Fórum dos Leitores

CEF

O Estado de S.Paulo

07 Maio 2014 | 02h12

Pela eleição

Dar um cargo de vice-presidente da Caixa Econômica Federal (CEF) a um político do PTB só para obter apoio político já não caracteriza uma espécie de "mensalão"? Tenho minhas dúvidas de que o novo indicado de Dilma Rousseff tomará alguma atitude em benefício da Caixa. Ele estará lá, sim, para defender os interesses do partido.

ADALBERTO AMARAL ALLEGRINI

adalberto.allegrini@gmail.com

Bragança Paulista

Político, não técnico

O grande trabalho a ser feito por Luiz Rondon Teixeira de Magalhães Filho, primeiro-tesoureiro do PTB, numa das vice-presidências da Caixa, será exatamente o mesmo de seu antecessor, também político: nenhum. Além da inutilidade de colocar políticos em cargos técnicos, eles nunca vêm sozinhos, mas carregam novos chefes de gabinete, secretárias e o "diabo" a quatro, tudo à nossa custa. Resumindo: as moscas mudam, mas a m... continua a mesma.

NESTOR R. PEREIRA FILHO

rodrigues-nestor@ig.com.br

São Paulo

VENEZUELA

Relatório da HRW

Depois da divulgação do relatório Punidos por Protestar, da ONG Human Rights Watch (HRW), na segunda-feira, que traz relatos de manifestantes venezuelanos que foram vítimas de retaliação das forças de segurança e de milicianos pró-governo - com violência física e psicológica, prisões arbitrárias, práticas de torturas e outras ameaças -, é estranho que o governo brasileiro não se pronuncie sobre essas violações dos direitos humanos, dando a entender que o Brasil é conivente com elas.

JOSÉ WILSON DE LIMA COSTA

jwlcosta@bol.com.br

São Paulo

Empatia zero

Diante da cumplicidade que exala da omissão de Dilma Rousseff - quiçá sob inspiração de Marco Aurélio top top Garcia -, custa crer que a presidente-candidata tenha sido ela mesma vítima de tortura na época do governo militar. Se ela de fato foi torturada, omitir-se diante do que acontece na Venezuela evidencia nela abominável distorção conceitual e comportamental.

ULISSES NUTTI MOREIRA

ulissesnutti@uol.com.br

Jundiaí

Omissão

Até quando nosso governo não tomará providências concretas para socorrer o sofrido povo venezuelano? Apenas reuniões entre simpatizantes de causas perdidas não bastam. E é preciso tomar cuidado, pois de omissos poderemos passar a ser cúmplices dessas atrocidades perante o mundo, e nós, o povo brasileiro, não aceitaremos esse papel.

JULIO JOSE DE MELO

julinho1952@hotmail.com

Sete Lagoas (MG)

VIOLÊNCIA

Pré-história

O espancamento até a morte da mulher que foi confundida com uma sequestradora por causa de um boato na internet, na cidade do Guarujá, dá a dimensão dos tempos que vivemos: uma pré-história em que vale a justiça com as próprias mãos. Apesar de nossa Justiça ser ineficiente, ineficaz e injusta, nada justifica essa barbárie.

MARCOS BARBOSA

micabarbosa@gmail.com

Casa Branca

Caos social

Pessoas sendo linchadas, vaso sanitário arremessado da arquibancada de um estádio e matando um inocente, ônibus incendiados, criminosos dando ordens de dentro dos presídios, pessoas sendo atendidas no chão dos hospitais, escolas funcionando sem nenhuma estrutura, corrupção noticiada todos os dias nos jornais, leis lenientes com criminosos, prédios e terrenos invadidos. Um pequeno retrato do Brasil. Que país é este?

LUIZ FELIPE SCHITTINI

fschittini@gmail.com

Rio de Janeiro

ESCASSEZ DE ÁGUA EM SP

Abaixo de 10%

O nível do reservatório de água do Sistema Cantareira já chegou a 9,8%. Com toda a estiagem de inverno pela frente, tenho a visão de uma calamidade anunciada. Falta o que para a Sabesp iniciar os tão adiados serviços de manutenção da rede de distribuição, por onde se perdem milhares de litros de água?

EUVALDO R. P. DE ALMEIDA

euvaldo@uol.com.br

São Paulo

Sambando errado

O governador Geraldo Alckmin descartou no dia 4/5 a possibilidade de racionamento de água no Estado de São Paulo, sem mencionar nenhum tipo de embasamento técnico sobre o assunto. Nos estertores das eleições, o que se verifica é a tentativa de fabricar uma ilusão, no sentido de escamotear os fatos atípicos da seca em São Paulo. Um evento sério como este não deveria tomar contornos claramente políticos, pois a população merece ser devidamente informada sobre essa crise. Até agora, não houve nenhum pronunciamento sério, baseado em estatísticas, sobre a situação da água em São Paulo nem ao menos uma prestação de contas à sociedade sobre a gestão deficiente dos recursos hídricos do Estado nos últimos anos. Até agora, o que temos é a negação meramente opinativa de que não haverá rodízio de água. Resta claro que a ausência de satisfações à sociedade tem viés político-eleitoral. A música de Chico Buarque, nos anos 70, já dizia que precisa ser muito sincero e claro para confessar que andou sambando errado.

JOÃO PEDRO PARO

joaopedro.paro@gmail.com

São Paulo

Esforço contínuo

Não adianta fazer campanhas de economia de água só na época da seca, isso tem de ser algo contínuo, para que a população adquira a consciência de que o consumo precisa ser controlado. Os esforços emergenciais que têm sido feitos poderiam ter sido evitados com obras de infraestrutura e campanhas de conscientização.

BÁRBARA AUGUSTO

babilucatto@hotmail.com

São Paulo

MERCADO DE TRABALHO

Flexibilização

O artigo A OIT adverte, de Almir Pazzianotto Pinto (5/5, A2), é contundente, mostrando o quanto estamos nos distanciando da realidade no trato das relações laborais. Infelizmente, o governo, magistrados e procuradores do trabalho, presos a conceitos que leram nos bancos escolares do século passado (hoje preconceitos), não veem o quão prejudicial é ao Brasil e aos trabalhadores a sua visão vesga do mundo atual. Cumprimento o autor e o Estadão.

AGOSTINHO TOFFOLI TAVOLARO

agostinhotavolaro@tavolaroadvogados.com

Campinas

*

DILMA E SUA HERANÇA.

É claro que o "volta, Lula" não poderia colar, porque a herança de dona Dilma é realmente maldita, mas o primeiro companheiro não poderia assim falar. A era de FHC já está muito longe. Mas não voltando Luis Inácio Lula da Silva vamos continuar apreciando as atuações da atual presidente, embora já esteja mais do que comprovado que ela não tem condições técnicas e políticas para governar a nação. E, caso ganhe as eleições de outubro do corrente ano, teremos quatro anos de sérios problemas em todos os setores deficitários da vida nacional, como segurança pública, saúde, educação e previdência social, para não falar na economia, segmento importante e que não consegue atrair a confiança das forças produtivas nacionais e internacionais. Se ganhar as eleições, os brasileiros sofrerão muito e Lula também, porque a sua fatura será cobrada com insistência pelo povo deste país.

José Carlos de Carvalho Carneiro

carneirojc@ig.com.br

Rio Claro

*

TESTE DE DESESPERO

O "volta, Lula" é um teste de desespero para sentir as reações favoráveis? Ou será também um teste para entrar de vice com a Dilma para presidente? Ou será vice versa? Seja como for, serão escorraçados e será uma lavada definitiva para os vermelhos milicianos.

Nelson Pereira Bizerra

nepebizerra@Hotmail.com

São Paulo

*

ABRAHAM LULA

Um dia Lula se comparou a Lincoln. Não parecia sóbrio e o assunto parece uma piada. Muita pretensão a do Lula. Lideranças incontestes, Lincoln, Roosevelt, Churchill, Kennedy, Gorbachev, Margareth Thatcher, Golda Meir, entre tantos outros produziram pelas suas palavras e pelos seus atos marcas profundas em seus povos e perante a humanidade. O mundo, incluindo o Brasil, definiu todos como estadistas. Entretanto, a História não registra nenhum brasileiro, o que deixa todos nós muito tristes. Não consigo enxergar, nem com boa vontade, alguém que possa comparar aqueles anteriormente citados. Lula, por exemplo, suas maiores obras foram o "Bolsa-Esmola" e o mensalão, que, sinceramente, apesar do alcance social, não passaram de programas para comprar votos, o que é ilegal. Lula merece ser lembrado ao lado de figuras como Lampião, Macunaíma, macaco Tião, cacareco, Madame Satã, etc.

Iria de Sá Dodde

iriadodde@hotmail.com

Rio de Janeiro

*

CHOQUE DE CREDIBILIDADE

A presidente Dilma foi muito criticada pelo jornal inglês, "The Financial Times", de que o País necessita um "choque de credibilidade" para evitar a saída de investidores. Além dos escândalos políticos quase diários no inchado governo atual com 39 ministérios, como investir num País com elevados custos internos, como logística, tributação elevada, burocracia e mão de obra cara pela baixa produtividade? Segue a pergunta para o jornal inglês: será mesmo que o investidor especulativo está infeliz, em aplicar em um país com a maior taxa de juros do mundo?

Edgard Gobbi

edgardgobbi@gmail.com

Campinas

*

IMPOSTOS INSUFICIENTES

A presidenta Dilma faz vários pronunciamentos para defender a Petrobrás e outros administradores de órgãos federais. O Brasil é muito grande e é impossível saber de tudo em um governo inchado de muitos ministérios e secretarias. Sai caro administrar com tanta gente pesando o governo. Um capitalismo de Estado é inoperante e cheio de burocracia. Então, o que podemos entender? É preciso fazer mover um Estado muito grande. A solução é criar soluções privadas para questões privadas e soluções de Estado para situações de caráter público. Os impostos são insuficientes para tantos gastos.

Paulo Roberto Girão Lessa

paulinhogirao@gmail.com

Fortaleza

*

FALINDO A LOJINHA BRASIL

Na época da campanha eleitoral passada, para o cargo de presidente da república, pedi aos meus amigos que não votassem na candidata do PT. Dizia eu que havia ouvido falar que ela teria sido sócia, junto com dois ou três parentes, de uma lojinha de produtos populares, muito comum na época da paridade do dólar, a lojinha de 1,99. E que o estabelecimento havia falido. Nem nos meus maiores pesadelos eu poderia imaginar que praticamente passados quatro anos Dilma tenha conseguido colocar as finanças do Brasil, no buraco fiscal em que se encontram, a começar pelas maiores empresas Petrobrás e Eletrobrás, sem contar a contabilidade criativa que maquia tudo. Onde vamos parar?

Marco Antonio Esteves Balbi

mbalbi69@globo.com

Rio de Janeiro

*

ASSALTO À PETROBRÁS

Nos anos 1970, terroristas assaltavam bancos para manter sua estrutura e tomar o poder dos militares. Hoje, terroristas assaltam a Petrobrás para se manter no poder. Parece que são as mesmas pessoas. Não é à toa que tantos empregados querem deixar a empresa. O PT está destruindo um grande patrimônio do País e uma grande geradora de negócios.

André Coutinho

arcouti@uol.com.br

Campinas

*

AS FALCATRUAS DA PETROBRÁS

A Petrobrás está envolvida em diversas negociatas suspeitas: compra da Refinaria de Pasadena (EUA), venda de ativos na África, compra da Refinaria Nansei (Japão), etc., o que prejudica os acionistas minoritários, mas parece que isso não é motivo para ser apurado pela CVM. Dilma, em seu último discurso eleitoreiro, informou que irá apurar todas as falcatruas que diariamente são publicadas nos jornais envolvendo a empresa, mas será que alguém ainda acredita em suas mentiras? E os nobres deputados e senadores que também não estão com pressa em instaurar a CPI da Petrobrás, estão apenas preocupados com suas campanhas. Enquanto isso, a Petrobrás vai sendo surrupiada pelos que lá estão recebendo para administrá-la. Será que algum dia a Petrobrás conseguirá reaver parte desse dinheiro?

Maria Carmen Del Bel Tunes

carmen_tunes@yahoo.com.br

Americana

*

INCENTIVANDO O DESEMPREGO

A Petrobrás anunciou a adesão de mais de oito mil funcionários ao Plano de Incentivo ao Desligamento Voluntário (PIDV). Como perguntar não é ofensa, será essa a solução que o governo encontrou para amenizar os prejuízos pela compra da refinaria de Pasadena?

Virgílio Melhado Passoni

mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

*

DEFENDER A PETROBRÁS

Não é a Dilma que deve defender a Petrobrás, é o povo que deve defender a Petrobrás da Dilma!

Eugênio José Alati

alatieugenio@gmail.com

Campinas

*

CONTA OUTRA, WASMÁLIA

Primeiro foi a reação dos funcionários do IBGE que trouxe à público a intenção do governo de alterar a divulgação da pesquisa sobre o desemprego no País, pois mostraria um resultado pior e contrário aos seus interesses, prejudicando o discurso de Dilma. Com a imprensa divulgando amplamente o episódio, com o clamor popular contra essa mais nova maquiagem de resultados e com a constatação que isso seria amplamente usado pelos adversários na campanha eleitoral, o governo optou por recuar e manter para este ano a divulgação do levantamento que mostrou desemprego maior. Aí, vem a petista Wasmália Bivar, presidente do IBGE, declarar que não foi por pressão política, nem por ser ano eleitoral que o governo decidiu voltar atrás. Conta outra, Wasmália!

Ronaldo Gomes Ferraz

ronferraz@globo.com

Rio de Janeiro

*

PERGUNTA PERTINENTE

O Pnad Contínuo continua e a Wasmália também?

José Piacsek Neto

bubanetopiacsek@gmail.com

Avanhandava

*

CPI

O nosso ilustre senador Renan Calheiros, que está muito preocupado em estender a CPI da Petrobrás para uma CPI X-Tudo ou Combo, como eles dizem, deveria aproveitar e incluir um assunto mal resolvido do seu caso sobre a filha extraconjugal que ele teve com a Mônica Veloso. Afinal, quem pagava - ou ainda paga - a pensão de sua filha?

Silvio Leis

silvioleis@hotmail.com

São Paulo

*

PADILHA TEM TELHADO DE VIDRO

O candidato do PT ao governo de São Paulo, Alexandre Padilha, disse que a gestão da Sabesp foi irresponsável. Deve ser por culpa do nome da gestora que também é dona Dilma. Padilha tem telhado de vidro. Por acaso a presidente Dilma investiu nas obras de infraestrutura de portos e aeroportos? E no setor elétrico? Se é para mostrar a falta de responsabilidade, que a oposição mostre aos brasileiros os motivos dos apagões e as obras de estádios e aeroportos, que não vão terminar apesar da Copa do Mundo.

Izabel Avallone

izabelavallone@gmail.com

São Paulo

*

REAIS OBJETIVOS DO PT

A bandidagem do PT está completamente solta. Parece que não caiu a ficha da oposição da sociedade civil organizada (pois a política quase não existe). Onde estão as lideranças de outros momentos do passado recente, quando tantos tinham sugestões tão eficientes para liquidar com a cristalina corrupção existente no governo federal? Vamos esperar uma infeliz reeleição desses terroristas travestidos de governantes para novamente lamentarmos e ficarmos planejando até as próximas eleições?O único objetivo do PT e seus integrantes é locupletar-se totalmente na base do cada um por si. O resto é piada de salão: nunca estiveram interessados sequer na implantação de um regime totalmente de esquerda. O que querem é garantir o dinheiro em contas espalhadas mundo afora. Resta saber onde vão gastar e com quem, já que jamais sairão dos holofotes, uma vez expostos como estão.

Antonio Carlos de Souza Queiroz Cardoso

acardoso@acardoso.com

São Paulo

*

CABEÇA DE POLÍTICO

O comportamento normalmente antiético dos congressistas diuturnamente surpreendem os eleitores. O arsenal de malfeitos parece inesgotável, sejam de atos ou de palavras. Tenho a impressão que se fizerem uma tomografia computadorizada do cérebro e outras partes de determinados políticos, certamente vão encontrar alças intestinais, bem como verão o reto no lugar do esôfago. E assim vai sobrevivendo a população brasileira aturando esta fauna. Precisamos urgentemente de alguém que faça uma despoluição destas práticas lesivas que há décadas vêm tornando a moral e os bons costumes cada vez piores.

Paulo Henrique Coimbra de Oliveira

ph.coimbraoliveira@gmail.com

Rio de Janeiro

*

APAGOU GERAL

A manifestação do ministro Gilmar Mendes de que o Brasil vive um apagão de gestão é uma visão simplista e parcial de um apagão geral que vive o Brasil. Ao apagão de gestão contrapõe-se a competência, a disposição para o trabalho, a cooperação e a credibilidade entre governantes e governados. No Brasil, nos últimos anos, mais precisamente na administração petista, acordamos e, ao abrir o jornal, ou assistir ao noticiário televisivo ou radiofônico, a expectativa não é sobre se haverá, mas sim onde e o tamanho da nova maracutaia ou do mal feito. O apagão não é apenas de gestão. A esse e mais graves do que ele se somam os apagões ético, moral e político. Sem medo de errar e com todo o respeito que me merece pela sua história o ministro Gilmar Mendes. Apagou geral no Brasil do PT.

Milton Flávio M. Lautenschlager

miltonflaviol@gmail.com

São Paulo

*

EDUARDO CAMPOS

Com a Marina como vice, em vez de crescer nos índices, vai cair ou se manter. Ela vai sabotar a sua candidatura com sua ideologia arcaica. A votação expressiva que ela obteve foi por que os eleitores não tinham outra opção. Na entrevista que concedeu à Bandeirantes demonstrou insegurança. Ele parece intimidado com as ideias de sua vice. Os dois vão morrer juntos na praia.

Ferdinando Perrella

fperrella@hotmail.com

São Paulo

*

ITAQUERA E ITAQUERÃO

O estádio sendo moderno, todo fechadinho, vai privar a assistência de apreciar os contornos da região, cercada de favelas e bairros pobres, a cara do Brasil de hoje. O sujeito chega de metrô como "tatu" e entra no estádio, e só quem vai de carro pode apreciar os contornos de terceiro mundo da cidade como São Paulo. É isso, Sr. Haddad.

Ariovaldo Batista

arioba06@hotmail.com

São Bernardo do Campo

*

COPA DO MUNDO

O frisson das autoridades pela proximidade do início da Copa do Mundo de Futebol é emblemático. Quisera que nossas lideranças tivessem o mesmo empenho na solução de nossos angustiantes problemas de infraestrutura, pois assim teríamos em poucos anos resolvido a maioria de nossas mazelas, que nos permitiria ter um "padrão Fifa" de vida civilizada de que tanto necessitamos.

José de Anchieta Nobre de Almeida

josedalmeida@globo.com

Rio de Janeiro

*

COPA DA VERGONHA

O mundo deve estar atônito com mais um episódio de selvageria que acaba de acontecer em campos brasileiros. A poucas semanas do início da Copa do Mundo, alguém resolveu atirar vasos sanitários do alto da arquibancada após uma partida de futebol e acabou matando um torcedor e ferindo outros tantos. O mundo também deve ficar pensando o que tem na cabeça de gente que faz isso. Enquanto o mundo vê preocupado essas e outras barbáries, as autoridades do País continuam fazendo muito pouco. Na mesma proporção do que vêm fazendo pela saúde, educação, segurança, transportes, salários e para mudar as leis e diminuir a corrupção dentro e fora dos campos. O mundo e nós, que torcemos pelo bom futebol e, principalmente, para que o Brasil faça gols de civilidade, só podemos rezar para que o evento esportivo não fique marcado como a Copa da Vergonha, já que não nos resta outra alternativa, porque em termos de organização o jogo já usou a prorrogação e está, agora, na marca do pênalti.

João Direnna

joao_direnna@hotmail.com

Quissamã (RJ)

*

ESTÁDIO DO SANTA CRUZ

A CBF interditou o estádio do Santa Cruz (PE) por causa da morte de um torcedor em decorrência de um vaso sanitário jogado que o atingiu. A CBF nem precisava desse motivo. Basta ver as instalações do estádio, mostradas nas reportagens em razão dessa morte que já seriam motivo suficiente para a interdição. Como é que se aprova um estádio daquele para a prática do futebol? Com a palavra, a própria CBF, afinal, disputava-se lá uma partida pelo brasileiro da série B.

Panayotis Poulis

ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

*

ARTIGO JABOR

Gostaria de parabenizar o Sr. Arnaldo Jabor, bem como o "Estadão" (06/05, C8), pelo excelente e realista texto publicado. Muito triste, porém mais real seria impossível. O País do futebol, da alegria, o País do Futuro está sem futuro, e o pior, está sem presente e sem rumo. Um caos. Jovens desanimados, classe média preocupada e desnorteada. As pessoas andam tristes, desanimadas, descrentes e ansiosas. A depressão paira no ar. O certo virou o errado. Ética, valores, educação, família e princípios não existem mais. Tenho insistido muito a meus filhos para que façam um curso no exterior e que por lá fiquem. Mas quantos de nós tem essa possibilidade? E os que ficam? Muito triste. Pais matando filhos, pessoas que arremessam privadas em estádios. Realmente chegamos ao fundo do poço. Não dá para descer mais. Parabéns prof. Arnaldo pelo excelente artigo. Somente quem não anda envergonhado são os corruptos e boa parte dos políticos, pois sabem que vai tudo acabar em pizza. Impunidade zero.

Rogerio Cardinali Martins

Cardinali.martins@hotmail.com

São Paulo

*

DEDO NA FERIDA

Jabor põe o dedo na ferida. E dói. O povo quer mudança, e ele diz o porquê. Nos 12 anos de lulopetismo o Brasil mudou, sim, para bem pior, embora muita gente não enxergue e não sinta, como o sapo na água fervente que começou fria. Morre sem saber por que. Ainda bem que alguns sabem, e começam a dizer. Saravá, Jabor!

Gilberto Dib

gilberto@dib.com.br

São Paulo

*

RESPOSTA AO ARTIGO DE JABOR

No artigo de ontem, no Jornal "O Estado de S. Paulo", ouso dizer, você se superou! Concordo inteiramente com sua afirmação de que o "O Brasil está irreconhecível". Consegue, em meia página de jornal, desenvolver um conteúdo bastante consistente para falar de nossa atual e total inconsistência social. Digo bastante consistente, por que você parece reunir idéias que dão conta de todos os males pelos quais vimos passando ultimamente. Entretanto, penso haver uma saída para esse "mal-estar Brasil" que tanto nos aflige: investir fortemente em nossas crianças. Essa será a única forma de termos a certeza de um Brasil melhor. Receba meus cumprimentos pelo artigo que acaba de publicar no "Estadão", juntamente com o meu cordial abraço.

Maria Cecilia de Almeida Parasmo

mcparasmo@uol.com.br

São Paulo

*

HÁ ESPERANÇA

Realmente, "O Brasil está com ódio de si mesmo", como mostra Arnaldo Jabor, colocando o dedo na enorme ferida nacional. E dessa vez sem o humor e ironia que normalmente tornam seus artigos agridoces e agradáveis de se ler, embora tratem de assuntos quase sempre amargos. Aliás, ele mostra muito bem como a amargura tomou conta da vida nacional, processo que se acentuou nos últimos quatro anos, mas que se iniciou em 2002, com a recaída do povo brasileiro rumo ao que de pior caracteriza a política deste país, quando elegeu Macunaíma, o herói sem nenhum caráter, para a Presidência da República. Falando 80% de mentiras e 20% de inverdades, ele logo começou a desconstruir as magníficas realizações do Plano Real e do governo FHC, substituindo-as por um assistencialismo eleitoreiro, destruidor da autoestima, do orgulho e da fibra nacionais, que, juntamente com o Mensalão e os inúmeros escândalos de corrupção de sua safra e inspiração, quebraram a alma brasileira a um ponto que resultou no que Jabor retrata em seu artigo. A luz que podemos começar a ver no fim do túnel é a queda do poste nas pesquisas, que talvez represente o início de uma conscientização do que realmente interessa ao País, como também ocorre com a revolta e apatia em relação à Copa do Mundo. Conscientização que é fruto do longo e doloroso parto, da queda na realidade dos últimos anos e que nos diz que há, sim, esperança. Esses caras sairão do poder, Jabor, e sairão escorraçados pela consciência de nação que começa de novo a desabrochar do fértil lamaçal.

Jorge Manuel de Oliveira

jmoliv11@hotmail.com

Guarulhos

*

MACONHA

A assinatura de José Mujica, presidente do Uruguai, liberando o cultivo e livre comércio da maconha no seu país, terá reflexos catastróficos e gigantescos, se tornando recordista em vendas na América do Sul. Especialmente para os países quem compõe a tríplice fronteira entre eles o Brasil.

Angelo Tonelli

angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

COPA E COZINHA

Estava meio sonolento, mas acho que não sonhava nessa madrugada quando uma rádio anunciou que, na reforma da copa e cozinha dos palácios presidenciais de Brasília, panelas custarão R$ 500 a unidade, raladores de legumes, R$ 600, vasos de prata, R$ 1.000, e assim por diante. Depois reclamam da alcunha de "esquerda caviar". Por que não se inspiram na simplicidade do "cumpanhero" Pepe Mujica, presidente do Uruguai?

Joaquim Quintino Filho

jqf@terra.com.br

Pirassununga

*

BRASIL PERDE INFLUÊNCIA NO MUNDO

Há poucos dias li que o Itamaraty está preocupado com a presidente Criatura, que, diferente do seu dono que adorava bater pernas mundo afora, ela não gosta de viajar para outros países e contatar seus governantes, o que é prejudicial ao Brasil, que está perdendo influência no mundo. Espera aí, creio que algo está errado, porque desde quando o Brasil tem influência em outras nações, se nem aqui no Mercosul ele tem tal condição? Quem dita ordens no quinteto é a Argentina, para quem o governo brasileiro tupiniquim bate continência. Melhor fizeram outros países sul-americanos que preferiram ao Mercosul fechar acordos com a Comunidade Europeia, EUA e Canadá.

Laércio Zanini

arsene@uol.com.br

São Paulo

*

LEI DO SAC

Esta é a manchete da notícia: "Lei do SAC continua a ser desrespeitada" (O Estado de São Paulo, 5/5/2014). Depois de algumas notícias de desrespeito dessa lei, a sugestão dada é fazer uma reclamação no Procon. É um caminho que, segundo consta, é de lerdo retorno. Mas o desrespeito pode configurar crime previsto em lei, tanto no Código Penal como no Código de Defesa do Consumidor. Daí ser possível, necessário mesmo, fazer uma queixa na Delegacia de Polícia mais próxima, com o que deverá ser instaurado inquérito para apurar a natureza do delito.

Pedro Luís de Campos Vergueiro

pedrover@matrix.com.br

São Paulo

*

INVASÕES

Por total ineficiência do poder público. aliado ao comodismo de um movimento que sobrevive de invasão em invasão, vemos mais um caso na Zona Leste, próximo de onde resido, do aproveitamento dessa brecha deixada em nossa sociedade em que o direito privado é apenas reservado para alguns, não importando quais leis serão quebradas. Nem mesmo áreas de preservação ambiental são poupadas, afinal, a especulação é a ordem do dia. Entendo que muitos dos que participam de tais movimentos têm realmente necessidade, mas outros são apenas aproveitadores, que, após conseguirem o que querem, vendem o espaço conquistado e partem para uma nova invasão. E, assim, continuamos vivendo num País onde se zombam das leis e a justiça é lenta e restrita àqueles que podem pagar por ela!

Sergio A. Martins

sergio.alves73@gmail.com

São Paulo

*

LIVRARIAS REINVENTADAS

Vou dar uma sugestão para as livrarias aumentarem suas vendas. Além de instalar restaurantes, lanchonetes, espaços para crianças, etc., tenham um público alvo certo que compra livros, esse público são os evangélicos. As igrejas evangélicas estão sempre lotadas, e seus fiéis são leitores de livros cristãos, evangélicos, bíblias sagradas, ilustrativas ou não, mas com textos modernos, e atualizados, sempre focando esse lado espiritual.

Arcangelo Sforcin Filho

arcangelosforcin@gmail.com

São Paulo

*

JARDIM BOTÂNICO DO RIO

Depois de tantos anos, tantas lutas, com o julgamento sobre reintegração de posse já transitado em julgado, a moleza da ação do governo e da Justiça para fazer valer a lei passou por muitas etapas patéticas. Cito como exemplo: a afirmação do deputado do PT Edson Santos defendendo seus parentes que invadiram o Jardim Botânico, afirmar no púlpito do Congresso Nacional que o Rio de Janeiro não precisa de mais parques; o fato de apenas 10% das famílias cadastrarem-se junto a Secretaria do Patrimônio da União; a exibição de petulãncia das famílias continuando a construir mais andares em seus barracos; o desconhecimento sobre a importância de um espaço que tem valor histórico, científico, e de beleza cênica imensurável; a dificuldade dos moradores entenderem que naquele local há uma coleção de mais de 6.500 espécies vegetais e abrigo de outras tantas espécies animais de relevância para a humanidade; enfim, que aquele é um território criado pela corte portuguesa em 1808 que previa a necessidade de preservar o patrimônio genético para o futuro e que não é um parque de diversões. Agora fazendo valer a sentença de reintegração de posse do povo brasileiro, a minoria privilegiada que ocupa aquele paraíso não aceita a decisão indubitável da justiça e usa seu direito de espernear, e faz transtornos nas redondezas do Jardim com manifestações inócuas e inúteis porque se esquecem de que, depois da era Joaquim Barbosa, a Justiça tem, bem ou mal, feito valer suas decisões.

Mário Negrão Borgonovi

marionegrao.borgonovi@gmail.com

Rio de Janeiro

*

PROFECIA

Morte por arremesso de privada, parricídio, "enteadicídio", linchamento... Estamos chegando à barbárie, mal conhecendo a civilização.

Sergio S. de Oliveira

ssoliveira@netsite.com.br

Monte Santo de Minas (MG)

*

NÍVEL DOS RESERVATÓRIOS DE ÁGUA

São Paulo é a única cidade do mundo onde o nível do reservatório de água é menor do que o estoque de cerveja.

Marcos Catap

marcoscatap@uol.com.br

São Paulo

*

ÁGUA

Frente à inédita e infindável estiagem que atinge o Estado, com o Sistema Cantareira chegando a inacreditáveis 10% de sua capacidade, ou o governo decreta imediatamente o racionamento d'água enquanto é tempo ou a natureza tratará de fazê-lo em poucos meses quando as torneiras secarem de vez. Ou vai ou seca!

J.S. Decol

decoljs@globo.com

São Paulo

*

VIOLÊNCIA

Repetindo, de novo, outra vez, as autoridades responsáveis pela segurança do País estão indignadas com a violência que assola o Brasil. Os cemitérios estão cheios das providências tomadas.

Luiz Frid

luiz.frid@globomail.com

São Paulo

*

BARBÁRIE BRASILEIRA

Uma mulher foi covardemente linchada por seus vizinhos e por populares no Guarujá, no litoral sul paulista. Não teve acusação formal, direito de defesa, presunção de inocência, contraditório e muito menos um pingo de respeito pela sua dignidade humana. Mostra bem o nível de barbárie e do fascismo disseminados na sociedade brasileira atualmente. Aqueles que fomentam o ódio lucram com o medo e pregam contra os direitos humanos diuturnamente na TV, rádio, jornais, internet, redes sociais, etc., têm boa dose de culpa e responsabilidade por tais atos bárbaros, cada vez mais frequentes na sociedade brasileira. Onde iremos parar? Que país é este?

Renato Khair

renatokhair@uol.com.br

São Paulo

*

LEI DE SHEHERAZADE.

Esse tipo de barbárie ainda acontece porque ainda existem as Raquel Sheherazade da vida que ainda encontra espaço em TV, no SBT do Sílvio Santos, para destilar sua intolerância. Essa mulher é outra que pode entrar na conta da Sheherazade e dos seus truculentos seguidores e apoiadores. A Veja teve a cara de pau de defender essa menina como se ela estivesse sendo censurada. Outros linchamentos acontecerão enquanto houver TVs e jornalistas, porque ela é jornalista fazendo esse tipo de apologia de lei pelas próprias mãos. Todos que agrediram e mataram a mulher, mãe de duas crianças, estão perfeitamente identificados nos vídeos e têm de ser presos por assassinato. O SBT e o senhor Sílvio Santos também têm responsabilidade nisso porque deram espaço para que essa irresponsável incentivasse fazer a lei com as próprias mãos. Esse SBT é um lixo e seu jornalismo nem deveria existir porque também é um lixo.

Grima Grimaldi

grimagri@terra.com.br

São Paulo

*

ÍNFIMO?

O assunto está em pauta, e muitas opiniões foram emitidas. No entanto, não dá para ler a colocação de formadores de opinião de que o racismo no Brasil é ínfimo (pouco, pequeno) e não se posicionar. O Exmo. Ministro do STF, Joaquim Barbosa, disse, em recente entrevista ao jornalista Roberto d’Avila, citando o eminente Joaquim Nabuco, que o Brasil levará séculos para se livrar do racismo. E complementa dizendo que é "falta de honestidade intelectual" minimizar essa questão. As palavras do presidente do STF foram materializadas através do programa CQC/Band (05/05/14). Dois atores (um branco e um negro) são orientados a forçar a porta de um carro, simulando um arrombamento. Aquele passou 15 minutos insistindo e até recebeu ajuda para abrir o veículo. Este, no entanto, foi abordado pela polícia em menos de dois minutos do início da ação, e em cinco minutos já tinham três carros da polícia e um policial o revistando. Vale a pena refletir sobre o ensinamento do ilustre Nelson Mandela e buscar mitigar esse enorme problema social brasileiro ( e não colocá-lo em baixo do tapete): " Ninguém nasce odiando uma pessoa por sua cor de pele ou religião. Pessoas são ensinadas a odiar. E se elas aprendem a odiar, elas podem ser ensinadas a amar".

Gabriel Fernandes

gabbrieel@uol.com.br

Recife

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.