Fórum dos Leitores

BRASIL

O Estado de S.Paulo

02 Dezembro 2013 | 02h13

Retrato

Eis o retrato do Brasil numa edição do Estado (30/11): denúncia derruba dois assessores do ministro da Fazenda, Guido Mantega; quase meia tonelada de cocaína no helicóptero do senador Zezé Perrella e de seu filho, deputado estadual em Minha Gerais, Gustavo; o vice-governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, condenado por irregularidade na compra de UTI móvel; a Petrobrás continua a ser prejudicada na alta modesta dos preços dos combustíveis para o governo camuflar os verdadeiros aumentos da inflação; o IBGE publica que 9,6 milhões de jovens entre 15 e 30 anos não estudam, não trabalham nem se sentem desempregados (o que significam os baixos índices de desemprego?); aumenta continuamente a dívida pública; o BNDES recebe mais R$ 24 bilhões do Tesouro; o superávit acumulado é o pior da história; prisão em regime aberto - quer dizer, "de mentirinha" - para os criminosos do mensalão. Bela foto, não? O que acham os cidadãos?

HARALD HELLMUTH

hhellmuth@uol.com.br

São Paulo

Demorou, mas aumentou

Os combustíveis tiveram reajuste módico para a Petrobrás respirar e a inflação não disparar - a eleição está chegando. Como sempre, o aumento da gasolina e do diesel reflete em todos os produtos e daí ninguém segura a inflação. É o que sempre acontece, não se trata de pessimismo. Todos sabem que a inflação nos "governos" do PT sempre foi maquiada e manipulada, a verdadeira o povo sente no bolso. Até quando vão continuar nos enganando? Mais uma razão para comprometer a reeleição da presidente "nem nem" - nem governa nem merece ser reeleita.

LUIZ DIAS

lfd.silva@2me.com.br

São Paulo

Ministério da Fazenda

O brasileiro é realmente muito exigente. Reclama que o "ministro" da Fazenda não notou o superfaturamento em contratação de serviços de sua pasta, mas esquece que ele não nota coisas muitíssimo maiores, como inflação, economia em frangalhos, déficit público, e por aí vai. Se coisas muito maiores ele não vê, imagine algo tão pequeno. Quanta injustiça com o "ministro"!

JOSE ROBERTO MARFORIO

bobmarforio@gmail.com

São Paulo

INCÊNDIO NO MEMORIAL

Recuperação do auditório

Na época de sua construção, os custos do Memorial da América Latina foram muito questionados pela evidente exorbitância. Chegou-se a suspeitar de superfaturamento. Por outro lado, apesar de estar ao lado de uma estação de metrô, não tem sido, nem de longe, o palco regular e constante de boas apresentações artísticas. Fica no ar a resposta sobre por que isso acontece. Já o Teatro de Cultura Artística, também vítima de incêndio, sempre primou pela qualidade e frequência de bons espetáculos. Um e outro precisam de algum amparo do dinheiro público, pois é evidente que a receita dos ingressos é sempre insuficiente para manter os locais em boas condições. Dada a situação econômica atual do País, não parece urgente nem necessário gastar um dinheiro que não se tem na recuperação imediata do Auditório Simón Bolívar do Memorial. O que é preciso é fazer as obras mínimas para isolar o local e evitar invasores. Só quando as coisas melhorarem deveremos restaurar esse auditório.

LUIZ R. DE BARROS SANTOS

luizroberto.santos@gmail.com

São Paulo

Falência do Estado

Algo vai mal em São Paulo. Incêndio no Memorial da América Latina, fechamento do Museu do Ipiranga por estar caindo, prédios públicos em péssimo estado de conservação, funcionários de todas áreas da administração desmotivados por baixa remuneração, criminalidade em alta, saúde pública jogada às traças, educação abandonada, denúncias de corrupção, excesso de pedágios e caros. Só nos resta refletir e chorar. Nosso sistema político está falido e o Estado, também.

EDMAR AUGUSTO MONTEIRO

edmarmonteiro@ig.com.br

São Paulo

Arte e cultura

O Brasil é um país que pouco ou nada se importa com cultura, arte e ciência. São poucos os museus proporcionalmente à população e, mesmo assim, sem conservação ou boa manutenção. Tanto que o Memorial da América Latina, casa de culto às tradições do Continente, pega fogo, os hidrantes não funcionam e as chamas se espalham. Isso poucos dias depois da tragédia no Itaquerão. Nossa fiscalização está omissa. As autoridades precisam agir logo, antes que algo pior ainda aconteça.

CARLOS HENRIQUE ABRÃO

abraoc@uol.com.br

São Paulo

Acidente no Itaquerão

Lamentável o acidente que aconteceu nas obras do Itaquerão, especialmente porque houve vítimas de morte. O caso suscitou comentários sobre possíveis falhas nos projetos de arquitetura e estrutura. Mas fazendo uma análise mais profunda, conclui-se que as causas não foram falhas de projeto, porque foi o guindaste que tombou, causando o colapso do último módulo da cobertura. Uma análise apressada sobre a qualidade dos projetos seria como atribuir a um automóvel, por exemplo, os estragos provocados pela queda de uma árvore sobre ele.

CLÁUDIO MOSCHELLA

arquiteto@claudiomoschella..net

São Paulo

LIBERDADE DE EXPRESSÃO

Biografias

Após longo debate acerca de biografias não autorizadas, que ganhou peso com a entrada de antigos defensores da liberdade de expressão - como Caetano Veloso, Chico Buarque e Gilberto Gil -, o Supremo Tribunal Federal (STF) nos oferece uma ótima notícia com a decisão de dar perda de causa a João Gilberto, que queria a proibição de sua biografia não autorizada.

MARCOS BARBOSA

micabarbosa@gmail.com

Casa Branca

Supremo acerta a mão

Desafinam aqueles que buscam impedir a publicação de biografias não autorizadas. Acertou o STF ao chancelar o primado da liberdade de expressão sobre o suposto óbice da não autorização. É essencial ao Estado de Direito Democrático sufragar a possibilidade de publicação das chamadas biografias não autorizadas. Só a liberdade resolve os eventuais excessos da própria liberdade. Não há interpretação legal que no Brasil de hoje sustente esse tipo de restrição ao princípio constitucional da liberdade de expressão. O respeito à privacidade não pode ser o biombo formal para impedi-la. Felizmente, a Justiça brasileira tem respondido a esse desafio.

LUIZ EDSON FACHIN

fachin.le@gmail.com

Curitiba

___________  

JUROS MAIS ALTOS

A taxa básica de juros da economia, a Selic, chegou a absurdos 10% ao mês, retomando os dois dígitos, e é a taxa de juros reais mais alta do planeta. Ao mesmo tempo, a Petrobrás registrou prejuízo recorde de US$ 22 bilhões de janeiro a outubro de 2013. Tais fatos escancaram a incompetência crônica do governo federal da lamentável presidente Dilma Rousseff (PT). É um governo que faz a festa dos banqueiros, rentistas e do mercado financeiro. Dilma e o PT estão conseguindo afundar uma empresa forte e sólida como a Petrobrás. Se tivesse vergonha na cara, a presidente da empresa já teria pedido demissão, mas prefere ficar no cargo e ser conivente com o desmanche da Petrobrás pelo governo. A decepção com o governo petista – que defende os interesses do grande capital, e não os do povo brasileiro – é enorme e os fatos falam por si mesmos. O pior cego é o que não quer ver.

Renato Khair renatokhair@uol.com.br

São Paulo

*

SELIC NAS ALTURAS

Fica provado, e só o governo Dilma despreza esta constatação de que decisões macroeconômicas sem que se sigam regras de mercado tendem a naufragar. E com a taxa Selic não foi diferente. Afoita e populista, como seu antecessor, a partir de agosto de 2011, a presidente conseguiu infelizmente convencer Alexandre Tombini, presidente do Banco Central, de que deveria na canetada diminuir o valor da taxa básica Selic. Obediente que não deveria ser, Tombini, aceleradamente durante as reuniões do Comitê de Política Monetária (Copom), foi reduzindo o índice até chegar a outubro de 2012, para alegria dos petistas, em 7,25% ao ano. Que maravilha! Finalmente o Brasil entrava (visão do Planalto) na era da taxa de juros civilizada, ou de primeiro mundo, descontada a inflação. E a expectativa do governo, logo frustrada, era de que o nosso PIB cresceria à altura do chinês. Ledo engano! Passado esse falso conhecimento macroeconômico de Dilma, lógico sempre envolto de populismo, nesta última reunião do Copom (27/11/2013) a taxa Selic voltou aos dois dígitos, ou 10% ao ano. E deve subir mais, porque as regras de mercado assim sinalizam. Essa esdrúxula e nociva maneira de governar do petismo teve seus efeitos colaterais danosos. Primeiro, e não poderia ser diferente veio com a desconfiança dos investidores. Assim também como aconteceu com a decisão unilateral da redução do preço da energia elétrica para os consumidores, e das recentes traquinagens contábeis. E ainda da forçada de barra no afã de impedir a alta da inflação, não reajustando, ou congelando preços das passagens do transporte urbano, e dos combustíveis, neste caso prejudicando o nível de investimentos da Petrobrás, entre outras inconsequências. Resultado: o PIB vem tendo desempenho sofrível. A situação fiscal é preocupante. Saldo da balança comercial negativo. O superávit primário, que deveria ser de 3,1% do PIB, dificilmente chegará aos 2%. E os juros cobrados nos financiamentos para o consumidor final e empresas sobem, o que, além da inflação alta, corrói o orçamento da família brasileira e o capital de giro das empresas. Logicamente que a presidente Dilma não irá reservar o horário nobre de rádio e da TV para anunciar esse desastre, próprio de quem age somente de olho nas urnas.

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

TAXA DE EMPREGO

Enquanto a taxa de desemprego é de apenas 5% aqui, no Brasil, em alguns países europeus chega até a 20%. Interessante, porque o trabalhador brasileiro produz em média cerca de cinco vezes menos que um trabalhador americano ou europeu. Pela sua incompetência, pela sua indolência, pela sua falta de formação profissional, e em grande parte dos casos pela sua má consciência de querer ter apenas um emprego em que se trabalhe o mínimo possível, sem correr o risco de ser despedido. Ser patrão aqui no Brasil é ruim e arriscado, ruim pelos motivos expostos e arriscado porque qualquer coisa o empregado reivindica na justiça os seus direitos, segundo ele, não respeitados. Basta que alguém testemunhe. Qual situação é pior, a do Brasil ou a da Europa?

Luiz Antônio da Silva lastucchi@yahoo.com.br

Ribeirão Preto

*

CARTEIRA ASSINADA

Estamos passando por um momento de "vacas magras" na economia brasileira. A criação de emprego com carteira assinada cai 55% em outubro. Os dados, do Cadastro Geral e Empregados e Desempregados (Caged), foram divulgados na quinta-feira (21/11), pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE). Quando a presidente vai começar a governar? Reeleição nem pensar!

Luiz Dias lfd.silva@2me.com.br

São Paulo

*

O JULGAMENTO DOS PLANOS ECONÔMICOS

O Supremo Tribunal Federal (STF) adiou para fevereiro de 2014 a decisão sobre a perda das poupanças oriundas dos planos econômicos. Dias atrás o ministro Guido Mantega apelou para o STF alertando da quebra dos bancos se tiverem que pagar estas perdas. A questão não é a quebra. O ministro demonstra que não é nada inteligente. A questão, ministro, é o roubo na poupança do cidadão. Quer dizer que em nome do sistema bancário mantém-se o roubo? Avança-se no bolso do cidadão e fica por isso mesmo? Quem deveria pagar estas perdas é o governo, que através dos planos econômicos mirabolantes nos governos Sarney e Collor, provocou essas perdas. Hoje estão no Senado, mandando e acuando o governo. Com eles não vai acontecer nada. Deveriam estar atrás das grades, mas...

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

*

INFORMAÇÕES CONFIÁVEIS

O defensor dos poupadores, Luiz Fernando Casagrande, que rebateu brilhantemente as afirmações dos advogados de bancos oficiais e privados, foi o único a merecer atenções de ministros do STF. Enquanto os defensores dos bancos se limitaram a apresentar opiniões pessoais em suas exposições à tribuna, a ponto do presidente do STF, Joaquim Barbosa, sugerir-lhes que trouxessem informações fidedignas, amparadas por consultorias independentes, Luiz Fernando foi arguido pelos ministros Dias Toffoli e Ricardo Lewandowski, interessados na tese da sua sustentação oral, baseada em parecer emitido por Roberto Luiz Troster, professor de Economia da Universidade de São Paulo e ex-economista chefe da Federação Brasileira de Bancos (Febraban), sobre um "descasamento" escandaloso entre a poupança e o Sistema Financeiro de Habitação (SFH).

Sergio S. de Oliveira ssoliveira@netsite.com.br

Monte Santo de Minas (MG)

*

O PT E OS BANCOS

Quem diria, o PT defendendo os bancos, dizendo que a correção monetária dos malfadados planos econômicos irá prejudicar a população! O que mata a população são os escândalos de corrupção.

Mário Issa drmarioissa@yahoo.com.br

São Paulo

*

A DEFESA DE JOSÉ SERRA

Sou eleitor de José Serra há muitos anos, baseado no seu currículo e em suas posturas e administrações competentes. Acontece que simplesmente não acreditei no que estava escrito no seu artigo no "Estadão" de 28/11 ("Há direito adquirido de quebrar o País?"). Como é que ele defende o governo em detrimento dos poupadores? Provavelmente ele não tinha dinheiro na poupança quando o bandido do Collor e seus seguidores garfaram o nosso dinheiro. Eu tinha o correspondente a R$ 500 mil de hoje, fruto de toda uma economia por anos a anos de trabalho. Sou geólogo e esse dinheiro foi ganho com sacrifícios físicos enormes andando pelos sertões do Brasil afora, contribuindo para descobrir riquezas minerais para o meu país, o que realmente aconteceu. De repente fiquei sem um centavo. Como viver? Como pôr comida na mesa de minha casa? Nem sei como consegui sobreviver. Estou realmente desiludido de tudo, agora que meu maior ídolo político defende o governo dessa quadrilha do PT. Se o governo está mal economicamente, de quem é a culpa? É dos poupadores? Ou é de uma gestão econômica péssima? Serra, que além de engenheiro é também economista, como é que defende esse governo indecente? Os bancos vão quebrar? Que quebrem. Vão sofrer muito menos do que eu sofri na minha quebradeira da época. Francamente, se José Serra não apresentar uma justificativa plausível, convincente, perderá no mínimo uns 20 votos, meu e da família, além de milhões de poupadores, prejudicados pelos incompetentes da época. Onde está Collor? É senador, graças à ignorância dos eleitores de Alagoas. Onde está Zélia Cardoso? Morando em Nova York. E Serra defende essa corja? Já fui militante do PCB, junto com o Weffort, com grande decepção posterior. Atualmente grande simpatizante do PSDB, de José Serra, para onde eu vou agora, meu amigo?

José Júlio josejuli@terra.com.br

São Paulo

*

CORREÇÃO DA CADERNETA DE POUPANÇA

Realmente, José Serra errou feio em suas análises, caso o STF decida pela correção das cadernetas de poupança durante os planos Bresser, Verão, Collor 1 e Collor 2, afirmando que o Brasil quebraria. Primeiro, o Brasil já está quebrado, graças à má administração dos políticos responsáveis diretamente pela implementação dos planos acima e também, em decorrência da corrupção desenfreada existente no País. Não é prejudicando o povo brasileiro que o país será salvo, pois caso José Serra não se recorda, durante a gestão do FHC, os brasileiros foram indenizados por perdas ocorridas nos saldos do FGTS e o País não quebrou. Desejamos que os ministros do STF julguem as ações relativas à correção das cadernetas de poupança e façam justiça. Mais uma coisinha, se o Banco do Brasil e a Caixa Econômica Federal quebrarem, será um favor para os brasileiros, pois ficaremos livres de pizzolatos.

Maria Carmen Del Bel Tunes carmen_tunes@yahoo.com.br

Americana

*

A CASSAÇÃO DE JOSÉ GENOINO

O PT deu mais uma mostra de sua "lisura" política. Entrou com um pedido de vista para postergar o processo de cassação do sr. José Genoino, genuinamente e comprovadamente corrupto. Enquanto analisam a cassação, o sr. Genoino, alegando incessantemente estar doente, dará entrada em seu processo de aposentadoria por invalidez, conseguindo, assim, receber integralmente seu salário e cumprir sua pena em casa. O PT eternizou a roubalheira. Parabéns ao povo brasileiro por ainda continuar votando errado.

Everson Rogério Pavani roger.advog@gmail.com

São Paulo

*

MAUS EXEMPLOS

No Brasil como sempre e repetidamente temos maus exemplos entre os políticos, vejam o exemplo do ex-guerrilheiro, ex-deputado e atual presidiário José Genoino, tentando aplicar o golpe de aposentadoria por invalidez. No Brasil estamos cheios destes pedidos, que sangram o sistema previdenciário e prejudicam todos os trabalhadores contribuintes. Precisamos urgentemente de uma reforma política, fiscal e moral dos nossos governantes.

Paulo Arantes paulo.mabraco@mabraco.com.br

Piraju

*

FALTA DE VERGONHA NÃO FALTA

Quando o cidadão sério e consciente deste nosso país vê Genoino ainda deputado, embora condenado; vê Genoino pedir aposentadoria por invalidez como deputado e pretender continuar recebendo dinheiro público como subsídio pelo resto da vida; quando vê as manobras da Câmara para tentar aposentá-lo antes de ser cassado em razão da sua condenação. Quando este mesmo cidadão vê e lê sobre o esperneio arrogante de Dirceu, Genoino por terem sido condenados pelo STF, embora a esmagadora maioria de seus ministros nomeados pelo PT; quando vê o Dirceu arrumar emprego de gerente administrativo em hotel de Brasília e com o salário de R$ 20 mil para fazer o que "elle" não sabe; quando se sabe que o proprietário do hotel é político da base do governo Dilma e ligado à rede Tupy de comunicações, nós percebemos que não há mesmo jeito, pois a grande massa está nem aí para tudo isso, mas vota! Haja Deus para nos proteger!

Sebastião Vanderlei Pinheiro vanderlei106@terra.com.br

São Paulo

*

OS MILAGREIROS

Hoje tudo pode nas sessões plenárias na Câmara dos Deputados quando o assunto é defender o Partido dos Trabalhadores e seus aliados envolvidos nos crimes do mensalão. Um exemplo incontestável foi a sessão plenária levada ao ar pela TV Câmara ao vivo, no dia 19 de novembro, aproximadamente às 16h40. O deputado José Guimarães, líder do PT, usou o plenário para, diante de no máximo 100 deputados (era o que tinha mais ou menos na Câmara naquele momento), contestar a prisão de seu irmão José Genoino, também do PT. Disse ele que o País todo sentia que Genoino não era corrupto, que não merecia comer aquelas marmitas que eram distribuídas aos demais presos e, menos ainda, ficar na Papuda. Usou o tempo que quis, permitido pelo presidente da Câmara, para implorar a seus pares que fossem até a Papuda e conseguissem de uma maneira ou de outra fazer uma visita a esse "herói" do mensalão. Falou tanto, tanto, tanto que a maioria de seus pares abandonou a sessão da Câmara, encheu uma van, chegou até a Papuda, e conseguiu o que as famílias dos demais presos não conseguem nunca: uma visita fora do dia e horário programado. Faltou pouco para o deputado José Guimarães pedir a canonização de Genoino e de todos os seus parceiros do mensalão. Eles são milagreiros.

Leônidas Marques leo_vr@terra.com.br

Volta Redonda (RJ)

*

A IMPORTÂNCIA DO VOTO ABERTO

Por 58 votos favoráveis e apenas 4 contrários o Senado aprovou o voto aberto para as cassações e vetos presidenciais. Trata-se de uma conquista importante para o País, porque os eleitores poderão saber a atuação de seus mandatários, especialmente nos processos de cassação de mandatos. A hora da verdade será a verdade expressa no voto, sem omissões e sem medos. A democracia ganhou muito com a aprovação.

José Carlos de C. Carneiro carneirojc@ig.com.br

Rio Claro

*

DIRCEU GENOINO ‘ET CATERVA’

O STF, ao deixar passar em branco esses comportamentos ofensivos às instituições, já em frangalhos, rebaixa-se ao nível dessa corja. É preciso que se julguem definitivamente os embargos infringentes e mantenham-se as decisões anteriormente proferidas, único caminho do STF para impor respeito ao Judiciário. Fora isso... passaremos a compreender as ações dos anarquistas mascarados.

Paulo Camargo advpaulocamargo@icloud.com

Rio de Janeiro

*

ISONOMIA

Sra. Dilma Rousseff, considerando que estou com 73 anos de idade, sou aposentado e também tomo anticoagulante (Marevan) há mais de três anos e estou sempre submetido a exame de sangue para detectar a atividade de protrombina, idêntico ao sr. José Genoino, e, tendo votado na eleição presidencial, solicito que interfira junto ao INSS em relação ao processo que movi para que possa ter meu rendimento para o máximo permitido (R$ 4.159,00), pois sempre contribui com o limite máximo, não só antes da aposentadoria como também após sua concessão durante mais dez anos. Hoje meu rendimento é praticamente para pagar o meu plano de saúde e da minha mulher; o cardiologista que me atende não tem convênio com meu plano e tenho, a duras penas, de pagar consulta particular. Obrigado pela atenção!

Hertez Corrêa hertezc@gmail.com

São Paulo

*

SEM LIMITES

Bem na verdade não nos pegou de surpresa a notícia de que a Comissão Mista do Orçamento aprovou reajuste de 5,7% para aposentados que recebem benefício acima do salário mínimo. Como também determinaram um novo teto dos atuais R$ 4.159 para R$ 4.396. Já eram de nosso pleno conhecimento as canalhices, velhacarias, absurdos, etc. deste governo corrupto do petelulismo no "pudê" há mais de 11 anos nos roubando, desviando e superfaturando, fazendo com que os aposentados que deram a vida para sustentá-los sejam mais uma vez apunhalados covardemente pelas costas, escorchados, aniquilados e dizimados. Enquanto isso, para essa corja de políticos ladrões, sujos e podres não há limite para absolutamente nada, e, se houver, não é acatado nem respeitado.

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

REVISÃO DAS APOSENTADORIAS

Quando será que nosso egrégio Tribunal Superior Federal iniciará o julgamento dos milhares de pedidos de revisões de aposentadorias que repousam em suas prateleiras? Até quando nós, aposentados, que continuamos trabalhando (e pesadamente contribuindo para o INSS) vamos continuar a receber os injustos e baixos valores impostos pelo famigerado "fator previdenciário" sem uma justa retribuição que considere os altos valores mensalmente pagos?

Roger Cahen rcahen@uol.com.br

São Paulo

*

SÃO PAULO E AS FAIXAS EXCLUSIVAS

Enquanto a cidade de São Paulo ganhou 270 km de faixas exclusivas que aceleraram os ônibus que passam por elas, nos antigos corredores a velocidade dos coletivos continua mais baixa que a de um corredor da São Silvestre. Vistas como paliativo para melhorar a fluidez dos ônibus, as faixas à direita tiveram sua implantação acelerada por Fernando Malddade após os protestos de junho. Alguém desse eficiente secretariado do Malddade precisa contar a ele que corredor de ônibus é só para jogar dinheiro fora, aliás, jogar dinheiro fora é o forte do PT

Kaled Baruche kbaruche@bol.com.br

São Paulo

*

SERVIÇO COM EFICIÊNCIA?

Como motorista de carro, fiquei imensamente prejudicado com essas faixas exclusivas invadindo o já estreito espaço em alguns dos principais corredores e avenidas. Como cidadão, eu pergunto ao sr. prefeito: por que, juntamente com a entrega tão festiva das faixas pintadas nas ruas, não foi explicado ao distinto público a forma como esses corredores irão funcionar? Faltou e falta muita informação! Importante a população estar informada de horários planejados dos novos ônibus em cada ponto do trajeto, qual o trajeto e os respectivos pontos , foram planejadas baldeações eventuais para rotas secundárias, quantos ônibus a mais foram introduzidos no sistema, quantos usuários são esperados, etc., etc. As pessoas que usam esse novo transporte estão satisfeitas? Enfim, no final das contas, o número total de usuários de ônibus (supostamente mais bem servidos e mais satisfeitos pela suposta maior rapidez) + número total de motoristas de carros (prejudicados) é maior, igual ou inferior ao de motoristas de carros antes dos corredores que supostamente andavam menos lento do que hoje com as faixas de ônibus? Qual terá sido um suposto índice de melhoria? Como medir esse carnaval todo? Com a palavra, a Prefeitura e os planejadores. Se realmente o negócio for eficiente, seguro e confiável, eu poderia aderir e largar meu carro em casa e tomar os ônibus dos corredores. Ou foi tudo só pra impressionar a torcida amiga?

Renato R Pierri rrpierri@gmail.com

São Paulo

*

SPRAY

Pela tinta gasta nos "corredores de ônibus", Haddad já é o maior pichador "deçepaiz"...

A.Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

*

AUDIÊNCIAS PÚBLICAS

Câmara de Vereadores faz campanha por telefone e deseja saber, nas próximas audiências públicas, se a cidade quer mais carros ou transporte coletivo. A pergunta, além de capciosa, esquece de que um não exclui outro. Aliás, pergunta de alienados que desejam justificar soluções tortas. Bem feito: quem mandou votar neles?

Fernando Calmon fscalmon@gmail.com

São Paulo

*

TRÂNSITO EM SP – ILUSÃO E REALIDADE

O trânsito em São Paulo é muito ruim e vai ficar pior. O governo federal estimula a venda de carros, reduz impostos e aumenta o financiamento. Cerca de 700 novos veículos entram diariamente na Capital. Em todas as grandes cidades do mundo o único transporte de massa é o "metrô", de superfície ou enterrado. Ônibus são apenas meios de transporte complementar. Paris, que é muito menor do que São Paulo, tem cerca de 500 km de linhas de metrô (São Paulo tem 70 km) e uma ótima rede de trens de subúrbio ligada as principais estações de metrô da cidade. Em São Paulo, de quando em quando são anunciados com grande estardalhaço ( como é hábito do PT) "programas e grandes investimentos" para melhorar o trânsito na cidade e que no fim são apenas alguns novos corredores de ônibus, que não melhoram nada, e algumas ideias estapafúrdias, como proibir prédios novos de ter garagens para mais de um automóvel. É necessário que alguém diga em "alto e bom som" que o trânsito só vai melhora quando a cidade tiver uma rede de metrô compatível com uma população de 10 milhões de habitantes. Até lá, as pessoas que puderem vão continuar usando o próprio automóvel, Todo o resto é perfumaria.

Roberto Cataldi ro.cataldi@hotmail.com

São Paulo

*

IMPEACHMENT

Trabalho com construção civil e atualmente acompanho duas obras na cidade de São Paulo. Uma no Caxingui e outra no Brooklin. Desde que a prefeitura iniciou a implantação dos corredores de ônibus na cidade, o tempo que permaneço dentro do carro diariamente para ir do meu escritório acompanhar as duas obras e voltar ao escritório, passou de uma hora e meia para três, alguns dias, quatro horas. Não conheço ninguém que aprove as medidas implantadas goela abaixo dos paulistanos pelo prefeito Haddad que visavam priorizar o transporte coletivo na cidade mas que não passaram de atos insanos, improvisados e demagógicos que só conseguiram aumentar dia após dia, os recordes de quilômetros de congestionamento nas ruas da capital. Antes de Haddad, os congestionamentos limitavam-se aos horários de pico e às avenidas principais da capital. Hoje não há mais horário para congestionamentos e além das avenidas, toda a malha rodoviária da cidade está congestionada em qualquer horário do dia. Nos moldes da lei da ficha limpa, os paulistanos devem iniciar uma ação popular de coleta de assinaturas visando o impeachment desse prefeito, que além de transformar a circulação de veículos num inferno tanto para automóveis como para os ônibus, pretende compensar a sua falta de criatividade e incompetência administrativas, com um aumento absurdo do Imposto Predial e Territorial Urbano dos imóveis da capital.

Victor Germano Pereira victorgermano@uol.com.br

São Paulo

*

O FIM

A Prefeitura simplismente tirou o ponto de ônibus logo após a saída do terminal Cidade Tiradentes. Agora, temos que andar bem mais até outro ponto, que, por milagre ainda tem cobertura. Mas logo ficaremos assim: caminharemos mais até o próximo ponto e ficaremos esperando sob o sol ou chuva graças a autoridades que usam carro com ar condicionado ou têm assessores para segurar o guarda-chuva. Como teremos que fazer isso todos os dias, até as próximas eleições , não nos esqueceremos de quem nos deu esse "presente". E ainda querem governar o Estado? Assim o PT continua indo contra os anseios daqueles que o ajudaram a chegar lá.

Sérgio Aparecido Nardelli sergio9@ig.com.br

São Paulo

*

MOBILIDADE

As horas que passamos presos em engarrafamentos, no trânsito, faz-nos refletir na necessidade de tantos carros para realizar um serviço que ônibus e metrôs humanizados, limpos e confortáveis podem fazer. Existe uma indústria de carros que quer vender muitos automóveis financiados por 60 meses e em prestações de aproximadamente R$ 380. As vias não suportam o peso de milhares de carros engarrafados. A solução é a humildade de sentir que temos que nos unir ou seremos destruídos. Transporte de qualidade para todos!

Paulo Roberto Girão Lessa paulinhogirao@gmail.com

Fortaleza

*

INSEGURANÇA PÚBLICA

Não está nada fácil morar em São Paulo e nas grandes metrópoles do País. Fomos aos poucos, no passar dos anos, perdendo toda liberdade duramente conquistada após a redemocratização do País. Hoje podemos afirmar sem medo de errar que nos dias atuais está ainda pior do que nos tempos da ditadura. Os políticos brasileiros estão a cada dia mais desacreditados. São poucos os que prometem em períodos eleitorais e cumprem o que dizem, boa parte do descrédito conferido pelo eleitorado deve-se à falta de plataforma ideológica e um bom grupo de trabalho. Já o governo do Estado pouco tem feito para acabar com a insegurança em que vivem as pessoas em São Paulo capital e na região metropolitana e no ABC. Hoje, se precisamos ir aos caixas eletrônicos, corremos grande risco de sofrer a tal saidinha de banco. Isso se não forem explodidos. Se vamos viajar de carro podemos ficar horas parados porque baderneiros queimam pneus nas vias e ainda somos assaltados. Se optamos pelo trem, os baderneiros de sempre fazem quebra-quebra. Se formos passear na Avenida Paulista, podemos defrontar com passeatas violentas, que já viraram moda a todo dia. Se ficarmos com fome, nos restaurantes podemos sofrer arrastão, se formos passear no shopping podemos morrer de bala perdida. Em todos esses eventos sentimos a forte presença do Estado, mas para proteger os baderneiros, já que o governador Geraldo é alinhado à turma dos direitos humanos quando deveria ser com o povo ordeiro. O fato é quanto mais passa o tempo, mais difícil fica acreditar que os seres humanos vão melhorar, especialmente nossos políticos, esses tem mudado, mas para pior. A violência está a nossa volta, fato inegável, e qualquer coisa é motivo para que os bandidos decidam matar a vítima. Porém a maldade dos criminosos chega a assustar até mesmo a polícia. O número de homicídios dolosos do Estado de São Paulo – com intenção de matar – tem aumentado consecutivamente. No comparativo de outubro deste ano com o mesmo mês de 2012 houve alta de 8,96%, segundo dados da Secretaria da Segurança Pública (SSP). E não foram só os assassinatos que tiveram elevação. A região do ABC, por exemplo, apresentou aumento substancial em todos os principais índices criminais: 7,6% nos furtos e roubos;16,56% nos roubos e furtos de veículos; 57,89% nos latrocínios; e 2,55% a mais de estupros. Somados os crimes contra o patrimônio tiveram alta de 10,43%. É claro que não existe fórmula mágica para a questão da segurança. Principalmente se as polícias estão mal aparelhadas e falta efetivo, por outro lado os criminosos possuem equipamentos bem mais potentes do que os policiais e estão em maior número nas ruas. Se isso que vivemos hoje com corruptos saindo pelo ladrão, com a violência aumentando todos os dias, com o desrespeito às leis do país, isso é democracia? Prefiro a ditadura para acabar de uma vez com esculhambação que impera hoje no País.

Turíbio Liberatto turibioliberatto@hotmail.com

São Bernardo do Campo

*

CRIMINALIDADE

O responsável pela criminalidade no Brasil é tão somente o Poder Legislativo, porque a polícia prende, mas a Justiça solta porque os juízes são obrigados a julgar e sentenciar os criminosos segundo as leis ultrapassadas ainda em vigor desde os idos de 1940. Em 1940 a expectativa de vida dos brasileiros não chegava aos 43 anos e o nosso Código de Direito penal elaborado naquela época, em 1940, e ainda absurdamente mantido em vigor estabelece que a pena máxima não ultrapasse os 30 anos, donde se deduz que aquele que praticasse um crime aos 20 anos e viesse cumprir a pena na sua totalidade só deixaria o presídio aos 50 anos, como a expectativa de vida não chegava aos 43 anos, naquela época, o condenado poderia passar o resto da sua vida na prisão. Hoje, segundo o IBGE, a expectativa de vida para os homens se aproxima dos 78 anos. Ora, se nos idos de 1940 com aquela expectativa de vida a pena máxima era de 30 anos, hoje ela deveria ser no mínimo de 60 anos. No Brasil uma pequena minoria, ainda bem, optou pela criminalidade e fazem dela a sua profissão e esses bandidos causando um imenso mal a grande maioria da população honesta e trabalhadora. Assassinos covardes decretam, dentro e fora dos presídios, à morte pessoas inocentes diariamente, depois de presos eles são beneficiados por uma série de regalias, assim como; visitas semanais de seus parentes (o presídio tem que estar próximo de seus familiares), visita íntima, saídas nos fins de semana prolongados por "bom comportamento", também por esse "bom comportamento" podem obter o regime aberto ou semi-aberto e prisão domiciliar, etc. Existem diversos tipos de criminosos, mas, o mais asqueroso é o assassino que executa a morte uma pessoa inocente, esse celerado teria que pagar pelo seu crime com prisão perpétua, todavia, a nossa magnânima Constituição não permite esse tipo de pena, então o correto seria atualizar aquilo que consta no nosso ultrapassado Código de Direito Penal e dentro da proporcionalidade da expectativa de vida teria que ser aumentado de 30 para 60 anos de reclusão. Por que? Porquê a vítima inocente assassinada foi excluída da sociedade para sempre, ela não vai mais poder gozar dos benefícios oferecidos pelo nosso código penal e nem das leis de execuções penais, elas não vão poder receber visitas semanais, visitas íntimas, saídas nos fins de semana prolongados e nem seus entes queridos vão poder vê-la nunca mais, e não vão poder ter a redução de sua pena aplicada pelo bandido, porque estão mortas para sempre. Ainda assim, alguns criminólogos, criminalistas de renome, que se acham donos da verdade, continuam em afirmar que aquilo que intimida o bandido não é o aumento da pena, mas a certeza ela punição do seu crime que a razão da prisão visa regenerar o criminoso a fim de devolvê-lo a sociedade recuperado como um elemento útil. Quanto ao benefício concedido aos condenados (que não deveria existir) de poder sair da prisão nos fins de semana prolongados; natal, ano bom, semana santa, dia das mães, dia dos pais, até no dia da criança, mesmo que o detento não tenha filhos, por "bom comportamento" (como aconteceu recentemente com um dos irmãos Cravinhos) é preciso averiguar quem foi que deu essa informação para o diretor do presídio; será que por aí não correu propina? O diretor da prisão que informou ao juiz pelo bom comportamento do detento a fim de conceder-lhe o beneficio da saída temporária teria que ser responsável pelo comportamento do detento enquanto ele estivesse fora do presídio. O noticiário vive informando, e é comum, que alguns presidiários tão logo deixam a cadeia não perdem tempo e passam tão logo a cometer novos crimes. Se o diretor do presídio, responsável pelo detento, que pede ao juiz autorização da sua saída temporária ficasse responsável pelos atos cometidos pelo sentenciado fora da prisão, com toda a certeza o numero de saídas cairia consideravelmente. A pesquisa realizada pelo Senado em 2011 a respeito da criminalidade existente no Brasil e também a respeito da maioridade penal expressa muito bem aquilo que o povo brasileiro quer ai, obviamente, estão incluídos os eleitores que elegeram seus representantes para Poder Legislativo. Espera-se que os congressistas e que ainda pretendem voltar ao parlamento sejam sensíveis ao desejo dessa grande maioria (83%) do povo brasileiro e façam a sua vontade que por sinal está certíssima. Deixem de lado a opinião dos eruditos especialista em criminologia que parecem que não vivem no Brasil, mas na Suíça ou nos países escandinavos e ouçam a vós sofrida e insegura como nunca aconteceu do povo brasileiro que são os seus eleitores. Não os decepcione. Conservem os seus mandatos.

José Carlos de Castro Rios jc.rios@gloo.com

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.