Fórum dos Leitores

'VOLTA, LULA'

O Estado de S.Paulo

01 Maio 2014 | 02h09

Juras perigosas

A presidente Dilma Rousseff disse a jornalistas esportivos que não se preocupa com o coro de "volta, Lula" e afirmou: "Isso não me pega". "Ninguém vai me separar do Lula nem ele vai se separar de mim." Olho vivo, presidente, pois, para quem renegou três companheiros de luta - José Dirceu, José Genoino e Delúbio Soares, tripé de sustentação do governo de seu padrinho e guru -, não custa nada mandar mais um para os leões.

SÉRGIO DAFRÉ

sergio_dafre@hotmail.com

Jundiaí

Gosto pelo poder

Apesar do mise en scène de negar que quer voltar à Presidência, Lula da Silva deve estar doidinho da Silva para que o povo exija seu retorno. Mas que ele não pense que Dilma vai entregar de mão beijada. Pelo que já vimos e ouvimos, de gerentona ela não tem nada, mas que está gostando do poder isso ela está.

GILBERTO DIB

gilberto@dib.com.br

São Paulo

O infiel

Quanta ingenuidade de dona Dilma afirmar que ninguém irá separá-la de Lula. Irá, sim, ele mesmo, o mestre ilusionista capaz de fazer desaparecer num sopro, tal qual o lobo mau dos Três Porquinhos, a antiquíssima ligação com Dirceu e Genoino: "Não se trata de gente da minha confiança". E ele já se separou dela quando, questionado pela jornalista portuguesa sobre popularidades - em referência à queda de Dilma nas pesquisas e à manutenção da popularidade lulista -, saiu-se com esta: "O povo é mais esperto do que algumas pessoas imaginam". Então, se dona Dilma tem olhos de ler e de ouvir, deve ter notado essa referência à "esperteza" do povo brasileiro em preferi-lo a ela. Pobre Dilma, mais uma cumpanhera jogada à própria sorte. Alguém ainda acredita em Lula da Silva, além de Dilma Rousseff?

ELIANA FRANÇA LEME

efleme@terra.com.br

São Paulo

Oremos!

Entrei para o coro dos que bradam "volta, Lula". Volta, para acabares de vez com um Judiciário que desprezas. Volta e tragas contigo a cumpanherada que aguarda, ansiosa, nova oportunidade de poder. Volta, extingas os poderes constitucionais e lança teu manifesto de mando, provando que podes governar só pela lábia e pelo compadrio, no que és mestre. Volta, que os mensaleiros estão à espreita pela boquinha que hoje lhes falta. Volta, para a felicidade dos aproveitadores de ocasião e infelicidade dos que lutam, trabalham e torcem por um Brasil melhor. Mas que Deus não permita que retornes!

RUTH DE S. LIMA E HELLMEISTER

rutellme@terra.com.br

São Paulo

Mal combinado

A definição da candidatura de Lula seria um ato meio desesperado do PT e do próprio Lula, diante da perda de credibilidade do atual governo. E cabe a pergunta marota sobre a aquiescência de Dilma: "Vocês combinaram com os russos?".

ALEXANDRE FORTE RODRIGUES

alex_forte@hotmail.com

São Paulo

Brasileiros espertos

Dois artigos publicados no Estadão de 30/4 (O dinheiro que compra amor e acoberta preconceito, de Frank Bruni, página A12, e Como se sentir otário, de Antero Greco, página A24) são complementares ao tratar de um tema polêmico: o preconceito. Frank Bruni tratou do caso dos comentários racistas do dono do time de basquete americano Los Angeles Clippers, Donald Sterling, que estava prestes a receber de uma associação americana um prêmio justamente por sua atuação antirracismo. Antero Greco, por sua vez, comentou a repercussão ao gesto do jogador de futebol Daniel Alves, que comeu a banana arremessada no campo por um torcedor durante uma partida do Barcelona. Greco elogia a atitude do jogador, mas confessa que se sentiu um "otário" ao saber que o episódio deu início a uma peça de marketing bolada pelo jogador Neymar e revelada por um agente publicitário. E já tem gente lucrando financeiramente com a campanha - que ganhou a adesão de centenas de outras personalidades. Assim como Greco, dou-me o direito de interpretar o episódio como um ato de "esperteza" de brasileiros notórios, como o ex-presidente Lula, que disse a uma TV portuguesa que o povo brasileiro é mais esperto do que algumas pessoas imaginam. Sim, somos todos "macacos", mas espertos.

JOSÉ ROBERTO DE JESUS

zerobertodejesus@gmail.com

Capão Bonito

Somos bananas

Além de "macacos", somos todos bananas em aceitar a corrupção que impera neste governo. É necessário, por exemplo, que governo e Polícia Federal avaliem melhor a conduta do ex-ministro Alexandre Padilha quanto ao seu envolvimento com o laboratório Labogen, do doleiro Alberto Youssef. E como pode um ex-presidente da República denegrir a imagem do Supremo por causa do julgamento do mensalão? E a corrupção que impera na Petrobrás, como mostrou a aquisição da refinaria de Pasadena? Somos, mesmo, bananas.

JOÃO KONDOR NETO

silviakondor@hotmail.com

São Paulo

Prejuízo revertido

Agora a compra da refinaria de Pasadena não foi tão mau negócio assim. "As perdas podem ser revertidas", disse a presidente da Petrobrás em audiência na Câmara dos Deputados. Pelo jeito, e sabe Deus por que, Graça Foster afinou seu discurso com o do ex-diretor da estatal Nestor Cerveró. Neste caso, Graça põe Dilma Rousseff numa bela saia-justa, porque a defesa da presidente é justamente dizer que não teria autorizado a compra se o relatório que recebeu em 2006 - de autoria de Cerveró - não fosse "técnica e juridicamente falho". Será que Graça também aderiu ao "volta, Lula"?

PAULO PANOSSIAN

paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

1º DE MAIO

Imposto Sindical

Quando era sindicalista, Lula da Silva pregava a extinção do Imposto Sindical compulsório - equivalente ao salário de um dia por ano do trabalhador formal -, chamando-o de "herança maldita de Vargas". Mas, ao assumir a Presidência, deixou de lado a pregação e isentou as contas das entidades sindicais de fiscalização pelo Tribunal de Contas da União. Nos países mais desenvolvidos, sindicatos e associações de trabalhadores são independentes e o trabalhador é quem decide se filiar ou não a eles. Aqui, além de pagarmos 36% do PIB em impostos, somos obrigados a financiar uma média de quatro sindicatos de fachada por semana. Até quando a classe trabalhadora será surripiada por esses sindicatos parasitas?

EDGARD GOBBI

edgardgobbi@gmail.com

Campinas      

*

 

AMIGOS PARA SIEMPRE

Ao ler a declaração da presidente, quando questionada sobre o movimento dos setores da base, tendo à frente um deputado federal, pedindo a candidatura, e Lula em substituição à presidente, de que "ninguém vai me separar do Lula nem ele vai se separar de mim", me recordei imediatamente da composição de Andrew Lloyd Webber com o título acima, composto para a Olimpíada de 1992 e sucesso dos saudosos três tenores Luciano Pavarotti, José Carreras e Plácido Domingo. Mas eu também lembrei a recente declaração do ex-presidente sobre os réus do mensalão de que eles não são gente de sua confiança, ainda que fossem na época do ato criminoso, diferindo do que dizia durante o julgamento desses réus. A presidente, que possui uma personalidade forte, também abordou novamente o problema de Petrobrás, com a usual tática do PT de alterar o foco da questão. Afirmou também a presidente que não perde o sono por causa da crise da Petrobrás , além de ressaltar que a estatal não pode pagar por erros de funcionários. Ora, mas todos os brasileiros pensam a mesma coisa, e exatamente por isso é necessária a CPI, pois os funcionários que perpetraram tamanho absurdo devem pagar, e caro, pelo extraordinário rombo cometido contra o patrimônio da empresa, que, por ser estatal, significou um prejuízo para todos os brasileiros. E quando se fala em funcionários, obviamente estão incluídos os membros do Conselho Administrativo da empresa, que aprovaram a aquisição da refinaria ultrapassada de Pasadena. Conselho esse que tinha como presidente a então ministra Dilma Rousseff. Aliás, aprovaram de um dia para o outro, como se a decisão já havia sido tomada adrede. Nessa hipótese, quem teria determinado a funesta aquisição? Pois seria então o caso desse ente misterioso se apresentar ao distinto público.

Gilberto Pacini

benetazzos@bol.com.br

São Paulo

*

DILMA E SUA CANÇÃO BREGA

Até parece uma daquelas músicas bregas: "Ninguém vai me separar de Lula, nem ele vai se separar de mim." Isso dá morte, ou seja, morte política para ela, pois no momento oportuno, ele a obrigará renunciar a candidatura. Isso é um golpe! Mas, para sobreviver ao lulismo, e não ao PT, Lula tudo fará. Já tem a camarinha que há algum tempo vem pedindo nos bastidores, e, em campanha, o "volta, Lula". O lulismo está em seus estertores.

Agnes Eckermann

agneseck@gmail.com

Porto Feliz

*

SIAMESES

É. "Ninguém me separa do Lula nem ele de mim." Se não é "abraço de afogado", está mais para boneco ventríloquo.

A. Fernandes

standyball@hotmail.com

São Paulo

*

SEPARAÇÃO

Li no Estadão Dilma dizendo que ninguém vai separá-la do Lula. Pergunto: e quem quer isso? Ninguém quer separar o ruim do péssimo. Essas duas pessoas formam, juntas, um dos piores pares do mundo.

Agostinho

Locci legustan@gmail.com

São Paulo

*

INSEPARÁVEIS

A presidente Dilma afirma que ela e o Lula são inseparáveis. Do jeito que o PT costumeiramente faz com qualquer um que se torne inconveniente, duvido.

José Sergio

Trabbold jsergiotrabbold@hotmail.com

São Paulo

*

PÉ ATRÁS

"Ninguém vai me separar do Lula, nem ele vai se separar de mim", afirma Dilma. Dona Dilma, seria bom a senhora não se esquecer de que num passado recente José Dirceu, Delúbio Soares, João Paulo Cunha e José Genoíno também pensavam assim. Quando as águas revoltadas os arrastaram para os mares da vida, Lula da Silva nada fez para livrá-los, exceto ficar assistindo de camarote às águas arrastá-los para o presídio da Papuda.

Virgílio Melhado

Passoni mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

*

O MITO

O mito Lula tem na intuição o farol de sua ação. Vem a público com propósitos bem pensados toda vez que seus objetivos estão ameaçados. Como disse Dilma, são inseparáveis. Lula tem, assim, parcela de culpa sobre o que ocorre nos destinos da nação. Se somos bombardeados incessantemente por uma pororoca de dados econômicos negativos, aliados a uma febre persistente de inflação é por que falta competência no seu governo nesses quesitos. Às vésperas da eleição, ameaças concretas devem ser minimizadas. Aí o mito usa sua condição para confundir.

Sergio Holl Lara

jrmholl.idt@terra.com.br

Indaiatuba

*

ISAAC NEWTON

Segundo a presidente Dilma: "Ninguém me separa do Lula nem ele de mim." Ótimo. E vale lembrar a lei newtoniana de um corpo em queda livre, graças à aceleração física, causada pela força da gravidade. Isso está se provando também nas pesquisas.

Mario Cobucci Junior

maritocobucci@uol.com.br

São Paulo

*

OS IMPROPÉRIOS DE LULA

As bobagens que Lula disse aos portugueses podem ser resultado de esfacelamento de sua massa encefálica, ou estava sob o efeito de substância etílica. Uma ou outra coisa o tornam um indivíduo perigoso para a nação brasileira. Pode ser uma terceira coisa também, como decorrência do novo escândalo surgido na Petrobrás: ele pode estar querendo tirar o braço da seringa. Com relação à frase de Dilma de que "ninguém me separa de Lula, nem ele de mim", ela

está sendo crédula demais. É preciso levar em conta o que Lula disse na entrevista aos portugueses, que os presos do mensalão não são gente de sua confiança (29/4). É melhor ter um pé atrás, porque no frigir dos ovos, Lula poderá dizer que nem conhece Dilma, nunca se encontrou com ela, muito menos patrocinou a sua candidatura à Presidência.

Alvaro Salvi

alvarosalvi@hotmail.com

Santo André

*

‘LULODISMO’

Dona Dilma diz que a culpa dos malfeitos na Petrobrás são de funcionários, Lula disse as asneiras de sempre na TV portuguesa e Collor quer o que tiraram dele (mandato?). Quando será que o Brasil terá um verdadeiro estadista, e não atores de óperas bufas (com todo respeito à esses) na função de dirigir um país complexo como o Brasil?

Cesar Araújo

cesar0304araujo@gmail.com

São Paulo

*

FOI UMA BOA EXPERIÊNCIA

Podemos acabar com essa experiência em outubro, ou prorrogar por mais quatro anos. Muita gente ainda não se convenceu de que a eleição de Lula e sua turma foi apenas uma experiência que comprovou que a cultura, a educação, a competência, a ética e a moral são características básicas no comando e como exemplo de uma sociedade. Podemos não acertar de novo, mas insistir no erro é idiotice. Mais quatro anos disso que está ai, pode não ter mais volta e destruir por completo o pouco que restou da sociedade brasileira.

Victor Germano Pereira

victorgermano@uol.com.br

São Paulo

*

CUIDADO

Caro Lula, o cenário está mudando muito rapidamente. Se é que você ainda consegue controlar sua gangue, acho melhor se esforçar para que o PT se empenhe a fundo nesta eleição. Como até o "Estadão" já anunciou, basta um arranhão superficial para alguma mutreta saltar. Se o PT perder a Presidência, vai ser escarafunchado a fundo sobre o esquema tão matreiramente implantado. Vai sobrar para você.

Ulysses Fernandes Nunes Jr

Ulyssesfn@terra.com.br

São Paulo

*

LULA TEM RAZÃO

Lula está corretíssimo ao denunciar no exterior o julgamento político do mensalão. No Brasil, lamentavelmente, há uma mídia controlada 99% por uma direita rancorosa e antidemocrática. Os ministros do STF, indicados pelo governo, não pelo PT - pois lhe falta maioria no Congresso - mostraram-se acovardados diante do massacre da manipulação da opinião pública feita pelo PIG (Partido da Imprensa Golpista). Que os políticos fiquem acovardados com essa manipulação midiática ainda se entende, mas ministro do STF, com mandato vitalício, é inadmissível e uma ameaça séria à estabilidade democrática. A maior prova do julgamento político do mensalão é muito simples: que apresentem uma única prova objetiva e concreta contra José Dirceu.

Antonio Negrão de Sá

negraosa1@uol.com.br

Rio de Janeiro

*

JULGAMENTO POLÍTICO DO MENSALÃO

Lula deve ter conhecimento de causa quando diz que o julgamento do mensalão foi político. Isso porque deve saber o aparelhamento político que implantou no STF. Deve estar inconformado pelo resultado não ter sido tão político como gostaria. Caso não fosse assim, sem a parte política que deturpou o julgamento, certamente os réus teriam sido condenados com maior severidade, sem essas benesses de prisão domiciliar, regime semi-aberto, e outras. Isso porque não temos aqui a merecida prisão perpétua nem a pena de morte, fartamente aplicada em regimes que ele idolatra.

Edison Ribeiro Pereira

edisonribeiro@hotmail.com

São Paulo

*

AQUELE QUE NÃO SE DEVE NOMINAR

Aquele que não se deve nominar vive dizendo besteira, uma atrás da outra. Os jornais, na ânsia de furo de reportagem, publicam as suas besteiras, sendo que a maioria delas aparece na capa do jornal. Foi o caso da capa do "Estadão" de segunda-feira, onde estampa uma frase daquele que não se deve nominar sobre o julgamento do mensalão. Eu entendo que esse tipo de atitude dos jornais, estampando suas fotos e frases criadas por sua assessoria marqueteira seja propaganda subliminar.

Tanay Jim Bacellar

tanay.jim@gmail.com

São Caetano do Sul

*

MAIS UM PETISTA NA PAPUDA

Joaquim Barbosa acaba com o convescote prisional de Genoíno. Constatado por juntas médicas que a enfermidade de José Genoino felizmente não é grave, o presidente do Supremo faz cumprir a pena como réu do mensalão que é o ex-presidente do PT, só que agora no interior da Papuda. Provavelmente Genoíno, ao adentrar no presídio nas próximas horas, não terá o mesmo orgulho para erguer seus punhos como fez ao chegar à Polícia Federal no final de 2013, porque Lula, mesmo tendo sido o principal beneficiário do mensalão, numa entrevista que concedeu a TV portuguesa, e se referindo aos réus petistas, afirmou que os mensaleiros não se tratavam de gente de sua confiança. Ou seja, tira o seu da reta e abandona os fiéis laranjas que desviaram recursos públicos para elegê-lo. Esse é o cara que infelizmente foi presidente deste país!

Paulo Panossian

paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

VOLTA PRA PAPUDA

De acordo com o laudo médico onde está dito que o caso de Genoíno não é grave, o ministro Joaquim Barbosa determinou que ele se apresente no presídio em 24 horas. Não há problema algum em Genoíno voltar para a Papuda. Basta ele ter uma cela como a de Dirceu, vai até esquecer-se da doença.

Izabel Avallone

izabelavallone@gmail.com

São Paulo

*

CELA VIP

Apesar de não dispor de frigobar nem de banheira jacuzzi, a cela dos mensaleiros presos dispõe de chuveiro quente, microondas e TV. Não chega a ser um hotel cinco estrelas, mas passa perto. Tudo às nossas custas. Não é à toa que estão rindo à toa, e das nossas caras.

Conrado de Paulo

conrado.paulo@uol.com.br

Bragança Paulista

*

OS MIMOS DE DIRCEU

Enquanto nós, trabalhadores brasileiros, damos duro o dia todo, ficando no trânsito e fazendo das tripas coração para pagar as contas carregadas de altíssimos impostos, um condenado que lesou os cofres públicos assiste confortavelmente, de dentro de sua cela, ao Real dar uma surra no Bayern? É para isso que a gente trabalha, para sustentar o luxo de um detento importante? Podólogo, comida preparada especialmente, cela maior, chuveiro quente, cama diferente das demais. Dirceu está preso ou em férias? Causa indignação! Faz-se necessária sua transferência para outro presídio, longe de Brasília e da tutela de Agnelo Queiroz. Essa é a prisão dos sonhos de qualquer criminoso, não?

Myrian Macedo

myrian.macedo@uol.com.br

São Paulo

*

REPÚDIO AO CARA

Parabéns ao presidente do STF que repudiou as declarações mentirosas e dignas mesmo de um sem caráter que em todas as oportunidades que teve de se mostrar um homem íntegro, apelou para a covardia do "não sabia" ou do negar os amigos de cama e mesa. Deveriam ter feito nele um teste do bafômetro antes ou depois da entrevista. Isso não é doidice, como disse o Ministro Marco Aurélio, isso é sem vergonhice. O cara é um velhaco medíocre e o triste é que fala como ex-presidente do Brasil. Muda, Brasil, pelo amor de Deus.

Fernando Ulhôa Levy

foulevy@gmail.com

São Paulo

*

RECUPERAR... MAS QUANDO?

A Sra. Graça Foster afirmou que os prejuízos com a compra da refinaria em Pasadena podem ser recuperados. É mesmo, Dona Graça? E Abreu Lima, também haverá retorno no investimento? Pode-se prever para quando? 2080, ou 2090, ou...?

Ademar Monteiro de Moraes

ammoraes57@hotmail.com

São Paulo

*

ERRO DE QUEM?

Com essa declaração de que a Petrobrás não pode pagar pelo erro de um funcionário, Dilma nos mostra que se tornou uma aluna aplicada de seu mestre Lula, eximindo-se de qualquer culpa na aprovação da compra da refinaria de Pasadena. O funcionário em questão é Nestor Cerveró, que não tinha poderes para comprar sozinho Pasadena, e que não pode ter o peso desse erro apenas sobre suas costas. Quem foi, em última instância, a responsável por esse péssimo negócio foi a própria Dilma, se é que não veio ordem superior, de Lula, para isso.

Ronaldo Gomes Ferraz

ronferraz@globo.com

Rio de Janeiro

*

O TEMPO É O SENHOR DA RAZÃO

Fernando Collor esperou 23 anos. Foi xingado, ultrajado e humilhado. Com galhardia contou até mil e suportou calado todas as torpezas e leviandades. No dia 24, o STF deu para Collor, pela segunda vez, uma preciosa certidão de correção administrativa e honestidade pessoal e política. Collor botou para fora da garganta o grito de vencedor entalado há tantos anos. Discursou segunda-feira no Senado e não deixou barato. A seu ver, a absolvição do STF não só alivia 23 anos de angústias como também permite reescrever a história do Brasil no período em que, na Presidência da República, implantou medidas estruturantes, como abertura comercial e quebra do monopólio. Sem elas, assegurou, seria impossível a estabilização. "Estou absolvido de todas, absolutamente todas as acusações. estou inocentado de todas as delações. A ninguém é mais dado o direito, salvo por reiterada má-fé, de dizer o contrário", salientou. O ex-presidente e senador Fernando Collor faz uma pergunta: "Quem poderá me devolver tudo aquilo que perdi, a começar pelo meu mandato de presidente?" Para Collor, é importante também a reflexão da sociedade sobre a verdade dos fatos e, em particular, de uma geração de jovens que somente ouviram inverdades ou estudaram em livros tendenciosos. Evidente que o choro é livre. Ressentidos e injustos existem desde os tempos da Ceia de Cristo.

Vicente Limongi Netto

limonginetto@hotmail.com

Brasília

*

CRIME COMPENSA

A sentença do STF inocentando Collor confirma: no Brasil, o crime compensa.

Roberto Twiaschor

rtwiaschor@uol.com.br

São Paulo

*

MALHÃES E O CONTRADITÓRIO

Tenho lido em jornais e blogs agressões grosseiras a quem diverge da versão burra - ou muito esperta - que a esquerda vem dando à morte do coronel Malhães. Não se discute que o sujeito foi bandido, por convicção ou profissionalismo. Mas dentro do espírito do "tem que ir pra cima" do Lula, ou do "bateu, levou" do Collor, qualquer insinuação de que a esquerda black bloc pode ter participação na morte do torturador é rejeitada brutalmente. Impedem o contraditório. Mas vejam só: assim como no caso Molinas, logo após o assassinato, sob investigação da Polícia Civil do Rio, sua casa foi pilhada por federais, a mando do governo, e confiscados computadores. O Sr. Dallari dirá que não tem nada com isso, o que nos leva a pensar livremente sobre o assunto. Assassinato, queima de arquivo ou busca de arquivos

Paulo Roberto Santos

prsantos1952@bol.com.br

Niterói (RJ)

*

COMISSÃO MATA MALHÃES

A morte do Coronel Malhães deve ser debitada à Comissão da Verdade. O Sr. Dallari, presidente da Comissão, fez um "auê" danado, divulgando particularidades sobre um homem atormentado, insuflando ladrões, inimigos de ontem e ex-amigos. Todo mundo é suspeito de tê-lo asfixiado, mas o autor intelectual, ainda que sem dolo, foi Dallari.

Mário Alves Souza

maroca64@bol.com.br

Salvador

*

SOMOS TODOS IGUAIS?

A Constituição Federal garante que todos somos iguais perante a lei. Na prática, não é bem assim. Alguns de nós temos menos direitos do que outros. Li nos jornais que foi feita uma operação de busca e apreensão na residência do Tenente-Coronel Malhães. Procedida pela Polícia Federal e pelo Ministério Público Federal apreendeu computadores, mídias eletrônicas e diversos documentos pessoais do falecido. Um juiz federal deferiu judicialmente o pedido realizado pelo Grupo de Trabalho da Justiça de Transição do Ministério Público Federal. Se deixarmos de lado toda e qualquer ideologia, à luz do direito, permito-me dizer que foi uma atitude arbitrária do Ministério Público e uma decisão açodada do juiz. Que argumentos teriam os promotores para a atitude que tomaram? Em que ela se baseia? Ela serviria para elucidar o crime ali cometido? Qual o amparo que o Grupo possui na Constituição Brasileira para conduzirem as suas ações? Onde está a assessoria jurídica do Ministro de Defesa e do Comandante do Exército que não interpuseram uma medida para que tudo o que foi apreendido na residência seja devolvido? Ou a própria família, esposa e filhos? Essa é a Constituição cidadã de 1988? Concede amparo a atos como esse?

Marco Antonio Esteves Balbi

mbalbi69@globo.com

Rio de Janeiro

*

CENTENÁRIO DE CARLOS LACERDA

A História ainda reconhecerá Carlos Lacerda como o maior homem público que o Brasil já teve. Nós, lacerdistas, que testemunhamos sua destemida atuação política e sua extraordinária administração como governador da Guanabara, só temos a enaltecer sua memória pelo exemplo que ele deixou e a lamentar a falta que ele faz ao País.

Carlos Varella

ca.varella@terra.com.br

Cachoeira Paulista

*

MANIFESTAÇÕES

Nada contra as manifestações de protesto, afinal, liberdade de expressão está garantida a todos nós, mas não podemos provocar destruição, prejuízo e sofrimento com atos de violência, não devemos pôr em risco nossa democracia reconquistada com tanto sacrifício. Por isso, minha gente, vamos maneirar, exigir dos próximos eleitos honestidade e respeito, proteger os cofres públicos desses famintos por dinheiro e poder. Vamos torcer para que nesse meio político possa existir pessoas bom caráter, que sejam ficha-limpa.

Odiléa Mignon

cardosomignon@gmail.com

Rio de Janeiro

*

O MARKETING DA BANANA

Assunto que não se esgota o caso Daniel Alves/banana/racismo. Está rendendo até mais do que deveria. Daniel, no momento da ofensa, estava trabalhando, jogando futebol. Ao descascar e comer a banana estava infringindo uma prática que é alimentar-se durante uma partida. Chega de prolegômenos. Charles Robert Darwin, nascido na Inglaterra em 1809, escreveu a "Teoria da Evolução pela Seleção Natural", em que sustenta a tese de que a nossa descendência tem tudo a ver com a Chita do Tarzan, criação de Edgar Rice Burroughs, em 1912 e o King Kong do filme, produção de 1933, de Merian Cooper e Ernest B. Shoedzack. Justificar a escravidão do negro como origem é pura falácia, porque na antiguidade, no Império Romano, os derrotados (brancos) eram escravizados. Fica aí uma questão: ironizar os atos de racismo como fez o atleta Daniel Alves ou desdenhá-los como o fizeram outros atletas?

Jair Gomes Coelho

jairgcoelho@gmail.com

Vassouras (RJ)

*

A REPERCUSSÃO

O jogador de futebol Daniel Alves por certo não poderia esperar que seu gesto de comer a banana contra ele jogada por um racista espanhol tivesse tanta repercussão. Mas que isso não caia num esquema de ironias e gozações, que não vão ajudar em nada a combater o preconceito ainda existente, e não apenas contra os negros. Que o fato motive reflexões e procedimentos que ajudem a mudar o comportamento de pessoas mal intencionadas em relação a raça e a classe social.

Uriel Villas Boas

urielvillasboas@yahoo.com.br

São Paulo

*

DANIEL ALVES

Tantos artistas postando fotos com bananas, tantas pessoas postando fotos com bananas em solidariedade a mais um ataque de racismo sofrido por um jogador de futebol brasileiro. Louvável, eis a palavra dos atos. Porém, vamos refletir um pouco? O racismo começa quando se cria data para ele - Dia da Consciência Negra - quando se criam cotas por aí e, principalmente, quando se divide uma raça chamada humana em raças diferentes. Se o racismo é um sentimento preconceituoso, daquele que se julga superior, então ele deveria ser o discriminado, pois quem mais poderia ser visto em sua extrema inferioridade, senão o portador de tal arrogância, entre os da mesma raça? Acorda, povo brasileiro, o maior racista que conheço atualmente é o nosso governo, que aponta e discrimina, seja pela cor da pele, pela raça ou pela condição social.

Rosângela Lopes

rolopes20012@hotmail.com

Sarapuí

*

ARGELINOS EM CAMBORIÚ

Auspiciosa a anunciada presença de 2500 turistas/torcedores da Argélia em Balneário Camboriú durante a Copa. Constatei que em Curitiba os restaurantes estão contratando e treinando os haitianos para trabalharem como garçons. Falam diversos idiomas com fluência, especialmente o francês, inglês, italiano e espanhol. Numa churrascaria na Avenida das Torres, quatro haitianos trabalhavam com esmero e educação como garçons, sendo que um deles falava cinco idiomas com fluência, segundo o testemunho de um garçom venezuelano. No Museu Oscar Niemeyer, um haitiano dava conta de atender qualquer turista estrangeiro que chegasse por lá. Capacitá-los e acolhê-los no segmento voltado ao turismo em Santa Catarina.

Rosa M. Spritze

rosamspritze@gmail.com

Florianópolis

*

AYRTON SENNA

Vinte anos depois do acidente fatal na curva Tamburello, no circuito de Ímola, Itália, o Brasil e o mundo ainda sentem a mesma dor e o mesmo impacto pela perda prematura e inesperada de um dos mais completos pilotos de toda a história do automobilismo. No auge da carreira, tricampeão mundial, quis o trágico destino levá-lo para sempre naquela inesquecível manhã de domingo. O País perdeu um de seus grandes heróis populares, autor de feitos e vitórias espetaculares, comemoradas mundo afora com a bandeira verde-amarela em mãos. A Fórmula 1 perdeu um de seus melhores talentos, se não o maior de todos os tempos. Acelera, Brasil! Viva Senna!

J.S. Decol

decoljs@globo.com

São Paulo

*

CRÉDITO PARA VEÍCULOS

Embora as ruas de todas as cidades estejam atravancadas pelo volume de veículos, o governo - para socorrer as montadoras, com os pátios também atravancados - pretende facilitar o crédito para aquisição de automóveis, a fim de atender ao pedido das indústrias e frear a crise que se avizinha. Os bancos, por sua vez, temem o aumento da inadimplência. Enquanto isso, as empresas tomam medidas para redução da produção, como férias coletivas. O problema, segundo alguns especialistas, é que o consumidor está cauteloso com os gastos, tendo em vista o comprometimento da renda. E ainda os iluminados dizem que a inflação está sob controle.

Aparecida Dileide Gaziolla

aparecidagaziolla@gmail.com

São Caetano do Sul

*

CAI VENDA DE AUTOMÓVEIS

Independente do que quer o Governo Federal, a venda de automóveis cai e com certeza, se continuar neste ritmo, vai haver desemprego. É histórico que São Paulo sempre foi o maior consumidor de automóveis do País. Se não compra como primeiro, troca por mais novo. Mas com as medidas feitas pelo prefeito Haddad, quem se habilitará? Só sendo louco. Haddad prioriza transporte urbano, sem se preocupar com o futuro, duplicando avenidas, tapando buracos, que poderiam melhorar a vida dos paulistanos. A maioria usa seu automóvel como instrumento de trabalho. Pela visão esdrúxula do prefeito vale apenas o transporte urbano. A cidade tem sua dinâmica própria que o prefeito parece desconhecer. Comprar automóvel hoje para paulistanos serve apenas para guardá-lo em casa bem agasalho. Quem irá se aventurar?

Beatriz Campos

beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

*

INDÚSTRIA AUTOMOBILÍSTICA

As tramóias do ex-presidente com a indústria automobilística remonta há décadas. Não tenho dúvidas. Sua carreira deve muito a ela e a seu silêncio. Desoneração a outros setores só são dados para evitar mostrar o evidente. Basta levantar o volume de remessa de lucros dos últimos anos.

André C. Frohnknecht

caxumba888@gmail.com

São Paulo

*

SOLUÇÃO GENIAL

A solução para a crise no setor automobilístico pode ser resolvida, se a remuneração dos metalúrgicos for equiparada a dos médicos do programa Mais Médicos. Os custos de produção iriam despencar com o regime de semiescravidão, as montadoras teriam lucros obscenos. Para corrigir essa distorção, o governo desapropriaria todas as fábricas, que seriam administradas pelo novo ministério da mobilidade. A indicação do novo ministro ficaria a cargo de José Sarney. Não estamos muito longe disso.

Mário Barilá Filho

mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo

*

REFUGIADOS HAITIANOS

A responsabilidade primeira por abrigar refugiados, independentemente do motivo, deve ser dos países colonizadores. No caso dos haitianos, da França, que poderia perfeitamente abrigar os refugiados de sua ex-colônia na Guiana Francesa.

Marcos Abrão

m.abrao@terra.com.br

São Paulo

*

CINEMAS IMUNDOS

Os cinemas criaram um vício danoso ao seu ambiente, quando permitiram aos seus frequentadores adentrarem as salas de exibição dos filmes portando bebida e comida. Como a nossa cultura ainda está muito longe do hábito de só colocarmos lixo no lixo e as pessoas que gostam de imundice preservam a sujeira até nas suas casas, comumente nos deparamos com salas de projeção imundas, como encontramos a de n.º 4 do cinema Centerplex do North Shopping Caruaru no sábado de aleluia. Se essa situação foi verificada na primeira sessão, imaginem entre as sessões, quando não há tempo hábil para a limpeza, causando a dúvida se essa falta de higiene se estende também aos óculos 3D.

Cláudio de Melo Silva

melo_riodoce@hotmail.com

Olinda (PE)

 

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.