Fórum dos Leitores

BOLSA FAMÍLIA

O Estado de S.Paulo

15 Julho 2013 | 02h05

Boato solucionado

A Polícia Federal (PF) concluiu que o boato sobre a Bolsa Família "foi espontâneo, não havendo como afirmar que apenas uma pessoa ou grupo o tenha causado", e que, portanto, não houve crime. Será que os EUA, após espionagem, também chegaram a essa mesma conclusão? Me enganem que eu gosto.

MARIA CARMEN DEL BEL TUNES

carmen_tunes@yahoo.com.br

Americana

*

Lambança

Agora é oficial: aquele corre-corre para sacar a Bolsa Família não passou de uma grande lambança de comunicação da própria Caixa Econômica e do governo federal. E para não perder a viagem e faturar votos para a reeleição, o governo tentou culpar a oposição. Mais do que nunca, estou convencido de que 39 ministérios são demais. Eles estão batendo cabeça.

CARLOS DE OLIVEIRA AVILA

gardjota@gmail.com

São Paulo

*

Um rosário de desculpas

Quanto aos boatos do não pagamento da Bolsa Família, agora devidamente esclarecidos pela Polícia Federal, o que acontecerá será um verdadeiro rosário de desculpas esfarrapas. Não é isso, não, caríssima ministra dos Direitos Humanos?

JOSÉ PIACSEK NETO

bubanetopiacsek@gmail.com

Avanhandava

*

SAÚDE PÚBLICA

Acordo de comadres

A imprensa publicou no sábado um acordo espúrio entre dois ministros: o da Saúde pedindo ajuda ao da Justiça para que a Polícia Federal atue na fiscalização e no rastreamento de médicos que se manifestaram contra - sem o Revalida - esse programa hipócrita, demagogo e eleitoreiro apelidado de Mais Médicos. Já por várias vezes expus a minha posição. Sou radicalmente contra esse programa, que em curto prazo desmoralizará a nossa medicina. E confesso que farei tudo ao meu alcance contra essa excrescência. Além do mais, posso poupar a PF de um trabalho adicional e de perda de tempo na tentativa de rastrear os meus e-mails, enviando cópia de todos eles, acompanhada de IP, RG, CPF, Cremesp, número de passaporte, telefone e endereço. Assim a PF terá mais tempo para rastrear e prender os ladrões que infestam o governo, salvando o dinheiro público para que possa ser investido na saúde da população.

HUMBERTO DE LUNA FREIRE FILHO, médico

hlffilho@gmail.com

São Paulo

*

Arapongagem

Eu ia me inscrever no programa do governo federal, mas com a reportagem Polícia Federal vai rastrear inscrições no Mais Médicos, no Estadão de sábado, desisti. Se abrir mão das vagas que me forem apresentadas por não concordar com as condições do local de trabalho, por exemplo, a PF vai investigar a minha vida? Vai me colocar na lista de traidores da Nação? Sinceramente, esse sr. Alexandre Padilha e o governo que representa atingiram o nível máximo de trapalhadas e ineficiência administrativa.

FERNANDO PEREIRA, médico

contato@drfernando.com.br

São Paulo

*

Por falar nisso...

Dona Dilma, dia destes levei minha tia Gilda, de 82 anos, ao posto de Assistência Médica Ambulatorial da Sé (AMA Sé). Foi difícil ela chegar até o médico, pois havia apenas uma cadeira de rodas no posto e estava ocupada. Tia Gilda foi se arrastando devagar e, por causa do seu estado de fraqueza, o médico receitou que fosse ministrado soro com vitamina B12. A vitamina estava em falta na AMA Sé, que fica no centro da maior cidade do País. Houvesse 12 médicos, estrangeiros ou não, naquele posto de saúde, naquele dia, não adiantaria de nada, presidenta, porque o que estava faltando eram cadeiras de rodas e vitamina B12...!

VICTOR GERMANO PEREIRA

victorgermano@uol.com.br

São Paulo

*

NAS ALTURAS

Sobrevivência

Sucateada, sem os equipamentos de que precisa e sem os caças que jamais terá, restou à Força Aérea Brasileira transportar políticos. É isso ou a extinção.

FERNANDO MORENO

frodg434@hotmail.com

São Paulo

*

Adeus

Nossos políticos deveriam aproveitar a facilidade de viajar nos aviões da FAB e se mandar para algum lugar muito distante. Sem volta, claro.

SILVIO LEIS

silvioleis@hotmail.com

São Paulo

*

Abuso de políticos

Circula na internet, em especial no Facebook, uma acusação que, a ser verdadeira, é gravíssima. Diz que a ministra Ideli Salvatti faz uso todas as sextas-feiras após as 18 horas daquele avião modificado e transformado em VIP que é de uso exclusivo de políticos e tem capacidade para 40 passageiros. Pelo que lá está escrito, ela vai normalmente com, no máximo, três pessoas e retorna do mesmo modo no domingo. Não mereceria, mesmo, uma investigação rigorosa e a consequente devolução do dinheiro aos cofres públicos?

M. DO CARMO Z. LEME CARDOSO

mdokrmo@hotmail.com

Bauru

*

SENADO

Suplentes

A respeito de informação publicada no Estado de 11/7 (A4) em que sou citado, esclareço: não mudei o meu voto, tampouco de ideia, de um dia para outro. Antes de o novo substitutivo à PEC 11/2003 ser anunciado em plenário, já havia divulgado em minhas redes sociais que estava em articulação no Senado a construção de uma proposta de consenso sobre a suplência de senador. Já havia também manifestado minha posição favorável à redução do número de suplentes e à proibição de eleição de familiar. Porém era contrário à terceira medida prevista na PEC 37/2011, votada na terça-feira (9/7), que determinava a realização de nova eleição na hipótese de vaga. Defendia a tese de que o senador fosse sucedido por um suplente que ocupasse o mandato do titular em caso de vacância definitiva, como ocorre com o vice-presidente da República, os vice-governadores e vice-prefeitos. Como a redação da proposta não permitia a exclusão desse item para a aprovação dos demais, trabalhei e votei pela aprovação do substitutivo apresentado em 10/7.

ANTONIO CARLOS RODRIGUES, senador suplente (PR-SP)

alexandremalvestio@gmail.com

Brasília

N. da R. - A reportagem registrou a comemoração em plenário do senador Antonio Carlos Rodrigues, que, assim como outros parlamentares, apoiou a PEC depois que foi retirada do texto a eleição de suplente no caso de vacância definitiva do titular.

*

O CAMPEÃO VOLTOU!

Voltou sim, voltou o dragão da inflação, que comemorem os alienados...

Oswaldo Colombo Filho colomboconsult@gmail.com

São Paulo

*

MATANDO CACHORRO A GRITO

Dona Dilma, com a volta da inflação, no próximo reajuste salarial não se esqueça dos aposentados do INSS, até porque muitos já estão matando cachorro a grito.

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

*

AGORA É TARDE

Mantega, agora é tarde. O anúncio de redução de R$ 15 bilhões (somente!) no orçamento deste ano para manter a meta fiscal de 2,3% chegou tardiamente e é insuficiente. Pena o governo não ter seguido antes as sugestões dos analistas. Agora, certamente se aproximarão da meta fiscal, alterando artificialmente as contas, como seu governo tem feito habitualmente, pensando que engana o mercado. Com a inflação em 6,7%, acima do limite máximo da meta, de acordo com o IBGE, e subindo, vocês terão dificuldade de reeleger a presidente Dilma. Quanto à não reeleição da presidente, seria uma boa notícia, dada a possibilidade de termos um governo melhor, mais interessado no País e menos interessado no poder. Mas, infelizmente, a Selic agora deverá aproximar-se de 10%, este ano. O pior de tudo é que a população vai sofrer com o aumento de preços, devido à enorme incompetência e irresponsabilidade de seu governo, com o que vocês provavelmente não se importam.

Fabio Figueiredo fafig3@terra.com.br  

São Paulo

*

GÊNIOS

A equipe econômica do governo disse que ainda dá para crescer 3% este ano, porém tal crescimento depende do consumo e dos investimentos a serem realizados. Caramba, como nós não tínhamos pensado nisso? Isso que é equipe econômica, “né” não ?

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br   

São Paulo

*

IRRESPONSÁVEIS E POPULISTAS

Governo incompetente. Adia reajuste das tarifas ou as reduz e arma uma bomba contra a inflação lá na frente. Política econômica feita por principiantes, irresponsáveis e populistas. Também, querem o quê, se a presidente, em mais uma declaração populista, disse que o governo dela é o estilo Felipão? Vejamos o estilo em 2014.

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com  

Rio de Janeiro

*

NA RUA DA MISÉRIA

O aumento exagerado nos contratos de créditos consignados aponta para um perigo iminente. Aposentados e pensionistas estão se endividando fora de controle. Mais dia menos dia, por não gozarem do direito à inadimplência, estarão na rua da miséria.

Sergio S. de Oliveira ssoliveira@netsite.com.br  

Monte Santo de Minas (MG)

*

A INFLAÇÃO QUE NÃO GALOPA

Percebo boa parcela da imprensa, muitos economistas e políticos (principalmente os tucanos) um tanto alarmistas com nossa inflação. Aécio Neves chegou a classificá-la de “galopante”. Bem, concordo que, nos últimos 12 meses (julho/2012 a junho/2013), a inflação ficou acima do teto da meta. Atingiu 6,70% ou 0,20 ponto percentual acima do teto. No entanto, proponho uma leitura menos alarmista.

Atentem que:

1) Inflação em 2011 = 6,50%. Em 2012 = 5,84%. Baixou, portanto.

 

2) Inflação em janeiro de 2013: 0,86%; fevereiro: 0,60%; março: 0,47%; abril: 0,55%, maio 0,37% e junho: apenas 0,26%. Clara tendência de baixa, portanto.

É realmente incrível que, diante das informações acima, alguém ousasse classificar a inflação como “galopante”.

Mauricio Nardi Jr. mauricionardi@hotmail.com

Valinhos

*

CAMINHO TORTUOSO

Economistas da CNI exprimem dados destacados por editorial do “Estado” que acrescentam um nicho de fogo ao inferno estatal vivido pelo governo e pela política brasileira: o rumo da estagflação, com a previsão de queda do PIB de 3,2% para 2% e o aumento da inflação de 5,5% para 6% (provavelmente mais). O caminho tortuoso para as ruínas circulares que nos confinaram entre 1985 e 1990, no governo do “companheiro” José Sarney. Já se foi a hora de uma radical mudança no Ministério da Economia, como há tempos recomendou a revista inglesa “The Economist”, para cogitar-se das mudanças mais amenas do governo brasileiro.

 

 Amadeu Roberto Garrido de Paula amadeugarridoadv@uol.com.br  

São Paulo

*

A POPULAÇÃO NAS RUAS

Conforme os analistas econômicos, as manifestações populares em várias cidades brasileiras tiveram impacto no índice que mede a inflação (IPCA), de 0,26% em junho. Pelo visto, ninguém esperava que a população nas ruas poderia matar dois coelhos com uma cajadada só. Tomará que seja somente o começo.

Edgard Gobbi edgardgobbi@gmail.com

Campinas

*

UMA DÚVIDA

Presidenta Dilma Rousseff, por que a senhora não acaba com o imposto sindical compulsório – herança de Vargas de 1943 –, que equivale a um dia de trabalho do trabalhador com carteira assinada? Nada contra as entidades sindicais, pois bato o cartão de ponto diariamente no meu trabalho. Porém a afiliação do trabalhador ao sindicato não deveria ser opcional como nos Estados Unidos, na Alemanha e em muitos outros países industrializados?  O modelo sindical brasileiro não deveria seguir as normas da Organização Internacional do Trabalho?

Márcio Rosário mrmarcio_rosario@hotmail.com  

São Paulo

*

X DA QUESTÃO

“Na medida certa, um pouco de megalomania ou ousadia é recomendável. Não há empreendedor bem-sucedido que não tenha provado uma pequena dose.” (Eike Batista) Quem enganou quem? Ninguém percebeu? Não houve sinais? Ninguém alertou? O X da questão é que, do idealizador e seu(s) patrocinador(es), seus financiadores, até os investidores (pobres minoritários), enfim, gente altamente especializada, passando pelos órgãos fiscalizadores (ANP e CMV), ninguém quer passar recibo. aproveitadores? Espertalhões de ocasião? Ingênuos (difícil acreditar)? Inocentes úteis? Idiotas sortudos ou azarados? Ou incompetentes? “O investidor médio ouve seu analista como ouve seu médico, sem contestar. Tenho pena do pequeno investidor que vendeu com base nas recomendações.” (Eike Batista) Campeões anabolizados e doping nunca terminam bem, castelos de areia desabam; mas ninguém percebeu?

Luiz A Bernardi luizbernardi@uol.com.br

São Paulo

*

LULABRÁS, EIKEBRÁS

Com vagabundos desse naipe governando o País, os economeses ficam surpresos que BB, CEF, Eletrobrás, Petrobrás, “Lulabrás”, “Eikebrás” e outras piadas do empresariado tupiniquim entrem em processo pré-falimentar!

 

Ariovaldo Batista arioba06@hotmail.com

São Bernardo do Campo

*

SEM PERDÃO

Lemos no noticiário que as aplicações em grupo de Eike trazem perda a fundo de pensão dos Correios, além de empréstimos vultosos recebidos pelo BNDES, levando muitos aplicadores em bolsas de ações a perdas significativas. Esse senhor, que estava sempre acompanhado de autoridades e principalmente do ex-presidente Lula como grande empreendedor, talvez nunca tenha sido questionado de onde vinha tanta “sorte” em seus negócios. Um ditado antigo profetizava: “O dinheiro mau ganho não perdoa ninguém”.

 

Leila E. Leitão

São Paulo

*

EIKE NAHAS

Como tem sido divulgado pela mídia, as empresas do grupo X estão passando por dificuldades imprevisíveis. Tenho dito que está surgindo um novo Naji Nahas. Não duvido nada, nadinha, se ele não recomprar as ações que não estão valendo “um rés de mel coado”. Não apontem suas economias para a letra X, pois ela é o

x da questão.

 

Sebastião Paschoal s_paschoal@hotmail.com

São Paulo

*

PETROBRÁS EM APUROS

Como é sabido por todo comerciante, até mesmo daquele proprietário da mais simples loja de R$ 1,99, não se deve estocar em excesso: além de problemas de caixa, o imprudente corre o risco de ver seu produto baratear, ou mesmo tornar-se obsoleto, em futuro próximo. Parece ser esse o principal problema na ex-gigante estatal: já possui estoque mais que suficiente para décadas, não conseguindo, no momento, nem sequer transportá-lo para seus pontos de elaboração e venda. No entanto, é compelida pelo sócio controlador a adquirir mais do mesmo produto nas mesmas condições, hoje inviáveis. Acrescente-se que o preço pode cair logo – veja-se a brevemente provável autossuficiência americana – então o preço exigido é exagerado. Sendo essas as considerações de um leigo, sujeitas, portanto, a equívocos e omissões, parece-me que o assunto poderia ser mais bem trabalhado no âmbito de uma consultoria. Profissional, sim, mas nada muito sofisticado nem caro, dada a singeleza da dificuldade a ser enfrentada e ao atualmente diminuto porte da empresa cliente, podendo, nesse caso, ser contratado o Sebrae.

 

Jurandir Leite dos Santos jurandir.leite@bol.com.br

Caraguatatuba

*

A FICHA QUE NÃO CAI

A ficha não caiu. Com tantas manifestações públicas clamando por reformas e contenção de gastos, o governo federal insiste em fazer mais uma obra faraônica – o Trem de Alta Velocidade (TAV) Rio-São Paulo, obra de 518 km de extensão, dos quais 98 km são subterrâneos, 100 km são elevados e 320 km em canaletas. Enquanto cidadãos das grandes cidades sofrem com problemas de mobilidade, o governo diz não ter dinheiro suficiente para enfrentá-los, mas tem recursos para fazer uma obra não prioritária, que não ficará pronta antes de 15 ou 20 anos. Alertando, temos exemplos de obras de grande porte (milagre brasileiro) que não foram completadas ou ficaram mal acabadas, por exemplo, a Transamazônica, a transposição do rio São Francisco, as ferrovias Transoceânica e Transnordestina, além do legado da Copa do Mundo de 2014. A estimativa do projeto do TAV é de R$ 33 bilhões, com prazo de execução de seis anos. Vejamos: a cidade de São Paulo possui atualmente 74 km de malha metroviária, que estão em andamento há 44 anos. Sabemos que tudo que se planeja pelo governo, no final, acaba ficando duas ou três vezes mais caro e demorado. Assim como extinguir a Empresa de Planejamento e Logística, que já consumiu milhões de reais em estudos. Não está na hora de abandonarmos ou suspendermos o projeto do Trem Bala? Que tal destinar esses recursos aos Estados e municípios para obras de mobilidade urbana?

Alexandre Monteiro alexquinaz@hotmail.com

Cotia

*

HORÁRIO DE BRASÍLIA

O País vai muito mal e acho que é porque “funciona” no horário de “Burrasília”. Vamos mudar o fuso horário para horário do Sudeste. Vamos acabar com as burrices tipo “País rico é país sem pobreza”, que só é admitido num país governado por loira (que me desculpem as louras).

Mário A. Dente dente28@gmail.com

São Paulo

*

HAJA IDEOLOGIA

Já que 81% dos brasileiros tacham partidos como “corruptos ou muito corruptos”, segundo pesquisa ibope divulgada pela transparência internacional, por que não usar o mesmo percentual para diminuir os partidos políticos brasileiros? Haja ideologia para tanto partido.

Arnaldo de Almeida Dotoli arnaldodotoli@hotmail.com

São Paulo

*

ORDEM E...

Em foto, a presidenta apontou apenas para a palavra “ordem”, na bandeira nacional, porque, com a economia do jeito que está fica difícil apontar a palavra “progresso”.

 

Pedro Choma Neto pedroneto@brturbo.com.br

Irati (PR)

*

GOVERNO INSEGURO

Dilma anuncia hoje, e muda amanhã. O secretário do Tesouro muda de posição. Agora fala em corte de despesas para segurar a inflação. Plebiscito só para após a eleição de 2014. Só o Congresso pode ou não adotar já o modelo de eleições presidenciais, idêntico ao dos Estados Unidos? Chega de submissão!

Paulo Maia Costa Júnior paulomaiacjr@hotmail.com

São José dos Campos

*

PROMESSA NÃO CUMPRIDA

O PT começou a perder sua propalada condição de partido ético e “salvador da Pátria” no momento em que estourou o escândalo do mensalão.  De lá para cá, uma sucessão de escândalos político/financeiros nunca vistos na História desse país. Hoje, mais do que nunca, tudo isso está vindo à tona.

 

José Marques seuqram.esoj@bol.com.br

São Paulo

*

COSTAS QUENTES

Ja dizia Pero Vaz de Caminha: “Neste país, em se plantando tudo dá”, mas os nossos políticos extrapolaram. Espero que as passeatas os coloquem no lugar deles e os mensaleiros na cadeia, pois já passou da hora de a Justiça ser feita independente das costas largas, quentes ou seja lá como estiverem.

 

Asdrubal Gobenati asdrubal.gobenati@bol.com.br

Rio de Janeiro

*

CONTA ESTRANHA

Não consigo entender a presidente: com 39 ministérios, é sempre ela que aparece para divulgar as atitudes do governo.

Laert Pinto Barbosa laert_barbosa@ig.com.br

São Paulo

*

NAUFRÁGIO INEVITÁVEL

Quando o naufrágio é inevitável e o navio começa a submergir, os ratos são os primeiros a dar o fora. A propósito, alguém viu o ratão-mor por aí?!

 

J. S. Decol decoljs@oglobo.com

São Paulo

*

‘TUDO BEM’

No Judiciário está tudo bem. Ou será que existe alguém revoltado contra a demora nos julgamentos da nossa Justiça? Nas audiências, vemos arrogância e prepotência. Penso que a maioria dos casos solucionados são mais resultado de acordo entre as partes, depois de anos, décadas de “papo furado”, argumentos fajutos de profissionais do ramo, baseados em leis que se “contradizem” com a finalidade de ganhar tempo, facilmente constatado pelo julgador, que mesmo assim não decide e certamente prejudica uma das partes. Aquela com a razão, certamente. Acho que os manifestantes nessas passeatas deveriam portar cartazes a favor ou contra esse ponto de vista,pois aí existe um gargalo que atravanca a vida das pessoas e muito colabora com a impunidade e a corrupção.

Itamar C. Trevisani bia.trevisani@terra.com.br

Orlândia

*

TOMA LÁ DÁ CÁ

A garantia de julgamento rápido para crimes de corrupção é imperiosa. Não adiantam perfumarias, se não houver uma lei especifica para tratar desses crimes. Corrupção governamental deveria se tipificada como crime doloso, com intenção de prejudicar a população em proveito próprio. Para esses crimes, o acusado deve ser preso, ter seus bens indisponíveis na instalação do processo, inclusive para familiares de primeiro grau. Se condenado, só em regime fechado, mesmo sendo réu primário. Só assim inibiríamos políticos que usam seus cargos para enriquecimento ilícito. Como é hoje, o político rouba o quanto pode, refaz suas declarações de imposto de renda nos últimos seis anos acrescentando os valores, transformando seu patrimônio legal. Mas vocês dirão: isso pode? Lógico que pode! Desde que o agente público faça uma auditoria e lance o imposto. Mas, com um político, sabe como é, favores para cá, favores para lá, emprego público para mulher, filho, cunhada... E tudo fica por isso mesmo.

Ruy Colamarino 1945.ruy@gmail.com

São Paulo

*

DESCULPAS

Mensalão, mensalinhos, Rosemary’s, jatos da FAB cruzando os céus do Brasil, levando próceres políticos e suas famílias a jogo de futebol e festa de casamento, fazem do “mar de lama”, a que se referiu Getúlio Vargas, antes de se suicidar, um mero laguinho da Praça da República. Como disse um leitor deste Fórum outro dia: esses próceres políticos não precisam fazer harakiri, basta pedirem desculpas ao povo e renunciarem.

Roberto Pereira da Fonseca roberfon@uol.com.br

São Paulo

*

DESORIENTADA

Vendo a postura e todas as declarações da presidente Dilma nesses últimos dias, constata-se que está perdida, sem apoio até da tal base aliada, diante das propostas estúpidas e inaplicáveis que propôs à nação. Tudo por não ter ouvido corretamente as manifestações vindas das ruas. O povo não pediu reforma política nenhuma, e sim melhorias substanciais em educação, saúde, transportes, o fim da corrupção e a diminuição dos gastos de seu governo (leia-se: menos ministérios). Mas a presidente Dilma parece ter dificuldades em entender tudo isso, motivada por sua prepotência e sua arrogância. Portanto, sugiro que desça do pedestal em que se colocou e jogue a toalha, pois errar é humano, mas insistir é burrice, já que o povo não está brincando e, quando verificar que nada mudará, a coisa poderá piorar – e muito – para ela e todo o seu governo, que não se sustentará.

Agnes Eckermann agneseck@yahoo.com.br  

Porto Feliz

*

PERDIDINHA

Dilma tu estás perdidinha, “né”? Não sabe mais o que fazer. Fale com o seu patrão, Lula, que ele resolve.

 

Clovis Jose Ribeiro Leal cj@leal@uol.com.br

São Paulo

*

RECADO PARA DILMA

Quando se dá muita explicação, é porque não  há  explicação.

Dionysio Vecchiatti dio.vecchiatti@terra.com.br

Valinhos

*

PARLAMENTARISMO NO BRASIL

Mudou o sistema?  O Mercadante é o Primeiro Ministro?

José Piacsek Neto bubanetopiacsek@gmail.com

Avanhandava

*

POLICIAIS E POLÍTICOS

Aos policiais, nosso agradecimento. Vocês arriscam suas vidas para salvar as nossas. Aos políticos, nosso desprezo. Vocês arriscam nossas vidas para salvar as suas.

Neusa Barreto carmascarenhas@hotmail.com

São Paulo

*

FALTA ALGO

No Brasil, “honestidade política” é a mão do Lula: falta um dedo...

 

A.Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

*

CENA INUSITADA

 

Dia desses vi uma foto na internet, que não me parece montagem, em que o primeiro-ministro inglês, David Cameron, à falta de lugar para se sentar no vagão do metrô, aparece a viajar prosaicamente de pé, lendo seu jornal recostado na lateral do carro, até com certa displicência. No entorno, passageiros falam ao celular, cochilam, conversam, não dão a mínima para a celebridade. Escandalosa ausência de cordões de isolamento, seguranças, sabujos, papagaios de pirata. Fico por aqui.

 

Joaquim Quintino Filho jqf@terra.com.br

Pirassununga

*

‘ESTADO’ SOB CENSURA

Não podemos deixar passar em brancas nuvens que o “Estado” esta ainda sob censura no caso do filhinho santo do Sarney, aquele que tem monopólio do Maranhão, ainda que nem ao menos um hospital decente exista lá? Ou seja, faz censura, mas não tem vergonha na cara para dar saúde ao seu infeliz e humilhado povo? Será que ninguém do STF vai tomar uma atitude digna e acabar com essa ridícula atitude de um tal amigão dele chamado Tourinho, que só é Tourinho no nome? Chega, passou da hora. Vamos às passeatas exigir isso também, afinal, ou passamos o Brasil a limpo de uma vez ou vamos ser todos coniventes com canalhas como Sarney.

Mustafa Baruki mustafa-baruki@bol.com.br

São Paulo

*

VIOLÊNCIA

Quantas “saidinhas do dias das mães”; “saidinhas de natal”,  indultos, liberdade provisória, progressão da pena e outras benesses judiciárias os criminosos terão para matar? Acorda, Brasil! Acordem, deputados e senadores! Acordem, juristas ! Acorda, Judiciário!! Será que não percebem que certas leis, embora pareçam um quadro de arte, na pratica somente abrem portas para monstros humanos matarem?

Edenilson Meira merojudas@hotmail.com

São Paulo

*

QUEM SABE?

Quem sabe um dia, se for assaltado e morto por um tiro ou queimado vivo, um filho ou parente de um deputado, senador ou ministro, os políticos, sentindo na própria pele o problema da violência, mudarão nossas leis, talvez estipulando que a pena do assassino seja a mesma do crime que ele praticou. Estamos presos em casa, não podemos ir a um restaurante, não podemos sair à noite com veículo, enquanto os criminosos estão à solta e a polícia não pode matá-los. Quem sabe um dia, o milagre acontecerá.

 

Antonio di Stasi adstasi@yahoo.com.br

São Paulo

*

‘CONGRE$$O’

Diante de um “Congre$$o” inoperante, acomodado e apenas preocupado com os “intere$$es particulares”, até quando tomaremos conhecimento de tantos crimes que a cada dia são mais bárbaros, brutais e que chocam a sociedade? No país de tantas leis obsoletas, desatualizadas e inúteis que geram uma impunidade generalizada, ainda corroboradas pela Lei 12.403, assinada pela atual presidente, que beneficia os criminosos e bandidos de toda espécie para que permaneçam em total liberdade até o moroso julgamento dos processos, que por vezes chegam à prescrição. Entre tantos crimes recentes, ressaltamos a morte dos dois dentistas literalmente queimados pelos assaltantes e a morte de uma criança boliviana de cinco anos porque não parava de chorar. Os executores e facínoras dos crimes terão os seus direitos humanos respeitados, enquanto os humanos direitos e de bem morrem e seus familiares passam a viver com o trauma e a perda de um ente querido, sem a mínima atenção dos Poderes. Até quando o povo brasileiro terá que esperar os “nobres” congressistas se mexerem para uma reforma definitiva do Código Penal? A hora é agora.

 

Luiz Dias lfd.silva@2me.com.br

São Paulo

Mais conteúdo sobre:
Fórum dos Leitores

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.