Fórum dos Leitores

UCRÂNIA

O Estado de S.Paulo

05 Março 2014 | 02h07

Pobre humanidade

Enquanto o Brasil vivia o carnaval e a ansiedade pelo resultado dos desfiles e os EUA e boa parte do mundo ocidental curtiam o Oscar, na fria Ucrânia uma grave ameaça pairava, e continua a pairar, sobre a cabeça dos ucranianos - e do mundo. Mais uma vez, por interesses econômicos, geográficos e até culturais, um "dono do mundo" e uma nação poderosa ameaçam outra mais fraca e nova guerra fratricida se aproxima. Até quando esses déspotas acreditarão que a violência e cultivar o ódio entre vizinhos são o melhor caminho?

LUIZ NUSBAUM

lnusbaum@uol.com.br

São Paulo

País do carnaval

Nada contra o reinado de Momo, porém seu império sobre nossas redes sociais e a consciência nacional por uma semana, como se o mundo não se encontrasse em iminente incandescência, sob a probabilidade não simplesmente de uma nova Guerra da Crimeia (1854-1856), mas de conflito muito maior, entre Rússia, Ucrânia e nações ocidentais, é de uma leviandade insuportável. Causa mais espécie ainda ver integrantes do nosso governo, parlamentares e autoridades públicas preocupados em fincar votos na plantação multicolorida das sensualidades, em meio a uma crise de tamanha proporção. Quando conveio, o guru Luiz Inácio e o delirante secretário de Relações Internacionais, Marco Aurélio Garcia, deixaram-se fotografar a bordo de um avião a caminho do Irã para encontro com seu amigo Ahmadinejad e redentora salvação do mundo, num dos mais ridículos episódios da nossa diplomacia.

AMADEU R. GARRIDO DE PAULA

amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo

Risco para a Rússia

Se o mundo corre o risco de um conflito com o complexo caso da Ucrânia, a Rússia, que tem uma economia altamente dependente da extração de petróleo e gás, pode tornar-se uma Venezuela se seu soberbo presidente, Vladimir Putin, exagerar na dose e invadir de vez o país vizinho, ocupando principalmente a região da Crimeia. Neste caso, Putin pode ficar isolado pelo Ocidente e chorar suas mágoas ao lado de amigos da mesma estirpe, como os líderes do Irã, da arrasada Síria e de outros governos insignificantes que hoje procura ajudar enquanto não lhe faltar mercado para o seu óleo. Um frustrado exemplar da mais do que fracassada, e já enterrada, ditadura da antiga União Soviética, Putin, no seu delírio, sonha em ser um ator importante nos destinos da política mundial. Mas seus dias de tão sonhado protagonismo político podem estar contados se ele "peitar" os EUA e destacados países europeus. O que aceleraria um conflito indesejável para o mundo, tanto diplomático como até armado, e de grandes proporções. Oxalá não seja tarde para aplicar um duro corretivo no irresponsável presidente russo. Quem sabe, assim, se abra um caminho novo e próspero para pôr fim ao drama ucraniano - e também à guerra civil síria, na qual Putin tanto interfere a favor do déspota Bashar Assad, impedindo que cesse o sofrimento de milhares de cidadãos sírios. E um alerta ao omisso governo brasileiro, que cada vez mais se afasta das grandes potências democráticas por ter uma visão diplomática retrógrada e nos indigna por não condenar o governo Maduro, da Venezuela, nem, objetivamente, a carnificina na Síria: urge assumir posição clara quanto à invasão da Ucrânia.

PAULO PANOSSIAN

paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

Recado claro

Putin ainda considera quintal da Rússia todos os países da extinta União Soviética. E deixa isso bem claro: manda quem pode, obedece quem quer ficar vivo. As possíveis sanções, como a exclusão do G-8 e o bloqueio de contas no exterior, só aumentarão o sofrimento dos ucranianos, que sabem que nada podem fazer contra o Exército russo. Putin é um ditador legalizado por eleições em que a possibilidade de escolha é só uma e qualquer candidato que possa ameaçar sua vitória é convidado a tomar um chá, com polônio...

LUIZ RESS ERDEI

gzero@zipmail.com.br

Osasco

QUADRILHA

Crime individual

Ao reverter a decisão original da Corte, o Supremo Tribunal Federal (STF) decretou que os mensaleiros não cometeram crime de formação de quadrilha. Agiram, então, segundo a decisão do STF, por iniciativa individual, como criminosos avulsos: entraram no Congresso um por um e corromperam os parlamentares com dinheiro público para que votassem sempre com o governo. E quem estiver contra essa tese estará contra as provas contidas nos autos. Será?

ARCANGELO SFORCIN FILHO

arcangelosforcin@gmail.com

São Paulo

Inconsistência

Absolutamente inconsistente a argumentação de alguns ministros de que não ficou caracterizada a formação de quadrilha. O esquema sofisticado de organização, se não era quadrilha, o que era? Ação entre amigos?

LUCIANO HARARY

lharary@hotmail.com

São Paulo

Jurisprudência

Com a absolvição dos réus do mensalão pelo STF, a única coisa boa que restou é que se criou nova jurisprudência sobre o crime de formação de quadrilha.

ARNALDO LUIZ DE OLIVEIRA FILHO

arluolf@hotmail.com

Itapeva

Novo conceito

Para que o Supremo condene por formação de quadrilha, esta precisa ter sede, CNPJ, telefone para contato, site na internet e declarar Imposto de Renda.

PAULO MARCOS GOMES LUSTOZA

pmlustoz@gmail.com

Rio de Janeiro

Na era virtual

Só faltou mesmo o tribunal exigir, como prova, o registro em cartório da escritura de formação da quadrilha. S. Exas. parecem não vislumbrar que os membros das quadrilhas do mundo de hoje nem sequer precisam se conhecer pessoalmente, muito menos reunir-se fisicamente. Eles se reúnem e planejam por meios virtuais, sem deixar rastros ou provas materiais da existência da quadrilha.

ARY NISENBAUM

aryn@uol.com.br

São Paulo

Releitura

O aspecto coerente dessa incoerente mudança de rumos da maioria do STF foi retirar o título de "chefe da quadrilha" de quem o ostentava. O chefe continua impune, disse que "não sabia de nada" e lembra o filme dos anos 1970 Investigação Sobre um Cidadão Acima de Qualquer Suspeita!

JOÃO PAULO MENDES PARREIRA

jpmparreira@hotmail.com

São Caetano do Sul

__________________________

 

CONTRASTES

É triste ver Maurren Maggi, atleta consagrada, campeã olímpica em Pequim-2008 no salto em distância, apelar para uma "vaquinha" na internet para arrecadar dinheiro para voltar a treinar. Com certeza, não será fácil conseguir a quantia pleiteada, ao passo que presidiários petistas, no único jogo em que são especialistas ("rouba-monte"), em poucos dias arrecadaram R$ 3 milhões, patrocinados pelos amigos do ilícito. Sem patrocínio, a atleta necessita de R$ 100 mil, aproximadamente R$ 1,8 mil por mês, até a Olimpíada do Rio de Janeiro em 2016, quando poderá nos presentear com mais uma medalha de ouro. Que tal se a Caixa Econômica Federal (CEF), que tem patrocinado times de futebol com contratos milionários e, ultimamente, até evento ligado à baderna do Movimento dos Sem-Terra (R$ 200 mil) - além do Bolsa Atleta e do programa Heróis Olímpicos, que não devem ser lá essas coisas -, adotasse essa atleta, que já deu mostras de sua competência? É uma merreca diante de vultosos patrocínios.

Sérgio Dafré sergio_dafre@hotmail.com

Jundiaí

*

VALORES

Enquanto empresas gastam R$ 26 milhões para patrocinar esta aberração chamada "BBB", Maurren Maggi, nossa atleta de ouro, faz vaquinha virtual para treinar.

Sylvio Gomide sylvio.gomide@weducation.com.br

São Paulo

*

VAQUINHA

Coitada da Maurren, com certeza não deverá conseguir arrecadar os R$ 100 mil necessários para seu treinamento. Se fosse para os mensaleiros, com certeza conseguiria, sem o mínimo esforço. Pobre Brasil!

Laert Pinto Barbosa laert_barbosa@globo.com

São Paulo

*

QUINTA-FEIRA DE CINZAS

27/2/2014, mensaleiros são inocentados do crime de formação de quadrilha. Quinta-feira de cinzas no Supremo Tribunal Federal (STF).

J. S. Decol decoljs@globo.com

São Paulo

*

FIM VERGONHOSO NO STF

Para quem acompanhou desde o princípio o julgamento do processo apelidado "mensalão" e acreditava que finalmente se fazia justiça no País, foi uma decepção ímpar a sessão em que foram absolvidos José Dirceu, Delúbio Soares e outros por formação de quadrilha. Mas esperar o que de um País cujos donos são José Sarney e Lula, que fazem, desfazem e continuam apoiados por uma maioria da população que mal sabe ler e assinar o próprio nome? O resultado está aí! Não duvido de que, amanhã, depois de anulado o termo "quadrilheiros", aplicado aos citados réus, estes entrem com novos recursos para serem inocentados de todo o resto, afinal os últimos ministros nomeados e suas votações indicam essa possibilidade.

Laércio Zanini arsene@uol.com.br

Garça

*

MISSÃO CUMPRIDA

Muito mais temerário do que a absolvição por formação de quadrilha é mostrar a que vieram. Os novos ministros revelaram o motivo pelo qual foram escolhidos, ou seja, servir ao Executivo. A primeira tarefa a eles atribuída foi fielmente cumprida. Com certeza, outras virão e provavelmente cumpridas serão.

Marisa Cardamone mcardam@terra.com.br

São Paulo

*

MANCHA INDELÉVEL

Seis covardes ministros do STF mancharam, indelevelmente, a beleza da Justiça.

Lourdes Migliavacca lourdesmigliavacca@yahoo.com

São Paulo

*

VERGONHA

Será que estes juízes que votaram pela redução das penas desses facínoras vivem sossegados? Quando chegam em casa, não sentem vergonha de olhar para a companheira (o)? Eles conseguem dormir direito? Não sentem vergonha do ato praticado? Eu não gostaria de estar na pele deles, pois, fazendo tamanha falcatrua, não poderia viver.

Agostinho Locci legustan@gmail.com

São Paulo

*

O STF BOLIVARIANIZOU

Parafraseando o senhor Luis Roberto Barroso, não é "um ponto fora da curva", são seis, se podemos considerá-los ministros. Acho que estes senhores e senhoras devem ser aplaudidos em todos os recintos populares por que transitarem. Isso que considero um desserviço.

Ferdinando Perrella fperrella@hotmail.com

São Paulo

*

SEM ENTENDER

Não seriam quatro ou mais de quatro bandidos que caracterizam uma quadrilha? Se 25 mensaleiros já estão na cadeia pelo mesmo crime, não estariam sobrando bandidos?

Arnaldo de Almeida Dotoli arnaldodotoli@hotmail.com

São Paulo

*

GOSTO AMARGO

Julgamento do STF melado deixa gosto amargo.

Roberto Twiaschor rtwiaschor@uol.com.br

São Paulo

*

AVISO GERAL

A quem possa interessar, um aviso importante, principalmente para os políticos desonestos: já que não há quadrilha, também não há chefe. Alguém safou-se! Quem sabe algum dia, tal como Capone, seja pego por não pagar impostos, já que por outros crimes mais graves, como costumeiramente se diz, "não há provas".

Alvaro Salvi alvarosalvi@hotmail.com

Santo André

*

DON CHICOTE

Não poderia deixar de ser a presença do Cavaleiro da Triste Figura, Márcio Thomaz Bastos, defensor só de transgressores de alto quilate, que pagam os tubos para se livrar de suas penas. Certamente, ele irá tentar com "todas as forças" livrar os bandidos mensaleiros de qualquer acusação, a custo de ouro.

Conrado de Paulo conrado.paulo@uol.com.br

Bragança Paulista

*

DERROTA PARTILHADA

A nossa grande decepção com o resultado da votação pelo STF dos embargos infringentes de alguns dos mensaleiros precisamos dividir com o digníssimo decano ministro Celso de Mello. Ele estava com todas as nossas esperanças nas mãos se interpretasse o que reza a Constituição em relação aos embargos e votasse contra a possibilidade da efetivação da aplicação dos malditos "infringentes". Não carregaremos esse escárnio sozinhos, dividimos, data vênia, com o ministro decano nossa ultrajante derrota.

Leila E. Leitão

São Paulo

*

CONVÉM NÃO ESQUECER

O ministro Celso de Mello, com seu voto favorável aos embargos infringentes, foi o principal responsável pela enorme decepção que se abateu sobre os brasileiros de bem na última semana. É bem verdade que ele não votou sozinho naquela sessão, mas o seu voto era o mais aguardado e o que concentrava a maior esperança da imensa maioria dos que acompanhavam aquela votação. A decepção que sentimos tem cargo, nome e sobrenome: ministro Celso de Mello.

Maurício Rodrigues de Souza mauriciorodsouza@globo.com

São Paulo

*

UM MINISTRO, DOIS VOTOS

Prezado ministro Celso de Mello, perdoe-me, mas soa inconsistente a catilinária desfechada em 27/2, por V. Exª, contra mensaleiros e seus advogados, ao votar pela condenação dos réus pelo crime de formação de quadrilha. Tal votação, que envergonhou o Brasil, só ocorreu porque esse mesmo STF, em setembro, pelo mesmíssimo placar de 6 x 5, votou a favor da aplicação dos embargos infringentes, instituto que de há muito deixara de existir em nosso ordenamento jurídico, como bem já demonstrara a ex-presidente desta Corte Ellen Gracie, em magistral artigo divulgado na mídia. Em 12/9/2013, a votação ficara empatada em 5 x 5; os favoráveis aos embargos eram quase os mesmos que agora absolveram os réus (Barroso, Zavascki, Toffoli, Rosa e Lewandowski), os contrários foram Barbosa, Marco Aurélio, Gilmar, Fux e Carmen Lúcia, que, supreendentemente, mudou de lado. Depois de um suspense de seis dias, a sessão foi desempatada, em 18/9/2013, precisamente com o voto de V. Exª a favor dos embargos! Tinha o ministro dúvidas do que ocorreria na última semana, uma vez aceitos os embargos? Houvesse V. Exª gritado contra os mensaleiros, naquela ocasião, como gritou na semana passada, teriam eles continuado como quadrilheiros, como os classificou V. Exª em seu voto. Agora é tarde, ministro. V Exª acaba de entrar para a História do Brasil como o pai da absolvição concedida na semana passada e, pior ainda, da abertura de brecha jurídica para a revisão criminal, que com certeza virá - e V. Exª duvida? - e culminará com a anulação do processo.

Gil Cordeiro Dias Ferreira gil.ferreira@globo.com

Rio de Janeiro

*

PORTAS ABERTAS

V. Exª, com toda a sua verborragia jurídica votando a favor dos embargos infringentes, contra a vontade da opinião pública, abriu o caminho para esta quadrilha que se apossou do Supremo Tribunal Federal votar contra o crime de formação de quadrilha e a iminente liberdade dos bandidos José Dirceu, José Genoino e Delúbio Soares. E agora, ministro?

Aurélio Batista Paiva aureliobpaiva@gmail.com

Brasília

*

SETEMBRO

É verdade que o Supremo Tribunal Federal, em face da posição previamente conhecida dos novatos Teori e Barroso, decepcionou a população séria, honesta e trabalhadora deste nosso amado e triste Brasil. Grande parte da população vê impotente a dilapidação moral, ética e social imposta pela quadrilha petista que está no poder, pelo voto, popular, é certo, mas comprado dos menos favorecidos econômica e intelectualmente. Mas não nos esqueçamos de que isso foi possível graças ao voto do ministro Celso de Mello, dado no dia 18 de setembro de 2013, que admitiu a validade dos infringentes. A propósito, setembro tem sido um mês de grandes efemérides negativas para vários países: Setembro Negro em Munique, por ocasião dos Jogos Olímpicos na década de 70; depois 11 de setembro nos EUA; e agora o 18 de setembro no Brasil. Mas, para ambos o povo, deu resposta. Israel cassou os terrorista pelo mundo e deu cabo deles. Bin Laden recebeu punição exemplar. E no Brasil? Tudo ficará como dantes no quartel de Abrantes. O povo brasileiro precisar acordar, tomar as ruas e exigir a renúncia desses bandidos petistas, que aos poucos estão dominando todos os Poderes da República, para escravizar os brasileiros no melhor estilo cubano. Veja o exemplo da Venezuela. Acorda, Brasil!

Carlos B. Pereira da Silva advcpereira@ig.com.br

Rio Claro

*

O SUPREMO APARELHADO

STF: 6 X 5 pro réus. Tá tudo dominado, mano!

Ary Nelson Rabello ary.cecilia@hotmail.com

São Paulo

*

ENTENDIMENTO

Quando há absolvição de corruptos, entende-se que os julgadores são os corruptores.

Antonio Carniato Filho antoniocarniato@gmail.com

Santa Rita do Passa Quatro

*

CEGUEIRA VOLUNTÁRIA

Para o STF, quando as pessoas são puras, as leis são desnecessárias; mas, quando são corruptas, as leis são inúteis. E assim caminha a humanidade, com a cegueira voluntária da Corte.

Nilson Soares da Silva nilson.ssilva@uol.com.br

Conchas

*

A CRISE NO STF

Já faz um bom tempo que vivemos sob o impacto de denúncias sobre os malfeitos cometidos por políticos e administradores públicos. Tivemos no mensalão o resgate do bordão "a justiça tarda, mas não falha". Queiram ou não, os mensaleiros são diferentes dos demais sentenciados. Agora, com nova composição, o STF volta atrás e alivia oito dos condenados do crime de formação de quadrilha. Não nos cabe emitir juízo de valores sobre o que pensam e fazem os ministros, embora soe esquisito que uma mesma corte tenha dois posicionamentos distintos com tão pouco tempo de intervalo. Os dois julgamentos teriam ou não sofrido a ação de componentes externos aos autos e ao próprio tribunal? Se isso ocorreu, o quê seria o correto, a decisão de antes ou a de agora? É preocupante ver a mais alta corte de justiça colocada como alvo de dúvidas e imperfeições. Até porque é para lá que vão, para deslinde, todas as dúvidas e discussões que a sociedade não consegue resolver por seus próprios meios. É a segurança jurídica colocada em dúvida. Oxalá o STF consiga, logo, superar a crise.

Dirceu Cardoso Gonçalves aspomilpm@terra.com.br

São Paulo

*

PIZZARIA

Como todos nós sabemos, as maiores e melhores pizzarias do Brasil estão em Brasília. Lá, os chefs em algumas ocasiões se revezam, vestem uma roupa especial para as grandes efemérides, dando-lhes um colorido e sabor especial às pizzas, e os pedaços são generosos, bem recheados e muito difundidos. Houve um pequeno recesso para que pudessem reformar e dar novos ares às instalações, pois teremos a Copa do Mundo e, a seguir, eleições, e novos tipos de pizza com toda certeza serão criados, pois como já é de conhecimento geral, no final de novembro, o chef de que ninguém gosta, pois é partidário dos bons costumes, pode sair da chefia da pizzaria e então virá um sr. Ricardo Levan... alguma coisa... dowski qualquer, que adora preparar novos e apetitosos tipos de pizza. E contará com garçons de última geração. Infelizmente, este é o Brasil que gostaríamos que não existisse, porém os políticos de forma geral, principalmente os do PT, não deixam. Nunca se roubou tanto neste país, enquanto a classe operária, bem, deixa prá lá.

José Fernandez Rodriguez cholo@terra.com.br

Santos

*

QUADRILHA NÃO, LARÁPIOS

Que diferença faz para nossa sociedade, que anseia há muito por ética no seio das nossas instituições, se um condenado pelo STF é chamado de chefe de quadrilha, como José Dirceu, ou simplesmente responsável por arquitetar e arregimentar um grupo de 25 pessoas, todos também e felizmente devidamente condenados? Ou seja, um bando exclusivamente formado com o único objetivo, como ocorreu no caso do mensalão, de desviar recursos públicos. E por que, então, Lula e sua turma do Palácio do Planalto festejaram a derrubada do crime de formação de quadrilha, que elevava a pena de oito dos condenados na Ação Penal 470 (três do PT) por obra e graça de seis ministros do Supremo? E, se já estão condenados e seguem presos, é porque literalmente são criminosos perante a Justiça brasileira. Quer dizer que, então, para estes membros do PT, encabeçados por Lula, o ato de cometer crimes desviando recursos dos contribuintes é legal, mas alcunhar seus camaradas de terem formado uma quadrilha, poxa, aí o partido se sente ofendido? Que moral é esta?

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.coam

São Carlos

*

QUADRILHAS

Houve, sim, e ninguém há de negar (a não ser, obviamente, os próprios), formação de uma quadrilha de seis indivíduos, dentro do STF! E também outra quadrilha fora - na verdade, desta última não se sabe bem quantos são os componentes. E isso é inegável, mesmo porque uma não sobreviveria sem a outra. E é justamente por causa dessa obviedade despudorada - tanto quanto despudorado é este governo dos petralhas - que pergunto, peito aberto e em alta voz: os leitores já viram lobo comer lobo?

João Guilherme Ortolan guiortolan@hotmail.com

Bauru

*

RAMIFICAÇÕES

A quadrilha do mensalão é bem maior e tem mais ramificações do que eu estava pensando. Vou ser vizinha de Joaquim Barbosa em Miami.

Iria de Sá Dodde iriadodde@hotmail.com

Rio de Janeiro

*

OS CAMINHOS DA JUSTIÇA

Nosso Supremo Tribunal Federal deu um show de incompetência. Conseguiu pôr por terra tanto tempo e tantos neurônios de tanta gente apresentando todos os tortuosos caminhos da Justiça, que levaram para o precipício do suicídio da competência. Como podem ter a cara de pau de deixar todos os brasileiros perplexos com uma sentença, mais simples e clara como o dia, de que todos já condenados por uma pilha de fatos agora são abençoados com estes embargos embrulhatórios? Cansei, é uma pirotecnia da incompetência. O sr. Joaquim Barbosa deveria se retirar e ir fazer outra coisa da vida, ele não tem espaço neste caldeirão de cobras.

João Braulio Junqueira Netto jonjunq@gmail.com

São Paulo

*

MELANCÓLICO FIM DA DEMOCRACIA

Estando os Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário entregues vergonhosamente ao PT, só nos resta rezar para o papa ou torcer para que haja um segundo Roberto Jefferson para nos salvar.

Geraldo de Paula e Silva geraldodepaula@ibest.com.br

Teresópolis (RJ)

*

OS TRÊS PODERES

A independência dos Três Poderes é uma grande falácia inserida na Carta Magna da República. Essa afirmação é facilmente constatada pelos fatos recentemente ocorridos na última fase do mensalão do PT. O ministro Barroso, bem como Zavascki, foram indicados pela presidente Dilma sob a suspeita de terem sido indicados para livrarem a pena da condenação de formação de quadrilha de seus colegas de partido, José Dirceu, Delúbio Soares e José Genoino. Enquanto o Poder Executivo for incumbido de indicar os membros do Supremo Tribunal Federal, não haverá independência entre os poderes. Da mesma forma, enquanto houver o "toma lá, da cá" entre os Poderes Executivo e Legislativo, ocorrerá o mesmo sistema da "dívida do favor". Sob minha ótica, os juízes do STF deveriam ser eleitos por voto da comunidade jurídica, sob um critério que passasse muito longe da questão política e ideológica, centrado num critério apolítico e fazendo juz à venda posta nos olhos do monumento colocado à frente da praça do STF, de uma mulher que representa a Justiça.

Mário Negrão Borgonovi marionegrao.borgonovi@gmail.com

Rio de Janeiro

*

STF

Até que se prove o contrário, a única coisa séria no Brasil é o jogo do bicho.

Angelo Antonio Maglio angelomaglio@terra.com.br

Cotia

*

COPA DA IMPUNIDADE

Após o carnaval, vamos cuidar exclusivamente da Copa (da impunidade). A seleção já está escalada: 11 senadores e 6 ministros, será a Copa das Copas.

Wilson Lino wiolino@yahoo.com.br

São Paulo

*

PLANOS ECONÔMICOS

O Supremo Tribunal Federal (STF) deve adiar novamente o julgamento dos planos econômicos. Acredito que devemos perder nossas esperanças em reaver essa apropriação indevida, ou seja, o sequestro de nosso dinheiro por um malfeito e desonesto Plano Collor. Diante da queda da máscara da maioria dos ministros do STF, que foram manipulados e ordenados pelo atual governo para beneficiar os marginais do mensalão, não os condenando por formação de quadrilha, qual será nossa mal e porca chance?

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

OS CULPADOS SARNEY E COLLOR

Preocupa o governo o julgamento no STF das perdas das cadernetas de poupança provocadas pelos mirabolantes planos econômicos (Collor, Collor I, Planos Verão, Plano Bresser, etc.). Há o temor de que o sistema financeiro fique abalado em caso de reposição das perdas. Eu acho que os bancos não fizeram nada mais, nada menos do que cumprir as regras dos planos econômicos. Se há perdas, é porque assim determinavam os planos. Os bancos não aplicaram as correções que lhes convinham. Os responsáveis por esses planos econômicos, senadores José Sarney e Fernando Collor, presidentes à época, é que têm de ser responsabilizados. Em vez disso, eles estão lá, no Senado, ditando regras. Deveriam ser julgados pelas perdas que provocaram aos poupadores e irem para a cadeia.

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

*

QUE SE FAÇA JUSTIÇA

Passado 1/4 de século nos deparamos com a notícia de que a Corte máxima de nossa Justiça poderá adiar mais uma vez o julgamento dos chamados expurgos dos planos econômicos nas cadernetas de poupança. O último adiamento, ocorrido em dezembro, foi sugerido a pedido do ministro Marco Aurélio Mello, em razão das férias do Poder Judiciário. Desta feita, a Corte poderá atender às demandas feitas pelo Banco Central (BC), e que já conseguiram no passado postergar por anos o acontecido. Afinal, sendo órgão de defesa de interesses institucionais, e, por conseguinte, da Nação, como pode o BC tomar partido numa pendenga jurídica? Qual o interesse, sem que seja o de estar a serviço do clientelismo? Bem se sabe que os números que apresentaram de um choque na economia, caso os poupadores vençam, de R$ 150 bilhões, é um espalhafato grotesco, já desmentido pelo Credit Suisse, que avaliou, tal qual o Ministério Público Federal, em no máximo R$ 26 bilhões. Assim como, se vencedores, tais poupadores reinvestirão tais recursos na economia, que está imersa nos bancos, os mais rentáveis do mundo e geridos pela maior e mais facilitada agiotagem constituída que existe. À Suprema Corte, se adiar o julgamento, fará uma macabra concessão, tal qual ainda não expurgar de plenário os hipócritas que visam a construir uma pretensa realidade onde o terror quer formar um juízo que forje a justiça aos moldes de interesses espúrios. A imensa maioria dos lesados e que entraram com ações, quase 400 mil famílias, se constitui de pessoas idosas que aguardam, como já colocado por 25 anos. Certamente, durante todo esse tempo, milhares e milhares de casos já foram julgados e na imensa maioria deles os bancos foram condenados, dezenas de milhares de perícias e pareceres foram anexados a processos transitados. Surge agora a alegação de que necessário se faz suspender o processo para maiores análise. Ora, trata-se no mínimo de um acintoso descalabro moral contra a sociedade.

Oswaldo Colombo Filho colomboconsult@gmail.com

São Paulo

*

COPA DO MUNDO 2014

A Copa do Mundo de futebol, quer queiram ou não, pode entrar para a História. é o que a grande maioria dos brasileiros imagina. Como não bastasse o desperdício de valores aplicados "a fundo perdido", os estádios como exemplo, a Polícia Federal (PF) adquiriu 36 (trinta e seis) veículos blindados (nível A3), modelo Mitsubishi Pajero Full, por R$ 8,8 milhões. Os veículos adquiridos serão utilizados na segurança de autoridades estrangeiras e nacionais. Se "eles" se protegem, é porque já estão prevendo desordens e confusões de toda espécie. Mas não ficaram apenas nos veículos, foram investidos mais de R$ 400 milhões, dos quais R$ 90 milhões estritamente em equipamentos e capacitação para grandes eventos como a Copa. Precisa mais? Se toda essa parafernália bélica vir a ser útil em defesa dos cidadãos, menos mal. Saibam que a PF já possui duas unidades de Vant (Veículo Aéreo Não Tripulado), donde se conclui que "eles" estarão mais seguros do que nós. Quem ficar em casa, com certeza, vai assistir a tudo com maior segurança. Para não lamentarmos, durante e depois. Que venha o "hexa"!

Luiz Dias lfd.silva@2me.com.br

São Paulo

*

O LEGADO DO MUNDIAL

Quando começaram a questionar os gastos com a construção e reforma de estádios para a Copa no Brasil, as autoridades, leia-se turma do PT capitaneada pelo seu líder mor, Lula, justificaram com grande veemência que "ficaria um grande legado para o povo brasileiro, como transporte de Primeiro Mundo e estádios maravilhosos", entre outros benefícios. Dia 27/2, tivemos a partida de futebol pelo campeonato brasiliense entre as equipes do Legião e Atlético Ceilandense, no estádio Mané Garrincha, que custou R$ 1 bilhão. Público pagante: 9 (nove) torcedores. Quanto ao transporte de Primeiro Mundo, só se formos viajar para ele, agora os estádios estão aí para o desfrute de 9 testemunhas. Até quando o povo brasileiro vai ficar nessa letargia diante do péssimo uso dos recursos oriundos dos impostos escorchantes a que é submetido?

Gattaz Ganem gattaz@globo.com

Carapicuíba

*

PADRÃO FIFA

Temporal assolou Belo Horizonte na tarde de sábado e comprometeu parte da cobertura do estádio mineiro da Copa, tudo construído padrão Fifa (risos).

José Roberto Palma palmapai@ig.com.br

São Paulo

*

AMISTOSO QUE NÃO CONTRIBUI EM NADA

Pasmem, faltando apenas cem dias para o início da Copa do Mundo, não consigo entender como é que uma seleção de futebol que almeja a taça da Copa do Mundo marca amistosos com times bem inferiores. Ainda mais quando tal seleção já levantou o caneco cinco vezes e tem diversos jogadores à escolha. Atletas que já estiveram entre os melhores do mundo, como Kaká e Ronaldinho Gaúcho, e que atualmente encantam no futebol nacional. Neste caso, estou falando do Brasil. Não quero com isso desmerecer nenhuma das outras equipes a que referi como menores. Porém, acho que as disputas preparatórias para qualquer mundial deveriam ser feitas entre, no mínimo, seleções do mesmo nível. Quem não gostaria de medir forças com a seleção que vai sediar o evento em junho? Afinal, na "hora H", quando vemos os times perfilados disputando a taça, grandes nomes correndo atrás da bola, a coisa muda. Então é que podemos ver que realmente todo o treino diante dos "fracos" não valeu de nada. Quer marcar um amistoso que vai contribuir muito para nossa seleção? Então marque contra Portugal, Itália, Alemanha, Inglaterra, França, Holanda, Uruguai. Enfim, grandes times que, de fato, vão fazer nossos craques suarem a camisa e treinar. Nada contra os demais, mas não acho que um jogo contra África do Sul, por exemplo, seja uma boa opção para nossos gênios da bola. Só espero que, em junho, não tenhamos mais uma frustração. Que venha o hexa!

Turíbio Liberatto turibioliberatto@hotmail.com

São Caetano do Sul

*

A COPA EM PERIGO

Uma guerra na Crimeia com invasão russa pode provocar um boicote de vários países à Copa do Mundo no Brasil? A equipe russa jogará a Copa? A Fifa vai manter a Copa e manter a Rússia? A Copa do Mundo poderia ser cancelada, como em 1942 e 1946?

Luiz Roberto Da Costa Jr. lrcostajr@uol.com.br

Campinas

*

CAMPANHA DA FRATERNIDADE 2014

A Campanha da Fraternidade de 2014 versa sobre o tráfico de pessoas. Na verdade, o abuso na dominação entre povos é antigo. A escravidão é um tráfico em que a exploração é bem visível. A prostituição é outro abuso que pode usar as pessoas em sua intimidade tão sagrada. O trabalho infantil pode ser o abuso de um tempo inocente para um trabalho que impeça o estudo e o crescimento psicológico integral. O tráfico de pessoas requer condicionamentos que impeçam a liberdade das pessoas. A Campanha da Fraternidade deste ano quer dizer que nós somos livres para escolher entre o bem e o mal. Ninguém é de ninguém! Deus nos deu o livre arbítrio!

Paulo Roberto Girão Lessa paulinhogirao@gmail.com

Fortaleza

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.