também o presidente do PT Rui Falcão manifestou-se dizendo ser apenas uma questão de poucos meses para ela retornar aos índices iniciais que possuía.

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

ACREDITE SE QUISER

Somos o único caso de democracia no mundo em que condenados por corrupção legislam contra os juízes que os condenaram. Somos o único caso de democracia no mundo em que as decisões do Supremo podem ser mudadas por condenados. Somos o único caso de democracia no mundo em que deputados, depois de condenados, assumem cargos e afrontam o Judiciário. Somos o único caso de democracia no mundo em que é possível que condenados façam seus habeas corpus ou legislem para mudar a lei e serem libertos... (Joaquim Barbosa)

Conrado de Paulo conrado1953@bol.com.br

Bragança Paulista

* 

FALA, GILBERTO!

Eu particularmente gostaria de saber quando o Sr. Gilberto Carvalho, ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República, irá falar sobre a morte do engenheiro Celso Daniel quando prefeito de Santo André. Lembro que o Sr. Gilberto Carvalho não somente participava como secretário naquela gestão da Prefeitura, mas foi citado no processo da morte do prefeito Celso Daniel! Fala, Gilberto!

Edivelton Tadeu Mendes etm_mblm@ig.com.br

Penha

*

ARTIMANHAS

Você sabia que no dia 11/7/2013 o presidente do Senado, Renan Calheiros, sentou em cima da Proposta de Emenda à Constituição 18/2013, a PEC 18, prevista para apreciação do Senado nesse dia? Que a emenda determina que parlamentares condenados por crimes contra a administração pública tenham seus mandatos cassados? Que acaba com a manutenção no Congresso Nacional de parlamentares condenados? Que existe no Congresso Nacional um punhado de parlamentares condenados exercendo mandatos? Que Renan atendeu à maioria dos congressistas não colocando a PEC 18 para apreciação? Artimanhas como essas que acontecem dentro do Congresso Nacional só servem para enraivecer ainda mais o povo. Alguém precisa acordar os Poderes Legislativo e Executivo da República.

Leônidas Marques leo_vr@terra.com.br

Volta Redonda (RJ)

*

CARA DE PAU

Cabral tinha três caravelas e o esperto Sergio Cabral tem sete helicópteros, aviões do Eike, o falido, e da Delta, os espertos e trambiqueiros. Por isso e por ser um cara de pau deve perder o cargo já. Sem mais.

Kaled Baruche kbaruche@bol.com.br

São Paulo

*

FOGO AMIGO

Em se falando de fogo amigo, a presidente Dilma está muito bem servida. Com a palavra, Alexandre Padilha, Ministro da Saúde. Só ele dá conta de tudo. Não precisa de mais ninguém.

José Piacsek Neto bubanetopiacsek@gmail.com

Avanhandava

*

SAÚDE NO BRASIL

Segundo matéria de "O Valor" (11/7, A9), o deputado Aécio Neves tem em mãos um estudo sobre o estado global da saúde brasileira que demonstra que seu financiamento, nos últimos anos, foi pífio, do que resultou seu sucateamento. A tabela de remuneração do SUS, por exemplo, objeto de repúdio há longo tempo da classe médica, remunera um exame de Raio X por R$ 6,88, enquanto os planos de saúde repassam R$ 20,96. A grande maioria das Santas Casas do Brasil, que sempre foram instituições salvadoras em nossos municípios e recebem a consideração e o carinho do povo, está endividada. Se o contexto geral do problema fosse enfrentado, certamente muitos médicos - brasileiros - dispor-se-iam a trabalhar por determinados períodos nos mais longínquos e necessitados rincões, onde poderiam se dedicar à formação de uma poupança inicial e ao aprimoramento do saber.

Amadeu R. Garrido de Paula amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paul

*

DESASTRE ANUNCIADO

O governo Dilma achou uma forma de os brasileiros formados em Cuba exercerem a profissão de médicos ideólogos e que foram considerados ineptos pelo Conselho Federal de Medicina. A campanha da presidente para tentar aumentar seu índice de aprovação passa ao largo do crivo competência, mas talvez seja uma forma de cumprir a promessa feita a esses estudantes, que, cooptados pelo PT e MST, ao voltarem de Cuba depois de cursarem um curso meia boca, ficaram sem poder exercer a profissão. Só espero que a população esteja atenta e ao ver qualquer ineficiência desses médicos estrangeiros corra para a imprensa e denuncie, porque denúncias ao governo com certeza serão devidamente abafadas. O CFM tem denunciado ser esse programa uma enganação, porque na realidade faltaram boa vontade e investimento na saúde pública brasileira! Querem tapar o sol com a peneira, pondo em risco vidas. Isso é desastre anunciado e, em caso de morte, podemos culpar a "presidenta". Vai dar cadeia?

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo 

*

ESPIONAGEM AMERICANA

O perigo agora é o PT descobrir como se faz a espionagem. Se tiver escolha, prefiro ser espionado pelo governo americano...

Gilberto Dib www.dib.com.br

São Paulo

*

DEVIDAS EXPLICAÇÕES

Quer dizer que, pelo menos até 2002, segundo noticiado pela mídia, havia uma base de espionagem por satélite instalada no Brasil. Bem, até 2002 quem tem que se explicar é o Sr. Fernando Henrique e seu partido o PSDB e o ex-presidente Lula e o PT de lá para cá, se essa base foi mantida. O interessante é que o PSDB vem com o senador Aécio Neves para candidato a presidente, falando em mudanças, em representar o novo, etc., quando na realidade tem é que vir a público explicar isso. Não podem dar as costas ou dar de ombros como se isto não fosse sério. Cabe a mesma observação para o ex-presidente Lula e o PT. Não podem ficam fingindo que isso não é sério. É e muito.

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

*

HERÓI MUNDIAL

Exceto para o governo americano e seus aliados, Edward Snowden é um herói pela coragem que teve de denunciar a rede de espionagem dos EUA, cuja descoberta causou um mal estar diplomático em vários governos. Quem deveria ser levado aos tribunais é o governo Obama, que faz escutas não autorizadas e invade a privacidade de pessoas comuns.

Marcos Abrão m.abrao@terra.com.br

São Paulo

*

QUANTO MAIS ELA REZA...

Nas circunstâncias atuais, dona Dilma reza para que ocorram eventos como o da espionagem dos EUA, envolvendo o agente Edward Snowden, na esperança vã de que possam desviar momentaneamente a atenção do povo brasileiro dos seus desmandos como presidenta da República.

Sergio S. de Oliveira ssoliveira@netsite.com.br

Monte Santo de Minas (MG)

*

ECONOMIA

A economia do Brasil encolheu 1,4% em maio em comparação com abril, segundo dados divulgados pelo Banco Central. É a maior queda registrada desde dezembro de 2008, quando o indicador recuou 4,31%. O Índice de Atividade Econômica do Banco Central é considerado uma prévia do PIB. Como diria o enganador Lula, é apenas uma marolinha, mas o Mantega esta quase escorregando nela. PT nunca mais.

Mustafa Baruki mustafa-baruki@bol.com.br

São Paulo

*

VAGAS PARA CONSELHEIROS

Após a renúncia de quatro conselheiros, a empresa OGX foi notificada pela BM&FBovespa para que até o dia 12/9/2013 recomponha seu conselho de administração. A empresa OGX está recrutando pessoas interessadas para preencherem os cargos vagos com urgência. Alguém interessado?

Maria Carmen Del Bel Tunes carmen_tunes@yahoo.com.br

Americana

*

RECALLS ALARMANTES

No Brasil, a coisa anda tão complicada que até cadeirinha, que é um item obrigatório para o transporte de crianças em veículos automotivos, sofre recall...

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

*

'GOVERNO COLLOR, GOVERNO DILMA'

Não só eu como todos os brasileiros concordamos plenamente com o que disse o senhor João Mellão Neto ("Estado", A2, 12/7). Num passado não muito distante, por muito menos, mas por muito menos mesmo, o presidente Collor foi deposto.

Arnaldo de Almeida Dotoli arnaldodotoli@hotmail.com

São Paulo

*

BOATOS

O ilustre jornalista João Mellão Neto, em artigo no estadão de 12 de julho, diz que, perto do que vem acontecendo no Brasil, era migalha o que levou ao impeachment de Collor. Porém, a par de muita verdade sobre o governo Collor, o Sr. Mellão omitiu o que teria sido a causa principal da opinião pública ter se voltado contra Collor, ou seja, o boato (ou verdade?) que correu o Brasil

na época do banquete ou da festa comemorativa do primeiro bilhão arrecadado pela "quadrilha Collor", chefiada por seu tesoureiro da campanha presidencial, Paulo Cesar Farias, que, numa evidente queima de arquivo, viria a ser assassinado logo depois. Outro boato (ou verdade?) dava conta de que Collor e sua quadrilha foram egoístas, ignorando os senadores e deputados na repartição dos lucros. Se "non e vero", é o chegava ao povo na época.

Francisco do Nascimento fpercy@estadao.com.br

São Paulo

*

ORGULHO DE UM ELEITOR

Caro Mellão, orgulho-me de ter sido um de seus eleitores. Muito boa a sua coluna de ontem. Concordo com a similaridade entre os governos dos dois presidentes, fato que comento com amigos. Quero cumprimentá-lo principalmente pelo último parágrafo: sua postura mostrou lealdade, coragem e principalmente honestidade, visto que "quem não deve, não teme"! Muito diferente de certo ex-presidente, que nessas situações sempre foge, esconde-se, não assume responsabilidades, diz que não viu nada, não sabe de nada, etc.

Guilherme Morais guimorais@uol.com.br

São Paulo

*

A BELA E A FERA

Articulista político escreveu na sua coluna, num importante jornal paulista, que Dilma está possessa. Referindo-se, é claro, aos últimos acontecimentos no País. E, continuando, o colunista diz ainda que quando está assim desconta sua raiva em todos que trabalham ao seu lado. É de se imaginar tudo o que sofre aquela

ministra conhecida como "narizinho" pela sua beleza e delicadeza, que trabalha praticamente na antessala de Dilma. É de dar pena!

José Marques seuqram.esoj@bol.com.br

São Paulo

*

VIOLÊNCIA

"São Paulo tem a menor taxa de homicídios entre as capitais"... A "imprensa lulopetista" deve (deve!) desculpas a Alckmin!

A. Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.