Fórum dos Leitores

COPA 2014 E PROTESTOS

O Estado de S.Paulo

18 Maio 2014 | 02h03

Há recursos

O Brasil vive momentos de convulsão social com as tantas manifestações de rua e greves de setores essenciais por melhores salários e qualidade de vida - justas, por sinal. Por que será? Será que o financiamento público dos estádios para a Copa do Mundo, superfaturados, nos dá a impressão de que, já que não faltam recursos para essas "prioridades", certamente não faltariam para melhorar os salários, a saúde, a educação, etc.?

LUIZ NUSBAUM

lnusbaum@uol.com.br

São Paulo

O jeitinho da Fifa

Finalmente está oficializado o que todos nós já sabíamos, inclusive os representantes da Fifa: depois de sofrer risco de nova intervenção, o estádio Itaquerão será entregue para os jogos da Copa do Mundo inacabado e, portanto, fora do propalado e temível padrão Fifa. A entidade máxima do futebol mundial finalmente se rendeu ao jeitinho brasileiro de ser: fingiu que fiscalizou, que ia punir, intervir e que acreditava que tudo ficaria pronto, mas, no fim, todas as autoridades vão comemorar.

JOÃO PEDRO RODRIGUES

ablrod@terra.com.br

Rio de Janeiro

Frustração

O ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Gilberto Carvalho, não precisa se lamentar nem se sentir "frustrado" por causa dos atrasos nas obras da Copa do Mundo e pela "incompetência" do governo Dilma de não manter diálogo com a sociedade sobre o evento. Isso tudo já faz parte de nossa expectativa, e há muito tempo. O que não ficou claro é o que ele quis dizer com "o essencial será entregue". Espero que dentro do "essencial" esteja prevista a entrega de duas traves, uma bola e pelo menos um campo de terra para a "Copa das Copas".

BYRON SILVA JÚNIOR

byron.junior@uol.com.br

Santos

Aos 45 minutos

Tudo ficou para a última hora, desde a construção dos estádios para a tal "Copa das Copas" - na retórica triunfalista que mal encobre a incompetência gritante da organização - até os protestos contra a realização do evento. Assim como são absurdas as tentativas de justificar os atrasos (tempo não faltou, foram quase sete anos), tão ou mais absurdos ainda são os protestos, que, ao paralisar as principais avenidas nas cidades, transformaram a população em refém de manifestações justificáveis quanto à sua motivação e indesculpáveis quanto à execução. Não há justificativa para essa situação e, seguramente, minimizar a magnitude do caos não transformará as nossas já sofridas cidades em oásis de tranquilidade, não transformará a baderna em delicado minueto.

ALEXANDRU SOLOMON

Alex101243@gmail.com

São Paulo

Sem ingresso

Os protestos contra a Copa são naturais diante da devastação causada pelo uso de dinheiro público em prol de um evento que nós, os excluídos, só veremos pela TV, como em outras Copas - com a diferença de que nesta a conta ficou para nós. Não conheço ninguém, entre amigos e familiares, que tenha conseguido um mísero ingresso para assistir a um jogo do Brasil.

JOÃO B. JUNQUEIRA NETTO

jonjunq@gmail.com

São Paulo

O legado da Copa

Este é o legado que eu e o povo brasileiro, em sua maioria, gostaríamos de ter: segurança pública como a da Alemanha; educação como a europeia; e serviços de saúde de qualidade e corrupção punida, como nos EUA. A baderna que se vê nas ruas hoje, para quem viveu os anos 60, é a mesma ou até pior do que a vista antes da implantação da ditadura.

ANTONIO C. RIBEIRO

tocantins@cebinet.com.br

São Paulo

O recuo do governo

Logo após as manifestações de maio/junho do ano passado, a presidente Dilma Rousseff prometeu que enviaria ao Congresso Nacional "rigoroso" projeto de lei para criminalizar e penalizar os arruaceiros e depredadores que agiam nos protestos, principalmente os que se escondem atrás de máscaras. Um ano depois, o governo Dilma desistiu de seguir com o projeto de lei. E por quê? Simplesmente porque correria o risco de jogar na marginalidade todos os movimentos dos "sem" que lhe servem de apoio, sustentação e massa de manobra. Vamos ter de continuar convivendo com badernas, paralisações, arruaças e depredações. Até quando?

CLAUDIO JUCHEM

cjuchem@gmail.com

São Paulo

Tática de esvaziamento

A recente decisão de Brasília de não endurecer as penas para mascarados envolvidos em manifestações tem que ver com o esvaziamento das manifestações, porque a minoria radical assustou e afastou a maioria pacífica das ruas. Tratando coniventemente os radicais, esvazia-se o clamor popular. Será que essa tática vai funcionar na hora do voto?

JOÃO PAULO MENDES PARREIRA

jpmparreira@hotmail.com

São Caetano do Sul

SISTEMA CANTAREIRA

Comemoração?

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, em pleno ano eleitoral, acha que já superou todas as expectativas resolvendo o problema do abastecimento de água em São Paulo. Um absurdo a sua atitude de comemorar o início do bombeamento de água da reserva estratégica (volume morto) para o Sistema Cantareira. O que o assunto exige, sim, é seriedade e um pedido de desculpas.

ARNALDO L. DE OLIVEIRA FILHO

arluolf@hotmail.com

Itapeva

Insensível

O problema do baixo nível do Cantareira afeta milhões de pessoas, empresas, etc., mas está sendo tratado pelo governador com insensibilidade, tudo porque estamos em ano de eleição.

MARCOS BARBOSA

micabarbosa@gmail.com

Casa Branca

Racionamento já

Há meteorologistas afirmando que em julho a volta do fenômeno El Niño pode trazer chuvas para o Sudeste. Como este ano o tempo passou a perna em todas as previsões, quem garante que realmente teremos chuva antes que nossas reservas sequem? Alckmin estará contando com o instável tempo em época de aquecimento global? Não seria melhor contar com a realidade e começar já com o racionamento? Na pior das hipóteses, quando chover, basta recuar.

BEATRIZ CAMPOS

beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

 

A DESMORALIZAÇÃO DAS CPIS

 

Não fosse sério, seria para rir: a CPI constituída para investigar o descalabro da Petrobrás será uma versão política da fábula da raposa incumbida de tomar conta do galinheiro. Com um parlamentar do PMDB na presidência e outro do PT na relatoria, ambos integrantes de partidos direta ou indiretamente responsáveis pela miserável situação nas contas da petroleira, o máximo que alguém pode esperar dessas investigações é o seu travamento com os malfeitos da estatal varridos para debaixo do tapete, e, de quebra, a revanche política sobre os partidos que pedem transparência nas coisas da Petrobrás. Não é outra a motivação da irregular ampliação do foco dos trabalhos que tratarão da Petrobrás e de assuntos estranhos ao fato que motivou a instauração da CPI. Regulamentadas no artigo nº. 58 da CF,e com poderes de investigação próprios das autoridades judiciais – entre outros previstos nos regimentos internos das duas Casas Congressuais –  é importante pontuar que as CPIs foram concebidas na CF de 1988  para a apuração “de fato determinado”, mas – como lembrava Renato Russo, vocalista da banda Legião Urbana – no Brasil “ninguém respeita a Constituição”. Por essas e outras, as CPIs estão totalmente desmoralizadas. Como todas as demais, esta tampouco sugere terminar com um destino diferente e também está fadada a “não dar em nada”. Mais perda de tempo com direito a nova conta de milhões espetada no lombo do escorchado contribuinte. 

Silvio Natal silvionatal49@gmail.com 

São Paulo 

CPI DA PETROBRÁS 

Existe razão para que o Senado brasileiro continue sendo necessário? O que a sua existência prova? Que pode existir meia democracia? Meia liberdade? Que se pode fazer o que quiser, pois o cargo dá poderes a alguns senadores para manipular fatos, manipular investigações e dirigi-las contra partidos de oposição, e não para o foco, que é a Petrobrás? Definitivamente, o Senado não tem mais credibilidade e respeito da população. 

Luiz Ress Erdei gzero@zipmail.com.br 

Osasco 

QUAL É O RESULTADO? 

Uma CPI da Petrobrás conduzida e liderada pelos deputados do PT e do PMDB é mais ou menos como chamar Fernandinho Beira-mar e Marcola para revisar as penas dos seus colegas de cela.  Resultado:  todo mundo solto no dia seguinte.  

Gattaz Ganem gattaz@globo.com

Carapicuiba 

SEM PERSPECTIVAS 

O senador Humberto Costa (PT-PE) sempre demonstrou ser um ferrenho opositor da instalação de uma CPI para investigar e Petrobrás. Suas falas eram frontalmente contra qualquer investigação. Pelo “Estado” de hoje (16/5) tomamos conhecimento de que ele e mais três integrantes da CPI do Senado receberam doações vultuosas da empreiteira Camargo Corrêa. Comprados, esses políticos não têm o menor interesse no esclarecimento dos fatos criminosos. Os interesses pessoais e partidários têm primazia sobre tudo. As formações de CPIs neste país são sempre tendenciosas e, na maioria das vezes, não produzem efeito benéfico algum, como sabemos. Estamos enojados de  constatar tanta sujeira neste nosso Brasil, onde falcatruas e desvios sofrem as maiores barreiras, obstruindo com eficácia as investigação de ilícitos e falcatruas de toda espécie. Vivemos sob um arremedo de democracia. Infelizmente, não há perspectivas otimistas em razão  desse status quo. Lamentável.  

Francisco Zardetto fzardetto@uol.com.br 

São Paulo 

MAIS UMA PIZZA À VISTA 

É impressionante como esse governo no poder se acha no direito de nos subestimar e ludibriar dessa forma dantesca, basta ver que quatro membros nomeados para a CPI da Petrobrás receberam sonoras doações da Camargo Correa, entre elas nada menos que o relator José Pimentel (PT-CE) que foi agraciado com R$ 1 milhão, assim como Humberto Costa (PT-PE), também com R$ 1 milhão, Vanessa Graziotin (PCdoB-AM), com R$ 500 mil e Ciro Nogueira (PP-PI), com R$ 150 mil. Portanto, alguém tem dúvidas como vai acabar? 

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br 

São Paulo 

REVERSÃO DOS PREJUÍZOS 

A presidente da Petrobrás, Graça Foster diz já ter a solução para os prejuízos com a Refinaria de Pasadena – não confundir com “Pasadilma”. O PT vai convocar todos os filiados para participarem de uma nova “vaquinha”, e se faltar algum valor, as empreiteiras devem completar. A Receita Federal fará vista grossa dos doadores. Essa turma tem dim-dim saindo pelo ladrão, nada pessoal. Outra solução pode sair de outra estatal – já comentam ser os Correios. Em caso de alguma dúvida, é só pedir ajuda ao Youssef – não confundir com Rousseff, nem são parentes. Não deixa de ser uma solução. Que remédio? 

Luiz Dias lfd.silva@2me.com.br 

São Paulo 

LULA FALA EM REGULAÇÃO DA MÍDIA 

Francamente, ouvir o ex-presidente Lula falar em “regulação da mídia” usando como exemplo leis na Argentina e Equador cuja democracia hoje é questionável... Rui Falcão, presidente do PT, falar em “Constituinte”, dá até arrepio. Basta o sonho de continuidade começar a ruir com a popularidade da presidente Dilma em baixa para começarem a sonhar com o “Foro de São Paulo”, que tem por objetivo nos transformar numa Cuba. Precisamos mudar enquanto é tempo, porque não existe democracia sem a liberdade de imprensa. 

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br 

São Paulo 

NO BURACO 

Lula disse que é babaquice chegar de metrô nos estádios. Ele sabe bem do que está falando, pois costuma chegar por cima em todos os lugares com o dinheiro dos trouxas. Até quando vamos aguentar essa afronta? Muito mais que babaquice é financiar a corrupção e ver esse país indo para o buraco. 

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com 

São Paulo 

CANDIDATO DO PT 

Pelo amor de Deus, não hostilizem a Dilma, isso é fazer o jogo do Lula que quer voltar e se adonar do Brasil, que na visão sociopata dele, o pertence. 

Roberto Moreira Da Silva rrobertoms@uol.com.br 

São Paulo 

ILUSIONISMO 

O PT sentiu o golpe da queda da aprovação de Dilma Rousseff e do risco cada vez maior de perder uma eleição que há pouco considerava como favas contadas. Essa propaganda mostrando um Brasil vencedor, que o povo brasileiro já sabe que não passa de mera propaganda enganosa, e que foi colocada no ar estrelada por seu maior astro, que andava calado e meio sumido desde a eclosão daquele ainda não explicado caso do Rosegate, é uma desesperada resposta a isso. É a colocação em prática daquela confissão feita por Dilma: “nós podemos fazer o diabo quando é a hora da eleição.” Será que o ilusionismo de uma peça publicitária de marqueteiros, que exibe uma realidade tão diferente daquela que os brasileiros vivenciam em seu dia a dia, terá força para interromper essa queda da candidata do partido?  

Ronaldo Gomes Ferraz ronferraz@globo.com 

Rio de Janeiro 

DILMA DESCONEXA 

Todas as vezes que Dilma fala de improviso, arranja rapidamente um elo, mesmo que duvidoso, mas de raciocínio rápido, para atacar a oposição sem o menor pejo. Porém, quando solicitada sobre seus desmandos e ineficiências de seu governo, emite pensamentos desconexos e sua memória seletiva entra em ebulição e ninguém , por maior boa vontade que tenha, consegue entender alguma coisa. Há sempre um sujeito oculto ou uma desviada total do assunto. E ela quer continuar desgovernando. Haja! 

Leila E. Leitão

São Paulo 

TUDO CULPA DO SENHOR LULA

 Para conseguir que o Brasil sediasse a Copa do Mundo de Futebol, governo petista do ex-presidente Lula fez o diabo nos bastidores da Fifa. Agora, praticamente na véspera dos jogos, esse diabo está solto, transformando a vida dos brasileiros num verdadeiro inferno. 

Sergio S. De Oliveira ssoliveira@netsite.com.br 

Monte santo de Minas (MG) 

ALTERNÂNCIA DE PODER 

Alternância de poder é caminho da evolução. Não é retrocesso. 

Euvaldo R. Pereira de Almeida euvaldo@uol.com.br 

São Paulo 

A COPA DO PT 

O Brasil virou piada no mundo todo. Nunca antes na história de todos os tempos houve um evento tão grosseiramente superfaturado quanto a Copa das Copas, a Copa da Dilma, a Copa do PT. Os mais importantes jornais e revistas de vários países trazem matérias sobre os absurdos novos estádios no meio do nada, sem acesso, o fracasso das obras de mobilidade urbana, o previsível caos nos aeroportos, as manifestações cada vez mais violentas, a epidemia de dengue, motivos de sobra para o mais fanático torcedor assistir aos jogos no conforto da sua casa. Parece que só a nossa raquítica oposição, que o ex-presidente FHC jura que ainda existe, não percebeu a necessidade de se fazer uma CPI para investigar o mundialmente famoso e escandalosamente claro superfaturamento das obras da Copa do PT.  Com a palavra, os candidatos à Presidência, Aécio e Eduardo.  

Mário Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br 

São Paulo 

FELIPÃO  

Felipão, treinador da seleção brasileira de futebol, foi por vários anos treinador de times portugueses. No dia 14/05/2014, a confiável BBC informou que as autoridades do fisco português estão investigando indícios de sonegação  de impostos de Felipão em Portugal. Procurei em vários jornais no Brasil e notei a estranha ausência dessa importante noticia nas vésperas da Copa. 

José Sebastião de Paiva  jpaiva1@terra.com.br 

São Paulo 

PROTESTOS CONTRA A COPA 

Imagine esses protestos se os "garotos" de Felipão forem eliminados! Difícil? E aí, dona Dilma que não respeitou ninguém, nem os "companheiros" quando era "terrorista comunista" vem cobrar respeito do brasileiro para com os estrangeiros que vêm aqui assistir aos jogos de futebol. É mais um tapa na cara do brasileiro. 

Ariovaldo Batista arioba06@hotmail.com 

São Bernardo do Campo 

MOBILIZAÇÕES 

A presidente Dilma fez um apelo à alma hospitaleira do brasileiro, ante as mobilizações contra a Copa. A alma do brasileiro, presidente, está doente. Não espere hospitalidade de quem passa fome, não tem saúde pública, não tem segurança pública, não tem educação, não tem transporte público, etc. Esses movimentos mostram, embora ainda de forma um pouco incipiente, que o povo já está cansado de ser enganado. Espera-se que mais acordem para isso, e que na próxima eleição deem este recado.  

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro 

*

 LEGADO DA COPA 

Independentemente da onda de ignorância que inunda o País, com o pessoal do "não vai ter Copa" promovendo quebra-quebra e dos demais protestos tardios – tinham que ter protestado quando o Brasil foi escolhido para sediá-la – fico pensando o que significa o tal "legado da Copa". Se todas as obras de estádios e infraestrutura urbana estão sendo feitas com dinheiro brasileiro, não poderiam tê-las realizado mesmo sem a Copa? Considerando que somente uma parcela ínfima do povo terá oportunidade e dinheiro para assistir aos jogos nos estádios, então essas obras foram feitas só para melhorar a imagem do Brasil para os estrangeiros? Como tudo está sendo realizado em função da Copa, então o povo brasileiro não merece maiores investimentos? Está claro que a renda proporcionada pelo turismo não irá repor quase nada do gasto, já que o mundial de seleções não desperta tanto interesse como se apregoa. Na realidade, nesse rodízio de sedes da Copa, realizado pela Fifa, só deveriam candidatar-se países possuidores de toda infraestrutura necessária e que, assim, teriam ganhos reais com o evento. Aviso para quem tem tempo e disposição para enfrentar a polícia nas ruas: ainda está em tempo para protestar contra as Olimpíadas (nesse caso, só os cariocas). 

Nestor Rodrigues Pereira Filho rodrigues-nestor@ig.com.br 

São Paulo 

DEPOIS DA COPA 

Tanto falam em legado da Copa do Mundo, mas onde podemos identificá-lo, por exemplo, na cidade de São Paulo? Pintar faixas de ônibus e diminuir a mobilidade dos carros é legado em infraestrutura? E mais, um governo que precisa ser impulsionado por um evento de âmbito mundial para fazer alguma coisa é um bom governo? Tudo que estão fazendo agora não é para os brasileiros, mas sim para os estrangeiros serem mais bem recebidos durante a Copa. Um governo que só se preocupa com as aparências e se esquece das maiores mazelas do povo brasileiro não serve. Quero mudança. 

Felipe da Silva Prado felipeprado39@gmail.com 

São Paulo 

PASSEATAS 

Por que, durante as manifestações de rua, não convidam também o Corpo de Bombeiros para dar uma esfriada nesses baderneiros? 

MCecilia Barbosa mcbchi@gmail.com 

São Paulo 

FORÇA EXCESSIVA OU FORÇA ALGUMA? 

Falar que boa parte das manifestações, especialmente em São Paulo, causa transtornos e prejuízos incalculáveis é chover no molhado, bem como falar que é preocupante a atuação de pessoas que nada tem a ver com a causa e cujo único interesse é o vandalismo. Mas se esse é o preço a pagar pela preservação da democracia e o livre direito de expressão, ainda é barato. Mas o que me preocupa de verdade é a fragilidade e vulnerabilidade escancarada do poder público, frente a estes desafios. Dá para imaginar a possibilidade de uma organização criminosa, que além de contar com o fator surpresa, ainda conta com recursos materiais superiores ao de nossas forças de defesa? 

Luiz Nusbaum lnusbaum@uol.com.br 

São Paulo 

NÃO ACONTECE NADA 

São inúteis essas passeatas, essas manifestações, esses protestos e esses movimentos sociais, porque, lembrando uma frase do saudoso Alberto Tamer, que disse certa ocasião: "No Brasil, aconteça o que acontecer, não acontece nada!” 

Arcangelo Sforcin Filho arcangelosforcin@gmail.com

São Paulo 

PROTESTOS 

Já começaram os protestos, o vandalismo e a baderna no País contra a Copa do Mundo do Brasil, de 2014, como vimos em SP, Recife, Rio, etc. Nada contra os protestos, desde que sejam pacíficos e de forma civilizada. O que não se admite são as ações de bandidos – como os black blocks – que se aproveitam da situação para cometer crimes, atos de vandalismo e baderna, prejudicando a vida de milhões de pessoas, muitas vezes orquestrados por grupos políticos com interesses eleitorais. A lei existe para todos e para ser respeitada e cumprida. Os cidadãos de bem não têm nada a temer e podem protestar à vontade, de forma livre e democrática. Já os bandidos e arruaceiros devem ser identificados, processados e punidos exemplarmente por seus atos criminosos. Estamos cansados de ver o Brasil ser tratado como terra de ninguém, terra da mãe Joana, onde cada um faz o que bem entender e ninguém responde por seus atos, algo inaceitável sob todo e qualquer ponto de vista. 

Renato Khair renatokhair@uol.com.br 

São Paulo 

BADERNA 

Chega de tanta baderna na cidade de São Paulo. É MST, MTST, professores, contra a Copa, não aguentamos mais, tanta gente sem fazer nada e vindo atrapalhar quem trabalha. Porque vocês não vão a Brasília, reclamar com a Presidência, ou vão ao Instituto Lula? Foi ele que começou tudo! 

Maria José da Fonseca fonsecamj@ig.com.br 

São Paulo 

PADRÃO FIFA 

O governo federal deveria importar cassetetes do Japão, spray de pimenta dos EUA, armas de choque da Alemanha, canhões de água da Inglaterra. Não é justo o pessoal que sai às ruas apanhando da polícia com equipamentos ultrapassados e gastar tanto dinheiro com estádios. Queremos padrão Fifa para tudo, até para levar porrada. Obs.; também viria bem a importação de deputados e senadores da Europa, Canadá e EUA. Aí, sim, seria um país de primeiro mundo.  

Luis Ress Erdei gzero@zipmail.com.br 

Osasco 

*

 LEITURA? 

É inacreditável, como os nossos mandatários, começando pela mandatária mor, não conseguem fazer um leitura das diversas manifestações  que se espalham pelo País: passeatas por motivos dos mais variados, saques, linchamentos,  crimes praticados por motivos fúteis. O povo não aguenta mais tanta corrupção, ladroeiras, mentiras. A paciência se esgotou. Somos diariamente achincalhados, humilhados, menosprezados, enganados. Que Brasil terão nossas crianças, nossos jovens que estão saindo da faculdade com aquele sonho de exercer e crescer na profissão que escolheram. Ou vão ter que sair do País para que isso seja alcançado. Quero ter orgulho do Brasil, não só em época de Copa, quero orgulhar-me da educação, saúde, segurança e moralidade. Precisamos de alguém que sacuda o Brasil e limpe toda essa sujeira, como os que o sujaram. Para terminar, quero plagiar uma frase dita pelo antecessor:  nunca tivemos neste país um governo e um partido (PT) tão corrupto como o que aí está. Socorro.  

Hilo de Moraes Ferrari hiloferrari@hotmail.com 

São Paulo 

METRÔ DO RIO 

Faz tempo que os moradores do Leblon sofrem com as obras do metrô. Sabe-se lá mais quanto tempo vamos ter de sofrer neste inferno. Se for purgatório, ainda será possível tolerar, porém, se houver tragédias como aquelas anunciadas pelo enorme buraco que ocorreu em Ipanema creio que será necessário pensar em uma solução de curto prazo para evitar a catástrofe. Gostaria de conhecer o mapa do futuro trajeto que será percorrido pelo “tatuzão" para saber se devo continuar aqui ou mudar-me, talvez, para o Tibete. 

Mário Negrão Borgonovi marionegrao.borgonovi@gmail.com 

Rio de Janeiro 

SÃO PEDRO 

Que mal terá feito São Paulo a São Pedro para merecer de castigo tamanha estiagem? É preciso uma intensa corrente de fé para que águas voltem a cair sobre nossas represas. Oremos! 

J.S. Decol decoljs@globo.com 

São Paulo 

VOLUME MORTO 

Aparentemente, há pessoas que associam "volume morto" à cadáver. A bióloga Maria de Mello, (16/05-A2) está preocupada e convencida "que nossas autoridades não levem em conta que essa água possa representar grande perigo para a população". Acrescenta ela que essa água contém alto número de impurezas. Ora, Dra. Maria, é demais essa suposição. O assunto água para São Paulo está na pauta há muito tempo. Muitas alternativas foram e serão consideradas. As dificuldades são de toda ordem. Econômicas, no custo de captação. Transporte e tratamento, exigências ambientais, sociais e muito mais. Quanto às impurezas, qualquer manancial contém impurezas de toda sorte. É para eliminá-las ou neutralizá-las que existem as estações de tratamento de água (ETA). Fique tranquila, Dra Maria. 

Mario Helvio Miotto mhmiotto@ig.com.br 

São Paulo 

CALA A BOCA, PADILHA 

Agora com o Cantareira começando a encher gostaria muito da opinião do gênio Padilha, aquele que tem amigos nobres como o Vargas e o doleiro Youssef, sobre a ridícula e oportunista propagando dele e do ético PT sobre a falta de água, sem ao menos mostrar o que ele e o sábio PT fariam. Criticar é o forte do PT, mas além disso estão ficando também especializados em terrorismo eleitoreiro. Cala a boca, Padilha. Não sou advogado do PSDB nem do Geraldo.  

Mustafa Baruki mustafa-baruki@bol.com.br 

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.