Fórum dos Leitores

O 7 DE SETEMBRO

O Estado de S.Paulo

07 Setembro 2013 | 02h09

Pátria amarga, Brasil

O Brasil não poderá comemorar a sua independência enquanto persistir esta imensa desigualdade social entre pobres e ricos. Atualmente a independência se faz não em relação aos outros países, mas principalmente entre os irmãos brasileiros, que vivem em dois mundos: o luxo e o lixo. O hino dos excluídos, que não têm nada a comemorar e continuam dependentes e humilhados pelas bolsas-esmola, é um plágio tosco e real: "Dos filhos excluídos não és mãe gentil, pátria amarga, Brasil"...

MANOEL JOSÉ RODRIGUES

manoel.poeta@hotmail.com

Alvorada do Sul (PR)

A voz das ruas

O Dia da Pátria, da Independência do Brasil, poderia ser muito melhor se esse sentimento aflorasse diariamente nos nossos governantes e lideranças, se dessem exemplo de desprendimento e lutassem por melhorar as condições da população. As ruas gritam por melhorias, maior participação nas direções, pelo fim da corrupção deslavada e da tributação desavergonhada.

CARLOS HENRIQUE ABRÃO

abraoc@uol.com.br

São Paulo

Corrupção

É lamentável que passados 191 anos da Independência nos tenha faltado sabedoria para nos tornarmos independentes dos nossos políticos corruptos.

VIRGÍLIO MELHADO PASSONI

mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

Manifestações

Neste 7 de Setembro esperamos que o vigor dos reclamos da população nos atos públicos programados não seja maculado pelo vandalismo estéril, que só prejudica o atendimento das exigências da nossa sociedade.

JOSÉ DE ANCHIETA ALMEIDA

josedalmeida@globo.com

Rio de Janeiro

Quem te viu, quem te vê

Na juventude pegou em armas e se dispôs a enfrentar as Forças Armadas. Agora, como presidente, evita participar de eventos com grande concentração de populares, põe em dúvida sua presença no desfile de 7 de Setembro e caso vá contará com três "rotas de fuga" (de fuga?) do palanque oficial montado pela Polícia Federal. Isso, sim, é popularidade e gostar do contato com o povo... O que teme a presidente? É o preço do poder pelo poder. A propósito, tivesse findado o julgamento do mensalão, com o cumprimento das sentenças, certamente o 7 de Setembro de 2013 seria muito mais festivo.

LUIZ NUSBAUM

lnusbaum@uol.com.br

São Paulo

Grito do Ipiranga

Hoje, 7 de setembro, o Brasil comemora o 191.º aniversário da proclamação da sua nacionalidade, com o histórico Grito do Ipiranga de "independência ou morte" de dom Pedro, às margens do riacho do mesmo nome, libertando o nosso país do colonialismo português. É a maior data cívico-histórica da nossa Pátria, criando uma nova gente, orgulhosamente chamada povo brasileiro perante as outras nações do mundo. Assim, os brasileiros passaram a ser considerados cidadãos, no gozo dos direitos políticos e civis. Tomara que esse grito venha a ressoar na próxima quarta-feira no STF, para negar, como medida de economia processual, provimento in limine a todos os embargos infringentes, desprovidos que são de fomento jurídico, eis que foram extintos por lei de 1990 e nunca existiram no Código de Processo Penal, o que livraria o Brasil dos políticos corruptos que impetraram tais recursos para conseguirem novo, absurdo e injusto julgamento. Os ditos embargos, revestidos de inconstitucionalidade, foram criados pelo regimento interno do STF, o que configura aberratio ictus - aberração do conceito do Direito Penal quanto ao seu processo, que só poderá ser modificado por lei do Poder Legislativo. O plenário do STF tem o dever constitucional de aprovar o voto do relator, ministro Joaquim Barbosa, já dado na Ação Penal 470, negando provimentos aos embargos infringentes de todos os impetrantes, com a consequente cassação do mandato dos parlamentares envolvidos no caso em tela, pondo fim ao famigerado mensalão.

ANTONIO BRANDILEONE

abrandileone@uol.com.br

Assis

POLÍTICA EXTERNA

Em São Petersburgo

Brasil e Argentina, em união fraterna e insana, renegam a abertura econômica e defendem barreiras ao comércio internacional. Essa atitude pouco inteligente só faz tirar dos dois países a oportunidade de saíram da estagnação econômica e do declínio a que as duas medíocres presidentes estão a levar suas nações. Se a República Argentina está "derretendo", é problema deles. O nosso é não ser a Argentina amanhã... Mandar o Mercosul às favas já passou do tempo-limite.

MÁRIO RUBENS COSTA

costamar31@terra.com.br

Campinas

Duplo fracasso

Mais uma vez o fraco governo do PT que está aí mostra sua incompetência ao insistir no protecionismo perante a Organização Mundial do Comércio (OMC), não assinando o compromisso final da reunião do G-20 sobre livre-comércio. A OMC tem como diretor-geral o brasileiro Roberto Azevêdo, que ficou em maus lençóis com os participantes do evento, já que o nosso país patrocinou a sua indicação. Perdem o Brasil e a indústria nacional, que está sucateada e contabiliza prejuízos a cada trimestre, como já ocorreu em 2012. Essa é a realidade, hoje, do Brasil, que a cada dia cai também na confiança dos investidores estrangeiros e no ranking de competitividade. A presidente Dilma Rousseff, que foi lá achando que o presidente Barack Obama, iria pedir desculpas pela arapongagem, voltou de mãos abanando - a decisão ficou para quarta-feira. Como o Brasil não tem tecnologia para contraespionagem, ficamos reféns dos EUA. No âmbito nacional, a tecnologia tupiniquim não consegue sequer detectar sinal de celular de dentro dos presídios, onde os presidiários é que dão as cartas. Esta é a realidade brasileira com relação à tecnologia e ao comércio global: voltou de mãos vazias de São Petersburgo, pelo duplo fracasso.

JOSE PEDRO NAISSER

jpnaisser@hotmail.com

Curitiba

Obama precisa ver melhor

Caro sr. Obama, fomos colonizados por portugueses e espanhóis, apanhamos do tempo, da História, temos um porta-aviões bem sem-vergonha, uma dúzia de aviões de caça ultrapassados e um punhado de manifestantes nas ruas querendo um pouco mais que comida, saúde e escola digna... Então, veja bem o que houve com nossa História, grampeie tudo o que puder no DF e veja quanto sofremos para pôr na cadeia um bando de políticos corruptos. Veja mesmo.

JOSE NACHREINER JUNIOR

mmaybefilms@gmail.com

São Paulo   7 DE SETEMBRO

No dia 7 de setembro se comemora o dia da Pátria, pois, neste dia, em 1822, foi proclamada a Independência do Brasil, deixando ele de ser uma colônia de Portugal. Tal proclamação foi consequência de uma longa e sangrenta luta contra a prepotência do imperialismo português, cujo ato mais violento foi a execução de Tiradentes, o mártir da Inconfidência Mineira, em 21 de abril de 1792. Três décadas depois, em 9 de janeiro de 1822, o famoso "dia do fico", o próprio Dom Pedro, então Regente, se revolta contra a Coroa lusitana, recusando-se a retornar a Portugal, sendo proclamado Imperador do Brasil, em 12 de outubro do mesmo ano. Mas sua famosa frase, "se é para o bem de todos e felicidade geral da Nação, diga ao povo que fico", não se confirmou ao longo da história do Brasil, pois ao imperialismo português sucederam outras formas de opressão social. Dom Pedro ficou no Brasil não para a felicidade do povo, mas para aquela de barões e coronéis, que se enriqueceram com o trabalho escravo de indígenas, africanos e imigrantes pobres. O sistema escravagista só terminou quase no fim da época imperial, com a Lei Áurea de 13 de maio de 1888. E mesmo assim, apenas legalmente, pois continuou (e continua) a exploração do trabalho humano, quando não há uma justa remuneração por serviços prestados. Quem contribuiu muito para o fim da escravidão foi o cientista inglês Charles Darwin, o pai da teoria evolucionista, contestando o relato bíblico da criação do mundo em seis dias e da origem divina do ser humano. Depois de publicar sua famosa obra "A origem das espécies" (1859), em que demonstra cientificamente que a diferença entre o homem e o animal não é de natureza, mas de grau, sendo o ser humano apenas um primata mais desenvolvido, doze anos depois, num outro livro genial, "A descendência do homem", apresenta as raízes biológica da moral. Por essa nova antropologia, o homo sapiens surgiria da evolução de formas simples através de um longo processo de adaptação a sucessivos ambientes diferentes: descida da árvore, ereção dos membros dianteiros para olhar para o alto e para frente, aumento do cérebro, desenvolvimento da linguagem, da fantasia, da sociabilidade. É a vivência em comum, motivo da conservação e do progresso de uma espécie, que fez surgir o conceito de "pátria" (do latim pater = pai), considerada uma grande família que comunga espaço geográfico, língua, sentimentos, aptidões. As aglomerações humanas herdaram dos animais os dois instintos básicos e contrastantes: o egoísmo do lobo que come o cordeiro para saciar sua fome e o altruísmo das abelhas que trabalham em conjunto para produzirem alimento para outros. Os povos mais civilizados apresentam um bom equilíbrio entre essas duas tendências naturais, que se traduz no aparato jurídico da imposição de deveres e usufruto de direitos. Infelizmente, a Pátria brasileira ainda não está gozando de um "Estado de Direito" pleno, onde a lei seria igual para todos, na realidade e não apenas no papel; onde cada qual seria remunerado conforme o mérito, o trabalho realmente efetuado, com a abolição de qualquer forma de privilégio. O dinheiro do erário público deveria ser administrado exclusivamente para atender às necessidades dos contribuintes no tocante a educação, saúde, transporte coletivo, segurança, planejamento familiar. Mas os profissionais da política formaram uma classe poderosa que se eterniza no governo da republica, abusando da boa fé da massa popular carente e desinformada, que vende seu voto em troca de algum benefício. E pouca gente percebe que a conduta de nossos políticos é uma grave ameaça às instituições democráticas, pois a injustiça, a corrupção e a impunidade criam revoltas e estas estimulam intervenções militares que, para estabelecer a ordem pública, impõem, outra vez, regimes ditatoriais.

Salvatore D' Onofrio saldo1@ig.com.br

São José do Rio Preto

*

CARTA AOS BRASILEIROS

Queridos filhos, não começo esta carta como aquelas que vocês escrevem. Não pergunto, neste 7 de setembro, como vão ou o que fizeram de especial nos últimos dias. Não preciso, já que os conheço muito bem. E, não bastando dizer que os conheço muito bem, digo que estou, agora, como antes e sempre, dentro de cada um de vocês. Com palavras de mãe, escrevo para lembrar-lhes de tudo o que os faz brasileiros. Vivi a nossa história. Assim como estou agora em seus corações, encontrava-me no peito dos indígenas há tantos anos. Nascia, ainda que desajeitada e grosseiramente, com a chegada das caravelas e flâmulas lusitanas. Minha infância foi a usurpação. Minha juventude, com o mesmo fervor da de vocês, foi a Inconfidência; e a maioridade, enfim, a emancipação. Sofri nos canaviais. Construí Brasília com os candangos. Fui as lágrimas das mães dos assassinados na ditadura. Fui o canto pela democracia das Diretas Já, como sou hoje os pedidos de ordem das manifestações. O Sete de Setembro existe para lembrar-lhes de que o ar que respiram, a terra em que pisam, a liberdade de que usufruem custaram suor, pranto, gritos e muitas vidas. Ah, meus filhos, mas por que me condenam tanto pelos pecados da história? Alguns me renegam e até me desprezam. Mas eis que estou aqui, diante de vocês, amando-os como sempre os amei e suplicando que se levantem deste trono intocável do qual ofendem a terra que os gerou para, então, buscarem com todas as forças o país que sonham ter. Deem o braço à luta por um ideal que valorize sua vida e que os faça sentir o orgulho de ser brasileiro. Mais que querer mudança, é preciso persegui-la e conquistá-la. O que vocês são é tudo o que vocês têm. E, meus filhos, vocês são brasileiros. Ninguém ultraja a si mesmo. Lembrem-se disso. Assinado, sua mãe, seu pai, seus irmãos, de dentro de você, Pátria Amada Brasil.

Brenda Barzotto Arnold (17 anos) e Ian Dienes (16 anos) iandienes9@gmail.com

Dourados (MS)

*

PROTESTOS E COMEMORAÇÕES

O medo, verdadeiro pavor, que os políticos têm do povo, vai deixar nos palanques, neste 7 de Setembro, apenas os militares e membros dos escalões mais baixos do governo federal. Essa situação vai repetir-se nos Estados. Dilma Rousseff, que não é boba, se mandou para a Rússia, onde a semidemocracia amiga lhe dará proteção. Que fique por lá até outubro e aproveite para comemorar a Revolução Russa.

Paulo Roberto prsantos1952@bol.com.br

Niterói (RJ)

*

SEM MORAL

Que moral teria nossa presidente para comparecer à festa máxima de nossa democracia, de nossa Independência, conseguida com bravura pelos abnegados e disciplinados militares sempre prontos a servir, se há tempos estes são subjugados, humilhados, aviltados em seus direitos, desrespeitados dia após dia por este governo comunista que sempre prefere a amizade de Fidel, Chávez ou Ahmadinejad, governos ditatoriais e corruptos, enquanto tudo é negado aos nossos militares, até comida é regrada, orçamento cortado pelo meio em prol de propagandas e campanhas políticas ou cartões corporativos, a maior indecência criada neste pobre país. Vivam os militares e todos os que lutaram de verdade pela nossa paz democrática aliada ao crescimento, que hoje destroem, pois de concreto nada fizeram.

Julio Jose de Melo julinho1952@hotmail.com

Sete Lagoas (MG)

*

MASCARADOS NAS RUAS

Por que será que os nossos deputados demoram tanto para aprovar leis indispensáveis à segurança dos cidadãos? Capuzes e máscaras jamais devem e podem ser utilizados por ninguém caracterizando uma ilegalidade. A "ingenuidade" dos nossos legisladores é inaceitável e passa dos limites. Ameaçam que encapuzados e mascarados podem ser levados à delegacia de polícia para investigação. Só para isso? O correto é serem levados à delegacia para a sua identificação e registro da ocorrência em boletim, por ocultação da sua identificação visual, pressupondo a intenção ou tentativa de cometer algum delito. Muito semelhante ao motociclista que é obrigado a usar capacete para a sua segurança, mas com visor transparente para a sua identificação. A impunidade está nos conduzindo ao caos na segurança pública.

Luiz Dias lfd.silva@2me.com.br

São Paulo

*

EM DEFESA DOS MASCARADOS

Falta do que fazer, vontade de ser notícia, ou imbecilidade mesmo? É inacreditável que artistas e ditos intelectuais condenem a repressão policial à atuação de vândalos e marginais em protestos de rua ("Artistas pedem a Beltrame fim da violência da polícia", 6/9, A22). Protestos são bem-vindos desde que com gritos, bandeiras, faixas, cartazes, panelaço, apitos e assemelhados. Não com paus, pedras e coquetéis molotov. A atuação desses grupos, que só atrapalha os verdadeiros protestos, tem mais é que ser coibida, e da maneira que eles entendem, que é com o uso da força.

Ronaldo Gomes Ferraz ronferraz@globo.com

Rio de Janeiro

*

NAS RUAS

Sete de Setembro. A tropa engalanada desfilará pelas ruas. O nosso exército é o maior da América Latina, seus soldados tecnicamente competentes, as fardas, é bem verdade, um pouco puídas, seus tanques, caças e canhões bem conservados, porém ultrapassados, algum investimento aqui e ali e assim se faz ser respeitado na América Latina. Mesmo assim, "verás que um filho teu não foge à luta, nem teme, quem te adora, a própria morte". A tropa engalanada desfilará pelas ruas, nos sentiremos mais seguros, protegidos. Despertará em nós pontas de orgulho. A bandeira tremulando agitará nossa crença, despertará nosso sorriso para o futuro. Terminado o dia, a tropa engalanada voltará para os quartéis. Pelas ruas, novamente abandonadas, recolheremos nossos sonhos, restos de nossas crenças, frangalhos de nossas vontades mais puras, pedaços de abandono, e cadáveres da ética e da moral. Voltaremos à realidade das ruas, dos nossos lares e de nossas vidas e nossas almas que são tomadas e violentadas pelos bandidos, criminosos, ladrões, assaltantes, traficantes e encapuzados saídos dos becos, dos antros e dos palácios de Brasília. Pelas ruas, abandonados e desprotegidos pelo beneplácito e paternalismo da nossa Justiça enferma, lenta e caquética, pelo legislativo que não legisla, não reforma, pelo executivo que atua como um partido político desfigurado pela corrupção, voltaremos tentando encontrar restos, migalhas que sejam, de esperança.

Otoni Gali Rosa otoni.ogrcom@uol.com.br

São Paulo

*

A INDEPENDÊNCIA DOS APOSENTADOS

Aposentados e pensionistas do INSS, precisamos criar coragem, ir para a frente dos palanques das paradas neste dia 7 de setembro e, num grito uníssono, mostrar o nosso sentimento de revolta com os poderes da República Federativa do Brasil. Vamos lá exigir das autoridades, em todos os níveis de governo, providências e soluções imediatas para o caso específico do nosso salário. Estão colocando nossos nervos na moenda e triturando como se fossem cana-de-açúcar. Chega!

Leônidas Marques leo_vr@terra.com.br

Volta Redonda (RJ)

*

BASTA DE CENSURA!

Uma decisão judicial proibiu os jornais "Diário de Pernambuco" e "Jornal do Commércio", do Recife, de citarem o nome do presidente da Assembleia Legislativa de Pernambuco, Guilherme Uchoa (PDT). Segundo a Associação Nacional de Jornais (ANJ), "trata-se de mais um caso inaceitável de censura prévia, vetada pela Constituição". A censura é inconstitucional, pois fere o direito de liberdade de expressão e fere também o direito da sociedade de ser livremente informada. Qualquer prejuízo que alguém venha a sofrer, por informações prestadas indevidamente por um órgão da imprensa, poderá ser ressarcido através do direito de resposta e/ou pecuniariamente, por indenização por danos morais. Esse é um bom motivo para os brasileiros irem às ruas hoje (7 de setembro): pedir ao Poder Judiciário que pare de proteger políticos envolvidos em falcatruas. Basta de censura!

Maria Carmen Del Bel Tunes carmen_tunes@yahoo.com.br

Americana

*

A ESPIONAGEM E O BOI DE PIRANHA

Toda a polêmica criada em torno da denunciada espionagem dos EUA sobre as comunicações dos outros países, inclusive o Brasil e até da presidente e seus ministros, até parece brincadeira. Qualquer usuário mediano de internet sabe que existem 13 servidores-raiz no mundo e 10 deles estão nos EUA, dois na Europa e um na Ásia. Por eles trafegam as informações originadas e destinadas a todos os quadrantes do planeta. Não é preciso ser um especialista para compreender que o detentor de um sistema, além de operá-lo, pode ter acesso ao seu conteúdo e dele fazer uso, seja esse uso legal ou até ilegal. Sabendo disso, o mais seguro é não utilizar o sistema para a guarda ou transmissão de segredos ou informações estratégicas. Parece piada o conselho de Lula para Dilma a dar um "guenta" em Barack Obama. A bisbilhotagem é lugar comum entre governos e empresas. O diferente é que, agora, foi descoberta. O governo possui seus serviços de inteligência e informação e as Forças Armadas com setores específicos. Esses profissionais falharam. Deveriam ter alertado as autoridades e buscado meios eficientes de segurança para suas comunicações. Devem saber que todo usuário está sujeito à indiscrição de seu prestador de serviços. Toda essa discussão não leva a nada. Mas pode, muito bem, ser o "boi de piranha" para desviar a atenção do povo sobre os verdadeiros e urgentes problemas nacionais. Acautelem-se todos para não se arrependerem depois...

Dirceu Cardoso Gonçalves aspomilpm@terra.com.br

São Paulo

*

SUPERCOMPUTADORES

Por que essa preocupação com análise e quebra de criptografia por supercomputadores, somente com os EUA? O maior supercomputador do mundo está na China. Ela também detém os três maiores entre os dez primeiros. Será que o dona Dilma, acha que eles estão sendo usados para joguinhos eletrônicos?

Ulysses Fernandes Nunes Junior Ulyssesfn@terra.com.br

São Paulo

*

TERRA DE NINGUÉM

Tem razão o leitor sr. Renato Khair quando afirma que não somos quintal dos EUA em sua crítica aos recentes atos de espionagem cibernética praticados por aquele país ("Brasil, o grande alvo", 6/9). Até porque os americanos nunca enviaram lixo hospitalar para cá. Mas não deixamos de ser quintal da Bolívia que usa o nosso território como entreposto internacional e mercado consumidor das drogas que fabricam, responsáveis diretas, entre outras, pela existência de excrescências sociais tipo Black Bloc. E continuamos uma terra de ninguém para os exploradores internacionais da selva amazônica, o que explica certa cartilha facciosa e ficcional que circulou pela internet há algum tempo, na qual o mapa do Brasil aparecia sem aquela região. Curiosamente esses fatos nunca preocuparam quer a nossa "presidenta", quer o seu divino (sic) mestre, quer os impávidos e impagáveis papagaios de pirata que sempre os cercaram. Por que será?!

Hermínio Silva Júnior hsilvajr@terra.com.br

São Paulo

*

RECLAMANDO DO QUÊ?

Dilma não imaginava a que seria espionada pelo governo americano? Como assim, presidente? O tratamento mundial para todos que se envolveram em "atos terroristas" é o mesmo, com a ficha corrida desde o assalto ao "cofre de Adhemar de Barros", a Polop, o Colina, a VPR e a VAR-Palmares até o comando da "Operação Mais Médicos", pela qual pretende receber de volta dinheiro enviado a Cuba, para a campanha de 2014, não tem como não ser espionada, "cumpanheira presidente".

João Helou helouhelou@gmail.com

São Paulo

*

À PROCURA DE HOLOFOTES

A presidente Dilma enfureceu-se por ter suas comunicações monitoradas pelos EUA, alegando violação de soberania. Não vejo por esse ângulo. Há um ditado que diz "diga-me com quem andas que eu direi quem tu és". Ora, tanto ela quanto o seu preceptor são ligadíssimos aos governos socialistas e principalmente com os ditadores inimigos dos EUA. Portanto, o governo americano está certo em acompanhar o que ocorre em sua volta. Aliás, são eles os guardiões da democracia em todo o planeta contra as investidas do comunismo e do socialismo perverso tão desejado pelos petistas. Com a ameaça de recusar o convite dos EUA quem perde é o Brasil. Sabe-se que na briga da maré contra o rochedo quem perde é o marisco. O que de transparente está nesse impasse é a procura de holofotes, na busca de recuperação de sua popularidade.

Vicente Muniz Barreto dabmunizbarreto@hotmail.com

Cruzeiro

*

ESPIONAGEM É PURA INVENÇÃO

Se para o ex-presidente Lula o mensalão nunca existiu, por que o presidente americano Barack Obama não dá o troco ao governo petista, dizendo que a espionagem da presidenta Dilma e assessores nunca existiu e é pura invenção do jornalista Glenn Greenwald?

Edgard Gobbi edgardgobbi@gmail.com

Campinas

*

OPINIÃO DISPENSÁVEL

Lula diz que Obama deve desculpas a Dilma e ao Brasil sobre espionagem. Sim, e daí? O que importa o que Lula pensa? A não ser que seja encarado por seu séquito como o atual presidente do Brasil e dona Dilma apenas uma figurante. Francamente, ou o Brasil pára de olhar para o próprio umbigo ou passaremos por irresponsáveis frente ao mundo inteiro. Obama tem de lidar com a gravíssima situação internacional de sério impacto para o mundo todo e o governo petista a fazer beicinho por uma espionagem que todos sabem que existe há muito tempo e que o Brasil também faz internamente, a seu próprio modo. Vamos lá, precisamos antes crescer para aparecer, chega de atuar como adolescente. Não podemos e não devemos bancar os alienados. Que se olhe para fora, a ver o que está acontecendo na Síria, com o uso de armas químicas matando crianças, velhos e adultos, fato doloroso de se ver e Lula tentando fazer jogo de cena para desviar atenção de nossas próprias mazelas. Francamente, nestas horas dá vergonha de ser brasileiro. Muitos pensam que patriotismo é isso. Mas não é. A nossa prioridade é outra, será que este governo não vê?

Eliana França Leme efleme@terra.com.br

São Paulo

*

CONFLITO NA SÍRIA

Se essa encrenca toda, na Síria, pode causar efeitos colaterais nocivos, na Turquia, Líbano, Israel, Jordânia e Iraque, por que não estabelecer uma área de exclusão aéreo-terrestre-naval, do tipo "ninguém entrar nem sai", facilitando assim as ações das facções beligerantes? Traduzindo em bom português: ninguém precisa se meter nessa briga de cachorros loucos.

Sergio S. de Oliveira marisanatali@netsite.com.br

Monte santo de Minas (MG)

*

O ERRO SE REPETE

Os EUA praticaram o primeiro massacre utilizando armas de destruição em massa, com o ataque nuclear a Hiroshima e Nagasaki, causando a morte de 220 mil pessoas, sem considerar as que faleceram posteriormente devido à exposição à radiação. Arrasaram o Vietnã com a utilização de napalm. Invadiram o Iraque com alegação mentirosa de busca de armas de destruição em massa e causaram a morte de 100 mil iraquianos e 5 mil americanos. Invadiram o Afeganistão, sob o pretexto de capturar Bin Laden, que foi morto no Paquistão em 2011, mas até hoje não abandonaram a região. Agora, sem a autorização da ONU, querem atacar a Síria, por uso de armas químicas, sem a devida prova de que foi o governo ou os rebeldes que a utilizaram. Até quando esses crimes de guerra serão praticados sem que os responsáveis sejam levados aos tribunais?

Wilson Haddad wilson.haddad@uol.com.br

São Paulo

*

HOMEM DE PAZ OU DE GUERRA?

Quando Barack Obama se tornou presidente dos Estados Unidos, foi aquela festa toda, primeiro negro no cargo, o mundo em festa. Taí, antes de mais nada ele é americano, o resto é bobagem.

Nelson Mendes nelsonmendes2009@bol.com.br

São Bernardo do Campo

*

G-20 E SÍRIA

Não bastasse a oposição de Vladimir Putin a uma ação militar na Síria, Obama ouve agora um não da China, pondo por terra seu desejo de bombardear a nação árabe.

Marcos Abrão m.abrao@terra.com.br

São Paulo

*

MASSACRE SÍRIO

Assad é o assassino covarde dos sírios com gás sarin. Basta!

J. S. Decol decoljs@globo.com

São Paulo

*

O SENTIMENTO DO MUNDO

Trevas. Armas químicas e nucleares. O poço sem fundo das teorias políticas todas verdadeiras. A história universal das infâmias que nos contou Borges. As mil e uma noite de Sharazade a diplomata que convencia os tiranos. As noites suaves do Oriente e suas estrelas baixas. Os corpos inválidos dos muçulmanos. Hoje é o derretimento do homem que sente, sofre e balbucia. De nada valem suas palavras e gestos, as facas da guerra aguardam o amanhecer do Ocidente.

Amadeu R. Garrido de Paula amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo

*

JOSÉ GENOINO

O deputado José Genoino requereu aposentadoria à Câmara dos Deputados, alegando invalidez. Afora seus problemas cardíacos, certamente apresenta fortes sinais de invalidez moral e ética. Como cidadão, já se aposentou há tempos...

Renato Consolmagno consolmagno@terra.com.br

Belo Horizonte

*

SARRO

A aposentadoria antecipada de José Genoino, notório e fanático comunista, nos leva até a tirar certo sarro. "Comunista não come criancinha, mas adora se sustentar com dinheiro de todas elas." Quer mordomia melhor do que essa? Enquanto isso, terá tempo suficiente para lutar contra o tal "capitalismo selvagem", sentado na grana proporcionada pelo mesmo capitalismo. É de rachar de rir ver o Genoino, comunista, aposentado capitalista.

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

*

JUSTIÇA

Será que nenhum Joaquim Barbosa (nosso presidente) está enxergando esta maracutaia (já dizia o Ali Babá Lula)? O nobre deputado pede aposentadoria antes da condenação por corrupção ativa e formação de quadrilha, ou seja, esse corruptor quer escapar, quer se sair bem desta maracutaia. Este senhor tem de ser preso, tem de perder todos os direitos, tem de ser colocado no xadrez e sem ter de receber nada, temos de convocar a todos de bem para uma manifestação para prender este corruptor. Fico indignado perante a uma notícia desta. Cadê os que podem nos ajudar neste caso? Cadê a justiça?

Wilson Escarizza wilson.escarizza@alcoa.com.br

Santo André

*

A INVALIDEZ DE GENOINO

Genoino, eterno esquerdista, pede aposentadoria por invalidez? Como esperar uma atitude nobre de um dos petistas que sempre demonstraram tirar proveito de tudo? O coletivo que se dane! Ele pode até estar inválido, o que não invalida sua posição de réu julgado e culpado no processo vergonhoso do mensalão. Vergonhosa também é a dinheirama que gastam com bons advogados, sempre encontrando uma brechinha nas leis em benefício próprio. Comunista? Só do venha a nós.

Leila E. Leitão

São Paulo

*

MENSALÃO NAS ONGS

A presidente Dilma Rousseff, muito irada por ter sido possivelmente espionada pelo serviço de inteligência dos EUA, deveria na realidade gastar melhor seu tempo e sua energia para espionar com eficiência o que de mal acontece bem debaixo do seu nariz. Ocorre que a Polícia Federal prendeu esta semana sete pessoas por desvio de R$ 47,5 milhões de recursos públicos envolvendo funcionários do Ministério do Trabalho e ONGs de São Paulo, Rio de Janeiro, e Brasília, que recebem verbas a fundo perdido para qualificação profissional. Ou seja, a orgia com os suados recursos dos contribuintes continua nas hostes petistas. Não tem fim! Demonstrando que aprenderem bem com os petistas do mensalão, condenados no Supremo Tribunal Federal (STF), estes também serão indiciados por crimes de formação de quadrilha, peculato, corrupção e lavagem de dinheiro. E provavelmente o governador de Brasília, Agnelo Queiróz (PT), que também tem graves denúncias nas costas, e sabedor que é melhor do que ninguém de com quantos gatos rapinadores do erário se faz um partido como o de Lula, está gastando R$ 3,4 milhões para reformar um presídio na capital do País, com muito conforto (que 450 mil dos presidiários do País nem sonharam ter...) e bem próximo ao Palácio do Planalto, para poder acomodar os mensaleiros - e talvez parte destes citados acima, que muito bem a Polícia Federal investigou e prendeu. Mas o povo, cansado de tantas indignações, não aguenta mais esta bem difusa picaretagem protagonizada pela tropa de Lula e quer seu dinheiro de volta!

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

QUANTO MAIS...

O lulopetismo, em sua insana insistência em criar ministérios inúteis geradores de cabides de empregos aos montes, para dar esta "sustentação" ao desgoverno de dona Dilma, agora tem mais um escândalo apresentado pelo Ministério do Trabalho e Emprego e as ONGs suspeitas de receberem repasses ilegalmente. Como Dilminha paz e amor criou 39 ministérios, a grande maioria deles uma afronta à população, sempre aparecerão escândalos, pois, quanto maior o número destes, mais podridão!

Boris Becker borisbecker54@gmail.com

São Paulo

*

TRABALHADORES

Sem dúvidas a finalidade e o lema do Ministério do Trabalho, como o próprio nome sugere, é "trabalho". Porém de alguns anos para cá o temos visto trabalhando só em benefício próprio. Do que podemos deduzir que, se a prática da corrupção significa trabalho, concluímos que estão trabalhando muito e faz tempo, né não?

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

MENOS MÉDICOS

Antes de completar uma semana de vida, o programa Mais Médicos, do governo federal, já apresenta várias desistências de profissionais contratados. Os médicos, ao chegarem ao seu local de trabalho, constatam o que todo mundo já sabia: as instalações são precárias, faltam medicamentos e não há infraestrutura laboratorial.

Victor Germano Pereira victorgermano@uol.com.br

São Paulo

*

ATENDIMENTO À ALTURA

Os médicos que estão desistindo da inscrição que fizeram no programa Mais Médicos apresentam como justificativa as más condições dos ambulatórios, tanto em cidades grandes como em pequenas. Eles por certo desconhecem os problemas que os Médicos Sem Fronteiras enfrentam pelo mundo. Mas, no caso, cabem algumas observações, como o questionamento sobre qual a atitude que as entidades médicas adotam para que esses locais sejam adaptados às necessidades de quem ali trabalha e de quem vai ser atendido. E por que os Conselhos de Saúde e outros segmentos sociais não exigem que os prefeitos e governos estaduais também façam a sua parte? E que, de uma vez por todas, os médicos cubanos sejam respeitados, juntamente com os profissionais de outros países. O que interessa agora é que a população tenha atendimento à altura.

Uriel Villas Boas urielvillasboas@yahoo.com.br

Santos

*

ENGANAÇÃO

Segundo noticiário, metade das cidades de São Paulo tem falta ou desistências dos médicos no primeiro dia do Mais Médicos. E mais, o Estado do Piauí recebe apenas 2 dos 23 médicos esperados. Para tornar curta uma longa história, cá entre nós, isso está "cheirando" a maior "enganação" do século.

José Marques seuqram.esoj@bol.com.br

São Paulo

*

A DURA REALIDADE

Se nem bem começou o programa Mais Médicos já está havendo desistências e poucas inscrições, dá para imaginar quando os bolsistas conhecerem "in loco" a realidade dos locais indicados?

Luiz Nusbaum, médico lnusbaum@uol.com.br

São Paulo

*

PRECARIEDADE

Em reportagem publicada na "Folha" de 3/9/2013, médico que desistiu do programa Mais Médicos afirma que tudo é aberração: "teto caindo, muito mofo e infiltração, uma parede que dá choque, sem ventilação no consultório, sala de vacina em local inapropriado e falta de medicamentos". Está explicada a desistência de tantos profissionais brasileiros da bolsa federal convocados na primeira chamada. Eles alegam precariedade, falta de infraestrutura mínima para a prática da medicina. Mas não tem importância: assim que os 4 mil médicos cubanos terminarem seu "período de treinamento", eles, que não podem escolher para onde ir e vir, assumirão estas vagas e serão considerados heróis cubanos a serviço da saúde do brasileiro. Pobres semi-escravos que deixaram suas famílias em Cuba, reféns de Fidel, a garantir seu bom comportamento por aqui. E tudo para alavancar a campanha eleitoral de Padilha... E ainda tem gente que fecha os olhos para a realidade. Acorda, brasileiro! O pior cego é o que se recusa a enxergar.

Mara Montezuma Assaf montezuma.scriba@gmail.com

São Paulo

*

TENSÃO ENTRE MÉDICOS

É lamentável a tensão que o programa Mais Médicos, implantado de forma atabalhoada e mal feita, está causando entre colegas médicos. Os favoráveis ao programa não justificam de forma plausível e contundente a não necessidade do exame de revalidação e, além disso, acusam os demais de elitistas e de não se importarem com a população dependente do SUS. O SUS não atrai profissionais, pois o governo federal preferiu investir milhões de reais na construção de estádios para a Copa do Mundo a aplicar este montante na estrutura pública de saúde. Esse "racha" entre médicos é tudo o que o governo quer.

Luciano Harary, médico lharary@hotmail.com

São Paulo

*

MAIS FALHAS

A cada dia que passa, assistiremos e conheceremos inúmeras falhas do programa "Mais Médicos". Nem é preciso esperar sentado, vai durar pouco. Metade das cidades do Estado de São Paulo teve faltas e desistências no primeiro dia do programa. Houve quem passou em concurso e preferiu seguir clinicando no particular. A rede pública desde 2010 perdeu 13 mil leitos, e que falta fazem! A teimosia de dona Dilma e do sr. Padilha é o mais recente engodo propagado pelo desgoverno do PT, para irritar ainda mais o povo brasileiro, com alguma cultura, na área da saúde. Imaginem, parece que encontraram uma forma "legítima" de desviar o dinheiro público, "oficialmente" enviando para Cuba em pagamento dos milhares de médicos que de lá chegarão. Muito melhor do que o conhecido "negócio da China" - desta vez é o "negócio" com Cuba, que pa$$a ser o patrocinadora dos elevados custos da próxima eleição, com o retorno de boa parte do dinheiro público enviado. Intere$$ante, não? A genialidade para o ilícito é admirável, não é mesmo? Como comprovar? Cabe ao Ministério Público, à Polícia Federal, à OAB e ao Judiciário investigar com toda a isenção. É possível?

Maria Teresa Amaral mteresa0409@2me.com.br

São Paulo

*

APENAS PROPAGANDA

O governo publicou nos jornais propaganda do Ministério da Saúde alegando a existência de "médico novo na região". Tal propaganda é enganosa, uma vez que informa a possibilidade de mais acesso à saúde, quando, na verdade, isso não ocorre. Por sua vez, mostra uma pessoa com "acompanhamento de diabetes e pressão" e uma médica do programa Mais Médicos para o Brasil, ambas da Bahia, como se isso estivesse resolvendo os problemas do País. Omite que acompanhamento de diabetes e pressão qualquer enfermeiro é capaz de fazer. E diz mais: que o povo procure uma unidade de saúde - esquecendo-se de que não temos sequer condições de agendamento de consultas. Na verdade, só com a tal propaganda enganosa o País irá gastar altas somas, deixando de direcionar o valor para a própria saúde, por exemplo.

Claudio Mazetto cmazetto@ig.com.br

Salto

*

GOLPE DE MESTRE

Golpe de mestre aplicou o governo de Cuba. Vai receber muito dinheiro mandando seus médicos para o nosso país e, assim, com nossos próprios recursos, poderão pagar o empréstimo feito para financiar uma construção naquele país. Desse modo, apesar de a metade da população do Amapá, por exemplo, não ter água, esgoto e luz, estamos ajudando o povo cubano. Nada tenho nada contra ajudar os outros, mas seria mais justo proporcionar uma vida melhor e saudável ao nossos irmãos na Pátria. Dona Dilma, senhores ministros, por favor, pensem em nós!

Odiléa Mignon cardosomignon@gmail.com

São Paulo

*

PROFESSORES PAULISTAS

Cumprimento o "Estadão" pela excelente reportagem sobre mais de 3 mil professores abandonando a sofrível educação pública no Estado de São Paulo ("Por ano 3 mil professores desistem", 1/9, A21). O governador Geraldo Alckmin, de fato e na verdade, nunca se preocupou em, com boa intenção e sentido ético-humanista, fazer uma auditoria e pesquisa investigativa nas unidades escolares caindo aos pedaços, sobre a vida sofrível dos professores, sobre o precário dia a dia das escolas, sobre a estrutura técnico-educacional-funcional falida das unidades escolares como um todo. A dura realidade do educador de São Paulo é outra, porque, entre outras coisas, o professor paulista ganha 30% a menos do que o educador do Piauí, para dizer o mínimo. Parece que o Ministério Público (MP) e a própria justiça blindam os incompetentes governos tucanos, quando deveria existir uma área do MP de Direitos Humanos dos professores de São Paulo, com denúncias até na ONU sobre o salário miserável deles, sempre o "governo" com ridículas invenções rastaqueras como "subornos" amorais, avaliações internas e outras banalidades, e, mesmo porque, parece-nos que o MP paulista aqui e ali é chapa-branca. Como é que apareceram agora diversos crimes de cartéis de corrupção de quase 20 anos em São Paulo e só o MP paulista não sabia nadica de nada? Estranho. Suspeito. Na Prefeitura, com o mesmo currículo, um educador ganha quase o triplo, pelas mais ou menos justas gestões Jânio, Erundina, Marta e depois até o próprio Kassab, que foi dez vezes melhor do que os incompetentes governadores tucanos todos. O único que se salvou foi o saudoso Mário Covas, que deve estar se revirando no túmulo com os crimes do Metrô, no Rodoanel e com o salário de mendigo dos professores paulistas.

Maria das Graças Aranha mglaranha@bol.com.br

São Paulo

*

DESCASO

A exoneração de professores da rede estadual paulista é fruto de anos de uma equivocada política educacional, que passa pela desvalorização social da escola e do professor, pela falta de compromisso dos nossos dirigentes para com a educação e formação das nossas crianças e pelo descaso do governo, que parece não ouvir os apelos daqueles que estão na sala de aula. Sou professora da rede estadual há 23 anos e sei bem o que isso significa.

Maria Isis Meirelles Monteiro de Barros misismb@hotmail.com

Santa Rita do Passa Quatro

*

EXPLICAÇÕES

Por ano, 3 mil professores desistem de dar aula nas escolas estaduais de São Paulo. Por quê? Com a palavra, a Secretaria da Educação e o senhor governador do Estado.

Arcangelo Sforcin Filho arcangelosforcin@gmail.com

São Paulo

*

FALSA MERITOCRACIA

Com relação aos professores que abandonam o magistério, isso muito tem que ver com os critérios adotados pelo governo do Estado na remuneração pelo trabalho prestado. Já há alguns governos secretários da Fazenda e do Planejamento têm vendido ao senhor governador de plantão uma falsa ideia de meritocracia, que não premia de fato os melhores, cria adicionais que não se incorporam ao principal, que rudez os valores da aposentadoria, que maltrata aqueles que há anos se dedicam à função pública, tanto na educação quanto na segurança, normalmente privilegiando aqueles que estão chegando e prejudicando por demais os veteranos, que muito suarem no exercício de suas funções e vão cada vez mais se desiludindo. Aí o governo anuncia aumentos que a população entende como ótimos, mas que na verdade beneficiam sempre uma pequena parcela dos profissionais envolvidos. É uma vergonha, é espúrio e, como aposentado da segurança, posso falar e comprovar o que está escrito acima.

José Renato Nascimento jrnasc@gmail.com

São Paulo

*

A DESEDUCAÇÃO BRASILEIRA

Estou no final de uma faculdade de Pedagogia e a educação neste país nos deixa perplexos. Que modelo é este que nos faz às vezes temer uma sala de aula na rede estadual de São Paulo ou de qualquer Estado brasileiro? Não quero aqui criticar governo A ou B ou os partidos A e B. Quero debater dentro da tal democracia a educação. A matéria do "Estado" não nos traz novidade. E já sei que a sociedade continuará muda, cega e surda. Diante da calamidade que é a educação, não há um real desejo de mudança. E não falo de uma educação para o trabalho. Precisamos de uma educação que faça nascer um cidadão que entenda os direitos e os deveres da democracia. Precisa-se reformular o Estatuto da Criança e do Adolescente. Governos precisam ter menos cara de pau e não pagar R$ 600 a um educador. Métodos, teorias não nos faltam, precisamos realmente entendê-las. No pé em que está, a educação neste país não dá. Não teremos nunca um cidadão que saiba o que é indústria cultural e suas manipulações. Que realmente entenda o que é mercado de trabalho. E o que é aprender. Talvez nós, professores, talvez não tenhamos aprendido a entender a vida, então como iremos ensinar? Mas governos também não sabem governar. E a classe política insiste em fechar os olhos para a educação e fazer um debate profundo. Preferem não cassar parlamentares no Congresso. Preferem fechar os olhos ao clamor das ruas. Os pais precisam aprender a educar seus filhos. Cabe ao professores colaborar com essa educação, passar os conteúdos e a história da humanidade nas ciências exatas, ciências humanas. Mas será que ainda somos humanos nesta sociedade massificada em que vivemos?

João Carlos Faria jocafaria@yahoo.com.br

São José dos Campos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.