Fórum dos Leitores

PROPAGANDA ELEITORAL

O Estado de S.Paulo

19 Maio 2014 | 02h07

O PT contra 'fantasmas'

É simplesmente indecente a nova propaganda do Partido dos Trabalhadores (PT) na TV. Falam em "fantasmas do passado" que vão destruir as conquistas dos seus pobres eleitores. De conquista, neste governo, só vejo os eleitores conquistados com o Bolsa Família. De resto, o PT apenas destruiu grandes conquistas dos brasileiros, como o sucesso da Petrobrás e a estabilidade econômica, com o controle da inflação. Fantasmas do passado são Lula, Dilma, Genoino e Dirceu, além de Maluf, Sarney e Collor, figadais inimigos do passado, hoje dóceis aliados.

CARLOS EDUARDO STAMATO

dadostamato@hotmail.com

Bebedouro

Em pânico

A reação de Dilma Rousseff à queda de sua aprovação nas pesquisas - com propaganda na TV sugerindo "a miséria que será o Brasil" se o PT não vencer a eleição - mostra que o partido entrou em pânico. A presidente diz que a Copa do Mundo deixará um legado de aeroportos, estádios e obras de mobilidade urbana para o País, fingindo não saber que o povo não quer Copa, mas educação, saúde, transporte urbano e moradia de qualidade. O Brasil está cansado deste governo e de suas promessas.

FABIO FIGUEIREDO

fafig3@terra.com.br

São Paulo

Más lembranças

O PT, em sua propaganda na TV, repete com muita propriedade a campanha contra o medo que em 2002 ajudou a eleger Lula presidente - "a esperança vai vencer o medo". Pois nós ainda temos o mesmo receio quando nos lembramos da fatídica gestão do hoje amigo do partido de Lula José Sarney.

FLAVIO FERREIRA PINTO

aniltintas@gmail.com

São Paulo

Fantasia e realidade

O governo de Dilmolândia só tem um ministro, João Santana, homem de criatividade, capaz de reviver fantasmas para agradar à presidente. Pena que Dilmolândia seja um país tão ameaçado pela sombra da realidade.

CLODER RIVAS MARTOS

sheinerivas@hotmail.com

São Paulo

O fator estabilidade

A propaganda do PT é um sórdido terrorismo. O partido se apropria de uma conquista que não é sua: a estabilidade econômica, que hoje corre riscos graças à inépcia do governo. Ela não foi conquistada nos últimos 11 anos, mas nos governos de Itamar Franco e FHC. Este se cercou das melhores cabeças do País e, no bojo do Plano Real, introduziu medidas de política econômica até então inéditas e que foram capazes de debelar a hiperinflação. Lula, que o sucedeu, apenas surfou tranquilamente nas águas calmas da bonança internacional e da estabilidade. Se o Brasil de hoje estivesse tão maravilhoso como faz crer a propaganda do PT, não haveria tantas manifestações nas ruas contra "tudo isto que está aí". O brasileiro parece ter acordado e diz claramente que quer mudança.

RUBENS S. VALNEIROS

rvalneir@gmail.com

Barueri

Avançar

O PT diz que os brasileiros não podem "voltar atrás". De fato, o povo é sábio e vai avançar contra a corrupção, os "malfeitos" e o gasto de dinheiro público numa Copa do Mundo. E em busca de melhores saúde, educação e moradia, exigindo mais crescimento econômico e respeito ao dinheiro público, às instituições e às leis. Pensa, Brasil.

NELSON SCATENA

nelson.scatena@hotmail.com

São José dos Campos

Papuda

Na propaganda eleitoral do PT, Lula aparece dizendo que criou um partido para fazer política com "P" maiúsculo. Será que ele estaria se referindo à Papuda?

F. G. SALGADO CESAR

fgscesar@hotmail.com

Guarujá

INFLAÇÃO

Mercadante diz que sim

O ministro-chefe da Casa Civil, Aloizio Mercadante, reconheceu que o governo federal segura os preços (como o dos combustíveis e o da energia elétrica) para conter a inflação. Trata-se de meia verdade, porque o dito controle é só para garantir a reeleição de Dilma, reduzindo o espaço para críticas da oposição.

MARIO COBUCCI JUNIOR

maritocobucci@uol.com.br

São Paulo

Mantega diz que não

Se, como disse o nobre ministro da Fazenda, Guido Mantega, os preços não estão represados, por que as tarifas de energia subirão cerca de 20% após as eleições? Por que as tarifas de combustíveis subirão após as eleições? Por quê?

MILTON BULACH

mbulach@gmail.com

Campinas

Inflação e greve

Pergunta: se a inflação no Brasil está baixa - como dá a entender o governo -, por que tantos movimentos grevistas pedindo reposição salarial?

RICARDO SANAZARO MARIN

s1estudio@ig.com.br

Osasco

Vamos 'bombar'

Recentemente, Dilma Rousseff foi coerente: disse que o Brasil "vai bombar" em 2015. Nos meus tempos de escola, o aluno que bombava estava reprovado.

MARIA DE FÁTIMA P. NICCIOLI

fatima_pn4@hotmail.com

São Paulo

POVOS INDÍGENAS

Em tempo de Copa

No dia 13/9/2007 foi aprovada a Declaração Universal dos Direitos dos Povos Indígenas na ONU, que interessa diretamente aos países que têm em seu território reservas indígenas, porque estas poderão vir a se tornar nações independentes. No caso do Brasil, se isso acontecesse com os mais de 200 povos da Amazônia, o País perderia cerca de 50% de seu território, de regiões ricas tanto em minerais como em biodiversidade. Naquela ocasião, países que têm reservas em seu território votaram contra, como os EUA, Canadá, Austrália e Nova Zelândia. Mas, para surpresa geral, o representante brasileiro, orientado por Lula e pelo então chanceler Celso Amorim, votou favoravelmente. Isso quando se sabe que cerca de 800 ONGs internacionais já atuam na Amazônia, nem todas com interesses humanitários. O prazo-limite para o Congresso Nacional retificar o voto brasileiro é julho de 2014, que coincidirá com a Copa do Mundo - e nossos dedicados parlamentares estarão mais preocupados com Neymar e cia. do que com os reais interesses nacionais.

RICARDO PEREIRA DE MIRANDA

ricarmiran@terra.com.br

Salvador

*

O ESTADO E A GREVE POLICIAL

Os governos estaduais precisam se esforçar para resolver os gravíssimos problemas conjunturais e reivindicatórios de suas policias, que fizeram greves ou que poderão também se contaminar devido à inércia de seus governantes eleitoreiros. O nível de descontentamento e irritação é altíssimo. Pernambuco já viveu, nos últimos dias, o caos provocado pela falta do trabalho policial. Situação análoga às registradas recentemente na Bahia, Paraná, Alagoas e outros estados onde o pessoal da segurança pública foi à greve. Em outras unidades da federação, mesmo não indo à greve, a classe está desmotivada e pode fazer ainda pior: a operação-padrão, onde todos comparecem regularmente ao trabalho, mas não dão o seu empenho pessoal para bem cumprir as tarefas e, mais que isso, se recusam a fazer perseguições, bloqueios e revistas pessoais em busca de suspeitos. Essas atividades constituem a espinha dorsal da segurança pública, mas situam-se na mais fina das divisas entre o legal e o ilegal e, via de regra, resultam em reclamações, punições disciplinares, expulsão e até prisão. Se vacilar, o policial morre assassinado pelos bandidos, se agir corre o risco de ser punido por supostos excessos. Então, o que a classe precisa? De salário compatível, definição e orientação sobre o como atuar. Se for atuar com base no velho Código Penal e nas leis e normas permissivas e demagógicas hoje existentes, estará decretada a total falência da segurança pública. A população estará cada dia mais desprotegida e o crime organizado, certamente, agradecerá.

Dirceu Cardoso Gonçalves

aspomilpm@terra.com.br

São Paulo

*

A BADERNA DAS GREVES

Somente no Brasil vivemos em constantes paralisações, chamadas de greves, e sempre de categorias (qquase as mesmas) que perturbam o público. Como exemplos recentes, temos as de rodoviários, vigilantes e até de policiais militares, onde os governos toleram o crime de motim. E Copa de Mundo pouco influencia, pois todo ano é tudo parecido. Enquanto isso, o povão, idosos, etc., são massacrados e nossas autoridades nada fazem. Em país algum do Mundo acontecem greves de tal natureza.

Heitor Vianna P. Filho

Araruama (RJ)

*

MANIFESTAÇÕES EM SÃO PAULO

Fernando Haddad, prefeito de São Paulo, tem a solução para evitar as depredações durante as manifestações em São Paulo: ele vai providenciar um cercadinho para os manifestantes.

Vagner Ricciardi

vbricci@estadao.com.br

São Vicente

*

LULOPETISMO

Manifestações contra a Copa é o lulopetismo provando do próprio veneno.

Francisco José Sidoti

fransidoti@gmail.com

São Paulo

*

SOBRE AS MANIFESTAÇÕES

As manifestações estão se tornando quase triviais. Todos sabem que se trata de um direito, mas, aos direitos correspondem também os deveres. O direito de um grupo de pessoas se manifestar existe até o ponto em que esbarra com os direitos da coletividade. Os direitos da coletividade são difusos, alcançam um interesse muito mais amplo do que o interesse grupal. Temos presenciado estragos e danos, obstrução de vias públicas e outros inconvenientes sérios que afetam o bem comum e o direito de ir e vir de cada cidadão. Creio que o senhor secretário de segurança pública, pessoa digna e competente, poderia baixar uma portaria dizendo o que é permitido e o que não é permitido. Dentro deste último critério, as obstruções de ruas e rodovias, além de outros. A segurança pública e a mobilidade urbana ficam afetadas. É bom que a autoridade competente manifeste através dos órgãos de comunicação social a posição legal que contemple os direitos e as restrições que cabem no caso. Sem uma ampla divulgação dos critérios jurídicos, administrativos e sociais, a baderna pode surgir e evoluir de forma incontrolável.

José de Ávila Aguiar Coimbra

avila_coimbra@yahoo.com.br

São Paulo

*

NÃO VÃO LEVAR

Dilma referindo-se aos turistas da Copa disse ue ninguém vai nos tirar os aeroportos, os portos, a melhoria dos transportes etc. Que bom, já que pouco foi feito vamos ficar com o pouco que temos. Amém.

Nelio Esquerdo

nelioesquerdo@terra.com.br

São Paulo

*

EDUCADORES?

A pedagogia da ideologia e da tolerância acabou com a educação no Brasil. Sobre os seus escombros vige o caos.

Sergio S. de Oliveira

ssoliveira@netsite.com.br

Monte Santo de Minas (MG)

*

A ESCASSEZ E O DESPERDÍCIO DE ÁGUA

Mais uma vez, os 11 milhões de paulistanos se unem agora pela dor com relação à escassez e ao desperdício de água que abastece São Paulo, principalmente no sistema Cantareira. Acuado, apertado politicamente e cobrado por ações urgentes pela sociedade e a população, principalmente pela falta de investimentos na Sabesp, cujas tubulações na parte mais antiga da cidade já tem mais de 40 anos, o governador Geraldo Alckmin, abruptamente correu para a implantação de enormes tubulações que sugam a água do volume morto da Cantareira ao custo de R$ 86 milhões, para abastecer a população que vive também momentos de angústia com o líquido que nos garante a vida. Poucos sabem, mas a cultura do desperdício interfere diretamente no abastecimento da água. Falamos de SP, onde 32% são do desperdício em residências, principalmente das vassouras hidráulicas utilizadas pelos condomínios sem nenhum controle, e mau uso nos vasos sanitários e lavagem de louças nos restaurantes da capital que são milhares. Como não aprendemos a utilizar com amor, pagamos caro pela dor, e o que é pior, os governantes não sabem que a única fonte catalisadora de água pelas nuvens são as matas ciliares nas margens dos rios. Isso eles não respeitam e aprovam centenas de construções no entorno dos mananciais, como é o caso da cidade de São Paulo. Para tratar a água do volume morto que ninguém sabe quanto de metais pesados e dejetos estejam no fundo, a Sabesp poderá gastar até 100 vezes mais que o tratamento normal, segundo o especialista em recursos hídricos, Jose Tundisi. Uma curiosidade. Se uma gota de água cair numa arvore, ela penetra nas folhas, caules, troncos e raízes 100%. Se cair no asfalto ou no concreto da Selva de Pedra como a megacidade de São Paulo, que na sua maioria suas calcadas são impermeabilizadas, elas evaporam para a atmosfera em cinco minutos. Pensemos nisso.

José Pedro Naisser

jpnaisser@hotmail.com

Curitiba

*

RESERVAS HÍDRICAS

Estamos no fim da estação das chuvas no Nordeste brasileiro e ainda não temos reservas hídricas para a estação seca. Houve uma seca verde. Isto é, choveu, mas as culturas não produziram. Houve uma pequena produção de legumes, mas não há água para o povo e os animais passarem a estação seca. A presidente Dilma e Lula prometeram a transposição das águas do rio São Francisco.

O que nós percebemos é uma irregularidade nas chuvas com enchentes ou pouquíssimas chuvas em períodos alternados. A solução é usar com economia a pouca água dos reservatórios e priorizar o consumo para os humanos e animais. A lição está no equilíbrio que é o melhor caminho.

Paulo Roberto Girão Lessa

paulinhogirao@gmail.com

Fortaleza

*

CONTROLE DA MÍDIA

Lula, em encontro com blogueiros, novamente defende o tal controle da mídia alegando "que não venham dizer que isso é censura, que estamos tentando controlar os meios de comunicação, porque quem tem que controlar os meios de comunicação é o telespectador, é o ouvinte, é o leitor. O que todos nós exigimos é que haja neutralidade e seriedade nas informações nesse país", disse. Por acaso o que existe é diferente? Ele quer que joguem confete nele, que concordem que a falta de transporte até o estádio é natural, mas talvez ele tenha se esquecido do que foi feito na África em termos de transporte. Porque não te calas?

Jose Roberto Palma

palmapai@ig.com.br

São Paulo

*

ESSES MENINOS DE HOJE EM DIA...

No dia 15 do corrente mês, em virtude de críticas que ouvi a respeito da propaganda política do Partido dos Trabalhadores, "fantasmas do passado", resolvi continuar com o meu televisor ligado até o momento do noticiário. Eu sabia que corria o risco de sofrer um enfarto, mas queria ver o tamanho da audácia dos marqueteiros. Ao meu lado estava o meu neto de dez anos que atentamente observava o que falavam os emissores. Como foi bom eu ter corrido o risco. O meu neto me surpreendeu com a seguinte pergunta: "Vovô existe outro Brasil?". Espantado com a capacidade de discernimento do menino, respondi que não. Novamente ele pergunta: "Então esse homem e essa mulher estão falando é sobre o desenvolvimento da Noruega?". Fui bem direto e objetivo: "Não meu filho, esse é o Brasil que eles mostram na televisão. O Brasil real não dá pra ser mostrado. É o Brasil do mensalão, dos escândalos da Petrobrás, do caos do transporte público, da falta de segurança, da precariedade na saúde pública e educação, do colapso energético e dos bilhões gastos com estádios." O danadinho encerrou o assunto dizendo: "E tem gente que acredita neles não é, vovô". Esses meninos de hoje em dia. Estou certo de que quando ele for exercer o voto, irá pensando conseguir para o Brasil bem mais que sorvete.

Jeovah Ferreira

jeovahbf@yahoo.com.br

Taquari (DF)

*

AGRESSÃO À VERDADE

Há muito já cansou, só restando sentir nojo da propaganda enganosa apresentada pela governo e por muitos políticos como se realidades fossem, para engrupir o povo menos esclarecido. Tentar cobrar alguma coerência, seria chover no molhado, pois não consegue aprender nada além de maracutaias e cambalachos já que nunca irá aprender que mentiras surgem em várias versões, mas a verdade tem somente uma face. Seria muito bom e profícuo que se espelhassem em figuras mais significativas que em sua própria imagem narcisista se conhecessem a figura do antigo senador Petrônio Portela, que já dizia: "Fatos são fatos e eu não agrido fatos". Aliás, tal assertiva é uma carapuça que encaixa na cabeça de muita gente, e não só dos políticos e da mídia.

João Roberto Gullino

jrobertogullino@gmail.com

Petrópolis (RJ)

*

MAIS PROPAGANDA ENGANOSA

Em nova ofensiva midiática, torna a campanha televisiva governista a socorrer-se de falácias para desqualificar FHC, falando em "retrocesso" e "fantasmas do passado". De bate pronto redarguiu o pré-candidato pelo PSDB Aécio Neves: "o povo está mais preocupado com os fantasmas do presente", que - acrescentaria - são os pibinhos, a perda de competitividade da economia, a desindustrialização, a erosão das contas fiscais, das contas externas, a inflação ("reabilitada") e tantas outras assombrações que estão a tirar o sono de todos. A propósito da inflação, a velhacaria consiste em opor os 6,08% "médios" de Dilma contra 9% (também "médios") de FHC. Esquece-se, convenientemente, a propaganda, de dizer que foi FHC quem enfrentou a inflação, a qual chegou a 47,4% no mês de junho de 1994 ainda sob Itamar Franco (quando foi lançado o Plano Real), contra 6,8% em julho e de 1,86% em agosto do mesmo ano, números que foram decrescendo paulatinamente até chegarem a 1,6% em todo o ano de 1997, a menor taxa obtida desde então. Será esse retumbante êxito obtido contra a hiperinflação a assombração que o PT quer espantar? Hoje, à falta do que mostrar de bom, denigrem os incontestáveis avanços de FHC numa tentativa torpe de iludir aos muitos que nem haviam nascido naqueles tempos difíceis. Já deu! Hasta la vista, PT !

Silvio Natal

silvionatal49@gmail.com

São Paulo

*

ELEIÇÕES

Nessa volta para o passado, o mais temeroso é o Lula: vai ter que trabalhar...

A.Fernandes

standyball@hotmail.com

São Paulo

*

DILMA FALANDO DE IMPROVISOS

A presidente Dilma, quando de improviso fala mal da oposição, seus pensamentos saem coerentes e tranquilos. Mas quando perguntada sobre deficiências em seu desgoverno, seus neurônios entram em erupção. Resultado? Ela foi criada para contestar e não para dirigir. Brasileiros. Cuidado com seu voto em outubro, porque a vítima pode continuar sendo você!

Beatriz Campos

beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

*

FUNDO PARTIDÁRIO

Se já achávamos que a Justiça Eleitoral, TSE era bastante complacente com os políticos em suas transgressões, quando punidos com multas irrisórias as quais pagam sem se ruborizar, podemos imaginar agora que o presidente dessa estância judicial, Dias Toffoli, defende maior liberdade a pré-campanha antes do período eleitoral oficial, como se as leis que a regulam pudessem ser deixadas de lado. Como exigir isenção desse presidente que foi advogado do PT durante campanhas presidenciais, além da amizade pessoal com Lula e os companheiros da cúpula partidária, como José Dirceu, lembrando também que foi ele um dos ministros mais complacentes com seus réus, e agora terá que condenar o PT pelo uso de recursos do Fundo Partidário, para pagar os advogados dos réus do mensalão? Podemos imaginar a fábula do cão fiel: "há muitos que são fieis até a hora em que se veem provocados pela oportunidade e pelos maus exemplos".

Leila E. Leitão

São Paulo

*

CPI DO RENAN

O presidente do Senado Federal, Renan Calheiros, acaba de indicar os senadores que vão fazer parte da CPI que vai apurar, de araque, as ladroeiras na Petrobrás nesses últimos 15 anos. Não ficou dúvidas que o interesse de Renan, cevado durante os governos Collor e Lulla, é atazanar os membros da CPMI aberta por parlamentares que realmente pensam no futuro da Nação. Acorda, Brasil.

Leônidas Marques

leo_vr@terra.com.br

Volta Redonda (RJ)

*

QUEREM TUNGAR O PIS

Essa coisa que estamos sustentando há 11 anos e a cada dia vão aumentando as suas contas correntes, expõe agora depois da comprovada incapacidade gerencial uma faceta até então enrustida, que é a covardia. A vítima da hora é o trabalhador que tem direito ao PIS, um salário mínimo de R$724,00 para trabalhadores na sua maioria pobres. Com a intenção de engordar os cofres do Tesouro com R$1,14 bilhão com a suspensão da propaganda para os trabalhadores sacarem o benefício. Por orientação do Ministério da Fazenda a campanha publicitária será suspensa com objetivo de compor o superávit primário para pagamento dos juros da dívida. É simplesmente vexatório que um governo que só faz lambança, busca no desespero uma reeleição ataque a classe trabalhadora com um golpe tão baixo. Acionado o Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador (Codefat) acionou a Caixa que alegou não ter dinheiro para o abono. Basta que a Caixa reduza os megalômanos gastos com propaganda do governo e os vultosos gastos com patrocínio no esporte. O objetivo do governo não é o país e nem o povo, é só o poder político "ad aeternum".

Jair Gomes Coelho

jairgcoelho@gmail.com

Vassouras (RJ)

*

DEMOCRACIA

Constatação realista: democracia, no Brasil, serviu para que muitos o roubassem, e, portanto, a nós.

Alguém ousa calcular os desvios, em valores monetários ( e morais) de 1985 para cá?

André C. Frohnknecht

caxumba888@gmail.com

São Paulo

*

DUAS NOTÍCIAS

A que parece boa: "a economia brasileira terá melhora gradual nos próximos anos", diz Mantega. Não deixa de ser uma notícia de extrema importância e óbvia, mas eleitoreira e mentirosa. Há quem acredite? A ruim: Num desgovermo medíocre e, para piorar, a notícia é divulgada pelo ministro da fazenda, Guido Mantega, que conseguiu impor ao Brasil a perda da credibilidade nacional e internacional. Maquiou os números dos índices oficiais e da economia brasileira. O País perdeu a confiança mundial. Precisamos de mudanças estruturais para voltarmos ao nosso verdadeiro rumo de confiabilidade para recuperarmos a honradez, dignidade e responsabilidade comercial perdidas, interna e externamente. Pode demorar!

Luiz Dias

lfd.silva@2me.com.,br

São Paulo

*

PARA FRENTE, BRASIL

Ao divulgar e comentar o ICE (Índice de Clima Econômico) da FGV, relativo ao período fevereiro/abril de 2014, o "Estado" demonstra que a Europa se recupera e a América Latina claudica. E o Brasil apresenta a queda mais vertiginosa, ficando quatro pontos atrás da Argentina, inobstante as diatribes de madame Cristina. Enquanto despencamos, sobe o clima da Colômbia, Peru, Bolívia e Paraguai, por mais que fiquem perplexos os brasileiros. Poderemos reverter esse clima inóspito, através de um remédio econômico infalível vendido em todas as farmácias: vencendo a Copa do Mundo.

Amadeu R. Garrido de Paula

amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo

*

GATUNAGEM DOS BANCOS

Quando o governo vai fiscalizar de fato e de direito essa gatunagem desenfreada dos bancos, cobrando taxas absurdas, juros escorchantes, cálculos sobre contratos leoninos e ainda assim não cumpridos, cobrando juros acima do contratado, com usuras, capitalização indevida, pressionando o pequeno cliente até o levar a inadimplência e posterior pressão terrorista e desmoralizadora através de pequenos escritórios de cobrança (verdadeiras arapucas) contratadas pelos banqueiros para realizar os serviços de perturbação e sacanagem, até que o cliente sucumbe? Entendo que a cobrança do IOF não é somente para encher os cofres do governo. Uma parte deveria ser destinadas a proteger todos os clientes, fiscalizando esses bancos que apresentam lucros monumentais e por não dizer, lucros que exorbitam comparado com grandes empresas que muito produzem.

Antonio Carniato Filho

antoniocarniato@gmail.com

São Paulo

*

BNDES

Tudo que é gerado, manipulado e comandado pelo governo vai de mal a pior no País, basta ver que enquanto os bancos particulares obtiveram margens fantásticas e enormes de lucros no primeiro trimestre deste ano, o BNDES, por sua vez, cai 1,9%. Incoerente, absurdo e sem explicações lógicas, a não ser às que conhecemos há mais de 11 anos, a predominância da corrupção em tudo.

Angelo Tonelli

angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

SELO ISO 900-

A Copa do Mundo vai dar ao Brasil o selo ISO 9000 da incompetência. Depois de tanto dinheiro jogado nos ralos da corrupção, os brasileiros além de arcar com as contas vão continuar sem os serviços essenciais. Pensando bem, para quê saúde, educação e segurança? Isso é para poucos, o povão é forte resistente e aguenta mais essa.

Izabel Avallone

izabelavallone@gmail.com

São Paulo

*

LEÃO PORTUGUÊS

Segundo as autoridades fazendárias de Portugal, o técnico da Seleção Brasileira de futebol, é claro, declarou 255 mil euros, mas recebeu 7 milhões. Se fosse aqui no Brasil, já poderia candidatar-se a um cargo público.

Gilberto M. Costa Filho

marcophil@uol.com.br

Santos

*

COPA DAS COPAS

Gosto não se discute, mas se lamenta. Já ouviram a música "We are one" (Ole, Ola) oficial da Copa 2014, a ser realizada no Brasil. País de belos cenários naturais e pelo visto de nádegas e seios em profusão, rebolando ao som de um gênero musical que certamente não é brasileiro, cantado na maior parte em inglês e espanhol por cantores americanos de origem hispânica. E ainda querem que acreditemos que combatem o turismo sexual?

Luiz Nusbaum

lnusbaum@uol.com.br

São Paulo

*

COPA DAS COPAS

Manifestações em geral de passeatas a protestos, algumas justas outras nem tanto, todavia é um fato reivindicatório, em suma, tudo por falta de dinheiro a atender as necessidades da população. Afora a megalomania lulopetista com as 12 arenas da Copa, sugeridas em oito pela FIFA, o governo da presidente Dilma também deve ser creditado a continuidade na doação de milhões de dólares do nosso dinheiro, a exemplo do porto cubano, a países africanos dirigidos por ditadores ou não, desde que companheiros esquerdistas de mentalidade retrógada. São nossos recursos a atender a ideologia decadente e miserável, tendo a Venezuela como atual exemplo.

Mario Cobucci Junior

maritocobucci@uol.com.br

São Paulo

*

DINHEIRO PARA COPA

A cobrança dos movimentos contra a Copa faz sentido. Precisa o país que tem quase a metade da população ganhando um salário mínimo, vê as escolas sucateadas caindo aos pedaços, vê os hospitais sem o básico para atendimento e sem médicos, vê esta corrupção estampada nos jornais diariamente, etc. construir estádios para a Copa? O argumento dos movimentos é válido. Se tinha dinheiro para realizar a Copa, por que não tem dinheiro para investir no bem estar da população? E a presidente Dilma vem apelar para a alma hospitaleira do brasileiro. Uma alma dilacerada, presidente.

Panayotis Poulis

ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

*

RELAXA E GOZA

A turma da FIFA já entrou na da Marta Suplicy. Mesmo com tudo atrasado, incompleto, mal feito, diferente do que havia sido acordado, eles estão aprovando e elogiando o que está sendo entregue para a Copa. Verdadeiramente estão seguindo o conselho da nossa ministra: se o estupro é inevitável, relaxa e goza.

Ronaldo Gomes Ferraz

ronferraz@globo.com

Rio de Janeiro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.