Fórum dos Leitores

DILMA EM CUBA

O Estado de S.Paulo

29 Janeiro 2014 | 02h07

Baleia e sardinhas

Nosso Estadão de ontem nos dá a triste notícia de que dona Dilma Rousseff, em mais um ato de generosidade com o nosso dinheiro, vai dar mais US$ 290 milhões a Cuba, assim completando um presente à ilha de US$ 1,09 bilhão, ou seja, R$ 2,5 bilhões! Tudo saindo dos cofres do BNDES, por conta do pobre povo brasileiro. Por isso é que não temos verbas para a conclusão da transposição de águas do Rio São Francisco, escolas, creches, hospitais, estradas e melhoria dos serviços públicos, muito menos água para o empobrecido e explorado povo do Nordeste. Esse (des)governo petista só faz besteira, haja vista a distribuição de dinheiro público aos "amigos" bolivarianos, dentre outros presentes, o aporte para cobrir os 40% que eram para a PDVSA fazer na construção da Refinaria Abreu e Lima, que o BNDES também vai financiar. Quanto à "parceria de primeira ordem" com Cuba, é como fazer parceria da baleia com as sardinhas.

UBIRATAN DE OLIVEIRA

uboss20@yahoo.com.br

São Paulo

A ilha do tesouro perdido

Dilma dá US$ 290 milhões a Cuba, os quais, somados aos US$ 800 milhões já "cedidos", totalizam US$ 1,09 bilhão - ao câmbio atual, quase R$ 3 bilhões. Créditos financiados pelo BNDES e aprovados pela Câmara de Comércio Exterior (Camex), que espera garantias. "La garantia soy jo", como diriam os hermanos argentinos. Como ocorreu com outros empréstimos a países pobres, esses também não fugirão à regra: serão lançados pelo banco oficial em créditos de difícil recuperação, perdoados pela Presidência da República e a conta, enviada para nós, os eternos prejudicados.

SÉRGIO DAFRÉ

sergio_dafre@hotmail.com

Jundiaí

Porto de Mariel

Com que direito a presidente Dilma deu o meu suado dinheirinho para a construção de um porto em Cuba, uma ditadura que persegue e fuzila os seus opositores? Com tamanha falta de liberdade, nem o próprio povo consegue viver lá, tanto é que muitos já "se mandaram" para os EUA. E nós, aqui, com os nossos portos em estado de calamidade, bem como hospitais, escolas, etc. Que vergonha!

ANNA CAROLINA MEIRELLES

annacmeirelles@gmail.com

São Paulo

Inauguração

Quando será inaugurado algum porto no Brasil, presidente? Afinal, o dinheiro do BNDES é nosso e para nossos investimentos.

MARIO COBUCCI JUNIOR

maritocobucci@uol.com.br

São Paulo

Cartas na mesa

Quero fazer dona Dilma ciente de que na próxima eleição estou inclinado a votar num candidato à Presidência que, em vez de inaugurar portos em Cuba, cuide dos portos brasileiros.

VIRGÍLIO MELHADO PASSONI

mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

Mais Médicos

Já que mais de US$ 1 bilhão foi financiado pelo BNDES (provavelmente a fundo perdido, pois mais tarde essa dívida deverá ser perdoada, como as de países africanos...) para a construção do porto de Mariel, gostaria de entender por que Cuba se acha no direito de cobrar R$ 10 mil por médico enviado ao Brasil. Não seria de bom tom ao menos cobrar um preço um pouco mais razoável? Aliás, nem deveria cobrar nada, somente os médicos deveriam receber pelos serviços prestados. Imagino que muitos médicos brasileiros adorariam receber um salário desses. Considerando os impostos escorchantes que são cobrados de todos nós, brasileiros, sinto-me uma otária por tanto dinheiro nosso ser canalizado para Cuba.

CANDIDA L. ALVES DE ALMEIDA

almeida.candida@gmail.com

São Paulo

Hospitais

Bela atitude da nossa "presidenta". Parabéns para ela. Como esses US$ 290 milhões fariam bem aos nossos hospitais, que simplesmente são uma vergonha e uma grande tristeza!

ARIOVALDO J. GERAISSATE

ari.bebidas@terra.com.br

São Paulo

Saneamento básico

Não seria mais sensato investir todos esses milhões emprestados a Cuba em saneamento básico no Brasil?

MARINA CASSARINO

mcmcass3@icloud.com

São Paulo

Gesto humanitário

Essa mais recente doação de US$ 290 milhões feita pela presidenta Dilma a Cuba faz transparecer que o dinheiro está "rolando" no Brasil, quando com esse valor poderiam ser construídas, em nosso país, duas dezenas de hospitais ou 14 mil casas populares ao preço unitário de R$ 50 mil. Aí, sim, poderíamos elogiá-la por um grande gesto humanitário. O que dizem os demais brasileiros?

JOÃO ROCHAEL

jrochael@ibest.com.br

São Paulo

Dinheiro de sobra

Interessantes o PT e aliados. Nosso povo de fato está sem enchentes, com belos hospitais, escolas aos montões, salário mínimo igual ao da Suíça, aposentados ganhando uma fortuna, etc... Realmente, temos dinheiro de sobra para dá-lo a um país como Cuba, que nos faz tanto em troca! Ou faz ao PT? Deixa pra lá.

NELSON DO NASCIMENTO CEPEDA

fazoka@me.com

São Paulo

Vai 'algum' para Itaoca?

Só para lembrar à sra. "presidenta": Itaoca, no Alto Ribeira (SP), precisa de bem menos do que o mais de US$ 1 bilhão que ela está dando para manter um governo que afronta a nossa identidade de liberdade e segurança, para se reerguer de um desastre natural que custou bem mais que 25 vítimas de morte. Tem jeito de mandar algum dinheiro ou vamos ter de nos "virar" sozinhos?

LUIZ ANTÔNIO BELUZZI

luiz2812@icloud.com

Apiaí

Inspiração

Em plena segunda década do século 21, Cuba ofusca o mundo anunciando revoluções impressionantes, como a privatização dos serviços de táxi, a unificação da moeda, a permissão para viagens internas dos cidadãos sem autorização prévia do governo e - incrível! - a liberação da compra de automóveis, bastando que os cubanos trabalhem 40 anos ininterruptos sem gastar em mais nada. Certamente a visita de Dilma à paradisíaca ilha dos irmãos Castro inspirará novas e revolucionárias medidas, que talvez sejam anunciadas nos séculos 22 ou 23. Agora vai!

PAULO SÉRGIO P. GONÇALVES

ppecchio@terra.com.br

São Paulo

*

LEI ANTICORRUPÇÃO

A Lei Anticorrupção, fruto dos protestos do povo e aprovada pelo Senado em julho de 2013, entrará em vigor hoje, dia 29 janeiro. Essa lei é um salto de qualidade no combate a malfeitos contra a administração pública e prevê multas e restrições administrativas às empresas que se envolverem na corrupção de agentes públicos. Se uma empresa comete uma fraude ou corrupção, ela será multada em 1% a 20% sobre o seu faturamento e, além de ser impedida de realizar negócios, será incluída na lista de empresas corruptoras. Nos Estados Unidos e no Reino Unido, essa lei trata as empresas de forma criminal, enquanto no Brasil essa lei tratará as empresas faltosas com punições administrativas. É como dizem os cientistas políticos: leis não fazem milagres e as mudanças só ocorrerão se houver fiscalização. E, infelizmente, esse é um grave problema da administração pública brasileira.

Edgard Gobbi

edgardgobbi@gmail.com

Campinas

*

O PROBLEMA É A GESTÃO

Mais uma vez o combate à corrupção se dá por meio daquele que sofre na mão do agente público ("‘Lei Anticorrupção marca nova fase na luta contra desvios’", 25/1, A7). Cada vez mais aperfeiçoamos o "IML" tipo CGU, TCU e outros. Sabemos o que e como aconteceu, mas não evitamos. Festejamos que "recuperamos uma fábula", mas nunca mostraram o cheque do retorno do dinheiro. O problema está na gestão. Enquanto o agente público tiver o poder de não fazer sem consequências, nada muda. Melhor: se o prestador de serviço precisa receber do governo e o agente tem o poder de pagar em dia ou não, a coisa fica difícil. Cobrar do Estado um eventual atraso numa fatura é coisa que beira o impossível. Fazer a gestão funcionar com punição para aqueles que não cumprem sua parte é fundamental. Na atividade privada não pagar significa cartório de protestos. No governo, uma explicação burocrática. É aí que caminha o "facilitador".

Carlos R. Ferreira

nolasco@uol.com.br

São Paulo

*

REALIDADE

O agente público recebe a propina para cumprir (mal) com sua obrigação, e a empresa privada recebe a punição. Essa é a realidade do nosso sistema democrático tupiniquim.

Ottfried Kelbert

okelbert@terra.com.br

Capão Bonito

*

POLÍCIA FEDERAL E CORRUPÇÃO

A Polícia Federal investiga, atualmente, contratos que somam R$ 15,6 bilhões sob suspeita de fraudes e corrupção. Esse levantamento é outro recorde absoluto negativo do petelulismo no "pudê" há mais de 11 anos: são nada menos do que 12.870 inquéritos em andamento. "Casualmente" ou "acidentalmente", 41% dessas apurações estão no Nordeste, o maior reduto político do PT. Estranho?

Angelo Tonelli

angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

ESTADOS AUTÔNOMOS

A Polícia Federal investiga a corrupção endêmica no Brasil, principalmente nas áreas de educação e saúde. Os fatos mais surpreendentes dos mais de 12 mil procedimentos em curso são a concentração da roubalheira na Região Nordeste e os números do Estado mais rico do País, São Paulo, onde o roubo é bem menor. Nordeste é a única região do mundo que é miserável e atrasada tendo o enorme Rio São Francisco, "atrapalhando" a pilhagem das oligarquias nordestinas aos cofres públicos federais. Precisamos realmente de uma Constituição que imponha Estados autônomos, dinheiro dos nordestinos é dos nordestinos, dinheiro dos paulistas é dos paulistas, e assim vai.

José Francisco Peres França

josefranciscof@uol.com.br

São Paulo

*

A NABABESCA PARADA EM LISBOA

Governo português contradiz versão oficial do Brasil sobre a estadia da presidente Dilma Rousseff e sua comitiva em Lisboa, sobre o jantar no restaurante mais badalado da cidade e a hospedagem nos Hotéis Ritz e Tivoli, onde 45 quartos foram ocupados. Segundo nosso ministro das Relações Exteriores, Luiz Alberto Figueiredo, a parada em Lisboa foi definida no sábado, bem como a reserva no badalado restaurante lisboeta, o que foi desmentido pelo governo português, que diz ter sido informado sobre tudo na quinta-feira, no dia da partida da comitiva para a Suíça. Com relação ao jantar e ao pagamento da conta, sobre o que o prezado ministro diz que cada um pagou a sua, pode me chamar de São Thomé, mas só acredito vendo os recibos.

Arnaldo de Almeida Dotoli

arnaldodotoli@hotmail.com

São Paulo

*

PEGA NA MENTIRA

Pelo menos quem lê jornais e revistas, não só fofocas e esportes, pessoas bem esclarecidas, sabe que nunca vamos descobrir as verdades das aventuras da presidente Dilma Rousseff e seus discípulos pela Europa. Na aterrissagem "secreta" em Portugal, no caminho da Suíça a Cuba, quem pagou a conta do caríssimo restaurante português? Se com cartões corporativos, os gastos são trancados a sete chaves, e os pessoais, só os nossos são monitorados pelo Banco Central, então... Acredito que nem mesmo o vinho foi servido gratuitamente, como afirmou o proprietário do restaurante. A única certeza que temos é de que em Cuba, paradisíaca ilha do Caribe de propriedade dos irmãos Castro, as doses de rum, obviamente ingeridas, saíram de nossos bolsos, e são as mais caras do mundo: aproximadamente US$ 1,2 bilhão concedidos e antecipadamente inscritos na sigla, fundos perdidos do BNDES.

Sérgio Dafré

Sergio_dafre@hotmail.com

Jundiaí

*

CARTÃO CORPORATIVO

O ministro Luiz Alberto tem toda razão ao salientar que todos os participantes do jantar(zinho) no Eleven pagaram suas próprias contas. Só esqueceu de dizer que foi com cartão corporativo. Brasil, um país de pobres (inclusive de vergonha).

José Roberto Palma

palmapai@ig.com.br

São Paulo

*

OU SEJA...

De acordo com o ministro das Relações Exteriores, as despesas no restaurante de luxo em Lisboa foram pagas com cartão, cada um pagou a sua despesa. Que bonito, cada um pagou com os respectivos cartões corporativos, custeados pelo governo. Ou seja, as despesas foram pagas pelo governo.

Toshio Icizuca

toshioicizuca@terra.com.br

Piracicaba

*

BACALHAU

O ministro das Relações Exteriores, Luiz A. Figueiredo, tem razão. O "bacalhau com vinho" foi pago com cartão, mas cartão CORPORATIVO, a cujos detalhes não temos acesso. Que tal publicarem os respectivos extratos fornecidos pelo restaurante?

Tania Tavares

taniatma@hotmail.com

São Paulo

*

COMÉDIA

As vãs tentativas do governo federal de explicar a tal parada técnica em Lisboa já ultrapassaram os limites da vergonha. Virou uma grande comédia. Fazem-me lembrar duas séries de TV que fizeram parte da minha infância: "Os Trapalhões" e "Os Três Patetas".

Luciano Harary

lharary@hotmail.com

São Paulo

*

ABUSO DE PODER PÚBLICO

A hipocrisia impera nas atitudes petistas. A ex-guerrilheira de cunho esquerdista na época da ditadura agora se hospeda no Ritz e no Tivoli de Portugal. Assombroso como a pessoa se revela quando está no poder. Primeiramente, a passagem por Portugal foi desnecessária, ainda mais se hospedar numa rede de hotéis como o Ritz, que esbanja luxo ao redor do mundo com suas sucursais em Paris, Madrid, etc. R$ 70 mil para uma noite duplamente desnecessária em Lisboa é muita falta de respeito com o dinheiro do povo. A assessoria disse que seria mais cara a noite em Zurique, mas é claro, deviam estar pensando no mais caro dos hotéis, como fizeram em Portugal. "Menos, presidenta, por favor." Brasil, país da desigualdade, do privilégio para poucos e do abuso de poder público.

Felipe da Silva Prado

felipeprado39@gmail.com

São Paulo

*

TANQUE GRANDE

Interessante este avião da nossa digníssima presidente Dilma. O tanque de combustível deve ser gigantesco! Para abastecê-lo demora tanto tempo que ela e sua pequena comitiva têm de se hospedar num dos hotéis mais caros de Lisboa e nesse meio-tempo ir a um restaurante cinco estrelas na cidade. Belo avião! E o nosso povo...

Nelson do Nascimento Cepeda

fazoka@me.com

São Paulo

*

ROTO E RASGADO

O PSDB indo à Procuradoria-Geral da República (PGR) fazendo representação contra as andanças da presidente Dilma e sua comitiva neste seu último giro europeu/cubano-caribenho é o mesmo que o "roto falando do rasgado".

José Piacsek Neto

bubanetopiacsek@gmail.com

Avanhandava

*

UM MÊS PARA DESNUDAR O GOVERNO

As recentes viagens ao exterior de Dilma Rousseff são uma vergonha e causam revolta em todo cidadão brasileiro comprometido com um nível mínimo de decência. Além de passar por Portugal numa escala totalmente desnecessária, torrando dinheiro público com diária em hotel de luxo e jantar em restaurante chique, a "presidenta" ainda aproveitou para jogar no lixo a moral do povo brasileiro com as ridículas homenagens e salamaleques prestados a facínoras como o ditador cubano Fidel Castro e seus acólitos. Para piorar, o governo brasileiro mais uma vez ignorou solenemente os bravos dissidentes cubanos, que há décadas lutam, sem sucesso, por mais liberdades civis, econômicas e políticas. Esse tour de janeiro resume bem alguns procedimentos desse patético governo petista: além de nunca hesitar em dar piscadelas a inimigos esquerdistas da democracia liberal, ainda usa os preciosos reais dos pagadores de impostos como se não precisassem prestar conta alguma. Haja indecência e cara de pau...

Henrique Brigatte

hbrigatte@yahoo.com.br

Pindamonhangaba

*

FINANCIAMENTO BRASILEIRO EM CUBA

No último fim de semana a presidenta Dilma ficou hospedada num hotel em Portugal ao custo de R$ 26 mil a diária, ou seja, um valor maior do que o brasileiro comum pode financiar para obter a casa própria através dos programas federais. Começando a semana, Dilma esteve em Cuba para inaugurar um porto que já recebeu quase R$ 2 bilhões do dinheiro brasileiro e tem a promessa de mais R$ 700 milhões por meio do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Simplesmente é difícil de entender como nosso atrasado país, que nem sequer consegue escoar a produção através de sua sucateada e burocrática infraestrutura, financia obras num país dominado por ditadores que somente sugam o povo. Infelizmente, a maioria dos eleitores brasileiros não possui acesso aos meios de comunicação, tendo suas escolhas condicionadas ao subsídio governamental que recebem todos os meses gratuitamente.

Daniel Marques

danielmarquesvgp@gmail.com

Virginópolis (MG)

*

FELIZES OS CUBANOS

Porto de Mariel, quase R$ 1 bilhão investidos, e R$ 800 milhões saíram do nosso BNDES. Se todo esse dinheiro fosse investido em nossos portos, melhoraria muito a qualidade do serviço, talvez resolvesse todos os problemas dos portos brasileiros. Ou então esse dinheiro poderia ser disponibilizado com menos burocracia para o crescimento das pequenas empresas brasileiras, que, crescendo, podem gerar empregos. Enfim, deve ser melhor investir em Cuba. Para nós, brasileiros, fica o charuto cubano.

Pedro Robusti

pedrorobusti@hotmail.com

Tietê

*

NÃO É PIADA

Seria piada, se nós, brasileiros, não tivéssemos de pagar a conta. Então Dilma vai até a ilha dos Castros agradecer a "ajuda" pela "cessão" de médicos para o programa Mais Médicos Cubanos? Os brasileiros minimamente informados sabem que cada médico cubano custa, no mínimo, R$ 10 mil mensais aos cofres brasileiros, mas que ele e sua família (que fica retida em Cuba) recebem apenas R$ 2 mil mensais. O restante, SÓ R$ 8 MIL, vai para ajudar a manter a ditadura comunista caribenha. Os poucos médicos não cubanos recebem integralmente R$ 10 mil. Após perder a ajuda da Rússia e quase toda a ajuda da Venezuela (que está falida), agora a ditadura comunista de mais de 50 anos dos Castros está recebendo ajuda do Brasil. O BNDES está "despejando" dinheiro na ilha, embora a infraestrutura brasileira esteja aos pedaços. Nem o Nordeste pobre brasileiro está recebendo tanta atenção do governo lulopetista. Com o programa Mais Médicos Cubanos a conta da doação à ditadura cubana vai aumentar. Estão preparando a vinda de cerca de mais 5 mil médicos (?) para cá. Daí é fácil fazer as contas: 10 mil médicos (ou mais) que trabalharão (?) ganhando uma miséria para seu sustento e família (impedida de sair da ilha) darão a "pequena ajuda" de mais de R$ 80 MILHÕES mensais para a perpetuação da ditadura comunista de Cuba. Esse valor, se aplicado no Brasil, daria para manter quantos hospitais? Quantas escolas? Quando os dois Castros virão ao Brasil para agradecer a pequena ajuda que os está mantendo e a um dos últimos regimes comunistas do planeta? Por onde andam a Justiça do Trabalho, o Ministério Público, os sindicatos da categoria médica e os direitos humanos?

Éllis A. Oliveira

elliscnh@hotmail.com

Cunha

*

A GRATIDÃO DE DILMA

Presidente Dilma, com todo respeito, não é a senhora que deve agradecer ao governo cubano, e sim o contrário. Afinal de contas, a senhora acaba de presentear (ou alguém pensa que Cuba vai pagar o empréstimo?) a ilha prisão com um porto que certamente deve ser melhor que os nossos portos ultrapassados, além de um crédito adicional de US$ 290 milhões, e sabe-se lá quantos outros tantos milhões o Brasil enviará por ano sob o "disfarce" dos médicos cubanos e sem "recibo". Quanto a agradecer ao povo, esqueça. Lá eles não palpitam. Só cumprem ordens.

Luiz Nusbaum

lnusbaum@uol.com.br

São Paulo

*

CARNAVAL CUBANO

Já é carnaval para os amigos de Fidel. Enquanto nossa dadivosa presidente oferecia mais US$ 290 milhões aos irmãos Castro, creio que ouvi a turma dos privilegiados (empreiteiras, intermediários e fornecedores) cantando ao fundo: "Quanto riso, ah, quanta alegria / mais de mil palhaços no Brasil / os contribuintes estão chorando pela ‘caridade’ da Dilminha / no meio da sofridão...". Mas é carnaval só para os eleitos dessa esquerda deletéria, pois o cubano mesmo vive na miséria e sofre para pagar preços absurdos por um carro novo (o Peugeot 508 zero está tabelado lá por R$ 627 mil) e o trabalhador brasileiro não aproveita bem o carnaval, tendo de trabalhar dobrado para cobrir toda essa caridade a fundo perdido feita com o seu suado dinheiro. Para "elles", porém, é só sorrisos, só alegria. E nós, os palhaços. Até quando?

Silvano Corrêa

scorrea@uol.com.br

São Paulo

*

O RETORNO

Qual será o retorno das dádivas do PT aos também desgovernos corruptos de nações "amigas"? Quanto dessa ajuda não volta em comissões para campanhas do PT? Já estava na hora de fazer uma investigação.

Hamilton Penalva

hpenalva@globo.com

São Paulo

*

ÚLTIMOS SUSPIROS

A enxurrada de nosso dinheiro em Cuba, milhões para a farsa dos mais médicos cubanos, a dor de cotovelo com os americanos e união europeia, a paixão pelo alentado socialismo e outras barbáries só confirmam o desespero da petezada, que já anteviu o fato de não conseguir se reeleger, felizmente, então a ordem é agora ou nunca mais. Outras do tipo virão.

Sinclair Rocha

sinclairmalu@uol.com.br

São Paulo

*

US$ 290 MILHÕES

É dinheiro para estádios, é dinheiro para corrupção, é dinheiro para os companheiros de Cuba, e o Brasil nesta m...

Washington D. Quintas

washingtonimov@uol.com.br

Mogi das Cruzes

*

INDIGNAÇÃO

Como brasileiro, fico indignado com essa política protecionista da "presidenta Dilma" com a ilhota da ditadura de esquerda dos irmãos Castro. US$ 802 milhões para uma ilha que ainda mantém o regime do "paredón" é simplesmente desprezível. Meu país está uma lástima. A indústria sucateada, o comércio engessado, o povo abandonado - e não me venha com essa história de Bolsa Família, tema de outro capítulo -, sem perspectiva de desenvolvimento, corrupção à solta e impunidade reinante, sem contar a ausência de autoridade dos governantes em todos os níveis.

Mardiros Marcos Burunsizian

mardiros@uol.com.br

São Paulo

*

EUA-CUBA

Apoio ao regime castrista é o principal motivo da visita a presidente Dilma a Cuba. Esse é o regime marxista que os petistas sonham para que seja implantado no Brasil - Zé Dirceu, Rui Falcão e Marco Aurélio Garcia que o digam. O marxismo só é possível debaixo de uma ditadura rígida como o de Cuba e da Coreia do Norte, como foi na extinta União Soviética e em seus países-satélite. Dilma entrou no coro inócuo daqueles que pedem que seja suspenso o embargo econômico imposto pelos Estados Unidos a Cuba. Apesar da vigência do embargo, é importante notar que nem todo o comércio entre Estados Unidos e Cuba está proibido. Desde 2000 foi autorizada a exportação de alimentos dos Estados Unidos para Cuba, condicionada, obviamente, ao pagamento exclusivamente à vista (antecipado: as mercadorias devem ser pagas antes de o navio zarpar do porto americano), e os Estados Unidos são o sétimo exportador de alimentos para a ilha, nisso incluindo sua ajuda humanitária (envio gratuito). De 1992 a 1999, os Estados Unidos enviaram mais ajuda humanitária a Cuba do que todos os então 15 membros da União Europeia e a América Latina. Em casos de tragédias, como o furacão Michelle, os Estados Unidos também enviaram ajuda humanitária de emergência. Cuba já despendeu cerca de US$ 1,8 bilhões importando alimentos dos Estados Unidos, dos quais US$ 474 milhões em 2004 e US$ 540 milhões em 2005. Os americanos não são malvados assim, que Dilma está querendo mais?

José Carlos de Castro Rios

jc.rios@globo.com

São Paulo

*

EMBARGO OU SALVAÇÃO

Dilma condenou o embargo econômico imposto pelos EUA a Cuba. Mas, segundo petistas e comunistas, o capitalismo norte-americano é a origem de todo o mal que grassa pelo mundo. Para eles, bom mesmo é o comunismo de Cuba e Coreia do Norte. Então ela deveria estar a enaltecer o embargo, que livra Cuba dos males do capitalismo. Eu só queria entender.

Cláudio Eustáquio Duarte

claudio_duarte@hotmail.com

São Paulo

*

SOBERANIA

Dilma Rousseff disse na ONU que as ações de espionagem dos EUA ferem a soberania do Brasil. A presidente classificou, em sua recente visita a Havana, o embargo comercial dos americanos com Cuba como "injusto". Injusto ou não, o embargo é uma decisão legítima e soberana do governo norte-americano e só diz respeito a eles. Soberania é para todos, pois não?

Leão Machado Neto

lneto@uol.com.br

São Paulo

*

‘BRASIL E ARGENTINA, LUZ E SOMBRA’

O economista do Fundo Monetário Internacional (FMI) Kenneth Rogoff, como bom economês e os pajés da atualidade, atira no que vê querendo acertar no que não vê ("Brasil e Argentina, luz e sombra", 28/1, A3). A diferença básica entre Brasil e Argentina está apenas no fundo ideológico de ditadura. A Argentina ainda sonha com o nazismo alemão e o Brasil, com o comunismo soviético, cujo resto sobra em Cuba. No resto, são exatamente duas republiquetas das bananas, até com

"presidentas" que são mais postes do que estadistas. A economia destrambelhada das duas nações é apenas a ponta do iceberg, cujo fundo só não enxerga quem não quer. E haja economeses ditando regras e abobrinhas.

Ariovaldo Batista

arioba06@hotmail.com

São Bernardo do Campo

*

CRISE NA ARGENTINA

A Argentina é o terceiro maior comprador de produtos brasileiros, tendo um peso grande nas exportações de nosso país. Dilma, ao declarar que a crise que está instalada por lá não vai ter consequências para o Brasil, é o mesmo que dizer que acredita em Papai Noel. De novo, o efeito Orloff bate na nossa porta.

Ronaldo Gomes Ferraz

ronferraz@globo.com

Rio de Janeiro

*

LIMITE

Na Argentina, o governo local limitou a U$$ 2 mil por mês a compra de dólares. No Brasil, "o país do futuro", qual seria a parcela da população que tem esse rendimento?

Laert Pinto Barbosa

laert_barbosa@ig.com.br

São Paulo

*

O PÉRIPLO A DAVOS

A presidente Dilma e grande comitiva foram a Davos, na Suíça, com a missão quase impossível de atrair capital estrangeiro para o País e fazer as pazes com os "loiros de olhos azuis", como seu padrinho, o falastrão Lula, chamava de forma depreciativa os líderes do Primeiro Mundo. Dilma, ausente nos fóruns anteriores, foi prepotente como se representasse um país imune a qualquer crise, ou "marolinha", como dizia o deslumbrado Lula. Ocorre que desta feita a situação não recomendava nenhuma prepotência, já que necessitamos de capitais que possam gerar emprego e PIB maior que o insignificante porcentual de crescimento de 2012 - e disso depende o resultado das eleições deste ano. Então foi para Davos a turma toda, esquecendo-se de seu passado marxista e negociando com o que há de melhor e de pior no capitalismo no mundo. Mas foi difícil se apresentarem como capitalistas de mercado recém-convertidos. Na verdade, temos de nos acostumar com mais um ano de pibinho ridículo e torcer para que a população, que está descansando no "bolsa esmola", entenda que sem trabalho a mamata vai acabar, e então votar em quem pode mudar a coisa e terminar com competência o trabalho iniciado por FHC.

Márcio M. Carvalho

mmcoak@hotmail.com

Bauru

*

COMO EXPLICAR?

A Presidente Dilma, ao discursar em Davos, num estilo bem diferente daquele arrogante que até recentemente caracterizou a interação do País com os agentes econômicos internacionais, tentou vender, em foro mundial, com pouco sucesso, a imagem de um porto seguro para os investimentos que busca atrair para uma economia em declínio, com índices medíocres de crescimento. Fruto de uma política externa equivocada, com viés ideológico ultrapassado, que vem sendo praticada pelo governo petista, o Brasil se inclinou, ao longo da última década, na direção de parceiros e alianças, como o decadente Mercosul, que pouco têm a oferecer no sentido de consolidar uma posição confiável no cenário global. Constatado o erro, a presidente como que implora, na Suíça, até de maneira constrangedora, a volta dos investidores, a fim de concretizar projetos relacionados, entre outros setores, com a infraestrutura e a produtividade de que o País necessita desesperadamente para destravar o desenvolvimento. Aliado a esse cenário, pairam preocupações ligadas à precariedade dos serviços de saúde pública, que vêm penalizando de maneira cruel a população, à segurança, que não está sendo garantida ao cidadão de maneira satisfatória pelo Estado, ao transporte público de qualidade vergonhosa e à ineficiente gestão da educação - só algumas das mazelas, tudo desaguando em manifestações populares, nem sempre pacíficas e que colocam os cardeais da Fifa e os políticos encarregados de organizar o megaevento esportivo, em estado de atenção, no que diz respeito à sua realização, um dos produtos vendidos por Dilma em Davos. Antes que esse vulcão entre em erupção, é de todo aconselhável tentar explicar à sociedade brasileira, e ela merece uma satisfação convincente, o fato de que a nossa presidente se dirigiu, após o encontro na Europa, a Cuba, para lá inaugurar um porto revitalizado graças a investimentos brasileiros, 71% dos quais bancados pelo nosso BNDES, com a promessa de futuras inversões naquele "paraíso" dos direitos humanos, com dinheiro do povo daqui.

Paulo Roberto Gotaç

prgotac@hotmail.com

Rio de Janeiro

*

LONGE DAQUI

Sinceramente, se eu fosse dirigente de uma multinacional e fosse escolher onde expandir os meus negócios, dentre tantos países com potencial de desenvolvimento, "não" investiria num país que tem uma carga tributária de 40%, onde o mercado financeiro cobra juros de 79,3% ao ano para o crédito pessoal não consignado e juros ao consumidor, em média, de 137,5% ao ano. Procuraria outra opção, é claro, a menos que eu fosse banqueiro! O Brasil se tornou incapaz de competir com o mundo em razão do alto custo de estrutura, em especial o custo político incluindo nesse quesito, a corrupção municipal, estadual e federal, que cresce no mesmo ritmo da impunidade dos malfeitores. Deus ilumine o povo brasileiro nas próximas eleições.

José Carlos Alves

jcalves@jcalves.net

São Paulo

*

O TEMPO DIRÁ

Em Davos, os líderes econômicos advertiram que começa uma etapa de alta volatilidade e pedem que as economias em desenvolvimento façam as reformas pendentes. O FMI alertou que o risco de contágio é uma realidade. Entretanto, no Brasil, a imprensa cobriu apenas a versão oficial da presidente Dilma, de que está tudo bem na economia e de que o mercado pode ficar confiante no Brasil, pois não há risco de contágio para o País. A realidade dos próximos meses até a eleição dirá quem tem razão.

Luiz Roberto da Costa Jr.

lrcostajr@uol.com.br

Campinas

*

ENGANAÇÃO

Dilma foi a um fórum internacional pedir capital privado? As empresas podem investir tranquilamente aqui? No Sul, o governo petista estatiza rodovias após investimentos milionários de empresas privadas. Sobre as concessões de energia elétrica cujos contratos estão para vencer, até o momento o governo não diz se vai renovar os contratos ou não. O governo brasileiro apoia países que tomam os bens de empresas privadas, como Venezuela, Bolívia e Argentina. Não age com ética na economia e no mercado. Privatizações demoniza, apesar de agora fazê-las, agora que apertou o calo. Quer enganar quem?

Tiago H. de Melo de Carvalho e Silva

tihmcs@ig.com.br

Campinas

*

CORRENDO ATRÁS

Apologista ferrenho da política estatizante, o PT agora corre atrás do capital privado, para tentar evitar o caos.

Francisco Zardetto

fzardetto@uol.com.br

São Paulo

*

LÍNGUAS DIFERENTES

Ao mesmo tempo que a presidente Dilma Rousseff se esforçava para convencer o capital transnacional a deixar a desconfiança de lado e vir a investir sem medo em nosso país, no discurso que fez em Davos, no Fórum Econômico Mundial, outros petistas, o secretário-geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho, e o governador gaúcho, Tarso Genro, prestigiavam os debates da Conferência Contra o Capital (!) realizada no âmbito do Fórum Social, em Porto Alegre. Depois lamentam que os investidores fiquem em dúvida sobre se investem ou não no País governado pela sigla socialista fundada por Lula.

Silvio Natal

silvionatal49@gmail.com

São Paulo

*

SEM MÁSCARAS

Excelente o artigo do juiz de direito, Kleber Leyser de Aquino, que de forma clara e objetiva informou o que pode e o que não pode ser feito durante as manifestações populares ("Máscaras em manifestações públicas", 28/1, A2). Cabe agora às Polícias Civil e Militar garantir o direito da população de sair às ruas para protestar contra este desgoverno e proibir que manifestantes mascarados e violentos prejudiquem as manifestações e quebrem patrimônio público e privado. A manifestação ocorrida em São Paulo no último sábado, com a participação de aproximadamente 1.500 pessoas, demonstrou claramente que a maioria que ali estava era de pessoas pacíficas em busca de um país mais justo e apenas uma minoria compareceu para estragar o movimento. Por isso, tanto a população como a Polícia Civil e Militar e a lei pedem o fim dos mascarados nas manifestações. Vamos exercer a nossa cidadania, participando das manifestações, sem máscaras, sem mochilas, levando apenas uma cartolina com uma bela mensagem de protesto. E viva a democracia, sem corrupção e sem vandalismo.

Maria Carmen Del Bel Tunes

carmen_tunes@yahoo.com.br

Americana

*

AÇÃO E REAÇÃO

É no mínimo espantosa a reação, desigual, da Defensoria Pública e de organizações de direitos humanos em relação à defesa intransigente do rapaz que foi baleado pela PM e a indiferença dos mesmos em relação à defesa da família que estava dentro do Fusca incendiado pela turba que, além de correr sério risco de vida, perdeu um dos poucos patrimônios que tinha, o carro. Os defensores dos vândalos recorrem a clichês do tempo da guerra fria para defenderem os "pobres" jovens que não fazem nada mais que incendiar, quebrar e ferir a cada oportunidade encobertos por máscaras, pois não têm coragem de agir às claras por saberem que o que estão fazendo é condenável em qualquer lugar do mundo civilizado. É bom que os mesmos defensores e agentes do caos e da baderna não se esqueçam das leis da física ou a terceira lei de Newton: "A toda ação se opõe sempre uma igual reação". Continuem a ação que terão logo, logo uma grande reação. Mas para entender essa lei é preciso estudar e, no mínimo, saber a tabuada, coisa que não parece ser o forte dos arruaceiros e seus defensores.

Italo José Portinari Greggio

italogreggio@hotmail.com

São Paulo

*

PROTESTOS SEM OBJETIVO

As manifestações vistas pelo Brasil com o intuito de criticar a Copa do Mundo em detrimento da realização de serviços públicos essenciais deixados de lado, poderiam acender a luz vermelha nos governantes e nas casas legislativas que têm prestado péssimos serviços à população. Ao invés disso, o que se viu foi um vandalismo absurdo, principalmente em São Paulo, que não leva a lugar nenhum, a não ser à prisão, que é o lugar onde merecem estar os baderneiros. Quem está assistindo a isso de camarote e rindo são os políticos, que em outubro ocuparão as telas das TVs para pedir o voto do cidadão ignorante que acha que o voto não muda nada.

Izabel Avallone

izabelavallone@gmail.com

São Paulo

*

LOUCOS POR UM MÁRTIR

Curioso que teremos 12 capitais com jogos da Copa do Mundo e é só em São Paulo que os vândalos promovem destruições. O PT está louco para ter um mártir aqui e prejudicar o governador Alckmin.

Harry Rentel

harry@citratus.com.br

Vinhedo

*

NO ANIVERSÁRIO DE SÃO PAULO

Estarrecedor. Um grupo de 1.500 manifestantes, liderados por mascarados, depredou, saqueou e incendiou em ruas no centro da capital paulista, tudo isso acompanhado atentamente por cerca de 2 mil policiais deslocados com o mister de manter a ordem. É, portanto, necessário enaltecer a inteligência do sr. secretário da Segurança que permite a passeata com mascarados (black blocs) e cumprimentar o sr. governador do Estado, que, por oportuno, pertence ao partido dos "tacanhos".

Carlos Laué Junior

bibalaue@gmail.com

São Paulo

*

COPA NO BRASIL

Em meados do ano passado, grupos de pessoas, e não os milhões apregoados por alguns órgãos de imprensa, e em algumas localidades, e não em todo o Brasil, promoveram manifestações onde ficou caracterizada a improvisação e o desabafo emocional. E como começou, a onda passou. Agora surge o que alguns consideram como um grande mote, o protesto contra os jogos da Copa do Mundo. Coincidentemente, próximo das próximas eleições. A escolha recair em futebol, o esporte preferencial dos brasileiros, por certo coloca os "manifestantes" diante de um enorme desafio. Não vai ser apenas o sistema de segurança, mas também a massa de torcedores, que vai contestar os protestos. É só esperar para ver.

Uriel Villas Boas

urielvillasboas@yahoo.com.br

Santos

*

A QUEDA DA PASSARELA NO RIO

É certo que teremos grandes eventos no Brasil e obras são necessárias. Mas os desmando que ocorrem nesta cidade que completará 40 anos de fundação em 2015 são inacreditáveis. A ânsia de superar as obras do prefeito Pereira Passos atingem o ego do atual administrador. Deixa de proporcionar aos seus habitantes o básico necessário para uma qualidade de vida regular e para que a mesma seja considerada uma Cidade Maravilhosa, como compôs André Fº na década de 1930. Inexistem serviços educacionais de qualidade, pois os CIEPs, que seriam modelo, estão sucateados. De saúde nem se fala. E os transportes? Ah! Estes vão bem, temos uma mobilidade maravilhosa. A massa dos trabalhadores está rindo à toa, como mostrou a televisão domingo passado. A segurança idem. Nossa PM é a instituição mais querida da cidade. Amam seus cidadãos e são amados por eles. Tratam a todos com muito carinho e respeito, tanto é que só usam pimenta de qualidade e balinhas de borracha. Os viadutos e vias criadas por seus antecessores são destruídos para dar lugar a uma "via binário" que alaga na primeira chuva. A Perimetral já era, como já foram as vigas surrupiadas sem que ninguém, até agora, fosse punido. A fatídica queda da passarela da Linha Amarela não foi algo inesperado ou acidental, tudo é previsto numa cidade em que falta fiscalização honesta e constante. Ah, mas vai passar, como disse Chico Buarque, o carnaval vem aí e, certamente, nosso prefeito estará na passarela ao lado da "popozuda", cantando o samba-enredo composto pelo deputado Justo Veríssimo: "Eu quero que o povo se exploda".

Sebastião Paschoal

s_paschoal@hotmail.com

Rio de Janeiro

*

UM ANO DA TRAGÉDIA DE SANTA MARIA

É inaceitável que, passados 12 meses, ninguém tenha sido responsabilizado pela morte absurda de 242 jovens numa casa noturna na cidade de Santa Maria (RS). É a impunidade institucionalizada. Que país é este?

José Marques

seuqram.esoj@bol.com.br

São Paulo

*

OMISSÃO CRIMINOSA

Esta semana fez um ano do dramático e triste acontecimento em Santa Maria (RS), que matou 242 pessoas e provocou grande comoção nacional com repercussão internacional. Os culpados, facilmente elencados e diretos responsáveis por essa tragédia anunciada, ainda não foram sequer julgados e condenados. Primeiro, os donos da boate, pela negligência e desapego à restrita observância das normas de segurança, como na compra de materiais de forração altamente comburentes (e tóxicos); pela venda indiscriminada de ingressos, superlotando a boate, demonstrando desmedida ambição; e, ainda, por estarem transgredindo a lei com os alvarás de funcionamento vencidos, não estando, portanto, autorizados para exercer qualquer atividade no local. Segundo, o Corpo de Bombeiros, por aprovar o mesmo local para permitir eventos dessa natureza (e lotação) com a existência de uma só porta para a entrada e a saída; e por não inspecionar e fiscalizar os extintores e o material tóxico do forro, não restringindo um local de extrema periculosidade, liberando uma ardilosa armadilha para todos os que lá foram para se divertir e acabaram sendo atores da sinistra e funesta madrugada de um domingo. Terceiro, a prefeitura da cidade, por omitir e negligenciar de forma sistemática, ao descuidar de tratamento rigoroso nos deveres essenciais à proteção dos cidadãos, para, a tempo, impedir evento de tamanha grandiosidade em local irregular e extremamente contrário às regras e às leis. Quarto, os componentes da banda, por usarem um sinalizador para lugares abertos em ambiente fechado (e lotado) e muito provavelmente sabedores de ocorrências idênticas causadas por igual pirotecnia em outras boates. E quinto, o prefeito da cidade, por ter como subordinados na fiscalização pessoas despreparadas e não qualificadas para estarem em cargo de enorme responsabilidade. Em suma, a tragédia não foi uma fatalidade, imprevisível e marcada pelo destino, e sim uma omissão criminosa de todos os agentes acima expostos, só faltando dar nomes, sobrenomes e apelidos. Um ano se passou, a dor ainda é latente nos pais dos jovens e a justiça ainda não foi feita. Até quando?!

José Eduardo Victor

je.victor@estadao.com.br

Jaú

*

CONDENADOS PELA INCOMPETÊNCIA

Após um ano da tragédia em Santa Maria, nada mudou, pois a dor da perda dos entes queridos permanece. No nosso Brasilzão de fome e miséria de justiça, só ficou a certeza de que 242 jovens tiveram a sua prisão perpétua decretada naquela madrugada de 27 de janeiro, quando foram condenados pela incompetência de muitos.

Manoel José Rodrigues

manoel.poeta@hotmail.com

Alvorada do Sul (PR)

*

SEGURANÇA

Um ano de saudades das 242 vitimas da tragédia da Boate Kiss. No ano de 2007, segundo a ONG Criança Segura, 5.324 crianças morreram no Brasil vítimas de acidentes, o equivalente a uma Boate Kiss a cada 16 dias, e não me lembro de nenhuma repercussão. Toda organização com mais de 19 pessoas deve possuir uma Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (Cipa). Os governos federal, estaduais e municipais têm esparsas atividades de prevenção. Necessitamos de um órgão coordenador de um sistema de prevenção em nível nacional abrangente com a finalidade de cobrir todas as áreas. O assunto deve ser incluído em todos os currículos escolares, seja no ensino fundamental, seja no ensino profissionalizante. As pessoas têm de distinguir entre um local seguro e um sem segurança.

Alfredo Muradas Dapena

alfredomdapena@gmail.com

Rio de Janeiro

*

‘GUERRA DO PACÍFICO’

Cumprimento a Corte Internacional de Justiça (CIJ) pela decisão sobre os limites marítimos de Chile e Peru, resolvendo uma pendência histórica entre os dois vizinhos e ampliando o mar territorial do Peru. Na chamada "Guerra do Pacífico", no século 19, o Chile conquistou e anexou inúmeros territórios de Peru e Bolívia. Arica, Antofagasta e outras cidades que hoje são território chileno, eram antes da guerra de Peru e Bolívia. Agora, espera-se que a CIJ decida também o conflito entre Chile e Bolívia e devolva aos bolivianos a sua saída para o Oceano Pacífico, algo mais do que justo e que precisa ser corrigido e reparado.

Renato Khair

renatokhair@uol.com.br

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.